/* * p_feelinks_teia * Para o Processing * Comunicação NET SERVER * Grupo dos Cotas */

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "/* * p_feelinks_teia * Para o Processing * Comunicação NET SERVER * Grupo dos Cotas */"

Transcrição

1 /* * p_feelinks_teia * Para o Processing * Comunicação NET SERVER * Grupo dos Cotas */ // To enter/leave fullscreen mode: Alt+Enter, Ctrl+F // ESC: leave fullscreen / exit application // importa a class serial do processing import processing.serial.*; // import ddf.minim.*; // para o FullScreen import fullscreen.*; // comunicação rede import processing.net.*; // ************** Configuração ************** // ******************************************* boolean fullscreen = false; // mudar conforme a porta correspondente à placa Arduino int idportarduino = 1; // porto para a comunicação NET int portnet = 5204; // Dimensões da tela int janelalargura = 800; int janelaaltura = 600; // raio da teia int raioteia = 250; // Tempo de espera, em minutos, para deslocar as cores // (valor entre 2 e 59 ) int periododeslocacores = 1; // Configurar o sensor Infrared // Com a resistencia de 10K Ohm, o sensor infrared pode variar // entre 34 a 638, detectando 80 a 7 cm respectivamente. // Precisão do sensor na validação da cor // (representa o desvio da posição media) int infraredtolerancia = 10; // medição do sensor correspondente a posição media de cada cor int[] infraredvalue = {450, 310, 255, 215, 185, 150; // *************** Variáveis ***************** // ******************************************* // objecto para obter FullScreen

2 FullScreen fs; Server myserver; // objecto para o som Minim minim; // efeitos sonoros AudioPlayer sound; // som de aviso para chamar a atenção... // deve-se escolher uma cor... AudioPlayer soundaviso; // total de cores das emoções. // Corresponde ao total de pontos na teia (0 a totalcores-1) int totalcores = 6; // total de sons diferentes para cada cor e avisos int totaltemas = 5; // paleta de cores RGB correspondentes às 6 emoções int[][] cores = {{236,29,37, {136,33,106, {39,41,115, {16,129,67, {246,235,3, {244,132,32; String[] nomecores = {"Vermelho", "Violeta", "Azul", "Verde", "Amarelo", "Laranja"; /* cor 0 - Vermelho - {236,29,37 cor 1 - Violeta - {136,33,106 cor 2 - Azul - {39,41,115 cor 3 - Verde - {16,129,67 cor 4 - Amarelo - {246,235,3 cor 5 - Laranja - {244,132,32 */ // total de vezes que foi escolhida a cor int countcolor[] = {0, 0, 0, 0, 0, 0, 0, 0, 0, 0; // cor actual da teia para o traçado das linhas int coractual=0; // Se TRUE estamos a escolher uma cor // (presença detectada junto das cores) boolean escolhacor = false; // deslocamento da paleta de cores na tela do cliente. // Inicialmente sem deslocamento int cordeslocamento=0; // se TRUE foi executado play(). Evita erros no objecto AudioPlayer boolean soundon = false; boolean soundavisoon = false; // para calcular o tempo de espera para o som de aviso int timeaviso = second(); // para calcular o tempo de espera para o deslocamento das cores int timetroca = minute(); // variável para estabelecer a comunicação serial Serial port;

3 // buffer para input dos dados da comunicação serial String buff = ""; // saida binária do estado do botão int idbutton = 0; // saida analógica do sensor infrared int idinfrared = 1; // armazena os valores serial. índice 0 - pushbutton; índice 1 - Infrared int values[] = {0, 0; // para guardar o último valor lido na porta serial // evita a repetição contínua da acção dos mesmos int lastvalues[] = {0, 0; // int[] lastvalues = new int[2]; // *************** Funções Processing ***************** //**************************************************** void setup(){ println(serial.list()); // Portas serial disponíveis // O último parâmetro (9600) é a velocidade de comunicação. // Se conhecermos o nome da porta usada pela placa Arduino, // podemos especificar diretamente, como se segue: // port = new Serial(this, "COM3", 9600); port = new Serial(this, Serial.list()[idPortArduino], 9600); // inicia myserver no porto 5204 myserver = new Server(this, myserver.write(cordeslocamento); portnet); size(janelalargura, janelaaltura); background(0); // 5 fps framerate(5); // Cria o objecto fullscreen fs=new FullScreen(this); // activa as teclas de atalho: Alt+Enter, Ctrl+F, ESC fs.setshortcutsenabled(true); //fs.setresolution(janelalargura, janelaaltura); if (fullscreen){ // modo fullscreen fs.enter(); desenhapontosteia(); minim = new Minim(this); void draw(){ // envia cordeslocamento para o porto da rede myserver.write(cordeslocamento); // o mesmo do que a função delay()

4 // melhora o tempo de resposta do PC if (abs(minute()-timetroca)>=periododeslocacores){ timetroca = minute(); // número aleatório entre 0 e totalcores-1 cordeslocamento=int(random(totalcores)); // envia cordeslocamento para o porto da rede myserver.write(cordeslocamento); while (port.available() > 0){ serialevent(port.read()); // Se ON --> OFF if ((values[idbutton] == 0) &&!(lastvalues[idbutton] == values[idbutton])) { lastvalues[idbutton] = values[idbutton]; soundavisooff(); soundoff(); removerarcos(); desenhapontosteia(); println("off"); // Se OFF --> ON if ((values[idbutton] == 1) &&!(lastvalues[idbutton] == values[idbutton])) { println("on"); lastvalues[idbutton] = values[idbutton]; timeaviso = second(); timetroca = minute(); soundavisoon(); // periodo para estabilizar o sensor delay(1000); // Se ON e foi escolhida nova cor (apenas se LED ON) if ((values[idbutton] == 1) ){ if ((!escolhacor) && (abs(second()-timeaviso)>=30)){ timeaviso = second(); soundavisooff(); soundavisoon(); // novo som para a cor if (escolhacor && (!(values[idinfrared] == lastvalues[idinfrared]))){ // lastvalues[idinfrared] = values[idinfrared];

5 // Desenha linha na rede desenhalinha(coractual, values[idinfrared]); coractual = values[idinfrared]; // actualiza a escolha da cor countcolor[coractual] = countcolor[coractual] + 1; soundavisooff(); // novo efeito sonoro soundon(coractual); removerarcos(); desenhaarco(coractual); desenhapontosteia(); timeaviso = second(); if (!escolhacor){ removerarcos(); desenhapontosteia(); void stop() { fs.leave(); soundoff(); soundavisooff(); minim.stop(); super.stop(); // *************** Outras Funções ***************** // ************************************************ // **** devolve a cor seleccionada e detectada pelo sensor ***** // int corselect(int sensorvalue){ for (int i = 0; i < totalcores; i++) {// percorre as cores if ((sensorvalue > infraredvalue[i] - infraredtolerancia) && (sensorvalue < infraredvalue[i] + infraredtolerancia)){ // devolve a cor seleccionada return i; // não foi seleccionada nenhuma cor return -1; // ********** Ler dados do porto serial *********** //

6 void serialevent(int serial) { int value, cor; // código para identificar os dados da comunicação serial. // Índice do array values[] int cod; // Caracter de control unicode indicando o fim da linha (LF = 10) if (serial!= 10) { // Armazene todos os caracteres na linha excepto o caracter LF buff += char(serial); else { // O final de cada linha é marcado com dois caracteres: // Carriage Return (CR = 13) que mova a posição do cursor // para a primeira posição da linha; // Line Feed (LF = 10) (10) que indica que // uma linha deve ser acrescentada. // Chegamos aqui porque temos um nova linha // (após processar um par CR-LF), // mas precisamos ainda de excluir o controlo CR. // // Código de identificação: primeiro caracter da string cod = int(buff.substring(0, 1)); // parseint, transforma a string num inteiro // As entradas analógicas vão de 0 a 1023 // As cores no Processing vão apenas de 0 a 255 // Valor serial: começa em 1 para saltar o código de identificação value = Integer.parseInt(buff.substring(1, buff.length()-1)); // Limpe o valor contido em "buff" buff = ""; if (cod == idinfrared){ escolhacor = ((value > infraredvalue[totalcores-1]) && (value < infraredvalue[0])); // converter o valor analógico do sensor para a cor escolhida cor = corselect(value); if ((escolhacor) && (cor >= 0)){ // correspondência da cor com a posição na parede: // deslocar cordeslocamento para corresponder // o ponto com a cor da tela. // deslocamento para a direita no array cores. // cordeslocamento identifica a mudança // aleatória das cores no server. cor += cordeslocamento; // ((totalcores-1)-value)<cordeslocamento if (cor>=totalcores){ cor -= totalcores;

7 println("cor escolhida: " + nomecores[cor]); // Guarda a leitura da nova cor correspondente // ao valor do sensor da porta serial values[cod] = cor; println("deslocamento cores: " + cordeslocamento + "; sensor = " + value); if (cod == idbutton){ // Guarda a leitura do valor do botão da porta serial values[cod] = value; // ************ sound Wait ON ************ // void soundavisoon(){ int tema=int(random(totaltemas)); soundaviso = minim.loadfile("aviso" + tema + ".wav", 1024); soundaviso.play(); //soundaviso.setvolume(0.5); soundavisoon = true; // ************ sound Wait OFF ************ // void soundavisooff(){ if (soundavisoon){ soundaviso.close(); soundavisoon = false; // ************ Efeito sonoro ON ************ // void soundon(int num){ // número aleatório entre 0 e totaltemas-1 exclusivo // totaltemas sons diferentes para cada cor int tema=int(random(totaltemas)); sound = minim.loadfile("sound" + num + tema + ".wav", 1024); sound.play();

8 soundon = true; // ************ Efeito sonoro OFF ************ // void soundoff(){ if (soundon){ sound.close(); soundon = false; // ************ Desenha Pontos na Teia ************ // void desenhapontosteia(){ int x, y; float radianos; int i; // cor i // percorre os pontos da teia for (i = 0; i < totalcores; i++) { // Identificar a posição do ponto radianos = i * (360/totalCores) * (PI/180); x = (janelalargura/2) + int(raioteia * cos(radianos)); y = (janelaaltura/2) + int(raioteia * sin(radianos)); nostroke(); fill(0); // desenha o circulo preto ellipse(x, y, 45, 45); // desenha o circulo com a respectiva cor fill(cores[i][0], cores[i][1], cores[i][2]); ellipse(x, y, 36, 36); fill(0); // desenha no centro o ponto preto ellipse(x, y, 10, 10); // ******* remove os arcos ******** // void removerarcos(){ int x, y; float radianos; nostroke();

9 // Remove os arcos anteriores meia circunferência // um pouco maior para garantir a sobreposição dos arcos coloridos for (int i = 0; i < totalcores; i++){ fill(0); radianos = i * (360/totalCores) * (PI/180); x = (janelalargura/2) + int((raioteia-3) * cos(radianos)); y = (janelaaltura/2) + int((raioteia-3) * sin(radianos)); arc(x, y, 135, 135, radianos-pi/2, radianos+pi/2); // ******* desenha arco para a cor actual ******** // void desenhaarco(int actual){ int x, y; int cormax; float radianos, radactual; cormax=getcormax(); radactual = map(countcolor[actual], 0, countcolor[cormax], 0, PI/2); nostroke(); // desenha arco na cor actual radianos = actual * (360/totalCores) * (PI/180); x = (janelalargura/2) + int((raioteia) * cos(radianos)); y = (janelaaltura/2) + int((raioteia) * sin(radianos)); fill(cores[actual][0], cores[actual][1], cores[actual][2], 100); arc(x, y, 120, 120, radianos-radactual, radianos+radactual); // ************ Devolve a cor mais votada ************ // int getcormax(){ int cor=0; int maxcor = countcolor[cor]; for (int i = 0; i < totalcores; i++) { if (countcolor[i] > maxcor) { // actualiza a cor mais escolhida maxcor = countcolor[i]; cor = i; return cor; // ************ Desenha Linha ************ //

10 void desenhalinha(int corpartida, int corchegada){ int x1, y1, x2, y2; float radianos; radianos = corpartida * (360/totalCores) * (PI/180); x1 = (janelalargura/2) + int(raioteia * cos(radianos)); y1 = (janelaaltura/2) + int(raioteia * sin(radianos)); radianos = corchegada * (360/totalCores) * (PI/180); x2 = (janelalargura/2) + int(raioteia * cos(radianos)); y2 = (janelaaltura/2) + int(raioteia * sin(radianos)); stroke(cores[corchegada][0], cores[corchegada][1], cores[corchegada][2], 40); strokeweight(8); line(x1, y1, x2, y2);

Arduino e Processing. Professor: Paulo Marcos Trentin Escola CDI Videira

Arduino e Processing. Professor: Paulo Marcos Trentin Escola CDI Videira Arduino e Processing Professor: Paulo Marcos Trentin Escola CDI Videira O que é Processing? É uma linguagem criada em 2001 por Casey Reas e Benjamin Fry, na época estudantes do MIT. Seu objetivo é server

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

GraphicsLib Biblioteca Gráfica 2D. Documentação

GraphicsLib Biblioteca Gráfica 2D. Documentação GraphicsLib Biblioteca Gráfica 2D Documentação Edirlei Soares de Lima elima@inf.puc-rio.br Sumário 1 Instalação e Configuração... 4 2 Manual de Utilização... 10 2.1 Estrutura de um Programa... 10 2.2 Loop

Leia mais

Curso rapidíssimo de Processing

Curso rapidíssimo de Processing Curso rapidíssimo de Processing Primeira parte: bolas 1. Instale: http://processing.org/download/. 2. Crie uma pasta processing, ao lado da sua pasta sources (a dos programas C). 3. Abra o Processing.

Leia mais

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas

UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Estrutura de Dados. AULA 6 Filas UNIP - Ciência da Computação e Sistemas de Informação Estrutura de Dados AULA 6 Filas Estrutura de Dados A Estrutura de Dados Fila Fila é uma estrutura de dados usada em programação, que tem regras para

Leia mais

Prá$cas Arduino. Manoel Neto

Prá$cas Arduino. Manoel Neto Prá$cas Arduino Manoel Neto Hello blink // Pin 13 has an LED connected on most Arduino boards. // give it a name: int led = 13; // the setup rou$ne runs once when you press reset: void setup() { // ini$alize

Leia mais

Este tutorial mostra como utilizar as ferramentas Send Mail e Web Commands.

Este tutorial mostra como utilizar as ferramentas Send Mail e Web Commands. Este tutorial mostra como utilizar as ferramentas Send Mail e Web Commands. Antes de começamos certifique-se de estarem com o programa instalado, com sua conta e licenças ativas. Neste tutorial não irei

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Projeto No. 11 Display de Leds de 7 Segmentos

Projeto No. 11 Display de Leds de 7 Segmentos Projeto No. 11 Display de Leds de 7 Segmentos O objetivo deste projeto é demonstrar a utilização do display de led de 7 segmentos controlado diretamente a partir das portas do Arduino. Material necessário:

Leia mais

Jogo do NEEC. Primeiramente, criamos uma nova Actividade. File > New > Class

Jogo do NEEC. Primeiramente, criamos uma nova Actividade. File > New > Class Jogo do NEEC Jogo do NEEC Primeiramente, criamos uma nova Actividade File > New > Class Source folder: JogoDoNEEC/src Package: org.neecist.jogodoneec Name: JogoDoNEEC Superclass: android.app.activity Browse

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Ficha 3. Exercícios de preparação da actividade 3

Ficha 3. Exercícios de preparação da actividade 3 Ficha 3 Exercícios de preparação da actividade 3 Sítio: Elearning UAb Unidade curricular: FATAC - Sensores e Actuadores (DMAD 2013-14) Livro: Ficha 3 Impresso por: José Coelho Data: Quarta, 4 Junho 2014,

Leia mais

Para criar uma animação precisamos de uma imagem e que ela contenha alguns frames. O número de frames é uma escolha sua.

Para criar uma animação precisamos de uma imagem e que ela contenha alguns frames. O número de frames é uma escolha sua. 7 Animação Animações é um dos quesitos muito importantes em jogos, você não acha? Para isso o JPlay tem uma classe específica para lidar com animações. Essa classe se chama Animation. Bem sugestivo o nome

Leia mais

Estruturas de entrada e saída

Estruturas de entrada e saída capa Estruturas de entrada e saída - A linguagem C utiliza de algumas funções para tratamento de entrada e saída de dados. - A maioria dessas funções estão presentes na biblioteca . - As funções

Leia mais

CRIAR UMA ANIMAÇÃO BÁSICA NO FLASH MX

CRIAR UMA ANIMAÇÃO BÁSICA NO FLASH MX CRIAR UMA ANIMAÇÃO BÁSICA NO FLASH MX Introdução Este tutorial vai-te ajudar a compreender os princípios básicos do Flash MX - tal como layers, tweens, cores, texto, linhas e formas. No final deste tutorial

Leia mais

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2007 / 2008 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 1º semestre Strings e apontadores http://tele1.dee.fct.unl.pt

Leia mais

Programação em MATLAB

Programação em MATLAB Programação em MATLAB UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Matemática Conteúdo 1 Introdução 2 2 Scripts 3 3 Funções 5 4 Programação 7 5 Escrita e leitura de arquivos 11 6 Gráficos especiais 13

Leia mais

BEC- Bafômetro Embutido em Carros

BEC- Bafômetro Embutido em Carros BEC- Bafômetro Embutido em Carros Síntia Rodrigues Moreira Fernanda Rodrigues da Silva Márcia Jorge do Carmo Renata Cristina Guimarães Sofia Pereira Campos Agosto de 2014 1 1 Introdução O consumo de álcool

Leia mais

SENSOR DE LUMINOSIDADE Com indicador de intervalo

SENSOR DE LUMINOSIDADE Com indicador de intervalo SENSOR DE LUMINOSIDADE Com indicador de intervalo Este projeto refere-se à construção de um sensor de luminosidade com o uso de um LDR (Light Dependent Resistor), com as seguintes características: 1. Luminosidade

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ 1 1. Introdução Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ O ImageJ é um software livre (freeware) que pode ser obtido gratuitamente no site http://rsb.info.nih.gov/ij/. Esse software é

Leia mais

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO 0 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO PROJETO INTEGRADO: COBERTURA AUTOMATIZADA COM DETECTOR DE CHUVA CURITIBA 2010 1 TAISA DAIANA DA COSTA PROJETO

Leia mais

%0/"1&2$&$3*$34+/!+&.05#!.62!+& #*+!&,&'-&"$.$"#/$&

%0/1&2$&$3*$34+/!+&.05#!.62!+& #*+!&,&'-&$.$#/$& !"#$%'()( %0/"12$$3*$34+/!+.05#!.62!+ #*+!,'-"$.$"#/$ 43#3)56(76'()( 48039:/;?8#/" @0/A$""/0; BC-2BBDEF!+GEGFFBEHIG #$.+)789:;?@ 8

Leia mais

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO. CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade)

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO. CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade) Introdução MANUAL DE PROGRAMAÇÃO YK-688 CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade) O YK-668 é um controlador de acesso para porta simples baseado um microcontroladores

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java Linguagem Java Objetivos Compreender como desenvolver algoritmos básicos em JAVA Aprender como escrever programas na Linguagem JAVA baseando-se na Linguagem Portugol aprender as sintaxes equivalentes entre

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

PlayLib Educational Game Programming Library Documentação

PlayLib Educational Game Programming Library Documentação PlayLib Educational Game Programming Library Documentação Edirlei Soares de Lima elima@inf.puc-rio.br Sumário 1 Instalação e Configuração no Visual Studio 2010... 4 2 Estrutura de um Programa... 11 3 Loop

Leia mais

Características. Conteúdo. Ligações. Tabela de Revisões

Características. Conteúdo. Ligações. Tabela de Revisões Manual AP-60 2011 Acura Global Rev. A.2 sales@acuraglobal.com Tel.: +55 11 3028-4600 Matriz: Rua Reginata Ducca, 73 09626-100 São Bernardo do Campo SP Fábrica: Doutor Domiciano Costa Moreira, 266 37500-202

Leia mais

FICHA DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. x PRODUTO PROCESSO DATA: 04/02/2013. PRODUTO: IcBox SUB-PRODUTO: DESCRIÇÃO: API DLL c++ (C++ builder e Delphi)

FICHA DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. x PRODUTO PROCESSO DATA: 04/02/2013. PRODUTO: IcBox SUB-PRODUTO: DESCRIÇÃO: API DLL c++ (C++ builder e Delphi) x PRODUTO PROCESSO DATA: 04/02/2013 PRODUTO: IcBox SUB-PRODUTO: DESCRIÇÃO: API DLL c++ (C++ builder e Delphi) ELABORAÇÃO: Wagner ÁREA: PDI API DLL ICBOX Recomendado para uso com C++ Builder e Delphi ///////////////////////////////////////////////////////

Leia mais

Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado.

Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado. 4.º PASSO PROGRAMAÇÃO DO CAMPO DISTRITO : PROJECTO COM ADO Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado. 1) Abra o formulário

Leia mais

Mini Curso DESCOMPLICANDO C# Professor Hélio

Mini Curso DESCOMPLICANDO C# Professor Hélio Mini Curso DESCOMPLICANDO C# Professor Hélio Requisitos Para o Curso Não é necessário conhecimentos prévios em programação Matemática Básica Nível básico de operador Bom senso Objetivos do Curso Esse curso

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu. Programação Estruturada Linguagem C Fundamentos da Linguagem Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Estrutura Básica Bibliotecas Básicas Tipos de Dados Básicos Variáveis/Declaração

Leia mais

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Java Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Java! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

Excel - VBA. Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam

Excel - VBA. Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam Excel - VBA Docente: Ana Paula Afonso Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam tarefas específicas, automatizando-as. Quando uma macro é activada, executa uma sequência de instruções.

Leia mais

Árvores Binárias de Busca

Árvores Binárias de Busca Árvores Binárias de Busca Definição Uma Árvore Binária de Busca possui as mesmas propriedades de uma AB, acrescida da seguinte propriedade: Para todo nó da árvore, se seu valor é X, então: Os nós pertencentes

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DATA WAY Av. Francisco Glicério, 777 - Telefone: (19) 3233-2815. 4. Entrada e Saída

ESCOLA TÉCNICA DATA WAY Av. Francisco Glicério, 777 - Telefone: (19) 3233-2815. 4. Entrada e Saída 4. Entrada e Saída Para que um programa torne-se minimamente funcional é preciso que ele receba dados do meio externo (teclado, mouse, portas de comunicação, drives de disco, etc.) e emita o resultado

Leia mais

EIC. Projecto I. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006

EIC. Projecto I. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006 EIC Engenharia de Informática e Comunicações Morro do Lena, Alto Vieiro Apart. 4163 2401 951 Leiria Tel.: +351 244 820 300 Fax.: +351 244 820 310 E-mail: estg@estg.iplei.pt http://www.estg.iplei.pt Engenharia

Leia mais

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS CLASSES E JAVA Disciplina: PC-II. public double getgeracaoatual() {return geracaoatual;}

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS CLASSES E JAVA Disciplina: PC-II. public double getgeracaoatual() {return geracaoatual;} 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS CLASSES E JAVA Disciplina: PC-II Exercício : Construtores são métodos especiais sem tipo de retorno (nem mesmo void) e de mesmo nome que a classe que são invocados quando da criação

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Iniciar o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Capítulo 2. Fundamentos de Java

Capítulo 2. Fundamentos de Java Capítulo 2. Fundamentos de Java 1/52 Índice 2.1 - Variáveis Tipos Escopo Inicialização Casting Literais 2.2 - Operadores Aritméticos Relacionais Bit a Bit De atribuição 2.3 - Expressões, statements e blocos

Leia mais

Coleções. Conceitos e Utilização Básica. c Professores de ALPRO I 05/2012. Faculdade de Informática PUCRS

Coleções. Conceitos e Utilização Básica. c Professores de ALPRO I 05/2012. Faculdade de Informática PUCRS Coleções Conceitos e Utilização Básica c Professores de ALPRO I Faculdade de Informática PUCRS 05/2012 ALPRO I (FACIN) Coleções: Básico 05/2012 1 / 41 Nota Este material não pode ser reproduzido ou utilizado

Leia mais

Tutorial do Interpretador de Linguagem Algorítmica (ILA)

Tutorial do Interpretador de Linguagem Algorítmica (ILA) 1 Tutorial do Interpretador de Linguagem Algorítmica (ILA) Preparado por Elvio Leonardo, a partir do tutorial fornecido com o software ILA e do material produzido pelo Prof Marcelo Azambuja I INTRODUÇÃO

Leia mais

Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485

Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485 Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485 2015 Todos os direitos reservados Página 1 de 27 Sumário Manual Técnico...1 Introdução...3 Arduino Supervisório MODBUS...3 Conversor RS485...3

Leia mais

SuperLogo: aprendendo com a sua criatividade

SuperLogo: aprendendo com a sua criatividade SuperLogo: aprendendo com a sua criatividade O SuperLogo é um programa computacional que utiliza linguagem de programação Logo. Esta linguagem foi desenvolvida na década de 60 nos Estados Unidos no Instituto

Leia mais

arduino = new roboticalivre(); Arduino Marcus Fazzi

arduino = new roboticalivre(); Arduino Marcus Fazzi arduino=newroboticalivre(); Arduino MarcusFazzi arduino::whatis(); Placadedesenvolvimentomicrocontrolada, Podereceberdadosdoambienteatravésdeuma grandevariedadedesesores; PodeafetaroambientecontrolandoLEDs,

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA 2005/2006. 0.5 Valores

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA 2005/2006. 0.5 Valores ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO (ENG. INFORMÁTICA) COMPUTADORES E PROGRAMAÇÃO I (ENG. ELECTROTÉCNICA) 2005/2006 TRABALHO PRÁTICO Nº

Leia mais

Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo;

Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo; Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo; O tipo de dados tem por base um tipo simples (enumerável); Na verdade, um set representa o conjunto

Leia mais

Inaulab #1! Code, Processing intro!

Inaulab #1! Code, Processing intro! Inaulab #1! Code, Processing intro! Helder Dias! helvis@netcabo.pt! 7 de Julho 2012, 9:30-13:00! - anológico vs. digital! - programação, código e algoritmia! - Processing IDE! - variáveis, ciclos, condições

Leia mais

A ideia! Criar uma plataforma de prototipagem de componentes eletrônicos e sistemas de automação para leigos!

A ideia! Criar uma plataforma de prototipagem de componentes eletrônicos e sistemas de automação para leigos! Prof. Cláudio Oliveira Prof. Humberto Zanetti Prof. Júlio Vansan A ideia! Criar uma plataforma de prototipagem de componentes eletrônicos e sistemas de automação para leigos! 1 O que é Arduino? Uma plataforma

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES BOX IPTV HD + BANTU

MANUAL DE INSTRUÇÕES BOX IPTV HD + BANTU MANUAL DE INSTRUÇÕES BOX IPTV HD + 2 ÍNDICE BOX HD IPTV... 5 Introdução... 5 Modelo preto... 6 Modelo cinza... 7 Comando... 8 MIDDLEWARE... 10 Menu Principal (Botão Home)... 10 Guia... 12 Lista de canais...

Leia mais

POL-100. Dispositivo de diagnóstico. Manual de utilizador. Verificação do loop analógico

POL-100. Dispositivo de diagnóstico. Manual de utilizador. Verificação do loop analógico Honeywell Life Safety Iberia C/Pau Vila, 15-19 08911 BADALONA (BARCELONA) Tel.: 93 497 39 60 Fax: 93 465 86 35 www.honeywelllifesafety.es Dispositivo de diagnóstico POL-100 Verificação do loop analógico

Leia mais

Arduino Aula 4 SHIELDS: BLUETOOTH, ETHERNET E EMG

Arduino Aula 4 SHIELDS: BLUETOOTH, ETHERNET E EMG Arduino Aula 4 SHIELDS: BLUETOOTH, ETHERNET E EMG O que são Shields? Placas de circuito que podem ser conectadas ao Arduino, encaixando-se perfeitamente por cima dele, e expandindo suas capacidades Ethernet

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ANDRÉ CLAUDINO ALBO ALENCAR RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE ENGENHARIA

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ANDRÉ CLAUDINO ALBO ALENCAR RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE ENGENHARIA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ANDRÉ CLAUDINO ALBO ALENCAR RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE ENGENHARIA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO DOCUMENTAÇÃO DO PROJETO GUINDASTE AUTOMATICO

Leia mais

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros

Capítulo 6. Java IO - Ficheiros Capítulo 6. Java IO - Ficheiros 1/26 Índice Indice 6.1 - Entrada e saída de dados 6.2 - Ficheiros de texto 6.3 - Ficheiros com formato proprietário 6.4 - A classe File 2/26 Índice 6.1 Entrada e saída de

Leia mais

Prof. Cláudio Oliveira. Prof. Humberto Zanetti. Coordenador - Fatec Jundiaí. Professor - Fatec Jundiaí Coordenador - Etec de Itatiba

Prof. Cláudio Oliveira. Prof. Humberto Zanetti. Coordenador - Fatec Jundiaí. Professor - Fatec Jundiaí Coordenador - Etec de Itatiba Prof. Cláudio Oliveira Coordenador - Fatec Jundiaí Prof. Humberto Zanetti Professor - Fatec Jundiaí Coordenador - Etec de Itatiba A ideia! Criar uma plataforma de prototipagem de componentes eletrônicos

Leia mais

Microcontrolador Arduino: Aplicação em controle PI

Microcontrolador Arduino: Aplicação em controle PI Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Cornélio Procópio Coordenação de Eletrotécnica Microcontrolador Arduino: Aplicação em controle PI Autor: Prof. Alessandro N. Vargas

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Roteiro de Tutorial das Ferramentas de Usabilidade. Por Heblon Motta Alves Barbosa

Roteiro de Tutorial das Ferramentas de Usabilidade. Por Heblon Motta Alves Barbosa Roteiro de Tutorial das Ferramentas de Usabilidade Por Heblon Motta Alves Barbosa Ampliador de Tela O que é O ampliador de tela é um software que ao ser acionado, aumenta o tamanho da imagem que está sendo

Leia mais

Module Introduction. Programação. Cap. 4 Algoritmos e Programação Estruturada

Module Introduction. Programação. Cap. 4 Algoritmos e Programação Estruturada 5374 : Engenharia Informática 6638 : Tecnologias e Sistemas de Informação 9099 : Bioengenharia 10135 : Ciências Biomédicas Cap. 4 Algoritmos e Estruturada Module Introduction Algoritmos e Estruturada Objectivos:

Leia mais

Vetores. Professor Dr Francisco Isidro Massettto francisco.massetto@ufabc.edu.br

Vetores. Professor Dr Francisco Isidro Massettto francisco.massetto@ufabc.edu.br Professor Dr Francisco Isidro Massettto francisco.massetto@ufabc.edu.br Nem sempre os tipos básicos: (inteiro, real, caracter e lógico) são suficientes para implementar um algoritmo. Por exemplo: Considere

Leia mais

Excel - Ficha de Trabalho

Excel - Ficha de Trabalho Excel - Ficha de Trabalho Facturação Avançada O trabalho que se segue consistirá numa folha de cálculo com alguma complexidade, em que existirão diferentes folhas no mesmo livro. Neste serão criadas Bases

Leia mais

WWW.cerne-tec.com.br. Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br

WWW.cerne-tec.com.br. Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br 1 Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br Continuando com o artigo apresentado na edição passada de comunicação USB com o PIC, continuaremos nesta edição o estudo do

Leia mais

9 Comandos condicionais

9 Comandos condicionais 9 Comandos condicionais Um comando condicional é uma instrução empregada quando se deseja criar um desvio, isto é, a opção de executar-se ou não um determinado trecho de código, segundo uma condição. Em

Leia mais

Manual do Usuário Acesso ao Sistema

Manual do Usuário Acesso ao Sistema Dispositivo de Monitoramento, Rastreamento e Bloqueio por Satélite Manual do Usuário Acesso ao Sistema www.kgk-global.com Conteúdo Conteúdo... 2 Entrar no sistema... 3 Interface... 4 Monitoramento on-line...

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

Oficina de Programação utilizando a plataforma Arduino

Oficina de Programação utilizando a plataforma Arduino Oficina de Programação utilizando a plataforma Arduino Bianca Alessandra Visineski Alberton bi.alberton@gmail.com Paulo Nesello Künzel kruger paulo@hotmail.com Programa de Educação Tutorial Computando

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Claudio Roberto Ferretto Junior. Éric Guimarães Zeni. Jub Gomes da Costa WINDOWS X.

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Claudio Roberto Ferretto Junior. Éric Guimarães Zeni. Jub Gomes da Costa WINDOWS X. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Claudio Roberto Ferretto Junior Éric Guimarães Zeni Jub Gomes da Costa WINDOWS X Curitiba 2013 Claudio Roberto Ferretto Junior Éric Guimarães Zeni Jub Gomes da

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho O que é um Programa? Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais

Leia mais

Introdução à Programação. Armazenamento de Grande Quantidade de Informação Usando Vetores

Introdução à Programação. Armazenamento de Grande Quantidade de Informação Usando Vetores Introdução à Programação Armazenamento de Grande Quantidade de Informação Usando Vetores Armazenando Grande Quantidade de Informação Como armazenar tanta informação? Vetores! 2 Tópicos da Aula Hoje, aprenderemos

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

Projeto No. 12 Display de Led de 7 Segmentos

Projeto No. 12 Display de Led de 7 Segmentos Projeto No. 12 Display de Led de 7 Segmentos O objetivo deste projeto é demonstrar a utilização de um display de led de 7 segmentos controlado diretamente a partir das portas digitais do Arduino. Material

Leia mais

Informática para Ciências e Engenharias 2014/15. Teórica 5

Informática para Ciências e Engenharias 2014/15. Teórica 5 Informática para Ciências e Engenharias 2014/15 Teórica 5 Na aula de hoje... Representação de imagens pixels, sistema RGB Gráficos em MATLAB Gráficos simples Imagens 2D Exemplo: difusão Gráficos 3D Exemplo:

Leia mais

Manual Processamento de Imagem. João L. Vilaça

Manual Processamento de Imagem. João L. Vilaça Manual Processamento de Imagem João L. Vilaça Versão 1.0 31/1/2014 Índice 1. Sistema de eixo e movimentos possíveis do Drone... 3 2. Imagem... 3 3. Espaços de cor... 4 4.1 RGB... 5 4.2HSV... 5 4.3 GRAY...

Leia mais

ANEXO. Manual do utilizador

ANEXO. Manual do utilizador ANEXO Manual do utilizador A PARTE 1 Menu Principal A janela principal da aplicação é composta por uma zona destinada a mostrar a informação analítica (rodapé) e pelo Menu Principal, o qual contém opções

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 12 Cadeia de Caracteres (Strings) Edirlei Soares de Lima Caracteres Até o momento nós somente utilizamos variáveis que armazenam números (int, float ou

Leia mais

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br Fundamentos de Programação Turma CI-240-EST Josiney de Souza josineys@inf.ufpr.br Agenda do Dia Aula 2 (07/08/15) Introdução ao Python História Características Estrutura dos código-fonte Primeiros elementos

Leia mais

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência 1. Introdução Universidade Federal do ABC Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Dados, variáveis, operadores e precedência Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência Nesta

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo

Programação Orientada a Objetos em java. Polimorfismo Programação Orientada a Objetos em java Polimorfismo Polimorfismo Uma característica muito importante em sistemas orientados a objetos Termo proveniente do grego, e significa muitas formas Em POO, significa

Leia mais

www.cefetcampos.br/softmat

www.cefetcampos.br/softmat COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CPPG TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA www.cefetcampos.br/softmat 2 1- Introdução A linguagem LOGO foi desenvolvida

Leia mais

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Python Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Python! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET

Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET Trabalho Prático Nº1 Introdução ao C#.NET 1. OBJECTIVOS - Entender o contexto da plataforma.net - Desenvolver programas simples em C#.NET - Saber efectuar entradas de dados em modo Consola e Windows Forms

Leia mais

DICIONÁRIOS. template class Par { public: K chave; T valor; Par():chave(),valor()

DICIONÁRIOS. template<class K,class T> class Par { public: K chave; T valor; Par():chave(),valor() DICIONÁRIOS Esta estrutura inclui-se nos chamados contentores associativos, que não são mais do que uma colecção de estruturas de tipo Par, com dois membros de dados (chave de pesquisa e valor associado),

Leia mais

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário MODEM USB 3G+ WM31 Manual do Usuário 2 Conteúdo 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 5 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações... 19 8 SIM Tool

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Site: http://oficinaderobotica.ufsc.br/ Canal: Oficina de Robótica UFSC https://www.youtube.com/channel/uc4oojsp2fhfkdrnj0wd7iag

Leia mais

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Sistema de Interrupções do 8086 Prática 11 Gustavo G. Parma Assunto: sistema de interrupcões do 8086. Interrupções do DOS Objetivos: Apresentação do

Leia mais

Arduíno. Adriano Cruz. 16 de setembro de 2013. Adriano Cruz () Arduíno 16 de setembro de 2013 1 / 51

Arduíno. Adriano Cruz. 16 de setembro de 2013. Adriano Cruz () Arduíno 16 de setembro de 2013 1 / 51 Arduíno Adriano Cruz 16 de setembro de 2013 Adriano Cruz () Arduíno 16 de setembro de 2013 1 / 51 Section Summary 1 Introdução 2 Eletrônica 3 Hardware Adriano Cruz () Arduíno 16 de setembro de 2013 2 /

Leia mais

Aula anterior... Definição do algoritmo (continuação)

Aula anterior... Definição do algoritmo (continuação) Aula anterior... Definição do algoritmo (continuação) Método de decomposição hierárquica utilizando níveis crescentes de detalhe (abordagem top-down) Primeira noção de encapsulamento de operações Decomposição

Leia mais

4.6. Nós do Diagrama de Bloco

4.6. Nós do Diagrama de Bloco 30 Obs: A constante tem o mesmo valor contido no controle ou indicador do painel frontal. 4.6. Nós do Diagrama de Bloco Nós são objetos do diagrama de bloco que têm entrada e/ou saídas e executam operações

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador 24849402-04_09 ÍNDICE INFORMAÇÕES GERAIS.................................................................. Pag. 4 Características técnicas..............................................................................

Leia mais

MODEM USB LTE. Manual do Usuário

MODEM USB LTE. Manual do Usuário MODEM USB LTE Manual do Usuário 2 Conteúdo Manual do Usuário... 1 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 4 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações...

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

Slides_Java_1 !"$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code.

Slides_Java_1 !$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code. Slides_Java_1!"#$!" $ % & $ Sistemas Informáticos I, 2005/2006 ( Java source code Compile javac Java bytecode Run java Output:!"#) %& Name of program. Must be the same as name of file.!"#$!"$ % & $ Where

Leia mais

Introdução. A verificação de tipos pode ser estática e dinâmica

Introdução. A verificação de tipos pode ser estática e dinâmica Análise Semântica Introdução Verifica se as construções sintaticamente corretas possuem significado lógico dentro da linguagem Verifica a consistência da declaração e uso dos identificadores Além disso,

Leia mais

Estrutura de Dados Básica

Estrutura de Dados Básica Estrutura de Dados Básica Professor: Osvaldo Kotaro Takai. Aula 4: Tipos de Dados O objetivo desta aula é apresentar os tipos de dados manipulados pela linguagem C, tais como vetores e matrizes, bem como

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA REPASSAR BACKUP s EM CNC s FAGOR 8035 / 8055 ATRAVÉS DO SOFTWARE FAGOR WINDNC. REVISÃO 2.0

PROCEDIMENTO PARA REPASSAR BACKUP s EM CNC s FAGOR 8035 / 8055 ATRAVÉS DO SOFTWARE FAGOR WINDNC. REVISÃO 2.0 PROCEDIMENTO PARA REPASSAR BACKUP s EM CNC s FAGOR 8035 / 8055 ATRAVÉS DO SOFTWARE FAGOR WINDNC. REVISÃO 2.0 1 Ajustes dos parâmetros no CNC. 1.1 Explicações sobre parâmetros de Linha de Série 2 Software

Leia mais

Algoritmos e Programação II. Sobrecarga

Algoritmos e Programação II. Sobrecarga Algoritmos e Programação II Baseado no Material do Prof. Júlio Machado Sobrecarga Em várias linguagens é comum encontrarmos rotinas que fazem basicamente a mesma coisa, porém, têm nomes distintos porque

Leia mais

Exercício 1. Tabela 1: Cadastro de usuários, senhas e privilégios (exemplo). Login Senha Privilégio Armamento

Exercício 1. Tabela 1: Cadastro de usuários, senhas e privilégios (exemplo). Login Senha Privilégio Armamento 1/5 Exercício 1 Um sistema de segurança militar, usado num submarino nuclear, controla o acesso de usuários a três subsistemas (armamento, navegação e comunicações) através da digitação do login do usuário

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Prof. Francisco de Assis S. Santos, Dr. São José, 2014. Introdução ao Java: Definições Linguagem desenvolvida pela SUN para manter o poder computacional do C++ e promover

Leia mais