3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00%

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00%"

Transcrição

1 Problemáticas Especificas e Respostas Sociais Famílias e comunidade Rendimento Social de Inserção População Beneficiária de RSI (%) Barreiro Montijo Almada Setúbal Peninsula de Setúbal Portugal Continental Alcochete Seixal Sesimbra Palmela 3,11% 3,03% 2,82% 2,76% 2,56% 1,92% 1,62% 1,52% 1,48% 3,91% 5,41% 0,00% 1,00% 2,00% 3,00% 4,00% 5,00% 6,00% Fonte: Sistema de Estatísticas da Segurança Social (SESS), dezembro de 2012; INE, Recenseamento da População e Habitação Dados tratados pelo ISS, IP CDS (UAD NAGPGI) Valor médio da prestação RSI (em dezembro de 2012) Palmela Montijo Alcochete Barreiro Setúbal Peninsula de Setúbal Portugal Continental Seixal Almada Sesimbra 93,25 92,24 91,97 90,27 89,52 89,35 88,43 86,68 86,55 83,23 96,96 75,00 80,00 85,00 90,00 95,00 100,00 Fonte: Sistema de Estatísticas da Segurança Social (SESS), dezembro de Dados tratados pelo ISS, IP CDS (UAD NAGPGI)

2 Agregados familiares beneficiários de RSI por concelho Almada 1953 Setúbal Barreiro Seixal 989 Montijo 608 Palmela Sesimbra Alcochete Fonte: Sistema de Estatísticas da Segurança Social (SESS), dezembro de 2012 Agregados familiares beneficiários de RSI com acordos de inserção ativos N.º de acordos de inserção N.º de beneficiários abrangidos Concelho ativos nos acordos de inserção Fonte: ISS, IP Unidade de Desenvolvimento Social e Programas, dezembro 2012 Beneficiários de RSI por sexo e escalão etário Concelho Escalão Etário Feminino Masculino Total Total < 18 anos anos anos a 24 anos a 29 anos a 34 anos (concelho) 35 a 39 anos a 44 anos a 49 anos a 54 anos a 59 anos a 64 anos = ou > 65 anos Fonte: Sistemas de Estatística da Segurança Social, dezembro 2012

3 Beneficiários de RSI por freguesia Freguesia N.º de beneficiários Alhos Vedros 510 Baixa da Banheira 954 Gaio-Rosário Sarilhos Pequenos 50 Vale da Amoreira Total Fonte: Sistemas de Estatística da Segurança Social, dezembro 2012 Apoio alimentar Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados (PCAAC) Concelho N.º de instituições beneficiárias N.º de instituições mediadoras N.º de instituições beneficiárias e mediadoras N.º de pessoas apoiadas Fonte: ISS, IP Unidade de Desenvolvimento Social e Programas, dezembro 2012 Programa de Emergência Alimentar cantinas sociais (protocolos assinados em 2012) Instituição N.º de refeições diárias Centro Reformados e Idosos do Vale da Amoreira CRIVA 50 (100 atualmente) Centro de Reformados e Idosos da Baixa da Banheira - CRIBB 50 Fonte: ISS, IP Unidade de Desenvolvimento Social e Programas, dezembro 2012 Outras respostas com componente de intervenção na família Instituição N.º de beneficiários Nós Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente Instituto das Comunidades Educativas Centro Social e Paroquial da Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros Centro de Apoio Familiar Acompanhamento Parental Clube Família Integração de indivíduos em mercado de trabalho Dinâmicas Intergeracionais entre idosos e jovens Apoio psicossocial a familiares e jovens Projeto Famílias com Esperança apoiar famílias com crianças e/ou mães adolescentes CLDS Entre-Nós Banco de Ajudas Técnicas CLDS Entre-Nós Projecto Eco-Lar apoio em situações de insalubridade famílias Unidade Cuidados Continuados internamento média duração 30 Unidade Cuidados Continuados

4 Fundação Santa Rafaela Maria CRIVA Fonte: Parceiros do CLASM internamento longa duração Unidade Cuidados Continuados cuidados paliativos 15 Gabinete de Apoio psicossocial 60 PCAAC + Apoio à Familia Apoio alimentar, vestuário e outros bens 630 utentes 220 famílias Banco Alimentar 60 PCAAC Loja Social do Vale da Amoreira 400 famílias Resposta solidária articulada com a equipa de PRSI

5 Crianças e jovens Respostas sociais para crianças e jovens Cooperação/Rede Solidária N.º de utentes com acordo Centro Atividades Tempos Livres S/ almoço 70 Centro Atividades Tempos Livres C/ almoço 371 Creches 130 Creches familiares 64 Educação Pré-escolar 503 Lar crianças e jovens 14 Total 1152 Fonte: ISS, IP, SIF/SAP Equipamentos privados de Ação Social N.º Equipamentos Área Infância 10 Fonte: ISS, IP UDSP, dezembro 2012 Listagem de instituições com Acordo de Cooperação na área das crianças e jovens Instituição Centro Paroquial de Ação Social da Centro Reformados e Idosos Vale da Amoreira - CRIVA Centro Social e Paroquial S. Lourenço Alhos Vedros N.º de utentes com acordo de cooperação Centro Atividades Tempos Livres 66 Educação Pré-escolar 100 Centro Atividades Tempos Livres S/ almoço 55 Centro Atividades Tempos Livres C/ almoço 5 Centro Atividades Tempos Livres S/ almoço 15 Centro Atividades Tempos Livres C/ almoço 80 Educação Pré-escolar 78 Centro Atividades Tempos Livres C/ almoço 120 Educação Pré-escolar 50 Rumo, Cooperativa Sol. Social Lar Crianças e Jovens 14 Centro Atividades Tempos Livres C/ almoço 100 Santa Casa da Misericórdia de Creches 85 Alhos Vedros Educação Pré-escolar 150 Sociedade Instrução e Beneficiência a Voz do Operário Creches 45 Creches familiares 64 Educação Pré-escolar 125 Total 1152 Fonte: Segurança Social, Plataforma Supraconcelhia da Península de Setúbal e parceiros do CLASM Projetos PARES ativos na área da infância Instituição Resposta social N.º de lugares Centro de Reformados e Idosos da Baixa da Banheira Creche 33 Fonte: Segurança Social, Plataforma Supraconcelhia da Península de Setúbal Comissão de Protecção de Crianças e Jovens Nº de Crianças e jovens sinalizados em 2012 Tipo de processos N.º de processos Novos processos 206

6 Processos recebidos de outras CPCJ 20 Processos reabertos 100 Transitados de Total de processos trabalhados em Fonte: CPCJ Tipologias de perigo mais sinalizadas no Concelho: Negligência Exposição a modelos de comportamento desviante, p.ex violência doméstica Absentismo/abandono escolar Faixas etárias com mais processos de promoção e protecção: anos anos 3-5 anos Medidas de promoção e protecção mais aplicadas Apoio junto dos pais (Artº 35, nº1, alínea a) da lei 147/99) Acolhimento Institucional (artº 35, nº1, alínea f) da lei 147/99) Apoio junto de outro familiar (Artº 35, nº1, alínea b) da lei 147/99) Freguesias com maior volume processual e tipologias de perigo que mais se destacaram em cada uma delas - Negligência; exposição a modelos de comportamento desviante; maus tratos físicos) Vale da Amoreira - Negligência; abandono escolar; exposição a modelos de comportamento desviante; maus tratos físicos Baixa da Banheira - Negligência; abandono escolar; exposição a modelos de comportamento desviante; maus tratos psicológicos Alhos Vedros - Negligência; abandono escolar; exposição a modelos de comportamento desviante; maus tratos físicos Programas Escolhas intervenção com Crianças e Jovens O Programa Escolhas visa promover a inclusão social de crianças e jovens provenientes de contextos socioeconómicos mais vulneráveis, tendo em vista a igualdade de oportunidades e o reforço da coesão social. O Programa estrutura -se em cinco áreas estratégicas de intervenção: a) Inclusão escolar e educação não formal; b) Formação profissional e empregabilidade; c) Dinamização comunitária e cidadania; d) Inclusão digital; e) Empreendedorismo e capacitação. Projeto Crianças/jovens envolvidas Familiares envolvidos (2012) BxB Projovem (freguesia Baixa da Banheira) Escolhas VA (freguesia Vale da

7 Amoreira) Tasse (freguesias Alhos Vedros e ) Fonte: Parceiros do CLASM Outros projetos com Crianças e Jovens Projeto Jovens envolvidos É Jota Vale CRIVA 350 Fonte: Parceiros do CLASM

8 Idosos População com 65 e mais anos beneficiária de Complemento Solidário para Idosos (CSI) (%) Palmela Portugal Continental Montijo Sesimbra Setúbal Peninsula de Setúbal Almada Seixal Alcochete Barreiro 14,6% 11,5% 11,1% 11,1% 10,9% 10,3% 9,4% 7,9% 7,8% 7,8% 7,7% 0,0% 20,0% 40,0% 60,0% 80,0% 100,0% Fonte: Sistema de Estatísticas da Segurança Social (SESS), dezembro de 2012; INE, Recenseamento da População e Habitação Dados tratados pelo ISS, IP CDS (UAD NAGPGI) Beneficiários de CSI por sexo e escalão etário Concelho Escalão etário Feminino Masculino Total Total a 69 anos a 74 anos a 79 anos a 84 anos e mais anos Fonte: Sistema de Estatística da Segurança Social, dezembro 2012 Beneficiários de CSI por freguesia Freguesia N.º de beneficiários Alhos Vedros 222 Baixa da Banheira 392 Gaio-Rosário Sarilhos Pequenos 21 Vale da Amoreira 260 Total Fonte: Sistema de Estatística da Segurança Social, dezembro 2012 Nota: os valores não são coincidentes em termos de totais porque existem registos que têm apenas a identificação do concelho Pensionistas N.º total de pensionistas por sexo e tipo de pensão (concelho da ) Sexo Invalidez Velhice Sobrevivência Total Masculino Feminino Total

9 Fonte: Centro Nacional de Pensões, dezembro de 2012 N.º de pensionistas da pensão social por sexo e tipo de pensão Sexo Invalidez Velhice Total Masculino Feminino Total Fonte: Centro Nacional de Pensões, dezembro de 2012 Valor médio das pensões da segurança social por ano Seixal Almada Setúbal Peninsula de Setúbal Sesimbra Palmela Alcochete Montijo 5.751, , , , , , , , ,98 0, , , , ,00 Fonte: CNP, dezembro de Dados tratados pelo ISS, IP CDS (UAD NAGPGI) Valor médio das pensões da segurança social por mês Seixal Almada Setúbal Peninsula de Setúbal Sesimbra Palmela Alcochete Montijo 410,79 408,44 408,28 400,76 393,38 390,05 375,98 375,37 343,36 0,00 200,00 400,00 600,00 Fonte: CNP, dezembro de Dados tratados pelo ISS, IP CDS (UAD NAGPGI)

10 Respostas sociais para idosos Cooperação/Rede Solidária N.º de utentes com acordo Apoio domiciliário pessoas sit. dependência 35 Centro Convívio 60 Centro Dia 235 Lar Idosos 230 Lar residencial 18 Serviço Apoio Domiciliário 207 Total geral 785 Fonte: ISS, IP, SIF/SAP Equipamentos privados de Ação Social N.º Equipamentos Área Idosos 1 Fonte: ISS, IP UDSP, dezembro 2012 Listagem de instituições com Acordo de Cooperação na área dos idosos Instituição Centro de Reformados e Idosos da Baixa da Banheira Centro Paroquial de Ação Social da Centro Social e Paroquial Baixa da Banheira Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros N.º de utentes com acordo de cooperação Centro de Dia 100 Serviço de Apoio Domiciliário 60 Centro de Dia 10 Lar Idosos 50 Centro Convívio 60 Centro Dia 40 Serviço Apoio Domiciliário 17 Serviço Apoio Domiciliário 10 Apoio Domiciliário pessoas situação dependência 35 Centro de Dia 85 Lar Idosos 180 Serviço Apoio Domiciliário 120 Total 767 Fonte: Segurança Social, Plataforma Supraconcelhia da Península de Setúbal e parceiros do CLASM Outras respostas dirigidas à área dos idosos Instituição N.º de beneficiários CRIVA Fonte: Parceiros CLASM SERVIVALE (Empresa de Inserção) - Serviços de Apoio à Comunidade Gabinete 65+ Resposta de atendimento e ajuda na resolução de problemas burocráticos e na promoção dos direitos da pessoa idosa 30 clientes

11 Deficiência Cooperação/Rede Solidária N.º de utentes Centro de Actividades Ocupacionais 72 Escola Educação Especial 29 Equipa de Intervenção Precoce 157 Lar Residencial 29 Total 287 Fonte: Parceiros CLASM Nota: as instituições que respondem a esta área englobam os concelhos da e do Barreiro em quase todas as respostas, pelo que neste quadro se encontra a capacidade total das respostas Listagem de instituições com Acordo de Cooperação na área da deficiência Instituição N.º de utentes Centro de Actividades Ocupacionais 60 (25 ) CERCIMB Equipa de Intervenção Precoce 77 Escola de Educação Especial 25 Lar Residencial 11 (5 ) Centro de Actividades Ocupacionais 12 (3 ) Nós Associação de Pais e Equipa de Intervenção Precoce 80 (19 ) Técnicos para a Integração do Escola de Educação Especial 4 (2 ) Deficiente Lar Residencial 18 Total 174 Fonte: Parceiros do CLASM Projetos PARES ativos Instituição Resposta social N.º de lugares Lar residencial 24 Raríssimas Residência autónoma 5 Fonte: Segurança Social, Plataforma Supraconcelhia da Península de Setúbal

12 Imigrantes Centros Locais de Apoio à Integração de Imigrantes N.º de atendimentos/contactos CLAII Fonte da Prata 622 CLAII Vale da Amoreira 2012 Fonte: Parceiros do CLASM

Praça da República - Apartado 47, Setúbal

Praça da República - Apartado 47, Setúbal Ficha Técnica: Versão: Data: Autor: Responsável: Morada: Email: 1.0 10-03-2016 ISS,IP - Centro Distrital de Setúbal - UAD-NAGPGI (JL, CN) ISS,IP - Centro Distrital de Setúbal - UAD-NAGPGI (JR) Praça da

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS

SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS SEGURANÇA SOCIAL SEGURANÇA SOCIAL EM NÚMEROS Continente e Regiões Autónomas SETEMBRO/2017 Direção-Geral da Segurança Social Instituto de Informática, I.P. Í NDICE PÁGINA Pirâmide etária da população residente

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO REDE SOCIAL MIRANDELA SISTEMA DE INFORMAÇÃO

SISTEMA DE INFORMAÇÃO REDE SOCIAL MIRANDELA SISTEMA DE INFORMAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 TERRITÓRIO Número de Freguesias Tipologia das Freguesias (urbano, rural, semi urbano) Área Total das Freguesias Cidades Estatísticas Total (2001, 2008, 2009) Freguesias Área Média

Leia mais

Continente e Regiões Autónomas. Agosto/2014. Instituto de Informática, I.P.

Continente e Regiões Autónomas. Agosto/2014. Instituto de Informática, I.P. SEGURANÇA SOCIAL Continente e Regiões Autónomas Agosto/2014 Direção-Geral da Segurança Social Instituto de Informática, I.P. Í NDICE PÁGINA Pirâmide etária da população residente em e 2060 3 Alguns indicadores

Leia mais

Indicadores. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa

Indicadores. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Indicadores Concelho de Amadora Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) Nº de Famílias no Concelho Valor Médio

Leia mais

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital da Guarda

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital da Guarda PLANEAMENTO ESTRATÉGICO SUPRACONCELHIO Plataforma Supraconcelhia * Beira Interior Norte (PSCBIN) Diagnóstico Social (DS) e Plano de Desenvolvimento Social (PDS) 11 / Dezembro / 2009 Instituto da Segurança

Leia mais

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009

Base de dados I. Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Base de dados I Nº de referência da instituição Nº de registo Questionário de levantamento de recursos institucionais/ 2009 Este questionário tem como objectivo proceder à actualização do Diagnóstico Social,

Leia mais

Problemáticas Sociais

Problemáticas Sociais Alcoolismo e Outras Dependências N.º de Utentes em Tratamento no Centro de Respostas Integradas (CRI) Porto Central (problemas ligados ao álcool e outras substâncias psicoativas) no ano de 2012 N.º de

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

Os Cuidados de Saúde na Rede Social Solidária. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital do Porto

Os Cuidados de Saúde na Rede Social Solidária. Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital do Porto Os Cuidados de Saúde na Rede Social Solidária Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital do Porto 1 Caracterização da população >65 anos no Distrito do Porto: Concelho Censos 2001 Censos 2011

Leia mais

- ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro

- ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro - ALMA ALENTEJANA Associação para o Desenvolvimento Cooperação e Solidariedade Social Laranjeiro Área de Intervenção: Idosos - Centros de Convívio, Centros de Dia e Apoio Domiciliário a idosos. NIF: 503776084

Leia mais

RELATÓRIO (ATUALIZAÇÃO DIAGNÓSTICO SOCIAL MUNICIPIO DE SANTIAGO DO CACÉM) Plenário 23 de junho 2015

RELATÓRIO (ATUALIZAÇÃO DIAGNÓSTICO SOCIAL MUNICIPIO DE SANTIAGO DO CACÉM) Plenário 23 de junho 2015 RELATÓRIO (ATUALIZAÇÃO DIAGNÓSTICO SOCIAL MUNICIPIO DE SANTIAGO DO CACÉM) Plenário 23 de junho 2015 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE SANTIAGO DO CACÉM 1 Território e Demografia Oceano Atlântico Troia Setubal

Leia mais

Apresentação Projeto TASSE. Agrupamento de Escolas José Afonso 7 e 8 de setembro de 2016

Apresentação Projeto TASSE. Agrupamento de Escolas José Afonso 7 e 8 de setembro de 2016 Apresentação Projeto TASSE Agrupamento de Escolas José Afonso 7 e 8 de setembro de 2016 Valências da Fundação Santa Rafaela Maria 1.TASSE 2.SIM 3.PAF 4.CAPAZ 5.CAMPOS DE FÉRIAS http://www.fsantarafaelamaria.org/

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOCIAL DO CONCELHO DE MONTALEGRE

DIAGNÓSTICO SOCIAL DO CONCELHO DE MONTALEGRE DIAGNÓSTICO SOCIAL DO CONCELHO DE MONTALEGRE Dinâmicas Demográficas e Socio- Familiares A - Desertificação e envelhecimento da população Decréscimo populacional na ordem dos 17.5%; Jovens diminuíram para

Leia mais

Sistema de ensino. Formação Profissional. Trabalho/emprego

Sistema de ensino. Formação Profissional. Trabalho/emprego Sistema de ensino Insucesso, absentismo e abandono escolar precoce; Escassas habilitações dos pais; Desmotivação face ao percurso escolar; Mobilidade entre escolas; Visibilidade e acesso a carreiras desviantes.

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Desenvolver as condições facilitadoras da criação de emprego, combate ao desemprego e incentivo à iniciativa local referente ao empreendedorismo

Leia mais

Seminário Ibérico: "Pobreza e estratégias para a sua erradicação" SANTA CASA DA MISERICÓRDIA FERREIRA DO ALENTEJO

Seminário Ibérico: Pobreza e estratégias para a sua erradicação SANTA CASA DA MISERICÓRDIA FERREIRA DO ALENTEJO Seminário Ibérico: "Pobreza e estratégias para a sua erradicação" SANTA CASA DA MISERICÓRDIA FERREIRA DO ALENTEJO Abril 2016 A História da Instituição Os Serviços disponíveis FEAC Cantinas Sociais Pontos

Leia mais

População residente. Distribuição da população por freguesias

População residente. Distribuição da população por freguesias População e Território População residente Local de Residência População residente (211) 155 2185 17653 1227 Sarilhos Pequenos 115 9864 Total 6629 Distribuição da população por freguesias 15% Sarilhos

Leia mais

Plano de Acção

Plano de Acção - 2 - Nota Prévia A Rede Social afirmou-se ao longo da sua criação como uma medida inovadora e com capacidade de produzir alterações positivas na intervenção social. Esta medida assumiu-se, desde início,

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES CLAS VISEU 2014

PLANO DE ATIVIDADES CLAS VISEU 2014 PLANO DE ATIVIDADES CLAS VISEU 2014 AÇÃO ATIVIDADES INTERVENIENTES Calendarização das Atividades J F M A M J J A S O N D 1) Realizar quatro reuniões plenárias durante o ano de 2014 1.1) Realização de uma

Leia mais

ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO SOCIAL REGULAMENTO INTERNO

ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO SOCIAL REGULAMENTO INTERNO ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO SOCIAL REGULAMENTO INTERNO Setembro/2009 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA I Âmbito de Aplicação O Complexo Social de Apoio à Pessoa Idosa designado por Misericórdia da Freguesia

Leia mais

Dados descritivos da actividade da CPCJ de Silves de 2007

Dados descritivos da actividade da CPCJ de Silves de 2007 Dados descritivos da actividade da CPCJ de Silves de 2007 1. Sinalizações No ano de 2007 existiu um total de 123 sinalizações equivalentes a um total de 123 crianças, uma vez que, se adoptou efectivamente

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social 2016/2020

Plano de Desenvolvimento Social 2016/2020 Plano de Desenvolvimento Social 2016/2020 O que é o PDS? Documento orientador de planeamento integrado e participado do desenvolvimento social para os próximos cinco anos. Pretende traçar o caminho a seguir

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL O presente relatório reflecte a actividade do CLDS Marinha Social, desde o inicio da sua actividade, em Julho de 2009 até Junho de 2010, analisando-se 2 momentos

Leia mais

Entidades sinalizadoras por distrito

Entidades sinalizadoras por distrito Entidades sinalizadoras por distrito Entidades sinalizadoras Os próprios 4 1,2 0 0,0 2 0,2 0 0,00 0 0,0 1 0,2 0 0,0 1 0,3 0 0,0 66 12,4 5 2,9 13 0,5 3 0,6 7 0,5 0 0,0 0 0,0 0 0,0 4 0,8 1 0,2 1 0,2 Os pais

Leia mais

Relatório Anual de Atividades. CPCJ Matosinhos

Relatório Anual de Atividades. CPCJ Matosinhos Relatório Anual de Atividades de 2011 Relatório Anual de Atividades CPCJ Matosinhos 2011 Matosinhos, Março de 2012 Apresentação dos dados estatísticos referentes à atividade desenvolvida pela Comissão

Leia mais

Centro de Recursos TEIA

Centro de Recursos TEIA Quem somos O Contrato Local Desenvolvimento Social 3ª Geração do Concelho Ourém (CLDS 3G) Centro de Recursos TEIA - iniciou a sua atividade a 2 de Novembro de 2015, tem como Entidade Coordenadora Local

Leia mais

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010

AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ARMAMAR AGIR PARA SOLUCIONAR PLANO DE ACÇÃO PARA 2010 Plano de Acção 20010 1 Após elaboração do Plano de Desenvolvimento Social, onde estão definidas as

Leia mais

Projecto co-financiado pelo FSE

Projecto co-financiado pelo FSE CLAS DE MONDIM DE BASTO PLANO DE AÇÃO 2013 REDE SOCIAL DE MONDIM DE BASTO Projecto co-financiado pelo FSE ÍNDICE ÍNDICE DE TABELAS... 3 CAPÍTULO I... 4 INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO II... 7 PLANO DE ACÇÃO 2013...

Leia mais

Rede Social: Conselho Local de Acção Social de Campo Maior

Rede Social: Conselho Local de Acção Social de Campo Maior 1 Prioridade: Combater a pobreza das crianças, dos idosos e das famílias, através de medidas que assegurem os seus direitos básicos de cidadania Mercado de Emprego Promover a melhoria das condições de

Leia mais

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida;

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida; São nossos objectivos: 1ª fase: Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Alargar e consolidar a rede de parcerias de forma a fomentar e a criar novos recursos, propiciando condições

Leia mais

Documento de Suporte ao PDS do Concelho de Arganil ( ) Indicadores. Conselho Local de Ação Social de Arganil

Documento de Suporte ao PDS do Concelho de Arganil ( ) Indicadores. Conselho Local de Ação Social de Arganil Documento de Suporte ao PDS do Concelho de Arganil (2015-2020) Indicadores Conselho Local de Ação Social de Arganil 2015 1 ÍNDICE TABELAS Tabela 1.1. Indicadores Território/Demografia.. 3 Tabela 1.2. Indicadores

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Setor de Atividade Atividades de apoio social para pessoas idosas, com alojamento.

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Setor de Atividade Atividades de apoio social para pessoas idosas, com alojamento. FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Centro Social Paroquial de Dornelas Diretor(a) Dra. Ana Lopes Fernandes Setor de Atividade 87301 Atividades de apoio social para pessoas idosas, com alojamento. Número

Leia mais

[RELATÓRIO] GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO

[RELATÓRIO] GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO 25-211 GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO Equipa de Estudos e Políticas de Segurança Social [RELATÓRIO] Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade Eventualidades: Insuficiência

Leia mais

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social

Lucília Espanhol Serviço Local de Borba da Segurança Social 2017 PLANO DE AÇÃO Elaborado no âmbito do Programa Rede Social Plano de Ação do Concelho de 2017 s parceiras (Núcleo Executivo do CLASB): António Anselmo - Sofia Alexandra Dias - Crispim Francisco Lopes

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS NOTA JUSTIFICATIVA (art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo) Considerando que: Cada vez mais é imprescindível a intervenção da freguesia no âmbito da Acção Social,

Leia mais

UNIÃO DAS FREGUESIAS DE SÃO JOÃO DAS LAMPAS E TERRUGEM REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS

UNIÃO DAS FREGUESIAS DE SÃO JOÃO DAS LAMPAS E TERRUGEM REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS UNIÃO DAS FREGUESIAS DE SÃO JOÃO DAS LAMPAS E TERRUGEM REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS Outubro de 2014 REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS Nota justificativa (art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo)

Leia mais

2008 Concelho de Ourique

2008 Concelho de Ourique Plano de Acção 2008 Concelho de Rede Social Programa Rede Social Conselho Local de Acção Social de Janeiro 2008 Ficha Técnica Título: Plano de Acção 2008 do Concelho de Autoria: Núcleo Executivo da Rede

Leia mais

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de Plano de Ação Rede Social Mafra Eixo I - DEMOGRAFIA E EQUIPAMENTOS (INFRA-ESTRUTURAS DE APOIO) Objectivo geral 1. Reforçar as estruturas de apoio ao idoso Objectivo Específico 1. Aumentar a capacidade

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data 17 de Junho de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto!

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL. GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL GAL Eu Também Conto! ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL 1 ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL (EDL) A EDL incide em traços gerais nas seguintes problemáticas: Acesso

Leia mais

ANEXO I EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS AFETOS À AÇÃO SOCIAL SETORES /ATIVIDADES /VALÊNCIAS

ANEXO I EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS AFETOS À AÇÃO SOCIAL SETORES /ATIVIDADES /VALÊNCIAS ANEXO I EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS AFETOS À AÇÃO SOCIAL SETORES /ATIVIDADES /VALÊNCIAS I COMPLEXO MULTIFUNCIONAL DE COUROS Endereço: Travessa de Vila Verde, São Sebastião, 4800 430 Guimarães Tipologia: Espaço

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS - PESSOAS COM DOENÇA DO FORO MENTAL OU PSIQUIÁTRICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apoios

Leia mais

SEIXAL À LUPA DIAGNÓSTICO SOCIAL DO SEIXAL CAPÍTULO 8 AÇÃO SOCIAL NO CONCELHO DO SEIXAL

SEIXAL À LUPA DIAGNÓSTICO SOCIAL DO SEIXAL CAPÍTULO 8 AÇÃO SOCIAL NO CONCELHO DO SEIXAL SEIXAL À LUPA DIAGNÓSTICO SOCIAL DO SEIXAL CAPÍTULO 8 AÇÃO SOCIAL NO CONCELHO DO SEIXAL 1ª REVISÃO ÍNDICE Índice de Figuras... 2 Ficha Técnica da 1ª Revisão do Diagnóstico Social do Seixal do 8º Capítulo

Leia mais

Plano de Ação Rede Social de Alter do Chão

Plano de Ação Rede Social de Alter do Chão Plano de Ação Rede Social de Alter do Chão Conselho Local de Ação Social de Alter do Chão Câmara Municipal de Alter do Chão Centro Distrital de Portalegre, ISS, I.P. Santa Casa da Misericórdia de Alter

Leia mais

Entidades. Coordenadora ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal

Entidades. Coordenadora ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal CLDS Setúbal Entidades Coordenadora ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal Executoras ACM - Associação Cristã da Mocidade de Setúbal (Bela Vista e zona envolvente) APACCF - Associação de Professores

Leia mais

POLÍTICAS DE SOLIDARIEDADE SOCIAL PLANO E ORÇAMENTO PARA 2014

POLÍTICAS DE SOLIDARIEDADE SOCIAL PLANO E ORÇAMENTO PARA 2014 POLÍTICAS DE SOLIDARIEDADE SOCIAL PLANO E ORÇAMENTO PARA 2014 As políticas sociais no âmbito da Solidariedade e Segurança Social implementadas pelo Partido Socialista e o atual Governo, na proposta de

Leia mais

Plano de Acção 2010 Concelho de Ourique

Plano de Acção 2010 Concelho de Ourique Plano de Acção 200 Concelho de Rede Social Programa Rede Social Conselho Local de Acção Social de Janeiro 2009 Ficha Técnica Título: Plano de Acção 200 do Concelho de Autoria: Núcleo Executivo da Rede

Leia mais

Designação do Projeto: Divida Zero

Designação do Projeto: Divida Zero Designação do Projeto: Divida Zero Objetivo Geral C5 (PDS) Objetivos Prevenir e apoiar situações de sobre endividamento pessoal e social. Reduzir o peso percentual de utentes com processos em anos anteriores.

Leia mais

A Fundação Ministério da Solidariedade e Segurança Social

A Fundação Ministério da Solidariedade e Segurança Social A Fundação É uma IPSS. entidade privada de utilidade pública, certificada pela ISO 9001:2008, e nível A para as respostas sociais, no âmbito das normas expressas nos Manuais de Gestão da Qualidade do Instituto

Leia mais

Entidade responsável pela Execução

Entidade responsável pela Execução Eixo Estratégico I - Parcerias e Economia Solidária 2009, 3 acções de sensibilização/formação para dirigentes Associativos com vista à melhoria do seu desempenho. 2009, 3 acções de formação para técnicos

Leia mais

Centro Comunitário...1. Índice...1. Centro Comunitário...3. Capítulo I...3. O Estabelecimento: Natureza e Objectivos...3

Centro Comunitário...1. Índice...1. Centro Comunitário...3. Capítulo I...3. O Estabelecimento: Natureza e Objectivos...3 REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO ÍNDICE Centro Comunitário...1 Índice...1 Centro Comunitário...3 Capítulo I...3 O Estabelecimento: Natureza e Objectivos...3 Artigo 1º - Caracterização e Localização...3

Leia mais

ATA ORGÃO DELIBERATIVO (ASSEMBLEIA GERAL/CONSELHO ADMINISTRAÇÃO) PARECER ORGÃO FISCALIZADOR (CONSELHO FISCAL) Outro REMUNERADOS NÃO REMUNERADO

ATA ORGÃO DELIBERATIVO (ASSEMBLEIA GERAL/CONSELHO ADMINISTRAÇÃO) PARECER ORGÃO FISCALIZADOR (CONSELHO FISCAL) Outro REMUNERADOS NÃO REMUNERADO DGCF 1 IDENTIFICAÇÃO IPSS DESIGNAÇÃO União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social NIF/NIPC 506449742 NISS 20016463885 TIPO Outra MORADA DA SEDE Rua Brancanes, nº 62, 2900-185 -

Leia mais

REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA

REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'15 Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA Ficha Técnica Responsáveis Técnicos: - Nélia Silva - Fundação S. Barnabé - Graça Loução Centro Distrital

Leia mais

CESPA IMPACTOS DA ATIVIDADE

CESPA IMPACTOS DA ATIVIDADE NOVEMBRO 2016 CESPA IMPACTOS DA ATIVIDADE Caros amigos, É com muita alegria que vos dirijo a palavra em nome desta Instituição a que presido enquanto responsável da paróquia da Abóboda. Neste documento,

Leia mais

www.algarve.portugal2020.pt Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento CAPACITAR Fundo Social Europeu (FSE) Eixos Prioritários Prioridades de Investimento

Leia mais

Entidade Atualizado em:

Entidade Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Entidade Atualizado em: 01-10-2015 Esta informação destina-se a Entidades. O que é Instituições particulares de solidariedade social ou equiparadas e outras de fins idênticos e de reconhecido

Leia mais

COMPÊNDIO DE INDICADORES FICHA DE INDICADORES Indicadores Específicos de Concurso Tipologia de Operações Programa Escolhas V1.0.

COMPÊNDIO DE INDICADORES FICHA DE INDICADORES Indicadores Específicos de Concurso Tipologia de Operações Programa Escolhas V1.0. Enquadramento 1 Justificação dos Indicadores O objetivo específico consiste no reforço da coesão social, aumentando o número de pessoas e territórios vulneráveis abrangidos. O Programa Escolhas enquadra-se

Leia mais

1. Animar Sénior 2 2. Refrescar Sénior 3 3. Movimentar Sénior 4. PROJECTOS SUPRAMUNICIPAIS Cuidar de Quem Cuida e cidades Amigas das Pessoas Idosas 9

1. Animar Sénior 2 2. Refrescar Sénior 3 3. Movimentar Sénior 4. PROJECTOS SUPRAMUNICIPAIS Cuidar de Quem Cuida e cidades Amigas das Pessoas Idosas 9 PLANO DE ACÇÃO DE GERONTOLOGIA 2011 1 ÍNDICE PROJECTOS CONCELHIOS Lazer, Cultura e Desporto 2 1. Animar Sénior 2 2. Refrescar Sénior 3 3. Movimentar Sénior 4 Intergeracionalidade 5 4. Troca de Saberes

Leia mais

Índice. Indicadores Demográficos

Índice. Indicadores Demográficos NUT III Península de Índice Densidade Populacional... 3 Esperança de Vida à Nascença... 3 Estrutura Etária da População dos 0 aos 14 anos... 4 Estrutura Etária da População dos 15 aos 24 anos... 4 Estrutura

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social

Plano de Desenvolvimento Social Plano de Desenvolvimento Social 65 6. Planear para Intervir Objectivos e Estratégias Numa fase seguinte, após a consequente identificação das vulnerabilidades concelhias /eixos estratégicos de intervenção

Leia mais

A.U.R.P.I.A. Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos de Amora

A.U.R.P.I.A. Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos de Amora A.U.R.P.I.A. Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Relatório Atividades 2014 Sede: Rua dos Vidreiros, nº 7-2845-456 Amora E-mail: aurpia@netcabo.pt Telefone: 212 227 667 Fax: 212 276 062 Contribuinte

Leia mais

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO Programa Rede Social Promotor INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO I Dados Demográficos 1.- Elementos relativos ao inquirido: 1.1. Concelho 1.2. Freguesia 1.3. Localidade/lugar 2.- Sexo Feminino Masculino 3.- Escalões

Leia mais

Programa Rede Social Nisa PLANO DE AÇÃO Câmara Municipal de Nisa. Praça do Município Nisa Telefone

Programa Rede Social Nisa PLANO DE AÇÃO Câmara Municipal de Nisa. Praça do Município Nisa Telefone PLANO DE AÇÃO 2017 NOTA PRÉVIA Decorrente do processo de atualização do diagnóstico social e do plano de desenvolvimento social, da Rede Social do Concelho de Nisa e numa perspetiva de continuidade em

Leia mais

COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO

COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO COMUNIDADE DE INSERÇÃO SOCIAL DE ESPOSENDE REGULAMENTO ESPOSENDE SOLIDARIO ASSOCIAÇÃO CONCELHIA PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO, é uma Organização Não Governamental Sem Fins Lucrativos e de Utilidade

Leia mais

Programa de Emergência Social

Programa de Emergência Social 2012 Programa de Emergência Social Câmara Municipal de Condeixa Coordenação: Margarida Guedes Equipa Técnica do Serviço de Ação Social e Saúde Índice Página Capítulo I 1. Introdução. 3 2. Enquadramento

Leia mais

Enquadramento dos Apoios Sociais concedidos pelo Município de Bragança

Enquadramento dos Apoios Sociais concedidos pelo Município de Bragança Enquadramento dos Apoios Sociais concedidos pelo Município de Bragança Cartão de Munícipe Escalões progressivos no pagamento do passe dos Serviços de Transportes Urbanos de Bragança, na utilização das

Leia mais

PLATAFORMA TERRITORIAL SUPRACONCELHIA DE PENÍNSULA DE SETÚBAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2008/2010

PLATAFORMA TERRITORIAL SUPRACONCELHIA DE PENÍNSULA DE SETÚBAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2008/2010 PLATAFORMA TERRITORIAL SUPRACONCELHIA DE PENÍNSULA DE SETÚBAL PLANO DE DESENVOLVINTO SOCIAL / APROVADO EM SETÚBAL A 13 DE NOVEMBRO DE 2009 Prioridade 1: Combater a pobreza das crianças, dos idosos e das

Leia mais

Plano de Ação do Programa Rede Social de Tondela

Plano de Ação do Programa Rede Social de Tondela Eixo de Intervenção: Educação, Emprego, Formação e Qualificação Objetivo Estratégico Ações Destinatários Parcerias Dinamização Calendarização Promoção de ações de formação para proporcionar a construção

Leia mais

Índice. Índice de Quadros. Índice de Siglas

Índice. Índice de Quadros. Índice de Siglas 2016 Plano de Ação Índice Índice de Quadros... 2 Índice de Siglas... 2 Sumário Executivo... 4 1. Plano Operacional... 5 2. Monitorização / Avaliação... 11 Índice de Quadros Quadro 1 - Planificação da de

Leia mais

Plano Integrado de Combate à Exclusão Social na Escola e de Prevenção do Abandono Escolar

Plano Integrado de Combate à Exclusão Social na Escola e de Prevenção do Abandono Escolar SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE Equipa Multidisciplinar da EBI de Ribeira Grande Plano Integrado de Combate à Exclusão Social

Leia mais

Território e Demografia

Território e Demografia Indicadores Sociais Palmela NUT III Península de Setúbal Território e Demografia Concelho: Território Palmela Mapa do Concelho Superfície: 465,10 Km 2 Freguesias: 5 Distância Sede Concelho/Sede Distrito:

Leia mais

3. Intervenção das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens

3. Intervenção das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens Anexo V- (251-272) 03.10.02 16:34 Página 251 Quadro 1: Listagem das CPCJ que enviaram instrumentos de recolha de informação em 2001 por Comissão de Protecção Região Distrito Concelho CPCJ Envio CPCJ Relatórios

Leia mais

Quadro 1: Listagem dos instrumentos de recolha de informação por Comissão de Protecção

Quadro 1: Listagem dos instrumentos de recolha de informação por Comissão de Protecção Anexo V - Algarve (215-232) 03.10.02 16:25 Página 215 Quadro 1: Listagem dos instrumentos de recolha de informação por Comissão de Protecção REGIÃO DISTRITO CONCELHO CPCJ Envio CPCJ Relatórios Envio Ficha

Leia mais

Rede Aga Khan para o Desenvolvimento Aga Khan Development Network

Rede Aga Khan para o Desenvolvimento Aga Khan Development Network www.akdn.org Arquitectura l Sociedade Civil l Cultura l Desenvolvimento Económico Educação l Saude l Cidades Históricasl Assitencia Humanitária Microfinança l Musica l Planeamento e Construção Desenvolvimento

Leia mais

Conselho Local de Ação Social

Conselho Local de Ação Social Conselho Local de Ação Social Índice Introdução... 6 Eixo I - Demografia... 7 Eixo II Educação/Nível de Instrução... 8 Eixo III Economia... 11 Eixo IV Grupos Vulneráveis... 13 Avaliação.26 2 Ficha Técnica

Leia mais

ACOLHER, REPARAR E PROMOVER

ACOLHER, REPARAR E PROMOVER GESTÃO E ORGANIZAÇÃO INTERNA Planificação e organização; Elaboração do Plano Anual de Atividades 2016-2017; Definição de calendário de reuniões ordinárias 2016-2017: EE (mensal); ET (semanal), Funcionários

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de. Pinhel. Plano de Ação 2014

Conselho Local de Ação Social de. Pinhel. Plano de Ação 2014 Conselho Local de Ação Social de Pinhel Plano de Ação 2014 Plano de Ação 2014 Enquadramento Legal Objetivo Geral Área Geográfica de Intervenção Eixos de Intervenção Resolução do Conselho de Ministros nº

Leia mais

Pessoas com Deficiência

Pessoas com Deficiência PROTEÇÃO SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL Pessoas com Deficiência Julho 2016 Ficha técnica Título Autor Proteção Social Pessoas com Deficiência Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos

Leia mais

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO Apresentação do Projecto Escola E.B 2,3 Passos José OBJECTIVOS GERAIS Fomentar a integração dos alunos no contexto escolar, promovendo o sucesso educativo Agir preventiva

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2016

PLANO DE ATIVIDADES 2016 Modalidade Destinatários Calendarização Obs. Divulgar e Promover a Comissão junto da população Promover a Comissão e Informar a Comunidade através de ações específicas. Aumentar competências no âmbito

Leia mais

Segurança Social e Economia. Palestrante: João de Almeida Neto

Segurança Social e Economia. Palestrante: João de Almeida Neto Segurança Social e Economia Palestrante: João de Almeida Neto Definições Genéricas Segurança Social Segurança Social é um sistema de protecção social propiciada pelo Estado aos cidadãos, mediante medidas

Leia mais

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL

EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL 0 PLANO DE ACÇÃO DO CLASM 2016/2017 EIXO 1: EMPREGO, QUALIFICAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E INICIATIVA LOCAL Objectivos Gerais Objectivos Específicos Acções Responsável 1. Desenvolver as condições facilitadoras

Leia mais

Plano de Formação Sensibilização / Informação 2010

Plano de Formação Sensibilização / Informação 2010 Plano de Sensibilização / 2010 Acção de / Eixo de Direitos e Cidadania 1.º 1.º e 4.º Janeiro e Fevereiro e Dezembro Fevereiro Centro Nós do 115 Famílias do básico (2.º e 3.º ciclos) e (Acção 8. Nós Pais

Leia mais

INFORMAÇÃO PESSOAL. Teresa Isabel Oliveira Neto

INFORMAÇÃO PESSOAL. Teresa Isabel Oliveira Neto M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Teresa Isabel Oliveira Neto Morada Rua 25 de Abril, 21 Casais Lagartos, 2070-366 Pontével Telefone 966384535 Correio

Leia mais

A Rede Social é definida como um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão livre por parte das autarquias e das entidades

A Rede Social é definida como um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão livre por parte das autarquias e das entidades 1 A Rede Social é definida como um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão livre por parte das autarquias e das entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos que nela queiram

Leia mais

FARMÁCIA ACESSÍVEL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA

FARMÁCIA ACESSÍVEL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Sexo FARMÁCIA ACESSÍVEL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA (nº SM ) Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra 1. Identificação (nome completo), Nascido em (data:) / /, estado civil: género: Masculino Feminino

Leia mais

GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO

GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO 25-213 GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO Equipa de Estudos e Políticas de Segurança Social Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade Eventualidades: Insuficiência de recursos,

Leia mais

Ficha de Caracterização Sumária das instituições de acolhimento

Ficha de Caracterização Sumária das instituições de acolhimento Plano de Intervenção Imediata 2006 Ficha de Caracterização Sumária das instituições de acolhimento (Modelo 2-A) INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Ler atentamente as instruções antes de preencher. A preencher

Leia mais

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã

Plano de Acção 2006/2007. Rede Social Concelho da Lourinhã Plano de Acção 2006/2007 Rede Social Concelho da Lourinhã E I X O I Intervenção Dirigida a Grupos Específicos EIXO I : INTERVENÇÃO DIRIGIDA A GRUPOS ESPECIFICOS OBJECTIVO GERAL: Até Dezembro de 2007 existem

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 28 de novembro de 2014 PROTEÇÃO SOCIAL 2004-2013 Nota introdutória A Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) divulga, pela primeira vez, no seu novo portal, uma série retrospetiva com os principais

Leia mais

Plano de Atividades 2017

Plano de Atividades 2017 Plano de Atividades 2017 Plano de Atividades 2017 O Centro Social de Palmela é uma Instituição Particular de Solidariedade Social que tem sido, nos últimos 42 anos, um suporte essencial com as suas respostas

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL E O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL E O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE O MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL E O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo, lei 147/99, de 1 de Setembro, consagra um

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO PLANO DE ATIVIDADES

ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO PLANO DE ATIVIDADES PLANO DE ATIVIDADES 2014 1. Introdução A ASSOCIAÇÃO TODOS PELOS OUTROS - TPO, é uma Associação sem fins lucrativos, com sede na Rua D. Duarte Nuno, nº 50, 3025-582 São Silvestre, na freguesia de São Silvestre,

Leia mais

Após a decisão de admissão do pedido de asilo, os requerentes de asilo admitidos são sinalizados pelo CPR aos restantes parceiros protocolados.

Após a decisão de admissão do pedido de asilo, os requerentes de asilo admitidos são sinalizados pelo CPR aos restantes parceiros protocolados. 9.1 Apoio social Segundo a Lei 27/2008 de 30 de Junho1, o Estado português assegura aos requerentes de asilo, até decisão final, condições de dignidade humana. Nos termos do Artigo 56º - 1 da mesma lei,

Leia mais

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM VIH/SIDA E SUAS FAMÍLIAS

GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM VIH/SIDA E SUAS FAMÍLIAS Manual de GUIA PRÁTICO APOIOS SOCIAIS PESSOAS COM VIH/SIDA E SUAS FAMÍLIAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Apoios Sociais Pessoas

Leia mais

OS FUNDOS E A COESÃO SOCIAL

OS FUNDOS E A COESÃO SOCIAL OS FUNDOS E A COESÃO SOCIAL Exmo. Senhor Ministro da Solidariedade e da Segurança Social Exma. Senhora Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território Exmo. Senhor Secretário

Leia mais

REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE

REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE PLANO DE AÇÃO 2014-1 ENTIDADES QUE CONSTITUEM O CLASM (CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MANGUALDE) Câmara Municipal de Mangualde Centro Distrital

Leia mais

ÍNDICE. Introdução...3. Objetivos Gerais.3. Objetivos Específicos. 4. Respostas Sociais / Serviços Prestados...4

ÍNDICE. Introdução...3. Objetivos Gerais.3. Objetivos Específicos. 4. Respostas Sociais / Serviços Prestados...4 ÍNDICE Introdução......3 Objetivos Gerais.3 Objetivos Específicos. 4 Respostas Sociais / Serviços Prestados.....4 o Serviços Prestados em ERPI.......4 o Serviços Prestados em Centro de Dia.......5 o Serviços

Leia mais