CURSO?SP?CIALIZADO?M UX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO?SP?CIALIZADO?M UX"

Transcrição

1 CURSO?SP?CIALIZADO?M UX 36 HORAS O Curso (specializado em User (xperience introduz as técnicas e métodos de análise e desenho com o o9jectivo de auxiliar o desenvolvimento de sites e aplicações que apresentam uma 9oa usa9ilidade e que tenham em consideração as necessidades dos seus utilizadores. Ao aplicar estas técnicas reduz-se considerávelmente o tempo de execução de projectos de desenvolvimento e assegura-se o sucesso dos produtos no mercado. O=J?CTIVOS Os o9jectivos desta formação são dotar os formandos de conhecimentos de 9ase sólidos so9re as diferentes técnicas utilizadas em User Research, Information Architecture, Interaction Design e Usa9ilitI Testing, e oferecer aos participantes a oportunidade de pôr à prova os conhecimentos adquiridos num projecto prático individual. D?STINATÁRIOS Designers, we0 designers e front-end developers que pretendem melhorar os seus produtos, adequando-os às necessidades dos seus utilizadores. Cada Módulo Inclui: - Certificado de Frequência - Handout temátivo - Exercícios práticos e projecto final com discussão. MÓDULOS 1. US?R R?S?ARCH Duração: 9 horas 2. ARQUIT?CTURA D? INFORMAÇÃO Duração: 6 horas 3. D?SIGN D? INT?RACÇÃO Duração: 9 horas 4. AVALIAÇÕ?S D? USA=ILIDAD? Duração: 6 horas 5. PROJ?CTO D? UX Duração: 6 horas O módulo PROJECTO DE UX é apenas incluído na inscrição do CURSO ESPECIALIZADO EM UX.

2 US>R R>S>ARCH 9 HORAS 8ste curso apresenta as <ases dos processos de investigação com utilizadores. Num processo de UX é fundamental compreender a forma como as pessoas pensam, interagem com o<jectos e cometem erros de forma a que se possam desenvolver produtos que vão de encontro às suas necessidades. 8ste curso apresenta as <ases de psicologia cognitiva e introduz uma série de métodos de investigação, alguns com <ase quantitativa e outros com <ase qualitativa. O<J>CTIVOS Os o<jectivos desta formação são dotar os formandos de conhecimentos <ase sólidos so<re as diferentes técnicas utilizadas em User Research. D>STINATÁRIOS Designers, we+ designers e front-end developers que pretendem melhorar os seus produtos, adequando-os às necessidades dos seus utilizadores. Cada Módulo Inclui: - Certificado de Frequência - Handout temático - Cxercícios práticos - Dossier de Formação (para Cmpresas PROGRAMA 1. INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA COGNITIVA Nesta sessão irá aprender como o nosso cére+ro funciona, como interpretamos o+jectos e que tipo de erros fazemos ao interagir com eles. No final explicamos o que é o processo de Design Centrado no Utilizador e porque deveria ser adoptado por todos. Usabilidade e User Experience Psicologia Cognitiva - Como as pessoas pensam - Modelos Mentais - Psicologia Cognitiva - Affordances - Mapeamentos naturais

3 - Fricção cognitiva Erros e Deslizes - Processamento cognitivo de tarefas - Três tipos de erros - Reduzindo erros - Comportamentos Bias - Origens de Tias - Tias de entrevistador - Tias do entrevistado 2. MÉTODOS QUANTITATIVOS Antes de começarmos a desenhar um produto, temos de perce+er para quem o estamos a desenhar. Os métodos quantitativos permitem-nos entender o que está a acontecer no comportamento dos utilizadores. Aqui aprenderá a construir inquéritos à prova de +ala e a analisar logs de utilização e outras fontes de dados. Estudos com Utilizadores - Produtos existentes - Produtos novos - Cstudos quantitativos - Cstudos qualitativos - Cscrever +em - Relevância - Português simples - Perguntas concretas - Cvitar +iases - Cvitar perguntas pessoais Questionários - Primeiros passos - 8 regras - Clementos universais - Clementos interactivos - Software útil Teste Piloto - Algumas regras - Uma ideia por pergunta Análise - Validação - Campos fixos - Tipos de gráficos - Campos livres Amostra - Identificar o perfil - Tamanho da amostra - Recrutamento - Segmentação Métricas Quantitativas

4 - Taxa de conclusão - Pro+lemas de usa+ilidade - Tempo de conclusão da tarefa - Nível de satisfação com a tarefa - Nível de satisfação com o Teste - SUS (S\stem Usa+ilit\ Scale) - Crros - Cxpectativa - Visualizações e cliques - Conversão - SUM (Single Usa+ilit\ Metric) Análise de Logs 3. MÉTODOS QUALITATIVOS É muito útil conhecer os nossos utilizadores cara a cara. Neste módulo aprenderá o segredo por detrás de vários tipos de entrevistas individuais ou colectivas e a importância de ela+orar personas. Métodos Qualitativos - Forças - Fraquezas Estudos Etnográficos - Cntrevistas - Focus Groups - Shadowing - Show & Tell - Cstudos com diários Personas - Personas qualitativas - Personas qualitativas com validação quantitativa - Personas quantitativas - Clementos fundamentais Cenários

5 ARQUIT>CTURA D> INFORMAÇÃO 6 HORAS 8ste curso apresenta os conceitos <ase de estruturação de sites e aplicações. Uma vez feito o levantamento de necessidades dos utilizadores, há que estruturar essas necesidades nas funcionalidades que o produto irá ter. 8ste curso irá a<ordar métodos de estruturação recorrendo a estudos com utilizadores e estruturas comuns de apresentação de informação e navegação. Irá tam<ém a<ordar a análise de tarefas, construção de estudos de caso e modelação gráfica de funcionalidades. O<J>CTIVOS Os o<jectivos desta formação são dotar os formandos de conhecimentos <ase sólidos so<re as diferentes técnicas utilizadas em User Research. D>STINATÁRIOS Designers, we+ designers e front-end developers que pretendem melhorar os seus produtos, adequando-os às necessidades dos seus utilizadores. Cada Módulo Inclui: - Certificado de Frequência - Handout temático - Cxercícios práticos - Dossier de Formação (para Cmpresas PROGRAMA 1. ARQUITECTURA DE INFORMAÇÃO É fácil compilar uma lista de todos os conteúdos e funcionalidades da nossa aplicação, o pior é estruturá-los. Aqui aprenderá diversas formas de estruturação de informação e como fazer e interpretar testes de card sorting para que a estrutura da aplicação reflicta as necessidades dos seus utilizadores. Inventários de Conteúdo - Definição - Outras informações úteis Navegação - Conceitos fundamentais - Lei de Hicks

6 - Padrões de navegação Navegação Móvel Classificação - Csquemas de classificação Card Sorting - Definição - Tipos de Card Sorting - Voca+ulário controlado 2. ANÁLISE DE TAREFAS Uma aplicação permite executar uma série de tarefas. Algumas são estruturadas em sequência, outras permitem vários percursos. Neste módulo irá aprender a estruturar cenários e casos de uso e a desenhar fa+ulosos fluxogramas. C como +ónus ensinamos a descodificar a linguagem secreta visual dos designers de interacção. Cenários - Cstrutura - Cxemplos Casos de Uso - Informação so+re opções de pagamento - Requisitos Linguagem Visual - Páginas e ficheiros - Conectores - Processadores - Áreas processuais - Processos - Ligações Análise de Tarefas - Definição - Matriz de análise

7 D>SIGN D> INT>RACÇÃO 9 HORAS 8ste curso apresenta os conceitos fundamentais ligados ao design de interfaces em sites e aplicações. 8m primeiro lugar apresenta os conceitos fundamentais do design gráfico, ensinando a estruturar grelhas e hierarquias visuais. Irão ser tamjém ajordadas várias técnicas de prototipagem de interfaces. No final serão ajordadas as Jases do design de interacção e as diferenças entre diferentes métodos de input e tipos de dispositivos. O<J>CTIVOS Os ojjectivos desta formação são dotar os formandos de conhecimentos Jase sólidos sojre as diferentes técnicas utilizadas em User Research. D>STINATÁRIOS Designers, we+ designers e front-end developers que pretendem melhorar os seus produtos, adequando-os às necessidades dos seus utilizadores. Cada Módulo Inclui: - Certificado de Frequência - Handout temático - Cxercícios práticos - Dossier de Formação (para Cmpresas PROGRAMA 1. FUNDAMENTOS DE DESIGN VISUAL Cultura visual nunca fez mal a ninguém e para quem desenha interfaces convém mesmo ter umas luzes. Aqui ensinamos os +ásicos: dominar hierarquias visuais, jogar com o contraste, diferentes tipos de lamout, estruturar com grelhas, teoria da cor e +ases de tipografia. Composição - Alinhamento - Contraste - Cquilí+rio - Proporção Espaço Branco Leis de Gestalt

8 Cores - Su+tractivo (CMYK) - Aditivo (RGV) - Psicologia da cor Formas Layout Tipografia 2. PROTOTIPAGEM Traduzir as nossas ideias para um interface num desenho que depois possamos dar à equipa de desenvolvimento é fundamental. Começamos por apresentar vários padrões de interacção, desktop, we+ e móveis. Depois exploramos as expectativas de localização de elementos comuns e terminamos a fazer prototipagem em papel. Padrões de Ecrãs Padrões de Smartphone Padrões de Tablet 3. DESIGN DE INTERACÇÃO Nem todas as aplicações nascem iguais. Cxistem +astantes diferenças entre aplicações desktop, we+ ou móveis. Neste módulo explicamos as diferenças principais entre elas e como podemos explorar os diferentes modelos de interacção ao máximo. C tam+ém explicamos como transformar as nossas ideias em protótipos interactivos. Evolução dos Interfaces - Interface gráfico (GUI) - Interfaces naturais (NUI) Princípios de Design de Interacção Como vemos Lei de Fitts Desenhar para Dispositivos - Dispositivos móveis - Quiosques - Televisão - Automóveis - Outros dispositivos - Interfaces audíveis Microinteracções Microcopy Interacção Desktop Interacção Móvel e Toque

9 AVALIAÇÕ>S D> USA<ILIDAD> 6 HORAS 8ste curso apresenta diferentes métodos de avaliação de interfaces. O curso começa por apresentar as Dases de avaliações heurísticas e adorda depois o tema da acessidilidade a pessoas com necessidades especiais. No final irá ser apresentado o método de testes com utilizadores, desde a construção de um guião até à sua aplicação e posterior análise. O formador do Curso é certificado pelo I8FP com 15 anos de experiência em formação e em consultoria em User 8xperience. As sessões são teoricopráticas no formato de Workshop, oferecendo uma aplicação prática dos conhecimentos adquiridos em cada sessão. O<J>CTIVOS Os odjectivos desta formação são dotar os formandos de conhecimentos Dase sólidos sodre as diferentes técnicas utilizadas em User Research. D>STINATÁRIOS Designers, we+ designers e front-end developers que pretendem melhorar os seus produtos, adequando-os às necessidades dos seus utilizadores. Cada Módulo Inclui: - Certificado de Frequência - Handout temático - Cxercícios práticos - Dossier de Formação (para Cmpresas PROGRAMA 1. AVALIAÇÕES DE USABILIDADE E ACESSIBILIDADE A primeira fase na avaliação de um interface é avaliálo contra uma lista de regras, chamadas heurísticas. Neste módulo vamos aprender a avaliar com estas listas e definir métricas de avaliação. No final mostramos como fazer um interface acessível a pessoas com necessidades especiais tam+ém o torna mais usável. Regras Base Heurísticas - Homepage - Orientação a Tarefas - Navegação

10 - Formulários - Confiança e credi+ilidade - Cscrita - LaPout e design visual - Pesquisa - Ajuda, feed+ack e erros Acessibilidade 2. TESTES COM UTILIZADORES Testar o nosso interface com utilizadores reais é o teste final da nossa aplicação. Aqui iremos aprender a planear sessões de teste, sejam presenciais ou remotas, a desenhar protocolos e a moderar um teste com utilizadores. No final mostramos como analisar os dados recolhidos e transformá-los em sugestões de melhoria. Métodos de Teste - Quantitativos - Qualitativos - Não moderados (remotos) - Moderados Tarefas - O que testar? - Testes em papel - Testes em mockups - Protótipos interactivos Recrutamento - Com quem testar? - Conhecer os utilizadores - Onde recrutar? - Yoas práticas Protocolo - O que é? - - Questionário inicial - Tarefa inicial - Outras tarefas - Questionário final Testes - No la+oratório - Na sala de o+servação - Na sala de grupo - Recursos humanos - Antes do teste - Comportamento - Cxpressões faciais - Neutralidade Análise

11 PROJ-CTO D- UX 6 HORAS O módulo de Projecto de UX permite cimentar os conhecimentos adquiridos anteriormente nos módulos teórico-práticos, aplicando-os à execução de um projecto de UX em todas as suas fases de uma forma integrada. O/J-CTIVOS Os objectivos deste módulo final é permitir aos formandos aplicarem os conhecimentos que adquirirem num projecto prático. PROGRAMA PROJECTO DE UX Apresentação do Projecto Investigação Estruturação Design de Interacção Validação

Mobile UI / UX Design

Mobile UI / UX Design CURSO INTENSIVO Mobile UI / UX Design Mobile UI/UX Design #Lisboa Duração total: 124h 100h : Curso Intensivo prático 16h : 1 Workshop intensivo à escolha Investimento: 255 x 4 (sem juros) (Pronto Pagamento

Leia mais

Design de Interacção - IxD

Design de Interacção - IxD Design de Interacção - IxD Formadores: Bruno Nobre e Cláudia Pernencar PORQUÊ FAZER ESTA FORMAÇÃO? Só uma parceria próxima entre o Design, a Tecnologia e o Utilizador permite obter soluções adequadas,

Leia mais

ux & ui design curso

ux & ui design curso ux & ui design Porto ux & ui design O QUE É? A evolução da media digital veio evidenciar o fator central do design de produto: O Utilizador. Ao centrar o foco de desenvolvimento na criação de conteúdo

Leia mais

Sessão de Esclarecimento. Curso de Webdesign

Sessão de Esclarecimento. Curso de Webdesign Sessão de Esclarecimento Curso de Webdesign Alguns factos: A industria de serviços de Webdesign representa um mercado de $24B apenas nos EUA. Todos os meses são publicados cerca de 16M novos websites.

Leia mais

Programa Digital Creative Design

Programa Digital Creative Design Programa Digital Creative Design Digital Creative Design # Porto 150h Curso Hands-on + Projeto de Curso 34h Projeto Digital 360º 16h Workshop Investimento: 255 x 8 (sem juros) (Pronto Pagamento : 5% de

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO

FICHA TÉCNICA DO CURSO FICHA TÉCNICA DO CURSO PROJECTAR COM REVIT ARCHITECTURE 2014 EDIÇÃO Nº03/2014 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Projectar com Revit Architecture 2014 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER O Revit Architecture é uma plataforma

Leia mais

digital creative design curso

digital creative design curso digital creative design Porto digital creative design O QUE É? Um Digital Creative Designer tem a capacidade de materializar a sua criatividade nas várias plataformas digitais. Tem de ter capacidade de

Leia mais

3. Engenharia de Requisitos

3. Engenharia de Requisitos Engenharia de Software 3. Engenharia de Requisitos Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Fases do desenvolvimento de software que mais erros originam (fonte: "Software Testing", Ron Patton)

Leia mais

mobile development curso

mobile development curso Lisboa mobile O QUE É? Num mundo em que o número de dispositivos móveis é três vezes maior que o número de computadores desktop e portáteis, é imperativo pensar-se cada vez mais nas aplicações e especificidades

Leia mais

Front-end & Responsive Web Development. curso

Front-end & Responsive Web Development. curso Front-end & Responsive Web Development Porto Front-end & Responsive Web Development O QUE É? Front-end corresponde a toda à parte visual de um site, ou seja, à forma como aparece no ecrã, à estrutura hierárquica

Leia mais

Data Crítica. ISEG Pós-graduação em e-business E-marketing Eng. Joaquim Hortinha. Outubro de 2002

Data Crítica. ISEG Pós-graduação em e-business E-marketing Eng. Joaquim Hortinha. Outubro de 2002 Data Crítica ISEG Pós-graduação em e-business E-marketing Eng. Joaquim Hortinha Outubro de 2002 Data Crítica 2002 DataCrítica A Data Crítica, empresa de estudos de opinião e mercado, foi constituída em

Leia mais

Programa User Experience & User Interface Design

Programa User Experience & User Interface Design Programa User Experience & User Interface Design UI / UX Design # Porto 150h Curso Hands-on + Projeto de Curso 34h Projeto Digital 360º 16h Workshop Investimento: 255 x 8 (sem juros) (Pronto Pagamento

Leia mais

Soluções Web Centradas no Utilizador. Ivo Gomes

Soluções Web Centradas no Utilizador. Ivo Gomes Soluções Web Centradas no Utilizador Ivo Gomes 1 Soluções Web Centradas no Utilizador Os interfaces gráficos foram desenvolvidos para dar controlo às pessoas sobre os seus computadores. Colmatar as necessidades

Leia mais

Projeto de Interfaces para Sistemas Contemporâneos. (ou IxD 101) CBSoft 2012 Tâmara Baía e Giselle Rossi

Projeto de Interfaces para Sistemas Contemporâneos. (ou IxD 101) CBSoft 2012 Tâmara Baía e Giselle Rossi Projeto de Interfaces para Sistemas Contemporâneos (ou IxD 101) CBSoft 2012 Tâmara Baía e Giselle Rossi Sobre o que é este curso? Definições de Design de Interação Características Atividade 1 - Foco

Leia mais

IV.4 Análise de Dados da Avaliação

IV.4 Análise de Dados da Avaliação Melhor e Pior? IV - Avaliação IV.4 Análise de Dados da Avaliação Interactive System Design, Cap. 10, William Newman IV.4 Análise de Dados da Avaliação 2 Melhor e Pior? Resumo Aula Anterior! Avaliação com

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ARCHICAD 15 EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO ARCHICAD 15 EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO ARCHICAD 15 EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Archicad 15. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER No final da formação o formando deverá ser capaz de criar a simulação de um edifício

Leia mais

Introdução à Avaliação de Interfaces

Introdução à Avaliação de Interfaces Universidade Federal do Vale do São Francisco -UNIVASF Colegiado de Engenharia de Computação Introdução à Avaliação de Interfaces Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014. Curso Profissional de Técnico de Multimédia. Planificação

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014. Curso Profissional de Técnico de Multimédia. Planificação ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Ano lec.2013-2014 Curso Profissional Técnico Multimédia Planificação Disciplina: Design, Comunicação e Audiovisuais Ano: 11º Conteúdos Objetivos Estratégias/Atividas

Leia mais

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação Unidade IV - Avaliação de Interfaces O quê avaliação? O quê avaliação? Técnicas de Avaliação Tipos de Avaliação com Usuários Paradigmas de avaliação com usuários Avaliação rápida e suja Testes de Usabilidade

Leia mais

Prof. Me. Marcos Echevarria

Prof. Me. Marcos Echevarria Prof. Me. Marcos Echevarria Como definição, protótipo é qualquer representação da ideia de um produto. Na Engenharia de Software, protótipos podem ser entendidos como uma representação gráfica, não necessariamente

Leia mais

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes

A Ergonomia e os Sistemas de Informação. Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Ivo Gomes A Ergonomia e os Sistemas de Informação Para a maior parte das pessoas, a ergonomia serve para fazer cadeiras mais confortáveis, mobiliário de escritório

Leia mais

_aplicando ux design em. projetos digitais cases da Catarinas Design

_aplicando ux design em. projetos digitais cases da Catarinas Design _aplicando ux design em projetos digitais cases da Catarinas Design Esse ebook tem o objetivo de mostrar que é possível inserir UX design na sua empresa, startup ou projeto. Neste material apresentamos

Leia mais

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar

DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO. Caio Cesar DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO Caio Cesar Caio Cesar? Ensino / Pesquisa / Consultoria Comunicação online Marketing Design de Interação www.caiocesar.cc Tema de hoje Design Centrado no Usuário O quê? Por quê?

Leia mais

MÓDULO MULTIMÉDIA PROFESSOR: RICARDO RODRIGUES. MAIL: rprodrigues@escs.ipl.pt esganarel@gmail.com. URL: http://esganarel.home.sapo.

MÓDULO MULTIMÉDIA PROFESSOR: RICARDO RODRIGUES. MAIL: rprodrigues@escs.ipl.pt esganarel@gmail.com. URL: http://esganarel.home.sapo. MÓDULO MULTIMÉDIA PROFESSOR: RICARDO RODRIGUES MAIL: rprodrigues@escs.ipl.pt esganarel@gmail.com URL: http://esganarel.home.sapo.pt GABINETE: 1G1 - A HORA DE ATENDIMENTO: SEG. E QUA. DAS 11H / 12H30 (MARCAÇÃO

Leia mais

FICHA DE CURSO. 1. Designação do Curso: 2. Denominação do Diploma ou Certificado. 3. Objectivos Gerais e Enquadramento: 4.

FICHA DE CURSO. 1. Designação do Curso: 2. Denominação do Diploma ou Certificado. 3. Objectivos Gerais e Enquadramento: 4. 1. Designação do Curso: Curso de Especialização Pós-Graduada em Computação Móvel Aplicada 2. Denominação do Diploma ou Certificado Diploma de Pós-Graduação em Computação Móvel Aplicada 3. Gerais e Enquadramento:

Leia mais

Pós-Graduação em Marketing Design Digital

Pós-Graduação em Marketing Design Digital Pós-Graduação em Marketing Design Digital Público-alvo Indicado para profissionais de Marketing, Comunicação e Design, bem como empreendedores de diferentes áreas que lidam, ou desejam lidar com Tecnologia

Leia mais

Modelos Conceptuais I

Modelos Conceptuais I Modelos Conceptuais I Capítulo 5 Conceptual Models, J. Johnson and A. Henderson (artigo da revista Interactions, Jan. 2002) Interaction Design, Cap. 2 J. Preece Resumo da aula anterior As capacidades das

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Quando nos referimos à qualidade da interação

Leia mais

Holmes Ferreira Neves

Holmes Ferreira Neves Holmes Ferreira Neves Estado Civil: Casado Rua Carlos de Vasconcelos, 39 / apto 304 Tijuca Rio de Janeiro-RJ CEP 20521050 Telefone: (21) 9188-2566 E-mail: holmesdesign@hotmail.com OBJETIVO Trabalhar na

Leia mais

Programa Digital Creative Design

Programa Digital Creative Design Programa Digital Creative Design Digital Creative Design # Lisboa 150h Curso Hands-on + Projeto de Curso 34h Projeto Digital 360º 16h Workshop Investimento: 255 x 8 (sem juros) (Pronto Pagamento : 5% de

Leia mais

Arquitectura de Informação

Arquitectura de Informação Arquitectura de Informação Saul Wurman, criou o termo em 1976. Foi usado para design impresso: mapas guias e atlas. Posteriormente para layouts e outros campos do design. Morville e Rosenfeld, autores

Leia mais

Avaliação de IHC: objetivos

Avaliação de IHC: objetivos Avaliação de IHC: objetivos Decisões de design afetam usabilidade Conhecimento dos usuários e de suas necessidade Design: Design: diferentes diferentes soluções soluções possíveis possíveis Interação:

Leia mais

Luciana Zaina Alexandre Alvaro. Campus Sorocaba

Luciana Zaina Alexandre Alvaro. Campus Sorocaba Luciana Zaina Alexandre Alvaro INTRODUÇÃO Diminuir as distâncias: alinhar o ensino de ciência da computação (disciplinas técnicas) com disciplinas de negócio, visando fomentar a criação de negócios. Alunos

Leia mais

ONE TOONE CURSOS PARTICULARES ADOBE MUSE CC

ONE TOONE CURSOS PARTICULARES ADOBE MUSE CC ONE TOONE CURSOS PARTICULARES ADOBE MUSE CC Plano do Curso. Curso One. Os Cursos desenvolvidos pela One To One, são reflexo da experiência profissional no âmbito da Formação, do Design e Comunicação, apresentando

Leia mais

EMPRESAS. FORMAÇÃO 16h para PME S das áreas criativas

EMPRESAS. FORMAÇÃO 16h para PME S das áreas criativas EMPRESAS FORMAÇÃO 16h para PME S das áreas criativas ENQUADRAMENTO 1.1. DESIGNAÇÃO DA AÇÃO Adobe MUSE CC 2014 páginação WEB para esktop e dispositivos móveis. 1.2. PÚBLICO-ALVO - PME s das áreas criativas

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

Programa Front-end & Responsive Web Development

Programa Front-end & Responsive Web Development Programa Front-end & Responsive Web Development Front-end & Responsive Web Development # Porto 150h Curso Hands-on + Projeto de Curso 34h Projeto Digital 360º 16h Workshop Investimento: 255 x 8 (sem juros)

Leia mais

Pós-Graduação em Marketing e Design Digital

Pós-Graduação em Marketing e Design Digital Marketing e Design Digital Pós-Graduação em Marketing e Design Digital Aula Inaugural - 28 de abril de 2015 Aulas aos sábados, das 8h às 15h Valor do curso: R$ 16.482,00 À vista com desconto: R$ 15.657,00

Leia mais

Programa Mobile Development (ios7 & 8)

Programa Mobile Development (ios7 & 8) Programa Mobile Development (ios7 & 8) Mobile Development # Lisboa 150h Curso Hands-on + Projeto de Curso 34h Projeto Digital 360º 16h Workshop Investimento: 255 x 8 (sem juros) (Pronto Pagamento : 5%

Leia mais

Concepção e Desenvolvimento de Interfaces para o Motor de Busca Geográfico GeoTumba!

Concepção e Desenvolvimento de Interfaces para o Motor de Busca Geográfico GeoTumba! Concepção e Desenvolvimento de Interfaces para o Motor de Busca Geográfico GeoTumba! Sérgio Freitas, Ana Paula Afonso, Mário Silva Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Departamento de Informática

Leia mais

DESIGN DE INTERFACES GRÁFICAS CORPORATE TV / DIGITAL SIGNAGE. Bruno Nobre bruno.nobre@iade.pt

DESIGN DE INTERFACES GRÁFICAS CORPORATE TV / DIGITAL SIGNAGE. Bruno Nobre bruno.nobre@iade.pt DESIGN DE INTERFACES GRÁFICAS CORPORATE TV / DIGITAL SIGNAGE Bruno Nobre bruno.nobre@iade.pt O que é? Digital Signage é um tipo de painel informativo tipicamente colocado em espaços públicos, usados normalmente

Leia mais

Princípios de Design TRADUÇÃO DE TATIANE CRISTINE ARNOLD, DO ARTIGO IBM DESIGN: DESIGN PRINCIPLES CHECKLIST.

Princípios de Design TRADUÇÃO DE TATIANE CRISTINE ARNOLD, DO ARTIGO IBM DESIGN: DESIGN PRINCIPLES CHECKLIST. Princípios de Design TRADUÇÃO DE TATIANE CRISTINE ARNOLD, DO ARTIGO IBM DESIGN: DESIGN PRINCIPLES CHECKLIST. Um software deve ser projetado para simplificar tarefas e criar experiências positivas para

Leia mais

Prototipagem em Papel Desenvolver e testar interfaces antes de iniciar a programação. Ivo Gomes

Prototipagem em Papel Desenvolver e testar interfaces antes de iniciar a programação. Ivo Gomes Prototipagem em Papel Desenvolver e testar interfaces antes de iniciar a programação Ivo Gomes 1 Novos desafios Interfaces cada vez mais complexos; Novos desafios através do uso de Rich Internet Applications:

Leia mais

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

Sphinx iq2 Utilização da ferramenta SphinxMobile

Sphinx iq2 Utilização da ferramenta SphinxMobile Sphinx iq2 Utilização da ferramenta SphinxMobile Pré-requisitos: Lista de variáveis Hospedagem ativa em um Servidor da SPHINX Brasil Módulo Mobile Offline ativo na conta Aplicativo SphinxMobile instalado

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDO EDUCACIONAL CENTRADO NO USUÁRIO BASEADO NA INTERNET APLICADO EM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 05/2005 137-TC-C5 Sergio Ferreira do Amaral Faculdade de Educação da UNICAMP

Leia mais

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE

PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PUBLICIDADE DIGITAL E NEW MEDIA 2009-2010 / 6º SEMESTRE PRÓXIMA AULA: APRESENTAÇÃO DE PLANO DE COMUNICAÇÃO E O FILME DO YOUTUBE? AULA 12 A. EMAIL MARKETING - Objectivos e problemas - Ideias - Vantagens

Leia mais

Editor HTML. Composer

Editor HTML. Composer 6 Editor HTML 6 Composer Onde criar Páginas Web no Netscape Communicator? 142 A estrutura visual do Composer 143 Os ecrãs de apoio 144 Configurando o Composer 146 A edição de Páginas 148 Publicando a sua

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações

Tecnologia e Sistemas de Informações Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 3 Componentes de SIs Pessoas SI Organiz. Unidades que exercem diferentes funções, tais

Leia mais

CURSO DE DESIGN E TECNOLOGIA DAS ARTES GRÁFICAS ADEQUAÇÃO A BOLONHA

CURSO DE DESIGN E TECNOLOGIA DAS ARTES GRÁFICAS ADEQUAÇÃO A BOLONHA CURSO DE DESIGN E TECNOLOGIA DAS ARTES GRÁFICAS ADEQUAÇÃO A BOLONHA 1.º ANO Desenho 1.º Semestre A cadeira de Desenho visa dotar os alunos de uma sólida base de conhecimentos e promover acções específicas

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO A FOTOGRAFIA (INTRODUÇÃO) E TÉCNICA FOTOGRÁFICA EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO A FOTOGRAFIA (INTRODUÇÃO) E TÉCNICA FOTOGRÁFICA EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO A FOTOGRAFIA (INTRODUÇÃO) E TÉCNICA FOTOGRÁFICA EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO A fotografia (introdução) e Técnica Fotográfica. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER - Reflectir

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Prototipação Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Prototipar...... desenvolver e testar interfaces antes

Leia mais

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8

Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 Acção de Formação Logística (Vendas) - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

ARQI. Arquitetura de Informação. Necessidades do usuário. Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico

ARQI. Arquitetura de Informação. Necessidades do usuário. Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico ARQI Arquitetura de Informação Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico Necessidades do usuário Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez pobre por amor de

Leia mais

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos + APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos Requisitos Requisitos 2 n Segundo Larman: n São capacidades e condições às quais o sistema e em termos mais amplos, o projeto deve atender n Não são apenas

Leia mais

digital creative design curso

digital creative design curso digital creative design Lisboa digital creative design O QUE É? Um Digital Creative Designer tem a capacidade de materializar a sua criatividade nas várias plataformas digitais. Tem de ter capacidade de

Leia mais

Técnicas para Avaliação de Interfaces

Técnicas para Avaliação de Interfaces Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia de Computação Técnicas para Avaliação de Interfaces Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Cursos de e-learning da Academia Portuguesa de Seguros

Cursos de e-learning da Academia Portuguesa de Seguros Cursos de e-learning da Academia Portuguesa de Seguros Guia de Apresentação do Curso de Qualificação de Agentes, Corretores de Seguros ou Mediadores de Resseguros Guia de Apresentação do Curso Versão 1.0

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012

FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012 FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Adobe Muse: crie e publique o seu site 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Acesso a novas oportunidades:

Leia mais

Qualificação dos Profissionais da. Administração Pública Local

Qualificação dos Profissionais da. Administração Pública Local Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local Amarante - 2009 A sessão de hoje 3 Novembro2009 Objectivos gerais: 1. a) Enquadramento Teórico b) Actividade n.º 1: Descobrindo as Etapas de

Leia mais

Modelos Conceptual e Mental

Modelos Conceptual e Mental Interfaces Pessoa Máquina 08-10-2012 Modelos Conceptual e Mental Cap. 6 Conceptualização da Interação 06 Melhor e Pior? 1 Melhor e Pior? Resumo Aula Anterior Análise de Utilizadores O que é? Porquê? O

Leia mais

Forum of ISCTE-IUL School of Technology and Architecture 2016 Pág. 1 de 9 FISTA 2016

Forum of ISCTE-IUL School of Technology and Architecture 2016 Pág. 1 de 9 FISTA 2016 Forum of ISCTE-IUL School of Technology and Architecture 2016 Pág. 1 de 9 Propostas de Workshops para Escolas Secundárias (10º, 11º e 12º anos) no âmbito do (Forum of ISCTE-IUL School of Technology and

Leia mais

Usabilidade e Arquitectura de Informação

Usabilidade e Arquitectura de Informação Usabilidade e Arquitectura de Informação a construção da experiência do utilizador O que é a Usabilidade O que é a Arquitectura de Informação Como pensar a web A experiência do utilizador Pensar como um

Leia mais

Questão em foco: Mobilidade no PLM. Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia

Questão em foco: Mobilidade no PLM. Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia Questão em foco: Mobilidade no PLM Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia Tech-Clarity, Inc. 2011 Índice Introdução da questão... 3 O valor da mobilidade para a engenharia...

Leia mais

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1

Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Instituto Federal do Sertão-PE Design de Interfaces e Usabilidade - Tópico 1 Prof. Felipe Correia Conteúdo Por que estudar Design de Interfaces e Usabilidade?! Conceitos básicos sobre Design! Primeira

Leia mais

S4S - SMARTPHONES FOR SENIORS. Apresentação dos resultados do Projeto, 6 Setembro 2013

S4S - SMARTPHONES FOR SENIORS. Apresentação dos resultados do Projeto, 6 Setembro 2013 S4S - SMARTPHONES FOR SENIORS Apresentação dos resultados do Projeto, 6 Setembro 2013 AGENDA 14h30 Boas-vindas (MSFT) (10m) 14h40 Apresentação do Projeto S4S (MSFT) (20m) 15h00 Demonstração das aplicações:

Leia mais

Desenvolvimento de Interfaces Prototipação

Desenvolvimento de Interfaces Prototipação Autarquia Educacional do Vale do São Francisco AEVSF Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina - FACAPE Centro de Engenharia e Ciências Tecnológicas CECT Curso de Ciência da Computação Desenvolvimento

Leia mais

Trabalhos Relacionados 79

Trabalhos Relacionados 79 Trabalhos Relacionados 79 6 Avaliação e Testes Neste capítulo são apresentados alguns testes que foram realizados com o a solução de Gerenciamento de Mobilidade (API SIP User Agent) e com o sistema publish/subscribe

Leia mais

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Isabela Gasparini, Avanilde Kemczinski Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Motivação IHC está relacionada

Leia mais

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development luanda www.letstalkgroup.com 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE Gestão da Formação 14

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado

A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA. Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado A IMPORTÂNCIA DO JOOMLA NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PEDAGÓGICA Razões justificativas da acção: Problema/Necessidade de formação identificado O Plano Tecnológico da Educação (PTE), aprovado pela Resolução de

Leia mais

sobre mim CONTEÚDO USABILIDADE AI UX DESENVOLVIMENTO ÁGIL SOMLIVRE TRY ABRIL LOCAWEB

sobre mim CONTEÚDO USABILIDADE AI UX DESENVOLVIMENTO ÁGIL SOMLIVRE TRY ABRIL LOCAWEB EM BUSCA DA lean ux sobre mim CONTEÚDO USABILIDADE AI UX SOMLIVRE TRY ABRIL LOCAWEB 2000 2004 2008 2012 DESENVOLVIMENTO ÁGIL movimento lean ü ü ü Reduza o desperdício Fracasse rápido Aprenda rápido LEAN

Leia mais

Núcleo Thomas Manual do usuário

Núcleo Thomas Manual do usuário Núcleo Thomas Manual do usuário Sua mais nova e aprimorada ferramenta online de avaliação e gerenciamento de pessoas Descubra a forma mais rápida e simples de gerenciar suas avaliações de funcionários

Leia mais

Responsive Web Design e User Experience na adequação funcional de sites empresariais para dispositivos móveis

Responsive Web Design e User Experience na adequação funcional de sites empresariais para dispositivos móveis Faculdade de Tecnologia Responsive Web Design e User Experience na adequação funcional de sites empresariais para dispositivos móveis Coordenador do Projeto: Prof. Dr. Edécio Fernando Iepsen Pesquisador

Leia mais

RELATÓRIO DE ESPECIFICAÇÃO DE REQUISITOS

RELATÓRIO DE ESPECIFICAÇÃO DE REQUISITOS RELATÓRIO DE ESPECIFICAÇÃO DE REQUISITOS LABORATÓRIO DE GESTÃO DE PROJECTO Carlos Frias Manuel Seixas Sérgio Junior FACULDADE DE ENGENHARIA UNIVERSIDADE DO PORTO 22 Março 2013 Filipe Mota Manuel Melo Tiago

Leia mais

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos...

Leia mais

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL 21º Congresso Quantificar o Futuro Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL Programa Data Hora Actividade 23/Nov. 11:30 Inauguração Oficial Innovation Lounge Visita efectuada ao Venture Lounge por Sua

Leia mais

Disciplina de Interfaces Pessoa-Máquina 2010/2011. HomePad

Disciplina de Interfaces Pessoa-Máquina 2010/2011. HomePad Disciplina de Interfaces Pessoa-Máquina 2010/2011 HomePad Grupo 4 http://web.ist.utl.pt/~ist165924/ David Santos 65885 divad_maluku@hotmail.com José Sousa 65917 jms_hawk@hotmail.com Miguel Torres 65924

Leia mais

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS 1 NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS Este primeiro capítulo aborda conceitos elementares relacionados com bases de dados. Os conceitos abordados neste capítulo são necessários para trabalhar adequadamente

Leia mais

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário

Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Avaliação de Usabilidade e Comunicabilidade Avaliação de interfaces de usuário Objetivos - por que avaliar? Critérios - o que avaliar? Métodos e técnicas - como avaliar? Forma - quando e onde avaliar?

Leia mais

12 EXCEL MACROS E APLICAÇÕES

12 EXCEL MACROS E APLICAÇÕES INTRODUÇÃO O principal objetivo deste livro é auxiliar o leitor na sua aprendizagem sobre os recursos avançados do Excel em especial na interligação com o Visual Basic for Applications (VBA). Pretende-se

Leia mais

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS DE FORMA ENXUTA

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS DE FORMA ENXUTA LEVANTAMENTO DE REQUISITOS DE FORMA ENXUTA Kleber Lopes Petry Éder Moretto Garcia Rodrigo Clemente Thom de Souza Proposta de processo para levantamento de requisitos para desenvolvimento de produtos de

Leia mais

Desenvolvimento Web Usabilidade na Web aula I introdução e o design geral do site. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN

Desenvolvimento Web Usabilidade na Web aula I introdução e o design geral do site. Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN Desenvolvimento Web Usabilidade na Web aula I introdução e o design geral do site Prof.: Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Introdução A Web oferece uma enorme liberdade de escolha e movimentação Qualquer coisa

Leia mais

Oferta de Estágio. iscriptor. Setembro 2011

Oferta de Estágio. iscriptor. Setembro 2011 Oferta de Estágio iscriptor Setembro 2011 DESCRIÇÃO DO ESTÁGIO Um dos principais desafios das plataformas de informação e de negócio é o acesso e a disponibilidade da sua informação. Em particular e com

Leia mais

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica ACTOS PROFISSIONAIS GIPE Gabinete de Inovação Pedagógica Cooptécnica Gustave Eiffel, CRL Venda Nova, Amadora 214 996 440 910 532 379 Março, 2010 GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 1 GIPE - Gabinete

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRODUÇÃO DE DESIGN MULTIMÉDIA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRODUÇÃO DE DESIGN MULTIMÉDIA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PRODUÇÃO DE DESIGN MULTIMÉDIA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Design 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011 Plano [1] Guia de Acesso à Formação Online 2011 [2] ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...4 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...5 5. Avaliação...6 6. Apresentação

Leia mais

CURSO INTENSIVO. ios Mobile Development

CURSO INTENSIVO. ios Mobile Development CURSO INTENSIVO ios Mobile Development ios Mobile Development # Porto Duração total: 124h 100h : Curso Intensivo prático 16h : 1 Workshop intensivo à escolha Investimento: 255 x 4 (sem juros) (Pronto Pagamento

Leia mais

O SIG disponibiliza hoje uma plataforma de conhecimento do mundo Visual Integrada Sistemática Comprensiva Qualitativa Quantitativa

O SIG disponibiliza hoje uma plataforma de conhecimento do mundo Visual Integrada Sistemática Comprensiva Qualitativa Quantitativa O SIG disponibiliza hoje uma plataforma de conhecimento do mundo Visual Integrada Sistemática Comprensiva Qualitativa Quantitativa Integrando conhecimento colectivo ArcGIS ArcGIS Plataforma comum para

Leia mais

Pós-Graduação em Marketing e Design Digital

Pós-Graduação em Marketing e Design Digital Pós-Graduação em Marketing e Design Digital Início em 30 de abril de 2016 Aulas aos sábados, das 8h às 15h Valor do curso: R$ 18.130,00 À vista com desconto: R$ 16.679,00 Consultar planos de parcelamento.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES Via N1 Leste s/n, Pavilhão das Metas, Praça dos Três Poderes - Zona Cívico Administrativa - CEP: 70.150-908 Telefones: (061) 3411.4246

Leia mais

Usabilidade em CMSs. Filipe Miguel Tavares

Usabilidade em CMSs. Filipe Miguel Tavares Usabilidade em CMSs Filipe Miguel Tavares CMSs? Uma das mais antigas aplicações online Sistemas tendencialmente complexos Utilizados potencialmente por muitos utilizadores Utilizadores com diferentes graus

Leia mais

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 O SESI/SENAI - PR, torna pública a RETIFICAÇÃO referente ao Edital de CREDENCIAMENTO N.º 502/2009, conforme segue: Fica Incluído no ANEXO III - ÁREAS

Leia mais

AGENDA. O Portal Corporativo. Arquitetura da Informação. Metodologia de Levantamento. Instrumentos Utilizados. Ferramentas

AGENDA. O Portal Corporativo. Arquitetura da Informação. Metodologia de Levantamento. Instrumentos Utilizados. Ferramentas AGENDA O Portal Corporativo Arquitetura da Informação Metodologia de Levantamento Instrumentos Utilizados Ferramentas PORTAL CORPORATIVO Na sociedade da informação é cada vez mais presente a necessidade

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Fotografia Digital e Pós-produção de imagem. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER O "Curso de Fotografia

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

A coleta de requisitos se refere ao processo de determinar, documentar e gerenciar as necessidades e requisitos das partes interessadas;

A coleta de requisitos se refere ao processo de determinar, documentar e gerenciar as necessidades e requisitos das partes interessadas; Aula 07 1 2 A coleta de requisitos se refere ao processo de determinar, documentar e gerenciar as necessidades e requisitos das partes interessadas; A principal vantagem deste processo é a criação de uma

Leia mais

Usabilidade métodos & boas práticas Fábio Fernandes

Usabilidade métodos & boas práticas Fábio Fernandes Usabilidade métodos & boas práticas Fábio Fernandes Usabilidade vem tornando-se cada vez mais predominante no mercado de desenvolvimento de web sites, seja qual for o tipo de site: corporativo, e-commerce,

Leia mais