PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. 1ª Reuniao de Gestão Ampliada Reitoria,

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. 1ª Reuniao de Gestão Ampliada Reitoria, 18-9-2013"

Transcrição

1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 1ª Reuniao de Gestão Ampliada Reitoria,

2 Pauta 1)Introdução: Cronograma Geral da Fase III do PDI e da elaboração do capítulo 3 - Planejamento Estratégico Objetivos da Etapa do Planejamento Estratégico Global Justificativa da metodologia de Planejamento Estratégico Atividades e cronograma detalhado da etapa 2)Breve estudo sobre a metodologia 3)Trabalho: Definir Perspectivas e Temas Estratégicos Formatar e agendar as reunioes com os grupos estrategicos Definir público do Seminário de Planejamento Estratégico

3 1) INTRODUÇÃO

4 Cronograma Geral da FASE III F A S E III

5 Cronograma do Planejamento Estratégico SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO SNCT ICBL Diagnóstico SWOT Câmpus DEZEMBRO Sem. EPE Seminário do Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Global Seminário do Plano de Oferta de Cursos e Vagas Elaboração do Plano de Oferta de Cursos e Vagas Elaboração do Planejamento Estratégico das Unidades Gestoras Finalização

6 Objetivo da etapa mapa estratégico e relação de indicadores, metas e iniciativas Objetivo Estratégico Indicadores Metas Iniciativas

7 Introdução: Etapas do Planejamento Estratégico Global

8 PDI: cronograma detalhado do Planejamento Estratégico SETEMBRO OUTUBRO S T Q Q Etapas CTI DAM PPI 1ª Reunião da Comissão Temática do Planejamento Estratégico X 1ª Reunião de Gestão Ampliada Montagem da SWOT preliminar por tema estratégico Reuniões dos Grupos Estratégicos 1ª rodada Síntese do trabalho dos grupos e esboço do Mapa Estratégico 2ª Reunião de Gestão Ampliada Reuniões dos Grupos Estratégicos 2ª rodada Seminário Planejamento Estratégico S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S CDP CEPE Codir X S D S T Q Q S CTI S D S T Q Q S Codir F S D S SNCT T Q Consup Q S S D S T Q Q CDP X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X

9 Metodologia de PE: justificativas Alinhamento com: Estrutura do Plano Plurianual Estrutura do Relatório de Gestão exigida pelo TCU Plano de Gestão da Reitora Linha metodológica do planejamento institucional desde 2009

10 Estrutura do Relatório de Gestão

11 Estrutura do PPA PROGRAMA objetivos metas Iniciativas

12 Alinhamento com o Plano de Gestão Ações do EIXO I - Comunidade: Alunos, Servidores e Sociedade Ações do EIXO II - Articulação: Ensino, Pesquisa e Extensão Ações do EIXO III - Gestão: Democrática, Ética e Transparente Inovar na elaboração do planejamento institucional, integrando os níveis estratégico, tático e operacional, bem como os processos de avaliação; Definir indicadores institucionais de gestão e sistemas de acompanhamento para subsidiar a tomada de decisão e a proposição, o controle, a execução e a avaliação de projetos e ações;

13 Estrutura do Planejamento

14 PDI OBJETIVO ESTRATÉGICO INDICADOR 1 PLANEJAMENTO OBJETIVO GERAL INDICADOR 2 MACROPROJETO META 1 META 2 INICIATIVA 1.1 INICIATIVA 1.2 INICIATIVA 1.3 INICIATIVA 1.4 INICIATIVA 1.5 INICIATIVA 2.1 INICIATIVA 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

15 Metodologia de PE: justificativas Discussões no FDI: Modelo de metodologia de elaboração de PDI Experiência do IFCE Base teórica e aplicabilidade no contexto de organizações públicas e instituições de ensino, pesquisa e extensão Disponibilidade de sistema informatizado Disseminação crescente em organizações públicas e/ou de educação: UFCE, UFSM, UF Fluminense, IFCE, IFS, IFRJ, Fundação Liberato IST Instituto Superior Técnico (Lisboa) UNIJUÍ, SENAC/SC, PUC/RS, Univ. do Contestado TCU, TRT-GO, TCE-RN, Ministério Agricultura

16 2) ESTUDO DA METODOLOGIA Foco: mapa estratégico

17 Metodologia de Planejamento Estatégico Objetivos Estratégicos x Demais Elementos

18 Metodologia de Planejamento Estatégico Objetivos Estratégicos x Demais Elementos PDI OBJETIVO ESTRATÉGICO META 1 = 200 Campus X = 25 Campus Y= 25 Campus W= 60 Campus Z= 90 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS UGs INDICADOR 1 INDICADOR 2 META 1 META 2 INICIATIVA 1.1 INICIATIVA 1.2 INICIATIVA 1.3 INICIATIVA 1.4 INICIATIVA 1.5 INICIATIVA 2.1 INICIATIVA 2.2

19 Metodologia de Planejamento Estatégico Mapa Estratégico

20 Planejamento Estratégico do TRT-GO: exemplo de como apresentar o Capítulo 3 do nosso PDI

21 Planejamento Estratégico do TRT-GO: exemplo de como apresentar o Capítulo 3 do nosso PDI

22 Planejamento Estratégico do TRT-GO: exemplo de como apresentar o Capítulo 3 do nosso PDI

23 Planejamento Estratégico do TRT-GO: exemplo de como apresentar o Capítulo 3 do nosso PDI

24 Metodologia de Planejamento Estatégico Como identificar Objetivos Estratégicos: Matriz SWOT Fatores ambientais Internos FORÇAS ou POTENCIALIDADES FRAQUEZAS AMEAÇAS OPORTUNIDADES Fatores ambientais Externos OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

25 Metodologia de Planejamento Estatégico Como identificar Objetivos Estratégicos: Perspectivas Identificação de de objetivos deve levar em conta diferentes perspectivas ou dimensões OBJETIVO ESTRATÉGICO INDICADORES METAS INICIATIVAS

26 Metodologia de Planejamento Estatégico Como identificar Objetivos Estratégicos: Perspectivas Estratégicas

27 Metodologia de Planejamento Estatégico Como identificar Objetivos Estratégicos: Perspectivas e Temas Estratégicos TEMAS ESTRATÉGICOS PERSPECTIVAS

28 Importante estratégia de divulgação dos Objetivos da Instituição

29 Tradução da Visão em Objetivos Estratégicos

30 Tradução da Estratégia em Objetivos articulados entre si

31 Perspectivas "Clássicas" de Kaplan e Norton

32 Perspectivas de Kaplan e Norton

33 Perspectivas para Organizações Públicas Martins 2005 MARTINS, Ana Elisa Santana (2005) Proposta de Modelo de Gerenciamento e Medição de Desempenho numa Instituição de Pesquisa Tecnológica do Setor Público, com Foco no Cidadão. Tese de Mestrado. COPPE/UFRJ, M Sc.,Engenharia de Produção, Peixinho 2003 PEIXINHO, Frederico Cláudio (2003) Proposta de aplicação do modelo de gestão estratégica baseado no Balanced Scorecard para uma empresa pública. Monografia de Curso Lato Sensu em Gerência de Sistemas de Informação. UFRJ / Escola Polítécnica, Muller 2001 MULLER, João Rosa. Desenvolvimento de modelo de gestão aplicado à universidade, tendo por base o balanced scorecard. Dissertação de Mestrado. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis SC, 2001.

34 Dimensões Estratégicas: ACAFE MISSÃO, VISÃO e VALORES Dimensão ACADÊMICA Projeto Pedagógico, Gestão Acadêmica, Plano Didático-Pedagógico Corpo Docente, Formação Acadêmica, Desempenho e Perfil Profissional Infraestrutura, Instalações Acadêmicas, Serviços Dimensão dos PROCESSOS GERADORES DE VALOR Processos de Inovação, Seleção de Projetos, Gestão dos Clientes, Apoio Acadêmico e Validação Dimensão do CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO PROFISSSIONAL Capital Humano, Capital da Informação, Capital Organizacional Dimensão da GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA

35 Perspectivas Estratégicas: IF Sergipe VISÃO Perspectiva dos RESULTADOS Perspectiva dos PROCESSOS INTERNOS Perspectiva das PESSOAS, CONHECIMENTO e INOVAÇÃO Perspectiva FINANCEIRA

36 Mapa Estratégico: IF Sergipe

37 Perspectivas Estratégicas: IFCE MISSÃO, VISÃO e VALORES (perspectiva da Sociedade) Perspectiva dos ALUNOS Melhoria contínua do atendimento Estruturação das entidades estudantis Promoção da acessibilidade Relacionamento com a comunidade Perspectiva dos PROCESSOS INTERNOS Parcerias; Comunicação; Gestão de processos Produção científica; Excelência operacional Perspectiva da APRENDIDAGEM E CRESCIMENTO Desenvolvimento dos recursos humanos Admissão de pessoal Tecnologia da informação Perspectiva da RESPONSABILIDADE ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

38 Mapa Estratégico: IFCE

39 Mapa Estretégico: IFCE continuação

40 Mapa Estratégico: UFSM

41 Mapa Estratégico: Fundação Escola Técnica Liberato (Novo Hamburgo-RS)

42 Mapa Estratégico: Conselho Comunitário de Charlotte (EUA)

43 Mapa Estratégico: IST Instituto Superior Técnico, Lisboa

44 Mapa Estratégico: TCE-RN

45 Mapa Estretégico: DuPont Perspectiva Financeira Perspectiva dos Clientes Perspectiva dos Processos TEMAS ESTRATÉGICOS Perspectiva da Aprendizagem e Crescimento Excelência Suprimentos Portfólio Operacional e Serviços de Produtos Gestão dos Clientes Novos Negócios

46 Mapa Estratégico: alinhamento com as 10 dimensões de avalição do SINAES CONTO, S. M. ; BRITTO, J. C. ; CYRNE, C. C. S.. Alinhamento das Dez Dimensões de Avaliação do SINAES e o planejamento estratégico: construção de uma proposta para um centro universitário In: anais do XI Colóquio Internacional sobre Gestão Universitária na América do Sul e do II Congresso Internacional IGLU. 2011

47 3) TRABALHO Definir Perspectivas Estratégicas Definir Temas Estratégicos Montar Grupos Estratégicos

48 Elaboração do Mapa Estratégico do IFSC: ponto de partida Missão Promover a inclusão e formar cidadãos por meio da educação profissional, científica e tecnológica, gerando, difundindo e aplicando conhecimento e inovação, visando ao desenvolvimento socioeconômico e cultural. Visão Constituir-se em instituição de excelência na educação profissional, científica e tecnológica, fundamentada na indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão e na gestão participativa.

49 Análise Inicial Perspectivas Classicas Primeira Análise Eixos Plano de Gestão Alunos e Sociedade Clientes VISAO MISSAO promover inclusão e formar cidadaos pela EPCT para o Excelência em EPCT desenvolvimento sócioeconômico e cultural Acadêmica Ensino, Pesquisa e Extensao Indissociabilidade EPE Aprendizagem e Crescimento Aprendizagem e Crescimento Servidores Gestao Participativa Processos Internos Processos Internos Gestão Democratica, Etica e Transparente Gestao Participativa Financeira Resp. Orçamentária e Financeira Gestão Democratica, Etica e Transparente Gestao Participativa gerando, difundindo e aplicando conhecimento e inovação

50 Perspectiva dos Alunos e da Sociedade Preocupa-se em medir o quanto as escolhas estratégicas executadas pela instituição estão contribuindo para satisfazer e beneficiar alunos e sociedade. Os objetivos estratégicos que constituem essa perspectiva devem ser capazes de responder às seguinte perguntas: Para cumprirmos nossa missão e realizar nossa visão, como devemos ser percebidos pelos nossos alunos e pela sociedade? "Para cumprirmos nossa missão, quais benefícios devem ser gerados para os alunos e sociedade?"

51 Perspectiva da Responsabilidade Orçamentária e Financeira Aborda os objetivos estratégicos voltados a criação do maior benefício possível para alunos e sociedade com os recursos financeiros disponíveis. Os objetivos estratégicos que constituem essa perspectiva devem ser capazes de responder à seguinte pergunta: "Como gerir os recursos públicos investidos na instituição para garantir eficiência e eficácia na realização da nossa missão?"

52 Perspectiva dos Processos Nessa perspectiva são identificados os processos críticos que impactam diretamente na realização dos objetivos das perspectivas dos Alunos e da Sociedade e da Responsabilidade Orçamentária e Financeira. Aqui são estabelecidos objetivos voltados para a melhoria dos processos já existentes e implantação de processos inovadores, nos quais a instituição deve atingir a excelência para alcançar seus objetivos. Os objetivos estratégicos que constituem essa perspectiva devem ser capazes de responder às seguintes perguntas: "No que devemos melhorar ou inovar para tornar realidade a nossa visão?" Para cumprir a nossa missão, em quais processos devemos ser excelentes?

53 Perspectiva do Aprendizado e Conhecimento São as bases que a instituição deve desenvolver para gerar crescimento e melhoria a longo prazo, categorizadas em: capacidade dos servidores capacidade dos sistemas de informação clima organizacional (motivação-empoderamento-alinhamento) procedimentos organizacionais Os objetivos estratégicos que constituem essa perspectiva devem ser capazes de responder a seguinte pergunta: Como proveremos a nossa capacidade de fazer, aprender, melhorar e inovar?"

54 Macroprojetos x Perspectivas M01 Consolidação da expansão e Reestruturação dos campi pré-expansão M02 IFSC Sustentável M03 Saúde e Qualidade de Vida dos Servidores M04 Plano de Desenvolvimento Institucional M05 Gestão Estratégica M06 Gestão dos Processos Acadêmicos M07 Gestão dos Processos Administrativos M08 Criação e Implantação de Políticas Institucionais para TI M09 Criação e Implantação da Política de Segurança da Informação M10 Diretrizes Educacionais do IFSC M11 Política de Educação a Distância M12 Acesso Inclusivo ao IFSC M13 Permanência e Êxito M14 Inserção sócio profissional dos alunos egressos M15 Política de Comunicação Institucional M16 Cultura e Desporto M17 Inovação, Transferência de Conhecimento e Tecnologia M18 Internacionalização do IFSC

55 Macroprojetos x Perspectivas

56 O PE do PDI não seria a adaptação e revisão do macroprojetos ? Não basta, porque: Os macroprojetos têm objetivos gerais, mas foram concebidos como projetos, o que na metodologia de planejamento estratégico pode ser uma iniciativa Não se conseguiu elaborar um conjunto eficiente de indicadores de desempenho a partir dos macroprojetos --> número de objetivos específicos muito grande e redação pouco madura dos objetivos gerais Há uma heterogeneidade muito grande na amplitude dos macroprojetos Falta relacionamento de causa e efeito entre macroprojetos Os macroprojetos nao apresentam metas O planejamento não foi orientado à missão e visão Temos novas declarações de missao e visao

57 Resultado da Reunião: Perpectivas Escolhidas para o Planejamento Estratégico MISSÃO e VISÃO ALUNOS E SOCIEDADE RESPONSABILIDADE ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA PROCESSOS PESSOAS E CONHECIMENTO

Planejamento Estratégico 2014-2018 Apresentação das Etapas Seminário de Planejamento

Planejamento Estratégico 2014-2018 Apresentação das Etapas Seminário de Planejamento Planejamento Estratégico 2014-2018 Apresentação das Etapas Seminário de Planejamento Florianópolis, outubro de 2013 COMISSÃO CENTRAL DO PDI Pró-Reitor de Desenvolvimento Institucional e Presidente da Comissão

Leia mais

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Osvaldo Casares Pinto Pró-Reitor Des. Institucional José Eli S. Santos Diretor Dep. Planej. Estratégico junho de 2015 Plano de Desenvolvimento Institucional

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

Painel Relato da experiência na elaboração, aferição e avaliação de indicadores de desempenho.

Painel Relato da experiência na elaboração, aferição e avaliação de indicadores de desempenho. Fórum Nacional de Pró-Reitores de Planejamento e de Administração das Instituições Federais de Ensino Superior (Forplad) 3º Fórum de 2013 Painel Relato da experiência na elaboração, aferição e avaliação

Leia mais

Seminários Regionais de Planejamento

Seminários Regionais de Planejamento Seminários Regionais de Planejamento Criciúma Reitoria Lages Chapecó Jaraguá do Sul Abril de 2014 Reitora dando boas vindas e apresentando o IFSC aos novos servidores - cerimônia de posse, 2013 2 Objetivos

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI UFPA 2011-2015

Plano de Desenvolvimento Institucional PDI UFPA 2011-2015 Plano de Desenvolvimento Institucional PDI UFPA 2011-2015 Belém Pará - Brasil Dezembro/ 2012 UFPA em Números 01 Cidade Universitária 11 campi 48.554 alunos 16.545 no interior 2.154 professores efetivos

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL EIXO: ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E INOVAÇÃO Objetivos Específicos

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos:

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: Referência atual: Decreto 5.773, 9 de maio de 2006. Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: I-missão, objetivos e metas da instituição, em sua

Leia mais

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração Anexo T Projetos Estratégicos Institucionais 1 Projetos Estratégicos da UnB 1 O processo de modernização da gestão universitária contempla projetos estratégicos relacionados à reestruturação organizacional

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA - CÂMPUS JOINVILLE PLANO DE AÇÃO DIREÇÃO GERAL Gestão 2016-2019

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA - CÂMPUS JOINVILLE PLANO DE AÇÃO DIREÇÃO GERAL Gestão 2016-2019 INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA - CÂMPUS JOINVILLE PLANO DE AÇÃO DIREÇÃO GERAL Gestão 2016-2019 EQUIPE GESTORA PROF. ELISABETE MAIA FURTADO Direção Geral Graduada em Enfermagem e Obstetrícia pela UNIVALI

Leia mais

Gestão Estratégica Planejamento Estratégico e Avaliação Institucional

Gestão Estratégica Planejamento Estratégico e Avaliação Institucional Gestão Estratégica Planejamento Estratégico e Avaliação Institucional Abril/2012 1. Conceituação O desempenho institucional refere-se tanto ao valor agregado às partes interessadas pela instituição (e.g

Leia mais

Planilha1 1. CONSOLIDAR OS CURSOS OFERTADOS

Planilha1 1. CONSOLIDAR OS CURSOS OFERTADOS Planilha1 Indicadores: 1. CONSOLIDAR OS CURSOS OFERTADOS Índice de Eficiência Acadêmica Meta: 55% Índice de Retenção do Fluxo Escolar Meta: 18% Relação Concluintes x vaga ofertada Meta: 5% Realização de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO GESTÃO 2016 2020 APRESENTAÇÃO

PLANO DE AÇÃO GESTÃO 2016 2020 APRESENTAÇÃO Eu queria uma escola que lhes ensinasse a pensar, a raciocinar, a procurar soluções (...) Eu também queria uma escola que ensinasse a conviver, cooperar, a respeitar, a esperar, saber viver em comunidade,

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Escola Superior de Propaganda

Leia mais

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 GESPÚBLICA Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 Resultados Decisões Estratégicas Informações / Análises O PROCESSO DE GESTÃO ESTRATÉGICA Ideologia Organizacional Missão, Visão,Valores Análise do Ambiente

Leia mais

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - Sinaes Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior - Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

1.2 - Como você avalia a divulgação dos resultados da autoavaliação institucional para a comunidade universitária da sua unidade/subunidade?

1.2 - Como você avalia a divulgação dos resultados da autoavaliação institucional para a comunidade universitária da sua unidade/subunidade? Informações do Questionário Programa Autoavaliação Institucional - UFSM - 2014 Questionário Questões Gerais Descrição do Programa A aplicação do instrumento de autoavaliação é fundamental para toda instituição

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 13 I ENSINO DE GRADUAÇÃO Objetivo 1 - Buscar continuamente a excelência nos cursos de graduação 1. Avaliar continuamente o processo educativo, em consonância

Leia mais

Relatório da Consulta Pública do Planejamento Estratégico

Relatório da Consulta Pública do Planejamento Estratégico Relatório da Consulta Pública do Planejamento Estratégico Florianópolis, maio de 2014 Relatório da Consulta Pública do Planejamento Estratégico A consulta pública do planejamento estratégico foi lançada

Leia mais

Apresentação: Raquel Trindade Borges. (Pró-Reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da UFPA)

Apresentação: Raquel Trindade Borges. (Pró-Reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da UFPA) Plano de Desenvolvimento Institucional da Universidade Federal do Pará (PDI UFPA 2011-2015) Experiência na elaboração do documento e a importância desse processo para a UFPA Apresentação: Raquel Trindade

Leia mais

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018)

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO

Leia mais

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus 2013-2016 0 1 Sumário Apresentação... 2 Análise Situacional... 2 Programas Estruturantes...

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA COLÉGIO SESI ENSINO MÉDIO

GESTÃO ESTRATÉGICA COLÉGIO SESI ENSINO MÉDIO GESTÃO ESTRATÉGICA COLÉGIO SESI ENSINO MÉDIO Resumo Denis Pereira Martins 1 - SESI-PR Grupo de Trabalho Políticas Públicas, Avaliação e Gestão da Educação Básica Agência Financiadora: SESI PR O Sesi Paraná

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2015 2019. Capítulo 5 Organização Didático Pedagógica

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2015 2019. Capítulo 5 Organização Didático Pedagógica PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2015 2019 Capítulo 5 Organização Didático Pedagógica Florianópolis Dezembro 2014 CAPÍTULO 5...5.1 ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA...5.1 5.1 INOVAÇÕES NOS PROCESSOS

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - PARFOR EM UMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA

A IMPLANTAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - PARFOR EM UMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA 1 A IMPLANTAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - PARFOR EM UMA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA Ms. Rafael Ângelo Bunhi Pinto UNISO - Universidade de Sorocaba/São Paulo Programa de Pós-Graduação

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 (Síntese da Matriz estratégica) Texto aprovado na 19ª Reunião Extraordinária do CONSUNI, em 04 de novembro de 2013. MISSÃO Ser uma Universidade que valoriza

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação 1. Apresentação Em novembro a comunidade do IFSC Câmpus Canoinhas elegerá seus novos dirigentes: Diretor Geral, Chefe de Departamento de Ensino, Pesquisa e

Leia mais

Noções Básicas Versão II Maio / 2011

Noções Básicas Versão II Maio / 2011 Noções Básicas Versão II Maio / 2011 ÍNDICE PARAÍBA 13ª REGIÃO Tribunal Regional do Trabalho 13ª Região Paraíba Paulo Maia Filho Desembargador Presidente Carlos Coelho de Miranda Freire Desembargador Vice-Presidente

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 GESPÚBLICA Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 Resultados Decisões Estratégicas Informações / Análises O PROCESSO DE GESTÃO ESTRATÉGICA Ideologia Organizacional Missão, Visão,Valores Análise do Ambiente

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD

AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO: Presidente: Prof. Ademilde Silveira Sartori Representantes Docentes: Prof. Rose Cler Estivalete Beche Prof. Solange

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Capítulo 09 Organização Administrativa. Capítulo 09 Organização Administrativa

Capítulo 09 Organização Administrativa. Capítulo 09 Organização Administrativa Capítulo 09 Organização Administrativa 259 Capítulo 09 Organização Administrativa Plano de Desenvolvimento Institucional do IFSC 2015-2019 260 SUMÁRIO CAPÍTULO 9 9.1 Estrutura Organizacional e Instâncias

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE

CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS DE ENSINO FAE PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2013-2015 UNIFAE CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES ASSOCIADAS - FAE Prof. Dr. Francisco de Assis

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

RELATÓRIO DIAGNÓSTICO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2009 2013 ANÁLISE DAS METAS E AÇÕES PROPOSTAS PARA A EXTENSÃO

RELATÓRIO DIAGNÓSTICO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2009 2013 ANÁLISE DAS METAS E AÇÕES PROPOSTAS PARA A EXTENSÃO RELATÓRIO DIAGNÓSTICO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2009 2013 ANÁLISE DAS METAS E AÇÕES PROPOSTAS PARA A EXTENSÃO FLORIANÓPOLIS, 2013 ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO IFSC REITORA Maria Clara Kaschny

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978 GT HUE s e SEMINÁRIO Realizado no período de 12 a 14 de abril de 2010 PROPOSTA PRELIMINAR DE HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS E DE ENSINO E CENTROS HOSPITALARES DE SAÚDE ESCOLA (HUE S) CAPÍTULO I Artigo 1º. Este

Leia mais

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Março de 2015 SISTEMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A avaliação é entendida pela Faculdade Única de Ipatinga como um processo

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI

CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI PROCESSO Nº 011/2012 ASSUNTO: Proposta de adequação das diretrizes para a parceria FURB-UFSC. INTERESSADO: Administração Superior. PROCEDÊNCIA: Reitoria. I - HISTÓRICO: Em

Leia mais

PLANEJAMENTO PDI PLANO DE AÇÃO. Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRODI

PLANEJAMENTO PDI PLANO DE AÇÃO. Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRODI PLANEJAMENTO PDI PLANO DE AÇÃO Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRODI 1 agenda Planejamento Planejamento de Longo Prazo - PDI Objetivos Metas Indicadores Planejamento de Curto Prazo - PA

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta

Aprovação do curso e Autorização da oferta MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Documento de Referência

Documento de Referência P r ó - R e i t o r i a d e D e s e n v o l v i m e n t o I n s t i t u c i o n a l - I F A M 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

3.1. Sensibilização CPA para novos coordenadores de ensino contratados

3.1. Sensibilização CPA para novos coordenadores de ensino contratados PLANO DE TRABALHO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA GESTÃO 2012 1 SUMÁRIO 1. MEMBROS COMPONENTES DA CPA GESTÃO 2012... 03 2. INTRODUÇÃO... 03 3. PLANO DE TRABALHO GESTÃO 2012... 03 3.1. Sensibilização

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015/PRODIN de 01 de Julho de 2015.

PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015/PRODIN de 01 de Julho de 2015. PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015/PRODIN de 01 de Julho de 2015. Assunto: Dispõe sobre a elaboração do Planejamento Estratégico e do Plano de Desenvolvimento

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 CICLO AVALIATIVO 2010-2012

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 CICLO AVALIATIVO 2010-2012 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CURSO DE FORMAÇÃO DE GESTORES AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 CICLO AVALIATIVO 2010-2012 RELATÓRIO PARCIAL Pró-Reitoria de Desenvolvimento

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Ensino Superior de Ibaiti UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação, Administração

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Gestão 2013-2017 Plano de Trabalho Colaboração, Renovação e Integração Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Goiânia, maio de 2013 Introdução Este documento tem por finalidade apresentar o Plano de Trabalho

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

plano de metas gestão 2013-2017

plano de metas gestão 2013-2017 plano de metas gestão 2013-2017 Reitora Miriam da Costa Oliveira Vice-Reitor Luís Henrique Telles da Rosa Pró-Reitora de Graduação Maria Terezinha Antunes Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação Rodrigo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

Plano de Trabalho 2013/2015

Plano de Trabalho 2013/2015 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FUNDAP SEADE CEPAM CONVÊNIO SPDR USP FUNDAP SEADE CEPAM ANEXO I Plano de Trabalho 2013/2015 OUTUBRO DE 2013 I. JUSTIFICATIVAS

Leia mais

PRONATEC SERVIÇOS PÚBLICOS. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRONATEC SERVIDORES EM AUXILIAR ADMINISTRATIVO Parte 1 (solicitante)

PRONATEC SERVIÇOS PÚBLICOS. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRONATEC SERVIDORES EM AUXILIAR ADMINISTRATIVO Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFENCIA EM FORMAÇÃO E APOIO

Leia mais

Plano Estratégico do Programa de Mestrado em Direito da UniBrasil PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015

Plano Estratégico do Programa de Mestrado em Direito da UniBrasil PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015 PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015 MAPA ESTRATÉGICO DO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO DA UNIBRASIL MISSÃO Promover, desenvolver e publicar pesquisas de qualidade, com sólida base jurídica e contextualização

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2016-2019

PLANO DE GESTÃO 2016-2019 PLANO DE GESTÃO 2016-2019 CAIO Diretor APRESENTAÇÃO A seguir apresentamos as diretrizes construídas coletivamente para os próximos quatro anos de gestão do câmpus Florianópolis- Continente. Para cada proposição,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº 26/2012-CUn

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº 26/2012-CUn ANEXO I DA RESOLUÇÃO Nº 26/2012-CUn PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO PARA OS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESTA UNIVERSIDADE 1. APRESENTAÇÃO O Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP),

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

Programação e Ações: Proposta para o período 2016-2020

Programação e Ações: Proposta para o período 2016-2020 Profa. Dra. Sissi Kawai Marcos Programação e Ações: Proposta para o período 2016-2020 Introdução Esta proposta de programação e ações para a Reitoria, mandato 2016-2020, procura respeitar o contexto atual

Leia mais

Plano de Gestão 2016/2019 - Câmpus Joinville

Plano de Gestão 2016/2019 - Câmpus Joinville MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS JOINVILLE Eleições 2015 Plano de Gestão 2016/2019 - Câmpus

Leia mais

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (PAAI):

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (PAAI): UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (PAAI): uma reflexão sobre o 1 o Ciclo 2004 a 2009 Prof a. Silvia Modesto Nassar silvia@inf.ufsc.br Laboratório de Tecnologias

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA SÚMULA DA 1ª REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO COLÉGIO DE DIRIGENTES

Leia mais

PLANO DE GESTÃO (2014-2018)

PLANO DE GESTÃO (2014-2018) PLANO DE GESTÃO (2014-2018) Reitor: Prof. Dr. Fernando Guaragna Martins Vice-Reitor: Prof. Dr. Leonardo Beroldt Porto Alegre, junho de 2014. PLANO DE GESTÃO (2014-2018) AVANÇAR PARA CONSOLIDAR! A Uergs

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

RDPG - Programa de Desenvolvimento da Liderança com foco nas Estratégias

RDPG - Programa de Desenvolvimento da Liderança com foco nas Estratégias RDPG - Programa de Desenvolvimento da Liderança com foco nas Estratégias A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade de melhoria de gestão (problema, desafio, dificuldade), solucionada pela prática

Leia mais

C A P E S COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR

C A P E S COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO DE QUADROS DOCENTES PLANFOR Dezembro de 2008 ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS LAGES Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 62-CEPE/UNICENTRO, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o Curso de Especialização em Gestão Escolar, modalidade regular, da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 Anexo à Resolução CGM 1.143 DE 08/07/2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 INTRODUÇÃO Este trabalho é o produto de discussões finalizados em fevereiro de 2014, junto à Comissão

Leia mais

Instrumento: Docentes

Instrumento: Docentes COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS PRESIDENTE EPITÁCIO CURSO: TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Resultado da Autoavaliação Institucional Instrumento: Docentes Presidente Epitácio -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CAMPUS NOVA IGUAÇU INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E TURISMO

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CAMPUS NOVA IGUAÇU INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E TURISMO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CAMPUS NOVA IGUAÇU INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E TURISMO PLANO DE GESTÃO 2013-2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PRINCÍPIOS...

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE FLORIANOPOLIS CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 39 de 13 de janeiro de 2012, publicada no DOU em 16 de janeiro de 2012. Diretor da Faculdade: Ivanir Salete Bazzei

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018

Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018 Belo Horizonte, 07 de agosto de 2013. Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018 Documento elaborado pela designada pela Portaria 398/2013 Descrição 1. Realização de

Leia mais

Estrutura para elaboração do PDI

Estrutura para elaboração do PDI Estrutura para elaboração do PDI NOTA 1 - Orientações para elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional PDI O Plano de Desenvolvimento Institucional PDI consiste num documento em que se definem

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Comissão de Avaliação do CCSH

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Comissão de Avaliação do CCSH RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DO CCSH ANO 2010 I- Dados de Identificação 1. Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS - CCSH 2. Cursos Abrangidos na Unidade CURSO NºTOTAL DE ALUNOS % Nº

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares,

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares, PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 630/2011 Define a Política de Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicações

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais