Hovione NJ da ideia ao sucesso

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Hovione NJ da ideia ao sucesso"

Transcrição

1 N º 1 5 F E V E R E I R O > EM FOCO NESTENÚMERO EM FOCO P.2/3 Sem Princípios Activos Seguros não há Medicamentos Seguros P.2/3 Nova organização de I&D P.3 Mensagem do Administrador Delegado Hovione NJ da ideia ao sucesso A completar cinco anos de colaboração com a Hovione, gostaria de fazer uma breve reflexão sobre o desempenho da Hovione NJ, o nosso Centro de Transferência de Tecnologia (TTC) em New Jersey, nos dois últimos anos. A fundação de um Centro de Transferência de Tecnologia surgiu de uma troca de ideias entre mim, o Guy (Villax) e o Bill (Heggie), há cerca de cinco anos em Frankfurt. A razão de um Centro de Tecnologia nos EUA teve origem no desejo da Hovione em possuir uma "identidade" real no mercado norte-americano e não apenas um escritório de vendas. Esta unidade permitiria, numa primeira fase, introduzir naquele mercado a tecnologia da Hovione, o seu espírito de equipa e a excelência do seu Sistema de Qualidade, além de instituir a Marca Hovione no mercado norte-americano. SERÁ QUE CONSEGUIMOS ALCANÇAR OS OBJECTIVOS PROPOSTOS? Após um arranque lento em que tivemos de identificar novas oportunidades de negócio, os resultados são francamente animadores. No exercício de 2002, o primeiro ano de laboração do TTC (apenas 5 meses), a facturação directa atingiu USD315,000 com apenas um projecto e sem novos clientes. Em 2003, o TTC tinha 4 projectos, 2 novos clientes e uma facturação de USD1,4 m. Em 2004, as perspectivas alargaram-se e, neste momento, prevemos ter 9 projectos, 4 novos clientes e uma facturação de USD5 m. Actualmente, o TTC tem 32 colaboradores, incluindo as Vendas e Marketing. Gostaríamos também de salientar uma mais-valia para a Hovione, designadamente a colaboração de colegas, tanto de Lisboa (HQ) como de Macau (HM), em projectos do TTC permitindo, assim, um intercâmbio rico não só de know-how como também de cultura e de práticas de gestão. O TTC já efectuou a sua primeira transferência de tecnologia para Macau e estamos a trabalhar com o grupo de I&D na HQ em relação à transferência de dois novos projectos para a fábrica de Loures. Durante 2005, teremos mais dois projectos para Macau. Talvez seja interessante realçar que, no Business Plan que justificou o investimento, prevíamos apenas uma transferência de tecnologia por ano de NJ, quer para a HQ, quer para a HM. O sucesso de qualquer pequeno ou grande empreendimento requer o esforço de toda uma equipa. Quero aproveitar esta oportunidade para agradecer a todos os meus colegas pelo mundo fora que, directa ou indirectamente, contribuíram para o êxito da unidade em NJ. Espero que, num futuro próximo, tenha o prazer de os ver mais vezes em NJ. Dave Hoffman, Presidente, US Operations O GRUPO HOVIONE P.4 Êxito da visita dos participantes da APIC/CEFIC P.5 Participação no CPhI - Bruxelas SETE CASAS P.6 Simulacro de Alarme Geral P.6 Utilização Racional de Energia VIDA E SAÚDE P.7 Dicas para manter um alto astral COMUNIDADE HOVIONE P.8 Formação em HAZOP 2ª EDIÇÃO DO PROJECTO DELTA 20 JÁ EM CURSO Arrancou em Janeiro a 2ª edição do projecto Delta 20. A equipa actual é constituída pela Ana Geraldes, Joana Ferreira e João Alves, mantendo-se como sponsor do projecto o Noé Carreira e como consultores internos a Cláudia Ferreira e Filipe Vicente. As oportunidades de melhoria são identificadas por um processo de entrevistas e pela análise dos relatórios anuais das áreas. A estratégia passa por acções concretas para reduzir custos: i) eliminação de actividades que não acrescentam valor ou que são melhor executadas por terceiros, ii) modernização/ajustamento de práticas de trabalho e iii) redistribuição mais equilibrada de recursos. Assim, fez-se um questionário dirigido aos Quadros da Empresa com vista a recolher ideias para o aumento da produtividade. Os temas identificados foram: Simplificação de procedimentos Solucionar o problema da formatação de documentos em DocStream Gestão de projectos Validação e desenvolvimento de métodos analíticos Melhorar o desempenho do CQ Subcontratação de alguns serviços No entanto, uma análise mais cuidada indica que a raiz dos problemas reside essencialmente na: Fraca condução das pessoas e sua organização Falta de bom-senso na execução das tarefas O que resulta em verificarmos que a responsabilidade pela produtividade é partilhada entre os que executam e os que conduzem. O investimento em formação atinge quase 1% das vendas e representa cerca de 40h de formação média a 100% dos colaboradores. No entanto, nunca poderá esta formação preencher a falta de bom senso, de iniciativa e de sentido de responsabilidade. Os exemplos abundam: como poderá o DocStream atender a solicitações de um documento Word que pesa 60 MB por conter imagens e ficheiros de excel completos... A equipa do Delta 20 agradece que lhe sejam reportadas, por Delta20, por telefone (ext. 104) ou pela caixa de sugestões no Bar, todas as situações de ineficiência ou de fraco aproveitamento de recursos. Obrigado, a Equipa do Delta 20

2 P. 2 > E M FOCO Sem Princípios Activos Seguro Medicamentos Seguros Sala de embalagem Área de produção de acordo com normas GMP No passado dia 8 de Dezembro, a Confederação Europeia das Associações de Indústria Química (CEFIC) anunciou a fundação de um grupo de trabalho dedicado à Química Fina, o European Fine Chemicals Group. Pretende este grupo preencher a distância cada vez maior entre a Comissão Europeia (CE) e os agentes económicos. Nessa conferência, a Hovione teve um papel de relevo numa comunicação sobre a discriminação no processo de inspecções de cumprimento das GMPs (Boas Práticas de Manufactura): quem produz na Europa é inspeccionado e obrigado a manter custos de qualidade muito elevados; quem produz fora da Europa nunca é inspeccionado! Resumimos o comunicado da APIC (Comité dos Princípios Activos da CEFIC): A qualidade e a segurança dos medicamentos só podem ser conseguidas através da aplicação de um conjunto de requisitos desde o desenvolvimento à produção requisitos conhecidos por "GMPs", em vez de simples análise ao produto acabado. Esta regra aplica-se igualmente aos princípios activos APIs, que entram na composição dos medicamentos. As autoridades europeias reconhecem as normas GMP como fundamentais, tanto para os medicamentos como para os APIs. Apesar de aplicarem medidas rigorosas no seu cumprimento através de inspecções periódicas aos fabricantes de medicamentos, mostram-se relutantes em implementar as inspecções aos APIs, cabendo essa responsabilidade aos fabricantes do produto formulado. A APIC congratula-se de ver as GMPs para APIs incluídas no Código Europeu de Medicamentos. Mas, uma legislação "bem intencionada" pode ter resultados contrários se não for obrigatória e não existir fiscalização por parte das autoridades. A pressão para a descida de preços dos medicamentos na Europa obriga os fabricantes a procurar novos fornecedores a preços mais baixos, que podem ter origem em custos menores devido a uma qualidade GMP inferior. A grande preocupação da APIC são as empresas farmacêuticas na UE que, sem conhecimento, comprometem a qualidade ao comprarem de fornecedores que, aparentemente, não garantem qualidade. Recentemente foram divulgados dados científicos preocupantes relacionados com APIs pelos grandes riscos para a saúde na UE. Alguns exemplos: caso gentamicina (ref.1): - Existem indícios de que mais de 33% do API utilizado no mercado europeu foi produzido por fabricantes desconhecidos. na Conferência Europeia de APIs, realizada em Lisboa (Outubro de 2004) (ref. 2), uma empresa de renome, demonstrou que, frequentemente, desconhece a origem do fabricante do API. Os elevados padrões de qualidade, segurança e eficácia dos medicamentos na UE, especialmente nos mercados de genéricos e OTC (medicamentos sem prescrição médica), começam a ser seriamente ameaçados. Se não incrementar o controlo no fornecimento de APIs à UE, os fabricantes no mundo inteiro, que cumprem com os padrões rigorosos e de custos elevados da legislação europeia, ficarão em desvantagem competitiva em relação a empresas com um comportamento menos ético. As "boas" empresas - "cumpridoras" - que fabricam medicamentos e APIs serão afastadas pelas "más" - "não cumpridoras". Para reduzir os riscos para a saúde na Europa e Nova organização da Unidade de Negócio de I&D No âmbito da melhoría contínua, a Hovione implementou uma nova organização em 1 de Abril de 2004, estruturada em Unidades de Negócio (Business Units) e Serviços do Grupo (Corporate Services). A Unidade de Negócio de I&D foi criada ao mesmo tempo, no entanto a sua nova estrutura só foi implementada em Outubro passado. Mudámos para uma forma de trabalho mais adequada ao que a I&D oferece e presta aos clientes externos e internos. A organização está agora centrada no projecto, e é um modelo utilizado com grande sucesso por empresas que prestam serviço a clientes. A Hovione teve o cuidado de efectuar consultas a diversas empresas (CUH2A, McKenzie, Intergaup, KPMG) para validar a estrutura que adoptámos. Os critérios pelos quais vamos avaliar o sucesso desta forma de organização são: Desenvolvimento e crescimento das capacidades técnico-científicas dos indivíduos e das disciplinas; Maior produtividade na gestão dos projectos de I&D; Maior lucro dessa Unidade de Negócio. Sem dúvida, este tipo de organização proporcionará aos nossos colegas mais oportunidades em termos de responsabilidades e participação nos projectos, contribuindo para o desenvolvimento das suas carreiras na Hovione.

3 s não há MENSAGEM DE FIM DO ANO DO ADMINISTRADOR DELEGADO salvaguardar a continuidade dos fabricantes de APIs que cumprem a legislação, a UE deve criar um quadro legal, uniforme e equalitário, para todos os fornecedores de APIs da UE, tendo por base: 1. Inspecções obrigatórias e eficazes para certificar que os processos e os controlos de fabrico do API cumprem com as normas ICH/Q7A e estão de acordo com a informação contida nos respectivos dossiers CEP, DMFs ou MAs. 2. Um programa que garanta a certificação da qualidade dos medicamentos e respectivos APIs. 3. A obrigatoriedade de incluir em todas as Autorizações de Introdução no Mercado um Certificado de Cumprimento GMP, emitido pelos serviços de inspecção da UE. 4. Inspecções periódicas de acompanhamento para reconfirmar a validade do Certificado GMP. Estes requisitos permitirão assegurar um nível mais elevado de concorrência no mercado europeu, reduzindo os custos operacionais (ex: a inspecção de uma única autoridade pode suprimir auditorias múltiplas por parte dos clientes). Decorreu no passado dia 23 de Dezembro de 2004, a habitual reunião geral de fim de ano, cujos temas em destaque foram: ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE Temos invulgar incerteza no curto prazo: Dólar fraco fere a nossa competitividade Sector farmacêutico muito descredibilizado, sobretudo nos EUA Genéricos em crescimento a nível global DESEMPENHO COMERCIAL DURANTE O ANO Muito bons resultados naquilo que controlamos (boas vendas em USD, bons rendimentos nas linhas de produção; organização orientada ao negócio; novo programa de segurança implementado) Boas apostas tecnológicas a vingar no mercado Satisfação dos clientes na resolução dos seus problemas Cada vez mais diferenciação perante a concorrência Aumento do número de auditorias, quer em Loures, Macau ou New Jersey INOVAÇÃO Depositámos duas novas patentes em 2004 EVOLUÇÃO DAS VENDAS Em USD temos as vendas a subir; infelizmente muitos dos nossos custos são em Euros e têm vindo a crescer muito mais depressa. Em Euros temos as vendas a diminuir e os custos a subir... EXCLUSIVE MANUFACTURE EM ALTA - AUMENTO DE NOVOS PROJECTOS Ao longo dos últimos seis anos os projectos desen- volvidos pela Hovione têm vindo a aumentar positivamente de 2 projectos novos em 1999 para 7 em 2004 de acordo com os dados abaixo reproduzidos. Segundo a Goldman Sachs, são 19 os novos produtos com um volume de vendas superior a USD200 m que se esperam vir a ser lançados no mercado norteamericano em Destes 19, a Hovione contribui em três deles, o que representa para nós um recorde. TAXA DE CÂMBIO EURO/DÓLAR Continuação da queda do USD face ao Euro 60% da nossa facturação é em USD Euro forte reduziu a competitividade de HQ em 40% 2005 Apesar da incerteza temos confiança nos nossos planos Estamos a contar com um câmbio Euro/Dólar inalterado mas estamos a trabalhar para aumentar a facturação em Euros Vão ser lançados produtos novos Gerir melhor para aumentarmos a nossa produtividade CONCLUSÃO: Temos tido uma estratégia correcta, com bom desempenho das pessoas, com bons resultados de vendas e com clientes satisfeitos. No entanto, o Euro forte reduz a nossa competitividade e as nossas vendas por empregado estão ainda muito aquém do padrão europeu. Com uma gestão prudente, com a qualidade da nossa equipa e do nosso empenho colectivo, o futuro só pode ser bom. APIC, Grupo de Sector da Cefic 24 de Dezembro de "Composition and Impurity Profile of Multisource Raw Material of Gentamicin a Comparison"; Frank Wienen, Ralph Deubner and Ulrike Holzgrabe; Pharmeuropa Vol. 15, No. 2, April 2003: 7.pdf 2. "Agents, Brokers, Traders, Distributors, Repackers and Relabellers Issues", Karl Metzger, Welding GmbH & Co. KG., 7th European API Conference, Lisbon, October 2004: EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE CLIENTES NOVOS POR SEGMENTO DE VENDAS PROJECTOS Exclusive - Novos clientes Exclusive - Novos projectos Genéricos - Novos projectos Total novos projectos P. 3

4 P. 4 > O GRUPO HOVIONE {HM} NOTÍCIAS DE MACAU INSPECÇÃO DO FDA A fábrica da Hovione Macau foi inspeccionada pelo FDA em princípios de Novembro. A inspecção, levada a cabo por Karen Moksnes e Susan Ting, durou 3 dias, menos um do que o previsto. Houve o registo de duas não conformidades no Form 483, já solucionadas. No dia seguinte foi a altura de celebrarmos o contributo de cada um pelo sucesso da inspecção. Os colegas comemoram o bom resultado da inspecção {HQ} NOTÍCIAS DE LOURES Êxito da visita dos participantes da APIC/CEFIC Decorreu no passado mês de Outubro, em Lisboa, a 7ª Conferência Europeia sobre APIs, organizada pela APIC/CEFIC. Esta conferência contou com a presença de cerca de 200 pessoas das 80 empresas que representam a nata dos fabricantes Europeus de princípios activos. A Hovione, como principal patrocinador deste evento, proporcionou aos participantes um jantar no Museu do Azulejo, bem como uma visita às suas instalações. Visitaram a Hovione 101 profissionais da nossa indústria que nos teceram comentários positivos: desde a excelente arrumação, limpeza e manutenção das instalações, aos bons conhecimentos técnicos e de inglês, ao investimento em sistemas de IT, à nossa organização e à hospitalidade com que foram recebidos. Foi um evento com um impacto muito valioso em termos de networking, que contribuíu, sem dúvida, para projectar a imagem e o bom nome de que a Hovione goza internacionalmente. Dessa visita tivemos já contactos comerciais com clientes novos. PESSOAL ADMISSÕES Damos as boas vindas aos colegas Rita Chan, Lucinda Lo, Aye Yat Minn e Brad Hu que regressou à HM e a quem desejamos o maior sucesso. PROMOÇÕES Parabéns a todos os colegas promovidos. Apresentação do sistema informático Na sala de controlo NOVO PROJECTO Em Setembro de 2004, foi feita com êxito a transferência tecnológica de NJ para a HM dum novo produto. Na última campanha de produção em NJ do IR01 colaborou uma equipa da HM, constituída por elementos da Produção, Análise e Controlo de Qualidade. Estes colaboradores foram nomeados membros da equipa responsável pelo arranque do projecto na HM, coadjuvados pela equipa de NJ, que esteve envolvida no projecto desde o seu início. Esta linha de acção, que representa um importante investimento em apoio na transferência de tecnologia, teve muito bons resultados. Em termos de produção, conseguimos terminar a campanha antes do prazo estabelecido e com um rendimento superior ao previsto; em termos humanos, as equipas culturalmente muito diferentes - tiveram oportunidade de se conhecerem, de reconhecerem as capacidades dos outros e de melhor trabalharem juntas. Finalmente a nível do cliente: trata-se de uma firma da Califórnia que namorávamos há anos mas que nunca quis trabalhar connosco por não estarmos localizados nos EUA. Bastou termos o TTC para nos darem uma primeira oportunidade. Fizemos um bom trabalho, conheceram a nossa maneira de ser e o nosso espírito de equipa e não custou muito convencermos o cliente a aceitar a transferência do projecto para Macau! VISITAS Em 16 de Outubro e 20 de Novembro de 2004, dois grupos num total de 50 estudantes do Sacred Heart Canossian College foram recebidos por antigos estudantes daquele Colégio, actualmente na HM. Em 18 de Novembro de 2004, 20 estudantes da Escola Portuguesa de Macau. Em 3 de Dezembro de 2004, 19 arquitectos da International Union of Architects visitaram o novo Edifício da Produção - Bk2A. Visita dos estudantes do Sacred Heart Canossian College Visita do Presidente da Câmara Municipal de Odivelas às nossas instalações Visita do Presidente da Câmara de Odivelas Dr. Manuel Varges Foi com todo o gosto que recebemos na Hovione a visita do Presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Dr. Manuel Varges, no passado dia 26 de Outubro de 2004, acompanhado por alguns vereadores e representantes de farmácias do Concelho de Odivelas, num total de 30 pessoas. Esta iniciativa, que partiu do Município de Odivelas, despertou um grande interesse nos visitantes em conhecerem a nossa actividade e o contributo da Hovione para o desenvolvimento do sector farmacêutico. FESTA DE NATAL No dia 19 de Dezembro decorreu a habitual Festa de Natal, organizada pela "Tara's Travellin Tails". Foi uma festa naturalmente dedicada às crianças, mas muito original com um desfile de animais selvagens, incluindo répteis. As crianças puderam tocar nalguns dos animais e foi com interesse que ouviram como decorre a vida no seu habitat natural - a selva. PESSOAL Desde Janeiro temos connosco dois novos colegas: o Francis Pangulayan, que trabalhou na CRUMBS Engineering, Inc., uma empresa de consultoria da Bayer Pharmaceutical e o Filipe Tomás da HQ, que em Maio de 2004 iniciou uma colaboração temporária no TTC, mas que em Janeiro de 2005 passou a integrar os quadros. O Filipe está agora a trabalhar nos laboratórios de I&D. {NJ} NOTÍCIAS DE NEW JERSEY

5 Participação na feira internacional CPhI, em Bruxelas Pela 12ª vez a Hovione participou no CPhI. O CPhI é a maior feira internacional de matérias-primas, intermediários e APIs para a Indústria Farmacêutica. Este ano o encontro foi em Bruxelas e contou com a presença de 1232 expositores e visitantes. Foram 3 dias (7 a 9 de Dezembro) de grande actividade, onde a Hovione marcou a sua presença com um stand, com um novo design que transmitiu uma imagem mais moderna e atractiva. Estiveram ao todo 19 colaboradores do Grupo Hovione. O grupo das Vendas teve 66 reuniões com clientes actuais e tivemos cerca de 150 visitas ao nosso stand que representam oportunidades de novos negócios. O grupo das Compras esteve envolvido em mais de 30 reuniões com fornecedores actuais e procura de novos fornecedores. Neste CPhI estivémos a promover activamente os novos genéricos em desenvolvimento, assim como as nossas novas capacidades de trabalhar com spray-drying e em produzir APIs melhorados em termos de tamanho de partículas, encapsulação e aglomeração. Esta nova tecnologia e serviço que oferecemos diferencia-nos da concorrência e atraíu muitas novas oportunidades de negócio. A Hovione viu publicados dois artigos no Showdaily, a revista diária da feira, lida por todos os que visitam o evento: "The competitive advantage of non-compliance", por Guy Villax e "Particle size at Hovione: How small do you want it?", por José Rato. O stand Hovione na feira CPhI Bruxelas Alguns colegas na feira Concurso de Ideias para melhorar a produtividade Mantendo os objectivos iniciais de incentivar a melhoria constante na fábrica a todos os níveis e em todas as actividades, o Concurso de Ideias tem agora um tema concreto que decorre durante o 1º semestre de aumento da produtividade. Por consequência, contamos receber ideias que visem, nomeadamente: Dra. Leonor Nobre, Vice-Presidente da AMI, recebe donativo da Hovione Hovione e seus colaboradores fazem donativo de 30 mil às vítimas do Tsunami Perante a tragédia que assolou o sudeste asiático, a Hovione associou-se ao movimento de solidariedade mundial e organizou entre os seus colaboradores uma campanha de recolha de donativos, que decorreu de 4 a 14 de Janeiro. A Empresa comprometeu-se a multiplicar os donativos individuais em 10 vezes. O montante recolhido foi de 2,724.00, tendo o donativo total, incrementado pela Empresa, ascendido aos 30, Das várias organizações humanitárias, a Hovione escolheu apoiar a Fundação AMI - Assistência Médica Internacional, visto ter sido uma das primeiras ONGs a chegar às zonas mais atingidas do Sri Lanka e por ter já demonstrado capacidade de concretização. O apoio da Hovione e dos seus colaboradores é a expressão da nossa solidariedade para com milhões de pessoas directamente afectadas por esta tragédia. Temos actividades sem valor acrescentado? Como eliminá-las? Como acabar com tarefas repetidas? Como alterar métodos e formas de trabalho? Temos métodos de trabalho desactualizados? Como podem ser melhorados? Como fazer mais com menos pessoas? Como simplificar o trabalho sem prejudicar o seu resultado? O Regulamento do Concurso de Ideias encontra-se aprovado de acordo com esta estratégia. Jantares de Natal Como é tradição na Hovione, em Dezembro, cada área organizou os seus jantares de Natal. Os presentes que recebemos dos diversos fornecedores durante o ano foram sorteados durante esses festejos, altura de confraternização e alegria Recursos Humanos, Vendas e Marketing, Comunicação, Farma, GMP Compliance reuniram 45 colegas, no dia 20 de Dezembro no restaurante "A Horta". 2. A área Controlo e Logística Fabril e Automação, foi ao Restaurante "Bahia de Todos os Santos", no dia 16 de Dezembro. 3. A área I&D reuniu 75 colegas no "Buffalo Grill", no dia 18 de Dezembro. P. 5

6 P. 6 > S ETE CASAS Imagens do simulacro SIMULACRO DE ALARME GERAL No passado dia 2 de Dezembro, efectuou-se um Simulacro de Alarme Geral. O objectivo deste exercício foi testar o Plano de Emergência Interno e a ligação com as Entidades Externas. Este simulacro, previsto no programa de acções de treino de Segurança da Empresa, decorreu numa área fabril, e teve a combatê-lo as Brigadas de Combate à Emergência que actuaram segundo o Plano de Emergência Interno. Foi também testada a evacuação de dois edifícios e a respectiva conferência de pessoas. Os Bombeiros Voluntários de Loures foram chamados para colaborar no exercício e compareceram com um carro de comando, dois carros de combate, um carro cisterna e duas ambulâncias, sob a Chefia do Adjunto Francisco Pereira. A Protecção Civil de Loures enviou dois elementos para acompanharem o simulacro. No final foi efectuada uma reunião para análise do simulacro, com todos os intervenientes. A opinião geral foi boa, tendo sido realçada a necessidade de mais operações conjuntas. Queremos agradecer a todos, nomeadamente aos elementos dos Bombeiros Voluntários de Loures e das Brigadas da Hovione, todo o empenho demonstrado no exercício. UMA REFLEXÃO SOBRE O ONTEM E UM OLHAR PARA O AMANHÃ Utilização Racional de Energia e das Utilidades A Utilização Racional de Energia e das Utilidades é um conceito utilizado para definir todas as acções, que tenham como objectivo a eficiência e a redução da quantidade de energia, necessária para uma determinada tarefa (Produção, Serviços, Conforto). No entanto, combater o desperdício não significa abrir mão do conforto ou promover o não consumo, em negação à satisfação das nossas necessidades. Conservar energia, significa sobretudo, o seu uso racional. Para objectivar este conceito, a Área de Utilidades (UT) definiu analisar os dois vectores que considerou fundamentais para o sucesso do seu objectivo: o Comportamental e o Tecnológico. VECTOR COMPORTAMENTAL Após análise, a UT concluiu que o desperdício é sobretudo devido à falta de conhecimentos técnicos, distracção, descuido e nalguns casos negligência. Assim, foi posto em prática um plano de formação nos locais de trabalho, orientado para o uso racional das Utilidades, tendo-se aproveitado estas acções para relembrar conceitos de conservação de energia, conceitos esses diariamente postos em prática, nas nossas casas. Quem é que em sua casa, não desliga a luz, não evita desperdiçar água? Afinal, até se sabia como poupar O que muitos não sabiam é que na nossa Empresa era exponencialmente elevado o consumo oculto. Estamos a falar dos equipamentos que deixamos em modos de espera ou de stand-by e que nos consumiam dezenas de Euros sem nos apercebermos. Aqui não se fugia à regra Eram monitores, computadores, impressoras, carregadores de telemóvel Hoje já nos questionamos. Já não preciso? Então, desligo! VECTOR TECNOLÓGICO Temos estado a actuar, com sucesso, nas seguintes áreas: Redes de gases: detecção de fugas nas redes de Ar comprimido e Azoto Caldeiras a gás: afinação dos queimadores para se obterem melhores rendimentos térmicos Rede de água: reaproveitamento de águas perdidas limpas para o circuito de água de refrigeração Rede de vapor: isolamento de todos os troços, válvulas e acessórios sem isolamento, para redução de perdas térmicas Iluminação: eliminação da "iluminação desperdício" e dos equipamentos com consumo oculto A implantação de todas estas medidas de racionalização, previamente definidas, estudadas e aprovadas num "charter" da especialidade, reforçadas com uma campanha forte e sistematizada que tem sido enviada a todos os que já adquiriram a formação especifica de "Poupar energia no nosso local de trabalho", revêem-se nos gráficos de consumo, que mostram uma tendência na mudança dos hábitos consumidores, onde se começa a evidenciar o Uso Racional de Energia. Racionalizar reduz despesas, assegura o conforto, preserva o meio ambiente e melhora a qualidade de vida.

7 > V IDA E SAÚDE ALEGRIA DE VIVER Dicas para manter um alto astral Iniciou-se um novo ano e o Serviço de Saúde Ocupacional pretende continuar a contribuir para melhorar a sua saúde e bem-estar. As ameaças que não podemos controlar, nem tão pouco antecipar, levam- -nos a crer que o hedonismo, a busca do prazer imediato e o consumo de bens cada vez menos duradouros e descartáveis se apagam quando comparados com os valores morais e éticos, que permanecem como base do nosso comportamento e bem-estar. Embora pouco publicitados, os valores morais não se compram ou vendem. Forjam-se na Família, na Escola, no Trabalho e no nosso círculo restrito social. Precisam ser (re) descobertos e, apenas nós, na nossa intimidade conseguimos atingi-los, daí ser necessário termos alguns momentos de meditação. Propomos as seguintes acções para manter um bom astral: Reserve 5 minutos por dia para tentar verificar os seus objectivos, sentir os seus anseios. Além de uma medida anti-stress, também é uma boa forma de planear e adequar aos desafios e incertezas do dia-a-dia. Reforce as suas defesas, melhore os seus méritos, mostre amor aos seus familiares e próximos, procure a tranquilidade espiritual. Por outro lado, estudos recentes revelam que a capacidade de esperar por uma recompensa é um indicador de saúde mental este é um facto que devemos reter antes de inundar os nossos filhos com bens, mesmo antes de eles o solicitarem. "Saber esperar é uma grande virtude"... Assim, em 2005 viva cada dia de sua vez, responsabilize-se pela sua saúde, escolhendo actividades saudáveis, seja generoso consigo e com os outros. Tente encontrar o melhor de si e descobrir o melhor dos outros. Goste de si. Só gostando de si próprio, vai sobrar para dar aos outros e manter um alto astral! PROGRAMA "SPONSOR DE FAMÍLIAS" COLABORADORES AJUDAM FAMÍLIAS CARENCIADAS DO CONCELHO A Hovione propôs promover o voluntariado junto dos seus colaboradores e lançou um projecto que visa a ajuda voluntária a famílias carenciadas, que vivem no concelho de Loures, em conjunto com o Centro Cristão para a Cidade (CCC), sediado no Infantado, Loures. Este projecto tem duas vertentes: a ajuda humana, através do voluntariado e/ou a ajuda monetária, que se destina à compra de bens alimentares essenciais. No último trimestre de 2004, conseguimos apoiar seis famílias, sendo quatro apoiadas por colaboradores e duas pela Hovione, o que significa um apoio a 12 pessoas. A ajuda voluntária tem-se traduzido na entrega e separação de roupa, livros e brinquedos, para além da compra de alimentos. Relembramos que quem estiver disponível, pode contactar a Comunicação. Nunca é tarde para ajudar quem precisa. Colabore connosco! Como combater a gripe A gripe é, para o comum dos cidadãos e também para muitos profissionais de saúde, uma doença banal e sem grande importância. Apenas no Inverno, quando afecta um grande número de pessoas e obriga a faltas ao trabalho e a perturbações no nosso quotidiano, damos-lhe alguma atenção. A gripe pode ser prevenida através de vacinação. São grupos prioritários de alto risco os idosos e os doentes portadores de doenças respiratórias e cardíacas crónicas. Que fazer se contrair a doença? Procurar isolar-se das outras pessoas, de forma a diminuir o contágio Descansar, ingerir muitos líquidos (água, sumos) e manter a alimentação seguindo o seu apetite Evitar mudanças de temperatura Não usar demasiada roupa Contactar o seu médico se é portador de doença crónica ou prolongada Usar terapêutica sintomática para minimizar o seu desconforto: Baixar a febre, (medicamentos à base de paracetamol são eficazes) Diminuir as dores com analgésicos (medicamentos à base de ibuprofeno e paracetamol) Diminuir a tosse, criando uma atmosfera húmida e tomar um xarope apropriado Diminuir a congestão nasal com soro fisiológico para desentupir e/ou descongestionar o nariz Evite os anti-tússicos. A tosse é devida à acção local do vírus e a tosse é benéfica Não tomar antibióticos sem aconselhamento médico Grávidas e mães a amamentar devem contactar sempre o médico Não devem ser administrados medicamentos às crianças sem conselho médico Não deve ser vacinado Para saber mais pode consultar o site dgsaude.pt ou contactar os números nacionais do Ministério da Saúde: Para adultos, ligue para a Linha Saúde Pública Para crianças, ligue para a Linha Saúde P. 7

8 P. 8 > C OMUNIDADE HOVIONE PARABÉNS PELO CASAMENTO Rafael Antunes, José Mira e Miguel Martins. PARABÉNS PELO NASCIMENTO DE FILHOS João Mateus, Rui Sequeira Santos, Paula Cerejeiras, Teresa Cerejeiras, Rui Ferreira, João Barrocas, Magda Carvalho, Ana Conceição, Cláudia Lopes, Mário Gomes e Ricardo Casquinha. Alunos do IST VISITAS DE ESTUDO 6 DE OUTUBRO visitaram-nos 15 alunos do Centro Formação Sindical e Aperfeiçoamento Profissional, do Curso de Segurança e Higiene no Trabalho - Nível 3, no âmbito da Segurança e Higiene no Trabalho, acompanhados pela Eng. Rita D'Azevedo; PROMOÇÕES Parabéns a todos os colegas que foram promovidos no período de 1 de Setembro de 2004 a 31 de Janeiro de Formação em HAZOP >> FICHA TÉCNICA 27 DE OUTUBRO visitaram-nos 38 alunos do GECIT e da Escola Secundária da Azambuja, dos cursos Técnicos Segurança e Higiene no Trabalho e do 11º Ano - área de Quimica, respectivamente. Vieram acompanhados pelos Profs. Eng. Hélder Silva, Isabel Oliveira e Manuel Sérgio Carvalhos; 4 DE NOVEMBRO do Externato Frei Luis de Sousa, dos 11º e 12º Ano, da Área de Química, da disciplina Técnicas Laboratoriais e Segurança nos Laboratórios, 36 alunos, acompanhados pela Prof.ª Catarina Alves; 10 DE NOVEMBRO recebemos 25 alunos do Instituto Superior Técnico, do curso Química Industrial, no âmbito de Técnicas Laboratoriais e Segurança nos Laboratórios, acompanhados pelo Prof. Pedro Paulo Santos; 18 DE NOVEMBRO - da Escola Secundária Monte da Caparica, dos 11º e 12º Ano da Área de Química, no âmbito das Técnicas Laboratoriais e Segurança nos Laboratórios, recebemos 38 alunos acompanhados pelos Profs. Cremilde Caldeira, Maria José Serra e Francelina Matis; 25 DE NOVEMBRO do Instituto Superior Técnico e da Faculdade Ciências, do 4º Ano Engenharia Biológica e do Curso Superior de Licenciatura Química Aplicada, no âmbito das Técnicas Laboratoriais e Segurança nos Laboratórios, recebemos 42 alunos, acompanhados pelos Profs. Raquel Barros, Duarte Prazeres e Luisa Pinto Ferreira. Redacção: Isabel Pina, Sofia Villax, Isabel Mestre Tiragem: 1500 exemplares Os nossos agradecimentos a todos os que colaboraram neste número: Guy Villax (DG); Paulo Amor dos Santos (UT); Ana Geraldes (CM); Dave Hoffman e Lavinia Emery (NJ); Eric Ng (HM); Armando Simões (CA); Bill Heggie (RD); Carla Vozone (CS); Emídio Barata (SSA); Avelina Pereira (MT); Ana Ferreira e Ana Barros (RH); José Rato (GCDH). Formandos do workshop "Process Hazard Analysis Techniques" O workshop "Process Hazard Techniques", cujo formador foi David E. Kaelin da Chilworth Technology, decorreu em Dezembro, nas nossas instalações, e foi dividido em dois dias. Esta formação reuniu 39 colaboradores das três GCDH 2º torneio de Paintball foi um sucesso! Os vencedores do 2º torneio de paintball O Grupo Cultural e Desportivo da Hovione, depois de organizar diversos jogos isolados, decidiu em 2003 organizar o 1º Torneio de Paintball Hovione e que, em 2004, conheceu a sua 2ª edição. Em 2004 contámos com a presença recorde de nove equipas num total de 58 participantes. A equipa constituída por Paulo Cardoso, Pedro Fernandes, João Restolho, José Daniel Fernandes, Sérgio Caseirito, Miguel Diogo Santos, António Raimundo e Victor Santos sagrou-se campeã do 2º Torneio de Paintball da Hovione. Parabéns à equipa vencedora! fábricas da Hovione: Portugal, EUA e Macau. Para além da formação sobre este tema, a qual foi considerada positiva, houve também a oportunidade de se reverem colegas e trocarem impressões e experiências. O Paintball é essencialmente um jogo de estratégia e trabalho de equipa. Cada jogador usa um marcador que dispara bolas de tinta que rebentam ao atingir o adversário, eliminando-o do jogo. O Paintball é um jogo perigoso e violento? Nem uma coisa nem outra, desde que sejam cumpridas as regras básicas de segurança. Para além de umas pequenas nódoas negras, o que realmente fica bastante magoado é o ego dos vencidos... Mas o elevado desportivismo dos praticantes e os excelentes momentos de convívio rapidamente superam a frustração de se ter sido eliminado da partida. O Paintball teve início, segundo alguns, nos Estados Unidos, segundo outros, na Austrália, como forma encontrada pelos fazendeiros para marcarem o seu gado, usando pistolas e bolas de tinta.

Braga, 10 de Janeiro de 2011.

Braga, 10 de Janeiro de 2011. Braga, 10 de Janeiro de 2011. Página 1 de 20 INDICE INTRODUÇÃO... 3 Págs. CARACTERIZAÇÃO DO SERVIÇO DE FORMAÇÃO... 10 BALANÇO DAS ACTIVIDADES DEP. FORMAÇÃO.11 PRIORIDADES DE MELHORIA. 15 CONCLUSÃO.. 16

Leia mais

MINISTÉRIO da SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE

MINISTÉRIO da SAÚDE. Gabinete do Secretário de Estado da Saúde INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE APRESENTAÇÃO DO PRONTUÁRIO TERAPÊUTICO INFARMED, 3 DE DEZEMBRO DE 2003 Exmo. Senhor Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos Exmo. Senhor Bastonário

Leia mais

A Educação Financeira: é comigo? Enquadramento actual e perspectivas de intervenção

A Educação Financeira: é comigo? Enquadramento actual e perspectivas de intervenção Ciclo de conferências Construindo uma educação+financeira A Educação Financeira: é comigo? Enquadramento actual e perspectivas de intervenção Lisboa, 6 de Abril de 2011 Literacia Financeira Financial Capability

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

Caso prático: Um contrato de desempenho energético num hotel de cinco estrelas. pág. 22

Caso prático: Um contrato de desempenho energético num hotel de cinco estrelas. pág. 22 Caso prático: Um contrato de desempenho energético num hotel de cinco estrelas. pág. 22 H IPALAI.'I.)"S'.' HOlfc.O'.^INIHIA Corínthía Hotel Lisbon "Energy Performance Contracting" num hotel de cinco estrelas

Leia mais

os resultados de desempenho ambiental A criação da entidade gestora veio trazer de direito, trazendo proximidade junto dos produtores e demais partes

os resultados de desempenho ambiental A criação da entidade gestora veio trazer de direito, trazendo proximidade junto dos produtores e demais partes "HÁ QUE MELHORAR A CULTURA AMBIENTAL' 1 1 Com a criação da SOGILUB, a recolha e tratamento dos óleos usados passou a ser uma prática normal e regular em todas as oficinas automóvel, refere Aníbal Vicente,

Leia mais

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59.

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59. Relatório da Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59 Resumo Novembro de 2009 Avaliação intercalar da execução do Plano de

Leia mais

-AUDITORIA- PROTECÇÃO DE DADOS PESSOAIS. A sua protecção, com os melhores especialistas.

-AUDITORIA- PROTECÇÃO DE DADOS PESSOAIS. A sua protecção, com os melhores especialistas. -AUDITORIA- PROTECÇÃO DE DADOS PESSOAIS A sua protecção, com os melhores especialistas. Porquê a auditoria ao tratamento de dados pessoais? A regulamentação do tratamento de dados pessoais é uma área complexa

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março EXPLORAÇÃO DE JOGOS SOCIAIS (DISTRIBUIÇÃO DOS RESULTADOS LÍQUIDOS) (LOTARIAS - TOTOBOLA TOTOLOTO TOTOGOLO LOTO 2 JOKER - EUROMILHÕES) A afectação das receitas dos

Leia mais

A excelência é o nosso objectivo. E o seu?

A excelência é o nosso objectivo. E o seu? A excelência é o nosso objectivo. E o seu? Quem somos A experiência ao serviço do seu negócio A actuar no mercado desde 1977, a Petrochem Produtos Químicos de Portugal especializou-se no fabrico de soluções

Leia mais

MELHORIA NOS PROCESSOS: COMO OBTER INFORMAÇÃO DE GESTÃO RELEVANTE EM 5 DIAS ÚTEIS

MELHORIA NOS PROCESSOS: COMO OBTER INFORMAÇÃO DE GESTÃO RELEVANTE EM 5 DIAS ÚTEIS PATROCINADORES OURO Lisboa 28 e 29 Junho 2011 Museu do Oriente COMO OBTER INFORMAÇÃO DE GESTÃO RELEVANTE EM Queremos explicar: Quem somos e onde estamos inseridos; O Porquê da nossa necessidade; O que

Leia mais

Relatório de Responsabilidade Social da SOLFUT

Relatório de Responsabilidade Social da SOLFUT 1 Janeiro de 2014 a 31 de Dezembro de 2014 Construir um mundo melhor começa num Sonho. Quem sonha, partilha o sonho e envolve os outros para agirem. E como diz o poeta a obra nasce! 2 Índice 1. Introdução

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA 1. Introdução Verificada a incidência do vírus da Gripe A (H1N1), vários organismos nacionais e internacionais, nomeadamente a Organização Mundial de Saúde (OMS) e

Leia mais

CONSULTORIA POSITIVA

CONSULTORIA POSITIVA O consultor é uma pessoa que, pela sua habilidade, postura e posição, tem o poder de influenciar as pessoas, grupos e organizações, mas não tem o poder directo para produzir mudanças ou programas de implementação.

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Introdução No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), aprovou a Recomendação n.º 1/2009,

Leia mais

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA -

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - Plano de Contingência Gripe A Ano lectivo 2009/2010 Acções a organizar na preparação de um Plano de Contingência para uma eventual pandemia de gripe. Inquérito aos Estudantes

Leia mais

Na ANCESTRA, acrescentamos novos sinónimos à definição de Qualidade. Para nós, é também Excelência, Flexibilidade, Impacto. Acima de tudo, Perfeição.

Na ANCESTRA, acrescentamos novos sinónimos à definição de Qualidade. Para nós, é também Excelência, Flexibilidade, Impacto. Acima de tudo, Perfeição. COMMUNICATION ON PROGRESS MARCH 2014 MARCH 2015 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Na ANCESTRA, acrescentamos novos sinónimos à definição de Qualidade. Para nós, é também Excelência, Flexibilidade, Impacto. Acima

Leia mais

Princípios de Bom Governo

Princípios de Bom Governo Princípios de Bom Governo Regulamentos internos e externos a que a empresa está sujeita Foi aprovado pela tutela no ano de 2008 o Regulamento Interno do Centro Hospitalar do Porto que passou a reger a

Leia mais

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA A Formação no ISQ A actividade de Formação do ISQ tem sido uma forte aposta enquanto factor determinante para o desenvolvimento e melhoria de desempenho dos sectores tecnológicos

Leia mais

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Começo por agradecer a todos terem vindo a este seminário. Em especial à Senhora Secretária de Estado que muito nos honra com a sua presença

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

Estudo de caso. A Graphic West inova em embalagens farmacêuticas. Março de 2011. Comentários ou dúvidas?

Estudo de caso. A Graphic West inova em embalagens farmacêuticas. Março de 2011. Comentários ou dúvidas? Estudo de caso Março de 2011 A Graphic West inova em embalagens farmacêuticas Comentários ou dúvidas? Índice Informação Inicial... 3 Oportunidades no mercado de embalagens... 3 Reengenharia do processo

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir bases técnicas para a elaboração de Plantas de Emergência, em suporte de papel ou em suporte digital, conforme a legislação

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação Câmara Municipal do Funchal Divisão de Atendimento e Informação INDICE Promulgação Âmbito Exclusões Hierarquia da documentação do Sistema de Gestão da Qualidade Política da Qualidade Missão e Visão Apresentação

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

Inscrições e pedido de informações: acege@acege.pt ou 217 941 323

Inscrições e pedido de informações: acege@acege.pt ou 217 941 323 Portugal tem futuro! Liderar com responsabilidade Introdução: A ACEGE em parceria com a CIP e o IAPMEI está a desenvolver o programa Liderar com Responsabilidade, que quer potenciar a acção dos líderes

Leia mais

Capítulo Descrição Página

Capítulo Descrição Página MANUAL DA QUALIIDADE ÍNDICE Capítulo Descrição Página 1 Apresentação da ILC Instrumentos de Laboratório e Científicos, Lda Dados sobre a ILC, sua história, sua organização e modo de funcionamento 2 Política

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

Política de Responsabilidade Social

Política de Responsabilidade Social Política de Responsabilidade Social e Programa 2015 I. ENQUADRAMENTO A criação da Fábrica do Chocolate materializa por si só o sentido de responsabilidade social da empresa e das pessoas envolvidas na

Leia mais

Tendências. Membro. ECOPROGRESSO, SA tel + 351 21 798 12 10 fax +351 21 798 12 19 geral@ecotrade.pt www.ecotrade.pt

Tendências. Membro. ECOPROGRESSO, SA tel + 351 21 798 12 10 fax +351 21 798 12 19 geral@ecotrade.pt www.ecotrade.pt 30 27 Evolução do Preço CO2 Jan 06 - Fev 07 Spot Price Powernext Carbon Jan de 2006 a Fev 2007 Spot CO2 (30/01/07) Preço Δ Mensal 2,30-64.50% 2007 2,35-64,4% 2008 15.30-16,16% Futuro Dez 2009 2010 15.85

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1)

Externato Flor do Campo. Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Plano de Contingência GRIPE A (H1N1) Externato Flor do Campo Introdução: As escolas assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 O Decreto-Lei n.º 7/2003, de 15 de Janeiro, tem por objecto os Conselhos Municipais de Educação, regulando as suas competências e composição,

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2008

PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2008 PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2008 ÁREA ALIMENTAR GESTÃO DE SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO Formador: Eng. João Bruno da Costa TRIVALOR, SGPS NUTRIÇÃO Formador: Dr. Lino Mendes - ESTeSL - Escola Superior de Tecnologia

Leia mais

Inovação pode poupar. dinneiro

Inovação pode poupar. dinneiro Textos ANA SOFIA SANTOS Fotos PAULO VAZ HENRIQUES novação disruptiva é "aquela que permite tornar bens e serviços complexos e caros em bens e serviços simples e baratos". Marta Temido, presidente da presidente

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática Escola Superior de Tecnologia Instituto Politécnico de Castelo Branco Licenciatura em Engenharia Informática Aspectos Sócio-Profissionais da Informática Portugal Golfe e a Internet Alunos Número André

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

7ª Edição da Semana da Responsabilidade Social

7ª Edição da Semana da Responsabilidade Social 7ª Edição da Semana da Responsabilidade Social Mudança e inovação para novos estilos de vida Exemplos da aplicação dos 10 princípios pelos membros do GCNP - O caso do Ritz Four Seasons Hotel Lisboa - Menú

Leia mais

plasmadas nos avisos 1/13, de 19 de Abril, que estabelece as regras e obrigações de gestão corporativa

plasmadas nos avisos 1/13, de 19 de Abril, que estabelece as regras e obrigações de gestão corporativa 2 EXPANSÃO 26 de Julho 2013 C E R C O À F R A U D E Regras de compliance já mexem com a banca angolana Angola tem-se empenhado para acompanhar o desenvolvimento de medidas e políticas que visam adequar

Leia mais

Caso Armazéns Global

Caso Armazéns Global Fonte: Google imagens Caso Armazéns Global Docente: Professor Doutor Fernando Gaspar Disciplina: Distribuição Discentes: Ivo Vieira nº 080127020 Nuno Carreira nº 080127009 João Franco nº 080127034 Edgar

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

Versão Pública. DECISÃO DE INAPLICABILIDADE DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent.22/2007 Dendrite / Cegedim

Versão Pública. DECISÃO DE INAPLICABILIDADE DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent.22/2007 Dendrite / Cegedim DECISÃO DE INAPLICABILIDADE DO CONSELHO DA AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA Ccent.22/2007 Dendrite / Cegedim I. INTRODUÇÃO 1. Em 19 de Março de 2007, foi notificada à Autoridade da Concorrência, nos termos dos

Leia mais

PROJECTO - FRANCHISING SOCIAL POTENCIADO PELO

PROJECTO - FRANCHISING SOCIAL POTENCIADO PELO PROJECTO - FRANCHISING SOCIAL POTENCIADO PELO MARKETING SOCIAL DESENVOLVIDO PELA CÁRITAS EM PARCERIA COM A IPI CONSULTING NETWORK PORTUGAL As virtualidades da interação entre a economia social e o empreendedorismo

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Rev.: 02. Data: 05-07-2013. Mod.41/00. pág. 1

MANUAL DA QUALIDADE. Rev.: 02. Data: 05-07-2013. Mod.41/00. pág. 1 MANUAL DA QUALIDADE Rev.: 02 Data: 05-07-2013 pág. 1 Designação Social: Dupliconta Sociedade de Contabilidade, Consultadoria e Gestão Lda. Morada: Caminho do Pilar, Conjunto Habitacional do Pilar, Lote

Leia mais

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL Apesar das sequelas da crise financeira global e da ressaca de uma recessão em vários países, os analistas esperam que a procura de viagens

Leia mais

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5 Tema de pesquisa: Internacional 25 de Setembro de 2012 Revista de Imprensa 25-09-2012 1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1 2. (PT) - Jornal de Negócios - Negócios Mais, 25/09/2012, Bluepharma

Leia mais

Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade

Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade Divulgação do primeiro relatório Turismo de Portugal é pioneiro na sustentabilidade O Turismo de Portugal apresentou ontem o seu Relatório de Sustentabilidade, tornando-se no primeiro Instituto Público

Leia mais

Muito no papel, pouco na prática

Muito no papel, pouco na prática PNPSO Muito no papel, pouco na prática Criado em 2003, o Plano Nacional de Promoção da Saúde Oral (PNPSO) «não está a ser aplicado no terreno». A crítica é de Paulo Rompante, um dos criadores do documento

Leia mais

Entrevista n.º 5. 2. Quais são as suas responsabilidades em termos de higiene e segurança?

Entrevista n.º 5. 2. Quais são as suas responsabilidades em termos de higiene e segurança? Entrevista n.º 5 Empresa: Aurélios Sobreiros Lda. Encarregado 1. A segurança e a higiene do trabalho, bem como a protecção da saúde fazem parte integrante dos princípios que regem a empresa? Quais são

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

I. CÓDIGO DE ÉTICA. 1. Âmbito de Aplicação

I. CÓDIGO DE ÉTICA. 1. Âmbito de Aplicação I. CÓDIGO DE ÉTICA 1. Âmbito de Aplicação O presente Código de Ética define os princípios e as regras a observar pela N Seguros, S.A. sem prejuízo de outras disposições legais ou regulamentares aplicáveis

Leia mais

1) Breve apresentação do AEV 2011

1) Breve apresentação do AEV 2011 1) Breve apresentação do AEV 2011 O Ano Europeu do Voluntariado 2011 constitui, ao mesmo tempo, uma celebração e um desafio: É uma celebração do compromisso de 94 milhões de voluntários europeus que, nos

Leia mais

PLANO DE MARKETING INTERNO

PLANO DE MARKETING INTERNO PLANO DE MARKETING INTERNO Trabalho realizado por: André Pereira nº 7349 Franklin Melo nº 7711 Gonçalo Madeira nº 7716 Ana Diogo nº 7609 Docente: Professor Jorge Remondes 1 INTRODUÇÃO No âmbito da unidade

Leia mais

Coordenação de Segurança e Saúde da fase de construção. José M. Cardoso Teixeira 1

Coordenação de Segurança e Saúde da fase de construção. José M. Cardoso Teixeira 1 Coordenação de Segurança e Saúde da fase de construção José M. Cardoso Teixeira 1 Universidade do Minho, Departamento de Engenharia Civil Azurém, P 4800-058 Guimarães, Portugal RESUMO De uma forma geral,

Leia mais

Assunto: Consulta Pública nº1/2010. Exmos. Senhores,

Assunto: Consulta Pública nº1/2010. Exmos. Senhores, Assunto: Consulta Pública nº1/2010 Exmos. Senhores, Fundada em 13 de Outubro de 1994 por diversas empresas de Rádio e Televisão e Associações de Imprensa e de Rádio, a Confederação Portuguesa dos Meios

Leia mais

O Papel Central das Reformas Estruturais no Programa Economico do Portugal. por Hossein Samiei. Conselheiro, Departamento Europeu do FMI

O Papel Central das Reformas Estruturais no Programa Economico do Portugal. por Hossein Samiei. Conselheiro, Departamento Europeu do FMI O Papel Central das Reformas Estruturais no Programa Economico do Portugal por Hossein Samiei Conselheiro, Departamento Europeu do FMI Conferência Sobre Reformas Estruturais no Contexto do Programa de

Leia mais

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado O Programa de Voluntariado do Centro Solidariedade e Cultura de Peniche pretende ir ao encontro do ideário desta instituição, numa linha da

Leia mais

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004)

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) por António Jorge Costa, Presidente do Instituto de Planeamento

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

Neves & Freitas Consultores, Lda.

Neves & Freitas Consultores, Lda. A gerência: Cristian Paiva Índice 1. Introdução... 3 2. Apresentação... 4 2.2 Missão:... 4 2.3 Segmento Alvo... 4 2.4 Objectivos... 5 2.5 Parceiros... 5 2.6 Organização... 5 3. Organigrama da empresa...

Leia mais

DIÁLOGO SOCIAL EUROPEU: PROJECTO DE ORIENTAÇÕES MULTISSECTORIAIS PARA O COMBATE DA VIOLÊNCIA E ASSÉDIO DE TERCEIROS RELACIONADOS COM O TRABALHO

DIÁLOGO SOCIAL EUROPEU: PROJECTO DE ORIENTAÇÕES MULTISSECTORIAIS PARA O COMBATE DA VIOLÊNCIA E ASSÉDIO DE TERCEIROS RELACIONADOS COM O TRABALHO DIÁLOGO SOCIAL EUROPEU: PROJECTO DE ORIENTAÇÕES MULTISSECTORIAIS PARA O COMBATE DA VIOLÊNCIA E ASSÉDIO DE TERCEIROS RELACIONADOS COM O TRABALHO EPSU, UNI Europa, ETUCE, HOSPEEM, CEMR, EFEE, EuroCommerce,

Leia mais

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Ao abrigo do disposto no n.º 5 do artigo 9.º, no n.º 2 do artigo 10.º, nos artigos 11.º e

Leia mais

CÓDIGO DA ÉTICA DESPORTIVA INTRODUÇÃO

CÓDIGO DA ÉTICA DESPORTIVA INTRODUÇÃO CÓDIGO DA ÉTICA DESPORTIVA INTRODUÇÃO O Código da Ética no Desporto do Conselho da Europa para o Fair play no desporto é uma declaração de intenção aceite pelos Ministros europeus responsáveis pelo Desporto.

Leia mais

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE XXVIII Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE 1. Sistema de gestão de qualidade... 2 1.1 Objectivos do sistema... 2 1.2 Estrutura organizativa... 4 1.2.1 Organização interna... 4 1.2.2 Estrutura

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 APD- DELEGAÇÃO LOCAL DE MEM MARTINS RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 INTRODUÇÃO O ano de 2004 ficou marcado por alguns acontecimentos relevantes, sinal de que, apesar do passar dos anos, a Delegação

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015

Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015 Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015 Versão Linguagem Fácil Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015 Versão Linguagem Fácil Página 1 de 60 Plano de Acção

Leia mais

I - EXERCISE IS MEDICINETM

I - EXERCISE IS MEDICINETM I EXERCISE IS MEDICINETM Objectivo Generalização da inclusão do aconselhamento para a actividade física no âmbito do plano terapêutico para a prevenção e o tratamento de doenças, e referenciação quando

Leia mais

Reflexão Final do Módulo Software aplicado à atividade comercial

Reflexão Final do Módulo Software aplicado à atividade comercial Reflexão Final do Módulo Software aplicado à atividade comercial R u i J o r g e d a E i r a P e r e i r a N º 1 6 Página 1 Índice Remissivo Capa de apresentação... 1 Índice remissivo... 2 Dados biográficos...

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES DO ANO 2008 AREA DE FORMAÇÃO - ESTRUTURAÇÃO DA ÁREA Foi possível no decorrer de 2008 encontrar na ÁREA DE FORMAÇÃO uma estabilidade ao nível dos recursos humanos que proporcionou

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

Dossier de Apresentação

Dossier de Apresentação www.impactus.org Dossier de Apresentação II Conferência Anual Revista Im))pactus Comunicar a Gestão através dos Relatórios de Contas e de Sustentabilidade Apresentação do estudo O que valorizam os media

Leia mais

Trabalho realizado por: Pedro Lamy nº 7010 20/05/08. Escola Superior de Gestão de Santarém. Curso: Marketing e Publicidade. Disciplina: Marketing II

Trabalho realizado por: Pedro Lamy nº 7010 20/05/08. Escola Superior de Gestão de Santarém. Curso: Marketing e Publicidade. Disciplina: Marketing II Escola Superior de Gestão de Santarém Curso: Marketing e Publicidade Disciplina: Marketing II Docente: Fernando Gaspar Trabalho realizado por: Pedro Lamy nº 7010 20/05/08 Índice Introdução.3 Análise do

Leia mais

Carta de Princípios de Coimbra

Carta de Princípios de Coimbra Carta de Princípios de Coimbra Ficou concluído em Novembro de 2008, durante o Congresso Nacional de Oncologia, um processo que se iniciou em Abril de 2006, numa reunião promovida em Coimbra sob o impulso

Leia mais

Inovação TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES

Inovação TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES Inovação EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES DOSSIER 13 JORGE LIZARDO NEVES O futuro é sem dúvida eléctrico Vem aí a Era de motores menos poluentes e mais eficientes. Quem o diz é o Jorge Lizardo Neves,

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005 ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade 2005 Estrutura da Norma 0. Introdução 1. Campo de Aplicação 2. Referência Normativa 3. Termos e Definições 4. Sistema de Gestão

Leia mais

CONTRIBUTO DA UGT SOBRE O PROGRAMA INTEGRADO DO REFORÇO DO COMBATE À EVASÃO E À FRAUDE FISCAL

CONTRIBUTO DA UGT SOBRE O PROGRAMA INTEGRADO DO REFORÇO DO COMBATE À EVASÃO E À FRAUDE FISCAL CONTRIBUTO DA UGT SOBRE O PROGRAMA INTEGRADO DO REFORÇO DO COMBATE À EVASÃO E À FRAUDE FISCAL I. INTRODUÇÃO No âmbito dos compromissos assumidos pelo Governo em sede de Concertação Social, o Governo apresentou

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 8.10.2007 SEC(2007)907 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO documento de acompanhamento da Comunicação da Comissão sobre um programa para ajudar as

Leia mais

Energia: Sustentabilidade e redução de custos.

Energia: Sustentabilidade e redução de custos. . dossier / Energia Pág: 36 Área: 15,00 x 20,27 cm² Corte: 1 de 6 Energia: Sustentabilidade e redução de custos. 2015 marca o ano Internacional da Luz. No que diz respeito ao consumo de energia, os hotéis

Leia mais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Relatório de Sustentabilidade 2008

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Relatório de Sustentabilidade 2008 FICHA TÉCNICA TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Relatório de Sustentabilidade 2008 EDITOR INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Rua B Edifícios 4 e Santa Cruz Aeroporto de Lisboa

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

COACHING EXECUTIVO. YouUp 2008. Para mais informações contacte-nos através do nº. 213 162 650 ou envie um email para: info@youup.

COACHING EXECUTIVO. YouUp 2008. Para mais informações contacte-nos através do nº. 213 162 650 ou envie um email para: info@youup. COACHING EXECUTIVO Os espanhóis têm uma máxima de que gosto muito: falem de mim nem que seja mal, o importante é que falem. O Coaching está na moda! Vários artigos sobre o tema estão a ser publicados em

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 2014 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias

Leia mais

ASSUNTO: Ponto de Situação da Gripe A (H1N1) em Portugal

ASSUNTO: Ponto de Situação da Gripe A (H1N1) em Portugal Lisboa, 27 de Julho de 2009 CIRCULAR Nº 59/2009 (SF) RF/MS/RC ASSUNTO: Ponto de Situação da Gripe A (H1N1) em Portugal Caro Associado, Junto enviamos memorandum elaborado no seguimento da reunião do Conselho

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

Acreditar! EDITORIAL Maria Eduarda Vidal / Coordenadora USF

Acreditar! EDITORIAL Maria Eduarda Vidal / Coordenadora USF jornal_terras_sta_maria_n6_final:layout 1 12/16/10 11:23 AM Page 1 D E Z E M B R O 2 0 1 0 Responsáveis: Maria Alice Oliveira, Maria Eduarda Vidal, Sónia Sá. Colaboradores: Ana Castro Sousa, Ana Luzia

Leia mais

Os Custos de Prevenção e Segurança e a sua Recuperação no Tempo COMUNICAÇÃO DE MANUEL MENDES DA CRUZ

Os Custos de Prevenção e Segurança e a sua Recuperação no Tempo COMUNICAÇÃO DE MANUEL MENDES DA CRUZ Os Custos de Prevenção e Segurança e a sua Recuperação no Tempo COMUNICAÇÃO DE MANUEL MENDES DA CRUZ INTRODUÇÃO O inesperado é o dia a dia das empresas... Pelo que os gestores têm também de prever o inesperado...

Leia mais

POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA POLÍTICA DE ÉTICA A Política de Ética do CPCBeja está reflectida no Código de Conduta e Ética e integra os seguintes Princípios e Orientações: - Direitos e Dignidade

Leia mais

II Curso de E-learning

II Curso de E-learning Associação Portuguesa dos Técnicos de Natação Complexo de Piscinas Municipais de Rio Maior Estradas das Marinhas 2040 Rio Maior II Curso de E-learning O Técnico de Manutenção de Piscinas de Uso Colectivo

Leia mais

22.1.2010 Jornal Oficial da União Europeia L 17/43

22.1.2010 Jornal Oficial da União Europeia L 17/43 22.1.2010 Jornal Oficial da União Europeia L 17/43 IV (Actos adoptados, antes de 1 de Dezembro de 2009, em aplicação do Tratado CE, do Tratado da UE e do Tratado Euratom) DECISÃO DO CONSELHO de 27 de Novembro

Leia mais

Seminário internacional sobre A supervisão eficiente e o desenvolvimento do mercado de capitais. Discurso de abertura

Seminário internacional sobre A supervisão eficiente e o desenvolvimento do mercado de capitais. Discurso de abertura Seminário internacional sobre A supervisão eficiente e o desenvolvimento do mercado de capitais Discurso de abertura Em representação do Banco de Cabo Verde, apraz-me proceder à abertura deste seminário

Leia mais

VINTE E OITO ANOS DE HISTÓRIA

VINTE E OITO ANOS DE HISTÓRIA CAPA VINTE E OITO ANOS DE HISTÓRIA Uma região Uma cidade Muitas vontades Alfredo da Silva 1987-1990 Luis Filipe 1991-1996 Luis Veiga 1997-2002 João Fernandes Antunes 2003-2008 Jorge Martins 2009-2011 Vitor

Leia mais

A ALD Automotive no mundo

A ALD Automotive no mundo DOSSIER DE IMPRENSA A ALD Automotive no mundo A ALD Automotive é uma empresa de Aluguer Operacional e Gestão de Frotas que integra o Grupo Société Générale, um dos grupos líderes em serviços financeiros

Leia mais