PRODUCT-SERVICE SYSTEM E DESIGN FOR UPGRADE: CONTRIBUIÇÕES PARA A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUCT-SERVICE SYSTEM E DESIGN FOR UPGRADE: CONTRIBUIÇÕES PARA A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL"

Transcrição

1 PRODUCT-SERVICE SYSTEM E DESIGN FOR UPGRADE: CONTRIBUIÇÕES PARA A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Cristiano Roos UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina Engenheiro de Produção, Especialista, Mestre e Doutorando em Engenharia de Produção Fernanda Hansch Beuren UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina Tecnólogo em Produção de Móveis, Especialista em Design e Mestranda em Engenharia de Produção Samuel Borges Barbosa UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina Desenhista Industrial e Mestrando em Engenharia de Produção Resumo: As discussões sobre a sustentabilidade ambiental cada vez mais se destacam no cenário científico. Evidências disto são as constantes contribuições apresentadas na literatura. A gênese deste trabalho está no estudo teóricoconceitual de dois conceitos com importantes contribuições para a sustentabilidade ambiental: o Product-Service System e o Design for Upgrade. Em especial, o objetivo é delinear roteiros para a utilização destes conceitos no desenvolvimento de produtos. Para fundamentar isto são apresentadas cinco análises de casos práticos, incluindo um caso de sucesso no Brasil. De modo análogo, para cada conceito são apresentadas perspectivas e limitações. Relacionado ao delineamento metodológico, esta pesquisa, com base nos objetivos, é classificada em exploratória e, com base nos procedimentos técnicos, é classificada em bibliográfica, mas complementada pela pesquisa do tipo análise de caso. A pesquisa do tipo análise de caso foi o método adotado como meio para se chegar ao objetivo do trabalho, e para tanto, procedeu-se com: a formulação do problema de pesquisa; a definição da unidade de análise; o desenvolvimento de um protocolo de coleta de dados; a organização das fontes de evidência primária e secundária; a construção da base de dados; e, a avaliação das evidências através da descrição de caso. Como resultado principal tem-se a construção de dois roteiros que balizam a utilização do Product- Service System e do Design for Upgrade no desenvolvimento de produtos. Como resultados secundários têm-se discussões acerca dos conceitos sob o ponto de vista das perspectivas e das limitações. Conclusivamente, a realização desta pesquisa contribuiu para uma reflexão sobre a importância do Product-Service System e do Design for Upgrade frente às necessidades demandadas no contexto da sustentabilidade ambiental: tema que é de substancial relevância na atualidade.

2 Palavras-chave: Product-Service System, Design for Upgrade, Sustentabilidade Ambiental. Abstract: Discussions on environmental sustainability are increasingly highlighted in the scientific field. Evidence of this is the ongoing contributions made in the literature. The genesis of this work is in the conceptual-theoretical study of two concepts with important contributions to environmental sustainability: the Product-Service System and the Design for Upgrade. In particular, the goal is to outline roadmaps for the use of these concepts in product development. To support this analysis are presented five case studies, including a successful case in Brazil. Similarly, for each concept are presented perspectives and limitations. Related to methodological design, this research, based on the goals, is classified as exploratory and, based on technical procedures, is classified as literature review, but complemented by case analysis research. The case analysis research was adopted as a means to reach the objective of this work, and for that, we proceeded with: the formulation of research problem, to define the unit of analysis, the development of a protocol data collection, the organization of the sources of primary and secondary evidence, the construction of the database, and the evaluation of evidence by describing the case. As the main result has been the construction of two road maps that guide the use of the Product- Service System and the Design for Upgrade in product development. As secondary results have been discussions about the concepts from the point of view of the prospects and constraints. Conclusively, this research has contributed to a discussion about the importance of Product-Service System and of Design for Upgrade for defendants facing the needs in the context of environmental sustainability: a theme that is of substantial relevance. Keywords: Product-Service System, Design for Upgrade, Environmental Sustainability. 1. Introdução A estratégia de buscar uma maior sustentabilidade ambiental para produtos industrializados se destaca cada vez mais no meio científico e no meio organizacional. Esta realidade é motivada pela vantagem competitiva que esta estratégia proporciona frente às crescentes exigências dos consumidores pela redução de impactos ambientais negativos. Neste contexto apresenta-se a ascendente deste trabalho, em especial, um estudo teórico-conceitual do Product- Service System e do Design for Upgrade: dois conceitos que foram apresentados na literatura para o desenvolvimento de soluções ambientalmente mais sustentáveis. Este trabalho busca contribuir com este tema através do objetivo proposto: delinear roteiros para utilizar o Product-Service System e o Design for Upgrade no

3 desenvolvimento de produtos. Complementarmente, são apresentadas cinco análises de casos práticos relacionados a este cenário, além da descrição de perspectivas e limitações dos dois conceitos frente à realidade brasileira. Para o melhor entendimento dos procedimentos adotados para atingir o objetivo proposto, a seção seguinte deste texto apresenta o delineamento metodológico da pesquisa desenvolvida. 2. Delineamento metodológico O delineamento metodológico adotado visa à obtenção de resultados capazes de sustentar a construção de conhecimentos mais aprofundados sobre o Product- Service System e o Design for Upgrade. Seguindo as definições de Gil (2002), esta pesquisa, com base nos objetivos, é classificada em exploratória e, com base nos procedimentos técnicos, é classificada em pesquisa bibliográfica, complementada pela pesquisa do tipo análise de caso. Seguindo as definições de Bell (2008), a abordagem de pesquisa, que orientou o processo de investigação, e que estabeleceu formas de aproximação aos objetivos desta pesquisa, é a abordagem qualitativa. Seguindo as definições de Salomon (2001), o método de pesquisa utilizado para dar sustentação aos resultados obtidos foi o dedutivo. O método de pesquisa dedutivo foi utilizado porque na maior parte do trabalho procedeu-se com previsões e explicações a partir do contexto teórico, mesmo que se tenha estudado fatos adquiridos através da análise de casos práticos. A pesquisa bibliográfica foi o procedimento utilizado como principal meio para se chegar ao objetivo do trabalho. O problema de pesquisa formulado para a pesquisa bibliográfica foi: quais referenciais teóricos sobre Product-Service System e Design for Upgrade podem servir como ponto de partida para a elaboração de roteiros que auxiliem no desenvolvimento de produtos? Na seqüência foi elaborado um plano para a coleta dos referenciais teóricos, sendo utilizados principalmente livros e artigos científicos como fontes capazes de fornecer respostas à solução do problema. Os livros foram identificados em pesquisas livres na internet, sendo adotados aqueles de maior relevância para os temas. Os artigos foram identificados, principalmente, no Portal de Periódicos Capes, sendo selecionados aqueles que apresentaram maior relevância com os temas em questão. Foram arquivados apenas os artigos disponíveis para as universidades federais brasileiras que não necessitavam de pagamento extra. Uma

4 limitação da pesquisa com os livros e os artigos científicos foi o fato de apenas serem utilizados referenciais de fácil acesso. De fato, o grupo de pesquisa busca para futuros trabalhos, a utilização de referenciais de difícil acesso, como por exemplo, artigos não disponíveis gratuitamente para as universidades federais. Na seqüência deste texto estão apresentados e organizados de modo lógico os subsídios compostos pela pesquisa bibliográfica. 3. Fundamentação teórica O crescimento da produção industrial, naturalmente, interfere negativamente no meio ambiente. Principalmente nas últimas décadas, esta interferência negativa passou a impactar cada vez mais na insatisfação dos clientes. Tornou-se necessário, então, o estudo e a criação de novas estratégias que buscam uma maior sustentabilidade ambiental. Evidentemente que estas estratégias não podem ser consideradas de modo isolado: a sustentabilidade requer a otimização das variáveis ambiental, econômica e social (PETALA et al., 2010). O estudo e a criação de novas estratégias que buscam uma maior sustentabilidade ambiental são constantes. Exemplo disto são os conceitos que serão abordados neste trabalho: Product-Service System e Design for Upgrade. Dois conceitos relativamente novos na literatura, difundidos respectivamente a partir do final da década de 1990 e do início da década de Sobre o Product-Service System O Sistema Produto-Serviço, tradução de Product-Service System (PSS), foi apresentado inicialmente por Goedkoop et al. (1999). O Sistema Produto-Serviço é uma estratégia que direciona a venda de produtos tangíveis para a venda de sistemas de produtos e serviços, os quais em conjunto são capazes de atender as necessidades dos clientes, minimizando os impactos ambientais (UNEP, 2004). Partindo-se desta definição, o deslocamento do consumo de produtos para o consumo de serviços não pode ser considerado um conceito novo, pois este deslocamento surgiu a mais de 40 anos, tendo Becker (1962) como precursor. No entanto, o PSS diferencia-se como uma solução de consumo sustentável de recursos, onde há uma preocupação sobre todo o ciclo de vida do sistema, desde as primeiras etapas do desenvolvimento, até o final da vida do sistema. O Sistema Produto-Serviço busca otimizar ao máximo os recursos disponíveis em seu sistema, para minimizar, principalmente, o impacto na dimensão ambiental

5 da sustentabilidade. Desde a primeira etapa do desenvolvimento de um Sistema Produto-Serviço, deve-se pensar, por exemplo, na matéria-prima a ser utilizada, para que na disposição final, o produto do sistema não seja descartado no meio ambiente e, sim, reutilizado ou reciclado. Em relação à importância do Sistema Produto- Serviço, seu modelo de negócio visa desmaterializar o consumo de produtos, diferenciando-o em relação aos modelos de negócio tradicionais. Os modelos de negócio tradicionais oferecem o produto tangível que se torna propriedade e responsabilidade do consumidor, que deve cuidar também da manutenção e descarte do produto, que neste caso necessita de um elevado investimento inicial. Os modelos de negócio nos Sistemas Produto-Serviço reduzem as responsabilidades do consumidor com o produto e para facilitar, o investimento inicial é diluído em parcelas, onde o consumidor paga pelo tempo de utilização do produto e do serviço. No Sistema Produto-Serviço a organização que oferece o sistema, além de se responsabilizar pelo desenvolvimento, manutenção e fim de vida, também se responsabiliza pelo ciclo de vida de todo o sistema, otimizando todas as etapas para reduzir ao máximo os impactos ambientais. Com este modelo de negócio alternativo, o Sistema Produto-Serviço apresenta novas formas de atender os clientes e satisfazê-los, cumprindo suas necessidades sem precisar oferecer produtos tangíveis e sim um conjunto de soluções (HALEN, VEZZOLI e WIMMER, 2005). Torna-se importante ressaltar que o Sistema Produto-Serviço é um conceito recente, mas que vem sendo pesquisado pela comunidade acadêmica para reorientar padrões de consumo e de produção mais sustentáveis (MANZINI e VEZZOLI, 2002). Neste sentido alguns estudos já podem ser adotados como fundamentações teóricas definitivas: um exemplo são as classificações do PSS que serão apresentadas na subseção seguinte deste texto Classificações do Product-Service System Alguns pesquisadores desenvolveram estudos sobre o deslocamento da economia baseada na aquisição de produtos para a economia baseada na utilização de produtos, reduzindo recursos necessários por unidade de serviço (UNEP, 2004; MONT, 2002 e BAINES et al, 2007). Tukker (2004) comenta que o deslocamento da economia é uma convergência do produto puro ou tangível ao serviço puro ou intangível. Entre estes dois termos encontram-se os sistemas produto-serviço,

6 apresentando uma mistura de produtos e serviços em conjunto no sistema em que ambos se inserem. As principais categorias do PSS são apresentadas na Figura 1 através da convergência do produto puro ao serviço puro. (Fonte: Adaptado de Tukker, 2004) FIGURA 1 Principais categorias do Sistema Produto Serviço Observam-se na Figura 1, as principais categorias do PSS, onde as divisões não são rigidamente definidas, podendo abranger mais serviços ou mais produtos. O produto puro é a forma tradicional de oferecer um produto, sem serviços diretamente relacionados. O serviço puro não envolve nenhum produto diretamente relacionado, oferecendo somente serviços. As categorias intermediárias (PSS orientado ao produto, PSS orientado ao uso e, PSS orientado ao resultado) serão abordadas separadamente na seqüência deste texto, com a apresentação de casos práticos. a) Product-Service System orientado ao produto Nesta categoria o produto é de propriedade do consumidor e alguns serviços estão inclusos. Uma análise de caso prático (primeiro caso prático do texto) são os produtos da Allegrini: uma empresa italiana que fabrica produtos de limpeza e entrega-os periodicamente na casa do consumidor. O cliente adquire um conjunto de embalagens com os líquidos de limpeza. Estas embalagens são reabastecidas através de um serviço semanal em domicílio. Com isto, o cliente não precisa deslocar-se de sua residência e, principalmente, contribui com a redução da quantidade de embalagens no pós-consumo, trazendo vantagens econômicas para o consumidor e vantagens ambientais para a sociedade como um todo (UNEP, 2004). b) Product-Service System orientado ao uso Esta categoria engloba mais serviços ao produto, que neste caso, é de propriedade do fornecedor. São ofertados os serviços de utilização do produto, ou

7 seja, o consumidor paga uma taxa pelo tempo que for utilizar o produto. Uma análise de caso prático (segundo caso prático do texto) são as bicicletas da Call a Bike, de uma empresa na Alemanha, onde se vende a locomoção e não o objeto de locomoção, que pode ser compartilhado por vários clientes. Neste caso, para o cliente utilizar o serviço, precisa se cadastrar na página virtual ou ligar para o telefone disponível para este fim (CALL A BIKE, 2010). Após cadastrar-se, o cliente pode ir diretamente aos pontos onde estão as bicicletas, ativar o código de segurança e usufruir do produto durante o tempo que achar apropriado. Para cancelar o serviço, o cliente estaciona a bicicleta em um dos pontos cadastrados na cidade (CALL A BIKE, 2010). Este sistema de venda da utilização do produto, como as bicicletas Call a Bike, é uma maneira de desmaterializar o consumo de produtos: muda-se o foco do consumo para a satisfação. Conforme Alcott (2008), o consumo suficiente é uma estratégia que tem como objetivo ajustar os padrões de consumo para a equidade social e para a redução dos impactos ambientais. c) Product-Service System orientado ao resultado Esta categoria envolve mais serviços do que produtos, que neste caso, também são de propriedade do fornecedor. A principal característica é a oferta de um resultado para o cliente, como por exemplo, um conforto térmico. Uma análise de caso prático (terceiro caso prático do texto) são os escritórios móveis da Econcept, empresa Alemã. São escritórios móveis que podem ser utilizados para atender trabalhadores que vão de um lugar para o outro. Este escritório é temporário e o cliente utiliza-o somente pelo tempo que achar apropriado. O ambiente disponibiliza uma infra-estrutura parecida com escritórios modernos, mas com o aproveitamento de recursos da natureza, como painéis solares e captação de águas pluviais. Este sistema de PSS oferece os resultados ao cliente, trazendo vantagens para o cliente e para o meio ambiente, pois o escritório é planejado para aproveitar energias naturais e minimizar os impactos causados no meio ambiente (ECONCEPT, 2010) Sobre o Design for Upgrade Entre os conceitos utilizados para aumentar a sustentabilidade ambiental na produção industrial pode-se citar a remanufatura (NASR e THURSTON, 2006). Esta idéia surgiu com o objetivo de fechar o ciclo de vida dos produtos, reaproveitando-os ao final da vida útil. Da evolução do conceito inicial de remanufatura foi gerado um novo conceito chamado de Design for Upgrade ou Design for Upgradability, que está

8 relacionado ao projeto para a atualização de produtos (ISHIGAMI et al., 2003). Este novo conceito se refere à extensão do ciclo de vida dos produtos por meio de sua atualização, prolongando a vida útil e encorajando o reuso, além de criar novas oportunidades de negócio nos estágios finais do ciclo de vida dos produtos (SHINIOMURA, UMEDA, TOMIYAMA, 1999). De acordo com os conceitos de atualização de produtos, alguns bens duráveis, como eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos, automóveis e outros podem ser atualizados por meio da modificação e do melhoramento de suas funções (UMEDA et al., 2005). Esta alteração é feita pela troca de componentes. É necessário que, para a sua atualização, o produto possua estrutura modular, de maneira que seus componentes possam ser retirados e substituídos por novos (SHENG e JUKUN, 2007). Contudo, para que a atualização possa ser realizada de maneira eficiente é necessário que seja planejada: durante o desenvolvimento do produto além dos atuais métodos de projeto para montagem, fabricação, desmontagem, entre outros é necessário que haja também um planejamento para a atualização, de forma que esta seja feita por etapas e já prevendo as melhorias do produto no período pós-venda. 4. Análise de casos práticos específicos Nesta seção serão apresentadas duas análises de casos práticos para melhorar o entendimento acerca do Product-Service System e do Design for Upgrade. Trata-se do quarto e do quinto caso prático do texto Caso prático no contexto do Product-Service System O purificador de água da marca Brastemp, Figura 2, é um caso prático de Product-Service System, pelo qual se oferece soluções em água purificada, sem a necessidade de reposição de galões ou manutenção de filtros. O consumidor paga uma mensalidade para utilizar o produto e a empresa oferece um purificador com tecnologia de ponta e com manutenção periódica a fim de contribuir para o bem estar dos consumidores (WHIRLPOOL, 2010). O purificador de água é o produto final de um sistema de produção que busca contribuir com a sustentabilidade ambiental, onde se planeja já no início do desenvolvimento do produto, sua destinação final: o produto é desmontado e reciclado por empresas especializadas, sendo que cerca de 99% do produto é reciclado (WHIRLPOOL, 2010).

9 (Fonte: Whirlpool, 2010) FIGURA 2 Purificador de água Brastemp A Whirlpool S. A., organização que atualmente detém a marca Brastemp, fabrica no Brasil, principalmente, eletrodomésticos da linha branca: exemplos são os refrigeradores, os fogões, as lavadoras de roupa e louça (WHIRLPOOL, 2010). O PSS apresentado neste caso prático é um novo modelo de negócio da organização que chama a atenção, principalmente pelo fato da Whirlpool ser uma organização de referência mundial em inovação (TOLFO et al., 2010). De fato, a organização ingressa em um novo nicho de negócio, até então não explorado pelo setor. Conforme Tolfo et al. (2010), o purificador de água da Brastemp é uma estratégia focada no comércio de serviços, o qual utiliza o produto para satisfazer as necessidades do consumidor. O purificador apresenta um viés para a sustentabilidade ambiental, buscando diminuir o impacto ambiental negativo a partir da preocupação com a destinação do produto no pós-uso, reciclando ou atualizando seus componentes (WHIRLPOOL, 2010) Caso prático no contexto do Design for Upgrade O M1 Abrams é o principal veículo de combate (main battle tank) do exército dos Estados Unidos da América (US ARMY, 2010). Sua primeira versão, o M1, foi lançada em 1980, seguida pelas versões M1A1 e M1A2 lançadas nos anos de 1986 e 1992 respectivamente (ARMY TECHNOLOGY, 2010a). No somatório total este veículo de guerra possui mais de trinta anos de serviço, tendo sido utilizado em guerras como a Guerra do Golfo e a Guerra do Iraque (GLOBAL SECURITY, 2010). Com relação ao projeto do Abrams, este possui caráter revolucionário, sendo um veículo com características superiores comparado aos principais carros de combate utilizados por exércitos de outras nações. Sua plataforma foi desenvolvida para comportar atualizações periódicas. Estas atualizações apesar de terem sido

10 planejadas e desenvolvidas antes do conceito de Design for Upgrade, estão em consonância com este. Isto porque, as atualizações são realizadas numa linha de atualização projetada apenas para este fim, focando em resultados que buscam maior sustentabilidade econômica e ambiental. Observando a Figura 3, onde são apresentadas duas versões do veículo, M1A1 e M1A2, é possível verificar que o seu exterior não se altera muito de uma versão para outra, porém alguns de seus componentes e sistemas, como os sistemas de armamento, sistemas de proteção e sistemas eletrônicos são atualizados para um melhor desempenho do veículo. (Fonte: Army Technology, 2010b; Nation States, 2010) FIGURA 3 Veículos de combate Abrams M1A1 e M1A2 Os veículos M1 Abrams são atualizados no Depósito Militar de Anniston, localizado na cidade de Bynum, no estado do Alabama. Uma linha de atualização foi criada, na qual é realizada inicialmente a desmontagem dos veículos, sendo separados os componentes. Na seqüência é realizado o reparo nos componentes que estão em bom estado e a destinação correta dos componentes recicláveis. Alguns sistemas e peças necessitam ser substituídos de versão para versão, devido ao grande desgaste ou à atualização obrigatória de determinado componente. Com os componentes reparados e atualizados é feita a montagem final do veículo, que passa por rigorosos testes de qualidade para evitar problemas durante sua utilização. Os principais objetivos deste processo de atualização são: aumentar o ciclo de vida do produto, aumentar a sustentabilidade econômica e ambiental do produto, e evitar que os tanques possam ter sua tecnologia estudada e copiada por outros fabricantes de veículos militares. Aumentar o ciclo de vida do veículo militar em questão se justifica pelo fato de seu projeto ser de alto custo, sendo economicamente mais sustentável a adoção da estratégia de atualizações

11 periódicas. As atualizações periódicas por sua vez acabam por contribuir para tornar o veículo ambientalmente mais sustentável, pelo fato do reuso e reciclagem de sistemas e componentes. Assim, o caso do veículo militar M1 Abrams é um relevante exemplo de como é aplicada a atualização de produtos. Apesar de sua alta restrição, sendo um projeto específico da área militar, com baixa escala de produção e envolvendo alta tecnologia, o tanque M1 Abrams possui várias características de projeto e gerenciamento do ciclo de vida do produto que servem de referência para o desenvolvimento de veículos atualizáveis. Esta análise de caso contribuiu para alcançar o objetivo deste trabalho. 5. Delineamento de roteiros para Product-Service System e Design for Upgrade Nas seções anteriores foram apresentados suportes teóricos e práticos para o entendimento dos roteiros que serão apresentados aqui. De fato, estes roteiros são derivados da literatura e, principalmente, do conhecimento do grupo de pesquisa que conduziu este e outros trabalhos sobre os conceitos Product-Service System e Design for Upgrade. O primeiro roteiro que será apresentado é o da utilização do conceito de Product-Service System. Estão previstos para este conceito as seguintes ações: Pesquisar e selecionar recursos alternativos como materiais renováveis no meio ambiente que possam gerar menor impacto ambiental que os recursos tradicionais. Desenvolver junto ao projeto do Sistema Produto-Serviço, soluções que busquem a desmaterialização do produto através da substituição de materiais por serviços. Otimizar os recursos utilizados na fase de produção do produto, no ciclo de vida do mesmo e em todo o sistema, envolvendo recursos, stakeholders, entre outras otimizações do produto orientado ao Sistema Produto-Serviço. Pesquisar e selecionar materiais com maior durabilidade, para que ao desenvolver o produto estes materiais possuam um maior ciclo de vida. Planejar o ciclo de vida do produto antes de desenvolvê-lo, apresentando soluções desde a sua produção até a sua destinação final, para que o mesmo esteja programado para ser reciclado, recuperado ou reutilizado. Gerenciar o ciclo de vida do produto orientado ao Sistema Produto-Serviço, implementando assistências técnicas e outros serviços que favoreçam o mesmo. O segundo roteiro que será apresentado é o da utilização do conceito de Design for Upgrade no desenvolvimento de produtos, sendo previstas as seguintes ações: Listar as funções do produto, buscando prever os sistemas necessários para que

12 o produto satisfaça todas as necessidades dos clientes. Criar a arquitetura do produto, tendo como base as funções identificadas anteriormente. Dividir a arquitetura do produto em sistemas, subsistemas e componentes, de modo que seja criada uma hierarquia que possibilite identificar os módulos principais e secundários do produto. Definir e desenvolver os módulos do produto. Identificar as variáveis funcionais e/ou estéticas que podem ser melhoras e/ou atualizadas em versões futuras do produto. Avaliar, a partir das melhorias previstas, o quanto cada uma das funções identificadas poderá ser aprimorada. Definir como a melhoria funcional e/ou estética do produto será contemplada nos módulos, podendo ser abordada a troca total de módulos, ou mesmo, alguma adaptação. 6. Resultados esperados Os resultados esperados no desenvolvimento de produtos a partir dos roteiros apresentados neste trabalho são: Substituição de materiais não renováveis por renováveis no meio ambiente. Soluções que desmaterializam o consumo de produtos. Otimização de recursos durante o processo de desenvolvimento, utilização e ciclo de vida de um produto e do sistema que envolve este produto orientado ao Sistema Produto-Serviço. Maior durabilidade do produto orientado ao Sistema Produto-Serviço, pois os materiais utilizados são selecionados para terem um ciclo de vida maior. Ciclo de vida do produto planejado. Facilidade no controle do ciclo de vida do produto orientado ao Sistema Produto- Serviço. Identificação das funções do produto, e conseqüente viabilidade ou não de desenvolver a estrutura modular. Desenvolvimento e integração dos módulos constituintes do produto. Manutenção do produto facilitada por meio da troca dos módulos. Possibilidade de atualização do produto. Extensão do ciclo de vida do produto. Possibilidade de um mesmo produto atender clientes com necessidades diferentes. Redução do consumo de produto através da possibilidade de atualização. Finalizado o delineamento dos roteiros, conduzir-se-á agora uma breve discussão do Product-Service System e do Design for Upgrade em termos de perspectivas e limitações. Em termos de perspectivas o Product-Service System é profícuo por desmaterializar o consumo de produtos através da satisfação do usuário com serviços personalizados e associados ao produto. As soluções PSS substituem a oferta de bens físicos pela oferta de um sistema de produtos e serviços que satisfaçam as necessidades dos consumidores, atingindo níveis de melhorias

13 ambientais mais significativos que outras estratégias de negócio. Organizações estão oferecendo soluções inovadoras para atrair clientes e competir no mercado global e, de fato, o PSS é uma estratégia de inovação que vem ganhando espaço nos últimos anos. É oferecido ao cliente o que ele realmente necessita, não a propriedade, mas a funcionalidade, utilidade e desempenho do produto físico e serviços adicionais que agregam valor ao sistema como um todo. Este modelo de negócio motiva as empresas a reutilizar, racionalizar e melhorar seus produtos e serviços nas fases do ciclo de vida do sistema (MATZEN et al., 2005). O Design for Upgrade também possui boas perspectivas: pode-se criar um produto ambientalmente mais sustentável, através da adequação do projeto à estratégia da extensão do ciclo de vida do produto. De fato, desenvolver um produto ambientalmente mais sustentável cria oportunidades de agregar valor ao objeto, principalmente, pelo impacto positivo em um requisito do cliente que cada vez mais se destaca: a responsabilidade ambiental associada ao consumo de produtos e serviços. A atualização de um produto também está associada à sua melhoria durante o seu ciclo de vida, permitindo que sua configuração seja alterada sem a troca de todo o produto. Isso deverá permitir também uma maior flexibilidade no uso do produto pelo usuário. Contudo, algumas perspectivas para o Design for Upgrade ainda necessitam de estudos mais detalhados, como por exemplo, a viabilidade econômica da utilização deste conceito em determinados produtos. Em termos de limitações, o Product-Service System ainda não é utilizado em larga escala no Brasil em função da legislação contábil. Em um Product-Service System, considerando as classificações apresentadas na terceira seção (orientado ao uso e orientado aos resultados), o produto é propriedade da empresa. Segundo a legislação contábil brasileira, este produto é um imobilizado da empresa. Quando o imobilizado cresce vertiginosamente (em função dos produtos imobilizados no PSS) os acionistas das empresas de capital aberto podem interpretar que a organização está em processo de falência. Esta interpretação errônea pode desvalorizar as ações da empresa. Torna-se importante aqui, também considerar que o consumidor não está acostumado com o consumo sem dono, ou seja, o consumidor adquire algo, mas que não é de sua propriedade. Para a organização também existem desafios: mudanças significativas são necessárias em todo processo de produção, cadeia de

14 suprimentos, rede de parceiros, infra-estrutura, serviços e recursos utilizados para a gestão do sistema. Neste sentido, fica evidente que o PSS é uma mudança impactante para a organização e, principalmente para o consumidor, que necessita mudar concepções culturais: as pessoas são acostumadas a adquirir produtos (bens tangíveis) e não a adquirir a função destes. Para o Design for Upgrade, algumas limitações também devem ser consideradas, como a dificuldade em utilizar este conceito em produtos complexos, como automóveis por exemplo. Isto se deve ao fato de uma relação direta: quanto maior a complexidade de um produto, maior o número de variáveis envolvidas na atualização. Em contra ponto, para produtos menos complexos, há uma maior facilidade envolvida, aumentando as possibilidades de atualização destes produtos. Os estudos relacionados à sustentabilidade econômica envolvida na atualização de produtos também são limitações percebidas: poucos estudos quantitativos sobre este tema ainda limitam a utilização do Design for Upgrade em larga escala. 7. Considerações finais A estratégia de buscar maior sustentabilidade ambiental para produtos industrializados pode ser contemplada através da utilização dos conceitos do Product-Service System e do Design for Upgrade. Isto foi explorado neste trabalho através do delineamento de roteiros para serem utilizados no desenvolvimento de produtos, conforme o objetivo proposto. De fato, dentro das limitações, os roteiros são complementados por uma discussão acerca das perspectivas e das limitações dos conceitos: abrangendo o potencial de cada conceito no desenvolvimento de produtos. A continuidade desta pesquisa está sendo conduzida com um estudo detalhado das perspectivas e das limitações destes conceitos no Brasil, principalmente sob os aspectos econômicos e ambientais. Outro prosseguimento está no aprimoramento dos roteiros propostos, através de experimentos pilotos em casos práticos, e conseqüente avaliação das variáveis envolvidas. Outra pesquisa que está sendo conduzida, por um dos integrantes deste trabalho, é o desenvolvimento de um modelo para identificar os requisitos a serem considerados para representar o Product-Service System de um dado modelo de negócio a ser planejado. Com estas pesquisas, acredita-se que será possível estruturar importantes contribuições para a sustentabilidade ambiental no que diz respeito a

15 produtos industrializados. Importante evidenciar nas considerações finais que o estudo teórico conceitual que fundamentou este trabalho, evidenciou lacunas na literatura relacionada aos conceitos, principalmente em relação ao Product-Service System: são raros os estudos quantitativos e os casos práticos de sucesso. No mesmo sentido, são inexistentes casos práticos que evidenciem as estratégias para uma empresa iniciar um processo de negócio com este viés. Conclusivamente, a realização desta pesquisa proporcionou uma ponderação do quão importante o desenvolvimento de produtos pode ser para uma maior sustentabilidade ambiental. A limitação deste trabalho é o viés teórico, mesmo com as análises de casos práticos. Metodologicamente, não se podem generalizar as inconsistências específicas dos resultados para outros contextos. Pesquisas futuras devem explorar os roteiros propostos para consolidar resultados científicos acerca do tema. Referências ALCOTT, B. The sufficiency strategy: would rich-world frugality lower environmental impact? Ecological Economics, v. 64, p , ARMY TECHNOLOGY. M1A1 / M1A2 Abrams Main Battle Tank. Site da Army Technology, Disponível em: <http://www.army-technology.com/pro jects/abrams/images/abram19.jpg>. Acesso em: 16 de mar. 2010ba. ARMY TECHNOLOGY. M1A1 / M1A2 Abrams Main Battle Tank. Site da Army Technology, Disponível em:<http://www.army-technology.com/pro jects/abrams/>. Acesso em: 29 de mar. 2010b. BAINES et al. State-of-the-art in product-service systems. In: Proceedings of the Institution of Mechanical Engineers, Part B: Journal of Engineering Manufacture. Volume 221, Number 10 / Professional Engineering Publishing. London, UK: BECKER, G. S. Irrational Behaviour and Economic Theory. The Journal of Political Economy, v. 70, BELL, J. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Tradução Magda França Lopes. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, CALL A BIKE. Call a bike, the Deutsche Bahn bike rental system. Disponível em:< Acesso em 14 abr ECONCEPT. The sustainable office. Disponível em: <http://www.econcept.org> Acesso em: 20 set GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, GLOBAL SECURITY. Site da empresa Global Security. M1 Abrams Main Battle Tank, Disponível em: <http://www.globalsecurity.org/military/systems/ground/m1-intro.htm>. Acesso em: 29 de mar GOEDKOOP, M. et al. Product Service-Systems, ecological and economic basics. Report for Dutch Ministries of Environment (VROM) and Economic Affairs (EZ), HALEN, C. V.; VEZZOLI, C.; WIMMER, R. Methodology for product service system innovation. How to implement clean, clever and competitive strategies in European industries. Royal Van Gorcum, ISHIGAMI, Y. et al. Development of a Design Methodology for Upgradability involving Changes of Functions. Proceeding in EcoDesign2003: Third International Symposium on Environmentally Conscious Design and Inverse Manufacturing. IEEE. Tokyo, Japan MANZINI, E.; VEZZOLI, C. O desenvolvimento de produtos sustentáveis: os requisitos ambientais dos produtos industriais. São Paulo: Edusp, 2002.

16 MATZEN, D.; TAN, A.R., MYRUP ANDREASEN. M. Product-Service Systems: Proposal for models and terminology. 16º Simposium Design for X MONT, O. Product Service-System: Swedish Environmental Protection Agency. Stockholm: Sweden, NASR, N.; THURSTON, M. Remanufacturing: A Key Enabler to Sustainable Product Systems. Proceedings of LCE. EUA NATION STATES. Site do forum Nation States, Disponível em: <http://www.tms.org/pubs/ journals/jom/ 9705/Montgomery-9705.intro.lg.gif>. Acesso em: 16 de mar PETALA, E. et al. The role of new product development briefs in implementing sustainability: a case study. Journal of Engineering and Technology Management. 11 p SALOMON, D. V. Como fazer uma monografia. 10.ed. São Paulo: Martins Fontes, SHENG, Z.; JUKUN, Y.. Remanufacturing Upgrade for Green Maintenance. Remanufacturing Technology Committee of CAPE, Beijing, SHINIOMURA, Y. UMEDA, Y. TOMIYAMA, T. A Proposal of Upgradable Design. Environmentally Conscious Design and Inverse Manufacturing. Proceedings. EcoDesign '99: First International Symposium On.. IEEE. Tokyo, Japan TOLFO, C. et al. Aplicação da modelagem de processos de negócios em sistemas produto-serviço. In: XVII Simpósio de Engenharia de Produção, 2010, Bauru. Anais do XVII SIMPEP, TUKKER, A. Eight types of product service system: eight ways to sustainability? Experiences from Suspronet. Editora InterScience, UMEDA, Y. et al. Development of design methodology for upgradable products based on function behavior state modeling. Artificial Intelligence for Engineering Design, Analysis and Manufacturing, v.19, p , UNEP. Product-Service Systems and Sustainability: Opportunities for Sustainable Solutions. United Nations Environment Programme. Division of Technology, Industry and Economics. Production and Consumption Brach. Milão, US ARMY. Site oficial do exército dos Estados Unidos da América, Disponível em: <http://www.army.mil/factfiles/equipment/tracked/abrams.html>. Acesso em: 29 de mar WHIRLPOOL. Sobre a Água Fresca. Site da empresa Whirlpool Disponível em: <http://www.whirlpool.com.br/>. Acesso em: 13 de set

Design for upgrade em um modelo proposto para o

Design for upgrade em um modelo proposto para o Design for upgrade em um modelo proposto para o desenvolvimento de projetos de automóveis Design for upgrade in a proposal model for develop automobiles projects Barbosa, Samuel Borges; Mestrando; Universidade

Leia mais

MODELO DE DESENVOLVIMENTO DE AUTOMÓVEIS: INCORPORAÇÃO DE UM CONCEITO PARA MAIOR SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

MODELO DE DESENVOLVIMENTO DE AUTOMÓVEIS: INCORPORAÇÃO DE UM CONCEITO PARA MAIOR SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Sistemas produto-serviço: um caminho para a sustentabilidade Product-service systems: a path to the sustainability

Sistemas produto-serviço: um caminho para a sustentabilidade Product-service systems: a path to the sustainability Sistemas produto-serviço: um caminho para a sustentabilidade Product-service systems: a path to the sustainability Maria Carolina Medeiros i Paula da Cruz Landim ii Sistemas produto-serviço, sustentabilidade,

Leia mais

MÉTODO ESTRUTURADO DE DESIGN DE PRODUTOS ORIENTADOS AOS SISTEMAS PRODUTO-SERVIÇO: PROPOSTA E APLICAÇÃO

MÉTODO ESTRUTURADO DE DESIGN DE PRODUTOS ORIENTADOS AOS SISTEMAS PRODUTO-SERVIÇO: PROPOSTA E APLICAÇÃO Periódico da área de Engenharia Industrial e áreas correlatas Editor responsável: Nelson Casarotto Filho, Prof. Dr. Organização responsável: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Processo de avaliação

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SUCESSO EM UM SISTEMA PRODUTO-SERVIÇO: ESTUDO DE CASO ÚNICO

ESTRATÉGIA DE SUCESSO EM UM SISTEMA PRODUTO-SERVIÇO: ESTUDO DE CASO ÚNICO ESTRATÉGIA DE SUCESSO EM UM SISTEMA PRODUTO-SERVIÇO: ESTUDO DE CASO ÚNICO Cristiano Roos (UFSC ) cristiano.roos@gmail.com O objetivo deste trabalho é apresentar o histórico de um caso prático de PSS (Sistema

Leia mais

Instrumentos de ação: Sistema de Produto-Serviço

Instrumentos de ação: Sistema de Produto-Serviço Instrumentos de ação: Sistema de Produto-Serviço ou Product-Service System (PSS) ÁUREA RAPÔSO Doutoranda em Engenharia Industrial (PEI/UFBA) Professora e Pesquisadora do IFAL Campus Maceió Bolsista CAPES

Leia mais

Sistemas Produto-Serviço Fernanda Hänsch Beuren

Sistemas Produto-Serviço Fernanda Hänsch Beuren Desenvolvimento de produtos e serviços Tendências do desenvolvimento sustentável Desenvolvimento de produtos Desenvolvimento de produtos Oferta excessiva de produtos = consumismo Consumismo: gastos excessivos

Leia mais

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Engenharia de Produção Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Miriam Borchardt Leonel Augusto C. Poltosi Miguel A. Sellitto Giancarlo M. Pereira Introdução Ecodesign:

Leia mais

Logística Reversa. Conceito de Logística. Reversa 15/09/2011. Objetivos da aula. e o Meio Ambiente

Logística Reversa. Conceito de Logística. Reversa 15/09/2011. Objetivos da aula. e o Meio Ambiente Logística Reversa e o Meio Ambiente Objetivos da aula 1. Estabelecer as relações entre os canais de distribuição diretos e os canais reversos; 2. Identificar as diferentes categorias de canais de distribuição

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

Gerenciamento de Projetos no Marketing Desenvolvimento de Novos Produtos

Gerenciamento de Projetos no Marketing Desenvolvimento de Novos Produtos Gerenciamento de Projetos no Marketing Desenvolvimento de Novos Produtos Por Giovanni Giazzon, PMP (http://giazzon.net) Gerenciar um projeto é aplicar boas práticas de planejamento e execução de atividades

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS Ana Carolina Freitas Teixeira¹ RESUMO O gerenciamento de projetos continua crescendo e cada

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge 58 4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge No Brasil, as metodologias mais difundidas são, além do QL, o método Zopp, o Marco Lógico do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Mapp da

Leia mais

Engenharia de Requisitos, Manutenção Corretiva e Acordo de Nível de Serviço.

Engenharia de Requisitos, Manutenção Corretiva e Acordo de Nível de Serviço. Engenharia de Requisitos, Manutenção Corretiva e Acordo de Nível de Serviço. Nilton Ferreira Caetano, Francinaldo de Paula Santos, Thiago Lopes de Godoi Barbosa Centro Universitário de Brasília (UNICEUB)

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO

O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO Sandra Biégas 1, Patrícia Machado Mellero Cardoso 2 RESUMO: Com base em uma realidade onde indústrias

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP

Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Parceiros de serviços em nuvem gerenciada Aumente sua velocidade e flexibilidade com a implantação da nuvem gerenciada de software da SAP Implemente a versão mais recente do software da SAP de classe mundial,

Leia mais

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução 19 Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS: APRIMORAMENTO DA METODOLOGIA DE DIAGNOSTICO E PROPOSIÇÃO DE UM MÉTODO PARA IMPLANTAÇÃO BASEADO EM PROCESSOS DE NEGÓCIO Autor(es) FELIPE

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL DUMAS, Ana Carolina¹ Guirado CALDAMONE,Camila¹ Guerino FRANCO, Nathália¹ Ribeiro; Acadêmicos do curso de Administração da Faculdade de Ciências

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G 1082 X Salão de Iniciação Científica PUCRS UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G Agner Macedo Paiva, Bernardo Copstein (orientador) FACIN, PUCRS, Centro

Leia mais

Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI

Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI Gilberto Zorello (USP) gilberto.zorello@poli.usp.br Resumo Este artigo apresenta o Modelo de Alinhamento Estratégico

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Manutenção dos Sistemas de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Manutenção dos Sistemas de Produção Curso de Engenharia de Produção Manutenção dos Sistemas de Produção Informações sobre a disciplina: Professor: Eng. Carlos Bernardo Gouvêa Pereira Site: www.carlosbernardo.com Email: prof_carlospereira@camporeal.edu.br

Leia mais

Análise de Construtibilidade

Análise de Construtibilidade IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EM ENGENHARIA DE PLANEJAMENTO Turma 01 Análise de Construtibilidade Fernando Souza Cota Carvalho Melanie Deborah Cardoso de Souza Diniz Belo

Leia mais

MODELOS DE NEGÓCIO APLICADOS AO PROBLEMA DOS RESÍDUOS TÊXTEIS SINTÉTICOS: UMA ABORDAGEM SOB A ÓTICA DO DESIGN PARA A SUSTENTABILIDADE

MODELOS DE NEGÓCIO APLICADOS AO PROBLEMA DOS RESÍDUOS TÊXTEIS SINTÉTICOS: UMA ABORDAGEM SOB A ÓTICA DO DESIGN PARA A SUSTENTABILIDADE 10º Colóquio de Moda 8ª Edição Internacional 2º Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design e Moda 2015 MODELOS DE NEGÓCIO APLICADOS AO PROBLEMA DOS RESÍDUOS TÊXTEIS SINTÉTICOS: UMA ABORDAGEM

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi Administração de Ativos de TI Prof. André Montevecchi Introdução a ITIL Em um mundo altamente competitivo, de mudanças constantes e inesperadas, é preciso ter flexibilidade e agilidade suficientes para

Leia mais

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB OBJETIVO GERAL Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB Marisol de Andrade Maués Como objetivo geral, buscou-se avaliar a qualidade de produtos Web, tendo como base o processo de avaliação de qualidade descrito

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

Proposta de um método para auditoria de projetos de desenvolvimento de software iterativo e incremental

Proposta de um método para auditoria de projetos de desenvolvimento de software iterativo e incremental Proposta de um método para auditoria de projetos de desenvolvimento de software iterativo e incremental Francisco Xavier Freire Neto 1 ; Aristides Novelli Filho 2 Centro Estadual de Educação Tecnológica

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE MOURA, Adilson Tadeu Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva BILESKY, Luciano Rossi Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva

Leia mais

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens Academia de Tecnologia da IBM White paper de liderança de pensamento Novembro de 2010 Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens 2 Proteção da nuvem: do desenvolvimento da estratégia

Leia mais

Gerenciamento de Configuração de Software

Gerenciamento de Configuração de Software FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU Jessé de Souza da Silva, José Arnaldo de Oliveira Almeida, Gabriel Pereira da Silva Gerenciamento de Configuração de Software Uma Abordagem Conceitual João Pessoa 2015 FACULDADE

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Treinamentos profissionalizantes: Formação Fábrica Digital e PLM

Treinamentos profissionalizantes: Formação Fábrica Digital e PLM O DMS (Digital Manufatcturing and Simulation) é um grupo de pesquisas com foco em PLM (Product Lifecycle Management), Manufatura Digital e Simulação para sistemas de manufatura e produção. Faz parte do

Leia mais

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Introdução Atualmente, é impossível imaginar uma empresa sem uma forte área de sistemas

Leia mais

Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI

Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI Adriano Olimpio Tonelli Redes & Cia 1. Introdução A crescente dependência entre os negócios das organizações e a TI e o conseqüente aumento

Leia mais

ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT

ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT LONDRINA - PR 2015 ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT Trabalho de Conclusão

Leia mais

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ABSTRACT

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ABSTRACT ANÁLISE DA APLICAÇÃO DA FILOSOFIA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DO SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ANALYSIS OF APPLICATION OF PHILOSOPHY IN LEAN CONSTRUCTION COMPANIES

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO EPR 707 Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO O que é o PDP PDP é o processo de negócio que: Busca as especificações de projeto

Leia mais

Autoria: Nestor de Oliveira Filho, Franciane Silveira

Autoria: Nestor de Oliveira Filho, Franciane Silveira APLICAÇÃO DO PROCESSO TOLL-GATE PARA SELEÇÃO DE OPORTUNIDADES E PROJETOS DE NOVOS PRODUTOS EM EUMA EMPRESA FORNECEDORA DE BENS E SERVIÇOS PARA O SETOR DE ENERGIA Resumo Autoria: Nestor de Oliveira Filho,

Leia mais

EPR 401 Gestão de Desenvolvimento de Produtos

EPR 401 Gestão de Desenvolvimento de Produtos EPR 401 Gestão de Desenvolvimento de Produtos Novos produtos como resultado do comportamento estratégico Prof. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Carlos Henrique Pereira Mello 2013 Como obter novos

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

Guia de sustentabilidade para plásticos

Guia de sustentabilidade para plásticos Guia de sustentabilidade para plásticos Maio 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 Introdução... 4 Contextualização dos plásticos... 6 Composição dos móveis e utensílios de plásticos...7 Requerimentos para materiais que

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS

ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO DA CONFIANÇA CIA. DE SEGUROS Alessandra Lübbe 1 Paulo Roberto de Miranda Samarani 2 RESUMO Este artigo refere-se a proposta de trabalho de conclusão do curso

Leia mais

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação SCRUM Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM 2011 Bridge Consulting Apresentação Há muitos anos, empresas e equipes de desenvolvimento

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS 1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Econômicas e Gerencias Curso de Ciências Contábeis Controladoria em Agronegócios ANÁLISE COMPARATIVA DO CUSTEIO POR ABSORÇÃO E DO

Leia mais

Engenharia do Produto

Engenharia do Produto Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba Departamento de Eletrônica Engenharia do Produto Slides elaborados a partir de Rozenfeld et al. (2006) AULA 8 Favor colocar

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Soluções inteligentes em energia. Energia para a vida

Soluções inteligentes em energia. Energia para a vida Soluções inteligentes em energia Energia para a vida O Brasil e o mundo contam com a nossa energia. A Prátil é uma empresa de soluções inteligentes em energia, que atua nos segmentos de infraestrutura

Leia mais

O objeto de pesquisa que se pretende investigar é, portanto inicialmente, um estudo bibliográfico sobre o uso do Concreto de Alto Desempenho.

O objeto de pesquisa que se pretende investigar é, portanto inicialmente, um estudo bibliográfico sobre o uso do Concreto de Alto Desempenho. CAD: CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO OLIVEIRA, João Miguel Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva Professor Orientador: Hugo Cardoso Esteves RESUMO Trabalho foca uma apresentação do Concreto de

Leia mais

Módulo teórico Princípios de design para a sustentabilidade

Módulo teórico Princípios de design para a sustentabilidade Módulo teórico Princípios de design para a sustentabilidade Autores: Cristina Rocha David Camocho Com contributos de: Anne Marie Mathiasen Rainer Pamminger Introdução ao módulo Objetivos do módulo Apresentação

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e. no Brasil com base na Pesquisa de Inovação Tecnológica PINTEC

Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e. no Brasil com base na Pesquisa de Inovação Tecnológica PINTEC USCS UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Guilherme Yukihiro Dallaido Shibata Análise exploratória da Inovação Tecnológica nos Estados, Regiões e no Brasil com

Leia mais

Scania Serviços. Serviços Scania.

Scania Serviços. Serviços Scania. Serviços Scania Scania Serviços. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar Tudo bem do o que seu o Scania, você precisa em um para só lugar. cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO GOVERNANÇA DE TI O QUE É GOVERNANÇA DE TI É um conjunto de estruturas e processos que visa garantir que a TI suporte e maximize adequadamente os objetivos e estratégias

Leia mais

BIM na prática: Como uma empresa construtora pode fazer uso da tecnologia BIM

BIM na prática: Como uma empresa construtora pode fazer uso da tecnologia BIM BIM na prática: Como uma empresa construtora pode fazer uso da tecnologia BIM Joyce Delatorre Método Engenharia O uso da Tecnologia BIM promete trazer ganhos em todas as etapas no ciclo de vida de um empreendimento.

Leia mais

Aço. o desafio da sustentabilidade

Aço. o desafio da sustentabilidade Aço o desafio da sustentabilidade Conteúdo extraído do Relatório de Sustentabilidade 2014 da ArcelorMittal, disponível em corporate.arcelormittal.com/sustainability/2014-report Editado pela Comunicação

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Planejamento e Gerenciamento Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução; Pessoas, Produto, Processo e Projeto; Gerência de

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Análise da produção científica nacional sobre Sistema de Informação Gerencial nos principais eventos nacionais em Engenharia de Produção

Análise da produção científica nacional sobre Sistema de Informação Gerencial nos principais eventos nacionais em Engenharia de Produção Análise da produção científica nacional sobre Sistema de Informação Gerencial nos principais eventos nacionais em Engenharia de Produção Tanise Fuckner de Oliveira (UTFPR) taniseoliveira@yahoo.com.br Antonio

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Análise estrutural do problema de programação da produção F3 r j, s ijk C max

Análise estrutural do problema de programação da produção F3 r j, s ijk C max Análise estrutural do problema de programação da produção F3 r j, s ijk C max Sânia da Costa Fernandes (UFG) saninha_fernandes@hotmail.com Tatiane Albuquerque Pires (UFG) tati_albuquerque_3@hotmail.com

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NA LOGÍSTICA REVERSA: ANÁLISE EMPÍRICA DE MULTIPLOS CASOS

SUSTENTABILIDADE NA LOGÍSTICA REVERSA: ANÁLISE EMPÍRICA DE MULTIPLOS CASOS 181 SUSTENTABILIDADE NA LOGÍSTICA REVERSA: ANÁLISE EMPÍRICA DE MULTIPLOS CASOS Valdecir Cahoni Rodrigues 1, Alvaro Costa Jardim Neto 2, Nilmaer Souza da Silva 1 1 Universidade do Oeste Paulista UNOESTE.

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente 1. Quais os componentes de um sistema cliente-servidor? Clientes e servidores 2. Na visão do hardware, defina o que é cliente e o que é servidor: Clientes. Qualquer computador conectado ao sistema via

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software?

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? 21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? Qualidade de software é uma preocupação real e esforços têm sido realizados na busca pela qualidade dos processos envolvidos em seu desenvolvimento

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL Júlio César de Almeida (FASA) julioc.almeida@hotmail.com Gisele Figueiredo Braz

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Marketing 4ª Série Gestão do Relacionamento com os Consumidores A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais