ROTEIRO PARA O EXPERIMENTO PRÁTICO SISMÓGRAFO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ROTEIRO PARA O EXPERIMENTO PRÁTICO SISMÓGRAFO"

Transcrição

1 ROTEIRO PARA O EXPERIMENTO PRÁTICO SISMÓGRAFO ÁREA DO CONHECIMENTO Física CONTEÚDO Mecânica: oscilações; movimento harmônico simples; ondas mecânicas. OBJETIVO(S) Mostrar o princípio de funcionamento de um sismógrafo; Observar como vibrações em uma dimensão podem gerar gráficos, como as curvas senoidais. DESCRIÇÃO Um sismógrafo é um dispositivo que permite registrar pequenas vibrações da Terra, como aquelas causadas por terremotos. Basicamente, um sismógrafo é formado por um sistema mecânico (ou elétrico) que amplificará as oscilações que chegam até ele, registrando-as em um meio adequado. Um sismógrafo elementar pode ser construído fixando-se uma das extremidades de uma mola vertical macia (isto é, de constante elástica reduzida) a um suporte rígido e a outra a um corpo de massa considerável, munido de uma caneta cuja ponta faz contato com uma folha de papel (ver figura seguinte).

2 A combinação da elevada inércia da massa e da baixa constante elástica da mola manterá praticamente imóvel a ponta da caneta: ela riscará o papel quando este se mover, acompanhando o movimento do solo. Neste experimento, você construirá um sismógrafo bastante simples, semelhante àquele descrito acima, apenas substituindo a mola por um cordão resistente. MATERIAIS Um copinho plástico de água mineral vazio; Pedrinhas ou seixos; Caneta (tipo ponta porosa); Cordão resistente (aproximadamente 45 cm); Caixa de sapatos (ela deve ser resistente); Massa de modelar; Tesoura; Papel.

3 PROCEDIMENTO 1. Tire a tampa da caixa de sapatos e a apoie em um dos lados maiores, de tal forma que a abertura esteja voltada para você. 2. Usando a tesoura, faça dois pequenos furos no centro da face superior da caixa. Eles devem estar perto um do outro. 3. Faça um buraco no centro da base do copo plástico. É através dele que passaremos posteriormente a caneta (ela deverá ficar presa no buraco). 4. Faça dois pequenos furos na superfície lateral do copo, próximos à borda superior. Eles devem ser diametralmente opostos (isto é, um deve ficar de frente para o outro). 5. Passe a caneta pelo buraco que existe no fundo do copo mais ou menos até a metade. A ponta porosa deverá ficar abaixo da base do copo. É importante que a caneta fique bem firme. Se existir alguma folga, use um pouco de massa de modelar para fixar a caneta. 6. Passe o cordão pelos dois furos laterais do copo e pelos dois orifícios feitos na parte de cima da caixa. Regule o tamanho do cordão até que a ponta da caneta toque a base da caixa. Dê um laço para fixar o conjunto nessa posição. Assim, o copo deverá ficar pendurado na parte superior da caixa com a ponta da caneta tocando a sua aresta inferior. 7. Encha mais ou menos ¾ do copo com pedrinhas, seixos, bolas de gude etc. para que ele fique pesado. 8. Coloque uma folha de papel abaixo do copo (a ponta da caneta deve tocar levemente no papel. Se isso não acontecer, ajuste o comprimento da parte da caneta abaixo do copo, movendo-a para baixo ou para cima). A figura seguinte mostra como irá ficar o sismógrafo.

4 9. Peça a alguém para balançar levemente a caixa, para a direita e para a esquerda, enquanto você puxa o papel na sua direção (isto é, para frente), lentamente, com velocidade constante. Se tudo foi feito corretamente, você verá a caneta traçar uma linha sinuosa no papel. Essa é a representação gráfica do pequeno terremoto produzido. 10. Outra possibilidade é você deixar o sistema completamente imóvel no chão. Peça a alguém para andar próximo, pisando com força. Observe a ponta da caneta (traço). Ajuste novamente o sistema e deixe cair um livro pesado no chão. Observe se o sismógrafo registra alguma coisa. Este experimento também pode demonstrar o gráfico do movimento harmônico simples (MHS). Para tanto, siga os passos seguintes: 1. Imobilize o sistema no centro da caixa. 2. Coloque uma nova folha de papel sob a caneta. 3. Mova levemente o copo para a direita, por exemplo. É importante que o deslocamento seja muito pequeno. Largue em seguida o copo. Ele deverá ficar oscilando para a direita e para a esquerda, descrevendo um MHS. (movimento harmônico simples). 4. Mova lentamente o papel em sua direção (para frente) e observe o traço feito pela caneta. Ele tem a forma aproximada de uma senóide, curva representativa do MHS. 5. Altere a amplitude do pêndulo e veja a sua influência na curva traçada.

5 6. Como seria possível alterar a frequência do pêndulo, isto é, a rapidez das suas oscilações? Como isso se manifestaria na senóide? Após pensar um pouco, tente comprovar experimentalmente a sua resposta. RECOMENDAÇÃO DE SEGURANÇA Cuidado ao utilizar a tesoura, principalmente ao fazer furos na caixa e no copo.

Lista 12: Oscilações NOME:

Lista 12: Oscilações NOME: Lista 12: Oscilações NOME: Turma: Prof. : Matrícula: Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder a questão

Leia mais

Física Geral e Experimental III

Física Geral e Experimental III Física Geral e Experimental III Oscilações Nosso mundo está repleto de oscilações, nas quais os objetos se movem repetidamente de um lado para outro. Eis alguns exemplos: - quando um taco rebate uma bola

Leia mais

Exercício 1. Exercício 2.

Exercício 1. Exercício 2. Exercício 1. Em um barbeador elétrico, a lâmina se move para frente e para trás ao longo de uma distância de 2,0 mm em movimento harmônico simples, com frequência de 120 Hz. Encontre: (a) a amplitude,

Leia mais

Primeira Lista de Exercícios.

Primeira Lista de Exercícios. Figure 1: Diagrama esquemático do MHS da partícula do exercício 1. Primeira Lista de Exercícios. 1. Uma partícula que se move num movimento harmônico simples de período T como o da Figura 1 está em x m

Leia mais

Lista de Exercícios - OSCILAÇÕES

Lista de Exercícios - OSCILAÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II Lista de Exercícios - OSCILAÇÕES Perguntas: 1. O gráfico da figura 1 mostra a aceleração

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciência e Tecnologia Bacharelado em Ciência e Tecnologia

Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciência e Tecnologia Bacharelado em Ciência e Tecnologia Universidade Federal de São Paulo Instituto de Ciência e Tecnologia Bacharelado em Ciência e Tecnologia Oscilações Movimento Oscilatório Cinemática do Movimento Harmônico Simples (MHS) MHS e Movimento

Leia mais

Lista Básica Aulas 22 e 23 Frente 3

Lista Básica Aulas 22 e 23 Frente 3 TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Considere os dados abaixo para resolver a(s) questão(ões), quando for necessário. Constantes físicas Aceleração da gravidade próximo à superfície da Terra: Aceleração da gravidade

Leia mais

Atividade experimental: Propriedades e características do som

Atividade experimental: Propriedades e características do som Atividade experimental: Propriedades e características do som O som é uma onda mecânica que se propaga em um meio material e é caracterizado pelas grandezas altura, intensidade e timbre. Nas atividades

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS - MOVIMENTO HARMÔNICO SIMPLES (MHS) (versão 2014/2)

LISTA DE EXERCÍCIOS - MOVIMENTO HARMÔNICO SIMPLES (MHS) (versão 2014/2) LISTA DE EXERCÍCIOS - MOVIMENTO HARMÔNICO SIMPLES (MHS) (versão 2014/2) A CINEMÁTICA NO MHS 1.1.- (HALLIDAY, 4ª EDIÇÃO, CAP. 14, 1E) Um objeto sujeito a um movimento harmônico simples leva 0,25 s para

Leia mais

Física II Ondas, Fluidos e Termodinâmica USP Prof. Antônio Roque Aula

Física II Ondas, Fluidos e Termodinâmica USP Prof. Antônio Roque Aula Aula 3 010 Movimento Harmônico Simples: Exemplos O protótipo físico do movimento harmônico simples (MHS) visto nas aulas passadas um corpo de massa m preso a uma mola executando vibrações de pequenas amplitudes

Leia mais

OBJETIVOS MÉTODO EXPERIMENTAL

OBJETIVOS MÉTODO EXPERIMENTAL OBJETIVOS Mostrar que há dois tipos de carga elétrica. Estudar qualitativamente as forças que atuam entre corpos carregados. Mostrar que as forças entre corpos carregados podem ser entendidas em termos

Leia mais

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Oscilações. Prof. Luis Armas

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Oscilações. Prof. Luis Armas Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA Oscilações Prof. Luis Armas Que é uma oscilação? Qual é a importância de estudar oscilações? SUMARIO Movimentos oscilatórios periódicos Movimento harmônico simples

Leia mais

Theory Portuguese (Portugal) Antes de iniciar este problema, leia cuidadosamente as Instruções Gerais que pode encontrar noutro envelope.

Theory Portuguese (Portugal) Antes de iniciar este problema, leia cuidadosamente as Instruções Gerais que pode encontrar noutro envelope. Q1-1 Dois Problemas de Mecânica Antes de iniciar este problema, leia cuidadosamente as Instruções Gerais que pode encontrar noutro envelope. Parte A. O Disco Escondido (3,5 pontos) Considere um cilindro

Leia mais

Por outro lado, sabemos que o módulo e o sentido da força que atua sobre uma partícula em MHS são dados, genericamente, por:

Por outro lado, sabemos que o módulo e o sentido da força que atua sobre uma partícula em MHS são dados, genericamente, por: Sistema Corpo-Mola Um corpo de massa m se apóia sobre uma superfície horizontal sem atrito e está preso a uma mola (de massa desprezível) de constante elástica k (Fig.18). Se o corpo é abandonado com a

Leia mais

Atividade experimental - Ressonância

Atividade experimental - Ressonância Atividade experimental - Ressonância A atividade experimental é indicada para auxiliar na compreensão do fenômeno de ressonância. Para reproduzir os experimentos abaixo, o usuário deverá providenciar os

Leia mais

Clínica Deckers. Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo

Clínica Deckers. Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo Clínica Deckers Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo O QUE É. Estes são alguns exercícios recomendados com mais freqüência para a terapia do tornozelo. Eles foram compilados para dar a

Leia mais

Karen Jennings Wilson. Tecido branco com flocos de neve. Tecido de algodão na cor azul claro

Karen Jennings Wilson. Tecido branco com flocos de neve. Tecido de algodão na cor azul claro projetos Pássaro de Inverno Karen Jennings Wilson Esta bolsinha "Pássaro de Inverno" 13cm x 18cm (5" x 7") com zíper manterá você alegre e organizada durante o inverno! Tem espaço suficiente para celular

Leia mais

MOVIMENTO OSCILATÓRIO

MOVIMENTO OSCILATÓRIO MOVIMENTO OSCILATÓRIO 1.0 Noções da Teoria da Elasticidade A tensão é o quociente da força sobre a área aplicada (N/m²): As tensões normais são tensões cuja força é perpendicular à área. São as tensões

Leia mais

Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011

Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011 Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011 Equipe: 1. Nome:... 2. Nome:... 3. Nome:... Pólo:... Data:... Experiência dois: QUEDA LIVRE Relatório Programado: Guia para tomada e análise de dados Prazo: 1 semana

Leia mais

Ondas Estacionárias em uma Corda

Ondas Estacionárias em uma Corda Ondas Estacionárias em uma Corda INTRODUÇÃO Ondas estacionárias em uma corda finita Em uma corda uniforme de densidade linear de massa, submetida a uma tensão T, a velocidade de propagação v de um pulso

Leia mais

Laboratório de Física

Laboratório de Física Laboratório de Física Experimento 06: Oscilações Disciplina: Laboratório de Física Experimental I Professor: Turma: Data: / /0 Alunos: : : : : : /0 06 Oscilações.. Objetivos Determinar as constantes elásticas

Leia mais

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II Objetivo Geral: Determinar a velocidade de propagação do som no ar através da interpretação do padrão de ondas estacionárias formadas em um tubo sonoro fechado. *Anote a incerteza dos instrumentos de medida

Leia mais

Verificar as equações para a constante de mola efetiva em um sistema com molas em série e outro com molas em paralelo.

Verificar as equações para a constante de mola efetiva em um sistema com molas em série e outro com molas em paralelo. 74 9.4 Experiência 4: Deformações Elásticas e Pêndulo Simples 9.4.1 Objetivos Interpretar o gráfico força x elongação; Enunciar e verificar a validade da lei de Hooke; Verificar as equações para a constante

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - FEAU. Física Experimental I Prof. Dra. Ângela Cristina Krabbe

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - FEAU. Física Experimental I Prof. Dra. Ângela Cristina Krabbe Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo - FEAU Física Experimental I Prof. Dra. Ângela Cristina Krabbe 1. Qual o período de oscilação de um pêndulo simples de

Leia mais

Manual da Nova Garra Mecânica

Manual da Nova Garra Mecânica Manual da Nova Garra Mecânica 1 Para começar o manual da Garra, vamos iniciar pela própria garra ou seja, a parte que agarra objetos. Parafuse a cantoneira de 12 furos em uma engrenagem de 36 dentes e

Leia mais

Atividade experimental: Movimento uniforme de uma bolha de ar

Atividade experimental: Movimento uniforme de uma bolha de ar Atividade experimental: Movimento uniforme de uma bolha de ar É muito difícil observar um movimento puramente uniforme em uma situação cotidiana, como no deslocamento de um veículo, ou mesmo no deslocamento

Leia mais

EXPERIMENTO : -Estudar a propagação de ondas transversais e longitudinais numa mola helicoidal;

EXPERIMENTO : -Estudar a propagação de ondas transversais e longitudinais numa mola helicoidal; THAÍS RIBEIRO/FABIANA SENA Fonte: AZEHEB. Manual de Instruções e Guia de Experimentos. COLÉGIO PEDRO CALMON Autores: Fabiana Sena; Thaís Ribeiro Experimento: Fenômenos Ondulatórios Componentes: DISCIPLINA:

Leia mais

Física I Prova 2 25/10/2014

Física I Prova 2 25/10/2014 Física I Prova 2 25/10/2014 NOME MATRÍCULA TURMA PROF. Lembrete: A prova consta de 6 questões discursivas (que deverão ter respostas justificadas, desenvolvidas e demonstradas matematicamente) e 8 questões

Leia mais

Trânsito Forças e Movimento : Lei fundamental da dinâmica NOME: Nº TURMA: DATA: / /2009

Trânsito Forças e Movimento : Lei fundamental da dinâmica NOME: Nº TURMA: DATA: / /2009 Objectivo O objectivo desta actividade é verificar o que acontece com a aceleração de um corpo quando a resultante da força aplicada no corpo permanece constante, mas a massa do sistema é alterado. Questões

Leia mais

04- Uma escada homogênea de 40kg apóia-se sobre uma parede, no ponto P, e sobre o chão, no ponto C. Adote g = 10m/s².

04- Uma escada homogênea de 40kg apóia-se sobre uma parede, no ponto P, e sobre o chão, no ponto C. Adote g = 10m/s². PROFESSOR: Raphael Carvalho BANCO DE QUESTÕES - FÍSICA 2ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== 01- Dois atletas em lados opostos

Leia mais

MHS Movimento Harmônico Simples

MHS Movimento Harmônico Simples 2010 ESCOLA ALUNO MHS Movimento Harmônico Simples 1. (Mackenzie) Uma partícula descreve um movimento harmônico simples segundo a equação X = 0,3. cos (π /3 + 2.t), no S.I.. O módulo da máxima velocidade

Leia mais

Caminhões com bomba de concreto. Informações gerais sobre caminhões com bomba de concreto. Modelo

Caminhões com bomba de concreto. Informações gerais sobre caminhões com bomba de concreto. Modelo Informações gerais sobre caminhões com bomba de concreto Informações gerais sobre caminhões com bomba de concreto A carroceria do caminhão com bomba de concreto é considerada muito resistente à torção.

Leia mais

1 pedaço de 18cm x 8cm (7" x 3") Superior Frontal 1 pedaço de 18cm x 18cm (7" x 7") Inferior Frontal 1 pedaço de 18cm x 23cm (7" x 9") Costas

1 pedaço de 18cm x 8cm (7 x 3) Superior Frontal 1 pedaço de 18cm x 18cm (7 x 7) Inferior Frontal 1 pedaço de 18cm x 23cm (7 x 9) Costas projetos Urso Love Karen Jennings Wilson Você vai amar esta bolsinha (13cm x 18cm) com zíper "Urso Love"! Muito fácil de fazer utilizando apenas um bastidor de sua máquina de bordar. O corte utilizado

Leia mais

CÂMARA ESCURA. Cad. Cat. Ens. Fis., Florianópolis, 3(1): 46-50, abr Renato Meineck Santos Diez Arribas Depto de Física ICEG Passo Fundo RS

CÂMARA ESCURA. Cad. Cat. Ens. Fis., Florianópolis, 3(1): 46-50, abr Renato Meineck Santos Diez Arribas Depto de Física ICEG Passo Fundo RS CÂMARA ESCURA Renato Meineck Santos Diez Arribas Depto de Física ICEG Passo Fundo RS Um aparelho muito simples que nos dá a idéia do funcionamento do olho humano e da câmara fotográfica é a caixa escura.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA Departamento de Física Disciplina: Física Básica II Perguntas: 1. A figura 1a mostra um instantâneo de uma onda que se propaga no sentido

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 2 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Energia Óptica da Visão e M.H.S.

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 2 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Energia Óptica da Visão e M.H.S. Sala de Estudos FÍSICA Lucas 2 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Energia Óptica da Visão e M.H.S. 1. (Enem 2015) Entre os anos de 1028 e 1038, Alhazen (lbn al-haytham:

Leia mais

Roteiro 26 - Ressonância em tubos sonoros fechados e abertos

Roteiro 26 - Ressonância em tubos sonoros fechados e abertos Roteiro 26 - Ressonância em tubos sonoros fechados e abertos 1 INTRODUÇÃO Denomina-se tubo sonoro a toda massa de ar, geralmente limitada por uma superfície cilíndrica fechada que, quando posta a vibrar,

Leia mais

ROTEIRO DE MONTAGEM DO MATERIAL DA AULA PRÁTICA EQUAÇÃO DE BERNOULLI

ROTEIRO DE MONTAGEM DO MATERIAL DA AULA PRÁTICA EQUAÇÃO DE BERNOULLI CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO VICENTE DO SUL ROTEIRO DE MONTAGEM DO MATERIAL DA AULA PRÁTICA EQUAÇÃO DE BERNOULLI PROFESSOR RAFHAEL BRUM WERLANG 1.0 OBJETIVO Este roteiro destina-se a auxiliar

Leia mais

Centro de Serviços Compartilhados TI. Manual de Instalação da Lousa DIGI III Simples s/ Kit

Centro de Serviços Compartilhados TI. Manual de Instalação da Lousa DIGI III Simples s/ Kit / 5 Versão. Pearson Sistemas do Brasil Departamento de Qualidade em TI Fone +55 (6) 3603 9272 Pág./5 2/ 5 Índice Analítico Lousa DIGI III... 3. O presente manual visa orientar a instalação da lousa DIGI

Leia mais

Física I Reposição 2 3/12/2014

Física I Reposição 2 3/12/2014 Nota Física I Reposição 3/1/014 NOME MATRÍCULA TURMA PROF. Lembrete: A prova consta de 6 questões discursivas (que deverão ter respostas justificadas, desenvolvidas e demonstradas matematicamente) e 14

Leia mais

Convites. Produto virtual para impressão! Você vai precisar de: Dica:

Convites. Produto virtual para impressão! Você vai precisar de: Dica: Convites Você vai precisar de: - 1 ou mais folhas no formato A4 (recomendamos folhas na gramatura 180 gramas) - 1 tesoura Dica: Você pode fazer a impressão em uma gráfica rápida da sua cidade: Envie o

Leia mais

1) O deslocamento de uma onda progressiva em uma corda esticada é (em unidades do SI)

1) O deslocamento de uma onda progressiva em uma corda esticada é (em unidades do SI) 1) O deslocamento de uma onda progressiva em uma corda esticada é (em unidades do SI) a) Quais são a velocidade e a direção de deslocamento da onda? b) Qual é o deslocamento vertical da corda em t=0, x=0,100

Leia mais

Lista de exercícios n 2 - Ondas Prof. Marco

Lista de exercícios n 2 - Ondas Prof. Marco o Lista de exercícios n 2 - Ondas Prof. Marco Ondas periódicas 1 Uma onda tem velocidade escalar igual a 240 m/s e seu comprimento de onda é 3,2 m. Quais são: (a) A freqüência; (b) O período da onda? [Resp.

Leia mais

Experiência Número 09 Magnetismo II

Experiência Número 09 Magnetismo II OBJETIVOS Investigar se objetos podem ainda ser atraídos, mesmo não estando em contato com ímãs. Investigar se o efeito de um ímã é prejudicado pela interposição de materias não magnéticos. Produzir ímãs

Leia mais

Física I Prova 3 7/06/2014

Física I Prova 3 7/06/2014 Nota Física I Prova 3 7/06/2014 NOME MATRÍCULA TURMA PROF. Lembrete: A prova consta de 2 questões discursivas (que deverão ter respostas justificadas, desenvolvidas e demonstradas matematicamente) e 12

Leia mais

BARRA ANTI-PÂNICO MODELO 1200

BARRA ANTI-PÂNICO MODELO 1200 BARRA ANTI-PÂNICO MODELO 1200 Apresentação: Agradecemos a sua escolha pelo produto. Nosso principal objetivo é assegurar sua total satisfação com nossos produtos e serviços. Leia atentamente este manual

Leia mais

FEP Física para Engenharia II

FEP Física para Engenharia II FEP196 - Física para Engenharia II Prova REC - Gabarito 1. Considere um cilindro oco de massa, raio externo R e raio interno r. (a) (1,0) Calcule o momento de inércia desse cilindro com relação ao eixo

Leia mais

Prova 1/3. Nome: Assinatura: Matrícula UFES: Semestre: 2013/2 Curso: Física (B e L) Turmas: 01 e 02 Data: 11/11/2013 GABARITO

Prova 1/3. Nome: Assinatura: Matrícula UFES: Semestre: 2013/2 Curso: Física (B e L) Turmas: 01 e 02 Data: 11/11/2013 GABARITO Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Eatas Departamento de Física FIS09066 Física Prof. Anderson Coser Gaudio Prova /3 Nome: Assinatura: Matrícula UFES: Semestre: 03/ Curso: Física

Leia mais

Energia Mecânica - Matheus Souza Gomes / N USP:

Energia Mecânica - Matheus Souza Gomes / N USP: Energia Mecânica - Matheus Souza Gomes / N USP: 7161048 Introdução No trabalho, foi analisado o experimento Energia Cinética encontrado no portal web do Fisfoto, localizado no endereço http://www.fep.if.usp.br/~fisfoto.

Leia mais

UFJF PISM º DIA (FÍSICA)

UFJF PISM º DIA (FÍSICA) UFJF PISM 2017 3 2º DIA (FÍSICA) 1 ATENÇÃO: 1. Utilize somente caneta azul ou preta. 2. ESCREVA OU ASSINE SEU NOME SOMENTE NO ESPAÇO PRÓPRIO DA CAPA. 3. O espaço que está pautado nas questões é para a

Leia mais

A AMARRAÇÃO. Alguns conselhos R. Tipos de amarração R BIZART

A AMARRAÇÃO. Alguns conselhos R. Tipos de amarração R BIZART 7 A AMARRAÇÃO Alguns conselhos R Tipos de amarração R Fevereiro 2012 BIZART A amarração Se uma carga não for amarrada de forma adequada, poderá constituir um perigo para si e para terceiros. Uma carga

Leia mais

#02 PROJETO MESA DE IMPRESSÃO SIMPLES FIXA NA PAREDE

#02 PROJETO MESA DE IMPRESSÃO SIMPLES FIXA NA PAREDE Esse projeto é essencial para impressão na serigrafia em superfícies planas. Essa mesa simples ou berço é muito comum no uso de impressões de camisetas já costuradas. Vamos criar uma mesa com uma estrutura

Leia mais

6 ÓTICA. Cuba de Ondas / Software SAM. 6 - Interferência NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA

6 ÓTICA. Cuba de Ondas / Software SAM. 6 - Interferência NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA FÍSICA 6 ÓTICA Cuba de Ondas / Software SAM 6 - Interferência NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA Objetivos Observar a interferência de ondas planas, variando a distância entre as fontes e a freqüência.

Leia mais

Elevador Hidráulico. O objetivo deste experimento é mostrar o Princípio de Pascal no funcionamento de um elevador hidráulico.

Elevador Hidráulico. O objetivo deste experimento é mostrar o Princípio de Pascal no funcionamento de um elevador hidráulico. Elevador Hidráulico Objetivo Contexto O objetivo deste experimento é mostrar o Princípio de Pascal no funcionamento de um elevador hidráulico. Em 1652 um jovem cientista francês Blaise Pascal (1623-1662),

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 3

LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 3 LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 3 Questões 1) Na Figura 1, três longos tubos (A, B e C) são preenchidos com diferentes gases em diferentes pressões. A razão entre o módulo da elasticidade volumar e a densidade

Leia mais

Lista5: Conservação da Energia NOME:

Lista5: Conservação da Energia NOME: Lista 5: Conservação da Energia NOME: Turma: Prof. : Matrícula: Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii.responder

Leia mais

Introdução. Perturbação no primeiro dominó. Perturbação se propaga de um ponto a outro.

Introdução. Perturbação no primeiro dominó. Perturbação se propaga de um ponto a outro. Capitulo 16 Ondas I Introdução Perturbação no primeiro dominó. Perturbação se propaga de um ponto a outro. Ondas ondas é qualquer sinal (perturbação) que se transmite de um ponto a outro de um meio com

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL DONA ISABEL PIBID Física IFRS/BG ROTEIRO PARA EXECUÇÃO DO EXPERIMENTO DO PRINCIPIO DE ARQUIMEDES Nomes:

COLÉGIO ESTADUAL DONA ISABEL PIBID Física IFRS/BG ROTEIRO PARA EXECUÇÃO DO EXPERIMENTO DO PRINCIPIO DE ARQUIMEDES Nomes: ROTEIRO PARA EXECUÇÃO DO EXPERIMENTO DO PRINCIPIO DE ARQUIMEDES Demonstração do princípio de funcionamento de um submarino, ilustrando o Princípio de Arquimedes. Duas garrafas PET transparente com tampa,

Leia mais

F = K.x. Vale também para distensão!!! Lei de Hooke:

F = K.x. Vale também para distensão!!! Lei de Hooke: Lei de Hooke: A força necessária para se comprimir uma mola, depende de dois fatores: a dureza da mola (constante elástica) e a deformação a ser causada. F K.x Vale também para distensão!!! ATENÇÃO: o

Leia mais

Nintendo Wii Remote B Gatilho Botão de

Nintendo Wii Remote B Gatilho Botão de Nintendo Wii Remote B Gatilho Botão de substituição Remover o botão B a partir do seu Nintendo Wii Remote. Redigido por: Emily INTRODUÇÃO O botão B podem funcionar mal ou ficar desalinhado devido à inadequada

Leia mais

Plano de Aula- 1 ano do Ensino Médio. Conservação da Energia Mecânica e Queda Livre

Plano de Aula- 1 ano do Ensino Médio. Conservação da Energia Mecânica e Queda Livre Plano de Aula- 1 ano do Ensino Médio Conservação da Energia Mecânica e Queda Livre Objetivo: Consolidar os conceitos presentes na Lei de Conservação da Energia Mecânica e discutir o movimento de queda

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR INTERIOR CE 100 Q MOTOR EXTERIOR CE 100 P

MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR INTERIOR CE 100 Q MOTOR EXTERIOR CE 100 P MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOR INTERIOR CE 100 Q MOTOR EXTERIOR CE 100 P BEST 2 AVISOS O ar aspirado não deve ser canalizado por uma conduta já utilizada para evacuar fumos produzidos por aparelhos alimentados

Leia mais

Movimento periódico é um movimento que um objecto repete com regularidade. O objecto regressa à posição inicial depois de um intervalo de tempo.

Movimento periódico é um movimento que um objecto repete com regularidade. O objecto regressa à posição inicial depois de um intervalo de tempo. Física 12.º Ano MOVIMENTOS OSCILATÓRIOS ADAPTADO DE SERWAY & JEWETT POR MARÍLIA PERES 2013 Movimento Periódico 2 Movimento periódico é um movimento que um objecto repete com regularidade. O objecto regressa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 04/2016-PROGRAD PROVA ESCRITA ÁREA: FÍSICA GERAL Questão 1. (Valor 2,0) Um foguete modelo de 4,00 kg é lançado verticalmente para cima com

Leia mais

Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples

Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples Tópico 8. Aula Prática: Pêndulo Simples 1. INTRODUÇÃO Um pêndulo é um sistema composto por uma massa acoplada a um pivô que permite sua movimentação livremente. A massa fica sujeita à força restauradora

Leia mais

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção.

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. Lista 10: Energia NOME: Turma: Prof. : Matrícula: Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder a questão de

Leia mais

COLÉGIO SHALOM. Trabalho de recuperação Ensino Médio 2º Ano Profº: Wesley da Silva Mota Física

COLÉGIO SHALOM. Trabalho de recuperação Ensino Médio 2º Ano Profº: Wesley da Silva Mota Física COLÉGIO SHALOM Trabalho de recuperação Ensino Médio 2º Ano Profº: Wesley da Silva Mota Física Entrega na data da prova Aluno (a) :. No. 01-(Ufrrj-RJ) A figura a seguir mostra um atleta de ginástica olímpica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA CCN DEPARTAMENTO DE FÍSICA. DISCIPLINA: FÍSICA EXPERIMENTAL I Prof. Dr.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA CCN DEPARTAMENTO DE FÍSICA. DISCIPLINA: FÍSICA EXPERIMENTAL I Prof. Dr. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA CCN DEPARTAMENTO DE FÍSICA DISCIPLINA: FÍSICA EXPERIMENTAL I Prof. Dr. : JEREMIAS ARAÚJO Experiência IX: Movimento Harmônico Simples 1.INTRODUÇÃO:

Leia mais

Como Fazer uma Capa de Sofá

Como Fazer uma Capa de Sofá Como Fazer uma Capa de Sofá Uma capa de sofá pode dar vida nova a uma mobília mais antiga, além de uma aparência atualizada a um cômodo. Embora seja possível comprá-la, fazer a sua é mais econômico e traz

Leia mais

Ao atingir o ponto B pela quarta vez, temos 3,5 oscilações completas em 7 segundos; logo:

Ao atingir o ponto B pela quarta vez, temos 3,5 oscilações completas em 7 segundos; logo: 01 Ao atingir o ponto B pela quarta vez, temos 3,5 oscilações completas em 7 segundos; logo: 7 T = T = 2 s 3,5 Resposta: E 1 02 Sabemos que o período de uma oscilação é proporcional a L é o comprimento;

Leia mais

CUBA DE ONDAS. Fonte de alimentação com duas saídas (lâmpada e vibrador) e protegidas com fusível e relé.

CUBA DE ONDAS. Fonte de alimentação com duas saídas (lâmpada e vibrador) e protegidas com fusível e relé. CUBA DE ONDAS Composição do conjunto experimental Fonte de alimentação com duas saídas (lâmpada e vibrador) e protegidas com fusível e relé. Chave liga desliga e indicador de ligada com led verde, alimentação

Leia mais

PODEM. Fernando Lang da Silveira Instituto de Física UFRGS Rolando Axt Depto. de Física, Estatística e Matemática UNIJUÍ

PODEM. Fernando Lang da Silveira Instituto de Física UFRGS Rolando Axt Depto. de Física, Estatística e Matemática UNIJUÍ PODEM MOLAS EM QUEDA LIVRE TER ACELERAÇÃO MAIOR DO QUE A DA GRAVIDADE? PUBLICADO NA REVISTA FÍSICA NA ESCOLA, SÃO PAULO, V. 6, N. 2, P. 5 7, 2005. Fernando Lang da Silveira Instituto de Física UFRGS lang@if.ufrgs.br

Leia mais

Cinemática, Dinâmica Ondas

Cinemática, Dinâmica Ondas Cinemática, Dinâmica Ondas Licenciatura em Ciências da Natureza Componente Curricular: Energia e Movimento Professor: Sérgio Mittmann Dos Santos Alunos: Chamis Nédia Abdul Khalek, Graziela Traçante Rodrigues,

Leia mais

Física I Prova 2 25/10/2014

Física I Prova 2 25/10/2014 Nota Física I Prova 5/10/014 NOME MATRÍCULA TURMA PROF. Lembrete: A prova consta de 6 questões discursivas (que deverão ter respostas justificadas, desenvolvidas e demonstradas matematicamente) e 8 questões

Leia mais

(a) Obtenha o valor de f( 1). (b) Estime o valor de f(2). (c) f(x) = 2 para quais valores de x? (d) Estime os valores de x para os quais f(x) = 0.

(a) Obtenha o valor de f( 1). (b) Estime o valor de f(2). (c) f(x) = 2 para quais valores de x? (d) Estime os valores de x para os quais f(x) = 0. Lista de Exercícios de Cálculo I para os cursos de Engenharia - Funções 1. Dado o gráfico de uma função: (a) Obtenha o valor de f( 1). (b) Estime o valor de f(). (c) f(x) = para quais valores de x? (d)

Leia mais

Exame Física para as Ciências Naturais Curso: Agronomia 3/05/12. Nome:... Número:... Grupo I (13 valores)

Exame Física para as Ciências Naturais Curso: Agronomia 3/05/12. Nome:... Número:... Grupo I (13 valores) Exame Física para as Ciências Naturais Curso: Agronomia 3/05/12 Nome:... Número:... Pode utilizar uma calculadora e uma folha A4 (duas páginas) com fórmulas. Grupo I (13 valores) Assinalar a reposta correcta.

Leia mais

As principais formas de oscilação são: Massa - mola Pêndulo Ondas em uma superfície.

As principais formas de oscilação são: Massa - mola Pêndulo Ondas em uma superfície. Tudo ao nosso redor oscila!!! As principais formas de oscilação são: Ondas Massa - mola Pêndulo Ondas em uma superfície. O que é um pêndulo? Um corpo suspenso por um fio, afastado da posição de equilíbrio

Leia mais

Brincadeira científica - Câmera fotográfica

Brincadeira científica - Câmera fotográfica Brincadeira científica - Câmera fotográfica Você, provavelmente, está acostumado a tirar fotos com uma câmera digital ou um celular. Mas você sabe como a imagem de um grande edifício, ou de uma pessoa,

Leia mais

1. (Fuvest 2012) A figura abaixo representa imagens instantâneas de duas cordas flexíveis idênticas, C

1. (Fuvest 2012) A figura abaixo representa imagens instantâneas de duas cordas flexíveis idênticas, C 1. (Fuvest 2012) A figura abaixo representa imagens instantâneas de duas cordas flexíveis idênticas, C 1 e C 2, tracionadas por forças diferentes, nas quais se propagam ondas. Durante uma aula, estudantes

Leia mais

5ª LISTA DE EXERCÍCIOS

5ª LISTA DE EXERCÍCIOS 5ª LISTA DE EXERCÍCIOS DISCIPLINA: Física Geral e Experimental I CURSO: Engenharia de Produção Noturno. 2º termo Prof. Dr. Elton Aparecido Prado dos Reis 01 - Um grupo de pessoas, por intermédio de uma

Leia mais

2ª Lista de Exercícios Fundamentos de Mecânica Clássica Profº. Rodrigo Dias

2ª Lista de Exercícios Fundamentos de Mecânica Clássica Profº. Rodrigo Dias 2ª Lista de Exercícios Fundamentos de Mecânica Clássica Profº. Rodrigo Dias Obs: Esta lista de exercícios é apenas um direcionamento, é necessário estudar a teoria referente ao assunto e fazer os exercícios

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: SUNNY, SUNNY CONTR FHARO Obrigado por adquirir o. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o em local seguro para consultas

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA PROVA ESPECÍFICA E TESTÃO 1 ANO 4 BIMESTRE

EXERCÍCIOS PARA PROVA ESPECÍFICA E TESTÃO 1 ANO 4 BIMESTRE 1. (Unesp 89) Um cubo de aço e outro de cobre, ambos de massas iguais a 20 g estão sobre um disco de aço horizontal, que pode girar em torno de seu centro. Os coeficientes de atrito estático para aço-aço

Leia mais

Aula do cap. 16 MHS e Oscilações

Aula do cap. 16 MHS e Oscilações Aula do cap. 16 MHS e Oscilações Movimento harmônico simples (MHS). Equações do MHS soluções, x(t), v(t) e a(t). Relações entre MHS e movimento circular uniforme. Considerações de energia mecânica no movimento

Leia mais

Definição de Onda. Propriedade fundamental das ondas

Definição de Onda. Propriedade fundamental das ondas Apostila 7 Setor B Aulas 33 a 35 Página 147 Ondulatória Definição de Onda Onda é qualquer perturbação que se propaga através de um meio. Propriedade fundamental das ondas Uma onda transmite energia, sem

Leia mais

0.1 Trabalho e Energia Mecânica

0.1 Trabalho e Energia Mecânica 0.1 Trabalho e Energia Mecânica 1 0.1 Trabalho e Energia Mecânica 1. Uma partícula de massa m se move ao longo do eixo OX sob a ação de uma força total dada por F x = kx, onde k > 0. No instante inicial,

Leia mais

Ondas estacionárias em uma corda. Introdução. Materiais Necessários. Visualize diferentes modos de vibração para ondas estacionárias em uma corda.

Ondas estacionárias em uma corda. Introdução. Materiais Necessários. Visualize diferentes modos de vibração para ondas estacionárias em uma corda. dução Visualize diferentes modos de vibração para ondas estacionárias em uma corda. Cadastrada por Lucas Assis Material - onde encontrar em supermercados e farmácias Material - quanto custa entre e 25

Leia mais

Lista 10: Dinâmica das Rotações NOME:

Lista 10: Dinâmica das Rotações NOME: Lista 10: Dinâmica das Rotações NOME: Turma: Prof. : Matrícula: Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder

Leia mais

Universidade Federal Rural do Semi Árido UFERSA Pro Reitoria de Graduação PROGRAD Disciplina: Física II Professora: Subênia Medeiros

Universidade Federal Rural do Semi Árido UFERSA Pro Reitoria de Graduação PROGRAD Disciplina: Física II Professora: Subênia Medeiros Universidade Federal Rural do Semi Árido UFERSA Pro Reitoria de Graduação PROGRAD Disciplina: Física II Professora: Subênia Medeiros Movimento Periódico O movimento é um dos fenômenos mais fundamentais

Leia mais

Noções Básicas de Física Arquitectura Paisagística LEI DE HOOKE (1)

Noções Básicas de Física Arquitectura Paisagística LEI DE HOOKE (1) LEI DE HOOKE INTRODUÇÃO A Figura 1 mostra uma mola de comprimento l 0, suspensa por uma das suas extremidades. Quando penduramos na outra extremidade da mola um corpo de massa m, a mola passa a ter um

Leia mais

Dado: g = 10 m/s 2. (A) 5,6 x 10 2 J (D) 1,4 x 10 2 J (B) 1,4 x 10 3 J (C) 3,5 x 10 3 J

Dado: g = 10 m/s 2. (A) 5,6 x 10 2 J (D) 1,4 x 10 2 J (B) 1,4 x 10 3 J (C) 3,5 x 10 3 J 41 A quantidade de calor Q transferida para o ar durante o tempo t através da superfície aquecida de um ferro de passar roupa de área A é dada por Q = h t A (q - q 0 ), onde q é a temperatura da superfície

Leia mais

*Médio porte: volume da folhagem com aproximadamente 30 x 30 cm (diâmetro x altura/comprimento)

*Médio porte: volume da folhagem com aproximadamente 30 x 30 cm (diâmetro x altura/comprimento) 4 - Plantas PLANTAS A seleção das plantas e o seu manuseio são os passos mais importantes na instalação de um jardim vertical. Por isso seguem algumas orientações sobre como proceder nestas tarefas tão

Leia mais

Efeito dos sismos ondas sísmicas

Efeito dos sismos ondas sísmicas Efeito dos sismos ondas sísmicas A zona do interior do globo onde tem origem a ruptura ou simplesmente a deslocação das rochas denomina-se por foco sísmico ou hipocentro. A libertação de energia, lentamente

Leia mais

Instruções para Instalação

Instruções para Instalação Instruções para Instalação 1- PARA MARCAR A POSIÇÃO DE COLOCAÇÃO DA FECHADURA NA PORTA: Marque uma linha horizontal na altura que será colocada a fechadura, sugerimos que a maçaneta fique a 1,10m de altura

Leia mais

ROTEIRO DE EXPERIMENTO ELETROSCÓPIO

ROTEIRO DE EXPERIMENTO ELETROSCÓPIO ROTEIRO DE EXPERIMENTO ELETROSCÓPIO MATERIAS UTILIZADOS (Ver figura 1) 1 pote de vidro com tampa (pote de conserva); 40 cm de fio de cobre (1,5mm de diâmetro); 1 alicate; 1 pistola de cola quente; 1 bastão

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 7

LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 7 LISTA DE EXERCÍCIOS Nº 7 Questões 1) A Figura 1 apresenta um caminho direto e 4 caminhos indiretos de um ponto i para um ponto f. Ao longo do caminho direto e de 3 caminhos indiretos somente uma força

Leia mais

FEIRA DE CIÊNCIA DETECTOR DE CARGAS PÊNDULO ELETROSTÁTICO

FEIRA DE CIÊNCIA DETECTOR DE CARGAS PÊNDULO ELETROSTÁTICO 1 de 13 03/12/2013 10:18 FEIRA DE CIÊNCIA DETECTOR DE CARGAS PÊNDULO ELETROSTÁTICO Acesse também: Seção Aprenda Física: Página do Curso de Física da UEMS Eletrização por Atrito Eletroscópio de Folhas Eletrização

Leia mais

UNIDADE 15 OSCILAÇÕES

UNIDADE 15 OSCILAÇÕES UNIDADE 15 OSCILAÇÕES 557 AULA 40 OSCILAÇÕES OBJETIVOS: - DEFINIR O CONCEITO DE OSCILAÇÃO; - CONHECER AS GRANDEZAS QUE DESCREVEM O MOVIMENTO. 40.1 Introdução: Há, na Natureza, um tipo de movimento muito

Leia mais

(Pense num site bizurado.. auhae)

(Pense num site bizurado.. auhae) LISTA DE FÍSICA By Felipe Marambaia Q.1 (Miakishev) Dois carros movem-se com velocidades constantes v 1 e v 2 em estradas que se cruzam num ângulo. Determinar a grandeza e a direção da velocidade de um

Leia mais

Laboratorio de Física I - EAD- UESC 2011

Laboratorio de Física I - EAD- UESC 2011 Laboratorio de Física I - EAD- UESC 2011 Equipe: 1. Nome:... 2. Nome:... 3. Nome:... Pólo:... Data:... Experiência 1: CANHÃO DE BORRACHINHA Relatório Programado: Guia para tomada e análise de dados Prazo:

Leia mais