ESPECIAL NOVA SUBIDA DA SERRA. Informativo Oficial da Concer Ano 13 nº 121 abril de 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIAL NOVA SUBIDA DA SERRA. Informativo Oficial da Concer Ano 13 nº 121 abril de 2014"

Transcrição

1 ESPECIAL NOVA SUBIDA DA SERRA Informativo Oficial da Concer Ano 13 nº 121 abril de 2014

2

3 14 lote 5 Obra importante para a cidade de Petrópolis, ligação Bingen-Quitandinha tem início em maio

4

5

6 06

7 07

8 08 capa Entregue Ponte sobre o rio Major Archer é a primeira estrutura entregue aos usuários da BR-040 Nova ponte afasta o tráfego da rodovia do canteiro de obras Foram 90 dias de trabalho diário para a entrega da primeira ponte pertencente às obras da Nova Subida da Serra. Desde o final de janeiro deste ano a ponte sobre o rio Major Archer já recebe o tráfego de veículos da BR-040, normalmente. A ponte está localizada no Km 87,5 sentido Rio de Janeiro, tem trinta metros de comprimento e já faz parte do traçado final da Nova Subida da Serra. O trecho foi escolhido para ser entregue de forma prioritária levando-se em conta aspectos como segurança e logística. Quem explica, é Alexandre da Silva, responsável pela área de Planejamento do Consórcio Nova Subida da Serra: A nova ponte sobre o rio Major Archer está localizada próxima à área de escavações do emboque do novo túnel. Com ela em funcionamento, podemos desviar o fluxo de veículos para uma área mais afastada e garantir a segurança dos usuários da rodovia que trafegam naquele trecho durante o período de obras. Outro aspecto levado em consideração foi o deslocamento de máquinas, equipamentos e operários, que pode ser feito de forma mais ágil com o tráfego um pouco mais afastado. O benefício também é sentido pelos usuários de forma direta, já que interrupções parciais ou totais da pista passam a acontecer com menor frequência e interferindo menos na viagem.

9 Ponte sobre o rio Major Archer ficou pronta em apenas 90 dias

10 10 entrevista Um exemplo para o país A Nova Subida da Serra avança a cada dia e a primeira obra de arte especial já foi entregue, como parte do sistema viário do novo túnel da BR-040. Nesta entrevista, o Diretor-Presidente da Concer, Pedro Jonsson, fala sobre o desafio de realizar uma obra grande não só nos números mas também na importância para o desenvolvimento da região e do país. Pedro Jonnson, Diretor-Presidente da Concer

11 11 As obras da Nova Subida da Serra estão prestes a completar 1 ano e têm a previsão de durar, ao todo, 36 meses. O desafio tem sido maior ou menor do que se esperava? O desafio de uma obra como essa é enorme. Estamos trabalhando numa região de serra, com vasta área de preservação e biodiversidade, com uma pista em plena operação e outras inúmeras interferências. Mas devido a anos de estudo e planejamento, estamos executando tudo dentro de nossas expectativas. O conjunto de programas ambientais que está sendo realizado desde a emissão da Licença de Instalação pelo IBAMA em 2011 é igualmente criterioso e muito abrangente. Com a riqueza da biodiversidade da região não poderia ser diferente. A primeira obra de arte já foi entregue, como a ponte sobre o rio Major Archer, e a nova Praça de Pedágio está em fase de conclusão.quais os benefícios que os usuários da rodovia e moradores de comunidades próximas sentirão de imediato? No caso de Duque de Caxias, estamos concluindo, em paralelo à nova praça de pedágio do km 102, um moderno sistema viário para Xerém, que vai facilitar a mobilidade de moradores e comerciantes do distrito entre as demais regiões do município, estabelecendo uma ligação direta para os deslocamentos diários. E com o benefício adicional de que as novas vias de acesso vão separar o tráfego urbano, de entrada e saída do distrito, do tráfego mais pesado e de longa distância. Isto trará reflexos positivos na redução do índice de acidentes no trecho. A construção do túnel com metros parece ser a obra mais impactante. Como estão as escavações? De fato, é uma obra impactante e muito complexa, mas que ocorre baseada em muitos estudos técnicos e planejamento, como nas demais frentes de obra da Nova Subida da Serra. Estamos avançando dia a dia com as escavações e os serviços de tratamento das diferentes formações geológicas que a região do túnel apresenta. Empregamos tecnologia de ponta nas escavações, que estão mais adiantadas no desemboque. O principal equipamento utilizado neste tipo de obra é operado com um sistema de navegação computadorizado e perfura a rocha com auxílio de raio laser. Toda operação segue um rigoroso padrão de segurança. Também adotaremos um completo sistema de monitoramento e controle que garantirá a segurança dos usuários quando o túnel estiver em operação. São elementos de segurança recomendados por especialistas para nos fornecer as melhores soluções de operação e segurança para um túnel desse porte. A última etapa de obras, que diz respeito à construção da ligação entre Bingen e Quitandinha, em Petrópolis, teve seu início antecipado para o mês de maio. Foi uma solicitação direta da comunidade? Sim. A Concer sempre trabalha em parceria com as cidades por onde passa o trecho de concessão da BR-040, e este é mais um exemplo disso. Recebemos esse pedido do prefeito Rubens Bomtempo e levamos a solicitação à ANTT, que teve a sensibilidade de concordar com o pleito, já que se trata de uma reivindicação antiga de Petrópolis e que também trará grandes benefícios para a mobilidade entre os dois principais acessos à cidade. São mais de 20 programas ambientais em atividade durante as obras da Nova Subida da Serra, que têm o objetivo de conservar o ecossistema da região. Quais os números mais impactantes ou curiosos apresentados por estes programas até aqui? A exemplo do rigor técnico que foi adotado nas frentes de obra da Nova Subida da Serra, o conjunto de programas ambientais que está sendo realizado desde a emissão da Licença de Instalação pelo IBAMA em 2011 é igualmente criterioso e muito abrangente. Com a riqueza da biodiversidade da região não poderia ser diferente. Temos uma estrutura de gestão que trabalha exclusivamente no cumprimento do Plano Básico Ambiental do projeto, com equipes profissionais multidisciplinares que monitoram, coletam, resgatam, identificam e ajudam a preservar espécies de fauna e flora da região, verificam os impactos das obras sobre a qualidade do ar, em cursos d água, medindo ainda ruídos e vibrações. Em termos de gestão ambiental, a Nova Subida da é um exemplo para o país.

12 12 melhorias Caminhos mais seguros para motoristas e pedestres Nova praça no Km 102 traz melhorias e benefícios para comunidades vizinhas à obra Obra do viaduto de acesso a Xerém já se encontra em fase avançada Com a entrada em funcionamento da nova Praça de Pedágio no Km 102, prevista para maio, algumas rotas e caminhos usados por moradores da região sofrerão mudanças. O principal fator responsável por estas alterações é a segurança. Quem explica é Alcimar Penna, gerente de Engenharia da Concer: Todas as alterações trabalham com o conceito de separar o tráfego pesado do tráfego local. Todas as alterações trabalham com o conceito de separar o tráfego pesado e de longa distância, do tráfego local. O morador que hoje convive com a passagem de carretas e caminhões na porta da sua casa, por exemplo, não terá mais esse problema.

13 13 Intervenções ocorrem em ambos os lados da BR-040 O viaduto construído no local como novo acesso a Xerém passará por cima da área da Praça de Pedágio e contará com calçadas em ambos os lados e acessos para pedestres. Na prática, a obra funcionará também como uma passarela para os moradores, contendo rampas de acesso para portadores de necessidades especiais de locomoção, e não apenas uma passagem de veículos. Outros benefícios para os moradores serão preservados e até melhorados. É o caso dos pontos de ônibus e calçadas do entorno: O viaduto será o local de passagem para os moradores que utilizam os pontos de ônibus da rodovia. Hoje, há muitos pontos sem uma estrutura adequada para essa locomoção e pouco seguros, como paradas de ônibus que são indicadas apenas com uma placa. A obra trará calçamento adequado para o trânsito de pedestres e pontos de ônibus equipados com bancos e cobertura, conclui Alcimar. As principais comunidades beneficiadas, nesta área, serão as do Barreiro, Santo Antônio, Bar das Onças e Xerém.

14 14 lote 5 Vista panorâmica do trecho das obras do lote 5 Começo antecipado Obra importante para a cidade de Petrópolis, ligação entre Bingen-Quitandinha tem início em maio Um desejo antigo dos moradores de Petrópolis finalmente vai sair do papel e de forma antecipada: as obras de ligação entre o Bingen e Quitandinha, dois importantes acessos de Petrópolis situados lado a lado geograficamente, mas que se comunicam apenas de um bairro para outro. O projeto, que só começaria com a conclusão das obras do novo túnel da subida da serra, na reta final de execução do empreendimento, teve seu início modificado para maio deste ano. O anúncio foi feito no dia 14 de março, durante um encontro do presidente da Concer, Pedro Jonsson, com o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, o prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo e o secretário de Transportes do Estado, Júlio Lopes. A construção da nova pista de subida da serra e a ligação Bingen- -Quitandinha são obras fundamentais para o desenvolvimento da cidade e, principalmente, para a região da Duarte da Silveira, que será o novo acesso da cidade. A obra vai garantir uma outra era de desenvolvimento, ressaltou Rubens Bomtempo. O secretário de transportes Júlio Lopes destacou que a obratrará muitos benefícios aos moradores da região: Além do desenvolvimento econômico, a ligação Bingen-Quitandinha dará um novo rumo de mobilidade urbana à cidade, uma vez que os motoristas deixarão de passar pelo Centro. Jorge Bastos destacou a importância estratégica da obra:

15 15 Obra será responsável pela ligação entre o Bingen e Quitandinha A construção da nova pista de subida da serra e a ligação Bingen- Quitandinha são obras fundamentais para o desenvolvimento da cidade e, principalmente, para a região da Duarte da Silveira, que será o novo acesso da cidade. A obra vai garantir uma outra era de desenvolvimento, ressaltou Rubens Bomtempo. A BR-040 liga cidades importantes do país, como Rio de Janeiro e Belo Horizonte. A ligação Bingen- -Quitandinha é fundamental. A ligação Bingen-Quitandinha integra o lote 5 de obras da Nova Subida da Serra. Atualmente, o Quitandinha se comunica com o Bingen pela BR-040, mas o caminho oposto não existe, o que canaliza um expressivo fluxo de tráfego em direção às vias do Centro Histórico, contribuindo para as retenções na cidade. Agora, essa demanda históricade Petrópolis começa a se tornar realidade por iniciativa da Concer.

16 16 transparência Transparência: Concer apresenta balanço das obras da nss em Petrópolis Evento com empresários da região ocorreu na sede da Firjan O presidente da Concer, Pedro Jonsson, apresentou um balanço das obras da Nova Subida da Serra da BR-040 a um grupo de empresários de Petrópolis. O encontro ocorreu na sede regional da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) no dia 24 de março e reuniu cerca de trinta pessoas. Além de ressaltar as características e benefícios da nova pista da rodovia, Jonsson forneceu informações atualizadas sobre o andamento das frentes de obra da praça de pedágio de Duque de Caxias e das escavações do túnel na Serra de Petrópolis, esclarecendo ainda as dúvidas apresentadas pelos empresários. Esta é a segunda vez que o presidente da Concer comparece à regional da Firjan para falar sobre a Nova Subida da Serra, projeto que já o levou à Associação Comercial do Rio de Janeiro e na Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Searj), além do Inmetro. A empresa também realizou apresentações da NSS nas câmaras municipais de Petrópolis e Duque de Caxias e na Escola Municipal Frei Leonardo Boff, em Petrópolis. Firjan recebeu visita de Pedro Jonnson em Petrópolis

17 novo TÚNEL 17 Avanço diário Escavações do novo túnel chegam a quase 100 metros e avançam a cada dia Concentrar as escavações apenas no desemboque, nesta primeira fase, vai agilizar o processo como um todo, além de conferir algumas vantagens logísticas e operacionais Alessandro da Silva, responsável pelo Planejamento do Consórcio Nova Subida da Serra. Quem passa pela pista de descida da BR-040, em direção ao Rio de Janeiro, pode não perceber, mas a construção do novo túnel da rodovia, como parte da Nova Subida da Serra, é um dos canteiros mais movimentados de toda a obra. Duas frentes de operários trabalham simultaneamente no emboque e desemboque do túnel, obedecendo a um planejamento rigoroso de execução. Devido às diferentes características de solo, as escavações, por enquanto, ocorrem somente na saída do túnel e já avançaram cerca de 100 metros no interior do maciço rochoso. No emboque, prosseguem as obras de estabilização de talude e tratamento de rocha, o que amplia os níveis de segurança para operários e da própria abertura da galeria. Canteiro de obras do desemboque do túnel

18 18 novo TÚNEL São duas galerias escavadas simultaneamente no desemboque, a maior delas alcançando 100 metros de extensão O serviço de escavação, que ocorre em trecho próximo ao km 80, foi precedido por investigações geológicas, que identificaram as características do solo e o grau de resistência das rochas, permitindo apontar o tratamento correto para as paredes do túnel. A técnica empregada para abrir o desemboque é chamada side drift, com abertura de galerias paralelas, que no futuro se unirão. Este método construtivo ocorre em etapas sucessivas e aumenta a margem de segurança do serviço. Atualmente, a galeria da esquerda está com cerca de 100 metros de extensão, enquanto que a da direita chega a vinte e cinco metros. Segundo Alessandro da Silva, responsável pelo Planejamento do Consórcio Nova Subida da Serra, esta fase inicial de escavações é mais morosa e requer muitos cuidados com a leitura e tratamento adequados do solo, mas que, em um segundo momento, o ritmo cresce naturalmente: Assim que escavamos uma nova área precisamos executar tratamentos específicos, como instalação de cambotas metálicas e concreto projetado, por exemplo. As escavações são realizadas com as mais modernas técnicas de engenharia e segurança. O principal equipamento usado na abertura do túnel perfura o ponto certo da rocha com o auxílio de raio laser e um sistema de navegação automatizado. Todo o processo é monitorado por sismógrafos. A rocha extraída das escavações é transformada em brita e aproveitada nas obras de pavimentação da nova pista. A previsão é que as escavações no emboque comecem no segundo semestre e que toda a etapa de perfuração do túnel termine no final do segundo semestre de Para isso, o ritmo diário de escavações será de 6 metros. Galeria principal já avança 80 metros, no desemboque

19 19 Técnicos verificam a colocação de explosivos para escavação do túnel Galeria mais larga recebe o tráfego de equipamentos para escavação

20 20 meio ambiente Preservando o verde Mais de 25 mil plântulas de espécies da Mata Atlântica são resgatadas em áreas de obras para reflorestamento O Programa de Resgate e Transplante de Germoplasma Vegetal é uma das ações que a Concer executa para reduzir o impacto das obras da Nova Subida da Serra da BR-040 sobre a flora da região. O programa prevê o resgate de espécies vegetais e formação de um banco de material genético de espécies da Mata Atlântica com o objetivo de recuperar e manter a diversidade biológica da porção de Mata Atlântica existente na área de influência da obra. Equipes da assessoria ambiental da Essati Engenharia que atuam no programa são acionadas antes dos serviços de supressão de vegetação, garantindo com isso a preservação do patrimônio biológico e genético da flora da Serra de Petrópolis. Desde o inicio do programa no ano passado, já foram resgatadas plântulas de espécies da Mata Atlântica, incluindo algumas ameaçadas de extinção e recolhidos 31,86 Kg de sementes e frutos, numa área total de 54,4 hectares. Levados para um viveiro que a Concer instalou na base operacional de Petrópolis, em trecho do Km 81, sentido Juiz de Fora, esses frutos e sementes foram beneficiados e semeados, gerando mais de 7 mil mudas de diversas espécies, que serão utilizadas em ações de reflorestamento e de paisagismo da Nova Subida da Serra. Outras plântulas foram resgatadas das áreas onde haverá supressão de vegetação e transplantadas para áreas verdes adjacentes. Importante destacar também que, como condicionante da supressão de vegetação, já iniciamos a implantação do Plantio Compensatório de acordo com as diretrizes do Programa de Compensação da Flora, e que da área exigida de 25,67 ha, já foram plantados 20,20 ha. O projeto está localizado no Monumento Natural Pedra do Elefante (MONA - PE), uma unidade de conservação municipal de proteção integral do Municipio de Petrópolis.

21 Desde o início do programa, no ano passado, já foram resgatadas plantas e árvores ameaçadas de extinção e recolhidos 28,4 quilos de sementes e frutos, numa área total de 54,4 hectares. 21

22 22 na br & arredores DIGA NÃO À EXPLORAÇÃO SEXUAL O dia 18 de maio é a data que marca o combate ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes no país. É comum perceber, ao longo das estradas brasileiras, esse crime que afeta o desenvolvimento físico, psíquico e social de crianças, comprometendo seus sonhos e seu futuro. A Concer apoia a Rede Criança Baixada, organização que promove o tema, e vai distribuir material informativo na praça de pedágio do Km 104, nesta data. Diga não à exploração sexual de crianças e adolescentes. OFICINA DE PERCUSSÃO Se você quer aprender ou aprimorar suas técnicas de percussão, não perca esta oportunidade. A Oficina de Percussão para Adultos, que acontece no Centro Cultural Dnar Rocha, em Juiz de Fora, tem o objetivo de despertar a criatividade e o interesse de quem gosta do tema. O evento destina-se ao público adulto, especializado ou não, e será ministrado por Fabrícia Valle, integrante da Banda Matilda. A oficina acontece no dia 5 de junho e vai das 19h às 20h30. O telefone para informações é o (32) EXPOSIÇÃO GRITOS SURDOS A Casa França-Brasil recebe a exposição Gritos Surdos, do artista plástico e fotógrafo Miguel Rio Branco, até o dia 25 de maio. A mostra, que já passou pela cidade do Porto, em Portugal e Arles, na França, traz projeções, luzes, objetos e fotografias que compõem a poética do artista. Grandes instalações audiovisuais ocupam a Casa e criam uma atmosfera densa onde temas como tempo, corpo, violência e poder estão contidos. A Casa França-Brasil fica na rua Visconde de Itaboraí, 78, no Centro, Rio de Janeiro e a mostra pode ser visitada de terça a domingo, das 10h às 20h. A entrada é franca. ERRAMOS Na última versão da revista Via Concer informamos que o 5º Circuito das Artes, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Duque de Caxias, ocorreria no mês de abril, quando na verdade o evento foi realizado em A Secretaria informa que este circuito ainda não faz parte do calendário deste ano mas que a população de Caxias tem, à sua disposição, eventos culturais permanentes durante todo o mês de maio: Forró na Feira, Canto da Cidade, Baile Charme e muitos outros. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone ou pelo site

23 informações Gerais 23 MÃO DUPLA Banheiro higienizado, limpo e cheiroso. Parabéns. Hélio Falci através do livro da Ouvidoria, disponível no SIU do Km 816, em 11 de abril de 2014 Este é o seu espaço. Aproveite e envie suas críticas, elogios e sugestões para que juntos possamos tornar a Via Concer cada vez melhor para você. Contato: MAPA DA RODOVIA TELEFONES Concer: Atendimento a Deficientes Auditivos e de Fala: PRF: 191 Corpo de bombeiros: 193 ou (24) (Petrópolis) CRT - BR 116/RJ: Disque Denúncia: (21) ou (24) (Petrópolis) Lamsa: Nova Dutra - BR-116/RJ/SP: Ponte S/A: Via Lagos - RJ/124: Disque-Detran: (21) (Região Metropolitana) (Interior) TARIFAS Tarifas da BR-040 (trecho Juiz de Fora - Rio) em vigor a partir de 0h do dia 20/08/2011, por determinação da Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT 1 EIXOS 2 RODAGEM EIXOS RODAGEM EIXOS RODAGEM 8, , ,00 AUTOMÓVEL, CAMINHONETA E FURGÃO CAMINHÃO LEVE, FURGÃO, ÔNIBUS E CAMINHÃO-TRATOR AUTOMÓVEL COM SEMI-REBOQUE E CAMINHONETA COM SEMI-REBOQUE 4 EIXOS 3 RODAGEM 24,00 5 EIXOS 4 RODAGEM EIXOS RODAGEM 16, ,00 CAMINHÃO, CAMINHÃO-TRATOR, CAMINHÃO-TRATOR COM SEMI-REBOQUE E ÔNIBUS AUTOMÓVEL COM REBOQUE E CAMINHONETA COM REBOQUE CAMINHÃO COM REBOQUE E CAMINHÃO-TRATOR COM SEMI-REBOQUE 7 EIXOS 5 RODAGEM EIXOS RODAGEM 8 EIXOS RODAGEM 40, , ,00 simples CAMINHÃO COM REBOQUE E CAMINHÃO-TRATOR COM SEMI-REBOQUE CAMINHÃO COM REBOQUE E CAMINHÃO-TRATOR COM SEMI-REBOQUE MOTOCICLETA, MOTONETAS E BICICLETAS A MOTOR

24 Gripe tem tratamento DEVEM SER TRATADOS IMEDIATAMENTE COM FOSFATO DE OSELTAMIVIR (TAMIFLU ) OS PACIENTES COM: 1. SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SRAG): indivíduos de qualquer idade, com Síndrome Gripal 1 e que apresentem dispneia ou os seguintes sinais: Saturação de SpO2 menor que 95% em ar ambiente; Desconforto respiratório ou aumento da frequência respiratória; Piora nas condições clínicas de doença de base; Hipotensão em relação à pressão arterial habitual do paciente. Em crianças, observar também: batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência. 2. SÍNDROME GRIPAL 1 E QUE: Sejam gestantes em qualquer idade gestacional ou puérperas até duas semanas após o parto (incluindo as que tiveram aborto ou perda fetal); Tenham doença crônica, especialmente doença respiratória crônica, cardiopatia, obesidade (IMC 40), diabetes descompensado, Síndrome de Down ou imunodepressão; Tenham 60 anos ou mais; Sejam crianças com menos de dois anos; Sejam menores de 19 anos de idade e façam uso prolongado de ácido acetilsalicílico (risco de Síndrome de Reye); Vivam em população indígena aldeada. 3. SÍNDROME GRIPAL 1 SEM CONDIÇÕES E FATORES DE RISCO PARA COMPLICAÇÕES: A CRITÉRIO MÉDICO. ATENÇÃO! Iniciar o tratamento imediatamente na suspeita clínica, sem necessidade de exame laboratorial ou sintomas de agravamento. Monitorar o doente e, diante de agravamento, considerar medidas de suporte, antibioticoterapia e hospitalização. DROGA FAIXA ETÁRIA TRATAMENTO Adulto 75 mg, 12/12h, 5 dias 15 kg 30 mg, 12/12h, 5 dias Fostato de Oseltamivir (Tamiflu ) Criança maior de 1 ano de idade Criança menor de 1 ano de idade > 15 kg a 23 kg 45 mg, 12/12h, 5 dias > 23 kg a 40 kg 60 mg, 12/12h, 5 dias > 40 kg 75 mg, 12/12h, 5 dias < 3 meses 12 mg, 12/12h, 5 dias 3 a 5 meses 20 mg, 12/12h, 5 dias 6 a 11 meses 25 mg, 12/12h, 5 dias 1 SÍNDROME GRIPAL: indivíduos que apresentem febre de início súbito, mesmo que referida, acompanhada de tosse ou dor de garganta e pelo menos um dos sintomas: cefaleia, mialgia ou artralgia. Obs.: Em crianças com menos de dois anos de idade: febre de início súbito, mesmo que referida, e sintomas respiratórios. O medicamento para gripe é fornecido gratuitamente pelo SUS. O receituário simples deve ser utilizado para a prescrição do medicamento.

Boletim Mensal da Síndrome Respiratória Aguda Grave Goiás 2015

Boletim Mensal da Síndrome Respiratória Aguda Grave Goiás 2015 SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Av. 136 Quadra F 44 Lotes 22/ 24 Edifício César Sebba Setor Sul Goiânia GO- CEP: 74093-250 Fone: (62) 3201-7880 FAX: (62) 3201-7878

Leia mais

Protocolo de Tratamento Casos de SG e SRAG. Dr. José Ricardo Pio Marins Consultor Externo CGDT/ SVS

Protocolo de Tratamento Casos de SG e SRAG. Dr. José Ricardo Pio Marins Consultor Externo CGDT/ SVS Protocolo de Tratamento Casos de SG e SRAG Dr. José Ricardo Pio Marins Consultor Externo CGDT/ SVS Brasília, novembro de 2012 Antecedentes Uso do medicamento durante a pandemia e 2011/2012 Dificuldade

Leia mais

PRESCRIÇÃO MÉDICA seja registrado no receituário o fator de risco

PRESCRIÇÃO MÉDICA seja registrado no receituário o fator de risco INFORMATIVO NAF/SRS-JF nº 1 - INFLUENZA H1N1/2012 Prezado(a) responsável técnico, Apresentamos abaixo informações referentes ao fluxo de abastecimento do medicamento oseltamivir, indicado para o tratamento

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE OS CASOS DE SÍNDROME GRIPAL E SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE COM ÊNFASE EM INFLUENZA

ORIENTAÇÕES SOBRE OS CASOS DE SÍNDROME GRIPAL E SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE COM ÊNFASE EM INFLUENZA SECRETARIA DO ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS ORIENTAÇÕES SOBRE OS CASOS DE SÍNDROME GRIPAL E SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE COM ÊNFASE EM INFLUENZA ORIENTAÇÕES FRENTE AOS CASOS DE SÍNDROME GRIPAL E

Leia mais

- Sazonalidade: A infecção por Influenza ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente nos meses de outono e inverno.

- Sazonalidade: A infecção por Influenza ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente nos meses de outono e inverno. Características clínicas da influenza - Sazonalidade: A infecção por Influenza ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente nos meses de outono e inverno. - Incubação: um a quatro dias. - Transmissibilidade:

Leia mais

Protocolo de tratamento de influenza - 2011

Protocolo de tratamento de influenza - 2011 Protocolo de tratamento de influenza - 2011 Depois de definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a fase pós- pandêmica, a partir de agosto de 2010, o vírus da influenza pandêmica A (H1N1) 2009 continuou

Leia mais

CONCER Companhia da Concessão Rodoviária Juiz de Fora - Rio

CONCER Companhia da Concessão Rodoviária Juiz de Fora - Rio Estrada-Parque Projeto proposto no âmbito do licenciamento ambiental da Nova Subida da Serra do Mar da Rodovia BR040 YARA VALVERDE ORLANDO GRAEFF CONCER Companhia da Concessão Rodoviária Juiz de Fora -

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.2 DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BETI BRISSE

Leia mais

Rodovia Perimetral Norte

Rodovia Perimetral Norte Buscando criar um novo caminho que integre as três rodovias Federais (Br s 101, 116 e 324), que cruzam Feira de Santana, a rodovia perimetral norte de 33 km, surge como uma alternativa muito importante

Leia mais

15ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe

15ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe 15ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe O que é a gripe? A influenza (gripe) é uma infecção viral que afeta principalmente nariz, garganta, brônquios e, ocasionalmente, os pulmões. A infecção

Leia mais

No meio urbano o desenvolvimento econômico passa pela relação entre os indivíduos, as edificações e os meios de deslocamento.

No meio urbano o desenvolvimento econômico passa pela relação entre os indivíduos, as edificações e os meios de deslocamento. No meio urbano o desenvolvimento econômico passa pela relação entre os indivíduos, as edificações e os meios de deslocamento. Pólos Geradores de Tráfego As cidades brasileiras vivem um momento de mudança

Leia mais

5. CLASSIFICAÇÃO DA SINALIZAÇÃO DE INDICAÇÃO

5. CLASSIFICAÇÃO DA SINALIZAÇÃO DE INDICAÇÃO 5. CLASSIFICAÇÃO DA SINALIZAÇÃO DE INDICAÇÃO 5.1 Placas de identificação Posicionam o condutor ao longo do seu deslocamento, ou com relação a distâncias, ou locais de destino. 5.1.1 Placas de identificação

Leia mais

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI:

LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE LEI: LEI Nº 370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Institui a Lei do Sistema Viário do Município de Cafeara, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE CAFEARA APROVA E EU, PREFEITO DO MUNICÍPIO, SANCIONO A SEGUINTE

Leia mais

Protocolo de Tratamento de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave 2015

Protocolo de Tratamento de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave 2015 CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Protocolo de Tratamento de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave 2015 (Material produzido pelo Ministério da Saúde e adaptado

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

ARCO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE OBRAS

ARCO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE OBRAS DO RIO DE JANEIRO HISTÓRICO 1974 - passou a integrar o Plano Rodoviário Estadual (PRE) como RJ-109, rodovia planejada do trecho entre a BR 040 e a BR 101 (Sul) 1977 e 1984 - O Estado contratou projeto

Leia mais

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa pelo km 240. Determine: a) a velocidade escalar média desenvolvida

Leia mais

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Fundação Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Secretaria de Infraestrutura UMA UNIDADE DE MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Leia mais

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso

Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Faixa de Domínio Solicitação para adequação/regularização de acesso Nos termos do Contrato de Concessão, bem como dos regulamentos administrativos impostos pelo Poder Concedente, compete à ECO101 Concessionária

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG DNIT - SREMG João Monlevade - 28/06/2012 ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG RODOVIA: BR-381MG TRECHO: DIVISA ES/MG - DIV. MG/SP

Leia mais

O trajeto. Podemos dividir o trajeto em 4 partes:

O trajeto. Podemos dividir o trajeto em 4 partes: 01 O que é? A Rota Marcia Prado é uma proposta de caminho cicloturístico que possa ser percorrida por todo tipo de ciclista por um trajeto de São Paulo a Santos, pedalando pelo mínimo de rodovias possíveis,

Leia mais

TÍTULO: MONITORAMENTO DA FAUNA SILVESTRE ATROPELADA NAS RODOVIAS BR-277, PR-508 E PR-407, NO LITORAL DO PARANÁ.

TÍTULO: MONITORAMENTO DA FAUNA SILVESTRE ATROPELADA NAS RODOVIAS BR-277, PR-508 E PR-407, NO LITORAL DO PARANÁ. TÍTULO: MONITORAMENTO DA FAUNA SILVESTRE ATROPELADA NAS RODOVIAS BR-277, PR-508 E PR-407, NO LITORAL DO PARANÁ. INTRODUÇÃO O Brasil figura com louvor entre os países que detêm as maiores biodiversidades

Leia mais

1 - Projetos de Investimentos. a) Terceira faixa na serra

1 - Projetos de Investimentos. a) Terceira faixa na serra 1 - Projetos de Investimentos a) Terceira faixa na serra A Serra de Teresópolis receberá a terceira faixa de rolamento em 12 de seus 14 quilômetros. O projeto, previsto no contrato de concessão, foi liberado

Leia mais

Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências.

Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências. LEI COMPLENTAR Nº 136, DE 15 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre o Sistema Viário Básico do Município de Nova Mutum e dá outras providências. O Sr. Adriano Xavier Pivetta, Prefeito Municipal de Nova Mutum, Estado

Leia mais

3.1. Prolongamento da Avenida Jornalista Roberto Marinho via túnel

3.1. Prolongamento da Avenida Jornalista Roberto Marinho via túnel 3. CARACTERIZAÇÃO DOS EMPREENDIMENTOS Este capítulo apresenta as principais características das obras propostas para o prolongamento da Avenida Roberto Marinho via túnel e o Parque Linear com vias locais,

Leia mais

Prefeitura anuncia plano de escavação dos túneis da Via Binário do Porto

Prefeitura anuncia plano de escavação dos túneis da Via Binário do Porto Prefeitura anuncia plano de escavação dos túneis da Via Binário do Porto A Prefeitura, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), da CET-Rio e da Concessionária

Leia mais

LEI DA CALÇADA. Vamos fazer de São José um lugar cada vez melhor para se viver!

LEI DA CALÇADA. Vamos fazer de São José um lugar cada vez melhor para se viver! APRESENTAÇÃO Planejar uma cidade também significa cuidar da circulação das pessoas, garantido segurança e igualdade. Muitas pessoas caminham somente a pé, ultrapassando 30% de todos os deslocamentos de

Leia mais

RESOLUÇÃO CPA/SMPED 019/2014 PASSEIO PÚBLICO A Comissão Permanente de Acessibilidade CPA, em sua Reunião Ordinária, realizada em 28 de agosto de 2014.

RESOLUÇÃO CPA/SMPED 019/2014 PASSEIO PÚBLICO A Comissão Permanente de Acessibilidade CPA, em sua Reunião Ordinária, realizada em 28 de agosto de 2014. RESOLUÇÃO CPA/SMPED 019/2014 PASSEIO PÚBLICO A Comissão Permanente de Acessibilidade CPA, em sua Reunião Ordinária, realizada em 28 de agosto de 2014. Considerando o previsto na Constituição da República

Leia mais

Relatório de Inspeção

Relatório de Inspeção Relatório de Inspeção Obra: Recuperação do sistema de bondes de Santa Teresa Local: Rua Joaquim Murtinho, Santa Teresa, Rio de Janeiro-RJ Executante: Consórcio Elmo-Azvi Gerente da Obra: Sr. Angel Técnico

Leia mais

EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012

EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012 SIPAT 2014 Rio Lopes realizou a 7ª SIPAT De 21 à 25 de julho de 2014 A Rio Lopes Transportes realizou a 7ª edição SIPAT - Semana Interna

Leia mais

RELATÓRIO SITUAÇÃO DA BR 163/364

RELATÓRIO SITUAÇÃO DA BR 163/364 RELATÓRIO SITUAÇÃO DA BR 163/364 Fevereiro/2014 1 1. Introdução O Movimento Pró-Logística, que reúne as entidades Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (APROSOJA), Associação

Leia mais

Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil

Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil Desde sábado, dia 10 de janeiro, a Avenida Brasil tem 2,5 faixas interditadas no trecho Caju e Manguinhos A Prefeitura do Rio, por meio

Leia mais

sinal verde para Anglo American obtém o último licenciamento para começar a produzir minério de ferro mina e beneficiamento

sinal verde para Anglo American obtém o último licenciamento para começar a produzir minério de ferro mina e beneficiamento DISTRIBUIÇÃO GRATUITA mina e beneficiamento OUTUBRO de 2014 PUBLICAÇÃO DESTINADA ÀS COMUNIDADES DE RELACIONAMENTO DA ANGLO AMERICAN. ANO 6. N 34 sinal verde para A OPERAÇÃO Anglo American obtém o último

Leia mais

Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS

Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS Elementos geométricos de uma estrada (Fonte: PONTES FILHO, 1998) GEOMETRIA DE VIAS 1. INTRODUÇÃO: A geometria de uma estrada é definida pelo traçado do

Leia mais

Gerência de Vigilância em Saúde e Informação Secretaria Municipal de Saúde Informe técnico: Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

Gerência de Vigilância em Saúde e Informação Secretaria Municipal de Saúde Informe técnico: Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) Nº de amostras Nº casos Gerência de Vigilância em Saúde e Informação VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: SRAG Em 213, até a SE 3/213, foram notificados 1325 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) sendo

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. FICHA DE INSCRIÇÃO PARA QUESTIONAMENTOS (preencha de forma clara, legível e objetiva os campos abaixo)

AUDIÊNCIA PÚBLICA. FICHA DE INSCRIÇÃO PARA QUESTIONAMENTOS (preencha de forma clara, legível e objetiva os campos abaixo) NOME: RENATO SILVA JUNIOR ÓRGÃO/ENTIDADE/EMPRESA: PREFEITURA SANTA LUZIA DO ITANHY Como no trecho do Rio Piaui que liga a zona urbana a zona rural do Município de Estância, logo há um grande fluxo de veiculo

Leia mais

Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM

Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM Capítulo 6 ELEMENTOS GEOMÉTRICOS DAS ESTRADAS DE RODAGEM 6.1. INTRODUÇÃO A geometria de uma estrada é definida pelo traçado do seu eixo em planta e pelos perfis longitudinal e transversal. A Fig. 6.1 apresentada

Leia mais

Duplicação BR-101 Sul - Santa Catarina

Duplicação BR-101 Sul - Santa Catarina DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES Duplicação BR-101 Sul - Santa Catarina (Palhoça Passo de Torres/Divisa SC-RS) Relatório de andamento de obras Junho 2013 Fase 1 Obras contratadas

Leia mais

Localidade Data Ocorrência Providências Trânsito/situação atual

Localidade Data Ocorrência Providências Trânsito/situação atual 1 Emergências Chuvas Dezembro 2011/janeiro 2012 TABELA CONCESSÕES ANTT Atualização: 02/02/2012 09: 00 hs UF Rodovia/ Concessão Localidade Data Ocorrência Providências Trânsito/situação atual próximo ao

Leia mais

Parque Nacional da Serra da Bocaina Estrada Paraty-Cunha

Parque Nacional da Serra da Bocaina Estrada Paraty-Cunha Parque Nacional da Serra da Bocaina Estrada Paraty-Cunha Audiência Pública Ministério Público Federal Rio de Janeiro 01 de março de 2013 Localização Regional Paraty, Angra dos Reis e Ubatuba, importantes

Leia mais

Programa Calçada Segura. Manual de Execução GUIA PRÁTICO

Programa Calçada Segura. Manual de Execução GUIA PRÁTICO Programa Calçada Segura Manual de Execução GUIA PRÁTICO Editorial Manual de Execução de Calçadas O Programa Calçada Segura interessa diretamente a todos. A Assessoria de Políticas para as Pessoas com

Leia mais

Medidas para a Humanização do Tráfego. A Cidade que Queremos

Medidas para a Humanização do Tráfego. A Cidade que Queremos Medidas para a Humanização do Tráfego A Cidade que Queremos Objetivo Publicação com o objetivo de divulgar, junto aos municípios, soluções técnicas para a humanização do trânsito. Estrutura Introdução

Leia mais

Esquema especial para implosão do antigo prédio da Rheem Química, em Benfica

Esquema especial para implosão do antigo prédio da Rheem Química, em Benfica Esquema especial para implosão do antigo prédio da Rheem Química, em Benfica A Prefeitura do Rio montou um esquema especial para a implosão da antiga fábrica da Rheem Química, na Rua Prefeito Olympio de

Leia mais

É a alteração no meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação ou atividade humana.

É a alteração no meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação ou atividade humana. 7. IMPACTOS AMBIENTAIS E MEDIDAS MITIGADORAS RECOMENDADAS 7.1. AVALIAÇÃO GERAL O que é Impacto Ambiental? É a alteração no meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação ou atividade

Leia mais

PROTOCOLO DE MANEJO CLÍNICO H1N1

PROTOCOLO DE MANEJO CLÍNICO H1N1 PROTOCOLO DE MANEJO CLÍNICO H1N1 ORIENTAÇÕES GERAIS SANTA CASA DE MISERICÓRIDA DE CAPÃO BONITO COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR JULHO 2009 PROTOCOLO DE MANEJO CLÍNICO DA INFLUENZA Em atendimento

Leia mais

SEINFRA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA JUNHO/2015

SEINFRA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA JUNHO/2015 SEINFRA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA JUNHO/2015 Corredores de Ônibus Manaus: Atendem três condicionantes: 1) Plano de Estruturação da Malha Viária do Governo do Estado do Amazonas; 2) Demanda

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO LOTEAMENTOS E DESMEMBRAMENTOS 04 vias do processo contendo na capa o número

Leia mais

Nesta oportunidade, confirmo que estes projetos estão fundamentados em Estudos, Estatísticas e Opiniões de Cidadãos domiciliados no bairro.

Nesta oportunidade, confirmo que estes projetos estão fundamentados em Estudos, Estatísticas e Opiniões de Cidadãos domiciliados no bairro. Barueri, 21 de Setembro de 2009. Ilustríssimo Senhor Rubens Furlan PREFEITO DE BARUERI Ref: Projetos do 1 Conselho Gestor de Segurança da Aldeia de Barueri Venho à presença de Vossa Excelência apresentar

Leia mais

DÂMOCLES PANTALEÃO LOPES TRINTA WALTER FERNANDES DE MIRANDA NETO SECRETÁRIO ADJUNTO DE PLANEJAMENTO DE OBRAS DA COPA 2014

DÂMOCLES PANTALEÃO LOPES TRINTA WALTER FERNANDES DE MIRANDA NETO SECRETÁRIO ADJUNTO DE PLANEJAMENTO DE OBRAS DA COPA 2014 INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA PARA A COPA INVESTIMENTOS SECRETARIA ADJUNTA EM MOBILIDADE DE PLANEJAMENTO URBANA DE OBRAS PARA DA A COPA MOBILIDADE URBANA - COPA DÂMOCLES PANTALEÃO LOPES TRINTA SECRETÁRIO

Leia mais

Tabela 1: Distribuição dos vírus Influenza nas amostras laboratoriais FUNED, 2013. Número de amostras positivas

Tabela 1: Distribuição dos vírus Influenza nas amostras laboratoriais FUNED, 2013. Número de amostras positivas COORDENADORIA DE DOENÇAS E AGRAVOS TRANSMISSÍVEIS DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLOGIA, AMBIENTAL E SAÚDE DO TRABALHADOR INFLUENZA (GRIPE) - CID 10: J09,

Leia mais

Boletim Epidemiológico Volume 01, Nº 2, 04 de Julho 2013.

Boletim Epidemiológico Volume 01, Nº 2, 04 de Julho 2013. Boletim Epidemiológico Volume 0, Nº 2, 04 de Julho 20. Influenza O controle da Influenza no país continua sendo feito por monitoramento - vigilância de Síndrome Gripal (SG) e da Síndrome Respiratória Aguda

Leia mais

O Mundial passa por aqui

O Mundial passa por aqui Informativo Oficial da Concer Ano 13 nº 122 julho de 2014 Petrópolis Duque de Caxias O Mundial passa por aqui Não é apenas o Rio de Janeiro que faz parte do caminho da Copa Juiz de Fora Rio de Janeiro

Leia mais

Síndrome Gripal Diretriz de atendimento nas UPAs

Síndrome Gripal Diretriz de atendimento nas UPAs Síndrome Gripal Diretriz de atendimento nas UPAs Características Influenza A influenza é caracterizada por infecção aguda das vias aéreas que cursa com febre (temperatura 38ºC), com a curva febril declinando

Leia mais

RESOLUÇÕES REGULATÓRIAS DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS E DE PRODUTOS PERIGOSOS

RESOLUÇÕES REGULATÓRIAS DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS E DE PRODUTOS PERIGOSOS RESOLUÇÕES REGULATÓRIAS DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS E DE PRODUTOS PERIGOSOS Atualizado até 06 de janeiro de 2015 1 SUMÁRIO RESOLUÇÃO Nº 4.515... 13 (De 19/12/2014 - DOU de 22/12/2014)... 13 Aprova

Leia mais

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto Secretaria Municipal de Obras secretário Alexandre Pinto Investimentos recordes e precisos Obras em andamento R$ 5,5 bilhões Obras em licitação R$ 2 bilhões Obras a licitar R$ 190 milhões R$ 8,1 bilhões

Leia mais

Planejamento das Linhas de ônibus no Rio com a derrubada da perimetral.

Planejamento das Linhas de ônibus no Rio com a derrubada da perimetral. Planejamento das Linhas de ônibus no Rio com a derrubada da perimetral. Aline Leite 1 ; Daniel Lopes 1 ; Eduardo Tavares da Silva 2 ; Eunice Horário Teixeira 2 ; Jorge Tiago Bastos 2 ; Luciana Brizon 2

Leia mais

sempre por um caminho melhor

sempre por um caminho melhor especial nova subida da serra Informativo Oficial da Concer Ano 13 nº 123 setembro de 2014 sempre por um caminho melhor Mais tecnologia e funcionalidade na rotina da BR-040 Semana Nacional do Trânsito

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015. Aula 5. Características do tráfego (cont.

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015. Aula 5. Características do tráfego (cont. Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015 Aula 5 Características do tráfego (cont.) fonte: revista 4 Rodas Publicidade, 1.962 5.1. Planejamento

Leia mais

Protocolo de Tratamento da Influenza. Maria Mazzarello Villaça Aline Anne Ferreira Junho 2013

Protocolo de Tratamento da Influenza. Maria Mazzarello Villaça Aline Anne Ferreira Junho 2013 Protocolo de Tratamento da Influenza Maria Mazzarello Villaça Aline Anne Ferreira Junho 2013 Influenza Grande preocupação das autoridades sanitárias mundiais: Impacto na morbimortalidade decorrente das

Leia mais

Educação Ambiental. Cartilha do Trabalhador. Ferrovia de Integração Oeste Leste - FIOL

Educação Ambiental. Cartilha do Trabalhador. Ferrovia de Integração Oeste Leste - FIOL Educação Ambiental Cartilha do Trabalhador Ferrovia de Integração Oeste Leste - FIOL 2 Introdução Esta cartilha foi elaborada pelo Programa de Educação Ambiental da Ferrovia de Integração Oeste Leste -

Leia mais

Influenza: Tratamento ambulatorial e hospitalar

Influenza: Tratamento ambulatorial e hospitalar Influenza: Tratamento ambulatorial e hospitalar Lessandra Michelim Infectologista- Mestre e Doutora em Biotecnologia e Microbiologia Influenza Incubação: 1-4 dias. Transmissão: adultos: 02 dias antes

Leia mais

SEMINÁRIO DE TÚNEIS IMERSOS COMITÊ BRASILEIRO DE TÚNEIS

SEMINÁRIO DE TÚNEIS IMERSOS COMITÊ BRASILEIRO DE TÚNEIS SEMINÁRIO DE TÚNEIS IMERSOS COMITÊ BRASILEIRO DE TÚNEIS 8 de novembro de 2013 LOCALIZAÇÃO Ligação rodoviária de 45 km; Ligação marítima limitada devido ao aumento do fluxo de navios (risco de acidentes).

Leia mais

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas São Paulo 2022 Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas Cidade Democrática, participativa e descentralizada Transformando São Paulo pela mudança

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA DESENVOLVIMENTO DE LAY-OUT DE PROPOSTA ALTERNATIVA PARA O SISTEMA G DE TRANSPORTE PÚBLICO MULTIMODAL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PORTÃO 25/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 25

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE 2014

RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE 2014 RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE ÍNDICE APRESENTAÇÃO CAPÍTULO 1 Perfil Organizacional e Ambiente Externo 1.1 Estratégia e Análise 1.2 Perfil Organizacional 1.3

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014 Mobilidade Urbana VASCONCELOS, Eduardo Alcântara de. Mobilidade urbana e cidadania. Rio de Janeiro: SENAC NACIONAL, 2012. PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL LUCIANE TASCA COMO SE FORMAM AS CIDADES? Como um

Leia mais

TESTE DA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA

TESTE DA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA TESTE DA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA Porto Alegre Junho/2012 1 TESTE DE PONTOS CRÍTICOS PARA IMPLANTAÇÃO DA FUTURA CICLOVIA DA AV. IPIRANGA, EM PORTO ALEGRE O Laboratório de Políticas Públicas e Sociais (Lappus),

Leia mais

Prefeitura faz obras na região do Riacho PREFEITURA ESPECIAL REGIÃO RIACHO

Prefeitura faz obras na região do Riacho PREFEITURA ESPECIAL REGIÃO RIACHO PREFEITURA FAZ INFORMATIVO DA PREFEITURA DE CONTAGEM Nº 1 - Janeiro de 2008 ESPECIAL REGIÃO RIACHO Prefeitura faz obras na região do Riacho A Prefeitura de Contagem prioriza investimentos na região do

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 INFRAESTRUTURA PARA A COPA 2014 Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 Novembro/12 Agosto/2011 Empreendimentos de Mobilidade Urbana BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1: Interseção com Av.

Leia mais

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado.

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. Job 44/4 Setembro/04 Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

HÁ 19 ANOS. RODOVIA CONECTADA BR-040 ganhará acesso gratuito à internet. UM FREIO NA FOME Concer inicia campanha de arrecadação de alimentos

HÁ 19 ANOS. RODOVIA CONECTADA BR-040 ganhará acesso gratuito à internet. UM FREIO NA FOME Concer inicia campanha de arrecadação de alimentos especial DE ANIVERSÁRIO Informativo Oficial da Concer Ano 13 nº 124 outubro de 2014 HÁ 19 ANOS FAZ DE SEU CAMINHO UMA BOA VIAGEM RODOVIA CONECTADA BR-040 ganhará acesso gratuito à internet UM FREIO NA

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro. Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras

Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro. Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras Obras de Mobilidade Urbana no Município da Cidade do Rio de Janeiro Alexandre Pinto Secretario Municipal de Obras BRTs Criado no Brasil e exportado para diversas cidades, tais como Bogotá, Pequim e Johanesburgo,

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES JULHO 2015 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS URBANO Fonte: Pesquisa de mobilidade 2012 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

ANEXO II DO CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO - CTB

ANEXO II DO CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO - CTB ANEXO II DO CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO - CTB 1. SINALIZAÇÃO VERTICAL É um subsistema da sinalização viária cujo meio de comunicação está na posição vertical, normalmente em placa, fixado ao lado ou

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP LICENCIAMENTO AMBIENTAL Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP Engª Adriana Maira Rocha Goulart Gerente Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

ESTRADA SUSTENTÁVEL Uma plataforma colaborativa para o Desenvolvimento Sustentável

ESTRADA SUSTENTÁVEL Uma plataforma colaborativa para o Desenvolvimento Sustentável 1 ESTRADA SUSTENTÁVEL Uma plataforma colaborativa para o Desenvolvimento Sustentável 2 Desafios para o desenvolvimento sustentável O mundo esta ficando cada vez mais urbano Mais da metade da população

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Prefeitura Municipal de Registro

Prefeitura Municipal de Registro Prefeitura Municipal de Registro Departamento Municipal de Administração Rua José Antônio de Campos, nº 250 Centro CEP: 11.900-000 Registro SP Fone: (13) 3828-1000 Fax: (13) 3821-2565 e-mail prefeitura@registro.sp.gov.br

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E CAPACITAÇÃO DER/2008 TÓPICOS DE DE PROJETO GEOMÉTRICO RODOVIÁRIO. Lucas Bach Adada

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E CAPACITAÇÃO DER/2008 TÓPICOS DE DE PROJETO GEOMÉTRICO RODOVIÁRIO. Lucas Bach Adada PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E CAPACITAÇÃO DER/2008 TÓPICOS DE DE PROJETO GEOMÉTRICO RODOVIÁRIO Lucas Bach Adada 1 Conteúdo Programático Definição de Projeto Geométrico; Classificação das Vias e Rodovias ; Critérios

Leia mais

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto Secretaria Municipal de Obras secretário Alexandre Pinto Investimentos recordes e precisos Obras em andamento R$ 5,54 bilhões Obras concluídas 3,48 bilhões Obras em licitação 235 milhões R$ 9,25 bilhões

Leia mais

INICIATIVAS INSPIRADORAS ESPAÇOS PÚBLICOS REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA SAVASSI BELO HORIZONTE MG

INICIATIVAS INSPIRADORAS ESPAÇOS PÚBLICOS REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA SAVASSI BELO HORIZONTE MG ESPAÇOS PÚBLICOS INICIATIVAS INSPIRADORAS REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA SAVASSI BELO HORIZONTE MG ÍNDICE INTRODUÇÃO PERFIL DA CIDADE OS PASSOS PARA A REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA DA SAVASSI DIRETRIZES DO PROJETO

Leia mais

DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E INFORMAÇÃO - DI GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO - GPO DIVISÃO DE PROCESSOS DE GESTÃO DIPG

DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E INFORMAÇÃO - DI GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO - GPO DIVISÃO DE PROCESSOS DE GESTÃO DIPG DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E INFORMAÇÃO - DI GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO - GPO DIVISÃO DE PROCESSOS DE GESTÃO DIPG NORMA INTERNA: UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE SINALIZAÇÃO DE OBRAS E

Leia mais

LINHA DO TEMPO DA CONCESSÃO

LINHA DO TEMPO DA CONCESSÃO LINHA DO TEMPO DA CONCESSÃO Abril/14 Julho/14 Agosto/14 Outubro/14 Dezembro/14 Abril/15 Via 040 assume a BR-040 Início dos trabalhos de conservação e manutenção, realizados de forma contínua desde então.

Leia mais

Guia Prático para Construção de Calçadas

Guia Prático para Construção de Calçadas Guia Prático para Construção de Calçadas Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano 19 3851.7021/ 3851.7022 E-mail: : spdu-contato@mogiguacu.sp.gov.br Introdução A acessibilidade é um direito

Leia mais

MOBILIDADE URBANA: INTERVENÇÃO E REESTRUTURAÇÃO DE CICLOVIAS NA AVENIDA MANDACARU

MOBILIDADE URBANA: INTERVENÇÃO E REESTRUTURAÇÃO DE CICLOVIAS NA AVENIDA MANDACARU MOBILIDADE URBANA: INTERVENÇÃO E REESTRUTURAÇÃO DE CICLOVIAS NA AVENIDA MANDACARU Adriele Borges da Silva¹; Tatiana Romani Moura²; RESUMO: O presente trabalho tem por finalidade apresentar um estudo e

Leia mais

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Página 1 de 9 Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Capitulos 01 - Requisitos 02 - Etaqpas 03 - Traçado 04 - Trafego e Clssificação 05 - Geometria 06 - Caracteristicas Técnicas 07 - Distancia

Leia mais

PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO PAC - RIO

PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO PAC - RIO PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO PAC - RIO ARCO METROPOLITANO TRAÇADO GERAL E SEGMENTAÇÃO Ligação entre a BR 101/NORTE em Manilha/Itaboraí a BR-101/SUL (Rod. Rio-Santos) em Itaguaí Extensão de 145

Leia mais

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3 Os Acidentes de Trânsito foram responsáveis por um total de 799 internações nos hospitais SARAH-Brasília, SARAH-Salvador, SARAH-Belo Horizonte e SARAH-São Luís no período de 01/01/2009 a 30/06/2009, correspondendo

Leia mais

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Melhoria da Infraestrutura Viária e Transporte na Capital Abril/2011 Mobilidade Urbana em Belo Horizonte BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1 VIADUTOS DE

Leia mais

Gestão Operacional e Redução de Acidentes

Gestão Operacional e Redução de Acidentes Gestão Operacional e Redução de Acidentes Setembro/2015 A Via Dutra Localização e extensão Fortaleza (CE) SP RJ Processo de licitação pública Agosto/1995 Critério: menor tarifa Prazo da concessão: 25 anos

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PMI PROJETO DE GUARDA E REMOÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES EM CIRCULAÇÃO SUJEITOS A INFRAÇÃO À LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO Belo Horizonte MG, setembro de 2013 SOBRE A

Leia mais

Governo Estadual RS 509

Governo Estadual RS 509 1 - RODOVIAS / TRAVESSIA URBANA Governo Federal BR 158, BR 287 e BR 392 Governo Estadual RS 509 Governo Municipal Av. Helvio Basso 2 - MOBILIDADE URBANA Plano Diretor de Mobilidade Urbana TR está pronto.

Leia mais