Professora Susanna Scwantess

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Professora Susanna Scwantess"

Transcrição

1 1) São Órgãos do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul: (a) Tribunal de Alçada e Tribunal de Justiça. (b) Pretores e Conselho da Magistratura. (c) Tribunal do Júri e Juizes de Paz. (d) Juizes de Direito e Tribunal Pleno. (e) Juizados Especiais e Corregedoria-Geral. 2) São Órgãos do Tribunal de Justiça do Estado do RGS: (a) Juizes de Direito e Desembargadores. (b) Centro de Estudos e Presidência. (c) Pretores e Tribunal Pleno. (d) Órgão Especial e Tribunal do Júri. (e) Juizes de Paz e Grupos de Câmaras Cíveis. 3) O Conselho da Magistratura é composto: (a) Pelo Presidente, Vices e dois desembargadores eleitos pelo próprio Conselho da Magistratura. (b) Pelo Presidente e Vices. (c) Pêlos Vices e Corregedor-Geral. (d) Pelo Presidente, Vices, Corregedor-Geral e dois Desembargadores eleitos pelo Órgão Especial. (e) Pelo Presidente, Vices e Corregedor-Geral. 4) Compete ao Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (Oficial de Justiça - RS -1998) (A) dar posse ao seu Presidente, designado pelo Governador do (B) criar e extinguir cargos e fixar os vencimentos de seus membros, dos Juizes e dos servidores. (C) encaminhar ao chefe do Poder Executivo os atos de provimento dos cargos de Juiz de carreira da magistratura estadual sob sua jurisdição. (D) organizar os serviços auxiliares dos juízos da Justiça comum de primeira instância. (E) alterar o número dos seus membros. 5) O Conselho da Magistratura é integrado (Oficial de Justiça - RS alterada) (A) por dois Juizes de primeiro grau, escolhidos por seus pares. (B) por um servidor da Justiça, indicado pelo Tribunal Pleno, constituído em Órgão Especial. (C) pêlos Vice-Presidentes do Tribunal de Justiça. (D) por dois Desembargadores, oriundos, respectivamente, de Câmara Cível Criminal. (E) pelo Corregedor-Geral da Justiça e 3 Vice-Corregedor do Tribunal. 6) Durante as audiências (Oficial Escrevente - RS -1999). (A) o promotor, o advogado do réu e este sentarão à direita do Juiz; o escrivão, o advogado do autor e este sentarão à esquerda, ficando a testemunha à frente do Juiz. (B) o promotor sentará à esquerda do Juiz, juntamente com as partes; o escrivão e os advogados sentarão à direita do Juiz, ficando a testemunha à frente do mesmo. (C) o promotor e os advogados do autor e do réu sentarão à direita do Juiz o escrivão, o autor e o réu sentarão à esquerda, e a testemunha, à frente do juiz. (D) o promotor e a testemunha sentarão à direita do Juiz; os advogados e as partes sentarão à esquerda do mesmo. (E) o promotor, o advogado do autor e este sentarão à direita do Juiz; o escrivão, o advogado do réu e este sentarão à esquerda, ficando a testemunha à frente do Juiz. 7) Assinale a alternativa que preenche adequadamente as lacunas da frase abaixo (Oficial Superior Judiciário - RS ). O Tribunal de Justiça, com sede na capital e jurisdição no território do Estado do Rio Grande do Sul, é formado por Desembargadores, devendo dos seus lugares ser preenchido por advogados e membros do Ministério Público. (A) 25-1/5 (B) 55-1/5 (C) 140-1/5 (D) 125-2/5 (E) 155-2/5 8) São membros titulares do Conselho da Magistratura (Oficial Superior Judiciário - RS ) (A) os seis Desembargadores mais antigos na carreira. (B) os seis Desembargadores indicados pelo Presidente do Tribunal de Justiça. (C) os seis Desembargadores eleitos, em escrutínio secreto, pelo Tribunal Pleno. (D) o Presidente do Tribunal de Justiça e mais cinco Desembargadores sorteados. (E) o Presidente do Tribunal de Justiça, os Vice-Presidentes do Tribunal de Justiça, o Corregedor Geral da Justiça e dois Desembargadores eleitos, em escrutínio secreto, pelo Órgão Especial. 9) Assinale a alternativa que preenche adequadamente as lacunas da frase abaixo (Oficial Superior Judiciário - RS ). O Corregedor-Geral da Justiça é eleito pelo, cabendo ao a eleição dos Desembargadores que integrarão as Comissões Permanentes do Tribunal e as demais que forem constituídas, (A) Órgão Especial - Conselho da Magistratura (B) Tribunal Pleno - Órgão Especial (C) Conselho da Magistratura - Órgão Especial (D) Tribunal Pleno - Conselho da Magistratura. (E) Órgão Especial - Primeiro Grupo Cível. 10) Um mandado de segurança contra ato do Governador do Estado do Rio Grande do Sul será TJ/RS 1

2 processado e julgado (Oficial Superior Judiciário - RS ) (A) pelo Juiz de Direito da Vara da Fazenda Pública, da Comarca de Porto Alegre, onde o feito for distribuído. (B) pela Câmara Cível, à qual couber o feito, por distribuição. (C) pelo Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça do (D) pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do (E) pela 4 a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do 11) Presidir as sessões do Conselho da Magistratura é da competência do (Oficial Superior Judiciário - RS ) (A) Presidente do Tribunal de Justiça. (B) 1 Vice-Presidente do Tribunal de Justiça. (C) 2 Vice-Presidente do Tribunal de Justiça. (D) Desembargador mais antigo que integra o Tribunal de Justiça. (E) Corregedor-Geral da Justiça. 12) Que órgãos do Tribunal de Justiça são responsáveis pela inspeção e disciplina em primeira instância (Oficial Superior Judiciário - RS )? (A) A Presidência e as Vice-Presidências do Tribunal de Justiça (B) O Tribunal Pleno e as Câmaras Especiais (C) As Terceira e Quarta Câmaras Cíveis (D) O Conselho da Magistratura e a Corregedoria-Geral da Justiça (E) As Primeira e Quarta Câmaras Criminais 13) Considere os órgãos listados abaixo (Oficial Escrevente - TJRS -1999). I- O Tribunal do Júri. II- A Junta de Conciliação e Julgamento da Justiça do Trabalho. Ill- O Tribunal de Alçada. IV- O Tribunal de Contas do Quais deles fazem parte da Organização Judiciária da Justiça Estadual do Rio Grande do Sul? (A) Apenas l (B) Apenas II (C) Apenas 111 e IV (D) Apenas l, II e III (E) l, 11, III e IV 14) Não constitui (em) órgão(s) do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul (Oficial Superior Judiciário - TJRS ) (A) o Tribunal de Justiça. (B) o Tribunal de Contas do (C) os Tribunais do Júri. (D) os Pretores. (E) os Juizes de Paz. 15) A vitaliciedade, garantia conferida pela Constituição Federal ao Ministério Público, significa (Secretário de Diligências - MPRS ) (A) que seus membros poderão perder seu cargo somente após o devido procedimento administrativo. (B) que seus membros não poderão perder seu cargo senão por sentença judicial transitada em julgado. (C) que seus membros não poderão exercer nenhuma outra função pública, exceto uma de professor. (D) que seus membros não poderão exercer atividade político-partidária. (E) que a instituição é indissolúvel. 16) Os Ministros do Supremo Tribunal Federal são (Secretário de Diligências - MPRS ) (A) escolhidos mediante concurso público de provas e títulos. (B) nomeados pelo Presidente da República, após aprovação da escolha pelo Senado Federal. (C) nomeados pelo Senado Federal, após indicação do Superior Tribunal de Justiça. (D) nomeados pelo Superior Tribunal de Justiça, após aprovação da escolha pela Câmara dos Deputados. (E) indicados pelo Presidente da República, pós o exercício da função de Ministro de 17) O Supremo Tribunal Federal decide criar cargos administrativos em sua Secretaria. Para tanto, é necessária edição de (Técnico Judiciário - TRF - RJ -1996) (A) decreto pelo Presidente da República. (B) deliberação pelo próprio Supremo Tribunal Federal. (C) leis de iniciativa exclusiva do Presidente da Republica. (D) lei de iniciativa exclusiva do próprio Supremo Tribunal Federal. (E) decreto legislativo pelo Senado Federal. 18) Certo juiz de direito entrou em exercício há pouco mais de um ano. Nesse caso, a perda de seu cargo (Técnico Judiciário - TRF - 4 a Região - RS ); (A) é inviável pois, além de haver tomado posse do cargo, já entrou em exercido. TJ/RS 2

3 (B) depende exclusivamente de sentença judicial transitada em julgado. (C) depende de deliberação do tribunal a que estiver vinculado. (D) é impossível, visto que já goza da garantia de vitaliciedade. (E) só ocorrerá se assim o entender o Presidente do Tribunal, após sindicância em que serão apurados os motivos. 19) São Órgãos do Poder Judiciário (Atendente Judiciário - TRT - 4* Região -1998): (A) Supremo Tribunal Federal - Tribunal Federal de Recursos - Tribunal Regional do Trabalho; (B) Tribunal Superior do Trabalho - Tribunal Superior Eleitoral - Tribunal de Contas da União; (C) Tribunal Desportivo - Tribunal Militar Estadual - Superior Tribunal de Justiça (D) Superior Tribunal Militar - Tribunal Federal de Recursos - Supremo Tribunal Federal; (E) Tribunal Regional Federal - Tribunal Regional do Trabalho - Tribunal Regional Eleitoral. 20) A respeito da organização judiciária do Estado, considere os Órgãos apresentados a seguir (Taquígrafo Forense - Tribunal de Justiça RS -1999). I - Tribunal do Júri e Juizes de Direito II - Pretores e Juizes de Paz III - Defensoria Pública e Procuradoria-Geral de Justiça IV - Tribunal de Justiça e Juizados Especiais Quais deles são Órgãos do Poder Judiciário do Estado? (A) Apenas IV (B) Apenas l e II (C) Apenas l,ii e IV (D) Apenas III e IV (E) Apenas l, II, III e IV 21) Relativamente ao Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul, o "quinto constitucional": (A) consiste no preenchimento de um quinto dos lugares do Tribunal de Justiça por advogados e membros do Ministério Público. (B) constitui-se dos cinco integrantes da Justiça Comum Estadual : Tribunal de Justiça, Tribunal do Júri, Juizes de Direito, Pretores e Juizes de Paz. (C) constitui-se da Presidência e das quatro Vice-Presidências do Tribunal de Justiça. (D) é integrado por cinco órgãos do Tribunal de Justiça : Tribunal Pleno, Turmas, Grupos, Câmaras Separadas e Câmaras de Férias. (E) consiste no preenchimento de um quinto dos lugares do Tribunal de Justiça exclusivamente por Procuradores de Justiça. 22) O Tribunal de Justiça é constituído por : (A) 140 Desembargadores; (B) 53 Juizes de Alçada; (C) 52 Procuradores-Gerais; (D) 53 Desembargadores; (E) 25 Desembargadores. 23) Não constitui Órgão do Tribunal de Justiça (A) Procuradorias; (B) Grupos Criminais; (C) Grupos Cíveis; (D) Câmaras Separadas; (E) n.d.a 24) O Tribunal de Justiça é dividido em (A) Uma Seção; (B) Duas Seções; (C) Três Seções; (D) Quatro Seções; (E) Cinco Seções. 25) O Tribunal Pleno, funcionando como Órgão Especial, é composto por : (A) 32 Desembargadores; (B) 25 Desembargadores; (C) 52 Desembargadores; (D) 53 Desembargadores; (E) 26 Desembargadores. 26) Na ausência do Presidente do Tribunal de Justiça e de seu Vice, as sessões do Tribunal Pleno serão presididas pelo : (A) 1. Vice-Presidente do TJ; (B) Corregedor-Geral da Justiça; (C) Vice-Corregedor-Geral da Justiça; (D) Desembargador mais antigo; 27) O mandato de Presidente do Tribunal de Justiça é: (A) 1 ano; (B) 2 anos; (C) 3 anos; (D) 4 anos; (E) 5 anos. 28) São membros do Conselho da Magistratura todos, exceto (A) Corregedor-Geral da Justiça; (B) Presidente do Tribunal de Justiça; (C) Vice-Corregedor-Geral da Justiça; (D) 1. Vice-Presidente do Tribunal de Justiça; (E) 2. Vice-Presidente do Tribunal de Justiça. 29) O mandato do Corregedor-Geral da Justiça é de: (A) 2 anos, possível a reeleição; TJ/RS 3

4 (B) 1 ano, vedada a reeleição; (C) o mesmo do Presidente do Tribunal de Justiça e dos membros do Conselho da Magistratura, vedada a reeleição; (D) 1 ano, possível a reeleição. 30) O Corregedor-Geral da Justiça será auxiliado por : (A) 15 Juizes-Corregedores; (B) 20 Juizes-Corregedores; (C) no máximo, 16 Juizes-Corregedores; (D) 10 Juizes-Corregedores; 31) A designação de Juizes-Corregedores, pelo Presidente do Tribunal de Justiça, será por proposta do : (A) Conselho da Magistratura; (B) Presidente do Tribunal de Justiça; (C) Corregedor-Geral da Justiça; (D) 1. Vice-Presidente do Tribunal de Justiça (E) n.d.a 32) João Justiceiro, Juiz titular da 20 a. Vara Cível da Comarca de Tucunduva, foi desginado pelo Presidente do Tribunal de Justiça para o cargo de Juiz-Corregedor, por estar na entrância final de sua carreira. Após assumir o cargo para qual foi designado, em que situação funcional o magistrado é enquadrado? (A) permanece na Vara, pois é o titular; (B) é afastado da Vara, sendo colocado em disponibilidade; (C) é transferido para uma Vara da Capital, pois é de entrância final; (D) passa a integrar o quadro de serviços auxiliares da Corregedoria; (E) é classificado como Juiz Substituto de entrância final. 33. Em relação ao Código de Organização Judiciária do Estado do Rio Grande do Sul COJE, considere as afirmações abaixo. I Nenhum menor de dezoito anos poderá assistir a audiência ou sessão de Juix ou Tribunal sem permissão do Magistrado que a presidir. II As pessoas presentes às audiências e sessões deverão conserva-se descobertas e em silêncio evitando qualquer procedimento que possa perturbar a serendidade e faltar ao respeito necessário à adminsitração da justiça. III Os Juízes poderão aplicar às pessoas presentes às audiências e sessões, que não mantenham comportamento adequado com o respeito e diginidade necessários à adminsitração da justiça, as penas de advertência e chamamento nominal à ordem, ou expulsão do auditório ou recinto do Tribunal. Caso a infração for agravada por desobediência, desacato ou outro fato delituoso, ordenará o Juiz a prisão e autuação do infrator, a fim de ser processado. Quais estão corretas? (A) Apenas I. (B) Apenas II. (C) Apenas III. (D) Apenas I e III. (E) I, II e III 34. Em relação aos Tribunais de segunda isntãncia, considere as ações abaixo. I Organizar sua secretaria e serviços auxiliares, provendo-lhes os cargos na forma da lei. II Conceder licença, férias e outros afastamentos a seus membros e servidores de sua secretaria. III- Impor penas disciplinares. Quais dessas ações comepteem aos referidos Tribuanis segundo a Constituição Estadual? (A) Apenas I. (B) Apenas II. (C) Apenas III. (D) Apenas I e II. (E) I, II e III 35. Qual dos órgãos abaixo NÃO pertence ao Poder Judiciário? (A) Tribunal Superior Eleitoral. (B) Tribunal de Contas da União. (C) Tribunal Superior do Trabalho. (D) Superior Tribunal Militar (E) Conselho Nacional de Justiça. 36. Assinale a alternativa que NÃO apresenta uma competência do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. (A) Processar e julgar o Vice-Governador nas infrações penais comuns. (B) Processar e julgar os Deputados Estaduais nas infrações penais comuns. (C ) Processar e julgar ação direta de inconstitucionalidade de lei federal. (D) Processar e julgar mandado de segurança contra ato do Governador do (E) Processar e julgar mandado de segurança contra ato do Procurador-Geral do TJ/RS 4

5 GABARITO 1- C 2- B 3- C 4-D 5-C 6-E 7-C 8-E 9-B 10-C 11-A 12-D 13-A 14-B 15-B 16-B 17-D 18-C 19-E 20-C 21-A 22-A 23-A 24- B 25-B 26-A 27-B 28-C 29-C 30-C 31-C 32-D 33-E 34- E 35-B 36-C TJ/RS 5

Professora Susanna Schwantes

Professora Susanna Schwantes 1) São Órgãos do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul: (a) Tribunal de Alçada e Tribunal de Justiça. (b) Pretores e Conselho da Magistratura. (c) Tribunal do Júri e Juizes de Paz. (d) Juizes de Direito

Leia mais

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Composto por 11 Ministros de Justiça vitalícios - Taxativamente 11 - Exclusivamente natos - Cidadãos - Mais de 35 e menos de 65 anos de idade - Notável saber jurídico

Leia mais

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA ESTADO Conjunto de regras, pessoas e organizações que se separam da sociedade para organizá-la. - Só passa a existir quando o comando da comunidade

Leia mais

Tribunais Regionais Federais e. Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais

Tribunais Regionais Federais e. Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais S Art. 106. São órgãos da Justiça Federal: I - os Tribunais Regionais Federais; II - os. 1 2 Art. 107. Os Tribunais Regionais Federais compõemse de, no mínimo, sete juízes, recrutados, quando possível,

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Aula: 11/12 UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA ALUNOS

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 01. Dentre os aspectos peculiares aos órgãos jurisdicionais trabalhistas no Brasil, não se encontra: I - Não existem Varas do Trabalho especializadas em determinadas matérias,

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ELEITORAL

ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ELEITORAL ÓRGÃOS (art.118, CF e art. 12, CE) 1. Tribunal Superior Eleitoral: órgão máximo da Justiça Eleitoral, com sede na capital federal e jurisdição em todo o território nacional. 2. Tribunais Regionais Eleitorais:

Leia mais

Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP. Weslei Machado

Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP. Weslei Machado Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP Weslei Machado (FCC/TRE-AM/Analista Judiciário/2010) Compete aos TREs processar e julgar originariamente a) os crimes eleitorais cometidos pelos seus próprios

Leia mais

Material para PERISCOPE Composição e Competência dos Órgãos da Justiça Eleitoral

Material para PERISCOPE Composição e Competência dos Órgãos da Justiça Eleitoral Material para PERISCOPE Composição e Competência dos Órgãos da Justiça Eleitoral Questão 1 O Tribunal Regional Eleitoral de um Estado da Federação foi assim constituído: dois Desembargadores do Tribunal

Leia mais

Poder Judiciário Constituição Estadual RS

Poder Judiciário Constituição Estadual RS Poder Judiciário Constituição Estadual RS CE/RS Art. 91 - São órgãos do Poder Judiciário do Estado: I - o Tribunal de Justiça; II - o Tribunal Militar do Estado; III - os Juízes de Direito; IV - os Tribunais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 792/2015

RESOLUÇÃO Nº 792/2015 Publicação: 24/04/15 DJE: 23/04/15 RESOLUÇÃO Nº 792/2015 Dispõe sobre a função de juiz leigo, de que trata a Lei federal nº 9.099, de 26 de setembro de 1995, no âmbito dos Juizados Especiais do Estado

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

As estruturas judiciárias em contraste I (Brasil) Tinka Reichmann

As estruturas judiciárias em contraste I (Brasil) Tinka Reichmann As estruturas judiciárias em contraste I (Brasil) Tinka Reichmann reichmann@usp.br Sistemas jurídicos Sistemas nacionais Portugal Brasil Comparação dos sistemas jurídicos e dos termos jurídicos Organização

Leia mais

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr.

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr. PODER EXECUTIVO 3ª aula Prof. Raul de Mello Franco Jr. SUBSÍDIOS do PRESIDENTE, do VICE e dos MINISTROS São fixados pelo CN, por decreto-legislativo (art. 49, VIII, CF). Devem ser fixados em parcela única.

Leia mais

Art. 92 ÓRGÃOS: Tribunais Superiores Tribunais de 2º grau (2ª instância) 1º grau (1ª instância) facebook.com/prof.rodrigomenezes Justiça Estadual / DFT Justiça Federal O STF, o CNJ e os Trib. Sup. têm

Leia mais

Direito Processual Civil Recursos

Direito Processual Civil Recursos ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS TRIBUNAIS ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS TRIBUNAIS Jurisdição quanto ao grau hierárquico dos seus órgãos é: 1) inferior; 2) superior. Essas espécies de jurisdições pressupõe

Leia mais

CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA. (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 202. (Função jurisdicional)

CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA. (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 202. (Função jurisdicional) CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 202. (Função jurisdicional) 1. Os tribunais são os órgãos de soberania com competência para

Leia mais

PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR.

PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR. PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR asjunior2004@uolcombr JURISDIÇÃO Poder Judiciário: garantir a realização dos direitos através de seus órgãos; Órgãos devem ter jurisdição (função de conhecer os

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 221 DE 09 DE JANEIRO DE

LEI COMPLEMENTAR Nº 221 DE 09 DE JANEIRO DE qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxc vbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnm Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 10/01/2014

Leia mais

O PAPEL DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, SUA COMPETENCIA, ATRIBUIÇÕES, IMPORTÂNCIA E FINALIDADE

O PAPEL DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, SUA COMPETENCIA, ATRIBUIÇÕES, IMPORTÂNCIA E FINALIDADE O PAPEL DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, SUA COMPETENCIA, ATRIBUIÇÕES, IMPORTÂNCIA E FINALIDADE Felipe Boni de Castro 1 I Introdução: O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi criado e instituído pela Emenda

Leia mais

Curso: LEGISLAÇÃO DO MPU

Curso: LEGISLAÇÃO DO MPU Curso: LEGISLAÇÃO DO MPU Profª Lidiane Coutinho MÓDULO II: O MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - LC 75/93: COMPARATIVO DOS RAMOS LEI COMPLEMENTAR Nº 75/93- MPU MPU MPF MPT MPM MPDFT LEI COMPLEMENTAR Nº 75/93-

Leia mais

Organograma do exercício da Jurisdição no ordenamento pátrio segundo os parâmetros vigentes na Constituição Federal

Organograma do exercício da Jurisdição no ordenamento pátrio segundo os parâmetros vigentes na Constituição Federal BuscaLegis.ccj.ufsc.br Organograma do exercício da Jurisdição no ordenamento pátrio segundo os parâmetros vigentes na Constituição Federal João Fernando Vieira da Silva salermolima@hotmail.com O exercício

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Organização Judiciária Programa I Introdução 1 Conceito e âmbito da organização judiciária: 1.1. Considerações preliminares 1.2. Conceito 1.3. Âmbito 2 Noções fundamentais

Leia mais

Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função

Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função 2016 Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função Lucas Rodrigues de Ávila Prova da Ordem 2016 O que é competência por prerrogativa de função? "Um dos critérios determinadores da competência

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 4.860, DE 04 DE JULHO DE D.O

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 4.860, DE 04 DE JULHO DE D.O Autor: Poder Executivo LEI Nº 4.860, DE 04 DE JULHO DE 1985 - D.O. 04.07.85. Altera a Lei n 4.279, de 29 de dezembro de 1980, (Código de Organização e Divisão Judiciárias) com as modificações introduzidas

Leia mais

Legislação Aplicada. Lei complementar nº /11/2007. Professor Giuliano Tamagno.

Legislação Aplicada. Lei complementar nº /11/2007. Professor Giuliano Tamagno. Legislação Aplicada Lei complementar nº 100 21/11/2007 Professor Giuliano Tamagno www.acasadoconcurseiro.com.br Legislação Aplicada LEI COMPLEMENTAR Nº 100, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2007. Dispõe sobre o Código

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça RESOLUÇÃO Nº 13, DE 21 DE MARÇO DE 2006 Dispõe sobre a aplicação do teto remuneratório constitucional e do subsídio mensal dos membros da magistratura. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO

ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO 1.VARAs DO TRABALHO ÓRGÃO DE 1ª INSTÂNCIA. A Vara do Trabalho é a primeira instância das ações de competência da Justiça do Trabalho, sendo competente para julgar conflitos

Leia mais

LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013

LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013 LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013 21. A função estabelecida constitucionalmente à Defensoria Pública consiste em (a) defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis.

Leia mais

CONCEITO DE AUTORIDADE

CONCEITO DE AUTORIDADE - LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL - - Lei nº 4.898/65 - Abuso de Autoridade - Professor: Marcos Girão - CONCEITO DE AUTORIDADE 1 CONCEITO DE AUTORIDADE LEI Nº 4.898/65 Pode ser considerado autoridade o servidor

Leia mais

20/11/2014. Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ

20/11/2014. Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ 1 01. A Constituição Federal de 1988 consagra diversos princípios, os quais exercem papel extremamente importante no ordenamento

Leia mais

In:

In: Carta de Curitiba aprovada em 21-06-1986, no 1º Encontro Nacional de Procuradores-Gerais de Justiça e Presidentes de Associações de Ministério Público (Curitiba, Paraná) Do Ministério Público Seção I Das

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Vanessa Grinberg Machado

REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Vanessa Grinberg Machado REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ Vanessa Grinberg Machado DISPOSIÇÕES INICIAIS Conceito O regimento interno dispõe sobre o funcionamento do Tribunal, estabelece a sua competência

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 Altera os arts. 102, 105, 108 e 125 da Constituição Federal para extinguir o foro especial por prerrogativa de função nos casos de crimes comuns. As Mesas

Leia mais

RESOLUÇÃO TJ/ OE/ RJ nº 35/2013

RESOLUÇÃO TJ/ OE/ RJ nº 35/2013 RESOLUÇÃO TJ/ OE/ RJ nº 35/2013 Disciplina, no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, o quantitativo de Juízes Leigos, suas atribuições e remuneração. O ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO ELEITORAL

NOÇÕES DE DIREITO ELEITORAL NOÇÕES DE DIREITO ELEITORAL Concursos TSE e TRE-Paraná Professor: Rafael Altoé Referência: 21/11/2011 Questões resolvidas e comentadas Tendo em vista a publicação dos concursos dos tribunais eleitorais,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DECRETO JUDICIÁRIO Nº /2016

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DECRETO JUDICIÁRIO Nº /2016 DECRETO JUDICIÁRIO Nº /2016 O PRESIDENTE DO DO ESTADO DO PARANÁ e o CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA, no uso das atribuições que lhes são conferidas pelos artigos 14 e 15 da Lei nº 14.277/2003 e nos termos

Leia mais

TJ-AM Legislação do AM Bloco de Questões II Emilly Albuquerque

TJ-AM Legislação do AM Bloco de Questões II Emilly Albuquerque TJ-AM Legislação do AM Bloco de Questões II Emilly Albuquerque 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. QUESTÕES DE LEGISLAÇÃO TJ AM 01. Acerca das disposições referentes

Leia mais

QUEM COMPARA, ESCOLHE O ALFA! Professor: Cesar Nakano para contato: Página 1

QUEM COMPARA, ESCOLHE O ALFA! Professor: Cesar Nakano  para contato: Página 1 COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS DA JUSTIÇA ELEITORAL 1 ( FCC - 2011 - TRE-AP - ) O Tribunal Superior Eleitoral compõe-se de sete membros. Dentre os seus integrantes, a) um juiz é escolhido, mediante eleição e pelo

Leia mais

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO -

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Curso Resultado Um novo conceito em preparação para concursos! Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Trabalho finalizado em julho/2015.

Leia mais

CE/RS. Poder Judiciário Constituição Estadual RS.

CE/RS. Poder Judiciário Constituição Estadual RS. CE/RS Edital: Constituição Estadual Da administração pública: Dos servidores públicos civis: arts. 29 a 45 Do Poder Judiciário: arts. 91 a 106 Das funções essenciais à Justiça: arts. 107 a 123 Poder Judiciário

Leia mais

Nasceu em 9 de dezembro de 1932, na cidade de Itatinga-SP,

Nasceu em 9 de dezembro de 1932, na cidade de Itatinga-SP, Traços Biográficos Nasceu em 9 de dezembro de 1932, na cidade de Itatinga-SP, filho de José Benedito Pereira e Júlia Pinto Pereira. É casado com Rizoleta Mary Pereira. União que resultou no nascimento

Leia mais

Noções de Estado. Organização da Federação e Poderes do Estado

Noções de Estado. Organização da Federação e Poderes do Estado Noções de Estado Noções de Estado Organização da Federação e Poderes do Estado Estado É a sociedade política e juridicamente organizada, dotada de soberania, dentro de um território, sob um governo, para

Leia mais

Poder Judiciário Brasileiro

Poder Judiciário Brasileiro Poder Judiciário Brasileiro TSE TST STF STJ CNJ STM TU TRE S TRT S TR TRF S TJ S TR TME JUÍZES JUNTA JUÍZES JEF JUÍZES JÚRI JUÍZES JÚRI JEC CJM CJM Poder Judiciário Brasileiro TSE TST STF STJ CNJ STM TU

Leia mais

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Mensagem nº 61, de 2015 (nº 312/2015, na origem), que submete à consideração do Senado Federal o nome do

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL 145 QUESTÕES DE PROVAS IBFC POR ASSUNTOS 06 QUESTÕES DE PROVAS FCC 24 QUESTÕES ELABORADAS PELO EMMENTAL Edição Maio 2017 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada a reprodução

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 9.230/1991 (Estadual)

LEI COMPLEMENTAR N 9.230/1991 (Estadual) LEI COMPLEMENTAR N 9.230/1991 (Estadual) Cria a Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, na forma do art. 121 da Constituição Estadual, e dispõe sobre sua competência, estrutura e funcionamento,

Leia mais

LEI Nº DE 06 DE FEVEREIRO DE 1997

LEI Nº DE 06 DE FEVEREIRO DE 1997 LEI Nº 7.033 DE 06 DE FEVEREIRO DE 1997 Dispõe sobre o Sistema Estadual de Juizados Especiais Cíveis e Criminais e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

Ministério da Administração do Território

Ministério da Administração do Território Ministério da Administração do Território Lei nº 23/92 de 16 de Setembro LEI DE REVISÃO CONSTITUCIONAL As alterações à Lei Constitucional introduzidas em Março de 1991, através da Lei nº. 12/91 destinaram

Leia mais

LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL. Professor Rodrigo Francelino

LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL. Professor Rodrigo Francelino LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL Professor Rodrigo Francelino 1.4 LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL (3 QUESTÕES) Título I Dos Fundamentos da Organização dos Poderes e do Distrito Federal. Título II Da

Leia mais

PERGUNTAS: Os órgãos do Poder Judiciário do estado do Rio de Janeiro não incluem o(s)

PERGUNTAS: Os órgãos do Poder Judiciário do estado do Rio de Janeiro não incluem o(s) PERGUNTAS: QUESTÃO 61 Os órgãos do Poder Judiciário do estado do Rio de Janeiro não incluem o(s) A) Conselhos da Justiça Militar. B) Tribunal de Alçada. C) Tribunal de Justiça. D) Juizados Especiais e

Leia mais

Prof. Francisco Moreira

Prof. Francisco Moreira Art. 92. São órgãos do Poder Judiciário: I - o Supremo Tribunal Federal; I-A o Conselho Nacional de Justiça; II - o Superior Tribunal de Justiça; III - os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais;

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO I. Constituição Federal... 002 II. Dos Direitos e Garantias Fundamentais... 009 III. Da Organização Político-Administrativa... 053 IV. Organização dos

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 254/X

PROJECTO DE LEI N.º 254/X Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 254/X ALTERA A LEI N.º64/93, DE 26 DE AGOSTO (ESTABELECE O REGIME JURÍDICO DE INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS DOS TITULARES DE CARGOS POLÍTICOS E ALTOS CARGOS PÚBLICOS)

Leia mais

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade 19. Segundo a Constituição Federal, os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional,

Leia mais

LEI Nº DE 06 DE FEVEREIRO DE 1997

LEI Nº DE 06 DE FEVEREIRO DE 1997 LEI Nº 7.033 DE 06 DE FEVEREIRO DE 1997 Dispõe sobre o Sistema Estadual de Juizados Especiais Cíveis e Criminais e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

Art. 3º Não constituirá motivo para substituição o atendimento cumulativo de outra vara judicial, de forma ampla ou restrita.

Art. 3º Não constituirá motivo para substituição o atendimento cumulativo de outra vara judicial, de forma ampla ou restrita. DECRETO JUDICIÁRIO Nº2176/2012. Reorganiza a tabela de substituição automática na Comarca de Goiânia e dá outras providências. O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, GOIÁS,

Leia mais

PROVA DE NOÇÕES DE DIREITO. Assinale a alternativa INCORRETA em relação aos Auxiliares de Justiça, segundo o Código de Processo Civil:

PROVA DE NOÇÕES DE DIREITO. Assinale a alternativa INCORRETA em relação aos Auxiliares de Justiça, segundo o Código de Processo Civil: 8 PROVA DE NOÇÕES DE DIREITO QUESTÃO 21 Assinale a alternativa INCORRETA em relação aos Auxiliares de Justiça, segundo o Código de Processo Civil: a) Não poderá ser intérprete quem não tiver a livre administração

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N.º, DE (do Sr. Deputado Zé Geraldo e outros)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N.º, DE (do Sr. Deputado Zé Geraldo e outros) 1 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N.º, DE 2013. (do Sr. Deputado Zé Geraldo e outros) Altera dispositivos constitucionais, instituindo mandato com duração de 10 anos, vedando a recondução para os Ministros

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 45, DE 2007

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 45, DE 2007 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 45, DE 2007 Altera o inciso III do 4º do art. 103-B da Constituição Federal, para dispor sobre nova competência do Conselho Nacional de Justiça de determinar perda

Leia mais

N U P R A J U R VISITAS ORIENTADAS

N U P R A J U R VISITAS ORIENTADAS R.A.: Data: / / I CARTÓRIO DE UMA VARA CÍVEL OU DO JUIZADO ESPECIAL Autos nº: 2) Resuma um processo qualquer e indique: a) quais documentos foram juntados pelo autor e que pedido(s) ele formulou. b) quais

Leia mais

Exmo. Senhor (Nome e morada)

Exmo. Senhor (Nome e morada) Exmo. Senhor (Nome e morada) Na sequência da reclamação apresentada em (data de apresentação da reclamação), do acto de processamento do seu vencimento, relativo ao mês de Janeiro de 2011, e em resposta

Leia mais

TJRJ SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Gêneros textuais: descrição, narração, dissertação expositiva e argumentativa...3

TJRJ SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Gêneros textuais: descrição, narração, dissertação expositiva e argumentativa...3 Língua Portuguesa Gêneros textuais: descrição, narração, dissertação expositiva e argumentativa...3 Tipos textuais: informativo, publicitário, didático, instrucional e preditivo...3 Marcas de textualidade:

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS AULA 1 EXERCÍCIOS DEFINIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO 1)Ao tratar das funções essenciais à justiça, estabelece a Constituição Federal, com relação ao Ministério Público, que: A) incumbe-lhe a defesa da ordem

Leia mais

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade CAMPUS Capítulo 5 Administração Pública e Servidores Públicos Disposições Constitucionais 189 Servidor público em sentido estrito (regime estatutário) Cargo efetivo Cargo em comissão Adm. Direta, autárquica

Leia mais

- Promotor Público em Recife. em atividade restrita, nomeado pe 746, de 24/09/1922;

- Promotor Público em Recife. em atividade restrita, nomeado pe 746, de 24/09/1922; CURRICULUM VITAE Nasceu na cidade de João Pessoa, Estado da Paraíba, em 30 de 1899, filho de Si!vano de Souza Marinho e Felismina Neves. Casado com de Aguiar Marinho. FORMAÇÃO ESCOLAR - Bacharel em Ciências

Leia mais

1. SERVIDORES PÚBLICOS ESTATURÁRIOS FEDERAIS. Art. 2º da Lei Conceito de agente público: Juiz e promotor são agentes políticos?...

1. SERVIDORES PÚBLICOS ESTATURÁRIOS FEDERAIS. Art. 2º da Lei Conceito de agente público: Juiz e promotor são agentes políticos?... 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Servidores Públicos Estatutários Federais 1. SERVIDORES PÚBLICOS ESTATURÁRIOS FEDERAIS Art. 2º da Lei 8.429 Conceito de agente público: Art. 2 Reputa-se agente público,

Leia mais

Questões fundamentadas do PODER JUDICIÁRIO. Arts. 92 a 126 da CF. 300 Questões Fundamentadas do Poder Judiciário Arts.

Questões fundamentadas do PODER JUDICIÁRIO. Arts. 92 a 126 da CF. 300 Questões Fundamentadas do Poder Judiciário Arts. APOSTILA AMOSTRA Para adquirir a apostila de 300 Questões Fundamentadas do Poder Judiciário - Art. 92 a 126 da CF acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br S U M Á R I O Apresentação...3 Questões...4

Leia mais

(Técnico Judiciário/Área administrativa e segurança e transporte/ TRF/5ª Região/2012)

(Técnico Judiciário/Área administrativa e segurança e transporte/ TRF/5ª Região/2012) Olá amigo(a), tudo bem? Irei começar nossa comunicação pelo site da Editora Ferreira com um importante toque para testar seus conhecimentos de Direito Constitucional nesta provinha para Técnico Judiciário

Leia mais

Direitos do Advogado. Não existe hierarquia entre membros: OAB Ministério Público Magistratura

Direitos do Advogado. Não existe hierarquia entre membros: OAB Ministério Público Magistratura Direitos do Advogado Não existe hierarquia entre membros: OAB Ministério Público Magistratura Direitos a) inviolabilidade do escritório Direitos a) inviolabilidade do escritório b) Comunicar-se com cliente

Leia mais

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho 01. Quanto ao Congresso Nacional, considere: I. O número total de Deputados, bem como a representação por Estado e pelo Distrito Federal,

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL MILITAR Silvana Dantas Aula 01 MPU 2017 DIREITO PROCESSUAL PENAL MILITAR PROFª SILVANA DANTAS.

DIREITO PROCESSUAL PENAL MILITAR Silvana Dantas Aula 01 MPU 2017 DIREITO PROCESSUAL PENAL MILITAR PROFª SILVANA DANTAS. 01 MPU 2017 DIREITO PROCESSUAL PENAL MILITAR PROFª SILVANA DANTAS 1 APRESENTAÇÃO CURRÍCULO DO PROFESSOR : possui graduação em direito pela Universidade Federal de Campina Grande PB; Pós-graduanda em Direito

Leia mais

Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock

Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock Série Provas e Concursos Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock ELSEVIER 5.6. Resumo AGENTES PÚBLICOS (segundo Hely Lopes Meirelles): 1. Agentes políticos Aqueles no alto escalão dos

Leia mais

Aula 7 Organização do poder judiciário Poder Judiciário:

Aula 7 Organização do poder judiciário Poder Judiciário: Aula 7 Organização do poder judiciário Poder Judiciário: Continuação aula anterior: Conselho da República: Art. 89. O Conselho da República é órgão superior de consulta do Presidente da República, e dele

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO PRÁTICA TRABALHISTA ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO PRÁTICA TRABALHISTA ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PRÁTICA TRABALHISTA ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO 1. Surgimento da Justiça do Trabalho origens históricas - Surge em face do Direito do Trabalho e dos conflitos trabalhistas

Leia mais

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO)

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PRINCÍPIOS INSTITUCIONAIS DO MINISTÉRIO PÚBLICO 89. Considerando os princípios institucionais

Leia mais

SUPREMO TRIBUNALDE JUSTIÇA LEI N.º 10/91

SUPREMO TRIBUNALDE JUSTIÇA LEI N.º 10/91 LEI N.º 10/91 A Assembleia Nacional no uso das atribuições que lhe são conferidas ao abrigo da alínea d) do artigo 87º. Da Constituição, aprova a seguinte Lei: ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO

Leia mais

Temas Controversos de Processo do Trabalho

Temas Controversos de Processo do Trabalho Coordenação Eduardo Fontes Temas Controversos de Processo do Trabalho Guilherme de Luca Rogério Renzetti Recife PE 2017 TC processo do trab.indd 5 09/11/2016 11:12:54 Da organização da Justiça do Trabalho

Leia mais

DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA FEDERAL DA 4ª REGIÃO Ano VIII nº 129 Porto Alegre, terça-feira, 28 de maio de 2013 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO

DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA FEDERAL DA 4ª REGIÃO Ano VIII nº 129 Porto Alegre, terça-feira, 28 de maio de 2013 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA FEDERAL DA 4ª REGIÃO Ano VIII nº 129 Porto Alegre, terça-feira, 28 de maio de 2013 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO PUBLICAÇÕES ADMINISTRATIVAS ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração de quatro anos. Art. 45. A Câmara

Leia mais

PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88)

PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88) PODER EXECUTIVO PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88) Sistema de Governo Presidencialista Junção das funções de Chefe de Estado e Chefe de Governo É exercido, no âmbito federal, desde 1891, pelo Presidente

Leia mais

ISOLADA COMEÇANDO DO ZERO Direito Constitucional - Simulado Orman Ribeiro AULA 20: SIMULADO Nº 03

ISOLADA COMEÇANDO DO ZERO Direito Constitucional - Simulado Orman Ribeiro AULA 20: SIMULADO Nº 03 QUESTÕES: AULA 20: SIMULADO Nº 03 01) Analista de Correios advogado 2011 cespe: De acordo com a CF, o presidente da República pode, em caráter excepcional, delegar aos ministros de Estado sua competência

Leia mais

Simulado D. Constitucional - Câmara dos Deputados

Simulado D. Constitucional - Câmara dos Deputados Simulado D. Constitucional - Câmara dos Deputados - 2012 Fala pessoal, tudo bem com vocês?! Prontos para gabaritar a prova da Câmara dos Deputados? Espero que sim... Tenham confiança! A vitória se aproxima.

Leia mais

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Poder Legislativo Estadual Unicameralismo Assembleia Legislativa Deputados Estaduais: Prerrogativas Poder Legislativo Municipal Unicameralismo Câmara dos Vereadores

Leia mais

Competência nos JEFs Lei Fed nº /2009

Competência nos JEFs Lei Fed nº /2009 Competência nos JEFs Lei Fed nº 12.153/2009 Eduardo Uhlein Agosto 2013 Lei Federal nº 12153/2009 Dispõe sobre os Juizados Especiais da Fazenda Pública dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ARTIGOS 127 A 130 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO ARTIGOS 127 A 130 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL MINISTÉRIO PÚBLICO ARTIGOS 127 A 130 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Órgão constitucional autônomo, incumbido de promover a ação penal e fiscalizar a execução da lei perante a jurisdição penal e exercer, ante

Leia mais

Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro Professora Raquel Tinoco 1 Organização Professora Raquel Tinoco 2 1 Art. 176 da CERJ: A representação judicial e a consultoria jurídica do Estado, ressalvados

Leia mais

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 Nome do Candidato: Nome do pai: Nome da mãe: Partido Político ou Coligação: Cargo a que concorre: ( ) Prefeito ( ) Vice-Prefeito ( ) Vereador Município: Declaro,

Leia mais

inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, na forma do art. 93, VIII, da CF/1988; III irredutibilidade de subsídio.

inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, na forma do art. 93, VIII, da CF/1988; III irredutibilidade de subsídio. Alexandre Henry Alves TÍTULO II Das Garantias da Magistratura e das Prerrogativas do Magistrado CAPÍTULO I Das Garantias da Magistratura SEÇÃO I Da Vitaliciedade Art. 25 Salvo as restrições expressas na

Leia mais

TribunaldeJustiçadeMatoGrossodoSul

TribunaldeJustiçadeMatoGrossodoSul TribunaldeJustiçadeMatoGrossodoSul TJ-MS FL.:34 - N. -. Relator - Exmo. Sr.. Suscitante - Juiz de Direito da 2a. Vara Cível da Comarca de Dourados. Suscitado - Juiz (a) de Direito da 4ª Vara Cível da Comarca

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO REGIMENTO INTERNO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO CAMPINAS SP atualizado em 03/12/2012 2 REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO

Leia mais

Projeto de Resolução nº, de 2012 (Do Sr. Nelson Marquezelli)

Projeto de Resolução nº, de 2012 (Do Sr. Nelson Marquezelli) Projeto de Resolução nº, de 2012 (Do Sr. Nelson Marquezelli) Estabelece as hipóteses de impedimento para nomeação, designação ou contratação, em comissão, de funções, cargos e empregos na Câmara dos Deputados.

Leia mais

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Professor Alessandro Dantas Coutinho CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CONTROLE REALIZADO PELO PODER LEGISLATIVO Legislativo! Representa a vontade da coletividade. Em âmbito Federal é composto pelo Senado

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA DE ACORDO COM O EDITAL N 1, DE 24 DE NOVEMBRO DE 201, DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO, TRE-SP CONHECIMENTOS BÁSICOS

Leia mais

TRE-MA REVISÃO DE VÉSPERA Regimento Interno e Código de Ética do Tribunal Regional Eleitoral Maranhão

TRE-MA REVISÃO DE VÉSPERA Regimento Interno e Código de Ética do Tribunal Regional Eleitoral Maranhão TRE-MA REVISÃO DE VÉSPERA Regimento Interno e Código de Ética do Tribunal Regional Eleitoral Maranhão 1 Questões Comentadas QUESTÃO 01 (CESPE 2009 TRE-MA) Acerca do RI-TRE/MA - Resolução n.º 1.533/1997,

Leia mais

CÓDIGO DE ORGANIZAÇÃO E DIVISÃO JUDICIÁRIAS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ

CÓDIGO DE ORGANIZAÇÃO E DIVISÃO JUDICIÁRIAS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ CÓDIGO DE ORGANIZAÇÃO E DIVISÃO JUDICIÁRIAS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ SUMÁRIO Disposição Preliminar (Art. 1º) LIVRO I ORGANIZAÇÃO JUDICIÁRIA Título I Organização Judiciária (Art. 2º) Capítulo

Leia mais

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes

Leia mais

PROVIMENTO N.º 003/2013 CCI

PROVIMENTO N.º 003/2013 CCI Diário n. 903 de 26 de Fevereiro de 2013 CADERNO 1 - ADMINISTRATIVO > CORREGEDORIA DAS COMARCAS DO INTERIOR > GABINETE PROVIMENTO N.º 003/2013 CCI Regulamenta a Central de Cumprimento de Mandados da Comarca

Leia mais

T R I B U N A L D E J U S T I Ç A

T R I B U N A L D E J U S T I Ç A RESOLUÇÃO Nº 94 de 21 de outubro de 2013. Dispõe sobre a suspensão do expediente forense no período de 20.12.2013 a 06.01.2014. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, por seu colendo Órgão Especial,

Leia mais

Advocacia-Geral da União Procuradoria-Geral Federal

Advocacia-Geral da União Procuradoria-Geral Federal Advocacia-Geral da União Procuradoria-Geral Federal Acidente de Trabalho: Competência Jurisdicional Renato Rodrigues Vieira Procurador-Geral Federal Brasília Abril/2016 Cenário Atual Art. 109. Aos juízes

Leia mais