Metodologia projetual aplicada ao desenvolvimento de projetos dígito-virtuais: Sistema de navegação integrado ao capacete de segurança do motociclista

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Metodologia projetual aplicada ao desenvolvimento de projetos dígito-virtuais: Sistema de navegação integrado ao capacete de segurança do motociclista"

Transcrição

1 XI Salão de Iniciação Científica PUCRS Metodologia projetual aplicada ao desenvolvimento de projetos dígito-virtuais: Sistema de navegação integrado ao capacete de segurança do motociclista Vinicius Chagas Marques, Heli Meurer (orientador) Faculdade de Design, Centro Universitária Ritter dos Reis / UniRitter Resumo Este trabalho consiste na projetação de um sistema de navegação integrado a um capacete de segurança para motociclistas. Nele, está sendo desenvolvida uma interface gráfica amigável (IGA) que disponibiliza de forma coerente as informações. O usuário poderá observar dados de alta relevância para facilitar navegação e condução do veículo com segurança. Para isso, haverá a integração com o sistema de localização via satélite (GPS) e uso de realidade aumentada que permite aumentar a percepção visual do usuário em relação ao mundo, pois o real e o virtual fundem-se dando ao condutor a visão de seu horizonte externo mais as projeções de informações para sua navegação. O sistema utilizará a tecnologia head-up display (HUD) e será restrito a capacetes com visores de policarbonato anti-reflexivo, que serve de suporte para a projeção das informações. Além disso, o sistema aceitará comandos voz e dará respostas sonoras. O desenvolvimento desse produto faz parte da fase de experimentação e aplicação de um projeto de amplo escopo e que utiliza a metodologia projetual de Meurer e Szabluk (2009), chamada Projeto E. Esta metodologia está sendo desenvolvida para conduzir o projeto de produtos dígito-virtuais. No contexto acadêmico, o Projeto E assume o caráter de 'objeto de aprendizagem' e define estratégias pedagógicas orientadas por projetos e "raciocínio baseado em casos". XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

2 Introdução O projeto consiste em um sistema facilitador de navegação para usuários de motocicleta (Moto). Através de uma interface gráfica digital projetada no visor do capacete de segurança, o condutor receberá informações para uma navegação segura e objetiva. Utilizando um sistema HUD (head-up display) de visualização, utilizado por pilotos de aviação militar, se trata de uma das aplicações mais difundidas da realidade aumentada. O sistema HUD consiste em óculos que permite ao piloto visualizar o ambiente externo juntamente com informações complementares que são projetadas sobre a parte interna da lente dos óculos. Essas informações são representações gráficas resultantes de dados captados por sistemas de sensores ou via satélite, criando dados atualizados em tempo real, de acordo com a variação dos movimentos e direção do usuário. Atualmente não existe nada similar a um sistema de navegação que facilite a navegação de motociclistas que utilize tecnologias GPS de forma que o mesmo receba as informações em seu campo de visão. O que se pode observar é uma adaptação do navegador GPS convencional projetado para automóveis. Estes aparelhos são instalados em espaço inapropriado, próximo à interface analógica das motocicletas. Ao invés de facilitar a navegação do motociclista, muitas vezes, eles dificultam a rotina de pilotagem e aumentam o risco de acidentes, pois o usuário é obrigado a desviar seu olhar para fazer a leitura da tela (figura 1). Além disso, durante o período diurno, a claridade ofusca as informações exibidas na tela do aparelho. Figura 1. Ângulo de visão de um motociclista sem capacete HUD e outro com o capacete com visor HUD. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

3 Observou-se preliminarmente que o produto em questão não possui similares registrados ou divulgados, e por esse motivo, outros produtos de caráter tangencial e que possuem IGA, serviram como referência para auxiliar o desenvolvimento do sistema. Sendo assim, primeiramente, analisou-se os navegadores GPS convencionais para automóveis, que são adaptados para motocicletas. Em seguida, investigou-se o universo dos games, jogos de motocicleta que simulam interfaces de navegação na tela e que auxiliam o jogador na trajetória do jogo. Em terceiro, observou-se o que o cinema vem usando para simular interfaces com realidade aumentada. Em geral, os conceitos de interação que os filmes mostram são facilmente assimilados pelos telespectadores, com isso, vão se tornando familiarizados com a tecnologia e com a interface. Por último tentou-se compreender como os militares da aeronáutica utilizam o sistema de navegação head-up display (HUD) com tecnologia de realidade aumentada 2D (de duas dimensões). Na fase de contextualização do projeto foi definido que as quatro categorias de produtos com IGA acima fossem analisados e com isso seria possível obter uma lista de verificação bastante concisa para orientar a projetação deste novo sistema. Em se tratando de produtos dígito-virtuais, é importante buscar em diferentes horizontes exemplos de IGAs e tecnologias que estejam em convergência para gerar o 'cenário pretendido' de grande caráter inovador. Figura 2. Nuvem de palavras-chaves do projeto XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

4 Objetivo Objetivo principal Projetação de um sistema de navegação integrado a um capacete de segurança para motociclistas através de uma interface gráfica amigável com recursos de realidade aumentada. Objetivo secundário Desenvolver um sistema de navegação que priorize a segurança e a localização do usuário de motocicleta no trânsito. Objetivos operacionais Desenvolver um sistema capaz de: Informar velocidade, Rotação, Indicar sinal de conversão, Indicar dispositivos ligados, Auxiliar na leitura da sinalização de transito, Mapas de localização, Tempo de percurso. Todas estas informações deverão ser organizadas de forma hierárquica e exibidas de forma coerente com recursos de realidade aumentada no visor do capacete (figura 03). Objetivos acadêmicos Desenvolver um sistema de navegação utilizando a metodologia de projeto para ambientes dígito-virtuais elaborada por Meurer e Szabluk (2009), chamada Projeto E. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

5 Figura 3. Infográfico ilustrando o sistema. Metodologia A metodologia escolhida para este trabalho é o Projeto E de Meurer & Szabluk (2009) e todo o desenvolvimento está sendo orientado pelo Prof. Heli Meurer no projeto de pesquisa que estuda as propriedades didáticas que o método possui quando utilizado em ambiente acadêmico. O Projeto E permite um planejamento correto de suas seis etapas projetuais, que são: Figura 4. Etapas da metodologia proposta pelo Projeto E (2009). Como é possível observar na (figura 4), o Projeto E, na sua macroestrutura, é organizado em seis etapas distintas, porém inter-relacionadas e retroativas. São elas: XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

6 Estratégia. De caráter identificatório e analítico. Iniciam sempre com a contextualização do projeto, transcorrem as análises, resultando em uma lista de verificação constituída de restrições, requisitos e possibilidades projetuais. Esta lista é fundamental para orientar o desenvolvimento do produto nas etapas seguintes. Escopo. Dá início a projetação do produto propriamente dito, ou seja, é o começo da geração de alternativas e estas, neste momento, são de caráter linguístico. É necessário organizar o produto e definir a hierarquia da informação, ferramentas e transações. Além disso, o produto é classificado semanticamente, definindo a linguagem gráficovisual, estrutural, comunicacional, relacional e mercadológico. Estrutura. Começa a geração de alternativas desenhísticas. É quando são estabelecidas todas as inter-relações, permissões e regras de interação. Esqueleto. É nessa etapa que são geradas alternativas estruturais e arquiteturais para definir densidade e organização da informação nas telas e da lógica-informacional inter-telas da IGA do produto.. É no esqueleto que se define como ocorrerá a interação do usuário com o produto e por isso, é preciso levar em consideração, diretrizes para usabilidade e acessibilidade. Estética. Geração do leiaute estético-formal do produto. Duas coisas são fundamentais para obter resultados interessantes: (1) uso malhas (grids) para a diagramação e composição das telas e (2) uso dos elementos da identidade gráfico-visual para definir o posicionamento da linguagem gráfico-visual do produto. Classificou-se em cinco os elementos da identidade gráfico-visual: logografia, cronografia, tipografia, pictografia e iconografia. Execução. É fase de fechamento e o primeiro passo é desenvolver um modelo funcional navegável para simular o funcionamento do produto, realizar testes de interação e análises heurísticas. O segundo passo é a implantação e /ou produção do produto final. Definição dos papéis Em projetos de média a alta complexidade, é necessária a atuação de uma equipe interdisciplinar. O projeto costuma ser tão amplo que exige a participação de profissionais com diferentes formações, tais como analistas de sistemas, arquitetos da informação, designers, desenvolvedores e outros. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

7 Desta forma, foram definidos para esse projeto, responsáveis para as atribuições da primeira, segunda e terceira camada. A 1ª camada (superfície) - É a IGA. Este projeto está focado na criação da IGA, que é responsabilidade do designer gráfico e do arquiteto da informação. Veja na figura 5 quais outros profissionais se envolvem nas diferentes etapas do projeto E. A 2ª camada, (as regras de negócios) define como o usuário irá interagir com o banco de dados 3ª camada. A 2ª e a 3ª camada são planejadas pelo analista de sistemas e projetadas pelo desenvolvedor. Figura 5. Definição dos papéis dentro do processo da metodologia, sob o ponto de vista do projeto da IGA. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

8 Resultados Considerando as etapas do Projeto E, atualmente, o projeto do sistema de navegação integrado ao capacete de segurança do motociclista está com sua estratégia concluída e com sua lista de verificação definida. Após a realização das análises linguísticas, desenhísticas, funcionais e heurísticas de um grupo de produtos especialmente escolhidos, conforme especificado na introdução deste artigo, desenvolveu-se o infográfico da figura 6 para especificar quais serão as características da IGA do produto: Figura 6. Escala de diferencial semântico do projeto. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

9 E como resultado das análises, chegou-se a seguinte lista de verificação (figura 7): Figura 7. Lista de Verificação. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

10 Conclusão Até o presente momento, o desenvolvimento do projeto do sistema de navegação integrado ao capacete de segurança do motociclista tem tido êxito. O processo criativo está pautado na metodologia projetual Projeto E e como previsto, será conduzido de forma segura até a concretização do Modelo Funcional Navegável na Etapa de Execução. Como este projeto faz parte de um projeto maior e de escopo educacional, os seus resultados estão sendo catalogados e analisados para verificar a perfomance do Projeto E como um objeto de aprendizagem para o ensino de metodologia projetual em escolas superiores de design. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

11 Referências GARRETT, Jesse James. The Elements of User Experience. New York, NY USA: AIGA American Institute of Graphic Arts, p. GOMES, Luiz Vidal Negreiros. Criatividade: Projeto, Desenho, produto. Santa Maria: schds, p. EYSENCK, MICHAEL,W., Psicologia Cognitiva: um manual introdutório. Porto Alegre: Artes Medicas LIDWELL, Willian; HOLDEN, Kritina; BUTLER, Jill. Universal principles of design. Gloucester,USA: Rockport, p. KALBACH, James. Design de navegação web: Otimizando a experiência do usuário. Porto Alegre: Bookman p. MEURER, Heli; SZABLUK, Daniela. Projeto E: aspectos metodológicos para o desenvolvimento de projetos dígito-virtuais. In: 9 ERGODESIGN 9 USIHC, 2009, Curitiba. Anais do 9 ERGODESIGN 9 USIHC, MEURER, heli; SZABLUK, Daniela. Projeto E: metodologia projetual para ambientes dígito-virtuais. Anais do 3º InfoDesign Brasil Congresso Brasileiro de Design da Informação. Rio de Janeiro RJ: PUC RIO, NIELSEN, Jacob; LORANGER, Hoa. Usabilidade na Web: Projetando Websites com Qualidade. Rio de Janeiro: Campus, NORMAN, A. Donald. Design Emocional. Rio de Janeiro RJ: Rocco, p. PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvone; SHARP, Helen. Design de interação: além da interação homemcomputador. Porto Alegre: Bookman, p. SAMARA, T., Grid: construção e desconstrução. São Paulo: Cosac Naify, p. REDIG, J., Sobre desenho industrial (ou design) e desenho industrial no Brasil: desenho de produto, comunicação visual: conceituação e perspectivas da profissão. Rio de Janeiro: Editora UniRitter RIBEIRO, M., Planejamento visual gráfico. 8 ed. Brasília: LGE, ROSENFELD, Louis; MORVILLE, Peter. Information Architecture for the World Wide Web. Califórnia: O Reilly & Associates, WALTHER-BENSE, E., A teoria Geral dos Signos. São Paulo: Editora Perspectiva ZELADA. G., SISTEMA HIPERESCÓPIO: AMBIENTE INTERATIVO PARA O ENSINO INTERDISCIPLINARY UTILIZANDO A ESTRUTURA DE UM GAME 3D EM PRIMEIRA PESSOA. FILE SYMPOSIUM Disponível em: Acesso em: 10 abr XI Salão de Iniciação Científica PUCRS, 09 a 12 de agosto de

Projeto E: aspectos metodológicos para o desenvolvimento de projetos dígito-virtuais

Projeto E: aspectos metodológicos para o desenvolvimento de projetos dígito-virtuais ação ergonômica, volume5, número2 Projeto E: aspectos metodológicos para o desenvolvimento de projetos dígito-virtuais Heli Meurer Mestre em Engenharia de Produção, Centro Universitário Ritter dos Reis

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 05/2005 137-TC-C5 Sergio Ferreira do Amaral Faculdade de Educação da UNICAMP

Leia mais

Design de interface sistematizado como processo de produto Interface design systematized as product process

Design de interface sistematizado como processo de produto Interface design systematized as product process Design de interface sistematizado como processo de produto Interface design systematized as product process Jaire Ederson Passos, Tânia Luisa K. da Silva design, interação, interface, metodologia Este

Leia mais

Projeto de redesenho e reestruturação de jogo eletrônico: God & Creature

Projeto de redesenho e reestruturação de jogo eletrônico: God & Creature XI Salão de Iniciação Científica PUCRS Projeto de redesenho e reestruturação de jogo eletrônico: God & Creature Andressa Glasenapp Kulczynski, Heli Meurer Faculdade de Design, Uniritter Resumo O projeto

Leia mais

IHM Interface Humano-Máquina

IHM Interface Humano-Máquina A IHM Interface Humano-Máquina Prof. Dra. Sílvia Dotta Aula 1 - Introdução Roteirodaaula Apresentação da disciplina Motivação, Objetivos Metodologia de ensino Introdução e conceituação de IHM Histórico

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 63/14, 2011 de 10 de dezembro de 2014. 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO...

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM RECURSOS EXPRESSIVOS - ESTUDO DIRIGIDO Nº 2 : DESIGNS INSTRUCIONAL, VISUAL E DE INTERAÇÃO

A CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM RECURSOS EXPRESSIVOS - ESTUDO DIRIGIDO Nº 2 : DESIGNS INSTRUCIONAL, VISUAL E DE INTERAÇÃO 1 A CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE APRENDIZAGEM RECURSOS EXPRESSIVOS - ESTUDO DIRIGIDO Nº 2 : DESIGNS INSTRUCIONAL, VISUAL E DE INTERAÇÃO Belo Horizonte MG Abril 2012 Categoria: C - Método e Tecnologias Setor

Leia mais

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Design

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Design Disciplina: Departamento: Interface Visual e Tecnológica Planejamento e Configuração - DEPC Carga Horária: 45 h/a Créditos: 03 Professor Responsável: Maria Regina Álvares Correia Dias EMENTA: Estudo dos

Leia mais

Arquitetura de Informação de websites

Arquitetura de Informação de websites Arquitetura de Informação de websites Apresentação Gil Barros Design e implementação de interfaces digitais desde 96 design gráfico > html perl/lingo > php/sql/flash usabilidade > arquitetura de informação

Leia mais

Arquitetura de Informação de Websites. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com

Arquitetura de Informação de Websites. 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com Arquitetura de Informação de Websites 2006 Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Vivemos a era da explosão da informação Existe um tsunami de dados que bate sobre as praias do mundo civilizado. É um maremoto

Leia mais

Projeto e Desenvolvimento do Objeto de Aprendizagem Interad

Projeto e Desenvolvimento do Objeto de Aprendizagem Interad Projeto e Desenvolvimento do Objeto de Aprendizagem Interad Paula Caroline Schifino Jardim Passos a, Patricia Alejandra Behara a Núcleo de Tecnologia Digital Aplicada à Educação Universidade Federal do

Leia mais

DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente

DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente Pós-graduação lato ou stricto sensu na área da disciplina. Currículo publicado

Leia mais

DESIGN DE LIVRO DIGITAL

DESIGN DE LIVRO DIGITAL DESIGN DE LIVRO DIGITAL Aluna: Mariana Ferreira Gomes Corrêa Orientadora: Rita Maria de Souza Couto Co-orientadora: Cristina Portugal Introdução A pesquisa desenvolvida foi parte integrante do trabalho

Leia mais

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC

Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Formosa Interface Humano-Computador IHC Paradigmas de IHC Prof. M.Sc. Victor Hugo Lázaro Lopes IHC Paradigmas de IHC AGENDA Engenharia Cognitiva

Leia mais

Testes de Usabilidade

Testes de Usabilidade Testes de Usabilidade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Setembro de 2012 Prof. Edwar Saliba Júnior 1 Reflexão Ao fazer referência à questão da qualidade da relação

Leia mais

Arquitetura de Informação de websites

Arquitetura de Informação de websites Arquitetura de Informação de websites Guilhermo Reis www.guilhermo.com Você consegue assimilar toda a informação que precisa? 2 1 3 Vivemos a era da explosão da informação Existe um tsunami de dados que

Leia mais

Sequor: uma ferramenta para rastreamento ocular

Sequor: uma ferramenta para rastreamento ocular UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA Sequor: uma ferramenta para rastreamento ocular Proposta de Trabalho de Graduação Aluno: Gabriel José Barreto

Leia mais

arquitetura da informação em agências digitais

arquitetura da informação em agências digitais arquitetura da informação em agências digitais 1 dados importantes 2 componentes da a.i. 3 fases e ferramentas 4 equipe envolvida 5 livros recomendados dados importantes Cinco exabytes(5.000.000.000.000

Leia mais

Requisitos ergonômicos para interfaces de busca em bibliotecas on-line Ergonomic requirements for on-line library search interface

Requisitos ergonômicos para interfaces de busca em bibliotecas on-line Ergonomic requirements for on-line library search interface Requisitos ergonômicos para interfaces de busca em bibliotecas on-line Ergonomic requirements for on-line library search interface Robson SANTOS Mestre em Design Pontifícia Universidade Católica do Rio

Leia mais

Wireframes Desenho de Iteração. Henrique Correia. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Wireframes Desenho de Iteração. Henrique Correia. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 1 Wireframes Desenho de Iteração Henrique Correia Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Sistemas Hipermédia - 1º ano Mestrado Ensino da Informática 11 de Outubro de 2011 2 Wireframes Introdução

Leia mais

DESIGN DE INTERAÇÃO PARA PROJETOS WEB NPG. Ementa. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

DESIGN DE INTERAÇÃO PARA PROJETOS WEB NPG. Ementa. Objetivo Geral. Objetivos Específicos DESIGN DE INTERAÇÃO PARA PROJETOS WEB NPG Ementa Novas tendências em tecnologias, linguagem gráfica e conteúdo. Estilos de interface. As possibilidades técnicas de interação das novas mídias, questões

Leia mais

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller

Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento. Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller Métodos de Avaliação para Sites de Entretenimento Fabricio Aparecido Breve Prof. Orientador Daniel Weller 1 Introdução O objetivo deste trabalho é verificar a eficiência da Avaliação com o Usuário e da

Leia mais

Resenha. Ergodesign e arquitetura da informação: trabalhando com o usuário (Luiz Agner, Rio de Janeiro, Quartet Editora, 2006, 173 p.

Resenha. Ergodesign e arquitetura da informação: trabalhando com o usuário (Luiz Agner, Rio de Janeiro, Quartet Editora, 2006, 173 p. Resenha Ergodesign e arquitetura da informação: trabalhando com o usuário (Luiz Agner, Rio de Janeiro, Quartet Editora, 2006, 173 p.) Thiago de Andrade Marinho 1 Ergodesign e Arquitetura de Informação:

Leia mais

Princípios de usabilidade e engenharia semiótica no projeto de interfaces gráficas com o usuário

Princípios de usabilidade e engenharia semiótica no projeto de interfaces gráficas com o usuário Princípios de usabilidade e engenharia semiótica no projeto de interfaces gráficas com o usuário Anaís Schüler Bertoni Mestranda em Design Centro Universitário Ritter dos Reis anais@d750.com.br Silvia

Leia mais

A Arquitetura de Informação segundo Lou e Peter por Márcio Tristão

A Arquitetura de Informação segundo Lou e Peter por Márcio Tristão A Arquitetura de Informação segundo Lou e Peter por Márcio Tristão Conversamos com Louis Rosenfeld e Peter Morville autores do best-seller Information Architecture for the World Wide Web, o livro do urso

Leia mais

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa

Linguagem de Programação Visual. Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Linguagem de Programação Visual Aula 2 Prof. Gleison Batista de Sousa Historico 50s Interfaces são painel de controles do hardware, usuário são engenheiros; 60-70s Interfaces são programas em linguagens

Leia mais

Design emocional: a importância da satisfação do usuário em contato com uma interface gráfica

Design emocional: a importância da satisfação do usuário em contato com uma interface gráfica Design emocional: a importância da satisfação do usuário em contato com uma interface gráfica Priscila Lütz Fraga de Oliveira Mestranda em Design UniRitter lutzpri@gmail.com André Luis Marques da Silveira

Leia mais

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Instituto Federal do Sertão-PE Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Prof. Felipe Correia Conteúdo Por que estudar Design de Interfaces e Usabilidade?! Conceitos básicos sobre Design! Primeira

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA 9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA Autor(es) MICHELE CRISTIANI BARION FREITAS Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO 1. Introdução A partir de ferramentas

Leia mais

REALIDADE VIRTUAL. Tatiane Cruz de Souza Honório

REALIDADE VIRTUAL. Tatiane Cruz de Souza Honório REALIDADE VIRTUAL Tatiane Cruz de Souza Honório A ilusão vai ser tão grande que não seremos mais capazes de distinguir entre o que é real e o que não é. Steve Williams Sumário Introdução Tipos de Sistemas

Leia mais

Arquitetura da Informação. A relação da Arquitetura da Informação com a Usabilidade na era do conhecimento

Arquitetura da Informação. A relação da Arquitetura da Informação com a Usabilidade na era do conhecimento A relação da Arquitetura da Informação com a Usabilidade na era do conhecimento Rodrigo Medeiros Tecnólogo em Sistema para Internet Faculdade Marista Especialista em arquitetura da Informação pela Jump

Leia mais

AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DOS SÍTIOS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS DO EXTREMO SUL DO BRASIL

AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DOS SÍTIOS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS DO EXTREMO SUL DO BRASIL AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DOS SÍTIOS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS DO EXTREMO SUL DO BRASIL Samuel dos Santos Salimen 1 Clériston Ribeiro Ramos 2 Resumo: Disponibilizar informações que possam ser acessado

Leia mais

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: PROJETANDO PARA A WEB

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: PROJETANDO PARA A WEB 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 055-1 DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: PROJETANDO PARA A WEB Emanuel Felipe Duarte 1 ; Aline Maria Malachini Miotto 2 RESUMO: O objetivo deste trabalho foi

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

Seminário FESPSP São Paulo: a cidade e seus desafios 05 a 09 de outubro de 2015 GT 6 - Informação e ambientes digitais: organização e acesso

Seminário FESPSP São Paulo: a cidade e seus desafios 05 a 09 de outubro de 2015 GT 6 - Informação e ambientes digitais: organização e acesso Seminário FESPSP São Paulo: a cidade e seus desafios 05 a 09 de outubro de 2015 GT 6 - Informação e ambientes digitais: organização e acesso ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO E USABILIDADE EM INTERFACES: ESTUDO

Leia mais

CONHECENDO O SCRATCH E SUAS POTENCIALIDADES PEDAGÓGICAS

CONHECENDO O SCRATCH E SUAS POTENCIALIDADES PEDAGÓGICAS CONHECENDO O SCRATCH E SUAS POTENCIALIDADES PEDAGÓGICAS ANDREA DA SILVA MARQUES RIBEIRO andrea.marques@gmail.com INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAP-UERJ) FERNANDO DE BARROS VASCONCELOS

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO Caio Cesar Caio Cesar? Ensino / Pesquisa / Consultoria Comunicação online Marketing Design de Interação www.caiocesar.cc Tema de hoje Design Centrado no Usuário O quê? Por quê?

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NO PLANEJAMENTO DE AMBIENTES DIGITAIS INCLUSIVOS i

A IMPORTÂNCIA DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NO PLANEJAMENTO DE AMBIENTES DIGITAIS INCLUSIVOS i A IMPORTÂNCIA DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NO PLANEJAMENTO DE AMBIENTES DIGITAIS INCLUSIVOS i Raimunda Fernanda dos Santos Aluna de Graduação em Biblioteconomia da UFRN/Natal/RN-Brasil nanda_florania@hotmail.com

Leia mais

AGENDA. O Portal Corporativo. Arquitetura da Informação. Metodologia de Levantamento. Instrumentos Utilizados. Ferramentas

AGENDA. O Portal Corporativo. Arquitetura da Informação. Metodologia de Levantamento. Instrumentos Utilizados. Ferramentas AGENDA O Portal Corporativo Arquitetura da Informação Metodologia de Levantamento Instrumentos Utilizados Ferramentas PORTAL CORPORATIVO Na sociedade da informação é cada vez mais presente a necessidade

Leia mais

Implementação. Quanto custa um erro de software?

Implementação. Quanto custa um erro de software? Implementação Guilhermo Reis www.guilhermo.com 2 Quanto custa um erro de software? O míssil de guerra Patriot, usado como parte do sistema estratégico de defesa dos EUA ( Star Wars ), do governo de Ronald

Leia mais

FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA

FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA FUNDAMENTOS DE INTERFACE HOMEM MÁQUINA O que é Design de Interação? Flavio Barbosa professor@flaviobarbosa.com.br Definindo design de interação. Por design de interação entende-se: Projetar produtos interativos

Leia mais

Arquitectura de Informação

Arquitectura de Informação Arquitectura de Informação Saul Wurman, criou o termo em 1976. Foi usado para design impresso: mapas guias e atlas. Posteriormente para layouts e outros campos do design. Morville e Rosenfeld, autores

Leia mais

A importância dos protótipos para o desenvolvimento do site do Grupo de Pesquisa em Engenharia de Software

A importância dos protótipos para o desenvolvimento do site do Grupo de Pesquisa em Engenharia de Software A importância dos protótipos para o desenvolvimento do site do Grupo de Pesquisa em Engenharia de Software Daniela Gibertoni¹, Mariana Trevisoli Gervino¹, Júlio C. C. Colombo¹, Fabian Venturini Cabau¹,

Leia mais

CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS

CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS CARGA HORÁRIA: 60 horas I - Ementa Modelagem de Processos

Leia mais

Prof. Marcelo Henrique dos Santos

Prof. Marcelo Henrique dos Santos POR QUE ESTUDAR COMPUTAÇÃO GRÁFICA? Quem quiser trabalhar em áreas afins: Entretenimento Jogos e filmes Visualização Simulação de fenômenos físicos Arte computadorizada Educação e treinamento Processamento

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014. Curso Profissional de Técnico de Multimédia. Planificação

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014. Curso Profissional de Técnico de Multimédia. Planificação ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014 Curso Profissional Técnico Multimédia Planificação Disciplina: Design, Comunicação e Audiovisuais Ano: 11º Conteúdos Objetivos Estratégias/Atividas

Leia mais

Figura 1: Problema do trânsito congestionado. Fonte: [autores]

Figura 1: Problema do trânsito congestionado. Fonte: [autores] APLICAÇÃO DO MODELO MEX: PROJETO DA INTERFACE DO BUSFALANTE Ana Elisa SCHMIDT 1, Heber Pedroso de ALMEIDA 2, Rafael Soares COSTA 2 1 Professor e Orientador - IFC-Campus Camboriú 2 Aluno curso Superior

Leia mais

Arquitetura da Informação Lílian Simão Oliveira

Arquitetura da Informação Lílian Simão Oliveira Arquitetura da Informação Lílian Simão Oliveira Informação Usabilidade não é apenas o usuário conseguir usar o produto! Cinco atributos da usabilidade (NIELSEN, 1993): 1. Facilidade de aprendizagem 2.

Leia mais

O ensino da disciplina de arquitetura de informação: uma aplicação da técnica de card sorting

O ensino da disciplina de arquitetura de informação: uma aplicação da técnica de card sorting O ensino da disciplina de arquitetura de informação: uma aplicação da técnica de card sorting Maria Irene da Fonseca e Sá 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro. Brasil Resumo O trabalho apresenta a

Leia mais

Modelagem de informações de. construçãocapítulo1: Capítulo. Objetivo do capítulo

Modelagem de informações de. construçãocapítulo1: Capítulo. Objetivo do capítulo construçãocapítulo1: Capítulo 1 Modelagem de informações de A modelagem de informações de construção (BIM) é um fluxo de trabalho integrado baseado em informações coordenadas e confiáveis sobre um empreendimento,

Leia mais

O mundo das pequenas coisas: estampas para tecido feitas com objetos do universo da costura

O mundo das pequenas coisas: estampas para tecido feitas com objetos do universo da costura O mundo das pequenas coisas: estampas para tecido feitas com objetos do universo da costura The little things world: prints for textile made with objects of sewing universe Cavalcante, Vanessa Peixoto;

Leia mais

CONSIDERAÇÕES FINAIS

CONSIDERAÇÕES FINAIS CONSIDERAÇÕES FINAIS As considerações finais da pesquisa, bem como suas contribuições e sugestões para trabalhos futuros são aqui apresentadas, ressaltando algumas reflexões acerca do tema estudado, sem,

Leia mais

Projeto de Interface do Usuário

Projeto de Interface do Usuário Projeto de Interface do Usuário Arquitetura de Informação Danielle Freitas 2015.1 http://docente.ifrn.edu.br/daniellefreitas Agenda Introdução O que é arquitetura da informação Estratégia de conteúdo Sistema

Leia mais

A Arquitetura da Informação e o Bibliotecário. Maria Irene da Fonseca e Sá 1

A Arquitetura da Informação e o Bibliotecário. Maria Irene da Fonseca e Sá 1 A Arquitetura da Informação e o Bibliotecário Maria Irene da Fonseca e Sá 1 1 Docente do curso de Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação, Universidade Federal do Rio de Janeiro. E-mail: mariairene@facc.ufrj

Leia mais

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE. Maio/2005 023-TC-C5

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE. Maio/2005 023-TC-C5 1 PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE Maio/2005 023-TC-C5 Viviane Guimarães Ribeiro Universidade de Mogi das Cruzes vivianegr@yahoo.com.br Saulo Faria Almeida Barretto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.9 Especificações do Sistema de Monitoramento da Frota PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 2 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 2 2.1 Aquisição de Dados Monitorados do Veículo...

Leia mais

U NIFACS ERGONOMIA INFORMACIONAL PROFª MARIANNE HARTMANN 2006.1

U NIFACS ERGONOMIA INFORMACIONAL PROFª MARIANNE HARTMANN 2006.1 U NIFACS ERGONOMIA INFORMACIONAL PROFª MARIANNE HARTMANN 2006.1 AULA 20 PROBLEMAS DE INTERFACE 12.maio.2006 FAVOR DESLIGAR OS CELULARES usabilidade compreende a habilidade do software em permitir que o

Leia mais

Tecnologia em. Design Gráfico

Tecnologia em. Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico CARREIRA O Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico oferece oportunidade para o trabalho profissional em diversas profissões relacionadas

Leia mais

Cartões. na mesa. Descubra como o usuário classifica e organiza as informações

Cartões. na mesa. Descubra como o usuário classifica e organiza as informações 50 :: Webdesign Cartões na mesa Descubra como o usuário classifica e organiza as informações Ambientes para inclusão de vídeos, álbuns de fotos, blogs, microblogging, podcasts, redes de relacionamento

Leia mais

VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE UNIVERSITÁRIOS QUE USARAM UM SOFTWARE EDUCATIVO SOBRE LÓGICA

VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE UNIVERSITÁRIOS QUE USARAM UM SOFTWARE EDUCATIVO SOBRE LÓGICA VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE UNIVERSITÁRIOS QUE USARAM UM SOFTWARE EDUCATIVO SOBRE LÓGICA Resumo Elaine Pasqualini 1 - FATEC-OURINHOS Sílvia H. de Oliveira Santos 2 - FATEC-OURINHOS Viviane de F. Bartholo

Leia mais

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Isabela Gasparini, Avanilde Kemczinski Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Motivação IHC está relacionada

Leia mais

A importância da boa comunicação na prática da engenharia

A importância da boa comunicação na prática da engenharia A importância da boa comunicação na prática da engenharia Maria Regina Leoni Schmid Rudloff Sistema de Protensão Ltda. Introdução Após alguns anos de trabalho no desenvolvimento de comunicação voltada

Leia mais

Faculdade de Engenharia de Presidente Prudente FEPP. Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores UNOESTE. E-mail: marcelomota@unoeste.

Faculdade de Engenharia de Presidente Prudente FEPP. Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores UNOESTE. E-mail: marcelomota@unoeste. 1032 MODELO CRIATIVO E AVALIAÇÃO NO DESIGN Marcelo José da Mota Faculdade de Engenharia de Presidente Prudente FEPP. Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores UNOESTE. E-mail: marcelomota@unoeste.br

Leia mais

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO Análise do professor: Parâmetros para avaliação Ao navegar por Web sites é importante observar alguns tópicos para determinar se um site é bom ou não. Navegação, design, conteúdo, velocidade de acesso,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE USABILIDADE E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO EM UM SITE INSTITUCIONAL

AVALIAÇÃO DE USABILIDADE E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO EM UM SITE INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO DE USABILIDADE E ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO EM UM SITE INSTITUCIONAL RESUMO O objetivo deste artigo é avaliar a usabilidade e a arquitetura de informação de um site institucional, bem como propor

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2013

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos EE: Arlindo Bittencourt Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação

Leia mais

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo (abraposo@inf.puc-rio.br Sala 417 RDC) Aula Inaugural 29/Fev/2012 INF 1403 Site da disciplina SERG,

Leia mais

Arquitetura de Informação

Arquitetura de Informação Arquitetura de Informação Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Arquitetura de Informação? Ferramentas para Web Design 2 Arquitetura de Informação (AI): É a arte de expressar

Leia mais

5 th Brazilian Conference of In form ation Design

5 th Brazilian Conference of In form ation Design CIDI 2013 6TH CIDI 5TH InfoDesign 6TH CONGIC 6 th Inform ation Design International Conference 5 th Brazilian Conference of In form ation Design 6 th Inform ation Design Student Conference Blucher Design

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA NO AUXILIO A EDUCAÇÃO PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA MOTORA E MENTAL

REALIDADE AUMENTADA NO AUXILIO A EDUCAÇÃO PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA MOTORA E MENTAL 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

DESIGN, EDUCAÇÃO E INOVAÇÃO. Anaís Schüler Bertoni

DESIGN, EDUCAÇÃO E INOVAÇÃO. Anaís Schüler Bertoni DESIGN, EDUCAÇÃO E INOVAÇÃO Anaís Schüler Bertoni PROJETAÇÃO DE INTERFACES DÍGITO-VIRTUAIS: diretrizes para o projeto centrado no usuário de ambientes virtuais de aprendizagem Porto Alegre 2011 1 DESIGN,

Leia mais

ArquiteturadaInformação. Lílian Simão Oliveira

ArquiteturadaInformação. Lílian Simão Oliveira ArquiteturadaInformação Lílian Simão Oliveira Informação O queé usabilidade? Usabilidade é a medida na qual um produto pode ser usado por usuários específicos para alcançarobjetivosespecíficoscom efetividade,

Leia mais

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online.

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online. 1 Introdução Na época atual, as certezas definitivas já deram sinais de cansaço e à medida que avança a tecnologia, a sociedade se reformula. O conhecimento estabelecido durante séculos antes confinados

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

Principais Estilo de. Fabricio de Sousa

Principais Estilo de. Fabricio de Sousa Principais Estilo de Interação Fabricio de Sousa Principais Estilos de Interação Termo genérico que inclui todas as formas usadas pelos usuários para comunicarem ou interagirem com sistemas computacionais

Leia mais

AvaliaçãodaUsabilidadedeum SoftwaredeAuditoria EvaluationofUsabilityofaSoftwareofAuditing

AvaliaçãodaUsabilidadedeum SoftwaredeAuditoria EvaluationofUsabilityofaSoftwareofAuditing AvaliaçãodaUsabilidadedeum SoftwaredeAuditoria EvaluationofUsabilityofaSoftwareofAuditing AlianaPereiraSimões Pós-graduadaemErgonomia,UsabilidadeeInteraçãoHumano-Computador PUC-RIO aliana@aliana.com.br

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

sz propaganda propaganda sz consulting sz webdesign sz branding sz design um novo começo. um novo começo. além da marca e muito mais

sz propaganda propaganda sz consulting sz webdesign sz branding sz design um novo começo. um novo começo. além da marca e muito mais sz propaganda um novo começo. propaganda sz um novo começo. sz consulting maximizando resultados sz branding além da marca sz design e muito mais sz webdesign sem portas fechadas Planejamento estratégico,

Leia mais

Modelo de Questões para Planejamento Digital Interativo

Modelo de Questões para Planejamento Digital Interativo Modelo de Questões para Planejamento Digital Interativo Algumas questões importantes sobre um projeto digital. Dependendo do cliente não é necessário levantar uma grande quantidade de dados. Utilize este

Leia mais

Arquitetura de Informação - 2

Arquitetura de Informação - 2 Arquitetura de Informação - 2 Ferramentas para Web Design Prof. Ricardo Ferramentas para Web Design 1 Arquitetura de Informação (AI): Objetivo: Compreender os vários cenários em que o design de informação

Leia mais

D E S E N V O L V I M E N T O D E W E B S I T E. P r o j e t o M a s s a p ê. 2 4 d e j a n e i r o d e 2 0 1 3

D E S E N V O L V I M E N T O D E W E B S I T E. P r o j e t o M a s s a p ê. 2 4 d e j a n e i r o d e 2 0 1 3 D E S E N V O L V I M E N T O D E W E B S I T E P r o j e t o M a s s a p ê 2 4 d e j a n e i r o d e 2 0 1 3 A Empresa: CRISEPE - UFRPE Projeto Massapê Responsável: Caroline Biondi E-mail: carolinebiondi@yahoo.com

Leia mais

Módulo 6: Inteligência Artificial

Módulo 6: Inteligência Artificial Módulo 6: Inteligência Artificial Assuntos: 6.1. Aplicações da IA 6.2. Sistemas Especialistas 6.1. Aplicações da Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas

Leia mais

4 O Projeto: Estudo de caso LED / IBC

4 O Projeto: Estudo de caso LED / IBC 45 4 O Projeto: Estudo de caso LED / IBC A tecnologia ligada à acessibilidade ajuda a minimizar as dificuldades encontradas entre pessoas com deficiências ao acesso a diversos formatos de informação. Do

Leia mais

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação Unidade IV - Avaliação de Interfaces O quê avaliação? O quê avaliação? Técnicas de Avaliação Tipos de Avaliação com Usuários Paradigmas de avaliação com usuários Avaliação rápida e suja Testes de Usabilidade

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

Um estudo sobre as competências da equipe de projeto no processo de desenvolvimento de aplicações web

Um estudo sobre as competências da equipe de projeto no processo de desenvolvimento de aplicações web Um estudo sobre as competências da equipe de projeto no processo de desenvolvimento de aplicações web A study about the competences of the design team in web applications development process Daniela Szabluk

Leia mais

Sistemas de Informação 3º ANO

Sistemas de Informação 3º ANO Sistemas de Informação 3º ANO BANCO DE DADOS Carga horária: 120h Visão geral do gerenciamento de banco de dados. Arquitetura de um Sistema Gerenciador de Banco de Dados. Modelagem e projeto de banco de

Leia mais

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Web Design. Tecnologia em Produção multimídia

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Web Design. Tecnologia em Produção multimídia PIM PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO COM O MERCADO GUIA DE CURSO Tecnologia em Web Design Tecnologia em Produção multimídia JUN/ 2012 2 S U M Á R I O 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O QUE DEVE CONSTAR NO TRABALHO DE APLICAÇÃO

Leia mais

CIDI 5TH InfoDesign 6TH CONGIC 6 th Inform ation Design International Conference. 5 th Brazilian Conference of In formation Design

CIDI 5TH InfoDesign 6TH CONGIC 6 th Inform ation Design International Conference. 5 th Brazilian Conference of In formation Design CIDI2013 6TH CIDI 5TH InfoDesign 6TH CONGIC 6 th Inform ation Design International Conference 5 th Brazilian Conference of In formation Design Görtz Shoes e sua vitrine baseada em interação gestual: um

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO PROJETOS DIGITAIS

PÓS-GRADUAÇÃO PROJETOS DIGITAIS PÓS-GRADUAÇÃO PROJETOS DIGITAIS Coordenadora: Pedro Segreto 06/04/2015 > 09/2016 400 horas Idioma: Português Aulas: Segundas e quartas das 19h30 às 22h30 PÚBLICO-ALVO Profissionais e pesquisadores das

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

ENG1000 Introdução à Engenharia

ENG1000 Introdução à Engenharia ENG1000 Introdução à Engenharia Aula 03 Game Design Document Edirlei Soares de Lima Game Design Document Um Game Design Document (GDD) é um documento que descreve todos aspectos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico de Informática para

Leia mais

Interface Humano -Computador

Interface Humano -Computador A Interface Humano -Computador Aula 01 - Conceitos Iniciais Giliane Bernardi - giliane@inf.ufsm.br http://nte.ufsm.br Introdução Relembrando aspectos da Engenharia de Software Ciclo de Vida de um Software

Leia mais

Palavras-chave: design de interiores; perímetros da profissão; modernidade líquida; design de ambientes.

Palavras-chave: design de interiores; perímetros da profissão; modernidade líquida; design de ambientes. Além dos limites do Design de Interiores CARVALHO a, Maria Luiza de Ulhôa; BADAN a, Rosane; REZENDE a, Wagner Palavras-chave: design de interiores; perímetros da profissão; modernidade líquida; design

Leia mais