INDÚSTRIA U M M U N D O D E S O L U Ç Õ E S

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INDÚSTRIA U M M U N D O D E S O L U Ç Õ E S"

Transcrição

1 U M M U N D O D E S O L U Ç Õ E S

2

3 ÍNDICE ELECTRICIDADE 04 CENTRO DE SEGURANÇA EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO 24

4 ELECTRICIDADE

5 05 A área de Electricidade tem um campo de actuação dividido na componente de inspecção e de controlo de qualidade de instalações e equipamentos, com as suas actividades repartidas por seis áreas principais Instalações em Serviço ELECTRICIDADE Auditorias, avaliações funcionais, inspecções técnicas e ensaios a instalações e equipamentos, nomeadamente: Subestações e postos de transformação Grupos geradores de emergência e sistemas de alimentação ininterrupta de energia (UPS's) ensaios em carga até 300 kw Rectificadores e baterias industriais medições e ensaios em serviço Quadros eléctricos e redes de distribuição de energia Baterias de condensadores Instalações de força motriz, de tomadas de uso geral e de iluminação Instalações e equipamentos de instrumentação e controlo Motores eléctricos de média e baixa tensão Relés directos e indirectos Cabos de média e baixa tensão Sistemas de protecção catódica Exames termográficos Análise da condição de equipamentos dinâmicos Sede: Carlos Tomás Tlm: Tlf: Fax: DN: Joaquim Rodrigues Tlm: Tlf: Fax

6 06 Novas Construções / Trabalhos de Remodelação ou Ampliação Análise e/ou revisão de Cadernos de Encargos e Especificações Análise e avaliação de propostas Análise e revisão de Projecto Controlo de qualidade, supervisão e fiscalização Recepção em fábrica e em estaleiro de materiais e equipamentos eléctricos Ensaios de pré-comissionamento Comissionamento, ensaios finais e vistorias para recepção Manutenção ELECTRICIDADE Colaboração com a Área de Manutenção do ISQ, nos seguintes aspectos relacionados com instalações e equipamentos eléctricos e de instrumentação: Levantamento do equipamento instalado Organização de Cadernos Técnicos Estabelecimento de rotinas de manutenção e de periodicidades Organização de Planos de Manutenção Sede: Carlos Tomás Tlm: Tlf: Fax: DN: Joaquim Rodrigues Tlm: Tlf: Fax

7 07 Segurança Eléctrica ELECTRICIDADE Inspecções e auditorias de segurança eléctrica a instalações e equipamentos, compreendendo: Medidas de resistência de terra Verificação da continuidade de terra e de ligações equipotenciais Ensaio de protecções diferenciais Medições e ensaios na área da electricidade estática Verificação da adequação de equipamentos eléctricos e de instrumentação em áreas classificadas ATEX Verificação de sistemas de protecção contra descargas atmosféricas Ensaio de equipamentos de utilização de energia eléctrica, verificando: Resistência de isolamento Continuidade de terra Consumo Realização de acções de formação em segurança eléctrica. Sede: Carlos Tomás Tlm: Tlf: Fax: DN: Joaquim Rodrigues Tlm: Tlf: Fax

8 08 Energia e Potência Medição e registo de todos os parâmetros de energia e potência eléctrica (tensão, corrente, corrente de arranque, potência, factor de potência, energia consumida, etc). Possibilidade de monitorização por períodos prolongados. Qualidade da Energia Eléctrica ELECTRICIDADE Análise e monitorização da qualidade da energia eléctrica segundo a norma NP EN 50160, utilizando equipamento da Classe A de precisão. Monitorização de perturbações e de transitórios em redes eléctricas Medição e registo da distorção harmónica da tensão e da corrente. Registo da forma de onda. Determinação da natureza e origem das distorções harmónicas Sede: Carlos Tomás Tlm: Tlf: Fax: DN: Joaquim Rodrigues Tlm: Tlf: Fax

9 CENTRO DE SEGURANÇA

10 10 CENTRO DE SEGURANÇA O Centro de Segurança reúne especialistas com competências em várias áreas técnicas para realizarem: Consultoria Auditorias Inspecções Estudos Ensaios Pareceres Técnicos Peritagens Especificações Técnicas Formação Organização dos Serviços de Segurança, Higiene e Saúde* no Trabalho (AUTORIZADA PELA ACT) Prestação na Modalidade de Serviços Externos Apoio Técnico (Consultoria) a Serviços Internos e Inter Empresas Ergonomia Postos de Trabalho Métodos de Trabalho Movimentação Manual de Cargas Máquinas / Equipamentos / Ferramentas * Cooperação com a SO - Intervenção em Saúde Ocupacional - Sede: Ana Dias Tlm: Tlf: Fax: DN: Maria João Gomes Tlm: Tlf: Fax

11 11 Segurança Industrial Auditoria / Diagnóstico da Segurança Avaliação dos Riscos Profissionais Análise de Riscos Tecnológicos Prevenção e Controlo de Acidentes que envolvem Substâncias Perigosas (Directiva SEVESO) Apoio à Implementação de Sistemas de Gestão da Segurança (NP 4397/OHSAS 18001) Diagnóstico da Funcionalidade / Operacionalidade do Sistema de Gestão da Segurança Análise de Acidentes Peritagens Teste ao Sistema de Autorizações de Trabalho Elaboração de Instruções e Autorizações de Trabalho, Manuais e Procedimentos de Segurança Elaboração de Cartas de Riscos por Posto de Trabalho Elaboração de Fichas de Dados de Segurança Resumo Elaboração / Verificação de Planos de Segurança e Saúde (PSS) Sinalização de Segurança Conselheiro de Segurança para o Transporte de Mercadorias Perigosas Plano de Protecção Radiológica CENTRO DE SEGURANÇA Sede: Ana Dias Tlm: Tlf: Fax: DN: Maria João Gomes Tlm: Tlf: Fax

12 12 Higiene Industrial Avaliação da Exposição a Agentes Químicos Classificação de Salas Limpas Conforto e Stress Térmico Níveis de Iluminação Ventilação Avaliação de Eficiência de Hottes Campos Electromagnéticos (Radiações Ionizantes e Não Ionizantes) Verificação Existência da Amianto e Avaliação da Concentração de Fibras no Ar Qualidade do Ar CENTRO DE SEGURANÇA Compostos Orgânicos Voláteis Totais (COVT's), Dióxido de Carbono (CO2), Monóxido de Carbono (CO) Formaldeído, Ozono Partículas Suspensas no Ar Conforto Térmico (índices PPV, PMV) Análises Microbiológicas do Ar (Fungos, bactérias, ácaros e Legionella Pneumophila) Inspecção de condutas com filmagem em fibra óptica Determinação de Caudais de Ar Auditoria aos equipamentos instalados em conformidade com o Decreto-Lei 79/2006 Ruído e Vibrações Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios Todas as análises e amostragens são realizadas por laboratórios acreditados. Sede: Ana Dias Tlm: Tlf: Fax: DN: Maria João Gomes Tlm: Tlf: Fax

13 13 CENTRO DE SEGURANÇA Segurança Contra Incêndio (SCI) Sistemas e Equipamentos de Detecção e/ou Extinção Especificações e Revisão de Projecto Inspecção / Acompanhamento de Execução em Obra e de Ensaios Auditorias Verificação/Inspecção das Condições de Segurança (Passiva e/ou Activa) Análise e Gestão do Risco de Incêndio Planos de Segurança Internos Registos de Segurança Instruções de Emergência Planos de Prevenção Planos de Emergência Acções de Formação Simulacros Estudos / Peritagens De acordo com o Regime Jurídico de Segurança contra Incêndio, normas nacionais e europeias, outros standards (ex.: NFPA). ATEX (Directivas 94/9/CE e 1999/92/CE, Decreto-Lei 236/2003) Análise do Risco de Explosão Classificação de Áreas Verificação da Adequação dos Equipamentos Inspecção de Equipamentos Eléctricos e de Instrumentação em Áreas Classificadas Manual de Protecção Contra Explosões Consultoria e Apoio Técnico na Instalação / Selecção de Equipamentos Análise das Características de Explosividade das Poeiras SCI: Cláudia Dias Tlm: Tlf: Fax ATEX: Joaquim Rodrigues Tlm: Tlf: Fax

14 14 Security Gestão de Risco Estudos, Auditorias e Concepção de Serviços de Segurança Elaboração de Memórias Descritivas e Cadernos de Encargos Revisão de Projecto e Documentação (ex.: Especificações Técnicas) Acompanhamento / Inspecção da Instalação de Sistemas Ensaios de Recepção de Sistemas e Equipamentos Verificação / Inspecção das Condições de Segurança (Security) da Instalação Elaboração / Actualização dos Planos de Contingência Licenciamento Industrial Enquadramento do regime de licenciamento industrial do estabelecimento e identificação da documentação necessária de acordo com o Regime de Exercício da Actividade industrial (REAI) aprovado pelo Decreto-Lei 209/2008 de 29 de Outubro Coordenação, organização e instrução do processo, incluindo a sua articulação com Licenciamentos Municipais conexos terraplenagem, construção e utilização até à obtenção da Licença ou Título de Exploração Articulação dos contactos com as Entidades Oficiais envolvidas Fornecimento dos serviços necessários à instrução do processo de licenciamento, nomeadamente: Diagnósticos ambientais de conformidade legal, apoio no processo de Licença Ambiental, estudos de impacte ambiental, prevenção e controlo integrados da poluição, gestão de resíduos perigosos, estudos de ruído ambiente, etc. Realização de estudos específicos identificação de perigos e definição das respectivas medidas de controlo, prevenção e controlo de acidentes que envolvam substâncias perigosas (SEVESO II), segurança contra incêndio, atmosferas explosivas (ATEX), elaboração de planos de segurança e saúde (PSS em fase de projecto e em fase de obra Análise de cadernos de encargos ou outra documentação técnica Gestão e fiscalização de obras Outros licenciamentos conexos equipamentos sob pressão, reservatórios de combustível, electricidade, etc. CENTRO DE SEGURANÇA Ana Dias Tlm: Tlf: Fax:

15 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO

16 16 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO A área de Equipamentos sob Pressão é constituída por um conjunto de técnicos altamente qualificados e oferece um variado leque de serviços de inspecção, que vão desde a avaliação do estado dos equipamentos, passando pela aprovação de instalações, até à avaliação de sistemas da qualidade de empresas projectistas e fabricantes de equipamentos. Incorpora ainda o Laboratório acreditado para calibração de válvulas de segurança e o Laboratório de Verificação Metrológica de Reservatórios de Armazenagem. Esta área de actividade disponibiliza serviços de inspecção adaptados à necessidade e dimensão de cada empresa, cumprindo os requisitos legais aplicáveis e garantindo desta forma qualidade e segurança de pessoas e equipamentos. A actividade é desenvolvida maioritariamente no âmbito legal, sendo suportada pelas acreditações concedidas pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC), de acordo com as regras do Sistema Português da Qualidade, e cumprindo os referenciais normativos EN ISO/IEC e NP EN ISO/IEC A área de Equipamentos sob Pressão possui a notificação, no âmbito das Directivas 87/404/CEE (Equipamentos sob pressão simples), 97/23/CE (Equipamentos sob pressão) e 99/36/CE (Equipamentos sob pressão transportáveis), com o n.º 0028 e o reconhecimento como Organismo de Inspecção Sectorial para a inspecção de equipamentos sob pressão (Decreto-Lei 97/2000), de equipamentos para o transporte de mercadorias perigosas (RPE/ADR e RPF/RID) e de instalações de armazenamento e de postos de abastecimento de combustíveis (PAC/IAC). Os responsáveis desta área colaboram ainda em actividades relacionadas com a normalização, tais como a participação em Comissões Técnicas, e têm assento na Comissão Nacional do Transporte de Mercadorias Perigosas (CNTMP) e no Fórum de Organismos Notificados (para as Directivas 97/23/CE e 87/404/CEE). Sede: Mário Sapatinha Tlm: Tlf: Fax: DN: Pedro Silva Tlm: Tlf: Fax:

17 17 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO Reservatórios Sob Pressão Simples - RSPS (Directiva 87/404/CEE) A construção de reservatórios destinados ao armazenamento de ar comprimido e azoto está regulamentada pela Directiva 87/404/CEE. Estão no âmbito desta Directiva os reservatórios com uma pressão vezes volume compreendidos entre 50 e bar.litro. O ISQ tem o reconhecimento como Organismo Notificado (n.º 0028), prestando aos fabricantes os serviços necessários à marcação CE, em conformidade com os requisitos legais aplicáveis, nomeadamente: Exame CE de Tipo Verificação da Conformidade da Documentação Técnica de Fabrico Verificação CE Vigilância CE Equipamentos Sob Pressão (Directiva 97/23/CE, PED) Desde 2002 que a construção de equipamentos sob pressão requer a marcação CE dentro da Comunidade Europeia, tendo sido criada para o efeito a Directiva 97/23/CE (Decreto-Lei 211/99), que define os requisitos aplicáveis em função das características dos equipamentos e fluidos neles contidos, sendo que qualquer equipamento com uma pressão máxima de serviço superior a 0,5 bar está abrangido. Controlo interno do fabrico com vigilância da verificação final Exame CE de Tipo e Exame CE de Projecto Conformidade com o Tipo Auditorias (garantia da qualidade da produção e dos produtos e garantia total da qualidade) Verificação Unitária CE Sede: Mário Sapatinha Tlm: Tlf: Fax: DN: Pedro Silva Tlm: Tlf: Fax:

18 18 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO Equipamentos Sob Pressão (ESP) - Decreto-Lei 97/2000 O Decreto-Lei 97/2000 (Regulamento de Instalação, Funcionamento, Reparação e Alteração de Equipamentos sob Pressão) define os requisitos técnicos aplicáveis a ESP's construídos de acordo com as Directivas 97/23/CE e 87/404/CEE. Também prevê a legalização de equipamentos usados em situação não regularizada. Estão abrangidos, entre outros, os seguintes equipamentos sob pressão: Depósitos para ar comprimido Reservatórios hidropneumáticos Geradores de vapor Geradores de água sobreaquecida Geradores de termo fluido Reservatórios para GPL Equipamentos sob pressão criogénicos Reservatórios de amoníaco Tubagens Outros equipamentos sob pressão O ISQ realiza inspecções técnicas a equipamentos e instalações e assiste à realização das provas de pressão onde aplicável, no âmbito das seguintes actividades: Aprovação de Projectos de Reparação e Alteração Aprovação de Reparações e Alterações Inspecções de Aprovação de Instalações e Autorização de Funcionamento Renovações de Autorizações de Funcionamento Assistência à realização de Provas de Pressão e outros Ensaios Inspecções Intercalares Pareceres Técnicos para legalização de equipamentos e instalações Sede: Rui Mendes Tlm: Tlf: Fax: DN: Pedro Silva Tlm: Tlf: Fax:

19 19 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO Equipamentos para o transporte de mercadorias perigosas RPE/ADR e RPF/RID O ISQ realiza as actividades de inspecção em equipamentos para o transporte de mercadorias perigosas, englobando as seguintes actividades: Verificação de projecto Inspecções de construção Aprovação de reparações e alterações Inspecções periódicas Equipamentos sob pressão transportáveis (Directiva 99/36/CE, TPED) O ISQ tem o reconhecimento como Organismo Notificado (n.º 0028), prestando aos fabricantes e utilizadores, os serviços necessários à marcação ð, em conformidade com os requisitos legais aplicáveis, o que possibilita a livre circulação dos equipamentos em toda a CE. Controlo interno do fabrico com vigilância da verificação final Exame CE de Tipo e Exame CE de Projecto Conformidade com o Tipo Auditorias (garantia da qualidade da produção e dos produtos e garantia total da qualidade) Verificação Unitária CE Reavaliação da conformidade Inspecções periódicas Equipamentos no âmbito do RPE/ADR, RPF/RID e TPED Cisternas, cisternas-desmontáveis, vagões-cisternas e contentores-cisternas Veículos-bateria e vagões-bateria Garrafas e quadros de garrafas para gases Tubos Tambores sob pressão Recipientes criogénicos CGEM (Contentores para Gás de Elementos Múltiplos) Grandes Recipientes para Granel (GRG) só RPE/ADR e RPF/RID Sede: Mário Sapatinha Tlm: Tlf: Fax: DN: Paulo Gomes Tlm: Tlf: Fax:

20 20 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO Calibração de válvulas de segurança Fundado em 1994, o Laboratório de Válvulas (LABVALV) encontra-se acreditado pelo IPAC, desde 2005, como laboratório de ensaios segundo a norma NP EN ISO/IEC 17025, realizando os seus ensaios de acordo com normas consensuais na indústria mundial de válvulas, nomeadamente a norma API 527. Válvulas de Segurança com ar de 0 a 400 bar e hidrostáticos de 0 a 600 bar Válvulas de Segurança Pilotadas Válvulas de Vácuo Válvulas de Pressão e Vácuo Válvulas de Seccionamento Válvulas de Controlo Sistemas Integrados de Manutenção Pré-teste Desmontagem Inspecção Reparação Montagem Ensaios Certificados e Relatórios TREVITEST A desmontagem das válvulas do seu local de operação pode ser uma operação de elevada complexidade técnica, um processo moroso e com custos elevados. O sistema de Trevitest permite testar válvulas de segurança, segurança/alívio e alívio online e in situ sem o oneroso custo de desmontar a válvula do local ou parar a instalação. Sede: José Paixão Tlm: Tlf: Fax: DN: Augusto Silva Tlm: Tlf: Fax:

21 21 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO Vantagens e aplicações do Trevitest Determinação e avaliação precisa da pressão de abertura da válvula As válvulas poderão ser testadas com a fábrica no seu funcionamento normal ou a frio Os níveis de ruído são reduzidos consideravelmente Utilização de transdutores de elevada precisão Utilização de um sistema integrado de medição da pressão na linha/equipamento Aprovação ATEX EEx II Um sistema de elevada segurança permite o fecho da válvula, caso a mesma abra espontaneamente durante os ensaios Permite a determinação das válvulas que efectivamente necessitam de ser reparadas A possibilidade de danificação durante os testes convencionais, isto é, erosão da sede da válvula ou falta de água nos tubos da caldeira, é reduzida consideravelmente GESTÃO DA MANUTENÇÃO O Laboratório de Válvulas disponibiliza um sistema de gestão da manutenção de válvulas de segurança designado por GEDIS, desenvolvido para assistir os nossos clientes no armazenamento, monitorização e manutenção das Válvulas de Segurança, Segurança / Alívio e Alívio. Este sistema permite o arquivo em formato electrónico de todo o inventário das válvulas e informação pormenorizada quanto à sua manutenção. Este sistema inclui: Identificação e marcação de todas as válvulas de segurança Sistema de codificação de válvulas Organização dos cadernos técnicos Gestão da informação Relatórios Análise de compatibilidade Optimização e planeamento das peças de reserva Estudos de intermutabilidade Acesso à informação online Sede: José Paixão Tlm: Tlf: Fax: DN: Augusto Silva Tlm: Tlf: Fax:

22 22 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO Metrologia legal de tanques Criado em 2005, o LABVOLUME - Laboratório de Verificação Metrológica de Reservatórios de Armazenamento, acreditado pelo IPAC desde 2008, como laboratório de ensaios segundo a norma NP EN ISO/IEC 17025, realiza os seus ensaios de acordo com as normas ISO e API, no cumprimento da legislação aplicável e das recomendações OIML. Equipamentos e métodos acreditados Reservatórios Cilíndricos Método volumétrico ISO 4269:2001 Horizontais Reservatórios Cilíndricos Métodos manuais ISO :2002 Horizontais Reservatórios Cilíndricos Método circunscrição ISO :2003 Verticais com fita métrica Reservatórios Cilíndricos Método electro-óptico ISO :1995 Verticais interno Reservatórios Cilíndricos Método óptico de ISO :2005 Verticais circunferência de referência Reservatórios Cilíndricos Método volumétrico ISO 4269:2001 Verticais Reservatórios Esféricos Método volumétrico ISO 4269:2001 Reservatórios Esféricos Métodos manuais API 2552:1996 Este Laboratório do ISQ dispõe de uma vasta experiência de trabalho neste domínio, quer a nível nacional, quer internacional, tendo-lhe já sido atribuída anteriormente acreditação neste âmbito. Rui Mendes Tlm: Tlf: Fax:

23 23 EQUIPAMENTOS SOB PRESSÃO Instalações de Armazenamento de Combustíveis e Postos de Abastecimento de Combustíveis O ISQ foi uma das primeiras entidades a ser reconhecida pela Direcção Geral de Geologia e Energia (DGGE) e acreditada pelo Instituto Português de Acreditação como Entidade Inspectora de Instalações de Combustíveis derivados do Petróleo (EIC). Inspecções periódicas Peritagens, relatórios e pareceres sobre matérias abrangidas pela regulamentação de segurança Colaboração com as entidades licenciadoras no que diz respeito ao licenciamento e fiscalização, nomeadamente na análise técnica de projectos Vistorias (iniciais, finais) e reclamações Áreas de intervenção Apoio ao licenciamento Vistorias iniciais, finais e extraordinárias Fiscalização Aprovação de construção de reservatórios Inspecções periódicas O ISQ EIC emite um parecer / certificado onde constará o resultado da análise e determinará a conformidade dos elementos avaliados com os requisitos aplicáveis. Sandra Fernandes Tlm: Tlf: Fax:

24 MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO

25 25 MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO A área de Máquinas, Elevadores e Equipamentos de Trabalho tem no seu campo de intervenção a componente de Entidade Inspectora e Entidade Acreditada / Organismo Notificado para um conjunto de serviços associados à avaliação das condições de segurança e marcação CE de instalações, máquinas, equipamentos, elevadores e sistemas de transporte de pessoas por cabo. Reúne especialistas com competências em várias áreas técnicas: Inspecção Consultoria Auditorias Peritagens Ensaios Pareceres Técnicos Estudos Especificações Técnicas Formação A actividade desenvolvida no âmbito legal é suportada pela acreditação concedida pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC), de acordo com os referenciais normativos em vigor, sendo a área Máquinas, Elevadores e Equipamentos de Trabalho ORGANISMO NOTIFICADO 0028, ENTIDADE ACREDITADA e / ou ENTIDADE INSPECTORA para as áreas regulamentares de intervenção DIRECTIVA MÁQUINAS Intervenção como Organismo Notificado / Entidade Acreditada para as máquinas listadas no Anexo IV da Directiva Máquinas Apoio técnico a fabricantes na integração dos requisitos essenciais de segurança em máquinas com vista à marcação CE Verificação inicial da conformidade dos requisitos de segurança na recepção de equipamentos Análise de riscos a máquinas e equipamentos Apoio na elaboração de dossiers técnicos de fabrico Apoio na elaboração de documentação técnica (manuais, procedimentos, etc.) Natália Ribeiro Tlm: Tlf: Fax:

26 26 MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO DIRECTIVA EQUIPAMENTOS DE TRABALHO Verificação da conformidade dos equipamentos de trabalho em serviço, para todos os sectores de actividade: metalúrgico e metalomecânico, energia, construção civil, indústria alimentar, indústria química, indústria automóvel, restauração, etc. Esta verificação constitui uma inspecção aos componentes mecânicos e eléctricos com execução dos ensaios aplicáveis (ensaios funcionais, de fiabilidade dos sistemas de segurança, eléctricos, de carga, etc.) Áreas de intervenção Apoio na definição de soluções técnicas para a integração de segurança em equipamentos de trabalho Apoio na elaboração de procedimentos de inspecção e ensaios Peritagens técnicas COMÉRCIO DE MÁQUINAS EM 2ª MÃO Intervenção como Organismo Notificado na verificação das prescrições mínimas de segurança e saúde relativas às máquinas usadas, aquando da sua comercialização. EQUIPAMENTOS DE DIVERSÃO Verificação e inspecção das condições de segurança associadas aos equipamentos, em conformidade com a legislação em vigor. Natália Ribeiro Tlm: Tlf: Fax:

27 27 MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO INSPECÇÃO E ENSAIO DE CABOS DE AÇO Análise documental Inspecção dimensional Inspecção visual Defeitos superficiais Defeitos internos Estrutura de defeitos Geometria de defeitos Deslizamento das fixações (end fixing) Teste magnético do cabo (MRT) Equipamento de ensaio INTROS - ensaios não destrutivos in situ a: Elevadores (ascensores e monta-cargas) Teleféricos e Funiculares Equipamentos de elevação de cargas Pontes Minas e todo o tipo de equipamentos industriais similares José Gomes Ferreira Tlm: Tlf: Fax:

28 28 MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO INSTALAÇÕES POR CABO PARA O TRANSPORTE DE PESSOAS Prestação de serviços de avaliação da conformidade das instalações por cabo para o transporte de pessoas, de acordo com os requisitos essenciais em matéria de segurança, numa perspectiva abrangente que contempla todas as fases do ciclo de um empreendimento, desde a fase de concepção, construção, colocação em serviço até à exploração e fiscalização das instalações. Tipo de instalações Funiculares Teleféricos Telesquis José Gomes Ferreira Tlm: Tlf: Fax:

29 29 MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO Actividades desenvolvidas Fase A - Concepção Análise e validação da conformidade da instalação com o projecto Análise e validação do relatório de segurança Análise e validação dos Planos de inspecção e ensaios Fase B - Construção Fiscalização e supervisão dos trabalhos de construção das instalações Comissionamento da instalação Verificação da conformidade da instalação com a legislação em vigor Fase C Exploração e Manutenção Avaliação da conformidade da instalação com a legislação em vigor Inspecções técnicas das instalações Dispositivos de segurança Análise da condição dos cabos de aço Análise do estado de condição dos equipamentos Auditorias e Peritagens José Gomes Ferreira Tlm: Tlf: Fax:

30 30 MÁQUINAS, ELEVADORES E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO ASCENSORES, MONTA-CARGAS, TAPETES ROLANTES E ESCADAS MECÂNICAS Objectivo Verificar a conformidade dos ascensores instalados com o Regulamento de Segurança de Elevadores e demais legislação aplicável Câmaras Municipais Implementação e Gestão Técnica e Administrativa do sistema de fiscalização Realização de inspecções periódicas, reinspecções e inspecções extraordinárias Realização de peritagens a acidentes Condomínio Efectuar a avaliação da conformidade dos ascensores, como Organismo Notificado no âmbito da Directiva Ascensores Análise técnica de propostas Verificações das condições técnicas dos equipamentos Acompanhamento de obra Recepção Final O ISQ é reconhecido como: Entidade inspectora (desde 1998) - DGEG Organismo Notificado ON 0028 para a Directiva Ascensores (95/16/CE de 29 de Junho / Decreto-Lei 295/98 de 22 de Setembro) - IPQ Organismo Sectorial de Inspecção - IPAC Carlos Rui Ramos Tlm: Tlf: Fax:

31

32

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

Direcção Regional da Economia do Norte Meios de prevenção de acidentes com equipamentos sob pressão

Direcção Regional da Economia do Norte Meios de prevenção de acidentes com equipamentos sob pressão Direcção Regional da Economia do Norte Meios de prevenção de acidentes com equipamentos sob pressão Porto, 15 de Maio de 2010 Paulo Jorge Beja Sardo de Sousa Patrício patricio@drn.min-economia.pt OBJECTIVO

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis

LEGISLAÇÃO BÁSICA. Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis LEGISLAÇÃO BÁSICA Especificações GPL Portaria nº 867/89, de 7 de Outubro Determina quais devem ser os parâmetros para caracterizar os gases combustíveis Portaria nº 348/96, de 8 de Agosto Estabelece as

Leia mais

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução.

SGA. Introdução. Qualidade SGA ISO 14001. SGA por Níveis. Sistemas. Integrados. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática SGA. Introdução. por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Legislação aplicada no âmbito de S.H.S.T. Prescrições mínimas de segurança e saúde sobre os componentes materiais do Trabalho

Leia mais

S ão as pessoas, não as empresas, que fazem a qualidade do serviço.

S ão as pessoas, não as empresas, que fazem a qualidade do serviço. S ão as pessoas, não as empresas, que fazem a qualidade do serviço. Qualidade Ambiente Segurança A Quambis é uma empresa do Grupo Sondar, que tem como principal finalidade prestar um serviço integrado

Leia mais

TÉCNICOS. CURSO de TÉCNICAS DE GESTÃO DE ENERGIA

TÉCNICOS. CURSO de TÉCNICAS DE GESTÃO DE ENERGIA TÉCNICOS CURSO de TÉCNICAS DE GESTÃO DE ENERGIA A utilização racional de energia (URE) visa proporcionar o mesmo nível de produção de bens, serviços e níveis de conforto através de tecnologias que reduzem

Leia mais

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6)

TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO (NÍVEL 6) Objectivos do Curso No final da acção, os formandos deverão ser capazes de: Colaborar na definição da política geral da empresa relativa à

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume II Locais e Postos de trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS EMPRESAS DE BETÃO PRONTO

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS EMPRESAS DE BETÃO PRONTO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS EMPRESAS DE BETÃO PRONTO CATÁLOGO DE SERVIÇOS... um parceiro fiável. INTRODUÇÃO 2 A APEB Associação Portuguesa das Empresas de Betão Pronto, é uma associação empresarial sem fins

Leia mais

CICLO DE FORMAÇÕES CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PROJECTO EM CONTROLO E APLICAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS. Em parceria com as empresas/entidades:

CICLO DE FORMAÇÕES CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PROJECTO EM CONTROLO E APLICAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS. Em parceria com as empresas/entidades: CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PROJECTO EM CONTROLO E APLICAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS CICLO DE FORMAÇÕES 2012 Em parceria com as empresas/entidades: c/a participação de formadores da EDP 1 Conteúdo Ciclo de

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS: Módulo I - Noções de Estatística e Fiabilidade (30 Horas)! Obtenção, análise e classificação de amostras;! Tratamento

Leia mais

O reconhecimento como uma referência na área de consultadoria em engenharia em Portugal.

O reconhecimento como uma referência na área de consultadoria em engenharia em Portugal. VISÃO & MISSÃO VISÃO O reconhecimento como uma referência na área de consultadoria em engenharia em Portugal. MISSÃO Actuar junto de empresas industriais, de serviços, estabelecimentos de ensino, empresas

Leia mais

SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA

SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA Ciclo de melhoria contínua conhecido como Ciclo PDCA (Plan-Do-Check-Act) EMAS METODOLOGIA FASEADA DE IMPLEMENTAÇÃO FASEADA DO EMAS In, APA,

Leia mais

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal

Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis. Enquadramento Legal AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis - Obrigações Gerais do Empregador SERVIÇOS DE ENGENHARIA/SEGURANÇA AICCOPN - 07 de Junho de

Leia mais

Planeamento e Gestão da Emergência Que Abordagens? Gestão da Emergência Ambiental

Planeamento e Gestão da Emergência Que Abordagens? Gestão da Emergência Ambiental Planeamento e Gestão da Emergência Que Abordagens? Gestão da Emergência Ambiental Ricardo Lopes Ferro Outubro 2010 Planeamento e Gestão da Emergência Que Abordagens? Gestão da Emergência Ambiental Apresentação

Leia mais

Perspectiva da Autoridade de Fiscalização de Mercado

Perspectiva da Autoridade de Fiscalização de Mercado Perspectiva da Autoridade de Fiscalização de Mercado Sarogini Monteiro NATUREZA JURÍDICA DA ASAE Serviço central da administração directa do Estado dotado de autonomia administrativa Órgão de Polícia Criminal

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA. arlindo.louro@iep.pt

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA. arlindo.louro@iep.pt SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA arlindo.louro@iep.pt Instalações instituto electrotécnico português Matosinhos Rua de S. Gens, 3717 4460-409 Senhora da Hora Tel.: 229570000/15 Fax: 229530594 e-mail:com@iep.pt

Leia mais

O importante: o ser humano Consultadoria e Engenharia de Segurança

O importante: o ser humano Consultadoria e Engenharia de Segurança O importante: o ser humano Consultadoria e Engenharia de Segurança Soluções seguras para a sua indústria Soluções seguras para a indústria. Referências Legais e Standards Técnicos. Assumimos responsabilidades

Leia mais

ELECTRICIDADE DOS AÇORES, S.A. ANÚNCIO DE CONCURSO

ELECTRICIDADE DOS AÇORES, S.A. ANÚNCIO DE CONCURSO ELECTRICIDADE DOS AÇORES, S.A. ANÚNCIO DE CONCURSO SECÇÃO I: ENTIDADE ADJUDICANTE I.1) DESIGNAÇÃO, ENDEREÇOS E PONTOS DE CONTACTO Designação Oficial: ELECTRICIDADE DOS AÇORES, S.A. Endereço postal: RUA

Leia mais

SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica complementar para conjuntos processuais de equipamentos sob pressão. TEXTO INTEGRAL

SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica complementar para conjuntos processuais de equipamentos sob pressão. TEXTO INTEGRAL DATA: 12 de Junho de 2007 NÚMERO: 112 SÉRIE II EMISSOR: Ministério da Economia e Inovação DIPLOMA / ACTO: Despacho nº 11 551/2007 SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica complementar para conjuntos processuais

Leia mais

Conteúdos: 1 Psicossociologia do Trabalho (25 horas)

Conteúdos: 1 Psicossociologia do Trabalho (25 horas) : 1 Psicossociologia do Trabalho (25 horas) Objectivo(s): Aplicar técnicas e métodos de avaliação dos factores psicossociais. Proceder a nível psicossocial a alterações na organização do trabalho ou no

Leia mais

Raquel Azevedo Oliveira Almeirante Rua Dr. António Carlos Ferreira Soares, nº25, 2ºesq

Raquel Azevedo Oliveira Almeirante Rua Dr. António Carlos Ferreira Soares, nº25, 2ºesq Curriculum Vitae Informação pessoal Nome Morada Código Postal Correio(s) Electrónico(s) Raquel Azevedo Oliveira Almeirante Rua Dr. António Carlos Ferreira Soares, nº25, 2ºesq 4520 Santa Maria da Feira

Leia mais

Anexo I. Seguros obrigatórios de acidentes pessoais. Montante global dos capitais seguros a 31.12.2007 (em euros)

Anexo I. Seguros obrigatórios de acidentes pessoais. Montante global dos capitais seguros a 31.12.2007 (em euros) Anexo I Seguros obrigatórios de acidentes pessoais Seguro N.º de contratos em vigor a (1.) Aluno (2.) Aprendiz (3.) Atleta de alta competição (4.) Bolseiro de investigação (5.) Bombeiro municipal ou voluntário

Leia mais

Guia para a elaboração de Estudos de Segurança contra Incêndio em Edifícios Hospitalares G 02/2006

Guia para a elaboração de Estudos de Segurança contra Incêndio em Edifícios Hospitalares G 02/2006 Guia para a elaboração de Estudos de Segurança contra Incêndio em Edifícios Hospitalares G 02/2006 Ficha técnica Número G 02/2006 Data de aprovação JUL 2006 Data de publicação JUL 2006 Data última revisão

Leia mais

Benefícios da Certificação para a Administração Pública

Benefícios da Certificação para a Administração Pública Benefícios da Certificação para a Administração Pública Hélder Estradas, 7 de Maio de 2008 Agenda 1 - Resumo Histórico da Certificação em Portugal; 2 - Vantagens da Certificação; 3 - Processo de Certificação.

Leia mais

Fórum Eficiência Energética

Fórum Eficiência Energética Fórum Eficiência Energética A Visão do Auditor Aspectos a Considerar Luís Coelho Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal) - IPS OBJECTIVOS: Apresentar os aspectos mais importantes da intervenção

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

CURSO: TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA NO TRABALHO CARGA HORÁRIA: 540 Horas (420 h em sala + 120 h em contexto de trabalho)

CURSO: TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA NO TRABALHO CARGA HORÁRIA: 540 Horas (420 h em sala + 120 h em contexto de trabalho) Destinatários/Público-alvo: Activos com qualificação de nível superior (Licenciatura ou Bacharelato), que tenham interesse e motivação pelas actividades de Segurança e Higiene do Trabalho, considerando-se,

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

Examen de teste: Segurança Básica (BE)

Examen de teste: Segurança Básica (BE) Examen de teste: Segurança Básica (BE) Série: Examen de teste (BE) Leia atentamente as instruções apresentadas abaixo! Este exame é constituído por 40 perguntas de escolha múltipla. A seguir a cada pergunta

Leia mais

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 162 (Janeiro/Fevereiro de 2006) KÉRAMICA n.º 282 (Janeiro/Fevereiro de 2007)

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 162 (Janeiro/Fevereiro de 2006) KÉRAMICA n.º 282 (Janeiro/Fevereiro de 2007) TÍTULO: Agentes Físicos - Vibrações AUTORIA: Paula Mendes PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 162 (Janeiro/Fevereiro de 2006) KÉRAMICA n.º 282 (Janeiro/Fevereiro de 2007) INTRODUÇÃO O Decreto-Lei n.º 46/2006,

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor:

MANUAL DA QUALIDADE. Pág. 1 de 15. Actuar. Verifica r. Data: 09/05/2011 Edição: 01 Revisão: 00 Entrada em vigor: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 1 de 15 Planear Realizar Actuar Verifica r Rubrica: Rubrica: MANUAL DA QUALIDADE Pág. 2 de 15 INDICE: CAP. 1 - MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE 1.1. - Objectivo 1.2. - Âmbito e exclusões

Leia mais

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares.

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares. Guia para Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares ET 08/2010 V. 2013 ACSS Administração Central do Sistema de Saúde, IP ACSS ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos

Leia mais

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa Vencemos juntos Apresentação da Empresa @ 2014 Quem Somos Missão Fornecer ferramentas e recursos, que juntos, colmatam as necessidades dos nossos Clientes tornando-os mais competitivos e eficazes. Visão

Leia mais

Guia de Apoio à Realização de Inspecções Ambientais

Guia de Apoio à Realização de Inspecções Ambientais Guia de Apoio à Realização de Inspecções Ambientais 1-Introdução As inspecções ambientais são o garante da implementação e cumprimento da legislação ambiental por parte das empresas que exercem actividades

Leia mais

Ar Interior em Edifícios Qualidade do Ar Interior. Dília Jardim MUNICÍPIOS E CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS 18 de Junho de 2009

Ar Interior em Edifícios Qualidade do Ar Interior. Dília Jardim MUNICÍPIOS E CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS 18 de Junho de 2009 Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior em Edifícios Qualidade do Ar Interior Dília Jardim MUNICÍPIOS E CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS 18 de Junho de 2009 Qualidade do Ar Fontes de

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

Formação. Curso 015_862 TÉCNICO/A SUPERIOR DE SEGURANÇA, HIGIENE DO TRABALHO

Formação. Curso 015_862 TÉCNICO/A SUPERIOR DE SEGURANÇA, HIGIENE DO TRABALHO Curso 015_862 TÉCNICO/A SUPERIOR DE SEGURANÇA, HIGIENE DO TRABALHO Objectivos Assegurar a implementação e desenvolvimento, nos locais de trabalho, de serviços de prevenção e de protecção contra riscos

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir bases técnicas para a elaboração de Plantas de Emergência, em suporte de papel ou em suporte digital, conforme a legislação

Leia mais

GUIA DE CERTIFICAÇÃO NP 4413:2006

GUIA DE CERTIFICAÇÃO NP 4413:2006 GUIA DE CERTIFICAÇÃO NP 4413:2006 Índice 1.NOTA INTRODUTÓRIA... 4 2. VANTAGENS DA CERTIFICAÇÃO... 4 3. REQUISITOS DE SISTEMA PARA A CERTIFICAÇÃO DO SERVIÇO DE MANUTENÇÃO DE EXTINTORES... 6 3.1 ORGANIZAÇÃO

Leia mais

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração www.apcer.pt AGENDA Apresentação APCER Desenvolvimento ERS3002 Conteúdo da ERS3002 Metodologias de auditorias Associação constituída em Abril 1996

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 11 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Indicar os critérios gerais que caracterizam os sinais de segurança aplicáveis em SCIE. Listar os sinais específicos exigidos no RT-SCIE,

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 04/SI/2012 Índice Condições de Elegibilidade do Promotor... 3 Condições

Leia mais

ENSAIOS E MEDIÇÕES UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DO SECTOR METALOMECÂNICO

ENSAIOS E MEDIÇÕES UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DO SECTOR METALOMECÂNICO ENSAIOS E MEDIÇÕES UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DO SECTOR METALOMECÂNICO Ordem dos Engenheiros Junho de 2015 Pedro Castro 1 Índice 1. Apresentação 2. A nossa missão 3. Dados

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública. www.apcer.pt

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública. www.apcer.pt Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública www.apcer.pt Hélder Estradas 4 de Novembro de 2005 QUEM SOMOS Constituída em Abril de 1996 (IPQ, AIPortuguesa AIPortuense, actual

Leia mais

Calendário Formação 2011

Calendário Formação 2011 ÁREA: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade IS0 9001:2008 16 HORAS 21 FEV 22 FEV LISBOA 21 MAR 22 MAR LISBOA 16 MAI 17 MAI PORTO 10 OUT 11 OUT LISBOA 14 NOV

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

Normas Europeias para Projecto de Estruturas Metálicas

Normas Europeias para Projecto de Estruturas Metálicas CENFIM, Trofa 6 de Maio de 2014 Normas Europeias para Projecto de Estruturas Metálicas Rui Ferreira Alves O Sector da Construção no contexto da União Europeia Sector estratégico: relevante para promover

Leia mais

Controlo Metrológico de instrumentos de medição e registo de temperatura Aspectos práticos do controlo metrológico

Controlo Metrológico de instrumentos de medição e registo de temperatura Aspectos práticos do controlo metrológico Controlo Metrológico de instrumentos de medição e registo de temperatura Aspectos práticos do controlo metrológico 1 A Metrologia no ISQ ISQ Breve Apresentação 1965: Instituto de Soldadura (IS) 1985: Transformação

Leia mais

Equipamento: Chiller

Equipamento: Chiller Equipamento: Chiller Limpeza/lavagem de condensadores Medições e registos de temperatura e pressões de água Medição e registo de consumos dos compressores, reajustes dos térmicos, medições e registos de

Leia mais

A qualidade dos recursos humanos, equipamentos e infraestruturas como garantia da qualidade de acesso dos utilizadores do serviço universal.

A qualidade dos recursos humanos, equipamentos e infraestruturas como garantia da qualidade de acesso dos utilizadores do serviço universal. A qualidade dos recursos humanos, equipamentos e infraestruturas como garantia da qualidade de acesso dos utilizadores do serviço universal. Uma breve introdução O Instituto Electrotécnico Português (IEP)

Leia mais

APCER. Associação Portuguesa de Certificação. www.apcer.pt

APCER. Associação Portuguesa de Certificação. www.apcer.pt APCER Associação Portuguesa de Certificação www.apcer.pt CERTIFICAÇÃO UM PASSO PARA A EXCELÊNCIA VANTAGENS: Cultura Organizacional; Confiança; Reconhecimento; Valor Acrescentado. QUEM SOMOS Constituída

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 04/SI/2010 1 Índice Tipologias de Investimento... 3 Condições de Elegibilidade

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL

GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL DOS MÓDULOS GESTÃO DA QUALIDADE, AMBIENTE, SHST E RESPONSABILIDADE SOCIAL Criar competências que possibilitem a utilização da Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança e Responsabilidade Social como uma

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Segurança e Higiene no Trabalho Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO

Leia mais

Ambiente Qualidade Metrologia Gás TIC S

Ambiente Qualidade Metrologia Gás TIC S Ambiente Qualidade Metrologia Gás TIC S AMBIENTE LICENCIAMENTO INDUSTRIAL E LICENÇA AMBIENTAL Conhecimentos sobre o processo de licenciamento industrial e respectiva metodologia associada; - Informação

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Economia e da Inovação - Gabinete do Ministro

EMISSOR: Ministério da Economia e da Inovação - Gabinete do Ministro DATA: Terça feira, 23 de Outubro de 2007 NÚMERO: SÉRIE II - 204 EMISSOR: Ministério da Economia e da Inovação - Gabinete do Ministro DIPLOMA/ACTO: Despacho n.º 24 260/2007 SUMÁRIO: Aprova a instrução técnica

Leia mais

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre Plano de Formação - 2011 Form + Lab 2 Semestre Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização e formação dos seus colaboradores dando resposta

Leia mais

Anexo ao Mapa de Pessoal 2010

Anexo ao Mapa de Pessoal 2010 Serviços Municipalizados de Peniche Anexo ao Mapa de Pessoal 2010 Conteúdos Funcionais Divisão Administrativa e Financeira Tesouraria Assistente Técnico Anexo ao Mapa de Pessoal 2010 Conteúdos Funcionais

Leia mais

MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO

MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO Paulo Pinto Obrigações legais e metodologias para a sua implementação Conteúdo 2 Medidas de Autoprotecção O que são? Enquadramento legal Responsabilidades Coimas e sanções acessórias

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais

DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO SEU PRESIDENTE

DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO SEU PRESIDENTE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DA CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL NO SEU PRESIDENTE A Câmara Municipal de Pombal deliberou, em Reunião de Câmara de 24 de Outubro de 2005, ao abrigo do Artigo 65.º da Lei n.º 169/99,

Leia mais

Estrutura da ERI. Administração. Direção Geral. Qualidade, Ambiente e Segurança. Comercial & Marketing. Departamento de Compras

Estrutura da ERI. Administração. Direção Geral. Qualidade, Ambiente e Segurança. Comercial & Marketing. Departamento de Compras At tud p rm t! ERI Engenharia SA A ERI Engenharia S.A. é uma empresa que está no mercado desde 1995. A nossa estratégia de actuação pauta-se pela flexibilidade e ajustamento face às necessidades e exigências

Leia mais

Laboratório de Tecnologia Automóvel, Lda.

Laboratório de Tecnologia Automóvel, Lda. Laboratório de Tecnologia Automóvel, Lda. 1/33 O LTA tem como objetivo principal a realização de verificações e ensaios a veículos automóveis de todas as categorias e respetivos componentes. O Laboratório

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto executivo nº. 80/04 de 27 de Julho Havendo necessidade de estabelecer as condições a que devem obedecer os meios de transporte aéreo de produtos petrolíferos; Sendo necessário

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 02/SI/2012 1 Índice Tipologias de Investimento... 3 Condições de Elegibilidade

Leia mais

Manual de Apoio ao Cogerador Simulador do Cogerador

Manual de Apoio ao Cogerador Simulador do Cogerador Manual de Apoio ao Cogerador Simulador do Cogerador Jorge Mendonça e Costa jmcosta@cogenportugal.com Manual de Apoio ao Cogerador Simulador do Cogerador Manual de Apoio ao Cogerador: Motivação Manual de

Leia mais

CATIM Centro de Apoio Tecnológico à Indústria metalomecânica

CATIM Centro de Apoio Tecnológico à Indústria metalomecânica Apresentação CATIM Centro de Apoio Tecnológico à Indústria metalomecânica Instituição privada sem fins lucrativos Fundado em 1986 Nº de Sócios: > 600 associados Nº colaboradores: 90 Nº Clientes: 2.500

Leia mais

SEGURANÇA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. 1. Quadro legislativo relativo às máquinas e aos equipamentos de trabalho

SEGURANÇA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. 1. Quadro legislativo relativo às máquinas e aos equipamentos de trabalho SEGURANÇA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 1. Quadro legislativo relativo às máquinas e aos equipamentos de trabalho As questões da segurança de máquinas colocam-se com grande acuidade em dois planos: No plano

Leia mais

Alteração da Legislação Aplicável / Actualização (Agosto.2013)

Alteração da Legislação Aplicável / Actualização (Agosto.2013) 1 Lista de Controlo de Legislação Aplicável Alteração da Legislação Aplicável / Actualização (Agosto.2013) 1. LEGISLAÇÃO 1.1. Código do Trabalho Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho - Regulamenta a Lei n.º

Leia mais

Medidas de Protecção Contra Explosão

Medidas de Protecção Contra Explosão Medidas de Protecção Contra Explosão a) Líquidos Inflamáveis/Combustíveis Gasóleo Grupos geradores depósito de gasóleo Depósito Enterrado Armazenamento do gasóleo Manutenção Abastecimento do depósito Armazenamento

Leia mais

Esquemas. & diagramas. caderno 9

Esquemas. & diagramas. caderno 9 Esquemas & diagramas caderno 9 Segurança contra incêndios em edifícios > Simbologia gráfica para plantas Legenda para projectos de SCIE 1 - Resistência ao fogo Elemento resistente ao fogo com função de

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de ENERGIAS RENOVÁVEIS PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Organização Industrial Escolas Proponentes / Autores Escola Profissional de

Leia mais

Existe um contrato/plano de manutenção para os equipamentos de uso clínico

Existe um contrato/plano de manutenção para os equipamentos de uso clínico 1 - Organização e Procedimentos 1.1 Existe um contrato/plano de manutenção para os equipamentos de uso clínico 1.1.1 Estão disponíveis os manuais relevantes dos equipamentos de uso clínico Equipamentos

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6 AMBIENTE ECONOMIA SOCIAL ENERGIA A Certificação da Gestão Florestal e Cadeia de Responsabilidade FSC ou PEFC Acompanhamento Ambiental em Obra e Gestão de RCD s (e-xz) Auditorias Ambientais (e-xz) Conformidade

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES. Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES. Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto-Lei n. 295/98, de 22 de Setembro, que transpôs para o direito interno a Directiva

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVI Armazenamento de Produtos Químicos Perigosos um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO www.zonaverde.pt Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Os acidentes nas organizações/estabelecimentos são sempre eventos inesperados, em que a falta de conhecimentos/formação,

Leia mais

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS

FICHA TECNICA CONTRA RISCO DE INCENDIOS EM EDIFICIOS HABITACIONAIS COMERCIAS E INDUSTRIAIS Página 1/5 INSTALAÇÃO ELETRICA CONTADOR ENERGIA / ACE Verificação da não violação do selo do contador Verificação da existência de limitador de potência do distribuidor / Fatura QUADRO ELECTRICO Verificação

Leia mais

Seminário Mobilidade Eléctrica : o Veículo

Seminário Mobilidade Eléctrica : o Veículo Seminário Mobilidade Eléctrica : o Veículo 8 de Março de 2010 Regulamentação técnica para a aprovação de veículos eléctricos 1 ÍNDICE 1 2 3 4 5 6 7 HOMOLOGAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉCTRICOS - ENQUADRAMENTO LEGAL

Leia mais

CIRCULAR N.º 15/2009 REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009)

CIRCULAR N.º 15/2009 REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009) CIRCULAR N.º 15/2009 A Portaria nº 773/2009, de 21 de Julho, que define o procedimento de registo, na Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), das entidades que exercem a actividade de comercialização,

Leia mais

Certificação voluntária de serviços de segurança contra incêndio NP 4513:2012

Certificação voluntária de serviços de segurança contra incêndio NP 4513:2012 Certificação voluntária de serviços de segurança contra incêndio NP 4513:2012 Conteúdos Histórico O que é? Porque foi criada? Estrutura da norma Objetivos Princípios Esquema de certificação Âmbito e validade

Leia mais

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa TE GEE.208.04 II Nos termos do Decreto-Lei n.º 233/2004, de 14 de Dezembro, com as alterações introduzidas pelos Decretos-Lei n.º 243-A/2004, de 31 de Dezembro,

Leia mais

Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa

Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa Regulamento relativo à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes da Câmara Municipal da Trofa Aprovado em reunião de Câmara de 12 de Setembro de 2003 e em

Leia mais

Portaria n.º 1444/2002 de 7 de Novembro Aprova as normas de segurança contra incêndio a observar na exploração de estabelecimentos escolares

Portaria n.º 1444/2002 de 7 de Novembro Aprova as normas de segurança contra incêndio a observar na exploração de estabelecimentos escolares A leitura deste documento, que transcreve o conteúdo da Portaria n.º 1444/2002, de 7 de Novembro, não substitui a consulta da sua publicação em Diário da República. Portaria n.º 1444/2002 de 7 de Novembro

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS ECODEPUR SBR (E.T.A.R. COMPACTA)

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS ECODEPUR SBR (E.T.A.R. COMPACTA) 0 SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS ECODEPUR SBR (E.T.A.R. COMPACTA) ENQUADRAMENTO A ECODEPUR entende a Concepção/Construção de uma E.T.A.R. como um conjunto integrado de Operações Unitárias

Leia mais

4.2.2. Verificação da informação disponibilizada pelo estabelecimento

4.2.2. Verificação da informação disponibilizada pelo estabelecimento 4.2.2. Verificação da informação disponibilizada pelo estabelecimento Os operadores de estabelecimentos SEVESO, de acordo com o seu nível de perigosidade, devem apresentar às entidades competentes e/ou

Leia mais

Esquema de Certificação Técnicos de Instalação e Manutenção de Sistemas de Climatização

Esquema de Certificação Técnicos de Instalação e Manutenção de Sistemas de Climatização Esquema de Certificação Técnicos de Instalação e Manutenção de Sistemas de Climatização 1. Introdução 1.1. O presente documento, descreve os requisitos particulares referentes à certificação de técnicos

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. MQ.23 Página 1/13

MANUAL DA QUALIDADE. MQ.23 Página 1/13 MANUAL DA QUALIDADE Página 1/13 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO DA REDINSPAL Outras Informações 2. REQUISITOS ADMINISTRATIVOS 2.1 Imparcialidade e independência 2.2 Confidencialidade 3. REQUISITOS DE ESTRUTURA

Leia mais

MODELO DE INQUÉRITO PARA EXECUÇÃO DE UMA AUDITORIA ENERGÉTICA

MODELO DE INQUÉRITO PARA EXECUÇÃO DE UMA AUDITORIA ENERGÉTICA PARA EXECUÇÃO DE UMA AUDITORIA ENERGÉTICA A. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA: 1.SEDE 1.1 NOME... 1.2 ENDEREÇO.. 1.3 CÓDIGO POSTAL... 1.4 LOCALIDADE... 1.5 CONCELHO. 1.6 DISTRITO... 1.7 TELEFONE.. 1.8 TELEFAX...

Leia mais

Catálogo de Serviços de Assistência. Assistência técnica ABB Mais produtividade, menos custos

Catálogo de Serviços de Assistência. Assistência técnica ABB Mais produtividade, menos custos Catálogo de Serviços de Assistência Assistência técnica ABB Mais produtividade, menos custos ABB em Portugal A nossa organização Power Products Power Systems Discrete Automation & Motion Low Voltage Products

Leia mais

XIX. Serviços de Apoio ÍNDICE

XIX. Serviços de Apoio ÍNDICE XIX Serviços de Apoio ÍNDICE SECÇÃO I - ASPECTOS GERAIS... 2 1. Introdução... 2 SECÇÃO II - Especificações dos Serviços de Apoio... 4 2. Serviço de Limpeza... 4 3. Serviço de Alimentação... 5 4. Serviço

Leia mais

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3 INQUÉRITO EUROPEU DAS PME E O MEIO-AMBIENTE Bem-vindo ao inquérito europeu sobre as PMEs e o meio-ambiente. O questionário deve demorar entre 5-10 minutos para ser concluído. Obrigado! Instituto Tecnológico

Leia mais

Proposta de Serviços XXI. REDE MAQUIJIG Business Solutions. Refª 2097/2014 13-05-2014. a Sua empresa de Serviços

Proposta de Serviços XXI. REDE MAQUIJIG Business Solutions. Refª 2097/2014 13-05-2014. a Sua empresa de Serviços Proposta XXI REDE MAQUIJIG Business Solutions Refª 2097/2014 13-05-2014 a Sua empresa Índice 1. Introdução 2. Medicina do trabalho 3. Segurança no Trabalho 4. Higiene e Segurança Alimentar 5. Formação

Leia mais

Legislação temática Urbanização e Edificação - Disposições Gerais

Legislação temática Urbanização e Edificação - Disposições Gerais Diploma Resumo Data Alterações, revogações e normas complementares Decreto-Lei nº 19/90 Regime de caducidade de licenças municipais de obras de construção civil. 11-01-1990 Alterado pelo Decreto-Lei nº

Leia mais