Prospecto de Distribuição Pública Primária de Ações Ordinárias de Emissão da

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prospecto de Distribuição Pública Primária de Ações Ordinárias de Emissão da"

Transcrição

1 Prospecto de Distribuição Pública Primária de Ações Ordinárias de Emissão da Rossi Residencial S.A. C.N.P.J./M.F. N.º /1-8 Av. Marginal do Rio Pinheiros nº 5.2, Edifício Miami, Bloco C, conjunto 31 CEP São Paulo SP Preço de Emissão:R$,31 por Ação Ordinária Emissão pública de ações ordinárias ( Ações ) de emissão da Rossi Residencial S.A. ( Rossi, Companhia ou Emissora ), todas nominativas, escriturais, sem valor nominal, ao preço unitário de R$,31 (trinta e um centavos de real) por Ação, perfazendo o total de R$ ,96 (setenta e nove milhões, novecentos e noventa e nove mil, novecentos e noventa e nove reais e noventa e seis centavos), a ser realizada por meio de distribuição pública primária, em mercado de balcão não organizado, no Brasil, coordenada pelo Banco Santander Brasil S.A. (o Coordenador Líder ), em conformidade com os procedimentos estabelecidos na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) nº 13, de 3 de setembro de 198 ( Instrução CVM nº 13/8 ) (a Oferta ). A distribuição pública das Ações foi aprovada nos termos da Reunião do Conselho de Administração da Emissora realizada em 13 de novembro de 22, cuja ata foi publicada nos jornais O Estado de São Paulo e Diário Oficial do Estado de São Paulo, em 14 de novembro de 22, sendo que tal reunião foi re-ratificada pela Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de janeiro de 23, cuja ata foi publicada nos jornais O Estado de São Paulo e Diário Oficial do Estado de São Paulo, em 3 de janeiro de 23. A quantidade de Ações emitidas pela Companhia e o preço de emissão foram aprovados pela Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 1 de fevereiro de 23, cuja ata foi publicada nos jornais O Estado de São Paulo e Diário Oficial do Estado de São Paulo em 12 de fevereiro de 23. As Ações da Companhia estão registradas para negociação na Bolsa de Valores de São Paulo BOVESPA sob o código RSID3. Código ISIN das Ações: BRR5IDACNOR8. A Companhia aderiu ao Nível 1 de Governança Corporativa da BOVESPA, em 5 de fevereiro de 23. Por Ação Ordinária Por Ação Ordinária Total Preço em R$, ,96 Custo da Oferta em R$, ,76 Recursos Líquidos em R$ ,2 Registro na CVM da Distribuição Pública Primária sob o nº CVM/SRE/REM/23/1, em 19 de fevereiro de 23. O registro da presente Distribuição não implica, por parte da CVM, garantia da veracidade das informações prestadas ou em julgamento sobre a qualidade da companhia Emissora, bem como sobre as Ações a serem distribuídas. Os administradores da Emissora e o Coordenador Líder declaram que, até onde têm conhecimento, as informações contidas neste documento correspondem à realidade e não omitem nada capaz de afetar a importância de tais informações. A presente oferta pública foi elaborada de acordo com as disposições do Código de Auto-Regulação da ANBID para as Ofertas Públicas de Títulos e Valores Mobiliários registrado no 5º Ofício de Títulos e Documentos do Estado do Rio de Janeiro sob o nº , atendendo aos padrões mínimos de informação contidos no mesmo, não cabendo à ANBID qualquer responsabilidade pelas referidas informações, pela qualidade da Emissora, das instituições participantes e dos títulos e valores mobiliários objeto da Oferta. Coordenador Líder Participante Especial A data do presente Prospecto é 2 de fevereiro de 23

2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Definições... 5 Termos e Condições da Oferta (Informações relativas ao Anexo I da Instrução CVM n.º 13/8)... 7 Sumário A Emissora Informações Cadastrais da Emissora Dados Financeiros Selecionados Fatores de Risco Destinação dos Recursos INFORMAÇÕES SOBRE A COMPANHIA Capitalização Diluição Informações sobre os Títulos e Valores Mobiliários Emitidos Informações Financeiras Selecionadas Análise e Discussão da Administração sobre a Situação Financeira e os Resultados Operacionais Visão Geral do Setor Imobiliário Atividades da Companhia... 7 Administração Principais Acionistas Sociedades Controladas Operações com Partes Relacionadas Descrição do Capital Social e dos Dividendos ANEXOS Estatuto Social Consolidado Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada em 13 de novembro de Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada em 29 de janeiro de Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada em 1 de fevereiro de Informações Anuais relativas ao exercício social encerrado em DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Demonstrações Financeiras relativas aos exercícios sociais encerrados em , e e respectivo parecer dos auditores independentes Demonstrações Financeiras relativas aos períodos encerrados em e em e respectivo parecer dos auditores independentes

3 42 (Esta página foi intencionalmente deixada em branco)

4 1. INTRODUÇÃO Definições Termos e Condições da Oferta (Informações relativas ao Anexo I da Instrução CVM n.º 13/8) Sumário A Emissora Informações Cadastrais da Emissora Dados Financeiros Selecionados Fatores de Risco Destinação dos Recursos 3

5 4 (Esta página foi intencionalmente deixada em branco)

6 DEFINIÇÕES Para fins do presente Prospecto, os termos indicados abaixo devem ter o significado a eles atribuído, salvo referência diversa no Prospecto. Emissão ou Oferta Acionista Controlador América Properties ANBID BACEN BNDES BOVESPA CBLC CCI CEF CMN COFINS Companhia, Emissora ou Rossi Constituição Federal Coordenador Líder CREA CRI CVM Estatuto EMBRAESP IBGE Emissão de ações ordinárias de emissão da Rossi Residencial S.A. RR Trust Ltda. América Properties Ltda. Associação Nacional dos Bancos de Investimento Banco Central do Brasil Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social S.A. Bolsa de Valores de São Paulo - Bovespa Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia Cédulas de Crédito Imobiliário Caixa Econômica Federal Conselho Monetário Nacional Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social Rossi Residencial S.A. Constituição da República Federativa do Brasil Banco Santander Brasil S.A. Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura Certificado de Recebíveis Imobiliários Comissão de Valores Mobiliários Estatuto Social da Emissora Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 5

7 IGP-M INCC INPI LCI Lei das Sociedades por Ações NYSE Participante Especial PBQPH PIS Qualihab SCP SFH SFI Índice Geral de Preços do Mercado, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas Índice Nacional de Construção Civil, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas Instituto Nacional da Propriedade Industrial Letras de Crédito Imobiliário Lei n.º 6.44, de 15 de dezembro de 1976, e alterações posteriores Bolsa de Valores de Nova Iorque Banco do Estado de São Paulo S.A. BANESPA Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat Programa de Integração Social Programa da Qualidade da Construção Habitacional do Estado de São Paulo Sociedade em Conta de Participação Sistema Financeiro de Habitação Sistema Financeiro Imobiliário 6

8 TERMOS E CONDIÇÕES DA OFERTA (ANEXO I À INSTRUÇÃO CVM Nº 13/8) ROSSI RESIDENCIAL S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº /1-8 Av. Marginal do Rio Pinheiros, n.º 5.2, Edifício Miami, Bloco C, conjunto 31 CEP São Paulo - SP Emissão pública de ações ordinárias de emissão da Companhia (as Ações ), todas nominativas, escriturais, sem valor nominal, ao preço unitário de R$,31 (trinta e um centavos de real) por Ação, perfazendo o total de R$ ,96 (setenta e nove milhões, novecentos e noventa e nove mil, novecentos e noventa e nove reais e noventa e seis centavos), a ser realizada por meio de distribuição pública primária, em mercado de balcão não organizado, no Brasil, coordenada pelo Banco Santander Brasil S.A. (o Coordenador Líder ), em conformidade com os procedimentos estabelecidos na Instrução CVM nº 13/8, deliberada nos termos da (i) Reunião do Conselho de Administração da Emissora realizada em 13 de novembro de 22, cuja ata foi publicada nos jornais O Estado de São Paulo e Diário Oficial do Estado de São Paulo, em 14 de novembro de 22, sendo que tal reunião foi re-ratificada pela Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de janeiro de 23, cuja ata foi publicada nos jornais O Estado de São Paulo e Diário Oficial do Estado de São Paulo, em 3 de janeiro de 23. A quantidade de Ações emitidas pela Companhia e o preço de emissão foram aprovados pela Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 1 de fevereiro de 23, cuja ata foi publicada nos jornais O Estado de São Paulo e Diário Oficial do Estado de São Paulo em 12 de fevereiro de 23. As Ações da Companhia estão registradas para negociação na BOVESPA sob o código RSID3. A Companhia aderiu ao Nível 1 de Governança Corporativa da BOVESPA, em 5 de fevereiro de 23. O registro da presente distribuição não implica, por parte da Comissão de Valores Mobiliários - CVM, garantia de veracidade das informações prestadas ou em julgamento sobre a qualidade da companhia emissora, bem como sobre as ações a serem distribuídas. Registro na CVM da Distribuição Pública Primária sob o nº CVM/SRE/REM/23/1, em 19 de fevereiro de 23. Data do Início da Distribuição Pública: 21 de fevereiro de 23. ROSSI RESIDENCIAL S.A. Nome: Cargo: BANCO SANTANDER BRASIL S.A. (CORDENADOR LÍDER) Nome: Cargo: 7

9 1. RAZÃO SOCIAL E ENDEREÇO DA COMPANHIA Rossi Residencial S.A. C.N.P.J./M.F. n.º /1-8 Av. Marginal do Rio Pinheiros, n.º 5.2, Edifício Miami, Bloco C, conjunto 31 CEP São Paulo SP 2. REUNIÕES DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO QUE DELIBERARAM SOBRE A EMISSÃO A Reunião do Conselho de Administração da Emissora ( RCA ) que deliberou sobre a presente emissão foi realizada no dia 13 de novembro de 22 e re-ratificada em 29 de janeiro de 23, incluindo as seguintes matérias: (i) autorização para aumento do capital da Companhia dentro do limite do capital autorizado, mediante a subscrição pública de ações ordinárias; (ii) deliberação sobre as características das ações ordinárias a serem emitidas; (iii) deliberação sobre a forma de colocação das ações a serem emitidas, bem como a exclusão do direito de preferência na subscrição das ações pelos acionistas da Companhia e a concessão de período de reserva para subscrição das ações; (iv) deliberação sobre os direitos que as ações a serem emitidas conferirão a seus titulares; (v) deliberação sobre a forma de subscrição e integralização das Ações; (vi) apreciação e aprovação da proposta da administração da Companhia para a precificação das ações a serem emitidas pela Companhia no âmbito da Oferta; e (vii) autorização para que a Diretoria da Companhia possa praticar todos os atos necessários à execução das deliberações tomadas, incluindo a contratação de instituições financeiras autorizadas a operar no mercado de capitais para a realização da Oferta e distribuição pública das Ações objeto do aumento de capital descrito no presente documento. A RCA que fixou a quantidade de Ações emitidas pela Companhia e o preço de emissão das Ações foi realizada no dia 1 de fevereiro de REGISTRO DE DISTRIBUIÇÃO NA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS-CVM Registro na CVM da Distribuição Pública Primária sob o nº CVM/SRE/REM/23/1. Data: 19 de fevereiro de COMPOSIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL DA ROSSI RESIDENCIAL S.A Posição na data da RCA realizada em 13 de novembro de 22: Espécie das Ações Subscrito Quantidade Valor (R$) Ordinárias ,65 Total ,65 8

10 4.2. Posição após o aumento de capital por Distribuição Pública de Ações autorizado na RCA realizada em 13 de novembro de 22 e re-ratificada pela RCA realizada em 29 de janeiro de 23 e na RCA realizada em 1 de fevereiro de 23, a qual definiu o preço de emissão e a quantidade de Ações a serem emitidas pela Companhia: Espécie das Ações Subscrito Quantidade Valor (R$) Ordinárias ,61 Total ,61 5. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA EMISSÃO Espécie de Ações Quantidade Valor Unitário de Emissão em R$ Montante em R$ Ordinárias , ,96 Custo máximo da distribuição (1) ,76 Montante líquido para a Emissora ,2 (1) Com base no valor de emissão. 6. DEMONSTRATIVO DO CUSTO DA DISTRIBUIÇÃO Custos para a Companhia Montante em (R$) % em relação ao valor total da Oferta Comissão de Coordenação e Colocação 54.,,675% Taxa de Registro na CVM 82.87,,14% Despesas Legais, de Impressão e Outras ,76,378% Total ,76 1,157% 6.1. Custo unitário do Lançamento por Ação Preço de Emissão por Ação em R$ Custo do Lançamento por Ação em R$ (1) Montante Líquido por Ação em R$,31,359,3641 (1) O custo do lançamento por Ação foi obtido dividindo-se o custo total para a Emissora pela quantidade total de Ações objeto da Oferta. 7. CONDIÇÕES E PRAZO DE SUBSCRIÇÃO E INTEGRALIZAÇÃO 7.1. O preço de subscrição das Ações foi fixado em R$,31 (trinta e um centavos de real) por Ação. O preço de emissão das Ações no âmbito da Oferta foi fixado, após a finalização do procedimento de bookbuilding realizado pelo Coordenador Líder, em conformidade com o disposto no artigo 17, parágrafo primeiro, inciso III da Lei n.º 6.44/76. Tendo em vista o volume não expressivo de manifestações dos Investidores Institucionais durante o procedimento de bookbuilding, o preço de emissão das Ações foi fixado no preço mínimo de R$,31 por Ação, que é o valor equivalente à cotação média diária ponderada por quantidade negociada das ações de emissão da Companhia na Bovespa, no período compreendido entre 1º de janeiro de 22 e a data da realização da reunião do Conselho de Administração da Companhia, em 13 de novembro de 22, que autorizou o aumento de capital ( Preço Mínimo ). A escolha do critério de valor de mercado para a 9

11 22, que autorizou o aumento de capital ( Preço Mínimo ). A escolha do critério de valor de mercado para a precificação das Ações teve por base os seguintes fatores: (i) a inadequação dos critérios de perspectiva de rentabilidade e patrimônio líquido da ação previstos na Lei de Sociedades por Ações; e (ii) a maior adequação do critério de valor de mercado para a distribuição pública das Ações. Neste sentido, (i) o critério de precificação para as Ações, considerando as perspectivas de rentabilidade da Companhia não se justifica uma vez que (a) este critério utiliza-se de grande dose de subjetividade para o seu cálculo; (b) os recentes resultados da Companhia, ou seja, prejuízo no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 21 e nos primeiros 9 meses de 22, dificultam a mensuração de sua perspectiva de rentabilidade; (c) as peculiaridades do setor de incorporação e construção influenciam diretamente na dificuldade de previsão de resultados futuros; e (d) a Companhia utiliza, na medida do possível, práticas de securitização em relação aos seus recebíveis, de modo a reinvestir imediatamente os recursos provenientes em suas atividades operacionais; e (ii) o critério de precificação das Ações pelo valor do patrimônio líquido da ação não permite a adequada fixação do preço das Ações, pelas seguintes razões: (a) o patrimônio líquido reflete a performance financeira e operacional passada da Companhia; (b) este critério é simplesmente uma medida contábil que reflete a posição financeira e operacional da Companhia em uma data específica, sendo que a determinação desta data está sujeita a questionamento; (c) as demonstrações financeiras da Companhia apresentam distorções referentes ao ciclo operacional e exercício social; (d) o preço patrimonial da ação da Companhia é superior ao preço de mercado verificado em bolsa de valores, notando-se, assim, que não haverá investidores interessados para a subscrição das Ações a tal preço, uma vez que tais valores mobiliários podem ser adquiridos em bolsa de valores por preço inferior; e (e) este critério não contempla fatores de ordem não patrimonial. Isto posto, pode-se notar a justificação da adoção do critério de valor de mercado para a precificação das Ações, especialmente pelos seguintes fatores: (i) a inadequação dos demais critérios previstos na Lei de Sociedades por Ações; (ii) a inviabilidade de se ofertar ao público ações por preço superior à cotação em bolsa de valores; (iii) o fato de que os agentes de mercado avaliam as ações de emissão da Companhia com base em parâmetros patrimoniais e não patrimoniais; e (iv) a subjetividade reduzida deste critério A distribuição pública das Ações terá o seu início após a concessão do registro de distribuição pública primária por parte da CVM e após a publicação do Anúncio de Início (abaixo definido) A distribuição pública primária das Ações será feita por intermédio da instituição que é parte no Instrumento Particular de Contrato de Coordenação e Colocação, sob o Regime de Melhores Esforços, de Ações Ordinárias de Emissão da Rossi Residencial S.A. (o Contrato de Distribuição ) e pelo Participante Especial que é parte no Contrato de Adesão ao Contrato de Distribuição As Ações serão integralizadas mediante (i) pagamento à vista, em moeda corrente nacional, no ato da subscrição, e/ou (ii) capitalização de créditos detidos por acionistas da Companhia na forma de Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital ( AFAC ) e/ou mútuos contratados entre tais acionistas e a Emissora, desde que tais mútuos estejam devidamente contabilizados nos livros da Companhia. Para maiores informações acerca dos mútuos contratados entre acionistas da Companhia e Emissora ver a seção OPERAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS. 1

12 7.5. A Oferta será feita em conformidade com os termos da Instrução CVM nº 13/8, por meio de distribuição pública primária Não será constituído qualquer mecanismo para a estabilização do preço das Ações O prazo para a colocação das Ações é de 2 (dois) dias úteis contados a partir da data da publicação do Anúncio de Início de Distribuição Pública Primária de Ações Ordinárias de Emissão da Companhia ( Anúncio de Início ). A liquidação financeira da Oferta está prevista para o 3º (terceiro) dia útil após a data de publicação do referido Anúncio de Início ( Data de Liquidação ). Não serão negociados recibos de venda das Ações durante o prazo de colocação das Ações Até a data de Liquidação o Coordenador aceitará ordens de Investidores Institucionais (definidos no item 13.1 abaixo) que não tenham se manifestado durante o procedimento de bookbuilding, desde que (i) o preço por Ação de tais ordens seja igual ao Preço Mínimo; e (ii) a quantidade de Ações destinadas aos Investidores Institucionais não exceda a quantidade de Ações da Garantia de Acesso (definida no item 13.2 (ii) abaixo). 8. CONTRATO DE DISTRIBUIÇÃO DAS AÇÕES 8.1. Observadas as condições previstas no Contrato de Distribuição, a distribuição das Ações será feita com a observância dos procedimentos descritos nos itens abaixo Após a realização do procedimento de bookbuilding, a fixação do preço de emissão e a concessão do registro de distribuição pública pela CVM, o Coordenador Líder terá o prazo de até 2 (dois) dias úteis para a colocação da totalidade das Ações, prazo esse contado a partir da data da publicação do Anúncio de Início (o Prazo de Colocação ) Segue, abaixo, a quantidade de Ações a serem colocadas pelo Coordenador Líder e pelo Participante Especial, no âmbito da Oferta: Coordenador Líder Banco Santander Brasil S.A. Participante Especial Banco do Estado de São Paulo S.A. BANESPA Número de Ações Ações Ações 8.4. Conforme disposto no Contrato de Distribuição, a Companhia obriga-se a, salvo na hipótese de prévio consentimento do Coordenador Líder, por escrito, não oferecer, vender, se comprometer a vender, emitir, conceder opção de compra, celebrar quaisquer operações envolvendo derivativos ou de qualquer outra forma dispor, direta ou indiretamente, de ações ordinárias de sua emissão, ou de qualquer outro título conversível ou permutável por ações ordinárias de sua emissão, por um prazo de até 18 (cento e oitenta) dias, a contar da data da publicação do Anúncio de Início. 11

13 9. DIREITOS, VANTAGENS E RESTRIÇÕES DAS AÇÕES A SEREM DISTRIBUÍDAS As Ações garantem a seus titulares os direitos estabelecidos na Lei das Sociedades por Ações e no Estatuto Social da Companhia a partir da data de emissão e colocação pública, além do direito de voto nas Assembléias Gerais da Emissora e farão jus a dividendos integrais que eventualmente vierem a ser distribuídos com respeito ao exercício social a ser encerrado em 31 de dezembro de RESERVA DE CAPITAL Não haverá destinação de recursos para formação de reserva de capital. 11. COTAÇÃO DAS AÇÕES NA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO BOVESPA, NOS ÚLTIMOS DOZE MESES Mês Mínima em R$ por ação Média Ponderada por quantidade negociada em R$ por ação Máxima em R$ por ação Volume Médio Diário em R$ Quantidade média diária de ações negociadas Fev/22,31,39, , Mar/ Abr/22,32,35, , Mai/22,32,35,38 436, Jun/22,15,24, , 7.55 Jul/22,2,24,27 41, Ago/22,26,26, , Set/22,27,27, , Out/22,3,3,33 15, Nov/ Dez/22,28,28,28 589, Jan/23,27,25,29 49,9 181,82 1. Não houve negociação com ações ordinárias de emissão da Companhia 12

14 12. JUSTIFICATIVA DO PREÇO DE EMISSÃO O preço de emissão das Ações no âmbito da Oferta foi fixado após a finalização do procedimento de bookbuilding realizado pelo Coordenador Líder, em conformidade com o disposto no artigo 17, parágrafo primeiro, inciso III da Lei n.º 6.44/76. Tendo em vista o volume não expressivo de manifestações dos Investidores Institucionais durante o procedimento de bookbuilding, o preço de emissão das Ações foi fixado no Preço Mínimo (definido no item 7.1 acima). A escolha do critério de valor de mercado para a precificação das Ações teve por base os seguintes fatores: (i) a inadequação dos critérios de perspectiva de rentabilidade e patrimônio líquido da ação previstos na Lei de Sociedades por Ações; e (ii) a maior adequação do critério de valor de mercado para a distribuição pública das Ações. Neste sentido, (i) o critério de precificação para as Ações, considerando as perspectivas de rentabilidade da Companhia não se justifica uma vez que (a) este critério utiliza-se de grande dose de subjetividade para o seu cálculo; (b) os recentes resultados da Companhia, ou seja, prejuízo no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 21 e nos primeiros 9 meses de 22, dificultam a mensuração de sua perspectiva de rentabilidade; (c) as peculiaridades do setor de incorporação e construção influenciam diretamente na dificuldade de previsão de resultados futuros; e (d) a Companhia utiliza, na medida do possível, práticas de securitização em relação aos seus recebíveis, de modo a reinvestir imediatamente os recursos provenientes em suas atividades operacionais; e (ii) o critério de precificação das Ações pelo valor do patrimônio líquido da ação não permite a adequada fixação do preço das Ações, pelas seguintes razões: (a) o patrimônio líquido reflete a performance financeira e operacional passada da Companhia; (b) este critério é simplesmente uma medida contábil que reflete a posição financeira e operacional da Companhia em uma data específica, sendo que a determinação desta data está sujeita a questionamento; (c) as demonstrações financeiras da Companhia apresentam distorções referentes ao ciclo operacional e exercício social; (d) o preço patrimonial da ação da Companhia é superior ao preço de mercado verificado em bolsa de valores, notando-se, assim, que não haverá investidores interessados para a subscrição das Ações a tal preço, uma vez que tais valores mobiliários podem ser adquiridos em bolsa de valores por preço inferior; e (e) este critério não contempla fatores de ordem não patrimonial. Isto posto, pode-se notar a justificação da adoção do critério de valor de mercado para a precificação das Ações, especialmente pelos seguintes fatores: (i) a inadequação dos demais critérios previstos na Lei de Sociedades por Ações; (ii) a inviabilidade de se ofertar ao público ações por preço superior à cotação em bolsa de valores;; (iii) o fato de que os agentes de mercado avaliam as ações de emissão da Companhia com base em parâmetros patrimoniais e não patrimoniais; e (iv) a subjetividade reduzida deste critério Não há qualquer acordo ou compromisso entre os acionistas controladores da Companhia no sentido de manter o seu percentual atual de ações no capital social da Companhia. 13. PROCEDIMENTO PREVISTO PARA A DISTRIBUIÇÃO A subscrição e colocação pública das Ações será efetuada em mercado de balcão não organizado, sob o regime de procedimento diferenciado, previsto no artigo 33 da Instrução CVM nº 13/8, sendo que o Coordenador Líder e o Participante Especial farão a colocação das Ações junto: (i) aos acionistas da Companhia que 13

15 efetuaram reserva de Ações, (ii) a investidores pessoas físicas e jurídicas que não sejam considerados investidores institucionais ( Investidores Não-Institucionais ) que efetuaram reserva de Ações, e (iii) junto a investidores institucionais. Consideram-se investidores institucionais, para os fins da presente distribuição pública, as instituições financeiras, companhias seguradoras e sociedades de capitalização, entidades abertas e fechadas de previdência complementar, pessoas jurídicas não financeiras com patrimônio líquido superior a R$5.., (cinco milhões de reais), investidores individuais que possuam carteiras de valores mobiliários e/ou cotas de fundos de investimentos de valor superior a R$ 25., (duzentos e cinqüenta mil reais), fundos de investimento, clubes de investimento, pessoas físicas com patrimônio superior a R$ 5.., (cinco milhões de reais), entidades administradoras de recursos de terceiros registradas na CVM ( Investidores Institucionais ), observado o disposto abaixo A distribuição pública das Ações observará o seguinte procedimento: (i) De modo a garantir o acesso de Investidores Não-Institucionais e Investidores Institucionais à Oferta e, desta forma, propiciar o desejável aumento e diversificação da base acionária da Companhia, as Ações objeto da Oferta serão destinadas a colocação junto (i) a Investidores Não-Institucionais e Investidores Institucionais (em conjunto Investidores ); e (ii) aos acionistas da Companhia que realizarem Pedidos de Reserva (definidos abaixo); (ii) Os Investidores terão garantia de acesso à subscrição do número de Ações necessário para alcançar um percentual de Ações em Circulação (tal como definido no item abaixo), após a conclusão da Oferta, equivalente a, no máximo, 35% do capital social da Companhia, sendo que neste percentual estarão incluídas as ações que forem subscritas nesta Oferta pelos acionistas minoritários da Companhia ( Garantia de Acesso ). Os acionistas da Companhia que efetuaram reserva das Ações poderão subscrever a totalidade das Ações da Oferta que não forem objeto da manifestação de interesse por parte dos Investidores, até o limite estabelecido pela Garantia de Acesso. Neste sentido, na hipótese dos Investidores manifestarem interesse na subscrição das Ações da Garantia de Acesso, não obstante os acionistas da Companhia terem podido reservar Ações na Oferta até o limite de sua participação no capital social da Companhia na data de 29 de janeiro de 23, o valor de seus respectivos Pedidos de Reserva (abaixo definidos) poderá sofrer uma redução, até o limite previsto para o atendimento da Garantia de Acesso, com a conseqüente devolução dos valores depositados a maior e redução no número de Ações a serem subscritas pelos acionistas. Desta forma, todos os acionistas, indistintamente, terão contribuído para o atendimento das manifestações de interesse dos Investidores por Ações da Garantia de Acesso; (iii) Os acionistas da Companhia interessados em participar da Oferta puderam efetuar a reserva das Ações, proporcionalmente à sua respectiva participação no capital social da Companhia, na data de 29 de janeiro de 23, mediante o preenchimento de formulários específicos ( Pedidos de Reserva ), durante o período de reserva ( Período de Reserva ); 14

16 (iv) Os Investidores Institucionais interessados em participar da Oferta puderam manifestar interesse em subscrever Ações mediante comunicação por escrito ao Coordenador Líder, durante o procedimento de bookbuilding e poderão colocar ordens de compra de Ações junto ao Coordenador Líder até a Data de Liquidação; (v) Os Investidores Não-Institucionais interessados em participar da Oferta puderam efetuar a reserva de Ações mediante o preenchimento de Pedidos de Reserva durante o Período de Reserva; e (vi) As Ações que não forem objeto de manifestação de interesse por escrito por parte dos Investidores ( Sobras ) serão destinadas ao atendimento dos acionistas da Companhia que efetuaram a reserva das Sobras nos respectivos Pedidos de Reserva Para os fins da presente Oferta, Ações em Circulação significam todas as ações de emissão da Companhia, exceto aquelas (i) de titularidade do acionista controlador da Companhia, de seu cônjuge, companheiro(a) e dependentes incluídos na declaração anual de imposto de renda; (ii) em tesouraria; (iii) de titularidade de empresas controladas e coligadas da Companhia; e (iv) de titularidade de empresas controladas e coligadas do acionista controlador da Companhia O Período de Reserva foi concedido aos acionistas da Companhia e aos Investidores Não-Institucionais para a realização de Pedidos de Reserva e teve o prazo de 5 (cinco) dias úteis, iniciado em 3 de fevereiro de 23 e encerrado em 7 de fevereiro de 23, nos termos do comunicado ao mercado divulgado pela Companhia em 31 de janeiro de 23 ( Comunicado ao Mercado ). Os acionistas da Companhia e os Investidores Não- Institucionais puderam realizar os seus Pedidos de Reserva junto às dependências do Coordenador Líder ou do Participante Especial indicadas no Comunicado ao Mercado Os acionistas da Companhia interessados na subscrição das Ações objeto da Oferta e das Ações objeto das eventuais Sobras puderam manifestar-se através de Pedido de Reserva, durante o Período de Reserva, observadas as condições descritas abaixo, observando-se que os Pedidos de Reserva foram feitos, e somente serão atendidos, mediante (i) o depósito integral à vista, em moeda corrente nacional, no ato da reserva, do valor do investimento e/ou (ii) a concordância com a capitalização de créditos detidos por acionistas da Companhia na forma de AFAC ou de mútuos contratados com a Companhia, desde que tais mútuos estejam devidamente contabilizados nos livros da Companhia. Não havia valor mínimo para os Pedidos de Reserva realizados pelos acionistas da Companhia. O valor do Pedido de Reserva dos acionistas realizado mediante depósito deverá levar em conta a incidência da Contribuição Provisória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira CPMF ( CPMF ), no momento da transferência destes valores da conta corrente bancária ou da conta de investimento do respectivo acionista para a subscrição das Ações. 15

17 13.5. Cada acionista da Companhia pôde realizar Pedido de Reserva para a subscrição de Ações proporcionalmente à sua respectiva participação no capital social da Companhia, na data de 29 de janeiro de 23, além da reserva de eventuais Sobras. Tendo em vista o atendimento prioritário das manifestações de interesse dos Investidores por Ações da Garantia de Acesso até o limite ali previsto, todos os acionistas da Companhia que efetivaram Pedidos de Reserva, indistintamente, poderão ter o valor de seu respectivo Pedido de Reserva reduzido proporcionalmente ao valor total das manifestações de interesse dos Investidores por Ações da Garantia de Acesso. Consequentemente, na hipótese de redução do valor dos Pedidos de Reserva dos acionistas, para atendimento das manifestações de interesse dos Investidores por Ações da Garantia de Acesso, o número de Ações a serem subscritas por cada acionista que realizou Pedido de Reserva será, também, reduzido. O Coordenador Líder e o Participante Especial somente atenderam aos Pedidos de Reserva feitos pelos acionistas da Companhia titulares de conta corrente bancária ou de conta de investimento aberta ou mantida pelo respectivo acionista da Companhia, no Coordenador Líder ou no Participante Especial. Aplica-se igualmente aos acionistas da Companhia, que efetivaram Pedidos de Reserva mediante depósito à vista em moeda corrente nacional, o disposto no subitem (v) do item 13.7 do presente Anexo I Caso existam Sobras, os acionistas da Companhia que tiverem realizado, em seu Pedido de Reserva, a reserva de Sobras, serão atendidos de acordo com o número de Ações correspondente à relação entre (i) o valor depositado ou o valor de créditos na forma de AFAC ou mútuos contratados com a Companhia a serem capitalizados para a reserva das Sobras; e (ii) o preço de subscrição por Ação. Na hipótese do valor de reserva de Sobras ser superior ao valor correspondente ao número de Ações das Sobras, tais Ações serão rateadas entre os acionistas que realizaram reservas de Sobras, na proporção de sua participação no capital social da Companhia, na data de 29 de janeiro de 23. Todavia, se não houver a ocorrência de Sobras, a diferença entre o valor depositado pelo acionista e o valor relativo às Ações efetivamente subscritas pelos acionistas da Companhia será devolvida pelo Coordenador Líder ou pelo Participante Especial, conforme o caso, sem juros ou correção monetária, deduzida a quantia relativa à CPMF, no prazo de até 5 (cinco) dias contados da data de liquidação da Oferta As Ações objeto da Garantia de Acesso serão, até o limite total de R$ 2.., (dois milhões de reais), destinadas prioritariamente à colocação junto a Investidores Não-Institucionais que tenham realizado Pedido de Reserva. Os Investidores Não-Institucionais puderam realizar o seu Pedido de Reserva junto às dependências do Coordenador Líder ou do Participante Especial, indicadas no Comunicado ao Mercado, observando-se que os Pedidos de Reserva realizados por Investidores Não-Institucionais somente poderão ser atendidos até o limite acima referido, nas condições a seguir: (i) os Investidores Não-Institucionais interessados puderam realizar reservas de Ações, mediante o preenchimento de Pedidos de Reserva, durante o Período de Reserva, junto às dependências do Coordenador Líder ou do Participante Especial, indicadas no Comunicado ao Mercado, mediante o depósito integral, no ato da reserva, do valor do investimento, observado o valor mínimo de investimento de R$ 3., (três mil reais) e o valor máximo de investimento de R$ 1., (cem mil reais) por investidor; 16

18 (ii) (iii) (iv) (v) na Data de Liquidação, o Coordenador Líder ou o Participante Especial, conforme o caso, entregará a cada Investidor Não-Institucional que tenha feito a reserva, o número de Ações correspondente à relação entre o valor depositado (deduzida a quantia relativa à CPMF) e o preço de subscrição por Ação, e caso tal relação resulte em fração de ação, a diferença entre o valor depositado e o valor correspondente ao número inteiro de Ações será devolvida ao respectivo Investidor Não-Institucional pelo Coordenador Líder ou pelo Participante Especial, conforme o caso, sem juros ou correção monetária, deduzida a quantia relativa à CPMF, no prazo de até 5 (cinco) dias úteis contados da Data de Liquidação; caso a totalidade dos Pedidos de Reserva de Ações realizados por Investidores Não-Institucionais seja igual ou inferior ao limite de R$ 2.., (dois milhões de reais) acima referido, não haverá rateio, sendo todos os Investidores Não-Institucionais integralmente atendidos em todas as suas reservas; caso a totalidade dos Pedidos de Reserva de Ações por Investidores Não-Institucionais seja superior ao limite de R$ 2.., (dois milhões de reais) acima referido, será realizado o rateio proporcional ao valor das respectivas reservas entre todos os Investidores Não-Institucionais; e na hipótese de não haver a conclusão da Oferta, ou na hipótese de rescisão do Contrato de Distribuição nos termos das Cláusulas Décima Primeira e Décima Segunda do Contrato de Distribuição, os Pedidos de Reserva serão automaticamente cancelados e o Coordenador Líder ou o Participante Especial, conforme o caso, devolverá aos Investidores Não-Institucionais que fizeram reserva, o valor depositado, sem juros ou correção monetária, deduzida a quantia relativa à CPMF, no prazo de até 5 (cinco) dias úteis contados do cancelamento automático do respectivo Pedido de Reserva. Para os fins deste item, as hipóteses da Oferta não ser concluída serão: (a) a ocorrência, durante o prazo de vigência do Contrato de Distribuição, de qualquer mudança relevante adversa no desempenho e nos resultados econômicofinanceiros da Companhia; (b) a ocorrência, durante o prazo de vigência do Contrato de Distribuição, de qualquer fato ou manifestação relevante ou extraordinário de ordem política, social ou econômica, tanto no plano nacional (municipal, estadual e federal) quanto no plano internacional, que possa comprometer, negativamente, à consecução de quaisquer dos negócios jurídicos referentes ao Contrato de Distribuição; (c) a superveniência de qualquer mudança legislativa e/ou regulamentar (federal, estadual e/ou municipal), incluindo aquelas de ordem tributária e fiscal, que possam afetar negativamente a implementação da Oferta; (d) a superveniência de alterações legislativas ou atos de qualquer autoridade, incluindo o Banco Central do Brasil e a CVM e, ainda, a ocorrência, durante o prazo de vigência do Contrato de Distribuição, de qualquer ato e/ou contestação judicial e/ou administrativa impetrado por qualquer interessado, que venha a impedir e/ou questionar a legalidade e/ou viabilidade de quaisquer dos negócios jurídicos relacionados à implementação da Oferta; (e) a superveniência de alterações nas normas legais ou regulamentares aplicáveis ao mercado brasileiro de capitais, que alterem de qualquer forma, os procedimentos jurídicos ou operacionais relacionados às operações aqui descritas, incluindo modificações regulatórias nos critérios de elegibilidade para a composição de portfólios dos Investidores Institucionais que venham de qualquer forma alterar a 17

19 disponibilidade de recursos de tais investidores para a aquisição de valores mobiliários de emissão de empresas privadas, tornando a realização da Oferta desaconselhável; (f) a incidência de novos tributos ou contribuições de qualquer natureza sobre quaisquer negócios jurídicos previstos no Contrato de Distribuição ou o aumento substancial das alíquotas dos tributos ou contribuições já incidentes sobre os mesmos; e (g) a ocorrência de casos fortuitos ou motivos de força maior que tornem inviável ou desaconselhável a implementação da Oferta O Coordenador Líder e o Participante Especial somente atenderam aos Pedidos de Reserva feitos pelos Investidores Não-Institucionais titulares de conta corrente bancária ou de conta de investimento aberta ou mantida pelo respectivo Investidor Não-Institucional junto ao Coordenador Líder ou ao Participante Especial, observados os limites de investimento estabelecidos no item 13.7 (i) acima As Ações da Garantia de Acesso serão também destinadas à colocação pública junto a Investidores Institucionais, até o número de Ações necessário para alcançar um percentual de Ações em Circulação, após a conclusão da Oferta, equivalente a, no máximo, 35% do capital social da Companhia, sendo que neste percentual estarão incluídas as ações que forem subscritas nesta Oferta pelos acionistas minoritários da Companhia, não tendo sido admitidas para estes Investidores Institucionais reservas antecipadas. O Coordenador Líder adotará o procedimento de atender os pedidos, tendo em vista uma análise qualitativa de cada Investidor Institucional, baseada no interesse demonstrado por investimentos de médio e longo prazo na Companhia, levando-se, ainda, em consideração: (i) (ii) (iii) (iv) (v) a solicitação de informações e/ou a participação do Investidor Institucional em apresentações organizadas pelo Coordenador Líder, mais especificamente o road show conduzido pela Companhia e pelo Coordenador Líder, abordando a Companhia, seu setor de atuação e as características gerais da Oferta; a indicação do interesse do Investidor Institucional em adquirir as Ações da Companhia, demonstrada durante o procedimento de bookbuilding; a composição da carteira de títulos e valores mobiliários do Investidor Institucional, principalmente o fato de tal carteira já possuir títulos e valores mobiliários emitidos pela Companhia ou por empresas do mesmo setor de atuação da Companhia; a identificação do histórico de manutenção em carteira, nos últimos 2 (dois) anos, pelo Investidor Institucional, de valores mobiliários de emissão da Companhia, adquiridos nos mercados primário ou secundário; o interesse demonstrado pelo Investidor Institucional, levando-se em consideração os critérios acima referidos, em aumentar sua participação no capital social da Companhia, mediante aquisição de ações de emissão da Companhia, após a liquidação da Oferta; e 18

20 (vi) não serão atendidas pelo Coordenador Líder as manifestações de interesse de Investidores Institucionais que possam ser considerados concorrentes no mercado ou tenham interesse conflitante com os interesses da Companhia Os Investidores Institucionais somente poderão realizar a subscrição das Ações mediante o pagamento à vista, em moeda corrente nacional, no ato da subscrição De modo a garantir o acesso dos Investidores à Oferta e propiciar o desejável aumento e diversificação da base acionária da Companhia, o acionista controlador da Companhia (ver seção PRINCIPAIS ACIONISTAS ) subscreverá Ações de modo que, após a conclusão da Oferta, sua participação acionária na Companhia não exceda 65% do capital social, exceto na hipótese de existência de Sobras ou na hipótese de ainda restarem Ações objeto da Oferta não subscritas após o atendimento (i) de todos os Pedidos de Reserva realizados por acionistas da Companhia, (ii) dos Pedidos de Reserva realizados por Investidores Não-Institucionais até o limite de R$ 2.., (dois milhões de reais), (iii) das ordens dos Investidores Institucionais encaminhadas e aceitas pelo Coordenador Líder, e (iv) da reserva de Sobras, hipótese na qual o acionista controlador da Companhia subscreverá tais Ações, tendo em vista a garantia firme de subscrição prestada no Contrato de Distribuição, de forma que a totalidade das Ações objeto da Oferta seja efetivamente subscrita Não será constituído qualquer mecanismo para a estabilização, no mercado secundário, do preço das Ações A colocação das Ações somente poderá ser realizada no prazo máximo de 6 (seis) meses contado da data da reunião do Conselho de Administração que aprovou a emissão das Ações, fixado pelo artigo 5º da Instrução CVM nº 13/ DESTINAÇÃO DOS RECURSOS Os recursos a serem captados com a presente Oferta serão destinados para a redução do endividamento da Emissora e para a aquisição de terrenos para o desenvolvimento de novos empreendimentos imobiliários (ver Seção DESTINAÇÃO DOS RECURSOS ). 15. BANCO COORDENADOR Banco Santander Brasil S.A., localizado na Rua Amador Bueno, n.º 474, Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na qualidade de Coordenador Líder, para os fins do disposto no artigo 9º da Instrução CVM n.º 13/8. 19

GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) CNPJ/MF nº 08.764.621/0001-53 NIRE 35.300.340.

GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) CNPJ/MF nº 08.764.621/0001-53 NIRE 35.300.340. GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) CNPJ/MF nº 08.764.621/0001-53 NIRE 35.300.340.833 FATO RELEVANTE GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. ( Companhia ), em atendimento

Leia mais

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES Administradores da Emissora... 13 Coordenador Líder... 13

Leia mais

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL I - DENOMINAÇÃO E OBJETIVO Artigo 1 - O IC Clube de Investimento é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a

Leia mais

Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito, os administradores das companhias abaixo qualificadas,

Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito, os administradores das companhias abaixo qualificadas, INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DO BANCO ABN AMRO REAL S.A. PELO BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A. (NOVA DENOMINAÇÃO SOCIAL DO BANCO SANTANDER S.A., EM FASE DE HOMOLOGAÇÃO

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO DAYCOVAL RENDA ITAPLAN CNPJ/MF N.º 10.456.810/0001-00

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO DAYCOVAL RENDA ITAPLAN CNPJ/MF N.º 10.456.810/0001-00 FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO DAYCOVAL RENDA ITAPLAN CNPJ/MF N.º 10.456.810/0001-00 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS REALIZADA EM 04 DE MAIO DE 2012 I. Data, Hora e Local da Reunião: Aos 03 de maio,

Leia mais

LOJAS AMERICANAS S.A. CNPJ/MF n 33.014.556/0001-96 NIRE 3330002817-0 COMPANHIA ABERTA

LOJAS AMERICANAS S.A. CNPJ/MF n 33.014.556/0001-96 NIRE 3330002817-0 COMPANHIA ABERTA LOJAS AMERICANAS S.A. CNPJ/MF n 33.014.556/0001-96 NIRE 3330002817-0 COMPANHIA ABERTA Senhores Acionistas, Apresentamos, a seguir, a proposta da administração acerca das matérias constantes da ordem do

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Prospecto de Distribuição Pública Primária de Ações Ordinárias e Preferenciais de Emissão da. Marcopolo S.A. Avenida Marcopolo, 280 Caxias do Sul - RS

Prospecto de Distribuição Pública Primária de Ações Ordinárias e Preferenciais de Emissão da. Marcopolo S.A. Avenida Marcopolo, 280 Caxias do Sul - RS Prospecto de Distribuição Pública Primária de Ações Ordinárias e Preferenciais de Emissão da Marcopolo S.A. Avenida Marcopolo, 280 Caxias do Sul - RS Preço de Emissão: R$ 3,15 por Ação Preferencial R$

Leia mais

Formulário de Referência - 2011 - DURATEX S.A. Versão : 6. 3.3 - Eventos subsequentes às últimas demonstrações financeiras 1

Formulário de Referência - 2011 - DURATEX S.A. Versão : 6. 3.3 - Eventos subsequentes às últimas demonstrações financeiras 1 Índice 3. Informações financ. selecionadas 3.3 - Eventos subsequentes às últimas demonstrações financeiras 1 18. Valores mobiliários 18.5 - Descrição dos outros valores mobiliários emitidos 2 19. Planos

Leia mais

Código ISIN nº BRCMGDDBS017. Rating: Fitch A+ (bra)

Código ISIN nº BRCMGDDBS017. Rating: Fitch A+ (bra) AVISO AO MERCADO Companhia Aberta CNPJ/MF n 06.981.180/0001-16 Avenida Barbacena, 1200 17º andar, Ala A1 Belo Horizonte MG 30190-131 Código ISIN nº BRCMGDDBS017 Rating: Fitch A+ (bra) O BB Banco de Investimento

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO, constituído por número limitado de membros

Leia mais

Descrição do Fundo "LEIA O PROSPECTO ANTES DE ACEITAR A OFERTA

Descrição do Fundo LEIA O PROSPECTO ANTES DE ACEITAR A OFERTA Descrição do Fundo O Fundo é o resultado da parceria entre a Rio Bravo e a Fernandez Mera e tem como objetivo atender a uma crescente demanda por investimentos imobiliários através de instrumentos do mercado

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR 1 ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

Administrado por BOLETIM DE SUBSCRIÇÃO DE COTAS DA 2ª EMISSÃO

Administrado por BOLETIM DE SUBSCRIÇÃO DE COTAS DA 2ª EMISSÃO FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO THE ONE Administrado por RIO BRAVO INVESTIMENTOS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. CNPJ n.º 72.600.026/0001-81 Avenida Chedid Jafet, n.º 222, bloco

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES PROGRESSO. no montante total de até

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES PROGRESSO. no montante total de até UBS PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM comunica o início da distribuição, de até 240 (duzentas e quarenta) cotas, escriturais, com valor inicial de R$1.000.000,00 (um milhão de reais), de emissão do

Leia mais

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação: RESOLUCAO 3.308 --------------- Altera as normas que disciplinam a aplicação dos recursos das reservas, das provisões e dos fundos das sociedades seguradoras, das sociedades de capitalização e das entidades

Leia mais

Anúncio de Início da Oferta Pública de Distribuição de cotas do ÁQUILLA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII

Anúncio de Início da Oferta Pública de Distribuição de cotas do ÁQUILLA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII Anúncio de Início da Oferta Pública de Distribuição de cotas do ÁQUILLA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII CNPJ/MF nº 13.555.918/0001-49 Foco Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.,

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO EMPRESA INCORPORADA: HFF PARTICIPAÇÕES S.A. EMPRESA INCORPORADORA: BRF BRASIL FOODS S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO EMPRESA INCORPORADA: HFF PARTICIPAÇÕES S.A. EMPRESA INCORPORADORA: BRF BRASIL FOODS S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO EMPRESA INCORPORADA: HFF PARTICIPAÇÕES S.A. EMPRESA INCORPORADORA: BRF BRASIL FOODS S.A. 25 DE FEVEREIRO DE 2010 PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA HFF

Leia mais

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. 4ª Emissão de Debêntures Simples

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. 4ª Emissão de Debêntures Simples EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. 4ª Emissão de Debêntures Simples ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DAS DEBÊNTURES...3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS...5 ASSEMBLÉIAS DE DEBENTURISTAS...5

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS I DENOMINAÇÃO E OBJETIVO ARTIGO 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

ANEXO II À ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA JULIO SIMÕES LOGÍSTICA S.A. REALIZADA EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009

ANEXO II À ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA JULIO SIMÕES LOGÍSTICA S.A. REALIZADA EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 ANEXO II À ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA JULIO SIMÕES LOGÍSTICA S.A. REALIZADA EM 30 DE NOVEMBRO DE 2009 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA JULIO SIMÕES LOGÍSTICA

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA FORNO DE MINAS ALIMENTOS S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA FORNO DE MINAS ALIMENTOS S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA FORNO DE MINAS ALIMENTOS S.A. 1 PROPÓSITO A presente Política de Negociação de Valores Mobiliários tem como propósito estabelecer regras para

Leia mais

MATERIAL PUBLICITÁRIO

MATERIAL PUBLICITÁRIO OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA, EM ATÉ QUATRO SÉRIES, DA QUARTA EMISSÃO DA EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. EDP ENERGIAS DO BRASIL

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo.

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo. MERCADO DE CAPITAIS 01/12/2015 CVM ALTERA INSTRUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO, A ADMINISTRAÇÃO, O FUNCIONAMENTO, A OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO E A DIVULGAÇÃO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 ALOG

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80 ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80 VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT DTVM LTDA. ( Administrador ), comunica o início da distribuição

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO PLATINUM I Denominação e Objetivo Artigo 1º O Clube de Investimento PLATINUM é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

PROPOSTA DA DIRETORIA PARA AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL DA FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A.

PROPOSTA DA DIRETORIA PARA AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL DA FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A. PROPOSTA DA DIRETORIA PARA AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL DA FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A. Senhores Conselheiros, Esta Diretoria, visando a restabelecer a estrutura de capital da Ferrovia Centro-Atlântica

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE AÇÕES À VISTA PARA INVESTIDORES INSTITUCIONAIS

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE AÇÕES À VISTA PARA INVESTIDORES INSTITUCIONAIS CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE AÇÕES À VISTA PARA INVESTIDORES INSTITUCIONAIS Redecard S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF n.º 01.425.787/0001-04 Av. Andrômeda, 2.000, Bloco 10, Níveis 4

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. (Companhia Aberta) C.N.P.J. n.º 06.164.253/0001-87 N.I.R.E. 35.300.314.441 AVISO AOS ACIONISTAS

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. (Companhia Aberta) C.N.P.J. n.º 06.164.253/0001-87 N.I.R.E. 35.300.314.441 AVISO AOS ACIONISTAS GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. (Companhia Aberta) C.N.P.J. n.º 06.164.253/0001-87 N.I.R.E. 35.300.314.441 AVISO AOS ACIONISTAS Nos termos da Instrução CVM nº 358/02, conforme alterada, a Gol Linhas

Leia mais

ANÚNCIO DE INÍCIO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DAS COTAS DO GIF I - FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF: 08.872.941/0001-27

ANÚNCIO DE INÍCIO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DAS COTAS DO GIF I - FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF: 08.872.941/0001-27 ANÚNCIO DE INÍCIO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DAS COTAS DO GIF I - FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF: 08.872.941/0001-27 BEM DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. comunica o início

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7

BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7 BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP Companhia Aberta CNPJ/MF nº 08.723.106/0001-25 NIRE 35.300.340.540 CVM 02090-7 MATERIAL PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA BHG S.A. BRAZIL HOSPITALITY GROUP, A

Leia mais

CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ nº 08.801.621/0001-86 FATO RELEVANTE

CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ nº 08.801.621/0001-86 FATO RELEVANTE CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº 08.801.621/0001-86 FATO RELEVANTE Em cumprimento ao disposto nas Instruções CVM nºs 319/99 e 358/02, a Cyrela Commercial Properties

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO CAPITAL SEGURO ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

Período de 01 de janeiro a 06 de outubro de 2011 (data de extinção do Fundo) com Relatório dos Auditores Independentes

Período de 01 de janeiro a 06 de outubro de 2011 (data de extinção do Fundo) com Relatório dos Auditores Independentes Demonstração da Evolução do Patrimônio Líquido CSHG Realty BC Fundo de Investimento em Participações (Administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S/A) Período de 01 de janeiro a

Leia mais

RIO BRAVO CRÉDITO IMOBILIÁRIO II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII CNPJ/MF nº 15.769.670/0001-44. Administrador e Coordenador Líder

RIO BRAVO CRÉDITO IMOBILIÁRIO II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII CNPJ/MF nº 15.769.670/0001-44. Administrador e Coordenador Líder RIO BRAVO CRÉDITO IMOBILIÁRIO II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII CNPJ/MF nº 15.769.670/0001-44 Administrador e Coordenador Líder Rio Bravo Investimentos Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários

Leia mais

Resolução nº 3.305/2005 2/8/2005 RESOLUÇÃO BACEN Nº 3.305, DE 29 DE JULHO DE 2005 DOU 02.08.2005

Resolução nº 3.305/2005 2/8/2005 RESOLUÇÃO BACEN Nº 3.305, DE 29 DE JULHO DE 2005 DOU 02.08.2005 Resolução nº 3.305/2005 2/8/2005 RESOLUÇÃO BACEN Nº 3.305, DE 29 DE JULHO DE 2005 DOU 02.08.2005 Altera a Resolução 3.121, de 2003, que estabelece as diretrizes pertinentes à aplicação dos recursos dos

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO, POR FIBRIA CELULOSE S.A., DE ARAPAR S.A. E DE SÃO TEÓFILO REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO, POR FIBRIA CELULOSE S.A., DE ARAPAR S.A. E DE SÃO TEÓFILO REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO, POR FIBRIA CELULOSE S.A., DE ARAPAR S.A. E DE SÃO TEÓFILO REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. FIBRIA CELULOSE S.A. (nova denominação social de Votorantim Celulose

Leia mais

ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A.

ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A. ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A. CNPJ 61.532.644/0001-15 AVISO AOS ACIISTAS Companhia Aberta AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL MEDIANTE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR DE AÇÕES, APROVADO PELO CSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 565, DE 15 DE JUNHO DE 2015

INSTRUÇÃO CVM Nº 565, DE 15 DE JUNHO DE 2015 INSTRUÇÃO CVM Nº 565, DE 15 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre operações de fusão, cisão, incorporação e incorporação de ações envolvendo emissores de valores mobiliários registrados na categoria A. O PRESIDENTE

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG S IMOBILIÁRIOS Luis Fellipe Maia Advogado Formado pela UFMG Sócio da Vivá Capital Membro do Conselho Diretor da Júnior Achievement/MG

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTOS IMPACTO I Denominação e Objetivo Artigo 1º - O Clube de Investimento IMPACTO constituído por número limitado de membros que tem por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010 Fundos de Investimento Imobiliário 09 de abril de 2010 Introdução Histórico No Brasil, os fundos imobiliários foram inspirados nos Real Estate Investment Trusts americanos, tendo sido constituídos na forma

Leia mais

R e s o l u ç ã o. B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l

R e s o l u ç ã o. B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l R e s o l u ç ã o 3 7 9 0 B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l S u m á r i o SEÇÃO I: DA ALOCAÇÃO DOS RECURSOS E DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS... 1 Subseção I: Da Alocação dos Recursos... 1 Subseção

Leia mais

Banrisul Governança Corporativa Fundo de Investimento em Ações

Banrisul Governança Corporativa Fundo de Investimento em Ações Banrisul Governança Corporativa Fundo de Investimento em Ações CNPJ 10.199.937/0001-91 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ 92.702.067/0001-96) Demonstrações Financeiras

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O ALFAPREV RF PRIVATE - Fundo de Investimento

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DA 2ª EMISSÃO DE COTAS DO. Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities II CNPJ/MF: 10.348.

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DA 2ª EMISSÃO DE COTAS DO. Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities II CNPJ/MF: 10.348. ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DA 2ª EMISSÃO DE COTAS DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities II CNPJ/MF: 10.348.185/0001-83 VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT DTVM LTDA. ( Administrador

Leia mais

INEPAR S.A. INDÚSTRIAS E CONSTRUÇÕES - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL. CNPJ/MF n 76.627.504/0001-06 NIRE 35.3.0035492.3 COMPANHIA ABERTA

INEPAR S.A. INDÚSTRIAS E CONSTRUÇÕES - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL. CNPJ/MF n 76.627.504/0001-06 NIRE 35.3.0035492.3 COMPANHIA ABERTA INEPAR S.A. INDÚSTRIAS E CONSTRUÇÕES - EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL CNPJ/MF n 76.627.504/0001-06 NIRE 35.3.0035492.3 COMPANHIA ABERTA PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA DELIBERAÇÃO EM ASSEMBLEIA GERAL ESPECIAL

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A.

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA COMPANHIA EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 27 de abril de 2012

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII HOTEL BELO HORIZONTE BELVEDERE BELVEDERE FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII HOTEL BELO HORIZONTE BELVEDERE BELVEDERE FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII HOTEL BELO HORIZONTE BELVEDERE COMUNICADO AO MERCADO, instituição devidamente autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) a administrar fundos de investimento,

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE EMPRÉSTIMO DE AÇÕES

INSTRUMENTO PARTICULAR DE EMPRÉSTIMO DE AÇÕES INSTRUMENTO PARTICULAR DE EMPRÉSTIMO DE AÇÕES Pelo presente instrumento particular, as Partes : (a) BANCO CITIBANK S.A., instituição financeira com sede na Avenida Paulista, n.º 1.111, 2º andar parte,

Leia mais

SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE

SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO -- FGTS CARTEIRA LIVRE, doravante designado abreviadamente

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO - 2015

POLÍTICA DE INVESTIMENTO - 2015 POLÍTICA DE INVESTIMENTO - 2015 A presente Política de Investimento tem como objetivo principal estabelecer condições para que os recursos dos Planos de Benefícios desta Entidade sejam geridos visando

Leia mais

REGULAMENTO DE REGISTRO DE EMISSORES E DE VALORES MOBILIÁRIOS CAPÍTULO I REGISTRO PARA NEGOCIAÇÃO EM BOLSA SEÇÃO I REGISTRO DE COMPANHIAS ABERTAS

REGULAMENTO DE REGISTRO DE EMISSORES E DE VALORES MOBILIÁRIOS CAPÍTULO I REGISTRO PARA NEGOCIAÇÃO EM BOLSA SEÇÃO I REGISTRO DE COMPANHIAS ABERTAS REGULAMENTO DE REGISTRO DE EMISSORES E DE VALORES MOBILIÁRIOS CAPÍTULO I REGISTRO PARA NEGOCIAÇÃO EM BOLSA SEÇÃO I REGISTRO DE COMPANHIAS ABERTAS Artigo 1º O Diretor Presidente poderá conceder o registro

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. CNPJ/MF n.º 64.571.414/0001-64 NIRE 35.300.338.421 AVISO AOS ACIONISTAS

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. CNPJ/MF n.º 64.571.414/0001-64 NIRE 35.300.338.421 AVISO AOS ACIONISTAS VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. CNPJ/MF n.º 64.571.414/0001-64 NIRE 35.300.338.421 AVISO AOS ACIONISTAS Nos termos do artigo 157, parágrafo 4º da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme

Leia mais

Anúncio de Início da Distribuição Pública de Cotas da Primeira Emissão do

Anúncio de Início da Distribuição Pública de Cotas da Primeira Emissão do Anúncio de Início da Distribuição Pública de Cotas da Primeira Emissão do COGITU FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF n.º 18.653.262/0001-10 Código ISIN das Cotas: BRCGTUCTF009 ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Instrumento de Protocolo e Justificação de Incorporação de Ações dos Acionistas da Ibi Participações S.A. firmado com o Banco Bradesco S.A.

Instrumento de Protocolo e Justificação de Incorporação de Ações dos Acionistas da Ibi Participações S.A. firmado com o Banco Bradesco S.A. Bradesco S.A. Banco Bradesco S.A., com sede na Cidade de Deus, Prédio Vermelho, 4 o andar, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900, CNPJ n o 60.746.948/0001-12, com seus atos constitutivos arquivados na Junta

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR Diretoria Colegiada

MINISTÉRIO DA SAÚDE. AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR Diretoria Colegiada MINISTÉRIO DA SAÚDE 1 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR Diretoria Colegiada RESOLUÇÃO NORMATIVA-RN Nº 67, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2004 (*) Dispõe sobre a diversificação dos ativos das Operadoras de Planos

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta Assembleia Geral Extraordinária Realizada em 9 de março de 2009 1. Data, Hora e Local. Realizada, em primeira

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

COMUNICADO AO MERCADO DE ENCERRAMENTO DA PRIMEIRA LIQUIDAÇÃO DAS COTAS REMANESCENTES DA 4ª (QUARTA) EMISSÃO DO

COMUNICADO AO MERCADO DE ENCERRAMENTO DA PRIMEIRA LIQUIDAÇÃO DAS COTAS REMANESCENTES DA 4ª (QUARTA) EMISSÃO DO COMUNICADO AO MERCADO DE ENCERRAMENTO DA PRIMEIRA LIQUIDAÇÃO DAS COTAS REMANESCENTES DA 4ª (QUARTA) EMISSÃO DO FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO RIO BRAVO RENDA CORPORATIVA CNPJ/MF n.º 03.683.056/0001-86

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA DIREÇÃO PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA. PELA LINX SISTEMAS E CONSULTORIA LTDA.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA DIREÇÃO PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA. PELA LINX SISTEMAS E CONSULTORIA LTDA. LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: 06.948.969/0001-75 NIRE: 35.300.316.584 PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA DIREÇÃO PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA. PELA LINX SISTEMAS E CONSULTORIA

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO CYRELA COMERCIAL PROPERTIES INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.,

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO CYRELA COMERCIAL PROPERTIES INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A., PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA CYRELA COMERCIAL PROPERTIES INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. PELA CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Pelo presente instrumento

Leia mais

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO Disciplina: Direito Empresarial II JUR 1022 Turma: C02 Prof.: Luiz Fernando Capítulo VI SOCIEDADES ANÔNIMAS 1. Evolução Legal: a) Decreto n. 575/49;

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.)

Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.) Salus Infraestrutura Portuária S.A. (anteriormente denominada RB Commercial Properties 42 Ltda.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2013 e Relatório dos Auditores

Leia mais

"ESTE ANÚNCIO É DE CARÁTER EXCLUSIVAMENTE INFORMATIVO, NÃO SE TRATANDO DE OFERTA DE VENDA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS"

ESTE ANÚNCIO É DE CARÁTER EXCLUSIVAMENTE INFORMATIVO, NÃO SE TRATANDO DE OFERTA DE VENDA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS "ESTE ANÚNCIO É DE CARÁTER EXCLUSIVAMENTE INFORMATIVO, NÃO SE TRATANDO DE OFERTA DE VENDA DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS" ANÚNCIO DE ENCERRAMENTO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DE CERTIFICADOS DE

Leia mais

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM 1. C ontexto operacional A Bovespa Supervisão de Mercados BSM (BSM) criada em 16 de agosto de 2007 como uma associação civil sem finalidade lucrativa, em cumprimento ao disposto na regulamentação pertinente

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL CINAL PELA BRASKEM S.A. Que entre si celebram

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL CINAL PELA BRASKEM S.A. Que entre si celebram PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DA OPERAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL CINAL PELA BRASKEM S.A. Que entre si celebram COMPANHIA ALAGOAS INDUSTRIAL - CINAL, sociedade por ações de capital fechado,

Leia mais

LEI Nº 13.043, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2014 LEI DE CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651 ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA

LEI Nº 13.043, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2014 LEI DE CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651 ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA LEI Nº 13.043, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2014 LEI DE CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651 ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA A Medida Provisória (MP) nº 651/14 promoveu diversas alterações na legislação tributária

Leia mais

Telefônica Brasil S.A.

Telefônica Brasil S.A. Este anúncio é de caráter exclusivamente informativo, não se tratando de oferta de venda de valores mobiliários. ANÚNCIO DE ENCERRAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS E

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A.

Salus Infraestrutura Portuária S.A. Salus Infraestrutura Portuária S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte

Leia mais

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF Conceito 1 Conceito Integração dos mercados imobiliário e de capitais, de modo a permitir a captação de recursos necessários para o desenvolvimento

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da Estácio Participações S.A. 1. Propósito Este Manual visa a consolidar as regras e procedimentos que devem ser observados pelos (i) Administradores

Leia mais

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS Mercado Primário de Ações Mercado de Capitais Renda Variável Mestrando: Paulo Jordão. 03/04/2012 Venda direta aos investidores através de ofertas públicas (IPOs) ou subscrição particular; Motivos: Expansão

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN n.º xx, de xx de xxxx de 2003.

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN n.º xx, de xx de xxxx de 2003. Página 1 de 9 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN n.º xx, de xx de xxxx de 2003. Dispõe sobre a diversificação dos ativos das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde para aceitação como garantidores e altera

Leia mais

Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da KROTON EDUCACIONAL S.A. I Definições e Adesão

Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da KROTON EDUCACIONAL S.A. I Definições e Adesão Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da KROTON EDUCACIONAL S.A. I Definições e Adesão 1. As definições utilizadas no presente instrumento têm os significados que lhes são atribuídos

Leia mais

Avaliação de Investimentos em Participações Societárias

Avaliação de Investimentos em Participações Societárias Avaliação de Investimentos em Participações Societárias CONTABILIDADE AVANÇADA I 7º Termo de Ciências Contábeis Profª MSc. Maria Cecilia Palácio Soares Regulamentação do Método da Equivalência Patrimonial

Leia mais

Kinea Renda Imobiliária

Kinea Renda Imobiliária Introdução O é um fundo que busca aplicar recursos em empreendimentos corporativos e centros de distribuição de excelente padrão construtivo, de forma diversificada e preferencialmente prontos. Uma oportunidade

Leia mais

RENOVA ENERGIA S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº 08.534.605/0001-74 NIRE 35.300358.295

RENOVA ENERGIA S.A. Companhia Aberta. CNPJ nº 08.534.605/0001-74 NIRE 35.300358.295 RENOVA ENERGIA S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 08.534.605/0001-74 NIRE 35.300358.295 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 25 DE FEVEREIRO DE 2010 1. DATA, HORA E LOCAL: Aos 25 dias do

Leia mais

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo)

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo) 1. Contexto operacional A Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), por força do disposto no regulamento anexo à Resolução no. 2.690, de 28 de janeiro de 2000, do Conselho Monetário Nacional, mantinha um

Leia mais

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 MANUAL DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA VULCABRAS AZALEIA S. A. DE 31 DE JANEIRO DE 2011. O

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011. MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A. 1ª Emissão de Debêntures Simples

RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011. MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A. 1ª Emissão de Debêntures Simples RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A. 1ª Emissão de Debêntures Simples ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DAS DEBÊNTURES...3 DESTINAÇÃO DE

Leia mais