PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016"

Transcrição

1 PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / INTRODUÇÃO A Faculdade de Medicina Veterinária/UNESP Câmpus de Araçatuba, é uma instituição que possui como principais atividades: o Ensino e a Pesquisa. Nos trabalhos realizados pelos alunos, servidores e docentes existem riscos, originados pelo tipo de atividade, infra-estrutura e organização, os quais podem causar acidentes e doenças do trabalho. Assim, a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes possui um importante papel: colaborar na prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, a fim de torná-lo compatível com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador (NR5). Sabendo da importância desta comissão, para a instituição de ensino, essa gestão tem como objetivo a integração dos trabalhadores (discentes, docentes, servidores e funcionários terceirizados ou não) com o enfoque nas: ações educativas, identificação dos riscos e busca de soluções, a fim de minimizar situações que prejudicam a saúde e/ou limitam a qualidade de vida. No entanto, existem muitas causas e razões que dificultam o trabalho da CIPA e os resultados desta dificuldade geram o sofrimento dos trabalhadores e custos a serem arcados pela instituição e pela sociedade como um todo. Por isso, é importante buscar soluções para melhorar a atuação da CIPA, o que deve ser objeto de debate nas próprias reuniões para a busca da eficiência e eficácia, que devem ser tratadas de forma séria e abertas. Além disso, é importante que a instituição garanta aos membros da CIPA, o tempo necessário para que este plano seja elaborado e monitorado. 2. OBJETIVOS 2.1. OBJETIVO GERAL A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. 1

2 2.2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Participar na implementação e controle da qualidade das medidas de prevenção necessárias, bem como, da avaliação das prioridades de ação nos locais de trabalho. Participar das discussões promovidas pela Instituição, para avaliar os impactos de alterações no ambiente de trabalho e propor alternativas. Colaborar no desenvolvimento e implementação do PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional e PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e de outros programas relacionados à segurança e saúde no trabalho. Divulgar para toda comunidade acadêmica da FMVA/UNESP, informações relativas à segurança e saúde no trabalho; e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras, bem como, cláusulas de acordos e convenções de trabalho relativas à segurança e saúde no trabalho. Promover a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT), juntamente com a Seção Técnica de Saúde (STS) / Coordenadoria de Saúde e Segurança do Trabalhador e Sustentabilidade Ambiental (COSTSA), procurando abranger o maior número de colaboradores. Identificar os riscos do processo de trabalho, elaborar e atualizar os mapas de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria da STS / COSTSA. Realizar, periodicamente, vistorias nos ambientes e condições de trabalho, com o objetivo de identificar situações que venham trazer riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores. Elaborar banco de dados com acidentes de trabalho e de trajeto para posterior análise e adequação que visem sanar os eventuais problemas apontados. Realizar, a cada reunião, avaliação do cumprimento das metas fixadas em seu plano de trabalho e discutir as situações de risco que foram identificadas. 3. METAS E ESTRATÉGIA DE AÇÃO 3.1. Mapas de Risco Até o final de julho de 2016, os cipeiros deverão realizar a aplicação de questionários para levantamento de dados, através de entrevistas e visita dos locais, confeccionar e fixar os Mapas de Risco em todos os setores. Os riscos existentes nos locais de trabalho deverão ser mapeados e descritos em um quadro informativo (Mapas de Riscos), com indicação das medidas de controle para os riscos 2

3 identificados. Os riscos do processo de trabalho deverão ser identificados com a participação do maior número de funcionários, com a assessoria da STS / COSTSA Levantamento dos Problemas e Vistorias Os cipeiros realizarão levantamento de problemas, de acordo com a necessidade, que forem apontados por indicação da comunidade da FMVA/UNESP (discentes, servidores e docentes) ou por órgãos fiscalizadores externos. Também, poderá acompanhar o Técnico de Segurança na vistoria de novas obras e reformas, a fim de verificar se estarão adequadas para garantir a segurança e saúde do trabalhador Elaboração de Planos de Segurança Os cipeiros deverão auxiliar a STS / COSTSA na elaboração de projetos e planos, para a melhoria das condições de segurança no trabalho da FMVA/UNESP Inspeções Periódicas As inspeções serão feitas pelos cipeiros ou servidores, nas áreas de sua atuação, através do preenchimento de Check-lists elaborados pela CIPA e STS / COSTSA. As inspeções deverão ocorrer antes de cada reunião ordinária, sendo que nesta reunião junto com a STS / COSTSA, deverão ser verificados os problemas encontrados e soluções apontadas, os quais serão encaminhados para a direção e chefias responsáveis pelos setores, para futuras providências. Após a solução dos problemas, deverá ser apresentado um relatório na CIPA, que deverá ser encaminhado a STS / COSTSA, para arquivamento Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT) A Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho será promovida, pelos cipeiros em conjunto com a STS / COSTSA, para abordar temas importantes relacionados com a saúde e segurança, de interesse da comunidade FMVA/UNESP. Ainda, deverão ser previstas, atividades culturais e de saúde, durante o evento. Data prevista: semana de 04 a 07 de junho. Além disso, os cipeiros junto com a STS / COSTSA deverão criar e organizar campanhas internas, com caráter educativo, sobre temas importantes relacionados com a saúde e segurança, e de interesse geral (drogas, tabagismo, AIDS, ergonomia, alcoolismo, obesidade, medula óssea, etc.). 3

4 3.6. Análise de acidentes As causas das doenças e acidentes de trabalho, que forem registrados, deverão ser investigadas e propostas medidas para a solução dos problemas identificados. Esta análise deverá ser feita, tendo em mãos a Notificação de Doença Profissional (NDO) ou Notificação de Acidente de Trabalho (NAT), que será fornecida pela STS / COSTSA. A análise deverá ser promovida pelo cipeiro da área, com participação mínima das seguintes personalidades: a. Acidentado; b. Chefia ou responsável imediato; c. Cipeiro da respectiva área; d. Técnico de Segurança; e. Responsável pelo setor/departamento (opcional). Obs: O relatório de acidentes deverá ser preenchido pelo cipeiro responsável pela área, onde ocorreu o acidente e encaminhado a todos os participantes da análise para assinatura. Em seguida, deverá ser enviado a STS / COSTSA para acompanhamento e arquivamento. A análise do acidente deverá ser comunicada na reunião da CIPA seguinte Divulgação de informações e trabalhos Divulgar para a comunidade acadêmica, informações referentes à segurança e saúde no trabalho, utilizando-se dos diversos meios de comunicação disponíveis nas Unidades. De acordo, com a necessidade os cipeiros colaborarão na elaboração de atas, ofícios, memorandos e circulares da CIPA, para resolução de problemas e melhoria da segurança no trabalho. Também, auxiliarão na divulgação de palestras, curso e eventos relacionados com a saúde e segurança no trabalho. E ainda, promoverão campanhas de mobilização para candidaturas para a próxima eleição da CIPA Semanalmente, o cipeiro elaborará e divulgara o Boletim da CIPA, através de meios de comunicação disponíveis na Unidade, com informações relacionadas com o tema saúde, segurança e qualidade de vida, para conscientização de toda comunidade da FMVA/UNESP Avaliação das Metas do Plano Realizar a cada reunião, avaliação do cumprimento das metas fixadas no plano de trabalho. 4

5 4. RESULTADOS ESPERADOS Espera-se que, ao longo de um ano de gestão, a CIPA possa agir diretamente nas questões onde possui governabilidade, para oferecer condições de uma melhoria na qualidade de vida dos colaboradores do FMVA/UNESP. O desafio é grande, mas com o comprometimento de todos os membros da CIPA, apoio da FMVA/UNESP, e principalmente dos colaboradores, espera-se influenciar decisivamente nos ambientes transformando-os em lugares agradáveis para se viver e trabalhar. REFERÊNCIAS UCG. Modelo Plano de Ação. Disponível em: Acesso em: 10 nov PUC-MG. Plano de Trabalho da CIPA ( ). Disponível em: Acesso em: 10 nov IBES. Plano de Trabalho da CIPA ( ). Disponível em: Acesso em: 10 nov

6 ANEXO I - PLANO DE ATIVIDADES DA CIPA E CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Gestão 2015 / 2016 ATIVIDADES EQUIPE CRONOGRAMA CÓD DESCRIÇÃO RESP. / Colaboradores / Dia da INÍCIO FIM semana 1 Mapa de Risco Preencher questionários Digitar respostas Gerar desenhos Gerar mapas Afixar mapas 2 Levantamento dos Problemas e Vistorias Levantamento de máquinas e equipamentos sem proteção Levantamento de extintores Vistoria de novas obras e reformas 3 Plano e projetos de Segurança Elaboração de Plano de Segurança do trabalhador sobre risco químico Elaboração de outros projetos de segurança Verificação do cumprimento de planos e projetos 4 Inspeções de segurança / Checklist Inspeções / Checklist: 6

7 ANEXO I - PLANO DE ATIVIDADES DA CIPA E CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Gestão 2015 / 2016 ATIVIDADES EQUIPE CRONOGRAMA CÓD DESCRIÇÃO RESP. / Colaboradores / Dia da semana INÍCIO FIM 5 Organização da SIPAT Coleta de sugestões Apresentação sugestões; Contatos com palestrantes; Organização: reserva de salas, equipamentos, hotel, coffe break Solicitar patrocínio Divulgação: faixas, cartazes, . Solicitar liberação dos servidores. Compra de brindes e Mimos para Palestrantes. Realização da SIPAT Elaboração de relatório e emissão de Certificados 6 Análise de Acidentes Participação de treinamento sobre análise de acidentes Tomada de depoimentos Elaboração dos relatórios Revisão e finalização dos relatórios Inserção do acidente em banco de dados 7 Divulgação (informações, eventos, palestras, cursos e eleições CIPA) Cipeiros Atas, ofícios, memorandos, circulares. Informações técnicas (Boletim CIPA): normas, CAT, avaliação de riscos, procedimentos de segurança. Palestras, cursos, eventos e eleições. Mobilização para eleições CIPA. Informativos (Boletim CIPA): acidentes; estatísticas, prevenção. 8 Avaliação das Metas do Plano Cipeiros Reuniões mensais 7

PLANO DE GESTÃO INTRODUÇÃO

PLANO DE GESTÃO INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO PLANO DE GESTÃO 2014 A Faculdade de Engenharia da Unesp Câmpus de Ilha Solteira é uma instituição que tem como principais atividades o ensino, a pesquisa e a extensão. Os servidores estão

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES. Jeferson Seidler

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES. Jeferson Seidler CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Objetivo A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar

Leia mais

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES A sigla CIPA significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, isto é, trata-se de um grupo de pessoas que atua no interior da empresa com o objetivo

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. NR 5 Portaria SSST n.º 08, de 23 de fevereiro de 1999

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. NR 5 Portaria SSST n.º 08, de 23 de fevereiro de 1999 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA NR 5 Portaria SSST n.º 08, de 23 de fevereiro de 1999 Objetivo Tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a

Leia mais

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO

Número: IT-DRH-SST-001. Revisão: 00 CIPA. Data: Página 1 de 6 SUMÁRIO Página 1 de 6 SUMÁRIO 1. Objetivo... 3 2. Escopo... 3 3. Referências... 3 4. Definições... 3 Conceitos... 3 Siglas... 3 5. Detalhamento... 4 Atribuições da... 4 Constituição da... 4 Treinamento da... 4

Leia mais

Roberto Frederico Merhy REITOR

Roberto Frederico Merhy REITOR RESOLUÇÃO UNIV N o 16, DE 10 DE AGOSTO DE 2000. Homologa o Regulamento da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, na

Leia mais

(Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho) 05 de novembro de 2012 INFORMATIVO 1

(Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho) 05 de novembro de 2012 INFORMATIVO 1 (Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho) 05 de novembro de 2012 INFORMATIVO 1 O que é CIPA? A CIPA vem por meio desse informativo, esclarecer o que é, quais as atribuições e como trabalha,

Leia mais

Norma Regulamentadora 05. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.

Norma Regulamentadora 05. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2. Norma Regulamentadora 05 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.0 dez/15 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

- ; - -1,- NOTA TÉCNICA N`&5-7.12016/ CGNOR/DSST/SIT/MTPS

- ; - -1,- NOTA TÉCNICA N`&5-7.12016/ CGNOR/DSST/SIT/MTPS . - ; - -1,- - MINISTÉRIO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO Esplanada dos Ministérios, Bloco F, Anexo, Ala B, 1 andar, sala 176 - CEP: 70056-900 - Brasilia/DF sitgmte

Leia mais

Kadjanery Araújo Macedo dos Santos Heloísa de Oliveira Campos

Kadjanery Araújo Macedo dos Santos Heloísa de Oliveira Campos CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde IMPLANTAÇÃO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO HOSPITAL REGIONAL DEOCLÉCIO MARQUES DE LUCENA, PARNAMIRIM/RN

Leia mais

PLANEJAMENTO DAS AÇÕES CIPA UNIVALI CAMPUS ITAJAÍ

PLANEJAMENTO DAS AÇÕES CIPA UNIVALI CAMPUS ITAJAÍ PLANEJAMENTO DAS AÇÕES CIPA UNIVALI CAMPUS ITAJAÍ ANO 2017 CRONOGRAMA DE AÇÕES FEVEREIRO : Dia 05.02 DIA NACIONAL DA MAMOGRAFIA A CIPA Gestão 2016-2017, imbuída do compromisso com a segurança e saúde de

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A CIPA. Comissão Interna de Prevenção de Acidente

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A CIPA. Comissão Interna de Prevenção de Acidente INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidente O que é CIPA? A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) é um instrumento disponível aos trabalhadores que trata da prevenção

Leia mais

O Guia Completo. Como montar uma CIPA

O Guia Completo. Como montar uma CIPA O Guia Completo Como montar uma CIPA Índice Introdução 03 O que é CIPA? 04 Obrigatoriedade da CIPA 05 Composição da CIPA 06 Atribuições da CIPA 09 Processo Eleitoral da CIPA 13 Treinamento para CIPA 17

Leia mais

PREVENÇÃO DE ACIDENTES GESTÃO 2012/2013

PREVENÇÃO DE ACIDENTES GESTÃO 2012/2013 PREVENÇÃO DE ACIDENTES A Segurança não é o simples ato egoísta de não querer acidentar, mas sobretudo, um ato de solidariedade de não deixar ocorrer acidentes MÓDULO I NR5 Norma Regulamentadora nº 5 OBJETIVO

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS APROVADAS PELA PORTARIA 3214 DE 08/06/1978 33 NR REVOGADAS NR RURAIS EM 15/04/2008 http://www.mte.gov.br/legislacao normas regulamentadoras NR 4 - SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ENGENHARIA

Leia mais

LEI Nº /09/2001

LEI Nº /09/2001 LEI Nº 13.174 05/09/2001 Art 1º IMPLANTAÇÃO DA CIPA Todas as unidades das diversas secretarias; Autarquias; 20(vinte) trabalhadores (as) Art. 3º NR 5 Portaria 3.214/78 Lei 6.514/78 MTE Art 2º ESTABILIDADE

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área Tecnológica: Segurança

Leia mais

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página:

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: PROCEDIMENTO DO SMS PR-99-991-CPG-005 Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: 1/6 1. OBJETIVO Definir metodologia e responsabilidades para

Leia mais

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA)

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA) Capítulo 4 Riscos ambientais empresariais Segundo o artigo 9.1.5 da Portaria n 25, de 29.12.94, do Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, considera-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos

Leia mais

AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA

AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA AVALIAÇÃO GLOBAL AVALIAÇÃO GLOBAL PPRA 2014 / 2015 Empresa: SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE- SUSAM- HPS 28 DE AGOSTO Responsável Técnica: Reginaldo Beserra Alves Eng.º Segurança no Trabalho CREA 5.907-D/PB

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Profa. Soraya Ferreira Habr

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Profa. Soraya Ferreira Habr Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Profa. Soraya Ferreira Habr O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. CIPA Conceito COMISSÃO: Grupo de pessoas conjuntamente encarregadas

Leia mais

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO . NOME DA ATIVIDADE: RESULTADOS ESPERADOS: - VERIFICAR SE A EMPRESA ESTÁ ATENDENDO ÀS EXIGÊNCIAS LEGAIS. - MANTER O EMPREGADOR INFORMADO SOBRE AS EXIGÊNCIAS LEGAIS APLICÁVEIS AO SEU NEGÓCIO. - ORIENTAR

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

Programa obrigatório em qualquer empresa que possua funcionários regidos pela CLT, independente da quantidade. Deve ser coordenado por Médico com

Programa obrigatório em qualquer empresa que possua funcionários regidos pela CLT, independente da quantidade. Deve ser coordenado por Médico com Saúde e Segurança no Trabalho Gestão de Segurança na Construção Civil e Seus Pontos Positivos PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional O que é? Programa obrigatório em qualquer empresa que

Leia mais

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES OBJETIVO 1 / 8

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES OBJETIVO 1 / 8 OBJETIVO 1 / 8 Conforme Norma Regulamentadora 5 (NR5) a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar

Leia mais

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses.

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses. SRH - SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS MISSÃO DA UNIDADE: Promover as políticas de recursos humanos contribuindo para o funcionamento e aprimoramento das atividades desenvolvidas pela Universidade.

Leia mais

NR 05 - CIPA. 5.2 Deve ser organizada por estabelicimento

NR 05 - CIPA. 5.2 Deve ser organizada por estabelicimento NR 05 CIPA 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com

Leia mais

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA 1. Quais são os requisitos para obtenção de bolsa monitoria? a) o discente deve estar regularmente matriculado no período letivo em

Leia mais

OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO.

OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO. OPTE POR UMA EMPRESA SÉRIA COM + DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO www.grupomednet.com.br [ quem somos? ] 550 7100 MIL VIDAS CLIENTES 30 UNIDADES 22 ANOS 11 ESTADOS SISTEMA PRÓPRIO DE

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Pelo presente instrumento particular, de um lado, a EMPRESA, qualificada no TERMO DE ADESÃO À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

QUALIDADE. Importante: Nesta edição: Como Obter a Maturidade no SGQ

QUALIDADE. Importante: Nesta edição: Como Obter a Maturidade no SGQ Egelte Engenharia Ltda Informativo Mensal Ano 9-108 Edição QUALIDADE Como Obter a Maturidade no SGQ O Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) em muitas vezes é visto por apenas 3 pontos, implementação, gestão

Leia mais

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA. O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes.

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA. O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA Profª MsC Carla Pintas O que é CIPA? Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. NR 5 - Portaria 3.214/78, alterada pelas Portarias 33/83, 25/94 e 08/99

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

Relatório de conclusão de trabalhos da Comissão Interna de Prevenção. de Acidentes CIPA FCFRP Gestão 2015/2016

Relatório de conclusão de trabalhos da Comissão Interna de Prevenção. de Acidentes CIPA FCFRP Gestão 2015/2016 Ribeirão Preto, 30 de março de 2016. Relatório de conclusão de trabalhos da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA FCFRP Gestão 2015/2016 A (CIPA) na gestão de 2015/16 foi formada por representantes

Leia mais

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes

Posicionamento Consultoria De Segmentos Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes Norma Regulamentadora Nº 9 - Descrição das medidas de controles já existentes 04/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que?

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que? ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO CCSH Questão Geral 1.1 Como você percebe a utilização dos resultados da autoavaliação como subsídio à revisão, proposição e implementação das ações

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para identificação de não-conformidades, assim como a implantação de ação corretiva e ação preventiva, a fim de eliminar as causas das não-conformidades

Leia mais

DDS - A CIPA e a NR - 5. DDS Diálogo Diário de Segurança: A CIPA e a NR-5

DDS - A CIPA e a NR - 5. DDS Diálogo Diário de Segurança: A CIPA e a NR-5 1 DDS - A CIPA e a NR - 5 DDS Diálogo Diário de Segurança: A CIPA e a NR-5 DDS - A CIPA e a NR - 5 A CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar

Leia mais

Lucineide Cruz Juliana Pontelo SAIBA TUDO SOBRE CONSTITUIÇÃO DA CIPA NORMA REGULAMENTADORA COMENTADA

Lucineide Cruz Juliana Pontelo SAIBA TUDO SOBRE CONSTITUIÇÃO DA CIPA NORMA REGULAMENTADORA COMENTADA Lucineide Cruz Juliana Pontelo SAIBA TUDO SOBRE CONSTITUIÇÃO DA CIPA NORMA REGULAMENTADORA COMENTADA As autoras agradecem a Ricardo Henrique Paulino da Cruz pela colaboração pela revisão desta obra. Página

Leia mais

Gestão de Eventos. 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 04

Gestão de Eventos. 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 04 Gestão de Eventos 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 04 Sumário GESTÃO DE EVENTOS 1 Apresentação.3 GESTÃO DE EVENTOS.4 Elementos do processo

Leia mais

LISTA DE EXERCÌCIOS 1

LISTA DE EXERCÌCIOS 1 Faculdade Anhanguera de Guarulhos Rua do Rosário, 300, Centro - Guarulhos SP. Data: / / 2014 Nota: Nome RA Assinatura Ergonomia e Segurança do Trabalho José Jorge Alcoforado Curso/Turma Disciplina Professor

Leia mais

Programa PROCESSO Descrição Pré-Requisitos. Definir parâmetros a serem considerados pelo módulo de Segurança do Trabalho a nível de empresa.

Programa PROCESSO Descrição Pré-Requisitos. Definir parâmetros a serem considerados pelo módulo de Segurança do Trabalho a nível de empresa. Programa PROCESSO Descrição Pré-Requisitos MT0004 - Parâmetros Medicina e Parâmetro Definir parâmetros a serem considerados pelo módulo de do Trabalho a nível de empresa. FP0840 FP0560 FP1100 AT0021 FP0560

Leia mais

GO ALINHAMENTO ESTRATÉGICO

GO ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Versão 01 - Página 1/24 PROCESSO: Acompanhamento e controle das obras nas sedes do MP-GO PROCEDIMENTO: Acompanhamento e controle das obras nas sedes do MP- GO ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Objetivo estratégico:

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT Área: Controle da Gestão 1.1 Atendimento às diligencias Subsidiar e acompanhar as implementações de CGU Constatar se foram atendidas, pela Atender as informações junto as unidades Jan a Dez Nas áreas dos

Leia mais

EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO NÚCLEO DE PRÁTICAS EM GESTÃO

EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO NÚCLEO DE PRÁTICAS EM GESTÃO EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO A Coordenação do Curso de Administração da Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga (FADIP), por meio do Núcleo de Práticas em Gestão,

Leia mais

PORTFOLIO SERVIÇOS. Rua Airosa Galvão, 30 - Água Branca São Paulo - SP Tel.: (11)

PORTFOLIO SERVIÇOS. Rua Airosa Galvão, 30 - Água Branca São Paulo - SP Tel.: (11) PORTFOLIO DE SERVIÇOS Quem somos Desde 1988 acompanhando o dia-a-dia de mais de 4.600 clientes e 280.000 vidas, com satisfação afirmamos que nosso trabalho tem atingido objetivos importantes, tais como:

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA NOSSA CASA A importância do Trabalho em Equipe Multidisciplinar Assistente Social Enfermeira Técnicos de enfermagem Fisioterapeuta Nutricionista Médico Psicólogo

Leia mais

Código Revisão Área Aprovação Data Página PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1

Código Revisão Área Aprovação Data Página PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1 PS 12 3 Gestão Diretor Técnico 17/04/2017 1 1. OBJETIVO Estabelecer uma sistemática para análise das causas de não conformidades e implementação de ações corretivas, com o intuito de eliminar a reincidência

Leia mais

PLANO DE AÇÃO

PLANO DE AÇÃO INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO 2016-207 São Luís 2016 1 INTRODUÇÃO O plano de ações da CPA define os rumos dos trabalhos que serão desenvolvidas pela

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MATO GROSSO DO SUL (Neabi) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente

Leia mais

Parceria. Visite nossos sites!

Parceria. Visite nossos sites! Parceria http://www.as-solucoes.com.br http://www.allservice.com.br Visite nossos sites! Parceria AS x All Service Visando as alterações de mercado, verificamos a necessidade de muitos clientes que não

Leia mais

Histórico e Realizações da CIPA Unesp Campus de Sorocaba

Histórico e Realizações da CIPA Unesp Campus de Sorocaba (Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho) 06 de novembro de 2012 INFORMATIVO 2 Histórico e Realizações da Unesp Campus de Sorocaba Esse informativo pretende esclarecer sobre o histórico da

Leia mais

ESTATUTO - LIGA DE X (Nome da Liga) (Sigla da Liga)

ESTATUTO - LIGA DE X (Nome da Liga) (Sigla da Liga) ESTATUTO - LIGA DE X (Nome da Liga) (Sigla da Liga) TÍTULO I Da Disposição Preliminar Art. 1 O presente estatuto tem por objetivo estabelecer as normas que presidirão o funcionamento e as atividades da

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nª 002/2016/CASQV/DGP/IFRO

NOTA TÉCNICA Nª 002/2016/CASQV/DGP/IFRO NOTA TÉCNICA Nª 002/2016/CASQV/DGP/IFRO ASSUNTO: Estabelece os procedimentos a serem adotados no âmbito do IFRO, no que se refere a acidente em Serviço. O acidente em serviço está disposto nos Arts. 211

Leia mais

REGULAMENTO DA CEPA. Regulamentação da Comissão Escolar de Prevenção de Acidentes Revisão. 03

REGULAMENTO DA CEPA. Regulamentação da Comissão Escolar de Prevenção de Acidentes Revisão. 03 REGULAMENTO DA CEPA SUMÁRIO Regulamentação Centro Integrado SESI/SENAI Dona Nenem Scariolli/ETFG... 3 CEPA Comissão Escolar De Prevenção de Acidentes... 3 Objetivo:... 3 Da Constituição:... 3 Da Organização:...

Leia mais

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017 Resumo Descreve os componentes do SCI Sistema de Controles Internos da Riviera Investimentos e estabelece as responsabilidades e procedimentos para a sua gestão. Sumário 1. Objetivo...2 2. Público-alvo...2

Leia mais

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

CONSULTORIA EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Documentos legais: PPRA, LTCAT, PPP, PCMSO, E social; Monitoramento de Ruído, vibração, calor e químicos (NR 15) Emissão de laudos técnicos em atendimento a NR 15 e NR 16 Assistência técnica Pericial;

Leia mais

REALIZAR AÇÕES DE ERGONOMIA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Renata Mendes da Silva. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação

REALIZAR AÇÕES DE ERGONOMIA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Renata Mendes da Silva. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação REALIZAR AÇÕES DE ERGONOMIA HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 11/09/2012 01 05/06/2013 02 Alteração dos itens: 6.1; 6.34; Inclusão de atividades no item 6 (do 6.19

Leia mais

SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO. Professor: Gleison Renan Inácio Curso: Tecnólogo Mecatrônica

SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO. Professor: Gleison Renan Inácio Curso: Tecnólogo Mecatrônica SEG72 - SEGURANÇA DO TRABALHO Professor: Gleison Renan Inácio gleison.renan@ifsc.edu.br Curso: Tecnólogo Mecatrônica NR-4 - SERVIÇOS - Aula ESPECIALIZADOS 02 EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO

Leia mais

TEMA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

TEMA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES TEMA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Disciplina: Engenharia de Segurança DO OBJETIVO A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças

Leia mais

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS DCHT CAMPUS XIX CAMAÇARI NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO Camaçari BA CAPÍTULO I Da Finalidade Art. 1º

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS DE ASSESSORAMENTO

REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS DE ASSESSORAMENTO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS DE ASSESSORAMENTO O Conselho de Administração da BM&FBOVESPA (respectivamente o Conselho e a Companhia ) será assessorado por quatro comitês permanentes: Auditoria; Governança

Leia mais

Nº 53, terça-feira, 24 de maio de Nº 53, 24 de maio de 2016

Nº 53, terça-feira, 24 de maio de Nº 53, 24 de maio de 2016 Nº 53, 24 de maio de 2016 Nº 1 De 30 de julho de 2013 EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - EBSERH HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS UFGD Rua Ivo Alves da Rocha,

Leia mais

Resolução CCCC nº 006/2015. Regulamenta o Programa de Acompanhamento de Egresso (PAE) do Curso de Graduação em Ciências Contábeis.

Resolução CCCC nº 006/2015. Regulamenta o Programa de Acompanhamento de Egresso (PAE) do Curso de Graduação em Ciências Contábeis. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS Resolução CCCC nº 006/2015

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017 PRIMEIRA RETIFICAÇÃO A Prefeitura Municipal de Guaíra, Estado de São Paulo, torna público que realizará por meio do INSTITUTO EXCELÊNCIA LTDA - ME, na forma prevista no artigo 37, inciso IX, da Constituição

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009 UNIVERSIDADE DANTA CECÍLIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL É preciso avaliar para mudar RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO ANO LETIVO DE 2009 PERÍODO FEVEREIRO

Leia mais

REGIMENTO DO COMITÊ DE BIOSSEGURANÇA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTABÉIS DE ITABIRA FACCI/FUNCESI. CAPÍTULO I

REGIMENTO DO COMITÊ DE BIOSSEGURANÇA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTABÉIS DE ITABIRA FACCI/FUNCESI. CAPÍTULO I REGIMENTO DO COMITÊ DE BIOSSEGURANÇA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTABÉIS DE ITABIRA FACCI/FUNCESI. CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º. O presente Regimento tem o propósito

Leia mais

Elaboração, Aprovação e Implementação das Normas Regulamentadoras - NR

Elaboração, Aprovação e Implementação das Normas Regulamentadoras - NR Elaboração, Aprovação e Implementação das Normas Regulamentadoras - NR Clovis Veloso de Queiroz Neto Confederação Nacional da Indústria - CNI MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO ELABORAÇÃO APROVAÇÃO CENÁRIO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 95 aprovado pela portaria Cetec nº 38 de 30/10/2009. Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

Giselle Bianca Tófoli

Giselle Bianca Tófoli CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde IMPLANTAÇÃO DE MAPA DE RISCOS E SENSIBILIZAÇÃO DAS EQUIPES DE ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA DE TIRADENTES - MG

Leia mais

PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração

PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração XXXI Jornada Paranaense de Saúde Ocupacional, IV Congresso Paranaense de Medicina do Trabalho II Encontro Iberoamericano II Simpósio Paranaense de Higiene Ocupacional PPRA: Equívocos Comuns na Elaboração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS COLEGIADO DE CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS COLEGIADO DE CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS COLEGIADO DE CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS Anexo 4 Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado Não-obrigatório do Curso de

Leia mais

REALIZAR PESQUISA DE SATISFAÇÃO HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Vera Marques. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação

REALIZAR PESQUISA DE SATISFAÇÃO HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Vera Marques. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação REALIZAR PESQUISA DE SATISFAÇÃO HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 10/03/2012 01 Alteração do Formato; Exclusão do item 7 - Indicadores. Elaborado Revisado Glauber

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA CADASTRAMENTO DE PROJETOS DE EXTENSÃO. (Documento de fluxo contínuo)

ORIENTAÇÕES PARA CADASTRAMENTO DE PROJETOS DE EXTENSÃO. (Documento de fluxo contínuo) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO Campus MORRINHOS ORIENTAÇÕES PARA CADASTRAMENTO

Leia mais

Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016.

Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016. Denominação: Procedimento de Comunicação Interna e Externa Dono do Processo: Tipo do Doc. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016 Empresa Área Numero Rev: 01 Controle de alterações Revisão Data Local

Leia mais

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO TÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1 - À coordenação de eixo-tecnológico compete: I - Convocar e presidir as reuniões do Colegiado de Curso; II - Submeter à Coordenação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru- SP Eixo Tecnológico: Segurança. Habilitação Profissional: Habilitação Profissional Técnica de Nível

Leia mais

Ficha Informativa + Segurança

Ficha Informativa + Segurança Ficha Informativa + Segurança Saúde Edição N.º 19 Atividades Técnicas do Serviço de Segurança no Trabalho dezembro de 2016 O desenvolvimento da prevenção de riscos profissionais no local de trabalho é

Leia mais

Qualidade de vida no trabalho e treinamento profissional para os profissionais da Saúde em um Hospital Público em Belo Horizonte, Minas Gerais

Qualidade de vida no trabalho e treinamento profissional para os profissionais da Saúde em um Hospital Público em Belo Horizonte, Minas Gerais Qualidade de vida no trabalho e treinamento profissional para os profissionais da Saúde em um Hospital Público em Belo Horizonte, Minas Gerais Caroline Bicalho Maluf Belo Horizonte Julho, 2012 1. PROBLEMA

Leia mais

PCMSO X Terceirização UM DESAFIO. JOSELINE CARNEIRO LEÃO Nov/2012

PCMSO X Terceirização UM DESAFIO. JOSELINE CARNEIRO LEÃO Nov/2012 PCMSO X Terceirização UM DESAFIO JOSELINE CARNEIRO LEÃO Nov/2012 7.1.3 Caberá a empresa contratante de mão de obra prestadora de serviços informar os riscos existentes e auxiliar na elaboração e implementação

Leia mais

Carta de Missão. Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves

Carta de Missão. Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves Carta de Missão Ministério da Economia e do Emprego Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves Diretor De de de 201. a.. de. de 201 1. Missão do organismo O Gabinete de Prevenção e

Leia mais

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 008/2017 SESMT SÃO PAULO A SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, entidade sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica

Leia mais

PROJETO DE GINÁSTICA LABORAL PARA OS SERVIDORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALVORADA RS

PROJETO DE GINÁSTICA LABORAL PARA OS SERVIDORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALVORADA RS PROJETO DE GINÁSTICA LABORAL PARA OS SERVIDORES DA RESUMO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALVORADA RS GRAZIELE ALVES DIAS 1 LIA T. HOFFMANN 2 O Projeto de Ginástica Laboral Para os Servidores da Prefeitura Municipal

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM PERMANENTE EM DEFESA DO EMPREENDEDOR

REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM PERMANENTE EM DEFESA DO EMPREENDEDOR REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM PERMANENTE EM DEFESA DO EMPREENDEDOR 1 CAPÍTULO I Objetivos e Forma de Atuação Art. 1º O Fórum Permanente em Defesa do Empreendedor, constituído por entidades da sociedade civil

Leia mais

NIP NÚCLEO DE INCENTIVO A PESQUISA

NIP NÚCLEO DE INCENTIVO A PESQUISA NIP NÚCLEO DE INCENTIVO A PESQUISA REGULAMENTO INTERNO MANTIDA FACULDADE CIDADE DE JOÃO PINHEIRO MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE JOÃO PINHEIRO REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

Leia mais

ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO DO COLÉGIO POLITÉCNICO DA UFSM

ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO DO COLÉGIO POLITÉCNICO DA UFSM ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO DO COLÉGIO POLITÉCNICO DA UFSM EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação 1 Publicização dos resultados no sítio

Leia mais

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN

ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO ASSUPERO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE - IESRN COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INTERNA CPA REGULAMENTO INTERNO CPA/IESRN A

Leia mais

PROTOCOLO TÉCNICO DE INVESTIGAÇÃO DE ÓBITO RELACIONADO AO TRABALHO NO RIO GRANDE DO SUL

PROTOCOLO TÉCNICO DE INVESTIGAÇÃO DE ÓBITO RELACIONADO AO TRABALHO NO RIO GRANDE DO SUL PROTOCOLO TÉCNICO DE INVESTIGAÇÃO DE ÓBITO RELACIONADO AO TRABALHO NO RIO GRANDE DO SUL A expressão de maior gravidade do agravo do trabalho é a morte do trabalhador. Existe impacto social na família e

Leia mais

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s)

Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego (NR s) http://www.mte.gov.br/ NR 01 Disposições Gerais 02 Inspeção Prévia 03 Embargo ou Interdição TEMA 04 Serviços Especializados em Eng. de Segurança

Leia mais

A BIOSSEGURANÇA DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE ÓBITOS SVO DA CIDADE DE MACEIÓ/AL

A BIOSSEGURANÇA DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE ÓBITOS SVO DA CIDADE DE MACEIÓ/AL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde A BIOSSEGURANÇA DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE ÓBITOS SVO DA CIDADE DE MACEIÓ/AL Valdete

Leia mais

JAPANN SERVIÇOS EDUCACIONAIS S/S LTDA.

JAPANN SERVIÇOS EDUCACIONAIS S/S LTDA. 1 EDITAL Nº 04/2015 Dispõe sobre a realização de eleição para o preenchimento de vagas do novo quadro de membros da Comissão Local de Acompanhamento e Controle Social do Programa Universidade para Todos

Leia mais

LAUDO ERGONÔMICO REFERÊNCIA OFICIAL

LAUDO ERGONÔMICO REFERÊNCIA OFICIAL LAUDO ERGONÔMICO DATA / CONSULTORIA 16 de Junho de 2011. SOLICITANTE Empresa: D Marcas Indústria de Confecções Ltda ME CNPJ: 08.948.746/0001-33 CNAE: 14.12-6-03 Grau de Risco: 02 (dois) Endereço: Rua Mansur

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE INFORMÁTICA

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE INFORMÁTICA PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE INFORMÁTICA A proposta de um Plano para o desenvolvimento da informática da FAUUSP deverá compreender os três objetivos da USP: ensino, pesquisa e serviços à comunidade. GRUPO

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.

Norma Regulamentadora 04. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2. Norma Regulamentadora 04 Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 2.0 - dez/15 Informação Este material foi elaborado com base na Norma Regulamentadora

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde PROPOSTA PARA MELHORIA DA SAÚDE DOS TRABALHADORES DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMILIA DOS MUNICIPIOS DE CARLOS CHAGAS

Leia mais

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Coronel Fabriciano/ 2008 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVOS... 1 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 2 4. ATRIBUIÇÕES... 2 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E

Leia mais