Computer Aided Manufacturing. Adaptado de: Donghoon Yang

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Computer Aided Manufacturing. Adaptado de: Donghoon Yang"

Transcrição

1 Computer Aided Manufacturing Frederico Damasceno Bortoloti Adaptado de: Donghoon Yang

2 CAD : Computer Aided Design A tecnologia que se preocupa com o uso de sistemas de computação para assistir a criação, modificação, análise, e otimização de um projeto Groover, M.P. and Zimmers, E.W. CAD/CAM Computer Aided Design and Manufacturing, Prentice Hall, Englewood Cliffs, NJ, 1984

3 CAM : Computer Aided Manufacturing A tecnologia que se preocupa com o uso de sistemas de computação para planejar, gerenciar, e controlar operações de manufatura. Groover, M.P. and Zimmers, E.W. CAD/CAM Computer Aided Design and Manufacturing, Prentice Hall, Englewood Cliffs, NJ, 1984

4 CAM : Computer Aided Manufacturing Uso de sistemas de computação para planejar, gerenciar, e controlar operações de manufatura através de interface computacional ldireta ou indireta com os recursos de produto da planta Áreas Controle Numérico (Numerical Controls) Programação de robôs Planejamento de processo MRP (Material t i lrequirements Planning) ) Lee, K. Principles of CAD/CAM/CAE Systems, Addison Wesley, 1999

5 CAE : Computer Aided Engineering A tecnologia que se preocupa com o uso de sistemas de computação para analisar geometria de CAD, permitindo o projetista a simular e estudar como o produto se comportará. Groover, M.P. and Zimmers, E.W. CAD/CAM Computer Aided Design and Manufacturing, Prentice Hall, Englewood Cliffs, NJ, 1984

6 Controle Numérico (Numerical Control) Usando informações numéricas éi codificadas d (instruções programadas) para controlar uma ferramenta de máquina para produzir uma parte acabada Trivia Final de 1940s : John Parsons primeiro formou a idéia 1952 : 3 Axis Cincinnati Hydrotel, MIT 1725 : knitting machines in England used punched cards to form various pattern 1863 : the first player piano

7 Configuração de NC Entrada de Dd Dados (Data t Input) Um programa de instruções Fita perfurada / Cartão perfurado / Fita magnética / Amazenamento de computador remoto / Discos flexíveis / Sistema de memória da unidade de controle Unidade d de Controle (Control t lunit) Lês nas entradas (inputs) Converte para comandos para uma máquina Ferramenta de Máquina (Machine Tool) Respondeaos comandos de uma unidade d de controle Perfurar, cortar, gravar,

8 Unidade de Controle de Máquina (Machine Control Unit MCU) Unidade de Processamento de Dados (Data Processing Unit DCU) Lê o programa da parte, decodifica, processa e passa informação para CLU Unidade de Loop de Controle (Control Loop Unit CLU) Converte informação em sinal de controle Informação: posição, direção do movimento, alimentação, sinais de controle auxiliares

9 Tipos de Sistemas de NC Ponto a ponto (Point to point) Perfurar, furar, gravar, e inserção de componente em placa de circuito Contorno (Contouring) Fresadoras, tornos, cortadores de quadro, soldadores, d e moedores

10 NC/CNC/DNC NC 1 ª geração : Tubo de vácuo 2 ª geração : Transistor + fita perfurada Sem armazenamento para programa dentro da MCU Processa um comando por vez CNC Computer numerical control 3 ª geração : IC + Memória DNC Direct numerical control Usa um computador central para controlar várias máquinas simultaneamente Distributed numerical control Usa um computador central para fazer o download de programas completos para máquinas CNC

11 NC

12 Máquina de NC

13 Máquina CNC Máquina CNC

14 Máquina CNC

15 Máquina CNC

16 Máquina CNC Máquina CNC

17 Máquina CNC

18 Comparação NC CNC Hard wired Lógica de controle fixa (códigos, funções, comandos, etc) Lógica de controle interna não alterável exceto através de mudança de placa de circuitos Sem memória Deve ser programada externamente com fita perfurada; nenhum programa criado em máquina Programas armazenados em fitas ou cartões perfurados Baseado em lógica de Software Lógica de controle baseada em microprocessador residente Programa executável alterável; faz o controle pensar como um centro de usinagem ou centro de torneamento Capacidade de memória com habilidade computacional e compensacional Programa entrado via linha direta a partir de um computador externo, disco flexível, cassette, fita perfurada, ou entrada manual Programa armazenado em computador externo e baixado sob demanda via linha direta; também armazenado em memória ou em disco flexível ou cassette Fita deve ser reciclada para cada parte Capacidade de memória guarda programa; ;programa executado da memória Luggen, W.W. CNC First Look Primer, Delmar Publishers, 1997

19 Programação de parte Sistema de coordenadas d da mão direitai Direção positiva de eixos são definidos pelo fabricante eixo z eixo x eixo y eixos u,v,w : eixos de movimentos secundários eixos a,b,c : eixos rotacionais

20 Eixos

21 Eixos

22 Eixos

23 Eixos

24 Eixos

25 Eixos

26 Programação de parte Número seqüencial (código N) Comando preparatório (código G) Palavras de dimensão (palavras X, Y, Z, A e B) Comandos de alimentação (código F) Comandos de velocidade (código S) Comandos de seleção de ferramentas (código T) Comandos diversos (código M)

27 Programação de parte

28 Programação de parte

29 Programação de parte

30 Programação de parte Posicionamento relativo N001G91 EOB Unidade métrica N002 G71 EOB N003 G00 X0.0 0 Y0.0 0 Z T01 M06 EOB N004 G01 X65.0 Y0.0 Z 40.0 F950 S717 M03 EOB N005 G01 X F350 M08 EOB N006 G01 X110.0 EOB N007 G01 Y70.0 EOB N008 G01 X EOB N009 G02 X 28.8 Y0.0 I14.14 J5.0 EOB N010 G01 X EOB Interpolação circular N011 G01 Y 70.0 EOB Interpolação linear N011 G01 X 75.0 Y0.0 Z40.0 F950 M30 Posicionamento ponto a ponto Refrigerante nº 1. ligado Muda ferramenta Velocidade do eixo Fim de bloco Fim de fita

31 Programação de parte assistida por computador Linguagem de programação de alto nível Baseada em palavras comuns em inglês e fácil para usar notação matemática Ferramentas Programadas Automaticamente (APT Automatically Programmed Tools) Arquivo de dados CL Posição da Fresa (Cutter Location)

32 Processo de programação de parte do banco de dados em CAD Identificação e isolamento de geometria para propósito p de usinagem Definição da geometria da ferramenta Identificação de usuário ái da sequência desejada Cálculo de coordenadas Verificação gráfica Geração de arquivo de dados CL

33 Programação de parte do banco de dados em CAD

34 Programação de parte do banco de dados em CAD

35 Geração de caminho de ferramenta Caminho de ferramenta para corte grosseiro

36 Geração de caminho de ferramenta

37 Coisas a considerar

38 Coisas a considerar

39 Coisas a considerar

40

41

42

43

44

45 Referências Groover, M.P. and Zimmers, E.W. CAD/CAM Computer Aided Design and Manufacturing, Prentice Hall, Englewood Cliffs, NJ, 1984 Lee, K. Principles of CAD/CAM/CAE Systems, Addison Wesley, 1999 Luggen, W.W. CNC First Look Primer, Delmar Publishers, 1997 Krar, S. Gill, A. Smid, P. Computer Numerical Control Simplified, Industrial Press Inc. 2001

Características da Usinagem CNC

Características da Usinagem CNC Características da Usinagem CNC CN: comando numérico É o código propriamente dito! CNC: comando numérico computadorizado É o sistema de interpretação e controle de equipamentos que se utilizam de CN para

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

UNED-CUBATÃO 2008. Conhecimentos básicosb Automação Industrial

UNED-CUBATÃO 2008. Conhecimentos básicosb Automação Industrial CEFET-SP UNED-CUBATÃO 2008 Conhecimentos básicosb de Automação Industrial J. Caruso - 2008 Definições Automação é um sistema de equipamentos eletrônicos e/ou mecânicos que controlam seu próprio funcionamento,

Leia mais

FABRICAÇÃO DE IMPLANTES BUCOMAXILOFACIAIS EM TITÂNIO

FABRICAÇÃO DE IMPLANTES BUCOMAXILOFACIAIS EM TITÂNIO ARTIGO - MÁRCIO SCHMIDT FABRICAÇÃO DE IMPLANTES BUCOMAXILOFACIAIS EM TITÂNIO Márcio A Schmidt Henrique Kohmann Augusto Kunrath RESUMO Com a constante evolução da engenharia e das ciências da saúde, estas

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores

Introdução à Arquitetura de Computadores 1 Introdução à Arquitetura de Computadores Hardware e software Organização de um computador: Processador: registradores, ALU, unidade de controle Memórias Dispositivos de E/S Barramentos Linguagens de

Leia mais

XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção Porto Alegre, RS, Brasil, 29 out a 01 de nov de 2005

XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção Porto Alegre, RS, Brasil, 29 out a 01 de nov de 2005 Laboratório de tecnologia de manufatura - uma experiência aplicada ao ensino da engenharia de produção Wilson de Castro Hilsdorf (FEI) wicastro@fei.edu.br Alexandre Augusto Massote (FEI) massote@fei.edu.br

Leia mais

Integração CAD/CAM. Adaptado de: Sung Hoon Ahn

Integração CAD/CAM. Adaptado de: Sung Hoon Ahn Integração CAD/CAM Frederico Damasceno Bortoloti Adaptado de: Sung Hoon Ahn Do Projeto a Manufatura Agora nós estamos no domínio da Manufatura Domínio do projeto: Como criar a geometria Domínio da manufatura:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA Aplicação de um Sistema Robótico Utilizando Recursos de Sistemas CAD/CAM para o Processo

Leia mais

VirtualLine. VirtualPro Programmierunterstützung. Suporte de programação mit com VPro Guide

VirtualLine. VirtualPro Programmierunterstützung. Suporte de programação mit com VPro Guide VirtualLine VirtualPro Programmierunterstützung Suporte de programação mit com VPro Guide VirtualLine VirtualPro, o suporte de programação da INDEX O suporte de programação para um trabalho prático O VirtualPro

Leia mais

SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO

SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO SISTEMA DE VISUALIZAÇÃO DE DADOS GEOMÉTRICOS DE PROGRAMAS CN PARA OPERAÇÕES DE FRESAMENTO Alexandre Dias da Silva Universidade Federal de Santa Maria Universidade Federal de Santa Maria, Avenida Roraima,

Leia mais

MANUTENÇÃO DE MICRO. Mário Gomes de Oliveira

MANUTENÇÃO DE MICRO. Mário Gomes de Oliveira MANUTENÇÃO DE MICRO Mário Gomes de Oliveira 1 IRQ Pedido de atenção e de serviço feito à CPU, para notificar a CPU sobre a necessidade de tempo de processamento. 2 IRQ (Interrupt Request line ou Linha

Leia mais

Automação de Processos Industriais*

Automação de Processos Industriais* Automação de Processos Industriais* Automação Rígida e Automação Flexível *Moraes, C.C.; Catrucci, P.L. Engenharia de Automação Industrial. Ed. LTC, Rio de Janeiro RJ, 2001. Black, J.T. O Projeto da Fábrica

Leia mais

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Estrutura de um Computador Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Hardware e Software HARDWARE: Objetos Físicos que compões o computador Circuitos Integrados, placas, cabos, memórias, dispositivos

Leia mais

ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING

ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING Análise do Produto Dr. Charles Clarke ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING Tendências e requisitos do setor...3 Uma nova abordagem de programação de inspeção de CMM...4 O aplicativo na prática...5

Leia mais

Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca

Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais. João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Bibliografia Controlo Numérico Computorizado, Conceitos Fundamentais Carlos Relvas Publindústria,

Leia mais

APLICATIVO CAD/CAM DEDICADO PARA UTILIZAÇÃO DE CICLOS DE USINAGEM DE TORNEAMENTO

APLICATIVO CAD/CAM DEDICADO PARA UTILIZAÇÃO DE CICLOS DE USINAGEM DE TORNEAMENTO 7º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 7 th BRAZILIAN CONGRESS ON MANUFACTURING ENGINEERING 20 a 24 de maio de 2013 Penedo, Itatiaia RJ - Brasil May 20 th to 24 th, 2013 Penedo, Itatiaia RJ

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAD/CAM. Profº Emerson Oliveira Matéria: CAD/CAM emerson.oliveira@ifsc.edu.br Câmpus Joinville

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAD/CAM. Profº Emerson Oliveira Matéria: CAD/CAM emerson.oliveira@ifsc.edu.br Câmpus Joinville INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAD/CAM Profº Emerson Oliveira Matéria: CAD/CAM emerson.oliveira@ifsc.edu.br Câmpus Joinville Etapas CAD/CAM Quando o sistema tem comunicação direta. CAD/CAM Quando

Leia mais

Entrada e Saída. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Entrada e Saída. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Entrada e Saída Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Dispositivos Externos; E/S Programada; E/S Dirigida por Interrupção; Acesso Direto à Memória; Bibliografia. Prof. Leonardo Barreto Campos

Leia mais

Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais. Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT

Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais. Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT O que é um Sistema Operacional? Um software que abstrai as complexidades do hardware de um usuário/programador

Leia mais

Introdução ao Controle Numérico

Introdução ao Controle Numérico Introdução ao Controle Numérico Prof. João Paulo P. Marcicano; e-mail: marcican@usp.br Introdução O controle numérico (CN) é um método de controle dos movimentos de máquinas pela interpretação direta de

Leia mais

CONTROLE NUMÉRICO E AUTOMATIZAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO: NOÇÕES BÁSICAS DE CNC

CONTROLE NUMÉRICO E AUTOMATIZAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO: NOÇÕES BÁSICAS DE CNC CONTROLE NUMÉRICO E AUTOMATIZAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO: NOÇÕES BÁSICAS DE CNC Operador de máquinas convencionais Materiais recebidos pelo operador da Máquina Convencional Exemplo de Máquina Convencional

Leia mais

Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores. Autor: José Augusto Manzano. Capítulo 1 Abordagem Contextual

Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores. Autor: José Augusto Manzano. Capítulo 1 Abordagem Contextual Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores Autor: José Augusto Manzano Capítulo 1 Abordagem Contextual 1.1. Definições Básicas Raciocínio lógico depende de vários fatores para

Leia mais

Figura 1 - O computador

Figura 1 - O computador Organização e arquitectura dum computador Índice Índice... 2 1. Introdução... 3 2. Representação da informação no computador... 4 3. Funcionamento básico dum computador... 5 4. Estrutura do processador...

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 3 Sistema de Informação Conceito, Componentes e Evolução Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Conceito: Um Sistema de Informação (SI) é um sistema cujo elemento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA GERAÇÃO DE PROGRAMAS CNC ATRAVÉS DA IMPLEMENTAÇÃO DE FUNÇÕES DIRECIONADAS ÀS CARACTERÍSTICAS

Leia mais

MÓDULO 1 TECNOLOGIAS APLICADAS E COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO TECNOLOGIA CNC LIÇÃO 1 HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DAS MÁQUINAS CNC.

MÓDULO 1 TECNOLOGIAS APLICADAS E COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO TECNOLOGIA CNC LIÇÃO 1 HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DAS MÁQUINAS CNC. MÓDULO 1 TECNOLOGIAS APLICADAS E COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO DESAFIO 2 TECNOLOGIA CNC LIÇÃO 1 HISTÓRICO E EVOLUÇÃO DAS MÁQUINAS CNC. LIÇÃO 2 VANTAGENS E DECISÕES NA IMPLANTAÇÃO AÇÃO DA A TECNOLOGIA

Leia mais

Novas Tecnoogias em Sistemas Integrados de Manufatura

Novas Tecnoogias em Sistemas Integrados de Manufatura Novas Tecnoogias em Sistemas Integrados de Manufatura Eduardo Romeiro Filho Designer Industrial (ESDI/UERJ), DSc. Engenharia de Produção (COPPE/UFRJ) Professor Adjunto do Departamento de Engenharia de

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 25

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 25 Informática Prof. Macêdo Firmino Introdução a Informática Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 25 O Que é um Computador? É uma máquina composta de um conjunto de partes eletrônicas e

Leia mais

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING)

16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) 16 Congresso de Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA PARA MONITORAMENTO DE DADOS EM HSM (HIGH SPEED MACHINING) Autor(es) OLIVEIRO LEUTWILER NETO Orientador(es) KLAUS SCHüTZER Apoio Financeiro

Leia mais

COMPARAÇÃO DE DESEMPENHO ENTRE PROGRAMAS CNC PARAMÉTRICOS E GERADOS POR SISTEMA CAM

COMPARAÇÃO DE DESEMPENHO ENTRE PROGRAMAS CNC PARAMÉTRICOS E GERADOS POR SISTEMA CAM UNIVERSIDADE DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO COMPARAÇÃO DE DESEMPENHO ENTRE PROGRAMAS CNC PARAMÉTRICOS E GERADOS POR SISTEMA CAM DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Leia mais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx na Manufatura Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx Conteúdo: Conceito de tecnologia CAx Evolução das tecnologias CAx Sistemas CAD/CAE/CAPP/CAM/CAI

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador

Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador 1 Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Curso: Sistemas de Informação Introdução 2 O Computador é uma ferramenta que

Leia mais

Cimatron Ferramentarias Usinagem

Cimatron Ferramentarias Usinagem Metalcam Há mais de 20 anos era fundada a empresa original do Grupo CMC de empresas de novas tecnologias. A vocação inovadora sempre esteve presente por meio de pesquisa e ambiente de desenvolvimento de

Leia mais

Microinformática Introdução ao hardware. Jeronimo Costa Penha SENAI - CFP/JIP

Microinformática Introdução ao hardware. Jeronimo Costa Penha SENAI - CFP/JIP Microinformática Introdução ao hardware Jeronimo Costa Penha SENAI - CFP/JIP Informática Informática é o termo usado para se descrever o conjunto das ciências da informação, estando incluídas neste grupo:

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Sistema computacional Sistemas feitos para resolver problemas Problema: como obter determinado resultado, com base em dados

Leia mais

O processador é composto por: Unidade de controlo - Interpreta as instruções armazenadas; - Dá comandos a todos os elementos do sistema.

O processador é composto por: Unidade de controlo - Interpreta as instruções armazenadas; - Dá comandos a todos os elementos do sistema. O processador é composto por: Unidade de controlo - Interpreta as instruções armazenadas; - Dá comandos a todos os elementos do sistema. Unidade aritmética e lógica - Executa operações aritméticas (cálculos);

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 Universidade Federal do Rio de Janeiro Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 SIMULAÇÃO DE USINAGEM EM TEMPO REAL Motivação Problema Considerações

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 6 OBJETIVOS OBJETIVOS ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall Qual é a capacidade de processamento e armazenagem

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Algoritmos. Cláudio Barbosa contato@claudiobarbosa.pro.br

Algoritmos. Cláudio Barbosa contato@claudiobarbosa.pro.br Algoritmos Partes básicas de um sistema computacional: Hardware, Software e Peopleware Hardware - Componentes físicos de um sistema de computação, incluindo o processador, memória, dispositivos de entrada,

Leia mais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Visão do Sistema Operacional programadores e analistas usuários programas,

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

Perfeitamente integrados para um processo contínuo. cad integration

Perfeitamente integrados para um processo contínuo. cad integration Perfeitamente integrados para um processo contínuo cad integration hypermill no Autodesk Inventor A integração do hypermill no CAD Autodesk Inventor é uma solução confiável que permite você implementar

Leia mais

TRABALHOS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO NC

TRABALHOS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO NC Universidade de Brasília Faculdade de Tecnologia Engenharia Mecatrônica Tecnologias de Comando Numérico Prof. Alberto J. Alvares TRABALHOS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO NC 1. Peça Exemplo: Elaborar um programa

Leia mais

Tecnologia de Comando Numérico 164399

Tecnologia de Comando Numérico 164399 164399 Aula 2 Introdução à Automação da Manufatura Mecatrônica; Automação; Níveis de Automação; Tipos de Automação; Justificativas para automatizar; Justificativas para não automatizar; Prof. Edson Paulo

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Sistemas Operacionais 2014 Introdução Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Roteiro Sistemas Operacionais Histórico Estrutura de SO Principais Funções do SO Interrupções Chamadas de Sistema

Leia mais

Introdução a Ciência da Computação Conceitos Básicos de Sistema PROFESSORA CINTIA CAETANO

Introdução a Ciência da Computação Conceitos Básicos de Sistema PROFESSORA CINTIA CAETANO Introdução a Ciência da Computação Conceitos Básicos de Sistema PROFESSORA CINTIA CAETANO Introdução A informática é uma área que atualmente vem evoluindo muito rapidamente. A cada dia se torna mais importante

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 7 Unidade Central de Processamento (UCP): O processador é o componente vital do sistema de computação, responsável pela realização das operações de processamento e de controle, durante a execução de um

Leia mais

Manual do Usuário. Plano de Corte

Manual do Usuário. Plano de Corte Manual do Usuário Plano de Corte Sumário Gigatron Plano de Corte...2 Versão...2 Plano de Corte...2 Edição de Atributos de Peças...3 Atributos de Linhas de Corte...4 Estilos de Entrada e Saída...8 Contorno...8

Leia mais

Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais

Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais Introdução ao Controlo Numérico Computorizado I Conceitos Gerais João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Bibliografia Controlo Numérico Computorizado, Conceitos Fundamentais Carlos Relvas Publindústria,

Leia mais

MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR

MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR Prof. Isaac N. L. Silva Professor do Departamento de Engenharia Mecânica e Mecatrônica - PUCRS CNC O que são Tipos e Aplicações Fabricantes O que são Controle Numérico

Leia mais

1. CAPÍTULO COMPUTADORES

1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1.1. Computadores Denomina-se computador uma máquina capaz de executar variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Os primeiros eram capazes

Leia mais

Palavras-chave: Usinagem de superfícies complexas, Simulação Virtual, Fresamento 5 eixos.

Palavras-chave: Usinagem de superfícies complexas, Simulação Virtual, Fresamento 5 eixos. 5 V CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 14 a 17 de abril de 2009 - Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil Simulação de máquinas-ferramentas virtuais e sua importância na usinagem de superfícies

Leia mais

1. Controle numérico computadorizado 2. Programação 3. Manufatura auxiliada por computador I. Título.

1. Controle numérico computadorizado 2. Programação 3. Manufatura auxiliada por computador I. Título. 2013 9 Ficha catalográfica Azevedo, Domingos Flávio de Oliveira. 1958 - Linguagem de programação CNC: Torno e centro de usinagem / Domingos Flávio de Oliveira Azevedo. Mogi das Cruzes:, 2013. 164 p. Bibliografia.

Leia mais

Informática Computador Visão Geral. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc.

Informática Computador Visão Geral. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc. Informática Computador Visão Geral Prof. Marcos André Pisching, M.Sc. Objetivos Identificar os componentes básicos de um sistema de computador: entrada, processamento, saída e armazenamento. Relacionar

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware Professor: Renato B. dos Santos 1 O computador é composto, basicamente, por duas partes:» Hardware» Parte física do computador» Elementos concretos» Ex.: memória, teclado,

Leia mais

O conceito de CIM e a integração de processos. Evolução da Manufatura

O conceito de CIM e a integração de processos. Evolução da Manufatura O conceito de CIM e a integração de processos Prof. Breno Barros Telles do Carmo Evolução da Manufatura Integração.A evolução da manufatura segundo reportado em Russell e Taylor III (1995) se deu em quatro

Leia mais

Gerenciando o Ambiente Integrado CAD/CAM via W ou TC Anderson Gonçalves

Gerenciando o Ambiente Integrado CAD/CAM via W ou TC Anderson Gonçalves Gerenciando o Ambiente Integrado CAD/CAM via W ou TC Anderson Gonçalves Siemens Industry Software 2013. Todos os direitos reservados Decisões Mais Inteligentes, Melhores Produtos. Ambiente Integrado CAD/CAM

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP Prof. João Carlos Espíndola Ferreira, Ph.D. /jcarlos j.c.ferreira@ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Mecânica

Leia mais

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico;

Desenho Técnico Fundamentos do desenho técnico; Construções geométricas; Desenho eletroeletrônico; EMENTA DE CONTEÚDOS Eletricidade Conceitos fundamentais da eletricidade; Circuitos elétricos de corrente contínua; Tensão alternada; Gerador de funções; Operação do osciloscópio; Tensão e corrente alternadas

Leia mais

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Processadores Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução O processador é um circuito integrado de controle das funções de cálculos e tomadas de decisão de um computador. Também é chamado de cérebro do

Leia mais

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs)

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) A UU L AL A Uma empresa fabrica clipes em três tamanhos: grande, médio e pequeno. Seus clientes consomem os produtos dos três tamanhos, mas a empresa nunca conseguiu

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP Prof. João Carlos Espíndola Ferreira, Ph.D. www.grima.ufsc.br/jcarlos/ jcarlos@emc.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de

Leia mais

RODRIGUES JARDIM,MIRIAN BERGMANN DE LIMA, TAMIRES RODRIGUES FERREIRA

RODRIGUES JARDIM,MIRIAN BERGMANN DE LIMA, TAMIRES RODRIGUES FERREIRA Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática FRANCIS RODRIGUES JARDIM,MIRIAN BERGMANN

Leia mais

Organização de Computadores Hardware

Organização de Computadores Hardware Organização de Computadores Hardware Professor Marcus Vinícius Midena Ramos Colegiado de Engenharia de Computação (74)3614.1936 marcus.ramos@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~marcus.ramos Computador Ferramenta

Leia mais

em meados dos anos 1990, ao olhar o parque industrial, levaria um grande susto. Quanta coisa mudou!

em meados dos anos 1990, ao olhar o parque industrial, levaria um grande susto. Quanta coisa mudou! A UU L AL A Software Se alguém adormecesse em 1960 e acordasse em meados dos anos 1990, ao olhar o parque industrial, levaria um grande susto. Quanta coisa mudou! Um problema O que mais impressiona são

Leia mais

Definição : Num mundo altamente competitivo como o de hoje, quem estiver mais bem informado está em vantagem.

Definição : Num mundo altamente competitivo como o de hoje, quem estiver mais bem informado está em vantagem. Definição : Processos de tratamento, controlo e comunicação da informação, através de meios informáticos (computador). Vivemos na era da informação ou sociedade do conhecimento. Num mundo altamente competitivo

Leia mais

Arquitetura Genérica

Arquitetura Genérica Arquitetura Genérica Antes de tudo, vamos revisar o Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador. Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador O funcionamento de um computador pode ser

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO (T2) OBJETIVOS

DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO (T2) OBJETIVOS DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO (T2) OBJETIVOS Curto Prazo (neste semestre): aprender sobre programação parametrizada Longo Prazo: Desenvolver um sistema para programação CN baseado em features de usinagem.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

Introdução. Unisinos. Leandro Tonietto ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto ago-08

Introdução. Unisinos. Leandro Tonietto ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto ago-08 Introdução à computação e suas Aplicações Curso de Segurança a da Informação Unisinos Leandro Tonietto ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto ago-08 Sumário Processamento de informações

Leia mais

Sistemas Operacionais Gerência de Dispositivos

Sistemas Operacionais Gerência de Dispositivos Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS Curso de Licenciatura em Computação Sistemas Operacionais Gerência de Dispositivos Prof. José Gonçalves Dias Neto profneto_ti@hotmail.com Introdução A gerência

Leia mais

DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS)

DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS) 18º Congresso de Iniciação Científica AVALIAÇÃO DA INTERPOLAÇÃO SPLINE COMO TRAJETÓRIA DA FERRAMENTA NA MANUFATURA SUPERFÍCIES COMPLEXAS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DOE (DESING OF EXPERIMENTS) Autor(es) MARCO

Leia mais

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento MÓDULO II Memórias e Processamento Esse módulo irá relatar sobre as memórias seus tipos e a ligação com os tipos variados de processamento. Leia atentamente todo o conteúdo e participe dos fóruns de discursão,

Leia mais

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. História dos computadores UFCD - 0769. Joaquim Frias

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. História dos computadores UFCD - 0769. Joaquim Frias Formação Modular Certificada Arquitetura interna do computador História dos computadores UFCD - 0769 Joaquim Frias O Ábaco Surgiu à cerca de 5000 anos na Ásia e ainda se encontra em uso Foi o primeiro

Leia mais

1. Sistemas de Produção

1. Sistemas de Produção UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENG. DE PRODUÇÃO E SISTEMAS - DEPS INFORMÁTICA INDUSTRIAL IFD 1. Sistemas de Produção Igor Kondrasovas

Leia mais

João Manuel R. S. Tavares / JOF

João Manuel R. S. Tavares / JOF Introdução ao Controlo Numérico Computorizado II Referencial, Trajectórias João Manuel R. S. Tavares / JOF Introdução As ferramentas de uma máquina CNC podem realizar certos movimentos conforme o tipo

Leia mais

Para programação automatizada e fabricação eficiente. estratégias cam

Para programação automatizada e fabricação eficiente. estratégias cam Para programação automatizada e fabricação eficiente estratégias cam O hypermill reduz os tempos de programação e usinagem Um software CAM completo: Uma gama ampla de estratégias de usinagem e de funcionalidades

Leia mais

EMENTA DA DISCIPLINA Hardware e dispositivos de E/S Sistema Operacional Editor de Texto

EMENTA DA DISCIPLINA Hardware e dispositivos de E/S Sistema Operacional Editor de Texto www.francosampaio.com Informática Curso de Administração de Empresas Prof. Franco Sampaio URCAMP Universidade da Região da Campanha EMENTA DA DISCIPLINA Hardware e dispositivos de E/S Sistema Operacional

Leia mais

Unidade Central de Processamento Organização da UCP Execução de instruções em paralelo ("pipeline") Execução de programas

Unidade Central de Processamento Organização da UCP Execução de instruções em paralelo (pipeline) Execução de programas http://www.ic.uff.br/~debora/fac! Dar noções iniciais dos componentes básicos de um sistema de computador, assim também como conceitos fundamentais necessários para a manipulação de informação dentro do

Leia mais

ALTERNATIVAS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS DE AUXÍLIO À PROGRAMAÇÃO CNC

ALTERNATIVAS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS DE AUXÍLIO À PROGRAMAÇÃO CNC ALTERNATIVAS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS DE AUXÍLIO À PROGRAMAÇÃO CNC Leandro Costa de Oliveira Depto. de Fabricação e Projeto de Máquinas - Núcleo de Automação e Processos de Fabricação Centro de Tecnologia

Leia mais

Armazenamento Secundário. SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II

Armazenamento Secundário. SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II Armazenamento Secundário SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II 1 Armazenamento secundário Primeiro tipo de armazenamento secundário: papel! Cartões perfurados HDs, CD-ROM, floppy disks, memórias

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

A automação em nossas vidas 25/10/2015. Módulo IV Tecnologia. TECNOLOGIA Conceito e História

A automação em nossas vidas 25/10/2015. Módulo IV Tecnologia. TECNOLOGIA Conceito e História Módulo IV Tecnologia Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. TECNOLOGIA Conceito e História A automação em nossas vidas Objetivo: Facilitar nossas vidas no dia-a-dia Em casa: Lavando roupa Esquentando leite

Leia mais

Binária. Introdução à Informática. Introdução à Informática. Introdução à Informática. Introdução à Informática. Bit. Introdução à Informática

Binária. Introdução à Informática. Introdução à Informática. Introdução à Informática. Introdução à Informática. Bit. Introdução à Informática Informação Introdução à Os dispositivos que num computador permitem armazenar informação devem ser capazes de: Receber informação Conservar informação Restituir informação Mas que tipo de informação? Binária

Leia mais

Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia básica. Objetivos da Disciplina

Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia básica. Objetivos da Disciplina Circuitos Digitais Cap. 1 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Circuitos Digitais Tópicos Digitais I- Engenharia Elétrica -UFPI Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia

Leia mais

Usinagem de Produção. Edgecam é o único sistema CAM que você precisa.

Usinagem de Produção. Edgecam é o único sistema CAM que você precisa. Usinagem de Produção Edgecam é o único sistema CAM que você precisa. Manufatura auxiliada por computador Apesar dos avanços da tecnologia de manufatura, a programação manual de uma moderna máquina de usinagem

Leia mais

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB Calculando a capacidade de disco: Capacidade = (# bytes/setor) x (méd. # setores/trilha) x (# trilhas/superfície) x (# superfícies/prato) x (# pratos/disco) Exemplo 01: 512 bytes/setor 300 setores/trilha

Leia mais

ETEPA Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico 1. INTRODUÇÃO:

ETEPA Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico 1. INTRODUÇÃO: 1. INTRODUÇÃO: A informatização e a globalização que nos cercam e mudam o contexto industrial, tecnológico e profissional, fazem com que o uso crescente e contínuo de uma ferramenta aplicada à computação

Leia mais

Máquinas Multiníveis

Máquinas Multiníveis Infra-Estrutura de Hardware Máquinas Multiníveis Prof. Edilberto Silva www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Sumário Conceitos básicos Classificação de arquiteturas Tendências da tecnologia Família Pentium

Leia mais

Disciplina: Organização de computadores

Disciplina: Organização de computadores Disciplina: Organização de computadores Professora: Carolina D. G. dos Santos E-mail: profcarolinadgs@gmail.com Página: profcarolinadgs.webnode.com.br Unip / Prof. a Carolina 1 à Computador Conceitos Básicos

Leia mais

Introdução às Máquinas CNC s. É proibido reproduzir total ou parcialmente esta publicação sem prévia autorização do

Introdução às Máquinas CNC s. É proibido reproduzir total ou parcialmente esta publicação sem prévia autorização do Grupo Caet - Divisão de Conteúdos Introdução às Máquinas CNC s. Por Delmonte Friedrich, Msc. Eng. Todos os direitos reservados. É proibido reproduzir total ou parcialmente esta publicação sem prévia autorização

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC Hardware X Software Memória do Computador Hardware X Software Toda interação dos usuários de computadores modernos é realizada

Leia mais

PLM Software. Os benefícios do NX CAM-SINUMERIK Otimizando a conexão entre o software CAM e os controladores de ferramentas

PLM Software. Os benefícios do NX CAM-SINUMERIK Otimizando a conexão entre o software CAM e os controladores de ferramentas Siemens PLM Software Os benefícios do NX CAM-SINUMERIK Otimizando a conexão entre o software CAM e os controladores de ferramentas www.siemens.com/nx w h i t e p a p e r Para obter o melhor desempenho

Leia mais

ENIAC. Introdução aos Computadores e à Programação (Noções Básicas)

ENIAC. Introdução aos Computadores e à Programação (Noções Básicas) ENIAC Introdução aos Computadores e à ção (Noções Básicas) Introdução aos Computadores e à ção (Noções Básicas) 1 Introdução aos Computadores e à ção (Noções Básicas) 2 O transistor foi inventado em 1947

Leia mais