ACERVO DIGITAL FASE II. Histologia do Sistema Urinário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACERVO DIGITAL FASE II. Histologia do Sistema Urinário"

Transcrição

1 ACERVO DIGITAL FASE II Histologia do Sistema Urinário I-Rim Técnica: HE Observação com aumento total de 40x: Observe a região cortical mais acima, e a camada medular, que é a mais clara, mais abaixo. SU fig 01

2 Observação com aumento total de 100x: Neste campo observe os corpúsculos renais esféricos e mais claros e os túbulos renais. Nos corpúsculos renais, observe o glomérulo de Malpighi, espaço capsular e a cápsula de Bowman com epitélio pavimentoso simples. Na região cortical como túbulos renais, encontramos túbulos contornados proximais, túbulos contornados distais e túbulos coletores. SU fig 02

3 Observação da região medular com aumento total de 100x: São observados neste campo cortes de alças de Henle, ramo descendente e ramo ascendente, e túbulos coletores. O ramo descendente da alça de Henle com epitélio pavimentoso simples, o ramo ascendente da alça de Henle com epitélio cúbico simples e o tubo coletor com epitélio cúbico simples ou epitélio cilíndrico simples. SU fig 03

4 Observação da região cortical com aumento total de 400x: Neste campo microscópico é possível observar-se detalhes dos corpúsculos renais. Nestes é possível observar-se perfeitamente o glomérulo de Malpighi (tufo de capilares) onde ocorre a filtração do sangue. É possível observar-se a cápsula de Bowman com epitélio pavimentoso simples e o espaço capsular. Além dos corpúsculos renais podem ser observados cortes transversais dos túbulos contornados ou contorcidos proximais mais acidófilos e túbulos contornados distais e túbulos coletores.

5 SU fig 04 Observação da região medular com aumento total de 400x: Neste campo microscópico é possível observar-se detalhadamente cortes de ramos descendente e ascendente das alças de Henle bem como cortes de túbulos coletores. Os tipos de epitélio já foram mencionados no aumento de 100x. SU fig 05

6 II-Bexiga Técnica HE Observação com aumento total de 40x: Observe a mucosa junto à luz com epitélio de transição e a lâmina própria (tecido conjuntivo frouxo). Logo a seguir a camada muscular com músculo liso entremeada de tecido conjuntivo. Sendo o tecido muscular mais avermelhado e o tecido conjuntivo mais claro.

7 SU fig 06 Observação com aumento total de 100x: Na mucosa é possível destacar as várias camadas de células do epitélio de transição ou polimorfo. E logo abaixo do epitélio é possível observar-se o tecido conjuntivo frouxo.

8 SU fig 07 Observação com aumento total de 400x: Detalhes da mucosa da bexiga com o epitélio de transição e a lâmina própria de tecido conjuntivo frouxo. No epitélio são observadas células globosas mais acidófilas junto à luz, células cúbicas mais internas com núcleos esféricos

9 intermediários e células cilíndricas mais internas com núcleos alongados na vertical. Abaixo do epitélio observa-se o tecido conjuntivo frouxo). SU fig 08

10 III- Ureter Técnica: HE Observação com aumento total de 40x: Nesse campo microscópico é possível observar a luz irregular, próximo à mesma aparece a mucosa pregueada com epitélio de transição e o tecido conjuntivo frouxo. A seguir aparece a camada muscular com músculo liso, e a adventícia com tecido conjuntivo frouxo e o tecido conjuntivo adiposo. SU fig 09

11 Observação com aumento total de 100x: Observe neste aumento, mais detalhes da túnica mucosa onde observamos o epitélio de transição com células globosas junto à luz, células cúbicas e células cilíndricas junto do tecido conjuntivo frouxo. O epitélio de transição não deixa de ser um epitélio estratificado. No tecido conjuntivo frouxo da mucosa observamos fibras colágenas, núcleos de células conjuntivas e alguns vasos sanguíneos. Na túnica muscular observamos as fibras musculares lisas em corte longitudinal e transversal. SU fig 10

12 Observação com aumento total de 400x: Observe a mucosa do ureter detalhadamente. Note a morfologia dos núcleos das células poliédricas e células cilíndricas. No tecido conjuntivo frouxo observe as fibras colágenas, núcleos de fibroblastos de outras células conjuntivas e imagem negativa da SIA (Substância Intersticial Amorfa). SU fig 11

13 Observação da musculatura do ureter com aumento total de 400x: Detalhe da camada muscular do ureter e da adventícia. Observe as fibras musculares lisas em cortes longitudinais. Observe também a túnica adventícia externa com seu tecido conjuntivo frouxo, onde aparece alguns vasos como vênula e arteríola. SU fig 12

Sistema Urinário. Carla Beatriz Silva. Introdução

Sistema Urinário. Carla Beatriz Silva. Introdução Sistema Urinário Carla Beatriz Silva Introdução O aparelho urinário é formado pelos dois rins, dois ureteres, a bexiga e a uretra. A urina é produzida nos rins, passa pelos ureteres até a bexiga e é lançada

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II. Histologia do Sistema Circulatório

ACERVO DIGITAL FASE II. Histologia do Sistema Circulatório ACERVO DIGITAL FASE II Histologia do Sistema Circulatório I Material: Aorta Técnica: Weigert Observação com aumento total de 40x: Nesse aumento e nesse campo microscópico é possível observar-se a luz da

Leia mais

Aulas Pratico-Laboratoriais de Histologia Resumo das Lâminas

Aulas Pratico-Laboratoriais de Histologia Resumo das Lâminas Aulas Pratico-Laboratoriais de Histologia Resumo das Lâminas Vesícula Biliar Mucosa: -epitélio cilíndrico simples com microvilosidades -lâmina própria (tecido conjuntivo) Bexiga Mucosa: -epitélio estratificado

Leia mais

1. Elementos dos tecidos conjuntivo propriamente dito. Observação de mastócitos e de fibras elásticas

1. Elementos dos tecidos conjuntivo propriamente dito. Observação de mastócitos e de fibras elásticas 1. Elementos dos tecidos conjuntivo propriamente dito Observação de mastócitos e de fibras elásticas Material: Mesentério Técnica: azul de toluidina Obs: O mesentério é a membrana fina que prende as alças

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II

ACERVO DIGITAL FASE II ACERVO DIGITAL FASE II Histologia do Sistema Digestório I Material: Língua Técnica: Hematoxilina-Eosina Comparação da mucosa lingual na sua parte dorsal e na sua parte ventral no aumento total de 40x:

Leia mais

Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento Instituto de Ciências Biomédicas Universidade de São Paulo BMC- 104: BIOLOGIA TECIDUAL III

Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento Instituto de Ciências Biomédicas Universidade de São Paulo BMC- 104: BIOLOGIA TECIDUAL III Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento Instituto de Ciências Biomédicas Universidade de São Paulo G RADUAÇÃO EM M EDICINA - 2015 BMC- 104: BIOLOGIA TECIDUAL III SISTEMA URINÁRIO TÓPICOS

Leia mais

Sistema Urinário Capítulo 10

Sistema Urinário Capítulo 10 Sistema Urinário Capítulo 10 1 RINS Figura 10.1 - Representação do sistema urinário. Baseado em Snell, R. S. Histologia clínica. Rio de Janeiro: Discos CBS, Interamericana, 1985. p. 413. O sistema urinário

Leia mais

Sistema Urinário. Prof a Dr a Mariana Kiomy Osako SISTEMA URINÁRIO. RCG Medicina 27/09/2016 RIM URETERES BEXIGA URETRA 2016/10/1.

Sistema Urinário. Prof a Dr a Mariana Kiomy Osako SISTEMA URINÁRIO. RCG Medicina 27/09/2016 RIM URETERES BEXIGA URETRA 2016/10/1. Sistema Urinário Prof a Dr a Mariana Kiomy Osako RCG0146 - Medicina 27/09/2016 SISTEMA URINÁRIO RIM URETERES BEXIGA URETRA Próstata MULHER Modified from Servier Medical Art HOMEM 1 SISTEMA URINÁRIO Funções

Leia mais

1- hemácias dentro de um vaso sangüíneo 2- endotélio (epitélio simples pavimentoso)

1- hemácias dentro de um vaso sangüíneo 2- endotélio (epitélio simples pavimentoso) Fernando Salles - 2014 1 2 1- hemácias dentro de um vaso sangüíneo 2- endotélio (epitélio simples pavimentoso) Epitélio simples cúbico 1-Epitélio simples cilíndrico com céls caliciformes (cabeça de seta)

Leia mais

UNIPAMPA Disciplina de Histologia, citologia e embriologia Curso de Nutrição TECIDO EPITELIAL. Prof.: Cristiano Ricardo Jesse

UNIPAMPA Disciplina de Histologia, citologia e embriologia Curso de Nutrição TECIDO EPITELIAL. Prof.: Cristiano Ricardo Jesse UNIPAMPA Disciplina de Histologia, citologia e embriologia Curso de Nutrição TECIDO EPITELIAL Prof.: Cristiano Ricardo Jesse CONSIDERAÇÕES INICIAIS Organismos Sistemas Órgãos Tecidos Células CONSIDERAÇÕES

Leia mais

artéria renal arteríola aferente capilares glomerulares artéria renal capilares glomerulares veia renal

artéria renal arteríola aferente capilares glomerulares artéria renal capilares glomerulares veia renal FUNÇÕES DOS RINS Controle da osmolaridade dos fluidos corporais Regulação do volume dos fluidos corporais (controle a longo prazo da pressão arterial) Regulação da concentração de eletrólitos: Na +, K

Leia mais

Fisiologia do Sistema Urinário

Fisiologia do Sistema Urinário Esse sistema é responsável pela maior parte da excreção. Este conceito define os processos pelos quais o organismo se livra de substâncias tóxicas (ou em excesso) resultantes do metabolismo celular, denominadas

Leia mais

Excreção. Expulsão de produtos residuais da actividade celular e de outras substâncias presentes em excesso no sangue.

Excreção. Expulsão de produtos residuais da actividade celular e de outras substâncias presentes em excesso no sangue. Sistema Urinário Excreção Expulsão de produtos residuais da actividade celular e de outras substâncias presentes em excesso no sangue. Como eliminar os produtos tóxicos que se formam nas células? Vias

Leia mais

O que é a excreção? As células produzem substâncias tóxicas que têm de ser removidas do organismo. Excreção. efectuada por. Órgãos de excreção.

O que é a excreção? As células produzem substâncias tóxicas que têm de ser removidas do organismo. Excreção. efectuada por. Órgãos de excreção. Sistema excretor O que é a excreção? As células produzem substâncias tóxicas que têm de ser removidas do organismo. Excreção efectuada por Órgãos de excreção Pele (glândulas sudoríparas) Pulmões Suor Dióxido

Leia mais

Histologia Humana - Enfermagem. - Caderno de aulas práticas -

Histologia Humana - Enfermagem. - Caderno de aulas práticas - Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Ciências Básicas da Saúde Departamento de Ciências Morfológicas Histologia Humana - Enfermagem Profa. Simone Marcuzzo - Caderno de aulas práticas

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Prof. Dr. José Gomes Pereira

SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Prof. Dr. José Gomes Pereira Prof. Dr. José Gomes Pereira 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS 2. CONSTITUINTES 2.1. Ovários 2.2. Tubas Uterinas 2.3. Útero 2.4. Cérvix 2.5. Vagina 2.6. Vulva 2.7. Clitóris 2.8 Uretra Ovários Glândula Exócrina e

Leia mais

Sistema Reprodutor Feminino

Sistema Reprodutor Feminino Sistema Reprodutor Feminino I-Ovário Técnica: HE Observação com aumento total de 40x: Com este aumento é possível observar-se os diversos tipos de folículos ovarianos na região cortical e a região medular

Leia mais

Anatomia funcional do rim Função renal

Anatomia funcional do rim Função renal Anatomia funcional do rim Função renal Ganho Balanço diário Perda Ingestão Equilíbrio osmótico Bebidas e comidas Suor Pulmões Ingestão Metabolismo Metabolismo Urina Fezes Perdas Fluido extracelular Fluido

Leia mais

Nome: Nº: Classificação: 1. Das seguintes estruturas, qual está intimamente associada ao periósteo:

Nome: Nº: Classificação: 1. Das seguintes estruturas, qual está intimamente associada ao periósteo: Histologia e Embriologia Medicina Veterinária Frequência Teórica 3 de Maio de 2005 HistoVet-UE Nome: Nº: Classificação: 1. Das seguintes estruturas, qual está intimamente associada ao periósteo: a. Pia

Leia mais

AULA PRÁTICA 16 - SISTEMA DIGESTÓRIO

AULA PRÁTICA 16 - SISTEMA DIGESTÓRIO AULA PRÁTICA 16 - SISTEMA DIGESTÓRIO O sistema digestório consiste de um longo tubo muscular, que se estende da boca até o ânus, e de glândulas associadas ou acessórias (glândulas salivares, pâncreas e

Leia mais

Sistema Circulatório. Prof. a Dr. a Tatiana Montanari Departamento de Ciências Morfológicas ICBS UFRGS

Sistema Circulatório. Prof. a Dr. a Tatiana Montanari Departamento de Ciências Morfológicas ICBS UFRGS Sistema Circulatório Prof. a Dr. a Tatiana Montanari Departamento de Ciências Morfológicas ICBS UFRGS SISTEMA VASCULAR SANGUÍNEO SISTEMA VASCULAR LINFÁTICO SISTEMA VASCULAR SANGUÍNEO Esse sistema transporta

Leia mais

TECIDO EPITELIAL 13/10/2014. Mamíferos: Tipos de tecidos. Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso. Tecido epitelial: Origem ECTODERMA MESODERMA

TECIDO EPITELIAL 13/10/2014. Mamíferos: Tipos de tecidos. Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso. Tecido epitelial: Origem ECTODERMA MESODERMA TECIDO EPITELIAL Mamíferos: Tipos de tecidos Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso Origem ECTODERMA MESODERMA ENDODERMA 1 Tecido epitelial Ectoderma: epitélios sensoriais dos olhos; aparelho auditivo e

Leia mais

HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL

HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL Introdução HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL Vera Regina Andrade, 2015 Apesar de toda a complexidade, o organismo humano é constituído de 4 tipos básicos de tecidos Tecido epitelial Tecido conjuntivo Tecido

Leia mais

Tecido Epitelial e Conjuntivo

Tecido Epitelial e Conjuntivo Tecido Epitelial e Conjuntivo Objetivos os estudantes deverão ser capazes de... - descrever as características (constituintes e sua organização) e funções gerais do epitélio de revestimento e do epitélio

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II. Histologia do Sistema Respiratório

ACERVO DIGITAL FASE II. Histologia do Sistema Respiratório ACERVO DIGITAL FASE II Histologia do Sistema Respiratório I Material: Traquéia Técnica: Hematoxilina-Eosina Observação com aumento total de 40x: Neste campo microscópico é possível observar-se a mucosa

Leia mais

Sistema Urinário Capítulo 10

Sistema Urinário Capítulo 10 Sistema Urinário Capítulo 10 1 FUNÇÕES O sistema urinário retira do organismo, através da urina, as substâncias em excesso e os produtos residuais do metabolismo, contribuindo para a manutenção da homeostasia,

Leia mais

SISTEMA URINÁRIO QUAIS SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?

SISTEMA URINÁRIO QUAIS SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS? SISTEMA URINÁRIO SISTEMA URINÁRIO QUAIS SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS? Conjunto de órgãos responsáveis pela filtração do sangue e eliminação de substâncias tóxicas, desnecessárias ou em excesso através

Leia mais

AULA PRÁTICA 05. Tecidos Conectivos - Matriz e Classificação LÂMINA Nº 90 - DIFERENTES CORTES DE PELE - ORCEÍNA

AULA PRÁTICA 05. Tecidos Conectivos - Matriz e Classificação LÂMINA Nº 90 - DIFERENTES CORTES DE PELE - ORCEÍNA AULA PRÁTICA 05 Tecidos Conectivos - Matriz e Classificação LÂMINA Nº 90 - DIFERENTES CORTES DE PELE - ORCEÍNA Pela técnica da HE, as fibras elásticas coram-se mal e irregularmente. Para a observação destas

Leia mais

Sistema urinário. Aparelho Urinário. Órgãos urinários. Órgãos urinários. Rins. Ureteres. Bexiga urinária. Uretra. Sistema urogenital

Sistema urinário. Aparelho Urinário. Órgãos urinários. Órgãos urinários. Rins. Ureteres. Bexiga urinária. Uretra. Sistema urogenital Sistema urinário Aparelho Urinário Sistema urogenital - Órgãos urinários - Órgãos genitais -- Origem embriológica comum (mesoderma intermediário) -- Anatomicamente ligados Profa. Rosane Silva cadela ovário

Leia mais

Sistema Renal. Profa Msc Melissa Kayser

Sistema Renal. Profa Msc Melissa Kayser Sistema Renal Profa Msc Melissa Kayser Componentes anatômicos Rins Ureteres Bexiga urinária Uretra O sangue é filtrado nos rins, onde os resíduos são coletados em forma de urina, que flui para pelve renal,

Leia mais

25/08/2015. https://odontousp.wordpress.com/ APARELHO RESPIRATÓRIO Usado vezes por dia

25/08/2015. https://odontousp.wordpress.com/ APARELHO RESPIRATÓRIO Usado vezes por dia https://odontousp.wordpress.com/ APARELHO RESPIRATÓRIO Usado 23.000 vezes por dia 1 APARELHO RESPIRATÓRIO Usado 23.000 vezes por dia APARELHO RESPIRATÓRIO Usado 23.000 vezes por dia Funções: RESPIRAÇÃO

Leia mais

Cap. 8: A arquitetura corporal dos animais. Equipe de Biologia

Cap. 8: A arquitetura corporal dos animais. Equipe de Biologia Cap. 8: A arquitetura corporal dos animais Equipe de Biologia Histologia Estuda os tecidos orgânicos. Tecido: Agrupamento de células com as mesmas características e função. Além de suas próprias células,

Leia mais

O Nosso Corpo Volume XVI Aparelho Urinário Parte 1

O Nosso Corpo Volume XVI Aparelho Urinário Parte 1 O Nosso Corpo Volume XVI um Guia de Dezembro de 2009 Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia não pode ser reproduzido

Leia mais

LÂMINA/MEMBRANA BASAL

LÂMINA/MEMBRANA BASAL LÂMINA/MEMBRANA BASAL Entre o tecido conjuntivo e as células epiteliais existe uma lâmina, chamada lâmina basal, secretada cooperativamente pelas células dos tecidos epiteliais e conjuntivos. Um dos elementos

Leia mais

AULA PRÁTICA 13. SISTEMA CIRCULATÓRIO e MÚSCULO CARDÍACO

AULA PRÁTICA 13. SISTEMA CIRCULATÓRIO e MÚSCULO CARDÍACO AULA PRÁTICA 13 SISTEMA CIRCULATÓRIO e MÚSCULO CARDÍACO O sistema circulatório é constituído por dois componentes funcionais: o sistema vascular sanguíneo e o sistema vascular linfático. O sistema vascular

Leia mais

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ Utilização de novas tecnologias educativas: ambiente virtual para o estudo de histologia Renata Diniz Profa. Ms. Curso de Enfermagem

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO 25/10/2016. Origem: mesoderma Constituição: Funções:

TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO 25/10/2016. Origem: mesoderma Constituição: Funções: TECIDO CONJUNTIVO TECIDO CONJUNTIVO Origem: mesoderma Constituição: Diversos tipos de células Matriz extracelular: substância fundamental e fibras TECIDO CONJUNTIVO Funções: Sustentação estrutural Preenchimento

Leia mais

FISIOLOGIA RENAL E SISTEMA EXCRETOR

FISIOLOGIA RENAL E SISTEMA EXCRETOR FISIOLOGIA RENAL E SISTEMA EXCRETOR Adaptação ao meio Se um animal viver na terra, na água salgada ou na água doce. Controlar o volume e a composição entre os líquidos corporais e o ambiente externo (balanço

Leia mais

INTRODUÇÃO SISTEMA URINÁRIO RINS INTRODUÇÃO RINS. Formação: Funções: Formato. Excreção da urina. Coloração. Localização. Doisrins.

INTRODUÇÃO SISTEMA URINÁRIO RINS INTRODUÇÃO RINS. Formação: Funções: Formato. Excreção da urina. Coloração. Localização. Doisrins. : INTRODUÇÃO Doisrins Dois ureteres Bexiga Uretra Funções: Remoção resíduos SISTEMA URINÁRIO Filtração do plasma Funções hormonais INTRODUÇÃO Excreção da urina Sangueéfiltradonosrins Atravésdosureteresofiltradoélevadoatéabexiga

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO. Prof. Dr. José Gomes Pereira

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO. Prof. Dr. José Gomes Pereira Prof. Dr. José Gomes Pereira 1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES 2. CONSTITUINTES 2.1. Testículos 2.2. Ductos Genitais 2.3. Glândulas Genitais Acessórias 2.4. Uretra 2.5. Pênis Testículos Envoltórios testiculares

Leia mais

Estrutura néfron e vascularização

Estrutura néfron e vascularização 1 Estrutura néfron e vascularização 1 = Cápsula de Bowman's, 2 = glomérulo, 3 = arteríola aferente, 4 = arteríola eferente, 5 = túbulo proximal convoluto, 6 = túbulo distal convoluto, 7 = ducto coletor,

Leia mais

TECIDOS. Professora Débora Lia Biologia

TECIDOS. Professora Débora Lia Biologia TECIDOS Professora Débora Lia Biologia TECIDOS HISTOLÓGICOS DEFINIÇÃO : Do grego, histo= tecido + logos= estudos. Tecidos = É um conjunto de células especializadas, iguais ou diferentes entre si, que realizam

Leia mais

Sistema Circulatório

Sistema Circulatório Sistema Circulatório Luís Eugênio Vieira Oliveira Neste breve capítulo, discorreremos sobre as principais características histológicas do Sistema Circulatório, descrevendo, pois, algumas estruturas gerais

Leia mais

AULA PRÁTICA 02 TECIDOS EPITELIAIS: EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO

AULA PRÁTICA 02 TECIDOS EPITELIAIS: EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO AULA PRÁTICA 02 TECIDOS EPITELIAIS: EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO A característica morfológica básica do tecido epitelial é a proximidade entre as células, indicando a ausência de substância intercelular (exceto

Leia mais

TECIDO EPITELIAL SEGUNDA PARTE

TECIDO EPITELIAL SEGUNDA PARTE TECIDO EPITELIAL SEGUNDA PARTE Prof : Cristiano Ricardo Jesse TIPOS DE EPITÉLIO - REVESTIMENTO CLASSIFICAÇÃO: Quanto a forma das células o epitélio estratificado (camada mais superficial) pode ser: - Pavimentoso

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA. Sistema Renal - Filtração Glomerular - Prof. Fernando Zanoni

FISIOLOGIA HUMANA. Sistema Renal - Filtração Glomerular - Prof. Fernando Zanoni FISIOLOGIA HUMANA Sistema Renal - Filtração Glomerular - Prof. Fernando Zanoni fzanoni@prof.ung.br Função geral dos rins Homeostasia dos líquidos e eletrólitos Filtração, reabsorção, secreção e excreção

Leia mais

muscular circular interna serosa mesotélio adventícia

muscular circular interna serosa mesotélio adventícia HISTOLOGIA DOS ÓRGÃOS E SISTEMAS Organização tecidual dos órgãos tubulares: OBJETIVOS PARA O TÓPICO: - descrever a organização das diferentes túnicas e suas camadas nos órgãos tubulares ou ocos - explicar

Leia mais

Sistema Respiratório Disciplina Citologia e Histologia II. Docente: Sheila C. Ribeiro Agosto/2016

Sistema Respiratório Disciplina Citologia e Histologia II. Docente: Sheila C. Ribeiro Agosto/2016 Sistema Respiratório Disciplina Citologia e Histologia II Docente: Sheila C. Ribeiro Agosto/2016 Introdução Sistema Respiratório Porção Condutora Fossas Nasais Nasofaringe Laringe Traqueia Brônquios Bronquíolos

Leia mais

TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO

TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO (parte 2) Profª Patrícia Mendes Medicina Veterinária 1º Período Disciplina: Histologia Básica e Embriologia www.faculdadevertice.com.br De acordo com a localização, o tecido

Leia mais

Fisiologia Renal. Fisiologia Renal. FUNÇÕES RENAIS A manutenção do meio interno através da: Órgãos responsáveis pela manutenção do meio interno

Fisiologia Renal. Fisiologia Renal. FUNÇÕES RENAIS A manutenção do meio interno através da: Órgãos responsáveis pela manutenção do meio interno isiologia Renal isiologia Renal Profa. Ana Maria da Silva Curado Lins, M.Sc. Departamento de Biologia Primeira parte: Conceitos gerais e filtração glomerular Atenção: Esta apresentação possui animações.

Leia mais

HISTOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO

HISTOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO HISTOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO Fernando Abreu 6 Dez 2006 SISTEMA URINÁRIO RINS URETEROS BEXIGA URETRA RIM FUNÇÕES DO RIM DEPURATIVA EXCREÇÃO DE PRODUTOS DO METABOLISMO REGULAÇÃO DO BALANÇO ÁCIDO-BASE E

Leia mais

ROTEIRO AULA PRÁTICA 3: CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO

ROTEIRO AULA PRÁTICA 3: CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO ROTEIRO AULA PRÁTICA 3: CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO Lâmina 53. Corte de fígado animal injetado com tinta nanquim, corte corado com H&E Observar o tecido e em obj40x desenhar e identificar: hepatócitos,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO - SIMPLES X ESTRATIFICADO - FORMATO DAS CÉLULAS. células cúbicas. células prismáticas

CLASSIFICAÇÃO DOS EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO - SIMPLES X ESTRATIFICADO - FORMATO DAS CÉLULAS. células cúbicas. células prismáticas HISTOLOGIA ANIMAL Histologia é a parte da Biologia que estuda os tecidos. Tecidos são agrupamentos de células semelhantes e/ou que possuem função semelhante, tomadas em conjunto com a substância intercelular.

Leia mais

Conjunto de células semelhantes e interdependentes. Condição básica da multicelularidade. Vantagens: aumento do tamanho, divisão de trabalho

Conjunto de células semelhantes e interdependentes. Condição básica da multicelularidade. Vantagens: aumento do tamanho, divisão de trabalho Conjunto de células semelhantes e interdependentes Condição básica da multicelularidade Vantagens: aumento do tamanho, divisão de trabalho Origens embrionárias dos tecidos animais: Ectoderme Mesoderme

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Tecido Epitelial FUNÇÕES :

TECIDO EPITELIAL. Tecido Epitelial FUNÇÕES : TECIDO EPITELIAL 2 Características principais dos quatro tipos básicos de tecidos Tecido Nervoso Epitelial Muscular Células Longos prolongamentos Células poliédricas justapostas Células alongadas contráteis

Leia mais

Artéria Elástica (aorta)

Artéria Elástica (aorta) CORAÇÃO Devido á existência de grande número de fibras musculares cardíacas, anastomosadas, estriações longitudinais e núcleo central pode concluir-se tratarse de uma preparação de coração. É um órgão

Leia mais

Os tecidos. Tecidos biológicos. Aula 1 e 2. Tecido epitelial Tecido conjuntivo. 1º bimestre. Professora calina

Os tecidos. Tecidos biológicos. Aula 1 e 2. Tecido epitelial Tecido conjuntivo. 1º bimestre. Professora calina 1º bimestre Professora calina Aula 1 e 2 Tecidos biológicos Tecido epitelial Tecido conjuntivo Tecidos do corpo humano Tecido é um conjunto de células desempenham uma mesma função. semelhantes que Tecido

Leia mais

Biofísica renal. Estrutura e função dos rins

Biofísica renal. Estrutura e função dos rins Biofísica renal Estrutura e função dos rins Múltiplas funções do sistema renal Regulação do balanço hídrico e eletrolítico (volume e osmolaridade) Regulação do equilíbrio ácidobásico (ph) Excreção de produtos

Leia mais

Sistema geniturinário SISTEMA URINÁRIO SISTEMA GENITAL MASCULINO SISTEMA GENITAL FEMININO

Sistema geniturinário SISTEMA URINÁRIO SISTEMA GENITAL MASCULINO SISTEMA GENITAL FEMININO Sistema geniturinário SISTEMA URINÁRIO SISTEMA GENITAL MASCULINO SISTEMA GENITAL FEMININO SISTEMA URINÁRIO SISTEMA GENITURINÁRIO FUNÇÕES DO SISTEMA URINÁRIO SISTEMA URINÁRIO HUMANO Excreção Maior parte.

Leia mais

AULA PRÁTICA 03 TECIDOS EPITELIAIS - EPITÉLIOS GLANDULARES LÂMINA Nº 46 INTESTINO GROSSO - HE

AULA PRÁTICA 03 TECIDOS EPITELIAIS - EPITÉLIOS GLANDULARES LÂMINA Nº 46 INTESTINO GROSSO - HE AULA PRÁTICA 03 TECIDOS EPITELIAIS - EPITÉLIOS GLANDULARES As glândulas constituem o segundo tipo de tecido epitelial. Embora a secreção seja uma característica inerente ao citoplasma e, portanto toda

Leia mais

TECIDO EPITELIAL HISTOLOGIA ANIMAL

TECIDO EPITELIAL HISTOLOGIA ANIMAL HISTOLOGIA Histologia é a parte da Biologia que estuda os tecidos. Tecidos são agrupamentos de células semelhantes e/ou que possuem função semelhante, tomadas em conjunto com a substância intercelular.

Leia mais

FACULDADE DE EXCELÊNCIA EDUCACIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE CURSO: FISIOTERAPIA INTRODUÇÃO A HISTOLOGIA

FACULDADE DE EXCELÊNCIA EDUCACIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE CURSO: FISIOTERAPIA INTRODUÇÃO A HISTOLOGIA FACULDADE DE EXCELÊNCIA EDUCACIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE CURSO: FISIOTERAPIA INTRODUÇÃO A HISTOLOGIA Histologia Estuda os tecidos do corpo e como estes tecidos se organizam para constituir órgãos. Introdução

Leia mais

comparar e contrastar as semelhanças e diferenças morfológicas e funcionais entre os diferentes tipos de epitélio de revestimento

comparar e contrastar as semelhanças e diferenças morfológicas e funcionais entre os diferentes tipos de epitélio de revestimento HISTOLOGIA DOS TECIDOS FUNDAMENTAIS Aula 1. Tecido epitelial e conjuntivo comum TECIDO EPITELIAL OBJETIVOS PARA O TEMA: os alunos deverão ser capazes de... descrever as características e funções gerais

Leia mais

AULA PRÁTICA 19 SISTEMA URINÁRIO

AULA PRÁTICA 19 SISTEMA URINÁRIO AULA PRÁTICA 19 SISTEMA URINÁRIO O sistema urinário funciona para eliminar materiais tóxicos e para manter o equilíbrio líquido e salino do corpo. Este sistema consiste de pares de rins e ureteres, a bexiga

Leia mais

BIOLOGIA. Histologia. Professora: Brenda Braga

BIOLOGIA. Histologia. Professora: Brenda Braga BIOLOGIA Histologia Professora: Brenda Braga Histologia (Estudo dos Tecidos) Tecidos conjunto de células especializadas em realizar uma ou mais funções. Células-tronco São praticamente indiferenciadas

Leia mais

BA.17: Homeostase, excreção e homeotermia BIOLOGIA

BA.17: Homeostase, excreção e homeotermia BIOLOGIA ATIVIDADES. (UFPE 006) Com relação ao processo de formação da urina, no homem, é correto afirmar que: ( ) Como a filtração glomerular é um processo de alta seletividade, as vitaminas e os aminoácidos não

Leia mais

Roteiro para acompanhamento das aulas práticas de Histologia

Roteiro para acompanhamento das aulas práticas de Histologia Departamento de Morfologia do Instituto de Ciências Biológicas Disciplina de Histologia e Embriologia VI 1º período de Medicina Professor Lúcio Henrique de Oliveira Roteiro para acompanhamento das aulas

Leia mais

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia Ramo da Biologia que estuda os tecidos; Tecido - é um conjunto de células, separadas ou não por substâncias intercelulares e que realizam determinada

Leia mais

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA Biologia Tecidual III BCM-109

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA Biologia Tecidual III BCM-109 Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS Av. Prof. Lineu Prestes, 1.524 Cep. 05508-000 São Paulo, SP - Brasil Telefone :(55) (11)

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia I GALINHA. Lâmina F3-01. Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia I GALINHA. Lâmina F3-01. Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal ACERVO DIGITAL FASE II Embriologia I GALINHA Lâmina F3-01 Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal de 100x: É possível observar-se os três folhetos embrionários, ectoderme, mesoderme e endoderme

Leia mais

Apostila de Biologia 06 Sistema Excretor Fábio Henrique

Apostila de Biologia 06 Sistema Excretor Fábio Henrique 1.0 Excreção Apostila de Biologia 06 Sistema Excretor Fábio Henrique É a Eliminação de subprodutos do metabolismo celular. 1.1 Homeostase É uma condição na qual o meio interno do corpo permanece dentro

Leia mais

Histologia Animal. - Estuda a classificação, estrutura, distribuição e função dos tecidos animais.

Histologia Animal. - Estuda a classificação, estrutura, distribuição e função dos tecidos animais. Histologia Animal - Estuda a classificação, estrutura, distribuição e função dos tecidos animais. - Tecidos: Grupamento de células harmonizadas e diferenciadas que realizam uma determinada função. - Principais

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Professora Melissa Kayser

TECIDO EPITELIAL. Professora Melissa Kayser TECIDO EPITELIAL Professora Melissa Kayser Tecido Epitelial Introdução Tecido que reveste a superfície externa do corpo e as cavidades internas. Desempenha várias funções: Proteção do corpo (pele) Percepção

Leia mais

Roteiro de aulas práticas Capítulo 12

Roteiro de aulas práticas Capítulo 12 Roteiro de aulas práticas Capítulo 12 Nomeie os componentes do microscópio de luz. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Microscópio de luz modelo Axiostar da Zeiss. 10 11 12 13 14 15 16 17 18 153 154 Unidade: Célula Lâm.

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Prof. Me. Leandro Parussolo

TECIDO EPITELIAL. Prof. Me. Leandro Parussolo TECIDO EPITELIAL Prof. Me. Leandro Parussolo Tecido Epitelial Introdução Tecido que reveste a superfície externa do corpo e as cavidades internas dos animais Desempenha várias funções: proteção do corpo

Leia mais

Sistema excretor. Profº Fernando Belan - BIOLOGIA MAIS

Sistema excretor. Profº Fernando Belan - BIOLOGIA MAIS Sistema excretor Profº Fernando Belan - BIOLOGIA MAIS introdução Elimina as excretas, isto é, as substâncias tóxicas. Principalmente das substâncias que contêm nitrogênio (excretas nitrogenadas) A quebra

Leia mais

Sistema Respiratório. Prof. a Dr. a Tatiana Montanari Departamento de Ciências Morfológicas ICBS UFRGS

Sistema Respiratório. Prof. a Dr. a Tatiana Montanari Departamento de Ciências Morfológicas ICBS UFRGS Sistema Respiratório Prof. a Dr. a Tatiana Montanari Departamento de Ciências Morfológicas ICBS UFRGS FUNÇÕES VIAS AÉREAS SUPERIORES VIAS AÉREAS INTRAPULMONARES FUNÇÕES Eliane de Oliveira Borges, UFRGS

Leia mais

Sistema Respiratório Capítulo 9

Sistema Respiratório Capítulo 9 Sistema Respiratório Capítulo 9 1 VIAS AÉREAS SUPERIORES Eliane de Oliveira Borges, UFRGS Figura 9.1 - Ilustração do sistema respiratório. Fonte: Montanari, T.; Borges, E. O. Museu virtual do corpo humano.

Leia mais

1. A figura 1 representa a transmissão de um impulso nervoso ao longo do axónio de um neurónio.

1. A figura 1 representa a transmissão de um impulso nervoso ao longo do axónio de um neurónio. BIOLOGIA E GEOLOGIA 11º ANO ANO LECTIVO 2009/2010 NOME DO ALUNO PROFESSORA: Isabel Dias N.º Classificação: Mini-teste 2 1. A figura 1 representa a transmissão de um impulso nervoso ao longo do axónio de

Leia mais

Sistema Circulatório. Diogo Magalhães Cavaco Instituto de Histologia e Embriologia Faculdade de Medicina de Lisboa 2006

Sistema Circulatório. Diogo Magalhães Cavaco Instituto de Histologia e Embriologia Faculdade de Medicina de Lisboa 2006 Sistema Circulatório Diogo Magalhães Cavaco Instituto de Histologia e Embriologia Faculdade de Medicina de Lisboa 2006 Aparelho cardiovascular Pulmão Artéria pulmonar Veias pulmonares Órgãos e tecidos

Leia mais

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial Cap.4 PLT

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial Cap.4 PLT HISTOLOGIA Tecido Epitelial Cap.4 PLT Células geralmente poliédricas (justapostas). Pouca substância extracelular Funções: - revestimento, - absorção, - excreção - secreção, - proteção, - sensorial. Avascular.

Leia mais

Profª MSc Monyke Lucena

Profª MSc Monyke Lucena Profª MSc Monyke Lucena Átomos Compostos químicos Célula Tecidos Órgão Sistema Organismo Os animais apresentam diferentes tipos de tecidos, que se agrupam de acordo com sua função. É possível distinguir

Leia mais

REVISÃO DIGESTÓRIO/CIRCULATÓRIO/ EXCRETOR/RESPIRATÓRIO

REVISÃO DIGESTÓRIO/CIRCULATÓRIO/ EXCRETOR/RESPIRATÓRIO REVISÃO DIGESTÓRIO/CIRCULATÓRIO/ EXCRETOR/RESPIRATÓRIO SISTEMA DIGESTÓRIO D I G E S T Ó R I O BOCA FARINGE ESÔFAGO Pepsina Ptialina Suco Gástrico ESTÔMAGO (pancrezimina e secretina) ÂNUS RETO Suco Pancreático

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia. I Anfíbios. Lâmina F Mórula da Rã

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia. I Anfíbios. Lâmina F Mórula da Rã ACERVO DIGITAL FASE II Embriologia I Anfíbios Lâmina F2-01 1.Mórula da Rã de 40x: Observar os macrômeros (células maiores) e os micrômeros (células menores). Nesta fase ainda não há cavidade na figura

Leia mais

Sistema Reprodutor Feminino

Sistema Reprodutor Feminino Lâmina 72A: Ovário infantil e trompas uterinas OVÁRIO: (opção lâmina 35 caixa B) Região do Hilo: vasos sanguíneos, inervação e tecido conjuntivo denso Superfície do ovário -epitélio germinativo: tecido

Leia mais

HISTOLOGIA ANIMAL. Estudos dos principais tecidos animais. 05/08/2014 Telmo Giani - Direitos Protegidos 1

HISTOLOGIA ANIMAL. Estudos dos principais tecidos animais. 05/08/2014 Telmo Giani - Direitos Protegidos 1 HISTOLOGIA ANIMAL Estudos dos principais tecidos animais 05/08/2014 Telmo Giani - Direitos Protegidos 1 Níveis de Organização do Corpo Humano No corpo humano existem vários grupos de células semelhantes

Leia mais

Histologia histologia é a ciência que estuda os tecidos do corpo humano. Os tecidos são formados por grupos de células de forma e função semelhantes.

Histologia histologia é a ciência que estuda os tecidos do corpo humano. Os tecidos são formados por grupos de células de forma e função semelhantes. Histologia histologia é a ciência que estuda os tecidos do corpo humano. Os tecidos são formados por grupos de células de forma e função semelhantes. Histologia CÉLULAS TECIDOS ORGÃOS ORGANISMOS SISTEMAS

Leia mais

AULA PRÁTICA 17 - SISTEMA DIGESTÓRIO II -

AULA PRÁTICA 17 - SISTEMA DIGESTÓRIO II - AULA PRÁTICA 17 - SISTEMA DIGESTÓRIO II - LÂMINA Nº 42 - PASSAGEM PILORO-DUODENAL - HE Neste corte longitudinal observe em uma das extremidades o piloro gástrico e na outra, o início do duodeno. Examinando

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Prof. Cristiane Oliveira

TECIDO EPITELIAL. Prof. Cristiane Oliveira TECIDO EPITELIAL Prof. Cristiane Oliveira Tecido Epitelial Tecido que reveste a superfície externa do corpo e as cavidades internas dos animais Desempenha várias funções: proteção do corpo (pele) absorção

Leia mais

Sistema Digestório Disciplina Citologia e Histologia II. Docente: Sheila C. Ribeiro Setembro/2015

Sistema Digestório Disciplina Citologia e Histologia II. Docente: Sheila C. Ribeiro Setembro/2015 Sistema Digestório Disciplina Citologia e Histologia II Docente: Sheila C. Ribeiro Setembro/2015 Sistema Digestório de Ruminantes Definição Vegetais Fibrosos Volumosos Estômago Aglandular Estômago Glandular

Leia mais

PRÁTICAS DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

PRÁTICAS DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA 1 PRÁTICAS DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA Período: 2.º Turno: Noturno Data: / /2016 Disciplina: Histologia e Embriologia Professor(a): Sara Tatiana Moreira Acadêmico(a): R.A. Lembretes para o bom andamento

Leia mais

Ciências Ensino Fundamental, 8º Ano Caracterização dos órgãos que constituem o sistema urinário, suas funções e os principais excretas

Ciências Ensino Fundamental, 8º Ano Caracterização dos órgãos que constituem o sistema urinário, suas funções e os principais excretas Ciências Ensino Fundamental, 8º Ano Caracterização dos órgãos que constituem o sistema urinário, suas funções e os principais excretas Imagem: Schlomo Wiggins/ This image is free to use for any purpose

Leia mais

Disciplina: HISTOLOGIA PROFESSORA: JULIANA TAVARES

Disciplina: HISTOLOGIA PROFESSORA: JULIANA TAVARES Disciplina: HISTOLOGIA PROFESSORA: JULIANA TAVARES 2017 CONTEÚDO 2 TECIDO EPITELIAL CORTES HISTOLÓGICOS CONSTITUIÇÃO HISTOLÓGICA Células poliédricas justapostas Epitélio apoiado sobre tecido conjuntivo

Leia mais

Músculo estriado esquelético:

Músculo estriado esquelético: Músculo estriado esquelético: Organização do músculo m esquelético: Epimísio Perimísio Endomísio Anatomia fisiológica do músculo m esquelético Sarcolema: Miofibrilas: Actina,, miosina, tropomiosina,

Leia mais

Tecidos Epiteliais e Conjuntivos

Tecidos Epiteliais e Conjuntivos Tecidos Epiteliais e Conjuntivos Aula ao Vivo O termo histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) refere-se ao estudo dos tecidos biológicos de animais e plantas, sua formação, estrutura e função.

Leia mais

Tecido Epitelial de Revestimento

Tecido Epitelial de Revestimento Tecido Epitelial de Revestimento Prof. a Dr a. Sara Tatiana Moreira UTFPR Campus Santa Helena 1 Tecido Epitelial Revestimento Secreção/ Glandular 2 1 Revestimento das superfícies corporais externas 3 Revestimento

Leia mais

devido ao elevado de folículos linfóides. Estes podem estender-se para a lâmina própria. A camada muscular é espessa e capaz de poderosa actividade

devido ao elevado de folículos linfóides. Estes podem estender-se para a lâmina própria. A camada muscular é espessa e capaz de poderosa actividade Apêndice Íleo-Cecal Nesta lâmina observa-se uma preparação de apêndice ileo-cecal, que é um pequeno saco tubular de fundo cego, que se estende a partir do cego, imediatamente à junção ileo-cecal. Tem uma

Leia mais

TECIDO MUSCULAR CONTINUAÇÃO...

TECIDO MUSCULAR CONTINUAÇÃO... TECIDO MUSCULAR CONTINUAÇÃO... MÚSCULO CARDÍACO Células alongadas e ramificadas Se prendem por meio de junções intercelulares complexas Estriações transversais Um ou dois núcleos centralmente Circundadas

Leia mais

HISTOLOGIA. Tecido Conjuntivo

HISTOLOGIA. Tecido Conjuntivo HISTOLOGIA Tecido Conjuntivo Tecido Conjuntivo Constituição: Células Matriz Extracelular: Fibras colágenas, elásticas e reticulares Substância Fundamental Amorfa glicosaminoglicanas e proteínas Líquido

Leia mais

Uma grande área da biologia é responsável pelo estudo das reações químicas que acontecem no nosso organismo, chamada Fisiologia Humana

Uma grande área da biologia é responsável pelo estudo das reações químicas que acontecem no nosso organismo, chamada Fisiologia Humana Aula 1 Fisiologia Humana Nosso organismo ele necessita de alguns elementos para manter o funcionamento perfeito, são eles: água, ar, alimento e etc, se alguns desses faltar no organismo, o mesmo vai reagir

Leia mais