CONSULTA N.º 13/2007

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSULTA N.º 13/2007"

Transcrição

1 CONSULTA N.º 13/2007 Relator: SANDRA BARROSO E RUI SOUTO Requerente: Discussão: sessão plenária de 17 de Maio de 2007 Aprovação: sessão plenária de 17 de Maio de 2007 Assunto: Honorários no âmbito de uma escala não presencial, para nomeações urgentes.

2 CONSULTA Por requerimento datado de... (entrada com o número de registo...), veio a Senhora Advogada, Dra..., requerer a este Conselho Distrital a emissão de parecer relativamente à seguinte questão: a. No âmbito da organização de escalas ao abrigo do disposto no artigo 41º da Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho, foi a ora requerente notificada de que integrava a escala no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Departamento de Investigação, do dia.. de Abril de 2007, das 9 horas da manhã desse dia até às 9 horas do dia seguinte (... de Abril de 2007). b. Trata-se de uma escala para nomeação de advogados estagiários, não presencial, em que o advogado estagiário que integra a escala é contactado, quando necessário, para o telemóvel para se apresentar no local onde a diligência terá lugar. c. Uma vez que não foi solicitada a presença da ora requerente para qualquer acto ou diligência, vem a Senhora Advogada suscitar a questão do pagamento da escala, pois entende que, apesar de não ter tido qualquer intervenção, teve de estar de prevenção das 9 horas da manhã do dia... de Abril até às 9 horas da manhã do dia... de Abril. d. E, uma vez que se trata de uma escala para nomeação urgente, embora não presencial, entende a ora requerente que a mesma deve ser paga como qualquer outra escala para nomeação urgente. Considerando o exposto, vem a Senhora Advogada solicitar a este Conselho Distrital a emissão de parecer relativamente à questão do pagamento dos honorários, no âmbito de uma escala não presencial, para nomeações urgentes.

3 PARECER Dispõe a alínea f) do n.º 1 do artigo 50º do Estatuto da Ordem dos Advogados (E.O.A.), que cabe a cada um dos Conselhos Distritais da Ordem dos Advogados, no âmbito da sua competência territorial, pronunciar-se sobre as questões de carácter profissional. Estas questões de carácter profissional são as intrinsecamente estatutárias, ou seja, que decorrem dos princípios, regras, usos e praxes que comandam ou orientam o exercício da Advocacia, nomeadamente os que relevam das normas do E.O.A., do regime jurídico das sociedades de Advogados e do universo de normas emergentes do poder regulamentar próprio reconhecido por lei aos órgãos da Ordem. Ora, a matéria colocada à apreciação deste Conselho Distrital subsume-se, precisamente, a uma questão de carácter profissional nos termos descritos, pelo que não há dúvidas de que se deve proceder à emissão de parecer. Vejamos então. A Constituição da República Portuguesa sempre consagrou o direito de todos os trabalhadores receberem uma retribuição pelo seu trabalho (cfr. alínea a) n.º 1 do artigo 59º). A assistência judiciária foi, durante muitos anos, prestada gratuitamente pelos profissionais do foro, reflexo, aliás, da origem nobre da advocacia. Com o decurso do tempo, a gratuitidade da assistência jurídica aos cidadãos que, para o efeito, não dispõem de meios económicos deixou de ser, considerando os padrões de desenvolvimento socio-económico da nossa comunidade, um princípio deontológico ou de ética fundamental relativo às profissões forenses. Num sistema de advocacia liberal, como a nossa, não era razoavelmente exigível aos profissionais do foro a eficácia da defesa judicial dos direitos dos cidadãos a título praticamente gratuito.

4 Consciente disso, veio o Estado, em 1987, com a publicação do Decreto-Lei 387- B/87, de 29 de Outubro, pela primeira vez, garantir aos causídicos, que intervierem no sistema do acesso ao direito e aos tribunais, a adequada remuneração, postulada, além do mais, pela princípio da igualdade dos cidadãos perante a lei. O princípio da garantia remuneratória manteve-se até aos nossos dias. A Lei do Acesso ao Direito e aos Tribunais actualmente em vigor Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho, prevê, no n.º 2 do artigo 3º, a remuneração e as despesas realizadas pelos profissionais forenses que intervierem no sistema de acesso ao direito e aos tribunais, e estatui, por um lado, que o Estado lhes garante a remuneração adequada pelo serviço de patrocínio e o reembolso das despesas que suportem, e, por outro, que os respectivos termos e quantitativos são os que vierem a constar de Portaria Conjunta dos Ministros das Finanças e da Justiça. Trata-se de um normativo de carácter geral relativo aos causídicos susceptíveis de intervir no sistema do acesso ao direito e aos tribunais, aplicável aos advogados, advogados estagiários e solicitadores. A tabela anexa à Portaria 1386/2004, de 10 de Novembro, prevê os honorários para a Protecção Jurídica. A tabela encontra-se dividida pelos ramos do processo civil, do processo do trabalho, do processo penal, dos processos especiais e outros, onde se inserem as contra-ordenações. Prevê, ainda, outras diligências como os incidentes processuais, procedimentos cautelares, intervenções ocasionais, assistência a arguidos presos, deslocações a estabelecimentos prisionais, diligências com mais de duas sessões, presenças no âmbito das escalas de urgência, os honorários devidos pela resolução do litígio através de meios alternativos, como a mediação e a arbitragem. Considerando o âmbito da presente consulta, ater-nos-emos apenas à questão das presenças no âmbito das escalas de presença. Para efeitos de assistência ao primeiro interrogatório de arguido detido ou para audiência em processo sumário ou outras diligências urgentes previstas no C.P.P., o Conselho Distrital de Lisboa organiza escalas de presenças de advogados e

5 advogados estagiários, nos termos previstos no artigo 41º da Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho. O Conselho Distrital de Lisboa organiza escalas presenciais, para nomeação de advogados e advogados estagiários e escalas não presenciais, para nomeação de advogados estagiários. A organização das escalas justifica-se pela urgência ou pela própria natureza do acto processual que não se compadece com a demora no pedido de indicação de causídico à Ordem dos Advogados e que, assim, impõe a nomeação directa de defensor ao arguido pela autoridade judiciária ou de polícia criminal respectiva. Em 2005, foi solicitada a este Conselho Distrital, pela primeira vez, a constituição de uma escala não presencial junto da G.N.R Brigada de Trânsito, para eventual designação de defensor oficioso no âmbito dos processos de inquérito decorrentes de acidentes de viação e outra junto da Polícia Judiciária. Posteriormente, no início deste ano, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras solicitou a constituição de uma escala não presencial, para eventual designação de defensor oficioso para assistir a actos relacionados com extradições e pedidos de asilo. Nas escalas não presenciais, apenas é exigido ao advogado estagiário que, durante um determinado período de tempo, esteja disponível, caso se mostre necessário nomear um defensor, devendo, neste caso, o advogado estagiário, após contacto para o telemóvel, apresentar-se no local indicado para a diligência. Vejamos agora a questão dos honorários. Os honorários a atribuir aos advogados e advogados estagiários, no âmbito das escalas de urgência são os constantes da tabela anexa à Portaria 1386/2004, de 10 de Novembro e pressupõem, como parece lógico, uma efectiva intervenção do advogado ou advogado estagiário, nomeado pelo Tribunal/Autoridade Judiciária ou pelos órgãos de polícia criminal. No ponto 10. da referida tabela, prevê o legislador uma situação particular em matéria de escalas de urgência: a remuneração a atribuir ao advogado ou advogado estagiário, por cada presença, período da manhã ou da tarde, no âmbito das escalas de urgência, desde que não tenha sido efectuada qualquer diligência.

6 Certamente, pretendeu aqui o legislador, não compensar o trabalho prestado pelo advogado, porque obviamente inexistente, mas antes compensá-lo, de certa forma, pelo tempo dispendido no tribunal, em virtude da escala em que se encontrava integrado e ainda pelas despesas em que incorreu com a deslocação ao tribunal. Como resulta evidente, a questão suscitada pela ora requente não encontra resposta na tabela anexa à Portaria 1386/2004, de 10 de Novembro, pois que, como já foi referido, a mesma pressupõe uma efectiva intervenção do advogado ou advogado estagiário, nomeado pelo Tribunal/Autoridade Judiciária ou pelos órgãos de polícia criminal. Contudo, como parece evidente, o conceito de honorários, em geral, pressupõe a realização de um determinado trabalho, intelectual ou não, ao qual corresponde uma determinada remuneração. De igual modo, no caso do trabalho qualificado que o mandato forense representa, também os honorários devem sempre corresponder à legítima remuneração pelo trabalho efectivamente desenvolvido pelo advogado. O que está sempre em causa em matéria de honorários, é o trabalho efectivamente desenvolvido e nunca a mera disponibilidade para a prestação do mesmo. Considerando o exposto, parece-nos, salvo melhor opinião, que a simples circunstância de a Senhora Advogada ter integrado a escala não presencial, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras do dia... de Abril de 2007, e não ter sido contactada para qualquer diligência, não lhe confere, só por si, qualquer direito a receber honorários.

7 Concluindo, é nosso entendimento que: 1. O Conselho Distrital de Lisboa organiza escalas para nomeação de advogados estagiários, não presenciais, nomeadamente, junto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. 2. Neste tipo de escalas, apenas é exigido ao advogado que, durante um período determinado de tempo, esteja disponível, caso se mostre necessário nomear um defensor, devendo, neste caso, o advogado estagiário apresentar-se no local onde a diligência terá lugar. 3. A tabela anexa à Portaria 1386/2004, de 10 de Novembro é omissa quanto a este tipo de situações. 4. Contudo, não temos dúvidas de que os honorários devem sempre corresponder à legítima remuneração pelo trabalho efectivamente prestado pelo advogado ou advogado estagiário. 5. O que está sempre em causa em matéria de honorários, é o trabalho efectivamente desenvolvido e nunca a mera disponibilidade para a prestação do mesmo. 6. Assim, parece-nos, salvo melhor opinião, que a simples circunstância de a Senhora Advogada ter integrado a escala não presencial, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras do dia... de Abril de 2007, e não ter sido contactada para qualquer diligência, não lhe confere, só por si, qualquer direito a receber honorários. Sandra Barroso Rui Souto

Nesta medida, pretende, pois, a Sra Advogada consulente saber se lhe é possível prestar tais serviços.

Nesta medida, pretende, pois, a Sra Advogada consulente saber se lhe é possível prestar tais serviços. > Conselho Distrital de Lisboa > Parecer CDL n.º 27/2009, de 28 de Maio de 2009 Consulta Mediante ofício datado que deu entrada nos serviços deste CDL em 8 de Abril de 2009, com o nº, veio a Sra Dra...,

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 6/2009 Apoio Judiciário ÂMBITO DA CONSULTA A Exma. Senhora Juiz do... Juízo do... veio solicitar ao a emissão de parecer sobre duas questões muito específicas em matéria de Escalas de Prevenção.

Leia mais

Pretende o Sr. Advogado saber, uma vez que não se trata de uma loja jurídica, se poderão publicitar a mesma sem por em causa a nossa profissão.

Pretende o Sr. Advogado saber, uma vez que não se trata de uma loja jurídica, se poderão publicitar a mesma sem por em causa a nossa profissão. > Conselho Distrital de Lisboa > Parecer CDL n.º 40/2007, de 23 de Novembro de 2007 CONSULTA Mediante ofício datado que deu entrada nos serviços deste CDL em..., com o nº..., veio o Sr Dr..., Advogado

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 54/2008 Exame de processo judicial artigo 74º do EOA & 1 Dos factos O Senhor Advogado..., titular da cédula profissional n.º, com domicílio profissional sito na..., veio solicitar a pronúncia

Leia mais

REGULAMENTO DO ACONSELHAMENTO ETICO E DEONTOLÓGICO NO ÂMBITO DO DEVER DE SIGILO

REGULAMENTO DO ACONSELHAMENTO ETICO E DEONTOLÓGICO NO ÂMBITO DO DEVER DE SIGILO REGULAMENTO DO ACONSELHAMENTO ETICO E DEONTOLÓGICO NO ÂMBITO DO DEVER DE SIGILO Proposta apresentada pelo Conselho Directivo Lisboa, 5 de Maio de 2010 Aprovado em Assembleia Geral de 29 de Maio de 2010

Leia mais

Parecer nr. 52/PP/2008-PP CONCLUSÕES:

Parecer nr. 52/PP/2008-PP CONCLUSÕES: Parecer nr. 52/PP/2008-PP CONCLUSÕES: 1 - A decisão que venha a ser proferida no processo deve fixar a compensação que é devida ao patrono nomeado sempre que o beneficiário do apoio judiciário beneficie

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 11/2009 Interpretação do art. 189º do EOA O Senhor Advogado, Dr.... vem solicitar que o emita parecer sobre a factualidade que passamos a enunciar: a. O Senhor Advogado consulente foi notificado,

Leia mais

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Regulamento de Assistência Jurídica Capítulo I Disposições gerais e preliminares Artigo 1.º 1. O presente Regulamento visa regular o direito à assistência jurídica dos Associados do SCIF. 2. O SCIF garante,

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 46/2008 Sigilo Profissional Assunto: Incidente de quebra do sigilo profissional artigo 135º do Código de Processo Penal, aplicável ao processo civil por força do disposto no n.º 4 do artigo

Leia mais

PARECER Nº 41/PP/2014

PARECER Nº 41/PP/2014 PARECER Nº 41/PP/2014 SUMÁRIO: Impedimento para o exercício de mandato por parte de Advogada, que é arguida em processo de inquérito, para exercer a defesa de seu marido que também é arguido no âmbito

Leia mais

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1 PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1. Um Advogado que tenha sido nomeado patrono oficioso de um menor num processo judicial de promoção e protecção de crianças e jovens em perigo, requerido pelo Ministério

Leia mais

REGULAMENTO DE ESCALAS PARA ACTOS URGENTES NO ÂMBITO DAS COMARCAS JUNTO DAS DELEGAÇÕES DA ÁREA GEOGRÁFICA DO CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA

REGULAMENTO DE ESCALAS PARA ACTOS URGENTES NO ÂMBITO DAS COMARCAS JUNTO DAS DELEGAÇÕES DA ÁREA GEOGRÁFICA DO CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA REGULAMENTO DE ESCALAS PARA ACTOS URGENTES NO ÂMBITO DAS COMARCAS JUNTO DAS DELEGAÇÕES DA ÁREA GEOGRÁFICA DO CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA CAPÍTULO I Da escala para actos urgentes Artigo 1.º Âmbito 1. O

Leia mais

I. Por comunicação escrita dirigida ao Bastonário da Ordem dos Advogados, datada de ( ), a Sra. Dra. ( ), Advogada, veio expor o que segue:

I. Por comunicação escrita dirigida ao Bastonário da Ordem dos Advogados, datada de ( ), a Sra. Dra. ( ), Advogada, veio expor o que segue: Processo de Parecer n.º 35/PP/2017-G Requerente: ( ) Relator: Dr. Pedro Costa Azevedo I. Por comunicação escrita dirigida ao Bastonário da Ordem dos Advogados, datada de ( ), a Sra. Dra. ( ), Advogada,

Leia mais

PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES: PARECER Nº. 67/PP/2008-P CONCLUSÕES: 1. O Decretos-lei n.º 28/2000, de 13 de Março, n.º 237/2001, de 30 de Agosto e n.º 76-A/2006, de 29 de Março atribuíram, nomeadamente, aos advogados e aos solicitadores,

Leia mais

PARECER Nº 47/PP/2013-P CONCLUSÕES 1. O

PARECER Nº 47/PP/2013-P CONCLUSÕES 1. O 1 PARECER Nº 47/PP/2013-P CONCLUSÕES 1. O nº1 do artº 74º do E.O.A. dispõe que No exercício da sua profissão, o advogado tem o direito de solicitar em qualquer tribunal ou repartição pública o exame de

Leia mais

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Gabinete de Assessoria Jurídica Movimento Processual N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Classificação N.º de Processos Escusas/Dispensas/Substituições

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 21/2008 Processos de Procuradoria Ilícita Direito de acesso a documentação CONSULTA Por email datado de de de, veio a Exma. Sra. Vogal deste Conselho Distrital de Lisboa, Dra. Maria Ascensão

Leia mais

Guia do Apoio Judiciário

Guia do Apoio Judiciário 1 de 34 30-03-2013 17:05 Início > Acesso ao Direito > Guia do Apoio Judiciário GUIA DO APOIO JUDICIÁRIO Guia do Apoio Judiciário 1. Princípios Gerais 2. Aplicação da Lei no tempo 3. Prestação da Consulta

Leia mais

3. Desde logo, não queremos deixar de referir que nada impede um Advogado de ser Economista, nem um Economista de ser Advogado.

3. Desde logo, não queremos deixar de referir que nada impede um Advogado de ser Economista, nem um Economista de ser Advogado. > Conselho Distrital de Lisboa > Parecer CDL n.º 88/2004, de 3 de Março de 2005 1. Vem o Consulente, o Sr. Dr. A, por requerimento que deu entrada neste Conselho no dia 18 de Outubro de 2004, solicitar

Leia mais

-APOIO JUDICIÁRIO- Um Direito Fundamental em toda a União Europeia

-APOIO JUDICIÁRIO- Um Direito Fundamental em toda a União Europeia -APOIO JUDICIÁRIO- Um Direito Fundamental em toda a União Europeia Declaração Universal dos Direitos do Homem Artigo 10º Toda a pessoa tem direito, em plena igualdade, a que a sua causa seja equitativa

Leia mais

Parecer nº 36/PP/2010-P n/entrada nº /09/2010. Relator: Senhor Dr. Rui Assis

Parecer nº 36/PP/2010-P n/entrada nº /09/2010. Relator: Senhor Dr. Rui Assis Parecer nº 36/PP/2010-P n/entrada nº 4635 16/09/2010 Relator: Senhor Dr. Rui Assis O Exmo. Senhor Dr. F, advogado da comarca de V, em ofício que dirigiu à Comissão de Direitos Liberdades e Garantias do

Leia mais

Acesso ao Direito e Tribunais

Acesso ao Direito e Tribunais Acesso ao Direito e Tribunais Módulo 2 Luís Filipe Santos Conselho Distrital de Lisboa Ordem dos Advogados Acesso ao Direito e Tribunais Sistema de Acesso ao Direito e Tribunais Noções Básicas Nomeação

Leia mais

Notificada a recorrente da participação apresentada, veio pronunciar-se por escrito nos termos que constam de fls. 11, dizendo o seguinte:

Notificada a recorrente da participação apresentada, veio pronunciar-se por escrito nos termos que constam de fls. 11, dizendo o seguinte: > Conselho Superior > Acórdão CS n.º R-09/2007, de 25 de Maio de 2007 Vem o presente recurso interposto de um acórdão do Conselho Distrital de, que em sessão plenária de 21 de Setembro de 2006, aprovou

Leia mais

PARECER Nº 66/PP/2014-P

PARECER Nº 66/PP/2014-P PARECER Nº 66/PP/2014-P A Delegação de Paços de Ferreira da Ordem dos Advogados vem solicitar ao Conselho Distrital indicação sobre o procedimento a adoptar na nomeação de um patrono a um beneficiário

Leia mais

Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social

Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social Código de Processo Penal Disposições relevantes em matéria de Comunicação Social Artigo 86. o Publicidade do processo e segredo de justiça 1. O processo penal é, sob pena de nulidade, público a partir

Leia mais

PARECER NR. 33/PP/2009-P CONCLUSÃO:

PARECER NR. 33/PP/2009-P CONCLUSÃO: PARECER NR. 33/PP/2009-P CONCLUSÃO: A Para o advogado, a matéria de conflito de interesses é uma questão de consciência, competindo-lhe ajuizar se a relação de confiança que estabeleceu com um seu antigo

Leia mais

O Conselho Geral delibera, nos termos do parecer jurídico que se anexa à presente deliberação e para o qual se remete: Tendo em conta a imposição

O Conselho Geral delibera, nos termos do parecer jurídico que se anexa à presente deliberação e para o qual se remete: Tendo em conta a imposição Deliberação pública Deliberação 20140510.11.5 Definição do procedimento adotado pela Câmara dos Solicitadores quando lhe é diretamente solicitado uma desassociação de agente de execução Tendo em consideração

Leia mais

PARECER Nº 47/PP/2011-P CONCLUSÕES

PARECER Nº 47/PP/2011-P CONCLUSÕES PARECER Nº 47/PP/2011-P CONCLUSÕES a) Não está vedado ao advogado, genericamente e em abstracto, exercer o patrocínio contra anterior cliente, impondo-se apenas verificar se tal patrocínio configurará

Leia mais

Diploma. Regulamenta a lei do acesso ao direito, aprovada pela Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho, na redacção dada pela Lei n.º 47/2007, de 28 de Agosto

Diploma. Regulamenta a lei do acesso ao direito, aprovada pela Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho, na redacção dada pela Lei n.º 47/2007, de 28 de Agosto Diploma Regulamenta a lei do acesso ao direito, aprovada pela Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho, na redacção dada pela Lei n.º 47/2007, de 28 de Agosto Portaria n.º 10/2008 de 3 de Janeiro A presente portaria

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga)

PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga) *C0059067A* C0059067A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga) Estabelece normas de atuação dos advogados das instituições de ensino superior que mantenham atendimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Diário da República, 1.ª série N.º de Agosto de 2010

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Diário da República, 1.ª série N.º de Agosto de 2010 3322 Diário da República, 1.ª série N.º 155 11 de Agosto de 2010 Nestes termos: Manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças e da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, em cumprimento

Leia mais

Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL. Lei n.

Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL. Lei n. Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL Lei n.º /2010, de de Na sequência da aprovação e entrada em vigor da Lei

Leia mais

Portaria n.º 621/2008, de 18 de julho na redação da Portaria n.º 283/2013, de 30 de agosto*

Portaria n.º 621/2008, de 18 de julho na redação da Portaria n.º 283/2013, de 30 de agosto* Portaria n.º 621/2008, de 18 de julho na redação da Portaria n.º 283/2013, de 30 de agosto* O Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de julho, aprovou diversas medidas de simplificação, desmaterialização e desformalização

Leia mais

PARECER Nº 25/PP/2014-P CONCLUSÕES

PARECER Nº 25/PP/2014-P CONCLUSÕES PARECER Nº 25/PP/2014-P CONCLUSÕES 1 Um Advogado que seja membro do Conselho Fiscal duma sociedade anónima encontra-se em situação de incompatibilidade com o exercício da Advocacia, uma vez que, mercê

Leia mais

Madalena Alves Pereira

Madalena Alves Pereira APRESENTAÇÃO Comunicamos aos colegas as REGRAS ESPECÍFICAS DE FUNCIONAMENTO DAS ESCALAS PARA ACTOS URGENTES NA COMARCA DO BARREIRO. Este é o documento possível em face do disposto no Regulamento n.º 198/2006

Leia mais

Veio o Exmo. Colega Dr. ( ), requerer ao Conselho Distrital do Porto da Ordem dos Advogados o seguinte, cite-se:

Veio o Exmo. Colega Dr. ( ), requerer ao Conselho Distrital do Porto da Ordem dos Advogados o seguinte, cite-se: PARECER Nº. 8/PP/2008-P Veio o Exmo. Colega Dr. ( ), requerer ao Conselho Distrital do Porto da Ordem dos Advogados o seguinte, cite-se: a. Uma posição pública formal da Ordem dos Advogados no que concerne

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 236/IX ENQUADRAMENTO DE PESSOAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATIVO À EVENTUALIDADE DE DESEMPREGO. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 236/IX ENQUADRAMENTO DE PESSOAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATIVO À EVENTUALIDADE DE DESEMPREGO. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 236/IX ENQUADRAMENTO DE PESSOAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RELATIVO À EVENTUALIDADE DE DESEMPREGO Exposição de motivos O Tribunal Constitucional (TC), mediante iniciativa do Provedor

Leia mais

INSCRIÇÃO NO EOA. CAPÍTULO IV Inscrição como advogado. Artigo 192.º Requisitos de inscrição

INSCRIÇÃO NO EOA. CAPÍTULO IV Inscrição como advogado. Artigo 192.º Requisitos de inscrição INSCRIÇÃO NO EOA CAPÍTULO IV Inscrição como advogado Artigo 192.º Requisitos de inscrição 1 - A inscrição como advogado depende do cumprimento das obrigações de estágio com classificação positiva, nos

Leia mais

CoNSELHo SuPERIoR. Ratificação de pena de expulsão Processo n.º 3/2013-CS/RP

CoNSELHo SuPERIoR. Ratificação de pena de expulsão Processo n.º 3/2013-CS/RP CoNSELHo SuPERIoR Ratificação de pena de expulsão Processo n.º 3/2013-CS/RP Relator: Carlos Pinto de Abreu Participante: Instituto de Gestão Financeira e de Infra estruturas da Justiça, I.P. Arguido: Dr..

Leia mais

BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO. económico geral. das instituições

BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO. económico geral. das instituições ANEXO III BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO 1 Artigo 14.º Base jurídica Descrição Elementos processuais 1 Artigo 15.º, n. 3 Artigo 16.º, n. 2 Artigo 18.º Artigo 19.º, n. 2 Artigo 21.º,

Leia mais

PRÁCTICA PROCESSUAL CIVIL. Consulta Jurídica

PRÁCTICA PROCESSUAL CIVIL. Consulta Jurídica PRÁCTICA PROCESSUAL CIVIL Consulta Jurídica 1ª Sessão Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio 2011 1 Sumário I - A consulta jurídica 1.1 A Consulta ao Cliente 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3

Leia mais

PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Considerando que, A Constituição da República Portuguesa, inspirada no artigo

Leia mais

RECOMENDAÇÃO n.º 2-A/2010

RECOMENDAÇÃO n.º 2-A/2010 Sua Excelência O Ministro da Justiça Praça do Comércio 1149-019 Lisboa Sua referência Sua comunicação Nossa referência Proc. P-3333/09 (A5) Assunto: Requisitos relativos à concessão de nacionalidade portuguesa;

Leia mais

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009 1802 Diário da República, 1.ª série N.º 56 20 de Março de 2009 actualiza o regime jurídico de protecção social na eventualidade desemprego. Artigo 2.º Prorrogação 1 É prorrogada, por um período de seis

Leia mais

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017 DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Lei n.º 29/2017 A Lei n.º 29/2017, de 30 de maio, veio transpor para a ordem jurídica interna a Diretiva 2014/67/UE, do Parlamento Europeu

Leia mais

CENTRO DE ARBITRAGEM, CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO CACM REGULAMENTO DE CUSTAS DE ARBITRAGEM. Artigo 1º (Definições)

CENTRO DE ARBITRAGEM, CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO CACM REGULAMENTO DE CUSTAS DE ARBITRAGEM. Artigo 1º (Definições) CENTRO DE ARBITRAGEM, CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO CACM REGULAMENTO DE CUSTAS DE ARBITRAGEM Artigo 1º (Definições) Para efeitos do presente regulamento entende-se por: a) Encargos administrativos os que resultam

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES DOS IMPOSTOS

SINDICATO DOS TRABALHADORES DOS IMPOSTOS SINDICATO DOS TRABALHADORES DOS IMPOSTOS REGULAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO JURIDICO AOS SÓCIOS Av. Coronel Eduardo galhardo, Nº 22 B 1199-007 LISBOA Telefone: 218161710 Fax: 218150095 Sti_geral@netcabo.pt

Leia mais

OBSERVATÓRIO DOS DIREITOS HUMANOS

OBSERVATÓRIO DOS DIREITOS HUMANOS OBSERVATÓRIO DOS DIREITOS HUMANOS Relatório Dezembro 2013 Contactos do Recluso com o Exterior - O Direito de Visita Observatório dos Direitos Humanos http://www.observatoriodireitoshumanos.net/ dh.observatorio@gmail.com

Leia mais

DECISÃO. A situação em apreço desenvolve-se nos seguintes contornos de facto:

DECISÃO. A situação em apreço desenvolve-se nos seguintes contornos de facto: PARECER Nº 8/PP/2011-P CONCLUSÕES: 1. O simples acto de indicação de um advogado como testemunha em determinado processo judicial, tendo o mesmo recusado a depor sob a invocação do segredo profissional,

Leia mais

Enquadramento Legal ARTIGO 38.º DO DECRETO-LEI N.º76-A/2006, DE 29 DE MARÇO

Enquadramento Legal ARTIGO 38.º DO DECRETO-LEI N.º76-A/2006, DE 29 DE MARÇO Enquadramento Legal ARTIGO 38.º DO DECRETO-LEI N.º76-A/2006, DE 29 DE MARÇO "Artigo 38.º Extensão do regime dos reconhecimentos de assinaturas e da Autenticação e tradução de documentos 1 - Sem prejuízo

Leia mais

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos)

ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E PROCESSO DO TRIBUNAL CONSTITUCIONAL Lei n.o 28/82, (*) de 15 de Novembro (Excertos) A Assembleia da República decreta, nos termos do artigo 244.o da Lei Constitucional n.o

Leia mais

O APOIO JUDICIÁRIO. Organização e Funcionamento. Relatório e Contas de 2004

O APOIO JUDICIÁRIO. Organização e Funcionamento. Relatório e Contas de 2004 Organização e Funcionamento No ano de 24, o Conselho continuou a aperfeiçoar a edificação de uma estrutura atinente a responder às diversas vicissitudes do sistema do Apoio Judiciário. Nesta senda, envidaram-se

Leia mais

SUPREMO TRIBUNALDE JUSTIÇA LEI N.º 10/91

SUPREMO TRIBUNALDE JUSTIÇA LEI N.º 10/91 LEI N.º 10/91 A Assembleia Nacional no uso das atribuições que lhe são conferidas ao abrigo da alínea d) do artigo 87º. Da Constituição, aprova a seguinte Lei: ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO

Leia mais

ÍNDICE SISTEMÁTICO. 1. PREÂMBULO Nota Introdutória ao Novo Estatuto da Ordem dos Advogados Breves Notas a esta Edição 13

ÍNDICE SISTEMÁTICO. 1. PREÂMBULO Nota Introdutória ao Novo Estatuto da Ordem dos Advogados Breves Notas a esta Edição 13 1. PREÂMBULO 7 1.1. Nota Introdutória ao Novo Estatuto da Ordem dos Advogados 9 1.2. Breves Notas a esta Edição 13 2. O NOVO EOA 15 2.1. Lei nº 145/2015, de 9 de Setembro 17 2.2. Estatuto da Ordem dos

Leia mais

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º do REGULAMENTO NACIONAL DE ESTÁGIO (Regulamento nº 913 A/2015) A segunda

Leia mais

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS JURÍDICOS PRESTADOS AOS ASSOCIADOS DO STRN Conselho Directivo Regional do Sul e Ilhas. Artigo 1º (Princípios)

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS JURÍDICOS PRESTADOS AOS ASSOCIADOS DO STRN Conselho Directivo Regional do Sul e Ilhas. Artigo 1º (Princípios) REGULAMENTO DOS SERVIÇOS JURÍDICOS PRESTADOS AOS ASSOCIADOS DO STRN Conselho Directivo Regional do Sul e Ilhas Artigo 1º (Princípios) 1 - O apoio jurídico a associados deve ser articulado com a prossecução

Leia mais

QUADRO LEGISLATIVO. SECÇÃO VIII Reconhecimentos. Artigo 153.º Espécies

QUADRO LEGISLATIVO. SECÇÃO VIII Reconhecimentos. Artigo 153.º Espécies QUADRO LEGISLATIVO DL n.º 250/96, de 24 de Dezembro: Altera o Código do Notariado (aprovado pelo Decreto-Lei n.º 207/95, de 14 de Agosto) e procede à abolição dos reconhecimentos notariais de letra e de

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 8/2009 Conflito de Interesses QUESTÃO O Senhor Dr. A vem solicitar que o emita parecer sobre uma situação de eventual conflito de interesses. O enquadramento factual, tal como exposto pelo

Leia mais

EXTRADIÇÃO HIPÓTESE CORRIDA.

EXTRADIÇÃO HIPÓTESE CORRIDA. EXTRADIÇÃO Caso prático de aplicação da Convenção de Extradição entre os Estados Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP); Praia, 23.11.2005. De acordo com o Aviso n.º 183/2011, de

Leia mais

Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras

Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras 1 NOTA JUSTIFICATIVA O Município de Chaves entende como sendo de interesse

Leia mais

PARECER nº 35/PP/2016-P SUMÁRIO: Incompatibilidade entre o exercício da Advocacia e as funções de Angariador Imobiliário.

PARECER nº 35/PP/2016-P SUMÁRIO: Incompatibilidade entre o exercício da Advocacia e as funções de Angariador Imobiliário. PARECER nº 35/PP/2016-P SUMÁRIO: Incompatibilidade entre o exercício da Advocacia e as funções de Angariador Imobiliário. I A Sra. Dra. ( ), Advogada, portadora da cédula profissional nº ( ), com escritório

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO DE ACEITAÇÃO E CONFIRMAÇÃO DA QUALIDADE DE ESPECIALISTA DE RECONHECIDA EXPERIÊNCIA E COMPETÊNCIA PROFISSIONAL

REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO DE ACEITAÇÃO E CONFIRMAÇÃO DA QUALIDADE DE ESPECIALISTA DE RECONHECIDA EXPERIÊNCIA E COMPETÊNCIA PROFISSIONAL REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO DE ACEITAÇÃO E CONFIRMAÇÃO DA QUALIDADE DE ESPECIALISTA DE RECONHECIDA EXPERIÊNCIA E COMPETÊNCIA PROFISSIONAL Convindo regular o procedimento tendente à aceitação e confirmação

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1 - Por força do disposto no EOA, os cidadãos de nacionalidade brasileira diplomados por qualquer faculdade de Direito do Brasil ou de Portugal,

Leia mais

As suas questões. sobre o Tribunal de Justiça da União Europeia

As suas questões. sobre o Tribunal de Justiça da União Europeia As suas questões sobre o Tribunal de Justiça da União Europeia PORQUÊ UM TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA (TJUE)? Para construir a Europa, os Estados (actualmente 27) celebraram entre si Tratados

Leia mais

A N U N C I O REGULAMENTO DE TAXAS E EMOLUMENTOS DA CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS. Introdução

A N U N C I O REGULAMENTO DE TAXAS E EMOLUMENTOS DA CÂMARA DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS. Introdução A N U N C I O António Domingues de Azevedo, Presidente da Direcção da Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas, vem pelo presente, nos termos e para os efeitos previstos no Estatuto da Câmara dos Técnicos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 273/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 273/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 273/XII Exposição de Motivos 1. A Lei de Organização da Investigação Criminal, aprovada pela Lei n.º 49/2008, de 27 de agosto, alterada pela Lei n.º 34/2013, de 16 de maio, estabelece

Leia mais

DETENÇÃO. - Os actos processuais com detidos são urgentes e os prazos correm em férias (art. 80º CPP).

DETENÇÃO. - Os actos processuais com detidos são urgentes e os prazos correm em férias (art. 80º CPP). DETENÇÃO 1- Definição. Medida cautelar de privação da liberdade pessoal, não dependente de mandato judicial, de natureza precária e excepcional, que visa a prossecução de finalidades taxativamente 1 previstas

Leia mais

Diploma DRE. Capítulo I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Objecto

Diploma DRE. Capítulo I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Objecto Diploma Regulamenta o acesso electrónico da Comissão para a Eficácia das Execuções (CPEE) à informação disponível no sistema de informação de suporte à actividade dos tribunais (Citius) e no sistema de

Leia mais

1. O Decreto Regulamentar n.º 57/80, de 10 de Outubro, assentava o seu sistema de avaliação em características pessoais dos notados.

1. O Decreto Regulamentar n.º 57/80, de 10 de Outubro, assentava o seu sistema de avaliação em características pessoais dos notados. II Enquadramento 1. O Decreto Regulamentar n.º 57/80, de 10 de Outubro, assentava o seu sistema de avaliação em características pessoais dos notados. 2. O Decreto Regulamentar n.º 44-B/83, de 1 de Junho,

Leia mais

DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 233/96. EMISSOR : Ministério da Defesa Nacional. DATA : Sábado, 7 de Dezembro de 1996 NÚMERO : 283/96 SÉRIE I-A

DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 233/96. EMISSOR : Ministério da Defesa Nacional. DATA : Sábado, 7 de Dezembro de 1996 NÚMERO : 283/96 SÉRIE I-A DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 233/96 EMISSOR : Ministério da Defesa Nacional DATA : Sábado, 7 de Dezembro de 1996 NÚMERO : 283/96 SÉRIE I-A PÁGINAS DO DR : 4398 a 4399 Decreto-Lei n.º 233/96, de 7 de

Leia mais

PARECER. I - Medidas de descongestionamento dos tribunais:

PARECER. I - Medidas de descongestionamento dos tribunais: PARECER REGIME JURÍDICO DO PROCESSO DE INVENTÁRIO E ALTERAÇÃO DOS CÓDIGOS CIVIL, PROCESSO CIVIL, REGISTO PREDIAL E REGISTO CIVIL, E REGIME JURÍDICO NACIONAL DE PESSOAS COLECTIVAS. O Governo solicitou a

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE)

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) GRELHA DE CORREÇÃO Questões

Leia mais

Regulamento do Sistema de Apoio Judiciário

Regulamento do Sistema de Apoio Judiciário CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Regulamento do Sistema de Apoio Judiciário Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática, Lda. É

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL

PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL Exposição de motivos Apesar de ter sido criado há já mais de 10 anos e muito embora esteja previsto no artigo 336.º do Código

Leia mais

REGULAMENTO. Gabinete de Consulta Jurídica e de Apoio Jurídico do Municipio de Arruda dos Vinhos

REGULAMENTO. Gabinete de Consulta Jurídica e de Apoio Jurídico do Municipio de Arruda dos Vinhos REGULAMENTO Gabinete de Consulta Jurídica e de Apoio Jurídico do Municipio de Arruda dos Vinhos Aprovação Câmara Municipal: 02-05-2016 Assembleia Municipal: 27-06-2016 REGULAMENTO DO GABINETE DE CONSULTA

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 16/2008 Conformidade do projecto... com as regras deontológica OBJECTO DA CONSULTA E DESCRIÇÃO DO PROJECTO O Colega Dr.... fez circular por colegas um e-mail com a referência Notificação,

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 177/X. Exposição de Motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 177/X. Exposição de Motivos PROPOSTA DE LEI N.º 177/X Exposição de Motivos A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) veio suceder à Direcção-Geral de Viação nas atribuições em matéria de contra-ordenações rodoviárias,

Leia mais

S E C Ç Ã O D E I N S C R I Ç Õ E S

S E C Ç Ã O D E I N S C R I Ç Õ E S Elementos sobre Advogados Estagiários Elementos sobre Advogados Estagiários Pedidos de Prorrogação do Tempo de Estágio 5 Pedidos de Mudança de Comarca e de Patrono 8 Pedidos de Alteração do Domicilio Profissional

Leia mais

Parecer nº35/pp/2009-c Requerente: Associação Comercial e Serviços de Assunto: Serviços jurídicos aos associados

Parecer nº35/pp/2009-c Requerente: Associação Comercial e Serviços de Assunto: Serviços jurídicos aos associados Parecer nº35/pp/2009-c Requerente: Associação Comercial e Serviços de Assunto: Serviços jurídicos aos associados I Relatório 1. A Associação Comercial e Serviços de, com sede em, por email de 25.10.2009,

Leia mais

ANEXO Propostas de alteração Código do Processo Penal

ANEXO Propostas de alteração Código do Processo Penal CPP EM VIGOR PJL 38/XI e 178/XI (PCP) PJL 181/XI/1 (BE) PPL 12/XI/1 (GOV) Artigo 86º Publicidade do processo e segredo de justiça 1 O processo penal é, sob pena Artigo 86.º 1 O processo penal é, sob pena

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE ÉTICA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

PROJETO DE REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE ÉTICA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA PROJETO DE REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE ÉTICA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA Considerando: a) A criação da Comissão de Ética do Instituto Politécnico de Leiria, por despacho de 7 de abril de 2016

Leia mais

COMPETêNCIA DOS ADVOGADOS ESTAGIÁRIOS PARA RECONhECIMENTOS DE ASSINATURAS, AUTENTICAÇÃO E TRADUÇÃO DE DOCUMENTOS E CONFERêNCIA DE CóPIAS

COMPETêNCIA DOS ADVOGADOS ESTAGIÁRIOS PARA RECONhECIMENTOS DE ASSINATURAS, AUTENTICAÇÃO E TRADUÇÃO DE DOCUMENTOS E CONFERêNCIA DE CóPIAS COMPETêNCIA DOS ADVOGADOS ESTAGIÁRIOS PARA RECONhECIMENTOS DE ASSINATURAS, AUTENTICAÇÃO E TRADUÇÃO DE DOCUMENTOS E CONFERêNCIA DE CóPIAS Processo n.º 27/PP/2014-G e 30/PP/2014-G Relator: Dr. A. Pires de

Leia mais

RELATÓRIO. O presente RELATÓRIO é elaborado nos termos do disposto no artigo 155º do Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas CIRE.

RELATÓRIO. O presente RELATÓRIO é elaborado nos termos do disposto no artigo 155º do Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas CIRE. Procº de insolvência n.º 710/11.7 TBVNG - 2º Juízo Cível Insolvente: JOSÉ MANUEL DA SILVA MACEDO Tribunal Judicial de Vila Nova de Gaia RELATÓRIO O presente RELATÓRIO é elaborado nos termos do disposto

Leia mais

Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho

Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho Decreto-Lei n.º 154/2003 de 15 de Julho O Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre a República Portuguesa e a República Federativa do Brasil, assinado em Porto Seguro em 22 de Abril de 2000, aprovado,

Leia mais

CUSTAS JUDICIAIS. A CÓDIGO DAS CUSTAS JUDICIAIS: Decreto-Lei n.º 224-A/1996 e posteriores alterações.

CUSTAS JUDICIAIS. A CÓDIGO DAS CUSTAS JUDICIAIS: Decreto-Lei n.º 224-A/1996 e posteriores alterações. CUSTAS JUDICIAIS A CÓDIGO DAS CUSTAS JUDICIAIS: Decreto-Lei n.º 224-A/1996 e posteriores alterações. I Regime Geral - Aplica-se aos processos iniciados entre 1 de Janeiro de 1997 e 19 de Abril de 2009;

Leia mais

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES

S. R. TRIBUNAL DA RELAÇÃO DE GUIMARÃES PROCº 241/12.8TBMNC.G1 I RELATÓRIO Nos autos supra identificados a Srª Juiz do Tribunal Judicial de Monção proferiu despacho do seguinte teor: «Tendo tido intervenção no processo donde consta o acto cujo

Leia mais

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados

PARECERES Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados CONSULTA N.º 52/2008 Artigo 91º do Estatuto da Ordem dos Advogados QUESTÃO A Senhora Dra.... vem solicitar que o emita parecer sobre uma questão relacionada com o âmbito de aplicação do dever consagrado

Leia mais

sobre o papel do Ministério Público fora do sistema de justiça penal

sobre o papel do Ministério Público fora do sistema de justiça penal TRADUÇÃO da versão em francês CONSELHO DA EUROPA Recomendação CM/Rec(2012)11 do Comité de Ministros aos Estados Membros sobre o papel do Ministério Público fora do sistema de justiça penal (adoptada pelo

Leia mais

Apresenta: Nótulas à Lei n.º 32/2014 de 30 de maio (PEPEX)

Apresenta: Nótulas à Lei n.º 32/2014 de 30 de maio (PEPEX) Apresenta: Nótulas à Lei n.º 32/2014 de 30 de maio (PEPEX) Natureza e finalidade: Procedimento Extrajudicial O Procedimento extrajudicial pré-executivo é um procedimento de natureza facultativa que se

Leia mais

«pretende abrir um gabinete jurídico na comarca de A Nessa sequência pretende colocar um letreiro no vidro do gabinete com os seguintes dizeres:

«pretende abrir um gabinete jurídico na comarca de A Nessa sequência pretende colocar um letreiro no vidro do gabinete com os seguintes dizeres: 1 Parecer nº 43/PP/2013-P Relator: Sr. Dr. Carlos Vasconcelos I - Por comunicação escrita, datada de 26 de Agosto de 2013, dirigida ao Conselho Distrital do Porto da Ordem dos Advogados, a Senhora Doutora

Leia mais

da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório

da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório Regulamento da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório Capítulo I Generalidades Artigo 1.º Objecto O presente regulamento, editado com base nos artigos 74.º-A a 74.º-C do ECDU,

Leia mais

EXAME NACIONAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO

EXAME NACIONAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação EXAME NACIONAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) Deontologia Profissional (6 Valores) DE CORREÇÃO 18 de Dezembro de 2015 QUESTÃO 1 (2Valores) Exma(o) Colega, Adquirindo brevemente

Leia mais

II O Conselho Distrital tem competência para emitir parecer, nos termos do disposto no artigo 50.º, nº 1, al. f) do E.O.A.

II O Conselho Distrital tem competência para emitir parecer, nos termos do disposto no artigo 50.º, nº 1, al. f) do E.O.A. PARECER Nº 59/PP/2014-P CONCLUSÕES 1 - Não existe incompatibilidade para o exercício da advocacia por parte de Advogado que seja Tesoureiro de junta de freguesia. 2 O advogado que tesoureiro de uma junta

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Despacho: Despacho: Manuela Gomes Directora do Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Despacho: Concordo. Envie-se a presente a informação à Senhora Diretora Municipal do Ambiente e Serviços

Leia mais

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto:

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto: Legislação Portaria n.º 1327/2004, de 19 de Outubro Publicada no D.R. n.º 246, I Série-B, de 19 de Outubro de 2004 SUMÁRIO: Regulamenta os procedimentos administrativos previstos no Decreto-Lei n.º 211/2004,

Leia mais

DA ADvoCACiA CoM o exercício De outra ACtiviDADe PúBliCA

DA ADvoCACiA CoM o exercício De outra ACtiviDADe PúBliCA incompatibilidade Do exercício DA ADvoCACiA CoM o exercício De outra ACtiviDADe PúBliCA Proc. n.º 4/PP/2012-G relator: Dr. Marcelino Pires Parecer o requerente vem pedir parecer sobre a eventual incompatibilidade

Leia mais

6336 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Outubro de 2004

6336 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o de Outubro de 2004 6336 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 246 19 de Outubro de 2004 MINISTÉRIOS DAS CIDADES, ADMINISTRAÇÃO LO- CAL, HABITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REGIO- NAL E DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES.

Leia mais

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa:

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa: Acórdãos TRL Processo: 258/14.8TBPDL.L1 6 Relator: ANABELA CALAFATE Descritores: ADMINISTRADOR DE INSOLVÊNCIA REMUNERAÇÃO Nº do Documento: RL Data do Acordão: 02 07 2015 Votação: UNANIMIDADE Texto Integral:

Leia mais

Deliberação Ratificação de parecer legislativo do CPTA e ETAF

Deliberação Ratificação de parecer legislativo do CPTA e ETAF Deliberação pública Ratificação de parecer legislativo do CPTA e ETAF Tendo em consideração que: a) Encontrava-se em apreciação parlamentar a Proposta de Lei n.º 331/XII que autoriza o Governo a rever

Leia mais

PARECER Nº 44/PP/2014-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº 44/PP/2014-P CONCLUSÕES: PARECER Nº 44/PP/2014-P CONCLUSÕES: 1. Para a fixação de placa identificativa do Advogado no exterior do seu escritório não é necessário licenciamento, nem se verifica, por essa afixação, a sujeição a

Leia mais