Prof. Marcelo Rigotti

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Marcelo Rigotti"

Transcrição

1 Prof. Marcelo Rigotti

2 Apresentação do problema Situação atual Soluções apresentadas até o momento Educação Ambiental Importância Como deve ser utilizada Horticultura Definição Educação (Hortas escolares) Perspectivas para o futuro Com a Educação Ambiental

3 Educação Ambiental A finalidade fundamental da educação ambiental é mostrar que tanto os indivíduos como as sociedades devem compreender a natureza complexa do meio ambiente, resultante das interações de seus diferentes aspectos: físicos, biológicos, sociais, culturais, econômicos, etc., e adquirir os conhecimentos, os valores e as habilidades práticas para participar responsável e eficazmente na prevenção e solução dos problemas ambientais e na gestão da qualidade do meio ambiente.

4 Horticultura O que é? Horticultura Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. A horticultura é a disciplina científica que estuda as técnicas de produção econômica de plantas[1]. Abrange sub-disciplinas como: Fruticultura - que estuda a produção de fruteiras; Floricultura - que estuda a produção de flores ornamentais ou de uso terapêutico; Olericultura - que estuda a produção de hortaliças; Silvicultura - que estuda a produção de árvores para diversos fins. Paisagismo - que planeja os desenhos, zoneamento, e dinâmica em parques e jardins Algumas destas sub-disciplinas ainda se subdividem em especialidades, como a citricultura, que estuda a produção de citrinos ou a viticultura, virada para a vinha.

5 Horticultura para crianças Como isso ocorre? As crianças podem aprender novas habilidades, divertir-se, brincar e desenvolver a autoconfiança por passar parte do tempo em contato com as plantas. A maioria das crianças aprecia estar ao ar livre e sentem satisfação ao brincar com a terra, principalmente com areia. As crianças aprendem ao acompanhar o desenvolvimento das plantas, todos os grupos etários podem desfrutar da horticultura, desta forma as crianças poderão aprender brincando.

6 Horticultura para crianças A horticultura é educativa e desenvolve novas competências, tais como: Responsabilidade através do cuidado com as plantas.

7 Horticultura para crianças Entendimento o que elas podem aprender sobre causa e efeito (por exemplo, as plantas morrem sem água, competem com plantas invasoras, etc.).

8 Horticultura para crianças Autoconfiança - ao atingir os seus objetivos e aproveitar os alimentos que têm cultivado.

9 Horticultura para crianças Amor à natureza - oportunidade para aprender mais sobre o ambiente ao ar livre em um lugar seguro e agradável.

10 Horticultura para crianças Raciocínio e descoberta - como eles aprendem sobre ciência, botânica, nutrição e projetos simples.

11 Horticultura para crianças Atividade física - que é divertida e produtiva.

12 Horticultura para crianças Cooperação - desempenhar atividade e trabalho em equipe.

13 Horticultura para crianças Criatividade - encontrar novas e estimulantes maneiras de manipular os alimentos.

14 Horticultura para crianças Nutrição - conhecendo as fontes de alimentos.

15 1) OS BENEFÍCIOS EDUCACIONAIS experiências e oportunidades de aprendizagem em uma ampla gama de disciplinas, incluindo as ciências naturais e sociais, matemática, linguagem (diário de jardim), artes visuais (projeto de paisagismo) e nutrição.

16 Há indícios crescentes de que os estudantes que participam de jardinagem da escola alcançaram pontuação significativamente maior em testes padronizados de Ciências (Klemmer, et.al. 2005).

17 2) PROTEÇÃO AMBIENTAL E CONEXÃO COM A NATUREZA A estreita ligação com a natureza pode ter ação terapêutica para tratar transtornos de déficit de atenção e outros problemas enfrentados por muitas crianças hoje.

18 "Ao aprofundar sentido das crianças de conexão com a natureza, a horticultura pode inspirar a preocupação ambiental.

19 Quando as crianças aprendem sobre os ciclos de água e energia, a cadeia alimentar e as necessidades peculiares de cada espécie, e quando eles sentem um senso de conexão com uma determinada espécie de planta ou individuo, eles têm uma razão para se preocupar com todas as forças que podem impactar no futuro.

20 A horticultura pode oferecer muitas ocasiões para sensibilizar sobre o impacto a longo prazo da atividade humana sobre o ambiente natural. A partir da escassez da água, o uso de pesticidas, as crianças que se dedicam a horticultura tem a oportunidade de observar a importância da conservação e utilização inteligente dos recursos.

21 3) ESTILO DE VIDA E NUTRIÇÃO Com a nutrição das crianças sob ataque de fast food e indústrias de alimentos pobres em nutrientes, e com a falta de habito em comer quantidades recomendadas de frutas e vegetais, não é de admirar que quase um terço das crianças estão acima do peso ou em risco de sobrepeso.

22 A horticultura oferece às crianças oportunidades de exercício físico ao ar livre enquanto adquirem uma habilidade útil. Jardins contendo frutas e vegetais também podem ajudar a rever atitudes sobre determinados alimentos

23 Há evidências crescentes de que a aprendizagem ativa em pequenos espaços como hortas é mais provável para transformar as atitudes das crianças e hábitos alimentares, e que hortas escolares, especialmente quando combinado com um programa de alimentação saudável ou educação nutricional, incentiva escolhas alimentares mais saudáveis.

24 Os alunos são mais propensos a tentar comer vegetais produzidos por eles mesmos.

25 4) A APRENDIZAGEM ATIVA E ENVOLVIMENTO DO ALUNO Atividades de horticultura podem ajudar a envolver os alunos na aprendizagem de uma forma mais fácil que na sala de aula.

26 A interação com o ambiente permite observações incomuns em uma sala de aula como insetos voando nos arredores, interação entre as plantas com doenças ou insetos, ou quando o tempo surpreende e rompe o plano para o dia.

27 Essas surpresas mostram que a natureza está no controle e eles dão aos estudantes razões imediatas e pessoais para querer saber as respostas para questões prementes.

28 2) A ATENÇÃO DOS ALUNOS Devido à natureza envolvente das hortas de aprendizagem, os alunos com déficit de atenção e outros distúrbios, muitas vezes se adaptam melhor aos seus estilos de aprendizagem.

29 Os professores relatam menos problemas de disciplina, quando a ciência é ensinada neste tipo de forma experimental. Os Professores desenvolvem conceitos úteis, tais como "muros invisíveis", para criar um senso de limites quando se aprende no jardim.

30 3) OS PROFESSORES COMO JARDINEIROS Os próprios professores também aprendem habilidades de jardinagem quando incorporam a horticultura nos seus planos de aula. Essas habilidades podem ser utilizadas para suas próprias casas e redes sociais, beneficiando assim a sua própria saúde e a saúde de suas famílias.

31 4) LIGAÇÃO À HISTÓRIA E À COMUNIDADE A horticultura amarra os alunos a história social da terra. Horticultores da comunidade podem ser trazidos para demonstrar técnicas horticulturais, tradicionais e os usos tradicionais de algumas plantas particulares. Oferece ainda oportunidades para conectar-se com a história local através da incorporação de plantas nativas e plantas cultivadas durante épocas históricas específicas.

32 5) TEMOS ORGULHO DA ESCOLA A horta escolar pode oferecer um locus simbólico do orgulho da escola e do espírito. Oferece uma forma de ajudar as crianças a se identificar com sua escola e sentir-se orgulhosos de sua contribuição individual. As crianças sabem que as plantas que eles ajudaram a crescer, e sentem-se orgulhosos deles. Isso pode melhorar o espírito e as atitudes das crianças para a escola.

33 6) COMO DESPERTAR O INTERESSE DAS CRIANÇAS Para a implantação de um jardim de ervas ou hortaliças, este deve ser o mais simples possível, em espaço próprio para as crianças, pode começar em recipientes ou em garrafas descartáveis.

34 Podem-se envolver os mais velhos no planejamento e na concepção do jardim. Devem-se usar ferramentas e equipamentos leves e fáceis de manusear e que não ofereçam perigo.

35 Incentivar as crianças a brincar com a terra. Cultivar plantas interessantes como girassol, milho, abóboras, tomates e morangos. Criar minhocas para produção de húmus, visitar jardins, parques, explorando suas plantas e o design.

36 7) SELEÇÃO DAS PLANTAS Uma horta deve conter flores, ervas, sementes, frutos e plantas que se pode usar na alimentação. As crianças apreciam flores e legumes coloridos e vistosos que crescem rapidamente.

37 Plantas como girassol, milho e abóboras são mais adequados. Também devem ser cultivadas plantas que tenham qualidades sensoriais e texturais. Plantas sensoriais com qualidades aromáticas, sabor agradável, que tenham textura ao toque e para visão.

38 8) SEGURANÇA NO JARDIM Não se devem utilizar ferramentas afiadas, é necessário selecionar o tamanho correto da ferramenta; Manter os agroquímicos e fertilizantes fora do alcance deve ser implantado jardim orgânico sempre que possível; Não utilizar agrotóxicos;

39 Fornecer equipamentos e ferramentas de armazenamento seguro; Portões e cercas seguras; Não deixar as crianças expostas ao sol por muito tempo; Incentivar as crianças a usar chapéu, protetor solar, roupas adequadas e botas de borracha; Cuidado com recipientes grandes com água em torno de crianças pequenas.

40 9) ATIVIDADES NA HORTA As atividades devem ser adequadas à idade da criança. Preparar o solo com adubo orgânico. Plantar legumes, frutas e flores na época correta. Irrigar o jardim. Retirar as plantas invasoras.

41 Recolher as sementes e folhas secas. Replantio e envasamento. Compostagem, reciclagem e cobertura do solo com folhas secas. Atividades de colheita das sementes, plantas e flores. Escolher legumes e frutos quando eles estão prontos para comer. Preparar os alimentos. Artesanato com folhas, flores e galhos. Cozinhar, fazer saladas e almoços.

42 Educação Ambiental A finalidade fundamental da educação ambiental é mostrar que tanto os indivíduos como as sociedades devem compreender a natureza complexa do meio ambiente, resultante das interações de seus diferentes aspectos: físicos, biológicos, sociais, culturais, econômicos, etc., e adquirir os conhecimentos, os valores e as habilidades práticas para participar responsável e eficazmente na prevenção e solução dos problemas ambientais e na gestão da qualidade do meio ambiente.

43 Referências Significantly increase science achievement scores. - Klemmer, C. D., T. M. Waliczek, and J. M. Zajicek Growing minds: The effect of a school gardening program on the science achievement of elementary students. HortTechnology 15(3): Smith, L. L., and C. E. Motsenbocker Impact of hands-on science through school gardening in Louisiana public elementary schools. HortTechnology 15(3): Improve social skills and behavior. - DeMarco, L., P. D. Relf, and A. McDaniel Integrating gardening into the elementary school curriculum. HortTechnology 9(2): Improve environmental attitudes, especially in younger students. - Skelly, S. M., and J. M. Zajicek The effect of an interdisciplinary garden program on the environmental attitudes of elementary school students. HortTechnology 8(4): Instill appreciation and respect for nature that lasts into adulthood. - Lohr, V.I. and C.H. Pearson-Mims Children s active and passive interactions with plants influence their attitudes and actions toward trees and gardening as adults. HortTechnology. 15(3): Improve life skills, including working with groups and self-understanding. - Robinson, C.W., and J. M. Zajicek Growing minds: the effects of a one-year school garden program on six constructs of life skills of elementary school children. HortTechnology 15(3): Increase interest in eating fruits and vegetables and improve attitude toward fruits and vegetables. - Pothukuchi, K Hortaliza: A Youth Nutrition Garden in Southwest Detroit. Children, Youth and Environments 14(2):

44 Referências Improve attitude toward vegetables and toward fruit and vegetable snacks - Lineberger, S. E., and J. M. Zajicek School gardens: Can a hands-on teaching tool affect students attitudes and behaviors regarding fruits and vegetables? HortTechnology 10(3): Improve nutrition knowledge and vegetable preferences. - Morris, JL and Zidenberg-Cherr, S Garden-based nutrition curriculum improves fourth-grade school children's knowledge of nutrition and preferences for some vegetables. Journal of the American Dietetic Association 102(1): Increase children s knowledge about the benefits of eating fruit and vegetables and participants reported eating healthier snacks. - Koch, S., T. M. Waliczek, and J.M. Zajicek The Effect of Summer Garden Program on the Nutritional Knowledge, Attitudes and Behaviors of Children. HortTechnology 16 (4): Increase fruit and vegetable consumption in adolescents. - McAleese, J.D., and L.L. Rankin Garden-Based Nutrition Education Affects Fruit and Vegetable Consumption in Sixth-Grade Adolescents. Journal of the American Dietetic Association.107 (4): Contribute to communication of knowledge and emotions, while developing skills that will help them be more successful in school. - Miller, D. L. The Seeds of Learning: Young Children Develop Important Skills Through Their Gardening Activities at a Midwestern Early Education Program. Applied Environmental Education & Communication 6(1): Have a positive impact on student achievement and behavior. - Blair, D. (2009). The child in the garden: an evaluative review of the benefits of school gardening. Journal of Environmental Education 40(2),

45

EDUCAÇÃO CIENTÍFICA EM PRÉ-ESCOLA: O JARDIM COMO FERRAMENTA

EDUCAÇÃO CIENTÍFICA EM PRÉ-ESCOLA: O JARDIM COMO FERRAMENTA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA EM PRÉ-ESCOLA: O JARDIM COMO FERRAMENTA Maria Clara de Almeida Zaine 1,3, Marina Marques Teixeira Vanini 2,3, 1 Graduanda em Ciências Biológicas, USP, professora de Ciências 2 Dra.

Leia mais

É de pequenino que se cultiva o pepino. Como uma escola em Byron Bay, na Australia, fez uma horta e porquê.

É de pequenino que se cultiva o pepino. Como uma escola em Byron Bay, na Australia, fez uma horta e porquê. É de pequenino que se cultiva o pepino Como uma escola em Byron Bay, na Australia, fez uma horta e porquê. Porquê hortas nas escolas? As hortas ligam as crianças aos recursos alimentares As crianças tomam

Leia mais

VAMOS APRENDER PLANTANDO: HORTA ESCOLAR COMO RECURSO DIDÁTICO

VAMOS APRENDER PLANTANDO: HORTA ESCOLAR COMO RECURSO DIDÁTICO VAMOS APRENDER PLANTANDO: HORTA ESCOLAR COMO RECURSO DIDÁTICO Lisângela Costa dos Santos¹ Jaílson Severino dos Santos ² Valdilene Maria da Silva ² 1-Supervisora PIBIB Ciências-CAV 2- Bolsistas PIBID Ciências-CAV

Leia mais

HORTA ESCOLAR: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO/APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL

HORTA ESCOLAR: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO/APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL I Congreso Latinoamericano de Investigación en Didáctica de las Ciencias Experimentales DESAFÍOS DE LA EDUCACIÓN CIENTÍFICA HOY Formar sujetos competentes para un mundo en permanente transformación Comunicaciones

Leia mais

PERFIL ALIMENTAR DE MENINAS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO INTERIOR DE SÃO PAULO

PERFIL ALIMENTAR DE MENINAS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO INTERIOR DE SÃO PAULO PERFIL ALIMENTAR DE MENINAS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DO INTERIOR DE SÃO PAULO Mari Uyeda Beatriz Conti RESUMO Muito tem se falado sobre a importância da educação nutricional em instituições de ensino para

Leia mais

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES NEI João Machado da Silva Justificativa Aproveitar racionalmente a pequena disponibilidade de espaço de terra do NEI João Machado da Silva na produção

Leia mais

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR JUSTIFICATIVA Uma vez que a sobrevivência da sociedade dependerá da alfabetização cultural, social e ecológica e, sendo a Terra nossa casa maior,

Leia mais

Departamento de Agropecuária, Campus III, 58.220-000 Bananeiras, PB., adriacelister@gmail.com, thyagobraz@yahoo.com.br, mjwander@gmail.

Departamento de Agropecuária, Campus III, 58.220-000 Bananeiras, PB., adriacelister@gmail.com, thyagobraz@yahoo.com.br, mjwander@gmail. Horta orgânica como proposta curricular em escola do município de Bananeiras, PB Adriana Celi Alves Martins 1 ; Thyago Braz Dantas da Silva 1 ; Germano Laurentino da Cunha 1 ; Maria José Araújo Wanderley

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E HORTA ORGÂNICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

Trabalho de Conclusão de Curso ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E HORTA ORGÂNICA NO ENSINO FUNDAMENTAL Trabalho de Conclusão de Curso ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E HORTA ORGÂNICA NO ENSINO FUNDAMENTAL Kathya Regina Araya Bruno Curso de Ciências Biológicas Belo Horizonte MG 2009 Kathya Regina Araya Bruno Trabalho

Leia mais

Compostagem: a arte de transformar o lixo em adubo orgânico. 1 - Compostagem e Composto: definição e benefícios

Compostagem: a arte de transformar o lixo em adubo orgânico. 1 - Compostagem e Composto: definição e benefícios Compostagem: a arte de transformar o lixo em adubo orgânico 1 - Compostagem e Composto: definição e benefícios A compostagem é o processo de transformação de materiais grosseiros, como palhada e estrume,

Leia mais

APRENDENDO COM A NATUREZA NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO

APRENDENDO COM A NATUREZA NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO APRENDENDO COM A NATUREZA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Cezaltina Marques Bacelar 1 ; Cibelle Evellyn Martins Moraes Auto Oliveira 2 ; Danielle Morais Nunes 3 ; Edimárcia Victor da Silva 4 ; Jane Regina Soares

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO 1 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PROJETO INTERDISCIPLINAR HORTA EM GARRAFA PET: UMA ALTERNATIVA PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE IVINHEMA/MS - DISTRITO DE AMANDINA 2013 2 ESCOLA ESTADUAL

Leia mais

EDUCAÇAO AMBIENTAL NA ESCOLA Perspectivas de mudanças comportamentais na alimentação e convívio social.

EDUCAÇAO AMBIENTAL NA ESCOLA Perspectivas de mudanças comportamentais na alimentação e convívio social. EDUCAÇAO AMBIENTAL NA ESCOLA Perspectivas de mudanças comportamentais na alimentação e convívio social. Glauco Yves Gomes dos Santos Rocha, Graduado do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal

Leia mais

BRINCANDO E APRENDENDO COM HORTIFRUTI

BRINCANDO E APRENDENDO COM HORTIFRUTI BRINCANDO E APRENDENDO COM HORTIFRUTI Luciana Rocha de Lima Professora do Município de São J. L. Tapada, Supervisora Escolar- Município de Aparecida PB luciana.rocha.lima@hotmail.com Celiana Ferreira Gomes

Leia mais

ESCOLA TARSILA DO AMARAL, UMA EXPERIÊNCIA EDUCATIVA CRIATIVA

ESCOLA TARSILA DO AMARAL, UMA EXPERIÊNCIA EDUCATIVA CRIATIVA ESCOLA TARSILA DO AMARAL, UMA EXPERIÊNCIA EDUCATIVA CRIATIVA Karina Ariela Crespo Marchini Coordenadora de Saúde Escola Tarsila do Amaral Odontopediatra Pedagogia (em curso) na Pontifica Universidade Catolica

Leia mais

C on struç ão e J ardin s

C on struç ão e J ardin s C on struç ão e J ardin s Volume X Jardins um Guia de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Tecnico não pode ser reproduzido ou distribuido sem a expressa autorizacao de. 2 Índice Conceito

Leia mais

3º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente. Bento Gonçalves RS, Brasil, 25 a 27 de Abril de 2012

3º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente. Bento Gonçalves RS, Brasil, 25 a 27 de Abril de 2012 A oficina Árvores Frutíferas como instrumento no desenvolvimento da Educação Ambiental Roberta Marques 1, Mara Lisiane Tissot-Squalli Houssaini 2 1 Graduanda em Ciências Biológicas/ UNIJUI/ Bolsista PET/SESu/MEC

Leia mais

Cultivo de horta dentro do Colégio Sagrada Família

Cultivo de horta dentro do Colégio Sagrada Família 112 Cultivo de horta dentro do Colégio Sagrada Família Marinez Carpinski 1 e Gláucia Cristina Moreira 1 1 Faculdade Assis Gurgacz FAG, Curso de Agronomia. Avenida das Torres n. 500, CEP: 85.806-095, Bairro

Leia mais

2) Aprendendo a fazer a compostagem. 4)Composteira: solução para em pequenos espaços.

2) Aprendendo a fazer a compostagem. 4)Composteira: solução para em pequenos espaços. Compostagem: a arte de transformar o lixo em adubo orgânico 2) Aprendendo a fazer a compostagem 4)Composteira: solução para em pequenos espaços. 3)Manutenção e cuidados com o composto Microorganismos:

Leia mais

Despertar os sentidos!

Despertar os sentidos! Despertar os sentidos! Tudo o que conhecemos chega-nos, de uma forma ou de outra, através de sensações sobre as realidades que nos rodeiam. Esta consciência sensorial pode e deve ser estimulada! Quanto

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III FORMULÁRIO DA VERSÃO ELETRÔNICA DO PROJETO / ATIVIDADE DE EXTENSÃO PBAEX 2016 01. Título do Projeto Implantação e desenvolvimento

Leia mais

A Importância da Matéria Orgânica na Agricultura Biológica

A Importância da Matéria Orgânica na Agricultura Biológica A Importância da Matéria Orgânica na Agricultura Biológica Caso Prático CANTINHO DAS AROMÁTICAS LUÍS ALVES 13 Março 2009 Maior área do país cultivo de PAM Bio Ecocert (± 2,5 ha) Limonete/Lúcia-lima (Aloysia

Leia mais

As Eticas. Cuidar da Terra

As Eticas. Cuidar da Terra Cuidar da Terra As Eticas Significa cuidar de todas as coisas vivas e não vivas: Solos, espécies e suas variedades, atmosfera, bosques, micro-habitats, animais e as águas. Isto implica na realização de

Leia mais

Transformações significativas têm ocorrido nos padrões dietéticos e

Transformações significativas têm ocorrido nos padrões dietéticos e 3 Educação para a Alimentação Saudável na Escola Cleliani de Cassia da Silva Especialista em Nutrição, Saúde e Qualidade de Vida UNICAMP Estela Marina Alves Boccaletto Doutoranda da Faculdade de Educação

Leia mais

ERVAS AROMATIZANTES: BRINCANDO COM OS SENTIDOS. Paula Fernanda da Silva¹; Evanoel Fernandes Nunes 2 ; Giulianna Paiva Viana de

ERVAS AROMATIZANTES: BRINCANDO COM OS SENTIDOS. Paula Fernanda da Silva¹; Evanoel Fernandes Nunes 2 ; Giulianna Paiva Viana de ERVAS AROMATIZANTES: BRINCANDO COM OS SENTIDOS Paula Fernanda da Silva¹; Evanoel Fernandes Nunes 2 ; Giulianna Paiva Viana de Andrade Souza 3. 1,2 Licenciandos em Ciências Biológicas e Bolsistas do PIBID/BIOLOGIA/UFRN;

Leia mais

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa O QUE SÃO AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA)? Os consumidores estão cada vez

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria de Educação Diretoria Regional de Educação CEI CEU Jaçanã. Genilde Chagas Coordenadora pedagógica

Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria de Educação Diretoria Regional de Educação CEI CEU Jaçanã. Genilde Chagas Coordenadora pedagógica Prefeitura Municipal de São Paulo Secretaria de Educação Diretoria Regional de Educação CEI CEU Jaçanã Genilde Chagas Coordenadora pedagógica IDENTIFICAÇÃO: 1. AGRUPAMENTOS: para todas as crianças de todos

Leia mais

PLANTANDO IDEIAS NA ESCOLA PARA PRESERVAR O MEIO AMBIENTE

PLANTANDO IDEIAS NA ESCOLA PARA PRESERVAR O MEIO AMBIENTE 1 PLANTANDO IDEIAS NA ESCOLA PARA PRESERVAR O MEIO AMBIENTE Mônica Raquel da Silva Lopes (Bolsista do PIBID/BIOLOGIA/UFRN)¹ Vladimir Vieira do Nascimento (Bolsista do PIBID/BIOLOGIA/UFRN)² Ivaneide Alves

Leia mais

As hortas sobre terraços podem ser lucrativas?

As hortas sobre terraços podem ser lucrativas? As hortas sobre terraços podem ser lucrativas? Geoff Wilson - fawmpl@powerup.com.au Urban Agriculture Network-Western Pacific Geoff Wilson é também editor da revista "Urban Agriculture Online" - http://www.urbanag.info

Leia mais

ATIVIDADES PARA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: EDUCAÇÃO BÁSICA E EDUCAÇÃO INFANTIL. Maria Cristina Faber Boog

ATIVIDADES PARA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: EDUCAÇÃO BÁSICA E EDUCAÇÃO INFANTIL. Maria Cristina Faber Boog ATIVIDADES PARA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: EDUCAÇÃO BÁSICA E EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Cristina Faber Boog Aqui você encontrará um repertório de atividades para educação alimentar e nutricional na

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014 Atividades Pedagógicas Agosto 2014 EM DESTAQUE Acompanhe aqui um pouco do dia-a-dia de nossos alunos em busca de novos aprendizados. ATIVIDADES DE SALA DE AULA GRUPO II A GRUPO II B GRUPO II C GRUPO II

Leia mais

Informações básicas para fazer compostagem 1.

Informações básicas para fazer compostagem 1. Educação Ambiental Desenvolvimento Sustentável. www.ecophysis.com.br Informações básicas para fazer compostagem 1. COMPOSTAR para reduzir a quantidade de resíduos orgânicos 2. REUSAR os resíduos compostados

Leia mais

EDUCANDO A PARTIR DE UM SISTEMA ALTERNATIVO DE IRRIGAÇÃO. Silvia C. M. Ferreira 1 (PF), Willany C. Cardoso 2 (PF).

EDUCANDO A PARTIR DE UM SISTEMA ALTERNATIVO DE IRRIGAÇÃO. Silvia C. M. Ferreira 1 (PF), Willany C. Cardoso 2 (PF). EDUCANDO A PARTIR DE UM SISTEMA ALTERNATIVO DE IRRIGAÇÃO Silvia C. M. Ferreira 1 (PF), Willany C. Cardoso 2 (PF). 1 Orientadora professora do CEM S. J. Ribamar/FAPEMA, acadêmica química/ufma. 2 Orientadora

Leia mais

UMA NOTA HISTÓRICA DOS EDITORES

UMA NOTA HISTÓRICA DOS EDITORES International Journal of Early Childhood Environmental Education, 2 (1), p. 20 International Journal of Early Childhood Environmental Education, 2(1) Copyright North American Association for Environmental

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Tema Uso dos recursos genéticos RECURSOS GENÉTICOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS PROVEDORES USOS CONSENTIMENTO PRÉVIO TERMOS MUTUAMENTE ACORDADOS USUÁRIOS BENEFÍCIOS

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS TEMA Uso dos recursos genéticos RECURSOS GENÉTICOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS PROVEDORES USOS CONSENTIMENTO PRÉVIO TERMOS MUTUAMENTE ACORDADOS USUÁRIOS BENEFÍCIOS

Leia mais

à volta dos jardins conhecimentos e práticas

à volta dos jardins conhecimentos e práticas à volta dos jardins conhecimentos e práticas 2011 Este programa tem por objectivo partilhar formas de olhar e de trabalhar o Jardim, a partir da organização de módulos de formação orientados por especialistas

Leia mais

O Caderno da Compostagem

O Caderno da Compostagem O Caderno da Compostagem A publicação do Guia da Compostagem, que colocamos à sua disposição. constitui mais um elemento no domínio da sensibilização e educação ambiental, que procura incentivar uma maior

Leia mais

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO CIDADANIA AMBIENTAL A resposta da sociedade de Araxá aos problemas ambientais se dá através das ações de educação ambiental. Destacam-se as atividades de educação ambiental promovidas por escolas, organizações

Leia mais

ATITUDES, AUTO-EFICÁCIA E HABILIDADE MATEMÁTICA

ATITUDES, AUTO-EFICÁCIA E HABILIDADE MATEMÁTICA ATITUDES, AUTO-EFICÁCIA E HABILIDADE MATEMÁTICA Kelly Christinne Maia de Paula* Márcia Regina Ferreira de Brito** RESUMO O desenvolvimento das habilidades matemáticas das crianças é interesse de professores

Leia mais

Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem.

Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem. Aula 23.2 Conteúdo Compostagem, reciclagem. Habilidades Verificar a importância do correto descarte através do reaproveitamento, reciclagem e reutilização de bens de consumo. 1 Reaproveitamento do Lixo

Leia mais

PROJETO ESCOLA DO SABOR

PROJETO ESCOLA DO SABOR PROJETO ESCOLA DO SABOR COMPANHIA DE ENTREPOSTOS E ARMAZÉNS GERAIS DE SÃO PAULO CEAGESP 2012 1. INTRODUÇÃO A alimentação infantil escolar deve ser nutricionalmente equilibrada, confeccionada com alimentos

Leia mais

ESTUDO DE CASO. São Paulo, novembro de 2009

ESTUDO DE CASO. São Paulo, novembro de 2009 ESTUDO DE CASO São Paulo, novembro de 2009 O PROJETO PATRIMÔNIO DO CARMO Local: residência em condomínio fechado em São Roque / SP Área: 2.700 m² (que se unem às áreas de reserva, comuns a todos os condôminos)

Leia mais

SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1

SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1 SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 2 Limpeza: 2 CUIDADOS DO JARDIM NO OUTONO 2 Limpeza: 2 Adubação:

Leia mais

JARDINS COMESTÍVEIS COMO PROPOSTA INTERDISCIPLINAR SENSIBILIZADORA PARA TRABALHAR A ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO SAUDÁVEIS

JARDINS COMESTÍVEIS COMO PROPOSTA INTERDISCIPLINAR SENSIBILIZADORA PARA TRABALHAR A ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO SAUDÁVEIS JARDINS COMESTÍVEIS COMO PROPOSTA INTERDISCIPLINAR SENSIBILIZADORA PARA TRABALHAR A ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO SAUDÁVEIS Neves, R. C. F 1*, Jorge, A. S. P 2, Oliveira, W. P 2, Sodré, L. P 2, Masqueto, G. M.

Leia mais

CAPACITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS NAS COZINHAS E HORTA DAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE ARARUNA PB

CAPACITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS NAS COZINHAS E HORTA DAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE ARARUNA PB CAPACITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS NAS COZINHAS E HORTA DAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE ARARUNA PB MACEDO, Géssica da Silva¹; BRASIL, Edvânia da Silva Pereira²; MOREIRA, Jarbas Sobreira³; SILVA, Poliane

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL E ALIMENTAR: POR UMA CORRETA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL E ALIMENTAR: POR UMA CORRETA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES Revista F@pciência, Apucarana-PR, ISSN 1984-2333, v.3, n. 7, p. 72 78, 2009. RESUMO EDUCAÇÃO NUTRICIONAL E ALIMENTAR: POR UMA CORRETA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES Tatiana Marin 1 Priscila Berton 2

Leia mais

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO O Orfanato Evangélico, através do Projeto Boa Semente, desenvolveu atividades direcionadas as crianças de 1 mês a 1 ano de idade,

Leia mais

PROJETO: DE ONDE VEM? PARA ONDE VAI? Sustentabilidade e Consumismo EMEI GUIA LOPES DRE FO

PROJETO: DE ONDE VEM? PARA ONDE VAI? Sustentabilidade e Consumismo EMEI GUIA LOPES DRE FO PROJETO: DE ONDE VEM? PARA ONDE VAI? Sustentabilidade e Consumismo EMEI GUIA LOPES DRE FO Como tudo começou A EMEI Guia Lopes possui uma área verde privilegiada e a criação de uma horta era uma vontade

Leia mais

Florista e Jardineiro

Florista e Jardineiro Florista e Jardineiro 1. Objetivo Geral Conhecer mais profundamente o trabalho do florista e do jardineiro assim como as plantas, levando-se em conta o uso consciente da água e produtos usados, visando

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DAS HORTAS URBANAS

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DAS HORTAS URBANAS PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DAS HORTAS URBANAS HORTAS URBANAS DO PARQUE CORGO Vila Real 2015 1 Nota Justificativa O Concelho de Vila Real, com uma importante parcela territorial classificada como

Leia mais

Fitquimicos e Antioxidantes

Fitquimicos e Antioxidantes Hoje falaremos de fitoquímicos e antioxidantes as substâncias nos nossos alimentos que combatem doenças. John Foxx #FO1855, Comstock #5271, Corbis #MED0070 Dynamic Graphics #10044004 As nossas mães têm

Leia mais

PAISAGISMO AGROECOLÓGICO: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA

PAISAGISMO AGROECOLÓGICO: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA PAISAGISMO AGROECOLÓGICO: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA Ana Christina Duarte Pires 1 - UFPR Gilson Walmor Dahmer 2 - UFPR Mário Sérgio Nicolodi 3 - UFPR Grupo de Trabalho - Educação e Meio Ambiente Agência

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO)

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) Ingressantes a partir de 2015 1º SEMESTRE HORAS 2º SEMESTRE HORAS Introdução à Engenharia Agronômica 60 Metodologia Científica 60 Álgebra Linear 60 Desenho

Leia mais

Apostila para professores

Apostila para professores Apostila para professores Oficina: Pátio Escolar e sua Contribuição para a Educação dos Sentidos Possíveis Atividades Socioambientais que Auxiliem no ensino Escolar Ministrante: Fernanda Poletto Cisternas

Leia mais

Sua Escola Sustentável

Sua Escola Sustentável Sua Escola Sustentável Apresentação Porque Habitat? Mesmo com um currículo estabelecido, muitas questões permanecem entre os educadores: Quantos estudantes lêem um conceito uma única vez e já o compreendem?

Leia mais

APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO

APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO Objetivo O objetivo das Diretrizes é apoiar os países a

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA VOLUNTÁRIO PARA HORTICULTURA ORNAMENTAL SUSTENTÁVEL

CÓDIGO DE CONDUTA VOLUNTÁRIO PARA HORTICULTURA ORNAMENTAL SUSTENTÁVEL CÓDIGO DE CONDUTA VOLUNTÁRIO PARA HORTICULTURA ORNAMENTAL SUSTENTÁVEL SUMÁRIO 1. COMPONENTES... 1 2. PRINCÍPIOS... 1 3. ESBOÇOS DE CÓDIGOS DE CONDUTA VOLUNTÁRIOS... 2 3.1 Para Órgãos e Setores do Governo...

Leia mais

f a z e r e revolucionar sua alimentação

f a z e r e revolucionar sua alimentação C o m o f a z e r sua horta em casa e revolucionar sua alimentação MANUAL PRÁTICO POR QUE TER UMA HORTA EM CASA? Sabe-se que a alimentação funciona como um combustível, e o organismo responde de acordo

Leia mais

20o. Prêmio Expressão de Ecologia

20o. Prêmio Expressão de Ecologia 20o. Prêmio Expressão de Ecologia 2012-2013 Fotos: Projeto: Horta Vertical Organização: APAE de Foz do Iguaçu Página: 1/1 1. Título do projeto ambiental participante: Projeto Horta Vertical 2. Categoria

Leia mais

O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 COMO: CULTIVAR SEU PRÓPRIO FERTILIZANTE E TAMBÉM ADQUIRIR FORRAGEM PARA ANIMAIS E LENHA. www.gaia-movement.

O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 COMO: CULTIVAR SEU PRÓPRIO FERTILIZANTE E TAMBÉM ADQUIRIR FORRAGEM PARA ANIMAIS E LENHA. www.gaia-movement. O MOVIMENTO GAIA BROCHURA NO 8 Depois da colheita os galhos cortados são usados para cobrir a terra. Isto protege contra erosão, guarda a humidade e melhora a terra com matéria orgânica, assim que segura

Leia mais

Normas de participação e funcionamento PROJETO HORTAS COMUNITÁRIAS DE MONTEMOR-O-NOVO

Normas de participação e funcionamento PROJETO HORTAS COMUNITÁRIAS DE MONTEMOR-O-NOVO Normas de participação e funcionamento PROJETO HORTAS COMUNITÁRIAS DE MONTEMOR-O-NOVO As Hortas Comunitárias assumem, na grande maioria das vezes, um papel fundamental no que respeita ao aumento dos recursos

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: ÁREA TEMÁTICA: Tema 1: Manipulação de Fitoterápicos e da multimistura nutritiva Objetivos

TÍTULO: AUTORES: ÁREA TEMÁTICA: Tema 1: Manipulação de Fitoterápicos e da multimistura nutritiva Objetivos TÍTULO:SAÚDE FAMILIAR: PRODUÇÃO DE FITOTERÁPICOS E MULTIMISTURA, ORIENTAÇÕES DE HIGIENE E POSTURA CORPORAL JUNTO ÀS COMUNIDADES DO MUNICÍPIO DE RIO DE VERDE. AUTORES: Maria de Fátima Rodrigues da Silva

Leia mais

Alimentos biológicos:

Alimentos biológicos: Alimentos biológicos: bons para si, bons para a natureza Em toda a UE, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a proveniência dos alimentos que consomem e com o modo como foram produzidos. Dão importância

Leia mais

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 1. Tema: Boa alimentação Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza e Sociedade (x) Matemática 2. Duração:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL PINHO, Luis Marcelo Varoneli Graduando do curso de Pedagogia, da Faculdade de Ciências Humanas da Associação Cultural e Educacional de Garça,

Leia mais

Plano de Acção 2009/2010 Planificação e calendarização das actividades

Plano de Acção 2009/2010 Planificação e calendarização das actividades Recursos Intervenientes Calendarização Água Resíduos Energia Transport es Ruído Espaços Exteriores Agricultur a Biológica Biodiversi dade Plano de Acção 2009/2010 Planificação e calendarização das actividades

Leia mais

COMPOSTAGEM DOMÉSTICA, O QUE É?

COMPOSTAGEM DOMÉSTICA, O QUE É? ECO-ESCOLA PROJETO: Na Natureza tudo se transforma COMPOSTAGEM DOMÉSTICA, O QUE É? É um processo de reciclagem de matéria orgânica (de cozinha, da horta, do jardim ) realizado através de microrganismos

Leia mais

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva.

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva. Sete Lagoas e o resgate da cidadania Prefeitura ativa. Cidade viva. APRESENTAÇÃO A Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, Minas Gerais, está desenvolvendo uma ação abrangente de resgate da cidadania, que

Leia mais

Catálogo de Atividades...

Catálogo de Atividades... Catálogo de Atividades.... 2015 2016 .... O Parque YMCA CAMP ALAMBRE / PARQUE AMBIENTAL DO ALAMBRE Breve apresentação O Parque Ambiental do Alambre representa o Centro de Campo da Associação Cristã da

Leia mais

Ana. e o e o. Jardim de Flores

Ana. e o e o. Jardim de Flores Ana e o e o Jardim de Flores Era uma vez um grande rei que morava em um lindo castelo rodeado de pequenos vilarejos. O rei amava muito o seu povo, e o povo também o amava. Ele visitava frequentemente os

Leia mais

Hortaliças minimamente processadas prontas para o consumo. Cristiano Psillakis - Grupo Horta

Hortaliças minimamente processadas prontas para o consumo. Cristiano Psillakis - Grupo Horta Hortaliças minimamente processadas prontas para o consumo Cristiano Psillakis - Grupo Horta Nichos de mercado são segmentos ou públicos cujas necessidades particulares são pouco exploradas ou inexistentes.

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR 1 DELAI, Lucas da Silva; 1 ALVES Victor Michelon; 1 GREJIANIN, Gustavo; 1 PIRANHA, Michelle Marques

Leia mais

Projecto-Piloto. Doméstica. 25 moradias

Projecto-Piloto. Doméstica. 25 moradias Projecto-Piloto Compostagem Doméstica 25 moradias O que é a compostagem? É um processo biológico em que os microrganismos i transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas e restos de comida, num

Leia mais

JARDIM COM PLANTAS MEDICINAIS

JARDIM COM PLANTAS MEDICINAIS 20 a 24 de outubro de 2008 JARDIM COM PLANTAS MEDICINAIS Bruna Barbosa Barroca 1 ; Igor Grecco de Lima¹; Pérsio Sandir D Oliveira 2 RESUMO: Este trabalho foi executado para avaliar o uso de plantas medicinais

Leia mais

Acção de Formação. Sabores com Muita Sabedoria. 3ª Sessão. Actividades Propostas

Acção de Formação. Sabores com Muita Sabedoria. 3ª Sessão. Actividades Propostas Acção de Formação Sabores com Muita Sabedoria 3ª Sessão Actividades Propostas Obra Proposta na Acção para a introdução do estudo de temas de ciência: O Grilo Verde Autor António Mota Editora Gailivro O

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE HORTAS SUSPENSAS DE GARRAFAS PET COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA MUNICIPAL ROBERTO SIMOSEN-PB

IMPLANTAÇÃO DE HORTAS SUSPENSAS DE GARRAFAS PET COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA MUNICIPAL ROBERTO SIMOSEN-PB IMPLANTAÇÃO DE HORTAS SUSPENSAS DE GARRAFAS PET COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA MUNICIPAL ROBERTO SIMOSEN-PB Joseilda de Souza Barros 1 ; André Nunes de Oliveira Lacet 1 ; Neyliane Costa

Leia mais

HORTA PEDAGÓGICA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE

HORTA PEDAGÓGICA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE Conselho de Gestão do IPP 21-01-2013 00 HORTA PEDAGÓGICA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE Preâmbulo A atividade agrícola de subsistência, materializada sob a forma de hortas, é uma atividade que

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA PRÉ- ESCOLARES: A HORTA ESCOLAR COMO FERRAMENTA DE ENSINO

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA PRÉ- ESCOLARES: A HORTA ESCOLAR COMO FERRAMENTA DE ENSINO EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA PRÉ- ESCOLARES: A HORTA ESCOLAR COMO FERRAMENTA DE ENSINO Milena Maia Kock¹ Damaris Godoy Leite² RESUMO: A educação nutricional é uma ferramenta básica para incentivar a alimentação

Leia mais

Newsletter Serviço Voluntário Europeu European Voluntary Service Projeto/Project: PT-21-81-2013-R2 - Intergerational Volunteering Empowering People!

Newsletter Serviço Voluntário Europeu European Voluntary Service Projeto/Project: PT-21-81-2013-R2 - Intergerational Volunteering Empowering People! Newsletter Serviço Voluntário Europeu European Voluntary Service Projeto/Project: PT-21-81-2013-R2 - Intergerational Volunteering Empowering People! Países/Countries: Portugal, Italy Volunteers in Aveiro,

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DE HORTA ORGÂNICA COMO INSTRUMENTO PARA A FORMAÇÃO DE ALUNOS PARTICIPATIVOS

A IMPLANTAÇÃO DE HORTA ORGÂNICA COMO INSTRUMENTO PARA A FORMAÇÃO DE ALUNOS PARTICIPATIVOS A IMPLANTAÇÃO DE HORTA ORGÂNICA COMO INSTRUMENTO PARA A FORMAÇÃO DE ALUNOS PARTICIPATIVOS 1 AMARAL, Anelize Queiroz; 2 JUNIOR, Élio Jacob H.; 2 SADRAQUE, Caetano; 1 MIGUEL,, Kassiana & 2 LARA, Juliete

Leia mais

NUTRITION AWARDS 2012. GCI e Associação Portuguesa dos Nutricionistas anunciam vencedores

NUTRITION AWARDS 2012. GCI e Associação Portuguesa dos Nutricionistas anunciam vencedores NUTRITION AWARDS 2012 GCI e Associação Portuguesa dos Nutricionistas anunciam vencedores A consultora GCI e a Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN) entregaram, pelo terceiro ano, os Prémios Nutrition

Leia mais

Compostagem doméstica: como fazer?

Compostagem doméstica: como fazer? Compostagem, o que é? É um processo dereciclagem de resíduos orgânicos (de cozinha, da horta, do jardim...) realizado através de microrganismos que transformam os resíduos biodegradáveis num fertilizante

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Educação em saúde, hortas, interdisciplinaridade

PALAVRAS CHAVE: Educação em saúde, hortas, interdisciplinaridade PROJETO HORTA NA ESCOLA DESENVOLVENDO NOVAS METODOLOGIAS DE EDUCAÇÃO A PARTIR DOS PRINCÍPIOS DA EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE Área Temática: Saúde Responsável: Karem Cristina de Arruda Calvette Instituição:

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES BASICAS NA AGRICULTURA PELOS ALUNOS DA APAE: CONQUISTAS ALCANÇADAS NO ANO 2012

DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES BASICAS NA AGRICULTURA PELOS ALUNOS DA APAE: CONQUISTAS ALCANÇADAS NO ANO 2012 DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES BASICAS NA AGRICULTURA PELOS ALUNOS DA APAE: CONQUISTAS ALCANÇADAS NO ANO 2012 SANTOS (1), Jonnathan Whiny Moraes dos MENDONÇA (2), Rejane Maria Nunes DAXENBERGER (3), Ana

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ EDSON DOMINGOS DOS SANTOS. 1. PROF. GERENCIADOR DE TEC. EDUCACIONAIS E RECURSOS MIDIÁTICOS: Edvaldo M.

ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ EDSON DOMINGOS DOS SANTOS. 1. PROF. GERENCIADOR DE TEC. EDUCACIONAIS E RECURSOS MIDIÁTICOS: Edvaldo M. GOVERNO DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E APOIO À EDUCAÇÃO COORDENADORIAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL-

Leia mais

Reciclagem 40 - A Fossa Alterna. da fossa com terra. adicional da adição de terra e, especialmente. possa ser aproveitado. também a homogeneizar

Reciclagem 40 - A Fossa Alterna. da fossa com terra. adicional da adição de terra e, especialmente. possa ser aproveitado. também a homogeneizar Reciclagem 40 - A Fossa Alterna 105 40 A Fossa Alterna A fossa alterna é um sistema de instalação sanitária simples especificamente construído para produzir fertilizante valioso para jardins e terrenos.

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL: MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS COMO PRÁTICA DE ENSINO.

EDUCAÇÃO INFANTIL: MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS COMO PRÁTICA DE ENSINO. EDUCAÇÃO INFANTIL: MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS COMO PRÁTICA DE ENSINO. Valdete Andrade da Silva - valdete_catole@hotmail.com Erineide Anízio Lins - erineide.bs09@gmail.com Ledislene Alves

Leia mais

Como nascem as plantas

Como nascem as plantas Como nascem as plantas AMARAL, DALICE ALVES R. do COUTINHO, ADRIANA CALDEIRA RESUMO Este projeto foi desenvolvido com uma turma de 25 crianças de ETAPA I (crianças que irão completar 5 anos) de uma escola

Leia mais

PRÁTICAS INCLUSIVAS: NA BUSCA DE UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL COM ALUNOS DA APAE NO MUNICÍPIO DE AREIA PB

PRÁTICAS INCLUSIVAS: NA BUSCA DE UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL COM ALUNOS DA APAE NO MUNICÍPIO DE AREIA PB PRÁTICAS INCLUSIVAS: NA BUSCA DE UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL COM ALUNOS DA APAE NO MUNICÍPIO DE AREIA PB Germana Luziana Cardoso do Nascimento; Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Germanaluziana@gmail.com

Leia mais

DISLEXIA DIFICULDADE NA APRENDIZAGEM. ALMEIDA, Renata Sanmartin y Rodriguez

DISLEXIA DIFICULDADE NA APRENDIZAGEM. ALMEIDA, Renata Sanmartin y Rodriguez DISLEXIA DIFICULDADE NA APRENDIZAGEM ALMEIDA, Renata Sanmartin y Rodriguez Discente do Curso pedagogia da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva RESUMO Dislexia é um distúrbio específico da

Leia mais

City Biodiversity Index. Curitiba - Paraná

City Biodiversity Index. Curitiba - Paraná Curitiba - Paraná (I.10) % de areas protegidas APAs,Parques, Bosques municipais e RPPNMs = 22,91% (I.10) % Total de áreas protegidas: 22,91% Fonte: Centro de Geoprocessamento da SMMA (I.11) Proporção

Leia mais

COMPOSTAGEM COMO ESTRATÉGIA DE GESTÃO DE RESÍDUOS VERDES E ORGÂNICOS

COMPOSTAGEM COMO ESTRATÉGIA DE GESTÃO DE RESÍDUOS VERDES E ORGÂNICOS COMPOSTAGEM COMO ESTRATÉGIA DE GESTÃO DE RESÍDUOS VERDES E ORGÂNICOS ÍNDICE 03 07 12 16 A compostagem como estratégia de gestão de resíduos verdes e orgânicos O que é a compostagem? O que é a vermicompostagem?

Leia mais

HORTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA

HORTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA HORTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA Raquel Alves de Oliveira, Vânia Galindo Massabni ESALQ - USP Eixo: 03 Ciências Agrárias Resumo O presente trabalho trata a respeito do projeto desenvolvido

Leia mais

RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS. De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos.

RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS. De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos. RESIDUOS ORGÂNICOS E INORGÂNICOS De modo geral, podemos dizer que os resíduos domiciliares se dividem em orgânicos e inorgânicos. Resíduos orgânicos: São biodegradáveis (se decompõem naturalmente). São

Leia mais

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Silvane Guimarães Silva Gomes, Frederico José Vieira Passos Universidade Federal de Viçosa

Leia mais

USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Olga Cristina Teixeira Lira Carlos Eduardo Monteiro Universidade Federal de Pernambuco olgactlira@hotmail.com;

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica - FTE. Gestão da Qualidade Segurança e Meio Ambiente

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica - FTE. Gestão da Qualidade Segurança e Meio Ambiente SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO E STADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL- SUPROF DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DIRDEP EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS EMENTÁRIO:

Leia mais

Crescimento, Renovação Celular e Reprodução: da teoria à prática. Coimbra, 2012/2014. Sandra Gamboa Andreia Quaresma Fernando Delgado

Crescimento, Renovação Celular e Reprodução: da teoria à prática. Coimbra, 2012/2014. Sandra Gamboa Andreia Quaresma Fernando Delgado Crescimento, Renovação Celular e Reprodução: da teoria à prática Sandra Gamboa Andreia Quaresma Fernando Delgado Coimbra, 2012/2014 Escolher Ciência PEC282 ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE COIMBRA O que é um

Leia mais