Estudo de vários tipos de Rosto (nariz, boca e Queixo) Prof(as): Fatima Queiroz Jeanny Guimarães

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo de vários tipos de Rosto (nariz, boca e Queixo) Prof(as): Fatima Queiroz Jeanny Guimarães"

Transcrição

1 Estudo de vários tipos de Rosto (nariz, boca e Queixo) Prof(as): Fatima Queiroz Jeanny Guimarães

2 Analise de Rostos A consultoria começa com a análise do formato de rosto. O visagista irá identificar através das linhas horizontais e verticais, traços específicos da sua personalidade, e, através desta análise, você começará à descobrir o temperamento do seu cliente.

3 O Rosto O rosto é dividido em terços e em cinco regiões.

4 Analise de Rostos VISAGISMO

5 Analise de Rostos SANGUINEO: Hexagonal lateral, Losango e Triangulo Invertido com Queixo Pronunciado COLÉRICO: Retangular, Hexagonal Base e Triangular MELANCÓLICO: Oval e Triangulo Invertido Queixo retraído. FLEUMATICO: Quadrado e Redondo.

6 TESTAS: Reta, Curva, Inclinada, Alta, Pronunciada e Larga.

7 TESTAS: Testas retas e largas demonstram força mental, um atributo de inteligência intrapessoal. Testas altas estreitas e arredondadas revelam organização mental, imaginação e capacidade lógica ou verbal. Testa proeminente é um sinal de que a pessoa impõe seus pensamentos. A testa inclinada aponta para uma pessoa aponta para uma pessoa impulsiva, porque seu pensamento se direciona para o nariz, a região da ação. Testas curvas, de frente e de perfil, são indícios de que a pessoa é sensível e que seu pensamento é voltado para dentro de si. Ou seja, indica que a pessoa tem grande capacidade reflexiva, mas por essa razão pode ser ansiosas e perfeccionistas.

8 TESTAS: SANGUINEO: Testa Inclinada COLÉRICO:Testa Reta e Pronunciada (proeminente) MELANCÓLICO: Testa Curva, Alta, Estreita, Reta com curva no topo FLEUMATICO: Testa Larga

9 SOBRANCELHAS Qual tem aspecto descontraída? Qual transparece ser diabólica? E qual parece neutra? Qual à triste? Dramática?

10 Todo mundo combina com está sobrancelha?

11 SOBRANCELHAS

12 SOBRANCELHAS

13 SOBRANCELHAS

14 SOBRANCELHAS

15 SOBRANCELHAS

16

17 SOBRANCELHAS O design de sobrancelhas é um dos mais importantes itens do visagismo, podendo transforma, conforme o autor, a expressão de uma pessoal. As sobrancelhas indicam nosso relacionamento com as outras pessoas, e também nosso estado emocional, MARTINES (2009, pg.78).

18 SOBRANCELHAS Arredondas: Pessoas com maior capacidade de reação do que ação, caráter modesto, sensualidade, ternura. Confiável, cumpre o que promete. Finas: Sensibilidade, falta de poder e decisão, timidez,. Espessas: Energia, vitalidade, irritabilidade, dinamismo, metódico, autoritarismo, tendência a ser exibicionista. Longos: Tendência a reflexão, mas lentidão nas ações e inteligência acima da média. Curtas: Ações rápidas, mas precipitadas, espontaneidade, dificuldade de relacionamento por falta de afetividade. Arqueadas: Pessoa dramática, orgulhoso, necessidade de agradar, sensibilidade excessiva. Retas: Espírito artístico, paz interior, realista, autocontrole, introversão, tendência a concentração em si mesmo, a reflexão. Curvas: Impetuosidade, tendência masculina, predominância da vontade, paixão em excesso, energia e vitalidade.

19 SOBRANCELHAS SANGUINEO: Arqueada COLÉRICO: Reta e Cerrada ou grossas, Uma arqueada MELANCÓLICO: Curva e fina, Caídas, Curtas FLEUMATICO: Retas, Curvas, longas e grossas

20 OS OLHOS Os olhos são sempre assimétricos diz Hallawell (2009, pg.158), ou seja, um é maior que o outro. O olho dominante geralmente é mais alto, seu olhar mais intenso mais brilhante. Revela mais intensamente, as verdadeiras emoções da pessoa

21 OS OLHOS Qual tem aspecto emotiva? Qual transparece ser fria e fechada? E qual parece sensível? Qual à triste?. Sedutora?

22 O que estes olhos transmitem?

23 O que estes olhos transmitem?

24 O que estes olhos transmitem?

25 O que estes olhos transmitem?

26 O que estes olhos transmitem?

27 O que estes olhos transmitem?

28 OS OLHOS: Primeiro observe se os olhos são afastados ou próximos um do outro. Quanto mais afastados ou espaçados, maior o grau de extroversão. Olhos próximos revelam uma personalidade introvertida, centrada em si e que resguarda suas emoções.

29 OS OLHOS: O próximo passo é verificar o tamanho dos olhos. Pessoas emotivas têm olhos grandes. Pessoas que controlam suas emoções geralmente têm olhos pequenos. Olhos abertos e arredondados demonstram sensibilidade, interesse e curiosidade. Olhos estreitos e cerrados, com pouca abertura, revelam personalidade fria e fechada. Um olho que não é pequeno nem estreito, mas de olhar cerrado, revelando grande parte de pálpebra, é um sinal de que essa pessoa controla suas emoções. Esse olhar pode ser sedutor, mas também pode expressar desinteresse e apatia.

30 OS OLHOS: SANGUINEO: Amendoados, Grandes, Espaçados, Abertos. COLÉRICO: Fundos, Retos. MELANCÓLICO: Pequenos, Próximos, Caídos FLEUMATICO: Cerrados

31 Vocês acham que mudaria alguma coisa se diminuíssem o nariz deste apresentador?

32 O Nariz É por isso, segundo Hallawell ( 2009,pg.161), que a cirurgia de nariz pode descaracterizar uma pessoa e afeta-la psicologicamente de maneira negativa, deixando a mais bonita, num sentido superficial, mas sem graça.

33 O Nariz O nariz proeminente e grande é associado à curiosidade, a impetuosidade e à coragem de se envolver com novidade, e de abraçar a vida. O nariz arrebitado indica uma pessoa mais delicada e menos impulsiva. O nariz aquilino, longo, estreito e levemente caído, expressa nobreza, descrição e controle das emoções. Nariz pequeno, proporcionais e delicados, expressam sensibilidade. Nariz grande, largo e com formato arredondado e narinas abertas é sinal de uma pessoa emotiva e aberta. São pessoas que não se abalam facilmente e são persistentes.

34 O Nariz SANGUINEO: Grande projetado, Arrebitado COLÉRICO: Largo e reto, Neutro MELANCÓLICO: Estreito, Longo, Pronunciado adunco/aquilino, Pequeno FLEUMATICO: Largo e/ou achatado, Curto, Arredondado

35 A Boca Depois dos olhos, a boca é a parte mais expressiva do rosto. A boca é associada a comunicação, à intuição e a sensibilidade, diz Hallawell (2009,pg.161). Bocas grandes, com lábios carnudos, são muito sensuais, essa sensualidade é realçada pelo uso do batom, o temperamento é mais emotivo e passional.

36 A Boca Qual boca é a mais sensual? Qual é mais larga? E a pequena? Tem alguma boca tipo cupido?

37 A Boca Bocas largas e expressivas indicam extroversão, comunicabilidade e alegria. Bocas pequenas denotam um temperamento introvertido e fechado, tem dificuldade e se expressar e não tem boa intuição. A boca tipo cupido expressa sensibilidade, o mesmo acontece com tem boca padrão, proporcionais. Lábios estreitos, especialmente o superior, indicam temperamento frio, pouco emotivo, e pode expressar severidade e controle.

38 A Boca SANGUINEO: Grande, Cantos levantados COLÉRICO: Regular MELANCÓLICO: Pequena ou cupido, Cantos caídos FLEUMATICO: Larga

39 Este dois atores interpretaram o Superman além do furinho o que o queixo deles tem em comum?

40 O Queixo O formato do queixo está muito ligado ao rosto como um todo, mas há variações importantes. Algumas podem ser vistas olhando-se para o rosto de frente, mas outras são reveladas apenas pelo perfil. O queixo revela o grau de força, estabilidade e determinação de uma pessoa. Também indica se ela é do tipo que impõe sua vontade ou se submete as vontades dos outros.

41 O Queixo Sempre observe o queixo, de frente, para ver se é reto, curvo ou triangular. Depois veja se é projetado, neutro ou retraído, observando-o de perfil. O queixo quadrado indica força e poder. O pronunciado, a pessoa impõe sua vontade, e determinada e enfrenta situações difíceis. O queixo retraído, indica uma personalidade mais suave, maleável é até submissa, o mesmo se aplica aos formatos arredondados. O queixo pontudo e retraído, indica instabilidade e indecisão, Hallawell (2009,pg.164).

42 O Queixo SANGUINEO: triangular pronunciado, angulo da mandíbula na altura da boca COLÉRICO: quadrado pronunciado, angulo da mandibula abaixo da boca, Reto MELANCÓLICO: curvo, retraído FLEUMATICO: reto retraído

43 Visagismo Analisar o Temperamento e Personalidade de uma pessoa com a consultoria fornece essas informações ao cliente para ajudá-lo a refletir sobre si mesmo, e definir o que deseja expressar através de sua imagem. Só teremos como adequar a imagem Pessoal se o cliente entender e aceitar à mudança auxilio da analise do formato rostos, sobrancelhas, cabelo, analise da cor da pele e vestimentas.

44 Bibliografias PHILIP HALLAWELL, Visagismo Integrado (identidade, estilo e Beleza)editora Senac, 2 edição, PHILIP HALLAWELL, Visagismo Harmonia e Estética, editora Senac, 6 edição, 2008.

- CURSO DE MAQUIAGEM -

- CURSO DE MAQUIAGEM - - CURSO DE MAQUIAGEM - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). SOBRANCELHA E

Leia mais

Visagismo. Profa Elaine C. S. Ovalle

Visagismo. Profa Elaine C. S. Ovalle Visagismo Profa Elaine C. S. Ovalle O criador Fernand Aubry, o criador do visagismo, em 1937, deixa claro que se tratava de um conceito. Não é uma técnica "Não existe mulher sem beleza, somente belezas

Leia mais

- CURSO DE MAQUIAGEM -

- CURSO DE MAQUIAGEM - - CURSO DE MAQUIAGEM - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). CORREÇÕES CORREÇÕES

Leia mais

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex REVISÃO GESTALT Viviane Aiex 1. Leitura Visual do Objeto pelas Leis da Gestalt 1) Unidades: que são os elementos que configuram a forma; 2) Segregação: que é o ato se separar, perceber ou identificar as

Leia mais

CONSULTORIA EM ESTÉTICA: DIAGNÓSTIMO FACIAL BASEADO NA FISIOGNOMONIA

CONSULTORIA EM ESTÉTICA: DIAGNÓSTIMO FACIAL BASEADO NA FISIOGNOMONIA CONSULTORIA EM ESTÉTICA: DIAGNÓSTIMO FACIAL BASEADO NA FISIOGNOMONIA Auriane Froehner¹ Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. GRUPO 11 Padrão CBKC NR 10. Padrão Oficial da Raça TOY FOX TERRIER

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. GRUPO 11 Padrão CBKC NR 10. Padrão Oficial da Raça TOY FOX TERRIER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA GRUPO 11 Padrão CBKC NR 10 Padrão Oficial da Raça TOY FOX TERRIER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Classificação CBKC: Grupo 11 - Raça não reconhecida pela FCI.

Leia mais

Protocolo de automaquiagem. Protocolo para realização da técnica de automaquiagem facial dia. LIVRE - Automaquiagem

Protocolo de automaquiagem. Protocolo para realização da técnica de automaquiagem facial dia. LIVRE - Automaquiagem Protocolo de automaquiagem Protocolo para realização da técnica de automaquiagem facial dia LIVRE - Automaquiagem Um dos pontos fundamentais é saber manusear o "equipamento". Pincéis, lápis e esponjas

Leia mais

- CURSO DE MAQUIAGEM -

- CURSO DE MAQUIAGEM - - CURSO DE MAQUIAGEM - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). O PROFISSIONAL

Leia mais

Design Web Formas. Elisa Maria Pivetta. Sinto, penso, logo desenho

Design Web Formas. Elisa Maria Pivetta. Sinto, penso, logo desenho Design Web Formas Elisa Maria Pivetta Sinto, penso, logo desenho Formas básicas em Design Comunicamos mediante linguagem falada, verbal, formada por letras, palavras, frases, etc. que, combinados, formam

Leia mais

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta O guia de tamanho será desenvolvido para auxiliar os e-consumidores, no momento da compra. O e-consumidor terá disponível um guia de auxilio a medidas, de forma que permitirá que o mesmo obtenha informações

Leia mais

Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo.

Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo. Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo. Biquíni Ideal Aquelas que têm seios grandes precisam antes de tudo de sustentação. Tops com alças

Leia mais

O DELINEAMENTO DE SOBRANCELHA CONFORME A FISIONOMIA DA FACE

O DELINEAMENTO DE SOBRANCELHA CONFORME A FISIONOMIA DA FACE O DELINEAMENTO DE SOBRANCELHA CONFORME A FISIONOMIA DA FACE Emili Ana Ramthum 1 - Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina.

Leia mais

O Guia Emocional das. Cores

O Guia Emocional das. Cores O Guia Emocional das Cores 84,7% dos consumidores acham que a cor é mais importante que muitos outros fatores ao escolher um produto. 1% decidem pelo som ou pelo cheiro 6% decidem pela textura 93% das

Leia mais

De todas as relações humanas, esta é a principal e mais básica

De todas as relações humanas, esta é a principal e mais básica De todas as relações humanas, esta é a principal e mais básica Para as crianças, a família é a segurança, proteção, apoio, compreensão e a aceitação de que tanto necessitam. Pai e mãe são, com efeito,

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 O olho é com certeza o ponto de maior destaque no mangá e por isso requer maior atenção. Nesta aula focaremos na estrutura dos olhos. Bom estudos! (Mateus Machado) COMO DESENHAR MANGÁ - OLHOS 1. A BASE

Leia mais

EXERCÍCIO 02 MANIPULANDO A IMAGEM

EXERCÍCIO 02 MANIPULANDO A IMAGEM UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ CURSO SUPERIOR BACHARELADO EM DESIGN DE MODA ILUSTRAÇÃO I PROFESSORA GISELE DOS SANTOS EXERCÍCIO 02 MANIPULANDO A IMAGEM A manipulação de uma

Leia mais

Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia

Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia Recomendações do Ministério das Relações Exteriores da República da Eslovênia para as fotos biométricas: o o tamanho da foto: 3,5 x 4,5 cm o o

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA GRUPO 2. Padrão FCI 225 23/06/1987

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA GRUPO 2. Padrão FCI 225 23/06/1987 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI 225 23/06/1987 Padrão Ofi cial da Raça FILA BRASILEIRO Espaço reservado para uma fi gura representativa da

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 262 16/06/1999. Padrão Ofi cial da Raça SPITZ JAPONÊS

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 262 16/06/1999. Padrão Ofi cial da Raça SPITZ JAPONÊS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5 Padrão FCI 262 16/06/1999 Padrão Ofi cial da Raça SPITZ JAPONÊS NIHON SUPITTSU CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2. Padrão FCI 183 11/08/2000 ZWERGSCHNAUZER

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2. Padrão FCI 183 11/08/2000 ZWERGSCHNAUZER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI 183 11/08/2000 Padrão Oficial da Raça SCHNAUZER MINIATURA ZWERGSCHNAUZER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

Leia mais

dicas & estratégias desempenho da sua loja em jogo

dicas & estratégias desempenho da sua loja em jogo dicas & estratégias Amo ou odeio meus óculos novos? Artigo Palmer R. Cook Tradução Fabrizio Del Ducca Edição Andrea Tavares Colaboração técnica Eric Gozlan Ilustração Mauro Nakata Satisfação tanto com

Leia mais

II CBEP CIRCUITO BATISTANO DE ESTUDOS PEDAGÓGICOS 2010

II CBEP CIRCUITO BATISTANO DE ESTUDOS PEDAGÓGICOS 2010 II CBEP CIRCUITO BATISTANO DE ESTUDOS PEDAGÓGICOS 2010 DEFINIÇÃO: GRAPHOS = grafia, escrita LOGOS ou LOGIA = estudo É um instrumento de apoio técnico que projeta através da letra escrita a personalidade

Leia mais

Consultoria Visagista

Consultoria Visagista Consultoria Visagista assbardot@gmail.com A consultoria A proposta do Visagismo está alicerçada na lapidação da beleza individualizada, valorizando o belo já existente nas estruturas de cada indivíduo.

Leia mais

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta Design Web - Percepção Elisa Maria Pivetta GESTALT Percepção Visual Elisa Maria Pivetta Percepção visual No sentido da psicologia e das ciências cognitivas é uma de várias formas de percepção associadas

Leia mais

DESIGNER DE SOBRANCELHA- SALESIANO

DESIGNER DE SOBRANCELHA- SALESIANO DESIGNER DE SOBRANCELHA- SALESIANO Prof. Ft. SuélenZanquim Histologia do Pêlo Pêlos são apencides, (é uma das provas da Teoria da Evolução proposta por Charles Darwin), filiformes de origem dérmica e formados

Leia mais

EDUCAR PARA A AMIZADE ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA DA AFETIVIDADE

EDUCAR PARA A AMIZADE ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA DA AFETIVIDADE EDUCAR PARA A AMIZADE 1 ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA DA AFETIVIDADE ANTROPOLOGIA Estudo dos comportamentos e evoluções sociais. Porque AMIZADE??? Porque ela é a base dos relacionamentos saudáveis. Ela nos traz

Leia mais

Seja Bem Vindo! Curso Automaquiagem. Carga horária: 45hs

Seja Bem Vindo! Curso Automaquiagem. Carga horária: 45hs Seja Bem Vindo! Curso Automaquiagem Carga horária: 45hs Conteúdo: Introdução História da Maquiagem Como Limpar a Pele Pincéis para a Maquiagem Preparação da Pele Primer Base Corretivo Pó Facial Blush Olhos

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Foco do programa O desenvolvimento de habilidades gerenciais e capacidades de liderança passa pelo

Leia mais

Nesse E-Book você vai aprender a lidar com aquelas situações chatas da nossa vida como psicólogos iniciantes em que tudo parece dar errado!

Nesse E-Book você vai aprender a lidar com aquelas situações chatas da nossa vida como psicólogos iniciantes em que tudo parece dar errado! Nesse E-Book você vai aprender a lidar com aquelas situações chatas da nossa vida como psicólogos iniciantes em que tudo parece dar errado! Aqueles primeiros momentos em que tudo que fazemos na clínica

Leia mais

Barroco. www.roginei.com.br

Barroco. www.roginei.com.br Barroco As origens da palavra são incertas. Talvez venha do português barroco ou do espanhol berrueco, que significa pérola de formato irregular. O Juízo Final (1536-1541) afresco de Michelangelo Capela

Leia mais

Produtos para fazer um contorno perfeito:

Produtos para fazer um contorno perfeito: Introdução A maquiagem corretiva caiu no gosto das mulheres, e cada vez mais técnicas surgem para te ajudar na missão de afinar e ressaltar pontos estratégicos do rosto. Foi a pensar nisso que decidimos

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI 186 11/08/2000 Padrão Oficial da Raça AFFENPINSCHER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada à Fédération

Leia mais

LABRADOR RETRIEVER. CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 8 Padrão FCI N o 122 12/01/2011

LABRADOR RETRIEVER. CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 8 Padrão FCI N o 122 12/01/2011 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 8 Padrão FCI N o 122 12/01/2011 Padrão Oficial da Raça LABRADOR RETRIEVER M.Davidson, illustr. NKU Picture Library Esta

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica Composição fotográfica É a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada. Os arranjos são feitos colocando-se figuras ou objetos em determinadas posições. Às vezes, na

Leia mais

serifa inclinada TIMES serifa

serifa inclinada TIMES serifa TIPOLOGIA NA WEB CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS Com Serifa Serifa é uma haste perpendicular que termina os principais traços de algumas letras. Este recurso facilita a leitura de textos impressos, aglutiando

Leia mais

AFFENPINSCHER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. GRUPO 2 Padrão FCI N o 186 02/09/2009. Padrão Oficial da Raça

AFFENPINSCHER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. GRUPO 2 Padrão FCI N o 186 02/09/2009. Padrão Oficial da Raça CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI N o 186 02/09/2009 Padrão Oficial da Raça AFFENPINSCHER Esta ilustração não representa necessariamente o exemplo

Leia mais

DACHSHUND Padrão. aça DACHSHUND

DACHSHUND Padrão. aça DACHSHUND Padrão da R aça Classificação F.C.I. GRUPO 4 Padrão nº 148-13 de julho de 2001 País de origem: Alemanha Nome no país de origem: Dachshund (Teckel) Utilização: Caça Sujeito à prova de trabalho para campeonato

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 9. Padrão FCI 101 06/04/1998

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 9. Padrão FCI 101 06/04/1998 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 9 Padrão FCI 101 06/04/1998 Padrão Oficial da Raça BULDOGUE FRANCÊS BOULEDOGUE FRANÇAIS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

Leia mais

SAMOIEDA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. GRUPO 5 Padrão FCI N o 212 09/01/1999. Padrão Oficial da Raça. Fédération Cynologique Internationale

SAMOIEDA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. GRUPO 5 Padrão FCI N o 212 09/01/1999. Padrão Oficial da Raça. Fédération Cynologique Internationale CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5 Padrão FCI N o 212 09/01/1999 Padrão Oficial da Raça SAMOIEDA (SAMOIEDSKAÏA SABAKA) Esta ilustração não representa necessariamente

Leia mais

GRUPO 7 Padrão FCI N o 1 28/10/2009

GRUPO 7 Padrão FCI N o 1 28/10/2009 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 7 Padrão FCI N o 1 28/10/2009 Padrão Oficial da Raça POINTER INGLÊS (ENGLISH POINTER) M.Davidson, illustr. NKU Picture Library

Leia mais

Já imaginou a monotonia da vida e dos negócios sem as cores?

Já imaginou a monotonia da vida e dos negócios sem as cores? AS CORES E OS NEGÓCIOS Já imaginou a monotonia da vida e dos negócios sem as cores? Conhecer o significado das cores, na vida e nos negócios, aumenta as suas possibilidades de êxito. Aproveite. Sabia,

Leia mais

George Vittorio Szenészi

George Vittorio Szenészi A Semana > Entrevista N Edição: 2173 01.Jul.11-21:00 Atualizado em 07.Jul.11-15:47 George Vittorio Szenészi "Inteligência sem emoção não funciona" O psicoterapeuta diz como a capacidade de lidar bem com

Leia mais

Deixo, em baixo, o significado de algumas cores.

Deixo, em baixo, o significado de algumas cores. {include_content_item 526} Criar apresentações em Powerpoint nem sempre é uma tarefa simples, principalmente quando não sabemos que cores utilizar. Seguir o gosto pessoal poderá não ser a melhor opção.

Leia mais

PEQUENO SPANIEL CONTINENTAL

PEQUENO SPANIEL CONTINENTAL CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 9 Padrão FCI 77 06/04/1998 Padrão Oficial da Raça PEQUENO SPANIEL CONTINENTAL EPAGNEUL NAIN CONTINENTAL PAPILLON / PHALÈNE

Leia mais

GRUPO 7 Padrão FCI N o 118 05/03/2014

GRUPO 7 Padrão FCI N o 118 05/03/2014 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 7 Padrão FCI N o 118 05/03/2014 Padrão Oficial da Raça GRANDE MUNSTERLANDER (GROSSER MÜNSTERLÄNDER VORSTEHHUND) Esta ilustração

Leia mais

A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia

A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia ILUMINAÇÃO A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia a luz vem de várias fontes; tem muitas qualidades; características que afetam todo o processo. A LINGUAGEM DA LUZ Fotografia Medíocre X Fotografia Grandiosa Depende

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça Superior Tribunal de Justiça Motivando a equipe em situações adversas Professor: Juca Palácios. Comunicação Positiva; Conversas difíceis; Conflitos; Comunicação positiva: As pessoas não precisam ser lideradas

Leia mais

COCKER SPANIEL INGLÊS ENGLISH COCKER SPANIEL

COCKER SPANIEL INGLÊS ENGLISH COCKER SPANIEL CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 8 Padrão FCI 5 28/10/2009 Padrão Oficial da Raça COCKER SPANIEL INGLÊS ENGLISH COCKER SPANIEL CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA ESTILLO FASHION TRAINING

APRESENTAÇÃO DA ESTILLO FASHION TRAINING APRESENTAÇÃO DA ESTILLO FASHION TRAINING A Estillo Fashion Training se concentra em tudo o que você quer e precisa saber sobre como trabalhar com imagem pessoal e imagem corporativa. Nosso objetivo é a

Leia mais

TESTE VOCACIONAL PROF. BRUNO AUGUSTO COLÉGIO SÃO JOSÉ

TESTE VOCACIONAL PROF. BRUNO AUGUSTO COLÉGIO SÃO JOSÉ TESTE VOCACIONAL PROF. BRUNO AUGUSTO COLÉGIO SÃO JOSÉ S I S T E M A P O S I T I V O D E E N S I N O Na escola, você prefere assuntos ligados à: a) Arte, esportes e atividades extracurriculares b) Biologia

Leia mais

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br

VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br VISITE O BLOG www.homemalpha.com.br APRESENTAÇÃO A timidez é um problema que pode acompanhar um homem a vida inteira, tirando dele o prazer da comunicação e de expressar seus sentimentos, vivendo muitas

Leia mais

A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital.

A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital. Elementos de Diagramação Comunicação Visual A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital. É construir, estruturar

Leia mais

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia.

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia. * Este texto corresponde à visão da autora Marcia Dib e todas as informações aqui contidas são de inteira responsabilidade da autora. ** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança

Leia mais

GRUPO 10 Padrão FCI N o 269 29/11/2000

GRUPO 10 Padrão FCI N o 269 29/11/2000 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 10 Padrão FCI N o 269 29/11/2000 Padrão Oficial da Raça SALUKI 2 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada à Fédération

Leia mais

Cores em Computação Gráfica

Cores em Computação Gráfica Cores em Computação Gráfica Uso de cores permite melhorar a legibilidade da informação, possibilita gerar imagens realistas, focar atenção do observador, passar emoções e muito mais. Colorimetria Conjunto

Leia mais

I N T E R P R E T A H O G A N D E S E N V O L V E R INVENTÁRIO HOGAN DE PERSONALIDADE. Relatório para: Fulano Tal ID: HB666327. Data: 14, Março, 2013

I N T E R P R E T A H O G A N D E S E N V O L V E R INVENTÁRIO HOGAN DE PERSONALIDADE. Relatório para: Fulano Tal ID: HB666327. Data: 14, Março, 2013 S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A N D E S E N V O L V E R I N T E R P R E T A INVENTÁRIO HOGAN DE PERSONALIDADE Relatório para: Fulano Tal ID: HB666327 Data: 14, Março, 2013

Leia mais

RESUMO VOCACIONAL. Pelé. por. www.vocacional.com.br

RESUMO VOCACIONAL. Pelé. por. www.vocacional.com.br RESUMO VOCACIONAL Pelé por www.vocacional.com.br Nome: Pelé Data Nascimento: 01h40-24/10/1940 Local de Nascimento: Três Corações / MG email: Cara Pelé, Você está recebendo o seu perfil vocacional resumido,

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 9 Padrão FCI N o 140 24/06/2014. Padrão Oficial da Raça ON TERRIER

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 9 Padrão FCI N o 140 24/06/2014. Padrão Oficial da Raça ON TERRIER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 9 Padrão FCI N o 140 24/06/2014 Padrão Oficial da Raça BOSTON ON TERRIER 2 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada

Leia mais

GRUPO 3 Padrão FCI N o 85 12/01/2011

GRUPO 3 Padrão FCI N o 85 12/01/2011 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 3 Padrão FCI N o 85 12/01/2011 Padrão Oficial da Raça WEST HIGHLAND WHITE TERRIER M.Davidson, illustr. NKU Picture Library

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 2 Padrão FCI N o 309 09/08/1999. Padrão Oficial da Raça SHAR PEI

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 2 Padrão FCI N o 309 09/08/1999. Padrão Oficial da Raça SHAR PEI CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI N o 309 09/08/1999 Padrão Oficial da Raça SHAR PEI 2 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada à Fédération

Leia mais

O que são as ilusões, afinal?

O que são as ilusões, afinal? Ilusão e Realidade O que são as ilusões, afinal? 01 Define-se Ilusão, como sendo aquilo que pensamos, mas que não corresponde à nossa realidade. 02 São percepções que nos distanciam da nossa verdade. Existem

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

PSIQUISMO E ACUPUNTURA

PSIQUISMO E ACUPUNTURA PSIQUISMO E ACUPUNTURA DELVO FERRAZ DA SILVA instituto de psicologia e acupuntura 1 ENTIDADES VISCERAIS Entidades que possuem atividades bastante estreita com as função INN, e são responsáveis pelas características

Leia mais

VISAGISMO NA ODONTOLOGIA: A PERSONALIZAÇÃO DO SORRISO

VISAGISMO NA ODONTOLOGIA: A PERSONALIZAÇÃO DO SORRISO VISAGISMO NA ODONTOLOGIA: A PERSONALIZAÇÃO DO SORRISO VISAGISM IN DENTISTRY: SMILE PERSONALIZATION Cicély Meiyi Shiotani Kao 1 Débora Diniz Rodrigues 2 Cíntia de Sousa Alferes Araújo 3 Fabio Martins Salomão

Leia mais

O Cuidado como uma forma de ser e de se relacionar

O Cuidado como uma forma de ser e de se relacionar O Paradigma Holístico O holismo ( de holos = todo) abrangendo a ideia de conjuntos, ou de todos e de totalidade, não engloba apenas a esfera física, mas se estende também às mais altas manifestações do

Leia mais

Técnicas de Maquiagem Denize Dantas Diretora de Vendas (com fotos e passo a passo)

Técnicas de Maquiagem Denize Dantas Diretora de Vendas (com fotos e passo a passo) Técnicas de Maquiagem Denize Dantas Diretora de Vendas (com fotos e passo a passo) Preparação da Pele Para a maquiagem se destacar e ficar prefeita, é necessário começar com a limpeza e hidratação da pele,

Leia mais

203.000 146.000 1.420.000 2ª. BOA FORMA é lider disparada do segmento e é Corpo a Corpo, principal concorrente

203.000 146.000 1.420.000 2ª. BOA FORMA é lider disparada do segmento e é Corpo a Corpo, principal concorrente BOA FORMA é lider disparada do segmento e é Corpo a Corpo, principal concorrente 5x maior que BOA FORMA vende mais de circulação garantida de BOA FORMA fala com mais de Entre as revistas femininas, é a

Leia mais

Iniciação à Fotografia Prof. Gust avo L. Pozza

Iniciação à Fotografia Prof. Gust avo L. Pozza Iniciação à Fotografia Prof. Gust avo L. Pozza Câm ara Escura Tipos de Câmeras A Câmera Básica Componentes comuns em todas as câmeras Visor Objetiva Plano do filme Diafragma Obturador Mecanismos de foco

Leia mais

MAQUIAGEM. www.organizesuavida.com.br

MAQUIAGEM. www.organizesuavida.com.br MAQUIAGEM Maquiagem passo a passo Seu rosto deve estar extremamente limpo, tonificado e hidratado. Seus cabelos devem estar presos para trás ou com uma faixa deixando todo o seu rosto a mostra. Lave o

Leia mais

GRUPO 2 Padrão FCI N o 149 10/01/2011

GRUPO 2 Padrão FCI N o 149 10/01/2011 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI N o 149 10/01/2011 Padrão Oficial da Raça BULLDOG M.Davidson, illustr. NKU Picture Library Esta ilustração

Leia mais

Perfil de estilos de personalidade

Perfil de estilos de personalidade Relatório confidencial de Maria D. Apresentando Estilos de venda Administrador: Juan P., (Sample) de conclusão do teste: 2014 Versão do teste: Perfil de estilos de personalidade caracterizando estilos

Leia mais

SUA APARÊNCIA REVELA COMO VOCÊ SE SENTE

SUA APARÊNCIA REVELA COMO VOCÊ SE SENTE tratamentos estéticos injetáveis podem melhorar sua imagem e autoestima SUA APARÊNCIA REVELA COMO VOCÊ SE SENTE R ē N U Rejuvenescimento com Naturalidade interessada numa alteração permanente. Estou feliz

Leia mais

BRACO DE BOURBON NAIS

BRACO DE BOURBON NAIS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 7 Padrão FCI 179 29/03/2006 Padrão Ofi cial da Raça BRACO DE BOURBON NAIS BRAQUE DU BOURBONNAIS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

WOLFHOUND IRLANDÊS. CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 10 Padrão FCI N o 160 02/04/2001

WOLFHOUND IRLANDÊS. CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale. GRUPO 10 Padrão FCI N o 160 02/04/2001 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 10 Padrão FCI N o 160 02/04/2001 Padrão Oficial da Raça WOLFHOUND IRLANDÊS (IRISH WOLFHOUND) 2 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE

Leia mais

Tutorial - Vetorizando uma fotografia

Tutorial - Vetorizando uma fotografia Tutorial - Vetorizando uma fotografia Thiago Santos 02-2013 Vetorizando uma fotografia Meu nome é Thiago Santos e vou mostrar a vocês como vetorizar uma fotografia. O processo não é muito complicado, mas

Leia mais

GRUPO 2 Padrão FCI N o 50 06/11/1996

GRUPO 2 Padrão FCI N o 50 06/11/1996 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI N o 50 06/11/1996 Padrão Oficial da Raça T E R R A (NEWFOUNDLAND) N O V A 2 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

Leia mais

Perfil Comportamen Comportamental G. D.H. Identificando Talentos e Oportunidades atra através do Comportamento

Perfil Comportamen Comportamental G. D.H. Identificando Talentos e Oportunidades atra através do Comportamento PASCom Identificando Talentos e Oportunidades atra através do Comportamento Perfil Comportamen Comportamental W & R Marketing Distribuidor para o Brasil do PASport Software Programs, Inc Inc. Para maiores

Leia mais

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A N D E S E N V O L V E R C A R R E I R A DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 Data: 12,

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 97 05/03/1998. Padrão Ofi cial da Raça SPITZ ALEMÃO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 97 05/03/1998. Padrão Ofi cial da Raça SPITZ ALEMÃO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5 Padrão FCI 97 05/03/1998 Padrão Ofi cial da Raça SPITZ ALEMÃO DEUTSCHER SPITZ inclusive o KEESHOND e o POMERÂNIA CONFEDERAÇÃO

Leia mais

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram

A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram A Psicologia de Vendas: Por Que as Pessoas Compram Esquema de Palestra I. Por Que As Pessoas Compram A Abordagem da Caixa Preta A. Caixa preta os processos mentais internos que atravessamos ao tomar uma

Leia mais

CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM HABILIDADES E COMPETÊNCIAS EMOCIONAIS Um curso aprovado por Paul Ekman

CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM HABILIDADES E COMPETÊNCIAS EMOCIONAIS Um curso aprovado por Paul Ekman Um programa de certificação internacional de três dias EMOÇÕES: O QUE SÃO E COMO LIDAR COM ELAS? Este curso trata das emoções, dos sentimentos, de como reconhecer e dirigir as emoções em nós mesmos e nos

Leia mais

Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus

Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus CURSO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO E ESPIRITUAL DESCUBRA A ASSINATURA DE SUAS FORÇAS ESPIRITUAIS Test Viacharacter AVE CRISTO BIRIGUI-SP Jul 2015 Vós sois deuses, pois brilhe a vossa a luz! Jesus I SABER

Leia mais

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos Universidade do Minho Escola de Psicologia rgomes@psi.uminho.pt www.psi.uminho.pt/ www.ardh-gi.com Esta apresentação não substitui a leitura

Leia mais

AULA DE AUTOMAQUIAGEM E MAQUIAGEM DA ANFITRIÃ:

AULA DE AUTOMAQUIAGEM E MAQUIAGEM DA ANFITRIÃ: AULA DE AUTOMAQUIAGEM E MAQUIAGEM DA ANFITRIÃ: Meninas, eu escrevi esta aula para vocês treinarem em si próprias e ensinarem suas clientes. A coisa mais importante é nossa cliente saber que não há uma

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

GRUPO 3 Padrão FCI N o 103 20/01/1998

GRUPO 3 Padrão FCI N o 103 20/01/1998 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 3 Padrão FCI N o 103 20/01/1998 Padrão Oficial da Raça TERRIER ALEMÃO DE CAÇA - JAGD (DEUTSCHER JAGDTERRIER) Esta ilustração

Leia mais

Dr. Eduardo Henrique Teixeira

Dr. Eduardo Henrique Teixeira Dr. Eduardo Henrique Teixeira CONCEITO Personalidade normal: Maneira (única) de cada indivíduo de reagir e de se relacionar com outros e com o ambiente. CONCEITO Personalidade anormal: Disposição, inata,

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Desenho Técnico Assunto: Aula 3 - Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Professor: Emerson Gonçalves Coelho Aluno(A): Data: / / Turma: Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Quando olhamos para

Leia mais

CÃO FILA DE SÃO MIGUEL

CÃO FILA DE SÃO MIGUEL CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI N o 340 20/06/2007 Padrão Oficial da Raça CÃO FILA DE SÃO MIGUEL CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada

Leia mais

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013 Expressão Musical II Docente: António Neves Discente: Ana Matos nº 53184 A música e o som, enquanto energia, estimulam

Leia mais

CÃO DE GADO TRANSMONTANO

CÃO DE GADO TRANSMONTANO CÃO DE GADO TRANSMONTANO ORIGEM: Trás-os-Montes - Portugal UTILIZAÇÃO: Cão de guarda e protecção de gado ovino e caprino CLASSIFICAÇÃO: 2º Grupo, secção II Molossóides BREVE RESENHA HISTÓRICA: A origem

Leia mais

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO Paulo Secches Officina Sophia Realização organização O QUE FUNCIONA E O QUE NÃO FUNCIONA NA COMUNICAÇÃO DE VAREJO Julho / 2012 TRÊS QUESTÕES-CHAVE A Comunicação

Leia mais

HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE

HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Fundamentais HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE Prof. Dr. João Gomes Filho I 2011 BIBLIOGRAFIA www.joaogomes.com.br João Gomes Filho

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof.

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CORES EM COMPUTAÇÃO GRÁFICA O uso de cores permite melhorar

Leia mais

Consumo de produtos de beleza

Consumo de produtos de beleza Consumo de produtos de beleza Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado.

Leia mais

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito CURSO: COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA TURMA: CS2/CS3 DIREÇÃO DE ARTE Apostila 4 A TIPOLOGIA APLICADA À PROPAGANDA MARÇO 2009 k A TIPOLOGIA APLICADA À PROPAGANDA Conceitos: Tipologia: Consiste

Leia mais

www.corps3.com.br/blog - corps3@corps3.com.br (71) 3451-4740 / (71) 8892-2500

www.corps3.com.br/blog - corps3@corps3.com.br (71) 3451-4740 / (71) 8892-2500 www.corps3.com.br/blog - corps3@corps3.com.br (71) 3451-4740 / (71) 8892-2500 Aptidão invulgar (natural ou adquirida), engenho, habilidade para realização eficaz e prazerosa de determinadas atividades.

Leia mais

ESTRUTURA CEREBRAL 1. SISTEMA LÍMBICO PROBLEMAS DO SISTEMA LÍMBICO PROFUNDO

ESTRUTURA CEREBRAL 1. SISTEMA LÍMBICO PROBLEMAS DO SISTEMA LÍMBICO PROFUNDO ESTRUTURA CEREBRAL As informações de atividade cerebral aqui comentadas estão baseadas no SPECT - tomografia computadorizada de emissão de fóton único. É um estudo de medicina nuclear que olha diretamente

Leia mais