Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na"

Transcrição

1 Transgênicos Objetivo da Aula agricultura. Conceituar e discutir os benefícios e os prejuízos da utilização de transgênicos na Organismos transgênicos ou Organismos Geneticamente Modificados (OGM) são aqueles cujo genoma foi modificado objetivando acrescentar novas características ou alterar características existentes, inserindo ou eliminando genes por técnicas de engenharia genética. Os principais objetivos são um melhor rendimento, aumentando a produtividade e a resistência a pragas, a doenças e a condições ambientais e climáticas adversas; melhores características agronômicas; melhor qualidade do produto final, podendo o grão ser enriquecido com mais nutrientes, por exemplo. Impactos ambientais e na saúde humana O patrimônio genético de uma determinada região ou do planeta é formado pelo conjunto de material genético contido na fauna e na flora da região. A extinção das espécies diminui os recursos genéticos disponíveis, ameaçando o futuro da agricultura, causando desequilíbrio no meio ambiente e afetando a segurança alimentar e nutricional (SAN) da humanidade. A diminuição da biodiversidade está associada a fatores como: Substituição de variedades locais por variedades mais modernas pelo modelo agrícola. Aula 7 pg. 50

2 Exploração predatória dos recursos biológicos. Políticas de desenvolvimento não sustentáveis. O ritmo de perda da biodiversidade no Brasil vem aumentando nos últimos anos, comprometendo a sustentabilidade da agricultura. Os principais fatores são: desmatamento, ampliação da fronteira agrícola, mau uso do solo e poluição por agroquímicos. As transformações tecnológicas no mercado de sementes de alta produtividade e elevado rendimento aumentam a utilização de produtos químicos e a mecanização da agricultura, e estão relacionadas à perda acelerada da biodiversidade. A liberação dos transgênicos no Brasil tem provocado polêmica quanto aos possíveis riscos à saúde e ao meio ambiente. Há um enorme conflito entre críticos e defensores dessa tecnologia, que se origina da falta de informações completas e confiáveis sobre os riscos, benefícios e limitações de sua utilização. O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) afirma que a biotecnologia pode gerar ganhos nas áreas da nutrição e da saúde, que não devem ser desconsiderados pelo Brasil, aumentando a produtividade agrícola e incorporando nutrientes específicos nas espécies. O Consea descreve ainda as chances de minimizar os impactos ambientais com o cultivo de culturas transgênicas que necessitam um menor emprego de insumos químicos. A redução do uso de agrotóxicos e fertilizantes pode ainda provocar menores gastos com tratamento de água. Entretanto, alguns pesquisadores alertam para a possibilidade de riscos ambientais associados ao surgimento de superervas daninhas, além de agravos à saúde da população, relacionados, por exemplo, às alergias (pois novos compostos são formados no novo organismo, como proteínas e aminoácidos que quando ingeridos podem desencadear processos alérgicos) e ao aumento da resistência aos antibióticos, pois genes de bactérias usadas na produção de antibióticos podem ser inseridos nos alimentos transgênicos que quando ingeridos aumentam a resistência ou anulam os efeitos do antibiótico. Abaixo, podemos conferir alguns argumentos contrários e favoráveis que foram expostos pelos pesquisadores Camara et al. (2009). Aula 7 pg 51

3 Quadro 1 - Argumentos favoráveis e contrários aos transgênicos Argumentos favoráveis Argumentos Contrários Expansão do conhecimento científico Grandes benefícios com o uso imediato dos transgênicos (sementes com qualidade nutritiva aumentada). Ausência de perigos para a saúde humana e ambiental que se originem de seu uso e que não possam ser adequadamente administrados por regulamentações planejadas Inexistência de formas alternativas de agricultura a serem desenvolvidas em seu lugar, sem ocasionar riscos inaceitáveis (ex: falta de alimento). Conhecimento incompleto, que desconsidera a possibilidade de riscos ao ambiente e dos agrossistemas sustentáveis. Benefícios medíocres, limitados ao grupo de grandes produtores, sem alcançar o pequeno produtor; seu desenvolvimento reflete interesses do sistema de mercado global. Os maiores riscos podem não ser os que afetam diretamente a saúde humana e o ambiente, mas sim aqueles ocasionados pelo contexto socioeconômico da pesquisa e do desenvolvimento de transgênicos e de seus mecanismos associados, tais como a estipulação que as sementes transgênicas são objetos em relação aos quais os direitos de propriedade intelectual devem ser garantidos. Encontram-se em desenvolvimento métodos agroecológicos que permitem alta produtividade em lavouras essenciais e ocasionam riscos relativamente menores; promovem agrossistemas sustentáveis; utilizam e protegem a biodiversidade; e contribuem para a emancipação social das comunidadespobres. Fonte: Camara et al. (2009) Aula 7 pg. 52

4 Indicação de Sites Essas informações estão disponíveis em: <http://www2.mre.gov.br/dai/m_5705_2006. htm>. Leia Mais: Aprenda mais sobre o projeto de lei que regulamenta a rotulagem e a exposição de alimentos transgênicos que foi aprovado em 2009 na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br/noticias/ /aprovado-projeto-que-regulamenta-rotulagem-e-exposicao-de-transgenicos>. Referências BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. III Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Por um desenvolvimento sustentável com soberania e segurança alimentar e nutricional. Brasília: MDS, Disponível em: <http://www.mds.gov.br/arquivos/documento_base.pdf/download> Acesso em: 27 dez CAMARA et al. Transgênicos: avaliação da possível (in)segurança alimentar através da produção científica. História, ciência, saúde Manguinhos [online]. Vol.16, n.3, pp CONSELHO NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL (Consea). Princípios e diretrizes de uma política de segurança alimentar e nutricional: textos de referência da II Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília: CON- SEA, Aula 7 pg 53

5 Anotações

6 Anotações

7 Anotações

8 Anotações

Alimentos transgênicos. Aluna: Maria Eugênia Araújo

Alimentos transgênicos. Aluna: Maria Eugênia Araújo Alimentos transgênicos Aluna: Maria Eugênia Araújo Sumário O que é um transgênico? Métodos de transgenia Aplicações da transgenia Pontos positivos Pontos negativos Rotulagem dos transgênicos Considerações

Leia mais

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA SISTEMA TERRA: DA CÉLULA À BIODIVERSIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Planificação

Leia mais

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade

Departamento do Agronegócio Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade Segurança Alimentar: O Desafio de Abastecer o Mundo com Sustentabilidade O Mundo atravessa um período de aumento expressivo do consumo de alimentos, impulsionado pela melhora da renda das famílias dos

Leia mais

BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS

BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS BRASIL: ESPAÇO AGRÁRIO E PROBLEMAS SÓCIOAMBIENTAIS AGRICULTURA: HISTÓRICO Os primeiros camponeses (habitantes do campo) foram caçadores e coletores, ou seja, eram somente extrativistas: retiravam os alimentos

Leia mais

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA SISTEMA TERRA: DA CÉLULA À BIODIVERSIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Planificação

Leia mais

A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo;

A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo; A agricultura A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo; Paisagem agrária: É a forma de cultivo e a divisão dos campos; É condicionada por

Leia mais

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul.

01- Analise a figura abaixo e aponte as capitais dos 3 estados que compõem a Região Sul. PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 7º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - PARTE 1 ============================================================================================= 01- Analise

Leia mais

Defensivos agrícolas naturais na visão da Industria

Defensivos agrícolas naturais na visão da Industria Defensivos agrícolas naturais na visão da Industria Cesar Lamonega. VP, AgraQuest V Congresso Brasileiro de Defensivos Agrícolas Naturais Jaguariúna, São Paulo, Brazil May 24-26, 2001 9 Bilhões de pessoas

Leia mais

CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES

CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES Disciplina - Geografia 2 a Série Ensino Médio CAPÍTULO 27 O MEIO RURAL E SUAS TRANSFORMAÇÕES Professor: Gelson Alves Pereira 1- INTRODUÇÃO Revolução Neolítica Importância Em primeiro plano fornecer alimentos.

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR, AGROECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE: TRANSIÇÃO EM MARCHA (?)

AGRICULTURA FAMILIAR, AGROECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE: TRANSIÇÃO EM MARCHA (?) AGRICULTURA FAMILIAR, AGROECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE: TRANSIÇÃO EM MARCHA (?) BALESTRIN, Nádia Luzia (Administração/UNIBRASIL) A Agroecologia, pode ser considerada, tanto uma ciência quanto um conjunto

Leia mais

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL,

GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, GASTOS COM INSETICIDAS, FUNGICIDAS E HERBICIDAS NA CULTURA DO MILHO SAFRINHA, BRASIL, 2008-2012 Maximiliano Miura (1), Alfredo Tsunechiro (2), Célia Regina Roncato Penteado Tavares Ferreira (1) Introdução

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Informações aos Encarregados de Educação do trabalho a realizar no: 5º Ano Ciências Naturais Ano Letivo 2015/2016 1. Aulas previstas: Aulas (*) 5º1ª 5º2ª 5º3ª 5º4ª 1º Período: 21 de Setembro - 17 de Dezembro

Leia mais

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP Leguminosas Sementes nutritivas para um futuro sustentável FAO, 2016 Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP FAO-PT@fao.org www.fao.org/portugal 14 de Abril de 2016 As leguminosas secas sempre

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FUNDAÇÃO CECIERJ / CONSÓRCIO CEDERJ PROFESSOR/CURSISTA: MARIA DE LOURDES N

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FUNDAÇÃO CECIERJ / CONSÓRCIO CEDERJ PROFESSOR/CURSISTA: MARIA DE LOURDES N FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FUNDAÇÃO CECIERJ / CONSÓRCIO CEDERJ PROFESSOR/CURSISTA: MARIA DE LOURDES N. DE MEDEIROS COLÉGIO: TUTOR (A): SÉRIE: 3ª SÉRIE / ENS. MÉDIO 4º BIMESTRE

Leia mais

ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO

ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO ESPAÇO RURAL E MODERNIZAÇÃO DO CAMPO COMO ENTENDER A SITUAÇÃO DO CAMPO NO BRASIL? COMO ENTENDER A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS NO BRASIL E NO MUNDO? Tipos de agropecuária: intensiva e extensiva Principais modelos

Leia mais

A ATIVIDADE AGRÍCOLA

A ATIVIDADE AGRÍCOLA A ATIVIDADE AGRÍCOLA AGRICULTURA Atividade que consiste no plantio de sementes e na colheita de vegetais. PECUÁRIA Atividade que consiste na criação de rebanhos. AGROPECUÁRIA Junção das atividades rurais:

Leia mais

SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL

SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL SITUAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SEMENTES NO BRASIL AGRICULTURA NA ECONOMIA BRASILEIRA REPRESENTA 28% PIB EMPREGA 37% DOS TRABALHADORES GERA 44% DAS EXPORTAÇÕES PRINCIPAIS CULTURAS BRASILEIRAS: SOJA, MILHO, ALGODÃO,

Leia mais

BIOTECNOLOGIA E AMBIENTE

BIOTECNOLOGIA E AMBIENTE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FUNDAÇÃO CECIERJ / CONSÓRCIO CEDERJ PROFESSOR/CURSISTA: GLAUCIA MUSSA A. DE SANT ANNA COLÉGIO: TUTOR (A): SÉRIE: 3ª SÉRIE / ENS. MÉDIO 4º BIMESTRE

Leia mais

Biossegurança dos Alimentos Geneticamente Modificados. Rita Batista Novembro de 2011

Biossegurança dos Alimentos Geneticamente Modificados. Rita Batista Novembro de 2011 Biossegurança dos Alimentos Geneticamente Modificados Rita Batista Novembro de 2011 O que é um Organismo Geneticamente Modificado (OGM)? É um organismo no qual foi introduzido, com recurso à engenharia

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Biotecnologia

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Biotecnologia Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Biotecnologia estado da arte e aplicações na agropecuária Editores Técnicos Fábio Gelape Faleiro Solange

Leia mais

BIOLOGIA MOLECULAR É

BIOLOGIA MOLECULAR É BIOLOGIA MOLECULAR É RECURSO IMPORTANTE PARA AUMENTAR A PRODUTIVIDADE Por: Natália Monnerat de Souza, Médica Veterinária, Mestre em Clínica Médica Por muitos anos, a seleção genética de animais e plantas

Leia mais

Oficina Base. A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN

Oficina Base. A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN Oficina Base A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN Programação da Oficina 10h Histórico da SAN no Brasil 10h40 Intervalo 11h Construindo o conceito de SAN 12h Almoço 14h Check-in da tarde

Leia mais

Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e

Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e O Meio Ambiente Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e estão ligadas a vida dos seres humanos.

Leia mais

AGRICULTURA DE PRECISÃO

AGRICULTURA DE PRECISÃO AGRICULTURA DE PRECISÃO AGRICULTURA DE PRECISÃO A agricultura de precisão C.Vale é uma atividade que tem como objetivo aperfeiçoar o uso dos insumos agrícolas dentro da propriedade. Permite aplicação localizada

Leia mais

AGRICULTURA FAMILAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS

AGRICULTURA FAMILAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS AGRICULTURA FAMILAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS RESUTADOS E EXPERIÊNCIAS DO PROJETO SEMEANDO SUSTENTABILIDADE FABIANA B. GOMES CES RIOTERRA RECURSOS NATURAIS ENERGIA SOLAR

Leia mais

MESA DE CONTROVÉRSIAS SOBRE AGROTÓXICOS EDSON GUIDUCCI FILHO EMBRAPA

MESA DE CONTROVÉRSIAS SOBRE AGROTÓXICOS EDSON GUIDUCCI FILHO EMBRAPA MESA DE CONTROVÉRSIAS SOBRE AGROTÓXICOS EDSON GUIDUCCI FILHO EMBRAPA Introdução - Censo Agropecuário - importância da Agricultura Familiar. - Governo e mídia destacam os resultados econômicos do agronegócio.

Leia mais

Proteção de Plantas :Gestão da propriedade intelectual nos programas de melhoramento. Luiz Carlos Federizzi Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Proteção de Plantas :Gestão da propriedade intelectual nos programas de melhoramento. Luiz Carlos Federizzi Universidade Federal do Rio Grande do Sul Proteção de Plantas :Gestão da propriedade intelectual nos programas de melhoramento Luiz Carlos Federizzi Universidade Federal do Rio Grande do Sul MELHORAMENTO DE PLANTAS ARTE Experiência, intuição,

Leia mais

Curso Técnico em Agricultura AGRICULTURAS I

Curso Técnico em Agricultura AGRICULTURAS I Curso Técnico em Agricultura AGRICULTURAS I Milena Mendes Barra da Estiva Julho / 2015 AGRICULTURA I - Ementa Origem, histórico e evolução; Aspectos morfológicos e fisiológicos; Distribuição Geográfica;

Leia mais

Aula 1: Introdução à Química Ambiental

Aula 1: Introdução à Química Ambiental DISCIPLINA: QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL Aula 1: Introdução à Química Ambiental Prof a. Lilian Silva 2012 Análises químicas para fornecer informações relevantes sobre estudos ambientais ou para o monitoramento

Leia mais

Decisões sobre biossegurança no Brasil

Decisões sobre biossegurança no Brasil Decisões sobre biossegurança no Brasil Mesa de controvérsias sobre transgênicos CONSEA 12 de julho de 2013 Gabriel B. Fernandes Transgênicos liberados Milho 19 Soja 5 Algodão 12 Feijão 01 15 Vacinas 02

Leia mais

Exercícios Revolução Verde

Exercícios Revolução Verde Exercícios Revolução Verde 1. Considerando os conhecimentos sobre o espaço agrário brasileiro e os dados apresentados no gráfico, é correto afirmar que, no período indicado, *Soja, Trigo, Milho, Arroz

Leia mais

"Economia Verde nos Contextos Nacional e Global" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura -

Economia Verde nos Contextos Nacional e Global - Desafios e Oportunidades para a Agricultura - "Economia Verde nos Contextos Nacional e Global" - Desafios e Oportunidades para a Agricultura - Maurício Antônio Lopes Diretor Executivo de Pesquisa e Desenvolvimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS Prof. Esp. Claudimar Fontinele TEORIA DE MALTHUS Conforme seu estudo, Ensaio sobre o princípio da população, Malthus

Leia mais

Divulgação do Método Sistema de Arroz Intensificado (SAI)

Divulgação do Método Sistema de Arroz Intensificado (SAI) 1 Divulgação do Método Sistema de Arroz Intensificado (SAI) Prof. Dr. Hasime Tokeshi, PhD Consultor Científico do Centro de Pesquisa Mokiti Okada A meta da revolução verde era acabar com a fome no mundo

Leia mais

Trabalho no campo ou no meio rural

Trabalho no campo ou no meio rural Trabalho no campo ou no meio rural Compreender o que é o trabalho rural passa, antes, por uma compreensão sócioeconômica e histórica deste contexto Herança colonial Exploração do ser humano e da natureza

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 8º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 8º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 8º Ano COMPETÊNCIAS TEMAS/UNIDADES CONTEÚDOS 1º Período SUSTENTABILIDADE NA TERRA 28 Compreender o significado dos conceitos: espécie, população, comunidade,

Leia mais

Domínios/Subdomínio de aulas. de aulas. Terra em Transformação

Domínios/Subdomínio de aulas. de aulas. Terra em Transformação Código 4039 750-90 - Sines Ano letivo: 06/07 Departamento:Matemática e Ciências Experimentais Grupo disciplinar: 50 Disciplina: Ciências Naturais Docentes: Abílio Ferreira, Ana Diniz e Irene Serrão Manual

Leia mais

Engenharia Genética e Biotecnologia

Engenharia Genética e Biotecnologia Engenharia Genética e Biotecnologia 1. (PUC - SP-2005) Encontram-se a seguir um esquema do embrião humano com aproximadamente 5 dias e um trecho sobre clonagem: Na clonagem terapêutica são utilizadas células-tronco,

Leia mais

Biodiversidade e prosperidade económica

Biodiversidade e prosperidade económica Biodiversidade e prosperidade económica Helena Castro e Helena Freitas Centro de Ecologia Funcional Universidade de Coimbra O que é a biodiversidade? Biodiversidade é a variedade de seres vivos. Aqui se

Leia mais

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra.

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Requisitos para o cultivo de algodoeiro GlyTol LibertyLink, além de boas práticas de manejo integrado de plantas daninhas. Cap 1: Descrição do Produto

Leia mais

Lauro Charlet Pereira Francisco Lombardi Neto - IAC Marta Regina Lopes Tocchetto - UFSM Jaguariúna, 2006.

Lauro Charlet Pereira Francisco Lombardi Neto - IAC Marta Regina Lopes Tocchetto - UFSM Jaguariúna, 2006. APTIDÃO AGRÍCOLA COMO SUBSÍDIO AO USO AGROECOLÓGICO DAS TERRAS Lauro Charlet Pereira Francisco Lombardi Neto - IAC Marta Regina Lopes Tocchetto - UFSM Jaguariúna, 2006. RESUMO: O principal objetivo deste

Leia mais

c u r s o Biotecnologia Aplicada à Agropecuária 20 a 31 de julho de 2009

c u r s o Biotecnologia Aplicada à Agropecuária 20 a 31 de julho de 2009 c u r s o Biotecnologia Aplicada à Agropecuária 20 a 31 de julho de 2009 Introdução A Biotecnologia, conceitualmente, é a união de biologia com tecnologia, é um conjunto de técnicas que utilizam os seres

Leia mais

Aula 1. 3º)A biodiversidade inclui componentes físicos do ambiente como minerais, agua ar? Justifique

Aula 1. 3º)A biodiversidade inclui componentes físicos do ambiente como minerais, agua ar? Justifique Aula 1 1º) Conceitue meio ambiente É tudo que tem a ver com o ser ou com um grupo de seres vivos. É o conjunto de fatores, sociais e culturais que envolvem um individuo e com os quais ele interage. 2º)

Leia mais

Alguns processos erosivos que contribuem para o empobrecimento do solo

Alguns processos erosivos que contribuem para o empobrecimento do solo SOLO CONSERVAÇÃO Erosão Alguns processos erosivos que contribuem para o empobrecimento do solo Assoreamento: Depósito de acúmulo de sedimentos nos cursos d água, geralmente provocada, principalmente, pela

Leia mais

Que caracteres são herdados de geração em geração?

Que caracteres são herdados de geração em geração? Músculos Cor dos olhos Membro amputado Cor do cabelo Que caracteres são herdados de geração em geração? Existem características que são transmitidas de geração em geração caracteres hereditários. Ex.:

Leia mais

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Agroecologia Agroecologia Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Capítulo

Leia mais

Foto R. Bocci. 10 conceitos chave SOLIBAM - cultivando a diversidade

Foto R. Bocci. 10 conceitos chave SOLIBAM - cultivando a diversidade 10 conceitos chave SOLIBAM - cultivando a diversidade Conceito 1: Resiliência Foto Riccardo Franciolini Foto F. Rey Resiliência é a capacidade de um ecossistema responder a uma perturbação, resistindo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA BIOSSEGURANÇA ALIMENTAR NO DESENVOLVIMENTO DOS TRANSGÊNICOS

A IMPORTÂNCIA DA BIOSSEGURANÇA ALIMENTAR NO DESENVOLVIMENTO DOS TRANSGÊNICOS A IMPORTÂNCIA DA BIOSSEGURANÇA ALIMENTAR NO DESENVOLVIMENTO DOS TRANSGÊNICOS Adolf Hitler Cardoso de Araújo (1) Universidade Estadual da Paraíba adolf_araujo@hotmail.com RESUMO A biotecnologia é considerada

Leia mais

É constituído por três tipos de acções:

É constituído por três tipos de acções: Programa Agricultores Guia Projecto de Requalificação Ambiental da Actividade Agrícola Projecto Referência a nível Nacional, no tema Ambiente / Sustentabilidade pela DGOTDU. Resulta de um protocolo de

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 1 EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA- PESCA E AQUICULTURA FUNDAÇÃO AGRISUS RELATÓRIO PARCIAL-01/10/2016 CONSÓRCIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA: COMPREENDENDO OS RISCOS DO ESTRESSE HÍDRICO NA

Leia mais

Licenciatura em Ciências Biológicas Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente Universidade Federal de Ouro Preto

Licenciatura em Ciências Biológicas Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente Universidade Federal de Ouro Preto Licenciatura em Ciências Biológicas Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente Universidade Federal de Ouro Preto biologia da conservação Prof. Dr. Roberth Fagundes roberthfagundes@gmail.com

Leia mais

Agriculturas v n. 3 setembro

Agriculturas v n. 3 setembro Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Agriculturas v. 13 - n. 3 setembro 2016 78 Contribuições da Agroecologia para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Michael Farrelly 79 Agriculturas v. 13

Leia mais

Propriedade Intelectual no Campo

Propriedade Intelectual no Campo Propriedade Intelectual no Campo Departamento de Propriedade Intelectual e Tecnologia da Agropecuária /DEPTA/ SDC/MAPA Roberto Lorena B. Santos Grãos Produção Se o Brasil mantivesse a mesma tecnologia

Leia mais

AMBIENTE E TERRITÓRIO 9 ª aula

AMBIENTE E TERRITÓRIO 9 ª aula Licenciatura em Engenharia do Território 3º ano / 6º semestre AMBIENTE E TERRITÓRIO 9 ª aula Biodiversidade e serviços dos ecossistemas Convenção da Diversidade Biológica Nações Unidas Assinada no Rio

Leia mais

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradadas. Aula 6. Contextualização. Adequação Ambiental. Prof. Francisco W.

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradadas. Aula 6. Contextualização. Adequação Ambiental. Prof. Francisco W. Recuperação de Áreas Degradadas Aula 6 Prof. Francisco W. von Hartenthal Organização da Aula Adequação Ambiental e Biologia da Conservação 1. Adequação Ambiental de Atividades Produtivas 2. Preservação,

Leia mais

MICRORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS E ALGUMAS IMPLICAÇÕES PARA A SAÚDE AMBIENTAL

MICRORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS E ALGUMAS IMPLICAÇÕES PARA A SAÚDE AMBIENTAL MICRORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS E ALGUMAS IMPLICAÇÕES PARA A SAÚDE AMBIENTAL Vera Lúcia Castro Jaguariúna, novembro 2003. O interesse pelo controle biotecnológico tem crescido consideravelmente

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON Economia Ecológica Professor Rodrigo Nobre Fernandez Capítulo 11 Comércio e meio ambiente evidências do setor agroexportador brasileiro

Leia mais

MILHO PARA SILAGEM E SEU EFEITO SOBRE O MANEJO DO SOLO. Dr. Rodrigo Pizzani

MILHO PARA SILAGEM E SEU EFEITO SOBRE O MANEJO DO SOLO. Dr. Rodrigo Pizzani MILHO PARA SILAGEM E SEU EFEITO SOBRE O MANEJO DO SOLO Dr. Rodrigo Pizzani Cenário atual: desafios para agricultura Alimentar 9 bilhões de pessoas em 2050 Contornar problemas: Fatores-chaves para atingir

Leia mais

Seminário Ano Internacional da Biodiversidade Quais os desafios para o Brasil? Painel 11: Os Oceanos e a Biodiversidade Marinha

Seminário Ano Internacional da Biodiversidade Quais os desafios para o Brasil? Painel 11: Os Oceanos e a Biodiversidade Marinha Seminário Ano Internacional da Biodiversidade Quais os desafios para o Brasil? Painel 11: Os Oceanos e a Biodiversidade Marinha June Ferraz Dias junedias@usp.br Alguns fatos sobre os oceanos... Talassociclo

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383. Semestre de oferta da disciplina: I e II

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383. Semestre de oferta da disciplina: I e II PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Olericultura Orgânica Código da Disciplina: AGR383 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: I e II Faculdade responsável: Agronomia Matriz 120 Programa em vigência

Leia mais

A atuação profissional do graduado em Biotecnologia.

A atuação profissional do graduado em Biotecnologia. A atuação profissional do graduado em Biotecnologia. Com ênfases especialmente fortes em e Celular, e Bioinformática, o profissional em Biotecnologia formado pela UFRGS irá ocupar uma ampla lacuna existente

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR 520 PLANIFICAÇÃO

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR 520 PLANIFICAÇÃO ANO: 12º NÍVEL: Biologia ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5 1º PERÍODO 45 UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÂO DA FERTILIDADE 1- REPRODUÇÃO HUMANA Gametogénese e fecundação Controlo Hormonal Desenvolvimento embrionário

Leia mais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 2013 8.º ANO TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta

Leia mais

Ciências do Ambiente. Prof. M.Sc. Alessandro de Oliveira Limas Engenheiro Químico (UNISUL ) Mestre em Engenharia de Alimentos (UFSC )

Ciências do Ambiente. Prof. M.Sc. Alessandro de Oliveira Limas Engenheiro Químico (UNISUL ) Mestre em Engenharia de Alimentos (UFSC ) Ciências do Ambiente Prof. M.Sc. Alessandro de Oliveira Limas Engenheiro Químico (UNISUL - 1995) Mestre em Engenharia de Alimentos (UFSC - 2002) Ciências Ambientais Estudo sistemático tico da natureza

Leia mais

Vamos utilizar o exemplo da angiosperma da família Poaceae (o capim).

Vamos utilizar o exemplo da angiosperma da família Poaceae (o capim). Reprodução REPRODUÇÃO ASSEXUADA Vamos utilizar o exemplo da angiosperma da família Poaceae (o capim). Essa planta se dissemina com muita rapidez, e isso é devido ao seu tipo de reprodução. A reprodução

Leia mais

A gestão dos serviços ambientais e a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica

A gestão dos serviços ambientais e a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica A gestão dos serviços ambientais e a conservação da biodiversidade na Mata Atlântica PqC. Elaine Aparecida Rodrigues SEMINÁRIO MATA ATLÂNTICA E SERVIÇOS AMBIENTAIS Mesa: PSAs e Biodiversidade Governo do

Leia mais

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta dissertação será disponibilizado somente a partir de 17/04/2016.

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta dissertação será disponibilizado somente a partir de 17/04/2016. RESSALVA Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta dissertação será disponibilizado somente a partir de 17/04/2016. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP CÂMPUS DE JABOTICABAL ATRIBUTOS PRODUTIVOS

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO Rodrigo de Almeida Silva (1) ; Rita Maria de Souza (2) ; Érica Nacif Rufino Vieira (3) ; (1) Graduando do curso de Gestão Ambiental,

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Hospitalar e Agroindústria AULA 1 Prof.º Cleverson Luis Competências a serem trabalhadas nesta aula Conhecer o segmento econômico da Agroindústria

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 Terra, um planeta com vida Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta com vida conhecida no Sistema Solar 1.1. Identificar a posição

Leia mais

ALIMENTOS TRANSGÊNICOS

ALIMENTOS TRANSGÊNICOS FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FUNDAÇÃO CECIERJ / CONSÓRCIO CEDERJ PROFESSOR/CURSISTA: RITA DE CASSIA CASTRO DE AQUINO COLÉGIO: TUTOR (A): SÉRIE: 3ª SÉRIE / ENS. MÉDIO 4º BIMESTRE

Leia mais

Genética. Aula 02 Profº Ricardo Dalla Zanna

Genética. Aula 02 Profº Ricardo Dalla Zanna Genética Aula 02 Profº Ricardo Dalla Zanna Plano de Ensino e Aprendizagem Conteúdo programático: o Unidade 1: Introdução à genética o Importância da genética na vida, na sociedade e para o estudo da biologia

Leia mais

Ficha de Exercícios 10 º ano de Escolaridade

Ficha de Exercícios 10 º ano de Escolaridade Ficha de Exercícios 10 º ano de Escolaridade Versão Corrigida A Biosfera A vida terá surgido na Terra há mais de 3500 milhões de anos. Inicialmente com formas muito simples, são actualmente, complexos

Leia mais

II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE. Transgênicos, Saúde e Meio Ambiente 2011

II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE. Transgênicos, Saúde e Meio Ambiente 2011 II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE Transgênicos, Saúde e Meio Ambiente 2011 Silvio Valle - valle.fiocruz@gmail.com Lei 11.105, de 24 de março de 2005 Regulamenta os incisos II, IV e V do 1º do art.

Leia mais

IMPACTOS NAS LAVOURAS

IMPACTOS NAS LAVOURAS SEMENTES DA DISCÓRDIA Sumário Executivo - 1 IMPACTOS NAS LAVOURAS Os impactos diretos das sementes transgênicas nas lavouras da América do Norte serão examinados nos capítulos 03, 06, 08 e 09. Muitos dos

Leia mais

Um Consumidor exigente: a resposta Agros Biológico SEMINÁRIO A AGRICULTURA BIOLÓGICA PARA O CIDADÃO

Um Consumidor exigente: a resposta Agros Biológico SEMINÁRIO A AGRICULTURA BIOLÓGICA PARA O CIDADÃO Um Consumidor exigente: a resposta Agros Biológico SEMINÁRIO A AGRICULTURA BIOLÓGICA PARA O CIDADÃO 11 de Abril de 2007 UM CONSUMIDOR EXIGENTE A procura da saúde e bem-estar pela alimentação EXOTISMO DESCOBERTA

Leia mais

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO

KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO KAREN FRIEDRICH ABRASCO FIOCRUZ UNIRIO NOVEMBRO 2016 OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior consumidor de sementes transgênicas > 40 mi ha plantados OGM NO BRASIL: SAÚDE E MEIO AMBIENTE 2º maior

Leia mais

FAQ perguntas e respostas

FAQ perguntas e respostas 1. O que é a desidratação? 2. Como conservar os desidratados? 3. Como utilizar os desidratados? 4. Quais as vantagens dos alimentos desidratados? 5. Porquê variedades regionais? 6. O que são produtos biológicos

Leia mais

CLASSIFICAÇÕES TÉCNICAS OU INTERPRETATIVAS

CLASSIFICAÇÕES TÉCNICAS OU INTERPRETATIVAS CLASSIFICAÇÕES TÉCNICAS OU INTERPRETATIVAS Introdução: Objetivos: a) ajudar os agricultores e técnicos nas interpretações e utilização de mapas de solos; b) apresentar aos usuários, os detalhes dos mapas

Leia mais

RecursosAmbientais: Disponibilidade e distribuição

RecursosAmbientais: Disponibilidade e distribuição PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Disciplina: Ciências do Ambiente ENG 4201 RecursosAmbientais: Disponibilidade e distribuição A vida no planeta existe há cerca de 3,5 bilhões de anos, porém a

Leia mais

Alimentos com alegação de propriedades funcionais aprovados pela legislação brasileira

Alimentos com alegação de propriedades funcionais aprovados pela legislação brasileira UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CCBS PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO PPGAN Alimentos com alegação de propriedades funcionais

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo)

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo) (2º ciclo) 5º ano Compreender a como um planeta especial. Compreender que o solo é um material terrestre de suporte de vida. Compreender a importância das rochas e dos minerais. Compreender a importância

Leia mais

Jimboê. Geografia. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 2 o bimestre

Jimboê. Geografia. Avaliação. Projeto. 4 o ano. 2 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao segundo bimestre escolar ou à Unidade 2 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê Geografia 4 o ano Avaliação 2 o bimestre 1 Avaliação Geografia NOME: ESCOLA:

Leia mais

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO QUEM SÃO OS TRABALHADORES BRASILEIROS E ONDE DESENVOLVEM SUAS ATIVIDADES ECONÔMICAS P. 37 PEA do Brasil: 100 milhões

Leia mais

EDITAL Centro de Pesquisa Mokiti Okada - CPMO. Programa de Estágio Supervisionado 2º semestre

EDITAL Centro de Pesquisa Mokiti Okada - CPMO. Programa de Estágio Supervisionado 2º semestre EDITAL 2015 Centro de Pesquisa Mokiti Okada - CPMO Programa de Estágio Supervisionado 2º semestre 01. A Instituição O Centro de Pesquisa Mokiti Okada CPMO, localizado em Ipeúna/SP, tem como OBJETIVO pesquisar,

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Produção e Tecnologia de Sementes Código da Disciplina: AGR 271 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 6 Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência

Leia mais

DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA

DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA NOSSA MISSÃO Contribuir para a garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada, fiscalizando, normatizando e disciplinando o exercício profissional do nutricionista e do técnico em Nutrição e Dietética,

Leia mais

CARTA DE POSIÇÃO. princípios da agricultura biológica vs. culturas geneticamente modificadas

CARTA DE POSIÇÃO. princípios da agricultura biológica vs. culturas geneticamente modificadas CARTA DE POSIÇÃO A AGROBIO é contra a plantação comercial de culturas Geneticamente Modificadas (GM) e contra o uso de ingredientes GM na alimentação humana e animal. Enquanto estas não forem proibidas,

Leia mais

O Desenvolvimento da Genética. (na resolução de problemas da sociedade)

O Desenvolvimento da Genética. (na resolução de problemas da sociedade) HEREDITARIEDADE O Desenvolvimento da Genética (na resolução de problemas da sociedade) A Produção de Alimentos } Manipulação de seres vivos em laboratório, alterando o seu genomapara melhorar uma ou maias

Leia mais

Dicas para o ENEM 2015 BIOLOGIA. Professora Priscila F Binatto

Dicas para o ENEM 2015 BIOLOGIA. Professora Priscila F Binatto Dicas para o ENEM 2015 BIOLOGIA Professora Priscila F Binatto TEMAS MAIS FREQUENTES Questões ambientais: temas atuais, como sustentabilidade, desmatamento, poluição, preservação e uso dos recursos hídricos,

Leia mais

Contribuição dos Alimentos Orgânicos para a Segurança Alimentar e Nutricional

Contribuição dos Alimentos Orgânicos para a Segurança Alimentar e Nutricional Contribuição dos Alimentos Orgânicos para a Segurança Alimentar e Nutricional Dra. Regilda Saraiva dos Reis Moreira-Araújo Professora Associada (DN/CCS/UFPI) Alimentos Orgânicos e Qualidade de Vida Na

Leia mais

Disciplina: Ciências do Ambiente

Disciplina: Ciências do Ambiente Disciplina: Ciências do Ambiente Introdução à Ecologia Prof. Fernando Porto Introdução Ernst Haeckel: O conhecimento biológico nunca é completo quando o organismo é estudado isoladamente. Ecologia: Ciência

Leia mais

GENÉTICA E HEREDITARIEDADE

GENÉTICA E HEREDITARIEDADE GENÉTICA E HEREDITARIEDADE NOÇÕES BÁSICAS DE HEREDITARIEDADE Os indivíduos de uma determinada espécie apresentam diferenças entre si, apesar de serem muito semelhantes. O QUE É A HEREDITARIEDADE E A GENÉTICA?

Leia mais

Biodiversidade. Sociobiodiversidade

Biodiversidade. Sociobiodiversidade Conceitos Biodiversidade Bio significa vida e diversidade significa variedade. Então, biodiversidade ou diversidade biológica compreende a totalidade de variedade de formas de vida que podemos encontrar

Leia mais

Módulo: AGRICULTURA I

Módulo: AGRICULTURA I Módulo: AGRICULTURA I Aline Gomes Aguiar Engª Agrônoma M.Sc. em Fitotecnia Barra da Estiva-Ba Julho 2012 ORIGEM, HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DA AGRICULTURA ORIGEM DA AGRICULTURA Do latim agru que significa "terra

Leia mais

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa Postal: 149, CEP 78.850-000;

Leia mais

O mercado de agroquímicos. Giovani Theisen

O mercado de agroquímicos. Giovani Theisen O mercado de agroquímicos Giovani Theisen O mercado de agroquímicos Demanda agrícola mundial e potencial do Brasil Mercados de agrotóxicos e fertilizantes Empresas produtoras Contexto & considerações finais

Leia mais

Experiências de Moçambique com as abordagens baseadas no alimento: Fortificação e Biofortificação

Experiências de Moçambique com as abordagens baseadas no alimento: Fortificação e Biofortificação Experiências de Moçambique com as abordagens baseadas no alimento: Fortificação e Biofortificação Por: Dercio Matale Helen Keller International A Fome Oculta=Deficiências de Micronutrientes No mundo, aproximadamente

Leia mais

Introdução à Fisiologia Vegetal

Introdução à Fisiologia Vegetal UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO PÓLO AVANÇADO DE XERÉM GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA CURSO FISIOLOGIA VEGETAL(XBT355) TURMA 2014/2 Introdução à Fisiologia Vegetal Prof. Dr. Silas Pessini Rodrigues

Leia mais

BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA

BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA O Brasil, por sua grande diversidade de biomas e de ecossistemas, vasta extensão territorial e por estar nos trópicos onde se concentra a maior biodiversidade

Leia mais