CONTRATO Nº 068/2009 RELATÓRIO TRIMESTRAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - JULHO A SETEMBRO DE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTRATO Nº 068/2009 RELATÓRIO TRIMESTRAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - JULHO A SETEMBRO DE 2011 -"

Transcrição

1 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE OSASCO E REGIÃO RELATÓRIO TRIMESTRAL CONTRATO Nº 068/2009 RELATÓRIO TRIMESTRAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - JULHO A SETEMBRO DE NOVEMBRO DE 2011

2 EXPEDIENTE DA SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO DA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO Prefeito: Emídio Pereira de Souza Vice-Prefeito Dr. Faisal Cury Secretária: Sandra Faê

3 EXPEDIENTE DO DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS - DIEESE Direção Técnica Clemente Ganz Lúcio Diretor Técnico Ademir Figueiredo Coordenador de Estudos e Desenvolvimento José Silvestre Prado de Oliveira Coordenador de Relações Sindicais Francisco José Couceiro de Oliveira Coordenador de Pesquisas Nelson de Chueri Karam Coordenador de Educação Rosana de Freitas Coordenadora Administrativa e Financeira Equipe Responsável pelo Projeto Ademir Figueiredo Coordenador de Estudos e Desenvolvimento Angela Maria Schwengber Supervisor dos Observatórios do Trabalho Leonardo Cardoso dos Santos Escobar Técnico Marcos Aurélio Souza Técnico Equipe Executora DIEESE DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos Rua Aurora, 957 Centro São Paulo SP CEP Fone: (11) Fax: (11)

4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 5 INTRODUÇÃO 6 I SALDO DO NÚMERO DE TRABALHADORES NAS GRANDES REGIÕES E UNIDADES DA FEDERAÇÃO 7 II SALDO DO NÚMERO DE TRABALHADORES EM OSASCO SEGUNDO CARACTERÍSTICAS DOS TRABALHADORES E DAS VAGAS 14 CONCLUSÃO 21 ANEXO 23 Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 4

5 APRESENTAÇÃO O objetivo do presente relatório é realizar uma análise da movimentação do emprego formal no município de Osasco no período de julho a setembro de 2011 em comparação com igual período de Com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados CAGED, registro administrativo do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, a análise é apresentada em duas seções. Na primeira, mostra-se um panorama geral da movimentação do mercado formal de trabalho no Brasil, grandes regiões e unidades da federação. Na segunda, identificam-se os elementos relevantes do saldo de empregos gerado no município de Osasco segundo algumas características econômicas como setores e subsetores de atividade, famílias ocupacionais com maior destaque no saldo e suas características segundo tamanho dos estabelecimentos, rendimento e tempo de permanência no emprego. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 5

6 INTRODUÇÃO No terceiro trimestre de 2011, o mercado de trabalho formal brasileiro gerou vagas, o que representou uma diminuição de 25,8% sobre o resultado de igual trimestre em 2010 ( postos). Quando se observa a movimentação do emprego no acumulado de julho a setembro de 2011, a partir das unidades da federação, nota-se que os maiores saldos positivos ocorreram em São Paulo ( vagas), no Rio de Janeiro ( vagas) e em Pernambuco ( postos). Em Osasco, o trimestre de julho a setembro de 2011 registrou um saldo positivo de vagas, sendo somente o oitavo melhor resultado desde o terceiro trimestre de Vale dizer que neste período os homens passaram a ser maioria (88,6%) no saldo de empregos. Além disso, a participação no saldo de posto de trabalho ficou concentrada em jovens (de até 29 anos de idade). A análise por setores e subsetores de atividade econômica indica que o setor de Serviços apresentou saldo maior que o gerado no trimestre no município, puxado pelos subsetores de Comércio e Administração de Imóveis (807 vagas), seguido de Transportes e comunicações (354 postos) e de Serviços de alojamento e alimentação (263 vagas). Em seguida, vem a Construção Civil, com 297 postos (ou 23,0% do total), e o Comércio, com 159 postos. Estes foram os três setores que apresentaram os maiores saldos positivos do período. O saldo total do município foi resultado da combinação entre as famílias ocupacionais que tiveram geração líquida de vagas, ou seja, terminaram o trimestre com saldo positivo, que registraram uma geração de postos, e as com saldo negativo, que apresentou uma perda de postos. Dez famílias ocupacionais responderam por metade do total do saldo positivo (1.682 postos), sendo destaque os Ajudantes de obras civis, com 7,9% do total. Entre as famílias ocupacionais que registraram saldo negativo, as dez primeiras representaram 64,7% do total, com destaque para os Cozinheiros, com uma participação de 21,5%. Por tamanho, o saldo positivo de emprego apontou para a concentração de postos nos estabelecimentos com até 4 empregados e os com mais de Por fim, o saldo positivo do trimestre se concentrou nas menores faixas de salário e os desligados, de modo geral, apresentaram baixo tempo de permanência no emprego, com 54,3% dos desligamentos no trimestre ocorrendo entre trabalhadores com menos de um ano de emprego. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 6

7 I SALDO DO NÚMERO DE TRABALHADORES: BRASIL, GRANDES REGIÕES E UNIDADES DA FEDERAÇÃO Em três meses, o Brasil gera meio milhão de postos formais de trabalho De acordo com os dados divulgados pelo CAGED, entre julho e setembro de 2011 a movimentação do mercado de trabalho formal no Brasil apresentou saldo positivo de postos formais. Este resultado teve uma retração de 25,8% em relação ao verificado em igual período de 2010, quando foi observada a geração de postos. A análise mensal mostra que, no segundo trimestre de 2011, nenhum mês apresentou saldo superior a igual período em O mês de setembro apresentou o melhor resultado do trimestre, com geração de postos de trabalho, o que representou 38,7% do total do trimestre e 84,7% do resultado observado em setembro de O resultado do mês de julho de 2011 foi o pior no trimestre, com postos gerados, 22,7% menor que o saldo observado para junho de 2010 (Gráfico 1). GRÁFICO 1 Saldo de empregos formais Brasil, julho a setembro de 2010 e 2011 Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 7

8 Sudeste apresenta o melhor resultado por regiões Analisando o saldo de vagas por região do país, observa-se que o ritmo de geração de empregos se reduziu na maioria delas. O Sudeste apresentou o maior saldo positivo de vagas no acumulado de julho a setembro de 2011 ( vagas), mas que significou uma diminuição de 35,3% na comparação com igual período de 2010 ( postos). O Sul teve a maior queda, de 36,1%, movimentando-se de para vagas no segundo trimestre (uma retração de postos). Verificou-se no Centro-Oeste teve o maior crescimento absoluto, com crescimento de 29,1%, passando de no terceiro trimestre de 2010 para em O Norte também apresentou aumento no saldo (0,9%), passando de para (Gráfico 2). GRÁFICO 2 Saldo acumulado de empregos formais Grandes Regiões, julho a setembro de 2010 e Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. A maior participação no saldo total também permanece no Sudeste, que apresentou queda em 2011 se comparado a 2010, chegando a 39,1%, 5,7 pp. a menos que em A região Nordeste aparece como a segunda região com maior proporção no saldo total, com aumento em sua participação de 29,7% para 32,7% no período (Tabela 1). Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 8

9 Região TABELA 1 Saldo acumulado e distribuição do saldo Grandes Regiões, julho a setembro de 2010 e 2011 julho a setembro de 2010 Participação no trimeste em % julho a setembro de Norte ,5 7,4 Nordes te ,7 32,7 Sudeste ,8 39,1 Sul ,0 13,8 Centro-Oes te ,0 7,0 Bras il ,0 100,0 Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. O estado de São Paulo acumulou um saldo positivo de postos formais no trimestre de julho a setembro de Apesar de ter havido uma redução de postos em relação ao mesmo período de 2010, foi o estado com o maior saldo positivo no período e representou 25,7% do saldo total do país. Em seguida aparece o Rio de Janeiro, com saldo de postos ou 10,1% do total nacional. O estado de Pernambuco respondeu pelo terceiro maior resultado, com vagas ou 10,1% do total brasileiro. Nenhum estado registrou saldo negativo no segundo trimestre de Na região Sul, destacou-se o Paraná, com saldo de ou 6,7% do total nacional, mantendo a participação se comparado ao mesmo período em 2010.Na região Norte, o destaque foi para o Pará, com , ou 3,6% do total nacional, aumentando em 1,3 p.p. seu saldo em relação ao mesmo trimestre de E por fim, na região Centro-Oeste, que teve crescimento do saldo de empregos na comparação com igual período do ano anterior, destaca-se o estado de Goiás, cujo saldo do terceiro trimestre foi de (ou 3,4% do total nacional), quase dobrando a participação em relação à 2010 (1,8%) (Tabela 2). Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 9

10 TABELA 2 Saldo acumulado do emprego formal Brasil, Grandes Regiões e UFs, julho a setembro de 2010 e 2011 Unidades da Federação Acumulado Participação (%) Norte ,5 7,4 Rondônia ,0 0,4 Acre ,2 0,1 Amazonas ,3 2,2 Roraima ,1 0,2 Para ,3 3,6 Amapá ,1 0,4 Tocantins ,4 0,4 Nordeste ,7 32,7 Maranhão ,4 1,9 Piauí ,5 0,6 Ceara ,2 4,5 Rio Grande do Norte ,2 1,9 Paraíba ,3 2,8 Pernambuco ,8 10,1 Alagoas ,2 6,9 Sergipe ,0 1,6 Bahia ,1 2,3 Sudeste ,8 39,1 Minas Gerais ,0 1,9 Espírito Santo ,1 1,3 Rio de Janeiro ,3 10,1 São Paulo ,4 25,7 Sul ,0 13,8 Paraná ,6 6,7 Santa Catarina ,4 3,9 Rio Grande do Sul ,0 3,2 Centro-Oeste ,0 7,0 Mato Grosso do Sul ,6 1,0 Mato Grosso ,8 1,5 Goiás ,8 3,4 Distrito Federal ,8 1,1 Brasil ,0 100,0 Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 10

11 Osasco registra saldo positivo de vagas no trimestre de julho a setembro O município de Osasco apresentou, entre julho e setembro de 2011, saldo positivo de vagas, resultado que é aproximadamente 1/3 do observado no terceiro trimestre de A análise da movimentação do emprego nos trimestres destacados, entre 2010 e 2011, revela que houve redução do saldo em todas as regiões, segundo áreas selecionadas. O mês de setembro foi o que mais expandiu os postos de trabalho no período analisado para todas as áreas demonstradas na tabela, inclusive para Osasco, que registrou 863 novos empregos, ou 66,8% do total verificado no período (Tabela 3). TABELA 3 Saldo do emprego formal Brasil, Sudeste, São Paulo, RM de São Paulo e Osasco, julho a setembro de 2010 e 2011 Acumulado no Trim. Localidade jul/11 ago/11 set/ Brasil Sudeste São Paulo RMSP Osasco Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE O desempenho do mercado de trabalho formal em Osasco no segundo trimestre deste ano representa a 8ª posição na série desde 2001, e 31,9% do maior valor da série, ocorrido no terceiro trimestre de 2010 (4.053) e 41,2% dos postos gerados no terceiro trimestre de 2007 (3.137), segundo maior saldo da série (Gráfico 3). Desta forma, pode-se considerar que o resultado não tenha sido satisfatório, do ponto de vista da tendência histórica. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 11

12 GRÁFICO 3 Saldo acumulado de empregos formais Osasco, meses e anos selecionados Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 12

13 II SALDO DO NÚMERO DE TRABALHADORES EM OSASCO SEGUNDO CARACTERÍSTICAS DOS TRABALHADORES E DAS VAGAS O Setor de Serviços tem 576 postos a mais que o saldo total do trimestre O saldo da movimentação do emprego em Osasco por setores e subsetores de atividade econômica mostrou que, entre julho e setembro de 2011, o setor de Serviços, com postos, apresentou o saldo mais significativo, tendo 576 vagas a mais que o saldo total do município. Em seguida aparece a Construção Civil, com 297 postos (ou 23,0% do total), e o Comércio, com 159 vagas. Estes foram os três setores que apresentaram os maiores saldos positivos do período (Tabela 4). Na comparação com o acumulado de julho a setembro de 2010, considerando os setores destacados, nota-se que nos Serviços e na Construção Civil houve aumento do saldo. O primeiro passou de para postos (aumento de 49,7%) e o segundo, de 147 para 297 vagas (pouco mais que o dobro). Já no Comércio o movimento houve um movimento de queda, de 86,1%, passando de para 159 postos. Além desses três setores, cabe destacar que a Administração Pública apresentou a maior redução do saldo de empregos, de 89,8% (808 postos eliminados). O saldo no setor de Serviços foi puxado pelo desempenho no subsetor de Comércio e Administração de Imóveis (807 postos ou 43,2% do total do setor), seguido de Transportes e comunicações (354 postos ou 19,0% do total do setor) e de Serviços de alojamento e alimentação (263 postos ou 14,1% do total). No Comércio, o resultado foi impulsionado pelo saldo positivo do subsetor de Comércio varejista com 454 vagas, compensando o resultado do Comércio atacadista, negativo em 295 postos, resultando no saldo total do setor (positivo em 159 postos). A análise mensal do saldo mostra que, no trimestre de julho a setembro de 2011, o mês de setembro apresentou a maior participação no resultado total verificado no setor de Serviços (44,4%), ao passo que julho foi o mês de maior resultado para os setores da Construção Civil (4,1%) e do Comércio, no qual o resultado deste mês (350) foi maior que o total do trimestre (159), explicado pelos saldos negativos do mês de agosto e setembro (com 27 e 164 postos eliminados). Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 13

14 Setor e Subsetor de Atividade TABELA 4 Saldo do emprego segundo setor e subsetor de atividade Osasco, julho a setembro de 2010 e 2011 Mensal Extrativa mineral Indústria de Transformação Indústria de produtos minerais nao metálicos Indústria metalúrgica Indústria mecânica Indústria do material elétrico e de comunicaçoes Indústria do material de transporte Indústria da madeira e do mobiliário Indústria do papel, papelao, editorial e gráfica Ind. da borracha, fumo, etc Ind. química de produtos farmacêuticos Indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos Indústria de calçados Indústria de produtos alimentícios Serviços industriais de utilidade pública Construçao civil Comércio Comércio varejista Comércio atacadista Serviços Instituiçoes de crédito, seguros e capitalizaçao Com. e administraçao de imóveis, etc Transportes e comunicaçoes Serv. de alojamento e alimentaçao Serviços médicos, odontológicos e veterinários Ensino Administraçao pública direta e autárquica Agricultura, etc Total Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Saldo julho agosto setembro jul a set Acumulado jul a set 2011 Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 14

15 Osasco registra participação no saldo de empregos concentrada em homens e jovens no terceiro trimestre do ano Diferentemente do terceiro trimestre de 2010, quando as mulheres respondiam por 53,0% do saldo, no terceiro trimestre de 2011, o saldo de empregos aparece concentrado nos homens, cuja participação passou de 47,0% para 88,6%. Dessa maneira, pode-se dizer que de 2010 para 2011, para o período em análise, houve um grande desequilíbrio na participação de homens e mulheres no saldo de empregos formais. Vale destacar o mês de agosto, no qual o saldo feminino variou negativamente, eliminando 156 postos de trabalho (Gráfico 4 e Tabela 5). GRÁFICO 4 Participação de homens e mulheres no saldo de empregos formais Osasco, meses e anos selecionados Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. TABELA 5 Quantidade de admitidos e desligados e saldo de empregos formais, segundo sexo Osasco, meses e anos selecionados Meses/Saldo Admitidos Desligados Saldo Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total jul/ ago/ set/ jul a set/ jul/ ago/ set/ jul a set/ Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 15

16 No terceiro trimestre de 2011, em relação à faixa etária, o saldo de empregos, tanto para homens quanto para mulheres, esteve concentrado nos jovens (até 29 anos de idade). Destaca-se ainda que a faixa de 25 a 29 anos (com 155 vagas) concentrou 61,0% do saldo masculino e, a faixa de 18 a 24 anos, com 483 postos, mais do triplo do saldo feminino. Além disso, nessas faixa etárias, os saldos masculinos e femininos correspondem a 54,0% e 37,4% do saldo total (1.292 vagas) do período respectivamente (Tabela 6). Faixa etária jul a set/2010 TABELA 6 Saldo do emprego formal em Osasco, por gênero e faixa etária Osasco, meses e anos selecionados Participação (%) Homens jul a set/2011 Participação (%) Variação (em %) jul a set/2010 Participação (%) Mulheres jul a set/2011 Participação (%) Até 17 anos , ,5 23, , ,5 36, a 24 anos , ,1-26, , ,9-23, a 29 anos , ,1-37, ,6 8 4,9-97, a 39 anos , , , , a 49 anos ,1-6 1,9-104, , ,1-206, a 64 anos , ,6-131, , ,4-610, ou mais 5 250, ,6-300, ,0-8 44,4 166, Total , ,6-39, , ,4-93, Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Variação (em %) Total No trimestre, dez famílias ocupacionais respondem por 64% do saldo negativo No trimestre de julho a setembro de 2011, em Osasco, a combinação entre o saldo das famílias ocupacionais com saldo positivo, que registraram uma geração de postos, e as com saldo negativo, que apresentaram uma perda de postos, resultou no saldo total do município de postos. Em relação aos maiores saldos, dez famílias ocupacionais responderam por metade do total (1.682 postos), sendo destaque os Ajudantes de obras civis, com 7,9% do total. Entre as famílias ocupacionais que registraram saldo negativo, as dez primeiras representaram 64,7% do total, com destaque para os Cozinheiros, com uma participação de 21,5% (Tabela 7). Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 16

17 TABELA 7 Distribuição das famílias ocupacionais com maior participação no saldo positivo Osasco, julho a setembro de 2011 Positivos Absoluto Relativo Negativos Absoluto Relativo Ajudantes de obras civis 268 7,9% Cozinheiros ,5% Almoxarifes e armazenistas 247 7,3% Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem ,6% Técnicos de vendas especializadas 206 6,1% Enfermeiros e afins ,3% Agentes, assistentes e auxiliares administrativos 200 5,9% Professores de nível médio no ensino fundamental ,8% Escriturários de serviços bancários 183 5,4% Trabalhadores auxiliares nos serviços de alimentação -89 4,3% Operadores do comércio em lojas e mercados 163 4,8% Operadores de equipamentos de movimentação de cargas -41 2,0% Apontadores e conferentes 131 3,9% Gerentes de operações de serviços em empresa de turismo, de alojamento -39 1,9% e alimentação Fiscais e cobradores dos transportes coletivos 101 3,0% Preparadores e operadores de máquinas-ferramenta convencionais -32 1,5% Trabalhadores nos serviços de manutenção de edificações 99 2,9% Músicos compositores, arranjadores, regentes e musicólogos -29 1,4% Trabalhadores do acabamento gráfico 84 2,5% Trabalhadores da pintura de equipamentos, veículos, estruturas -29 metálicas 1,4% e de compósitos Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Dez maiores saldos Subtotal 10 famílias (saldo positivo) ,9% Subtotal 10 famílias (saldo negativo) ,7% Demais Famílias ,1% Demais Famílias ,3% Total ,0% Total ,0% Saldo positivo se concentra nos estabelecimentos com até 4 e com 1000 ou mais empregados Segundo o tamanho do estabelecimento, entre julho e setembro de 2011, o saldo acumulado nas dez famílias ocupacionais, com destaque pelo seu saldo positivo, apontou para a concentração de postos nos estabelecimentos com mais de 1000 empregados, com 559 vagas (ou 43,3%). Em seguida, estão os estabelecimentos com até 4 empregados, respondendo por 452 vagas (35,0% do total). É importante ressaltar que as dez famílias ocupacionais com os maiores saldos no trimestre correspondem a um saldo de empregos gerados, superior ao saldo total do terceiro trimestre. Entre as famílias com saldo positivo, merecem destaque os Ajudantes de obras civis, que tiveram o resultado (268 postos) concentrado em dois tipos de estabelecimentos: de 50 a 99 empregados, que gerou 89 postos (33,2% do saldo da família e 6,9% do saldo total) e de 250 a 499 empregados, com 90 postos gerados (33,6% do saldo da família e 7,0% do saldo total do trimestre) Os Almoxarifes e armazenistas tiveram seu saldo puxado pelos estabelecimentos de 500 a 999 trabalhadores, com a geração de 224 postos, o que representa 90,7% do saldo da família (247) e 17,3% do saldo total. A terceira família com maior saldo, os Técnicos de vendas especializadas, teve seu resultado concentrado em estabelecimentos com mais de 1000 empregados, que gerou 175 vagas (85,0% do saldo da família e 13,5% do saldo total) (Tabela 8). Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 17

18 TABELA 8 Saldo do emprego formal por família ocupacional, segundo tamanho do estabelecimento Osasco, julho a setembro de 2011 Famílias Ocupacionais Até De 5 a De 10 a De 20 a De 50 a De 100 De 250 De 500 ou a 249 a 499 a 999 mais Total Ajudantes de obras civis Almoxarifes e armazenistas Técnicos de vendas especializadas Agentes, assistentes e auxiliares administrativos Escriturários de serviços bancários Operadores do comércio em lojas e mercados Apontadores e conferentes Fiscais e cobradores dos transportes coletivos Trabalhadores nos serviços de manutenção de edificações Trabalhadores do acabamento gráfico Subtotal 10 famílias Total Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Menores rendimentos concentram saldo positivo Segundo faixas de salário mínimo (SM), no total das famílias ocupacionais com maior saldo positivo em Osasco, o resultado acumulado de julho a setembro de 2011 ficou concentrado nas faixas de 1,01 a 2,0 salários mínimos (SM), com postos, resultado superior ao saldo total, o que se explica pelos resultados negativos das faixas acima de 3,01 salários mínimos. O cenário se repete para uma das famílias ocupacionais com os três melhores saldos: Almoxarifes e armazenistas, que concentrou nessa faixa valor superior aos seus respectivos saldos, fato compensado pela eliminação de postos em outras faixas de salários (Tabela 9). As outras duas famílias, Ajudantes de obras civis e Técnicos de vendas especializadas, também concentraram seu saldo na faixa de 1, 01 a 2,0 salários mínimos, porém com resultados positivos nas faixas acima de 3,0 salários mínimos. Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 18

19 TABELA 9 Saldo do emprego formal por família ocupacional e faixa de salário mínimo (1) Osasco, julho a setembro de 2011 Famílias Ocupacionais Até 1,0 De 1,01 a 2,0 De 2,01 a 3,0 De 3,01 a 4,0 De 4,01 a 5,0 Acima de 5,0 Ajudantes de obras civis Almoxarifes e armazenistas Técnicos de vendas especializadas Agentes, assistentes e auxiliares administrativos Escriturários de serviços bancários Operadores do comércio em lojas e mercados Apontadores e conferentes Fiscais e cobradores dos transportes coletivos Trabalhadores nos serviços de manutenção de edificações Trabalhadores do acabamento gráfico Subtotal 10 famílias Total Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Nota 1: Sem ignorados. Total A observação dos dados de julho a setembro de 2010 e 2011 confrontados mostra que houve uma leve melhora na relação entre o salário de admissão e desligamento. Observa-se que houve aumento nos valores nominais destes salários, assim como aumentou-se a relação entre eles. Do total, nesse período, o salário médio de admissão passou de R$ 920,20 para R$ 1.028,39, e o de desligamento, de R$ 1.013,79 para R$ 1.121,37, ao passo que a relação entre eles aumentou de 0,91 para 0,92, ou seja, o salário médio de admissão, que correspondia a 90,8% do de desligamento de julho a setembro de 2010, no mesmo período do ano seguinte passou a 91,7%, mesmo com aumento na remuneração média (Gráfico 5). Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 19

20 GRÁFICO 5 Relação entre o salário de admissão e desligamento Osasco, meses selecionados Fonte: MTE, CAGED. Elaboração: DIEESE. Quanto ao tempo de permanência no emprego, verifica-se que a maioria dos trabalhadores desligados na cidade de Osasco (76,5% dos trabalhadores), no terceiro trimestre de 2011, permaneceram no último vínculo empregatício entre 1,0 e 23,9 meses. Vale dizer que foram desligados no período trabalhadores. Desse total, 45,2% (ou postos) pertencem às dez famílias em destaque (Tabela 9), cujos membros têm o mesmo tempo de permanência do conjunto dos trabalhadores desligados do município. A família dos Operadores do comércio em lojas e mercados, com o maior número de trabalhadores desligados, apresentou o mesmo comportamento descrito no parágrafo anterior, com 84,1% dos trabalhadores concentrados na faixa entre 1,0 e 23,9 meses, sendo que 47,8% dos trabalhadores permaneceram menos de 6 meses no último vínculo. Em segundo lugar, a família dos Agentes, assistentes e auxiliares administrativos teve 24,8% dos desligamentos na faixa de 12,0 a 23,9 meses de permanência. Em seguida, aparece os Cozinheiros que tiveram sua concentração nos contratos rompidos entre 12,0 e 23,9 meses (66,1%). Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 20

21 Ademais, mais da metade (54,3%) dos trabalhadores desligados entre julho e setembro de 2011 possuíam menos de um ano no último emprego. Já no caso das dez famílias ocupacionais que mais desligaram empregados, essa grandeza chega a 57,6% (ver subtotal das 10 famílias). Além disso, para 23,4% dessas dez famílias verificou-se que o tempo de permanência no último posto de trabalho se situava entre 12,0 a 23,9 meses. Isso posto, pode-se dizer que, para essas dez famílias que 80,9% dos desligados no trimestre tinham menos de dois anos no trabalho. Por fim, comparando com o mesmo período de 2010, verifica-se que houve um aumento de 19,7% no número de desligamentos. Destacam-se as faixas de 24,0 a 35,9 meses e a de 12,0 a 23,9 meses, que tiveram aumentos no número de desligamentos em 42,7% e 27,2%, respectivamente (Tabela 10). TABELA 10 Distribuição dos desligados por família ocupacional, segundo o tempo de permanência no emprego (1) Osasco julho a setembro de 2011 (%) Famílias Ocupacionais 0 meses De 1,0 a 2,9 meses De 3,0 a 5,9 meses De 6,0 a 11,9 meses Comparação (Total) /2010 0,0 3,3 21,9 17,2 27,2 42,7 26,9 11,5 7,2 19,7 Fonte: MTE, Caged. Elaboração: DIEESE. Nota 1: Sem ignorados. De 12,0 a 23,9 meses De 24,0 a 35,9 meses De 36,0 a 59,9 meses De 60,0 a 119,9 meses 120 meses ou mais Operadores do comércio em lojas e mercados 0,0 24,0 23,8 20,3 15,9 6,5 6,1 2,8 0,4 100,0 Agentes, assistentes e auxiliares administrativos 0,0 12,7 16,0 16,5 24,8 15,0 7,8 5,5 1,8 100,0 Cozinheiros 0,0 7,3 7,0 8,6 66,1 3,5 3,8 3,5 0,1 100,0 Garçons, barmen, copeiros e sommeliers 0,0 20,4 24,1 24,0 20,2 5,3 4,2 1,2 0,6 100,0 Trabalhadores auxiliares nos serviços de alimentação 0,0 22,3 25,2 18,7 17,2 6,0 6,8 3,3 0,6 100,0 Caixas e bilheteiros (exceto caixa de banco) 0,0 24,2 21,6 19,8 18,4 8,3 5,6 1,9 0,2 100,0 Alimentadores de linhas de produção 0,0 20,6 25,0 21,0 21,4 5,7 3,6 1,9 0,8 100,0 Almoxarifes e armazenistas 0,0 25,3 21,3 17,5 14,9 6,0 9,0 3,8 2,2 100,0 Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem 0,0 9,7 29,2 11,9 16,1 10,0 10,8 6,1 6,1 100,0 Motoristas de veículos de cargas em geral 0,0 14,3 15,4 24,2 21,9 8,3 8,5 5,6 1,8 100,0 Subtotal das 10 famílias 0,0 18,6 20,7 18,3 23,4 7,9 6,5 3,5 1,2 100,0 Total 0,0 17,1 19,1 18,1 22,2 10,0 6,9 4,4 2,2 100,0 Total Contrato Nº 068/ Prefeitura do Município de Osasco e DIEESE 21

RELATÓRIO TRIMESTRAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - JULHO A SETEMBRO DE 2010 -

RELATÓRIO TRIMESTRAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - JULHO A SETEMBRO DE 2010 - PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CURITIBA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CURITIBA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CURITIBA Relatório Especial sobre a Mulher no Mercado de Trabalho de Curitiba-PR Contrato de Prestação de Serviços Nº. 17731/2007 - PMC / DIEESE MARÇO DE 2010 EXPEDIENTE DA

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/2015 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/2015 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/215 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou os dados do Cadastro Geral de Empregados

Leia mais

CONTRATO Nº 068/2009 RELATÓRIO MENSAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - MARÇO DE 2011 -

CONTRATO Nº 068/2009 RELATÓRIO MENSAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - MARÇO DE 2011 - PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: GOIÁS O número de empregos formais no estado alcançou 1,514 milhão em dezembro de 2014, representando

Leia mais

ESTUDO TEMÁTICO SOBRE O PERFIL DOS BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA CAPACITAÇÃO OCUPACIONAL NO MUNICÍPIO DE OSASCO

ESTUDO TEMÁTICO SOBRE O PERFIL DOS BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA CAPACITAÇÃO OCUPACIONAL NO MUNICÍPIO DE OSASCO PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Estado de São Paulo 2 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

Número 140 - Setembro de 2014. O Mercado de Trabalho Formal Brasileiro: Resultados da RAIS 2013

Número 140 - Setembro de 2014. O Mercado de Trabalho Formal Brasileiro: Resultados da RAIS 2013 Número 140 - Setembro de 2014 O Mercado de Trabalho Formal Brasileiro: Resultados da RAIS 2013 Introdução Esta Nota Técnica tem como objetivo apresentar os principais resultados da Relação Anual de Informações

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 23/01/15 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged),

Leia mais

Análise do Mercado de Trabalho Formal em Manaus

Análise do Mercado de Trabalho Formal em Manaus OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE MANAUS Análise do Mercado de Trabalho Formal em Manaus Termo de Contrato Nº. 005/2011 SEMTRAD e DIEESE ABRIL DE 2011 SECRETARIA MUNICIPAL DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL

Leia mais

RELATÓRIO PESQUISAS INOVADORAS SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MERCADO DE TRABALHO -

RELATÓRIO PESQUISAS INOVADORAS SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MERCADO DE TRABALHO - PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 19/03/2015 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL São Paulo 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE Análise do Mercado de Trabalho Formal em Porto Alegre Maio de 2012 Termo de Contrato Nº. 48918/2012 - Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego (SMTE) Secretaria

Leia mais

APRESENTAÇÃO DESTAQUES. 1. Índice de crescimento do emprego formal em Campinas é maior que na RMC (pág. 4)

APRESENTAÇÃO DESTAQUES. 1. Índice de crescimento do emprego formal em Campinas é maior que na RMC (pág. 4) Secretaria Municipal de Trabalho e Renda NOVEMBRO DE 2011 Boletim Informativo do Mercado de Trabalho em Campinas Dezembro de 2011 APRESENTAÇÃO A geração de postos de trabalho tem mostrado sinais de desaceleração

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Campinas 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE Análise do Mercado de Trabalho Formal em Porto Alegre Fevereiro de 2013 Termo de Contrato Nº. 48918/2012 - Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego (SMTE) Secretaria

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro JULHO DE 2014 BRASIL O mês de julho de 2014 fechou com um saldo líquido positivo de 11.796 novos empregos em todo país, segundo dados do Cadastro

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPINAS

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPINAS OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPINAS ESTUDO TEMÁTICO: Movimentação Contratual no Mercado de Trabalho Formal e Rotatividade em Campinas Contrato de Prestação de Serviços Banco Popular da Mulher/DIEESE JUNHO

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE Análise do Mercado de Trabalho Formal em Porto Alegre 2º Trimestre de 2012 Termo de Contrato Nº. 48918/2012 - Secretaria Municipal de Trabalho e Emprego (SMTE)

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO. SECRETÁRIO DE ESTADO Rafael de Góes Brito. SECRETÁRIO ADJUNTO Lailson Ferreira Gomes

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO. SECRETÁRIO DE ESTADO Rafael de Góes Brito. SECRETÁRIO ADJUNTO Lailson Ferreira Gomes ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DO TRABALHO E EMPREGO Rua: Dr. Silvério Jorge, 368 Jaraguá - Maceió - AL - CEP 57022-110 Fone: (82) 3315-1872 - CNPJ: 03.589.899/0001-18 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO SECRETÁRIO

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Sorocaba 3 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

RELATÓRIO AVALIATIVO DA QUALIDADE DA BASE DE DADOS DO SISTEMA DE CADASTRO ÚNICO MUNICIPAL

RELATÓRIO AVALIATIVO DA QUALIDADE DA BASE DE DADOS DO SISTEMA DE CADASTRO ÚNICO MUNICIPAL PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO

Leia mais

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE 1 Março 2008 A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE Ângela da Matta Silveira Martins * Esta nota técnica apresenta algumas considerações sobre a inserção da mão-de-obra feminina no mercado de trabalho

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Relatório Mensal sobre o Mercado de Trabalho Formal do Recife. Outubro de 2011

Relatório Mensal sobre o Mercado de Trabalho Formal do Recife. Outubro de 2011 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RECIFE Relatório Mensal sobre o Mercado de Trabalho Formal do Recife Outubro de 2011 Contrato de Prestação de Serviços Nº 123 Prefeitura do Recife / DIEESE Novembro de 2011

Leia mais

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

Perfil ocupacional dos empregados do setor de energia elétrica no Brasil: 1998/2004

Perfil ocupacional dos empregados do setor de energia elétrica no Brasil: 1998/2004 Ano 3 Nº 28 dezembro de 2006 Perfil ocupacional dos empregados do setor de energia elétrica no Brasil: 1998/2004 REDE ELETRICITÁRIOS RESUMO Este estudo retrata a evolução do emprego no setor elétrico entre

Leia mais

informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará

informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Simão Robison Oliveira Jatene Governador do Estado do Pará José da Cruz Marinho Vice-Governador do Estado do Pará Fapespa

Leia mais

RAIS DO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2010

RAIS DO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2010 RAIS DO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2010 São Paulo Agosto de 2011 INTRODUÇÃO As informações constantes na RAIS Relação Anual de Informações Sociais são prestadas anualmente, de caráter

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados

Leia mais

Nesta edição: Expediente da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Governo do Estado da Bahia. Governador Jaques Wagner

Nesta edição: Expediente da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Governo do Estado da Bahia. Governador Jaques Wagner - Maio/2012 1 Nesta edição: Expediente da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Governo do Estado da Bahia Governador Jaques Wagner Vice-Governador Otto Alencar Secretário do Trabalho, Emprego,

Leia mais

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS,

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

LTCAT Laudo Técnico de Condições do Ambiente de Trabalho

LTCAT Laudo Técnico de Condições do Ambiente de Trabalho LTCAT Laudo Técnico de Condições do Ambiente de Trabalho VIGÊNCIA: MAIO DE 2015 à MAIO DE 2016. Empresa: LOIO SORVETES LTDA (MATRIZ) Responsável Técnico: REGINALDO BESERRA ALVES Eng de Segurança no Trabalho

Leia mais

RETRATO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA BAHIA EM 2009

RETRATO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA BAHIA EM 2009 Salvador / Ba 2010 Superintendência de Estudos Sociais da Bahia - SEI Diretoria de Pesquisas DIPEQ Coordenação de Pesquisas Sociais COPES RETRATO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA BAHIA EM 2009 Workshop: A Base de

Leia mais

Mercado de Trabalho Formal do Recife

Mercado de Trabalho Formal do Recife Boletim Informativo Agosto 2011 Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Em julho, foram gerados 140 mil postos de trabalho formais no Brasil Com

Leia mais

Relatório Analítico:

Relatório Analítico: OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPINAS Relatório Analítico: Análise do Mercado de Trabalho Formal da Região Metropolitana de Campinas Balanço do 1º Semestre de 2010 Termo de Contrato Nº. 65/2009 JULHO DE

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

BOLETIM MENSAL Março/2010. DADOS: CAGED (MTE) Março/2010 RAIS (MTE) 2008

BOLETIM MENSAL Março/2010. DADOS: CAGED (MTE) Março/2010 RAIS (MTE) 2008 BOLETIM MENSAL Março/2010 DADOS: CAGED (MTE) Março/2010 RAIS (MTE) 2008 Este número do Boletim do Observatório do Emprego e do Trabalho da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT) apresenta

Leia mais

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO 12 março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO Expediente Esta é uma publicação da Fundação Perseu Abramo. Diretoria

Leia mais

Comércio em 2013 Um balanço dos principais indicadores

Comércio em 2013 Um balanço dos principais indicadores Junho de 2014 número 6 Comércio em 2013 Um balanço dos principais indicadores Com o objetivo de subsidiar os dirigentes sindicais para as negociações salariais, a Rede Comerciários do DIEESE (Departamento

Leia mais

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RM do Vale do Paraíba e Litoral Norte 4 o trimestre de 2013 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO

SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO PÁGINA 1 Página 1 SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO I N F O R M A T I V O B I M E S T R A L

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html Novos Cursos O SENAI criou 40 novos cursos a distância, sendo 10 cursos

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

Saldo de Empregos Celetistas Cearense - Fevereiro de 2014

Saldo de Empregos Celetistas Cearense - Fevereiro de 2014 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Mercado de Trabalho Formal do Recife

Mercado de Trabalho Formal do Recife Boletim Informativo Novembro 2011 Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Em outubro, foram gerados 126 mil postos de trabalho formais no Brasil

Leia mais

1. Evolução do Emprego Celetista

1. Evolução do Emprego Celetista Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Perfil das Micros e Pequenas Empresas no Município de Manaus. Termo de Contrato Nº. 005/2011 SEMTRAD e DIEESE

Perfil das Micros e Pequenas Empresas no Município de Manaus. Termo de Contrato Nº. 005/2011 SEMTRAD e DIEESE Perfil das Micros e Pequenas Empresas no Município de Manaus Termo de Contrato Nº. 005/2011 SEMTRAD e DIEESE NOVEMBRO DE 2011 SECRETARIA MUNICIPAL DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL - SEMTRAD Prefeito

Leia mais

Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará BOLETIM MERCADO DE TRABALHO PARAENSE

Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará BOLETIM MERCADO DE TRABALHO PARAENSE Fapespa BOLETIM MERCADO DE TRABALHO PARAENSE FEVEREIRO 2015 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Simão Robison Oliveira Jatene Governador do Estado do Pará José da Cruz Marinho Vice-Governador do Estado do Pará Fapespa

Leia mais

BOLETIM MENSAL Julho/2011

BOLETIM MENSAL Julho/2011 Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho BOLETIM MENSAL Julho/2011 DADOS: CAGED (MTE) Mês/Ano RAIS (MTE) 2010 Este número do Boletim do Observatório do Emprego e do Trabalho da Secretaria do Emprego

Leia mais

Um balanço do Comércio em 2014 a partir dos principais indicadores

Um balanço do Comércio em 2014 a partir dos principais indicadores Abril de 2015 número 7 Um balanço do Comércio em 2014 a partir dos principais indicadores Com o objetivo de subsidiar os dirigentes sindicais para as negociações salariais, a Rede Comerciários do DIEESE

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Outubro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008

RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008 RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008 São Paulo 2009 Conteúdo 1. ESTOQUE DE PESSOAS NACIONAL COM BASE NA RAIS RELAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOCIAIS DO

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS

EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETORES DE ATIVIDADES ECONÔMICAS ESPÍRITO SANTO - SALDO DE EMPREGOS O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou o saldo de empregos dos principais setores da economia, através

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2015 MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Presidente Nacional José Roberto Bernasconi Diretor Executivo

Leia mais

Número 84 Agosto de 2009. O emprego no setor do comércio e a crise internacional

Número 84 Agosto de 2009. O emprego no setor do comércio e a crise internacional Número 84 Agosto de 2009 O emprego no setor do comércio e a crise internacional O emprego no setor do comércio e a crise internacional Desde agosto de 2007, o mundo vem se deparando com uma crise financeira

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE PORTO ALEGRE Estudo Temático: Análise do Mercado de Trabalho Formal em Porto Alegre Relatório Especial RAIS 2011 Termo de Contrato Nº. 48918/2012 Secretaria Municipal de Trabalho

Leia mais

DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS

DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS PERFIL DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS 2014 PER DA IND PERFIL DA INDÚSTRIA NOS ESTADOS 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria de Políticas e Estratégia José Augusto

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás.

TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. TEMA: A Mulher no Mercado de Trabalho em Goiás. O Dia Internacional da Mulher, celebrado dia 8 de março, traz avanços do gênero feminino no mercado de trabalho formal. Segundo informações disponibilizadas

Leia mais

Saúde Suplementar em Números

Saúde Suplementar em Números Saúde Suplementar em Números Edição nº 9-2015 Setembro de 2015 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (setembro/15): 50.261.602; Taxa de crescimento do número de beneficiários

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Diretoria de Estatísticas Educacionais RESULTADO DO CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2009 O Censo Escolar, realizado anualmente pelo

Leia mais

Supermercados em 2012

Supermercados em 2012 Junho de 2013 número 5 Supermercados em 2012 Uma análise dos principais indicadores Com o objetivo de subsidiar os dirigentes sindicais para as negociações salariais, a Rede Comerciários do DIEESE - Departamento

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

Ensino público, gratuito e de qualidade

Ensino público, gratuito e de qualidade CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA público, gratuito e de qualidade 1 Rua Américo Davim Filho, s/ nº Vila São Paulo São João Del Rei MG Fone: (3) 337-5367 / Ramal 03 pronatec.sjdr@ifsudestemg.edu.br

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA

Leia mais

Análise Setorial de Emprego

Análise Setorial de Emprego Análise Setorial de Emprego Maio de 2015 Ficha Técnica Governador do Estado de Minas Gerais Fernando Pimentel Secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social André Quintão Secretária Adjunta

Leia mais

Emprego Formal do Estado do Amazonas Novembro 2015

Emprego Formal do Estado do Amazonas Novembro 2015 GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação - SEPLANCTI Emprego Formal do Estado do Amazonas Novembro 2015 MANAUS AMAZONAS 2015 GOVERNADOR

Leia mais

NOTA TÉCNICA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O MERCADO DE TRABALHO NO CEARÁ

NOTA TÉCNICA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O MERCADO DE TRABALHO NO CEARÁ Setembro de 2013 AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O MERCADO DE TRABALHO NO CEARÁ O contexto histórico do desenvolvimento humano auxilia a compreender as dificuldades ainda existentes para o ingresso da pessoa

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação detrabalho e Rendimento Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RECIFE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RECIFE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RECIFE RELATÓRIO DO PROCESSO DE DIÁLOGO SOCIAL COM OS CONSELHEIROS DA COMISSÃO MUNICIPAL DE EMPREGO DO RECIFE Contrato de Prestação de Serviços Nº 123 Prefeitura do Recife /

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo:

Política de Valorização do Salário Mínimo: Nota Técnica Número 143 janeiro 2015 Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário Mínimo de 2015 fixado em R$ 788,00 Salário Mínimo de 2015 será de R$ 788,00 A partir de 1º de janeiro de 2015, o

Leia mais

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF:

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: Número 107 Fevereiro de 2012 Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: A necessária atualização e as mudanças de pesos em um índice de preços Pesquisas de Orçamentos Familiares - POF: a necessária atualização

Leia mais

DESENVOLVIDO PELO Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), este estudo aponta um positivo crescimento do emprego

DESENVOLVIDO PELO Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), este estudo aponta um positivo crescimento do emprego DESENVOLVIDO PELO Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), este estudo aponta um positivo crescimento do emprego formal do engenheiro entre 2003 e 2013. O salto foi

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Abril de 2015 O Comércio em Números é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Pesquisa Anual da Indústria da Construção - PAIC levanta informações sobre o segmento empresarial da indústria da construção em A todo o Território Nacional. A presente análise visa

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro)

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro) INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL Outubro/2012 (dados até setembro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nas MPE brasileiras

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Registro 2 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

AGETRAB Agencia de Trabalho, Educação Profissional e Renda Setembro-2015

AGETRAB Agencia de Trabalho, Educação Profissional e Renda Setembro-2015 Análise Emprego Formal Macaé AGETRAB Agencia de Trabalho, Educação Profissional e Renda Setembro-2015 Os números do mês de agosto - Macaé De acordo com os dados do CAGED em setembro de 2015, foram suprimidos

Leia mais

Abril/2014 - BRASIL. Análise do emprego. Brasil Abril/2014

Abril/2014 - BRASIL. Análise do emprego. Brasil Abril/2014 Abril/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Abril/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas

Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Relatório produzido em conjunto por três agências das Nações Unidas Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Organização Internacional

Leia mais

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS CARGO: 100 ADMINISTRADOR ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS Reportar-se ao Diretor de Gestão, de quem recebe orientação e supervisão; Redigir documentos e ter domínio de ferramentas de informática; Efetuar

Leia mais

BAURU. Regime de Contratação Outros 1 Bibliotecário C.L.T. Agudos Graduação 0. Ensino Fundamental Serviços 9 Faxineiro C.L.T. Bariri Alfabetizado 3

BAURU. Regime de Contratação Outros 1 Bibliotecário C.L.T. Agudos Graduação 0. Ensino Fundamental Serviços 9 Faxineiro C.L.T. Bariri Alfabetizado 3 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Outros 1 Bibliotecário Agudos Graduação Outros 4 Vigilante Agudos 9 Faxineiro Bariri Alfabetizado Construção Civil

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL 3 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo, no

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais