ESTÁGIO SUPERVISIONADO E SUA IMPORTÂNCIA NA FORMAÇÃO DO FUTURO PROFESSOR DE GEOGRAFIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO SUPERVISIONADO E SUA IMPORTÂNCIA NA FORMAÇÃO DO FUTURO PROFESSOR DE GEOGRAFIA"

Transcrição

1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO E SUA IMPORTÂNCIA NA FORMAÇÃO DO FUTURO PROFESSOR DE GEOGRAFIA Rudimar da Rocha Lyra Rebello 1 Claudiane da Costa 1 Jacieli Fatima Lyra Rebello 1* 1 Universidade Estadual do Centro-Oeste UNICENTRO Resumo: Esse trabalho consiste no relato de experiência vivenciado pelos acadêmicos do quarto ano do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual do Centro-Oeste UNICENTRO. O estágio supervisionado, além de uma exigência acadêmica é a oportunidade de crescimento pessoal e profissional dos licenciandos. Como primeiro contato com a sala de aula foram feitas observações e posteriormente preparação de plano de aula apoiado no projeto político pedagógico da escola. As aulas foram ministradas com a observação do professor responsável pela disciplina de geografia na escola e avaliadas pelo professor da disciplina da graduação. A disciplina foi estruturada na apresentação das aulas em classe e também em discussões das mesmas entre os colegas e o professor responsável pela disciplina. Dessa forma potencializa-se o poder dessa disciplina na formação docente. O estágio oportunizou aos alunos a observação, a pesquisa, o planejamento, a execução e a avaliação de diferentes atividades pedagógicas. Portanto a disciplina de Estágio Supervisionado está estruturada de forma a potencializar a formação dos acadêmicos, podendo ser adotada por outras instituições. Palavras-chave: Licenciatura em Geografia; Estágio Supervisionado; Formação Discente. Introdução Os cursos de licenciatura, em geral, seguem segundo Lüdke, o seguinte modelo: rígida fundamentação teórica de conteúdos específicos de cada área e disciplinas pedagógicas, em início. Essa primeira etapa visa à fundamentação dos licenciandos em sua futura atividade docente, e são oferecidas, ao final do curso disciplinas de estágio supervisionado possibilitando ao graduando a aplicação dos conhecimentos adquiridos pela teoria. (Lüdke, 2009).

2 A prática de estágio constitui a necessária articulação da formação inicial com a prática profissional sendo um momento de experiências importantes onde o professor pode construir seu reservatório de saberes teóricos e práticos, e ainda dar para o futuro professor o entendimento a docência como profissão que se realiza em espaços e tempos específicos, levando em conta que estamos em mundo de constantes mudanças (Maciel e Mendes, 2010). Bittencourt et al, ressaltam em seu trabalho a função do acadêmico durante a prática da disciplina: O estagiário durante sua permanência na escola verifica como é o ambiente escolar, a sala de aula, como acontece o processo de interação entre professor e aluno. Observações criteriosas proporcionaram aos futuros professores noções de como se dá o ensino-aprendizagem de geografia nos primeiros anos da educação básica. Posteriormente, durante o exercício da profissão, os saberes construídos durante as experiências do estágio, proporcionará a estes docentes a possibilidade de ministrarem seus conhecimentos de forma a facilitar a aprendizagem de seus alunos de maneira clara e concisa (Bittencourt, Miquelin e Silva, 2007). O estágio, portanto, pode ser considerado um enriquecedor acadêmico, sendo indispensável para o discente em formação. Segundo Lüdke ele representa a oportunidade de articulação entre teoria e prática, ambas indispensáveis à formação docente (Lüdke, 2009). Tem-se claro durante a realização das disciplinas de estágio supervisionado no Curso de Licenciatura em Geografia da UNICENTRO, a importância evidente dessa disciplina, desde o momento em que o discente começa a pensar sua profissão e planejar suas aulas, passando por um momento de reflexão sobre o ensino e as suas práticas. O estágio supervisionado vai além do cumprimento de uma exigência acadêmica, ele é a oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Um docente bem qualificado exerce seu papel de cidadão dentro do contexto social quando atua como um multiplicador de conhecimentos, contribuindo para a formação de mais cidadãos

3 (Bernardy e Paz, 2012). Além do esforço realizado pelo acadêmico é necessária também a participação da Universidade servindo como suporte. Este é um grande momento onde pode acontecer a relação Universidade e escola, nesta interação os dois lados ganham com a formação de um novo profissional, levando novos conhecimentos para a sociedade. O professor precisa saber desenvolver habilidades que condizem à prática, conforme diversas situações em que ocorre o ensino, traçar objetivos do que se pretende alcançar com determinada técnica, articulando teoria prática e habilidades desenvolvidas (Borssoi, 2008). O professor precisa ter conhecimento científico, prático e técnico e todos estes conhecimentos serão adquiridos ao longo de sua prática, sendo iniciados em seu período de estágio. O estágio propicia aos futuros professores a interação com seu campo de atuação, e ainda possibilita a oportunidade de participar de diversas situações de ensino aprendizagem e os desafios da prática pedagógica (Maciel e Mendes, 2010). A prática de ensino mediada pelo estágio supervisionado promove a unidade entre a teoria e a prática. O contexto relacional entre práticateoria-prática apresenta relevância na formação do professor, visto que promove a compreensão do conceito de unidade, isto é, a relação necessária entre teoria e prática e não apenas sua justaposição ou dissociação. Além de que, o conhecimento da realidade escolar favorece reflexões sobre a prática do estagiário, possibilitando o desenvolvimento de prática criativa e transformadora pela aplicação de teorias que sustenta o trabalho do professor. Assim, a sua práxis educativa concretiza-se mediante a aplicação de metodologias de ensino, planejamento e verificação da aprendizagem em um processo de ação-reflexão-ação, revela a educação como prática questionadora, que tem como base os seguintes aspectos: a intencionalidade, a natureza social, a necessária ação conjunta, e a sua realização como trabalho humano (BARROS, SILVA e VÁSQUEZ). Entende-se portanto que a discussão sobre o estágio é necessária. Somente o estágio não é suficiente para a preparação docente, mas quando realizado com comprometimento oportuniza o discente de licenciatura a uma formação com maior qualidade.

4 Objetivos Descrição breve sobre o Estágio Supervisionado realizado pelos acadêmicos do quarto ano de Licenciatura em Geografia da UNICENTRO; Discutir a importância de Estágio Supervisionado na formação docente; Avaliar a disciplina de Estágio Supervisionado do Curso de Licenciatura em Geografia da UNICENTRO. Metodologia Segundo a ementa curricular do Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual do Centro-Oeste UNICENTRO as disciplinas de Estágio Supervisionado em Geografia I e II têm como objetivo o desenvolvimento de atividades de estágio, imersão no campo de trabalho, que propiciem ao professor em formação o contato com experiências, práticas e conhecimentos de natureza profissional. Prática de ensino planejada e realizada no estágio (Regência de Classe, na modalidade de ensino fundamental em parceria com o docente de Geografia da escola). Atuar em atividades em sala de aula e extraescolares, com a supervisão/parceria do docente da escola). Estágio enquanto campo de pesquisa no ensino de Geografia. Em concordância com Bittencourt et al, considera-se que o objetivo do Estágio Supervisionado é oportunizar ao aluno a observação, a pesquisa, o planejamento, a execução e a avaliação de diferentes atividades pedagógicas (Bittencourt, Miquelin e Silva, 2007). No inicio das atividades de estágio foram feitas observações, como primeiro contato com a sala de aula. A partir da observação e considerando os conteúdos previstos no projeto político pedagógico da escola, preparou-se o plano de aula, qual é revisado pelo professor que ministra a disciplina de Estágio Supervisionado. Em seguida são ministradas as aulas planejadas com a observação do professor responsável pela disciplina de geografia na escola.

5 Ao termino das aulas foi entregue ao professor um relatório descritivo das atividades realizadas em sala, após a correção do relatório foram feitas discussões sobre a importância da disciplina de estágio. Considerações Finais Diante da argumentação apresentada nesse trabalho, observamos que o estágio supervisionado fornece ao licenciando a oportunidade da experiência na prática, e aprendizagem sobre o planejamento e excussão das aulas, momentos que são importantes para o crescimento pessoal e profissional do futuro professor de Geografia. Pode-se observar durante a realização das aulas de estágio e nas discussões posteriores às aulas que o ensino deve estar em constante transformação. Indicando o estágio, com sua possibilidade de articulação entre teoria e prática, como ponto de partida da formação docente. Pois essa formação é continuada durante todos os anos de pratica docente. Ressalta-se então a importância da disciplina de estágio sendo estruturada não somente na apresentação das aulas em classe, mas também na discussão das mesmas entre os colegas e o professor responsável pela disciplina. Dessa forma potencializa-se o poder dessa disciplina na formação docente. Cabe ao licenciando aproveitar e valorizar esta oportunidade que lhe está sendo dada, pois a mesma propicia as realidades da sala de aula, busca-se uma nova educação e acredita que ela muda a realidade de muitos sujeitos sendo o professor um ponto chave da melhoria da qualidade do ensino. Conclui-se portanto, que a disciplina de Estágio Supervisionado I e II do Curso de Licenciatura em Geografia da UNICENTRO, está estruturada e ocorre de forma a potencializar a formação dos acadêmicos, podendo ser adotada por outras instituições.

6 Referências BARROS, J. D. S.; SILVA, M. F. P.; VÁSQUEZ, S. F. A Prática Docente Mediada pelo Estágio Supervisionado. Atos De Pesquisa Em Educação - PPGE/ME FURB, ISSN v. 6, n. 2, p , mai./ago BERNARDY, K. e PAZ, D.M.T. Importância do Estágio Supervisionado para a Formação de Professores. XVII Seminário Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão Universidade de Cruz Alta UNICRUZ, BITTENCOURT, L. L.; MIQUELIN, M. J.; SILVA, V. P. Estágio Supervisionado Obrigatório em Geografia: Uma Experiência na Educação Infantil e Séries Iniciais da Educação Básica. Caminhos de Geografia - revista on line ISSN Uberlândia v. 8, n. 23 Edição Especial p , BORSSOI, B. L. O Estágio na Formação Docente: da Teoria a Prática, Ação- Reflexão. 1º Simpósio Nacional de Educação XX Semana de Pedagogia Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE, LÜDKE, M. Universidade, Escola de Educação Básica e o Problema do Estágio na Formação de Professores. Revista Brasileira de Pesquisa Sobre Formação Docente - Belo Horizonte, v. 01, n. 01, p , ago./dez MACIEL, E. M e MENDES, B. M. M. O Estágio Supervisionado na Formação Inicial: Algumas Considerações. VI Encontro de Pesquisa em Educação Universidade Federal do Piauí UFPI, 2010.

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES 1 O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO INICIAL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES Emanoela Moreira Maciel¹ - UFPI - luaemanoela@hotmail.com Prof. Dra. Bárbara Maria Macedo Mendes² UFPI - barbarammendes@hotmail.com

Leia mais

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial NOME DO CURSO: O Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para estudantes surdos e/ou com deficiência auditiva Nível: Especialização Modalidade: Presencial Parte 1 Código / Área Temática Código

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I E II NA GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA PLENA EM GEOGRAFIA E SEUS ENFRENTAMENTOS

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I E II NA GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA PLENA EM GEOGRAFIA E SEUS ENFRENTAMENTOS O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I E II NA GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA PLENA EM GEOGRAFIA E SEUS ENFRENTAMENTOS Gisélio Marques Pequeno Filho Graduado em Geografia pela UEPB giseliodedeus@gmail.com Maria Juliana

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS ANEXO A SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS REGULAMENTO ESPECÍFICO DOS COMPONENTES CURRICULARES PRÁTICAS DE ENSINO DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EM GEOGRAFIA: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EM GEOGRAFIA: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA http://www.ig..br/revista/caminhos.html ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EM GEOGRAFIA: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RESUMO Lorenna Lorrayne Bittencourt Bolsista

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí. Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente

Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí. Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente Itaberaí 2012 Sebastião Alonso Júnior Diretor da Unidade

Leia mais

III-Compreender e vivenciar o funcionamento e a dinâmica da sala de aula.

III-Compreender e vivenciar o funcionamento e a dinâmica da sala de aula. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Artigo 1º -O Estágio Supervisionado de que trata este regulamento refere-se à formação de licenciados em Pedagogia

Leia mais

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE 1 MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE Olinda PE Agosto / 2014 2 Introdução As atividades complementares representam um conjunto de atividades extracurriculares que

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

A Educação de Jovens e Adultos no Currículo da Licenciatura em Matemática: o caso da UFSCar

A Educação de Jovens e Adultos no Currículo da Licenciatura em Matemática: o caso da UFSCar A Educação de Jovens e Adultos no Currículo da Licenciatura em Matemática: o caso da UFSCar Resumo Fabiana Brianez* Renata Prenstteter Gama** Esse trabalho tem como objetivo analisar o currículo do curso

Leia mais

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI Maria Antonia Alves Lima Graduanda em Pedagogia /UFPI Bárbara Maria Macedo

Leia mais

PROJETO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

PROJETO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI PROJETO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENADORA DE CURSO Profª. Ms. Marta Virgínea Machado Klein COORDENADORA DE

Leia mais

2. O ENSINO DE ARTE NA REALIDADE BRASILEIRA

2. O ENSINO DE ARTE NA REALIDADE BRASILEIRA O ENSINO DAS ARTES EM SALA DE AULA NA REALIDADE BRASILEIRA 1 FERREIRA, C. Fernanda 2 ; PRETTO, Valdir 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Acadêmica do Curso de Pedagogia do Centro Universitário Franciscano

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS/PORTUGUÊS LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS/PORTUGUÊS LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS/PORTUGUÊS LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA PROF. DR. DANIEL ARIAS VAZQUEZ DIRETOR ACADÊMICO DO CAMPUS GUARULHOS PROFA. DRA. FRANCINE

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu. ISSN 2316-7785 A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.br Resumo O artigo é resultado da análise de

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-PORTUGUÊS/INGLÊS LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-PORTUGUÊS/INGLÊS LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-PORTUGUÊS/INGLÊS LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA PROF. DR. DANIEL ARIAS VAZQUEZ DIRETOR ACADÊMICO DO CAMPUS GUARULHOS PROFA. DRA.

Leia mais

Universidade de São Paulo USP

Universidade de São Paulo USP Abordagem Interdisciplinar em Ciências da Natureza e Matemática para o Ensino Básico em diferentes regiões do Estado de São Paulo (Projeto: 66472). Leila Maria Beltramini, Esther Pacheco de Almeida Prado,

Leia mais

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Abril / 2014 Apresentação O Estágio Supervisionado em Serviço Social é um ato educativo que acontece no ambiente de trabalho e

Leia mais

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã ção o das IFES (Açõ ções propostas em discussão) o) Objetivo Geral Consolidar e expandir os programas de formaçã ção o pós-graduada p de pessoas pelas Instituiçõ

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA Universidade Federal de Goiás Instituto de Química ORIENTAÇÕES E NORMAS SOBRE O ESTÁGIO CURRICULAR PARA ESTUDANTES DO CURSO DE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2010 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE DIVINÓPOLIS-ISED REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE DIVINÓPOLIS

RESOLUÇÃO Nº 02/2010 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE DIVINÓPOLIS-ISED REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE DIVINÓPOLIS RESOLUÇÃO Nº 02/2010 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE DIVINÓPOLIS-ISED Estabelece critérios a serem considerados para o desenvolvimento do Estágio Supervisionado dos Cursos de Licenciatura do ISED. Instituto

Leia mais

Palavras- chaves: Formação de Professores, Estágio Supervisionado, Saberes, Ensino Fundamental.

Palavras- chaves: Formação de Professores, Estágio Supervisionado, Saberes, Ensino Fundamental. ESTÁGIO SUPERVISIONADO: DESAFIOS E CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO INICIAL DO DOCENTE NO CURSO DE PEDAGOGIA. 1 Autora: Ariana da Silva Medeiros 2 ariana.bombom@bol.com.br Coautor: Gilmara Gomes da Silva gilmaragomes@hotmail.com

Leia mais

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL ISSN 2316-7785 PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Ivanete Zuchi Siple ivazuchi@gmail.com Marnei Mandler mmandler@gmail.com Tatiana Comiotto Menestrina comiotto.tatiana@gmail.com

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO I- DA EXIGÊNCIA - Resolução CNE/CP 1/ 2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura,

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3

CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3 CAPES - ÁREA DE ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ÁREA 46 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA PROGRAMAS ACADÊMICOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3 Para obter nota

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DE ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIMONTES

REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DE ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIMONTES REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DE ALUNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIMONTES 1. DA REGULAMENTAÇÃO E DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA Para a realização do Estágio de Docência,

Leia mais

A FORMAC AO DE PROFESSORES NO BRASIL: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

A FORMAC AO DE PROFESSORES NO BRASIL: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS 1 A FORMAC AO DE PROFESSORES NO BRASIL: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Paini, Leonor Dias * Greco, Eliana Alves ** Amblard, Viviane Maria Lauer Bressan *** RESUMO: Este trabalho objetiva refletir sobre a situacionalidade

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

O PEDAGOGO E A EDUCAÇÃO INFANTIL: LIMITES, DESAFIOS E POSSIBILIDADES.

O PEDAGOGO E A EDUCAÇÃO INFANTIL: LIMITES, DESAFIOS E POSSIBILIDADES. O PEDAGOGO E A EDUCAÇÃO INFANTIL: LIMITES, DESAFIOS E POSSIBILIDADES. ALAN ROBERTO FRUHLING 1 ELENITA CONEGERO PASTOR MANCHOPE 2 FABIANE ANDRÉIA FELDKIRCHER 3 LURDES TEREZINHA SPIES ULLMANN 4 MAYSA REGINA

Leia mais

CADERNO DE PLANEJAMENTO DO PIBID: DISPOSITIVOS DE REFLEXÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS BOLSISTAS DE PEDAGOGIA

CADERNO DE PLANEJAMENTO DO PIBID: DISPOSITIVOS DE REFLEXÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS BOLSISTAS DE PEDAGOGIA CADERNO DE PLANEJAMENTO DO PIBID: DISPOSITIVOS DE REFLEXÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS BOLSISTAS DE PEDAGOGIA RESUMO: Camila Palmeira Ferreira Arouca Bolsista de Supervisão PIBID / UNEB

Leia mais

ISSN: 1981-3031 O USO DO PORTFÓLIO: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO CURSO NORMAL.

ISSN: 1981-3031 O USO DO PORTFÓLIO: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO CURSO NORMAL. O USO DO PORTFÓLIO: CONTRIBUIÇÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO CURSO NORMAL. Autores: Leila Carla dos Santos Quaresma¹ leilac.pedagogia@gmail.com Profª Dr. Maria Aparecida Pereira Viana² vianamota@gmail.com

Leia mais

PESQUISA E FORMAÇ ÃO DOCENTE: APONTAMENTOS TEÓRICOS RESUMO

PESQUISA E FORMAÇ ÃO DOCENTE: APONTAMENTOS TEÓRICOS RESUMO PESQUISA E FORMAÇ ÃO DOCENTE: APONTAMENTOS TEÓRICOS Giseli Barreto da CRUZ RESUMO No presente texto, buscamos discutir a questão da pesquisa na formaçã o e atuaçã o do professor, assumindo como eixo principal

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO Regulamento do Estágio Supervisionado de prática Jurídica CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º - A presente norma de Estágio Supervisionado refere-se à formação de bacharéis em Direito

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS - PORTUGUÊS/ESPANHOL LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS - PORTUGUÊS/ESPANHOL LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS - PORTUGUÊS/ESPANHOL LICENCIATURA PROFA. DRA. SORAYA SOUBHI SMAILI REITORA PROF. DR. DANIEL ARIAS VAZQUEZ DIRETOR ACADÊMICO DO CAMPUS GUARULHOS PROFA.

Leia mais

Faculdade Marista Regulamento de Monitoria

Faculdade Marista Regulamento de Monitoria Faculdade Marista Regulamento de Monitoria INTRODUÇÃO Art. 1º - O presente Regulamento regula e disciplina a atividade acadêmica da MONITORIA para estudantes do Cursos de Graduação da Faculdade Marista,

Leia mais

Fundação de Ensino Superior de Cajazeiras - FESC Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras - FAFIC

Fundação de Ensino Superior de Cajazeiras - FESC Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Cajazeiras - FAFIC REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA Art. 1º As atividades acadêmico-científico-culturais, denominadas atividades complementares, compreendem

Leia mais

Palavras-chave: sala de recursos multifuncionais, formação inicial de professores, ensino de ciências

Palavras-chave: sala de recursos multifuncionais, formação inicial de professores, ensino de ciências SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS: UM ESPAÇO DE FORMAÇÃO PARA LICENCIANDOS DE QUÍMICA E BIOLOGIA Josimar Ferreira de Jesus 1* ; Mariane Rocha Costa 1 ; Ivete Maria dos Santos 1 ; Thereza Angélica Santos

Leia mais

LABORATÓRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

LABORATÓRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA LABORATÓRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA (UnB): IDEALIZAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E ATIVIDADES REALIZADAS. Mariana de SenziZancul (Docente do Núcleo de Educação

Leia mais

Faculdade de Alta Floresta - FAF REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE ALTA FLORESTA - FAF

Faculdade de Alta Floresta - FAF REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE ALTA FLORESTA - FAF REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE ALTA FLORESTA - FAF Alta Floresta/2011 Sumário DA FINALIDADE E DA COORDENAÇÃO 03 DOS OBJETIVOS 04 DO CURRÍCULO E DA CARGA HORÁRIA

Leia mais

FACULDADE PRUDENTE DE MORAES MANUAL DE ATIVIDADE COMPLEMENTAR

FACULDADE PRUDENTE DE MORAES MANUAL DE ATIVIDADE COMPLEMENTAR FACULDADE PRUDENTE DE MORAES MANUAL DE ATIVIDADE COMPLEMENTAR DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES OFERECIDAS a) ESTÁGIOS NÃO CURRICULARES Exercício de estágios não curriculares deverá ser realizado de acordo com

Leia mais

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Educação Física CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO II DA NATUREZA

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Educação Física CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO II DA NATUREZA Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Educação Física CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º Os Estágios Supervisionados de formação no Curso de Educação Física/FAED/UFGD

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 1 Programa Institucional de Bolsa a Iniciação a Docência do Curso de Educação Física Licenciatura da Universidade Federal de Santa

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO forma: A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte 1. Primeiro contato com a administração e o serviço de supervisão

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste

Universidade Estadual do Centro-Oeste EDITAL N 01/2013 - PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROEN PLI - PROGRAMA DE LICENCIATURAS INTERNACIONAIS DA SELEÇÃO INTERNA DE LICENCIANDOS PARA O PLI PORTUGAL - EDITAL Nº 017/2013-CAPES A Pró-Reitoria de Ensino

Leia mais

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior Area Profissional: 0004 - BIBLIOTECA Area de Atuacao: 0042 - ACERVO/BIBLIOTECA Analisar e processar

Leia mais

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS PLANILHA DE PACTUAÇÃO DAS - TCG Data da Validação: 31/03/2010 Data da Homologação: 12/04/2010 Revisão Nº:001 Pedido de Revisão: 30/03/2010 Portaria: 2.846 Data da Publicação: 25/11/2008 Estado: ESPIRITO

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇAO TUTORIAL COMO AÇÃO COLABORATIVA NA FORMAÇÃO DISCENTE BIBLIOTECÁRIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET BCI - UFSCar

PROGRAMA DE EDUCAÇAO TUTORIAL COMO AÇÃO COLABORATIVA NA FORMAÇÃO DISCENTE BIBLIOTECÁRIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET BCI - UFSCar 1 PROGRAMA DE EDUCAÇAO TUTORIAL COMO AÇÃO COLABORATIVA NA FORMAÇÃO DISCENTE BIBLIOTECÁRIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET BCI - UFSCar RESUMO Gabriela de Carvalho Cafruni 1 Vera Regina Casari Boccato

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Pedagogia CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Pedagogia CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Pedagogia CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º Os Estágios Supervisionados na Gestão e Docência da Educação Infantil e na

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Jocelma Tossin Martins (UNICENTRO), Rosângela Bujokas de Siqueira (Orientadora), e-mail: janja.bujokas@uol.com.br

Leia mais

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E AS PRÁTICAS DE LETRAMENTO NO ENSINO FUNDAMENTAL: REFLEXÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO DESENVOLVIDO NA PUCGOIÁS/GOIÂNIA

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E AS PRÁTICAS DE LETRAMENTO NO ENSINO FUNDAMENTAL: REFLEXÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO DESENVOLVIDO NA PUCGOIÁS/GOIÂNIA GT 13 - DIÁLOGOS ABERTOS SOBRE A EDUCAÇÃO BÁSICA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E AS PRÁTICAS DE LETRAMENTO NO ENSINO FUNDAMENTAL: REFLEXÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO DESENVOLVIDO NA PUCGOIÁS/GOIÂNIA Daniella

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA DA UFC CARIRI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA DA UFC CARIRI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA DA UFC CARIRI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. O presente documento tem por objetivo regulamentar e normatizar o conjunto

Leia mais

LOPES, Mirza da Costa 1 SANTOS, Margarete Teresinha Fabris de Oliveira 2 Faculdade Educacional da Lapa - FAEL

LOPES, Mirza da Costa 1 SANTOS, Margarete Teresinha Fabris de Oliveira 2 Faculdade Educacional da Lapa - FAEL O PIBID - UFAC 2013 (CAMPUS RIO BRANCO) - E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O DESEMPENHO ACADÊMICO E PARA APROVAÇÃO DE DISCENTES EM CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSORES DA REDE ESTADUAL LOPES, Mirza da Costa 1 SANTOS,

Leia mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA NO PARANÁ ATRAVÉS DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL (PDE)

A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA NO PARANÁ ATRAVÉS DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL (PDE) A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA NO PARANÁ ATRAVÉS DO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL (PDE) INTRODUÇÃO Ana Claudia Biz anaclaudiabiz@yahoo.com.br UNIOESTE-FBE O texto que segue

Leia mais

O PROCESSO REFLEXIVO E A REFLEXÃO CRÍTICA EM ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

O PROCESSO REFLEXIVO E A REFLEXÃO CRÍTICA EM ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN O PROCESSO REFLEXIVO E A REFLEXÃO CRÍTICA EM ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

ESTÁGIO DOCENTE EM MATEMÁTICA: INOVAR EXIGE CRIATIVIDADE

ESTÁGIO DOCENTE EM MATEMÁTICA: INOVAR EXIGE CRIATIVIDADE ISSN 2316-7785 ESTÁGIO DOCENTE EM MATEMÁTICA: INOVAR EXIGE CRIATIVIDADE Ângela Maria Hartmann Universidade Federal do Pampa angelahartmann@unipampa.edu.br Resumo Relata-se neste artigo o resultado da investigação

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA

A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Érica Ramos da Silva Egressa do Curso de Licenciatura da UEMS erica_ramos_silva@hotmail.com Antonio Sales Professor da

Leia mais

Juliana Andréa Oliveira Batista

Juliana Andréa Oliveira Batista PRÁTICAS DE LETRAMENTOS COM O USO DE CARTILHAS DAS MINIBIBLIOTECAS NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES DE ORIGEM KALUNGA DA TURMA V DA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, UNB. J 146 Juliana Andréa Oliveira Batista

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TOXINOLOGIA DO INSTITUTO BUTANTAN

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TOXINOLOGIA DO INSTITUTO BUTANTAN REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TOXINOLOGIA DO INSTITUTO BUTANTAN O DIRETOR TÉCNICO DO INSTITUTO BUTANTAN, DA SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO, dentro das atribuições legais, expede

Leia mais

ESPAÇO NÃO ESCOLAR: EXPERIENCIAS COM A LEITURA NO PROJETO BALE VIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO III RESUMO

ESPAÇO NÃO ESCOLAR: EXPERIENCIAS COM A LEITURA NO PROJETO BALE VIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO III RESUMO ESPAÇO NÃO ESCOLAR: EXPERIENCIAS COM A LEITURA NO PROJETO BALE VIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO III E. C. M. Q. Egressa do Curso de Pedagogia Universidade do Estado do Rio Grande do Norte UERN D. M. L. L. S.

Leia mais

Atividades complementares Festival ou mostra de: Atividades complementares visita a:

Atividades complementares Festival ou mostra de: Atividades complementares visita a: A1 Atividades complementares visita a: ( ) ACERVO OU RESERVA TÉCNICA DE MUSEU ( ) GALERIA DE ARTE ( ) ESPAÇO CULTURAL : A2 Atividades complementares Festival ou mostra de: ( ) VÍDEO ( ) CINEMA ( ) PERFORMANCE

Leia mais

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG Curso de Graduação Administração Modalidade a Distância Dados do Curso Contato Ver QSL e Ementas Universidade Federal do Rio Grande / FURG 1) DADOS DO CURSO: COORDENAÇÃO: Profª MSc. Suzana Malta ENDEREÇO:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DA FINALIDADE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO (OBRIGATÓRIO) Art.

Leia mais

ELABORAÇÃO DE SEMINÁRIO

ELABORAÇÃO DE SEMINÁRIO ELABORAÇÃO DE SEMINÁRIO Metodologia Científica Seminário: Definição?... Seminarium = sementeira, dá idéia de disseminar (semear idéias, podem germinar e gerar novos conhecimentos); LAKATOS (1996): seminário

Leia mais

OFICINA DE LEITURA E ESCRITA DA UNIJORGE. Palavras-chave: Leitura; Escrita; Aprendizagem; Ensino superior.

OFICINA DE LEITURA E ESCRITA DA UNIJORGE. Palavras-chave: Leitura; Escrita; Aprendizagem; Ensino superior. OFICINA DE LEITURA E ESCRITA DA UNIJORGE Ada Marques Porto Leal NOLE Núcleo Oficina de Leitura e Escrita 1 UNIJORGE coordnole@unijorge.edu.br Resumo: O artigo tem como objetivo apresentar o projeto desenvolvido

Leia mais

A TEORIA E A PRÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: O LIMITE DO POSSÍVEL

A TEORIA E A PRÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: O LIMITE DO POSSÍVEL V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 A TEORIA E A PRÁTICA NO CURSO DE PEDAGOGIA: O LIMITE DO POSSÍVEL Celeida Belchior Cintra Pinto 1 ; Maria Eleusa Montenegro

Leia mais

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Campo Grande/MS - Maio 2011

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Campo Grande/MS - Maio 2011 1 O PROCESSO DE FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO Campo Grande/MS - Maio 2011 Geise Cristina Lubas Grilo Universidade Anhanguera - Uniderp geisepedagogia@hotmail.com

Leia mais

SEMEART: A DANÇA EXPRESSIVA E EDUCATIVA PARA A COMUNIDADE JATAIENSE UFG/CAJ

SEMEART: A DANÇA EXPRESSIVA E EDUCATIVA PARA A COMUNIDADE JATAIENSE UFG/CAJ SEMEART: A DANÇA EXPRESSIVA E EDUCATIVA PARA A COMUNIDADE JATAIENSE UFG/CAJ REZENDE, Cláudia Moraes. CCEF/UFG/CAJ ALMEIDA, Cláudia Silva de. CCEF/UFG/CAJ MACÊDO, Keila Márcia Ferreira. CCEF/UFG/CAJ NETO,

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO. PEDAGOGIA Matriz 2007.1

MANUAL DE ESTÁGIO. PEDAGOGIA Matriz 2007.1 MANUAL DE ESTÁGIO PEDAGOGIA Matriz 2007.1 - MAGISTÉRIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL - MAGISTÉRIO NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS INICIAIS - MAGISTÉRIO NO ENSINO MÉDIO NA MODALIDADE NORMAL - EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

AULA SIMULADA: (RE)ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PARA O ENSINO DO PORTUGUÊS 1. Palavras-chave: formação de professoras; Aula Simulada; saberes docentes.

AULA SIMULADA: (RE)ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PARA O ENSINO DO PORTUGUÊS 1. Palavras-chave: formação de professoras; Aula Simulada; saberes docentes. AULA SIMULADA: (RE)ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS PARA O ENSINO DO PORTUGUÊS 1 Andressa Cristina Coutinho BARBOZA Universidade Federal de Ouro Preto drecrist@ichs.ufop.br Resumo: O trabalho tem a proposta de

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Dourados 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Interdisciplinar Obs.: Para

Leia mais

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A PRÁTICA DE ENSINO COMO ESPAÇO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A PRÁTICA DE ENSINO COMO ESPAÇO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A PRÁTICA DE ENSINO COMO ESPAÇO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Resumo FINCK, Silvia Christina Madrid UEPG scmfinck@uol.com.br Área Temática: Educação: Práticas e Estágios

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000082 - SERVICO SOCIAL Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000082 - SERVICO SOCIAL Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000082 - SERVICO SOCIAL Nivel: Superior Area Profissional: 0035 - SOCIAL Area de Atuacao: 0044 - RECURSOS HUMANOS/SOCIAL Atuar na area de

Leia mais

A participação no PIBID e o percurso formativo de professores de Educação Física - Um estudo a partir dos egressos do CEFD/UFSM.

A participação no PIBID e o percurso formativo de professores de Educação Física - Um estudo a partir dos egressos do CEFD/UFSM. 10mo Congreso Argentino de Educación Física y Ciencias. Universidad Nacional de La Plata. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación. Departamento de Educación Física, La Plata, 2013. A participação

Leia mais

RESOLUÇÃO 50/2004. II Estágio Curricular Supervisionado será composto pelas seguintes disciplinas:

RESOLUÇÃO 50/2004. II Estágio Curricular Supervisionado será composto pelas seguintes disciplinas: 1 O Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições, de acordo com a Lei Estadual nº 7.176/97, publicada no D.O.E de 11 de setembro de 1997, combinada

Leia mais

CAPÍTULO I DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR

CAPÍTULO I DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET CAPÍTULO I DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR Artigo 1º Considera-se Atividades Complementares atividades acadêmicas,

Leia mais

INDICADORES DE AVALIAÇÃO

INDICADORES DE AVALIAÇÃO ANEXOS PROPOSTA DE ATIVIDADE DE EXTENSÃO COMUNITÁRIA ANEXO 01 Modelo padrão ANEXO 2 ANEXO 3 ANEXO 4 ANEXO 5 ANEXO 6 INDICADORES DE AVALIAÇÃO Apenas um informativo sobre os critérios que usamos para avaliar

Leia mais

TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID

TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: UMA INVESTIGAÇÃO COM LICENCIANDOS E PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA A PARTIR DO PIBID Nataélia Alves da Silva (1) * ; Creuza Souza Silva (1); Lecy das Neves Gonzaga (1); Michelle

Leia mais

A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo Ana Flávia Hansel 1 - UNICENTRO Angélica Gonçalves 2 - UNICENTRO Grupo de Trabalho Educação da Infância

Leia mais

POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR E QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA: CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROJETO PEDAGÓGICO

POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR E QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA: CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROJETO PEDAGÓGICO POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR E QUALIDADE DA Resumo EDUCAÇÃO BÁSICA: CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROJETO PEDAGÓGICO LIMA, Michelle Fernandes UFPR 1 mfernandeslima@yahoo.com.br Eixo Temático: Políticas Públicas,

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DO PARFOR/UFRB

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DO PARFOR/UFRB PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Leia mais

GRUPO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUAS CEPESLI/UFSM

GRUPO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUAS CEPESLI/UFSM GRUPO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUAS CEPESLI/UFSM WAGNER, Alison Marcelo; MARCHESAN, MariaTereza; PADILHA, Emanuele Coimbra; LEMES, Debora; HAYGERT, Suelen; AZEVEDO, Cinara; MESQUITA, Gisele. Graduado

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE LETRAMENTO: UMA VISÃO IDEOLÓGICA

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE LETRAMENTO: UMA VISÃO IDEOLÓGICA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE LETRAMENTO: UMA VISÃO IDEOLÓGICA Silvania Faccin Colaço IFFarroupilha / UCPEL Resumo: Os letramentos, vistos como práticas sociais de uso da leitura e escrita, têm oportunizado

Leia mais

DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA

DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA EMENTA: O ensin de língua estrangeira cm um códig de diferentes estruturas lingüísticas, cm ênfase na ralidade, leitura e escrita cm veículs de cmpreensã d mund.

Leia mais

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Mestrado em. Serviço Social

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Mestrado em. Serviço Social Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Serviço Social APRESENTAÇÃO O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica de Goiás PPSS, reconhecido

Leia mais

Resolução N 22/09 DA CARACTERIZAÇÃO E OBRIGATORIEDADE

Resolução N 22/09 DA CARACTERIZAÇÃO E OBRIGATORIEDADE Resolução N 22/09 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Dispõe sobre estágio obrigatório, no âmbito da UFPI. O Reitor da Universidade Federal do Piauí e Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

INSCRIÇÃO E EDITAL PARA SUBMISSÃO DE PÔSTERES

INSCRIÇÃO E EDITAL PARA SUBMISSÃO DE PÔSTERES INSCRIÇÃO E EDITAL PARA SUBMISSÃO DE PÔSTERES Convite para participação da Chamada para Submissão de Pôsteres no I Encontro Jurídico Interinstitucional e I Encontro de Docentes do Ensino Jurídico. A OAB

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE PEDAGOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE PEDAGOGIA RESOLUÇÃO Nº 03/2011 Fixa normas para o Estágio Supervisionado em

Leia mais

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Professora Nair Fortes Abu-Merhy ALÉM PARAÍBA

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Professora Nair Fortes Abu-Merhy ALÉM PARAÍBA ALÉM PARAÍBA Regulamento de Atividades Acadêmicas-Científico-Culturais Art.1º - O presente regulamento visa normatizar as Atividades Complementares ou Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACC) dos

Leia mais

COMPARTILHAMENTO DE SIGNIFICADOS E SENTIDOS SOBRE O ENSINO DE MATEMÁTICA: AÇÕES REFLEXIVAS SOBRE O CURRÍCULO EA PRÁTICA DOCENTE

COMPARTILHAMENTO DE SIGNIFICADOS E SENTIDOS SOBRE O ENSINO DE MATEMÁTICA: AÇÕES REFLEXIVAS SOBRE O CURRÍCULO EA PRÁTICA DOCENTE COMPARTILHAMENTO DE SIGNIFICADOS E SENTIDOS SOBRE O ENSINO DE MATEMÁTICA: AÇÕES REFLEXIVAS SOBRE O CURRÍCULO EA PRÁTICA DOCENTE Thiago Henrique Araujo de Morais¹ Universidade Federal do Piauí thiagoaraujogeo@gmail.com

Leia mais

A pesquisa na formação do professor

A pesquisa na formação do professor A pesquisa na formação do professor Karen Maria Jung Introdução Este trabalho tem por objetivo mostrar como a pesquisa, na formação de novos professores, é abordada nos diferentes cursos de Licenciatura

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA NA FRONTEIRA TRINACIONAL

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA NA FRONTEIRA TRINACIONAL FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA NA FRONTEIRA TRINACIONAL MARLEI FÁTIMA DE SOUZA 1 PROF. DR. JOÃO JORGE CORREA 2 RESUMO: Introdução: Este trabalho trata

Leia mais

TRANSDISCIPLINARIDADE, BIOÉTICA E EDUCAÇÃO

TRANSDISCIPLINARIDADE, BIOÉTICA E EDUCAÇÃO TRANSDISCIPLINARIDADE, BIOÉTICA E EDUCAÇÃO Rita de Cassia Falleiro Salgado 1 - UTP -PR Grupo de Trabalho - Educação, Complexidade e Transdisciplinaridade Agência Financiadora: não contou com financiamento

Leia mais

CONTOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: NARRAÇÃO DE EXPERIÊNCIA EM ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA ESCOLA

CONTOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: NARRAÇÃO DE EXPERIÊNCIA EM ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA ESCOLA 1 CONTOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: NARRAÇÃO DE EXPERIÊNCIA EM ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA ESCOLA Ingrid Drielle da Costa Andrade 1 Carla Fabiane dos Santos Lemos 2 Lisane Teixeira Dantas Menezes³ RESUMO O presente

Leia mais

EDUCAÇÃO CIENTÍFICA E METODOLOGIA DE ENSINO DE BIOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA EM CONFECÇÃO E UTILIZAÇÃO DE VÍDEOS NA SALA DE AULA

EDUCAÇÃO CIENTÍFICA E METODOLOGIA DE ENSINO DE BIOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA EM CONFECÇÃO E UTILIZAÇÃO DE VÍDEOS NA SALA DE AULA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA E METODOLOGIA DE ENSINO DE BIOLOGIA: UMA EXPERIÊNCIA EM CONFECÇÃO E UTILIZAÇÃO DE VÍDEOS NA SALA DE AULA Alice Melo Ribeiro (Docente da Universidade de Brasília) Rejane Caixeta (Professora

Leia mais