10 de Maio de Divulgação dos Resultados do 1T10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "10 de Maio de 2010. Divulgação dos Resultados do 1T10"

Transcrição

1 10 de Mai de 2010 Divulgaçã ds Resultads d 1T10

2 ÍNDICE DESTQUES... 3 CRIÇÃO DO MULTIPLUS S TM Fidelidade... 4 VISÃO GERL DO SETOR DE REDES E PROGRMS DE FIDELIZÇÃO DE CLIENTES... 5 Prgrama Individual... 5 Prgrama de calizã... 5 VISÃO GERL DO MULTIPLUS... 6 Cndições para acúmul e trca de pnts... 8 Mdel de Negóci... 9 GOVERNNÇ CORPORTIV ESTRUTUR SOCIETÁRI Desempenh das ções ORGNOGRM SIEBEL LOYLTY CONSELHO DE DMINISTRÇÃO RELCIONMENTO COM TM Cntrat Operacinal...12 Cntrat de Cmpartilhament de Serviçs Cmprmiss de diantament para Cmpra e Venda de Bilhetes éres RESUMO DS INFORMÇÕES FINNCEIRS E OPERCIONIS INFORMÇÕES OPERCIONIS Ttal de Participantes Pnts emitids Pnts Resgatads Breakage INFORMÇÕES FINNCEIRS Faturament Receita Cust e despesas Demnstraçã de Resultad EBITD justad Flux de Caixa Cnciliaçã d Caixa Balanç Patrimnial INFORMÇÕES FINNCEIRS PRO FORM Faturament Pr frma Receita Pr frma Cust e despesas Pr frma Demnstraçã de Resultad Pr frma EBITD justad Pr frma GLOSSÁRIO CONTTO RELÇÕES COM INVESTIDORES /27

3 DESTQUES Oferta primária de ações - IPO Ttal das ações emitidas: Preç pr açã: R$ 16,00 Free Flat: 26,83% Mntante ttal: R$ 692 milhões Mntante líquid: R$ 662 milhões Utilizaçã ds recurss: ntecipaçã de pagament para aquisiçã de passagens-prêmi da TM Linhas éreas para entrega futura: R$ 622 milhões Nvas Parcerias Entrada da ccr Hspitality na calizã, pr mei d seu prgrama de fidelidade de clientes Club Entrada da Oi na calizã trnandse peracinal n 2º semestre de 2010 Destaques Financeirs Faturament de pnts de R$ 230,3 milhões EBITD justad R$ 76,9 milhões Margem EBITD justad - 33,4 % Lucr Líquid R$ 7,5 milhões Nvidades ções prmcinais ns períd de férias e carnaval junt a parceirs de acúmul para uma mair bnificaçã de pnts para s cnsumidres Operações Implantaçã d nv sistema peracinal - Siebel Lyalty: Definiçã (realizada) Desenh (realizada) Desenvlviment (realizada) Testes integrads (em andament) Primeir e segund cicl de hmlgaçã (em andament) Desde primeir semestre de 2009, a TM desenvlve, cm a ajuda de parceirs, prjet que vai implantar a versã R12 d Oracle. O Multiplus terá suas perações incrpradas a R12 em um prjet que se estenderá até 3T10 Redesenh ds prcesss financeirs de Cntrladria, Tesuraria e Supriments; Geraçã de infrmações mais rápidas sbre tds s negócis da empresa; Melhres funcinalidades de sistemas, inclusive legads; ument da eficiência, a prdutividade e a sinergia entre s negócis, preservand a autnmia das áreas; tualizaçã tecnlógica cntínua. 3/27

4 CRIÇÃO DO MULTIPLUS S.. O Multiplus é resultad de uma reestruturaçã scietária da TM Linhas éreas para, cm uma empresa independente, gerir, administrar e perar Prgrama TM Fidelidade. lém diss, funcina cm uma rede, interligand s prgramas de fidelizaçã ds seus váris parceirs, bem cm presta serviçs de gestã, administraçã e peraçã de prgramas de fidelizaçã de clientes de parceirs cmerciais cm bjetiv de cntribuir para que atraiam e retenham clientes, estimuland a demanda pels seus prduts e serviçs. lng d segund semestre de 2009 a TM S.. cncluiu a mntagem de sua subsidiária, Multiplus S.., que passu n dia 05 de fevereir de 2010 à cndiçã de cmpanhia de capital abert, cm ações negciadas na BM&FBOVESP (Nv Mercad) sb códig MPLU3, send a 1ª Cmpanhia da mérica d Sul de rede de fidelizaçã a negciar suas ações em blsa. Incluind exercíci d lte 73.17% 26.83% suplementar, fram fertadas 43,3 TM S. Bvespa milhões de ações a preç de R$ 16,00 pr açã e após a reestruturaçã scietária e a Oferta Pública de ções a TM S.. passu a deter 73,2% das ações d Multiplus S... O Multiplus destinu aprximadamente R$ 622 milhões ds recurss líquids recebids cm a Oferta para antecipaçã de pagament para aquisiçã de passagens-prêmi da TM Linhas éreas para entrega futura, cntabilizad cm adiantament a frnecedres. Levand-se em cnsideraçã a expectativa de resgates futurs, este valr é suficiente para suprir as necessidades d Multiplus pr aprximadamente 24 meses, prém, de acrd cm as práticas cntábeis que levam em cnsideraçã mntante de pnts Multiplus resgatads n períd (apenas 3 meses), a estimativa de cnsum deste sald é de 32 meses. O Multiplus nasce cm a vantagem de ter um relacinament exclusiv e estratégic cm a TM Linhas éreas (cmpanhia aérea líder n mercad brasileir cm 42,4% de market share n primeir trimestre de 2010 de acrd cm s dads da NC). TM Linhas éreas ferece vs para td Brasil e pera rtas internacinais, para as principais cidades da mérica d Sul, Estads Unids e Eurpa, e ferece cnexões cm utrs destins pr mei ds seus parceirs da Star lliance, cm a Lufthansa, TP, United irlines e utras. TM Fidelidade Cm a gestã, administraçã e peraçã d Prgrama TM Fidelidade, Multiplus ganhu acess diret, cm algumas limitações, à expressiva base cadastral de clientes da TM Linhas éreas, inclusive à parcela ds quais nã é ainda participante d Prgrama TM Fidelidade. Em 2009, percentual de passageirs pr v da TM Linhas éreas que era participante d Prgrama TM Fidelidade fi inferir, em média, a 50%. Esses passageirs representam uma base substancial de ptenciais participantes d Multiplus à medida que, a se trnarem participantes d Prgrama TM Fidelidade, eles se trnam autmaticamente participantes d Multiplus. Em adiçã, pr ser uma das principais parceiras cmerciais d Multiplus a TM Linhas éreas adquire um alt vlume de pnts Multiplus para repassá-ls as participantes d Prgrama TM Fidelidade. O TM Fidelidade representa um prgrama extremamente atraente em virtude de suas características, cm a facilidade em terms de datas para emissã e utilizaçã de bilhetesprêmi na mérica d Sul, uma rede abrangente de vs para resgates de pnts e regras simples para um rápid acúmul de pnts. lém diss, em 2008, a TM Linhas éreas uniu-se à Star lliance, a mair aliança glbal da aviaçã cmercial, em terms de quantidade de participantes e de cbertura gegráfica. Cm um membr permanente da Star lliance, a TM Linhas éreas permitirá a interligaçã d Prgrama TM Fidelidade as prgramas de fidelizaçã de clientes das utras cmpanhias 4/27

5 integrantes da Star lliance, que facilitará prcess de acúmul de pnts, ferecerá mais pções de resgate e pririzará s serviçs e embarque ns vs ferecids pelas demais cmpanhias aéreas integrantes da aliança. aliança ferece acess a aerprts, lcalizads em 175 países a redr d mund. Esses númers vã aumentar cm a adesã definitiva da TM, em 13 de mai de Visã Geral d Setr de Redes e Prgramas de Fidelizaçã de Clientes O setr de redes e prgramas de fidelizaçã de clientes cmpreende uma ampla variedade de ferramentas e práticas que permitem as clientes fiéis acumular pnts de incentiv que, quand cnvertids em prêmis, passam a fazer parte de uma prpsta de valr atraente para cntinuar a cmprar s prduts u serviçs de uma cmpanhia. Há dis frmats básics de prgramas de fidelizaçã: prgramas de calizã e prgramas individuais. Os prgramas de calizã, tais cm Multiplus, integram váris parceirs cmerciais diferentes n mesm sistema de meda u pnts e permitem que esses parceirs reduzam seus custs cm marketing de fidelizaçã a distribuir alguns ds gasts pela rede. Os prgramas individuais, pr utr lad, exigem que cliente resgate pnts pr mei da aquisiçã de prduts de um únic frnecedr. Dessa frma, s prgramas de calizã ferecem uma prpsta de valr mais atraente, uma vez que s cnsumidres pdem acumular pnts de maneira mais rápida e ter acess a um prtfóli mais abrangente de pções de prêmis. Os prgramas de fidelizaçã de clientes de cmpanhias aéreas, s chamads frequent-flyer prgrams, eram, até recentemente, tip mais ppular de prgrama de fidelizaçã n setr de redes e prgramas de fidelizaçã de clientes. O sucess de tais prgramas deve-se principalmente a alt apel da btençã de passagens aéreas grátis e, devid a iss, diverss utrs prgramas de fidelizaçã buscaram estabelecer relacinaments cm s frequent-flyer prgrams cm bjetiv de dispnibilizar prtunidades de prêmis em passagens aéreas para s seus participantes. uniã ds frequent flyer prgrams cm prgramas de calizã ptencializa s benefícis de cada tip de prgrama, alcançand nã smente frequent flyer (cnsumidr cm atividade freqüente em empresas de transprte aére), mas também frequent shpper (cnsumidr cm cmprtament de recmpra). seguir, exemplificada a diferença entre um prgrama individual e um prgrama de calizã: Prgrama Individual Cnsumidr $ Prdut cúmul de pnts Pnts Empresa Resgate de pnts Prduts da Empresa Prgrama de calizã cúmul de pnts Resgate de pnts $ Prduts Pnts Pnts Prduts Cnsumidr $ Prduts Pnts B Calizã Pnts B Prduts $ Prduts Pnts C Pnts C Prduts 5/27

6 Em linhas gerais, pdem ser destacadas as seguintes vantagens de um prgrama de calizã sbre prgramas individuais: Mair retençã na base atual de clientes pr mei de melhra da prpsta de valr; Mair facilidade de acúmul de pnts e resgate de prduts e serviçs; Reduçã de custs de retençã e aquisiçã de participantes; Pssibilidade de utilizaçã da base de CRM (custmer relatinship management) de váris segments; celeraçã na penetraçã das classes sóci-ecnômicas da base de clientes de utrs prgramas parceirs da calizã; bertura de um nv canal de cmunicaçã diret cm uma mair base de participantes; Flexibilidade para prmver prduts específics ds parceirs cm ações direcinadas e prmções cruzadas cm utrs parceirs da rede; e ument da divulgaçã das marcas individuais pela assciaçã à calizã. O setr de redes e prgramas de fidelizaçã de clientes n Brasil ainda está ns seus estágis iniciais de desenvlviment, send s frequent-flyer prgrams tip mais ppular de prgrama de fidelizaçã. Há atualmente uma quantidade limitada de prgramas de fidelizaçã relevantes n Brasil e, apesar de as empresas de utrs setres, inclusive varej, telecmunicações e prduts de cnsum, buscarem cada vez mais lançar prgramas de fidelizaçã, pde-se cnsiderar esse segment ainda em estági inicial de desenvlviment. Cnsequentemente, setr de redes e prgramas de fidelizaçã de clientes n Brasil é atualmente caracterizad pela puca cncrrência e alt ptencial de cresciment. VISÃO GERL DO MULTIPLUS O Multiplus atua cm cnceit de prgrama de calizã, mas funcinand cm uma rede de prgramas individuais, adtand um mdel de negóci flexível, que se rigina da junçã ds benefícis ds dis mdels existentes: calizões e prgramas individuais. té a criaçã d Multiplus, Prgrama TM Fidelidade se resumia: à emissã de pnts as participantes d Prgrama TM Fidelidade em cntrapartida à cmpra de passagens aéreas da TM Linhas éreas, à venda de pnts para utrs parceirs que nã a própria TM Linhas éreas e à resgates exclusivs na própria TM Linhas éreas, cnfrme a figura a lad: Cliente Prgramas independentes Prduts Prduts Prduts Inst. Fin. TM Fidelidade Pnts Pnts B Pnts X Prduts Parceirs de cúmul Cash in Venda de pnts para parceirs 6/27

7 O Multiplus fi cnstituíd cm um nv negóci em uma entidade separada da TM Linhas éreas, na qual uma mair gama de acúmul e resgates está dispnível. Tds s pnts acumulads e prêmis entregues as cnsumidres sã respectivamente vendids e cmprads pela própria empresa, incluind as perações cm a TM Linhas éreas. invés de substituir s prgramas ds parceirs, Multiplus s cnecta em uma rede mais abrangente. Dessa frma, Multiplus nã cmpete, mas cpera, cm s prgramas de fidelizaçã ds seus parceirs cmerciais, dand a estes alternativas de resgates de alta atratividade a mesm temp em que estimula s parceirs cmerciais a cntinuar se relacinand cm seus cnsumidres, cnfrme a figura a seguir: cúmul Entrada de caixa (venda de pnts para parceirs) Parceir cm prgrama própri Cmpra Prduts u Serviçs Ganha Pnts cumula Prgrama Individual Cnverte Parceirs sem prgrama Cmpra Prduts u Serviçs Ganha Resgate Saída de Caixa (cmpra pnts, prduts e serviçs ds parceirs e frnecedres) Cnverte Pnts ds prgramas ds Parceirs de Calizã resgata Prduts u Serviçs resgata Prduts u Serviçs de Parceirs de Calizã resgata Catálg O Multiplus vende seus pnts para prgramas parceirs n mment que cliente decide transferir seus pnts para Multiplus. O cust acntece smente quand cliente decidir resgatar seus pnts pr pnts ds parceirs de calizã, passagens aéreas, pactes turístics da TM Viagens u também prduts d catálg nline. O Multiplus diferencia-se das demais iniciativas de fidelizaçã n mercad exatamente pr ser uma rede de prgramas de fidelizaçã de várias empresas de diferentes rams d cmérci varejista de prduts e serviçs. Os benefícis dessa iniciativa incluem estímul e a liberdade para cada cnsumidr acumular e resgatar pnts da maneira que julgar mais cnveniente, dand mais abrangência as prgramas de fidelidade e ampliand as pssibilidades de fidelizaçã e geraçã de nvs negócis para as empresas parceiras. Os cnsumidres d Multiplus passam a ter, prtant, mais pções de acúmul e trca de pnts, pdend acumular seus pnts através de tds s parceirs de acúmul e/u de calizã e resgatá-ls u em seus própris prgramas de fidelizaçã u pr passagens nacinais e internacinais da TM Linhas éreas, rteirs turístics da TM Viagens n Brasil e n exterir e diverss prêmis ferecids pels utrs parceirs de calizã Ipiranga (KM de Vantagens), Walmart (Bmclube), Livraria Cultura (Mais Cultura), ccr Hspitality ( Club) e Oi (a partir d segund semestre de 2010). 7/27

8 Venda de pnts para parceirs Parceirs premiam clientes cm pnts Clientes pdem usar pnts em váris parceirs diferentes Cnsumidr Clientes pderã acumular pnts de diferentes prgramas em uma cnta única Parceirs de cúmul Outrs Catálg Pr mei da rede Multiplus, cnsumidres pdem acumular pnts prvenientes de diversas empresas e prgramas de fidelizaçã e transferi-ls para uma só cnta e, além diss, resgatar prêmis em várias empresas, através da trca de pnts ds váris prgramas de fidelizaçã ds parceirs de calizã u através ds prduts dispníveis n catálg nline. Os ltes de transferência tem quantidades fixas e a quantidade mínima u máxima de transferência pr períd pde variar de acrd cm cada prgrama parceir. Para efetuar resgate e realizar a transferência ds pnts, cliente deve estar inscrit n prgrama de destin selecinad e, uma vez transferids para prgrama selecinad, s pnts seguirã as regras vigentes d prgrama de destin. Cndições para acúmul e trca de pnts seguir tabela cm as cndições de acúmul padrã e trca de pnts entre s parceirs de calizã: Regras TM TM Viagens Ipiranga Walmart Fatr de cúmul Parceir 1 Real equivale 1 Real equivale N/ N/ (R$ x pnts 1 KMV 1 Bmclube parceirs) Pnts Parceir x 6 Bmclubes 1 TM equivale 1 TM equivale 1 KMV equivale Pnts Multiplus equivalem 1 1 Multiplus 1 Multiplus 1 Multiplus (acúmul) Multiplus Pnts Parceir x 1 Multiplus 1 Multiplus 1 Multiplus 1 Multiplus Pnts Multiplus equivale 2 equivale 1 TM equivale 1 TM equivale 1 KMV (resgate) Bmclube Ltes de cnversã de pnts Parceir para Multiplus Ltes de cnversã de pnts Multiplus para Parceir * KMV Km de Vantagens , , e , e Livraria Cultura 1 Real equivale 5 Mais Cultura 5 Mais Cultura equivalem 1 Multiplus 1 Multiplus equivale 2 Mais Cultura ccr 1 Eur equivale n mínim 1 /Club 2 /Club equivalem 1 Multiplus 3 Multiplus equivale 1 /Club 4.000, e , e Oi ser definid ser definid ser definid ser definid ser definid 8/27

9 Mdel de Negóci O Multiplus pssui um mdel de negóci flexível permitind múltiplas prtunidades de cresciment ds negócis: Mdels de Negóci cúmul Calizã Terceirizaçã CRM Parceir C Parceir D CRM Parceir B Prgrama Parceir Prgrama Parceir Parceir Parceir Parceirs cmpram pnts da Multiplus para premiar seus cnsumidres Via dupla: trca de pnts (cmpra e venda) entre Multiplus e prgrama d parceir Multiplus pera prgrama d parceir Multiplus alavanca a base de dads da sua rede e ferece serviçs de CRM Prgrama Parceir Parceirs de cúmul de Pnts Cnsumidres adquirem prduts e serviçs ds parceirs para acumular pnts Multiplus, que serã trcads pr resgates ns parceirs de calizã u n catálg nline. N final d 1T10 Multiplus cntava cm 121 parceirs cmerciais de acúmul advinds de váris setres da ecnmia, cm supermercads, psts de cmbustível, livrarias, cartões de crédit, bancs, htéis, lcadras de autmóvel, jrnais, revistas, cmérci eletrônic, instituições de ensin, farmácias, estéticas e saúde, dentre utras. N Brasil, grande parte ds prgramas de fidelizaçã sã de instituições financeiras, as quais buscam estabelecer relacinaments cm cmpanhias aéreas cm bjetiv de dispnibilizar prtunidades de prêmis em passagens aéreas para s seus participantes, fazend cm que estas instituições se trnem grandes cnsumidres de pnts Multiplus. Parceirs de Calizã Cnsumidres pdem, pr mei ds pnts acumulads em um parceir e seu prgrama de fidelizaçã, resgatar prêmis em qualquer um ds utrs parceirs de calizã u n catálg nline. Pr mei de uma cnta Multiplus s participantes ds prgramas de fidelizaçã ds parceirs cmerciais decidem se transferirã seus pnts entre s diverss prgramas de fidelizaçã que cmpõem a rede Multiplus u se cncentrarã s pnts acumulads de diferentes prgramas de fidelizaçã em uma única cnta Multiplus. tualmente a rede cnta cm sete parceirs de calizã: TM (TM Fidelidade), TM Viagens, Linhas éreas Prgrama Parceir ccr ( Club), Ipiranga-Texac (Km de Vantagens), Livraria Cultura (+ Cultura), Walmart (Bm Clube), e Oi (telefnia fixa e móvel, banda larga de Internet e televisã à cab). 9/27

10 Parceir D Parceir Parceir C CRM Parceir Parceir B Terceirizaçã d Prgrama de Fidelizaçã Neste cas, Multiplus pde perar u até mesm ser própri prgrama de fidelizaçã ds parceirs cmerciais que assim ptarem e/u prestar serviçs de cnsultria, gestã e administraçã de relacinament cm clientes pr mei de um prgrama independente de fidelizaçã, estimuland a demanda pels seus própris prduts e serviçs. tualmente Multiplus gere Prgrama TM Fidelidade da TM Linhas éreas e da TM Viagens. CRM O Multiplus tem cndições de cletar e analisar dads transacinais de participantes de maneira a auxiliar s parceirs cmerciais nas suas estratégias de negócis (pr exempl, ferta de pnts em dbr para um determinad prdut) e para realizaçã de ações cmerciais casadas cm s utrs parceirs também da calizã (pr exempl, pssibilidade de resgatar pnts pr prduts u serviçs de um parceir cm uma menr quantidade de pnts se a mesm temp frem resgatads pnts pr prduts u serviçs de utr parceir) GOVERNNÇ CORPORTIV Estrutura Scietária Cm IPO, a estrutura scietária d Multiplus é a seguinte: cinistas ções Ordinárias (%) Ttal (%) Blc de Cntrle TM S ,17% ,17% Outrs Free Flat - Bvespa ,83% ,83% TOTL ,00% ,00% Desempenh das ções Em 31 de març de 2010, as ações da Multiplus S.. estavam ctadas à R$ 18,69 (valrizaçã de 17% desde iníci da ferta de ações) representand um valr de mercad de R$ 3,0 bilhões. O free flat estava em 26,83%, a negciaçã média diária das ações na Bvespa n primeir trimestre fi pr vlta de 20,2% d ttal d free flat e vlume financeir médi móvel manteve-se em trn de R$ 8,7 milhões. % fev 8-fev Vlume MPLU IBOV 10-fev 12-fev 18-fev 22-fev 24-fev 26-fev 2-mar 4-mar 8-mar 10-mar 12-mar 16-mar 18-mar 22-mar 24-mar R$ (milhões) mar 30-mar 10/27

11 Organgrama seguir, rgangrama atual d Multiplus: Cnselh de dministraçã Presidente Diretria Negócis C CEO Operações Finanças N fechament d trimestre, Multiplus cntava cm 52 funcináris, send 1 diretr executiv, 2 diretres e 7 gerentes. N próxim dia 17 de mai executiv Eduard Guveia assumirá carg de Diretr-Presidente, que vem send exercid pr Líban Barrs desde que essa empresa fi criada, em utubr de Siebel Lyalty TM Linhas éreas adquiriu em mai de 2009 direit de us de um sistema invadr da Oracle Siebel Lyalty para gerenciar Multiplus e Prgrama TM Fidelidade, que será implantad até junh de Este sistema e a cnsultria de implantaçã, feita pela IBM, fram imbilizads na TM Linhas éreas e vendids a Multiplus n primeir trimestre de 2010 e s cntrats repassads. Pr mei desse sistema, Multiplus armazena e gerencia as infrmações ds cnsumidres e, além diss, permite que s parceirs cmerciais cnsultem s extrats de pnts acumulads pr seus cnsumidres n Multiplus u em seu própri prgrama de fidelizaçã, cnfrme cas, bem cm slicitem serviçs crrelats, cm, pr exempl, infrmações históricas sbre perações de cmpras e resgate de pnts. Em razã de Siebel Lyalty permitir a peraçã de diverss prgramas de fidelizaçã de participantes simultaneamente, Multiplus está bem psicinad para satisfazer a ptencial demanda ds atuais e nvs parceirs cmerciais, para desenvlver e/u gerenciar s seus respectivs prgramas de fidelizaçã. O Siebel Lyalty apresenta a rbustês necessária a negóci d Multiplus. Cm ele, a empresa será capaz de incrementar s cntrles interns, uma vez que sistema permite rastreabilidade ttal d pnt, agilidade na inclusã de nvs parceirs e n prcessament das transações além de ampliar a capacidade de armazenament de dads. Cm tud iss, sistema melhra a capacidade cmercial e de gestã, uma vez que a cmpanhia pderá dispnibilizar uma série de serviçs as cnsumidres e parceirs através d prtal na Internet e será capaz de emitir relatóris custmizads para as necessidades d Multiplus. tualmente Multiplus gerencia TM Fidelidade através d sistema FID desenvlvid internamente pela TM, qual ficará peracinal e dará suprte necessári para TM Fidelidade e para Multiplus até a entrada d Siebel. s fases de definiçã, desenh e de desenvlviment já fram realizadas. tualmente estã em andament as fases de testes integrads, além d primeir e segund cicl de hmlgaçã. Cnselh de dministraçã Frmad pr cinc membrs (ds quais quatr representand blc cntrladr e um independente), frnece as diretrizes estratégicas gerais à administraçã. É respnsável pel estabeleciment das plíticas cmerciais gerais e pela eleiçã ds Diretres Executivs (bem cm pela supervisã da administraçã destes), pela autrizaçã da emissã, recmpra, amrtizaçã e/u resgate de ações, pela instituiçã de cmitês, entre utrs temas. 11/27

12 O Cnselh de dministraçã reúne-se td mês u sempre que slicitad pr qualquer membr d Cnselh de dministraçã. Os integrantes d Cnselh de dministraçã devem ser acinistas da cmpanhia e sã eleits pela ssembléia Geral de cinistas. Os membrs, que pdem ser residentes u dmiciliads n Brasil u n exterir, sã eleits para um períd de dis ans, admitida a reeleiçã. Os mandats ds atuais cnselheirs terminam em 10 de dezembr de O Estatut Scial nã prevê idade limite para apsentadria brigatória de nsss cnselheirs, nem de executivs. tabela abaix apresenta s nmes e s cargs ds membrs d Cnselh de dministraçã d Multiplus. Para maires infrmações, acessar website de Relações cm Investidres (www.multiplusfidelidade.cm.br/ri). Nme Mauríci Rlim mar Egbert Vieira Lima Flávia Turci Carls Daniel Rizz da Fnseca ntôni Luiz Ris da Silva Carg Presidente Vice-Presidente Cnselheir Cnselheir Cnselheir Independente Relacinament cm a TM Cntrat Operacinal Em 10 de dezembr de 2009, Multiplus celebru Cntrat Operacinal cm a TM Linhas éreas, pr mei d qual fram estabelecids s terms e cndições que regem relacinament entre as duas empresas a partir de 1º de janeir de 2010, quand Multiplus assumiu a gestã, administraçã e peraçã d Prgrama TM Fidelidade. Cm base n Cntrat, Multiplus tem exclusividade cm a TM Linhas éreas, nã pdend permitir que prgramas de fidelizaçã de utras cmpanhias aéreas participem da rede Multiplus, além de nã permitir que algum cncrrente da TM Linhas éreas tenha acess à sua base de dads, assim cm a TM Linhas éreas cmprmeteu-se a nã permitir que Prgrama TM Fidelidade participe de prgramas de fidelizaçã que nã Multiplus u que algum cncrrente d Multiplus tenha acess à sua base de dads. O Cntrat Operacinal é válid pr 15 ans cntads a partir de 1º de janeir de 2010, pdend ser prrrgad pr períds adicinais de cinc ans, autmaticamente, cas Multiplus u a TM Linhas éreas nã se manifestem em sentid cntrári cm 120 dias de antecedência. Tant Multiplus cm a TM Linhas éreas pderã rescindir imtivadamente cntrat peracinal, a qualquer temp, independente de pagament de multa, desde que Multiplus u a TM Linhas éreas, cnfrme cas, enviem ntificaçã pr escrit à utra parte cm antecedência mínima de 12 meses, durante s quais cntinuam em vigr tdas as cláusulas d cntrat. Sem prejuíz de eventual indenizaçã, bem cm de quaisquer utrs direits u ações judiciais, qualquer das Partes, mediante ntificaçã pr escrit a utra Parte, pderá rescindir Cntrat, cas crra u se verifique qualquer das hipóteses descritas a seguir, as quais nã se aplicam a descumpriment ds níveis de serviç, s quais pssuem penalidades próprias: (i) grave inadimplement d Cntrat, que nã seja sanad pela Parte infratra tã lg seja pssível, mas em praz nã superir a 30 (trinta) dias após recebiment da ntificaçã d inadimplement enviada pela utra Parte; (ii) reiterads descumpriments de brigações previstas n Cntrat, independentemente de tais descumpriments serem sanads pela Parte infratra 12/27

13 u de utr md reslvids de maneira satisfatória para as Partes, cuj efeit cumulativ será entendid pr grave vilaçã d Cntrat; (iii) (iv) (v) trne-se inslvente; tiver sua recuperaçã judicial deferida u sua falência decretada; e nas demais hipóteses previstas em lei. Neste cas, a Parte infratra pagará a utra Parte n at da rescisã, uma multa calculada pela multiplicaçã da média ds três últims faturaments, ns meses anterires à data de rescisã, pr 24 (vinte e quatr) meses. O prgrama TM Fidelidade cntinua existind, prém, desde 1º de janeir de 2010, passu a emitir pnts Multiplus para seus participantes. De acrd cm Cntrat Operacinal, Multiplus é respnsável, dentre utrs, pel prcessament de infrmações sbre acúmul e resgate de pnts n Prgrama TM Fidelidade e pela entrega ds prêmis as participantes, de acrd cm regulament d Prgrama TM Fidelidade e regulament d Multiplus e, para iss, Multiplus recebe uma quantia de R$ 270 mil pr mês. dicinalmente, para manter s princípis de cperaçã, transparência e equilíbri ecnômic-financeir n relacinament, Cntrat Operacinal estabelece que a TM Linhas éreas deverá cnsultar Multiplus sbre qualquer alteraçã que pretenda implementar cm relaçã a dispsições d regulament d Prgrama TM Fidelidade u as prêmis n âmbit d Prgrama TM Fidelidade, que pssa impactar a gestã, administraçã e peraçã d Prgrama TM Fidelidade pel Multiplus, inclusive equilíbri ecnômic-financeir. lém diss, Multiplus cncrdu cm a participaçã d Prgrama TM Fidelidade na sua rede de calizã. Para tant, a TM Linhas éreas cmprmeteu-se a adquirir pnts Multiplus, a partir de 1º de janeir de 2010, para entregá-ls as participantes d Prgrama TM Fidelidade. Da mesma frma, Multiplus se cmprmeteu a adquirir passagens aéreas da TM Linhas éreas para entregá-las as participantes d Multiplus em cntrapartida as pnts Multiplus que esses participantes venham a resgatar cm base nas regras de resgate de prêmis previstas n regulament d Prgrama TM Fidelidade e n regulament d Multiplus. Ns terms d Cntrat Operacinal, a TM Linhas éreas cncrdu em assumir pr até 30 meses cntads de 1º de janeir de 2010 a respnsabilidade pels custs cm s prêmis relativs as pnts acumulads pels participantes n Prgrama TM Fidelidade até 31 de dezembr de Dessa frma, (1) na eventualidade de s participantes cnverter s seus pnts Multiplus pr pnts de prgramas de parceirs cmerciais d Multiplus u s resgatar pr prêmis utrs que nã passagens-prêmi após 31 de dezembr de 2009, a TM Linhas éreas reemblsará Multiplus pelas despesas que incrrer em relaçã a essas cnversões e/u resgates prprcinalmente as pnts acumulads pel participante até 31 de dezembr de 2009 e que sejam utilizads nessas cnversões e/u resgates; e (2) na eventualidade de s participantes resgatarem s seus pnts Multiplus pr passagens-prêmi após 31 de dezembr de 2009, a TM Linhas éreas cncederá descnts ns valres que Multiplus teve de pagar pelas passagens-prêmi, s quais levam em cnsideraçã a classe da cabine, temp de duraçã d v (se de curta u lnga distância) e a quantidade de pnts resgatads d Prgrama TM Fidelidade, de maneira prprcinal as Pnts acumulads pel participante até 31 de dezembr de 2009 e que sejam utilizads nesses resgates. Cm resultad, Multiplus recnhece n demnstrativ de resultad apenas a receita e a despesa/cust crrespndentes as pnts resgatads e que tenham sid acumulads n Multiplus a partir de 1º de janeir de dicinalmente, a TM Linhas éreas brigu-se a ceder para Multiplus a ttalidade ds cntrats de parceria cmercial u cancelá-ls até 31 de dezembr de 2009, de frma a evitar nvs acúmuls de pnts n Prgrama TM Fidelidade decrrentes desses cntrats após 1º de janeir de /27

14 Na medida em que até 31 de dezembr de 2009 a TM Linhas éreas tinha transferid 90 ds 112 cntrats de parceria cmercial, a Cmpanhia prrrgu pr seis meses praz para a transferência ds 22 cntrats de parceria cmercial remanescentes. Para s cntrats nã transferids, permanecerã send aplicáveis s critéris de precificaçã de pnts prevists em cada cntrat de parceria cmercial riginal, até que eles sejam efetivamente cedids a Multiplus. Desta frma, a TM Linhas éreas repassa na íntegra s valres para Multiplus. tualmente Multiplus pssui 121 cntrats, faltand nve cntrats a serem transferids. Cntrat de Cmpartilhament de Serviçs Em 10 de dezembr de 2009, Multiplus celebru um cntrat de cmpartilhament de serviçs cm a TM Linhas éreas, pr mei d qual a TM Linhas éreas cmprmeteu-se a dispnibilizar para Multiplus serviçs de: cntrladria, tesuraria, api a planejament e gerenciament financeir, call center, instalações e infra-estrutura, jurídic, recurss humans, tecnlgia da infrmaçã, marketing, auditria e supriments. TM Linhas éreas cmprmeteu-se a dispnibilizar clabradres, equipaments, ferramentas, tecnlgia e utrs recurss necessáris a cmpartilhament desses serviçs, cm mesm grau de diligência, qualificaçã e prudência cnfrme habitualmente exercid em relaçã às suas próprias perações. Pel cmpartilhament desses serviçs, Multiplus tem a brigaçã de pagar mensalmente á TM Linhas éreas valr ttal de R$ 662,5 mil. N 1T10 pagament fi de R$ mil. fim de manter equilíbri ecnômic-financeir existente na data de celebraçã d cntrat, Multiplus e a TM Linhas éreas se cmprmeteram a rever s valres ds serviçs d cntrat, a cntar da data de iníci de vigência a cada 12 meses. Esse cntrat tem praz de vigência de cinc ans, a partir de 1º de janeir de 2010, prrrgand-se autmaticamente pr iguais e sucessivs períds de cinc ans cada. O cntrat pderá ser terminad a qualquer temp, sem ônus e independentemente de pagament de multa, indenizaçã e/u penalidade de qualquer natureza, desde que mediante ntificaçã escrita à parte cntrária cm antecedência mínima de 90 dias. Cmprmiss de diantament para Cmpra e Venda de Bilhetes éres Em 12 de janeir de 2010, Multiplus celebru cm a TM Linhas éreas um cmprmiss de adiantament para cmpra e venda de passagens aéreas na frma de adiantament à frnecedr para atender as resgates ds participantes d Multiplus em passagens-prêmi da TM Linhas éreas que permanecerá em vigr até a plena utilizaçã ds recurss, que deverá crrer em aprximadamente 24 meses. De acrd cm esse cntrat, Multiplus entregu à TM Linhas éreas R$ 622 milhões (94% ds recurss líquids recebids cm a Oferta) a títul de antecipaçã de pagament para aquisiçã de passagens-prêmi da TM Linhas éreas para entrega futura. O preç de aquisiçã de cada passagem-prêmi é determinad de acrd cm a classe da cabine, temp de duraçã d v (curta u lnga distância) e a quantidade de pnts resgatads para emissã da passagem-prêmi. O cmprmiss de adiantament também estabelece um descnt fix para cada passagem-prêmi, independente da classe da cabine, d temp de duraçã d v (curta u lnga distância) e da quantidade de pnts resgatads para emissã da passagem-prêmi. té cnsum ttal ds recurss adiantads para a TM Linhas éreas, nã haverá qualquer reajuste ns preçs das passagens trcads pr pnts resgatads. té final d 1T10 fram cnsumids R$ mil d ttal ds recurss. 14/27

15 RESUMO DS INFORMÇÕES FINNCEIRS E OPERCIONIS s tabelas a seguir apresentam um resum das infrmações financeiras e peracinais para s exercícis e períds indicads. Infrmações Operacinais tabela a seguir resume as principais infrmações peracinais d Multiplus: Infrmações Operacinais 31/Mar/2010 Quantidade ttal de participantes (milhões) 6,9 Quantidade de pnts acumulads (mil) TM Outrs Quantidade de pnts resgatads (mil) Passagens aéreas Prduts e serviçs de parceirs de calizã e catálg Multiplus Quantidade de cartões C-branded - TM Fidelidade (mil) 385,7 Burn/earn (%) 63,1% Breakage (%) 29,5% Ttal de Participantes té final d primeir trimestre a base d Multiplus cntava cm 6,9 milhões de participantes cm a seguinte evluçã d númer de participantes (em milhões): 20% CGR 22% 2,0 2,5 3,0 3,8 4,5 5,5 6,6 5,8 6, Mar-09 Mar-10 Pnts emitids N 1T10 Multiplus emitiu um ttal de mil pnts, devid as pnts vendids para: TM Linhas éreas: para entregar as seus passageirs que acumulam pnts ns vs da própria TM Linhas éreas e em cmpanhias aéreas parceiras quand utilizam prgrama TM Fidelidade; Parceirs de Calizã: quand seus cnsumidres decidem transferir s pnts ds prgramas individuais para Multiplus; Instituições Financeiras: quand seus cnsumidres decidem transferir s pnts ds prgramas individuais para Multiplus; Cartã Cbranded: quand s cnsumidres acumulam pnts Multiplus pels gasts n cartã de crédit da TM Linhas éreas; Parceirs de cúmul: para entregarem pnts Multiplus as seus cnsumidres. 15/27

16 Pnts Resgatads N 1T10 Multiplus teve um ttal de mil pnts resgatads, send mil pnts relativs as pnts acumulads pels participantes n Prgrama TM Fidelidade até 31 de dezembr de s despesas destes pnts sã de respnsabilidade da TM Linhas éreas e restante, mil pnts (send mil pnts em passagens aéreas, eram pnts Multiplus, emitids a partir de 1º de janeir de 2010, pels quais a empresa recnhece as receitas e s custs na demnstraçã de resultads. O resgate de pnts segue a regra FIFO (First In, First Out u primeir a entrar, primeir a sair), prtant s nvs pnts emitids serã s últims a serem resgatads. Breakage Breakage é a quantidade de pnts Multiplus vencids e nã resgatads pels participantes (cm prcentagem ds pnts emitids n períd de rigem ds pnts vencids), nã havend custs relativs incrrids. D ttal de pnts vendids n mês e cntabilizad cm Receita Diferida, estima-se que um percentual (calculad levand-se em cnsideraçã a média histórica da taxa de breakage ds últims 24 meses) nã será resgatad. Mensalmente é aplicada, na receita diferida de pnts breakage, a prcentagem da velcidade de resgate (pnts resgatads n mesm mês em que sã emitids) para recnhecer este valr na demnstraçã de resultads. estimativa atual de breakage baseia-se em tendências históricas apresentand uma taxa de 29,5% n 1T10 cmparad à 31,1% n 1T09. Infrmações Financeiras s infrmações financeiras d Multiplus nã auditadas estã send apresentadas em milhares de reais, excet se indicad de utra frma e fram elabradas de acrd cm as práticas cntábeis adtadas n Brasil, cm base nas dispsições cntidas na Lei das Sciedades pr ções em cnsnância cm as alterações intrduzidas pela Lei nº /07 e nas nrmas estabelecidas pela Cmissã de Valres Mbiliáris CVM e pels Prnunciaments emitids pel Cmitê de Prnunciaments Cntábeis CPC, cnvergentes cm as nrmas de cntabilidade internacinais ( IFRS ). Faturament O faturament é decrrente da venda de pnts as parceirs cmerciais send diferida e cntabilizada cm receita diferida n mment da emissã de pnts, identificad também cm Faturament Brut. (Em R$ mil) Faturament 31/Mar/ 2010 Venda de pnts TM Linhas éreas Outrs Faturament de pnts Serviçs 810 Faturament ttal O faturament de pnts d primeir trimestre de 2010 fi de R$ mil, send que cmprtament em relaçã as parceirs fi seguinte: 16/27

17 Receita TM Linhas éreas: precificaçã ds pnts feita em Reais; cnsidera a quantidade de pnts acumulads pels passageirs embarcads ns vs da própria TM Linhas éreas e em cmpanhias aéreas parceiras quand utilizad prgrama TM Fidelidade; Outrs parceirs: precificaçã ds pnts feita em dólares para as instituições financeiras e, na mairia, em reais para s parceirs de calizã e de utrs parceirs de acúmul; referente a númer de pnts que s cnsumidres de parceirs cm s própris prgramas de fidelizaçã transferem para Multiplus e também referente a númer de pnts vendids para parceirs que nã pssuem prgramas de fidelizaçã. À medida que s pnts Multiplus (pnts emitids a partir de 1º de janeir de 2010) frem resgatads, a receita será recnhecida na demnstraçã de resultads cm receita bruta. Estes valres incluem também a receita pr emissã de pnts que se estima nã serã resgatads (u breakage). (Em R$ mil) Receita Líquida 31/Mar/2010 Venda de pnts TM Linhas éreas Outrs Breakage Outras receitas 810 Receita Bruta Impsts sbre vendas e serviçs (4.202) Receita Líquida receita líquida fi de R$ mil n 1T10 devid: Receita de pnts. R$ mil, devid a recnheciment d faturament de mil pnts que fram resgatads n trimestre Receita de breakage. R$ mil, devid a vlume de pnts vendids durante primeir trimestre de 2010 (que se estima nã serã resgatads) e também à velcidade da curva de resgate (pnts acumulads e resgatads n mesm mês) ter sid 8% n trimestre. Outras receitas. R$ 810 mil, devid a valr que Multiplus cbra da TM Linhas éreas referente a gerenciament d prgrama TM Fidelidade e também as valres recebids d prfit sharing d cartã c-branded TM Fidelidade. Impst sbre vendas. R$ mil, relativ a PIS/COFINS (impsts federais) e ISS (impst sbre serviçs), à alíquta de 9,25% e 5,0% respectivamente. Sbre td faturament incidem PIS/COFINS e sbre a receita d gerenciament d prgrama TM Fidelidade incide também ISS. 17/27

18 Cust e despesas Os custs peracinais referem-se as resgates pr prêmis pr mei ds prgramas ds parceirs cmerciais u d catálg eletrônic d Multiplus. (Em R$ mil) Custs e Despesas Operacinais 31/Mar/2010 Cust ds resgates de pnts (21.719) Passagens aéreas (21.280) Outrs resgates (439) Serviçs cmpartilhads (2.011) Despesas cm pessal (2.971) Marketing (854) Outrs (2.290) Ttal ds Custs e Despesas Operacinais (29.845) Os custs e despesas peracinais fram de R$ mil n 1T10 devid: Cust ds resgates de pnts. R$ mil, devid principalmente à: Passagens aéreas: vlume de passagens-prêmi da TM Linhas éreas tant em vs dméstics e na mérica d Sul resgate padrã ( pnts) e resgates prmcinais (mens de pnts) quant em vs internacinais de lnga duraçã. Devid também a vlume de resgates pr passagens-prêmi das cmpanhias aéreas parceiras da TM Linhas éreas, cm a Lufthansa, TP, ir Canada, SWISS, ustrian irlines, BMI e utras. Outrs resgates: vlume de resgates em pnts, prduts e serviçs em parceirs da calizã e prduts dispníveis n catálg Multiplus. Benefíci d PIS/COFINS: O Multiplus, cm uma cmpanhia independente, tem direit de creditar PIS/COFINS n seu cust de resgates de pnts, prtant s valres d 1T10 apresentads estã líquids d crédit de PIS/COFINS à alíquta de 9,25%. Serviçs Cmpartilhads. R$ mil, devid a cntrat de cmpartilhament cm a TM Linhas éreas ds serviçs de cntrladria, prcesss de tesuraria, api a planejament e gerenciament financeir, call center, instalações, infraestrutura, jurídic, recurss humans, tecnlgia da infrmaçã, marketing, auditria e supriments. Despesas cm Pessal. R$ mil, devid a quadr de funcináris e que inclui saláris, encargs e benefícis. Despesas cm Marketing. R$ 854 mil, devid principalmente às atividades de marketing em events de divulgaçã da marca. Outrs. R$ mil, devid principalmente as gasts relativs as serviçs de assessria e cnsultria nas áreas jurídica, estratégica e TI. 18/27

19 Demnstraçã de Resultad (Em R$ mil) Demnstraçã de resultad 31/Mar/2010 Receita bruta Venda de pnts Breakage Outras Receitas 810 Impsts sbre vendas e serviçs (4.202) Receita Líquida Despesas Operacinais Cust ds resgates de pnts (21.719) Passagens aéreas (21.280) Outrs Resgates (439) Serviçs cmpartilhads (2.011) Despesas cm pessal (2.971) Marketing (854) Outrs (2.290) Ttal das Despesas Operacinais (29.845) Lucr Operacinal Margem Operacinal 26,8% Despesa/Receita Financeira 326 Lucr antes d IR e CS Impst de Renda e Cntribuiçã Scial (3.788) Lucr Líquid n períd Margem Líquida 18,3% Receitas Financeiras. R$ 358 mil cm receita financeira e R$ 32 mil cm despesas. gestã das aplicações financeiras é feita, majritariamente, via funds de investiments exclusivs. Esta estrutura segue alt nível de transparência e gvernança crprativa. custódia ds títuls e qutas e a administraçã ds funds sã feitas pr uma instituiçã independente ds gestres. Os mandats e regulaments sã cnsistentes dentr de cada mdalidade de gestã e pssuem limites e frmas de mensuraçã claras para risc de mercad, crédit e liquidez. lém da fiscalizaçã da CVM, cada fund é submetid à auditria independente. 19/27

20 EBITD justad O EBITD justad é uma medida nã cntábil calculada cm base nas infrmações financeiras e que crrespnde a lucr peracinal (que, pr sua vez, crrespnde a lucr líquid d períd antes d impst de renda e cntribuiçã scial e das receitas e despesas financeiras líquidas), ajustada pr determinads itens que impactam resultad das perações d Multiplus e que incluem faturament, despesas cm depreciaçã e amrtizaçã para períd e excluem a receita d períd e custs estimads cm resgates relacinads cm faturament para períd. O EBITD justad fi de R$ mil, principalmente devid a vlume de pnts vendids, cust médi unitári e pelas despesas peracinais, itens já cmentads, send a margem EBITD justad de 33,4%. (Em R$ mil) EBITD justad 31/Mar/2010 Lucr antes d IR e CS Depreciaçã e mrtizaçã 0 Faturament da venda de pnts Descnt de PIS e COFINS (17.214) Receita da venda de pnts (44.179) Variaçã d cust de resgates futurs (99.126) EBITD justad Margem 35,2% O cust de resgates futur é calculad levand-se em cnsideraçã a quantidade de pnts a serem resgatads, excluind pnts já resgatads e pnts breakage. Neste sald, é aplicad cust unitári de resgates chegand a valr de cust futur. variaçã leva em cnsideraçã a diferença entre sald de abertura e efetiv d períd. 20/27

10 de Maio de 2010. Divulgação dos Resultados do 1T10

10 de Maio de 2010. Divulgação dos Resultados do 1T10 10 de Mai de 2010 Divulgaçã ds Resultads d 1T10 ÍNDICE DESTQUES... 3 CRIÇÃO DO MULTIPLUS S..... 4 TM Fidelidade... 4 VISÃO GERL DO SETOR DE REDES E PROGRMS DE FIDELIZÇÃO DE CLIENTES... 5 Prgrama Individual...

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

31 de Março 2010 Divulgação dos Resultados Pro Forma do ano de 2009

31 de Março 2010 Divulgação dos Resultados Pro Forma do ano de 2009 31 de Março 2010 Divulgação dos Resultados Pro Forma do ano de 2009 CRIAÇÃO DA MULTIPLUS S.A. Ao longo do segundo semestre de 2009 a TAM S.A. concluiu a montagem de sua subsidiária, a Multiplus S.A., que

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 ESTRATÉGIA DESEGMENTAÇÃO ESTRATÉGIA DE SEGMENTAÇÃO Estrutura segmentada vltada a estratégia

Leia mais

O que é sucessão de responsabilidades?

O que é sucessão de responsabilidades? GLOSSÁRIO DO EMPREENDEDOR O que é capital inicial? É capital de gir necessári para iniciar as atividades de seu negóci e "rdar" as perações até cmeçar a gerar receita suficiente para equilibrar este capital.

Leia mais

Resultados Consolidados 1º Trimestre de 2015

Resultados Consolidados 1º Trimestre de 2015 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

Reajuste Tarifário de 2006. Esclarecimentos sobre os valores concedidos pela ANEEL

Reajuste Tarifário de 2006. Esclarecimentos sobre os valores concedidos pela ANEEL Reajuste Tarifári de 2006 Esclareciments sbre s valres cncedids pela ANEEL Abril/2006 Agenda Intrduçã IRT 2006 CVA PASEP-COFINS Impact na geraçã de caixa 2 ANEEL divulga reajuste de 6,7% Resluçã Hmlgatória

Leia mais

Divulgação de Resultados Primeiro Trimestre de 2014

Divulgação de Resultados Primeiro Trimestre de 2014 Divulgaçã de Resultads Primeir Trimestre de 2014 Barueri, 14 de mai de 2014. Apresentaçã de Resultads 1T14 A Temp Participações S.A. (BM&FBvespa: TEMP3; Reuters: TEMP3.SA; Blmberg: TEMP3 BZ), empresa de

Leia mais

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES Tribunal de Cntas da Uniã Marcel Pachec ds Guaranys Brasília, 22.11.2011 ROTEIRO Dads d setr Infraestrutura aeprtuária: desafis Definiçã da mdalidade

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Resultados Consolidados 1º Semestre de 2015

Resultados Consolidados 1º Semestre de 2015 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs sb númer únic de matrícula e de pessa clectiva 503 219 886 COMUNICADO Resultads

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

Plano Promocional de Fornecimento de Infra-estrutura de Acesso a Serviços Internet de Banda Estreita Dial Provider 1

Plano Promocional de Fornecimento de Infra-estrutura de Acesso a Serviços Internet de Banda Estreita Dial Provider 1 Sã Paul, 26 de dezembr de 2005 Plan Prmcinal de Frneciment de Infra-estrutura de Acess a Serviçs Internet de Banda Estreita Dial Prvider 1 Telecmunicações de Sã Paul S.A - TELESP. ( Telesp ), tend em vista

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

VENDAS CONTRATADAS NO 1S10 ULTRAPASSAM R$507 MILHÕES, RESULTADO 73% ACIMA DO OBTIDO NO MESMO PERÍODO DE 2009.

VENDAS CONTRATADAS NO 1S10 ULTRAPASSAM R$507 MILHÕES, RESULTADO 73% ACIMA DO OBTIDO NO MESMO PERÍODO DE 2009. PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA: Sã Paul, 14 de julh de 2010: A CAMARGO CORRÊA DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO ( CCDI u Cmpanhia ; Bvespa: CCIM3) anuncia seus resultads peracinais referentes a segund trimestre de

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativ... 8 Participante Assistid...

Leia mais

Todos os direitos reservados Versão 1.2

Todos os direitos reservados Versão 1.2 Guia de Relatóris Tds s direits reservads Versã 1.2 1 Guia de Relatóris Índice 1 Pedids... 3 1.1 Mnitr de Pedids... 3 1.2 Pedids... 4 1.3 Estatísticas de Pedids... 5 1.4 Acess e Cnsum... 7 1.5 Pedids pr

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Desempenho de Vendas 1º Trimestre/2015

Desempenho de Vendas 1º Trimestre/2015 Sã Paul, Brasil, 13 de abril de 2015 - O GPA [BM&FBOVESPA: PCAR4 (PN); NYSE: CBD] e Via Varej S.A. [BM&FBOVESPA:VVAR3 e VVAR11] anunciam desempenh das vendas d 1º trimestre de 2015. Desempenh de Vendas

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS A campanha d Dia Mundial de Cmbate à Plimielite (também cnhecida cm paralisia infantil), celebrad n dia 24 de utubr,

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic 1 Simuland uma Cadeia e planejand seus estques Lcal: em sala de aula Material

Leia mais

Divulgação de Resultados Terceiro Trimestre de 2013

Divulgação de Resultados Terceiro Trimestre de 2013 Divulgaçã de Resultads Terceir Trimestre de 2013 Barueri, 12 de nvembr de 2013. Apresentaçã de Resultads 3T13 A Temp Participações S.A. (BM&FBvespa: TEMP3; Reuters: TEMP3.SA; Blmberg: TEMP3 BZ), empresa

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Artigo 13 Como montar um Lava Jato para Caminhões

Artigo 13 Como montar um Lava Jato para Caminhões Artig 13 Cm mntar um Lava Jat para Caminhões O lava jat para caminhões tem cm diferencial atender veículs grandes e mercad específic, pis já está estabelecid nich de mercad. O sucess para este empreendiment

Leia mais

Resultados Consolidados 4º Trimestre de 2014

Resultados Consolidados 4º Trimestre de 2014 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores

INFORMAÇÃO GAI. Apoios às empresas pela contratação de trabalhadores INFORMAÇÃO GAI Apis às empresas pela cntrataçã de trabalhadres N âmbit das plíticas de empreg, Gvern tem vind a criar algumas medidas de api às empresas pela cntrataçã de trabalhadres, n entant tem-se

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

Cnova N.V. Atividade do Terceiro Trimestre de 2015

Cnova N.V. Atividade do Terceiro Trimestre de 2015 Cmunicad 9 de utubr de 2015 Cnva N.V. Atividade d Terceir Trimestre de 2015 GMV: 1.121 milhões (+17,6% a câmbi cnstante) Participaçã d marketplace: 22,7% (+1.032 bp) Vendas líquidas: 781 milhões (+9,1%

Leia mais

QUALICORP. Figura 1: Estrutura do mercado de cartões. Competição. Redecard (fechamento de capital)

QUALICORP. Figura 1: Estrutura do mercado de cartões. Competição. Redecard (fechamento de capital) Nesta carta, referente a 3º trimestre de 2012, explicarems nssa visã em relaçã a investiment em Ciel, analisand as pssíveis mudanças cmpetitivas devid a fechament de capital da Redecard, pr exempl, e s

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

Resultados Consolidados 3º Trimestre de 2014

Resultados Consolidados 3º Trimestre de 2014 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

Padrões Contábeis CPC-IFRS Atualizado pelos Pronunciamentos CPC. Rafael Borges Morch José Augusto Veiga da Costa Marques

Padrões Contábeis CPC-IFRS Atualizado pelos Pronunciamentos CPC. Rafael Borges Morch José Augusto Veiga da Costa Marques Padrões Cntábeis CPC-IFRS Atualizad pels Prnunciaments CPC Rafael Brges Mrch Jsé August Veiga da Csta Marques Prpsta de curs Cntextualizar ambiente da cnvergência cntábil Apresentar s nvs padrões cntábeis

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

WWW.CLICK-MENTAL.COM

WWW.CLICK-MENTAL.COM Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes WWW.CLICK-MENTAL.COM Criad pr: Click Mental - Sistemas de Infrmaçã, Lda. Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes O que é? O Fidelity é um sftware

Leia mais

AULA 3 GERENCIAMENTO DE CUSTOS E GESTÃO DE OPERAÇÕES PARA A QUALIDADE TOTAL. Prof. Glauce Almeida Figueira

AULA 3 GERENCIAMENTO DE CUSTOS E GESTÃO DE OPERAÇÕES PARA A QUALIDADE TOTAL. Prof. Glauce Almeida Figueira AULA 3 GERENCIAMENTO DE CUSTOS E GESTÃO DE OPERAÇÕES PARA A QUALIDADE TOTAL Prf. Glauce Almeida Figueira EMENTA AULA TÓPICOS 31/08 Intrduçã a Cntabilidade de Custs ; Terminlgia Cntábil; Tips de Custei;

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. Dads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

Passo 1: Descrição do plano de negócios

Passo 1: Descrição do plano de negócios Manual Cm fazer um plan de negócis Índice Intrduçã Pass 1: Descriçã d plan de negócis Pass 2: Abrdagem d mercad Pass 3: Investiments e financiament Pass 4: Cnta de explraçã prvisinal Pass 5: Orçament prvisinal

Leia mais

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 A Diretria d SEBRAE/RS trna públic presente edital e cnvida Artesãs representads pr Assciações e/u Cperativas de Artesanat d Ri Grande d Sul a inscreverem-se

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. ads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

3 Aplicações dos Modelos de Análise de Crédito

3 Aplicações dos Modelos de Análise de Crédito 3 Aplicações ds Mdels de Análise de Crédit Pdem ser citads cm principais estuds realizads para previsã de inslvência de pessas jurídicas: Estud de Tamari O estud fi realizad n final da década de 50 e fi

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

RESULTADOS SONAE SIERRA DE 2007

RESULTADOS SONAE SIERRA DE 2007 COMUNICADO SONAE - SGPS, S. A. Sede: Lugar d Espid, Via Nrte, Maia Capital scial: 2.000.000.000,00 Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Maia sb númer únic de matrícula e identificaçã fiscal

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL...

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... Respnsável pela elabraçã d trabalh: Fernanda Juli Barbsa Camps

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic Simuland Cadeias de Supriments v2.0 Lcal: em sala de aula Material Necessári:

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana de Parnaíba Cmpnente Curricular: Cntabilidade Cmercial Eix Tecnlógic: Gestã e Negócis Módul: II C.

Leia mais

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º).

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º). VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteraçã n crngrama (Art. 6º e Art. 12º). APRESENTAÇÃO Idealizad e instituíd pela Assciaçã Nacinal de Entidades Prmtras de Empreendiments Invadres (Anprtec), em parceria

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento Interbrs Tecnlgia e Sluções de Internet Ltda. Rua Dr. Guilherme Bannitz, 126 2º andar Cnj. 21 /179 Itaim Bibi - Sã Paul- SP - 04532-060 Fne: 55 11 9209-3717 / 55 11 8162-0161 Pr favr, cnsidere a prteçã

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA Fund Lcal n Cncelh de Paredes de Cura PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: O Municípi de Paredes de Cura, pessa clectiva nº 506

Leia mais