3ºano LEEC. Sistema de alarme para habitações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3ºano LEEC. Sistema de alarme para habitações"

Transcrição

1 Sistemas de µcomputadores 3ºano LEEC Sistema de alarme para habitações o Filipe Alexandre da Silva Vila Real (ee96045) o Pedro Henrique Moreira de Sousa (ee96183) o Rui Miguel Barbosa da Costa Gonçalves (ee96190) Turma: 3ET12 Grupo: 5 Porto,4 de Junho de 2001

2 SUC 3ºAno LEEC 2 1 Funcionalidade Pretendida Pretende-se conceber um sistema de alarme para habitações controlado por teclado e dotado de dois conjuntos diferentes de entradas de alarme: 3 entradas provenientes de detectores volumétricos e 1 entradas provenientes de sensores anti-arrombamento. O funcionamento pretendido para o sistema é o seguinte: o alarme é ligado e desligado com a introdução de um código de 2 dígitos prédefinido e gravado em memória. O estado (ligado ou desligado) é assinalado num LED verde. Os sensores anti-arrombamento estão permanentemente activos e não são temporizados: a activação de um deles faz ligar imediatamente a sirene de alarme durante 1 minuto, não podendo ser desligada durante este período. Os detectores volumétricos são temporizados, de forma a permitir ligar o alarme e sair de casa, bem como entrar em casa e desligar o alarme. Estas temporizações (de saída e de entrada) são fixadas em 20 segundos. Após a inicialização do sistema, o alarme deve ficar no estado desligado (LED verde desligado). Introduzindo o código de acesso dá-se início à contagem dos tempo de saída (20 s) e é ligado um sinal sonoro intermitente (besouro); durante este tempo são ignoradas as entradas provenientes dos sensores volumétricos. Após o tempo de saída é desligado o besouro e o alarme fica ligado, monitorando as entradas desses sensores. Neste estado, sendo activado um sensor volumétrico é iniciada a contagem do tempo de entrada (20 s) e activado um sinal sonoro intermitente no besouro, durante o qual o alarme pode ser desligado com a introdução do código de acesso. Se o alarme não for desligado nesse intervalo de tempo é ligada a sirene durante 1 minuto, podendo ser desactivada se durante esse período for introduzido o código de acesso. O sistema possui ainda um visualizador de 7 segmentos onde é mostrado o número do sensor que deu origem a uma situação de alarme. Como sugestão de melhoria propõe-se a inclusão de uma interface série ao sistema, de forma a possibilitar o controlo de um modem para comunicar pela linha telefónica uma situação de alarme.

3 SUC 3ºAno LEEC 3 2 Interface com o Utilizador O interface com o utilizador compreende um teclado, LEDs, botões de pressão e um display de 7 segmentos. A descrição deste interface é a seguinte: Os LEDs indicam o estado geral do alarme (sistema ligado, LED apagado/sistema desligado), existem ainda LEDs de aviso que indicam o accionamento de algum dos sensores; O besouro e a sirene, ambos simulados por LEDs, são ligados, respectivamente, quando é activado algum sensor volumétrico ou quando são inicializadas as temporizações de entrada e de saída, ou quando é activado o sensor de arrombamento; O display de 7 segmentos indica o número do sensor que deu origem a uma situação de alarme; Os botões de pressão permitem simular a activação dos diversos sensores existentes no sistema; O teclado permite a introdução de um código de 2 dígitos para a activação/desactivação do alarme.

4 SUC 3ºAno LEEC 4 3 Fluxograma Alarme desligado Código OK Temporização saída Temporização entrada sensor volum. acitvo Alarme ligado sensor arrombamento activo 20 seg sem intr. codigo Sirene alarme Código OK 1 minuto

5 SUC 3ºAno LEEC 5 4 Atribuição de Recursos A implementação em hardware teve como base a placa CORE51. Os sensores são simulados por botões de pressão existentes na placa CORE51. A sirene e o besouro são simuladas da seguinte forma: quando é activado o besouro este é implementado como sendo um LED intermitente na porta P1.5; por outro lado quando é activada a sirene, o mesmo LED, é aceso sem intermitência. O teclado foi montado da seguinte forma: uma vez que o código é de apenas dois dígitos (dígitos 1 e 2 ), e para poupar recursos de hardware, optamos por activar apenas uma linha da matriz 4x4 que constituí o teclado, e testar somente duas colunas, desta forma ignoramos todas as restantes teclas e limitamo-nos a dois fios que serão ligados às portas P1.6 e P1.7. Quando estas portas tiverem uma transição 1-0, significa que a combinação correcta foi premida. O display de 7seg é montado como está mostrado no esquema anexo, tendo sido usado o seguinte material: descodificador CD4511 e um display de cátodo comum. O descodificador CD4511 é formado por um latch, o descodificador BCD/7 segmentos e um driver que dispõe de transístores bipolares NPN capazes de fornecer até 25mA. Serve para se ligar a displays de cátodo comum. As entradas de /LT (Lamp Test), /BL (Blanking) e LE (Latch Enable) servem para testar o display. CD4511

6 SUC 3ºAno LEEC 6 Tabela de Verdade do CD Desenvolvimento de Rotinas Esta primeira rotina teve como objectivo testar os botões, simulando os sensores, e as respectivas temporizações. Neste primeiro não foi tido em conta o teclado, deste modo, o alarme já se encontra ligado quando é iniciada a execução do programa e não é possível abortar as temporizações. #include <stdio.h> #include <reg51.h> //definição dos LED's sbit LED_GERAL=0x94; //P1.4 sbit LED_AVISO=0x95; //P1.5 //definição dos sensores sbit SEN1=0x90; //P1.0 sbit SEN2=0x91; //P1.1 sbit SEN3=0x92; //P1.2 sbit SENARR=0x93; //P1.3 //definição do display de 7segmentos sbit A=0xB3; //P3.3

7 SUC 3ºAno LEEC 7 sbit F=0xB4; //P3.4 sbit C=0xB5; //P3.5 sbit D=0xB2; //P3.2 void temp_entrada(void ); /*********** PROGRAMA PRINCIPAL ***********/ void main(void) LED_GERAL=0;//alarme ligado LED_AVISO=1; //se for activado sensor 1 if((sen1==0)&&(sen2==1)&&(sen3==1)&&(senarr==1)) D=0;C=0;F=0;A=1;//DCBA temp_entrada(); //se for activado sensor 2 if((sen1==1)&&(sen2==0)&&(sen3==1)&&(senarr==1)) D=0;C=0;F=1;A=0;//DCBA temp_entrada(); //se for activado sensor 3 if((sen1==1)&&(sen2==1)&&(sen3==0)&&(senarr==1)) D=0;C=0;F=1;A=1;//DCBA temp_entrada(); //se for activado sensor de arrombamento if((sen1==1)&&(sen2==1)&&(sen3==1)&&(senarr==0)) unsigned int i; D=1;C=0;F=0;A=1;//DCBA i= ; while(i>0) LED_AVISO=0;//sirene,LED_AVISO aceso 1 minuto i--; void temp_entrada() unsigned int i,k,j,l; k=10; while(k>0)//besouro,20 seg com LED_AVISO intermitente i=40000;

8 SUC 3ºAno LEEC 8 while(i>0) LED_AVISO=0; i--; j=40000; while(j>0) LED_AVISO=1; j--; k--; l= ; while(l>0)//sirene,1min com LED_VISO ligado LED_AVISO=0; l--; O programa que se segue já tem em conta o teclado, porém é uma versão que diz respeito à ligação do teclado 4x4 usando apenas duas colunas, não se trata da versão final com todas as teclas do teclado activas. Mais uma vez é um segmento de código que foi usado como refinamento do primeiro. #include <stdio.h> #include <reg51.h> #define OK 1; #define NOK -1; //definição dos LED's sbit LED_GERAL=0x94; //P1.4 sbit LED_AVISO=0x95; //P1.5 sbit TECLA1=0x96; //P1.6 sbit TECLA2=0x97; //P1.7 //definição dos sensores sbit SEN1=0x90; //P1.0 sbit SEN2=0x91; //P1.1 sbit SEN3=0x92; //P1.2 sbit SENARR=0x93; //P1.3 //definição do display de 7segmentos sbit A=0xB3; //P3.3 sbit F=0xB4; //P3.4 sbit C=0xB5; //P3.5 sbit D=0xB2; //P3.2 int t1,t2,n;

9 SUC 3ºAno LEEC 9 void desligado(void)//função que desliga o alarme LED_GERAL=1; LED_AVISO=1; //inicialização de variáveis t1=1; t2=1; n=0; void liga(void)//função que liga o alarme LED_GERAL=0; LED_AVISO=1; void temp_saida(void) unsigned int i,j,k; SEN1=1;SEN2=1;SEN3=1;SENARR=1; k=10; while(k>0)//besouro,20 seg com LED_AVISO intermitente i=40000; while(i>0) LED_AVISO=0; i--; j=40000; while(j>0) LED_AVISO=1; j--; k--; liga();//após 20 seg o alarme é ligado int temp_entrada(void) unsigned int c,i,k,j,l; k=10; while((k>0)&&(c!=ok))//besouro,20 seg com LED_AVISO intermitente i=40000;//aproximadamente 1 segundo while(i>0) LED_AVISO=0;//liga i--; j=40000; while(j>0)

10 SUC 3ºAno LEEC 10 LED_AVISO=1;//desliga j--; k--; c=codigo();//faz leituras sucessivas do código if(c==ok) return (0);//se codigo correcto sai //após 20segundos sem introduzir codigo correcto l= ; while((l>0)&&(c!=ok))//sirene,1min com LED_VISO ligado LED_AVISO=0; l--; c=codigo();//leituras ao codigo if (c==ok) return 0; int codigo(void)//função de leitura do código while (n<2) if (TECLA1==0) n++; t1=0; if (t1==0) if (TECLA2==0) n++; t2=0; if((n==2)&&(t1==0)&&(t2==0)) n=0; return OK; else if (n==2) n=0; return NOK; /*********** PROGRAMA PRINCIPAL ***********/ main() desligado(); dowhile(codigo()!=ok);//espera pelo codigo

11 SUC 3ºAno LEEC 11 temp_saida(); //se sensor 1 activado if((sen1==0)&&(sen2==1)&&(sen3==1)&&(senarr==1)) D=0;C=0;F=0;A=1;//DCBA temp_entrada(); //se sensor 2 activado if((sen1==1)&&(sen2==0)&&(sen3==1)&&(senarr==1)) D=0;C=0;F=1;A=0;//DCBA temp_entrada(); //se sensor 3 activado if((sen1==1)&&(sen2==1)&&(sen3==0)&&(senarr==1)) D=0;C=0;F=1;A=1;//DCBA temp_entrada(); //se sensor arrombamento activado if((sen1==1)&&(sen2==1)&&(sen3==1)&&(senarr==0)) unsigned int l; D=0;C=0;F=0;A=0;//DCBA l= ; while((l>0)//sirene,1min com LED_VISO ligado LED_AVISO=0;//nao há possibilidade de desligar l--;

12 SUC 3ºAno LEEC 12 6 Conclusões Neste último capítulo pretendemos apresentar as últimas notas sobre o nosso trabalho. Tentamos dividir o nosso projecto por etapas, começando por implementar software que nos permitisse testar a funcionalidade dos LEDs e dos botões, evoluindo depois para um código que abrangesse o teclado 4x4. Em relação ao hardware sentimos dificuldades na ligação do teclado 4x4. A solução que foi descrita anteriormente, com apenas duas colunas ligadas e uma linha sempre activa, é uma solução simplista, mas no nosso entender válida. Uma outra solução, foi a da utilização de buffers para fazer a leitura/escrita do teclado. Os esquemas de ligação de ambas as montagens encontram-se em anexo.

Manual Utilização. Central Detecção Incêndio. JUNIOR-NET CSA v.4. Sistema Analógico Endereçável

Manual Utilização. Central Detecção Incêndio. JUNIOR-NET CSA v.4. Sistema Analógico Endereçável Manual Utilização Central Detecção Incêndio JUNIOR-NET CSA v.4 Sistema Analógico Endereçável Modelo com aprovação das normas EN54PT2 e PT4 1999 GFE 1/5 Legenda da Central: 1 33 32 2 3 31 30 4 10 5 29 28

Leia mais

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FAP2 2 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FAP2 2 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC Modelo FAP2 2 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO Introdução A FAP2 é uma Central de Detecção de Incêndio Convencional, equipada com 2 zonas de detecção,

Leia mais

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FP4-4 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FP4-4 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC Modelo FP4-4 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO Introdução A FP4 é uma Central de Detecção de Incêndio Convencional, equipada com 4 zonas de detecção,

Leia mais

Software de aplicação Tebis

Software de aplicação Tebis Software de aplicação Tebis A faire Módulo 4-6-8-10 saídas ON/OFF Características elétricas/mecânicas: Ver manual do produto Referência do produto Designação do produto Ref. software de aplicação Produto

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES www.esxxi.pt Departamento Técnico Instruções de Utilização Avançadas A seguir é apresentado a descrição e significado das luzes do teclado: ALARM: Sempre que o sistema tenha gerado

Leia mais

Introdução ao Laboratório

Introdução ao Laboratório SISTEMAS DIGITAIS LEIC-T, LERC, LEE Ano lectivo de 2012/2013 Trab0 Introdução ao Laboratório 1 Introdução O objectivo deste trabalho de laboratório é efectuar a adaptação ao ambiente do laboratório da

Leia mais

Multiplexando displays de 7 segmentos com PIC16F877A

Multiplexando displays de 7 segmentos com PIC16F877A Multiplexando displays de 7 segmentos com PIC16F877A A ligação de vários displays de 7 segmentos nos PICs podem ser feitas de diversas meneiras, uma bastante interessante é a que se segue. A ligação de

Leia mais

Biblioteca de aplicações

Biblioteca de aplicações Biblioteca de aplicações Observação: as descrições que se seguem mostram as ligações que permitem aceder à aplicação correspondente. Se o software Zelio Soft 2 estiver instalado, clique uma vez na ligação

Leia mais

Manual de Utilizador

Manual de Utilizador Manual de Utilizador Revisão 1.0 Tabela de Símbolos: Zonas 1-24 OFF Zona está fechada Central Desarmada ON Zona está aberta Central Armada Mostra estado da Zona Mostra Alarme Individual de Tamper Mostra

Leia mais

manual DE OPERAÇÃO SISTEMA DE ALARME DE INCÊNDIO ENDEREÇAVEL SOLARA125

manual DE OPERAÇÃO SISTEMA DE ALARME DE INCÊNDIO ENDEREÇAVEL SOLARA125 manual DE OPERAÇÃO SISTEMA DE ALARME DE INCÊNDIO ENDEREÇAVEL SOLARA125 INDICE 1 COMANDOS E SINALIZAÇÕES DA CENTRAL... 3 1.1 DISPOSITIVOS DE INDICAÇÃO... 4 1.2 NIVEIS DE ACESSO AO TECLADO... 5 1.3 TECLAS

Leia mais

JA-63 Profi Manual do Utilizador

JA-63 Profi Manual do Utilizador JA-63 Profi Manual do Utilizador Índice: 1 Indicadores... 3 2 Controlo do sistema... 4 2.1 Armar... 4 2.2 Desarmar... 5 2.3 Alarme de Pânico... 5 2.4 Para cancelar ALARME... 5 2.5 Armar em modo Home...

Leia mais

PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO

PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO Active 20 GPRS Rev00 23/04/2009 1- CARACTERÍSTICAS GERAIS 8 Zonas duplas programáveis, mais 1 zona por teclado; 4 Teclados endereçáveis com programações independentes;

Leia mais

Easy Series. Guia do utilizador. Painel de Controlo de Intrusão

Easy Series. Guia do utilizador. Painel de Controlo de Intrusão Easy Series PT Guia do utilizador Painel de Controlo de Intrusão Easy Series Guia do utilizador Utilizar o teclado de comando Utilizar o teclado de comando Estados do Dispositivo de Visualização Dispositivo

Leia mais

2 Zonas com capacidade de teste e inibição. 2 Circuitos de sirenes com capacidade de inibição. Fonte de alimentação de 24V/400mA com bateria de

2 Zonas com capacidade de teste e inibição. 2 Circuitos de sirenes com capacidade de inibição. Fonte de alimentação de 24V/400mA com bateria de Central de Detecção de Incêndio de 2 Zonas Características 2 Zonas com capacidade de teste e inibição. 2 Circuitos de sirenes com capacidade de inibição. Fonte de alimentação de 24V/400mA com bateria de

Leia mais

Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Param. Mensagem

Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Param. Mensagem Minha habitação Aplicação para telemóvel Manual de instalação e utilização PT Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Mensagem Índice 1- Apresentação...............................................3

Leia mais

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Características Quatro zonas com capacidade de teste/isolamento. Dois circuitos de alarme com possibilidade de isolamento. Fonte de alimentação

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores.

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores. Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Projecto de Arquitectura de Computadores Jogo dos Blocos (variante do Arkanoid) (Versão 1.0) 2008/2009 Índice 1 Objectivo...

Leia mais

Manual de Operação da série 2X

Manual de Operação da série 2X Manual de Operação da série 2X P/N 00-3250-505-0021-04 ISS 04MAY15 Copyright Marcas comerciais e patentes Fabricante Versão Certificação 2015 UTC Fire & Security. Todos os direitos reservados. A série

Leia mais

Manual de Operação dos Painéis de Alarme de Incêndio da Série 2X-F

Manual de Operação dos Painéis de Alarme de Incêndio da Série 2X-F Manual de Operação dos Painéis de Alarme de Incêndio da Série 2X-F P/N 501-405021-2-20 REV 2.0 ISS 04MAY11 Copyright Marcas comerciais e patentes Fabricante Versão Certificação Directivas da União Europeia

Leia mais

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa Sistemas Digitais Guia de Implementação de Circuitos na Placa de Desenvolvimento Horácio

Leia mais

Implementação de um Sistema Digital em VHDL Cronômetro para Jogos de Basquete

Implementação de um Sistema Digital em VHDL Cronômetro para Jogos de Basquete - 1 - V 1.0 - De: 02/maio/2012 por Ney Calazans Laboratório de Organização de Computadores-EC V 3.2 - De: 21/abril/2013 por Fernando Gehm Moraes e Ney Calazans Implementação de um Sistema Digital em VHDL

Leia mais

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev P27070 - Rev. 0 1. RESTRIÇÕES DE FUNCIONAMENTO RECEPTOR IP ÍNDICE 1. Restrições de Funcionamento... 03 2. Receptor IP... 03 3. Inicialização do Software... 03 4. Aba Eventos... 04 4.1. Botão Contas...

Leia mais

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Universidade Federal de Uberlândia Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Prof. Dr. Alan Petrônio Pinheiro Faculdade de Engenharia Elétrica Curso de Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações (campus

Leia mais

PAINEL DE ALARME VERSÃO 01

PAINEL DE ALARME VERSÃO 01 PAINEL DE ALARME VERSÃO 01 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS 8 Zonas duplas programáveis, mais 1 zona por teclado; 4 Teclados endereçáveis com programações independentes; 95 usuários, 3 usuários temporários, além

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

Circuitos Digitais 1

Circuitos Digitais 1 UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAMPUS DE SOROCABA Circuitos Digitais 1 - Prática de Laboratório - Simulação de decodificador para display de 7 segmentos Prof Dr

Leia mais

SC ELPADRE INVEST LDA

SC ELPADRE INVEST LDA SC ELPADRE INVEST LDA Fabricante de centrais anti arrombamento HOME ALERT. S.C Elpadre Invest Lda é uma empresa criada em 2008, e que tem como atividade principal o fabrico de equipamento de comunicação.

Leia mais

Sistema de Alarme Sem Fios por GSM

Sistema de Alarme Sem Fios por GSM Sistema de Alarme Sem Fios por GSM MANUAL DE INSTRUÇÕES v1.1 Sistema de Alarme Sem Fios por GSM - MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 ÍNDICE 1. Introdução e Descrição 3 2. Características 5 3. Especificações Técnicas

Leia mais

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO:

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: RGM: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADOR SÍNCRONO O objetivo desse projeto extra é aplicar os conceitos vistos em aula teórica

Leia mais

SUPERVISOR ELETRÔNICO PARA POSTOS DE SEGURANÇA RCP-2000 MANUAL DE INSTALAÇÃO / OPERAÇÃO REV. 08/01

SUPERVISOR ELETRÔNICO PARA POSTOS DE SEGURANÇA RCP-2000 MANUAL DE INSTALAÇÃO / OPERAÇÃO REV. 08/01 SUPERVISOR ELETRÔNICO PARA POSTOS DE SEGURANÇA RCP-2000 MANUAL DE INSTALAÇÃO / OPERAÇÃO REV. 08/01 SUMÁRIO CONTROLADOR DE PORTARIA RCP-2000...1 A) O EQUIPAMENTO RCP-2000... 1 A.1 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS...

Leia mais

www.sulton.com.br 1. Apresentação do Tele Alarme Tom e Pulso

www.sulton.com.br 1. Apresentação do Tele Alarme Tom e Pulso 1. Apresentação do Tele Alarme Tom e Pulso Equipamento desenvolvido a fim de realizar automaticamente discagens telefônicas para aviso de alarme. Podendo ser implementado praticamente à todos os sistema

Leia mais

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: RGM: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS O objetivo desse projeto extra é aplicar os conceitos vistos em aula

Leia mais

TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis

TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis Descrição Geral TA ISA V1.0 Alarme Instalações Sanitárias Acessíveis O TA ISA foi concebido para cumprir a legislação em vigor nomeadamente o DL. 163/2006 no seu art. 2.9.15 abaixo transcrito. Possui no

Leia mais

BLOCKGAS. Sistema de Monitoração e Alarme de vazamento de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás SB330.

BLOCKGAS. Sistema de Monitoração e Alarme de vazamento de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás. É composto por um circuito inteligente (microcontrolado) que recebe o sinal gerado por um sensor eletrônico de gás, processa sua calibração

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR. www.only-pt.pt

MANUAL DO UTILIZADOR. www.only-pt.pt SISTEMA AUTOMAÇÃO DE SEGURANÇA SOM MANUAL DO UTILIZADOR www.only-pt.pt INTRODUÇÃO... 4 INTRUSÃO zonas periféricas e interiores... 4 SEGURANÇA zonas 24 horas... 5 UNIDADES DO SISTEMA DE SEGURANÇA ONLY...

Leia mais

Controladores Lógicos Programáveis 2

Controladores Lógicos Programáveis 2 Escola Superior de Tecnologia Instituto Politécnico de Castelo Branco Departamento de Informática Curso de Engenharia Informática Automação e Controlo Industrial Ano Lectivo de 2004/2005 Controladores

Leia mais

Projeto No. 11 Display de Leds de 7 Segmentos

Projeto No. 11 Display de Leds de 7 Segmentos Projeto No. 11 Display de Leds de 7 Segmentos O objetivo deste projeto é demonstrar a utilização do display de led de 7 segmentos controlado diretamente a partir das portas do Arduino. Material necessário:

Leia mais

Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO

Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO Parabéns! Você acaba de adquirir um produto de alta confiabilidade, projetado e construído dentro dos mais rígidos

Leia mais

José Romildo Malaquias 2011-1

José Romildo Malaquias 2011-1 Programação de Computadores I Aula 08 Programação: Estruturas de Repetição José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/58 Motivação Como imprimir os três

Leia mais

Central de Alarme de Oito Zonas

Central de Alarme de Oito Zonas Central de Alarme de Oito Zonas R02 ÍNDICE CARACTERÍSTICAS GERAIS:... 3 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:... 3 CONHECENDO A CENTRAL:... 4 COMO A CENTRAL FUNCIONA:... 4 COMO APAGAR A MEMÓRIA DA CENTRAL:... 4 COMO

Leia mais

Conteúdo. Contactos para quando necessitar de ajuda: O Instalador: Fabricante: Manual utilizador JA-80K 1 MKE52400

Conteúdo. Contactos para quando necessitar de ajuda: O Instalador: Fabricante: Manual utilizador JA-80K 1 MKE52400 Conteúdo Para o utilizador OASiS... 2 O que é um sistema de segurança?... Erro! Marcador não definido. Códigos de acesso ao sistema alarme... 2 1. Armar sistema... 3 2. Durante o processo de armar do sistema...

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO 0 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO PROJETO INTEGRADO: COBERTURA AUTOMATIZADA COM DETECTOR DE CHUVA CURITIBA 2010 1 TAISA DAIANA DA COSTA PROJETO

Leia mais

Segurança 24, Lda VIDEOGRAVADOR DIGITAL EM DISCO DURO TRANSMISOR POR TCP-IP SERVIDOR WEB MANUAL DO UTILIZADOR

Segurança 24, Lda VIDEOGRAVADOR DIGITAL EM DISCO DURO TRANSMISOR POR TCP-IP SERVIDOR WEB MANUAL DO UTILIZADOR VIDEOGRAVADOR DIGITAL EM DISCO DURO TRANSMISOR POR TCP-IP SERVIDOR WEB MANUAL DO UTILIZADOR Capítulo 4 Guia Básico de Operação 4.1 Ligar o DVR Nota: Certifique-se que liga correctamente os conectores de

Leia mais

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO. CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade)

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO. CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade) Introdução MANUAL DE PROGRAMAÇÃO YK-688 CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade) O YK-668 é um controlador de acesso para porta simples baseado um microcontroladores

Leia mais

Manual de Utilizador

Manual de Utilizador Manual de Utilizador -2- Índice Índice...3 1: Introdução...4 1.1: Componentes do Sistema de Segurança...4 1.2: Monitorização do Sistema...5 2: Interface do Utilizador...7 2.1: Painel de Controlo Teclado...7

Leia mais

Funcionalidades. Conteúdo da Caixa POR

Funcionalidades. Conteúdo da Caixa POR POR Funcionalidades A ASA-30 pode ser usada como um sirene adicional ao seu sistema de alarme ou como uma sirene independente ligada a um controlo remoto e/ou detectores sem fios. - Ligação sem fios para

Leia mais

Software de aplicação Tebis

Software de aplicação Tebis 5 Software de aplicação Tebis TL304C V 1 x 4 entradas TL310A V 1 x 10 entradas TL302B V 1 x 2 entradas TL304B V 1 x 4 entradas Referência do produto TXA304 TXA310 TXB302 TXB304 Descrição Módulo 4 entradas

Leia mais

MÓDULO 02 PROCESSOS E THREADS PROCESSOS e THREADS

MÓDULO 02 PROCESSOS E THREADS PROCESSOS e THREADS MÓDULO 02 PROCESSOS E THREADS PROCESSOS e THREADS 1. ATIVIDADE 01 Verificar a criação de um processo filho (que imprime de 51 a 100) que rodará concorrentemente com o processo pai (que imprime de 1 a 50)

Leia mais

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ.

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ. 8 Tecla Cancelar. Utilizado para retorno de nível de programação. 9 Tecla Enter. Utilizado para acessar programação. Obs.: Todas as teclas podem ser utilizadas no diagrama Ladder. 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Leia mais

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Display de 7 Segmentos Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Central Monitorada CAM 816

Central Monitorada CAM 816 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Central Monitorada CAM 816 www.compatec.com.br Índice 1.Apresentação... 2.Características Gerais....Características Técnicas... 4 4.Status de Bips... 4 5.Status de Bips

Leia mais

Programação em Ladder

Programação em Ladder Programação em Ladder Composição de um programa em Ladder Um programa escrito em Ladder é constituído por um conjunto de sequências (rungs) que são executados sequencialmente pelo autómato. Uma sequência

Leia mais

Manual de programação da central VERITAS

Manual de programação da central VERITAS Manual de programação da central VERITAS A programação não é normalmente necessária dado a programação de fábrica ter sido seleccionada para satisfazer a grande parte das instalações. Todavia todas as

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3.2 CARACTERÍSTICAS DE SOFTWARE 1. CARACTERÍSTICAS O CLG535R é um controlador programável que integra os principais recursos empregados em uma automação industrial. Dispõe integrado

Leia mais

Módulo I. Desenvolvimento Software CLP - Básico

Módulo I. Desenvolvimento Software CLP - Básico Desenvolvimento Software CLP - Básico Lista de exercícios utilizados nas vídeo aulas e manual de referência das instruções utilizadas em cada aula. Setor de capacitação técnica Branqs Automação Santos

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE FUNCIONAMENTO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE FUNCIONAMENTO PROVISÓRIO SPAL APS 2 MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE FUNCIONAMENTO A marca SPAL é uma marca depositada. 2005. É proibida a reprodução. DESCRIÇÃO Módulo electrónico com as seguintes funções: Activar a central

Leia mais

Sistema de Monitorização com Múltiplos Alarmes (1 a -parte)

Sistema de Monitorização com Múltiplos Alarmes (1 a -parte) 1 o -Trabalho de Laboratório - PIC Sistemas Computacionais IST - 2005/2006 Sistema de Monitorização com Múltiplos Alarmes (1 a -parte) 1 Introdução Alguns sistemas embebidos são desenvolvidos sobre plataformas

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR. www.only-pt.pt

MANUAL DO UTILIZADOR. www.only-pt.pt SISTEMA AUTOMAÇÃO DE AUTOMAÇÃO SEGURANÇA SOM MANUAL DO UTILIZADOR www.only-pt.pt INTRODUÇÃO... EQUIPAMENTOS... Princípio de funcionamento... 5 RAMAÇÃO... 6 ESCOLHA DO COMANDO PARA BOTÕES... 6 ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Belo Horizonte 2010 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4 3.1 Strings

Leia mais

Manual Técnico Módulo Ponte H Dupla

Manual Técnico Módulo Ponte H Dupla Manual Técnico Módulo Ponte H Dupla Introdução Módulo de Ponte H dupla para controlar dois motores DC ou um motor de passo bipolar. Com este módulo é possível controlar o sentido de rotação de motores

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO DIGITAL

SISTEMA DE MONITORAMENTO DIGITAL SISTEMA DE MONITORAMENTO DIGITAL Módulos para automação Características gerais - Processamento independente - Possui alerta sonoro e luminoso de falta de conexão - Não precisa ser configurado (Plug and

Leia mais

Sistema de Monitorização e Alarme (1 a -parte)

Sistema de Monitorização e Alarme (1 a -parte) 1 o -Trabalho de Laboratório - PIC Sistemas Computacionais Embebidos IST - 2014/2015 Sistema de Monitorização e Alarme (1 a -parte) 1 Introdução Alguns sistemas embebidos são desenvolvidos sobre plataformas

Leia mais

CENTRAL DE DETECÇÃO DE INTRUSÃO MANUAL DE OPERAÇÃO

CENTRAL DE DETECÇÃO DE INTRUSÃO MANUAL DE OPERAÇÃO CENTRAL DE DETECÇÃO DE INTRUSÃO 9651 MANUAL DE OPERAÇÃO INDICE I Introdução O Sistema de Alarmes refª 9651 3 O Teclado refª 9930 3 II Armar e Desarmar o Sistema Como Armar o Sistema 4 Armar completamente

Leia mais

ELECTRONIC ENGINEERING LTD. Teclado OLED. Guia do Utilizador. Fevereiro 2011 Ver 1.0

ELECTRONIC ENGINEERING LTD. Teclado OLED. Guia do Utilizador. Fevereiro 2011 Ver 1.0 ELECTRONIC ENGINEERING LTD. Teclado OLED Guia do Utilizador Fevereiro 2011 Ver 1.0 Indice TECLAS DE FUNÇÃO...2 TECLAS ALFANUMÉRICAS...3 SINAIS AUDÍVEIS...3 INDICADORES...3 SUMÁRIO DE FUNÇÕES...3 COMO ARMAR

Leia mais

SEÇÃO 06 TESTES E SUPERVISÃO...29 [ 013 ] - Modo de Teste...29 [ 028 ] - Primeiro Teste do Dia...29 [ 029 ] - Intervalo de Teste...

SEÇÃO 06 TESTES E SUPERVISÃO...29 [ 013 ] - Modo de Teste...29 [ 028 ] - Primeiro Teste do Dia...29 [ 029 ] - Intervalo de Teste... V3.5 R3.4 2 Índice INDICAÇÕES DO TECLADO...5 Escolha do local para fixação...6 Alimentação...6 Saídas programáveis (pgm e pgm2)...7 Teclado...8 Instalação das zonas...9 Linha telefônica... Modo de Programação...3

Leia mais

Acessando a Porta Paralela com o Delphi. Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br

Acessando a Porta Paralela com o Delphi. Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br Acessando a Porta Paralela com o Delphi Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Introdução A Porta Paralela pode ser usada de forma a permitir a interface do computador com o mundo externo para acionamento

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO Sistema de Controlo de Acessos RACS PR301 v2.1 Controlador de acesso com leitor e teclado integrado MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO Página 0 Conteúdo Introdução... 2 Melhorias e modificações na versão

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Sensor / Detector de Gás Multigás (GLP / GN / Gás de Carvão / Álcool) + Módulo Endereçável Código: AFDG2-E O Detector de Gás, código AFDG2 é um equipamento que deve ser instalado na parede de cozinhas,

Leia mais

JA 80K e JA 82K OASiS. Manual de Utilização da Central de Alarmes

JA 80K e JA 82K OASiS. Manual de Utilização da Central de Alarmes JA 80K e JA 82K OASiS Manual de Utilização da Central de Alarmes CONTEÚDO Para o utilizador OASiS... 3 O que é um sistema de segurança?... 3 Códigos (cartões) de acesso ao Sistema... 3 Activar o Sistema

Leia mais

Sistema de Controlo de Entrada de Viaturas SCEV

Sistema de Controlo de Entrada de Viaturas SCEV Sistema de Controlo de Entrada de Viaturas SCEV Sónia Mendes, Carla Ladeiro e Paula Pereira Abstract O controlo de acessos a instalações é uma área da segurança electrónica em franca expansão, sendo cada

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO SISTEMA DE INCÊNDIO MENVIER MF9300 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO PRETRÓNICA 1 CONTEÚDO Painel de Controlo e Indicadores Pag. 3 Operação do Painel Pag. 4 Geral Modo Normal Modo Programação Ligação

Leia mais

SENSOR DE LUMINOSIDADE Com indicador de intervalo

SENSOR DE LUMINOSIDADE Com indicador de intervalo SENSOR DE LUMINOSIDADE Com indicador de intervalo Este projeto refere-se à construção de um sensor de luminosidade com o uso de um LDR (Light Dependent Resistor), com as seguintes características: 1. Luminosidade

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI Canoas, junho de 2007. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...03 1.1 Objetivo...04 1.2 Justificativa...04

Leia mais

CR-718 B R U K S A N V I S N I N G M O D E D E M P L O I MANUAL DE INSTRUÇÕES INSTRUCCIONES DE U SO K Ä Y T T Ö O H J E E T GEBRUIKERSHANDLEIDING

CR-718 B R U K S A N V I S N I N G M O D E D E M P L O I MANUAL DE INSTRUÇÕES INSTRUCCIONES DE U SO K Ä Y T T Ö O H J E E T GEBRUIKERSHANDLEIDING CR-718 I N S T R U C T I O N M A N U A L B R U K S A N V I S N I N G B E T J E N I N G S V E J L E D N I N G B E D I E N U N G S A N L E I T U N G M O D E D E M P L O I MANUAL DE INSTRUÇÕES INSTRUCCIONES

Leia mais

DESCRIÇÕES GERAIS SL A X 4 - MT

DESCRIÇÕES GERAIS SL A X 4 - MT DESCRIÇÕES GERAIS SL A X 4 - MT Sua central de alarme SL AX4 - MT, é microcontrolada, com quatro setores independentes, com fios ou sem fios (dependendo dos opcionais instalados), com opções monitoráveis

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Introdução Continuando com a série do último artigo, hoje veremos os passos para o desenvolvimento de uma minuteria com o microcontrolador PIC18F1220

Leia mais

Manual de instrução e instalação VECTRA EX 204. Versão: 00.2010 ou 00.2010T

Manual de instrução e instalação VECTRA EX 204. Versão: 00.2010 ou 00.2010T Manual de instrução e instalação VECTRA EX 204 Versão: 00.2010 ou 00.2010T SUMÁRIO Introdução... 3 Instalação... 4 Configuração... 4 O software... 5 Número da Receptora... 6 Aviso Sonoro... 7 Hora... 8

Leia mais

Ficha 1. Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores.

Ficha 1. Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores. Ficha 1 Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores. Sítio: Elearning UAb Unidade curricular: FATAC - Sensores e Actuadores (DMAD 2013-14) Livro: Ficha 1 Impresso por:

Leia mais

Cada driver contém, sempre que necessário, um conjunto de comandos que podem ser utilizados por meio da chamada de um ioctl.

Cada driver contém, sempre que necessário, um conjunto de comandos que podem ser utilizados por meio da chamada de um ioctl. Capítulo 6 Controlando dispositivos com IOCTL Como continuação do anterior, este capítulo explica o conceito de IOCTL (I/O Control) e demonstra, em alguns exemplos, esta chamada de sistema que complementa

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções EL-USB-2-LCD Registador de Humidade, Temperatura e Ponto de Condensação com visor LCD Manual de Instruções Este registador mede e armazena até 16,379 leituras relativas a humidade e 16,379 leituras relativas

Leia mais

Máx Unid Padrão. Mín 1 / 0.1 0/0 0/0 0/0 0/0 100 / 6.9 100 / 6.9 100 / 6.9 999 150.0 / 302 5.0/9 2 -50.0 / -58 0.1/1 1 / 0.

Máx Unid Padrão. Mín 1 / 0.1 0/0 0/0 0/0 0/0 100 / 6.9 100 / 6.9 100 / 6.9 999 150.0 / 302 5.0/9 2 -50.0 / -58 0.1/1 1 / 0. PCT6 plus CONTROLADOR DIGITAL DE PRESSÃO PARA CENTRAIS DE REFRIGERAÇÃO Ver. PCT6VT74. DESCRIÇÃO O PCT6 plus é um controlador de pressão para ser utilizado em centrais de refrigeração que necessitem de

Leia mais

Português. Câmara digital. Manual do utilizador

Português. Câmara digital. Manual do utilizador Português Multi-funções Câmara digital Manual do utilizador ii ÍNDICE Identificação dos componentes... 1 Ícones existentes no LCD... 2 Preparação... 2 Introduzir as baterias... 2 Introduza o cartão SD/MMC...

Leia mais

367 mm. 403 mm. 356 mm. 135 mm. Descrição

367 mm. 403 mm. 356 mm. 135 mm. Descrição PORTUGUÊS Fire Alarm Aspiration Sensing Technology manual de instalação rápida Modelos FAAST LT autónomos FL0E FL0E FL0E mm mm 0 mm descrição O LT FL0 Series faz parte da família Fire Alarm Aspiration

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21

Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21 Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21 7ª Experiência Síntese de Circuitos Sequenciais Síncronos 1. Objetivos

Leia mais

Computação e Programação Aula prática nº 5. Enunciados dos problemas

Computação e Programação Aula prática nº 5. Enunciados dos problemas Enunciados dos problemas 1 1. Processador de números 1.1 Objectivos do exercício análise sequencial de um problema baseada em objectos e desenvolvimento do respectivo algoritmo; codificação do algoritmo

Leia mais

Luis Filipe Baptista ENIDH/DEM 2

Luis Filipe Baptista ENIDH/DEM 2 AUTOMAÇÃO (M323) CAPÍTULO V Sistemas Combinatórios 2013/2014 Bibliografia do capítulo José Novais (1997), Método sequencial para automatização electro-pneumática, 3ª Edição, Fundação Calouste Gulbenkian

Leia mais

Projecto e Controlo em Lógica Digital

Projecto e Controlo em Lógica Digital Projecto e Controlo em Lógica Digital 1º Laboratório Trabalho 1 Olá Mundo Objectivo: Escrever Ola Mundo em displays de 7 segmentos Lançar o Quartus II e abrir o projecto DE2_top; Alterar o programa para

Leia mais

Cartão PC para LAN sem fios

Cartão PC para LAN sem fios Cartão PC para LAN sem fios AWL-100 Manual do utilizador Versão 1.1 Junho de 2002 i Aviso I Declaração de copyright Este manual não pode ser reproduzido sob nenhuma forma, por quaisquer meios ou ser utilizado

Leia mais

PREVENÇÃO DE ROUBO PROCURA DE VEICULO AL-C013 DESACTIVAÇÃO URGENTE 89 EXCELENTE ALCANCE PROTECÇÃO ANTI ROUBO DE FREQUENCIA DOS COMANDOS

PREVENÇÃO DE ROUBO PROCURA DE VEICULO AL-C013 DESACTIVAÇÃO URGENTE 89 EXCELENTE ALCANCE PROTECÇÃO ANTI ROUBO DE FREQUENCIA DOS COMANDOS Função Pánico Abrir porta-malas Comando cromado Lembra para activar o alarme AL-981 Verifica se as portas estão fechadas 42 Protecção anti roubo de frequencia dos comandos Sensor Volumétrico vendido em

Leia mais

1 Utilizando o Protoboard

1 Utilizando o Protoboard Ensino Médio Integrado em Automação Industrial Sistemas Digitais e Projeto Integrador Professor: Rafael Garlet de Oliveira 1 Utilizando o Protoboard Aula Prática 1 É um equipamento utilizado para montagens

Leia mais

PDA CAM MANUAL DO UTILIZADOR

PDA CAM MANUAL DO UTILIZADOR PDA CAM MANUAL DO UTILIZADOR Português Manual do utilizador Índice Preparações... 2 Conteúdo da embalagem... 2 Requisitos do sistema... 2 Ficar a conhecer o PDA Cam... 3 Componentes do PDA Cam... 3 Instalação...

Leia mais

DICAS TÉCNICAS. Procedimentos S.A.T. - Serviço de Atendimento Técnico

DICAS TÉCNICAS. Procedimentos S.A.T. - Serviço de Atendimento Técnico SUMÁRIO Dicas Técnicas... 02 1. Problemas com Impressoras... 03 1.1. A impressora não está imprimindo nada.... 03 1.2. A impressora não está imprimindo em DOS... 03 1.3. A impressora não esta imprimindo

Leia mais

Projecto Final de Curso 2004/2005 RESPIFE. Reengenharia de Sistema Produtivo Integrado para Fins Educacionais. Guia do Robot

Projecto Final de Curso 2004/2005 RESPIFE. Reengenharia de Sistema Produtivo Integrado para Fins Educacionais. Guia do Robot RESPIFE Reengenharia de Sistema Produtivo Integrado para Fins Educacionais Guia do Robot Alunos: Filipe Barbosa de Sá Pinto, nº. 0005030955 Rui Alexandre da Costa Ribeiro, n.º 000503073 Docente: Armando

Leia mais

CENTRAL ANALÓGICA DE DETECÇÃO DE INCÊNDIOS ID3000. Manual de funcionamento

CENTRAL ANALÓGICA DE DETECÇÃO DE INCÊNDIOS ID3000. Manual de funcionamento NOTIFIER ESPAÑA, S.L. Avda Conflent 84, nave 23 Pol. Ind. Pomar de Dalt 08916 Badalona (Barcelona) Tel.: 93 497 39 60; Fax: 93 465 86 35 CENTRAL ANALÓGICA DE DETECÇÃO DE INCÊNDIOS ID3000 Manual de funcionamento

Leia mais

M323 AUTOMAÇÃO TRABALHO LABORATORIAL Nº 7

M323 AUTOMAÇÃO TRABALHO LABORATORIAL Nº 7 ESCOLA SUPERIOR NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MARÍTIMA M323 AUTOMAÇÃO TRABALHO LABORATORIAL Nº 7 INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO DE AUTÓMATOS INDUSTRIAIS Por: Prof. Luis Filipe Baptista

Leia mais

ALARME SandSET 101 (Dispositivo de alarme de níveis de lamas e de gorduras) ESQUEMA DE MONTAGEM

ALARME SandSET 101 (Dispositivo de alarme de níveis de lamas e de gorduras) ESQUEMA DE MONTAGEM Art. 701869 ALARME SANSET 101 ALARME SandSET 101 (Dispositivo de alarme de níveis de lamas e de gorduras) ESQUEMA DE MONTAGEM Versão 02_Set.08 1 Art. 701869 SandSET 101 Dispositivo de alarme ACO Passavant,

Leia mais