FÓRUM BAJA SAE E FÓRMULA SAE AVALIAÇÕES DE PROJETO BAJA SAE CONSIDERAÇÕES GERAIS. São Paulo, 01 de Outubro de 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FÓRUM BAJA SAE E FÓRMULA SAE AVALIAÇÕES DE PROJETO BAJA SAE CONSIDERAÇÕES GERAIS. São Paulo, 01 de Outubro de 2014"

Transcrição

1 FÓRUM BAJA SAE E FÓRMULA SAE AVALIAÇÕES DE PROJETO BAJA SAE CONSIDERAÇÕES GERAIS São Paulo, 01 de Outubro de 2014

2 Índice Avaliações de Projeto Importância Estratégica Gestão de Informação Apresentação de Projeto Conceito da Prova Sistemas Tradicionais Avaliados Novos Sistema Avaliados Relatório de Projeto Dimensões da Prova Dicas sobre o Relatório Instruções para entrega do Relatório Final de Projeto Conceito da Prova

3 Avaliações de Projeto - Estratégia Avaliações de Projeto: Relatório de Projeto (150 pontos); Apresentação de Projeto (150 pontos); Finais de Projeto (30 pontos); Total 330 pontos. Inspeção Técnica e de Segurança: Estática (pode tirar pontos!); Dinâmica Frenagem (aprovado/reprovado); Dinâmica Conforto operador (20 pontos) Avaliações de Dinâmicas: Aceleração (60 pontos); Velocidade (60 pontos); Tração (60 pontos); Suspension & Traction (70 pontos); Total 250 pontos. Enduro (400 pontos) Total da Competição (1000 pontos)

4 Gestão de Informação Projeto: Desenvolvido ao longo do ano; Utiliza conceitos e análises de projetos anteriores; Documentar é preciso. Utilidade da documentação: Continuidade da Equipe; Avaliações de Projeto; Documentação: Rastreabilidade; Fácil acesso; Disponível.

5 Dimensão da Prova 20.ª Competição BAJA SAE BRASIL PETROBRAS (2014) Quantidade de Equipes inscritas 72 equipes Quantidade de Relatórios enviados 70 relatórios Quantidade de Correções por Relatório 5 correções / relatório Total de Correções 350 correções Total de Feed-backs 292 feed-backs Quantidade de Juízes 43 juízes Média de Correções por Juiz 8,1 relatório Tempo (entrega para os juízes até competição) 44 dias

6 Dicas sobre os Relatórios Tamanho do Relatório: Capa do Relatório de Projeto (1 página); Corpo do Relatório de Projeto (10 páginas); Anexos do Relatório de Projeto (4 páginas); Total 15 páginas (Capa + 14 páginas); Formato do Relatório Identificar o relatório na capa; Utilizar o formato disponibilizado no site; Anexos: 1 coluna ou 2 colunas; Começo, meio e fim; Imagens / Figuras: Devem ser Legíveis; Legendas e Chamadas no corpo do texto; Desenvolvimento (decisões): Comparativos Custos

7 Instruções para entrega do Relatório 21.ª Competição BAJA SAE BRASIL PETROBRAS (2015) Data limite de entrega Relatório de Projeto (1) 04 de janeiro de 2015 Data limite de entrega Ficha Técnica do Veículo (1) 04 de janeiro de 2015 Forma de envio (2) Informativo completo com informações upload site Competição em breve (1) Relatórios enviados após a data limite, que será informada no site da SAE BRASIL, sofrerão dedução de dez pontos por dia de atraso, a contar da data de envio. (2) Não serão aceitos relatórios entregues na Sede da SAE BRASIL e nem enviados via .

8 Apresentação de Projeto Conceito da prova Apresentação do desenvolvimento técnico realizado pela equipe : Pré-requisitos + desenvolvimento + aplicação Espaço para interação com os juízes ) Elétrica 1) Elétrica 2) Powertrain 2) Powertrain 3) Suspensão / Direção 3) Suspensão / Direção 4) Freios 4) Freios 5) Análises Estruturais / Validação 5) Cálculo Estrutural 6) Estrutura / Ergonomia / Design 6) Design 7) Marketing 0) Gestão

9 Apresentação de Projeto 5) Cálculo Estrutural Contempla a relação de análises realizadas, objetivos e metas destas, teoria sobre os métodos utilizados, entendimento do software utilizado, apresentação da ferramenta desenvolvida, condições de contorno, métodos de cálculo, simplificações, aproximações, discussão dos resultados, aplicação e validade dos resultados obtidos no projeto, etc. Esta prova contempla os cálculos e validações de todos os componentes do projeto (não somente da estrutura). Exemplo: As validações estruturais do disco de freio devem ser apresentadas nesta seção e não na prova de Freio. 6) Design Contempla todos os estudos relacionados ao chassis e a interação entre piloto/veículo. Em relação à design deve ser informado os objetivos e métodos de fabricação da carenagem a fim de explicitar este subsistema.

10 7) Vendas/Marketing Presentation Objective Apresentação de Projeto The objective of the Presentation is for the team to convince the executives of a hypothetical manufacturing company to purchase the team s Baja SAE vehicle design and put it into production at the rate of 4000 units per year. For the purpose of the presentation, teams are to assume that the judges are to be a mixed group of corporate executives who may have experience in marketing, production and finance as well as engineering.

11 Apresentação de Projeto 0) Gestão Não contará como pontuação para as equipes. Será avaliada por Juízes como preparação para 2016 (cada equipe receberá nota afim de avaliar seu desempenho). Objetivo: avaliar a gestão da equipe e suas ferramentas. Cada time deve apresentar como realiza a gestão de conhecimento, tempo, e pessoas bem como os controles relacionados com cada atividade (gestão de recursos $ não entrará nesta avaliação). Deve ser apresentado o que a equipe realmente faz, aproveitem o tempo com os Juízes!

12 Formato: Apresentação de Projeto 5 minutos apresentação + 2 minutos feedback Grupo 1 Grupo 2 Grupo 3 Powertrain Suspensão Cálc. Estrutural Freio Design Gestão Vendas/MKT Elétrica

13 Finais de Projeto Data: Sábado (07/03/2015) Horário: após as Provas Dinâmicas Avaliação: Comparativo entre o Projeto e o desempenho nas Provas de Conforto e Dinâmicas Questionamentos sobre a Apresentação e Relatório de Projeto

14 Instruções para entrega dos Documentos de Segurança 21.ª Competição BAJA SAE BRASIL PETROBRAS (2015) Data limite dos Documento (1) Forma de envio (2) Informativo completo com informações a definir upload site Competição em breve (1) Relatórios enviados após a data limite serão penalizados. Penalizações a ser definida. (2) Não serão aceitos documentos entregues na Sede da SAE BRASIL e nem enviados via .

15 Perguntas?

16 Dúvidas, críticas e sugestões Contatos: Daniel Bueno Comitê Técnico Baja SAE Brasil Diretor Geral Gustavo Rondinelli / Gibran Santos / Jackson Rosa / Marcelo Mello Comitê Técnico Baja SAE Brasil Subcomitê de Avaliações de Projeto

17 MUITO OBRIGADO!

Informativo 06. Com o objetivo de melhorar o formato da competição Baja SAE BRASIL Etapa Sul a edição de 2015 esta trazendo algumas modificações.

Informativo 06. Com o objetivo de melhorar o formato da competição Baja SAE BRASIL Etapa Sul a edição de 2015 esta trazendo algumas modificações. Informativo 06 São Paulo, 04 de novembro de 2015 Ref.: Número do Carro. REF.: PROVAS COMPETIÇÃO BAJA SUL Com o objetivo de melhorar o formato da competição Baja SAE BRASIL Etapa Sul a edição de 2015 esta

Leia mais

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 9 AVALIAÇÕES E PONTUAÇÃO

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 9 AVALIAÇÕES E PONTUAÇÃO REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 9 AVALIAÇÕES E PONTUAÇÃO RBSB 9 EMENDA 2 DATA DE EFETIVIDADE: 01 DE DEZEMBRO DE 2010 2/16 CONTROLE DE REVISÃO Emenda Data de Efetividade 0 01 de Janeiro de 2010 1 01

Leia mais

Workshop : Organização de Equipe. Desenvolvimento de Produto. André Soares

Workshop : Organização de Equipe. Desenvolvimento de Produto. André Soares Workshop : Organização de Equipe Desenvolvimento de Produto André Soares André Soares Participação na SAE desde 1997 Membro do comitê FSAE Brasil desde 2003 Juiz credenciado de segurança Baja Brasil Engenheiro

Leia mais

Informativo 27. Ref.: Informações sobre as provas da competição Baja SAE BRASIL 2015

Informativo 27. Ref.: Informações sobre as provas da competição Baja SAE BRASIL 2015 Informativo 27 São Paulo, 03 de Março de 2015 Ref.: Informações sobre as provas da competição Baja SAE BRASIL 2015 Prezadas Equipes Sejam bem-vindas à 21ª Competição Baja SAE BRASIL. Aguardamos todos vocês

Leia mais

Aplicação de QFD num projeto de fórmula SAE considerando a cadeia de suprimentos

Aplicação de QFD num projeto de fórmula SAE considerando a cadeia de suprimentos Aplicação de QFD num projeto de fórmula SAE considerando a cadeia de suprimentos Maria Clara da Costa Teixeira (EESC USP) mclara@sc.usp.br Álvaro Costa Neto (EESC USP) costa@sc.usp.br Resumo Diante das

Leia mais

Plano de Patrocínio 2010

Plano de Patrocínio 2010 Plano de Patrocínio 2010 2 Apresentação É com grande entusiasmo que apresentamos este material base para a 16ª Temporada do Baja SAE, que Inclui a etapa nacional no começo do 1 semestre de 2010, a etapa

Leia mais

PROJETO MINI BAJA UNIARARAS Apresentação Simplificada

PROJETO MINI BAJA UNIARARAS Apresentação Simplificada PROJETO MINI BAJA UNIARARAS Apresentação Simplificada Apresentação do projeto MINI BAJA UNIARARAS de forma resumida para entendimento de nossos futuros parceiros. Equipe Mini Baja SUMÁRIO QUEM SOMOS?...

Leia mais

Plano de Patrocínio. Equipe de Baja do CAP-UFSJ

Plano de Patrocínio. Equipe de Baja do CAP-UFSJ Plano de Patrocínio Equipe de Baja do CAP-UFSJ Projeto 2013/2014 Plano de Patrocínio 2013/2014 APRESENTAÇÃO A competição BAJA SAE foi criada na Universidade da Carolina do Sul, Estados Unidos, no ano de

Leia mais

Evolução da Prova no triênio 2014-2016

Evolução da Prova no triênio 2014-2016 Comitê BAJA SAE BRASIL Subcomitê de Avaliações de Projeto Relatório de Projeto Evolução da Prova no triênio 2014-2016 São Paulo, 2016-03-23 Comitê BAJA SAE BRASIL Subcomitê de Avaliações de Projeto Relatório

Leia mais

Inspeção Técnica e de Segurança

Inspeção Técnica e de Segurança Esta planilha é apresentada somente como um documento de referência. Os veículos devem cumprir todas as regras, presentes ou não nesta planilha. Os juízes poderão a qualquer momento adicionar ou modificar

Leia mais

Portfólio de Patrocínio. Equipe SUPERBAJA

Portfólio de Patrocínio. Equipe SUPERBAJA Portfólio de Patrocínio Equipe SUPERBAJA Apresentação O projeto Mini-Baja tem como objetivo projetar e construir um veículo monoposto, off-road atrativo ao mercado consumidor pelo seu visual, desempenho,

Leia mais

DESCRIÇÃO VALOR UNIDADE Comprimento máximo

DESCRIÇÃO VALOR UNIDADE Comprimento máximo CAPA Na capa da Ficha Técnica devem estar claramente as informações para identificação da equipe, escola, número do carro, semelhante às capas utilizadas nos relatórios de projeto da competição nacional.

Leia mais

Portfólio- Equipe BAJA CEM

Portfólio- Equipe BAJA CEM Introdução Baja SAE é um projeto estudantil que visa o desafio da aplicação pratica dos conhecimentos adquiridos em sala de aula, assim como a preparação dos alunos envolvidos para o competitivo mercado

Leia mais

ENGENHARIA AUTOMOTIVA. Universidade Federal de Santa Catarina Campus Joinville Centro de Engenharias da Mobilidade

ENGENHARIA AUTOMOTIVA. Universidade Federal de Santa Catarina Campus Joinville Centro de Engenharias da Mobilidade ENGENHARIA AUTOMOTIVA CONTEXTO No âmbito do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais REUNI -, o Governo Federal implantou o campus de Joinville da Universidade

Leia mais

Polo de Desenvolvimento Giovanni Agnelli

Polo de Desenvolvimento Giovanni Agnelli Polo de Desenvolvimento Giovanni Agnelli Gilmar Laignier 20 Novembre, 2010 23.500m² Offices - Laboratories - Shops Total de funcionários: 1046 2 2 FIASA ENGENHARIA DO PRODUTO Style Chassis Body Interiors

Leia mais

www.poliracing.com.br Novembro 2011

www.poliracing.com.br Novembro 2011 Lançamento FP-03 No dia 05/11 a equipe realizou o lançamento de seu novo carro, FP-03. Apresentamos o progresso do nosso trabalho durante o ano até a finalização do projeto. Agradecemos a todos que estiveram

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

Guia para produção de conteúdo

Guia para produção de conteúdo Guia para produção de conteúdo www.pinheirospirapora.org.br Abril de 2008 Projeto Fortalecimento Institucional do Sub Comitê Pinheiros Pirapora Texto 5 Elementos Cybermind Oficina 5 Elementos Financiamento

Leia mais

REGRAS II Desafio Acadêmico Internacional SAMPE Brasil 2015

REGRAS II Desafio Acadêmico Internacional SAMPE Brasil 2015 REGRAS II Desafio Acadêmico Internacional SAMPE Brasil 2015 1. Introdução O Desafio Acadêmico Internacional SAMPE Brasil foi criado para ser disputado somente entre alunos de Universidades. As seguintes

Leia mais

Volvo HÍBRIDO. Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE

Volvo HÍBRIDO. Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE Volvo HÍBRIDO Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE O DESAFIO VERDE O cuidado com o meio ambiente está no centro das discussões da agenda social em todo o mundo. Cada vez mais,

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS

INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS Prezados Senhores, O Escritório Anexo da Embaixada do Japão (Agência de Cooperação Internacional do Japão-JICA) deseja receber as cotações para o fornecimento

Leia mais

Ano de vigência 2012/2013. Juiz de Fora - 2011. Comissão Municipal de Segurança e Educação no Trânsito

Ano de vigência 2012/2013. Juiz de Fora - 2011. Comissão Municipal de Segurança e Educação no Trânsito Ano de vigência 2012/2013 Juiz de Fora - 2011 Comissão Municipal de Segurança e Educação no Trânsito 1- INTRODUÇÃO A COMSET (Comissão Municipal de Educação e Segurança no Trânsito) tem como principal atribuição

Leia mais

AUTOGESTÃO EM CÉLULA DE PRODUÇÃO

AUTOGESTÃO EM CÉLULA DE PRODUÇÃO AUTOGESTÃO EM CÉLULA DE PRODUÇÃO Marcelo Rangel Almeida Pneumáticos Michelin Ltda. - Estr. da Cachamorra 5000 - Campo Grande - RJ CEP 23040-150 Marcio Arany da Cruz Martins Pneumáticos Michelin Ltda. -

Leia mais

SDL 260 Linha de Inspeção Veicular

SDL 260 Linha de Inspeção Veicular SDL 260 Linha de Inspeção Veicular Inspeção técnica do veículo com rápida exposição dos resultados, para análise e apresentação ao cliente Conceito de aprovação e teste de segurança Para consultas com

Leia mais

Recife terá ônibus HíbridoBR durante a Copa das Confederações

Recife terá ônibus HíbridoBR durante a Copa das Confederações Ônibus Informação à imprensa Recife terá ônibus HíbridoBR durante a Copa das Confederações 10 de junho de 2013 Veículo tem tecnologia nacional e baixa emissão de poluentes A Eletra, empresa brasileira

Leia mais

Notas possíveis para esta questão: Zero ; 3 pontos; 6 pontos ou 10 pontos. Olimpíada Brasileira de Robótica 2014 2/6

Notas possíveis para esta questão: Zero ; 3 pontos; 6 pontos ou 10 pontos. Olimpíada Brasileira de Robótica 2014 2/6 GABARITO Todas as questões devem receber uma nota entre 0 (menor nota) e 10 (maior nota). Questões podem ter mais de uma resposta A prova do seu aluno deve receber uma pontuação entre 0 e 100. Não se esqueça

Leia mais

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 39 Relatório de Projeto Técnicas de Estruturação

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 39 Relatório de Projeto Técnicas de Estruturação Introdução ao Projeto de Aeronaves Aula 39 Relatório de Projeto Técnicas de Estruturação Tópicos Abordados Relatório de Projeto. Técnicas de Estruturação para uma boa Avaliação. Elaboração do Relatório

Leia mais

Edital Processo seletivo 2015 Competição MiniBaja SAE Brasil Equipe BAJARA UFOPA

Edital Processo seletivo 2015 Competição MiniBaja SAE Brasil Equipe BAJARA UFOPA Universidade Federal do Oeste do Pará Instituto do Engenharia e Geociências Programa de Ciência e Tecnologia Edital Processo seletivo 2015 Competição MiniBaja SAE Brasil Equipe BAJARA UFOPA Dezembro 2014

Leia mais

A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL

A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL 0325-folheto H50CT 26-11-11.pmd 1 NOVA HYSTER H50CT: EMPILHADEIRA CONTRABALANÇADA COM OPERADOR SENTADO A H50CT é nova em tudo, do seu projeto inovador às suas características

Leia mais

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO RBSB 11 EMENDA 3 DATA DE EFETIVIDADE: 01 DE JANEIRO DE 2013 2/12 CONTROLE DE REVISÃO Emenda Data de Efetividade 0 01 de Janeiro de 2010

Leia mais

HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS

HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS NOVA HYSTER CT: EMPILHADEIRA CONTRABALANÇADA COM OPERADOR SENTADO A CT é nova em tudo, do seu projeto inovador às suas

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 2015 FORMULÁRIO PARA PROJETOS DAS AÇÕES DE EXTENSÃO E CULTURA I - IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA

Leia mais

NOVOS PASSOS DA MANUFATURA NA FORD SILVIO A. ILLI

NOVOS PASSOS DA MANUFATURA NA FORD SILVIO A. ILLI NOVOS PASSOS DA MANUFATURA NA FORD SILVIO A. ILLI Gerente da planta de São Bernardo do Campo 1 Reconstruir nosso negócio voltando aos fundamentos... 2 Maximizar sinergias globais Poucas Prioridades Vitais

Leia mais

CHAMADA DE TRABALHOS

CHAMADA DE TRABALHOS FACULDADE DE DIREITO NÚCLEO DE PESQUISAS E ESTUDOS JURÍDICOS (NPEJ) CHAMADA DE TRABALHOS V SIMPÓSIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A Faculdade de Direito da

Leia mais

REGULAMENTO DO 1º CONCURSO DE VÍDEO DE CURTA DURAÇÃO DO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS DO IFTO

REGULAMENTO DO 1º CONCURSO DE VÍDEO DE CURTA DURAÇÃO DO CAMPUS COLINAS DO TOCANTINS DO IFTO REGULAMENTO DO 1º CONCURSO DE VÍDEO DE CURTA DURAÇÃO DO DO IFTO 1. TEMA: Aniversário de 1 (um) ano do Campus Colinas do Tocantins, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins. 2.

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Jaime Junior dos Santos Aes Sul Distribuidora Gaúcha de Energia jaime.santos@aes.com

Leia mais

MODELAGEM ANALÍTICA DE UMA SUSPENSÃO DUPLO A: DETERMINAÇÃO DO CURSO DA MANGA DE EIXO.

MODELAGEM ANALÍTICA DE UMA SUSPENSÃO DUPLO A: DETERMINAÇÃO DO CURSO DA MANGA DE EIXO. MODELAGEM ANALÍTICA DE UMA SUSPENSÃO DUPLO A: DETERMINAÇÃO DO CURSO DA MANGA DE EIXO. Guilherme Oliveira Andrade, Maria Alzira de Araujo Nunes e Rita de Cássia Silva UNB, Universidade de Brasília, Curso

Leia mais

22/01/2012 Autódromo Internacional de Jacarepaguá

22/01/2012 Autódromo Internacional de Jacarepaguá 22/01/2012 Autódromo Internacional de Jacarepaguá http://trackday.oktaneclub.com/ Do Público O acesso ao evento será efetuada pelo Portão 7, com aceso fechado ao público. Para obter o acesso ao autódromo,

Leia mais

PROJETO DE FÓRMULA SAE UNICAMP EQUIPE FSAE-UNICAMP

PROJETO DE FÓRMULA SAE UNICAMP EQUIPE FSAE-UNICAMP PROJETO DE FÓRMULA SAE UNICAMP EQUIPE FSAE-UNICAMP VII Competição Fórmula SAE BRASIL Petrobras Relatório de Parceria Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer Autores: Willen Grimm Balaniuc Danilo

Leia mais

Projeto e desenvolvimento de um simulador de dinâmica veicular com interface gráfica.

Projeto e desenvolvimento de um simulador de dinâmica veicular com interface gráfica. Projeto e desenvolvimento de um simulador de dinâmica veicular com interface gráfica. Virtual Car é um simulador de veículos de passeio/utilitários para validação e testes de componentes automotivos. A

Leia mais

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO RBSB 11 EMENDA 4 DATA DE EFETIVIDADE: 05 de MARÇO DE 2014 2/14 CONTROLE DE REVISÃO Emenda Data de Efetividade 0 01 de Janeiro de 2010

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais

FMEA - 4ª. EDIÇÃO (Análise dos Modos de Falha e de seus Efeitos)

FMEA - 4ª. EDIÇÃO (Análise dos Modos de Falha e de seus Efeitos) Curso e-learning FMEA - 4ª. EDIÇÃO (Análise dos Modos de Falha e de seus Efeitos) Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão

Leia mais

MITSUBISHI CUP 2015 Acompanhamento e Desenvolvimento de Equipes de Competição.

MITSUBISHI CUP 2015 Acompanhamento e Desenvolvimento de Equipes de Competição. REGULAMENTO CONCURSO DESPORTIVO EQUIPES RALI MITSUBISHI CUP 2015 1 - DADOS DA EMPRESA Nome/Razão Social: MMC Automotores do Brasil Ltda. Endereço: Av. Juscelino Kubitschek, 1600-8 Andar. Bairro: Vila Nova

Leia mais

Norma Regulamentadora NR 17

Norma Regulamentadora NR 17 Norma Regulamentadora NR 17 17.1. Esta Norma Regulamentadora visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo

Leia mais

Motivar pessoas para o foco da organização

Motivar pessoas para o foco da organização PORTWAY Motivar pessoas para o foco da organização Série 4 pilares da liderança Volume 3 4 pilares da liderança Motivar pessoas para o foco da organização E m Julho de 2014, fui procurado por algumas diretoras

Leia mais

Categoria Desafio IMPORT

Categoria Desafio IMPORT Categoria Desafio IMPORT 1 - NORMAS TÉCNICAS: A categoria Desafio IMPORT deverá seguir as normas técnicas constantes neste regulamento especifico. 2 - DEFINIÇÃO: a) Poderão participar desta categoria veículos

Leia mais

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 11 PROCEDIMENTOS DA COMPETIÇÃO RBSB 11 EMENDA 1 DATA DE EFETIVIDADE: 01 DE DEZEMBRO DE 2010 2/11 CONTROLE DE REVISÃO Emenda Data de Efetividade 0 01 de Janeiro de 2010

Leia mais

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 36 Dimensionamento Estrutural por Análise Numérica

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 36 Dimensionamento Estrutural por Análise Numérica Introdução ao Projeto de Aeronaves Aula 36 Dimensionamento Estrutural por Análise Numérica Tópicos Abordados Método dos Elementos Finitos. Softwares para Análise Numérica. Método do Elementos Finitos No

Leia mais

ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING

ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING Análise do Produto Dr. Charles Clarke ANÁLISE DO PRODUTO NX CMM INSPECTION PROGRAMMING Tendências e requisitos do setor...3 Uma nova abordagem de programação de inspeção de CMM...4 O aplicativo na prática...5

Leia mais

Informatização dos processos no Setor de Medicina do Trabalho gera resultados positivos para a Teksid do Brasil

Informatização dos processos no Setor de Medicina do Trabalho gera resultados positivos para a Teksid do Brasil Informatização dos processos no Setor de Medicina do Trabalho gera resultados positivos para a Teksid do Brasil Perfil O Grupo Teksid é o maior em fundição de autopeças do mundo, com capacidade produtiva

Leia mais

CONCURSO INTERNO PARA PROVIMENTO DE NOVOS INTEGRANTES DA EQUIPE IFPI BAJA SAE EDITAL Nº 01/2013 IFPIBAJASAE, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2013

CONCURSO INTERNO PARA PROVIMENTO DE NOVOS INTEGRANTES DA EQUIPE IFPI BAJA SAE EDITAL Nº 01/2013 IFPIBAJASAE, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2013 CONCURSO INTERNO PARA PROVIMENTO DE NOVOS INTEGRANTES DA EQUIPE IFPI BAJA SAE EDITAL Nº 01/2013 IFPIBAJASAE, DE 06 DE FEVEREIRO DE 2013 O COORDENADOR E O CAPITÃO DA EQUIPE IFPI BAJA SAE, no uso de suas

Leia mais

Regulamento. Competição Sua Ideia na Prática. Edição Rio de Janeiro 2015.2

Regulamento. Competição Sua Ideia na Prática. Edição Rio de Janeiro 2015.2 Competição Sua Ideia na Prática Edição Rio de Janeiro 2015.2 1. Objetivo: A competição de empreendedorismo universitária Sua Ideia na Prática tem como objetivo desenvolver a confiança empreendedora no

Leia mais

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas Aula 03 : Norma NBR ISO 9001 Ghislaine Miranda Bonduelle NORMALIZAÇÃO DA QUALIDADE ISO IEC Internacional Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT Regional Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE Nacional

Leia mais

FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico. Cx 0,38

FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico. Cx 0,38 FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico Área frontal Cw x A MOTOR Cx 0,38 2.17 m2 0.82 m2 Dianteiro, transversal, 2.0 litros, 4 cilindros

Leia mais

Empilhadeiras Elétricas. Capacidade: 1.500 1.800 kg.

Empilhadeiras Elétricas. Capacidade: 1.500 1.800 kg. Empilhadeiras Elétricas Capacidade: 1.500 1.800 kg. Série E3000-EC4000 Máximo Desempenho Aplicações rigorosas exigem equipamento robusto. As empilhadeiras Cat servem para várias aplicações severas sem

Leia mais

Empilhadeiras Elétricas. Capacidade: 1.500 1.800 kg.

Empilhadeiras Elétricas. Capacidade: 1.500 1.800 kg. Empilhadeiras Elétricas Capacidade: 1.500 1.800 kg. Série E3000-EC4000 Máximo Desempenho Aplicações rigorosas exigem equipamento robusto. As empilhadeiras Cat servem para várias aplicações severas sem

Leia mais

Viação Cometa adquire 40 ônibus rodoviários

Viação Cometa adquire 40 ônibus rodoviários Ônibus Viação Cometa adquire 40 ônibus rodoviários Informação à imprensa 22 de setembro de 2014 Mercedes-Benz para renovação de frota Dos mais de 1.000 ônibus da frota do grupo Cometa, cerca de 85% são

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA BOLSAS DE ESTUDO

EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA BOLSAS DE ESTUDO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA BOLSAS DE ESTUDO O Colégio Cristo Rei no uso de suas atribuições estatutárias com base no que dispõe o seu Regimento Interno, torna público os critérios de inscrição

Leia mais

Sistema de Avaliação. Manual do Usuário

Sistema de Avaliação. Manual do Usuário Sistema de Avaliação Manual do Usuário Versão 2011 / 2012 1. Apresentação Neste Manual do Sistema de Avaliação estão contidas as instruções para a realização da Avaliação de Desempenho dos empregados da

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Inicie a disciplina apresentando novamente o objetivo geral e agora os específicos para esta aula que estão no Plano

Inicie a disciplina apresentando novamente o objetivo geral e agora os específicos para esta aula que estão no Plano Inicie a disciplina apresentando novamente o objetivo geral e agora os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Legislação de Trânsito 14, neste material. 115 Para

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. Contate o seu concessionário Hyundai para mais informações. O equipamento apresentado pode variar de acordo com normas internacionais. Todas as medidas em libras e polegadas estão arredondadas. Novo Conceito

Leia mais

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DO VEÍCULO

REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DO VEÍCULO REGULAMENTO BAJA SAE BRASIL CAPÍTULO 5 REQUISITOS GERAIS DO VEÍCULO RBSB 5 EMENDA 0 DATA DE EFETIVIDADE: 01 DE JANEIRO DE 2010 2/9 CONTROLE DE REVISÃO Emenda Data de Efetividade 0 01 de Janeiro de 2010

Leia mais

Regulamento Complementar do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Engenharia de Computação UTFPR, campus Pato Branco

Regulamento Complementar do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Engenharia de Computação UTFPR, campus Pato Branco Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Engenharia de Computação Regulamento Complementar do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Engenharia de Computação

Leia mais

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Casa do futuro Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Por Heloisa Medeiros A rápida evolução de produtos e equipamentos eletrônicos

Leia mais

MINI USE A IMAGINAÇÃO PARA O SEU NEGÓCIO.

MINI USE A IMAGINAÇÃO PARA O SEU NEGÓCIO. USE A IMAGINAÇÃO PARA O SEU NEGÓCIO. Fundada em 1862, a Changan foi uma das pioneiras da industrialização moderna na China. A Changan tem uma história de mais de um século e é uma empresa de primeira linha

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

TUDO SEMPRE PODE FICAR MELHOR QUAIS SÃO SEUS DESAFIOS?

TUDO SEMPRE PODE FICAR MELHOR QUAIS SÃO SEUS DESAFIOS? TUDO SEMPRE PODE FICAR MELHOR QUAIS SÃO SEUS DESAFIOS? SOBRE NÓS A VirtualCAE é uma empresa que representa soluções especializadas em CAE (Computer Aided Engineering) atuando na comercialização e desenvolvimento

Leia mais

Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros

Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros Lançamento de ônibus Mercedes-Benz lança novas opções para o transporte rodoviário de passageiros Informação à imprensa 26 de agosto de 2014 Chassis O 500 RSD 6x2 e RSDD 8x2, com 2º eixo direcional de

Leia mais

Seus companheiros de infância vão adorar o amiguinho novo. Honda CR-V. Brinquedo de gente grande.

Seus companheiros de infância vão adorar o amiguinho novo. Honda CR-V. Brinquedo de gente grande. Honda CR-V Seus companheiros de infância vão adorar o amiguinho novo. Lembra a sensação de ganhar um brinquedo novo? A ansiedade de rasgar o papel do embrulho e ver materializar-se o seu desejo mais sonhado?

Leia mais

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift Empilhadoras Elétricas Os empilhadores com braços de suporte oferecem uma solução efetiva e econômica para todos os tipos de armazém grandes ou pequenos. A BT oferece o grupo mais completo de empilhadores

Leia mais

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial Inteligência Artificial Aula 2 Profª Bianca Zadrozny TCC04040 Inteligência Artificial Página web: http://www.ic.uff.br/~bianca/ia Material: Livro texto: Inteligência Artificial, Russell & Norvig, Editora

Leia mais

Alcance Adapte-se a mundança. Nome, Título

Alcance Adapte-se a mundança. Nome, Título Alcance Adapte-se a mundança Nome, Título Foco no Consumidor Conectada Modernização Força de Trabalho Entusiastas Visionários Pragmáticos Conservadores Séticos Diferenciação Start-ups e CSVs Corporações

Leia mais

Kit para os Participantes

Kit para os Participantes 6 o CFA Institute Research Challenge Organizado pela CFA SOCIETY BRAZIL 2013 Kit para os Participantes Brazil Local Champions 2012-2013 Team Insper Global Final and EMEA Regional Champions Wroclaw University

Leia mais

Edital 1/2015 Processo Seletivo e Processo Trainee

Edital 1/2015 Processo Seletivo e Processo Trainee Edital 1/2015 Processo Seletivo e Processo Trainee Professor Coordenador: Antônio José Oliveira Cabral Equipe Zeus: Capitão: Jorge Franklin Mansur Rodrigues Filho Subdivisões: 1. Administrativo: Líder:

Leia mais

PROCEDIMENTO. O treinamento será efetuado com a ajuda de vídeos e fotos ilustrativas, além de seguir o cronograma estabelecido conforme anexo II.

PROCEDIMENTO. O treinamento será efetuado com a ajuda de vídeos e fotos ilustrativas, além de seguir o cronograma estabelecido conforme anexo II. PROCEDIMENTO MSL - 001 Página 1 de 7 EDIÇÃO 12/03 Título: Concessionárias Adaptação do Eixo Veicular Auxiliar (AEVA) Rev.: 02 Data: 05/15 Emitido Por Verificado Verificado Aprovado Nome Marcos de Bortoli

Leia mais

Utilização da Planilha de Análise de Decisão

Utilização da Planilha de Análise de Decisão Utilização da Planilha de Análise de Decisão METODOLOGIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO - VERSÃO 1. A planilha apresentada está pronta e formatada para ser utilizada no processo de Análise de Decisão envolvendo

Leia mais

SISTEMA ISO 9000. Ghislaine Miranda Bonduelle UFPR/DETF

SISTEMA ISO 9000. Ghislaine Miranda Bonduelle UFPR/DETF SISTEMA ISO 9000 Ghislaine Miranda Bonduelle UFPR/DETF Por que trabalhar com qualidade? Porque para começar a pensar em ser competitivo, é necessário fazer corretamente: na primeira vez, todas as vezes

Leia mais

Rally de velocidade de Itu

Rally de velocidade de Itu Página1 Rally de velocidade de Itu 19 A 20 DE DEZEMBRO DE 2015 CAMPEONATO PAULISTA DE RALLY DE VELOCIDADE 6ª Etapa do Campeonato Paulista de Rally REGULAMENTO PARTICULAR DE PROVA (RPP) Página2 1.1 Rally

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO TERCEIRIZADAS NA SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO... 02 3. CONCEITOS... 02 4. NORMAS APLICÁVEIS E DOCUMENTOS DE REFERÊNCIAS... 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS... 03 6. PROCEDIMENTOS... 03 7. CONTROLE DE REGISTROS...

Leia mais

#10 PRODUZIR CONTEÚDO SUPER DICAS ATRATIVO DE PARA COMEÇAR A

#10 PRODUZIR CONTEÚDO SUPER DICAS ATRATIVO DE PARA COMEÇAR A #10 SUPER DICAS PARA COMEÇAR A Pantone 715 C 100% Black 80% Black C: 0 M: 55 Y: 95 K: 0 C: 0 M: 0 Y: 0 K: 100 C: 0 M: 0 Y: 0 K: 80 PRODUZIR CONTEÚDO ATRATIVO DE Confira estas super dicas para você produzir

Leia mais

RESUMO PARA O EXAME PSM I

RESUMO PARA O EXAME PSM I RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: http://br.linkedin.com/in/larahvidotti MSN: larah_bit@hotmail.com Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)...

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo

Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO Portaria nº 70, de 08 de maio de 1996 O Presidente do Instituto Nacional

Leia mais

4UNIVERSIDADE DO CORRETOR

4UNIVERSIDADE DO CORRETOR 1 Conteúdo exclusivo 2 Cases e exemplos do mercado imobiliário 3 Ferramentas para melhorar os resultados 4 Técnicas e Atitudes em vendas para o CORRETOR DE IMÓVEIS VENDER MAIS! ESTUDE DE QUALQUER LUGAR

Leia mais

ISO 9000 ISO 9001:2008

ISO 9000 ISO 9001:2008 ISO 9001:2008 QUALIDADE II ISO 9000 A ISO 9000 - Qualidade é o nome genérico utilizado pela série de normas da família 9000 (ISO) que estabelece as diretrizes para implantação de Sistemas de Gestão da

Leia mais

Step by step guide Activity #3 2015, january

Step by step guide Activity #3 2015, january BUSINESS SIMULATION GAME Step by step guide Activity #3 2015, january o que Cada membro da equipe fará:: Diretor Tarefa a fazer Tarefa que será feita em alguns casos PRESIDENTE Tarefa 3 DIRETOR DE MARKETING

Leia mais

SD70ACe Locomotiva Diesel-Elétrica

SD70ACe Locomotiva Diesel-Elétrica Potência, Desempenho e Inovação Alto desempenho, sistema de tração AC 4.500 BHP / 86.675 Kgf Esforço Trator de Partida 16-710G3C-T1/T2 Motor Diesel Eletrônico EPA Tier-1 ou 2 - Emissões EM2000 Sistema

Leia mais

Inspeção Técnica e de Segurança

Inspeção Técnica e de Segurança Esta planilha é apresentada somente como um documento de referência. Os veículos devem cumprir todas as regras, presentes ou não nesta planilha. Os juízes poderão a qualquer momento adicionar ou modificar

Leia mais

GRAVITY RACI G BRASIL

GRAVITY RACI G BRASIL GRAVITY RACI G BRASIL 1 REGULAME TO TÉC ICO DA CATEGORIA GRAVITY RACI G BRASIL As normas do regulamento aqui expostas servem para garantir a total segurança dos competidores e expectadores do evento Gravity

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

Vantagens do Veículo Híbrido:

Vantagens do Veículo Híbrido: Vantagens do Veículo Híbrido: VANTAGENS PARA O OPERADOR É um veículo que não tem câmbio, sua aceleração e frenagem é elétrica, o motor a combustão, além de pequeno, opera numa condição ideal (rotação fixa).

Leia mais

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 12

Levantamento, Análise e Gestão Requisitos. Aula 12 Levantamento, Análise e Gestão Requisitos Aula 12 Agenda Miscelâneas (Parte 3): Gerenciamento dos Requisitos Mutáveis Rastreabilidade de Requisitos Processo de Gestão de Mudanças Requisitos Estáveis e

Leia mais

Workshop Fórmula SAE Brasil

Workshop Fórmula SAE Brasil Workshop Fórmula SAE Brasil Julho de 2009 INSPEÇÃO TÉCNICA Sumário Procedimentos de Inspeção Principais mudanças da Regra 2009 Mudanças para 2010 Dicas Segurança na oficina e testes Exemplos Perguntas

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. Contate o seu concessionário Hyundai para mais informações. O equipamento apresentado pode variar de acordo com normas internacionais. Todas as medidas em libras e polegadas estão arredondadas. Novo Conceito

Leia mais

Volvo Buses Volvo Buses

Volvo Buses Volvo Buses O Grupo Volvo é um dos líderes mundiais na fabricação de caminhões, ônibus, equipamentos de construção, motores marítimos e industriais. Volvo na América dos Sul Volvo Colômbia Bogotá Volvo Peru Lima Mack

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia EDITAL

Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Engenharia EDITAL Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Engenharia EDITAL 2º Semestre 2012 1. Disposições gerais 1.1 Tema do concurso A tarefa proposta é a construção e o teste de carga de uma ponte treliçada,

Leia mais

protect decorate communicate

protect decorate communicate protect decorate communicate Make your Brand Talk. O seu produto. Um smartphone. Uma digitalização. E eis que o seu cliente mergulha num universo cintilante de marcas. Recebe informações sobre produtos,

Leia mais