EVOLUÇÃO DO ENCEPAMENTO DA REGIÃO DO DÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EVOLUÇÃO DO ENCEPAMENTO DA REGIÃO DO DÃO"

Transcrição

1 1º CONGRESSO INTERNACIONAL DOS VINHOS DO DÂO EVOLUÇÃO DO ENCEPAMENTO DA REGIÃO DO DÃO L.C. CARNEIRO (1) ; Antero MARTINS (2) ; Vanda PEDROSO (3) 1. Instituto Nacional de Recursos Biológicos, I.P./L-INIA Oeiras 2. Instituto Superior de Agronomia/CBAA. Lisboa 3. Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro/CEVDão, Nelas RESUMO Neste trabalho faz-se uma análise da evolução do encepamento da Região Demarcada do Dão nos últimos 100 anos, referindo a legislação pertinente publicada até aos nossos dias. Verifica-se uma certa constância nos nomes das castas utilizadas ao longo do tempo mas nota-se que o conjunto é relativamente reduzido o que põe em risco a manutenção da variabilidade intervarietal. Os dados do cadastro efectuado na região na década de oitenta revelaram ainda que os viticultores tendem a concentrar as suas preferenciais numa pequena parte daquele reduzido encepamento o que agrava os riscos acima referidos. Refere-se a tendência recente também revelada pela legislação actual para o alargamento do número de castas da região, o que poderá contribuir para atenuar a erosão genética. Palavras chave: Região Demarcada Dão, castas, legislação Os vinhos do Dão são pela primeira vez oficialmente reconhecidos pelo artigo 5º do Decreto Nº 1 de 10 de Maio de 1907, publicado no Diário do Governo Nº 104, de 11 de Maio do mesmo ano. A região do Dão é oficialmente demarcada por carta de Lei de 18 de Setembro de 1908, que no seu artigo 11º refere: A região dos vinhos de pasto do Dão é demarcada do modo seguinte: Região do Dão: a compreendida nos concelhos do distrito de Viseu que não façam parte da região do Douro; os concelhos de Tábua e Oliveira do Hospital, no distrito de Coimbra, e o concelho de Fornos de Algodres, no distrito da Guarda. Contudo, a fama dos vinhos da região é bem anterior a esta data, como indica Maximiano de Aragão em Viseu Instituições Sociais, (citado por Loureiro, 1949): En 1553, le Conseiller Braz do Amaral, licencié et noble chevalier, qui possédait dês terres ne produisant qu un vin vert qu il n aimait pas beaucoup,

2 demenda à la Municipalité l autorisation d acheter à Fragosela 35 almoudes de vin múr pour être consommés chez lui, et non pour revendre, ce qu il affirmait sur serment. Comemora-se agora o primeiro centenário da Região Demarcada do Dão, e é objectivo deste trabalho analisar a evolução que sofreu o seu encepamento através dos tempos. Os primeiros dados de que dispomos datam de 1867 (Villa-Maior, et al., 1867) e são o resultado do trabalho da Comissão que foi encarregue de visitar, durante o tempo das vindimas e feitura dos vinhos, os principais districtos vinhateiros do continente do reino, a fim de estudar os systemas de fabricação dos vinhos nas differentes regiões vinícolas do paiz, reconhecer as causas dos defeitos pelos quaes elles são muitas vezes prejudicados na concorrência com os vinhos estrangeiros, e preparar a transformação indispensável e urgente da nossa industria dos vinhos, no intuito de lhe dar nos mercados do mundo o logar que ella deve e tem incontestável direito de alcançar e manter. Esta Comissão foi nomeada por portaria de 10 de Agosto de 1866 pelo Ministro João de Andrade Corvo, composta pelo visconde de Villa-Maior, encarregue de visitar os distritos do Norte do Douro, António Augusto de Aguiar os distritos compreendidos entre o Douro e o Tejo, com excepção do distrito de Lisboa e João Ignacio Ferreira Lapa para o distrito de Lisboa e distritos ao Sul do Tejo. Nesta publicação podemos verificar que a lista de castas mais utilizadas na região do Dão constava de 14 nomes para as tintas e 12 nomes para as brancas (Quadro I). Os problemas resultantes da sinonímia e homonímia existentes em todos os países de viticultura antiga e já quase totalmente resolvidos no nosso País com a publicação da Portaria Nº 428/200, de 17 de Julho, posterior ao último diploma que regula o encepamento da região DOC-Dão (Decreto-Lei Nº 376/93) obrigamnos a que se façam referencias a nomes de castas e não a castas propriamente ditas, pela confusão ainda existente ao tempo, na sua terminologia e perfeita identificação. Destes nomes, quatro tintas (Amaral, Boca de Mina, Meirinho e Tinta Francisca) e três brancas (Arinto, Malvasia de Lisboa e Mourisco) não constam da lista de nomes do encepamento actual e mencionados no Estatuto da Região 2

3 Vitivinícola do Dão, aprovado pelo Decreto-Lei Nº 376/93,de 5 de Novembro, que no seu artigo 4º lista as castas destinadas à elaboração dos vinhos de denominação de origem Dão (Quadro VIII). Quadro I - Nomes das castas tintas e brancas da região do Dão indicados em Villa- Maior,et al (1867) Casta da região do Dão Alvadurão Amaral Arinto Baga Borrado das Moscas Cerceal Boca de Mina Dona Branca Coração de Galo Douradinha Meirinho Malvasia de Lisboa Negro Mouro Malvasia Fina Penamacor Mourisco Pilongo Terrantês Tinta Amarela Uva Cão Tinta Carvalha Verdeal Tinta Francisca Tourigo Morais, em 1900 indica dez nomes de castas tintas e nove nomes de castas brancas como sendo a base dos vinhos da região do Dão (Quadro II). (1900) Quadro II - Nomes das castas tintas e brancas da região do Dão indicados por Morais Casta do vinho do Dão Baga (Malvasia Preta) Arinto Barcello Escabellado (Souzão) Cerceal Pilongo ( do Douro) Dona Branca Preto João Mendes Fernão Pires Rufete (Penamacor) Jampaulo Tinta Amarela Lusídio Tinta Francisca Moscatel Touriga do Douro Verdeal Tourigo Dos nomes referidos em 1900 só Escabellado (Souzão) e Tinta Francisca, em tintas e Moscatel em brancas, não são mencionadas no encepamento actual. Nesta listagem são notórios os problemas de sinonímia que dificultam muito a comparação dos encepamentos ao longo do tempo. 3

4 Os encepamentos das várias regiões vitivinícolas nacionais são pela primeira vez indicados oficialmente na Portaria Nº14 491, de 7 de Agosto de1953, que para a região demarcada do Dão refere os nomes das castas indicadas no Quadro III. O encepamento da região demarcada do Dão surge-nos reduzido a oito castas tintas e a nove castas brancas, em relação à listagem de nomes referidos anteriormente. Quadro III - Nomes das castas tintas e brancas da região Demarcada do Dão indicados na Portaria Nº Castas indicadas para a região Demarcada do Dão min.10% Barcelo mín. 20% Tourigo min. 10% Asario min. 5% Alfrocheiro Douradinho Moreto 25% Assario Roxo 40% Tinta Pinheira (Penamacor) Borrado das Moscas (Bical) Encruzado Alfrocheiro Preto Tinta Carvalha 25% Cachorrinho (Uva Cão) Tinto Cão Cerceal 5% Terrantês A Portaria nº 701/73 revê e substitui a portaria de 1953 e no seu preâmbulo refere: Em cumprimento do que estabelece o artigo 14º, 2º, do Decreto_Lei nº , de 23 de Novembro de 1951, foi publicada (Portaria nº , de 7 de Agosto de 1953) a lista das castas europeias (vinífera) e suas percentagens, tal como deveriam passar a figurar nos vinhedos das regiões produtoras, autorizadas a partir da referida data, pelo que das respectivas licenças de plantio passou a fazer parte, em anexo, a lista das castas em referência. Foi, sem dúvida, a primeira tentativa que se fez, tendo em vista imprimir cada vez melhor qualidade aos vinhos produzidos, no prosseguimento de uma política de qualidade que desde sempre preocupa a viticultura. Lista elaborada com base nos mais seguros conhecimentos de que então se dispunha, mas nem sempre confirmados, e por isso apresentada com as maiores cautelas, deixando aos viticultores liberdade de movimentos de harmonia com as realidades de cada região e a defesa dos seus legítimos interesses. Lista que fez, portanto, a sua época, mas se encontra hoje ultrapassada, carecendo de ser substituída por outra devidamente actualizada, em face dos conhecimentos adquiridos através dos seus trabalhos de 4

5 experimentação e de selecção efectuados entre a riquíssima gama de castas de vinho que caracterizam a nossa viticultura. No Quadro IV são indicados, para a região demarcada do Dão, os nomes das castas e respectivas percentagens a incluir no seu encepamento, indicados na Portaria Nº 701/73. Quadro IV - Nomes das castas tintas e brancas da região Demarcada do Dão indicados na Portaria Nº 701/73 Castas da Região Demarcada do Dão Alfrocheiro Preto Assario Branco Tinta Carvalha % Assario Roxo Rufete (Penamacor) Borrado das Moscas (Bical) Cercial 60-80% Alfrocheiro (Douradinha) Rabo de Ovelha Jaen Moreto 30-40% Barcelo Negro-Mouro Encruzado Tinta Amarela Terrantês 20-40% Tinto-Cão Uva Cão Verdelho Tourigo a) 20% a) Casta obrigatória em todas as plantações de castas tintas. O número de castas é aumentado em três tintas - Jaen, Negro Mouro e Tinta Amarela, (tendo esta última sido já mencionada como cultivada na região em 1867) e no caso das brancas passa a constar o nome da Verdelho e a Arinto é substituída pela Assario Branco 1. Em 1985, face ao início das negociações de adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia nova portaria é publicada, a Portaria nº 195/85, com a finalidade de actualizar a anteriormente publicada e de harmonizar a legislação nacional com a regulamentação europeia. No preâmbulo desta Portaria nº 195/85, pode ler-se:... Face ao disposto na alínea d) do nº1 do artigo 7º e nos artigos 29º e 30º do mencionado Decreto-Lei n513-d/79, torna-se necessário publicar nova regulamentação, na qual se tenha em conta não só os condicionalismos actuais, em grande parte relacionados com a adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia, mas também a classificação das castas (variedades de videira) em «recomendadas e 1 O nome Assario Branco é sinónimo de Arinto do Dão, diferente do cultivado em Bucelas. 5

6 autorizadas», de acordo com o exigido pelos regulamentos comunitários. O encepamento indicado para a Região Demarcada do Dão nesta portaria pode ser observado no Quadro V. Quadro V - Nomes das castas tintas e brancas da região Demarcada do Dão indicados na Portaria Nº 195/85 Castas da Região Demarcada do Dão Touriga Nacional min. 20% Encruzado min. 20% Alfrocheiro Preto Assario Branco Barcelo Jaen até 80% Borrado das Moscas até 80% Tinta Pinheira (Rufete) Cercial Tinta Roriz Verdelho Rufete (Penamacor) Rabo de Ovelha Tinta Amarela max. 20% Terrantês max. 20% Tinto-Cão Uva Cão O encepamento da região é de novo corrigido, passando o número de nomes de castas tintas de onze para nove, saindo a Moreto, a Negro-Mouro e a Tinta-Carvalha, sendo introduzida a Tinta-Roriz. No caso das castas brancas, o seu número é também fixado em nove, sendo eliminados do encepamento os nomes Alfrocheiro (Douradinha) e a Assario Roxo. As percentagens em que cada casta deveria entrar no encepamento foram também revistas e alteradas, indicando-se maior percentagem no encepamento às castas, tintas e brancas, consideradas de mais elevada qualidade. Quadro VI - Nomes das castas tintas e brancas da região Demarcada do Dão indicados no Cadastro Vitícola Castas mais cultivadas no Dão segundo os dados do Cadastro Alfrocheiro Assario Branco Assario Roxo Baga Barcelo Borrado das Moscas Jaen Cachorrinho Tinta Amarela Dona Branca Tinta Carvalha Douradinha Tinta Pinheira Encruzado Tinta Roriz Cerceal Tinto Cão Rabo de Ovelha Tourigo Terrantez Mourisco Verdelho Moreto Negro-Mouro 6

7 Os resultados do Cadastro Vitícola dos 16 concelhos de região demarcada do Dão, publicados entre 1983 e 1985, indicam como mais cultivadas na região 14 castas tintas e 12 castas brancas (Quadro VI), leque mais alargado do que indicado na Portaria Nº 195/85. Contudo, a distribuição percentual das castas em cultura nos vários concelhos da região mostra uma enorme concentração num número muito pequeno de castas, como se pode concluir da observação do Quadro VII, onde são indicados os valores que atingem as percentagens de apenas duas castas brancas e tintas que são sempre superiores a 50% e em alguns casos atingem mesmo mais de 90%. Quadro VII Percentagens das duas castas tintas e das duas castas brancas com maior representação em diversos concelhos da região Demarcada do Dão indicados no Cadastro Vitícola. Concelhos do Dão Castas tintas Castas brancas ARGANIL Baga, T. Pinheira % Assario, Borrado das Moscas % AGUIAR DA BEIRA Baga, T. Amarela % Assario, Borrado das Moscas % CARREGAL DO SAL Baga, T. Carvalha % Assario, Borrado das Moscas % FORNOS DE ALGODRES T. Amarela, Jaen % Assario, Borrado das Moscas % GOUVEIA Baga, Jaen % Assario, Borrado das Moscas MANGUALDE Baga, Jaen % Assario, Borrado das Moscas % MORTÁGUA Baga, Negro-Mouro % Assario, Borrado das Moscas 93.5% PENALVA DO CASTELO T. Pineira, Baga % Assario, Dona Branca % SANTA COMBA DÃO Baga, Touriga Nacional % Assario, Borrado das Moscas % SÁTÃO Baga, Jaen Dona Branca, Assario % SEIA Baga, T. Amarela % Assario, Dona Branca % TÁBUA Baga, Jaen % Assario, Borrado das Moscas % TONDELA Baga, Jaen % Assario, Borrado das Moscas % Esta situação veio demonstrar, juntamente com outros indicadores, o verdadeiro risco de erosão genética em que se encontrava e encontra a diversidade do património varietal da região e do país, pois esta realidade é comum a todas as regiões vitícolas. Com a adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia, em 1986 e a consequente adopção da legislação comunitária quer quanto às regiões demarcadas, quer quanto aos vinhos de qualidade produzidos em regiões determinadas (VQPRD), o País foi harmonizando a legislação do sector, o que conduziu à publicação, em 1993 do Decreto-Lei nº 376/93 em que se reunia num único diploma a legislação respeitante à região do Dão publicando-se em anexo a este diploma o respectivo Estatuto da Região Vitivinícola do Dão, referindo o seu preâmbulo: Os vinhos produzidos na região do Dão desfrutam de renome já 7

8 secular, tendo a sua tipicidade sido legalmente reconhecida pela Carta de Lei de 18 de Setembro de 1908, que delimitou a sua área de produção, e, posteriormente, pelo Decreto de 25 de Maio de 1910, que regulamentou a sua produção e comercialização. Esta legislação sofreu, entretanto, uma natural evolução e mesmo alterações diversas, justificando-se que seja agora reunida num único diploma, por forma a adequá-la à nomenclatura comunitária relativa aos vinhos de qualidade produzidos em regiões determinadas e a dar-se, igualmente, cumprimento ao disposto na Lei nº 8/85, de 4 de Junho. Neste diploma o encepamento da região é significativamente aumentado passando o número de castas quer tintas, quer brancas para vinte e cinco em cada caso (Quadro VIII). Quadro VIII - Nomes das castas tintas e brancas indicados no Estatuto da Região Vitivinícola do Dão, publicado pelo Decreto-Lei nº 376/93 Castas indicadas no Estatuto da Região Vitivinícola do Dão Recomendadas Recomendadas Alfrocheiro Preto Barcelo Bical (Borrado das Moscas) Aragonez (Tinta Roriz) Cercial Encruzado Jaen Malvasia Fina (Arinto-do-Dão) Rufete (Tinta Pinheira) Rabo de Ovelha Tinto-Cão Terrantez Touriga Nacional Uva Cão Trincadeira Preta (Tinta Amarela) Verdelho Autorizadas Autorizadas Água-Santa Arinto-de-Trás-os-Montes (Arinto-do-Douro) Baga Assaraky Camarate (Negro Mouro) Dona Branca (Dona-Branca-do-Dão) Campanário Douradinha Cidreiro Esgana-Cão Cornifesto-Tinto Fernão Pires Malvasia-Preta (Moreto) Jampal Marufo (mourisco) Luzídio Monvedro Malvasia-Fina-Roxa (Assario Roxo) Periquita Malvasia-Rei Tinta Carvalha Síria (Alvadurão-do-Dão) Touriga-Brasileira (Touriga-Fêmea) Tamarez (Arinto-Gordo) Tourigo (Tourigo-do-Douro) Verdial (Não ultrapassem 40% do conjunto) (Não ultrapassem 40% do conjunto) Alicante Bouschet (Tinta Fina) Alicante-Branco (Boal-Cachudo) Cabernet-Sauvignon Pinot Branco Pinot-Tinto Semillon O Estatuto da região vitivinícola do Dão recupera praticamente todas as castas que tinham anteriormente sido referenciadas como pertencentes ao encepamento do Dão e alarga significativamente o número de castas à disposição 8

9 dos viticultores da região permitindo uma grande liberdade na instalação das suas vinhas e consequentemente na laboração dos vinhos, embora imponha restrições no caso da classificação do vinho como Dão Nobre. Nota-se, contudo a manutenção de sinonímia em diversas castas e que hoje se encontra esclarecida, sendo possível em próximo diploma identificar as castas para cultura na região sem qualquer sombra de dúvida ou confusão, em virtude da publicação da Portaria nº 428/2000, de 17 de Julho e dos trabalhos de caracterização molecular que lhe sucederam. Referências Bibliográficas Decreto-Lei Nº 376/93, de 5 de Novembro. (Diário da Republica Nº 259, I Série-A) Loureiro, V.C. (1949). La region délimitée dês vins du Dão. Federação dos Vinicultores do Dão. Viseu. Morais, M. R.(1900). Viticultura Pratica Portuguesa. Biblioteca da Gazeta das Aldeias. Livraria Moreira. Porto. Portaria Nº14 491, de 7 de Agosto de1953. Portaria nº 701/73, de 13 de Outubro (Diário do Governo, I Série nº 240). Portaria Nº 195/85, de 10 de Abril (Diário da República nº 83, I Série). Portaria nº 428/2000, de 17 de Julho (Diário da República nº 163, I Séria B). Visconde de Villa-Maior, A.A. Aguiar, J.I.F. Lapa (1867) Memória sobre os processos de vinificação empregados nos principais centros vinhateiros do continente do reino (apresentada ao illustríssimo e excellentísimo senhor Ministro das obras públicas, commercio e industria pela commissão nomeada em portaria de 10 de Agosto de 1866). Imprensa Nacional. Lisboa. 9

Forum Anual dos Vinhos de Portugal A BIODIVERSIDADE NAS CULTURAS-BASE DA CADEIA ALIMENTAR (CASTAS E CLONES)

Forum Anual dos Vinhos de Portugal A BIODIVERSIDADE NAS CULTURAS-BASE DA CADEIA ALIMENTAR (CASTAS E CLONES) Forum Anual dos Vinhos de Portugal Palácio da Bolsa, Porto A BIODIVERSIDADE NAS CULTURAS-BASE DA CADEIA ALIMENTAR (CASTAS E CLONES) J.E. Eiras Dias, A. Graça, A. Martins 28 de Novembro de 2012 Variedades

Leia mais

Prospecção das castas antigas na região da Beira Interior

Prospecção das castas antigas na região da Beira Interior Prospecção das castas antigas na região da Beira Interior BEIRA INTERIOR Prospeção e conservação em larga escala da diversidade das castas antigas de videira em Portugal BEIRA INTERIOR AREA DE INFLUÊNCIA

Leia mais

DECRETO LEI Nº. Os vinhos produzidos na região do Dão desfrutam de renome já secular, tendo a sua tipicidade sido legalmente reconhecida pela Carta

DECRETO LEI Nº. Os vinhos produzidos na região do Dão desfrutam de renome já secular, tendo a sua tipicidade sido legalmente reconhecida pela Carta DECRETO LEI Nº. Os vinhos produzidos na região do Dão desfrutam de renome já secular, tendo a sua tipicidade sido legalmente reconhecida pela Carta de Lei de 18 de Setembro de 1908, que delimitou a sua

Leia mais

Região Vitivinícola do Algarve

Região Vitivinícola do Algarve Região Vitivinícola do Algarve Região Vitivinícola do Algarve 1 Índice 1. Introdução pág. 3 2. Caracterização da região pág. 3 3. Castas pág. 4 4. Tipos de vinhos pág. 4 5. Rótulos premiados pág. 5 6.

Leia mais

Manda o Governo, pelo Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pesca, o seguinte:

Manda o Governo, pelo Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pesca, o seguinte: A Portaria n.º 370/99, de 20 de Maio, e a Portaria n.º 424/2001, de 19 de Abril, reconheceram aos vinhos de mesa tinto, branco e rosado ou rosé da região do Ribatejo a possibilidade de usarem a menção

Leia mais

As mais-valias actuais e potenciais para as empresas resultantes da utilização da diversidade intravarietal da videira

As mais-valias actuais e potenciais para as empresas resultantes da utilização da diversidade intravarietal da videira Workshop Viticultura com futuro Auditório do Solar do IVDP - Régua, 06/03/2015 As mais-valias actuais e potenciais para as empresas resultantes da utilização da diversidade intravarietal da videira Elsa

Leia mais

Título da apresentação. Lisboa, Fevereiro 2009

Título da apresentação. Lisboa, Fevereiro 2009 Título da apresentação Lisboa, Fevereiro 2009 Principais castas portuguesas Espadeiro Tintas Trincadeira Touriga Nacional Jaen Castelão Touriga Franca Baga Alfroncheiro Moreto Tinta Negra Tinta Barroca

Leia mais

CATÁLOGO DAS CASTAS REGIONAIS DA BAIRRADA

CATÁLOGO DAS CASTAS REGIONAIS DA BAIRRADA CATÁLOGO DAS CASTAS REGIONAIS DA BAIRRADA INTRODUÇÃO Este catálogo das castas regionais da Bairrada tem por finalidade, de uma forma simples mas objectiva, possibilitar a identificação e caracterização

Leia mais

Vertice Reserva Bruto 10 Trás-Os-Montes 25,00

Vertice Reserva Bruto 10 Trás-Os-Montes 25,00 GRANDES ESCOLHAS VINHO BRANCO Soalheiro Reserva Alvarinho 13 Minho 45,00 Redoma Rabigato, Códega, Viosinho, Donzelinho & Gouveio 14 Douro 31,00 Campolargo Cerceal 14 Bairrada 40,00 Qta dos Carvalhais Reserva

Leia mais

N. o de Fevereiro de 2005 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 955

N. o de Fevereiro de 2005 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 955 N. o 30 11 de Fevereiro de 2005 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 955 (*) Todo o concelho. Concelho Freguesia Referência Vale do Seixo... 71 Vila Franca das Naves... 72 Vila Garcia... 73 Vilares... 74 ANEXO

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DOURO

CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DOURO ESTUDO DA EVOLUÇÃO DA MATURAÇÃO - 2009 CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DOURO José Joaquim Guerra Enologia - 10 de Dezembro de 2009 ÍNDICE A. Introdução. Objectivos... 3 B. Material e Métodos... 3 C.

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DO SECTOR VIVEIRISTA VITÍCOLA

CARACTERIZAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DO SECTOR VIVEIRISTA VITÍCOLA CARACTERIZAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DO SECTOR VIVEIRISTA VITÍCOLA Ricardo ANDRADE VITICERT Rua Cândido dos Reis, 1 Polígono do IVV 2560-312 TORRES VEDRAS geral@viticert.mail.pt RESUMO O sector viveirista

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS

DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS - 2012 (AO ABRIGO DA LEI Nº 2/2004, DE 15 DE JANEIRO, COM A NOVA REDACÇÃO DADA PELA LEI Nº 51/2005, DE 30 DE AGOSTO)

Leia mais

Importância da utilização de plantas de qualidade

Importância da utilização de plantas de qualidade DIREÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO Importância da utilização de plantas de qualidade Anabela Andrade DAAP, Divisão de Apoio à Agricultura e Pescas, 2014 Com uma área total de 240.000 hectares

Leia mais

CASTAS DO DÃO POTENCIAL VITÍCOLA E ENOLÓGICO

CASTAS DO DÃO POTENCIAL VITÍCOLA E ENOLÓGICO CASTAS DO DÃO POTENCIAL VITÍCOLA E ENOLÓGICO Plano de Acção Agro-Florestal para a Fileira Vitivinícola na Região Demarcada do Dão JORGE BRITES, VANDA PEDROSO, SÉRGIO MARTINS e CARLOS SILVEIRA DRAPC Centro

Leia mais

A VINHA E O VINHO: Inovação e Competitividade do Sector. As Castas dos Vinhos do Alentejo

A VINHA E O VINHO: Inovação e Competitividade do Sector. As Castas dos Vinhos do Alentejo ATEVA Associação Técnica dos Viticultores do Alentejo VINIPAX Experiências a Sul A VINHA E O VINHO: Inovação e Competitividade do Sector As Castas dos Vinhos do Alentejo Francisco Mata Parque de Feiras

Leia mais

Workshop Viticultura com Futuro. Régua Antero Martins

Workshop Viticultura com Futuro. Régua Antero Martins Workshop Viticultura com Futuro. Régua 06.03.2015 Antero Martins Do título: Associação Portuguesa para a Diversidade da Videira, o actor institucional das acções alvo deste worshop Associação dos Viticultores

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS 2416 Diário da República, 1.ª série N.º 79 23 de Abril de 2009 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS Portaria n.º 426/2009 de 23 de Abril Ainda que os vinhos com direito ao uso

Leia mais

CASTAS PORTUGUESAS um património único!

CASTAS PORTUGUESAS um património único! CASTAS PORTUGUESAS um património único! UTAD Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Vila Real I 19 de abril de 2012 Paulo Costa I paulo.costa@advid.pt Sumário: A ADVID, breves referências Evolução

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PESCAS E FLORESTAS

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PESCAS E FLORESTAS N. o 30 11 de Fevereiro de 2005 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 951 Animação Actividades de interpretação Desporto de natureza Custo (euros) Reserva Natural da Serra da Malcata Ecoturismo S. L. Espanha Passeios

Leia mais

o m e l h o r v i n h o p o s s í v e l a o m e n o r p r e ç o p o s s í v e l

o m e l h o r v i n h o p o s s í v e l a o m e n o r p r e ç o p o s s í v e l o m e l h o r v i n h o p o s s í v e l a o m e n o r p r e ç o p o s s í v e l Visconte i m p o r t a ç ã o, e x p o r t a ç ã o e d i s t r i b u i ç ã o d e v i n h o s t e l : ( + 5 5 6 1 ) 3 3 4 0

Leia mais

O Projecto Património do Vinho e da Vinha da Região Demarcada do Dão. Apresentação de Resultados Preliminares

O Projecto Património do Vinho e da Vinha da Região Demarcada do Dão. Apresentação de Resultados Preliminares O Projecto Património do Vinho e da Vinha da Região Demarcada do Dão Apresentação de Resultados Preliminares José Gomes FERREIRA Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Av. Professor Aníbal

Leia mais

POTENCIAL AGRONÓMICO DA CASTA TOURIGA NACIONAL

POTENCIAL AGRONÓMICO DA CASTA TOURIGA NACIONAL POTENCIAL AGRONÓMICO DA CASTA TOURIGA NACIONAL NUNO MAGALHÃES ANA ALEXANDRA OLIVEIRA UTAD AS REFERÊNCIAS AO CULTIVO DA CASTA TOURIGA NACIONAL SURGEM A PARTIR DO SEC. XVIII Lacerda Lobo (1790) faz referência

Leia mais

REGIÕES VITÍCOLAS PORTUGUESAS E PRINCIPAIS VARIEDADES. Nuno Magalhães

REGIÕES VITÍCOLAS PORTUGUESAS E PRINCIPAIS VARIEDADES. Nuno Magalhães REGIÕES VITÍCOLAS PORTUGUESAS E PRINCIPAIS VARIEDADES Nuno Magalhães 01.03.2012 REGIÕES VITIVINÍCOLAS MINHO,TRANSMONTANO, DURIENSE BEIRAS (DO DÃO e DO LAFÕES) TEJO, LISBOA,ALENTEJANO PENINSULA DE SETUBAL,

Leia mais

ESPUMANTES. QUINTA DAS BÁGEIRAS Bruto Natural 2013... 16.00

ESPUMANTES. QUINTA DAS BÁGEIRAS Bruto Natural 2013... 16.00 ESPUMANTES QUINTA DAS BÁGEIRAS Bruto Natural 2013... 16.00 Branco. Castas: Maria Gomes, Baga. Alc: 12% Enólogo: Mário Sérgio Alves Nuno. Como todos os espumantes da Quinta das Bágeiras (Bairrada), este

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS 620 Diário da República, 1.ª série N.º 45 5 de Março de 2010 aquisição de serviços de prestação de cuidados de saúde, nas áreas da urologia, cirurgia cardiotorácica, ortopedia, cirurgia vascular e oftalmologia,

Leia mais

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: Cad. especificações IG Alentejano final.pdf

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: Cad. especificações IG Alentejano final.pdf I. NOME(S) A REGISTAR: Alentejano II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal Endereço:

Leia mais

Caderno de Especificações - DO Beira Interior PDO-PT-A I. NOME(S) A REGISTAR: Beira Interior

Caderno de Especificações - DO Beira Interior PDO-PT-A I. NOME(S) A REGISTAR: Beira Interior I. NOME(S) A REGISTAR: Beira Interior II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal Endereço:

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de Diário da República, 1.ª série N.º 76 18 de Abril de 2011 2335 Referência Nome principal Sinónimo reconhecido Cor 131 Fonte -Cal......................................... B 142 Gouveio..........................................

Leia mais

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVR Lisboa-Caderno Especificações DO ÓBIDOS final.pdf

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVR Lisboa-Caderno Especificações DO ÓBIDOS final.pdf I. NOME(S) A REGISTAR: Óbidos II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua Mouzinho

Leia mais

SELECÇÃO DA VIDEIRA. Guia para escolha de materiais (clones)a plantar

SELECÇÃO DA VIDEIRA. Guia para escolha de materiais (clones)a plantar SELECÇÃO DA VIDEIRA Guia para escolha de materiais (clones)a plantar SELECÇÃO GENÉTICA E SANITÁRIA EM FAVOR DA VITICULTURA PORTUGUESA: 4ª DÉCADA A Associação Portuguesa para a Diversidade da Videira (PORVID)

Leia mais

Espumantes Sparkling Wine. Champagnes

Espumantes Sparkling Wine. Champagnes Rei das Praias Rosé Filipa Pato Brut 3B Soalheiro Brut Rei das Praias Magnum Brut Espumantes Sparkling Wine Paul Bara Grand Rosé de Bouzy Paul Bara Spécial Club 2004 Paul Bara Spécial Club Rosé 2009 Champagnes

Leia mais

PORTA-ENXERTOS RESULTADOS DA EXPERIMENTAÇÃO NA REGIÃO DO DÃO

PORTA-ENXERTOS RESULTADOS DA EXPERIMENTAÇÃO NA REGIÃO DO DÃO PORTA-ENXERTOS RESULTADOS DA EXPERIMENTAÇÃO NA REGIÃO DO DÃO Vanda PEDROSO (1) ; Sérgio MARTINS (1) ; Jorge BRITES (1) ; Alberto VILHENA (1) ; Isabel ANDRADE (2) ; João Paulo GOUVEIA (3) ; Carlos LOPES

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º637/X APROVA O ESTATUTO DO PROFISSIONAL DE ENOLOGIA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º637/X APROVA O ESTATUTO DO PROFISSIONAL DE ENOLOGIA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º637/X APROVA O ESTATUTO DO PROFISSIONAL DE ENOLOGIA Exposição de motivos Ao longo da história, o sector vitivinícola tem tido um papel de relevo no nosso país enquanto actividade produtora

Leia mais

P O R T F O L I O 2013

P O R T F O L I O 2013 2013 P O R T F O L I O P O R T F O L I O PRODUTOR ENGARRAFADOR José Francisco Lopes Preto DENOMINAÇÃO DOC Trás-os-Montes REGIÃO E SUB-REGIÃO Trás-os-Montes, Planalto Mirandês SELECÇÃO DE CASTAS Touriga

Leia mais

Portaria n.º 199/2010 de 14 de Abril MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS (fonte Diario da Repubblica)

Portaria n.º 199/2010 de 14 de Abril MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS (fonte Diario da Repubblica) Portaria n.º 199/2010 de 14 de Abril MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS (fonte Diario da Repubblica) O Regulamento (CE) n.º 1234/2007, do Conselho, de 22 de Outubro, com as

Leia mais

Legislação. Decreto-Lei n.º 43/2005, 22 de Fevereiro de Publicado no D.R. n.º 37, I Série-A, de 22 de Fevereiro de 2005 SUMÁRIO :

Legislação. Decreto-Lei n.º 43/2005, 22 de Fevereiro de Publicado no D.R. n.º 37, I Série-A, de 22 de Fevereiro de 2005 SUMÁRIO : Legislação Decreto-Lei n.º 43/2005, 22 de Fevereiro de 2005 Publicado no D.R. n.º 37, I Série-A, de 22 de Fevereiro de 2005 SUMÁRIO : Altera o Decreto-Lei n.º 245/2003, de 7 de Outubro, que transpôs para

Leia mais

Contributo para o Estudo de Castas e Porta-Enxertos

Contributo para o Estudo de Castas e Porta-Enxertos Contributo para o Estudo de Castas e Porta-Enxertos Campos de Xisto e Granito - Numão Eduardo Abade Novembro 2009 ÍNDICE Índice de Gráficos... 3 INTRODUÇÃO... 4 1. MATERIAL E MÉTODOS... 5 1.1. Campos Experimentais...

Leia mais

Manual em caixas de 15 Kg Vinificação. cubas de aço inox. Estágio Maturação em cubas de aço inox durante 3 meses.

Manual em caixas de 15 Kg Vinificação. cubas de aço inox. Estágio Maturação em cubas de aço inox durante 3 meses. A Serenada Enoturismo integra duas parcelas de vinha: a vinha velha, plantada em 1961 e a nova em 2008. Os vinhos são frescos, minerais, complexos e elegantes. As vinhas situam-se a cerca de 10 km da orla

Leia mais

Tel Fax

Tel Fax WINE PORTFOLIO PREMIUM VINHO DO PORTO ADEGA DE COLARES A SERENADA HERDADE DA AJUDA QUINTA PENEDO DO SALTO QUINTA DO SOBREIRÓ DE CIMA QUINTA DA FIRMIDÃO HERDADE DA AMENDOEIRA ALENTEJO & DOURO PORTO SINTRA

Leia mais

O Vinho do Porto. Eduardo Abade. Wine - Karen Kauffman. Simple. Wine. Centro de Estudos Vitivinícolas do Douro. Anadia 07Set06

O Vinho do Porto. Eduardo Abade. Wine - Karen Kauffman. Simple. Wine. Centro de Estudos Vitivinícolas do Douro. Anadia 07Set06 O Vinho do Porto Eduardo Abade Centro de Estudos Vitivinícolas do Douro Simple Wine Wine - Karen Kauffman Anadia 07Set06 Região Demarcada do Douro 1ª REGIÃO DEMARCADA E REGULAMENTADA DO MUNDO 1ª REGIÃO

Leia mais

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em:

Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Plataformas Supraconcelhias Centro Atualizado em: 17-11-2014 Plataformas Supraconcelhias As Plataformas Territoriais, como órgão da Rede Social, foram criadas com o objetivo de reforçar

Leia mais

Caderno de Especificações DO DoTejo PDO-PT-A1544. I. NOME(S) A REGISTAR: DoTejo

Caderno de Especificações DO DoTejo PDO-PT-A1544. I. NOME(S) A REGISTAR: DoTejo I. NOME(S) A REGISTAR: DoTejo II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal Endereço:

Leia mais

Évora Segovia Conimbri Estrada Romana Brasão de Dom Afonso Bandeira de Dom Afonso Dom Afonso Henrique e Dona Maria A Invasão de Santarem A Conquista de Lisboa Mapa de Portugal O Estado Absolutista

Leia mais

Carlos SILVA 1,2 ; Virgílio LOUREIRO Lisboa. RESUMO

Carlos SILVA 1,2 ; Virgílio LOUREIRO Lisboa. RESUMO COMPORTAMENTO DOS CONCELHOS, ANOS DE COLHEITA E PRODUTORES DO DÃO COM BASE NA DESCRIÇÃO SENSORIAL E ANALÍTICA DE VINHOS SUBMETIDOS AO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Carlos SILVA 1,2 ; Virgílio LOUREIRO 2 1 Vines

Leia mais

I. NOMES(S) A REGISTAR: Península de Setúbal

I. NOMES(S) A REGISTAR: Península de Setúbal I. NOMES(S) A REGISTAR: Península de Setúbal II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal

Leia mais

Caderno de Especificações IG AÇORES PGI-PT- A1447. I. NOME(S) A REGISTAR: Açores

Caderno de Especificações IG AÇORES PGI-PT- A1447. I. NOME(S) A REGISTAR: Açores I. NOME(S) A REGISTAR: Açores II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua Mouzinho

Leia mais

CASTANHEIRO E CASTANHA RESULTADOS DO PROJECTO AGRO 448

CASTANHEIRO E CASTANHA RESULTADOS DO PROJECTO AGRO 448 CASTANHEIRO E CASTANHA RESULTADOS DO PROJECTO AGRO 448 CARACTERIZAÇÃO DOS SOUTOS DA REGIÃO DA BEIRA INTERIOR AUTORES: FRANCISCO A. MATOS SOARES JOSE PIRES SEQUEIRA SERRA DA ESTRELA RIBACÔA ALTO MONDEGO

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR VITIVINÍCOLA ENTRE 2000 E 2009 Observatório rio dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares Alimentares Julho 2011 EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS

Leia mais

REGULAMENTO SORTEIO CAFÉS DELTA A CAMINHO DE VISEU

REGULAMENTO SORTEIO CAFÉS DELTA A CAMINHO DE VISEU REGULAMENTO SORTEIO CAFÉS DELTA A CAMINHO DE VISEU I Âmbito 1. O Sorteio da Manuel Rui Azinhais Nabeiro, Ldª, (doravante M.R.A.N.,Ldª ) Delta a Caminho de Viseu (doravante, Sorteio ) é levado a cabo pela

Leia mais

ÍNDICE GRANDE DEGUSTAÇÃO DOS DE PORTUGAL 2016 PORTO ALEGRE - 13 DE ABRIL NOME DO PRODUTOR NÚMERO DE MESA AVELEDA 1 20 CAMINHOS CRUZADOS 2 21 PÁGINA CASA SANTOS LIMA - COMPANHIA DAS VINHAS 3 22 ESPORÃO

Leia mais

SANTA VITÓRIA. O aroma de um estilo de vida

SANTA VITÓRIA. O aroma de um estilo de vida EMPRESA A Casa de Santa Vitória éuma empresa do Grupo Vila Galé, um dos principais grupos hoteleiros portugueses. O negócio de produção de vinhos e azeites de qualidade, surge no final da década de 90

Leia mais

Tiragem: Pág: 10. Cores: Cor. País: Portugal. Área: 26,16 x 33,81 cm². Period.: Semanal. Corte: 1 de 8. Âmbito: Informação Geral.

Tiragem: Pág: 10. Cores: Cor. País: Portugal. Área: 26,16 x 33,81 cm². Period.: Semanal. Corte: 1 de 8. Âmbito: Informação Geral. Pág: 10 Área: 26,16 x 33,81 cm² Corte: 1 de 8 Tendências Pág: 11 Área: 26,21 x 33,81 cm² Corte: 2 de 8 ADRIANO MIRANDA Brancos do nosso contentamento De vinhos simples condenados a acompanhar um peixinho

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 2 de novembro de Série. Número 191

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 2 de novembro de Série. Número 191 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 2 de novembro de 2016 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS Portaria n.º 463/2016 Adota medidas de aplicação e de controlo da

Leia mais

Índice. Index. Conceito 02. O Vinho 03. Vinho do Mês 04. Vinhos a Copo 05. Espumantes e Champagnes 07. Vinhos Biológicos 08

Índice. Index. Conceito 02. O Vinho 03. Vinho do Mês 04. Vinhos a Copo 05. Espumantes e Champagnes 07. Vinhos Biológicos 08 CARTA DE VINHOS Índice. Index Conceito 02 Concept O Vinho 03 The Wine Vinho do Mês 04 Wine of the month Vinhos a Copo 05 Wine by Glass Espumantes e Champagnes 07 Sparkling Wine and Champagnes Vinhos Biológicos

Leia mais

ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO 1

ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO 1 CÂMARA MUNICIPAL DE FORNOS DE ALGODRES ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO RESUMO NÃO TÉCNICO DATA: 2015-05-14 ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO

Leia mais

Vinhos regionais: regulamentação no Brasil

Vinhos regionais: regulamentação no Brasil X Congresso Brasileiro de Viticultura e Enologia 153 Vinhos regionais: regulamentação no Brasil Jorge Tonietto 1 e Ivanira Falcade 2 A produção de vinhos no Brasil é regida pela Lei nº 7.678, de 08.11.88,

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TIPO DE PODA SOBRE O RENDIMENTO E QUALIDADE DA CASTA VERDELHO RESUMO

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TIPO DE PODA SOBRE O RENDIMENTO E QUALIDADE DA CASTA VERDELHO RESUMO ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TIPO DE PODA SOBRE O RENDIMENTO E QUALIDADE DA CASTA VERDELHO João Brazão 1, José A. Aguiar 2 RESUMO Com o intuito de estudar a influência de vários tipos de poda na casta Verdelho,

Leia mais

Caderno de Especificações IG Transmontano PGI-PT-A1467. I. NOME(S) A REGISTAR: Transmontano

Caderno de Especificações IG Transmontano PGI-PT-A1467. I. NOME(S) A REGISTAR: Transmontano I. NOME(S) A REGISTAR: Transmontano II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua

Leia mais

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVRLisboa-Caderno Especificações DO ALENQUER final.pdf

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVRLisboa-Caderno Especificações DO ALENQUER final.pdf I. NOME(S) A REGISTAR: Alenquer II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua Mouzinho

Leia mais

CÓDIGO DA PUBLICIDADE ACTUALIZAÇÃO N.º 2

CÓDIGO DA PUBLICIDADE ACTUALIZAÇÃO N.º 2 CÓDIGO DA PUBLICIDADE ACTUALIZAÇÃO N.º 2 Código da Publicidade 2 TÍTULO: CÓDIGO DA PUBLICIDADE Actualização N.º 2 AUTORES: Texto da Lei EDITOR: LIVRARIA ALMEDINA www.almedina.net ISBN ORIGINAL: 972-40-2212-9

Leia mais

Sugestão. Suggestion. Fita Preta... Garrafa / Bottle 9,00 Caiado... Garrafa / Bottle 7,50

Sugestão. Suggestion. Fita Preta... Garrafa / Bottle 9,00 Caiado... Garrafa / Bottle 7,50 Sugestão Suggestion Fita Preta... Garrafa / Bottle 9,00 Caiado... Garrafa / Bottle 7,50 Vinhos a copo Wines by the glass Farias Vineyards 2014... Copo / Glass 3,00 Ilha do Pico Fita Preta 2014...Copo /

Leia mais

CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO

CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO (4.ª Edição) Actualização N.º 5 Código da Estrada Edição de Bolso 2 TÍTULO: AUTOR: CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO Actualização N.º 5 BDJUR EDITOR: EDIÇÕES ALMEDINA,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO VINHOS DE PORTUGAL (Wines of Portugal Challenge) (2017)

REGULAMENTO DO CONCURSO VINHOS DE PORTUGAL (Wines of Portugal Challenge) (2017) REGULAMENTO DO CONCURSO VINHOS DE PORTUGAL (Wines of Portugal Challenge) (2017) O Concurso Vinhos de Portugal / Wines of Portugal Challenge 2017, adiante designado por CVdP ou WoP Challenge, decorrerá

Leia mais

Caderno de Encargos DO Portimão PDO-PT- A1452. I. NOME(S) A REGISTAR: Portimão

Caderno de Encargos DO Portimão PDO-PT- A1452. I. NOME(S) A REGISTAR: Portimão I. NOME(S) A REGISTAR: Portimão II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua

Leia mais

que abre uma destilação complementar à referida no artigo 41? do Regulamento

que abre uma destilação complementar à referida no artigo 41? do Regulamento N? L 32/ 18 Jornal Oficial das Comunidades Europeias 4. 2. 88 REGULAMENTO (CEE) N? 327/88 DA COMISSÃO de 3 de Fevereiro de 1988 que abre uma destilação complementar à referida no artigo 41? do Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE FRONTEIRA Preâmbulo No processamento da política de reorganização dos serviços municipais e no caso particular do Arquivo do Município de Fronteira, pretende-se com

Leia mais

Nº DIÁRIO DA REPÚBLICA - II, SÉRIE PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA SAÚDE

Nº DIÁRIO DA REPÚBLICA - II, SÉRIE PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA SAÚDE Nº. 216-18-09-1998 DIÁRIO DA REPÚBLICA - II, SÉRIE PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA SAÚDE Portaria n.º 981/98 (2.ª série). - Tendo presente a Convenção das Nações Unidas, bem como o

Leia mais

www.valebarqueiros.pt

www.valebarqueiros.pt www.valebarqueiros.pt A HERDADE DE VALE BARQUEIROS [VALE BARQUEIROS] Março de 2016 A Herdade de Vale Barqueiros com cerca de 800 ha, fundada em 1853 e situada a poucos quilómetros de Alter do Chão, é uma

Leia mais

FÓRUM ANUAL VINHOS DE PORTUGAL

FÓRUM ANUAL VINHOS DE PORTUGAL FÓRUM ANUAL VINHOS DE PORTUGAL MERCADO NACIONAL & EXPORTAÇÕES CURIA PALACE HOTEL, 23 NOVEMBRO M A R I A J O Ã O D I A S I V V, I P 1. VINHA 2. VINHO 3. EXPORTAÇÕES VINHA DISTRIBUIÇÃO DA VINHA EM PORTUGAL

Leia mais

2. TIPO DE TRANSPORTES ABRANGIDOS São cobertos por este procedimento os transportes de:

2. TIPO DE TRANSPORTES ABRANGIDOS São cobertos por este procedimento os transportes de: Pág. 1 de 5 No início da campanha 2008/2009 procedeu-se à implementação da emissão electrónica do Documento de Acompanhamento (DA) do transporte de produtos vitivinícolas, tendo-se eliminado gradualmente

Leia mais

Portaria n.º 1458/2009. de 31 de Dezembro

Portaria n.º 1458/2009. de 31 de Dezembro Portaria n.º 1458/2009 de 31 de Dezembro O Governo suspendeu, durante o ano de 2010, o mecanismo de actualização do indexante dos apoios sociais (IAS), das prestações sociais e da revalorização das remunerações

Leia mais

Quinta dos Termos, Lda. Carvalhal Formoso Belmonte Portugal Tel.: (+351) Fax: (+351)

Quinta dos Termos, Lda. Carvalhal Formoso Belmonte Portugal Tel.: (+351) Fax: (+351) Localização A Quinta dos Termos está situada no centro de Portugal, nas faldas da encosta Sul da Serra da Estrela (montanha mais alta de Portugal Continental 2.000 m), assim resguardada dos ventos frios

Leia mais

Seleção de vinhos Wines Selection

Seleção de vinhos Wines Selection Seleção de vinhos Wines Selection Vinho a copo / Wine By the glass Espumante / Sparkling Champagne NC Extra Brut 8 Portugal Juvé Camps Cinta Purpura 8 Spain Charles Pelletier Rosé 10 France Vinho Rosé

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de Decreto-Lei n.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de Decreto-Lei n. 2442 Diário da República, 1.ª série N.º 81 27 de Abril de 2009 Área geográfica de produção de vinho com IG «Tejo» Distrito Lisboa...................... Santarém................... Concelho Azambuja. Abrantes.

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Diário da República, 1.ª série N.º 43 3 de março de 2014

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Diário da República, 1.ª série N.º 43 3 de março de 2014 1680 Diário da República, 1.ª série N.º 43 3 de março de 2014 ANEXO IV (a que se refere o artigo 4.º) Planta de localização com representação das zonas de proteção Extrato da Carta Militar de Portugal

Leia mais

Portaria n.º 224/2006

Portaria n.º 224/2006 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Portaria n.º 224/2006 8 de Março de 2006 SUMÁRIO: Aprova as tabelas comparativas entre o sistema de ensino português e outros sistemas de ensino, bem como as tabelas de conversão

Leia mais

7788 Diário da República, 1. a série N. o de Novembro de 2006

7788 Diário da República, 1. a série N. o de Novembro de 2006 7788 Diário da República, 1. a série N. o 216 9 de Novembro de 2006 ANEXO I (a que se refere o n. o 2. o ) Referência Nome principal Cor Sinónimo reconhecido 113 Donzelinho-Tinto... T 135 Gamay... T 141

Leia mais

PRODUTOS DE CONSTRUÇÃO Novo Regulamento, o que Muda

PRODUTOS DE CONSTRUÇÃO Novo Regulamento, o que Muda 1 PRODUTOS DE CONSTRUÇÃO Novo Regulamento, o que Muda Regulamento (UE) nº 305/2011 versus Diretiva nº 89/106/CEE Melo Arruda Encontro promovido pelo Bureau Veritas e IPQ 6 de novembro de 2012 2 Tópicos

Leia mais

Projecto de regulamentação sobre política de investimento e composição e avaliação dos activos dos fundos de pensões

Projecto de regulamentação sobre política de investimento e composição e avaliação dos activos dos fundos de pensões RESULTADOS DA CONSULTA PÚBLICA N. o 5/2007 Projecto de regulamentação sobre política de investimento e composição e avaliação dos activos dos fundos de pensões 28 de Junho de 2007 O Instituto de Seguros

Leia mais

PROGRAMA DE COOPERACIÓN TERRITORIAL DEL ESPACIO SUDOESTE EUROPEO

PROGRAMA DE COOPERACIÓN TERRITORIAL DEL ESPACIO SUDOESTE EUROPEO WINETech - SOE1/P1/E071 PROGRAMA DE COOPERACIÓN TERRITORIAL DEL ESPACIO SUDOESTE EUROPEO 2007-2013 MATRIZ CRUZADA DE OPORTUNIDADES DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICO-TECNOLÓGICA (09/06/2011) Entregável E.5.1. 1.

Leia mais

MUX MUX MUXAGAT TINTA BARROCA

MUX MUX MUXAGAT TINTA BARROCA MUX BRANCO / WHITE Castas/Grape Varieties: Rabigato, Field Blend de Castas antigas. Enólogo/Winemaker: Mateus Nicolau de Almeida Álcool / Alcohol: 13% MUX TINTO / RED Ano/Year : 2009 Castas/Grape Varieties

Leia mais

Condições Zootécnicas e Genealógicas

Condições Zootécnicas e Genealógicas Condições Zootécnicas e Genealógicas Legislação Consolidada Data de actualização: 24/01/2011 Texto consolidado produzido pelo sistema CONSLEG do serviço das publicações oficiais das comunidades Europeias.

Leia mais

AS NOSSAS SUGESTÕES OUR SELECTION

AS NOSSAS SUGESTÕES OUR SELECTION AS NOSSAS SUGESTÕES OUR SELECTION FILOCO BRANCO 27,50 SONANTE 27,50 RIBEIRO SANTO Entrecruzado 27,50 LUÍS PATO (Vinhas Velhas) Bairrada 27,50 CASAL DE SANTA MARIA Clássico, Arinto, Chardonnay Colares 27,50

Leia mais

PROGRAMA CAMPOS ELECTROMAGNÉTICOS DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA E PLANEAMENTO

PROGRAMA CAMPOS ELECTROMAGNÉTICOS DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA E PLANEAMENTO PROGRAMA CAMPOS ELECTROMAGNÉTICOS Legislação Regulamentar referente a Planos de Monitorização e Medição, de acordo com o DL 11/2003, de 23 de Novembro. INTRODUÇÃO E CONTEXTO LEGAL O Decreto-Lei n.º 11/2003,

Leia mais

APRESENTAÇÃO ADEGA COOPERATIVA DE PORTALEGRE, CRL

APRESENTAÇÃO ADEGA COOPERATIVA DE PORTALEGRE, CRL APRESENTAÇÃO ADEGA COOPERATIVA DE PORTALEGRE, CRL DA VINHA AO VINHO 55 ANOS DE HISTÓRIA UMA ADEGA COM 55 ANOS Mais de 55 anos contam a História da Adega Cooperativa de Portalegre, uma Adega que, com o

Leia mais

Alterações ao Regulamento Interno da CVR Dão APROVADAS EM CONSELHO GERAL DE 16 DE NOVEMBRO

Alterações ao Regulamento Interno da CVR Dão APROVADAS EM CONSELHO GERAL DE 16 DE NOVEMBRO Alterações ao Regulamento Interno da CVR Dão APROVADAS EM CONSELHO GERAL DE 16 DE NOVEMBRO DE 2012 1 NOTA PRÉVIA As alterações serão objecto de regulação e especificação detalhadas no quadro do Regulamento

Leia mais

Nestes termos, de harmonia com o disposto no artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 118/92 de 25 de Junho:

Nestes termos, de harmonia com o disposto no artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 118/92 de 25 de Junho: Aprova o modelo de receita médica destinado à prescrição de medicamentos incluindo a de medicamentos manipulados A lei actual consagra a obrigatoriedade da prescrição por denominação comum internacional

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO MAR, DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO MAR, DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Diário da República, 1.ª série N.º 225 21 de novembro de 2012 6705 Artigo 49.º Regulamentação A regulamentação prevista no presente decreto -lei é aprovada no prazo de 180 dias a contar da publicação deste.

Leia mais

ZA6774. Flash Eurobarometer 436 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal

ZA6774. Flash Eurobarometer 436 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal ZA677 Flash Eurobarometer 6 (Perceived Independence of the National Justice Systems in the EU among Companies) Country Questionnaire Portugal FL6 Independence of Justice BTB PT D Em que região se situa

Leia mais

Decreto Regulamentar n.º 71/80, de 12 de Novembro

Decreto Regulamentar n.º 71/80, de 12 de Novembro Decreto Regulamentar n.º 71/80, de 12 de Novembro Complementa as condições de acesso ao esquema de prestações de segurança social do Decreto- Lei n.º 160/80 O Decreto-Lei n.º 160/80, de 27 de Maio, embora

Leia mais

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro:

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 447/88, de 10 de Dezembro: Aprova o regulamento de conservação arquivística do INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I. P., no que se refere à avaliação, selecção, conservação e eliminação da sua documentação

Leia mais

DIREÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO HASTA PÚBLICA N.º 03-HP/DSA/DF/AC/2016

DIREÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO HASTA PÚBLICA N.º 03-HP/DSA/DF/AC/2016 DIREÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO HASTA PÚBLICA N.º 03-HP/DSA/DF/AC/2016 VENDA EM HASTA PÚBLICA DE UVAS DA ESTAÇÃO VITIVINÍCOLA DA BAIRRADA (EVB) PROGRAMA DE PROCEDIMENTO Página 1 de 8

Leia mais

INTRODUÇÃO. Colaboradores:

INTRODUÇÃO. Colaboradores: INTRODUÇÃO Este catálogo agora editado, é o resultado de inúmeros ensaios e observações efectuadas nos campos experimentais do Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão e em vinhas da região, no período 1957-2000.

Leia mais

BIBLIOTECA ARTIGO Nº 39

BIBLIOTECA ARTIGO Nº 39 BIBLIOTECA ARTIGO Nº 39 CRIATIVIDADE NORMATIVA Autor - Marcos Lobo de Freitas Levy Pela Portaria 2.048, publicada no Diário Oficial da União no dia 4 de setembro de 2009, com vigência determinada para

Leia mais

EDITAL N. º 34 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL

EDITAL N. º 34 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL EDITAL N. º 34 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL Maria Teresa da Costa Mendes Vítor Villa de Brito, Diretora-Geral de Alimentação e Veterinária, na qualidade de Autoridade Sanitária Veterinária Nacional,

Leia mais

CAPÍTULO 2 GEORREFERENCIAMENTO DA REGIÃO DELIMITADA DA DENOMINAÇÃO DE ORIGEM VALE DOS VINHEDOS: CARTAS IMAGEM

CAPÍTULO 2 GEORREFERENCIAMENTO DA REGIÃO DELIMITADA DA DENOMINAÇÃO DE ORIGEM VALE DOS VINHEDOS: CARTAS IMAGEM CAPÍTULO 2 GEORREFERENCIAMENTO DA REGIÃO DELIMITADA DA DENOMINAÇÃO DE ORIGEM VALE DOS VINHEDOS: CARTAS IMAGEM Loiva Maria Ribeiro de Mello Carlos Alberto Ely Machado André Rodrigo Farias Sonia Marliza

Leia mais

CAPÍTULO 1 A VITICULTURA NA INDICAÇÃO DE PROCEDÊNCIA PINTO BANDEIRA: CADASTRO VITÍCOLA GEORREFERENCIADO

CAPÍTULO 1 A VITICULTURA NA INDICAÇÃO DE PROCEDÊNCIA PINTO BANDEIRA: CADASTRO VITÍCOLA GEORREFERENCIADO CAPÍTULO 1 A VITICULTURA NA INDICAÇÃO DE PROCEDÊNCIA PINTO BANDEIRA: CADASTRO VITÍCOLA GEORREFERENCIADO Loiva Maria Ribeiro de Mello Carlos Alberto Ely Machado INTRODUÇÃO A vitivinicultura é uma atividade

Leia mais

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI. O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI Autoriza o Poder Executivo a instituir Serviço Social Autônomo denominado Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial - ABDI, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

QUALIDADE RECONHECIDA

QUALIDADE RECONHECIDA Indicação Geográfica: VALE DOS VINHEDOS QUALIDADE RECONHECIDA Vale dos Vinhedos conquista primeira DO de vinhos do Brasil 18 A Lavoura N O 696/2013 Em novembro de 2002, os vinhos e espumantes do VALE DOS

Leia mais