Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parceria. Iniciativa. Coordenação Técnica. Apoio"

Transcrição

1 Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa

2 AQUECIMENTO Objetivo principal: Integrar participantes de um grupo e esquentar para o trabalho que se inicia. A História do seu nome Em círculo, todos sentados ou em pé, dependendo do tempo que se calcula que a dinâmica irá durar. Normalmente estabelece-se aproximadamente 1 minuto por pessoa, mas o mediador pode combinar com o grupo qual será o tempo máximo de cada um. O mediador explica que cada pessoa deve dizer seu nome e contar aos demais qual a origem da escolha do nome: quem escolheu, e por que. Quem não conhece a história da escolha de seu nome pode contar como gostaria que fosse essa história. Para quebrar o gelo e para facilitar a compreensão, o mediador pode dar o exemplo e começar.

3 DIVIDINDO GRUPOS Em grupos com mais de 20 pessoas, para que o processo não fique muito longo, podese dividir os participantes em grupos menores. Pode-se utilizar algumas estratégias: 1. Divisão aleatória: Caso o mediador deseje dividir o grupo em 4 grupos menores, cada pessoa receberá um número, de 1 a 4. Depois o mediador vai chamando todas as pessoas que receberam o número 1 e lhes diz que formarão o grupo 1, chama todas que receberam o número 2, e assim por diante. Se o mediador quiser formar 3 grupos, os participantes receberão números de 1 a 3; se quiser formar 5, então receberão números de 1a Divisão por cores: Esta dinâmica é um pouco mais demorada do que a primeira, mas, além de organizar grupos, ainda possibilita ao mediador a identificação de lideranças. O mediador cola um adesivo colorido nas costas de cada participante. A quantidade de cores dos adesivos deve ser equivalente à quantidade de grupos que se pretende formar e a quantidade de adesivos de cada cor deve ser equivalente à quantidade de pessoas que se quer em cada grupo. Depois, o mediador explica aos participantes que, em silêncio, terão que se organizar em grupos de forma que cada grupo tenha apenas integrantes com adesivos da mesma cor.

4 DIVIDINDO GRUPOS 3. Divisão por afinidade: dependendo das características do grupo, o mediador escolhe algum tema que tenha ligação com os participantes. Os critérios podem ser time de futebol, estações do ano, cores, comidas ou lugares de preferência, por exemplo. Imaginando-se que o grupo é composto por adultos, o tema pode ser o número de filhos. O mediador pergunta que tem 1 filho e todas as pessoas que responderem formarão um grupo; depois pergunta quem tem 2 filhos e forma outro grupo; quem não tem filhos, quem tem mais de 2, e assim por diante. Depois, certamente terá que equilibrar a quantidade de pessoas em cada grupo, propondo alguma brincadeira para que determinado número de pessoas tope ir para outro grupo.

5 SISTEMATIZAÇÃO COM TARJETAS Objetivo principal: mapear e organizar ideias de um grupo de pessoas. Com base na retrospectiva do percurso do Programa, mediador solicita que cada pessoa produza duas tarjetas, cada uma contendo um aprendizado. Forma grupos com 4 pessoas e, das 8 tarjetas produzidas, pede que o grupo escolha 4 para serem compartilhadas com os demais. Peça que cada pessoa cole, em um local definido previamente (uma superfície plana e que seja visível a todos), uma das 4 tarjetas escolhidas. Peça que tentem colar suas tarjetas próximas de outra que tenha tema relacionado.

6 MAPEAMENTO DE TARJETAS POR AFINIDADE Mediador lê em voz alta todas as tarjetas afixadas Com base na orientação dos participantes, organiza as ideias em colunas ou grupos. Deixe um espaço para as ideias que aparentemente não têm relação com nenhuma outra Ideias iguais devem ser afixadas umas sobre as outras, uma vez que indicam as ideias mais frequentes Com a concordância de todos, junte grupos ou colunas que contenham ideias muito parecidas; não fique com um número grande de colunas ou grupos Com as ideias agrupadas, e com ajuda dos participantes criem categorias que representem as colunas ou grupos de ideias. Não esquecer de analisar as tarjetas que aparentemente não tinham relação com as demais

7 MAPEAMENTO DE TARJETAS POR AFINIDADE Escreva cada categoria em uma tarjeta de cor diferente das tarjetas utilizadas até então e cole-a acima do grupo ou coluna à qual se refere Não deixe os participantes gastarem muito tempo para chegar em uma acordo sobre uma categoria. Se ficarem em dúvida entre duas relacionadas, escreva as duas; se a dúvida for entre duas significativamente diferentes, escreva a que tem maior número de aprovações Dependendo do tempo que se tem, é possível acrescentar as tarjetas que não foram escolhidas pelos grupos. Os próprios autores das tarjetas fazem a leitura para o todo e colam na coluna correspondente. Se surgir alguma outra categoria, o participante já propõe antes de colar. Quando todas as tarjetas estiverem categorizadas, o mediador faz uma síntese dos aprendizados do grupo.

8 REMADOR Objetivo principal: fazer um levantamento rápido de aprendizagens ou pontos mais marcantes de um tema estudado. Elaborar, antes da atividade, as perguntas que serão feitas. Dividir os participantes em grupos e numerá-los, de acordo com o número de perguntas (uma pergunta por grupo e no máximo 6 pessoas por grupo). Entregar para cada grupo uma cartolina contendo uma pergunta e um pincel atômico. Os integrantes dos grupos começam a responder a questão que receberam, observando o tempo de 2 minutos. Decorrido o tempo, o mediador dá um sinal para que a cartolina do grupo 1 passe para o grupo 2, e assim por diante. Os participantes, quando receberem a folha do outro grupo, deverão acrescentar informações diferentes daquelas já escritas pelos colegas.

9 REMADOR Essas trocam deverão ocorrer até que todos os grupos tenham respondido todas as perguntas. (5 minutos na primeira rodada, 4 na segunda, 3 da terceira em diante). Quando os grupos já tiverem respondido todas as questões, o mediador deve fazer a leitura de todas as respostas que apareceram e acrescenta outras ou faz correções, caso seja necessário e vai perguntando se os participantes concordam e se querem acrescentar algo. Observação: Provavelmente, os participantes reclamarão que o tempo é curto, mas o mediador deve explicar que a intenção da dinâmica é que todos os grupos colaborem com informações de forma rápida em tempo reduzido.

10 AQUÁRIO Objetivo principal: conversar sobre assuntos importantes em grupos grandes, permitindo que todas as pessoas participem da conversa, seja ouvindo atentamente, seja falando, ou mesmo colhendo os resultados que importam. Organizar as cadeiras em círculos concêntricos (ou um único círculo, se couberem todas). No centro do círculo, colocar mais cinco cadeiras (em grupos pequenos, este número pode ser menor). Este círculo menor será o aquário. O mediador, sentado em uma das cadeiras centrais, inicia explicando a dinâmica e estabelecendo um tempo para a sua apresentação e para o diálogo. Pergunta quem gostaria de ser o relator do aquário. O mediador faz então uma apresentação do tema

11 AQUÁRIO Ao final se sua fala, o mediador abre para o diálogo, convidando as pessoas que queiram contribuir com o tema ou fazer perguntas a entrar no aquário e sentar-se em uma das cadeiras vazias. Quando a última cadeira vazia for ocupada, algum outro integrante do aquário deverá voltar para o(s) círculo(s) externo(s), de forma que uma das cadeiras do aquário fique sempre vazia. Geralmente, quem está no aquário percebe quando deixa de contribuir com o diálogo e/ou quando outras pessoas demonstram intenção de entrar no círculo; este é o momento de deixar o aquário

12 AQUÁRIO Princípios: O círculo central deve sempre ter pelo menos uma cadeira vazia Só uma pessoa fala por vez; se for necessário, estabelecer um objeto da fala Quem entra no círculo tem algo construtivo à acrescentar à conversa Quem estiver no(s) círculo(s) externo(s) pode entrar e sair sem falar Evitar repetir informação ou fugir do tema Falar de forma sucinta e clara e ouvir com atenção

13 FEIRA DE IDEIAS Objetivo principal: apresentar ideias e mobilizar pessoas para o engajamento no trabalho. Em uma cartolina, escrever o título da ideia que está sendo vendida e suas principais características Pendurar as cartolinas em um varal (ou colá-las na parede, fazendo uma exposição) Os participantes deverão andar pela exposição procurando decidir qual ideia comprariam. Os critérios para a escolha devem ser: Qual ideia defenderia publicamente Em qual grupo de trabalho gostaria de se envolver Com a escolha feita, cada participante deverá preencher uma tarjeta com seu nome e qual poderá ser sua contribuição neste grupo de trabalho. Colar a tarjeta na parte inferior da cartolina

3º Encontro Temático de 2017 Teoria das Inteligências Múltiplas no Contexto Escolar

3º Encontro Temático de 2017 Teoria das Inteligências Múltiplas no Contexto Escolar 3º Encontro Temático de 2017 Teoria das Inteligências Múltiplas no Contexto Escolar Sejam todos Bem Vindos! Sensibilização Dinâmica: Poesia ao Acaso ORIENTAÇÃO DINÂMICA: POESIA AO ACASO (Adaptado de JURADO,

Leia mais

O JOGO COMO METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA (MULTIPLICAÇÃO - TABUADA)

O JOGO COMO METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA (MULTIPLICAÇÃO - TABUADA) O JOGO COMO METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA (MULTIPLICAÇÃO - TABUADA) 3º ANO Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Março/2015 1 JOGOS PARA O ENSINO DA MULTIPLICAÇÃO

Leia mais

Planejando e Conduzindo Retiros

Planejando e Conduzindo Retiros Planejando e Conduzindo Retiros Objetivos: Oferecer informações sobre retiros aos líderes Leões Oferecer aos líderes Leões um modelo de agenda e sugestões para os retiros Organização: Este documento está

Leia mais

RELATÓRIO DE GRUPO APOIO PEDAGÓGICO 1º Semestre/2016 Turma: 2º ao 5º ano Professora: Izabela Moreira Alves Coordenação pedagógica: Lucy Ramos Torres

RELATÓRIO DE GRUPO APOIO PEDAGÓGICO 1º Semestre/2016 Turma: 2º ao 5º ano Professora: Izabela Moreira Alves Coordenação pedagógica: Lucy Ramos Torres RELATÓRIO DE GRUPO APOIO PEDAGÓGICO 1º Semestre/2016 Turma: 2º ao 5º ano Professora: Izabela Moreira Alves Coordenação pedagógica: Lucy Ramos Torres Nesse ano de 2016 a Escola do Sítio passou a oferecer

Leia mais

COMO SE COMPORTAR EM UMA DINÂMICA DE GRUPO?

COMO SE COMPORTAR EM UMA DINÂMICA DE GRUPO? ACERTE NO CURRICULO E NAS ENTREVISTAS Como Elaborar o Currículo Ideal? O Que é Preciso Mostrar Para Ficar Com a Vaga? Que Tipo de Perguntas São Feitas Numa Entrevista? COMO SE COMPORTAR EM UMA DINÂMICA

Leia mais

Movimento: Maio Amarelo

Movimento: Maio Amarelo Movimento: Maio Amarelo 2017 Apresentação O Movimento Maio Amarelo surgiu com a preocupação constante em reduzir acidentes de trânsito, em transformar nossa sociedade em um povo mais fraterno e educado.

Leia mais

Caderno de Oficina. Aprofundando Conhecimentos Construindo Planos de Segurança Alimentar e Nutricional nos Municípios Paulistas e Paranaenses

Caderno de Oficina. Aprofundando Conhecimentos Construindo Planos de Segurança Alimentar e Nutricional nos Municípios Paulistas e Paranaenses Caderno de Oficina Aprofundando Conhecimentos Construindo Planos de Segurança Alimentar e Nutricional nos Municípios Paulistas e Paranaenses UNESP-UFPR-USP Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional

Leia mais

Dinâmicas Comportamentais

Dinâmicas Comportamentais 33 Dinâmicas Comportamentais Observação / Ação 34 Tempo: 30 minutos Material: papel e caneta Descrição: o coordenador divide o grupo em um grupo de ação e outro de observação - o grupo de ação permanece

Leia mais

Projeto Natal - Qual o significado do natal? - Educação Infantil.

Projeto Natal - Qual o significado do natal? - Educação Infantil. Projeto Natal - Qual o significado do natal? - Educação Infantil. Confira a seguir o projeto natal para alunos da educação infantil. O que o aluno poderá aprender com esta aula Conhecer o significado e

Leia mais

Circuito Ayrton Senna de Juventude Orientações para a Comissão de Líderes

Circuito Ayrton Senna de Juventude Orientações para a Comissão de Líderes Circuito Ayrton Senna de Juventude 2014 Orientações para a Comissão de Líderes Parabéns, jovens líderes! Vocês foram os escolhidos para fazer parte da Comissão de Líderes Representantes de Turma! Esse

Leia mais

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 Tema: Gratidão e celebração Mês: Dezembro Habilidade Sócio emocional: Este projeto visa promover o encerramento do ano de 2016, em que os alunos terão a oportunidade de resgatar

Leia mais

Manual para Realização de Trabalho de Campo nas Disciplinas Formadoras

Manual para Realização de Trabalho de Campo nas Disciplinas Formadoras Manual para Realização de Trabalho de Campo nas Disciplinas Formadoras Teresina, 2017 APRESENTAÇÃO Considerando a necessidade de institucionalizar as diretrizes para a realização de trabalho de campo nos

Leia mais

Tamyris Caroline da Silva. Pricila de Fátima Stankevecz TEMA: FUTEBOL DE BOTÃO. FAIXA ETÁRIA: pré I (4 a 5 anos) JUSTIFICATIVA:

Tamyris Caroline da Silva. Pricila de Fátima Stankevecz TEMA: FUTEBOL DE BOTÃO. FAIXA ETÁRIA: pré I (4 a 5 anos) JUSTIFICATIVA: Universidade Federal do Paraná Setor de Educação Disciplina: PIBID Discentes: Tamara de la Macarena Moreiras Bucciarelli, Tamyris Caroline da Silva Pricila de Fátima Stankevecz TEMA: FUTEBOL DE BOTÃO FAIXA

Leia mais

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Janeiro Balanço e Resultados Escolares Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Aproveita o início deste período para fazeres um balanço do teu comportamento e dos teus resultados escolares no 1º Período.

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO COLÉGIO NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO FAMALICÃO ANADIA FICHA DE TRABALHO N.º2 DE MATEMÁTICA Data: Outubro de 2009 Turmas: 12ºA e 12ºB TÉCNICAS DE CONTAGEM: Arranjos com repetição ; Arranjos sem repetição;

Leia mais

Guia de Festa Infantil: 5 passos para organizar a sua.

Guia de Festa Infantil: 5 passos para organizar a sua. Guia de Festa Infantil: 5 passos para organizar a sua. Olá, bem-vindo ao nosso guia. Aniversário é sempre uma data especial para todo mundo, mas para crianças é ainda mais. Elas esperam o ano todo por

Leia mais

Atividades de Iniciação da Leitura e da Capacidade de Interpretação Textual

Atividades de Iniciação da Leitura e da Capacidade de Interpretação Textual Atividades de Iniciação da Leitura e da Capacidade de Interpretação Textual Elaboração: Vanessa de J. da S. Gonçalves Alves Primeiro Ano de Escolaridade Tema: O Nosso Nome e Nossa Identidade. DINÂMICA

Leia mais

PLANEJAMENTO. NOME IDENTIDADE Competências Linguagem oral, leitura, escrita, atenção Identificar o próprio nome, sua identidade; Objetivos

PLANEJAMENTO. NOME IDENTIDADE Competências Linguagem oral, leitura, escrita, atenção Identificar o próprio nome, sua identidade; Objetivos Professora: Nelcí Sganzerla Girelli PLANEJAMENTO NOME IDENTIDADE Competências Linguagem oral, leitura, escrita, atenção Identificar o próprio nome, sua identidade; Objetivos Identificar a importância de

Leia mais

DINÂMICA DE GRUPO LUCIANA LINS

DINÂMICA DE GRUPO LUCIANA LINS DINÂMICA DE GRUPO LUCIANA LINS comunicação INTRODUÇÃO relacionamento Atividades em Grupo Projetos Encontros Simpósios Workshops Aulas Motivação Trabalho em grupo interação INTRODUÇÃO Kurt Lewin (1944)

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº 008/2016

RESOLUÇÃO CONSU Nº 008/2016 RESOLUÇÃO CONSU Nº 008/2016 (Alteração da Resolução CONSU Nº 001/2015) Estabelece Normas para Funcionamento e Execução do Projeto Integrador Componente da Matriz Curricular 2011 e 2014 A Diretora Geral

Leia mais

DAMA DAS EQUAÇÕES DO 1º GRAU

DAMA DAS EQUAÇÕES DO 1º GRAU 1 DAMA DAS EQUAÇÕES DO 1º GRAU Resolver equações de 1 grau; Estimular o raciocínio. Duplas. Material (um para cada dupla): Tabuleiro8x8 com 64 casas. 64 peças. O jogo é composto por um tabuleiro 8x8 com

Leia mais

Reference to English Interconnections Lesson Exploring Pumpkins pg. 90

Reference to English Interconnections Lesson Exploring Pumpkins pg. 90 1ª Série Lição: Explorando as Abóboras 1 Classificação do Ciclo de vida de uma Abóbora. Reference to English Interconnections Lesson Exploring Pumpkins pg. 90 Science Standard(s): Standard IV, Objective

Leia mais

Sumário. CEAD - FACEL Manual do Aluno, 02

Sumário. CEAD - FACEL Manual do Aluno, 02 Manual CEAD - FACEL Sumário 03... Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem Atualizando seu perfil Esqueceu sua senha de acesso 09... O meu AVA Conhecendo meu AVA Navegando na disciplina Barra de navegação

Leia mais

GENÉTICA EM JOGO. 1. Introdução:

GENÉTICA EM JOGO. 1. Introdução: 1 1. Introdução: Por: Carlos RICHARD DA COSTA SANTOS O jogo Genética em Jogo tem como objetivo contribuir para o processo de ensino-aprendizagem dos educando. Por ser uma atividade lúdica espera-se que

Leia mais

Foto 1: Aluno com a cabeça dentro da câmara escura.

Foto 1: Aluno com a cabeça dentro da câmara escura. Câmara escura Regina Introdução: Podemos fazer das aulas de física um momento de reflexão sobre aquilo que observamos e incentivar os alunos a realizar construções experimentais por suas próprias mãos

Leia mais

Encontro 11: Resolução de exercícios da OBMEP

Encontro 11: Resolução de exercícios da OBMEP Encontro 11: Resolução de exercícios da OBMEP Exercício 1: Cada livro da biblioteca municipal de Quixajuba recebe um código formado por três das 26 letras do alfabeto. Eles são colocados em estantes em

Leia mais

COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo

COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo COMO MONTAR MEU HORÁRIO DE ESTUDO? O meu horário ATUAL de estudo Preencha este horário segundo a distribuição de tempo que você tem a intenção de fazer: Pinte de vermelho o tempo ocupado em aulas; Pinte

Leia mais

Índice. Amarelinha... Brinquedos de papel... Casa de bonecas... Caracol... Corre cutia... Estátua...

Índice. Amarelinha... Brinquedos de papel... Casa de bonecas... Caracol... Corre cutia... Estátua... Turmas APRESENTAÇÃO Ao longo do ano letivo participamos de várias brincadeiras que fazem parte da cultura brasileira, pesquisamos como se brinca em diferentes lugares e assim, conhecemos novos jeitos de

Leia mais

Oficina Operações. b) Quantos quilômetros a mais ele percorreu na terça feira em relação à quinta feira?

Oficina Operações. b) Quantos quilômetros a mais ele percorreu na terça feira em relação à quinta feira? Oficina Operações PROBLEMA 1 Um atleta, preparando-se para a corrida de São Silvestre, realizou os seguintes treinos na semana que antecedeu a prova: Segunda-feira: 18 km Terça feira: 20 km Quarta feira:

Leia mais

Bracelete Técnica utilizada: reaproveitamento de embalagem de papelão de ovos

Bracelete Técnica utilizada: reaproveitamento de embalagem de papelão de ovos Bracelete 1 Técnica utilizada: reaproveitamento de embalagem de papelão de ovos Materiais 2 Embalagem de papelão de uma dúzia de ovos Caixa de papelão Fita adesiva Cola Verniz acrílico 02 pincéis Tesoura

Leia mais

6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros

6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros 6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros Saiba como ter uma conversa agradável que conquiste o homem Eu imagino que você possa provavelmente estar rindo e pensando, Eu nunca tive problemas

Leia mais

TÉCNICAS DE APRENDIZADO WWW.QUEROSERPOLICIAL.COM.BR 1 Sumário TÉCNICAS DE APRENDIZADO - Faça um bom plano de estudo...03 - Motivação nos estudos...04 - Organização nos estudos...04 2 Técnicas de Aprendizado

Leia mais

Análise de Ambiente FOFA Fortes, Oportunidades, Fracos, Ameaças. Definição da Estratégia Michael Porter 1986 Liderança Custo, Diferenciação, Enfoque

Análise de Ambiente FOFA Fortes, Oportunidades, Fracos, Ameaças. Definição da Estratégia Michael Porter 1986 Liderança Custo, Diferenciação, Enfoque 1º 2º Análise de Ambiente FOFA Fortes, Oportunidades, Fracos, Ameaças Planejamento Estratégico Visão, Missão, Valores, Negócio Definição do Público-Alvo 3º Características do seu cliente 4º Definição da

Leia mais

EDUCANDÁRIO IMACULADA CONCEIÇÃO Educação, Serviço à vida! Programação Semanal Plantão de Férias EFAI - Período Diversificado 2017

EDUCANDÁRIO IMACULADA CONCEIÇÃO Educação, Serviço à vida! Programação Semanal Plantão de Férias EFAI - Período Diversificado 2017 EDUCANDÁRIO IMACULADA CONCEIÇÃO Educação, Serviço à vida! Programação Semanal Plantão de Férias EFAI - Período Diversificado 2017 Período Matutino e vespertino Dias da Semana Síntese do Calendário Semanal

Leia mais

Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x

Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x Princípios Empresarias de Alimentos e Agricultura do Pacto Global x Relatório do Workshop de Engajamento x São Bernardo de Campo SP, 04 de março de 2015 Contato: James Allen james@olab.com.br Neste relatório,

Leia mais

UM POR TODOS E TODOS POR UM

UM POR TODOS E TODOS POR UM OFICINA Nº: 01 UM POR TODOS E TODOS POR UM ÁREA: Recreação FAIXA ETÁRIA: 13 a 16 anos. CARGA HORÁRIA: 03 horas. OBJETIVO: Desenvolver o trabalho em equipe, a cooperação, a comunicação, a criatividade e

Leia mais

1 O QUE É O AMBIENTE UNIVATES VIRTUAL?

1 O QUE É O AMBIENTE UNIVATES VIRTUAL? MANUAL DO ALUNO Caro aluno, O Univates Virtual é um espaço de estudo e de relacionamento. Através dele você pode trocar ideias com os colegas de curso mesmo não estando na Univates, organizar e realizar

Leia mais

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula 2º Ciclo. Título: Revisão da Unidade - DEUS

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula 2º Ciclo. Título: Revisão da Unidade - DEUS Plano de Aula 07 Centro Espírita Ismênia de Jesus Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula 2º Ciclo Educadora: Lívia, Cida e Marta Dia: 23/03/2015 Título: Revisão da Unidade - DEUS Horário:

Leia mais

Escrever palavras de acordo com a letra inicial solicitada. Aprender a trabalhar em dupla, desenvolvendo comportamento cooperativo.

Escrever palavras de acordo com a letra inicial solicitada. Aprender a trabalhar em dupla, desenvolvendo comportamento cooperativo. PROPOSTA DIDÁTICA Público-alvo: Duração: Área de conhecimento envolvida: Abordagem de tema transversal: Professores do 1º ano 7 aulas Língua Portuguesa Pluralidade Cultural e Ética Objetivos de aprendizagem

Leia mais

VERMELHOS E AZUIS TRABALHANDO COM NÚMEROS INTEIROS E EXPRESSÕES LINEARES. TÂNIA SCHMITT UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

VERMELHOS E AZUIS TRABALHANDO COM NÚMEROS INTEIROS E EXPRESSÕES LINEARES. TÂNIA SCHMITT UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA VERMELHOS E AZUIS TRABALHANDO COM NÚMEROS INTEIROS E EXPRESSÕES LINEARES TÂNIA SCHMITT UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA tânia@mat.unb.br CAPÍTULO 1 JOGOS E ATIVIDADES PARA INTRODUÇÃO DE NÚMEROS NEGATIVOS A idéia

Leia mais

Seminário em Computação

Seminário em Computação (Disciplina) Professor: Lívia Lopes Azevedo Curso: Ciência da Computação Carga horária: 64 h Horário: 2ª feira das 9:30 às 11:30 3ª feira das 7:30 às 9:30 Definição Finalidade Objetivo Modalidade Etapas

Leia mais

Manual Edupulses Como utilizar as ferramentas

Manual Edupulses Como utilizar as ferramentas Manual Edupulses Como utilizar as ferramentas Caro (a) usuário (a): Com esta plataforma de interatividade, você poderá usar as seguintes atividades: Nuvem de palavras: Pode ser utilizada para criar uma

Leia mais

TEATRO NA ESCOLA. EMEIEF Evangelina Jordão Luppi Professora Simone Conrado Monteiro Silva 3º ano

TEATRO NA ESCOLA. EMEIEF Evangelina Jordão Luppi Professora Simone Conrado Monteiro Silva 3º ano TEATRO NA ESCOLA EMEIEF Evangelina Jordão Luppi Professora Simone Conrado Monteiro Silva 3º ano TEATRO NA ESCOLA Como tudo começou... Durante nossas rodas de comentários e roda de histórias eu observava

Leia mais

PEGUE 10. Quantidade: 08 unidades

PEGUE 10. Quantidade: 08 unidades 1 PEGUE 10 Materiais Um tabuleiro e 66 cartas redondas com os numerais de 1 a 7 nas seguintes quantidades: 1 22 cartas; 6-2 cartas; 2-16 cartas; 7-2 cartas; 3-12 cartas; Coringa 1 carta. 4-7 cartas; 5-4

Leia mais

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza

Leia mais

UFRN PIBID Subprojeto PIBID-Pedagogia SEQUENCIAS DIDÁTICAS

UFRN PIBID Subprojeto PIBID-Pedagogia SEQUENCIAS DIDÁTICAS SEQUENCIAS DIDÁTICAS EXPRESSÃO CORPORAL E ARTÍSTICA Para explorar outras formas de expressão... Produção textual através do texto de imagem por meio da obra: Ritinha Bonitinha - Eva Furnari. Apresentação

Leia mais

GÊNERO DISCURSIVO PARLENDA 1º ANO / TRABALHAR

GÊNERO DISCURSIVO PARLENDA 1º ANO / TRABALHAR GÊNERO DISCURSIVO PARLENDA 1º ANO / TRABALHAR BRAGA, Margarete Aparecida Nath CATTELAN, Alice Rosalia FERNANDES, Silvia Helena Monteiro OLIVEIRA, Ilda de Fatima de Lourdes 1. O que é uma parlenda? Parlenda

Leia mais

7 Interface do Mediated Chat 2.0

7 Interface do Mediated Chat 2.0 7 Interface do Mediated Chat 2.0 A única forma de utilizar o MC2 é participando de um curso, que esteja no ambiente AulaNet, cujo serviço Debate tenha sido selecionado pelo coordenador. O participante

Leia mais

Descrição de Um Leitor Ativo Leitura do texto: A moringa, a geladeira e a roupa no varal

Descrição de Um Leitor Ativo Leitura do texto: A moringa, a geladeira e a roupa no varal Descrição de Um Leitor Ativo Leitura do texto: A moringa, a geladeira e a roupa no varal Acompanhe o leitor competente em ação. Leio o titulo: A moringa, a geladeira e a roupa no varal. São três coisas

Leia mais

Semana de 10/04/17 a 16/04/17

Semana de 10/04/17 a 16/04/17 Semana de 10/04/17 a 16/04/17 DENTRE MUITAS VOZES, OUÇA A VOZ DE DEUS! Estação Cultivo OBJETIVO: Levar as crianças a entenderem que apesar de ouvirmos muitas vozes, devemos sempre optar por seguir a voz

Leia mais

3 Breve Introdução à Teoria dos Jogos

3 Breve Introdução à Teoria dos Jogos 3 Breve Introdução à Teoria dos Jogos Teoria dos Jogos é uma ferramenta matemática criada para melhor entender ou interpretar a maneira com que agentes que tomam decisões interagem entre si. Pense num

Leia mais

CONSTRUA SUA PRÓPRIA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA!

CONSTRUA SUA PRÓPRIA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA! CONSTRUA SUA PRÓPRIA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA! Personagem: Você trabalha na equipe do Instituto de Meteorologia do município, observando os padrões do tempo e desenvolvendo previsões do tempo para a cidade.

Leia mais

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 Tema: Alimentação saudável Mês: Abril Habilidade Sócio emocional: Consciência em ação organização e responsabilidade Período: 11 a 15 de Abril Duração: 1h Público: Creches

Leia mais

COMO JOGAR TRUCO PAULISTA

COMO JOGAR TRUCO PAULISTA COMO JOGAR TRUCO PAULISTA Link: http://www.jogatina.com/como-jogar-truco.html Como começo a jogar? Para começar a jogar truco paulista clique em "JOGAR AGORA!" na página do seu perfil no Jogatina. Em seguida,

Leia mais

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n : Data: 03 a 08 Maio Professor: Rolamento. Nadar em corredeira

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n : Data: 03 a 08 Maio Professor: Rolamento. Nadar em corredeira Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n : Data: 03 a 08 Maio 2010. Rolamento. Nadar em corredeira Fazer com que os alunos possam vivenciar e ter os primeiros contatos

Leia mais

DIA 20 DE NOVEMBRO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA ATIVIDADE 1: NOSSA HERANÇA NEGRA

DIA 20 DE NOVEMBRO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA ATIVIDADE 1: NOSSA HERANÇA NEGRA DIA 20 DE NOVEMBRO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA Jogar Capoeira ou Danse de la guerre. Quadro de Johann Moritz Rugendas, 1835. ATIVIDADE 1: NOSSA HERANÇA NEGRA 1. RESUMO DA AÇÃO 1.1 Proposta Pesquisar

Leia mais

TUTORIAL DE ACESSO E NAVEGAÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

TUTORIAL DE ACESSO E NAVEGAÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM TUTORIAL DE ACESSO E NAVEGAÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Tutorial de Acesso e Navegação Alunos 2009.2 Prezado (a) aluno (a), Esse é um documento informativo para orientá-lo no seu primeiro acesso

Leia mais

PROJETO DO 3º BIMESTRE PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E ESTAÇÕES DO ANO

PROJETO DO 3º BIMESTRE PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E ESTAÇÕES DO ANO CRECHE MUNICIPAL TERTULIANA MARIA DE ARRUDA SOUZA MÂE NHARA PROJETO DO 3º BIMESTRE PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E ESTAÇÕES DO ANO CUIABÁ 2015 INTRODUÇÃO Partindo do pressuposto de que a creche é um espaço

Leia mais

COMO FAZER ESCOVA PROGRESSIVA. Para obter um bom resultado usar um secador de 2100 watts e prancha de 230 graus.

COMO FAZER ESCOVA PROGRESSIVA. Para obter um bom resultado usar um secador de 2100 watts e prancha de 230 graus. ESCOVA PROGRESSIVA COMO FAZER ESCOVA PROGRESSIVA Para obter um bom resultado usar um secador de 2100 watts e prancha de 230 graus. Passo 1 - Os cabelos devem ser lavados 2 vezes normalmente com shampoo

Leia mais

Vivência. Generaliza ção. Processam ento

Vivência. Generaliza ção. Processam ento Vivência Aplicação Relato Generaliza ção Processam ento ANDRAGOGIA A aprendizagem nos adultos Crianças são seres, dependentes. Na idade escolar, continuam aceitando esta dependência, a autoridade do professor

Leia mais

DESCONFIO! ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL

DESCONFIO! ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL DESCONFIO! ENSINO SECUNDÁRIO / PROFISSIONAL Ensino Secundário / Profissional Breve descrição Esta atividade pretende desenvolver o trabalho em equipa e o conceito de liderança. Os alunos deverão ser capazes

Leia mais

PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO

PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO Habilitação: Técnico em Química Área Profissional: Controle e Processos Industriais Carga horária total: 1.720 h/a - 5. Objetivos do Estágio: 1.433 horas mais

Leia mais

PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE

PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE 1 PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO ESPORTE E DO LAZER DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS SOCIAIS DO ESPORTE E DO LAZER ROTEIRO DA FORMAÇÃO DE AGENTES

Leia mais

Como elaborar um bom seminário?

Como elaborar um bom seminário? Como elaborar um bom seminário? O que é um seminário? É uma técnica de aprendizagem que estimula o caráter investigativo, crítico e intelectual do aluno, pois lhe dá a oportunidade de conhecer de forma

Leia mais

Pegada nas Escolas - LIXO - PROPOSTAS PARA A ESCOLA: LIXO

Pegada nas Escolas - LIXO - PROPOSTAS PARA A ESCOLA: LIXO Pegada nas Escolas - LIXO - 1 PROPOSTAS PARA A ESCOLA: LIXO Nessa fase vamos colocar a mão na massa para criar um conjunto de soluções que permitam reduzir a Pegada Ecológica e de Carbono* na Escola. Para

Leia mais

TORNEIOS ESPORTIVOS MARÇO REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS

TORNEIOS ESPORTIVOS MARÇO REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS DISPOSIÇÕES GERAIS REALIZAÇÃO 19 de março de 2016 no Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo, para crianças nascidas entre 2007 e 2004. CERIMÔNIA DE ABERTURA Em cada grupo, às 08h30

Leia mais

Objetivos. Conteúdos. Público-Alvo. Duração. Materiais MEDINDO SUPERFÍCIES. Descartes

Objetivos. Conteúdos. Público-Alvo. Duração. Materiais MEDINDO SUPERFÍCIES. Descartes MEDINDO SUPERFÍCIES A Matemática apresenta invenções tão sutis que poderão servir não só para satisfazer os curiosos, como também para auxiliar as artes e poupar trabalho aos homens. Descartes Objetivos

Leia mais

OBJETIVOS DESENVOLVIMENTO

OBJETIVOS DESENVOLVIMENTO Entidade Mantenedora: SEAMB Sociedade Espírita Albertino Marques Barreto CNPJ:16.242.620/ 0001-77 Educação Infantil: Jardim I II Unidade Sequência nº 01 Período: 19 a 23/05/2014 Tema Transversal Norteador:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO MATEMÁTICA 2ºANO

PLANO DE TRABALHO MATEMÁTICA 2ºANO PLANO DE TRABALHO MATEMÁTICA 2ºANO Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Março/2014 PLANO DE TRABALHO - 2º ANO CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Geometria: - Noções

Leia mais

Plano de Sustentabilidade. (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: 1ª PARTE DO PLANO

Plano de Sustentabilidade. (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: 1ª PARTE DO PLANO Plano de Sustentabilidade (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: Inserir a logomarca da Rede Fomentada 1ª PARTE DO PLANO (Trabalho interno da Base de Economia Solidária e Feminista)

Leia mais

- Cada professor poderá organizar a participação de sua turma em função de suas prioridades curriculares.

- Cada professor poderá organizar a participação de sua turma em função de suas prioridades curriculares. ETAPA 1 ESCOLHA DO PERSONAGEM HISTÓRICO Na primeira etapa do projeto, o objetivo é simples: a turma deverá escolher e indicar um personagem histórico cujo papel irá assumir, na rede social criada exclusivamente

Leia mais

O trenzinho do Nicolau

O trenzinho do Nicolau O trenzinho do Nicolau Texto: Ruth Rocha Ilustrações: Luiz Maia Elaboração Anna Flora Brincadeira 1: O livro do Nicolau Material necessário 1 tesoura sem ponta Para o professor: 1 grampeador Veja nos anexos

Leia mais

TODOS NÓS, CADA UM DE NÓS

TODOS NÓS, CADA UM DE NÓS Programa: Produção de Material Didático O Sistema Preventivo nos livros didáticos da RSE EXEMPLOS AVULSOS LÍNGUA PORTUGUESA - ENSINO FUNDAMENTAL Alfabetização UNIDADE Reprodução proibida Reproduzir livro

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI O Ministério de Educação (MEC) através da implantação do Sistema nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) constatou a necessidade de incluir, como

Leia mais

PLANO DE AULAS. P3) Montagem de painel criativo com o tema educação ambiental e ocupação urbana. Valor 10 pontos.

PLANO DE AULAS. P3) Montagem de painel criativo com o tema educação ambiental e ocupação urbana. Valor 10 pontos. PLANO DE AULAS 1 IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Matemática Componente Curricular/Disciplina: Leitura, Interpretação e Produção de Textos Carga Horária Total: 63,3h - Aulas semanais: 4 Professor(es)

Leia mais

TUMBLIGANDO 1 (ACROBACIA DE SOLO PARA ADOLESCENTES)

TUMBLIGANDO 1 (ACROBACIA DE SOLO PARA ADOLESCENTES) OFICINA Nº: 01 TUMBLIGANDO 1 (ACROBACIA DE SOLO PARA ADOLESCENTES) ÁREA: Circo FAIXA ETÁRIA: 13 a 16 anos. CARGA HORÁRIA: 03 horas. OBJETIVOS: Conhecer o universo do circo e suas vertentes. Realizar uma

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO BANNER (PÔSTER CIENTÍFICO)

MANUAL PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO BANNER (PÔSTER CIENTÍFICO) MANUAL PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO BANNER (PÔSTER CIENTÍFICO) 1 BANNER (PÔSTER CIENTÍFICO) 1.1 Conceito O banner, painel ou pôster é um tipo de trabalho científico que objetiva, de forma clara e

Leia mais

GUIA DE TREINAMENTO PARA EQUIPE DE VENDAS. O Roteiro Definitivo para Treinar a sua Equipe para Aumentar as Vendas em Apenas uma Semana!

GUIA DE TREINAMENTO PARA EQUIPE DE VENDAS. O Roteiro Definitivo para Treinar a sua Equipe para Aumentar as Vendas em Apenas uma Semana! GUIA DE TREINAMENTO PARA EQUIPE DE VENDAS O Roteiro Definitivo para Treinar a sua Equipe para Aumentar as Vendas em Apenas uma Semana! SUMÁRIO SOBREO O AUTOR... 2 INTRODUÇÃO... 3 PRINCÍPIOS BÁSICOS...

Leia mais

COMPORTAMENTO INDIVIDUAL E COOPERATIVO: FICHAS DE OBSERVAÇÃO

COMPORTAMENTO INDIVIDUAL E COOPERATIVO: FICHAS DE OBSERVAÇÃO COMPORTAMENTO INDIVIDUAL E COOPERATIVO: FICHAS DE OBSERVAÇÃO Maria Inês Abranches O. S. Fernandes A observação dos comportamentos de crianças e adolescentes é sempre uma grande preocupação para os pesquisadores,

Leia mais

ATIVIDADES/LEM. As atividades de I a VI se voltam preferencialmente para estudantes do primeiro ciclo (1º ano ao 3º ano).

ATIVIDADES/LEM. As atividades de I a VI se voltam preferencialmente para estudantes do primeiro ciclo (1º ano ao 3º ano). As atividades aqui propostas têm o intuito de auxiliar. Podem ser vistas, apenas, como referência para os professores, de modo que necessitam de adaptações para as mais diversas realidades e ao nível de

Leia mais

Revisão - Reveja os pontos principais, o Plano de Ação ou os tópicos da discussão do encontro anterior.

Revisão - Reveja os pontos principais, o Plano de Ação ou os tópicos da discussão do encontro anterior. Preparação do Instrutor Trazer para a reunião/encontro de vendas: DVD : Módulo 5 Aparelho de DVD e TV Flip chart e canetas ( pincel atômico) Canetas/lápis apontados Manuais dos participantes (workbooks)

Leia mais

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: 19.412.711/0001-30 REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA TAGUAÍ SP 2015 REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA CEP 18.890-000 - Taguaí SP 2 REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA 1. INTRODUÇÃO DOS PRINCÍPIOS

Leia mais

Manual do Professor. Orientação e Supervisão : M. Ligia C. Carvalhal, *Projeto Microtodos, a microbiologia a serviço da cidadania.

Manual do Professor. Orientação e Supervisão : M. Ligia C. Carvalhal, *Projeto Microtodos, a microbiologia a serviço da cidadania. MicroLigue - o jogo das associações - Manual do Professor Autores: Roseane de Souza, M. Marta Carvalhal e M. Ligia C. Carvalhal. Ilustração: Daniela C. Velázquez. Orientação e Supervisão : M. Ligia C.

Leia mais

Porém este respondeu: Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi e fez o que o pai pediu pra ele. BOCA DE FORNO. Regras:

Porém este respondeu: Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi e fez o que o pai pediu pra ele. BOCA DE FORNO. Regras: BOCA DE FORNO A1 Regras: O professor comanda a brincadeira, e antes de cada tarefa o refrão: Professor: Boca de forno. Todos: Forno Professor : Tudo que eu pedir para fazer, faz? 2 Sugestões de tarefas

Leia mais

QUAL É O NOSSO CAMPO DE ATUAÇÃO?

QUAL É O NOSSO CAMPO DE ATUAÇÃO? QUEM SOMOS? Caros jovens participantes do Jovens em Ação, para ajudar o grupo na realização do seu empreendimento social, o projeto entregará a vocês, em partes, algumas propostas de atividades que contribuirão

Leia mais

Como fazer boas perguntas?

Como fazer boas perguntas? Adaptação do ensino aos vários estilos de aprendizagem 1 Por que fazer perguntas? Como fazer boas perguntas? Para testar a memória ou o entendimento dos alunos Para motivar os alunos a ouvir e prestar

Leia mais

Dominó Geométrico 7.1. Apresentação Este é um bom material para interagir a matemática de uma forma divertida e descontraída por meio de um jogo de

Dominó Geométrico 7.1. Apresentação Este é um bom material para interagir a matemática de uma forma divertida e descontraída por meio de um jogo de Dominó Geométrico 7.1. Apresentação Este é um bom material para interagir a matemática de uma forma divertida e descontraída por meio de um jogo de dominó que pode ser desenvolvido por até no máximo quatro

Leia mais

Abordagem Construtivista da alfabetização. Aula de 02/05/2010

Abordagem Construtivista da alfabetização. Aula de 02/05/2010 Abordagem Construtivista da alfabetização Aula de 02/05/2010 Dicas práticas para o planejamento do trabalho 1. LEIA EM VOZ ALTA TODOS OS DIAS... Textos literários: contos tradicionais, histórias contemporâneas,

Leia mais

Centro Educacional ETIP

Centro Educacional ETIP Centro Educacional ETIP Trabalho Trimestral de Matemática 2 Trimestre/2014 Data: 08/08/2014 Professor: Nota: Valor : [0,0 2,0] Nome do (a) aluno (a): Nº Turma: 2 M CONTEÚDO Análise Combinatória, Princípio

Leia mais

SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos

SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos CURRÍCULO DO PROGRAMA SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos Iniciando o currículo do Sonhe, Realize, o objetivo desta sessão é começar estabelecer um espaço seguro e acolhedor para as participantes, começar

Leia mais

PLANEJAMENTO (Identidade) Professor (a): Vanessa Magnan

PLANEJAMENTO (Identidade) Professor (a): Vanessa Magnan Professor (a): Vanessa Magnan PLANEJAMENTO (Identidade) Competências: Objetivos: Leitura, Oralidade, Escrita Compreender a importância do nome; Descobrir o prazer e o interesse pela leitura e pela escrita;

Leia mais

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!.

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. 1ª Etapa (Movimentos de olhos e cabeça, primeiro lentos, depois rápidos). Participante em pé sobre um colchonete, olhar para cima e para baixo.

Leia mais

1 Os Mandamentos não estão por aqui. Continue tentando.

1 Os Mandamentos não estão por aqui. Continue tentando. DINÂMICA 10 MANDAMENTOS Recorte mais ou menos umas 20 tiras de papel ofício e escreva em 10 deles os Mandamentos da Lei de Deus. Nos outros 10 você poderá escrever algumas atividades, como: 1 Os Mandamentos

Leia mais

DEIXE SUA CASA LINDA PARA O

DEIXE SUA CASA LINDA PARA O DEIXE SUA CASA LINDA PARA O NATAL Se você perdeu, em algum momento de sua vida, aquele sen mento de magia perante o Natal, um caminho para recuperá-lo é reunir sua família ou as pessoas que mais gosta,

Leia mais

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 Tema: Gratidão e celebração Mês: Dezembro Habilidade Sócio emocional: Este projeto visa promover o encerramento do ano de 2016, em que os alunos terão a oportunidade de resgatar

Leia mais

Objetivo principal: ajudar os alunos a enxergar a fre quência com que a abstração é usada em suas rotinas diárias.

Objetivo principal: ajudar os alunos a enxergar a fre quência com que a abstração é usada em suas rotinas diárias. 14 NOME DA AULA: Abstração Duração da aula: 45 60 minutos Preparação: 5 minutos Objetivo principal: ajudar os alunos a enxergar a fre quência com que a abstração é usada em suas rotinas diárias. RESUMO

Leia mais

Exercícios sobre Métodos de Contagem

Exercícios sobre Métodos de Contagem Exercícios sobre Métodos de Contagem 1) Um grupo de 4 alunos (Alice, Bernardo, Carolina e Daniel) tem que escolher um líder e um vice-líder para um debate. (a) Faça uma lista de todas as possíveis escolhas

Leia mais

Soluções Simulado OBMEP 2017 Nível 1 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. = 7 cm. Logo, ela parou na marca de = 13 cm.

Soluções Simulado OBMEP 2017 Nível 1 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. = 7 cm. Logo, ela parou na marca de = 13 cm. Soluções Simulado OBMEP 2017 Nível 1 6º e 7º anos do Ensino Fundamental 1. ALTERNATIVA C Alvimar recebeu de troco 5,00 3,50 = 1,50 reais. Dividindo 1,50 por 0,25, obtemos o número de moedas de 25 centavos

Leia mais

Atividades de português 1 ano alfabeto

Atividades de português 1 ano alfabeto Atividades de português 1 ano alfabeto Atividades de português 1 ano alfabeto Atividades de português 1 ano alfabeto com atividades de português 1 ano para imprimir, atividades de alfabetização, atividades

Leia mais

Convites. Produto virtual para impressão! Você vai precisar de: Dica:

Convites. Produto virtual para impressão! Você vai precisar de: Dica: Convites Você vai precisar de: - 1 ou mais folhas no formato A4 (recomendamos folhas na gramatura 180 gramas) - 1 tesoura Dica: Você pode fazer a impressão em uma gráfica rápida da sua cidade: Envie o

Leia mais