Coeficientes de Exportação e Importação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Coeficientes de Exportação e Importação"

Transcrição

1 Coeficientes de Exportação e Importação Resultados de 2011 Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular São Paulo, 07 de fevereiro de 2012 Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior - DEREX Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

2 1. Introdução 2. Contextualização 3. Coeficientes de Exportação 4. Coeficientes de Importação

3 Objetivos Calcular trimestral e anualmente os Coeficientes de Exportação e Importação (CEI) da indústria brasileira, afim de detectar fenômenos econômicos relacionados à inserção internacional, como: Substituição de importações Substituição da produção doméstica por importações Indícios de desindustrialização Grau de Internacionalização da indústria Direcionamento da produção, antes voltada para o mercado externo, para o mercado doméstico 3

4 2. Contextualização 3. Coeficientes de Exportação 4. Coeficientes de Importação

5 Produção industrial tem queda de 1,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior 4º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T 2011 Índice de Produção Industrial Indústria Geral com e sem ajuste sazonal sem ajuste sazonal com ajuste sazonal 4º Tri/2007=100 sem ajuste: -2,0% l sem ajuste: +7,1% com ajuste: -1,6% com ajuste: +8,8% Fonte: PIM-IBGE Elaboração: FIESP 5

6 Na média anual, a produção industrial permanece nos patamares de Índice de Produção Industrial Anual Indústria Geral média anual variação 2011/2010: +0,3% 121,8 125,5 128,4 128,8 114,9 116,3 Fonte: PIM-IBGE Elaboração: FIESP 6

7 Consumo aparente deixa de apresentar elevadas taxas de expansão. Mesmo assim, cresce acima da Produção 4º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T 2011 Consumo Aparente vs Produção Industrial Indústria Geral Consumo aparente Prod. Industrial - sem ajuste 4º Trim 2007 = 100 Fonte: PIM-IBGE, FIESP Elaboração: FIESP 7

8 3. Coeficientes de Exportação 4. Coeficientes de Importação

9 O quê é o Coeficiente de Exportação (CE)? Coeficiente de Exportação = Exportações Produção Industrial Mensura a participação das exportações na receita total do setor 9

10 CE da Indústrias Geral e de Transformação permanecem estagnados nos três últimos trimestres do ano 2º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T 2011 Coeficiente de Exportação Trimestral Indústria Geral e de Transformação Indústria Geral Indústria de Transformação - 0,4 pp 19,9% 20,2% 19,8% 18,2% 18,2% 17,6% 17,1% 17,7% 15,9% 15,1% 14,9% 14,0% 14,9% 19,2% 19,5% 17,5% 16,5% 15,9% 14,7% 17,0% 17,1% 16,6% -0,5 pp Fonte: FIESP 10

11 Apesar da tendência de alta, parcela da produção exportada mantém-se longe de recuperar patamares de 2006 Coeficiente de Exportação Comparação Anual Indústria Geral Indústria de Transformação 21,1% 20,9% 19,6% 18,0% 18,9% 19,5% 19,1% 18,6% 17,3% 15,4% 15,8% 16,4% ,6 pp +0,6 pp 11

12 Elevação do CE destaca-se nos setores de Ferro Gusa, Tratores e equips p/ agricultura e Siderurgia, que tiveram altas significativas Máqs. e equips. para extração mineral e construção 49% 45% 43% 30% 28% 24% 27% 28% 32% Calçados 16 de 33 setores tiveram alta do CE Setores com maiores altas: Ferro-gusa e ferroligas (+9,4 pp) Tratores, máq. e equips. p/ agricultura (+5,3 pp) Máqs. e equips. p/ extração mineral e construção (+3,7 pp) Siderurgia (+3,4 pp) 17 de 33 setores tiveram queda do CE Setores com maiores quedas: 19% 18% 17% Aeronaves (-5,2 pp) Produtos de Madeira (-4,8 pp) Fundição e tubos de ferro e aço (-2,9 pp) Material eletrônico e ap de comunicação (-2,4 pp) Calçados (-1,4 pp) 12

13 Alta nas exportações contrasta com queda ou estagnação da produção em muitos setores Exportações e Produção Industrial* - Variação Anual Setores Selecionados Exportações Prod. Industrial Ferro-gusa e ferroligas 23,4% -3,0% Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 10,6% -5,2% Máqs. e equips. para extração mineral e construção 24,2% 9,8% Siderurgia 20,2% -0,3% Produtos têxteis 11,0% -14,42% Outros equipamentos de transporte 31,1% 6,5% Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 11,2% -2,0% Metalurgia de metais não-ferrosos 4,2% -0,6% Produtos de madeira -19,9% -0,9% Aeronaves -5,1% 5,9% *Variação relativa a valores em R$ constantes de

14 4. Coeficientes de Importação

15 O quê é o Coeficiente de Importações? Coeficiente de Importação = Importações Produção Exportações + Importações Mensura a participação das importações no consumo aparente do setor 15

16 Participação dos Importados no consumo (CI) é maior na Indústria Geral 2º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T º T 2011 Coeficiente de Importação Indústria Geral e de Transformação Indústria Geral Indústria de Transformação +0,6 pp 19,9% 18,1% 18,7% 16,9% 18,6% 16,4% 17,2% 15,1% 20,7% 19,3% 22,7% 22,9% 23,4% 24,0% 22,5% 21,6% 22,3% 22,7% 21,4% 21,2% 21,5% 20,4% +0,4 pp Fonte: FIESP 16

17 Indústria Geral e de Transformação tem a maior penetração de importados no consumo dos últimos nove anos Coeficiente de Importação Comparação Anual Indústria Geral Indústria de Transformação 16,2% 18,2% 20,1% 18,3% 21,8% 23,1% 14,4% 16,4% 18,3% 16,6% 20,4% 21,9% ,3 pp +1,4 pp 17

18 54,5% da alta do Consumo foi aproveitada por Importados Variações Comparadas* - Indústria Geral Comparação 2011 x ,4% Aproveitamento da Expansão de 1,2% do Consumo Aparente Importados 54,5% 1,2% -0,5% 45,5% Consumo Aparente Produção Industrial para o Mercado Interno Importações Indústria Nacional *Variação relativa a valores em R$ constantes de 2006 Na comparação com 2010, a produção industrial para o mercado interno teve queda de 0,5%, atribuindo às importações (+7,4%) maior participação no consumo interno. 18

19 Importações aumentam nos setores onde há queda do consumo aparente Setores selecionados Importações Cons. Aparente Produtos têxteis 7,3% -12,7% Artigos do vestuário e acessórios 41,4% -2,6% Calçados 15,6% -9,0% Produtos farmacêuticos -2,0% -1,8% Ferro-gusa e ferroligas 11,3% -14,8% Produtos químicos (1) 7,4% 0,4% Metalurgia de metais não-ferrosos 2,8% -2,1% Equips. de instrumentação médico-hospitalares (2) -14,2% -5,2% Aeronaves 8,9% 13,1% Artigos de borracha e plástico 10,0% 0,2% Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 25,6% 0,9% *Variação relativa a valores em R$ constantes de

20 Elevação da participação das importações no consumo é setorialmente diversificada, com altas em 29 de 33 setores Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 52,0% 47,2% 42,8% 42,7% 35,3% 37,6% Siderurgia 27 de 33 setores tiveram alta do CI Setores com maiores altas: Tratores, máqs. e equips. p/ agricultura (+8,6 pp) Material eletrônico e ap de comunicação(+5,1pp) Máqs e equip. p/ fins ind. e comerciais (+4,8 pp) Produtos têxteis (+4,5 pp) Máqs e equips p/ extração mineral e construção (+4,2 pp) 6 de 33 setores tiveram queda do CI 16,9% Setores com queda: 12,9% Equips. de instrumentação médico-hosp. (-6,1 pp) 6,5% 6,7% 8,6% 9,3% Siderurgia (-3,9 pp) Aeronaves (-1,8 pp) Fundição e tubos de ferro e aço (-0,4 pp)

21 Conclusões sobre os Coeficientes de Exportação e Importação 1. A Melhora da competitividade dos produtos brasileiros no exterior, dada a desvalorização cambial de 10%*, garantiu a elevação do CE em O crescimento das exportações, desacompanhado do aumento da produção interna, abriu espaço para uma maior penetração de produtos importados, garantindo ao CI o maior pico dos últimos nove anos. * Variação do 4ºT 2011 em relação ao 3ºT

22 Tabelas Completas

23 Coeficientes de Exportação Setores da Indústria (1 2) Coeficientes de Exportação (Anual) Indústria Geral 21,1% 20,9% 19,6% 18,0% 18,9% 19,5% 0,6 pp 1,5 pp Indústria de Transformação 19,1% 18,6% 17,3% 15,4% 15,8% 16,4% 0,6 pp 1,0 pp Indústrias Extrativas 57,9% 63,2% 61,8% 67,4% 75,3% 74,8% -0,4 pp 7,5 pp Ferro-gusa e ferroligas 59,5% 54,1% 54,9% 43,0% 34,5% 43,9% 9,4 pp 1,0 pp Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 64,3% 49,9% 42,1% 31,9% 31,7% 37,0% 5,3 pp 5,1 pp Máqs. e equips. para extração mineral e construção 49,3% 44,7% 43,2% 27,4% 28,2% 31,9% 3,7 pp 4,5 pp Siderurgia 25,7% 20,4% 16,3% 18,8% 16,3% 19,6% 3,4 pp 0,9 pp Produtos têxteis 13,3% 14,0% 13,5% 11,6% 11,1% 14,4% 3,3 pp 2,8 pp Outros equipamentos de transporte (3) 14,0% 18,7% 17,2% 9,4% 11,9% 14,7% 2,8 pp 5,3 pp Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 24,1% 21,1% 19,0% 17,8% 16,5% 18,7% 2,2 pp 0,9 pp Metalurgia de metais não-ferrosos 45,1% 45,2% 42,6% 48,0% 44,3% 46,4% 2,1 pp -1,6 pp Produtos farmacêuticos 7,5% 8,1% 6,9% 6,4% 7,2% 8,2% 1,0 pp 1,8 pp Automóveis, caminhões e ônibus 26,6% 21,9% 18,9% 11,2% 13,4% 14,3% 0,9 pp 3,1 pp Peças e acessórios para veículos automotores 14,9% 12,3% 10,1% 7,2% 8,8% 9,4% 0,6 pp 2,2 pp Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 18,5% 17,1% 16,5% 15,6% 14,9% 15,4% 0,5 pp -0,2 pp Produtos químicos (1) 13,0% 13,3% 12,0% 13,5% 12,7% 13,1% 0,4 pp -0,4 pp Produtos de metal 6,6% 6,9% 7,3% 6,7% 5,2% 5,4% 0,2 pp -1,3 pp Artigos de borracha e plástico 8,9% 9,2% 9,3% 8,5% 8,5% 8,7% 0,2 pp 0,2 pp Refino de petróleo e produção de álcool 11,0% 11,2% 10,8% 9,3% 6,3% 6,4% 0,1 pp -2,9 pp *Participação de cada setor sobre as exportações totais da indústria (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques 23

24 Coeficientes de Exportação Setores da Indústria (2 2) Coeficientes de Exportação (Anual) Indústria Geral 21,1% 20,9% 19,6% 18,0% 18,9% 19,5% 0,6 pp 1,5 pp Indústria de Transformação 19,1% 18,6% 17,3% 15,4% 15,8% 16,4% 0,6 pp 1,0 pp Indústrias Extrativas 57,9% 63,2% 61,8% 67,4% 75,3% 74,8% -0,4 pp 7,5 pp Artigos do vestuário e acessórios 3,8% 3,1% 2,1% 1,7% 1,6% 1,5% -0,1 pp -0,2 pp Celulose, papel e produtos de papel 21,8% 22,5% 22,8% 26,0% 25,9% 25,7% -0,2 pp -0,3 pp Equips. de instrumentação médico-hospitalares (2) 17,0% 17,6% 15,3% 14,5% 14,0% 13,7% -0,3 pp -0,8 pp Perfumaria, higiene e produtos de limpeza 6,5% 6,3% 6,4% 5,9% 6,3% 5,9% -0,4 pp 0,03 pp Máqs. para escritório e equips. de informática 11,8% 8,9% 8,3% 9,1% 7,2% 6,6% -0,6 pp -2,5 pp Produtos diversos 17,8% 20,6% 16,2% 14,3% 14,7% 14,0% -0,6 pp -0,3 pp Produtos de minerais não-metálicos 12,9% 12,2% 9,1% 7,2% 7,4% 6,5% -0,9 pp -0,7 pp Alimentos e bebidas 24,7% 25,9% 25,2% 25,9% 26,3% 25,3% -1,0 pp -0,7 pp Artigos do mobiliário 12,9% 11,8% 10,4% 7,8% 6,9% 5,8% -1,1 pp -2,0 pp Eletrodomésticos 15,1% 16,4% 8,9% 5,8% 4,9% 3,5% -1,4 pp -2,3 pp Calçados 30,3% 27,6% 23,7% 19,2% 18,2% 16,8% -1,4 pp -2,4 pp Preparação de couros e artefatos de couro 56,2% 56,3% 50,4% 57,1% 63,0% 61,2% -1,8 pp 4,1 pp Material eletrônico e aparelhos de comunicação 21,3% 16,9% 16,4% 15,4% 14,4% 12,0% -2,4 pp -3,5 pp Fundição e tubos de ferro e aço 11,0% 8,9% 10,6% 17,0% 17,0% 14,1% -2,9 pp -2,9 pp Produtos de madeira 45,8% 46,5% 33,8% 26,7% 25,0% 20,2% -4,8 pp -6,5 pp Aeronaves 84,9% 111,0% 76,4% 48,0% 49,6% 44,4% -5,2 pp -3,6 pp *Participação de cada setor sobre as exportações totais da indústria (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques 24

25 Coeficientes de Importação Setores da Indústria (1 2) Coeficientes de Importação (Anual) Indústria Geral 16,2% 18,2% 20,1% 18,3% 21,8% 23,1% 1,3 pp 4,9 pp Indústria de Transformação 14,4% 16,4% 18,3% 16,6% 20,4% 21,9% 1,4 pp 5,3 pp Indústrias extrativas 52,0% 57,4% 56,6% 59,0% 62,1% 60,7% -1,4 pp 1,7 pp Refino de petróleo e produção de álcool 10,9% 12,5% 13,9% 11,3% 17,7% 20,7% 3,0 pp 9,4 pp Tratores e máqs. e equips. para a agricultura 49,2% 39,9% 35,9% 30,3% 35,3% 44,0% 8,6 pp 13,7 pp Material eletrônico e aparelhos de comunicação 41,0% 42,4% 44,9% 44,6% 48,5% 53,5% 5,1 pp 8,9 pp Máqs. e equips. para fins industriais e comerciais 35,3% 37,6% 42,8% 42,7% 47,2% 52,0% 4,8 pp 9,3 pp Produtos têxteis 10,6% 13,5% 16,0% 15,2% 19,6% 24,1% 4,5 pp 9,0 pp Máqs. e equips. para extração mineral e construção 27,9% 27,5% 36,8% 38,1% 36,7% 40,9% 4,2 pp 2,8 pp Automóveis, caminhões e ônibus 10,8% 12,4% 16,0% 16,0% 18,7% 22,4% 3,7 pp 6,3 pp Artigos do vestuário e acessórios 4,1% 4,1% 4,8% 5,5% 7,0% 10,2% 3,2 pp 4,7 pp Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 23,0% 23,1% 24,8% 26,9% 33,8% 36,8% 3,0 pp 9,9 pp Máqs. para escritório e equips. de informática 40,3% 42,6% 50,4% 50,6% 53,6% 56,0% 2,4 pp 5,4 pp Ferro-gusa e ferroligas 10,4% 10,3% 10,3% 5,3% 7,5% 9,8% 2,3 pp 4,5 pp Produtos químicos (1) 23,6% 26,8% 28,8% 26,2% 29,6% 31,6% 2,0 pp 5,4 pp Eletrodomésticos 11,6% 13,9% 9,9% 10,3% 11,2% 13,2% 2,0 pp 2,8 pp Produtos de minerais não-metálicos 4,3% 5,1% 5,6% 4,7% 7,0% 9,0% 1,9 pp 4,3 pp Produtos diversos 16,8% 21,6% 24,1% 22,7% 27,4% 29,3% 1,8 pp 6,6 pp Produtos de metal 7,3% 9,0% 10,3% 10,4% 12,6% 14,3% 1,7 pp 3,9 pp *Participação de cada setor sobre as exportações totais da indústria (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques 25

26 Coeficientes de Importação Setores da Indústria (2 2) Coeficientes de Importação (Anual) Indústria Geral 16,2% 18,2% 20,1% 18,3% 21,8% 23,1% 1,3 pp 4,9 pp Indústria de Transformação 14,4% 16,4% 18,3% 16,6% 20,4% 21,9% 1,4 pp 5,3 pp Indústrias extrativas 52,0% 57,4% 56,6% 59,0% 62,1% 60,7% -1,4 pp 1,7 pp Metalurgia de metais não-ferrosos 27,8% 30,0% 30,8% 28,9% 32,4% 34,0% 1,6 pp 5,1 pp Artigos de borracha e plástico 9,1% 10,0% 13,4% 12,4% 15,6% 17,2% 1,5 pp 4,7 pp Calçados 3,2% 4,9% 6,9% 5,6% 5,2% 6,7% 1,4 pp 1,0 pp Outros equipamentos de transporte (3) 10,3% 12,0% 13,2% 12,9% 18,7% 20,1% 1,4 pp 7,1 pp Preparação de couros e artefatos de couro 14,8% 16,4% 18,3% 19,8% 28,2% 29,3% 1,1 pp 9,5 pp Perfumaria, higiene e produtos de limpeza 4,6% 5,5% 6,8% 6,6% 9,2% 10,2% 0,9 pp 3,6 pp Artigos do mobiliário 0,9% 1,4% 1,5% 1,4% 2,4% 3,1% 0,7 pp 1,7 pp Alimentos e bebidas 3,5% 3,8% 4,0% 4,4% 5,0% 5,5% 0,5 pp 1,1 pp Peças e acessórios para veículos automotores 9,7% 10,5% 10,9% 9,6% 11,3% 11,7% 0,4 pp 2,1 pp Produtos de madeira 3,0% 3,2% 3,0% 2,6% 2,3% 2,5% 0,2 pp -0,1 pp Celulose, papel e produtos de papel 7,3% 8,2% 9,1% 8,4% 10,7% 10,7% 0,1 pp 2,4 pp Produtos farmacêuticos 25,9% 28,4% 26,5% 27,1% 30,7% 30,7% -0,1 pp 3,6 pp Fundição e tubos de ferro e aço 9,6% 11,7% 14,0% 17,2% 19,8% 19,4% -0,4 pp 2,2 pp Aeronaves 78,8% 120,0% 71,4% 44,5% 47,1% 45,4% -1,8 pp 0,9 pp Siderurgia 6,5% 6,7% 8,6% 9,3% 16,9% 12,9% -3,9 pp 3,7 pp Equips. de instrumentação médico-hospitalares (2) 53,9% 63,5% 64,6% 58,8% 64,5% 58,4% -6,1 pp -0,4 pp *Participação de cada setor sobre as exportações totais da indústria (1) Exceto farmacêuticos e perfumaria, higiene e produtos de limpeza (2) e instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios (3) Embarcações, veículos ferroviários, motocicletas, motociclos e suas partes e peças, carrocerias e reboques 26

27 Obrigado! Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior - DEREX Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

Coeficientes de Exportação e Importação

Coeficientes de Exportação e Importação Coeficientes de Exportação e Importação Divulgação dos Resultados da Indústria Geral e Setorial 1º Trimestre de 2011 Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior Maio de 2011 Objetivos Calcular

Leia mais

Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013.

Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013. Informativo trimestral 4º trimestre de 2013 Para mais informações www.fiesp.com.br São Paulo, 19 de fevereiro de 2014 Sem plataformas de petróleo parcela exportada da indústria cairia em 2013. Coeficiente

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 1º Trimestre/2017

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 1º Trimestre/2017 Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação 1º Trimestre/2017 Os Coeficientes de Exportação e de Importação tem como objetivo analisar de forma integrada a produção industrial

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 2º Trimestre/2016

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 2º Trimestre/2016 Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação 2º Trimestre/2016 Os Coeficientes de Exportação e de Importação tem como objetivo analisar de forma integrada a produção industrial

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 3º Trimestre/2016

Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação. 3º Trimestre/2016 Coeficientes de Exportação e Importação da Indústria de Transformação 3º Trimestre/2016 Os Coeficientes de Exportação e de Importação tem como objetivo analisar de forma integrada a produção industrial

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação

Coeficientes de Exportação e Importação Coeficientes de Exportação e Importação Resultados do 1º trimestre de 2012 DEREX Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular Maio de 2012 1.

Leia mais

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação

Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Evolução dos coeficientes de exportação e importação da Indústria de Transformação Gráfico 1 CE e PI da Indústria de transformação e taxa de câmbio real CE e PI(%) 20 A taxa média de câmbio efetiva real

Leia mais

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 1 Número 2 outubro/dezembro de 2011 www.cni.org.br Indústria brasileira continua perdendo com a valorização cambial

Leia mais

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria Rede Setorial da Indústria Os desafios setoriais à competitividade da indústria brasileira Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria São Paulo, 10 de setembro de 2013 ROTEIRO

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Fevereiro/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Dez16/Nov16 (%) dessaz. Dez16/Dez15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out17/Set17 (%) dessaz. Out17/Out16 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Participação de importados na economia brasileira segue em crescimento

Participação de importados na economia brasileira segue em crescimento COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 2 Número 4 outubro/dezembro de 2012 www.cni.org.br Participação de importados na economia brasileira segue em crescimento

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2016 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out16/Set16 (%) dessaz. Out16/Out15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2012 Unidade de Estudos Econômicos PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS jan/11 Part(%) jan/12 Part(%) Var (%) SAO PAULO 3.328 21,9% 3.672 22,7% 10,3% 344

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Junho/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Abr17/Mar17 (%) dessaz. Abr17/Abr16 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até abril

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS DO COMÉRCIO EXTERIOR SOBRE A GERAÇÃO DE EMPREGO NO BRASIL - 1º. Semestre de 2011

AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS DO COMÉRCIO EXTERIOR SOBRE A GERAÇÃO DE EMPREGO NO BRASIL - 1º. Semestre de 2011 AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS DO COMÉRCIO EXTERIOR SOBRE A GERAÇÃO DE EMPREGO NO BRASIL - 1º. Semestre de 2011 1 AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS DO COMÉRCIO EXTERIOR SOBRE A GERAÇÃO DE EMPREGO NO BRASIL - 1º. Semestre

Leia mais

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Indicadores CNI COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Mercado externo fica mais importante para a indústria O mercado externo torna-se mais importante para a indústria brasileira, sobretudo para os setores

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

Números de Empresas e Emprego Industrial

Números de Empresas e Emprego Industrial 1 1 Números de Empresas e Emprego Industrial DEPECON/FIESP 08/08/2005 2 2 A FIESP consultou o Cadastro de Estabelecimentos e Empresas referente à sua parte industrial (Min. do Trabalho e Emprego) resultando

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM SETEMBRO Exportações A queda de 28% na comparação mensal pode ser explicada por: 1) Dois

Leia mais

Reformulação da metodologia dos Coeficientes de abertura comercial. Brasília, julho de 2016

Reformulação da metodologia dos Coeficientes de abertura comercial. Brasília, julho de 2016 Reformulação da metodologia dos Coeficientes de abertura comercial Brasília, julho de 2016 Coeficientes de abertura comercial Estrutura 1. O que são os coeficientes de exportação e penetração de importações?

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Além da forte queda da indústria (-18,5%), ressalta-se o fato de que somente

Leia mais

Números de Empresas e Emprego Industrial

Números de Empresas e Emprego Industrial 1 1 Números de Empresas e Emprego Industrial DEPECON/FIESP 24/03/2006 2 2 A FIESP consultou o Relatório Anual de Informações Sociais referente à sua parte industrial (Rais - Min. do Trabalho e Emprego)

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM OUTUBRO Exportações A exportação de produtos básicos registrou queda de 87,3% ante outubro

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL exportações líquidas da indústria de transformação cai para -1% O coeficiente de exportação da indústria geral se mantém estável em 20. Já os coeficientes de penetração

Leia mais

DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos. Cenário Econômico e Desempenho Mensal da Indústria

DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos. Cenário Econômico e Desempenho Mensal da Indústria DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Cenário Econômico e Desempenho Mensal da Indústria Março de 2017 Este relatório visa a fornecer informações econômicas sobre a Indústria de Transformação

Leia mais

ano XVI, n 6, junho de 2012

ano XVI, n 6, junho de 2012 ,, junho de 2012 EM FOCO O índice de preços das exportações apresentou alta de 0,3% em maio na comparação com abril, causada pela evolução positiva em produtos básicos e manufaturados (0,4%). Contudo,

Leia mais

Produção Industrial Maio de 2014

Produção Industrial Maio de 2014 Produção Industrial Maio de 214 PRODUÇÃO INDU S TRI AL DE SANTA C AT AR INA EM M AIO/14 A produção industrial de Santa Catarina ficou estável em maio (,%), em relação ao mesmo mês do ano anterior. Resultado

Leia mais

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003:

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: CONDIÇÕES ADVERSAS DO MERCADO INTERNO LIMITAM A RECUPERAÇÃO INDUSTRIAL Segundo o IBGE, em novembro, a produção industrial cresceu 0,8% na comparação com o mês outubro,

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM FEVEREIRO Exportações Apesar da queda nos embarques para a Argentina (6%), trata-se do melhor

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2016 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações O principal destaque negativo ficou por conta do impacto contracionista

Leia mais

IMPORTAÇÕES, CÂMBIO E INDÚSTRIA: A MARCHA DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL 22/3/2007

IMPORTAÇÕES, CÂMBIO E INDÚSTRIA: A MARCHA DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL 22/3/2007 IMPORTAÇÕES, CÂMBIO E INDÚSTRIA: A MARCHA DA DESINDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL 22/3/2007 DESINDUSTRIALIZAÇÃO OS DADOS DO PIB DIVULGADOS PELO IBGE COM BASE NA NOVA METODOLOGIA MOSTRAM QUE A PARTICIPAÇÃO DA

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JUNHO Exportações A forte redução no mês foi causada pela contabilização como exportação da

Leia mais

METODOLOGIA DOS COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL

METODOLOGIA DOS COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL METODOLOGIA DOS COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Versão 2.0 - Brasília - Março/2012 METODOLOGIA DOS COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Robson Braga de Andrade

Leia mais

ano IV, n 40 agosto de 2014

ano IV, n 40 agosto de 2014 ano IV, n 40 agosto de 2014 SÍNTESE JULHO DE 2014 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Julho 23.024 21.450 1.574 Variação em relação a julho de 2013 10,7% - 5,5 % 3.473 Acumulado no ano

Leia mais

Divisão de Estudos Econômicos

Divisão de Estudos Econômicos nº 13 Índice FIRJAN de Produção Exportada 2010.1 O Índice FIRJAN de Produção Exportada (IFPE) mede a parcela exportada da produção brasileira da indústria de transformação no acumulado em 12 meses. É calculado

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 21 de Agosto de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Dezembro/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 12

Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de Luiz Dias Bahia Nº 12 Aspectos do comportamento da indústria brasileira no primeiro trimestre de 2013 Luiz Dias Bahia Nº 12 Brasília, julho de 2013 ASPECTOS DO COMPORTAMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE

Leia mais

ANEXO III COMPOSIÇÃO DOS GRUPAMENTOS DE ATIVIDADE AGRÍCOLA

ANEXO III COMPOSIÇÃO DOS GRUPAMENTOS DE ATIVIDADE AGRÍCOLA ANEXO III COMPOSIÇÃO DOS GRUPAMENTOS DE ATIVIDADE CÓDIGO DENOMINAÇÕES Agricultura, pecuária e serviços relacionados com estas atividades 01101 Cultivo de arroz 01102 Cultivo de milho 01103 Cultivo de outros

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor

Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Indústrias Extrativas e de Transformação Indústrias Extrativas e de Transformação Resultados Novembro de 2016 Principais Indicadores Indústria

Leia mais

ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014

ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014 ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014 EM FOCO O índice de preços das exportações encerrou o ano de 2013 com queda de 3,2% em relação ao ano anterior. A redução dos preços de exportação foi generalizada, afetando

Leia mais

A Economia Brasileira em 2007 e Perspectivas para 2008

A Economia Brasileira em 2007 e Perspectivas para 2008 A Economia Brasileira em 2007 e Perspectivas para 2008 Francisco E. P. de Souza Rio de Janeiro, 17/01/2008 Tabela 2 - Projeções do mercado e do Grupo de Conjuntura para 2007 Mercado Grupo de Conjuntura

Leia mais

-0,9% +1,9% -1,9% -0,5% +0,1% 78,7% -0,2 p.p. -2,1% Março de 2017

-0,9% +1,9% -1,9% -0,5% +0,1% 78,7% -0,2 p.p. -2,1% Março de 2017 Março de 2017-0,9% +1,9% -1,9% -0,5% +0,1% 78,7% -0,2 p.p. Atividade industrial caiu 2,5% no primeiro trimestre O IDI/RS caiu 0,9% em março ante fevereiro, com ajuste sazonal, devolvendo parte do aumento

Leia mais

Indicadores selecionados do RS*

Indicadores selecionados do RS* 67 Indicadores selecionados do RS* Tabela 1 Taxas de crescimento da produção, da área colhida e da produtividade dos principais produtos da lavoura no Rio Grande do Sul /06 PRODUTOS / 2006/ (1) Produção

Leia mais

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Mogi das Cdr_mogi_das_cruzes 21 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE MOGI DAS CRUZES Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 16 de dezembro de 2016 A Diretoria Regional do CIESP de Mogi

Leia mais

São Caetandr_sao_caetano 31 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO CAETANO DO SUL. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São Caetandr_sao_caetano 31 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO CAETANO DO SUL. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São Caetandr_sao_caetano 31 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO CAETANO DO SUL Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de São

Leia mais

São Bernardr_sao_bernardo 30 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São Bernardr_sao_bernardo 30 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São Bernardr_sao_bernardo 30 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 20 de março de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Indicadores CNI DE ABERTURA COMERCIAL Com recuperação da demanda doméstica, o desafio é elevar a competitividade da indústria brasileira A reversão da tendência de depreciação do real e o início da recuperação

Leia mais

Guarulhos dr_guarulhos 13 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE GUARULHOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Guarulhos dr_guarulhos 13 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE GUARULHOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Guarulhos dr_guarulhos 13 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE GUARULHOS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Guarulhos representa

Leia mais

Produção Industrial Julho de 2014

Produção Industrial Julho de 2014 Produção Industrial Julho de 2014 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA EM JULHO/14 A produção da indústria catarinense recuou 2,7% em julho, enquanto a produção brasileira teve queda de 3,6%, ambos sobre

Leia mais

ano V, n 47, Março de 2015

ano V, n 47, Março de 2015 ,, Março de 2015 EM FOCO Em fevereiro, o Índice de rentabilidade das exportações totais registrou aumento de 2,6%, em relação a janeiro. O aumento da Rentabilidade exportadora no mês foi devido ao impacto

Leia mais

Santos dr_santos 29 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SANTOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Santos dr_santos 29 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SANTOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Santos dr_santos 29 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SANTOS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Santos representa seis municípios

Leia mais

Rio Claro dr_rio_claro 26 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE RIO CLARO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Rio Claro dr_rio_claro 26 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE RIO CLARO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Rio Claro dr_rio_claro 26 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE RIO CLARO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Rio Claro representa

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor

Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Indústrias Extrativas e de Transformação Indústrias Extrativas e de Transformação Resultados Fevereiro de 2017 Principais Indicadores Indústria

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,51% em março

IGP-M registra variação de 0,51% em março Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,51% em março O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,51%, em março. Em fevereiro, o índice variou 1,29%. Em março de 2015, a variação

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE COTIA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE COTIA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017 Cotia dr_cotia 9 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE COTIA Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Cotia representa seis municípios

Leia mais

Produção Industrial Fevereiro de 2014

Produção Industrial Fevereiro de 2014 Produção Industrial Fevereiro de 2014 Produção Industrial mantém ritmo moderado de crescimento A produção industrial de Santa Catarina cresceu 1,8% em fevereiro, em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Leia mais

Osasco dr_osasco 22 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE OSASCO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Osasco dr_osasco 22 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE OSASCO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Osasco dr_osasco 22 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE OSASCO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Osasco representa sete municípios

Leia mais

São José dodr_sao_jose_dos_campos 35 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São José dodr_sao_jose_dos_campos 35 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São José dodr_sao_jose_dos_campos 35 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP

Leia mais

São Paulo dr_sao_paulo 36 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO PAULO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São Paulo dr_sao_paulo 36 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO PAULO. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São Paulo dr_sao_paulo 36 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO PAULO Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A região de São Paulo corresponde às diretorias

Leia mais

Vale do Aço. Fevereiro/2016

Vale do Aço. Fevereiro/2016 Fevereiro/2016 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 28 de março de 2016 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2016 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital William Figueiredo Divisão de Estudo Econômicos do Rio de Janeiro (DIERJ) Gerência de Estudos Econômicos (GEE) Rio de Janeiro, 27 de junho de 2017 Estado do

Leia mais

ano V, n 46, Fevereiro de 2015

ano V, n 46, Fevereiro de 2015 ,, Fevereiro de 2015 EM FOCO O Índice de rentabilidade das exportações registrou queda de 10,1% em janeiro de 2015 na comparação com janeiro de 2014 (Tabela 1). A queda do Índice resultou da forte diminuição

Leia mais

REGIÃO LESTE. Mar.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares

REGIÃO LESTE. Mar.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares #3 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS Mar.2016 REGIÃO LESTE Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares INDICADORES ANÁLISE SETORIAL TABELAS I N D I CADORES IN DUST RIAIS

Leia mais

Outubro de 2013 IGP-M registra variação de 0,86% em outubro Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) IGP-M IGP-M

Outubro de 2013 IGP-M registra variação de 0,86% em outubro Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) IGP-M IGP-M IGP-M registra variação de 0,86% em outubro O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,86%, em outubro. Em setembro, o índice variou 1,50%. Em outubro de 2012, a variação foi de 0,02%. A variação

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE JAÚ. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE JAÚ. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017 Jaú dr_jau 16 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE JAÚ Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Jaú representa 11 municípios paulistas:

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL Março de 2015 + 3,0% + 10,3% - 0,3% -0,6 % +0,4% +1,0% +2,5% +6,2% 113 111 109 107 103 101 99 97 Atividade volta a crescer Com expressivos crescimentos do faturamento

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE CÂMBIO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR

REFLEXÕES SOBRE CÂMBIO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR REFLEXÕES SOBRE CÂMBIO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Fernando J. Ribeiro Economista-chefe chefe da FUNCEX Workshop CINDES Rio de Janeiro 5 de agosto de 2011 09/08/2011 VISÃO MACROECONÔMICA DA BALANÇA

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Fevereiro de 2016 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Araraquaradr_araraquara 4 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE ARARAQUARA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Araraquaradr_araraquara 4 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE ARARAQUARA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Araraquaradr_araraquara 4 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE ARARAQUARA Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Araraquara representa

Leia mais

Fevereiro 2012 Déficit dobrou no primeiro bimestre do ano: Desempenho das exportações aprofunda déficit no acumulado de janeiro a fevereiro de 2012:

Fevereiro 2012 Déficit dobrou no primeiro bimestre do ano: Desempenho das exportações aprofunda déficit no acumulado de janeiro a fevereiro de 2012: Fevereiro 2012 Déficit dobrou no primeiro bimestre do ano: na comparação com os dois primeiros meses de 2011, o déficit comercial com a China cresceu 113%, saindo de US$ 700 milhões para US$ 1,6 bilhão.

Leia mais

Sistema FIRJAN Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro PRESIDENTE Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira

Sistema FIRJAN Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro PRESIDENTE Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira 1 RETRATOS REGIONAIS - 5ª Edição Expediente Sistema FIRJAN Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro PRESIDENTE Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira Conselho de Política Econômica e Industrial do Sistema

Leia mais

Diferenças de produtividade na indústria: evolução comparada Brasil / EUA

Diferenças de produtividade na indústria: evolução comparada Brasil / EUA Diferenças de produtividade na indústria: evolução comparada Brasil / EUA Regis Bonelli* Pesquisador do IBRE * Com a colaboração de Daniel A. Duque Seminário Indústria e Desenvolvimento Produtivo no Brasil

Leia mais

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 SÍNTESE JANEIRO DE 2015 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Janeiro 13.704 16.878-3.174 Variação em relação a Janeiro de 2014-14,5 % -16,0 % 894 Acumulado

Leia mais

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM JANEIRO DE 2004: AVANÇOS E RECUOS

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM JANEIRO DE 2004: AVANÇOS E RECUOS PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM JANEIRO DE 2004: AVANÇOS E RECUOS Segundo o IBGE, a produção física industrial brasileira cresceu 0,8% em comparação com o mês de dezembro, descontadas as influências sazonais. Em

Leia mais

Vale do Ribdr_vale_do_ribeira 40 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE VALE DO RIBEIRA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Vale do Ribdr_vale_do_ribeira 40 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE VALE DO RIBEIRA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Vale do Ribdr_vale_do_ribeira 40 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE VALE DO RIBEIRA Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Vale

Leia mais

Demanda no Brasil cresce ao ritmo dos principais países emergentes...

Demanda no Brasil cresce ao ritmo dos principais países emergentes... Demanda no Brasil cresce ao ritmo dos principais países emergentes......mas não impulsiona a produção industrial. O crescimento da demanda interna é atendido, principalmente, com aumento de importações.

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,33% em abril

IGP-M registra variação de 0,33% em abril Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,33% em abril O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,33%, em abril. Em março, o índice variou 0,51%. Em abril de 2015, a variação foi

Leia mais

Reflexões sobre exportações e desempenho da indústria com base nos coeficientes de comércio exterior

Reflexões sobre exportações e desempenho da indústria com base nos coeficientes de comércio exterior comércio exterior e indústria Reflexões sobre exportações e desempenho da indústria com base nos coeficientes de comércio exterior Fernando J. Ribeiro e Henry Pourchet Este artigo tem dois objetivos. O

Leia mais

Campinas dr_campinas 8 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE CAMPINAS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Campinas dr_campinas 8 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE CAMPINAS. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Campinas dr_campinas 8 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE CAMPINAS Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Campinas representa

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Ago.2016 REGIÃO CENTRO-OESTE. Regional Centro-Oeste Divinópolis ANÁLISE SETORIAL

INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Ago.2016 REGIÃO CENTRO-OESTE. Regional Centro-Oeste Divinópolis ANÁLISE SETORIAL #8 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS Ago.2016 REGIÃO CENTRO-OESTE Regional Centro-Oeste Divinópolis INDICADORES ANÁLISE SETORIAL TABELAS I N D I CADORES IN DUST RIAIS D A RE GIÃO LESTE FIEMG INDEX.

Leia mais

São João d dr_sao_joao_da_boa_vista 33 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

São João d dr_sao_joao_da_boa_vista 33 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação São João d dr_sao_joao_da_boa_vista 33 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do

Leia mais

-1,4% -3,0% +0,5% -0,3% -1,8% 78,6% -1,8% -4,5% Março de Atividade volta a cair em março

-1,4% -3,0% +0,5% -0,3% -1,8% 78,6% -1,8% -4,5% Março de Atividade volta a cair em março Março de 2016-1,4% -3,0% +0,5% -0,3% -1,8% 78,6% Atividade volta a cair em março O IDI/RS não sustentou a recuperação registrada em fevereiro (+1,2%) e recuou 1,4% em março na comparação com o mês anterior,

Leia mais

MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF. Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN

MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF. Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN ROTEIRO O TRABALHO DE MAPEAMENTO DAS EMPRESAS PELA CODEPLAN E A FONTE DE DADOS O QUE JÁ CONHECEMOS SOBRE O MERCADO DE TRABALHO NO DISTRITO

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Agosto de 2014 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

Contas Nacionais Trimestrais

Contas Nacionais Trimestrais Contas Nacionais Trimestrais Indicadores de Volume e Valores Correntes 2º Trimestre de 2013 Coordenação de Contas Nacionais 30 de agosto de 2013 Tabela Resumo Principais resultados do PIB a preços de mercado

Leia mais

Indicadores Conjunturais

Indicadores Conjunturais Ano 31 número 10 novembro 2016 Indicadores Conjunturais SISTEMA FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ - DEPARTAMENTO ECONÔMICO Resultados de Outubro de 2016 Vendas Industriais página 04 O resultado

Leia mais

Indicadores Econômicos da Indústria de Transformação e dos Setores do Sindicato

Indicadores Econômicos da Indústria de Transformação e dos Setores do Sindicato DEPECON Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Indicadores Econômicos da Indústria de Transformação e dos Setores do Sindicato SIMEFRE Julho de 2016 Este relatório visa a fornecer informações econômicas

Leia mais

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP

Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP P E S Q U I S A Centro das Indústrias do Estado de São Paulo CIESP Nível de Emprego Regional da Indústria Diretorias do CIESP Resultados do mês de Setembro de 2013 FIESP/CIESP - Pesquisa NIVEL DE EMPREGO

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE BAURU. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017

DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE BAURU. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação. Última atualização em 01 de novembro de 2017 Bauru dr_bauru 5 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE BAURU Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Bauru representa 25 municípios

Leia mais

Botucatu dr_botucatu 6 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE BOTUCATU. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação

Botucatu dr_botucatu 6 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE BOTUCATU. Informações Econômicas e da Indústria de Transformação Botucatu dr_botucatu 6 DIRETORIA REGIONAL DO CIESP DE BOTUCATU Informações Econômicas e da Indústria de Última atualização em 01 de novembro de 2017 A Diretoria Regional do CIESP de Botucatu representa

Leia mais

REGIÃO LESTE. Fev.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares

REGIÃO LESTE. Fev.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares #2 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS Fev.2016 REGIÃO LESTE Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares INDICADORES ANÁLISE SETORIAL TABELAS I N D I CADORES IN DUST RIAIS

Leia mais

67% das empresas exportadoras que concorrem com produtos chineses perdem clientes

67% das empresas exportadoras que concorrem com produtos chineses perdem clientes SONDAGEM ESPECIAL Ano 9 Número 1 fevereiro de 2011 www.cni.org.br Especial China 67% das empresas exportadoras que concorrem com produtos chineses perdem clientes das empresas que competem com 45% 52%

Leia mais

Índice Firjan de Produção Exportada

Índice Firjan de Produção Exportada Nº 04 - O IFPE é calculado a partir da razão entre as variações do volume exportado, conforme informado pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX/MDIC), e do volume de produção da Indústria da Transformação,

Leia mais