Proposta de REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO MELHORAMENTOS CHAMPS PRIVÉS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Proposta de REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO MELHORAMENTOS CHAMPS PRIVÉS"

Transcrição

1 Proposta de REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO MELHORAMENTOS CHAMPS PRIVÉS 1 Disposições Gerais. 2 Dos Bens e Empregados. 3 Da Portaria e Segurança. 4 Da Execução de Obras. 5 Das Penalidades e Defesas. 6 Considerações Finais. 1. Disposições Gerais A Associação Melhoramentos Champs Privés, doravante mencionada como Associação, é um empreendimento com acesso controlado através de uma única portaria, que se regerá pelo disposto na legislação, no Estatuto da Associação e pelas normas estabelecidas neste Regimento Interno, ao qual estão obrigados todos os proprietários, moradores e seus empregados, além de prestadores de serviço em geral Nos contratos de locação (e ou comodato) de unidades residenciais ou lotes do empreendimento, deverá constar necessariamente uma cláusula que mencione a obrigação de os locatários e ou comodatários, dependentes, empregados e visitantes cumprirem e fazerem cumprir o presente Regimento, cuja cópia deverá fazer parte integrante daqueles instrumentos O ingresso e mudança de novos moradores somente serão permitidos se comunicado a Associação com prazo mínimo de cinco (5) dias É expressamente proibido lançar lixo, entulho, terra ou qualquer tipo de detrito em áreas comuns, lote próprio ou alheio, ainda que autorizado por seu proprietário. O infrator será advertido por documento, para sua retirada em vinte e quatro (24) horas, não se aplicando em obras em andamento (desde que mantido dentro do próprio lote), de acordo com as normas de construção É obrigação do proprietário, manter seu lote limpo e roçá-lo no mínimo duas vezes por ano, bem como livre de erosão, seguindo as legislações vigentes. Aquele que não o fizer por conta própria dará o direito à Associação de contratar um prestador para execução do serviço e o valor correspondente para execução do mesmo, será cobrado posteriormente junto com juros, multas e taxa de manutenção de dez por cento (10%) Se o proprietário for instalar lixeira suspensa em frente sua residência para acomodar seu lixo a ser coletado, ela deve obedecer ao modelo fornecido Nos locais onde a coleta é realizada pela Prefeitura a colocação do lixo deve ocorrer nas manhãs das terçasfeiras e sábados, nos demais locais em que não há acesso do caminhão de coleta, o lixo deverá ser depositado nas lixeiras particulares nas manhãs de segundas-feiras e sextas-feiras. No período da tarde, cada proprietário verificará se a coleta foi bem realizada e se a há necessidade de limpeza Fora destes momentos de coleta, os resíduos devem ser levados até os pontos de coleta instituídos pela Associação ou pela Prefeitura É proibida a queima de mato ou lixo após a limpeza dos terrenos, mesmo que, acompanhada de pessoa responsável Todos aqueles que possuem piscinas em suas residências, deverão mantê-las sempre limpas e com a água bem tratada, evitando desta forma a proliferação de qualquer tipo de insetos ou animais que causem riscos ou danos à saúde publica Caso constatada a falta de manutenção nas piscinas, os órgãos públicos serão notificados Fica proibido encher ou repor as piscinas particulares, utilizando a água do Empreendimento, evitando falta de água na vizinhança e danos no sistema de recalque por ficar longos períodos tentando encher o reservatório É expressamente proibida à utilização de vias públicas, para preparo de argamassas ou sua obstrução para atividades particulares, mesmo que momentânea ou eventual, bem como estacionamento em frente garagens alheio, sobre lotes vazios, etc. e a circulação irregulares ou em desconformidade com a legislação de trânsito e a sinalização estabelecida A utilização de lotes vizinhos só será permitida mediante a autorização expressa de seu proprietário. Uma cópia dessa autorização deverá ser encaminhada à Associação.

2 1.7. É proibido ter, usar ou manter instalações, materiais, aparelhos, substâncias (tóxicas, inflamáveis, explosivas, odoríferas e similares), que incomodem ou possam oferecer riscos a saúde e segurança dos moradores assim como ao patrimônio dos demais proprietários Não será-permitido, mesmo em caráter privado (doméstico sem finalidade comercial), a criação de qualquer espécie de animais e aves de tal forma que o volume e condições de higiene interfiram no sossego e tranquilidade da vizinhança Os animais mantidos dentro das propriedades que causem incomodo como barulhos, odores, etc., e gerem reclamações por escrito, será encaminhado à Associação para análise e tomada de decisão, dependendo de cada situação A permanência de animais domésticos será tolerada, quando a passeio deverão estar sempre contidos por guias adequadas. Cabe ao proprietário do animal zelar pela higiene e limpeza nas áreas comuns da Associação. Os animais encontrados soltos em áreas comuns ou em estado de abandono, seus proprietários advertidos por escrito. Na reincidência será o infrator multado. A penalidade não afasta a possibilidade de o animal vir a ser entregue às autoridades competentes, caso persista a infração, a juízo da Associação. O mesmo ocorrerá com animais cuja presença seja considerada perigosa ou nociva à segurança e tranquilidade dos demais moradores É expressamente proibido alimentar e manter cachorros em áreas comuns da Associação. O proprietário identificado alimentando animais em áreas comuns será inicialmente advertido e em caso de reincidência multado Os cães, sobretudo de médio e grande porte e ou que possam representar perigo a qualquer pessoa ou outros animais, somente podem circular em vias ou locais públicos, utilizando coleira, guia curta com enforcador e focinheira, conforme o Decreto Estadual nº de 9/03/ Eventos que comportem o ingresso de mais de vinte (20) pessoas e ou seis (6) veículos só podem ser realizados mediante autorização prévia de sete (7) dias. Se o volume de público recomendar, cabe à Associação solicitar a apresentação de cópia do alvará das autoridades públicas para festa, e o pagamento de taxa preventiva para serviços não executados e emissão de crachás, contratação de seguranças para apoio, etc A taxa preventiva deve ser recolhida antes do evento e corresponderá ao valor de cinquenta por cento (50%) da taxa condominial ou ao dobro da última multa aplicada àquele proprietário Em até 7 (sete) dias após o evento acontecerá a devolução da taxa preventiva, deduzidas as despesas com multas, danos, obras de reposição, materiais de consumo, etc É proibido soltar balões, fogos de artifício ou bombas comemorativas de qualquer natureza que possam assustar os animais silvestres e apresentar riscos de incêndio a flora local Qualquer ato praticado que possa prejudicar terceiros ocasionando danos físicos ou materiais, além das sanções deste Regimento Interno, o caso poderá ser levado às autoridades competentes Ficam terminantemente proibidos a funcionários da Associação, moradores, proprietários e seus empregados as seguintes práticas e atitudes: a) A utilização de "skates", bicicletas, patins, e outros brinquedos que possam prejudicar os pisos das quadras poliesportivos. b) Fornecer, sob qualquer pretexto, o endereço e números de telefones dos moradores. c) Atividades ruidosas que possam perturbar o sossego e o repouso de outros moradores, em qualquer horário. Também deve ser respeitado o horário de silêncio noturno entre 22h e 6h Os horários estabelecidos para o trabalho nas obras de construção ou reformas, bem como para recebimento de materiais é das 7h às 18h de segunda à sexta-feira e das 8h às 12h aos sábados. Ficando vetado domingos, feriados e suas emendas É permitido o alojamento de funcionários durante a construção ou reforma da residência, desde que atendidas as determinações descritas no artigo 74 do Estatuto da Associação: e artigo 4.6 deste Regimento O recebimento de materiais é de responsabilidade do proprietário ou de outra pessoa indicada por ele, sendo proibida a utilização de funcionários da Associação para este fim É terminantemente proibido o depósito de materiais de construção nas ruas e calçadas, sendo tolerável o estacionamento de caçambas na calçada diante do imóvel Associação não assume qualquer responsabilidade por materiais entregues e armazenados.

3 2. Dos Bens e Empregados da Associação As áreas de quadras esportivas, playground, praças, quiosques, piscinas, áreas de lazer e demais bens da Associação ou a ela permitidos para uso comum, somente poderão ser utilizados de acordo com o presente Regimento Quanto às normas de uso e horários de funcionamento das áreas de uso comum e das quadras poliesportivas, caberá a Diretoria decidir e mudar todas as vezes que houver necessidade, inclusive determinar a cobrança de taxas, caso seja necessário (energia, água, manutenção, etc.) 2.2. As áreas de uso comuns são de uso livre dos proprietários, moradores e parentes em 1º grau, entretanto, no que se refere a visitantes o uso será limitado a dez (10) convidados por proprietário e a permanência só será permitida quando acompanhados de um proprietário maior de idade Em situação excepcional, a critério da Associação, poderá ser autorizado um número maior de visitantes, desde que solicitado antecipadamente por escrito, com explicação dos motivos Nas áreas de uso comum os usuários deverão se portar com educação e civilidade, qualquer excesso que seja alvo de reclamação será analisado pela Associação e será passível de punição É expressamente proibida a utilização de colaboradores da Associação para serviços particulares durante seu horário de trabalho, ainda que eventualmente. Os empregados assim encontrados serão dispensados, e o proprietário advertido por escrito pela Associação que poderá aplicar multa pecuniária. Em caso de emergência não se aplicará o disposto acima Os colaboradores que exercerem atividades particulares fora do seu horário de expediente não devem utilizar uniformes e equipamentos da Associação Fica a critério da Associação, dentro das normas vigentes, solicitar ao poder público a colocação de lombadas, placas de sinalização, advertência, brinquedos infantis, etc Fica a Associação autorizada a cobrar taxas referentes à prestação de serviços, emissões de controle de acesso, instalação de hidrômetro, etc., de acordo com decisão que vier a ser tomada pela Associação. 3. Da Portaria e Segurança 3.1. Somente ingressarão no empreendimento os proprietários, moradores e as pessoas por eles autorizadas Os empregados, entregadores e prestadores de serviços, só serão admitidos após autorização dos proprietários ou moradores. Deverão ser cadastrados e só serão liberados pelos porteiros após apresentação de um documento de identificação com foto. Os mesmos receberão um crachá de identificação para o trânsito dentro da área do empreendimento Visitantes de proprietários não moradores no empreendimento, somente poderão adentrar se acompanhados dos proprietários ou autorizados por escrito, mencionando nome dos visitantes, dia e horário da visita. A autorização não dispensa a apresentação de documento como foto na portaria Visando a melhoria da segurança, a Associação poderá estabelecer novas rotinas para identificação na portaria, sobretudo em relação a empregados Em caso de demissão do empregado ou conclusão da prestação de serviço o proprietário ou morador deverá informar imediatamente à Associação, que recolherá o crachá dando baixa nos arquivos, mencionando o motivo da demissão. O ingresso desse ex-funcionário, se contratado por outro morador, só ocorrerá após nova análise da Associação Não será admitida a entrada ou saída de empregados de qualquer natureza, sem a devida passagem pela triagem para o respectivo registro no sistema de controle de pessoal, ainda que acompanhados do morador ou proprietário responsável Caso algum empregado perder seu documento poderá ser concedido um prazo de (5) cinco dias para obtenção de nova identificação, pois será exigida em cada acesso ao empreendimento Os veículos de moradores e proprietários terão livre acesso desde que regularmente cadastrados e atendam as normas estabelecidas visando sempre à segurança, deverão ser identificados pela Portaria, de tal forma que a vigilância possa observar o interior do veículo e seus eventuais acompanhantes.

4 3.4. É expressamente proibida a condução de veículos automotores, conforme definidos por lei, por menores e pessoas não habilitadas legalmente, sujeitando o morador ou proprietário responsável, além das sanções previstas no Código de Trânsito, ao pagamento da multa prevista neste Regimento É expressamente proibido promover, incentivar ou permitir que se façam corridas com veículos automotores de qualquer potência ou cilindrada É expressamente proibido o tráfego de veículos em velocidade acima de trinta (30) Km/h É proibido o porte de armas de fogo, armas brancas ou qualquer outro tipo de arma que ponha em risco a integridade física de pessoas ou animais O proprietário é responsável pela conduta de seu pessoal e responderá pelos problemas que seus visitantes ou contratados possam causar dentro do empreendimento É expressamente proibida a entrada de bebidas alcoólicas, armas e entorpecentes, para locais de obras Em caso de conduta inadequada de funcionários de obras e prestadores de serviços, a Associação adotará as providências cabíveis Os vigias da Associação poderão efetuar vistorias em obras, fiscalizando a permanência de funcionários e uso de bebida alcoólica, armas e entorpecentes. Encontrando-se tal material, o proprietário será notificado, arcando automaticamente com a responsabilidade do fato, e seu causador será excluído do empreendimento. No caso de uso de armas e entorpecentes, o fato será comunicado às autoridades competentes. 4. Das obras e Reformas Antes do início de quaisquer obras, sejam de desmatamento, terraplanagem, construção de muros ou edificações, o proprietário deverá fornecer à Associação uma cópia da planta aprovada e do Alvará de Construção, ou da autorização para terraplanagem e desmatamento, expedido pelas autoridades competentes O sistema de captação, tratamento e distribuição de água existente no empreendimento é de propriedade da Associação, a quem compete sua manutenção e manuseio. O ingresso de pessoas nas áreas desse sistema depende de autorização prévia. Quaisquer avarias devem ser comunicadas imediatamente à portaria, que providenciará os reparos e ressarcimento de despesas (danos e consumo) É proibido o empréstimo de água, o excesso de consumo acarretará além da cobrança extraordinária, multa Cada unidade deve solicitar à Associação a instalação do seu próprio hidrômetro, mediante o pagamento da taxa convencionada, sendo que após seis (6) meses, a taxa de manutenção passará para residencial As obras e reformas realizadas no empreendimento deverão obedecer: este Regimento; o Código de Obras da Prefeitura de Campo Limpo Paulista; as normas constantes nas matrículas dos respectivos lotes; e as restrições urbanísticas registradas na matrícula nº do 2º Cartório de Registro de Imóveis de Jundiaí (de origem do empreendimento) Antes da ocupação de cada lote deverá ser construído um conjunto da fossa séptica (poço absorventes), de acordo com a NB nº 41/63 da ABNT, com capacidade adequada aos fins a que se destina Os lotes do empreendimento destinam-se exclusivamente a habitação de uma família e seus empregados. Não é permitida a construção de mais de uma residência e edícula por lote. É terminantemente proibida a construção de clubes, cinemas, teatros, clínicas, escritórios, hospitais, ou de qualquer tipo de comércio, indústria, prestação de serviço ou outros fins que não sejam residenciais Não é permitido o aluguel de residências para realização de eventos, festas, veraneios e demais utilizações temporárias que não sejam estritamente residenciais A área mínima de construção será de 100 m2 de área interna. Não sendo consideradas como área interna as áreas da edícula, varandas, área de lazer e abrigos As construções não poderão ter mais de dois pavimentos acima do nível da rua, salvo casos especiais a serem analisados, conforme a topografia do terreno Caixas d água pré-fabricadas não poderão ficar aparentes e suas torres, quando houver, deverão ter o mesmo acabamento arquitetônico da construção principal, e não poderão ser localizadas na frente da construção principal, salvo se a topografia assim exigir.

5 A edícula não pode ser construída antes da edificação principal. Entende-se por edícula a construção isolada da principal localizada na faixa de recuo nos fundos do lote e destinada a habitação de empregados; de uso para lavanderia; para vestiário; etc., para não permitir sua ocupação precária. A edícula será sempre construção térrea e seguir o padrão arquitetônico da construção principal Durante o período da construção será tolerada a instalação de um barracão para depósito de materiais. Caso a obra seja concluída, a demolição deve ocorrer em noventa (90) dias ou em quinze (15) se a obra for paralisada Esse barracão, alojamentos e sanitários deverão ser construídos dentro do respectivo lote. Portas e janelas deverão estar voltadas para o interior do terreno, sendo que varais de roupa devem ser colocados em locais discretos Durante o período de construção, será permitido o pernoite de apenas dois prestadores de serviço por obra, de segunda a sexta feira, não podendo estes, transitarem dentro do empreendimento ou pela portaria após as 18h As obras já iniciadas ou concluídas terão o prazo de noventa (90) dias para entrega da documentação exigida acima Caso uma obra seja interrompida por mais de 30 dias, o associado deverá tomar as seguintes providências: a) Comunicar por escrito a Associação que a obra será interrompida. b) Retirar do local detritos e lixo. c) Aterrar as fossas e outras escavações. d) Fechar a frente do lote com tapumes A Associação não tem nenhuma responsabilidade em caso de perda, furtos, deterioração, quebra e outros danos que possam ser causados aos materiais existentes na obra O proprietário deverá comunicar, previamente por escrito, a Associação quando do reinício da obra Com relação ao escoamento das águas pluviais devem ser obedecidas as determinações registradas na matrícula nº 46001, já mencionada Danos em grama ou árvores de vizinhos ou em áreas comuns, ocasionados por máquinas, veículo, movimentação, etc., deverão ser ressarcidos pelo associado proprietário do lote em obras Danos em equipamentos, instalações, ruas, guias, sarjetas, etc. provocados pelo pessoal da obra são de responsabilidade do proprietário que deverá providenciar sua imediata restauração ou reposição Eventuais problemas de deslizamento de terra ou quaisquer outros desta natureza serão de responsabilidade exclusiva do proprietário causador, que responderá pelos danos causados a outros lotes ou a áreas comuns. 5. Multas e Penalidades A omissão ou descumprimento de qualquer dispositivo deste Regimento Interno estará sujeita à aplicação de multas pela Associação ao proprietário responsável As multas serão enviadas através de boletos de cobrança, e em caso de não pagamento na data determinada, ficarão sujeitas a outras formas legais de cobrança O pagamento da multa não isenta o proprietário ou infrator da obrigação da imediata suspensão da infração e de arcar com todos os custos por ventura gerados A pena de multa será aplicada pela Associação, após fundamentar tal decisão, ainda que resumidamente As multas previstas neste Regimento são fixadas com base na taxa de manutenção vigente, que poderão variar entre 0,5 (meia), até dez (10) vezes o valor da taxa mensal, dependendo da gravidade da infração Em casos de reincidência, a multa terá seu valor dobrado até atingir o máximo do valor estabelecido no item acima A critério da Associação, dependendo da gravidade da infração, poderá ser aplicada apenas advertência escrita A aplicação de qualquer penalidade pela Associação não afasta nem impede que o agente venha sofrer medidas de ordem policiais cabíveis, quando seu ato configurar ilícito civil, penal ou contravenção, podendo vir a

6 ser detido em "flagrante" e entregue à autoridade ou ainda sofrer apreensões de armas, objetos, veículos ou animais que, igualmente serão encaminhados Para aplicação da penalidade a Associação deve tomar conhecimento oficial da infração, sempre por escrito, feitas por proprietários, moradores, pessoal da segurança ou qualquer funcionário da Associação Toda renda gerada pela aplicação de multas será revertida em benefício da Associação e seus objetivos, podendo ser cobrada judicialmente dos infratores, com os acréscimos legais cabíveis Das multas aplicadas cabe recurso, que deve ser feito por escrito e endereçado à Associação, antes da data determinada para vencimento da multa Os recursos não terão caráter suspensivo, apenas devolutivo, ou seja, para que os recursos possam se apreciados o infrator deve pagar a multa até a data de vencimento. 6. Considerações Finais O presente Regimento Interno foi aprovado pela Assembleia Geral realizada em xx/07/2015, data em que passa a vigorar O Regimento Interno está disposto no site da Associação, site da Administradora e também poderá ser enviado por , bastando apenas solicitação do associado Com o decorrer do tempo, poderão surgir ajustes e complementos às normas ora aprovadas. Tais necessidades serão atendidas através de circulares emitidas pela Associação ad referendum da Assembleia Geral, passando a fazer parte integrante deste Regimento Interno Fica eleito o foro central de Campo Limpo Paulista para solucionar qualquer litígio baseado neste Regimento Interno, no Estatuto da Associação ou decorrente do relacionamento entre os associados e a Associação por mais privilegiados que outros sejam. Campo Limpo Paulista, xx de julho de FULANO Presidente da Assembleia Geral SICRANO Secretário BELTRANO Presidente da Associação Melhoramentos Champs Privés Anexar foto do modelo de lixeira ressaltando: a) altura e formato para dificultar que animais escalem; b) tampa, laterais e fundos que evitem animais e permita ventilação.

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL FINALIDADE 1. Este regulamento tem por finalidade definir direitos e deveres e orientar a conduta de todas as pessoas que se encontrarem, a

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL 12 Av. Yojiro Takaoka, 6715 Santana de Parnaíba-SP. Fone/fax: 4153.2292. e-mail: sar12@sar12.org.

ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL 12 Av. Yojiro Takaoka, 6715 Santana de Parnaíba-SP. Fone/fax: 4153.2292. e-mail: sar12@sar12.org. REGULAMENTO INTERNO DASOCIEDADE ALPHAVILLE RESIDENCIAL 12 1. DISPOSIÇÕES GERAIS 2. DOS BENS E EMPREGADOS 3. DA PORTARIA E SEGURANÇA 4. DAS EXCUÇÕES DE OBRAS 5. DAS PENALIDADES E DEFESAS 6. CONSIDERÇÕES

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE

REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE Sociedade Residencial REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE Aqui a vida se renova. 1) APRESENTAÇÃO: 1.1 A filosofia deste Regulamento é apresentar limitações supletivas, ou seja, prevalecem

Leia mais

Normas de Construção

Normas de Construção Normas de Construção As presentes normas foram elaboradas em complemento as normas e procedimentos já existentes do Residencial Granja Carneiro Viana, objetivando ampliar as disposições e regras da Prefeitura

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1 REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1. A Administração do Condomínio Condomínio Parque Residencial Vitória Régia II Blocos reger-se-á pela Lei 4.591, de 16/12/1964 e outras Leis que forem aplicáveis, a cujo

Leia mais

SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES

SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES 1. Considerações Gerais 1.1. O presente Regulamento estabelece regras gerais para as construções e alterações que

Leia mais

Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande.

Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande. Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande Capítulo I Da Segurança. 1.1 Cadastro de Associados. Artigo 1º. Todo associado, morador ou não, deverá atualizar anualmente o cadastro de associados

Leia mais

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014 REGIMENTO INTERNO Introdução; Com o intuito de formalizar as ações coletivas e individuais, estabelecendo normas de conduta para a boa convivência e administração do Residencial Solar da Chapada, adotou-se

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO Art. 1º - O TERRA PARK CLUB RESIDENCE é um loteamento dividido em partes de propriedade privativa,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL SEIS APROVADO POR ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 05/12/2005.

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL SEIS APROVADO POR ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 05/12/2005. REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL SEIS APROVADO POR ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 05/12/2005. 1. DISPOSIÇÕES GERAIS 2. DOS DIREITOS E DEVERES 3. DAS MUDANÇAS 4. DA LIMPEZA E

Leia mais

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Altera o Regimento Interno da Área de Lazer da ASIBAMA-DF A Presidente da ASIBAMA-DF, nos termos do art. 30, inciso I, do Estatuto da ASIBAMA-DF, e considerando o disposto

Leia mais

DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO

DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO Art. 52 - É condição essencial e imperativa a observância dos termos deste Estatuto Social, Regimento Interno e das Normas para Construção

Leia mais

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

DA SEGURANÇA. A infringência aos artigos 1º e 2º implicará nas seguintes sanções: a) Comunicação por escrito solicitando a regularização.

DA SEGURANÇA. A infringência aos artigos 1º e 2º implicará nas seguintes sanções: a) Comunicação por escrito solicitando a regularização. Aprovação das alterações das cláusulas do Regulamento Interno (trechos destacados em amarelo e azul são trechos que foram feitas mudanças e/ou alterações) DA SEGURANÇA Art. 1º - Cada novo morador receberá

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB Art. 1º. O presente regulamento visa disciplinar o uso do Clube de Areia Dourada, assim como eventuais unidades de lazer a serem construídas ou adquiridas pela Associação dos Magistrados da Paraíba. DOS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E MORADORES DO JARDIM SHANGRILÁ REGIMENTO INTERNO APROVADO EM A.G.E. DE 31/08/2.013

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E MORADORES DO JARDIM SHANGRILÁ REGIMENTO INTERNO APROVADO EM A.G.E. DE 31/08/2.013 ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E MORADORES DO JARDIM SHANGRILÁ REGIMENTO INTERNO APROVADO EM A.G.E. DE 31/08/2.013 CAPÍTULO I Da finalidade Art. 1º Na forma do artigo 20 do Estatuto Social da Associação

Leia mais

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 2. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Todos os ocupantes de unidades residenciais situadas no CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU

Leia mais

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA.

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA. O Regulamento Interno da ULIVING SOROCABA, localizado na cidade de SOROCABA à Rua Bernardo Ferraz nº 100 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento. I - HORÁRIO

Leia mais

LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012

LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012 LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012 (Publicação DOM 08/10/2012: 03) INSTITUI O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal aprovou e

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO RESIDENCIAL THERMAS PARK

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO RESIDENCIAL THERMAS PARK REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO RESIDENCIAL THERMAS PARK O presente Regulamento Interno estabelece no que lhe compete, as relações entre associados ou usuários dos lotes da Associação

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Norma de conduta, infrações e imposições de penalidades

REGULAMENTO INTERNO. Norma de conduta, infrações e imposições de penalidades REGULAMENTO INTERNO Norma de conduta, infrações e imposições de penalidades APRESENTAÇÃO O Regulamento Interno e Imposições de Penalidades da Associação dos Proprietários do Loteamento Residencial Athenas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO COLINAS DO IMPERADOR REGIMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO COLINAS DO IMPERADOR REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO COLINAS DO IMPERADOR REGIMENTO INTERNO O presente REGIMENTO INTERNO foi aprovado pela Assembléia Geral Extraordinária do dia 21/09/2000 conforme predisposto no

Leia mais

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA Art. 1. O presente Regimento Interno é instituído com o objetivo de estabelecer normas, diretrizes e condicionantes atinentes à conservação e ordem interna do

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pelo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL JARDINS COIMBRA. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento

Leia mais

ALPHAVILLE JACUHY REGULAMENTO INTERNO

ALPHAVILLE JACUHY REGULAMENTO INTERNO ALPHAVILLE JACUHY REGULAMENTO INTERNO 1. DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. O presente Regulamento tem por objetivo assegurar a tranquilidade no uso e gozo das instalações e dependências do Loteamento ALPHAVILLE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO Os proprietários de imóveis da Célula Residencial do Jardim Florença, nesta cidade de Limeira (SP), abaixo assinados, aprovam o presente

Leia mais

LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006.

LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006. LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006. Autoria: Prefeito Municipal. INSTITUI O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS E DÁ PROVIDÊNCIAS CORRELATAS. O Prefeito do Município

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA 1 TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA Termo de compromisso para aprovação de projeto e execução de obra que entre si celebram, de um lado a SOCIEDADE ALDEIA DA SERRA RESIDENCIAL

Leia mais

CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS

CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS REGIMENTO INTERNO APROVADO NA A.G.E. DE 01/03/2003 O presente regimento dispõe sobre a utilização das coisas de uso comum do Condomínio Panorâmico Bombinhas pelos respectivos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

ARTIGO 1º - Compete ao Síndico (Artigo 20 da Convenção) a administração geral do condomínio, fazendo cumprir o disposto neste Regimento Interno.

ARTIGO 1º - Compete ao Síndico (Artigo 20 da Convenção) a administração geral do condomínio, fazendo cumprir o disposto neste Regimento Interno. Nome do empreendimento Regimento Interno - Programa Minha Casa Minha Vida PMCMV Grau de sigilo #PÚBLICO REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno estabelece normas de disciplina, procedimento, conduta

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo normatizar o direito de utilização e aproveitamento dos lotes, sendo que tais limitações são supletivas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 )

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2015

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2015 I. OBRAS I.1. I.1.1 1.1. ORIENTAÇÃO PARA INÍCIO DAS OBRAS Documentos necessários Para o início da obra será necessária a apresentação ao, dos seguintes documentos que devem permanecer na obra durante sua

Leia mais

ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA REGULAMENTO INTERNO DE OBRAS E REFORMAS

ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA REGULAMENTO INTERNO DE OBRAS E REFORMAS ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA REGULAMENTO INTERNO DE OBRAS E REFORMAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Estas limitações são supletivas e prevalecem após o cumprimento das legislações federais, estaduais e municipais,

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

Normas de Procedimentos de Segurança

Normas de Procedimentos de Segurança Normas de Procedimentos de Segurança A AANH (Associação de Amigos de Nova Higienópolis), possui 04 portarias, sendo assim descritas: a primeira a direita de quem de fora vê, é a entrada para moradores.

Leia mais

Condomínio do Residencial Villa D'Itália

Condomínio do Residencial Villa D'Itália Prezados moradores, De acordo com a Assembléia Extraordinária realizada no dia 18 de dezembro de 2014, informamos para ciência de todos que alguns itens presentes no Regimento Interno, que foram aprovados

Leia mais

Art. 1º Estabelecer normas para o funcionamento do transporte escolar da Rede Pública do Sistema Municipal de Educação do Município de Palmas.

Art. 1º Estabelecer normas para o funcionamento do transporte escolar da Rede Pública do Sistema Municipal de Educação do Município de Palmas. PUBLICADO EM PLACAR Palmas-TO, / / Luzenir Poli Coutinho da Silveira Assessora de Legislação, Normas e Conselhos Matr. 25 745 PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO PORTARIA GAB/SEMED

Leia mais

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007.

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. Regulamenta o uso dos veículos da frota oficial e estabelece normas gerais sobre as atividades de transporte de usuários da FHDSS-Unesp. O Diretor da Faculdade de

Leia mais

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II DOS DIREITOS E DEVERES DOS CONDÔMINOS E LOCATÁRIOS CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II Rua: Manoel Libãnio Amorim nº 86 Massaguaçú Caraguatatuba- SP. 1 REGIMENTO INTERNO RESUMIDO DO ACESSO ÀS DEPENDÊNCIAS

Leia mais

CONDOMÍNIO RURAL RANCHO GRANDE CNPJ/N 0 05.787.238./0001-22 REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I

CONDOMÍNIO RURAL RANCHO GRANDE CNPJ/N 0 05.787.238./0001-22 REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I CONDOMÍNIO RURAL RANCHO GRANDE CNPJ/N 0 05.787.238./0001-22 REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I Art. 1 o - Todos os condôminos do Condomínio Rural Rancho Grande são obrigados a respeitar e cumprir, na íntegra,

Leia mais

Clube de Campo de São Paulo

Clube de Campo de São Paulo REGULAMENTO DO USO DOS "CHALÉS DO C.C.S.P" 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 - O uso dos quatro chalés do C.C.S.P construídos na zona residencial "A", doravante denominados "Chalés do CCSP" ou simplesmente "Chalés",

Leia mais

Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto

Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto Dispõe sobre a regulamentação de posicionamento de caçambas usadas na remoção de entulhos,

Leia mais

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO:

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: 1) Este regulamento SÓ se aplica aos contratos celebrados na unidade Paulista, por alunos matriculados nos cursos preparatórios para concursos públicos semestrais

Leia mais

Art. 15º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Art. 15º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Veja, na íntegra, os artigos da lei que estabelece normas para obtenção de alvará de licença e funcionamento de feiras, bazares ou eventos similares itinerantes, de venda a varejo ou no atacado e dá outras

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL MORADA DO ENGENHO REGULAMENTO INTERNO NORMAS DE CONVÍVIO E USO DE ÁREAS COMUNS

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL MORADA DO ENGENHO REGULAMENTO INTERNO NORMAS DE CONVÍVIO E USO DE ÁREAS COMUNS ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL MORADA DO ENGENHO REGULAMENTO INTERNO NORMAS DE CONVÍVIO E USO DE ÁREAS COMUNS (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob nº51.758

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O N. 10.944, de 13 de agosto de 2014 EMENTA: Regulamenta dispositivos da Lei Municipal n 1.198, de 14 de setembro de 1979 Código de Obras do Município de Itabuna na parte que indica e, dá outras

Leia mais

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9 REGRAS ESPECÍFICAS ESTABELECIDAS PARA FREQUENCIA E USO A, disponibiliza aos seus Associados o Centro de Convivência e Academia, como espaço destinado à prática de atividades esportivas e sociais, fundamentais

Leia mais

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO Art. 1º - O presente Regulamento Interno, do Condomínio do Edifício, aprovado em Assembléia Geral

Leia mais

Regulamento e Normas para Colocação de Mesas e Cadeiras em Calçadas, Praças e Áreas Verdes do Condomínio Centro Comercial Alphaville

Regulamento e Normas para Colocação de Mesas e Cadeiras em Calçadas, Praças e Áreas Verdes do Condomínio Centro Comercial Alphaville Regulamento e Normas para Colocação de Mesas e Cadeiras em Calçadas, Praças e Áreas Verdes do Condomínio Centro Comercial Alphaville Art. 1º - O presente Regulamento destina-se exclusivamente aos estabelecimentos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA ÍNDICE ORIENTAÇÕES PRELIMINARES IMPORTANTES pág. 02 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA pág. 03 NORMAS PARA EXECUÇÃO DE OBRAS pág. 08

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann REGULAMENTO DO CEL DA OAB-GO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I Da Conceituação e da Freqüência Art. 1º. O Centro de Cultura, Esporte e Lazer da Advocacia de Goiás é um espaço reservado aos profissionais

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS DECRETO N o 525, DE 11 DE JULHO DE 2013. Regulamenta a utilização de veículos oficiais pela administração direta e indireta do Município de Palmas. O PREFEITO DE PALMAS, no uso de suas atribuições que

Leia mais

CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS

CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS Que entre si celebram, de um lado, a SOCIEDADE ALPHAVILLE RESIDENCIAL 5, inscrita no C.G.C./MF, sob o n.º 51.244.861/0001-56, isenta

Leia mais

MANUAL PARA MONTADORAS

MANUAL PARA MONTADORAS 1. PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO EVENTO: De 13 a 17 de Abril de 2015, das 08:00 às 18:00h. MANUAL PARA MONTADORAS 2. PERÍODO DE MONTAGENS E DESMONTAGENS DOS STANDS Período de montagem de stands será de 23/03/2015

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA DO ENGENHO REGULAMENTO INTERNO NORMAS DE CONVÍVIO E USO DE ÁREAS COMUNS

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA DO ENGENHO REGULAMENTO INTERNO NORMAS DE CONVÍVIO E USO DE ÁREAS COMUNS ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA DO ENGENHO REGULAMENTO INTERNO NORMAS DE CONVÍVIO E USO DE ÁREAS COMUNS O presente Regulamento Interno é um conjunto de normas de conduta dos Associados, proprietários de

Leia mais

Autorização Especial de Trânsito AET

Autorização Especial de Trânsito AET Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano Autorização Especial de Trânsito AET Amparo legal: Lei Complementar Municipal nº 205/2009: que acrescenta, altera e regulamenta a Seção XI, do Capítulo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE SÃO LOURENÇO DO SUL DECRETO Nº 3.903

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE SÃO LOURENÇO DO SUL DECRETO Nº 3.903 DECRETO Nº 3.903 Regulamenta a utilização do Camping Municipal, e revoga o Decreto Municipal de Nº 3.679/2012. O Senhor JOSE DANIEL RAUPP MARTINS, Prefeito Municipal de São Lourenço do Sul, no uso das

Leia mais

Regulamento para Obras nos Apartamentos do Condomínio Residencial Resort Santa Angela

Regulamento para Obras nos Apartamentos do Condomínio Residencial Resort Santa Angela Regulamento para Obras nos Apartamentos do Condomínio Residencial Resort Santa Angela DAS NORMAS REGULAMENTARES 1. Todas as empresas prestadoras de serviço, seus funcionários, representantes, são obrigados

Leia mais

LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares

LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares Lei 1620/1997 - Secretaria de Urbanismo e Controle Urbano - www.urbanismo.niteroi.rj.gov.br 0 Lei

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA LOTEAMENTO PRAIA DE JURERÊ VI ETAPA- A JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS/SC O presente programa contempla o conjunto de normas, diretrizes e condicionantes

Leia mais

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

REGULAMENTO DA HOTELARIA

REGULAMENTO DA HOTELARIA REGULAMENTO DA HOTELARIA I DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º. O presente Regulamento, aprovado pela Diretoria Executiva, rege o uso dos serviços de hotelaria disponibilizados pela AMAM aos Associados e seus

Leia mais

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO 1. Função do Síndico O síndico é aquele eleito pelos condôminos, por um período de até dois anos, para administrar e representar o condomínio, seja judicialmente

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001 LEIN 1.195/2001 Institui o Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Motocicletas de aluguel (Mototáxi) O Prefeito Municipal de Rio Brilhante, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA REGIMENTO INTERNO APROVADO / /. Araçoiaba da Serra - 2011

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA REGIMENTO INTERNO APROVADO / /. Araçoiaba da Serra - 2011 1 ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA REGIMENTO INTERNO APROVADO / /. Araçoiaba da Serra - 2011 2 Sumário Sumário... 2 CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO... 3 CAPÍTULO II - INGRESSO

Leia mais

DECRETO Nº 173. O DOUTOR JOAQUIM DUVAL, Prefeito de pelotas, usando das atribuições que lhe confere a Lei Orgânica do Município.

DECRETO Nº 173. O DOUTOR JOAQUIM DUVAL, Prefeito de pelotas, usando das atribuições que lhe confere a Lei Orgânica do Município. DECRETO Nº 173 Aprova o Regulamento dos Serviços da Limpeza Pública O DOUTOR JOAQUIM DUVAL, Prefeito de pelotas, usando das atribuições que lhe confere a Lei Orgânica do Município. DECRETA: Art. 1º - É

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO Art. 1. Este Regimento Interno tem por objetivo primordial a regulamentação das relações entre

Leia mais

REGIMENTO INTERNO MONTES CLAROS MINAS GERAIS

REGIMENTO INTERNO MONTES CLAROS MINAS GERAIS REGIMENTO INTERNO 2009 MONTES CLAROS MINAS GERAIS 1 CADASTRO DE CONDÔMINOS 1. Entende-se como condômino: 1.1. Pessoa que esteja residindo no apartamento. 1.2. Filhos (as) solteiros (as) do condômino, que

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS Gabinete do Prefeito Av. Cuia Mangabeira, 211 - Montes Claros - MG - CEP: 39.401-002

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS Gabinete do Prefeito Av. Cuia Mangabeira, 211 - Montes Claros - MG - CEP: 39.401-002 MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS Gabinete do Prefeito Av. Cuia Mangabeira, 211 - Montes Claros - MG - CEP: 39.401-002 LEI N 4.158, DE 07 DE OUTUBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE FEIRAS ITINERANTES E CONTÉM OUTRAS DISPOSIÇÕES.

Leia mais

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial Nome do empreendimento REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno estabelece normas de disciplina, procedimento, conduta e comportamento às quais estão obrigados todos os moradores e toda e qualquer

Leia mais

LEGISLAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR QUE DETERMINA "OBRIGATÓRIA" REALIZAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL POR PROFISSIONAL HABILITADO NO CREA

LEGISLAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR QUE DETERMINA OBRIGATÓRIA REALIZAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL POR PROFISSIONAL HABILITADO NO CREA LEGISLAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SALVADOR QUE DETERMINA "OBRIGATÓRIA" REALIZAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL POR PROFISSIONAL HABILITADO NO CREA Diário Oficial do Município ATOS DO PODER LEGISLATIVO LEI Nº 5.907/2001

Leia mais

CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS

CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS CONTROLE DE ACESSO DE PESSOAS E VEÍCULOS Procedimentos 1. Introdução Este documento visa regulamentar o controle de acesso e permanência de pessoas e veículos nas dependências dos Órgãos da SECRETARIA

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO SOCIAL E DE OBRAS DO LOTEAMENTO PAYSAGE NOBLE

REGULAMENTO INTERNO SOCIAL E DE OBRAS DO LOTEAMENTO PAYSAGE NOBLE 1- DIREITO DOS ASSOCIADOS ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS REGULAMENTO INTERNO SOCIAL E DE OBRAS DO LOTEAMENTO PAYSAGE NOBLE 1.1 - Usar, gozar e dispor de seu imóvel como lhe aprouver, desde que respeitadas

Leia mais

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS 4.1 Disposições gerais Art. 61 - A execução de obras, incluindo os serviços preparatórios e complementares, suas instalações e equipamentos, embora que temporários,

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH Projeto de Lei nº, de de de Institui o primeiro plano municipal de incentivo à construção civil, e dá outras providências. O PREFEITO DE SÃO LUÍS, Capital do Estado do Maranhão Faço saber a todos os seus

Leia mais

MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE

MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE Art. 1 A finalidade primordial deste Regimento Interno é consolidar conceitos, normas de procedimentos, horários

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO

MANUAL DO PROPRIETÁRIO MANUAL DO PROPRIETÁRIO O nosso bairro está inserido em Zona Exclusivamente Residencial e é classificado como Bolsão Residencial, conforme Decreto Municipal 4275/00. O Residencial Santapaula possui uma

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração LEI Nº. 5.126 De 04 de janeiro de 2007. Dispõe sobre a colocação e a permanência de caçambas para a coleta de resíduos inorgânicos nas vias e logradouros públicos do município de Ourinhos. A Câmara Municipal

Leia mais

Rua Engenheiro Niepce da Silva, 144, Portão, Curitiba PR, 80610-280 www.lejardinresidencial.com administrativo@lejardinresidencial.

Rua Engenheiro Niepce da Silva, 144, Portão, Curitiba PR, 80610-280 www.lejardinresidencial.com administrativo@lejardinresidencial. CIRCULAR Nº 003/2014 DATA: 15 de dezembro de 2014 ASSUNTO: LIBERAÇÃO, em caráter provisório, de parte das áreas comuns do condomínio, que foram aprovadas e recebidas da Cyrela. A Síndica do Condomínio

Leia mais

Regulamento do Alojamento Estudantil do Curso de Medicina da Universidade de Marília

Regulamento do Alojamento Estudantil do Curso de Medicina da Universidade de Marília Regulamento do Alojamento Estudantil do Curso de Medicina da Universidade de Marília I - Da Organização do Alojamento Artº 1º- A Gestão do Alojamento estudantil da Universidade de Marília é da competência

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015 O CONDOMÍNIO DAS CAMELIAS reger-se-á, para todos os efeitos de direito, pelo presente Regulamento Interno, Convenção condominial e pela Legislação federal, estadual e municipal em vigor, especialmente

Leia mais

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza Lei n.º 091-B/2002. Súmula: REGULAMENTA, DISCIPLINA O TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS EM MOTOCICLETAS DE ALUGUEL MOTO-TÁXI E DETERMINA A LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS, BEM COMO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS Eu,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 10, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 10, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 20/10/2010, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 19 do Estatuto, consubstanciado

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE USO DO

REGIMENTO INTERNO DE USO DO REGIMENTO INTERNO DE USO DO ANHEMBI TÊNIS CLUBE CAPÍTULO I DA FREQUÊNCIA E DA PERMANÊNCIA NA SEDE Art. 1º. Este regulamento trata da frequência, permanência e desenvolvimento de atividades esportivas,

Leia mais

SEÇÃO II DA TAXA DE LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTOS

SEÇÃO II DA TAXA DE LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTOS CAPÍTULO II DAS TAXAS DECORRENTES DO EXERCÍCIO DO PODER DE POLÍCIA ADMINISTRATIVA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 82 - As taxas de licença têm como fato gerador o exercício regular do poder de polícia

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHÉUS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 3.745, DE 09 DE OUTUBRO DE 2015.

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHÉUS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 3.745, DE 09 DE OUTUBRO DE 2015. LEI Nº 3.745, DE 09 DE OUTUBRO DE 2015. Dispõe sobre loteamento urbano fechado, condomínio horizontal fechado, responsabilidade do incorporador e loteador, concessão de uso e dá outras providências. O

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1 A Sociedade Residencial Quinta das Lagoas para todos os efeitos reger-se-á pelas disposições da Lei n. 4591 de 16/12/1964 e suas alterações posteriores,

Leia mais

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS DO CONDOMÍNIO FLORAIS CUIABÁ

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS DO CONDOMÍNIO FLORAIS CUIABÁ Srs. Condôminos, Arquitetos e Engenheiros. Assunto: Alterações no Regulamento de Normas Construtivas. Prezados senhores! Desde a entrada em vigor do REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS em

Leia mais

Helvetia Country Administrado pela Associação Helvetia Country Residencial

Helvetia Country Administrado pela Associação Helvetia Country Residencial Regulamento Interno Loteamento Fechado Helvetia Country Administrado pela Associação Helvetia Country Residencial Aprovado pela Assembléia Geral Extraordinária realizada no dia 14 de agosto de 2004, com

Leia mais

ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS

ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS Nome do Arquivo: Normas de utilização de Áreas de Lazer Última alteração: 18/09/2015 1. OBJETIVOS Estabelecer normas para utilização das áreas

Leia mais

Termo de Adesão Seven Gym Academia e Normas de Utilização. Por meio deste termo, você está contratando os serviços da Seven Gym Academia, nas

Termo de Adesão Seven Gym Academia e Normas de Utilização. Por meio deste termo, você está contratando os serviços da Seven Gym Academia, nas Termo de Adesão Seven Gym Academia e Normas de Utilização Por meio deste termo, você está contratando os serviços da Seven Gym Academia, nas condições aqui estipuladas. Serviços: A Seven Gym Academia presta

Leia mais

REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO

REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO A Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina é uma promoção e realização

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO CHÁCARA DOS PINHEIROS

REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO CHÁCARA DOS PINHEIROS 1 de 6 15/3/2010 21:05 REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO CHÁCARA DOS PINHEIROS I DISPOSIÇOES GERAIS 1 O Condomínio é regido pela Convenção de 19/12/1979 e pela lei 4.591 de 16 de dezembro de 1964. 2 Ao

Leia mais