CENTRO CANTONAL DE EMPREGO (OCE) O QUE DEVE SABER E PODE ESPERAR DE NÓS COMO BENEFICIÁRIO DAS NOSSAS PRESTAÇÕES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO CANTONAL DE EMPREGO (OCE) O QUE DEVE SABER E PODE ESPERAR DE NÓS COMO BENEFICIÁRIO DAS NOSSAS PRESTAÇÕES"

Transcrição

1 CENTRO CANTONAL DE EMPREGO (OCE) O QUE DEVE SABER E PODE ESPERAR DE NÓS COMO BENEFICIÁRIO DAS NOSSAS PRESTAÇÕES

2 2

3 PREFÁCIO PREZADA BENEFICIÁRIA PREZADO BENEFICIÁRIO Nos dias que correm, a perda de emprego e o desemprego podem acontecer a qualquer um de nós e compreendemos que para si se trata de uma experiência difícil. Por isso, é tanto mais importante que esta situação momentânea seja de curta ração. O centro cantonal de emprego (OCE) existe para lhe dar apoio na sua procura de emprego. Consultoras e consultores experientes na área de pessoal definirão consigo o caminho a seguir para que se possa reinserir o mais rapidamente possível no mundo do trabalho. Além do conselho personalizado, há diferentes ofertas à sua disposição para ajudar a encontrar trabalho. O seu futuro profissional está nas suas mãos. O seu interesse, as suas perspectivas de futuro e a sua participação construtiva são componentes necessários. Através de informações mútuas, abertas e atraentes, criámos um clima de confiança, pois desejamos uma colaboração que conza ao sucesso. A presente brochura inclui conselhos e uma visão dos seus principais direitos e obrigações enquanto pessoa à procura de emprego. Pedimos-lhe que leia atentamente estas informações tendo em vista a sua primeira entrevista de aconselhamento. A sua consultora ou o seu consultor na área de pessoal responderá de boa vontade a todas as suas perguntas. A caixa de pagamento que escolheu é competente para calcular o subsídio de desemprego (IC) e para tudo o que se refira à sua transferência. No caso de ter perguntas ou dúvidas a este respeito, deverá dirigir-se directamente ao seu fundo de desemprego. Congratulamo-nos pelo bom resultado da nossa colaboração e desejamos-lhe sucesso total na sua procura de emprego. Centro cantonal de emprego BASES LEGAIS Encontra as bases legais na lei sobre seguro de desemprego (LACI) e no decreto sobre o seguro de desemprego (OACI). 3

4 4

5 ÍNDICE APROVEITE O PERÍODO DE DESEMPREGO 7 Inscrição no desemprego 7 Procura de emprego antes da inscrição no desemprego CONSELHOS PARA A PROCURA DE EMPREGO 8 Proceder com método 8 Candidatar-se de forma eficaz 9 Procurar de forma diversificada OS SEUS DIREITOS 11 Direito ao subsídio de desemprego 11 Montante do subsídio de desemprego 12 Duração do pagamento do subsídio de desemprego 12 Dias de carência 12 Medidas relativas ao Mercado de Trabalho (MMT) 13 Férias rante o desemprego 13 Protecção dos dados 13 Prestações no caso de procura de emprego no estrangeiro AS SUAS OBRIGAÇÕES 16 Manter-se contactável 16 Procurar emprego 16 Comprovativos de procura pessoal de emprego 16 Obrigação de prestar informações 17 Entrevistas de aconselhamento 17 Consequências no caso de incumprimento das obrigações 18 Impresso «Indicações da pessoa segura» (IPA) 19 Impresso «Comprovativos de procura pessoal de emprego» SEGUROS DURANTE O DESEMPREGO 20 AVS/AI/APG 20 Previdência profissional 20 Acidente 20 Prestações federais em caso de doença 21 Prestações cantonais em caso de doença (PCM) 21 Maternidade 5

6 6

7 APROVEITE O PERÍODO DE DESEMPREGO INSCRIÇÃO NO DESEMPREGO Inscreva-se o mais rapidamente possível (por exemplo, logo a partir do anúncio do seu despedimento), mas o mais tardar no primeiro dia para o qual solicite o subsídio de desemprego. PROCURA DE EMPREGO ANTES DA INSCRIÇÃO NO DESEMPREGO Comece a procurar emprego o mais tardar desde o início do pré-aviso de despedimento, ou ainda rante os últimos meses que precederem a sua inscrição. Saiba que se arrisca a perder dias de suspensão de subsídio de desemprego caso não possa provar que tem procurado trabalho antes da sua inscrição. Registe as suas tentativas de procura de emprego no impresso «Comprovativos de procura pessoal para encontrar emprego». Esse impresso pode ser obtido na nossa página na Internet (ver mais abaixo). IMPRESSO COMPROVATIVOS DE PROCURA PESSOAL PARA ENCONTRAR EMPREGO (Preuves des recherches personnelles effectuées en vue de trouver un emploi) > L OCE au service des candidats > Télécharger formulaires RESUMINDO «DIAS DE SUSPENSÃO» Os dias de suspensão são dias nos quais não recebe qualquer subsídio de desemprego. Esses subsídios nunca são pagos. 7

8 CONSELHOS PARA A PROCURA DE EMPREGO PROCEDER COM MÉTODO Procurar um emprego é uma «ocupação a tempo inteiro». Ser organizado contribui para o sucesso. Apresentamos a seguir alguns conselhos para a sua procura de emprego: Prepare um processo de candidatura completo e atraente. Clarifique os seus objectivos profissionais. Defina uma estratégia de candidatura adaptada aos seus objectivos. Estabeleça listas e faça um resumo de todas as candidaturas enviadas e em curso. Não hesite em se informar junto da Cité des métiers Grand Genève. CANDIDATAR-SE DE FORMA EFICAZ Discuta a sua procura de emprego com a sua consultora ou o seu consultor na área de pessoal. Não hesite em aceitar empregos temporários e em alargar a sua procura a outros cantões suíços e na Europa (UE/EFTA). PROCURA DE EMPREGO NA EUROPA (EU/EFTA) FLYER DE APRESENTAÇÃO DA CITÉ DES MÉTIERS DU GRAND GENÈVE CONSELHOS NA INTERNET PARA A PROCURA DE EMPREGO > Job > Conseils en recherche d emploi 8

9 PROCURAR DE FORMA DIVERSIFICADA AGENTES PRIVADOS (AGÊNCIAS DE EMPREGO E CAÇA-TALENTOS) CANDIDATURAS ESPONTÂNEAS REDES SOCIAIS (LINKEDIN, XING, FACEBOOK, ETC.) LUGARES VAGOS PROPOSTOS PELO CENTRO CANTONAL DE EMPREGO NA INTERNET OFERTAS DE EMPREGO PUBLICADAS NA IMPRENSA BOLSAS DE EMPREGO OU JOB BOARDS NA INTERNET RELAÇÕES PESSOAIS OFERTAS DE EMPREGO Utilize diferentes canais paralelos LUGARES VAGOS PORTAL DA INTERNET JOBS DO OCE BROCHURAS E DESDOBRÁVEIS DE SECO ASSOCIADAS À PROCURA DE EMPREGO > L OCE au service des candidats > Publications As nossas brochuras também se encontram disponíveis em francês no nosso centro de acolhimento. 9

10 10

11 OS SEUS DIREITOS DIREITO AO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO Tem direito ao subsídio de desemprego quem: se encontrar sem emprego ou parcialmente sem emprego; estiver domiciliado na Suíça; tiver acabado a escolaridade obrigatória e ainda não tiver atingido a idade da reforma; preencher as condições relativas ao período de quotização ou estiver isento; estiver disposto a aceitar um trabalho e se encontrar à altura e com direito de o fazer (nomeadamente se tiver assegurada a guarda dos seus filhos); tiver sofrido perda de trabalho que possa ser considerada (no mínimo 2 dias de trabalho consecutivos); satisfizer as situações de controlo (ver o capítulo sobre as obrigações). RESUMINDO «PERÍODO DE QUOTIZAÇÃO» É preciso ter feito descontos para subsídio de desemprego pelo menos rante 12 meses ao longo dos dois últimos anos. MONTANTE DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO Tem direito a 5 subsídios diários por semana (segunda a sexta-feira). O seu subsídio de desemprego sobe para 70 % do seu ganho assegurado. No entanto, pode passar para 80 % nos casos seguintes: se tiver uma obrigação de sustento de filhos com menos de 25 anos de idade; se o seu ganho assegurado não ultrapassar CHF 3.797; se receber uma pensão do seguro de invalidez (Al), do seguro de acidentes (AA) ou do seguro militar (AM) com uma taxa de invalidez pelo menos de 40 %. RESUMINDO «MONTANTE DO GANHO ASSEGURADO» Média do salário apresentado a AVS dos 6 meses que precederam o desemprego, ou, se for mais elevado, dos 12 meses. Trata-se de um montante numa base mensal, a partir do qual é feito o cálculo do seu subsídio diário. No entanto, o ganho assegurado só pode situar-se entre o mínimo de CHF 500 e o máximo de CHF Se tiver filhos a seu cargo, um ou o outro dos pais tem direito a abonos de família ou de formação. 11

12 DURAÇÃO DO PAGAMENTO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO O seguro de desemprego prevê um período máximo de subsídio (prazo-quadro) de 2 anos. Informe-se junto do seu fundo de desemprego sobre o montante e a ração do subsídio de desemprego, que dependem da sua situação pessoal e do plafond legal. DIAS DE CARÊNCIA O primeiro subsídio diário só lhe será transferido após terem expirado os dias de carência. O número de dias de carência depende nomeadamente dos seus rendimentos e de uma eventual obrigação de entrevista. Informe-se junto do seu fundo de desemprego sobre o seu número de dias de carência. MEDIDAS RELATIVAS AO MERCADO DE TRABALHO (MMT) As Medidas relativas ao Mercado de Trabalho (MMT) contribuem para aumentar a sua empregabilidade no mercado de trabalho e para melhorar as suas possibilidades de contratação. As MMT podem ser: formações; estágios; subsídios para iniciação ao trabalho (AIT); subsídios para formação (AFO); apoio a uma actividade lucrativa independente (SAI). É de comum acordo com a sua consultora ou o seu consultor na área de pessoal que pode decidir recorrer a uma MMT em função do objectivo profissional definido. Se necessário, as MMTs podem vir a ser impostas. Em qualquer altura pode pedir à sua consultora ou ao seu consultor na área de pessoal informações sobre financiamento de cursos e de formações contínuas na medida em que se inscrevam na estratégia de reinserção estabelecida. BROCHURAS DE SECO ESTAR NO DESEMPREGO / MEDIDAS RELATIVAS AO MERCADO DE TRABALHO (Etre ^ au chômage / Mesures relatives au marché travail) > L OCE au service des candidats > Publications 12 As nossas brochuras também se encontram disponíveis em francês no nosso centro de acolhimento.

13 FÉRIAS DURANTE O DESEMPREGO Tem direito a 5 dias de férias pagas («dias sem controlo») após 60 dias de desemprego controlados. Durante os dias de férias, não é obrigatório vir às entrevistas nem procurar emprego. No entanto, pense em enviar a tempo o impresso «Indications de la personne assurée» (Indicações da pessoa segura) à sua caixa de pagamento para que a transferência dos seus subsídios de desemprego não sofra atrasos (ver também na pág. 18). Os dias de férias devem ser gozados por semana inteira. Não é possível gozá-los antecipadamente. Os dias de férias que não sejam gozados rante o subsídio expiram no fim deste. Informe por escrito a sua consultora ou o seu consultor na área de pessoal, pelo menos com as semanas de antecedência em relação aos dias de férias que quiser ter. PROTECÇÃO DOS DADOS Respeitamos as disposições relativas à protecção dos dados. Em qualquer altura tem o direito de consultar o seu processo. PRESTAÇÕES NO CASO DE PROCURA DE EMPREGO NO ESTRANGEIRO Se pretender um emprego num estado membro da UE ou da EFTA, poderá, sob certas condições, exportar o seu direito suíço ao subsídio de desemprego por um período máximo de 3 meses (exportação de subsídios). Se a sua procura de emprego for infrutífera, pode regressar à Suíça antes de expirar o prazo estabelecido e apresentar-se ao OCE logo após o seu regresso. BROCHURAS DE SECO ESTAR NO DESEMPREGO / SUBSÍDIOS NO CASO DE PROCURA DE TRABALHO NO ESTRANGEIRO (Etre ^ au chômage / Prestations en cas de recherche de travail à l étranger) > L OCE au service des candidats > Publications 13

14 14

15 Procurar um emprego é um trabalho a tempo inteiro. Ser organizado «contribui para o sucesso.» 15

16 AS SUAS OBRIGAÇÕES MANTER-SE CONTACTÁVEL É indispensável manter-se contactável 24 horas por dia, quer pelo correio, quer por , quer por telefone. PROCURAR EMPREGO É preciso fazer tudo o que razoavelmente for exigível para evitar ou rezir o desemprego. A pessoa desempregada também é responsável pela procura de trabalho, se necessário fora da sua profissão exercida ou da taxa de ocupação pretendida. A sua obrigação de procurar emprego começa já antes do início do desemprego (por exemplo, rante o período de férias ou rante um contrato de trabalho a prazo). COMPROVATIVOS DE PROCURA PESSOAL DE EMPREGO É preciso provar mensalmente por escrito que tem procurado trabalho, por meio do impresso «Preuves des recherches personnelles effectuées em vue de trouver un emploi» (Comprovativos das tentativas pessoais feitas para encontrar emprego). Este impresso, depois de devidamente preenchido (ver também na pág. 19), deve ser enviado ao centro regional de emprego (ORP) no final do mês, ou, o mais tardar, até ao dia cinco do mês seguinte. Os impressos enviados após o dia cinco do mês seguinte já não poderão ser aceites, excepto no caso de haver motivo válido. O impresso deve ser preenchido com letra bem legível e de forma exaustiva. As procuras de emprego têm de ser distribuídas pelo conjunto do mês em causa e ser diversificadas (por exemplo, respostas a anúncios publicados na imprensa, na Internet, ofertas espontâneas, visitas, agências privadas de emprego, contactos telefónicos, etc.). O número e o tipo de tentativas são combinados com a sua consultora ou o seu consultor na área de pessoal. OBRIGAÇÃO DE PRESTAR INFORMAÇÕES No âmbito da sua obrigação de informar, deve fornecer ao ORP e ao fundo de desemprego todas as informações necessárias para definir o seu direito ao subsídio de desemprego. Também tem de comunicar ao ORP e ao fundo de desemprego todas as alterações relativas ao seu direito ao subsídio de desemprego, nomeadamente se: iniciar um emprego; obtiver um ganho intermédio; gozar férias (informe a sua consultora ou o seu consultor com 2 semanas de antecedência) ou caso se ausente por qualquer outro motivo; for incapaz de trabalhar por motivo de doença ou acidente (prazo máximo de 5 dias para o anunciar); renovar a sua autorização de permanência; cumprir serviço militar ou de protecção civil; mudar de residência, de número de telefone, de outros dados de contacto, ou se mudar de estado civil; receber uma pensão AI ou tiver apresentado pedido para receber uma tal pensão; iniciar uma actividade independente. 16

17 ENTREVISTAS DE ACONSELHAMENTO No mínimo de 2 em 2 meses, ou mais frequentemente, se necessário, vai receber uma convocatória da consultora ou do consultor na área de pessoal para uma entrevista de aconselhamento. Se não puder comparecer à entrevista por motivos justificados, tem de dar essa informação pelo menos com 24 horas de antecedência. CONSEQUÊNCIAS NO CASO DE INCUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES O não cumprimento de obrigações e de directivas pode acarretar dias de suspensão, nomeadamente se: estiver sem trabalho por culpa própria; não fornecer os comprovativos de procura de emprego, se fornecer provas em número insuficiente, de qualidade insatisfatória, ou ainda se as enviar demasiado tarde; não cumprir as prescrições do OCE (nomeadamente em caso de falta injustificada às entrevistas de aconselhamento); não participar nas Mesures relatives au Marché Travail (MMT) (Medidas relativas ao Mercado de Trabalho) que lhe são disponibilizadas; recusar um trabalho conveniente; não cumprir a obrigação de prestar informações (ver na pág. 16); fornecer dados incorrectos ou incompletos. RESUMINDO «GANHO INTERMÉDIO» Durante o seu período de desemprego, encontrou um emprego cujo rendimento, chamado ganho intermédio, é inferior ao seu subsídio de desemprego. Nessa situação, tem direito a um subsídio compensatório da parte do seguro de desemprego. 17

18 18 IMPRESSO «INDICAÇÕES DA PESSOA SEGURA» (IPA) SECO* enviar-lhe-á mensalmente e directamente o impresso «Indications de la personne assurée» (IPA) (Indicações da pessoa segura). Este impresso é válido unicamente para o mês referido no canto superior direito. Não se esqueça de enviar o original do impresso, depois de devidamente assinado e preenchido no verso, à sua caixa de pagamento no fim do mês. IMPRESSO Impresso: «Indicações da pessoa segura (IPA)» a enviar ao seu fundo de desemprego. * Secretaria de Estado da Economia (SECO Berna). mois: mois: mois: mois: mois: 1. Oui Si oui, au Employeur: Employeur: au Employeur: Employeur: 2. Oui Si oui, au 3. Oui 4. Oui Annoncée le Annoncée le à A la suite d une maladie: A la suite d une maladie: A la suite d une maladie: A la suite d une maladie: A la suite d une maladie: A la suite d une maladie: A la suite d une maladie: A la suite d une maladie: au A la suite d un accident: A la suite d un accident: A la suite d un accident: A la suite d un accident: A la suite d un accident: A la suite d un accident: A la suite d un accident: A la suite d un accident: au Pour d autres raisons? Pour d autres raisons? Pour d autres raisons? Pour d autres raisons? Pour d autres raisons? Pour d autres raisons? Pour d autres raisons? Lesquelles? Lesquelles? Lesquelles? au au Oui 5. Oui Si oui, au 6. Oui Si oui, au Oui Si oui, pourquoi? Si oui, pourquoi? Si oui, pourquoi? Si oui, pourquoi? Si oui, pourquoi? au au 7a. Oui 7b. Oui 8. Oui 9. Oui % depuis quand? % depuis quand? % depuis quand? % depuis quand? % depuis quand? % depuis quand? 10. Oui Reprise travail le Reprise travail le Reprise travail le Reprise travail le Reprise travail le Reprise travail le Remarques: Remarques: Remarques: Remarques: Ne pas remplir Indications de la personne assurée pour le mois de à l intention de sa/son Caisse de chômage N o Office de paiement N o P.P. ORP, Rue des Gares 16, CH-1201 Genève P.P. ORP, Rue des Gares 16, CH-1201 Genève N o AVS Date de naissance N o tél N o personnel ð Veuillez répondre à toutes les questions au verso, s.v.p. Les questions se rapportent toujours au mois indiqué ci-dessus. La caisse ne pourra effectuer aucun versement, si le formulaire n est pas dûment complété ou que des annexes manquent. Le droit aux prestations de l assurance expire, si personne ne l a fait valoir au cours des trois mois qui suivent la période de contrôle à laquelle il se rapporte. Toute indication inexacte ou incomplète peut entraîner la suppression des prestations ou l ouverture d une plainte. Les prestations versées à tort doivent être restituées. Lieu et date: Signature de la personne assurée: Assurance-chômage f 01/ Se for o caso, o impresso deve ser acompanhado dos documentos comprovativos pedidos. Sem esses documentos, o seu fundo de desemprego não poderá pagar-lhe os subsídios. O seu direito aos subsídios expira se não o fizer valer dentro de 3 meses.

19 IMPRESSO «COMPROVATIVOS DE PROCURA PESSOAL DE EMPREGO» SECO enviar-lhe-á mensalmente e directamente o impresso «Preuves des recherches personnelles effectuées en vue de trouver un emploi» (Comprovativos de procura pessoal de emprego). Este impresso é válido unicamente para o mês referido no canto superior direito. Não se esqueça de devolver ao ORP o original do impresso, depois de devidamente assinado, no fim do mês, ou o mais tardar até ao dia 5 do mês seguinte. Também o pode enviar, o mais tardar até esta data, pelo correio, à atenção do ORP (a data do carimbo do correio faz fé). Endereço: ORP Rue des Gares 16 CP Genève 2 IMPRESSO Impresso: «Comprovativos de procura pessoal de emprego» a enviar a ORP f Assurance-chômage Preuves des recherches personnelles effectuées en vue de trouver un emploi Date de réception / timbre postal Nom et prénom No AVS Mois et année Date de l offre de services jour mois Entreprise, adresse Personne contactée, numéro de tél. Description poste Assignation ORP Activité À plein temps Offre de service Résultat de l offre de service À temps partiel (%) par ecrit / électronique visite personelle par téléphone en suspens entretien engagement négatif Motif Inclua unicamente as tentativas de procura de emprego correspondentes ao mês aqui mencionado. 19

20 SEGUROS DURANTE O DESEMPREGO AVS/AI/APG As quotizações AVS/AI/APG são automaticamente dezidas ao subsídio diário. O montante das quotizações é o mesmo que no caso de uma relação de trabalho. O fundo de desemprego dez do subsídio diário metade da quotização e transfere-a, com a sua parte, para a caixa de compensação. Na base desta regulamentação, não há que temer qualquer défice de quotização rante o período de pagamento dos subsídios diários. PREVIDÊNCIA PROFISSIONAL Durante o período de desemprego, a previdência cobre unicamente os riscos de morte e invalidez, mas não a poupança de velhice. A previdência LPP obrigatória para as pessoas sem emprego é, portanto, uma pura previdência de risco (análoga ao seguro de acidentes ou ao seguro de desemprego) e não uma previdência de velhice. É por essa razão que o saldo de velhice já poupado (prestações de livre passagem da última entidade patronal) não pode ser transferido para a Fondation Institution Supplétive LPP. ACIDENTE Durante o período em que receber subsídio de desemprego, encontra-se segura(o) contra acidentes na Suva. A quotização para os acidentes não profissionais é dezida ao subsídio diário. Em caso de acidente, deve informar imediatamente o ORP e o seu fundo de desemprego. Peça ao fundo de desemprego o impresso para o caso de acidente. A cobertura de seguro termina 30 dias após a data em que cessar o direito ao subsídio de desemprego. PRESTAÇÕES FEDERAIS EM CASO DE DOENÇA Em caso de doença, prevalece o seguro pelo seguro de desemprego federal como se indica: rante o máximo de 30 dias de calendário (22 subsídios diários) em caso de doença ininterrupta, mas há direito ao máximo de 44 subsídios diários por prazo-quadro. Em caso de doença, deve informar o ORP. O mais tardar a partir do 4.º dia, é obrigatório apresentar atestado médico. O original deve ser enviado à sua caixa de pagamento, com cópia ao ORP. BROCHURA DE SECO PREVIDÊNCIA PROFISSIONAL DE DESEMPREGADOS (Prévoyance professionnelle des personnes au chômage) w.ge.ch/emploi > L OCE au service des candidats > Publications BROCHURAS DE SUVA SEGURO DE ACIDENTES E DE DESEMPREGO DE A A Z / QUE FAZER EM CASO DE ACIDENTE? (Assurance-accidents et chômage de A à Z / Que faire en cas d accident?) > L OCE au service des candidats > Publications 20 As nossas brochuras também se encontram disponíveis em francês no nosso centro de acolhimento.

21 PRESTAÇÕES CANTONAIS EM CASO DE DOENÇA (PCM) No plano cantonal, foi instaurado um seguro obrigatório de perda de ganhos (PCM) para os beneficiários subsidiados. Mas atenção: este seguro não substitui o seu seguro de doença. Se já tiver um seguro de perda de ganhos, pode ficar isento, se o solicitar. No entanto, enquanto o pedido não for satisfeito, mantém-se a obrigação de pagamento dos prémios. As prestações do seu seguro existente devem ser pelo menos iguais às do seguro obrigatório (ração do contrato, prestações desde o 31. o dia e um subsídio correspondente ao montante do subsídio de desemprego). Os prémios vencem-se mensalmente e são dezidos aos subsídios pagos ou, por defeito, facturados directamente. As prestações são pagas a partir do fim do direito aos subsídios federais em caso de doença até à concorrência de 270 subsídios diários, mas não podem ultrapassar o número de subsídios de desemprego ao qual se tem direito. Aplica-se um prazo de carência de 5 dias úteis. Não é permitido sair do cantão de Genebra rante o período de doença. No entanto, a título excepcional, pode ser permitida uma permanência fora do cantão. Antes da saída deve ser obtida autorização escrita de PCM. Havendo dúvidas e para qualquer pedido, pode dirigir-se directamente ao serviço PCM pelo telefone MATERNIDADE O nascimento de um filho rante o período de pagamento do subsídio de desemprego dá direito a férias de maternidade pagas através do subsídio de maternidade rante as 16 semanas subsequentes ao parto. O pedido de subsídio de maternidade deve ser feito à caixa de compensação AVS competente. DESDOBRÁVEL RESTAÇÕES CANTONAIS EM CASO DE DOENÇA (PCM) A PROTECÇÃO ACIMA DE TUDO (Prestations cantonales en cas de maladie / PCM - la protection avant tout) > L OCE au service des candidats > Publications IMPRESSO PEDIDO DE SUBSÍDIO DE MATERNIDADE (Demande d allocation de maternité) > Services > Formulaires > Prestations régime des APG 21

22 22

23 23

24 CONTACTOS & INFORMAÇÕES Visione o nosso filme de acolhimento de acesso livre no espaço multimédia do nosso centro de acolhimento e administração, ou na nossa página na Internet: Linguas: Francês Português Espanhol Inglês OFFICE CANTONAL DE L EMPLOI Rue des Gares 16 CP Genève 2 Tél. +41 (0) Unicamente para suportes móveis com Flash. Horário de funcionamento do centro de acolhimento Segunda a Sexta-feira O OCE pretende respeitar a igualdade dos sexos. A utilização do masculino no texto resulta unicamente de um desejo de clareza e de conforto para o leitor. ANV DESIGN - Março 2014 Département de l emploi, des affaires sociales et de la santé Office cantonal de l emploi Rue des Gares 16 CP Genève 2 Tél. +41 (0) Fax +41 (0) Papel reciclado

A CAIXA DO FUNDO DE DESEMPREGO OCS

A CAIXA DO FUNDO DE DESEMPREGO OCS A CAIXA DO FUNDO DE DESEMPREGO OCS AS SUAS QUESTÕES, AS NOSSAS RESPOSTAS www.ocsv.ch 2 OS MEUS PROCEDIMENTOS COM A CAIXA DO FUNDO DE DESEMPREGO Deve, em primeiro lugar, escolher a sua caixa do fundo de

Leia mais

VIVER E TRABALHAR NA SUÍÇA. eu gosto particularmente na Suíça.» sobre o lago e os Alpes, é o que. «Um esplêndido nascer de sol

VIVER E TRABALHAR NA SUÍÇA. eu gosto particularmente na Suíça.» sobre o lago e os Alpes, é o que. «Um esplêndido nascer de sol «Um esplêndido nascer de sol sobre o lago e os Alpes, é o que eu gosto particularmente na Suíça.» Claudia Ruisi, parteira, Bélgica VIVER E TRABALHAR NA SUÍÇA + O SISTEMA DE SEGURANÇA SOCIAL NA SUÍÇA +

Leia mais

Sistema previdênciário suíço e retorno ao Brasil

Sistema previdênciário suíço e retorno ao Brasil Sistema previdênciário suíço e retorno ao Brasil Informações básicas: 1) os brasileiros sem permis ou com permis podem retirar as contribuições pagas à Previdência suíça (, 2ème pilier, 3ème pilier) quando

Leia mais

Segurado de Categoria 3 Dependentes dos Segurados de Categoria 2

Segurado de Categoria 3 Dependentes dos Segurados de Categoria 2 16.Pensão ねん きん 年 金 De acordo com o sistema de pensão oficial do Japão, todos os residentes entre 20 e 60 anos de idade são obrigados a se inscreverem na Pensão Nacional. Portanto, todas as pessoas com

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/16 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio de Desemprego Parcial (6002 v4.11) PROPRIEDADE

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO PARCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/14 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio de Desemprego Parcial (6002 v4.02_2)

Leia mais

IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO. N questionário. Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade:

IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO. N questionário. Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade: IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO N questionário Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade: Grau de Ensino: 1. Nenhum 2. Escola primária ou ciclo preparatório 3. Escola Secundária/qualificações

Leia mais

VIVER E TRABALHAR NA SUIÇA

VIVER E TRABALHAR NA SUIÇA VIVER E TRABALHAR NA SUIÇA + O SISTEMA DE SEGURANÇA SOCIAL NA SUIÇA + O SISTEMA SOCIAL* O sistema suíço de segurança social é relativamente complexo: cada ramo tem as suas particularidades. Isso é devido

Leia mais

VIVER E TRABALHAR NA SUÍÇA

VIVER E TRABALHAR NA SUÍÇA Endereços importantes Secretaria de Estado da Economia SECO Direcção do Trabalho / EURES Holzikofenweg 36 3003 Berne/Suíça info@eures.ch.eures.ch.espace-emploi.ch Hotline: +41 (0)58 463 25 25 Secretaria

Leia mais

O PÚBLICO fez um guia explicativo para as cinco grandes mudanças deste regime.

O PÚBLICO fez um guia explicativo para as cinco grandes mudanças deste regime. Guia para o novo regime de subsídio de desemprego 02.01.2007 João Manuel Rocha, PÚBLICO O subsídio de desemprego tem, desde ontem, novas regras. Menos possibilidades de os desempregados poderem recusar

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/22 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio de Desemprego (6001 v4.04_2) PROPRIEDADE

Leia mais

Descontar para a reforma na Suíça e a sua situação em caso de divórcio em Portugal

Descontar para a reforma na Suíça e a sua situação em caso de divórcio em Portugal Descontar para a reforma na Suíça e a sua situação em caso de divórcio em Portugal 1. Fundamento A reforma na Suíça apoia se em três pilares, a saber a AHV ("Eidgenössische Invaliden und Hinterlassenenverswicherung"

Leia mais

São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante

São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante O que são serviços de comunicações eletrónicas? São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante remuneração e que consistem no envio de sinais através de redes de comunicações

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais 5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais Como se pode constatar na regra 3, a filosofia de imputação de despesas com deslocações e subsistência, está directamente relacionada

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

CENTRO CANTONAL DO EMPREGO (OCE) ESTAR NO DESEMPREGO O QUE DEVE SABER

CENTRO CANTONAL DO EMPREGO (OCE) ESTAR NO DESEMPREGO O QUE DEVE SABER CENTRO CANTONAL DO EMPREGO (OCE) ESTAR NO DESEMPREGO O QUE DEVE SABER 2 PREFÁCIO CARA/O, BENEFICIÁRIA/O Hoje em dia, a perda de um emprego e o desemprego podem acontecer a qualquer um de nós. O Centro

Leia mais

A Sioux efetua o pagamento no último dia útil de cada mês, descontados os ressarcimentos (se houver).

A Sioux efetua o pagamento no último dia útil de cada mês, descontados os ressarcimentos (se houver). OBJETIVO Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e os funcionários. O documento será modificado sempre que necessário, em função dos novos cenários da empresa.

Leia mais

Comportamento nas Organizações

Comportamento nas Organizações Comportamento nas Organizações Trabalho realizado por: Pedro Branquinho nº 1373 Tiago Conceição nº 1400 Índice Introdução... 3 Comportamento nas organizações... 4 Legislação laboral... 5 Tipos de contrato

Leia mais

Bolsa de Mérito para Estudos Pós-Graduados em Artes

Bolsa de Mérito para Estudos Pós-Graduados em Artes Bolsa de Mérito para Estudos Pós-Graduados em Artes 1. Objectivo: A Fundação Macau (FM) e o Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES), em cooperação, criaram a Bolsa de Mérito para Estudos Pós-Graduados

Leia mais

SEGURO E APOSENTADORIA

SEGURO E APOSENTADORIA SEGURO E APOSENTADORIA SEGURO SOCIAL (SEGURO DE SAÚDE SOCIAL E SEGURO DE APOSENTADORIA SOCIAL) O Governo japonês administra o Seguro de Saúde Social e o Seguro de Aposentadoria Social ( ), a fim de garantir

Leia mais

Inicialmente gostaríamos de parabenizá-lo pela aprovação de sua proposta de doutorado em nosso Programa.

Inicialmente gostaríamos de parabenizá-lo pela aprovação de sua proposta de doutorado em nosso Programa. Prezado Bolsista, Inicialmente gostaríamos de parabenizá-lo pela aprovação de sua proposta de doutorado em nosso Programa. Para ajudá-lo na implementação de sua concessão, preparamos um guia que poderá

Leia mais

CAIXA DE DOENÇA. Seguro básico

CAIXA DE DOENÇA. Seguro básico CAIXA DE DOENÇA Seguro básico Todas as pessoas que vivam na Suíça têm de ter um seguro de doença e acidentes. Este seguro básico é obrigatório para todos, independentemente da idade, origem e situação

Leia mais

O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO. De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor

O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO. De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor O QUE DEVE SABER SOBRE TRABALHO TEMPORÁRIO De acordo com as normas previstas no código de trabalho em vigor O QUE DEVE SABER SOBRE NECESSIDADES DE RECORRER AO TRABALHO TEMPORÁRIO As Empresas de Trabalho

Leia mais

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE III. 1 - Definições FASE DE ENTRADA Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção de subvenção as

Leia mais

Contrato de trabalho

Contrato de trabalho Modelo de contrato de trabalho conforme ODPr DFAE/0 Este modelo deve obrigatoriamente ser utilizado para contratar uma pessoa doméstica privada nos termos do Regulamento sobre os domésticos privados (ODPr)

Leia mais

Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016

Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016 Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016 1. Mobilidade Internacional de Estudantes Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram

Leia mais

Os pacientes podem também contactar o Departamento de Saúde de Nova Iorque através do número (800) 804-5447 ou (518) 402-6993.

Os pacientes podem também contactar o Departamento de Saúde de Nova Iorque através do número (800) 804-5447 ou (518) 402-6993. Faz parte da política do Winthrop University Hospital informar todos os pacientes sobre a disponibilização de assistência financeira, definida como serviços de saúde sem custos ou a custos reduzidos a

Leia mais

O que é o Contrato de Seguro?

O que é o Contrato de Seguro? O que é o Contrato de Seguro? O contrato de seguro é um acordo através do qual o segurador assume a cobertura de determinados riscos, comprometendo-se a satisfazer as indemnizações ou a pagar o capital

Leia mais

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Cartão Europeu de Seguro de Doença (N39 - v4.07) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 16/2014 Aprova o Regulamento do Programa Jovem

Leia mais

Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções

Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções Planos de Aposentadoria Básico e Suplementar Contribuição Definida Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções (documento completo

Leia mais

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI Manual Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI O melhor da vida é feito em parceria O Plano de Benefícios Previdenciários da SICOOB PREVI é uma importante ferramenta de planejamento financeiro

Leia mais

18. Convenção sobre o Reconhecimento dos Divórcios e das Separações de Pessoas

18. Convenção sobre o Reconhecimento dos Divórcios e das Separações de Pessoas 18. Convenção sobre o Reconhecimento dos Divórcios e das Separações de Pessoas Os Estados signatários da presente Convenção, Desejando facilitar o reconhecimento de divórcios e separações de pessoas obtidos

Leia mais

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. Intermediários Financeiros O QUE SÃO INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS? Intermediários financeiros são as empresas prestadoras dos serviços que permitem aos investidores actuar

Leia mais

GUIA PRÁTICO PORTEIROS DE PRÉDIOS URBANOS E SIMILARES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PORTEIROS DE PRÉDIOS URBANOS E SIMILARES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PORTEIROS DE PRÉDIOS URBANOS E SIMILARES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Porteiros de Prédios Urbanos e Similares (2025 V4.12) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

FIN ESTÁGIO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIO EMPREGO Ficha de informação normalizada

FIN ESTÁGIO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIO EMPREGO Ficha de informação normalizada FIN ESTÁGIO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIO EMPREGO Ficha de informação normalizada Designação Estágios Emprego Considera-se estágio o desenvolvimento de uma experiência prática em contexto de trabalho com o objetivo

Leia mais

Segundo Acordo Complementar à Convenção entre Portugal e o Luxemburgo sobre Segurança Social, assinada em 12 de Fevereiro de 1965

Segundo Acordo Complementar à Convenção entre Portugal e o Luxemburgo sobre Segurança Social, assinada em 12 de Fevereiro de 1965 Decreto n.º 9/79 de 30 de Janeiro Segundo Acordo Complementar à Convenção entre Portugal e o Luxemburgo sobre Segurança Social, de 12 de Fevereiro de 1965, assinado em Lisboa em 20 de Maio de 1977 O Governo

Leia mais

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Cartão Europeu de Seguro de Doença (N 39 - v4.12) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

2. Que pessoas estão sujeitas a retenção na fonte? 3. Que prestações estão sujeitas a retenção na fonte?

2. Que pessoas estão sujeitas a retenção na fonte? 3. Que prestações estão sujeitas a retenção na fonte? Kanton Zürich Finanzdirektion Folha informativa para trabalhadores sujeitos a retenção na fonte no cantão de Zurique Válido a partir de 1 de Janeiro de 2015 Kantonales Steueramt Dienstabteilung Quellensteuer

Leia mais

O acidente deverá ser participado à caixa de seguro de doença.

O acidente deverá ser participado à caixa de seguro de doença. FOI VÍTIMA DE ACIDENTE DE TRABALHO Queda em altura em obras de construção civil, ferimento no local de trabalho, acidente no trajecto para o local de trabalho : foi vítima de um acidente de trabalho (ou

Leia mais

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo

Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo Acesso à Educação para Filhos de Imigrantes Folheto Informativo 1 INTRODUÇÃO O Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas em colaboração com o Secretariado Entreculturas elaborou esta brochura

Leia mais

Que tipo de trabalhadores se encontra abrangido pelo seguro de acidentes de trabalho por conta de outrem?

Que tipo de trabalhadores se encontra abrangido pelo seguro de acidentes de trabalho por conta de outrem? Qual a importância do seguro de acidentes de trabalho? Desde 1913 que é reconhecida em Portugal a obrigatoriedade de as entidades empregadoras repararem as consequências dos acidentes de trabalho sofridos

Leia mais

EURES: uma carreira na Europa

EURES: uma carreira na Europa EURES: uma carreira na Europa REDE EURES http://www.youtube.com/watch?v=-b-cf05oo7y&list=plw_7qqldjbjd-uce36bl25dpvwljlyxfq&index=93 Porquê ir para fora? MOTIVAÇÕES Perspetivas de emprego Enriquecimento

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACORDO DE SEGURANÇA SOCIAL ENTRE PORTUGAL E O BRASIL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO ACORDO DE SEGURANÇA SOCIAL ENTRE PORTUGAL E O BRASIL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO ACORDO DE SEGURANÇA SOCIAL ENTRE PORTUGAL E O BRASIL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Acordo de Segurança Social entre Portugal e o Brasil (N58 v1.1) PROPRIEDADE

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: CDR/ARCH/41/2014 Aquisição, instalação e adaptação de software de gestão documental e de arquivo 2014/S 153-273985

Bélgica-Bruxelas: CDR/ARCH/41/2014 Aquisição, instalação e adaptação de software de gestão documental e de arquivo 2014/S 153-273985 1/7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:273985-2014:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: CDR/ARCH/41/2014 Aquisição, instalação e adaptação de software de gestão documental

Leia mais

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS 2015 REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Enquadramento A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica promove o programa Ocupação Científica

Leia mais

EURES: uma carreira na Europa

EURES: uma carreira na Europa EURES: uma carreira na Europa Delegação Regional do Algarve do IEFP - EURES Volta de Apoio ao Emprego III AGE - Albufeira,23-10-2014 EURES: encontrar um emprego na Europa Delegação Regional do Algarve

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO (MENORES COM 16 ANOS DE IDADE COMPLETOS) MODELO

CONTRATO DE TRABALHO (MENORES COM 16 ANOS DE IDADE COMPLETOS) MODELO CONTRATO DE TRABALHO (MENORES COM 16 ANOS DE IDADE COMPLETOS) MODELO Observações: 1. O presente modelo de contrato de trabalho destina-se apenas aos contratos de trabalho entre menores com 16 anos de idade

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Atribuição de Apoios Sociais. Formação Profissional

REGULAMENTO INTERNO. Atribuição de Apoios Sociais. Formação Profissional REGULAMENTO INTERNO Atribuição de Formação Profissional Elaborado em Junho de 2012 Introdução A Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (A.P.P.A.C.D.M.) de Coimbra é uma Instituição

Leia mais

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores

PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores PROGRAMA DE CRIAÇÃO DE TALENTOS PARA ANGOLA BOLSA ESCOM Bolsa de Estudo para Cursos Superiores A pretende impulsionar as actividades de Responsabilidade Social em Angola, contribuindo para o seu desenvolvimento.

Leia mais

Programa INOV Contacto - Estágios Internacionais Edição 2013/14

Programa INOV Contacto - Estágios Internacionais Edição 2013/14 Programa INOV Contacto - Estágios Internacionais Edição 2013/14 Protocolo de Estágio Entre AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E. e Entre PRIMEIRO: AICEP - Agência para

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014 Medidas Ativas de Emprego Junho 2014 Intervenção do SPE A intervenção prioritária deve ser o ajustamento entre quem procura e quem oferece emprego. Quem procura o SPE quer acima de tudo um emprego. Quando

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Sócios Artigo 1.º

REGULAMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Sócios Artigo 1.º REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I Sócios (Processo de Admissão e Requisitos, Direitos e Deveres, Suspensão, Exclusão e Cancelamento da Inscrição.) 1. São sócios - cooperadores todos os admitidos pela Direcção

Leia mais

Decreto n.º 33/95 Acordo Adicional à Convenção sobre Segurança Social entre Portugal e a Suíça

Decreto n.º 33/95 Acordo Adicional à Convenção sobre Segurança Social entre Portugal e a Suíça Decreto n.º 33/95 Acordo Adicional à Convenção sobre Segurança Social entre Portugal e a Suíça Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo único.

Leia mais

Regulamento Geral da Formação

Regulamento Geral da Formação Regulamento Geral da Formação Regulamento n.º 32/2006, de 3 de Maio publicado no Diário da República, II Série, n.º 85, de 3 de Maio de 2006 Artigo 1.º Objecto 1 Este regulamento define as regras relativas

Leia mais

Aqui você vai encontrar esclarecimentos importantes a respeito de seus direitos.

Aqui você vai encontrar esclarecimentos importantes a respeito de seus direitos. ESTIMADO MORADOR, SAUDAÇÕES! ESTA É A CARTILHA QUE A CDHU PREPAROU PARA FALAR DO IMÓVEL QUE VOCÊ ESTÁ ADQUIRINDO, COM INFORMAÇÕES SOBRE O SEU CONTRATO COM A CDHU. Aqui você vai encontrar esclarecimentos

Leia mais

Banco Local de Voluntariado de Gondomar

Banco Local de Voluntariado de Gondomar Regulamento Interno do Banco Local de Voluntariado de Gondomar (Aprovado em reunião de Câmara de 12 de Fevereiro e Assembleia Municipal de 18 de Fevereiro de 2009) Preâmbulo Entende-se por voluntariado

Leia mais

O MERCADO DA ENERGIA ESTÁ A MUDAR

O MERCADO DA ENERGIA ESTÁ A MUDAR O MERCADO DA ENERGIA ESTÁ A MUDAR INFORME-SE BEM PARA DECIDIR BEM Uma iniciativa: LIGUE 808 100 808 VISITE WWW.ESCOLHAASUAENERGIA.PT FALE COM A SUA EMPRESA DE ELETRICIDADE E DE GÁS NATURAL Parceiros: MINISTÉRIO

Leia mais

Recomendações aos Investidores em Instrumentos Financeiros

Recomendações aos Investidores em Instrumentos Financeiros Recomendações aos Investidores em Instrumentos Financeiros Um investimento responsável exige que conheça todas as suas implicações. Certifique-se de que conhece essas implicações e que está disposto a

Leia mais

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015

PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 PROGRAMA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2015 I DESTINATÁRIOS O Programa de Ocupação de Jovens, promovido pela Câmara Municipal de Cascais, através da Divisão de Promoção de Emprego (DPRE), destina-se a jovens

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO. Decreto n. o 4 /2004 de 7 de Maio REGULARIZAÇÃO DE ESTRANGEIROS EM TERRITÓRIO NACIONAL

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO. Decreto n. o 4 /2004 de 7 de Maio REGULARIZAÇÃO DE ESTRANGEIROS EM TERRITÓRIO NACIONAL REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto n. o 4 /2004 de 7 de Maio REGULARIZAÇÃO DE ESTRANGEIROS EM TERRITÓRIO NACIONAL A Lei de Imigração e Asilo N. 9/2003 de 15 de Outubro (LIA), veio definir

Leia mais

PACK BEM-VINDO * (*) Pack gratuito durante 1 o ano. Toujours plus proche de ceux qui veulent aller plus loin.

PACK BEM-VINDO * (*) Pack gratuito durante 1 o ano. Toujours plus proche de ceux qui veulent aller plus loin. PACK BEM-VINDO * * (*) Pack gratuito durante 1 o ano Toujours plus proche de ceux qui veulent aller plus loin. BCP Bem-vindo Descubra o nosso pack gratuito ** para recém chegados ao Luxemburgo! Gestão

Leia mais

Contrato de trabalho celebrado com trabalhador não residente (Modelo)

Contrato de trabalho celebrado com trabalhador não residente (Modelo) Contrato de trabalho celebrado com trabalhador não residente (Modelo) O primeiro outorgante O segundo outorgante Entre [Nome do empregador/seu representante legal] (1), com domicílio ou sede em, portador

Leia mais

Documentos. Para instrução da candidatura a Bolsa de Estudo. Ano Lectivo 2010/2011. Serviços de Acção Social. Instituto Politécnico da Guarda

Documentos. Para instrução da candidatura a Bolsa de Estudo. Ano Lectivo 2010/2011. Serviços de Acção Social. Instituto Politécnico da Guarda Serviços de Acção Social Ano Lectivo 2010/2011 Instituto Politécnico da Guarda Documentos Para instrução da candidatura a Bolsa de Estudo As Bolsas de Estudo são co-financiadas pelo Fundo Social Europeu

Leia mais

Informações. O(a) Sr(a). recebeu uma proposta de emprego na Suíça na qualidade de doméstico(a) privado(a); aqui estão algumas informações e conselhos.

Informações. O(a) Sr(a). recebeu uma proposta de emprego na Suíça na qualidade de doméstico(a) privado(a); aqui estão algumas informações e conselhos. Département fédéral des affaires étrangères DFAE Junho 2011 Informações destinadas às pessoas querendo obter um emprego na Suíça na qualidade de empregado(a) doméstico(a) ao serviço de um membro do pessoal

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA (Com base no Regulamento de Estudos revisto e alterado em Reunião do Conselho Científico de 27 Novembro 2006) Anos Lectivos 2006/2007 e 2007/2008 Artigo 1.º

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM S OFERTADOS PELO SENAC O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARÁ, SENAC/PA, no uso de suas

Leia mais

CONDIÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SETOR DE ESPORTES

CONDIÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SETOR DE ESPORTES CONDIÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO SETOR DE ESPORTES 1 DEFINIÇÕES Departamento de Esportes Educação Física, doravante designado por Setor de Esportes da PUCPR. Prestador de serviços na área do exercício físico,

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE REGULAMENTO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM REGIME PÓS-LABORAL

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE REGULAMENTO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM REGIME PÓS-LABORAL UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE REGULAMENTO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM REGIME PÓS-LABORAL Preâmbulo A necessidade de expandir a informação superior dos profissionais integrados no mercado trabalho constitui

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO SOCIAL DE VELHICE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão Social de Velhice (7009 v4.15) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro

Leia mais

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES DE DESEMPREGO - MONTANTE ÚNICO

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES DE DESEMPREGO - MONTANTE ÚNICO GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES DE DESEMPREGO - MONTANTE ÚNICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Prestações de Desemprego Montante Único

Leia mais

Guia de Cliente Cartão de Saúde

Guia de Cliente Cartão de Saúde 1 Índice O Cartão de Saúde para todas as necessidades da sua família Modalidades disponíveis Cartão de Saúde Base Cartão de Saúde Oral Cartão de Saúde Maternal Cartão de Saúde Pleno Como utilizar o meu

Leia mais

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS. Capítulo I - Disposições Gerais... 2. Capítulo II... 4. Secção I - Serviços de Saúde... 4

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS. Capítulo I - Disposições Gerais... 2. Capítulo II... 4. Secção I - Serviços de Saúde... 4 REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS Capítulo I - Disposições Gerais... 2 Capítulo II... 4 Secção I - Serviços de Saúde... 4 Secção II - Complementos de Reforma... 5 Capítulo III - Benefícios suportados pelo Fundo

Leia mais

REGULAMENTO. Programa de Bolsas de Estágio Santander Universidades. Introdução

REGULAMENTO. Programa de Bolsas de Estágio Santander Universidades. Introdução REGULAMENTO Programa de Bolsas de Estágio Santander Universidades Introdução O Banco Santander Totta, S.A., em parceria com as Instituições de Ensino Superior aderentes (doravante «IES»), e através da

Leia mais

Tradução da brochura sobre Admissões às Escolas Secundárias em Brighton & Hove em 2012/13

Tradução da brochura sobre Admissões às Escolas Secundárias em Brighton & Hove em 2012/13 Tradução da brochura sobre Admissões às Escolas Secundárias em Brighton & Hove em 2012/13 Introdução Este resumo dos procedimentos de admissão à escola é para os pais que falam inglês como língua estrangeira.

Leia mais

Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009)

Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009) LEGISLAÇÃO Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009) ( DR N.º 21, Série I 30 Janeiro 2009 30 Janeiro 2009 ) Emissor: Ministério do Trabalho

Leia mais

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos,

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos, O Acordo de Madrid relativo ao Registro Internacional de Marcas e o Protocolo referente a este Acordo: Objetivos, Principais Características, Vantagens Publicação OMPI N 418 (P) ISBN 92-805-1313-7 2 Índice

Leia mais

Anúncio de concurso. Fornecimentos

Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:268964-2014:text:pt:html Itália-Ispra: Aluguer de curta e longa duração de viaturas e transporte de viaturas com o objetivo

Leia mais

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev Manual Explicativo Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev 1. MANUAL EXPLICATIVO... 4 2. A APOSENTADORIA E VOCÊ... 4 3. PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: O que é isso?... 4 4. BOTICÁRIO

Leia mais

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio 1. Devo matricular-me na UAc mesmo indo para o estrangeiro? 2. Tenho de pagar propinas na UAc? 3. Tenho que pagar propinas na Universidade

Leia mais

Convenção nº 146. Convenção sobre Férias Anuais Pagas dos Marítimos

Convenção nº 146. Convenção sobre Férias Anuais Pagas dos Marítimos Convenção nº 146 Convenção sobre Férias Anuais Pagas dos Marítimos A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho: Convocada para Genebra pelo conselho administração da Repartição Internacional

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços SAD Serviço de Apoio Domiciliário

Contrato de Prestação de Serviços SAD Serviço de Apoio Domiciliário Contrato de Prestação de Serviços SAD Serviço de Apoio Domiciliário Entre: Primeiro Outorgante: Centro de Promoção Social (CPS), Instituição Particular de Solidariedade Social, com sede em Carvalhais São

Leia mais

CRECHESINTEGRAÇÃO DE CRIANÇAS EM CRECHES

CRECHESINTEGRAÇÃO DE CRIANÇAS EM CRECHES CRECHESINTEGRAÇÃO DE CRIANÇAS EM CRECHES BOLSAS SOCIAIS DA REDE PRIVADA 2015/2016 ENQUADRAMENTO E CRITÉRIOS DE ATRIBUIÇÃO 1 Enquadramento O presente documento enquadra a atribuição das Bolsas Sociais destinadas

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES NOVO REGIME DE TRIBUTAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA:

PERGUNTAS FREQUENTES NOVO REGIME DE TRIBUTAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA: PERGUNTAS FREQUENTES NOVO REGIME DE TRIBUTAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA: Vejam quais são as principais questões que envolvem o Novo Regime de Tributação e esclareçam suas dúvidas. 1) Como era o tratamento tributário

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 137/2015 de 15 de Setembro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 137/2015 de 15 de Setembro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 137/2015 de 15 de Setembro de 2015 Considerando que um dos objetivos do Programa do XI Governo Regional assenta na criação de medidas de incentivo

Leia mais

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES

PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS PARCERIAS E PONTES MARIE CURIE ENTRE EMPRESAS E UNIVERSIDADES [MULTI-BENEFICIÁRIOS] III.1 Definições Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção

Leia mais

Moving at labour market

Moving at labour market Moving at labour market Checklist Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida neste Website vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão responsável pela utilização

Leia mais

FREQUENTLY ASKED QUESTIONS (FAQ) PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE PROTEÇÃO NO DESEMPREGO

FREQUENTLY ASKED QUESTIONS (FAQ) PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE PROTEÇÃO NO DESEMPREGO FREQUENTLY ASKED QUESTIONS (FAQ) PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE PROTEÇÃO NO DESEMPREGO Janeiro 2014 FAQ - PROTEÇÃO NO DESEMPREGO Índice I - Questões gerais sobre o Subsídio de Desemprego... 3 I-A Procurar

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR CRIANÇAS E JOVENS

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR CRIANÇAS E JOVENS Manual de GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR CRIANÇAS E JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Acolhimento Familiar Crianças

Leia mais

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Doença Profissional Prestações por Morte (N13 v4.06) PROPRIEDADE

Leia mais

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 16 de Setembro de 2005

BOLETIM MUNICIPAL CÂMARA MUNICIPAL DA AMADORA. Edição Especial 16 de Setembro de 2005 Edição Especial Regulamento e Programa de Con- curso de Venda de Fogos a Custos Controlados no Alto da Mira (Deliberação da CMA de 15 de Junho de 2005) (Deliberação da AMA de 24 de Junho de 2005) CÂMARA

Leia mais

PEC-PG CNPq e CAPES. 8. Recomendações

PEC-PG CNPq e CAPES. 8. Recomendações PEC-PG CNPq e CAPES 8. Recomendações a) O Estudante-Convênio deverá matricular-se no primeiro semestre letivo do ano imediatamente subseqüente ao que se candidatou ao PEC-PG. Poderá, no entanto, ser concedida

Leia mais