PREFEITURA MUNICIPAL DE GURUPI FUNDAÇÃO UNIRG FACULDADE UNIRG CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFEITURA MUNICIPAL DE GURUPI FUNDAÇÃO UNIRG FACULDADE UNIRG CURSO DE ADMINISTRAÇÃO"

Transcrição

1 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE GURUPI FUNDAÇÃO UNIRG FACULDADE UNIRG CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL DA EMPRESA MODAMANIA- AGUIAR E SOUSA LTDA Acadêmicos (a) (s): ARTEMISA JORGE FIGUEREDO NERUACI MARQUES DO NASCISMENTO GURUPI, NOVEMBRO DE 2008.

2 1 ARTEMISA JORGE FIGUEREDO NEURACI MARQUES DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL DA EMPRESA MODA MANIA AGUIAR E SOUSA LTDA Relatório organizacional apresentado à Faculdade UNIRG, como requisito parcial para a disciplina Estágio Supervisionado I. Orientador: Profa. Donária Coelho Duarte, Dra. Gurupi, Novembro de 2008

3 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS DELINEAMENTOS DA PESQUISA TÉCNICAS DE PESQUISA ANÁLISES DE DADOS CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO E MEIO AMBIENTE AMBIENTE INTERNO Aspectos estratégicos Aspectos financeiros Aspectos mercadológicos Aspectos de recursos humanos Aspectos de prestação de serviços AMBIENTE EXTERNO CONCLUSÃO SITUAÇÃO PROBLEMATICA...28 REFERÊNCIAS...29

4 3 1 INTRODUÇÃO As mudanças vêm ocorrendo diariamente, e com isso administrador deve sempre estar antenado às tendência do mercado. E com esse intuito foi realizado na empresa Modamania o Estágio Supervisionado, com o objetivo de verificar e analisar seus procedimentos administrativos, para poder ajustar seu perfil ao perfil que o mercado exige. Nos negócios humanos políticos, sociais, econômicos e empresariais não seria possível se destacar no meio, sem se falar em estratégias. Em mercados tão concorridos, saturados de produtos de todos os tipos não há como sobreviver a concorrências se não houver mudanças todos os dias aperfeiçoando, aprimorando as idéias através de pesquisas. O presente Estágio teve o objetivo de conhecer melhor o funcionamento das atividades realizadas dentro da organização e para fazer uma visualização das deficiências, assim poder fazer os ajustes necessários. Estas pesquisas foram imprescindível para se buscar mudanças mercadológicas, isto, traz benefícios positivos tanto para o acadêmico quanto para a organização. Visto que este estudo minuciosa na organização serve para encaminhar o acadêmico para o estudo na prática. Com tudo isso quem sai ganhando é cliente e a população que recebe produtos/e ou serviços de qualidade com eficiência. A seguir serão visto quais foram os procedimentos utilizados para a elaboração do mesmo.

5 4 2 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Este capítulo tem a finalidade de tornar conhecidos os procedimentos metodológicos utilizados para a elaboração do diagnóstico da empresa estagiada, onde o mesmo será iniciado pelo delineamento da pesquisa abrangendo todas as áreas da mesma, e em seguida as técnicas de pesquisa, serão realizadas através de pesquisa bibliográfica e entrevistas, encerrando com as análises dos dados na modalidade qualitativa. 2.1 DELINEAMENTO DA PESQUISA Pesquisar é procurar respostas para inquietações ou para solução de um problema e assim obter melhor entendimento. No que diz respeito ao delineamento da pesquisa, é necessário o emprego do método científico indutivo, que de acordo com Marconi e Lakatos (2002, p. 54), Considera-se na pesquisa três elementos fundamentais para toda indução. Portanto, como primeiro passo observou atentamente certos fatos ou fenômenos. Passamos, a seguir, à classificação, isto é, ao agrupamento dos fatos ou fenômenos, segundo a relação que se nota na teoria. Finalmente, chegamos a uma classificação, fruto da generalização da relação observada. O método indutivo proporciona de forma particular enunciar de forma explícita as informações contidas. Com relação ás pesquisas foram utilizado o método descritivo para detalhar melhor os dados coletados na empresa. Na pesquisa descritiva envolve técnicas padronizadas de coletas de dados, como questionários e observação sistemática. De acordo com Vergara (2004, p.47), a pesquisa descritiva expõe características de determinada população ou de determinado fenômeno. Isso pode acarretar em decisões, tanto positivas, quanto negativas, aonde haverá uma observância comportamental dentro da organização. Para Oliveira (2002, p. 123), o estudo exploratório tem como efeito de uma pesquisa mais precisa, ou, ainda para elaboração de hipóteses Tendo outros aspectos, tais como o de possibilitar ao pesquisador fazer um levantamento provisório do fenômeno que deseja estruturar [...].

6 5 Foi utilizada dentro do delineamento a pesquisa exploratória, onde visa demonstrar as várias situações que ocorrem dentro da empresa. Segundo Cervo e Bervian (2004, p. 63), a pesquisa exploratória, realiza descrições precisas da situação e quer descobrir as relações existentes entre seus elementos componentes. A seguir, serão mostradas as técnicas de pesquisa utilizadas. 2.2 TÉCNICAS DE PESQUISA As técnicas utilizadas para a elaboração deste relatório da empresa Modamania foram as pesquisas bibliográficas e entrevistas. Não se esquecendo da observação participante e não participante. Lembrando que as pesquisa bibliográficas servem para enriquecer e dar maior veracidade sobre o que foi relatado. De acordo com Cervo e Bervian (2004, p. 79), a pesquisa bibliográfica tem como objetivo encontrar respostas aos problemas formulados e o recurso utilizado para isso é a consulta dos documentos bibliográficos. Já em relação à entrevista, Marconi e Lakatos (2002, p. 46) a conceituam como: a entrevista é um encontro entre duas pessoas, a fim de que uma delas obtenha a respeito de determinado assunto, mediante uma conversação de natureza profissional. A entrevista foi realizada com a proprietária da empresa durante todo o período do estagio para a coleta de dados que não eram acessíveis aos estagiários. No presente relatório foi utilizado duas técnicas de observação, a participante e a não-participante, pois o mesmo foi realizado por dois estagiários no qual um é funcionário e o outro não. Ressalta Cervo e Bervian (2004, p. 28), a observação não-participante, é onde o observador deliberadamente se mantém na posição de observador e de expectador, evitando se envolver ou deixar-se envolver com o objeto da observação. Porém, em relação à observação participante, segundo Cervo e Bervian (2004, p.28), "é quando o observador, deliberadamente, se envolve e deixa-se envolver com o objeto da pesquisa, passando a fazer parte dele".

7 6 Isso facilitou de certo modo na coleta de dados, pois na maioria das vezes não foi necessária entrevista com a proprietária devida o estagiário já obter tal conhecimento. Dessa forma, a pesquisa qualitativa tem a necessidade de compreender as informações coletadas e expor as idéias de maneira com os dados obtidos dentro da empresa aplicando-as de forma cabíveis. 2.3 ANÁLISES DE DADOS A análise de dados é de suma importância, obtenção do conhecimento e objetivo a ser alcançado, e assim permitir uma apuração mais segura das informações obtidas. A análise abordada foi à qualitativa, onde, de acordo com Vergara (2005, p. 98), se define como: A pesquisa qualitativa pode caracterizar a tentativa de uma compreensão detalhada dos significados e características ou comportamento ao analisar os dados para que através deste possa surgir reflexos críticas construtivas sobre a temática, pois a abordagem será qualitativa, com a função de compreender as informações obtidas a fim de elaborar, um relatório de acordo com a realidade da empresa, interagindo o pesquisador e o objeto a que se propõe o estudo, com isso busca um melhor resultado. Os dados foram coletados na estrutura da organização, em sua sede, a qual tem o seu ramo destinado a vestuário. Neste relatório terá abordagem qualitativa buscando descrever significados da coleta de dados apurados. A seguir será mostrado a caracterização da organização e o meio ambiente.

8 7 3 CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO E MEIO AMBIENTE A empresa pesquisada tem como atividade principal comercialização de vestuários e acessórios femininos, denominada, Aguiar e Sousa Ltda., CNPJ: / , seu endereço é Av. Pará nº 1705 Centro Gurupi TO. 3.1 AMBIENTE INTERNO Na organização o ambiente interno está presente em todos os aspectos. Foi pensando nisso que a proprietária fez todo o projeto de estrutura da loja visando dar conforto e bem estar num ambiente climatizado e adequado para realização de suas funções Aspectos estratégicos Sua atividade principal hoje é o comércio varejista de vestuários e acessórios femininos, tendo como carro chefe, três marcas que vende desde jeans básico, vestidos esportivos, blusas e bijuterias e outras que seguem uma linha um pouco mais sofisticada. O público-alvo da empresa são pessoas do sexo feminino de 12 a 50 anos geralmente que pertencem a classe A e B. São mulheres que procuram roupas exclusivas e diferentes. Atualmente foram introduzidas algumas marcas destinadas ao publico infanto-juvenil. Las Casas (2001, p. 537), diz: Para desenvolver uma estratégia é necessário determinar um público alvo. È através dessa definição que se pode fazer um planejamento de compras exemplo, define também o quê comprar e quanto comprar. A Modamania surgiu a partir da idéia da proprietária de conquistar sua independência financeira. A mesma era bancária e juntamente com a sua mãe atual sócia, decidiram montar uma loja de vestuários, em 22/10/1994.

9 8 A empresa era situada num pequeno ponto comercial da família. Onze anos mais tarde as sócias decidiram ampliar sua empresa, construindo um prédio maior, sendo que o mesmo pertence à família. Atualmente, a empresa emprega três funcionários, e após a reforma a mesma teve um crescimento em seu faturamento mensal em torno de 15%. A organização não possui um planejamento estratégico específico, os colaboradores participam ativamente devido o poder decisório ser exclusivamente deles. De acordo com Oliveira (2004 p. 47): Planejamento estratégico é o processo administrativo que proporciona sustentação metodológica para se estabelecer a melhor direção a ser seguida pela empresa, visando ao otimizado grau de interação com o ambiente e atuando de forma inovadora e diferenciada. Segundo Correa, Gianesi e Caos (2001, p. 37), planejar é entender como a consideração conjunta da situação presente e da visão do futuro influencia as decisões tomadas, no presente para que se atinjam determinados objetivos no futuro. Tendo em vista a importância do planejamento estratégico dentro da organização, o proprietário se conscientizou da necessidade de sua implantação. Conforme Oliveira (2004, p. 76), Missão é a determinação do motivo central de planejamento estratégico, ou seja, a determinação de aonde a empresa quer ir. Corresponde a um horizonte dentro do qual a empresa atua ou poderá atuar. Portanto, a missão representa a razão de ser a empresa. Com base nessa linha de pensamento, a empresa apesar de não ter uma missão, ela procura oferecer diferenciais em relação aos seus concorrentes que a mantém em destaque. As recompensas no conceito de Oliveira (2004, p. 88), Visão é conceituada como os limites que os proprietários e principais executivos da empresa conseguem enxergar dentro de um período de tempo mais longo e uma abordagem mais ampla. A visão proporciona o grande delineamento do planejamento estratégico a ser desenvolvido e implementado pela empresa. A visão representa o que a empresa quer ser. Conforme Oliveira (2004, p. 89), A visão deve ser resultado do consenso e do bom-senso de um grupo de líderes e não da vontade de uma pessoa. A organização apesar de não ter uma visão documentada, os colaboradores têm a concepção de onde a empresa quer chegar, ou seja, ser líder de mercado no ramo de vestuários e acessórios femininos diferenciados.

10 9 Os valores de uma organização são muito importantes e diz respeito as questões éticas e morais, e sem esses valores a empresa perde credibilidade perante seus concorrentes. Diz Oliveira (2006, p. 89), Os valores da empresa devem ter forte interações com as questões éticas e morais da empresa. E, se estes valores forem efetivamente verdadeiros, servem, também, de sustentação da vantagem competitiva da empresa. Dessa forma, os valores de uma organização são comparados ao caráter do ser humano, é aquilo que deve ser levado em consideração para que faça com que o cliente tenha confiança na imagem da mesma. No que diz respeito às políticas da organização as mesmas são identificadas facilmente, pois é através delas que são determinados limites e regras impostas pela instituição. Oliveira(2006 p. 237), ressalta o seguinte: Uma política empresarial procura estabelecer as bases sobre como os objetivos, desafios e metas serão alcançados; e procura mostrar ás pessoas o que elas poderiam ou não fazer para contribuir para o alcance dos resultados da empresa. A política de uma empresa é criada conforme sua necessidade, ou seja, não existe um padrão definido. Para Chiavenato (2001, p. 251), organograma é o gráfico que representa a estrutura formal da empresa. A estrutura organizacional da empresa é adequada a suas estratégias, sabendose que. PROPRIETÁRIO CAIXA VENDAS Figura 1: Organograma da empresa Moda mania Fonte: Dados Primários (2008) A estrutura organizacional da loja é adequada às estratégias.

11 10 Todos os funcionários estão no mesmo patamar, pelo fato de ser uma empresa. Conforme Laccarelli (2003, p. 5), Para aprender estratégia é inútil ler apenas histórias de sucesso de empreendedores ou observar as ações dos líderes empresariais notáveis. Ser estrategista requer mais estabilidade emocional do que grande capacidade de raciocínio lógico. Toda estratégia deve ser inovadora e diferenciada, porque dessa forma podemos abalar os concorrentes, sempre inovando e agradando aos clientes com mercadorias exclusivas. O objetivo da Modamania é atingir até 2010 um percentual de 30% no seu número de clientes, e com esse desafio a ser obtida, a empresa já fez todo um planejamento para obter resultado. Conforme Oliveira (2004, p. 159), objetivo é o alvo ou ponto quantificado, com prazo de realização e responsável estabelecidos, que se pretende atingir através de esforço extra. Para alcançar esse objetivo a empresa prepara seus funcionários para oferecer um melhor atendimento ao cliente com uma recepção personalizada. As metas são estipuladas de acordo com o mês, devido há datas comemorativas vender mais que nos meses normais. Com isso, é feita uma reunião no qual envolve os proprietários e seus colaboradores, são propostas algumas metas, e avaliadas, aquela que o grupo achar mais adequada à realidade da empresa, é estabelecida. De acordo com Oliveira (2004, p. 159), meta representa as etapas realizadas para alcançar os desafios e objetivos. A proprietária da empresa diz: para atingir minhas metas de vendas em meses fracos, procuro tentar o cliente com novidades. Se o cliente não vem há Modamania a Modamania vai á sua casa. Na Modamania não há um plano de ação, pois o proprietário da organização, sendo que é o mesmo que administra sua empresa, não estava ciente da importância de um plano de ação para as estratégias definidas. A empresa é informatizada e os usuários são os colaboradores e o proprietário, e são feitos os controles financeiros, controle de estoques e folha de pagamento, cadastro de clientes.

12 11 Segundo O Brien (2004, p. 06), sistema de informação é um conjunto organizado de pessoas, hardware, software, redes de dados que coleta, transforma e dissemina informações em uma organização. Para O Brien (2004, p. 07), o conceito de sistema é subjacente ao campo dos sistemas de informação. Conforme o responsável pela empresa, a utilização do sistema de informação é de grande importância ao resultado da facilidade e rapidez disponível. Na organização estudada, não é feito um planejamento para aquisição e renovação dos sistemas de informação, adquiri-se quando é notado que o mesmo não atendendo as necessidades da organização. A tecnologia e um dos fatores que desempenha papel crucial no ciclo de vida de um negócio, pois as inovações tecnológicas poderão obsolecer um produto-chave de uma empresa com muita facilidade. (COBRA, 1991, p.71). É o próprio proprietário quem autoriza as compras de equipamentos, ele é o único a obter poderes para esse tipo de operação. Após um estudo de pesquisa sobre os produtos que irão adquirir, logo é feito um planejamento, uma análise do capital da empresa, e se aprovado é concretizado a operação. Pode-se considerar como ponto forte da empresa a tradição, pois a Modamania é uma empresa que está no mercado de roupas de estilo diferenciado há mais de 14 anos. Isso gera credibilidade e confiança junto ao cliente. Os pontos fortes e fracos de uma empresa são em geral, decorrentes do talento das pessoas-chave da organização e dos recursos disponíveis, ou seja, da chamada competência organizacional. (COBRA, 1991, p.96). Quanto aos pontos fracos são verificados vários. Dentre os mesmos pode-se destacar padronização nas formas de pagamentos; definir e fixar quantidade de parcelamento. A empresa se engrena na Responsabilidade Social, através de doações á instituições filantrópicas em datas comemorativas, principalmente fim de ano. Para Certo e Peter (2004, p. 279), definimos responsabilidade social como o grau em que os administradores de uma organização realizam atividades que protejam e melhorem a sociedade além do exigido para atender aos interesses econômicos e técnicos da organização. A pessoa responsável pela empresa acha de fundamental importância as atividades envolvendo ações de responsabilidade social, pois, do seu ponto de vista,

13 12 melhora razoavelmente a imagem da organização, essas ações podem levar a um lucro considerado no futuro. Segundo Certo e Peter (2004, p. 284), No geral, o grau em que uma empresa deve procurar o avanço social versus os objetivos econômicos depende de muitos fatores, incluindo o tamanho da empresa, sua capacidade para investir em programas de responsabilidade social, a competitividade da indústria e as conseqüências da omissão ou o grau de atração da atividade. A seguir serão verificados os aspectos financeiros da Moda Mania Aspectos financeiros Na Modamania existe duas pessoas responsáveis pelas políticas gerais de finanças, uma é o contador que responde pelos cálculos de impostos, folha de pagamento; e a outra é o proprietário, que efetua tal pagamento na data agendada. O campo de finanças se relaciona estreitamente com a econômica. Administradores financeiros devem entender o quadro geral da economia e estar alertas para as conseqüências da variação dos níveis de atividade econômica, assim como para as mudanças na política econômica. (GITMAN, 2001, p. 39). Esses controles são tão importantes quanto vitais para uma organização, por isso deve periodicamente, sempre verificando para que sejam evitados os erros. A empresa não costuma recorrer a empréstimos, exceto uma vez na construção de sua sede própria, junto a uma Instituição Federal. Embora os custos de investimento são altos, indispensável, pois com isso houve aumento no seu faturamento, devido à ampliação do negócio. A análise dos demonstrativos financeiros da empresa é elaborada por um profissional na área especifica. O mesmo é elaborado, analisado e interpretado pelo contador. De acordo com Lacombe (2004 p. 101), demonstrativos Financeiros é o conjunto de demonstrações financeiras necessárias para a administração das empresas e exigidas pela legislação; especificametne, o balanço e a demonstração de resultado. De acordo com Sanvicente (1997, p. 165), demonstrativos financeiros são instrumentos mais comumente utilizados pelos administradores financeiros em suas tarefas de análise de registros numéricos relativos a transações de empresas.

14 13 Os demonstrativos financeiros utilizados para verificar se os resultados apurados correspondem o planejamento traçado. Como a empresa estudada é uma organização de pequeno porte ainda não há uma pessoa específica para as auditorias internas ou externas, pois quem faz todo o exame dos docuemntos é o contador. Conforme Franco e Marra (2001, p. 26), Auditoria consiste no exame de documentos, livros e registros, inspeções, obtenção de informações e confirmações internas e externas, obedecendo as normas apropriadas de procedimento, objetivando verificar se as demonstrações contábeis representam adequadamente a situação nelas dmonstradas, de acordo com princípios fundamentais e normas de contabilidade de maneira uniforme. Como foi dito antes, devido à empresa ser de pequeno porte, a proprietária não vê a necessidade de contratação de pessoas específicas para fazer auditoria, já que os custos são altos e a organização não dispõe de capital para isso. A Modamania tem seu plano de contas elaborado pelo contador, e todos os dados necessários para essa elaboração são fornecidos pelo proprietário, sendo que o mesmo é quem o analisa depois da execução e, assim, tomar as providências cabíveis. Conforme Iudícibus, Marion e Pereira (2003, p. 176), plano de contas é o agrupamento organizado de todas as contas que serão utilizadas pela contabilidade dentro de determinada entidade. Como já foi mencionada, a empresa é uma organização de pequeno porte e não possui um sistema exclusivo para combrança, sendo ela feita através de telefonemas ao cliente logo após o vencimento das duplicatas. Quando o cliente compra no boleto, ele recebe e pode pagar no banco, já quando é feita uma nota promissória, o cliente paga na instituição no dia do vencimento. Caso o cliente não pago no prazo estabelecido, logo após esse boleto recebe instrução e enviado através do banco cedente às instituições de proteção ao crédito para ser feita a negativação do seu nome. Já os demais que compram na nota promissória, é feito à cobrança via telefone, e não surtinhdo o efeito desejado a proprietária se desloca até o cliente. Caso não resolva é contratado um cobrador e não recebendo a importância devida, a própria empresa paga para fazer sua inclusão do nome desse cliente nos orgãos de proteção ao crédito. Na Modamania, não há definido um planejamento financeiro, nem para suas despesas, nem para seus investimentos, mas, há um planejamento feito com os funcionários para a aquisição de mercadorias que serão utilizados nos próximos meses, e esse planejamento é feito quando surgi a necessidade vista pelo proprietário.

15 14 O planejamento financeiro é um aspecto importante das operações da empresa, porque ele mapeia os caminhos para guiar, coordenar e controlar as ações da empresa para atingir seus objetivos (GITMAN, 2001, p. 434). Tal planejamento visa levantar dados relativos aos aspectos financeiros e saber como anda a situação atual da empresa. O processo orçamentário não é realizado, entretanto o estoque é suprido conforme a necessidade e lançamento de coleção. O sistema orçamentário traduz, em quantidades físicas e valores monetários, o desenvolvimento e os resultados de todos os planos das unidades operacionais e órgãos administrativos da empresa (BRAGA, 1989, p. 230). Devido a empresa não possuir sistema orçamentário é nítido na organização a falta de controle na tomada de decisões. Na empresa estagiada há a necessidade de utilização de um capital de giro, inclusive a mesma já utilizou deste recurso em algumas ocasiões. Conforme Hoji (2003, p. 109), capital de giro é conhecido também como capital -circulante e corresponde aos recursos aplicados em ativos circulantes, que transformam-se constatementes dentro do ciclo operacional. É de grande relevancia que a empresa faça um levantamento de quanto vai gastar, assim poder fixar uma meta de vendas e recebimento. Então, poderá saber se saldará suas dívidas ou não, no entanto não é verificado esse processo. A seguir será visto os aspectos mercadológicos da empresa Moda Mania Aspectos mercadológicos No que diz respeito às políticas gerais de marketing, é a proprietária quem é responsável. Toma as decisões em conjunto com a empresa que a mesma contrata para fazer algum tipo de veiculação de propaganda quando é o caso. Do contrário a mesma toma as decisões só, embora suas formações sejam em bacharel em administração, com pós em gestão empresarial. De acordo com Cobra (1940, p. 34), marketing é o processo de planejamento e execução desde a concepção, apreçamento, promoção e distribuição de idéias, mercadorias e serviços para criar trocam que satisfaçam os objetivos individuais e organizacionais.

16 15 A empresa entende a suma importância do marketing na organização, entretanto ainda não é possível ter uma pessoa específica contratada para está área devido a falta de capital. Quanto às necessidades e os desejos dos clientes, é feita uma anotação manual, de suas necessidades e desejos, logo, é passado até o proprietario por meio de reuniões, e discutidos, e aprovadas as melhorias. Kotler (1998, p. 27), necessidades humanas é um estado de privação de alguma satisfação básica. As pessoas exigem alimento, roupa, abrigo, segurança, sentimento de posse e auto-estima. Essas necessidades não são criadas pela sociedade ou empresas. Ainda para Kotler, desejos são carências por satisfações específicas para atender às necessidades. (1998, p. 27). Embora a organização não possua uma ouvidoria para tratar das reclamações, é feita a anotação daquilo que o cliente deseja e são discutidas tais reclamações em reuniões periódicas, seja sobre produtos, atendimentos e etc. Por trabalhar com moda, é um pouco diferente a maneira de apresentar um novo produto. Pois muitas vezes o produto chega a ser procurado muito antes de chegar a loja. Já que o cliente se inspira através de novelas que ditam a moda. E então, pela procura dá para se ter uma idéia se tal produto vai vender bem ou não. A divulgação de seus produtos é feito através de propaganda veiculada na TV, rádio e sites. Geralmente é utilizada a propaganda quando a loja recebe uma nova coleção. Existem quatro coleções, sendo as mais importantes Coleções Inverno, Coleção de Verão e as coleções intermediárias que são menores, Outono/Inverno e Auto Verão, essas coleções são complementos das anteriores. As empresas não devem limitar-se a fazer bons produtos, devem informar os consumidores sobre os benefícios deles e posicioná-los cuidadosamente em suas mentes. (KOTLER; ARMSTRONG, 2003, p. 368). É através destes métodos de divulgação que os clientes tomam conhecimento dos novos produtos. A divulgação dos produtos nos veículos de comunicação é de suma importância para que haja um retorno rápido e avisar aos clientes que existe novidade na loja. Outra forma simples e sem custo algum de mostrar o produto também considerado muito importante é a exposição na vitrine da loja, muitas vezes a propaganda da mídia ainda não rodou, e os clientes já começam a procurar pelas novidades por ter visto em exposição nos maniquins da loja.

17 16 Ainda é feito um trabalho de divulgação da imagem da empresa através de patrocínio em eventos, colunas sociais de jornais e sites direcionado ao público feminino. O maior objetivo desse trabalho é principalmente lembrar o cliente e não deixar o nome da empresa cair no esquecimento e despertar a curiosidade daqueles que ainda não são clientes. Embora haja necessidade saber com exatidão os resultados da divulgação da imagem da empresa, a mesma não dispõe de alguém responsável para fazer um levantamento dos resultados. Entretanto são notáveis os resultados de modo grosseiro, que é o aumento signficativo nas vendas e a procura de clientes por determinado produto que viu em proganda no site. Para aproveitar as oportunidades de negócio à empresa só faz divulgação em TV e rádio em datas comemorativas específicas, lançamento de coleção e quando realiza uma grande liquidação ou promoção, devido o alto custo desse tipo de mídia. Pois é nessa época que é apostado no retorno garantido. Como o produto oferecido (vestuários) está sempre em consante mudança, seja em tendências de cores, tecidos e estampas, não dá para falar o que é novidade, já que a cada 6 meses é uma tendência diferente, ou seja, tudo o que foi da última coleção caiu da moda. Com isso variações todas de tendências com os preços não seria diferente, muito variado de acordo com o tecido e muitas vezes pelo tamanho da peça. Nessa política de preço que é determinado pela proprietária da empresa baseada em cálculos contábeis para se chegar a valor equiparados aos da concorrência. Apesar de vender marcas diferentes, os preços não podem ser exorbitantes, já que o cliente faz comparações através da qualidade do produto. Para incentivar o cliente a comprar a mercadoria é oferecido um desconto significativo. O mesmo é fixado de acordo com a forma de pagamento. Um exemplo se o cliente comprar a vista é x% de desconto, se pagar com 30 dias esse desconto cai pela metade. De acordo com Etizel (2001, p. 278), preço é simplesmente a quantidade de dinheiro e/ou intens com utilidade necessária para adquirir um produto. Lembre-se de que utilidade é um atributo com potencial para satisfazer desejos. O que difere a Modamania das demais lojas de roupas, além da exclusividade das marcas vendidas, é a forma de atendimento ao cliente. A empresa procura sempre

18 17 ligar para os clientes avisando das novidades que chegaram, e se o mesmo estiver interessado em comprar e não puder vir até a loja, é feita uma sacola de acordo com a descrição das mercadorias que o cliente precisa e é enviada até sua casa. Feito sua escolha o cliente liga de volta na loja que manda buscar as mercadorias que ele não gostou. Como já foi mencionado anteriormente, o mecanismo de venda além do tradicional que a empresa dispõe, no qual o cliente se desloca até a loja, que a diferencia das demais, é sacolas prontas entregue na residência do cliente. Outro mecanismo importante é o comércio eletrônico, porém ainda não é utilizada essa modalidade de comércio, pois a proprietária acredita que sua clientela alvo não encaixa nessa modalidade de comércio específico para esse produto, pois exige que se prove a roupa e também pela quantidade de habitantes e cultura. Para Kotler (1998, p.625) comércio eletrônico é o termo geral adotado para o processo de compra e venda apoiado por meios eletrônicos. Ainda conforme Kotler (1998, p. 36), vendas assume que os consumidores, se deixados sozinhos, normalmente, não comprarão o suficiente dos produtos da organização. Assim, a organização deve empregar um esforço agressivo de venda e de promoção. Embora sejam muito importantes todos esses mecanismos de vendas, em específico para roupas é muito importante que o cliente vá até a loja. Pois a maioria dos clientes se decide apos ter vestido a roupa. Não foi feito um estudo quanto à viabilidade dos novos produtos, já que, nossa clientela é fiel e a mercadoria oferecida é comprada baseada nessa clientela. O único critério de compra mais restringido é a coleção de inverno, levando em consideração que em nossa região não possui um inverno rigoros. Então, só é comprado peças pesadas (quentes) direcionadas a determinados clientes, que fazem encomendas ou que viajam constantemente. O atendimento na loja é igual para todos os clientes, independente de ser cliente antigo ou novo, comprar pouco ou muito e de nunca ter entrado na loja. Entrando na loja o vendedor deverá se dirigir até o cliente e se mostrar disposto a ajudá-lo. Jamais o vendedor deve fazer a pergunta: Pois não Sr.(a)? E sempre assim: Posso ajudá-lo Sr. (a)? Isso indo recebê-lo na porta e não esperar que ele venha até o vendedor.

19 Aspectos de recuros humanos organização. A pessoa responsável pela área de recursos humanos é o proprietário da Conforme Chiavenato (1999, p. 08), administração de recursos humanos (ARH) é o conjunto de políticas e práticas necessárias para conduzir os aspectos da posição gerencial relacionada com as pessoas ou recursos humanos, incluindo recrutamento, seleção, treinamento, recompensas e avaliação de desempenho. E ainda de acordo com Chiavenato (1999, p. 08), ARH é o conjunto de decisões integradas sobre as relações de emprego que influenciam a eficácia dos funcionários e das organizações. O proprietário da empresa relata que trata as pessoas (colaboradores), como parceiros da organização, pois, dessa forma usando a ferramenta dos recursos humanos se obtém dos colaboradores o máximo de rendimento possível, onde envolve organização, planejamento, comprometimento com a empresa. A empresa não possui um plano de desenvolvimento de atuais e novas habilidades de seus colaboradores, devido ao alto custo e quantidade de funcionários. Como a empresa não tem recursos para isso, o importante seria a contratação externa. No tocante remuneração, é definido de acordo com a função exercida. Como só existem 2 funcionários a empresa definiu que seria um salário fixo mais participação no lucro burto mensal. Sendo um percentual diferene para cada funcionário. Esse percentual é considerado pela administradora da empresa como um incentivo. Sengundo ela é determinado uma remuneração fixa acredita que o funcionário acaba ficando relapso à suas obrigações. Quanto ao banefícios não são oferecido nenhum tipo, como plano de saúde, tiket alimentação, vale transporte, gratificações Como não é feito um controle do ponto, já que de acordo com a CLT não é cobrado o ponto em empresas que possuem quantidade inferior a cinco funcionários. Quanto a falta de trabalho não justificada é descontado em folha e também não é feito controle devido a pouca incidência. Já com relação à rotatividade não há uma preocupação por parte da proprietária. Para Chiavenato (2002, p. 178), o termo rotatividade é usado para definir a flutuação do pessoal entre uma organização e seu ambiente; em outras palavras, o intercâmbio de pessoas

20 19 entre a organização e o ambiente é definido pelo volume de pessoas que ingressam e que saem da organização. Ainda de acordo com Chiavenato (2002, p. 178), absenteísmo, também denominado ausentísmo, é uma expressão utilizada para designar as faltas ou ausências dos empregados ao trabalho. Em sentido mais amplo, é a soma dos períodos em que os empregados da organização se encontram ausentes do trabalho, seja por falta, seja por atraso, devido algum motivo interveniente. Na empresa é feitos um cadastro de todos os clientes com seus dados pessoais, e local de trabalho. Com a ajuda do programa, pode se saber toda a movimentação do cliente, sua última compra, pagamento. Com isso, pode-se estar sempre atento aos clientes. Desse quadro de órgãos a empresa estudada se utiliza da Divisão de treinamento no itém comunicadores, no qual a organização possui uma comunicadora para demonstrar as tendências. Na empresa Moda Mania, há algumas normas na área de Recursos Humanos, podemos citar: As colaboradoras devem sempre usar seus uniformes; Possue um tempo estipulado de tolerância em relação a atrasos; Ter um boa conduta com os colegas. Para o proprietário quando se é estipulado normas e não regras a uma porcentagem grande de aceitação. O responsável pela área de RH é bem flexível ao diálogo, um entendimento em relação aos problemas que surgem no dia-a-dia de um organização. Se mostra interessado as novas oportunidades, as sugestões, críticas que são levantadas pelos colaboradores. Nele é visto algumas características de sua gestão no RH, são elas: Transmiti aos seus colaboradores um senso de confiança; Mantém a confidencialidade a decisões privilegiadas; Incentiva o crescimento das pessoas, em relaçao a seus cargos; É rígido no cumprimento dos regulamentos e normas estabelecidos pela empresa. No ponto de vista do gestor, demonstra que deve se gerenciar com as pessoas, e não tentar comandá-las. É necessário utilizar sempre o máximo de cada colaborador.

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 O desempenho do processo de recrutamento e seleção e o papel da empresa neste acompanhamento: Um estudo de caso na Empresa Ober S/A Indústria E Comercio Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas:

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas: 4 Pesquisa de campo Neste capitulo será apresentado o resultado dos questionários da pesquisa de campo que serviu para o estudo de caso. A coleta de dados será dividida em: Núcleo administrativo Núcleo

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Toda e qualquer análise de mercado irá demandar uma série de etapas a ser seguida, dentre elas:

Toda e qualquer análise de mercado irá demandar uma série de etapas a ser seguida, dentre elas: Capítulo 16 - Os Stakeholders O termo foi originado na língua inglesa e hoje, foi completamente absorvido pela área da administração. Traduzido para o português como sendo parte interessada esse termo

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES.

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 417 CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Alice da Silva

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO 1 A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA Daniel de Souza Ferreira 1 RESUMO Ferreira, Daniel de Souza. A Impostância do Feedback

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO RESPEITAR PONTO DE VISTA. Material preparado e de responsabilidade de Júlio Sérgio de Lima

CONCEITOS FUNDAMENTAIS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO RESPEITAR PONTO DE VISTA. Material preparado e de responsabilidade de Júlio Sérgio de Lima INDICADORES DE RH E METAS ORGANIZACIONAIS JÚLIO SÉRGIO DE LIMA Blumenau SC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATEGICO E PERSPECTIVAS DE NEGOCIO, ARQUITETURA DE MEDIÇÃO DO DESEMPENHO E NIVEIS DOS

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas:

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EAD MÓDULO IV A EMPRESA COMO SISTEMA Para o estudioso na área de marketing trabalhar melhor o planejamento nas organizações, ele precisa conhecer a empresa na sua totalidade e

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez O que são finanças? Finanças é a arte e a ciência de gestão do dinheiro; Imprescindível, pois todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam dinheiro; A teoria

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

CURSOS: ÁREA ADMINISTRAÇÃO E COMÉRCIO

CURSOS: ÁREA ADMINISTRAÇÃO E COMÉRCIO CURSOS: ÁREA ADMINISTRAÇÃO E COMÉRCIO ELABORANDO O PLANO DE NEGÓCIOS 16h Entendendo o negócio Perfil do Empreendedor de Sucesso Visão e missão do Negócio Características do Plano de Negócios Plano de Investimento

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

Dicas de Gestão para o Empresário do Setor Comércio Varejista

Dicas de Gestão para o Empresário do Setor Comércio Varejista Dicas de Gestão para o Empresário do Setor Comércio Varejista Você conhece o seu cliente? Não poupe esforços e invista no visual da loja Planejamento estratégico Cuide da Saúde Financeira da Sua Empresa

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

A Inovação Aprendizagem e crescimento dos funcionários treinando-os para melhoria individual, numa modalidade de aprendizagem contínua.

A Inovação Aprendizagem e crescimento dos funcionários treinando-os para melhoria individual, numa modalidade de aprendizagem contínua. Balanced Score Card A Tecnologia da Informação é considerada fundamental para os vários setores, tanto no nível operacional como estratégico. Muitas das razões para Tecnologia da Informação fazer parte

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 425 FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA NA MICRO E PEQUENA EMPRESA Cassia de Matos Ramos 1, Dayane Cristina da Silva 1, Nathana

Leia mais

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social Não há dúvidas de que as tecnologias sociais têm um impacto substancial no modo como as empresas funcionam atualmente.

Leia mais

Controle Financeiro. 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz. Emerson Machado Salvalagio. www.guiadomicroempreendedor.com.

Controle Financeiro. 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz. Emerson Machado Salvalagio. www.guiadomicroempreendedor.com. Controle Financeiro 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz Emerson Machado Salvalagio Quando abrimos uma empresa e montamos nosso próprio negócio ou quando nos formalizamos, após algum tempo

Leia mais

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita Menezes Coutinho

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

2. Classificar atos e fatos contábeis.

2. Classificar atos e fatos contábeis. MÓDULO II Qualificação Técnica de Nível Médio de ASSISTENTE FINANCEIRO II.1 PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS Função: Planejamento de Processos Contábeis 1. Interpretar os fundamentos e conceitos da contabilidade.

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( X ) TRABALHO

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 01 Finanças e Empresas Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO Finanças e Empresas... 3 1. Introdução a Administração Financeira... 3 2. Definições... 3 2.1. Empresas...

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 02 A função da Administração Financeira Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO A função da Administração Financeira... 3 1. A Administração Financeira... 3 2. A função

Leia mais

Processos de Recursos Humanos

Processos de Recursos Humanos Gestão Integrada RH Recursos Humanos Unida 2 Rosemeri da Silva Paixão Recursos Humanos 28 Gestão Integrada RH Sumário Introdução... 30 Objetivos... 31 Estrutura da Unida... 31 UNIDADE 2: Recursos Humanos

Leia mais

A importância do RH estratégico para as empresas familiares. Sheila Madrid Saad

A importância do RH estratégico para as empresas familiares. Sheila Madrid Saad A importância do RH estratégico para as empresas familiares Sheila Madrid Saad Anos 30... Pagadoria Registros e controles Enfoque jurídico FOCO NA MANUTENÇÃO DA LEGALIDADE Anos 50... Pagadoria Registros

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

Manual do agente de crédito Banco Solidario

Manual do agente de crédito Banco Solidario Manual do agente de crédito Banco Solidario Trechos relacionados a evitar o superendividamento dos clientes, traduzidos do espanhol A filosofia Viver Solidário pode ser aplicada a tudo na vida. Em nossa

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 18/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

Obtendo resultados reais através do CRM

Obtendo resultados reais através do CRM Porque investir em CRM? Aresposta é simples: Seus clientes consideram o foco da empresa no consumidor como prérequisito, não como diferencial. Eles esperam poder negociar com você quando, onde e como quiserem.

Leia mais

SIE - Sistemas de Informação Empresarial. Transação. Fontes: O Brien e Associação Educacional Dom Bosco

SIE - Sistemas de Informação Empresarial. Transação. Fontes: O Brien e Associação Educacional Dom Bosco SIE - Sistemas de Informação Empresarial SPT Sistemas de Processamento de Transação Fontes: O Brien e Associação Educacional Dom Bosco Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa O Brien [ Problema Organizacional

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

se o tratamento foi adequado, ficaremos curados e felizes por termos solucionado a doença que estava nos prejudicando. No campo empresarial a

se o tratamento foi adequado, ficaremos curados e felizes por termos solucionado a doença que estava nos prejudicando. No campo empresarial a Gestão Financeira Quando temos problemas de saúde procuramos um médico, sendo ele clínico geral ou especialista, conforme o caso. Normalmente, selecionamos um médico bastante conhecido e com boas referências

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração Formulário de Roteiro do Diagnóstico Organizacional Seqüência das partes

Leia mais

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline de Oliveira Rocha 4

Leia mais

GESTÃO ADMINISTRATIVA

GESTÃO ADMINISTRATIVA GESTÃO ADMINISTRATIVA A Andrade s Consultoria em Gestão Empresarial é uma empresa que desenvolve projetos de consultoria customizados de acordo com as necessidades de cada cliente. Nossos projetos são

Leia mais

ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS

ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS Patrícia de Oliveira 1 Angélica Patrícia de Souza 2 Roginéia de Araújo Paula 3 RESUMO Buscou-se apresentar neste artigo, os principais pontos das estratégias empresarias e quais

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Planejamento. Futuro. Técnica ou processo que serve para lidar com o futuro. O que aumenta a incerteza nas organizações. Incerteza nas organizações

Planejamento. Futuro. Técnica ou processo que serve para lidar com o futuro. O que aumenta a incerteza nas organizações. Incerteza nas organizações Fonte: Introdução à Administração de Antonio Cesar Amaru Maximiano Índice Definição de planejamento Incertezas Eventos previsíveis Processo de planejamento Decisões de planejamento Planejar Atitudes em

Leia mais

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações Jean C. de Lara (Faculdade SECAL) jean@smagon.com.br Maria Elisa Camargo (Faculdade SECAL) elisa@aguiaflorestal.com.br Enir

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul O segredo do sucesso da sua empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano. 1 Fluxo de caixa: organize

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

Coleção ajuda no sucesso profissional

Coleção ajuda no sucesso profissional COLEÇÃO Unic Josafá Vilarouca Renata Tomasetti (11) 5051-6639 josafa@unicbuilding.com.br renata@unicbuilding.com.br Coleção ajuda no sucesso profissional Série lançada pela Publifolha possui 36 títulos,

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

O que é promoção de vendas e para que serve?

O que é promoção de vendas e para que serve? 4 Para aumentar as vendas, ela precisa basicamente fazer com que os clientes atuais comprem mais ou trazer novos clientes para a loja. Nos dois casos, fica evidente que ela terá que oferecer mais benefícios

Leia mais

PLANO DE CURSO PERFIL PROFISSIONAL

PLANO DE CURSO PERFIL PROFISSIONAL NOME DO CURSO 1522 - AUXILIAR ADMINISTRATIVO OCUPAÇÃO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO MODALIDADE 21 - QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA - FORM. INICIAL CBO 4110100 CARGA HORÁRIA TOTAL 240 h OBJETIVO GERAL Executar

Leia mais

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 INTRODUÇÃO: Empregos sempre existem. Bons empregos são mais raros, portanto mais difíceis de serem encontrados; A primeira coisa a ser feita é encontrar o emprego,

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais