AUTORIDADE DA INFORMAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AUTORIDADE DA INFORMAÇÃO"

Transcrição

1 AUTORIDADE DA INFORMAÇÃO Eduardo Guimarães DL-IEL/Labeurb - UNICAMP RESUMO: Este artigo traz uma análise da afirmação Se não está no Google, não existe, na relação com a pergunta Se não está no Google, não existe (?). Inscrito em uma semântica enunciativa não-referencialista e não-cognitivista, o autor mostra que o segundo enunciado funciona como um contra-argumento que se opõe à enunciação por autoridade que sustenta o primeiro, contra-argumento este agenciado na relação entre língua e história. ABSTRACT: This article presents an analysis of the affirmative statement If it is not on Google, it doesn t exist, in relation to the question If it is not on Google, it doesn t exist (?). Based upon a non-referentialist and non-cognitivist enunciative semantics, the author shows that the second statement operates as a counter-argument that opposes the authoritative utterance that supports the first one, and that this counter-argument is configured thanks to its inscription in the relation between language and history. Vivemos a era das chamadas tecnologias da informação. E este modo de nomear estas tecnologias da atualidade já significa a força argumentativa que a enunciação de uma palavra (informação), e de expressões correlacionadas, apresenta. O sentido desta nomeação (tecnologias da informação) significa, entre outras coisas, que estamos determinados a funcionar na sociedade pelo modo como a relação com a informação produz redes e instrumentos que nos agenciam pela força dos sentidos por eles produzidos e dos modos de produzi-los. Nesta conjuntura quero me deter na análise de um enunciado cujo sentido significa esta relação. Vou me dedicar à análise do enunciado (1) Se não está no Google, não existe. 9

2 Vou me dedicar a analisar este enunciado na relação com outros enunciados correlacionados. Este enunciado, que circula de vários modos atualmente, eu o vou tomar a partir de uma busca que fiz no próprio Google, e onde encontrei o seguinte texto: 10 T1- Se não está no Google, não existe (?) A frase acima é uma máxima da internet. Se você acessou o site criado por Larry Page e Sergey Brin, pesquisou e não encontrou o que buscava, bem, é bem provável que você esteja pesquisando por algo que ainda não existe. Algo que não tenham (sic) nem mesmo o registro de uma vaga idéia sobre ele, afinal, não foi possível obter informações pelo Google. Mas se você é um ávido usuário da internet, já deve ter se deparado com a escassez (ou até mesmo a ausência) de informações claras sobre algum assunto ou item. Até porque o Google não realiza buscas internas em determinadas redes ou serviços da web, limitando algumas buscas. O Baixaki lista agora uma série de dicas para que você tenha certeza de que espremeu a internet atrás daquilo que procura. ( htm - em 24 de outubro de 2012). Vou analisar, no texto considerado, o enunciado (1), na sua relação com o enunciado: (2) Se não está no Google, não existe (?) Antes de passarmos à análise, lembramos que, de nosso ponto de vista, os enunciados significam por integrarem textos. E estes são, nesta medida, unidades de significação que integram enunciados 1. Nossa análise vai considerar os enunciados em questão enquanto integrados a este texto. Isto nos permitirá também, a partir desta entrada no texto, refletir sobre sentidos que ele produz ao integrar estes enunciados. Tomando-se o título do texto T1, (2) Se não está no Google, não existe (?) Pode-se parafrasear (2) por (2a) Dizem que no Google encontra-se tudo que se procura.

3 (2b) Dizem eu afirmo que se não está no Google, não existe (2c) É mesmo possível afirmar que se não está no Google, não existe? A paráfrase (2c) se deve a que o enunciado (2) não é se não está no Google não existe?. O modo de apresentar a pergunta em (2) a coloca incidindo sobre o engajamento performativo de (1), sobre o acontecimento de dizer (1), e não simplesmente sobre o dito em (1). Admitindo-se este modo de parafrasear, podemos dizer que o título do texto T1 traz em discurso relatado o enunciado (1) que se repete em enunciações variadas e constantes. E este aspecto, o da repetição, está ligado a que (1) é um enunciado que funciona como uma máxima, aspecto reconhecido pelo próprio T1 que o cita. Por outro lado, se consideramos a pergunta (2c), observamos que ela é paráfrase de (2c ) Não se pode afirmar que se não está no Google, não existe. que funciona, em certa medida, como paráfrase de (2c ) Não é verdade que se não está no Google, não existe. Assim a pergunta que incide sobre a veracidade do que se diz em (1) se apresenta, e já o indicamos acima, tal como o próprio texto, como uma contestação à enunciação que afirma o enunciado (1). Mas vamos analisar mais de perto o enunciado (1) e o enunciado (2) que de algum modo o cita e contesta. Argumento de Autoridade Tomando o enunciado (1), podemos considerar a seguinte paráfrase: (1a) No Google encontra-se tudo que se procura. (1b) O que não está no Google não existe. Admitida esta paráfrase para (1), somos levados a considerar que sua enunciação significa numa cena enunciativa 2 como: E1 (1 a) no Google encontra-se tudo que se procura (1 ) l-x - L AL al-x E2 (1 b) O que não está no Google não existe. 11

4 Podemos considerar tal constituição da cena enunciativa, levando em conta que o que está significado em (1 a) não é dito ao mesmo título que o que está em (1 b). Uma primeira diferença se pode observar considerando que (1 a) pode ser parafraseado por 12 (1 a ) Como se sabe (como todos sabemos como é sabido) no Google encontra-se tudo que existe. Ao passo que o que está dito em (1 b) pode ser parafraseado por (1 b ) considerando que sabemos que no Google está tudo que existe, afirmo (posso afirmar) que aquilo que não está no Google não existe. Deste modo há uma diferença no modo de dizer e significar (1 a) e (1 b). Por outro lado há que se levar em conta que em (1) a afirmação de algo torna-se aquilo que garante sua existência. A afirmação constitui a própria garantia de sua verdade. Como podemos explicar este modo de significar? Avancemos um pouco mais. Voltando à cena enunciativa representada em (1 ) podemos considerar que E1 é um enunciador genérico, já que esta voz (veja a paráfrase (1 a )) é uma voz difusa que mostra, na perspectiva de E1, que no Google encontra-se tudo que se procura. Por outro lado podemos considerar que uma voz individual se responsabiliza por (afirmo) o que não está no Google não existe. Ao mesmo tempo podemos considerar que o l-x (um l-internauta) é agenciado pela voz genérica e L é agenciado pela voz individual. Antes de avançar na interpretação do que pudemos descrever, vou trazer aqui o que se conhece como argumento de autoridade. Para começar tomemos a definição de Perelman e Tyteca (1958, P.411): O argumento de prestígio mais nitidamente caracterizado é o argumento de autoridade, o qual utiliza atos ou julgamentos de uma pessoa ou de um grupo de pessoas como meio de prova em favor de uma tese. Ducrot (1984, P.140), de uma maneira mais técnica, diz: Eu direi que se utiliza, a propósito de uma proposição P, um argumento de autoridade, quando, ao mesmo tempo: 1. indica-se que P já foi, é atualmente, ou poderia ser objeto de uma asserção;

5 2. apresenta-se esse fato como se valorizasse a proposição P, como se a reforçasse, como se lhe ajuntasse um peso particular. Um outro aspecto a considerar aqui é que este argumento de autoridade, recusado como válido em manuais de retórica, é de grande interesse para o modo de significação em muitos casos. Perelman e Tyteca dizem mesmo que apesar de os positivistas considerarem o argumento de autoridade como fraudulento, eles, ao contrário, consideram que o argumento de autoridade é de uma importância extrema, e se é sempre permitido, em uma argumentação particular, contestar seu valor, não se pode, sem mais, descartá-lo como irrelevante... (Perelman e Tyteca, 1958, p. 412). De nosso ponto de vista, isto é tanto mais importante, porque o que está em jogo não é a existência de algo, mas como um enunciado significa nestas condições. Voltemos ao enunciado (1) e à configuração da cena enunciativa em (1 ). Claramente podemos dizer que (1 a), enunciado do lugar de E1, funciona como um argumento de autoridade: apresenta um dizer como uma afirmação que tem um peso particular, que sustenta a enunciação de (1 b). E é nesta medida que (1) funciona como a sustentação de sua própria verdade. (1) produz uma garantia circular sobre o que significa, e neste plano está, aparentemente, do ponto de vista enunciativo, imune a contra-argumento. Argumento de Autoridade e Contra-Argumento Como vimos no início, tomamos o enunciado (1) num texto que tem o objetivo de dizer que há muita informação na internet à qual não se chega pelo Google. O enunciado (1) é um enunciado que, de algum modo, está relatado pelo enunciado (2), que aparece como título de um texto. Retomemos o enunciado Se não está no Google, não existe (?) Este enunciado, tal como consideramos antes, pode ser parafraseado como segue: (2a) Dizem que no Google encontra-se tudo que se procura. (2b) Dizem eu afirmo que se não está no Google, não existe (2c) É mesmo possível afirmar que se não está no Google, não existe? Como vimos, o que este parafraseamento mostra é que a pergunta não incide, simplesmente, sobre o que se afirma em (1) relatado em (2). 13

6 A pergunta incide sobre a enunciação de (1), coloca em questão o fato de se afirmar (1). Deste modo podemos considerar para (2) a seguinte cena enunciativa (as perguntas (2 c1) e (2 c2) aqui são o modo de levar em conta (1), considerando a cena enunciativa (1 ): E1 (2 a) No Google encontra-se tudo que se procura. E2 L1- (2 b) eu afirmo que se não está no Google não existe l-x - L E3- (2 c1) É mesmo possível afirmar (é verdade que) no Google encontra-se tudo que se procura? E3 (2 c2) É mesmo possível afirmar (é verdade que) se não está no Google, não existe? E neste caso observa-se que E1 significa enquanto enunciador genérico, mantemos aqui a análise que fizemos para (1), e E2 como um enunciador individual que agencia L1. Por outro lado E3 é também um enunciador individual que agencia L e l-(x internauta). E a pergunta de L (na verdade as perguntas) produz um outro movimento argumentativo. Tal como dizem Anscombre e Ducrot (1983), uma pergunta total, de resposta direta sim/não, tal como em (2), tem a mesma direção argumentativa que o enunciado negativo correlacionado. Para avançar nesta reflexão, tomemos a pergunta significada em (2), na forma de (3): paráfrase de (2 c1) e (2 c2): (3)Estas afirmações estão corretas/é possível fazer estas afirmações? Note-se que podemos imaginar para (3) a seguinte continuidade, na voz de um mesmo L: (3a)Estas afirmações estão corretas? Mas não creia que quero te contestar. E soaria estranho, nas mesmas condições, por redundante, (3b) Estas afirmações estão corretas? Eu quero te contestar. Por outro lado, podemos considerar (3c) paráfrase de (3d): (3c) Estas afirmações estão corretas? Você quis nos enganar. (3d) Estas afirmações não estão corretas. Você quis nos enganar. 14

7 Ou seja, a diretividade argumentativa da pergunta é a mesma da negação, nestes casos. Por outro lado, considerando o texto do qual (2) é título, observamos que se trata de um texto que se desenvolve, exatamente, segundo a direção argumentativa do não. Note-se que o primeiro parágrafo do texto T1, que sustenta uma argumentação na direção apresentada por (1), é um argumento preterido pela relação concessiva que se estabelece em enunciações como A mas B 3. Como se vê, o segundo parágrafo do texto, introduzido por mas, é o argumento que se impõe pelo texto, exatamente enquanto oposto ao que se argumenta no primeiro parágrafo (aquilo que se pretere). Ou seja, a pergunta em (2) direcionou o texto que aí se produz para (2 ) Não é verdade que se encontra tudo no Google. Assim podemos considerar que tanto (2c) Estas afirmações (2a e 2b) são corretas? quanto (2c ) Estas afirmações (2a e 2b) não são corretas. orientam para (2 ). E neste caso podemos considerar que em (2) tem-se o que se conhece como uma pergunta retórica (funcionamento claramente explicado pelo sentido da direção argumentativa destas perguntas totais) 4. Ou seja, trata-se de uma pergunta que já traz sua resposta, e sempre uma resposta negativa. E assim acaba significando a afirmação da negação correspondente. Ou seja, o enunciado (2) pergunta se as afirmações (2a) e (2b) são corretas e traz a resposta de que não são corretas. De outra parte, a contestação através da pergunta traz, de um lado, um elemento diverso da contestação pela negativa direta: L, agenciado em (2), não confronta diretamente o L1 agenciado em (1) e citado em (2); de outro lado, a contestação realizada se mostra, em certa medida, como realizável, por estar neste modo de enunciação. Por se apresentar como pergunta retórica, a negativa afirmada tem a mesma força de contestação que o argumento de autoridade tem. A direção argumentativa da pergunta retórica, exatamente porque não discute o argumento, coloca-o como inexistente. Tanto o argumento de autoridade quanto a pergunta retórica tiram sua força argumentativa por não dizerem diretamente o que dizem. 15

8 Assim chegamos ao seguinte, o Google traz um enunciado que sustenta que há tudo nele e que não há tudo nele. Nada de especial neste funcionamento da orientação argumentativa neste caso. O que há é que esta argumentação traz uma particularidade: sustenta a importância de um instrumento tecnológico específico, e, ao fazer isso, sustenta o próprio sentido como mera informação: o todo disponível são informações que o instrumento encontra onde estiver. De um lado um argumento de autoridade sustentando que o todo das informações podem ser encontradas no Google, de outro uma pergunta já direcionando a argumentação para o contrário do argumento de autoridade. A significação da argumentação por autoridade é, fundamentalmente, a sustentação da hegemonia disto que chamamos um buscador, um motor de busca (um buscador interessa enquanto seja capaz de encontrar as informações de que precisamos). E a afirmação contrária, ou conclusão contrária, formulada no modo da pergunta retórica, não é impedida de significar, pelo próprio modo de funcionamento da tecnologia, do buscador. O funcionamento desta tecnologia produz, então, sentidos que não só não podem ser compreendidos como informações, como também são sentidos que significam contra o sentido de informação. Conclusão O interesse nisso é que, ao sustentar em (2), no texto T1, um argumento contrário ao argumento em (1), temos um L que contesta a autoridade do Google. Contestação que o Google não tem como deixar de mostrar, como forma mesmo de sustentação da sua autoridade. De outra parte, o modo de (2) contestar o argumento de autoridade em (1) só pode se dar admitindo-se a afirmação de (1) e a autoridade que o sustenta, admitindo-se seu caráter de evidência. Projetando o resultado dessa análise semântica para a reflexão dos sentidos destas novas tecnologias, podemos observar que, dada a natureza do instrumento (o buscador, o motor de busca), ele não contém nada (um buscador não contém nenhuma das informações que procura), mas é significado como contendo tudo, veja que o enunciado (1) afirma (1) Se não está no Google, não existe. Podemos considerar que estamos diante de uma metáfora 5, pela qual um enunciado como (1c) Se não encontrou pelo Google, não existe. 16

9 tem o não encontrou reescrito e condensado por não está. Ou seja, o enunciado (1c) é reescriturado e condensado pelo enunciado (1). Esta metáfora faz assim significar o Google como um ambiente da rede onde há tudo, mesmo que nele nada haja. E nesta medida, nele não só encontramos um contra-argumento que, ao opor-se ao argumento de autoridade, opõe-se à própria autoridade, e que nos leva ao próprio enunciado que contesta a autoridade. O Google não sabe que o contestam, o Google nos leva ao argumento que o contesta e isso, ao mesmo tempo, sustenta o argumento de autoridade. O enunciado analisado adensa toda a contradição entre a afirmação do acesso a toda a informação e a impossibilidade disso, que acaba por significar circularmente, a sua própria sustentação (ao estar dito que nem tudo, nem toda informação é acessível, afirma-se que toda ela é acessível). Estamos diante do que vou chamar de controvérsia da informação, sustenta-se que toda informação está no Google, ao se contraditar que toda informação está no Google. Ela, a controvérsia, é constituída por uma argumentação de autoridade, e que sustenta socialmente o lugar das chamadas novas tecnologias da informação, e por uma argumentação que coloca diretamente em questão esta autoridade. Particularmente interessante no caso analisado é que a contestação do argumento de autoridade, e assim da própria autoridade, se faz por um movimento de sentido muito particular, uma pergunta retórica, que ao ser feita, ao incidir sobre o argumento de autoridade já o nega. Trata- -se de um embate argumentativo que se apresenta como fora de qualquer necessidade de sustentação veritativa. Não se trata da existência das coisas empiricamente, trata-se de como elas estão significadas. A análise dos enunciados considerados coloca em pauta isto que chamei controvérsia da informação. Ou seja, significar instrumentos como buscadores, como tecnologias da informação, faz significar a informação como um todo acessível e ao mesmo tempo significa-se a impossibilidade disso. (1) e (2) afirmam isso e contradizem isso. E mais, (2) se apresenta, como informação no próprio espaço garantido pelo enunciado (1). Do nosso ponto de vista, e foi por isso que chamei o confronto de sentidos em (2) de controvérsia (e não de paradoxo e muito menos falácia), o que interessa na análise dos enunciados (1) e (2) não são as informações, mas o modo de significar destas tecnologias, em condições históricas específicas, e que a análise dos enunciados nos leva a entender. A contradição na controvérsia não tem que ser resolvida, ela significa uma condição do funcionamento destes instrumentos tecnológicos. 17

10 Notas 1 A este respeito ver Guimarães (2011). 2 No sentido que dou a esta noção (Guimarães, 2002). L = Locutor (que se apresenta como responsável pelo dizer); AL= o correlato de L; l-x = lugar social de locutor; al-x = correlato de l-x; E = enunciador, um lugar de dizer (uma perspectiva do dizer). 3 A este respeito ver, por exemplo, Guimarães (1987). 4 Ver em Anscombre e Ducrot (1983, p ) uma discussão mais específica sobre o funcionamento da pergunta retórica. 5 A respeito do funcionamento da metáfora, tal como a considero, ver Guimarães (2011). Referências Bibliográficas ANSCOMBRE, J-C.; DUCROT, O. (1983) L argumentation dans la langue. Bruxelas: Mardaga. DUCROT, O. (1984) A argumentação por Autoridade. In:. O dizer e o dito. Campinas: Pontes, 1987, p GUIMARÃES, E. (1987) Texto e Argumentação. Campinas: Pontes. GUIMARÃES, E. (2002) Semântica do Acontecimento. Campinas: Pontes. GUIMARÃES, E. (2011) Uma Hipótese sobre a Metáfora. In: RODRI- GUES, E. A. et. al. (Orgs.) Análise de discurso no Brasil. Pensando o impensado sempre, uma homenagem a Eni Orlandi. Campinas: RG, p PERELMAN, Ch.; OLBRECHTS-TYTECA, L. (1983) Traité de l argumentation. Bruxelas: Editons de l Université de Bruxelles. Palavras-chave: argumentação, enunciação, autoridade Key-words: argumentation, enunciation, authority 18

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS.

O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS. O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS. Carolina de Paula Machado 1 A análise semântica de uma palavra, que não se paute por uma visão formal,

Leia mais

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA. Élcio Aloisio FRAGOSO 1

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA. Élcio Aloisio FRAGOSO 1 1 O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA Élcio Aloisio FRAGOSO 1 Resumo O novo acordo ortográfico já rendeu uma série de discussões sob pontos de vistas bem distintos. O acordo

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: que lugar é este?

ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: que lugar é este? Universidade do Sul de Santa Catarina UNISUL maria.schlickmann@unisul.br Palavras iniciais... As reflexões que apresento neste texto são um recorte de estudo que venho realizando na minha tese de doutorado.

Leia mais

Política de Línguas na América Latina 1

Política de Línguas na América Latina 1 Política de Línguas na América Latina 1 Eduardo Guimarães * Num momento como o atual, em que as relações internacionais vêm mudando rapidamente e que se caracteriza, entre outras coisas, pelo fato político

Leia mais

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA

ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA ALTERNATIVAS APRESENTADAS PELOS PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A LEITURA EM SALA DE AULA RAQUEL MONTEIRO DA SILVA FREITAS (UFPB). Resumo Essa comunicação objetiva apresentar dados relacionados ao plano

Leia mais

Estar presente quando seu cliente está buscando seus serviços e produtos é fundamental.

Estar presente quando seu cliente está buscando seus serviços e produtos é fundamental. Estar presente quando seu cliente está buscando seus serviços e produtos é fundamental. Atualmente o meio mais imediato e eficaz, desde que bem configurado e com acompanhamento constante, são as campanhas

Leia mais

Parece claro que há uma, e uma só, conclusão a tirar destas proposições. Esa conclusão é:

Parece claro que há uma, e uma só, conclusão a tirar destas proposições. Esa conclusão é: Argumentos Dedutivos e Indutivos Paulo Andrade Ruas Introdução Em geral, quando se quer explicar que géneros de argumentos existem, começa-se por distinguir os argumentos dedutivos dos não dedutivos. A

Leia mais

JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO

JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO Tatiana Galieta (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) Introdução

Leia mais

TAMBÉM: UM OPERADOR ARGUMENTATIVO 1

TAMBÉM: UM OPERADOR ARGUMENTATIVO 1 TAMBÉM: UM OPERADOR ARGUMENTATIVO 1 Adilson Ventura da Silva UESB Vitória da Conquista RESUMO: De uma perspectiva enunciativa, este artigo discute a categoria gramatical da palavra também, e apresenta

Leia mais

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação

ebook Aprenda como aumentar o poder de captação do seu site. por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação por Rodrigo Pereira Publicitário e CEO da Agência Retina Comunicação Sobre o Autor: Sempre fui comprometido com um objetivo de vida: TER MINHA PRÓPRIA EMPRESA. Mas assim como você, eu também ralei bastante

Leia mais

CINCO OBSERVAÇÕES SOBRE UMA RESENHA

CINCO OBSERVAÇÕES SOBRE UMA RESENHA CRÔNICAS E CONTROVÉRSIAS Neste número, a seção Crônicas e Controvérsias apresenta dois textos: o primeiro, de Sírio Possenti, acerca da resenha do livro de Alice Krieg- -Planque A noção de fórmula em análise

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PARANÁ GOVERNO DO ESTADO COLÉGIO ESTADUAL DE PARANAVAÍ ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO, NORMAL E PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA: INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB 1º MÓDULO SUBSEQUENTE MOTORES

Leia mais

Manual de Pedido de Matrícula em Disciplinas pelo Q-Acadêmico WEB

Manual de Pedido de Matrícula em Disciplinas pelo Q-Acadêmico WEB Manual de Pedido de Matrícula em Disciplinas pelo Q-Acadêmico WEB Área Responsável Implantação Preparado por: Leonardo Moulin Franco 27 de maio de 2009 Revisão 00 TABELA DE REVISÃO DESTE MANUAL REVISÃO

Leia mais

Abaixo você conhecerá algumas técnicas de SEO utilizadas para obter grande sucesso com as postagens no WordPress.

Abaixo você conhecerá algumas técnicas de SEO utilizadas para obter grande sucesso com as postagens no WordPress. 1 TUTORIAL PARA DEIXAR POSTAGENS E PÁGINAS BEM POSICIONADAS Abaixo você conhecerá algumas técnicas de SEO utilizadas para obter grande sucesso com as postagens no WordPress. Conhecimento básico de Html

Leia mais

8 Conclusões, recomendações e desdobramentos

8 Conclusões, recomendações e desdobramentos 8 Conclusões, recomendações e desdobramentos 136 8 Conclusões, recomendações e desdobramentos 8.1. Introdução Finalmente inicia-se a etapa conclusiva deste trabalho. Com base nos resultados da pesquisa

Leia mais

Donald Davidson e a objetividade dos valores

Donald Davidson e a objetividade dos valores Donald Davidson e a objetividade dos valores Paulo Ghiraldelli Jr. 1 Os positivistas erigiram sobre a distinção entre fato e valor o seu castelo. Os pragmatistas atacaram esse castelo advogando uma fronteira

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais

GANHAR DINHEIRO COM SEU SITE OU BLOG

GANHAR DINHEIRO COM SEU SITE OU BLOG GANHAR DINHEIRO COM SEU SITE OU BLOG Ganhe dinheiro com seu blog.... Aposto que você já viu isso escrito em centenas de sites ou blogs e nunca conseguir atingir esse objetivo, aqui nesse ebook iremos abordar

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

um TCC sem cometer PLÁGIO?

um TCC sem cometer PLÁGIO? Aula Reforço com base na NBR 10520 (ABNT) Prof. MSc Ricardo Aureliano Como transcrever textos para um TCC sem cometer PLÁGIO? Não há problema algum de se recortar e colar textos que se encontram na internet

Leia mais

TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES

TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES Inês Barbosa de Oliveira O desafio de discutir os estudos e as práticas curriculares, sejam elas ligadas à educação de jovens e adultos ou ao

Leia mais

Alunos dorminhocos. 5 de Janeiro de 2015

Alunos dorminhocos. 5 de Janeiro de 2015 Alunos dorminhocos 5 de Janeiro de 2015 Resumo Objetivos principais da aula de hoje: entender a necessidade de se explorar um problema para chegar a uma solução; criar o hábito (ou pelo menos entender

Leia mais

! " # $ % %& " ' % % $! & %() % ' % " $*" & #+ " +, % # # + " -.%/ # 0 / # 0 " " 1 / # 0 2 % # " + % # ) # # % 2 % "3 ' 4 # * 5 )#+ %

!  # $ % %&  ' % % $! & %() % ' %  $* & #+  +, % # # +  -.%/ # 0 / # 0   1 / # 0 2 % #  + % # ) # # % 2 % 3 ' 4 # * 5 )#+ % ! # $ & ' $! & () ' $* & #+ +, # # + -./ # 0 / # 0 1 / # 0 2 # + # ) # # 2 3 ' 4 # * 5 )#+ 6 77 7 7( 8 9 #! # $&# ' (( ( ) $ *&*+)9, -+ 9 93 $ & ) )! &! #'(!-# $. $'( /#-##! '-!/.# ( 01! + : # 3 + $#-!

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 A MATERIALIZAÇÃO

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

Como escrever melhor em 5 passos simples

Como escrever melhor em 5 passos simples Como escrever melhor em 5 passos simples Escrever um artigo para seu blog pode ser um processo estressante e tomar bastante tempo, especialmente se você não é um escritor. Mas quando você está determinado

Leia mais

Mentira - o avesso da Verdade?

Mentira - o avesso da Verdade? Mentira - o avesso da Verdade? Christian Ingo Lenz Dunker A educação formal e informal nos ensina que não devemos mentir. A mentira deve ser evitada e a sinceridade prezada acima de tudo. Se exigirmos

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

Algumas vantagens da Teoria das Descrições Definidas (Russel 1905)

Algumas vantagens da Teoria das Descrições Definidas (Russel 1905) Textos / Seminário de Orientação - 12 de Março de 2005 - Fernando Janeiro Algumas vantagens da Teoria das Descrições Definidas (Russel 1905) Assume-se que o objecto de uma teoria semântica é constituído

Leia mais

AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA

AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA Fábio de Araújo Aluno do Curso de Filosofia Universidade Mackenzie Introdução No decorrer da história da filosofia, muitos pensadores falaram e escreveram há cerca do tempo,

Leia mais

SOCIEDADE E TEORIA DA AÇÃO SOCIAL

SOCIEDADE E TEORIA DA AÇÃO SOCIAL SOCIEDADE E TEORIA DA AÇÃO SOCIAL INTRODUÇÃO O conceito de ação social está presente em diversas fontes, porém, no que se refere aos materiais desta disciplina o mesmo será esclarecido com base nas idéias

Leia mais

PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com Tema:Humor Você vai ler a seguir um fragmento da peça teatral Lua nua, de Leilah Assunção, que foi encenada em várias cidades do país entre 1986 e 1989, sempre com grande sucesso de público e de crítica.

Leia mais

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Sumário introdução 03 Capítulo 5 16 Capítulo 1 Pense no futuro! 04 Aproveite os fins de semana Capítulo 6 18 Capítulo 2 07 É preciso

Leia mais

A Torre de Hanói e o Princípio da Indução Matemática

A Torre de Hanói e o Princípio da Indução Matemática A Torre de Hanói e o Princípio da Indução Matemática I. O jogo A Torre de Hanói consiste de uma base com três pinos e um certo número n de discos de diâmetros diferentes, colocados um sobre o outro em

Leia mais

UMA ANÁLISE DISCURSIVA DE DICIONÁRIOS* Joelma Aparecida Bressanin joelmaab@hotmail.com Doutoranda Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

UMA ANÁLISE DISCURSIVA DE DICIONÁRIOS* Joelma Aparecida Bressanin joelmaab@hotmail.com Doutoranda Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Introdução UMA ANÁLISE DISCURSIVA DE DICIONÁRIOS* Joelma Aparecida Bressanin joelmaab@hotmail.com Doutoranda Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) O projeto História das Ideias Linguísticas 1

Leia mais

INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB

INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB MECANISMOS DE BUSCA (Motores de Busca) Introdução A realização de pesquisas na Internet para nós usuários parece ser relativamente fácil pela simplicidade e facilidade na obtenção de resultados, mas por

Leia mais

A TEORIA DA CORRESPONDÊNCIA COMO MEIO DE SE CHEGAR À VERDADE (2012) 1

A TEORIA DA CORRESPONDÊNCIA COMO MEIO DE SE CHEGAR À VERDADE (2012) 1 A TEORIA DA CORRESPONDÊNCIA COMO MEIO DE SE CHEGAR À VERDADE (2012) 1 SIQUEIRA, Grégori Lopes 2 ; SILVA, Mitieli Seixas da 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA. 2 Acadêmico do Curso de Filosofia do Centro

Leia mais

DE NOEL ROSA E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS: UM ESTUDO SEMÂNTICO-ENUNCIATIVO DA DIRETIVIDADE ARGUMENTATIVA NO PROCESSO DE LEITURA

DE NOEL ROSA E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS: UM ESTUDO SEMÂNTICO-ENUNCIATIVO DA DIRETIVIDADE ARGUMENTATIVA NO PROCESSO DE LEITURA A MÚSICA POSITIVISMO DE NOEL ROSA E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS: UM ESTUDO SEMÂNTICO-ENUNCIATIVO DA DIRETIVIDADE ARGUMENTATIVA NO PROCESSO DE LEITURA Josegleide Elioterio dos Santos gleideelioterio@hotmail.com

Leia mais

Um jogo de preencher casas

Um jogo de preencher casas Um jogo de preencher casas 12 de Janeiro de 2015 Resumo Objetivos principais da aula de hoje: resolver um jogo com a ajuda de problemas de divisibilidade. Descrevemos nestas notas um jogo que estudamos

Leia mais

O papel da dúvida na filosofia cartesiana: a interpretação hegeliana sobre Descartes nas Lições sobre História da Filosofia

O papel da dúvida na filosofia cartesiana: a interpretação hegeliana sobre Descartes nas Lições sobre História da Filosofia O papel da dúvida na filosofia cartesiana: a interpretação hegeliana sobre Descartes nas Lições sobre História da Filosofia Carlos Gustavo Monteiro Cherri Mestrando em Filosofia pela UFSCar gucherri@yahoo.com.br

Leia mais

7 Negócios Lucrativos

7 Negócios Lucrativos 7 Negócios Lucrativos CAPÍTULO 1 Mentalidade Geralmente empreendedores ficam caçando uma maneira nova de ganhar dinheiro constantemente, e de fato é isso que faz com que uns cheguem ao topo e outros não,

Leia mais

DITADURA MILITAR: O DISCURSO DE MULHERES NO CONFLITO POR TERRA NA REGIÃO DO ARAGUAIA

DITADURA MILITAR: O DISCURSO DE MULHERES NO CONFLITO POR TERRA NA REGIÃO DO ARAGUAIA DITADURA MILITAR: O DISCURSO DE MULHERES NO CONFLITO POR TERRA NA REGIÃO DO ARAGUAIA Juliany Teixeira Reis 1 Judite Gonçalves Albuquerque 2 Esta pesquisa foi inicialmente objeto de uma monografia de graduação

Leia mais

CONTEXTUALIZANDO AS OPERAÇÕES COM SINAIS DOS NÚMEROS INTEIROS RELATO DE EXPERIÊNCIA.

CONTEXTUALIZANDO AS OPERAÇÕES COM SINAIS DOS NÚMEROS INTEIROS RELATO DE EXPERIÊNCIA. 9 CONTEXTUALIZANDO AS OPERAÇÕES COM SINAIS DOS NÚMEROS INTEIROS RELATO DE EXPERIÊNCIA. Adriana A. Silva Éderson O. Passos INTRODUÇÃO Vergnaud (1982) propôs, em sua Teoria dos Campos Conceituais, que o

Leia mais

Redação do Site Inovação Tecnológica - 28/08/2009. Humanos aprimorados versus humanos comuns

Redação do Site Inovação Tecnológica - 28/08/2009. Humanos aprimorados versus humanos comuns VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA CONVIVER COM OS HUMANOS APRIMORADOS? http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=voce-esta-preparado-conviver-humanosaprimorados&id=010850090828 Redação do

Leia mais

CHECKLIST SEO DO YOUTUBE

CHECKLIST SEO DO YOUTUBE CHECKLIST SEO DO YOUTUBE Encontre neste e-book: Autores Checklist completo para o SEO de Youtube 1. Palavra Chave no Título 2. Palavras Chave na Descrição 3. Palavras Chave nas Tags 4. Links Externos 5.

Leia mais

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA 1 Artur Polónio Índice 1. O que é um ensaio filosófico? 2. O que se espera que um estudante mostre ao escrever um ensaio? 3. Como escolher o título do ensaio? 4. Como se prepara um ensaio? 5. Como se deve

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Antonio Joaquim Severino 1. Um projeto de bem elaborado desempenha várias funções:

PROJETO DE PESQUISA. Antonio Joaquim Severino 1. Um projeto de bem elaborado desempenha várias funções: PROJETO DE PESQUISA Antonio Joaquim Severino 1 Um projeto de bem elaborado desempenha várias funções: 1. Define e planeja para o próprio orientando o caminho a ser seguido no desenvolvimento do trabalho

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

A origem dos filósofos e suas filosofias

A origem dos filósofos e suas filosofias A Grécia e o nascimento da filosofia A origem dos filósofos e suas filosofias Você certamente já ouviu falar de algo chamado Filosofia. Talvez conheça alguém com fama de filósofo, ou quem sabe a expressão

Leia mais

A LEITURA NA VOZ DO PROFESSOR: O MOVIMENTO DOS SENTIDOS

A LEITURA NA VOZ DO PROFESSOR: O MOVIMENTO DOS SENTIDOS A LEITURA NA VOZ DO PROFESSOR: O MOVIMENTO DOS SENTIDOS Victória Junqueira Franco do Amaral -FFCLRP-USP Soraya Maria Romano Pacífico - FFCLRP-USP Para nosso trabalho foram coletadas 8 redações produzidas

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. AULA: 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. AULA: 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo : 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo Habilidades: Perceber como se organizam os parágrafos de um texto dissertativo-argumentativo. Texto dissertativo O texto dissertativo é um tipo de texto

Leia mais

Como Ganhar R$ 625,00 por Mês com Hotmart

Como Ganhar R$ 625,00 por Mês com Hotmart Como Ganhar R$ 625,00 por Mês com Hotmart Ah algum tempo venho estudando e me dedicando a atividade de blogueiros famosos no cenário internacional como Darren Rowse, Silvio Fortunato, Pat Flynn, entre

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos.

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos. Entrevista A2 1. Onde iniciaste o teu percurso na vida associativa? R.: Em Viana, convidaram-me para fazer parte do grupo de teatro, faltava uma pessoa para integrar o elenco. Mas em que associação? Na

Leia mais

A MEMÓRIA DISCURSIVA DE IMIGRANTE NO ESPAÇO ESCOLAR DE FRONTEIRA

A MEMÓRIA DISCURSIVA DE IMIGRANTE NO ESPAÇO ESCOLAR DE FRONTEIRA A MEMÓRIA DISCURSIVA DE IMIGRANTE NO ESPAÇO ESCOLAR DE FRONTEIRA Lourdes Serafim da Silva 1 Joelma Aparecida Bressanin 2 Pautados nos estudos da História das Ideias Linguísticas articulada com Análise

Leia mais

Hoje estou elétrico!

Hoje estou elétrico! A U A UL LA Hoje estou elétrico! Ernesto, observado por Roberto, tinha acabado de construir um vetor com um pedaço de papel, um fio de meia, um canudo e um pedacinho de folha de alumínio. Enquanto testava

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

Por qual motivo alguém visitaria seu site? Considere seu site parte da sua equipe de vendas. Mantenha seu site com conteúdo atualizado

Por qual motivo alguém visitaria seu site? Considere seu site parte da sua equipe de vendas. Mantenha seu site com conteúdo atualizado SUMÁRIO O Porque desse E-book? A Primeira impressão é a que fica! Tecnologia, Conteúdo e Divulgação Por qual motivo alguém visitaria seu site? Considere seu site parte da sua equipe de vendas Mantenha

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

No momento em que se comemora a Declaração Universal dos Direitos

No momento em que se comemora a Declaração Universal dos Direitos TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO Luís Antônio Camargo de Melo * No momento em que se comemora a Declaração Universal dos Direitos Humanos, não poderíamos deixar de mostrar essa verdadeira chaga, essa vergonha

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Por Tiago Bastos 1 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar

Leia mais

5 Passos para vender mais com o Instagram

5 Passos para vender mais com o Instagram 5 Passos para vender mais com o Instagram Guia para iniciantes melhorarem suas estratégias ÍNDICE 1. Introdução 2. O Comportamento das pessoas na internet 3. Passo 1: Tenha um objetivo 4. Passo 2: Defina

Leia mais

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física Cintia Ap. Bento dos Santos Universidade Cruzeiro do Sul Brasil cintiabento@ig.com.br Edda Curi Universidade Cruzeiro do Sul Brasil edda.curi@cruzeirodosul.edu.br Resumo Este artigo apresenta um recorte

Leia mais

BAKHTIN: O EVENTO DA ENUNCIAÇÃO NO PROCESSO TRADUTÓRIO

BAKHTIN: O EVENTO DA ENUNCIAÇÃO NO PROCESSO TRADUTÓRIO BAKHTIN: O EVENTO DA ENUNCIAÇÃO NO PROCESSO TRADUTÓRIO Evandro Santana 1 RESUMO O presente artigo propõe uma análise do processo de tradução à luz das proposições de Mikhail Bakhtin (1895-1975) 1975) no

Leia mais

SEÇÃO ENTREVISTA A INICIAÇÃO CIENTÍFICA E A PUBLICAÇÃO NA GRADUAÇÃO COMO MEIOS DE QUALIDADE NA FORMAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR JOSÉ ROBERTO RUS PEREZ

SEÇÃO ENTREVISTA A INICIAÇÃO CIENTÍFICA E A PUBLICAÇÃO NA GRADUAÇÃO COMO MEIOS DE QUALIDADE NA FORMAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR JOSÉ ROBERTO RUS PEREZ Revista Eventos Pedagógicos v.5, n.4 (13. ed.), número regular, p. 115-121, nov./dez. 2014 SEÇÃO ENTREVISTA A INICIAÇÃO CIENTÍFICA E A PUBLICAÇÃO NA GRADUAÇÃO COMO MEIOS DE QUALIDADE NA FORMAÇÃO DE ENSINO

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A PATERNIDADE GERALMENTE FEITAS POR MÃES

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A PATERNIDADE GERALMENTE FEITAS POR MÃES PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A PATERNIDADE GERALMENTE FEITAS POR MÃES P. O QUE É A PATERNIDADE? R. Paternidade significa ser um pai. A determinação da paternidade significa que uma pessoa foi determinada

Leia mais

SENTIDOS DA PALAVRA AMOR EM UM SONETO DE CAMÕES 1

SENTIDOS DA PALAVRA AMOR EM UM SONETO DE CAMÕES 1 SENTIDOS DA PALAVRA AMOR EM UM SONETO DE CAMÕES 1 ADILSON VENTURA DA SILVA Departamento de Estudos Linguísticos e Literários Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Estrada do Bem Querer, km 4 Centro

Leia mais

1. O que existe por trás do mundo?

1. O que existe por trás do mundo? Existem vários caminhos para se chegar à verdade. Os raciocínios que acabamos de discutir são apenas alguns deles e, talvez, não sejam completos nem suficientes para muitas pessoas. No entanto, existem

Leia mais

Aula 4 Lugares de argumentação

Aula 4 Lugares de argumentação Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação em Design Disciplina Seminário de desenvolvimento de tese Aula 4 Lugares de argumentação Profa. Dra. Jackeline Lima Farbiarz

Leia mais

7 Ações para afastar a crise Utilizando o marketing para melhorar suas vendas.

7 Ações para afastar a crise Utilizando o marketing para melhorar suas vendas. Criamos uma pequena lista de ações ligados ao marketing na internet que nem chega a ser um diferencial. Será o mínimo para que você com seu negócio consiga se manter no mercado e continuar a gerar lucros.

Leia mais

1 Briefing de Criação

1 Briefing de Criação 1 Briefing de Criação Antecedentes do processo de criação Para se criar uma campanha ou mesmo uma única peça é imprescindível que antes seja feito um briefing para orientar o trabalho do planejamento,

Leia mais

O FUNCIONAMENTO DA INCLUSÃO/EXCLUSÃO, EM RECORTES DE DISCURSOS DE SUJEITOS COTISTAS, NA UNEMAT

O FUNCIONAMENTO DA INCLUSÃO/EXCLUSÃO, EM RECORTES DE DISCURSOS DE SUJEITOS COTISTAS, NA UNEMAT O FUNCIONAMENTO DA INCLUSÃO/EXCLUSÃO, EM RECORTES DE DISCURSOS DE SUJEITOS COTISTAS, NA UNEMAT 1. Introdução Adelita Balbinot 1 Olímpia Maluf-Souza 2 As condições de produção dos discursos em torno das

Leia mais

Política de Afiliados

Política de Afiliados Política de Afiliados Obrigações do Produtor 1- Pagamento de R$1.000 a cada venda do Programa Expert Milionário que será gerenciada pela plataforma POST AFILIATE da produtora 2- Caso o afiliado venda mais

Leia mais

Atividade - Sequência Conrado Adolpho

Atividade - Sequência Conrado Adolpho Atividade - Sequência Conrado Adolpho Agora, eu quero lhe apresentar os 6 e-mails do conrado adolpho para vender o 8ps. Quero que você leia está sequência com muita atenção e, depois, responda às provocações

Leia mais

KANT E AS GEOMETRIAS NÃO-EUCLIDIANAS

KANT E AS GEOMETRIAS NÃO-EUCLIDIANAS KANT E AS GEOMETRIAS NÃO-EUCLIDIANAS Gustavo Leal - Toledo 1 RESUMO Pretende-se mostrar, neste trabalho, que a Exposição Metafísica não depende da Exposição Transcendental nem da geometria euclidiana.

Leia mais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais 4.1. Confecção de um Relatório 4.1.1. Organização do relatório Um relatório é uma descrição detalhada, clara e objetiva de

Leia mais

Grice, o que é dito e o que é comunicado

Grice, o que é dito e o que é comunicado Grice, o que é dito e o que é comunicado Referências: Grice, Paul, Logic and conversation, in Studies in the Way of Words, Cambridge (Mas.), Harvard University Press, 1989, pp 22-40. Grice, Paul, Meaning,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM E ÉTICA. Cipriano Carlos Luckesi 1

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM E ÉTICA. Cipriano Carlos Luckesi 1 AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM E ÉTICA Cipriano Carlos Luckesi 1 Artigo publicado na Revista ABC EDUCATIO, nº 54, março de 2006, páginas 20 e 21. Estamos iniciando um novo ano letivo. Vale a pena olhar um pouco

Leia mais

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida 1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida O Que Determina o Sucesso de Uma Dieta? Você vê o bolo acima e pensa: Nunca poderei comer um doce se estiver de dieta. Esse é o principal fator que levam

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

LIÇÃO 8 Necessidades Sociais Satisfeitas

LIÇÃO 8 Necessidades Sociais Satisfeitas LIÇÃO 8 Necessidades Sociais Satisfeitas E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores (Mateus 6:12). Esta é uma lição importante. Fixamos as condições para o nosso próprio

Leia mais

MÓDULO 4 DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS

MÓDULO 4 DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS MÓDULO 4 DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIS Como vimos no módulo 1, para que nós possamos extrair dos dados estatísticos de que dispomos a correta análise e interpretação, o primeiro passo deverá ser a correta

Leia mais

Triângulo Tático de. Resultados. Análise. Simples Método Gera Tráfego e Vendas por Baixo Custo (e aumenta até 2X as vendas em 8 semanas)

Triângulo Tático de. Resultados. Análise. Simples Método Gera Tráfego e Vendas por Baixo Custo (e aumenta até 2X as vendas em 8 semanas) Triângulo Tático de Resultados Análise Simples Método Gera Tráfego e Vendas por Baixo Custo (e aumenta até 2X as vendas em 8 semanas) Análise A Base de Tudo Análise Tráfego Motor Análise Conversão Combustível

Leia mais

Vamos começar nossos estudos e descobertas????????

Vamos começar nossos estudos e descobertas???????? Aula 07 RESUMO E RESENHA Vamos iniciar nossos estudos???? Você já deve ter observado que pedimos que leia determinados textos e escreva o que entendeu, solicitamos que escreva o que o autor do texto quis

Leia mais

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS IFAM CAMPUS HUMAITÁ CURSO DE... NOME DO(A) DISCENTE TÍTULO DA PESQUISA HUMAITÁ AM ANO EM QUE O TRABALHO

Leia mais

6 O SignificadO do LucrO

6 O SignificadO do LucrO 6 O Significado do Lucro Para que haja uma compreensão total e absoluta do processo de apuração de resultados econômicos Lucro ou Prejuízo é mister que entendamos porque a apuração de resultados é tão

Leia mais

Yahoo Grupos e Educação Matemática. Meios Computacionais no Ensino da Matemática. Professor: Dr. Jaime Carvalho e Silva

Yahoo Grupos e Educação Matemática. Meios Computacionais no Ensino da Matemática. Professor: Dr. Jaime Carvalho e Silva Yahoo Grupos e Educação Matemática Meios Computacionais no Ensino da Matemática Professor: Dr. Jaime Carvalho e Silva Débora Naiure Araujo Costa Mestrado em Ensino da Matemática 2012-2013 Introdução Vendo

Leia mais

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD o seu Site e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Conteúdo Introdução Escrever bem é um misto entre arte e ciência Seus conhecimentos geram mais clientes Dicas práticas Faça

Leia mais

PASSOS INICIAIS PARA CRIAR O SEU NEGÓCIO DIGITAL. Aprenda os primeiros passos para criar seu negócio digital

PASSOS INICIAIS PARA CRIAR O SEU NEGÓCIO DIGITAL. Aprenda os primeiros passos para criar seu negócio digital PASSOS INICIAIS PARA CRIAR O SEU NEGÓCIO DIGITAL Aprenda os primeiros passos para criar seu negócio digital Conteúdo PRIMEIROS PASSOS COM BLOG:... 3 Primeiro:... 3 Segundo:... 4 Terceiro:... 5 Quarto:...

Leia mais

Primeiros Passos para o Simulador de Ações do FinanceDesktop. Parte A INICIANDO E CONFIGURANDO (5 passos)

Primeiros Passos para o Simulador de Ações do FinanceDesktop. Parte A INICIANDO E CONFIGURANDO (5 passos) Primeiros Passos para o Simulador de Ações do FinanceDesktop. Seja bem-vindo(a) ao Simulador de Ações FinanceDesktop. Seu propósito é oferecer um ambiente completo e fácil de usar que permita o registro

Leia mais

Portadores. Luz. Por Neale Donald Walsch. Autor de Conversando com Deus

Portadores. Luz. Por Neale Donald Walsch. Autor de Conversando com Deus Portadores da Luz Por Neale Donald Walsch Autor de Conversando com Deus Em memória de Francis H. Treon um Futzu (Mestre) em Gohn Dagow (uma clássica, chinesa, suave, monacal forma de autodesenvolvimento)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV PARECER

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV PARECER Questão 03 A questão 03 pede que se assinale a alternativa cuja palavra tem sentido contrário a fustigava (linha 22). Fustigar (Houaiss, 2009) significa bater com vara, açoitar, vargastar, produzir golpes

Leia mais

CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA

CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA 1 CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA Quando nos tornamos mãe, sem dúvida nenhuma é a melhor coisa desse mundo. Nossos filhos nascem, curtimos muito eles, nos dedicamos exclusivamente e chega uma hora que

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO Texto: Apocalipse 22:1-2 Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro, no meio da RUA principal da cidade. De

Leia mais

A Tua Frase Poderosa. Coaches Com Clientes: Carisma. Joana Areias e José Fonseca WWW.COACHESCOMCLIENTES.COM

A Tua Frase Poderosa. Coaches Com Clientes: Carisma. Joana Areias e José Fonseca WWW.COACHESCOMCLIENTES.COM A Tua Frase Poderosa Coaches Com Clientes: Carisma Joana Areias e José Fonseca WWW.COACHESCOMCLIENTES.COM Introdução Neste pequeno texto pretendo partilhar contigo onde os coaches falham ao apresentarem-se

Leia mais

COMO CRIAR UM SITE DE NEGÓCIOS

COMO CRIAR UM SITE DE NEGÓCIOS 0 COMO CRIAR UM SITE DE NEGÓCIOS Em 5 Passos Simples Aprenda aqui a criar um site de negócios de maneira simples, com algumas dicas fundamentais para o começo do seu projeto no Mercado Digital COMO CRIAR

Leia mais

www.poderdocoachingemgrupos.com.br

www.poderdocoachingemgrupos.com.br Pesquisa de Mercado A condução de pesquisas de mercado é uma das atividades mais eficazes e importantes que você pode fazer quando você estiver projetando seu coaching em grupo. Você vai se surpreender

Leia mais