Reflexão Panorâmica. Design Industrial. Século XX

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reflexão Panorâmica. Design Industrial. Século XX"

Transcrição

1 Reflexão Panorâmica Design Industrial Século XX Prof. Dr. João Gomes Filho I 2010

2 Bibliografia João Gomes Filho > Escrituras Editora. São Paulo a ed. revisada 135 pag a ed. Revisada 255 pag a ed. 255 pag

3 DESIGN conceituação Plano, projeto; propósito... Purpose; intention; mental plan (Dicionário Folha/ Webster s) (Dicionário Oxford) Concepção, planejamento O produto desse planejamento (Dicionário Novo Aurélio) (Dicionário Novo Aurélio) Em Resumo : Concepção, plano, ou intenção de criar ou fazer alguma coisa Conceituação do termo Design / Sentido global Concepção e planejamento de todos os produtos feitos pelo Homem... ( Charlotte & Peter Fiell - Design Século XX )

4 Design Industrial: Definido no seu sentido mais global como concepção e planejamento de todos os produtos feitos pelo homem, o design pode ser visto fundamentalmente como um instrumento para melhorar a qualidade de vida.

5 Especialidades I Áreas de Atuação Contexto Internacional Equivalência Aproximada Contexto Nacional Industrial Design Design Industrial Object Design Design Objeto Public Design Design Equipamento Urbano Furniture Design Design Mobiliário Automobile Design Design Automobilístico Computer Design Design Computador Hardware Design Design Máq e Equipamento DESIGN PRODUTO Packaging Design Design Embalagem Food Design Design Alimento Jewelry Design Design Jóia Sound Design Design Sistema de Som Lighting Design Design Sistema de Iluminação Textile Design Design Têxtil

6 Especialidades I Áreas de Atuação Contexto Internacional Equivalência Aproximada Contexto Nacional Communications Design Commercial Design Corporate Design Design Sistema Comunicação Design Gráfico Design Identidade Corporativa Information Design Design Sistema de Informação DESIGN GRÁFICO Tabletop Design Media Design Software Design Design Editoração Design Meios Comunicação Design Programas

7 Especialidades I Áreas de Atuação Contexto Internacional Equivalência Aproximada Contexto Nacional Fashion Design Design Moda DESIGN MODA Interior Design Design Interiores DESIGN AMBIENTE Conceptual Design Design Conceitual Counterdesign Counterdesign Antidesign Antidesign Radicaldesign Radicaldesign DESIGN CONCEITUAL Avant-garde Design Avant-garde Design Bio-Design Bio-Design Eco-design Eco-design Universal Design Design Universal Re-design Redesign REDESIGN Interface Design Design de Interfaces DESIGN INTERFACES

8 Design Considerações Sucintas

9 DESIGN primórdios Homem Primitivo ( já era designer e não sabia! ): Objetos: artesanato rudimentar. Caça, pesca,... Moradias / Armas / Utensílios / ferramentas /... Desenhos e inscrições em cavernas... Evolução ao longo dos séculos: A Produção de objetos sempre foi feita no modo artesanal. Foi evoluindo de maneira cada vez mais aprimorada. Baixa produção > destinada às elites (nobreza, clero, etc.) Choque com o advento da produção mecanizada.

10 DESIGN evolução Salto na História Marcos Referenciais: Idade Média e Renascimento Século 19. Locomotiva à vapor Avanços Técnicos Novos materiais. Novas tecnologias As Grandes invenções Os primeiros grandes pesquisadores / Etc. Modos de produção Artesanato / Pré - industrialização / Industrialização. Séculos 16 /17 / 18 / 19 / 20. Pós-Industrialização século: final século 20 e 21.

11 DESIGN INDUSTRIAL séc. XIX Revolução Industrial As origens do design industrial, remontam à Revolução Industrial com o nascimento da produção mecanizada. Marco: Grande Exposição de Palácio de Cristal. Conceito de Fábrica. Conceitos de Seriação e Reprodutibilidade do objeto. Produção em escala: democratização, popularização > Consumo de Massa, que o artesanato não possibilitava. Interfaces : Design do Produto / Design Gráfico / Arquitetura / Design do Ambiente / Engenharias diversas (materiais/ processos/ de fabricação, etc.) / administração/ e Outras. Sempre com as Artes permeando todo este processo.

12 PARÊNTESES ARTESANATO & MANUFATURA DADOS BÁSICOS

13 ARTESANATO & MANUFATURA DADOS BÁSICOS Artesanato rudimentar. Elaborado: primeira forma de produção industrial. Surgiu no final da Idade Média. Com o renascimento comercial e urbano. Definição: produção independente. Meios de produção: instalações, ferramentas e matéria-prima. Artesão trabalhava em casa, sozinho ou com a família. Realizava todas as etapas da produção. A manufatura. Ampliação do consumo. Levou o artesão a aumentar a produção. E o comerciante a dedicar-se à produção industrial. O manufatureiro distribuía a matéria-prima. Artesão trabalhava em casa, recebendo pagamento combinado.

14 Comerciante passou a produzir contratando artesãos. Surgiram as primeiras fábricas. Incipiente mecanização. Assalariados não tinham o controle sobre o produto do seu trabalho. Produtividade aumentou por causa da divisão social. Cada trabalhador realizava uma etapa da produção. A evolução das substituição das ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia motriz e do modo de produção artesanal pelo sistema fabril constituiu a Revolução Industrial. Revolução Industrial teve enorme impacto sobre a estrutura da sociedade. Processo de transformação acompanhado por notável avanço tecnológico.

15 A Revolução Industrial aconteceu na Inglaterra na segunda metade do século XVIII e encerrou a transição entre feudalismo e capitalismo, a fase de acumulação primitiva de capitais e de preponderância do capital mercantil sobre a produção. Etapas da Industrialização / Em Escala Mundial 1760 a A Revolução se restringe à Inglaterra, a "oficina do mundo". Preponderam a produção de bens de consumo, especialmente têxteis, e a energia a vapor.

16 1850 a A Revolução espalha-se por Europa, América e Ásia: Bélgica, França, Alemanha, Estados Unidos, Itália, Japão, Rússia. Cresce a concorrência. A indústria de bens de produção se desenvolve. As ferrovias se expandem. Surgem novas formas de energia, como a hidrelétrica e a derivada do petróleo. O transporte também se revoluciona, com a invenção da locomotiva e do barco a vapor até hoje. Surgem conglomerados industriais e multinacionais. A produção se automatiza. Surge a produção em série. Explode a sociedade de consumo de massas, com a expansão dos meios de comunicação. Avançam a indústria química e eletrônica, a engenharia genética, a robótica. Globalização. Adaptado / Fonte: Acesso em 18 março 2010.

17 DESIGN INDUSTRIAL séc. XIX Produção de objetos modo artesanal X modo Fabril Como produzir objetos como esses (super elaborados) por meio de uma mecanização ainda incipiente? Crise estabelecida entre os defensores do artesanato (produtos belos) e os incentivadores do novo modo de produção industrial (produtos mal acabados). William Burges Decanter Gothic Revival Chair 1830 Thonet

18 DESIGN século XX... Início do século XX: Walter Gropius e outros conseguiram integrar a teoria e a prática do design através de novos meios de produção. Surge o Design Moderno. Walter Gropius fundou a Bauhaus em Como tentativa de promover uma resposta adequada à cultura tecnológica emergente (lenta resposta a qualidade do artesanato)

19 DESIGN século XX... Bauhaus Uniu os aspectos intelectuais, práticos, comerciais e estéticos através de um esforço artístico com a exploração de novas tecnologias. Nova Bauhaus Os princípios forjados na Bauhaus foram mais tarde desenvolvidos na Nova Bauhaus de Chicago. Fundada por Lázló Moholy-Nagy em 1937). E na Ulm - Hochschule für Gestaltung. Fundada em Os dois institutos deram importantes contribuições para o novo pensamento sobre a unificação da teoria do design com a prática em relação aos métodos industriais de produção.

20 DESIGN INDUSTRIAL no Século XX Resumo do texto e tabela cronológica do histórico do design. Transcritos (com livre adaptação) do livro: Design do Século XX. Charlotte e Peter fiell.

21 DESIGN século XX... No século XX, os produtos, estilos, teorias e filosofias do design tornaram-se cada vez mais diversificados. Devido à crescente complexidade do processo do design. Envolvendo designers, pesquisadores, especialistas de materiais, engenheiros e técnicos de produção e de fabricação (trabalho em equipe). A pluralidade do design do século XX se deu devido às alterações de padrões de consumo e de gosto estético.

22 DESIGN século XX... Estilo estético-formal O estilo é freqüentemente um elemento complementar de uma solução de design. O estilo está ligado à aparência e tratamento da superfície. Ou seja às qualidades expressivas de um produto. O design está primeiramente ligado à resolução de problemas. Tende a ser global na sua amplitude e geralmente procura simplificação e essência.

23 DESIGN século XX... O design no século XX caracterizou estes conceitos, estilos, movimentos, profissionais, escolas, empresas e instituições que deram forma ao curso da teoria do design e à práticas inovadoras: Aplicação de materiais, de processos e meios técnicos, que influenciaram o gosto, a história do estilo aplicado às artes decorativas, à cultura e à sociedade em geral.

24 DESIGN século XX... Finalmente, pode-se afirmar que as soluções do design, mesmo para o mais objetivo dos problemas, são inerentemente efêmeras. Assim como as necessidades e preocupações dos designers, fabricantes e mudanças na sociedade. Por isso tem-se cada vez mais o redesign de objetos. Talvez a razão mais significativa para a diversidade no design seja a crença generalizada de que, apesar da autoridade e do sucesso de soluções de design particulares, há sempre uma maneira de fazer melhor as coisas. Como pode ser constatado no histórico, à seguir:

25 Design Industrial Século XX Estilos & Movimentos by JGF

26 Parênteses Diagrama Cronológico HISTÓRIA da ARTE Simultaneidade com as correntes e os movimentos do Design Industrial (grifados)

27 By João Gomes Filho ARTE MODERNA Arts & Crafts >> Expressionismo Fauvismo Cubismo Abstracionismo Construtivismo Russo De Stijl Bauhaus Suprematismo Realismo Socialista Futurismo Dadaísmo Surrealismo ARTE CONTEMPORÂNEA Pop art Op art / Minimalismo Arte conceitual Happening Arte de instalações Land Art Pós-modernidade 1950/

28 Design Industrial Diagrama Cronológico Fonte: Design século XX Charlotte & Peter Fiell.

29 Arts & Craft Aesthetic Movement Jungendstil (Art nouveau alemão) Art Nouveau Deutscher Werkbund Constructivism De Stijl Bauhaus International Style Art Deco Organic Design Streamlining (Aerodinâmica) >> 1990 Pós- Guerra Pop Radical Design High Tech Post-Modernism >>> By João Gomes Filho fonte: adaptação do Livro: Design do Século XX Charlotte & Peter Fiell

30 Arts & Craft / Características Arts & Craft Busca de formas belas e de qualidade dos objetos. Preocupação com a transição do artesanato para a incipiente produção mecanizada e sua baixa qualidade estética (crise entre o belo tradicional e o belo funcional) Thonet. Vaso de Barro. Willian Gates Relógio-pendulo. 1840

31 Arts & Craft Mahogany Armchair Morris and Company Tesoura. 1851

32 Arts & Craft Cadeira Nº M. Thonet Capa Revista Craftsman Testil. Padronagem.

33 Aesthetic Movement Aesthetic Movement Características Devoto da Arte pela Arte. Adotava idéias extravagantes de beleza e da liberdade de expressão na arte e no design. Movimento Estético diretamente ligado com a influência japonesa na arte ocidental e ao exótico da arte extra-europeia. É essencialmente uma corrente de gosto. Armário folheado. Ébano Girassol. Thomas Jeckyll. 1880

34 Aesthetic Movement James Peddle Display Gabinet Aesthetic Movement overmantle, from Ireland, circa 1890.

35 Jungendstil Jugendstil (Art Nouveau-alemão)/ Características Formas oscilantes de ondas e ornamentação com flores e folhas. Tendência para formas assimétricas. Formas puras e práticas para facilitar a fabricação dos produtos. Pfaff Handels Ltda Cartaz: Bruno Paul

36 Jungendstil Staircase Victor Horta Revista Jugend, setembro 1896 Heinrich Tessnow

37 Art Nouveau / Características Art Nouveau Formas inspiradas nos elementos da natureza. (manifestou-se em toda a Europa). Linhas florais. Intricados geometrismos. Ênfase na expressão plástica sobre os objetos de uso corrente. Serviço de Café. Friedrich Adler Pedestal. Eugène Gaillard.1902

38 Art Nouveau Jarra Camafeu. Émile Gallé.1899 Victor Horta. Maison Tassel Maison Cauchie detail

39 Art Nouveau Flower, by Alphonse Mucha Cartaz. Job Cigarette. A. Mucha Poster Dama das Camélias Alphonse Mucha

40 Deutscher Werkbund (German Work Federation) / Características Deutscher Werkbund União de arquitetos, artesãos e fabricantes. Desenvolvimento de uma nova concepção na integração de atividades técnicas e práticas em função dos fundamentos do design e da realidade do novo estilo industrial. Precursor, em parte, dos princípios da Bauhaus Walter Gropius Peter Behrens-watch. AEG 1909 Bureau of Mines. Martin Gropius. Saarbrücken.1877.

41 >>> Deutscher Werkbund Ecce Homo Henry van de Velde L. Mies van der Rohe. Illinois Institute of Technology Aparelho. Hermann Gresch Chaleiras da AEG. Peter Behrens

42 Construtivism (Rússia) / Características Constructivism Abordagem estética do design aliado à produção industrial. Formas expressivas e fragmentadas. Linhas inspiradas pelo cubismo e pelo futurismo. Chávena de café e pires Wassily Kandinsky Porta-canetas.1923.Nikolai Suetin.

43 Constructivism Capa: El Lissitzky Artwork by El Lissitzky c1930 Anúncio: festival ateu da páscoa

44 De Stijl (Holanda) / Características De Stijl Busca de uma utopia: sujeitar a pintura, escultura, arquitetura e decoração a uma mesma geometria. Reunir as artes na igual procura de uma plástica da modernidade. Formas geométricas fortes e elementos coloridos. Abstracionismo geométrico. Pureza estética. Theo van doesburg.cartaz litográfico. Cleine Dada Theo van Doesburg Counter-CompositionV (1924) Circa. Gerrit Rietveld

45 De Stijl Aparador Gerrit Rietveld Carrinho de Mão Gerrit Rietveld Bestand:Destijl anthologiebonset

46 Bauhaus / Características Integração da arte com os processos mecânicos. Formas racionais. Bom design. Funcionalismo. Busca da forma pura e simples. Bauhaus Cartaz Expo Bauhaus Joost Schmidt Ludwig Mies Van Der Rohe Carl G. Jucker (1924)

47 Bauhaus Herbert Bayer Fritz schleifer. Exposição Bauhaus. Bauhaus Typography 60 Ludwig Mies Van Der Rohe

48 Bauhaus Bauhaus Baby Walter Gropius, Cabinet for periodicals Reedição: Bauhaus.Design: TECNOLUMEN

49 Bauhaus Capa. Documento. Reedição: Bauhaus Design: TECNOLUMEN Herbert Bayer

50 Bauhaus Cadeira Wassily Marcel Breuer Redesign. Ludwig Mies Van Der Rohe, de 1927 Marcel Breuer.Tubular steel chair.1928

51 International Style International Style / Características Objetivo na direção da simplicidade e funcionalidade. Estilo universal que transcende as fronteiras nacionais. Incorporação, no período, de muitos dos diversos estilos estéticos e formais. Luminária LC3. Le Corbisier Cartaz. Massimo Vignelli. 1967

52 International Style Henning speyer Cartaz. Moholy-Nagy. Herbert spencer Henning Speyer

53 International Style Sou um acrobata da forma, criador de formas, jogador com as formas. As formas, meio de exprimir toda a emoção plástica. A forma, expressão e estilo do pensamento. Le Corbusier Ettore Sottsass Igreja. Oscar Niemayer

54 Arte Deco / Características Art Deco Estilo inspirado pelas artes não ocidental (sobretudo, África, Egito, México). Representação estilizada de padrões naturais. Traços comuns: formas geométricas, varias curvas, padrões abstratos de zigue-zagues. Muitos detalhes. Cores intensas. Crysler Building William Van Alen Vaso Ruba Rombic Reuben Haley Mystery Clock- Cartier

55 Art Deco Cartaz FIAT. Ricobaldi Emory Seidel. Candelabros.1930 Mr. Art deco Perfume Radio

56 Art Deco Escrivaninha René Prou. 1922/1931. Cristo Redentor. Rio de Janeiro Fachada. Miami - Florida

57 Art Deco Georges Lepape Francesco Javier Reedição. Fachada art deco

58 & Atual Organic Design Organic Design / Características Recolhe informação da natureza (sistemas biológicos, bioquímicos, etc.) tenta captar sua essência abstrata e aplicar por analogia ao design. Anos 1990 reaparece com formas e estilo biomórfico. Cargo Carrer Luigi Colani Aeronave. Luigi Colani

59 & Atual Organic Design Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein. Arq Oscar Niemayer Maurice Calka- Boomerang 1970 MAC - Museu de Arte Contemporânea de Niterói

60 & Atual Organic Design Cadeira de Charles e Ray Eames Rossi Lovegrope. Landscape. 1998

61 & Atual Organic Design

62 & Atual Organic Design Minority report Lexus WV New Beetle. Anos 1990

63 Streamlining (EUA) / Características Streamlining Estilo com formas aerodinâmicas. Aparência do produto condicionada ao propósito de estimulo e incentivo ao consumo e aumento das vendas de bens e produtos industriais (crise de 1929). Trem. Composição Locomotiva Hudson. Henry Dreyfuss.

64 Streamlining Raymond Loewy, Pencil Sharpener, 1934

65 Streamlining Shell. Evolução da marca. Raymond Loewy Cigarro Raymond Loewy Anúncio UPR Coca-Cola.1947.Raymond Loewy

66 Pós-Guerra/ Características Pós- Guerra A industria desempenha papel efetivo na planificação, mecanização e incremento do design industrial. Ajuda à uma rápida reconstrução e expansão dos países que sofreram com a 2 a guerra. Ben Bowden. Battery Bicycle Ventilador Termo-Libele Leite Moça. Nestlé retro 1946

67 Pós- Guerra Após a Segunda Guerra Mundial, o "american way of life", influenciou praticamente todas as áreas da cultura, padrões de consumo e estilos de vida do planeta. O Plano Marshall norte-americano ajudou a reconstruir a Europa. Pós-Guerra. Anos 1946 Os países vencidos, a Alemanha, a Itália e o Japão, recuperavam a sua dinâmica industrial. Era o "milagre econômico". Enquanto o design americano estava orientado para o mercado, o design alemão tendia a ser intelectual e o design italiano mostrava tendência para a improvisação. Europa anos Fiat 500. Redesign com tecnologias atual

68 Pós- Guerra Cartaz. J. Howard Miller Jukebox Cartaz-display. Ilford. 1950

69 Pop / Características Pop Renuncia ao bom design. Gratificação sensorial imediata. Novidade/ variedade/ irreverência/ lúdico/ efêmero/ provisório. Os próprio ingredientes da Revolução Pop. Piero Gatti. Sacco Caetano Pesce.Up Series C&B Andy Warhol

70 Pop Marilyn. Artista: Marc bose Arranha-céus. Artista: Marc Bose Pôster: Bob Dylan. Cores psicodélicas

71 Radical Design / Características Radical Design Semelhante ao anti-design. Mais teórico, politizado e experimental. Tentativa de alterar a percepção geral do modernismo (movimento moderno). Propostas e projeções utópicas. The Ball or Globe chair Cesare Casati. Candeeiros Pillola-1968

72 Radical Design Anos 1970/80. Pesce. Poltrona com otomana representa provocativamente com humor uma mulher sentada. Parabel Table Mendini s Mobile Infinito. Series of 1971

73 High Tech / Características High Tech Estilo originariamente arquitetônico. Estilo se baseou na idéia de que produtos originariamente pensados para serem utilizados em fábricas poderiam ser utilizados em design. Centre Georges Pompidou

74 High Tech Foster+Partners. Companhia YachtPlus. Designer Hugh Fros. Ônibus inglês (traseira).

75 High Tech Estúdio Michael Hopkins Mesa Antelope SCP. 1987

76 High Tech Home exterior interior.com Design Institute: Shenyang New World Architectural Design Co.,Ltd

77 Post-Modernism Hoje

78 1978 Atual. Post-Modernism Candeeiro Eddy C. Bellini Estante. Studio Alchimia

79 1978 Atual. Post-Modernism Aldo Rossi.Chaleira Candeeiro Ara de Philippe Starck (1988). Escrivaninha Frankfurter

80 Post-Modernism / Características Atual Post-Modernism Rejeição ao legado do modernismo. Objetivo: popularizar o erudito e tornar o intelectual possível. Inspiração livre na História. Alteração de formas, cores, texturas e materiais. Tendências para configurações subversivas. Steltman-chair. Postmodernism Ettore Sottsass. Anos 1980

81 1978 Atual. Post-Modernism Javier Marisal. Hilton trolley Bulê Porcelain esmaltada. Paul Mathieu. Pia emespiral

82 1978 Atual. Post-Modernism Capacete. Original do filme Guerra nas estrelas Radio Relógio. Darth Vader Modulo. Repouso e entretenimento

83 1978 Atual. Post-Modernism Releitura anos 1930/ Hako Bicicleta Ferrari Monza. Iman Maghsoudi Veículo Conceitual

84 1978 Atual. Post-Modernism Obra de arte Transparência. Veículo conceitual Talheres

85 1978 Atual. Post-Modernism Cadeira - Sofá Telefone celular. Conceitual

86 1978 Atual. Post-Modernism San Francisco. Museum of Modern Art Piramide do Museu do Louvre. Paris. I.M. Pei

87 1978 Atual. Post-Modernism Igreja Hotel Dubai

88 1978 Atual. Post-Modernism Fachada Pós-Moderna Edificio. Estação ferroviária.

89 1978 Atual. Post-Modernism

90 1978 Atual. Post-Modernism Mictórios Módulo. Dormitório. Cama de casal Mesa

91 Fashion Design 1978 Atual. Post-Modernism

92 1978 Atual. Post-Modernism Fashion Design

93 1978 Atual. Post-Modernism Fashion Design

94 1978 Atual. Post-Modernism Vintage Revisita ao passado. Atualização de estilo de uma determinada época ou período

95 1978 Atual. Post-Modernism Vintage Revisita ao passado. Atualização de estilo de uma determinada época ou período

96 1978 Atual. Post-Modernism Bob Dylan.Psychedelic. Mr. Tambourine Neville Brody. Revista Fuse 1994 Cartaz Fuse Neville Brody

97 1978 Atual. Post-Modernism Brandon Moore David Carson.

98 1978 Atual. Post-Modernism Vivien Urtiaga. By extraverage.

99 1978 Atual. Post-Modernism Cartaz mr. trip

100 1978 Atual. Post-Modernism

101 Em tempo: As imagens desta apresentação foram utilizadas livremente apenas para fins didáticos-pedagógicos.

102 Obrigado pela atenção!

Direcionada i sobretudo para estudantes de Design. Prof. Dr. João Gomes Filho

Direcionada i sobretudo para estudantes de Design. Prof. Dr. João Gomes Filho Reflexão Design Industrial Direcionada i sobretudo para estudantes de Design Prof. Dr. João Gomes Filho Abril.2001 DESIGN definição 1. Concepção de um projeto ou modelo; planejamento. 3. Restr. Desenho

Leia mais

Art Nouveau/ Secessão de Viena

Art Nouveau/ Secessão de Viena 1760 Revolução Francesa 1789 Revolução Industrial 1819 Rainha Vitória 1840 1901 1874 Arts and Crafts 1880 1890 Primeira Guerra Mundial 1914 1918 1924 Art Déco Impressionismo 1925 Art Nouveau/ Secessão

Leia mais

Bauhaus. EDIFÍCIO DA BAUHAUS Sacadas com cantiléveres do alojamento estudantil, edifício da Bauhaus, Dessau, 1925-26, Walter Gropius.

Bauhaus. EDIFÍCIO DA BAUHAUS Sacadas com cantiléveres do alojamento estudantil, edifício da Bauhaus, Dessau, 1925-26, Walter Gropius. EDIFÍCIO DA BAUHAUS Sacadas com cantiléveres do alojamento estudantil, edifício da Bauhaus, Dessau, 1925-26, Walter Gropius. OFICINA Oficina de marcenaria na Bauhaus de Weimar, 1923. GROPIUS E MOHOLY-NAGY

Leia mais

Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente. professor Rafael Hoffmann

Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente. professor Rafael Hoffmann Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente professor Rafael Hoffmann Art Déco (1923-1938) Art Déco - Fim da Primeira Guerra. - Retorno a normalidade. - Tempos de paz e prosperidade. - Celebra

Leia mais

Opção Profissional. Design Gráfico. Design Produto. Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010

Opção Profissional. Design Gráfico. Design Produto. Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010 Opção Profissional? Design Gráfico ou Design Produto Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010 CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL MEC Ensino Superior Desenho Industrial / Habilitações Projeto do Produto PP (Objetos

Leia mais

HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹. Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. RESUMO

HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹. Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. RESUMO HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹ Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. 1 Trabalho da linha de pesquisa: Design e Gestão do Produto, História, Estética e

Leia mais

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Art Nouveau Profª Adalgiza

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Art Nouveau Profª Adalgiza aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Art Nouveau Movimento das Artes e Ofícios Movimento nascido na Inglaterra, na segunda metade do século XIX; Conhecido como Movimento

Leia mais

... ... Design Gráfico e Pós-modernismo. Aula Inaugural Bacharelado em Design. Prof. Hans Waechter, Dr. Faculdade 7 de Setembro Fa7.

... ... Design Gráfico e Pós-modernismo. Aula Inaugural Bacharelado em Design. Prof. Hans Waechter, Dr. Faculdade 7 de Setembro Fa7. Faculdade 7 de Setembro Fa7 Aula Bacharelado em Design Design Gráfico e Pós-modernismo Prof. Hans Waechter, Dr Agosto 2010 Aula O Design Gráfico na Pós-modernidade Steven Heller (1988) > confluência casual

Leia mais

VIRGÍLIO, P.; LONTRINGER, S.. Guerra Pura: a Militarização do Cotidiano. São Paulo: Brasiliense, 1984, p. 39.

VIRGÍLIO, P.; LONTRINGER, S.. Guerra Pura: a Militarização do Cotidiano. São Paulo: Brasiliense, 1984, p. 39. Velocidade é violência. O exemplo mais óbvio é o punho cerrado. Nunca o pesei mas pesa cerca de 400 gramas. Posso transformar esse punho na carícia mais delicada. Mas, se o arremessar em alta velocidade,

Leia mais

Ensino em Dessau. Walter Gropius, Bauhaus de Dessau

Ensino em Dessau. Walter Gropius, Bauhaus de Dessau 1. Preliminar 2. Instrução em artesanato e Instrução em problemas da Forma 3. Instrução em arquitetura 4. Pesquisa individual no departamento de pesquisa da Bauhuas Ensino em Weimar Ensino em Dessau Maior

Leia mais

DESIGN GRÁFICO E ARTE PUBLICITÁRIA

DESIGN GRÁFICO E ARTE PUBLICITÁRIA DESIGN GRÁFICO E ARTE PUBLICITÁRIA PÔSTER - FINAL DO SÉCULO XIX O pôster fala sobre as tendências estéticas de uma geração. Jules Cherét - desenvolveu sistema de litografia em 3 a 4 cores. PÔSTER - FINAL

Leia mais

HISTÓRIA DAS ARTES 12º ANO. Curriculo e Avaliação

HISTÓRIA DAS ARTES 12º ANO. Curriculo e Avaliação HISTÓRIA DAS ARTES 12º ANO Curriculo e Avaliação Bloco 1 - A arte, do Impressionismo ao Expressionismo Abstracto - Módulo 1 A Arte Impressionista e Pós-Impressionista. - Módulo 2 Arte, indústria, arquitectura

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PARA ESTUDOS HISTÓRIA DA ARTE- 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO

MATERIAL COMPLEMENTAR PARA ESTUDOS HISTÓRIA DA ARTE- 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO Arte Moderna Expressionismo A busca por expressar os problemas da sociedade da época e os sentimentos e emoções do homem no inicio do século xx Foi uma reação ao impressionismo, já que o movimento preocupou-se

Leia mais

A Revolução Industrial

A Revolução Industrial textos de José Manuel Russo A Revolução Industrial A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Introdução Embora o século XIX seja conhecido como o da Revolução Industrial, as suas origens centram-se nas transformações assistidas

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 04035356 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA DESIGN GRÁFICO EM PUBLICIDADE ETAPA 3 Período

Leia mais

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras.

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras. A arte nasceu na Pré-História, quando o Homem primitivo decidiu fazer uns desenhos com sangue de animais, nas cavernas onde vivia, sendo denominada por Arte Rupestre. Por fim, chegamos á arte da actualidade,

Leia mais

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS CONTEXTO HISTÓRICO As vanguardas européias foram manifestações artístico-literárias surgidas na Europa,

Leia mais

O MODERNISMO - ARQUITECTURA

O MODERNISMO - ARQUITECTURA O MODERNISMO - ARQUITECTURA ARTE VS TÉCNICA TRADIÇÃO VS MODERNIDADE ACADEMISMO VS FUNCIONALISMO FORMA VS FUNÇÃO BELO VS ÚTIL PAPEL DO ARQUITECTO NA SOCIEDADE O MODERNISMO - ARQUITECTURA ESCOLAS DE BELAS-ARTES

Leia mais

Design Gráfico Moderno: uma breve conceituação.

Design Gráfico Moderno: uma breve conceituação. Fellipe Alves Gomes Design Gráfico Moderno: uma breve conceituação. São Paulo - SP julho/2012 1 Fellipe Alves Gomes Design Gráfico Moderno: uma breve conceituação. Trabalho apresentado ao Prof. Dr. Marcos

Leia mais

História da Habitação e Mobiliário. Antonio Castelnou AULA 13

História da Habitação e Mobiliário. Antonio Castelnou AULA 13 História da Habitação e Mobiliário Antonio Castelnou AULA 13 CASTELNOU Assinado de forma digital por CASTELNOU DN: cn=castelnou, c=

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes Aluno (a): 5º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Prezado(a)

Leia mais

Inglaterra século XVIII

Inglaterra século XVIII Inglaterra século XVIII Revolução: Fenômeno político-social de mudança radical na estrutura social. Indústria: Transformação de matérias-primas em mercadorias, com o auxílio de ferramentas ou máquinas.

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003615B - História da Arte III

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003615B - História da Arte III Curso 2302N - Bacharelado em Design Ênfase Identificação Disciplina 0003615B - História da Arte III Docente(s) Joedy Luciana Barros Marins Bamonte Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação

Leia mais

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A ARQUITETURA E URBANISMO PROFESSORA: ELOANE CANTUÁRIA TURMAS: 1ARQV-1 e 1ARQN-1 UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 MACAPÁ-AP MARÇO/2006

Leia mais

H11 - RECONHECER A LINGUAGEM CORPORAL COMO MEIO DE INTERAÇÃO SOCIAL, CONSIDERANDO OS LIMITES DE DESEMPENHO E AS ALTERNATIVAS DE ADAPTAÇÃO PARA

H11 - RECONHECER A LINGUAGEM CORPORAL COMO MEIO DE INTERAÇÃO SOCIAL, CONSIDERANDO OS LIMITES DE DESEMPENHO E AS ALTERNATIVAS DE ADAPTAÇÃO PARA H11 - RECONHECER A LINGUAGEM CORPORAL COMO MEIO DE INTERAÇÃO SOCIAL, CONSIDERANDO OS LIMITES DE DESEMPENHO E AS ALTERNATIVAS DE ADAPTAÇÃO PARA DIFERENTES INDIVÍDUOS. 01.(JAT) Hoje, tem-se preocupado cada

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Missão da Fean Formar profissionais competentes e eficientemente preparados para atuar no mercado, aptos a prever, antecipar e intervir positivamente nas mudanças e oportunidades.

Leia mais

A CRISE DO MOVIMENTO MODERNO

A CRISE DO MOVIMENTO MODERNO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO Curso: Arquitetura e Urbanismo HISTÓRIA DA ARQUITETURA E DO URBANISMO III Prof. a Raquel Portes A CRISE

Leia mais

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS:

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: Romantismo Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: 1. ( C ) Foi a primeira e forte reação ao Neoclassicismo. 2. ( E ) O romantismo não valorizava a

Leia mais

ART NOUVEAU. Camilla Almeida Daniel Fleming Érika Tamashiro Heleni Gaudio

ART NOUVEAU. Camilla Almeida Daniel Fleming Érika Tamashiro Heleni Gaudio ART NOUVEAU Camilla Almeida Daniel Fleming Érika Tamashiro Heleni Gaudio CONTEXTO SÉCULO XIX BUSCA POR UM NOVO ESTILO DIVÓRCIO ENTRE AS ARTES APLICADAS: ARQUITETURA, PINTURA E ESCULTURA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Georges Braque, Homenagem à Bach, 1912 FrankLoyd Wright, Robie House, 1909. Chicago. Frank kloyd dwi Wright, Fallingwater house, 1936. Pensilvânia. i O art nouveau (arte

Leia mais

Design: atividade projetual que transforma o meio material do homem, tendo em vista as necessidades humanas.

Design: atividade projetual que transforma o meio material do homem, tendo em vista as necessidades humanas. DESIGN 1 Design: atividade projetual que transforma o meio material do homem, tendo em vista as necessidades humanas. 2 ... Design é uma atividade criativa cujo propósito é estabelecer as qualidades multifacetadas

Leia mais

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I União Educacional do Norte Faculdade Uninorte Professora: Edinete Oliveira Arquiteta e Urbanista Tema: A ignorância da Arquitetura & As várias idades do

Leia mais

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo Século XIX na Europa as inovações na arte { Predomínio do neoclassicismo ou academicismo ANTIGUIDADE CLÁSSICA IDADE MÉDIA NEOCLASSICISMO OU ACADEMICISMO ROMANTISMO RENASCIMENTO BARROCO ROCOCÓ NEOCLÁSSICO

Leia mais

Peter Behrens REVISTA DIGITAL UM HOMEM QUE MUDOU A HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN

Peter Behrens REVISTA DIGITAL UM HOMEM QUE MUDOU A HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN REVISTA DIGITAL Peter Behrens UM HOMEM QUE MUDOU A HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN Conheça a história de Peter Behrens e a sua importância na criação do conceito design 1 2 Trabalho feito pelos alunos de

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / / ENSINO: Fundamental II 8ª série) DISCIPLINA: Artes PROFESSOR (A): Equipe de Artes TURMA: TURNO: Roteiro e Lista de estudo para recuperação

Leia mais

Vanguardas Históricas I

Vanguardas Históricas I Vanguardas Históricas I As transformações do início do século XX e as vanguardas históricas Os avanços da ciência realizados a partir do século XIX mudaram a percepção da realidade e conduziram, no campo

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO CÓDIGO UNIDADE 042 CÓD. CURSO CURSO 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL HAB: JORNALISMO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CHS TEORIA PRÁTICA ANO 340.3451.1 ESTÉTICA E HISTÓRIA DA ARTE 4ª 04 04 2/2009 OBJETIVOS Desenvolver

Leia mais

UM BREVE HISTÓRICO DA GESTÃO DA QUALIDADE

UM BREVE HISTÓRICO DA GESTÃO DA QUALIDADE UM BREVE HISTÓRICO DA GESTÃO DA QUALIDADE A história da qualidade tem inicio na pré-história, naquela época já existia a necessidade de produzir utensílios cada vez melhor, porém nesse período ainda não

Leia mais

Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração

Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração No decorrer da história da humanidade sempre existiu alguma forma simples ou complexa de administrar as organizações. O desenvolvimento

Leia mais

Uma história para a arte hoje

Uma história para a arte hoje Uma história para a arte hoje Arte parece constituir o princípio de sua própria história ou pelo menos de uma história cujas relações com a outra não estão fixadas por um determinismo estrito. 1 Apresentamos

Leia mais

Palavras-Chave: design; profissão e design de moda

Palavras-Chave: design; profissão e design de moda Lívia Marsari Pereira; Mestre em Design: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho lilimarsari@hotmail.com Maria Carolina Medeiros; Mestranda em Design: Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

Linha do Tempo A Estética e a História do Design do século XX Prof. Arq. Ms. Cláudio Lima Ferreira

Linha do Tempo A Estética e a História do Design do século XX Prof. Arq. Ms. Cláudio Lima Ferreira Projeto de Interiores Residenciais A Estética e a História do Design do século XX de 1900 a 1960 Para compreendermos melhor a Estética e a da História do design no século XX e seus reflexos sobre os projetos

Leia mais

textos de José Manuel Russo Comunicação e Publicidade

textos de José Manuel Russo Comunicação e Publicidade textos de José Manuel Russo Comunicação e Publicidade COMUNICAÇÃO Comunicar Comunicar é o primeiro acto social do Homem, servindo para satisfazer as suas primeiras necessidades. Semiologia Ciência que

Leia mais

DESENHO TÉCNICO. Aula 1

DESENHO TÉCNICO. Aula 1 DESENHO TÉCNICO Aula 1 DESENHO Representação gráfica bidimensional da realidade, de uma idéia, pensamento ou emoção. Descreva este objeto: Cubo (Dado) Caneca Funil Tambor DESENHO A linguagem verbal não

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1 1 1 ACESSÓRIOS Fase: 5ª Carga Horária: 30h/a Créditos: 02 Concepção e desenvolvimento de desenho. Modelagem. Montagem. Técnicas de aprimoramento. Fichas técnicas. Processo de padronização. Mostruário.

Leia mais

ECLETISMO, ARTS AND CRAFTS ART NOUVEAU

ECLETISMO, ARTS AND CRAFTS ART NOUVEAU TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III ECLETISMO, ARTS AND CRAFTS ART NOUVEAU Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Artes e Arquitetura Curso de Arquitetura e

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 17032441 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA Evolução das Artes Visuais II ETAPA 2ª Período

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Habilidades: - Conhecer e distinguir diferentes momentos

Leia mais

Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC

Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC Aula 1: Aula 01 Bibliografia Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC Estruturas de aço, concreto e madeira : atendimento da expectativa dimensional Rebello, Yopanan Conrado

Leia mais

A concisa história de um projeto pedagógico para o design

A concisa história de um projeto pedagógico para o design A concisa história de um projeto pedagógico para o design Na Europa formaram dois eixos artísticos de diferentes orientações e que marcaram atuação nas primeiras décadas do século 20. Grupos, pelo choque

Leia mais

Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde O Expressionismo de Die Brücke não se restringiu à pintura e à gravura, tendo tido expressão, igualmente na literatura, na música e arquitectura.

Leia mais

PAISAGISMO MODERNO NA EUROPA E EUA

PAISAGISMO MODERNO NA EUROPA E EUA PAISAGISMO MODERNO NA EUROPA E EUA Euler Sandeville Jr. (FAU/USP; PROCAM/USP) Aion Poéticas da Paisagem e Ações Socioambientais fevereiro 2009 1 APRESENTAÇÃO OBJETIVOS O curso apresenta aspectos introdutórios

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL DISCIPLINA: ARTE PROFESSORA: Cristiana de Souza DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 8º ANO TURMA: A e B ALUNO (A): Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO RELAÇÃO DOCONTEÚDO

Leia mais

MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES:

MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES: ARTES PROFESSORA: NATÁLIA Fauvismo: MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES: Fauvismo é o nome dado à tendência estética na pintura que buscou explorar ao máximo a expressividade das cores na representação

Leia mais

Aula 1 O que é e como se desenvolveu o DESIGN. Prof. Ms. Alexandre A. Giorgio alexandre.girogio@usp.br

Aula 1 O que é e como se desenvolveu o DESIGN. Prof. Ms. Alexandre A. Giorgio alexandre.girogio@usp.br Aula 1 O que é e como se desenvolveu o DESIGN. Prof. Ms. Alexandre A. Giorgio alexandre.girogio@usp.br Design Podemos dizer com alguma tranquilidade que Leonardo di Ser Piero da Vinci (1452-1519), pode

Leia mais

Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART

Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART SÃO PAULO 2011 OPTICAL ART Movimento da arte abstrata que se desenvolveu na década de 1960. A OP ART (abreviatura de óptical

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O desenvolvimento de novos produtos é uma atividade complexa, envolvendo os consumidores, que desejam novidades, melhores produtos, a preços razoáveis; os vendedores, que desejam

Leia mais

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT)

O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O CAPITALISMO E A DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (DIT) O capitalismo teve origem na Europa, entre os séculos XIII e XIV, com o renascimento urbano e comercial e o surgimento de uma nova classe social:

Leia mais

COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO

COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO Artista paulistano inaugura Re-subtrações - Paulo Climachauska, no Oi Futuro no Flamengo dia 14 de janeiro e Fluxo de

Leia mais

LUZ E SOMBRA NA ARTE

LUZ E SOMBRA NA ARTE LUZ E SOMBRA NA ARTE A luz e a sombra são elementos fundamentais da linguagem visual. Com elas podemos criar no desenho, na pintura e escultura belíssimos efeitos como o de dilatação do espaço, o de profundidade

Leia mais

EDITAL Nº 12/2011. Art. 1º O processo seletivo compreende o acesso de professores para ao quadro de docentes da Estácio FIC.

EDITAL Nº 12/2011. Art. 1º O processo seletivo compreende o acesso de professores para ao quadro de docentes da Estácio FIC. EDITAL Nº 12/21 Processo Seletivo de Docentes para os Cursos de Arquitetura e Urbanismo e Moda da Estácio FIC 21. A DIRETORA GERAL da Faculdade Estácio do Ceará - Estácio FIC, no uso de suas atribuições

Leia mais

História da Arte - Linha do Tempo

História da Arte - Linha do Tempo História da Arte - Linha do Tempo PRÉ- HISTÓRIA (1000000 A 3600 a.c.) Primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas. Sangue de animais, saliva, fragmentos

Leia mais

Ver também Túnel do Canal da Mancha.

Ver também Túnel do Canal da Mancha. Estrada de ferro, Sistema de transporte sobre trilhos, que compreende a via permanente e outras instalações fixas, o material rodante e o equipamento de tráfego. É também chamado ferrovia ou via férrea.

Leia mais

ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA

ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA A HISTÓRIA DA ILUMINAÇÃO NATURAL NA ARQUITETURA FAZ PARTE DA PRÓPRIA HISTÓRIA DA ARQUITETURA EGITO ANTIGO 2780 A.C A 2280 A.C. O GRANDE TEMPLO DE AMMON,

Leia mais

Aula 1 - O que é design? professor Rafael Ho mann

Aula 1 - O que é design? professor Rafael Ho mann Aula 1 - O que é design? professor Rafael Ho mann Fundamentos do design (grá co?) Objetivo da aula - Conhecer melhor e consolidar o signi cado do termo design. Objetivo da aula É muito mais difícil falar

Leia mais

Contexto do Dadaísmo

Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá O movimento Dadá ou Dadaísmo foi uma vanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916, no chamado Cabaret Voltaire, por um grupo de escritores e artistas

Leia mais

Introdução à Engenharia

Introdução à Engenharia Introdução à Engenharia Aula 03 História da Engenharia Edgar Alberto de Brito A história da Engenharia Engenharia na Pré-História. Atividade na Antiguidade. Atividade na era Moderna e Contemporânea. Aspectos

Leia mais

A partir das coisas. ZUMTHOR, Peter. Pensar a arquitetura. Barcelona: Gustavo Gili, 2005. 66p. Alda Mirian Augusto de Oliveira*

A partir das coisas. ZUMTHOR, Peter. Pensar a arquitetura. Barcelona: Gustavo Gili, 2005. 66p. Alda Mirian Augusto de Oliveira* ZUMTHOR, Peter. Pensar a arquitetura. Barcelona: Gustavo Gili, 2005. 66p. A partir das coisas Alda Mirian Augusto de Oliveira* Pensar a arquitetura reúne seis conferências de Peter Zumthor, proferidas

Leia mais

Modernização e tecnologia no século XIX

Modernização e tecnologia no século XIX Modernização e tecnologia no século XIX (tec.no.lo.gi.a) Tec. sf. :1. Conjunto das técnicas, processos e métodos específicos de uma ciência, ofício, indústria etc; ciência que trata dos métodos e do desenvolvimento

Leia mais

Por uma história da linguagem visual do jornalismo impresso 1 Edmundo Mendes Benigno Neto 2 Faculdade Cásper Líbero (FACASPER)

Por uma história da linguagem visual do jornalismo impresso 1 Edmundo Mendes Benigno Neto 2 Faculdade Cásper Líbero (FACASPER) Por uma história da linguagem visual do jornalismo impresso 1 Edmundo Mendes Benigno Neto 2 Faculdade Cásper Líbero (FACASPER) Resumo Traz-se para discussão, neste trabalho, a história visual do jornalismo

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:05. Ano/Semestre: 2011/1

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:05. Ano/Semestre: 2011/1 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Moda (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/0/011 1:0 s por Curso Estilismo Industrial 1 ART.0111.00.00-1 ART.0.01.001-9 1 EQU.011.00.001-0

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE ARTE

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE ARTE PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE ARTE 6 ano 1 volume CONTEÚDOS OBJETIVOS 1.Cores da Pré-História Arte na pedra - Período Paleolítico - Período Neolítico Surgimento da dança, da música e do teatro. - Manifestações

Leia mais

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias - ARTE Ensino Médio, 3ª Série POP ART / CARACTERÍSTICAS E MANIFESTAÇÕES

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias - ARTE Ensino Médio, 3ª Série POP ART / CARACTERÍSTICAS E MANIFESTAÇÕES Linguagens, Códigos e suas Tecnologias - ARTE Ensino Médio, 3ª Série POP ART / CARACTERÍSTICAS E MANIFESTAÇÕES ONDE E QUANDO? A partir do fim dos anos 50, simultaneamente, nos Estados Unidos e na Inglaterra.

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA

PROFESSOR: EQUIPE DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA PROFESSOR: EQUIPE DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA BANCO DE QUESTÕES - EDUCAÇÃO ARTÍSTICA 3ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - PARTE 1 =============================================================================================

Leia mais

Impacto e sustentabilidade ambiental no habitat humano

Impacto e sustentabilidade ambiental no habitat humano IX ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE DISEÑO Impacto e sustentabilidade ambiental no habitat humano ARQ. MS. GLAUCUS CIANCIARDI gc@uol.com.br Resumo: A palestra objetiva delinear o impacto e a sustentabilidade

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de História da Cultura e das Artes 11.º/ 12.º anos de Escolaridade Prova 724/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova:

Leia mais

DESENHO INDUSTRIAL. Carla Laureano

DESENHO INDUSTRIAL. Carla Laureano DESENHO INDUSTRIAL Carla Laureano CASTELNOU O QUE É DESIGN? O Desenho Industrial é uma atividade projetual responsável pela determinação das características funcionais, estruturais e estético-formais de

Leia mais

João Goulart organizou a reforma agrária, direito ao voto, intervenção estatal e economia de regulamentação de remessas de lucro ao exterior.

João Goulart organizou a reforma agrária, direito ao voto, intervenção estatal e economia de regulamentação de remessas de lucro ao exterior. Resenha Crítica CARA MILINE Soares é arquiteta e doutora em Design pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo na Universidade de São Paulo (FAU-USP). É autora do ensaio já publicado: Móveis Brasileiros

Leia mais

Movimentos Modernos Vanguardas Européias. Olhares e Mimeses Parte 1

Movimentos Modernos Vanguardas Européias. Olhares e Mimeses Parte 1 Movimentos Modernos Vanguardas Européias Olhares e Mimeses Parte 1 Vanguarda Etimologia avant-garde 'vanguarda', inicialmente do vocabulário militar, 'do lado da frente, em frente' Que exerce ou procura

Leia mais

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem o propósito de preparar o arquiteto para ser um profissional capaz de compreender

Leia mais

Principais movimentos artísticos do século XX

Principais movimentos artísticos do século XX Principais movimentos artísticos do século XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO ABSTRACIONISMO SURREALISMO FUTURISMO 3ª parte FUTURismo 1909 FUTURISMO O primeiro manifesto foi publicado no Le Fígaro de Paris,

Leia mais

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011)

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011) O IMPERIALISMO EM CHARGES 1ª Edição (2011) Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com Imperialismo é a ação das grandes potências mundiais (Inglaterra, França, Alemanha, Itália, EUA, Rússia

Leia mais

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE 1.Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: 01 - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da

Leia mais

TURMA 601. Aula 07. Formas Geométricas

TURMA 601. Aula 07. Formas Geométricas TURMA 601 Aula 07 Formas Geométricas As figuras geométricas sempre chamaram a atenção dos artistas plásticos. As composições com figuras geométricas é um trabalho de buscar o equilíbrio entre as formas.

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br DISCIPLINA : Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA:06/02/2012 O que é Sociologia? Estudo objetivo das relações que surgem e se reproduzem, especificamente,

Leia mais

Objetivos da Disciplina Arte, Ciência e Tecnologia

Objetivos da Disciplina Arte, Ciência e Tecnologia Arte, Ciência e Tecnologia Objetivos da Disciplina Arte, Ciência e Tecnologia O curso visa oferecer ferramentas teóricas, conceituais e práticas para os alunos do curso de multimeios nas áreas de artes

Leia mais

Modernismo nos EUA Antonio Castelnou

Modernismo nos EUA Antonio Castelnou Modernismo nos EUA Antonio Castelnou CASTELNOU Assinado de forma digital por CASTELNOU DN: cn=castelnou, c=

Leia mais

Arquitetura: do repertório à prática

Arquitetura: do repertório à prática Arquitetura: do repertório à prática Arquiteto: - tecton, em grego, designava um artífice ligado à construção de objetos por junção de peças; - arqui, prefixo que indica superioridade. Arquitetura: Aurélio:

Leia mais

ARQUITETURA A PARTIR DOS ANOS DE 1950 AULA 04 - ARQUITETURA BRITÂNICA DO PÓS GUERRA new brutalism e urban structuring

ARQUITETURA A PARTIR DOS ANOS DE 1950 AULA 04 - ARQUITETURA BRITÂNICA DO PÓS GUERRA new brutalism e urban structuring ARQUITETURA A PARTIR DOS ANOS DE 1950 AULA 04 - ARQUITETURA BRITÂNICA DO PÓS GUERRA new brutalism e urban structuring ARQUITETURA BRITÂNICA ARQUITETURA DESENVOLVIMENTO DO BRUTALISMO URBANISMO REVISÃO E

Leia mais

Teorias da Administração Conhecimentos organizados, produzidos pela experiência prática das organizações.

Teorias da Administração Conhecimentos organizados, produzidos pela experiência prática das organizações. Introdução à Teoria Geral da Administração Organização É uma combinação intencional de recursos para atingir um determinado objetivo. O que são teorias? São explicações, interpretações ou proposições sobre

Leia mais

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil Português 3º ano Wilton Vanguardas na Europa e no Brasil Roberson de Oliveira 1 Vanguardas na Europa e no Brasil No dia 20 de dezembro de 1917, o jornal O Estado de S. Paulo publicou o artigo Paranoia

Leia mais

Você se lembra da sua primeira experiência com vidro laminado? Como foi e como o vidro o ajudou em seu design?

Você se lembra da sua primeira experiência com vidro laminado? Como foi e como o vidro o ajudou em seu design? Notícias sobre vidro laminado 2014 ENTREVISTA MURPHY & JAHN ARCHITECTS FRANCISCO GONZALEZ-PULIDO: "EU REALMENTE QUERIA SER PARTE DO DESIGN" LGN conversou com Francisco Gonzalez-Pulido, presidente e sócio

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador

ADMINISTRAÇÃO. Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador ADMINISTRAÇÃO Tema : Fundamentos da Administração 1 Aula Conceitos da Administração História da Administração Funções do Administrador O que devemos.. Tirar todas as dúvidas a qualquer momento Participar

Leia mais

O FIM DA ESTÉTICA DADAÍSMO E ARTE POP

O FIM DA ESTÉTICA DADAÍSMO E ARTE POP RESUMO O FIM DA ESTÉTICA DADAÍSMO E ARTE POP Susana de Castro Qual a relação entre arte e gosto popular? A obra de Danto nos mostra como a arte pop revolucionou a arte ao aproximar o objeto de arte dos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

História da Arquitetura

História da Arquitetura História da Arquitetura Subdivisão da História da Arte - estudo da evolução histórica da arquitetura. Seus princípios Idéias Realizações História da arte Evolução das expressões artísticas, a constituição

Leia mais

Considerações sobre Walter Benjamin e a Reprodutibilidade Técnica. mais possível. Com efeito, uma certeza acerca do conceito de arte é sua indefinição

Considerações sobre Walter Benjamin e a Reprodutibilidade Técnica. mais possível. Com efeito, uma certeza acerca do conceito de arte é sua indefinição Considerações sobre Walter Benjamin e a Reprodutibilidade Técnica Danilo L. Brito (UFRJ) A arte tem sido alvo de discussões de diferentes teóricos ao longo da história, desde os gregos, com sua concepção

Leia mais