CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE RECUPE- RAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUI- PAMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE RECUPE- RAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUI- PAMENTOS"

Transcrição

1 CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE RECUPE- RAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUI- PAMENTOS OPERACIONAIS DO SISTEMA DE MOVIMEN- TAÇÃO DE GRANEIS SÓLIDOS DO PORTO ORGANIZADO DE ARATU, NO MUNICÍPIO DE CANDEIAS - BA. COORDENAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA ELABORADO EM FEVEREIRO/2014

2 CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES À SERVIÇOS DE RECUPERAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUIPAMENTOS OPERACIONAIS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE GRA- NEIS SÓLIDOS DO PORTO ORGANIZADO DE ARATU CANDEIAS - BA. 1.0 OBJETO Serviços de recuperação geral nas estruturas metálicas dos equipamentos operacionais do sistema de movimentação de graneis sólidos dos Terminais de Graneis Sólidos I. De maneira sumária os serviços compreenderão de: Caldeiraria; Usinagem; Tratamento anticorrosivo; Pintura 2.0 PRAZO O prazo para execução dos serviços será de 12 (doze) meses corridos, contado a partir da emissão da competente Ordem de Serviço. Nota: No momento que Terminais, Pátios, edificações e ou equipamentos forem arrendados a Terceiros, os serviços pertinentes a este serão suprimidos do Contrato, não cabendo nenhum tipo de ressarcimento por parte da CODEBA junto a Contratada. 3.0 GENERALIDADES Estes serviços visam garantir a durabilidade e conservação dos equipamentos operacionais da CODEBA, bem como a segurança das pessoas que operam, e o bom atendimento às operações de movimentação de carga, dotando o Porto de Aratu de condições básicas para atender as demandas operacionais propostas pelo mercado interno e externo. O Porto de Aratu é constituído de Terminais especializados na movimentação de granéis sólidos. Nos seus 02 (dois) Terminais de Granéis Sólidos são movimentados diversos produtos dentre os quais enxofre, fertilizantes, uréia, manganês, concentrado de cobre, rocha fosfática, piche, klinquer, coque de petróleo, coque metalúrgico, magnesita, alumina, calcinada, etc., com um volume médio anual de 2

3 t, em 135 navios, resultando numa alta taxa de ocupação mensal, média 80%. A Contratada implantará e manterá durante a execução dos serviços sinalização de advertência, caminhos de serviços, etc. Seus custos deverão ser diluídos nos preços unitários dos demais serviços. A Contratada deve atentar que nos dois berços do píer do TGS I existem vários equipamentos de movimentação de cargas, estes dificultam a execução de alguns serviços de recuperação de peças localizadas no alto das estruturas, sendo necessária a remoção/reinstalação destas com equipamentos de guindar sobre embarcações para evitar danos sobre a plataforma de acostagem. Sendo assim, deve a Contratada dispor de equipamentos de porte para guindar sobre embarcação durante o prazo contratual. A visita técnica às instalações portuárias é imprescindível para o perfeito conhecimento de todos os detalhes fundamentais dos Terminais, Pátios e seus equipamentos, como também, a fim de que sejam dimensionados com precisão os recursos necessários para as atividades de manutenção especificada neste Caderno. Se tratando de serviços especializados em recuperação de equipamentos portuários em estrutura metálica, a empresa deve comprovar experiência através de atestado (s) técnico (s) reconhecido (s) pelo CREA. Os serviços, e materiais aqui especificados somente poderão ser substituídos por similares após a devida fundamentação, por escrito, da Contratada e da Fiscalização e após aprovação, também por escrito, da CODEBA. Nos preços unitários contratuais deverão estar incluídos todos os custos, tais como, tributos, licenças, fretes, depreciações, custos diretos e indiretos, encargos sociais básicos, incidências e taxas de reincidências, vale transporte, equipamentos de proteção individual, ferramentas individuais, refeições, bem como todos adicionais de periculosidade, insalubridade, etc., regulamentados em Lei, e Convenção Coletiva de Trabalho, que venham incidir sobre os serviços. 4.0 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 4.1 Mobilização/desmobilização e canteiro de obra Mobilização/desmobilização Compreende a mobilização e desmobilização de pessoal, equipamentos, veículos, instrumentos, embarcações, e placa da obra/serviço, necessários à execução de todos os serviços de caldeiraria/usinagem, tratamento anticorrosivo e pintura especificada neste caderno de encargos. A forma de medição e pagamento do valor correspondente ao percentual total (100%) será realizada em 02(duas) parcelas, a saber: 3

4 70% do valor, quando da mobilização de pessoal, equipamentos, veículos, instrumentos, embarcações e placa dos serviços; 30% do valor, quando da desmobilização de pessoal, equipamentos, veículos, instrumentos, embarcações e placa dos serviços. Observação O custo relativo à mobilização/desmobilização dos serviços discriminados no presente subitem, não deverá ultrapassar a 4,0% do valor global dos serviços de caldeiraria/usinagem, tratamento anti-corrosivo e pintura constante da Planilha de Preços Canteiro de obra A CODEBA cederá uma área localizada dentro do Porto, para abrigar as instalações de canteiro de serviço. Nessa será erguidas pela Contratada as edificações necessárias para atender as obras/serviços contratados, ou instalação de conteiners desde que atendam a NR 18. As instalações físicas devem atender a guarda de materiais, equipamentos, escritório, refeitório, vestiário/sanitários, oficina, e outros espaços que a Contratada julgue necessário. Estas instalações devem ser adequadas aos serviços a serem realizados, ficando as expensas da Contratada todos os serviços de limpeza e conservação do local durante o período contratual, e esses custos devem estar diluídos na verba disponível para este presente subitem. Dois dias após a emissão da Ordem de Serviço a Contratada encaminhará à CODEBA desenhos detalhados do canteiro de serviços, os quais serão submetidos à apreciação e aprovação da Fiscalização, estando sujeito a modificações, caso a mesma julgue conveniente. Os sanitários do canteiro deverão ser do tipo químico, sem lançamento de efluentes nas redes locais, mar ou no solo; deverão ser em quantidade suficiente para atender: Administração, Fiscalização e Pessoal de Produção. Os custos com fornecimento, estocagem e transporte interno dentro da área portuária de todos os materiais, peças, instrumentos, equipamentos, etc., devem estar inseridos nos preços unitários dos serviços constantes em planilha. A Contratada deverá disponibilizar no canteiro de serviços dois equipamentos de informática (02 micros computadores, com CPU de velocidade de processamento de 3,0 GHz, capacidade de armazenamento de 80Gb, 1Gb de memória RAM, com sistema operacional e editor de texto compatível com Microsoft Word, gravador de CD, 02 monitor de 17, 01 impressora a jato de tinta e outra multifuncional), um aparelho de TELEFAX. Findo o contrato estes equipamentos retornarão para Contratada, sem ônus para esta Companhia. 4

5 Nota: 1. O custo relativo à construção e remoção do canteiro de serviço discriminado neste subitem, não deverá ultrapassar a 2,5% do valor global dos itens referente à mobilização/desmobilização de pessoal, equipamentos, instrumentos, ferramentas e placa da obra; e dos serviços constantes na planilha de preços. 2. Os serviços de limpeza e conservação dessas instalações durante o período contratual serão de responsabilidade da Contratada. O lixo doméstico (marmitas aluminizadas, copos descartáveis, papeis, plásticos, etc.) deverá ser acondicionado em recipientes de plástico ou lixeiras industriais; o lixo industrial (estopas e trapos contaminados, latas, vidros, filtros de óleo, etc.) deverá ser acondicionado em sacos plásticos; os resíduos industriais (óleo lubrificantes, graxas, detergentes, solventes, etc.) deverão ser acondicionados em tonéis metálicos ou plásticos. Os resíduos citados serão retirados para fora da área do Porto, incluindo carregamento, transporte e descarregamento, ficando inteiramente a cargo da CONTRATADA, sem ônus para a CODEBA. Todos estes deverão ter destino final fora da área portuária, mas, em local licenciado pelos órgãos ambientais. A CODEBA não permitirá o lançamento de restos de materiais, nem a lavagem de equipamentos dentro da área do seu complexo portuário ou dentro d água. Os custos destes serviços devem estar diluídos na verba disponível para este presente subitem. 3. As instalações de canteiro deverão ter boa aparência, e possuir padrões sanitários segundo a NR-18, portaria Findo o Contrato, as benfeitorias realizadas na área disponibilizada serão devolvidas à CODEBA, sem ônus adicionais para esta Companhia. 5. Caso a CODEBA necessite da área descrita neste subitem, para arrendamento, a Contratada entregará de imediato, sem nenhum tipo de ressarcimento. Neste caso a CODEBA cederá outro local para servir de canteiro. A forma de medição/pagamento do valor correspondente ao percentual total (100%) será realizado em 02(duas) parcelas a saber: 70% do valor quando da efetiva construção do canteiro; 30% do valor quando conclusão da efetiva remoção do canteiro, limpeza do local e entrega da área. Nota: 5

6 Caso a CODEBA necessite da área para arrendamento, a Contratada entregará de imediato, sem nenhum tipo de ressarcimento. Neste caso a CODEBA cederá outro local para servir de canteiro Administração local Consiste no conjunto de despesas para dirigir e fiscalizar técnica e administrativamente os serviços contratados dentro do canteiro de obra. São despesas com pessoal, instalações, transporte, comunicação e material de consumos diversos da estrutura administrativa local, a qual garantirá que a obra/serviço seja executada dentro dos parâmetros preestabelecidos. Nota: 1) O custo relativo à administração local discriminado neste subitem, não deverá ultrapassar a 2,0 % do valor global dos itens referente a mobilização/desmobilização de pessoal, equipamentos, instrumentos, veículos, embarcações e placa do serviço; canteiro; a mão de obra de profissionais contratados para os serviços de manutenção; transportes e materiais constantes na planilha de preços. A forma de medição e pagamento do valor correspondente ao percentual total (100%) será realizada em 03(três) parcelas a saber: 50% do valor, quando da mobilização de pessoal, equipamentos, veículos, instrumentos, embarcações, placa dos serviços, instalação do canteiro e inicio dos serviços objeto deste caderno. 25% do valor, após 06 (seis) meses do inicio do contrato; 25% do valor, quando da conclusão dos serviços objeto deste caderno; desmobilização de pessoal, equipamentos, veículos, instrumentos, embarcações, placa dos serviços, e do canteiro. 4.2 Qualificação de Pessoal A Contratada deverá fornecer profissionais em número suficiente para cumprir a rotina de trabalho destes serviços. A equipe mínima de profissionais que executará os serviços contratados será formada: 01 Supervisor de montagem 01 Mestre de caldeiraria 01 Encarregado de andaime 01 Encarregado de pintura 6

7 01 Técnico de medição 01 Assistente de planejamento 01 Técnico de Segurança Pleno 01 Técnico de enfermagem 01 Rigger 01 Almoxarife 01 Eletricista 01 Vigia 01 Operador 01 Ferramenteiro 04 Montador de andaime 04 Montador de estrutura 02 Caldeireiro 02 Soldador 04 Maçariqueiro 12 Ajudante 04 pintor 04 jatista Caberá à Contratada fornecer ao seu pessoal uniforme e identidade funcional, a qual deverá ser portada em local visível sem o que não será permitido o acesso aos locais de trabalho. A identificação prévia de todo o pessoal a ser utilizado na execução dos serviços/contrato se fará necessário junto ao órgão de segurança interno da CODEBA. Ficará a cargo da Contratada o dimensionamento das equipes, para atender aos serviços programados, o deslocamento na área do Porto desse pessoal, bem como os equipamentos e ferramentas por eles utilizados. A Contratada terá um Engenheiro no seu quadro, que será o responsável técnico dos serviços perante a entidade competente, e os custos desse profissional deverá estar diluído nos preços unitários constantes na Planilha de Preços. A Contratada fornecerá mensalmente relatório dos serviços executados, inclusive com fotos e quantidades de peças medidas no local, que efetivamente consumiram os materiais fornecidos pela Contratada. A liberação das medições estará condicionada a apresentação desse relatório, aprovado pela Fiscalização. O custo com mão de obra está inserido nos preços unitários dos serviços constantes em planilha. 4.3 Parada Geral Anualmente, o Porto programa uma PARADA GERAL com duração de no máximo 30 (trinta) dias, para realização dos serviços de recuperação/manutenção mais complexos e de maior duração, inclusive, grandes reformas, caldeiraria, jato de óxido de alumínio e pintura. 7

8 Estes serviços irão contemplar essa Parada operacional, e a Contratada deverá fornecer mão-de-obra e materiais para atender aos prazos estabelecidos pela Fiscalização. De comum acordo entre a Contratada, Coordenação do Porto e Operadores a PARADA poderá ser realizada em dois ou três períodos no exercício contratual. 4.4 Descrição dos equipamentos A Contratada executará os serviços objeto deste caderno nos equipamentos relacionados a seguir: I - Descarregador de Navios - DN Equipamento da linha de importação, executando o descarregamento dos Navios. Trabalha em função da demanda de navios, normalmente como o regime de movimentação de carga de navios é intenso, a grande solicitação deste equipamento não o disponibiliza para os serviços referenciados. Em função disto, os serviços de caldeiraria, jateamento e pintura neste equipamento devem ser programados e planejados para execução no período que coincide com a Parada programada de manutenção desta Unidade, ou em períodos estabelecidos pela Fiscalização. II - Transportador de Correia B1B Equipamento da linha de importação/exportação, também muito exigido, pois a maioria da carga armazenada no Pátio de Estocagem, transita por ele, a exceção do produto alumina que é armazenado no silo da ALCAN. Como trata-se de um Transportador aéreo, passando sobre uma pista de rodagem, cuidados especiais por parte da Contratada deverão ser tomados, a exemplo de: preocupação em evitar de sujar a pista de rodagem, com óxido de alumínio e restos de materiais metálicos (sucatas); utilização de placas de sinalização e advertência para veículos e pedestres que transitam nesta faixa de serviços. III - Carregador de Navios I - CNI Equipamento da linha de exportação, responsável em carregar os navios. Tem uma taxa de solicitação baixa, e portanto grande disponibilidade para serviços desta natureza. 8

9 Devido estar posicionado do mesmo lado que o Descarregador de Navios, berço (TGS I lado sul), qualquer intervenção do tipo: jateamento/pintura deverá ser muito bem planejada e conduzida para evitar contaminações da carga em porões abertos dos navios, do material movimentado na correia do TCB1A, e quedas de pedaços metálicos (sucatas) sobre o Pier e Subestação do Pier. IV - Transportadores de Correia B8/B9 Equipamento utilizado na linha de exportação, sobretudo magnesita, em menor freqüência o revert. Devido não ter uma ocupação plena é um equipamento disponível para execução de serviços de caldeiraria, jateamento e pintura. Entretanto, por se tratar de um Transportador paralelo ao Transportador de Correia B1A, requer certos cuidados por parte da Contratada para que não haja nenhum tipo de contaminação nas cargas transportadas pelo Transportador de Correia TCB1A, que opera em sintonia com o Descarregador de Navios, portanto sob o mesmo regime de trabalho. Como se trata de um Transportador aéreo e sobre o mar, a contratada deverá dispor de todo e qualquer recurso de equipamentos para um serviço deste porte. 4.5 Escopo dos serviços de caldeiraria, tratamento anticorrosivo,pintura nos equipamentos do TGS I, TGS II e Pátio de Estocagem de Minérios e instalação de trilhos. Os serviços de recuperação geral em caldeiraria, usinagem e pintura, bem como o tratamento anticorrosivo de diversos trechos das estruturas dos equipamentos de movimentação de granéis sólidos, serão executados conforme relação a seguir: Terminal de Granéis Sólidos (TGS I) Descarregador de Navios TCB8/TCB9 TCB1B Piso da casa de maquina; Estruturas metálicas das laterais e parte inferior da Lança; Estruturas metálicas (faces) das colunas verticais e vigas diagonais do Pórtico Estruturas treliçadas 06 (seis secções); Pisos de 02(duas) galerias do TCB8. 9

10 CNI Contraventamentos das colunas de sustentação das galerias; Estruturas metálicas (perfis) em diversos pontos do teto, laterais e mesas das galerias. Estruturas metálicas (perfis) em diversos pontos do equipamento; A finalidade destes é executar recuperação nesses equipamentos, dando a manutenção necessária para preservar esses bens da CODEBA. Todos os materiais de aplicação abaixo relacionados serão fornecidos pela Contratada: Perfis laminados (viga U, I, H cantoneiras) aço carbono ASTM A-36; Tubos (corrimãos: galvanizados SCHEDULE 40 ASTM A-120) Chapas estruturais (NTU USI SAC 50 ou similar); Chapa de desgastes (NTU USI AR 400 ou similar); Parafuso/porca/arruela de pressão/arruela lisa/cônica (DIN 931(8.8/10.9); DIN 933 (8.8); DIN 934-5/8 E 10; DIN 127; DIN Telhas de alumínio ondulada liga 1200 H18 e seus acessórios Grade p/piso eletrofundida a fogo galvanizada com as seguintes características: Dimensões:640x1530mm Malha: 30x100mm Barra portante: 30x3mm Fio: 4mm Os materiais de consumo, tais como: eletrodo, escovas rotativas, disco de lixa, trapos, estopas, etc., serão fornecidos pela Contratada. Observação: Todos os parafusos, porcas e arruela (lisa e pressão) deverão ser galvanizados eletroliticamente. Para todos os materiais deverão ser fornecidos certificados que comprovem as especificações determinadas por este Caderno. Substituição de trilhos Serão substituídos trilhos no carrinho principal do Descarregador de Navios. O trilho TR A 75 e acessórios para o carrinho principal do Descarregador de Navios serão fornecidos e instalados pela Contratada. 10

11 Todos os demais materiais necessários para execução dos serviços de remoção, instalação dos trilhos já mencionados serão fornecidos pela Contratada, e os custos estão inclusos nos preços unitários dos serviços deste item. No carrinho principal do DN Fornecimento de TR A75 e acessórios; Remoção de TR A75 e acessórios; Montagem e instalação de TR tipo A75 e acessórios; Junção de trilhos com solda E9018 D1; Nivelamento da estrutura de aço para assentamento do TR; Limpeza e pintura de proteção de trilhos; Serviços complementares Substituição de trilho no carrinho principal do DN no TGS I Remoção e assentamento Os trilhos danificados existentes no carrinho principal do Descarregador de Navios do Terminal de Granéis Sólidos I serão substituídos por novos. Tratando de serviços em local de difícil acesso, por está a mais de 40 metros de altura, a Contratada deve atentar para necessidade de guindaste e andaimes industrial, e os custos desses estão diluídos nos itens de mobilização e de serviços constantes em planilha.inicialmente serão retirado todos os parafusos e cunhas de fixação, posteriormente serão removidos os trilhos e executados todos os serviços necessários para o assentamento dos novos. Após a remoção, verificada a necessidade de nivelamento da estrutura metálica para assentar os novos trilhos deverá ser executado pela Contratada, a critério da Fiscalização, e esses custos estão inseridos no preço destes serviços. As peças removidas serão carregadas e transportadas pela Contratada até o local de estoque, estabelecido pela Fiscalização, sendo considerada distância de até 1 Km do local dos serviços. Estes TR serão entregues para Fiscalização dos serviços. O trilho tipo A75 (peso 56,2 kg/m, boleto 75 mm, altura 85 mm, patim 200kg/m, alma 45 kg/m) novos serão fornecidos pela Contratada, fixados conforme estabelece projeto. A Contratada se responsabilizará por qualquer dano que venha ocorrer no DN por causa do trilho instalado. Para a fixação do trilho a contratada deverá fornecer os seguintes acessórios: 11

12 Chapa cunha para fixação de trilho SAC x 70x 7/16 com 02 furos para parafuso escariado M20. ( 150 peças ). Chapa cunha para fixação de trilho SAC x 50 x 5/8 com 04 furos para parafuso cabeça sextava M 20. ( 250 peças ). Chapa cunha para fixação de trilho SAC x 70 x 7/16 com 02 furos cabeça sextavada M 20. ( 186 peças ). Os parafusos de fixação serão fornecidos pela CODEBA. Os eletrodos a serem usados na solda do trilho serão AWS E9018 B1, nas bitolas 3.25mm e 4 mm. A Contratada se responsabilizará por qualquer dano que venha ocorrer no DN por causa do trilho instalado. A forma de medição e pagamento obedecerá ao que segue: Remoção de trilhos e acessórios será por metro linear efetivamente removido. Está incluído no preço fornecimento de guindaste de porte para remover, transportar o trilho, e demais serviços; Montagem e assentamento de trilho e acessórios será por metro linear, efetivamente instalado, inclusive solda das junções. Estão incluídos no preço todos os serviços e materiais necessários, inclusive fornecimento de guindaste de porte e andaime para execução dos serviços em altura. Limpeza e pintura de proteção de trilhos O serviço para proteção adicional nos trilhos do carrinho principal visa minimizar os efeitos agressivos do ambiente corrosivo local e só deverão ser executados a critério da Fiscalização. Deverá ser aplicado duas demãos de Epoxi- Poliamina com espessura de 100 a 150 micra por demão para a película seca, totalizando de 200 a 250 micra Inicialmente toda a superfície a ser pintada deverá ser preparada mediante a remoção de todas as impurezas, devendo ficar isenta de graxas, óleos, tintas existentes, oxidações e demais elementos prejudiciais à adesão das tintas, por meio de martelo de ferro, ponteiro, e escova de aço, até obter-se uma peça totalmente limpa. Em seguida toda a superfície deverá ser soprada com ar comprimido suficientemente seco e isento de óleo a fim de remover poeiras. Posteriormente será aplicada a pintura de proteção. O mesmo tratamento deverá ser realizado na viga de sustentação do trilho na área de contato desta com aquele. 12

13 A forma de medição e pagamento obedecerá ao que segue: Limpeza/Pintura de proteção será por metro quadrado, efetivamente executado. Está incluso no preço fornecimento de todos os materiais e serviços necessários. 4.6 Modo e execução A substituição de parafusos/peças estruturais, deverá ser realizada de forma segura, prevendo, quando necessário, a utilização e elementos de escoramento e andaime. Todo e qualquer material de apoio a montagem (pranchas, madeirites, lonas, cordas, moitões, talhas, tirfos, andaimes, gambiarras para iluminação noturna etc.). será por conta da Contratada. As peças serão desenvolvidas com base em desenhos apresentados pela CODEBA. Qualquer dúvida quanto a interpretação ou inexistência (desenho, detalhamento) deverá ser resolvida no local do serviço com auxílio da Fiscalização. Os desenhos fornecidos obrigatoriamente, serão confrontados com o equipamento, pelo executante, para verificação de alterações eventualmente não anotadas. A CODEBA supervisionará os serviços durante a fase de execução, prestando as informações complementares necessárias. Os procedimentos de fabricação (corte, furacão, dobramento, soldagem, etc.) deverão obedecer as normas técnicas aprovadas e reconhecidas pela ABNT. Quando da soldagem dos nós nas respectivas estruturas, a Contratada deverá realizar nas áreas de ligações limpeza com escova rotativa e retoques na pintura. Todos os parafusos que a critério da Fiscalização forem considerados irrecuperáveis, deverão ser retirados e substituídos obedecendo o limite estipulado na Planilha. Todos os elementos que serão instalados, deverão ser jateados e pintados anteriormente, com posterior tratamento mecânico utilizando escova rotativa e retoque de pintura nas áreas atingidas por corte e/ou durante a fase final de montagem. As extremidades dos tubos deverão ser tamponadas, conforme especificação dos serviços de fixação de pintura. Com relação aos trabalhos de jateamento e pintura nos TC s B1A/B1B, a CODEBA deixa claro que devida a grande solicitação desta linha de importação/exportação, sobretudo para cargas armazenadas no Pátio de Estocagem, 13

14 a Contratada deverá trabalhar em sintonia com a programação de navios do Porto, a fim de traçar um planejamento eficiente dos trabalhos a executar, para que não haja descontinuidade nos serviços. Com relação aos equipamentos a serem utilizados, chamamos a atenção quanto as exigências: Deverá existir permanentemente no canteiro- máquinas de solda (425 A), conjunto oxi-acetileno completo (mangueiras e caneta), trifor (cap. 25 ton. a 40 ton.), lixadeira, furadeira portátil e furadeira base magnética, catraca de alavanca (cap. 1,5 ton.), máquina de dobrar tubos (com as matrizes), jogo de chaves combinados (13 a 32 mm), disco de corte, disco de desbaste, acetileno, oxigênio, eletrodos, etc., em quantidade necessárias a execução dos serviços em qualquer local solicitado pela Fiscalização. Nota: A Contratada colocará à disposição da CODEBA os Certificados de Classificação dos materiais. A Contratada deverá substituir em tempo hábil os equipamentos e ferramentas que apresentarem defeitos durante os trabalhos, impedindo a descontinuidade dos serviços em andamento. A Fiscalização a qualquer tempo e sempre que julgar necessário um melhor rendimento/desempenho dos serviços solicitará à Contratada disponibilidade de maior número de equipamentos/ferramentas, sem ônus adicional ao Contrato. Esta exigência visa o cumprimento do cronograma aprovado pela Fiscalização. Observação: As estruturas fabricadas e a serem montadas deverão estar previamente tratadas (jateadas) e pintadas, contudo a forma de medição e pagamento obedecerá o que segue: serviços de recuperação estrutural será por quilo de cantoneiras/chapas/tubo, efetivamente aplicado no equipamento. Está incluso no preço fornecimento de mão de obra e todos os materiais e serviços necessários; tratamento anticorrosivo/pintura será pelo metro quadrado efetivamente realizado nas novas estruturas fabricadas e a serem montadas, situação idêntica para as estruturas de campo que não necessitam de substituição; substituição de parafusos completos será por unidade, efetivamente utilizadas. Está incluso no preço fornecimento de mão de obra e todos serviços necessários; 4.7 LIMPEZA DE SUPERFÍCIES COM JATEAMENTO ABRASIVO E PINTURA 14

15 4.7.1 Limpeza de superfícies com jateamento abrasivo A preparação das superfícies que receberão o tratamento anticorrosivo deverá ser feita por meio de jato abrasivo utilizando óxido de alumínio eletrofundido (ABRS) no padrão SA 2.1/2 da Norma Sueca SIS Pintura A Contratada deverá alocar desde o início dos serviços, equipamentos de porte e pessoal necessário para trabalhar com no mínimo 03 (três) bicos de jatos, observamos porém, que no decorrer do prazo contratual será realizada a parada programada para execução de recuperação/reforma/manutenção dos equipamentos dos TGS I e II e Pátio de Estocagem, devendo neste período a Contratada duplicar o número de bicos de jateamento para serviços no equipamento acima citado. Para tanto, a Contratada será avisada num prazo mínimo de 08 (oito) dias de antecedência, a fim de possibilitar sua programação. Com relação aos equipamentos a serem utilizados chamamos a atenção quanto às exigências : Os compressores com capacidade de 360 PCM, e 750 PCM (para serviços e serem executados em equipamentos com altura superior a 50m) deverão ser diesel portáteis, para facilitar a locomoção nas diversas frentes de serviços. Deverá existir permanentemente no canteiro, recipiente (caixa) para óxido de alumínio, máquina de jato (cap. 300 Litros), bicos de jato (venturi curto) Ø 5/16, mangueiras nos Ø: 1 1/4, 1 e 5/16, máscara de jato com filtros de ar, tanque de pintura de 02 galões com pistola sem caneca, e ou, pistola com caneca, máscara descartável para pintar, rolo de pintura, pincel, balanças, andaimes, tábuas, moitões, cabides, barrotes, cordas, etc., necessários a execução dos serviços em qualquer local solicitado pela Fiscalização. A locomoção dos equipamentos nas mudanças de frentes de serviços será de responsabilidade única da Contratada. A Contratada deverá possuir mangueiras adaptáveis ao sistema de hidrantes do Porto, para permitir as lavagens dos equipamentos, quando necessário. Caberá a CODEBA apenas a indicação disponível. Caberá a Contratada apresentar mensalmente um relatório fotográfico dos serviços registrando: a situação inicial das estruturas que compõe os equipamentos, a fase de execução e a situação das estruturas após a conclusão dos serviços. O custo deste serviço deverá estar diluído nos preços unitários constate da planilha. As empresas credenciadas no fornecimento de tintas, deverão ter cooparticipação na garantia dos serviços de pintura, e o seu representante legal deverá assinar o termo de garantia junto ao executante.ficando o mesmo desde já 15

16 autorizado a orientar e prestar assistência técnica aos profissionais envolvidos, assim como identificar e levar a conhecimento da Fiscalização qualquer problema que venha comprometer a pintura. As tintas aplicadas nos serviços deverão apresentar características igual ou superior as normalizadas pela PETROBRÀS tipo N 1342 (acabamento poliuretano alifático bi-componente) e N 2630 (primer epóxi poliamida bi-componente com fosfato de zinco alto teor de sólidos e alta espessura), podendo as normas em questão, serem atualizadas mediante o conhecimento da Fiscalização. A pintura deverá estar em conformidade com a N13 (Norma para Pintura Industrial PETROBRÁS), que será mandatária para dirimir qualquer dúvida de caráter técnico que venham a aparecer durante os trabalhos. Nas medições para faturamento deveram constar relatório de pintura com avaliação de um profissional qualificado em pintura industrial credenciado junto ao (CREA), com formação em inspetor de equipamento ou qualificado em pintura industrial o qual fará as avaliações periódicas dos serviços, recebimento de material e inspeção final inclusive testes de aderência no filme seco. Os pontos com frestas, estojos e parafusos, bases metálicas são vulneráveis à corrosão severa e deverão ser protegidos (calafetados)com massa epoxi ou produtos similares que atendam a esta finalidade. Os serviços contratados deverão estar cobertos por ART emitida pelo órgão responsável (CREA), assim como os procedimentos que vierem causar qualquer impacto ao meio ambiente, caso dos tratamentos com abrasivos e descarte dos mesmos deverão estar devidamente autorizados por órgão competente (IMA), ficando o prestador de serviço responsável pelo recolhimento e destino destes materiais. A CODEBA responsabilizará o prestador de serviço que venha causar quaisquer danos ao meio-ambiente. Os resíduos de qualquer espécie, principalmente os que contenham produtos químicos como tintas, diluentes, deverão acompanhar o respectivo procedimento de descarte emitido pelo fabricante assim como as informações de segurança do produto FISPQ, sendo este de inteira responsabilidade do aplicador e do fabricante e seu descarte Modo de Execução Primer Deverá ser aplicado duas demãos de Epoxi-Poliamina com espessura de 100 a 150 micra por demão para a película seca, totalizando de 200 a 250 micra. Cada demão deverá ser aplicada em cores diferentes. Acabamento 16

17 Deverá ser aplicado duas demãos de Epoxi-Poliamina com espessura de 100 a 150 micra por demão para a película seca, totalizando de 200 a 250 micra. Cada demão deverá ser aplicada em cores diferentes. Exigências complementares O revestimento obtido pela aplicação do sistema definido acima, deverá possuir alta resistência química e mecânica, associada a excelente retenção de cor e brilho. Os intervalos para repintura são estabelecido pelos fabricantes de tintas. Ultrapassado o limite máximo, as superfícies deverão ser lixadas, limpas e isentes de poeira, a fim de garantir perfeita aderência, entre as demãos. As cores dos acabamentos finais serão basicamente laranja 2,5 YR 6/14, preto, amarelo segurança e verde máquina, porém em função do local e da peças que esteja sendo tratada, outras cores poderão ser definidas pela Fiscalização. Desempenho da película seca Epoxi poliamina Aderência (ASTM D3359 Método A) Requisito: Mínimo, 4 A Imersão em (ASTM D l308) Hidróxido de sódio a 5%, alteração visual após h, única aceitável. Requisito: Leve alteração de cor Acido Sulfúrico a 5%, alteração visual após h, somente aceito. Requisito: Perda de brilho e leve alteração de cor Exposição à névoa salina (ASTM D117), alteração visual após h, painéis sem incisão. Requisito: sem alteração visual. Poliuretano alifático Brilho de 60% (ASTM D523) Requisito: Mínimo 90 unidades Imersão em (ASTM D 1308) Hidróxido de sódio a 5%, alteração visual após 168h Requisito: sem alteração. Ácido Sulfúrico a 5%, alteração visual após 168h Requisito: sem alteração Exposição à névoa salina (ASTM B117) alteração visual após 1.500h, painéis sem incisão. Requisito: sem alteração. 17

18 A forma de medição e pagamento para limpeza da superfície, jateamento e pintura será por metro quadrado, efetivamente executado, incluindo PRIMER/ ACABAMENTO. O cálculo da metragem será feito com base na área total da superfície das peças (chapas, perfis, etc.). No preço unitário deverão estar incluídos os custos com mão-de-obra, todos equipamentos e materiais necessários para execução dos serviços. 4.8 CHAPAS DE DESGASTES (USI AR 400 ou similar) Serão utilizadas e aplicadas no revestimento interno de silos, shut s e guias de materiais. A finalidade destas é funcionarem como chapa sacrifico, suportando o impacto e a abrasão dos materiais. A forma de medição e pagamento será pelo kg de chapa devidamente utilizada e aplicada nos equipamentos do Porto de Aratu. 4.9 REMOÇÃO/MONTAGEM DE PISOS Os pisos atuais (em sua totalidade pranchões de madeira) utilizados nos equipamentos do Porto de Aratu, deverão ser substituídos por grades de piso eletrofundida galvanizada a fogo. A forma de medição e pagamento para esta intervenção será pelo kg de grade de piso devidamente removida e substituída no equipamento. Na composição de preço deste item deverá estar incluso a mão-de-obra e o material (grade de piso eletrofundida) REMOÇÃO/MONTAGEM DE CAVALETE (BASES DE CARGA) Para atender aos serviços de substituição de estruturas independentes (mesas) dos transportadores de correias faz-se necessário a remoção e posterior montagem dos cavaletes de carga nos transportadores. A forma de medição e pagamento para esta intervenção será pelo valor diário estipulado em planilha correspondente à utilização de equipe mínima (01 montador, 01 maçariqueiro e 02 ajudantes) por uma jornada de 08 (oito) horas para a realização do referido serviço ANDAIMES Para atender às intervenções referentes aos serviços de caldeiraria, jateamento e pintura a serem executados nos diversos equipamentos do Porto de Aratu deverão ser previstos e utilizados pela contratada andaimes do tipo simples. 18

19 A forma de medição e pagamento será por metro quadrado de andaime (simples) devidamente utilizado e aplicado na modalidade do serviço REMOÇÃO/MONTAGEM DE TELHAS DE ALUMÍNIO Face aos serviços de jateamento e pintura nos equipamentos TCB1B,TCB8, CNI e CNII, será necessário previamente a remoção e posterior montagem das telhas de alumínio existentes. A forma de medição e pagamento será por metro quadrado de telhas efetivamente substituída e aplicada no equipamento. Na composição de preço deste item deverá estar incluso mão-de-obra, telhas de alumínio e acessórios de fixação EQUIPAMENTO DE APOIO (LEVANTAMENTO DE CARGAS) A Contratada deverá disponibilizar sempre que necessário aos serviços de levantamento de carga de guindaste móvel sobre rodas (com capacidade de 18 ton e abertura de lança de 30 mts, bem como um caminhão Munck com capacidade de 05 ton e lança de 10 mts. A forma de medição e pagamento dos referidos equipamentos será pela efetiva diária dos mesmos quando da realização dos serviços TRANSPORTE, ENERGIA E TELEFONE Veículo A Contratada deverá dispor no canteiro de obra, para uso exclusivo dos serviços de caldeiraria, no Porto Organizado de Aratu, em todo período contratual, 01 (um) veículo tipo Saveiro, Currier ou similar, zero km para atender aos funcionários da empresa Contratada, bem como, a Fiscalização da CODEBA. É de inteira responsabilidade da Contratada a movimentação, remoção, relocação de ferramentas, instrumentos, equipamentos, materiais e pessoal do Contrato, na área interna/externa do Porto. Entenda como área externa do Porto os respectivos limites no Município deste. Os custos com fornecimento dos veículos, motorista, seguro, manutenção, abastecimento e demais deverão estar diluídos nos preços unitários constantes em Planilha de Preços. Concluído o prazo contratual os veículos serão entregues à Contratada. 19

20 A Contratada será responsável pelo deslocamento de ida e volta ao Porto de Aratu, de todos os funcionários, inclusive nos horários extras que se fizer necessário. A CODEBA fornecerá a Contratada, energia e telefone local (grande Salvador) para o canteiro de obras. As despesas de consumo desses serviços serão ressarcidas mensalmente à Companhia, através de relatório de medição elaborado pela Fiscalização, com base nas Notas Fiscais de luz e telefone emitidas pelas concessionárias a esta Companhia. Destas prestações de serviços, só serão cobrados à Contratada os valores efetivamente consumidos, acrescidos de taxa de administração de 10%. Este pagamento será diretamente com a área financeira da CODEBA, após apresentação das despesas pela Fiscalização. 20

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFE- RENTES A SERVIÇOS DE SUBSTITUIÇÃO DE TRILHOS NO CAMI- NHO DE ROLAMENTO E DO CARRINHO PRINCIPAL DO

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFE- RENTES A SERVIÇOS DE SUBSTITUIÇÃO DE TRILHOS NO CAMI- NHO DE ROLAMENTO E DO CARRINHO PRINCIPAL DO CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFE- RENTES A SERVIÇOS DE SUBSTITUIÇÃO DE TRILHOS NO CAMI- NHO DE ROLAMENTO E DO CARRINHO PRINCIPAL DO DESCARRE- GADOR DE NAVIOS DO TGS I NO PORTO ORGANIZADO

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES À SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE RECUPE RAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUIPAMENTOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE GRANEIS SÓLIDOS I E II E

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE RECUPE- RAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUI- PAMENTOS

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE RECUPE- RAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUI- PAMENTOS CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE RECUPE- RAÇÃO GERAL DAS ESTRUTURAS METÁLICAS DOS EQUI- PAMENTOS OPERACIONAIS DO SISTEMA DE MOVIMENTA- ÇÃO DE GRANEIS

Leia mais

SECRETARIA DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA

SECRETARIA DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNI- CAS REFERENTE AO SERVIÇO DE LIMPEZA DO LEITO MARINHO NA FAIXA DE ACOSTAGEM DO BERÇO DOS ARMAZÉNS 01 E 02 DO CAIS COMERCIAL DO PORTO ORGANIZADO DE SALVADOR -

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS DE REFORMA PARA ELIMINA- ÇÃO DE PONTOS DE ABRIGO DE POMBOS, NO PRÉDIO SEDE DA CODEBA, LOCALIZADO NO PORTO ORGANIZADO DE SALVADOR-BA.

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTE À CONSTRUÇÃO DE MURO NA ÁREA DE LIMITE DA TAM - TERMI- NAL DE ÁGUA DE MENINOS E ANTIGA CONTE- NOR NO PORTO ORGANIZADO DE SALVADOR- BA. COORDENAÇÃO

Leia mais

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA Celesc Di Celesc Distribuição S.A. ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA PINTURA SISTEMAS DE PROTEÇÃO ANTICORROSIVA PARA APLICAÇÃO EM : TRANSFORMADORES

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO 1. VIA DE ACESSO 1.1 - GENERALIDADES Será utilizada como acesso às obras, durante a fase de construção, as vias já existentes

Leia mais

CIE - CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE

CIE - CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE PROJETO EXECUTIVO DE ESTRUTURAS METÁLICAS CIE - CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE MEMORIAL DESCRITIVO DE ESTRUTURAS METÁLICAS - CIE - R40-45 - R01 ESTRUTURA METÁLICA

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFEREN- TES A SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO CORRETIVA EM MOTORES, EL- DROS E GERADORES ELÉTRICOS DOS EQUIPAMENTOS DOS POR- TOS ORGANIZADOS DE SALVADOR, ARATU E ILHÉUS

Leia mais

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO SESC PANTANAL HOTEL SESC PORTO CERCADO POSTO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL SÃO LUIZ BARÃO DE MELGAÇO/MT ESTRUTURAS METÁLICAS PARA COBERTURA DE BARRACÃO DEPÓSITO MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO VI 1. FINALIDADE DESTA

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA

EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA 1 EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Fornecimento e instalação de películas de proteção para vidros, conforme descrição

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas Soluções para Celulose & Papel Soluções para Celulose e Papel A WEG Tintas fornece tecnologia em tintas para diversos tipos de ambientes

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Fechamento de quadra esportiva da Escola Municipal de Ensino Fundamental

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TR SAMR 01/2015

TERMO DE REFERÊNCIA TR SAMR 01/2015 COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO DIRETORIA ADMINISTRATIVA DA DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS DSG DIVISÃO DE TRANSPORTES DATR SAMR- SERVIÇO DE MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE TRANSPORTE DO RECIFE TERMO

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 144

Norma Técnica SABESP NTS 144 Norma Técnica SABESP NTS 144 Esquema de pintura para equipamentos e materiais em aço-carbono ou ferro fundido novos e sujeitos à umidade freqüente Especificação São Paulo Maio - 2001 NTS 144 : 2001 Norma

Leia mais

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E DICAS PARA UMA PINTURA EFICIENTE DE PISO Sempre que desejamos fazer uma pintura de piso, Industrial ou não, devemos ter em mente quais são os objetivos

Leia mais

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO:

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO: 1. DESCRIÇÃO: OBJETO: O sistema de ventilação mecânica visa propiciar as condições de qualidade do ar interior nos vestiários do mercado público de Porto Alegre. Para a manutenção das condições serão controlados

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 159

Norma Técnica SABESP NTS 159 Norma Técnica SABESP NTS 159 Esquema de pintura para equipamentos e materiais em aço-carbono ou ferro fundido pintados e em contato direto com esgoto Especificação São Paulo Rev. 1 - Outubro - 2001 NTS

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES CAIXA D ÁGUA

MANUAL DE INSTRUÇÕES CAIXA D ÁGUA MANUAL DE INSTRUÇÕES CAIXA D ÁGUA 1 CONHEÇA O NOSSO PRODUTO PARA ARMAZENAR ÁGUA POTÁVEL ASSUNTOS A SEREM ESCLARECIDOS 1) DADOS TÉCNICOS; 2) MANUTENÇÃO; 3) PRECAUÇÕES; 4) CERTIFICADO DE GARANTIA. 1) DADOS

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 024/2014 CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO ANEXO Q8

EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 024/2014 CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO ANEXO Q8 OBS.: CADA ITEM MENCIONADO A SEGUIR REFERE-SE AOS ITENS DA PLANILHA DE PREÇOS UNITÁRIOS (PPU) 1. Sub-item 1.1 e 1.2: Mobilização e Desmobilização. Será medido na conclusão total de cada sub-item, 100%

Leia mais

DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N : ET-810-CGC-007 USUÁRIO: CEGÁS 1 de 7 FOLHA: OBJETO AMPLIAÇÃO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL RAMAL DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDIMENTO A CLIENTES REV. Í N D I C E D E R E

Leia mais

ANEXO 01 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE DE ÁGUA POTÁVEL POR CAMINHÃO PIPA

ANEXO 01 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE DE ÁGUA POTÁVEL POR CAMINHÃO PIPA ANEXO 01 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE DE ÁGUA POTÁVEL POR CAMINHÃO PIPA SERVIÇO FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS TIPO CAMINHÃO PIPA COM CAPACIDADE DE TRANSPORTE DE 9.000 A

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

ANEXO II - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO II - MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS SECRETARIA DE TURISMO SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO PROJETO SINALIZAÇÃO TURÍSTICA PELOTAS ANEXO II - MEMORIAL DESCRITIVO Este documento tem por objetivo estabelecer

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2. SERVIÇOS PRELIMINARES Limpeza, Barracão de Obra e Placa de Obra 2.1. LIMPEZA DA ÁREA DE INTERVENÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO. 2. SERVIÇOS PRELIMINARES Limpeza, Barracão de Obra e Placa de Obra 2.1. LIMPEZA DA ÁREA DE INTERVENÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS Obra: Intervenção nos Canteiros Centrais da Avenida Santa Luzia Segunda Etapa. Endereço: Avenida Santa Luzia Área de Intervenção: 4758,52 m² 2. SERVIÇOS PRELIMINARES

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS CANOAS - RS

ESTRUTURAS METÁLICAS CANOAS - RS ESTRUTURAS METÁLICAS CANOAS - RS 2 INDICE 1. ESTRUTURAS METÁLICAS... 3 1.1. Estruturas Metálicas Diversas... 3 1.1.1. Qualidade do Material a Ser Empregado... 4 1.1.2. Critérios Gerais para Aceitação do

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico Fornecimento e Instalação de Brises na Fachada Oeste do Edifício Sede do MPDFT Sumário MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Projeto Arquitetônico 1.Descrição dos Serviços...2 2.Serviços Preliminares...2 2.1.Tapumes

Leia mais

MANUAL. Instruções. Caixa D ÁGUA

MANUAL. Instruções. Caixa D ÁGUA MANUAL de Instruções Caixa D ÁGUA CONHEÇA O NOSSO PRODUTO PARA ARMAZENAR ÁGUA POTÁVEL ASSUNTOS A SEREM ESCLARECIDOS: 1) DADOS TÉCNICOS 2) MANUTENÇÃO 3) PRECAUÇÕES 4) CERTIFICADO DE GARANTIA 1) DADOS TÉCNICOS:

Leia mais

FR413-00 (REV. 00) TECHZINC 0130 SHOP PRIMER

FR413-00 (REV. 00) TECHZINC 0130 SHOP PRIMER TECHZINC 0130 SHOP PRIMER Techzinc 0130 Shop Primer é um etil silicato de zinco, de dois componentes: base e pó de zinco que devem ser misturados na hora do uso. Oferece proteção catódica ao aço carbono,

Leia mais

FÓRUM TRABALHISTA DE SÃO JOSÉ

FÓRUM TRABALHISTA DE SÃO JOSÉ FÓRUM TRABALHISTA DE SÃO JOSÉ MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE ESTRUTURA METÁLICA Responsabilidade e Compromisso com o Meio Ambiente MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE ESTRUTURA METÁLICA OBRA: Fórum Trabalhista

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE

COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE COMPANHIA DOCAS DO RIO GRANDE DO NORTE SEDE: Av. Engº Hildebrando de Góis, 220 Ribeira CEP: 59010-700 CGC/MF: 34.040.345/0001-90 Insc.Est.: 20.061.797-4 Natal/RN (084) 4005-5301 FAX: (84) 4005-5320 TERMO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: ESTRUTURAS METALICAS PARA COBERTURA, PASSARELAS E SUFITA.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: ESTRUTURAS METALICAS PARA COBERTURA, PASSARELAS E SUFITA. 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERÊNCIA: ESTRUTURA METÁLICA OBRA: ESTRUTURAS METALICAS PARA COBERTURA, PASSARELAS E SUFITA. LOCAL: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ-PR. DESENHOS DE REFERÊNCIAS:

Leia mais

GBM Engenharia e Arquitetura Ltda.

GBM Engenharia e Arquitetura Ltda. SEDE DEFINITIVA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESPÍRITO SANTO VITÓRIA/ES ESTRUTURAS METÁLICAS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO Estabelecer as condições mínimas necessárias para fabricação,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REPAROS E OBRAS EMERGENCIAIS DE IMOVEIS SITUADOS NA ÁREA DE ESPECIAL INTERESSE URBANISTICO DA REGIÃO DO PORTO MARAVILHA. 1. INTRODUÇÃO A Operação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PONTE MISTA DE 18,00M DE COMPRIMENTO E 4,20M DE LARGURA LOCAL: PONTE DOS CÓRREGOS. OBJETIVO: O Objetivo principal deste Memorial é demonstrar e descrever todas e quaisquer informações

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA QUADRA POLIESPORTIVA COBERTA COM

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015 Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES 1.1. RESPONSÁVEL TÉCNICO PELO PROJETO Carlos Henrique Nagel Engenheiro

Leia mais

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Endereço da obra: Quadra 128, situada na esquina da Rua Ijui esquina Rua Inhacorá, Bairro Recanto do Sol, Horizontina - RS. O

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras MEMORIAL DESCRITIVO Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Departamento de Projetos e Obras PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ MEMORIAL DESCRITIVO FORNECIMENTO E EXECUÇÃO

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 06

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 06 Extintores de Incêndio Portáteis. Revisão: 00 Folha: 1 de 7 1. Objetivo Assegurar que todos os canteiros de obras atendam as exigências para utilização dos extintores de incêndio portáteis de acordo com

Leia mais

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005 PROJETO BÁSICO 001/2005 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ALTO PARAÍSO 34,5/13.8 kv 10/12,5MVA 1- OBJETIVO Este projeto tem por finalidade especificar os serviços para CONTRATAÇÃO

Leia mais

TORRES AUTOPORTANTES -Triangulares - Quadradas DISTRIBUIDOR AUTORIZADO

TORRES AUTOPORTANTES -Triangulares - Quadradas DISTRIBUIDOR AUTORIZADO TORRES AUTOPORTANTES -Triangulares - Quadradas DISTRIBUIDOR AUTORIZADO Normas de Fabricação NORMAS TÉCNICAS DO PROJETO ABNT NORMA: NBR 6123 ( Forças devidas ao vento em edificações); ABNT NORMA: NBR 10777

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA EXECUÇÃO DE EXTENSÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDER A ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSOS LOGRADOUROS DE PORTO ALEGRE 1. GENERALIDADES O

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO OBRA: C.E.P. EM ARTES BASILEU FRANÇA E ESCOLA DE ARTES VEIGA VALLE LOCAL: GOIÂNIA - GO ASSUNTO: REFORMA NA COBERTURA, FORRO, ESQUADRIAS, INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, PINTURA E PISO. DATA: 15/04/2005. MEMORIAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008

MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS ANEXO A TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP Nº 02/2008 1 DO OBJETO Visa à contratação de empresa especializada nos serviços de fornecimento, entrega e instalação

Leia mais

Manual de Montagem Casa 36m²

Manual de Montagem Casa 36m² Manual de Montagem Casa 36m² cga -gerência de desenvolvimento da aplicação do aço Usiminas - Construção Civil INTRODUÇÃO Solução para Habitação Popular - é uma alternativa econômica, simples e de rápida

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para a Indústria de Cimento

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para a Indústria de Cimento Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas A WEG Tintas fornece tecnologia em tintas para diversos tipos de ambientes agressivos. São produtos com maior retenção de cor e brilho,

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PINTURA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PINTURA Página 1 de 7 ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS E PARA LICITAÇÃO ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H DATA 01.09.1999 10.07.2000 21.07.2004 09.03.09 05.05.09

Leia mais

ANEXO 01 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ARMÁRIOS PARA CRMS

ANEXO 01 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ARMÁRIOS PARA CRMS Página 1 de 5 ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS 0 PARA LICITAÇÃO ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F DATA 01.08.11 25.04.14 EXECUÇÃO JADR AF VERIFICAÇÃO JADR JADR APROVAÇÃO

Leia mais

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS

TORRE ESTAIADA ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACESSÓRIOS TORRE ESTAIADA A torre estaiada é a solução mais econômica por atingir grandes alturas e com elevada capacidade de carga, porém exige-se disponibilidade de terreno para sua instalação. Possui seção transversal

Leia mais

PREGÃO 020/2014 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROCESSO Nº 26-14

PREGÃO 020/2014 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROCESSO Nº 26-14 PREGÃO 020/2014 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROCESSO Nº 26-14 1. OBJETO Contratação da aquisição de 01 (um) guindaste veicular, novo, completo, fabricado no ano vigente, não inferior à 2014, com acessórios

Leia mais

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC PLANO DE OUTORGA ANEXO V CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES E APARELHAMENTO Abril/2014 Sumário

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III. SERVIÇOS

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO Pág.: 1 de 10 Identificação do equipamento ELEVADOR DE PASSAGEIROS E CARGAS Com Relação às Torres: Prumo; Espessura da parede do tubo; Resistência e nivelamento da base; Estaiamento; Aterramento elétrico

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA Montagem Estrutura Metálica Em uma obra de estruturas metálicas, a montagem é considerada uma das fases mais importantes por representar uma

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS O canteiro de obras Introdução Sistema de produção Em muitos casos de obras de construção e montagem o canteiro de obras pode ser comparado a uma fábrica

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROGRAMAÇÃO VISUAL EXTERNA

MEMORIAL DESCRITIVO PROGRAMAÇÃO VISUAL EXTERNA MEMORIAL DESCRITIVO PROGRAMAÇÃO VISUAL EXTERNA 1. FINALIDADE O presente memorial tem por finalidade orientar a elaboração de orçamento bem como a execução dos elementos componentes da PROGRAMAÇÃO VISUAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA PROJETO BÁSICO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA PROJETO BÁSICO ANEXO XII PROJETO BÁSICO 1) GENERALIDADES O presente Projeto Básico tem como objetivo estabelecer as normas e encargos que presidirão o desenvolvimento do trabalho de revisão/execução de aterramento e

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DE BATENTES E PORTAS CORTA-FOGO

MANUAL DE INSTALAÇÃO DE BATENTES E PORTAS CORTA-FOGO INSTALAÇÃO DOS BATENTES A instalação dos batentes é simples porém, são necessários alguns cuidados básicos para obter uma porta em perfeitas condições: Para a fixação do batente, levantam-se as grapas

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS CURSOS DO PROGRAMA DE PREPARAÇÃO PARA O MERCADO DE TRABALHO AJUDANTE DE OBRAS

DESCRIÇÃO DOS CURSOS DO PROGRAMA DE PREPARAÇÃO PARA O MERCADO DE TRABALHO AJUDANTE DE OBRAS DESCRIÇÃO DOS CURSOS DO PROGRAMA DE PREPARAÇÃO PARA O MERCADO DE TRABALHO AJUDANTE DE OBRAS Desenvolver competências nos trabalhadores para executarem tarefas relativas ao profissional Auxiliar de Obras.

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR Sumário Andaime Tubular...03 Montagem Especial...04 Acessórios...05 Modos e Pontos de Ancoragem...06 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09

Leia mais

ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO 01 MEMORIAL DESCRITIVO SERVIÇO FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS TIPO CAMINHÃO PIPA PARA ATENDIMENTO ÀS OPERAÇÕES DE SUPRIMENTO DE ÁGUA EM ÁREAS DEFICITÁRIAS DE REDES DE ABASTECIMENTO, COM CAPACIDADE

Leia mais

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Altera a Norma Regulamentadora nº 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O Ministro de Estado do Trabalho e Previdência

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I REFERENTE AO EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº 004/2013 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 10 Serviços de Terraplanagem na Subestação de Interligação à Rede Básica Construção de novo Bay de Saída

Leia mais

Caderno de Encargos de Ferramental

Caderno de Encargos de Ferramental Caderno de Encargos de Ferramental TEV-MM-TLL 09.2009 Página 1 de 11 Índice 1. Objetivo 3 2. Procedimento 3 3. Escopo 3 4. Condições 4 5. Custos 4 6. Protótipo da ferramenta 4 7. Construção da ferramenta

Leia mais

SINALIZAÇÃO PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL DIRTEC

SINALIZAÇÃO PARA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL DIRTEC Rev. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 DIRTEC ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-SUL-007.04 Rev. 12 CIA DE GÁS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1 de 15 REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE 1 (UMA) PONTE ROLANTE

TERMO DE REFERÊNCIA FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE 1 (UMA) PONTE ROLANTE PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA ESPECIAL DE CONCESSÕES E PARCERIAS PUBLICO E PRIVADA CDURP COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DA REGIÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

BEBEDOURO COMPRESSOR PRESSÃO MASTERFRIO MODELOS MF40 & MFA40 MANUAL DE INSTRUÇÕES

BEBEDOURO COMPRESSOR PRESSÃO MASTERFRIO MODELOS MF40 & MFA40 MANUAL DE INSTRUÇÕES BEBEDOURO COMPRESSOR PRESSÃO MASTERFRIO MODELOS MF40 & MFA40 MANUAL DE INSTRUÇÕES Prezado Cliente, A MASTERFRIO cumprimenta-o pela escolha feita ao comprar nosso bebedouro. Tudo foi feito para que este

Leia mais

NBR 7483/2005. Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos

NBR 7483/2005. Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos NBR 7483/2005 Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos OBJETIVO Fixar os requisitos para fabricação, encomenda, fornecimento e recebimento de cordoalhas de aço de alta resistência de três

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 1 DO OBJETO 1.1 Prestação de serviços de instalação de piso elevado acessível, com fornecimento de componentes, acessórios e materiais, visando

Leia mais

PETRÓLEO E GÁS. Os serviços da Cugnier abrangem:

PETRÓLEO E GÁS. Os serviços da Cugnier abrangem: PETRÓLEO E GÁS Os serviços da Cugnier abrangem: PETRÓLEO E GÁS A Cugnier está credenciada junto à estatal Petrobras através do CRCC (Certificado de Registro e Classificação Cadastral), possuindo aprovação

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO ANEXO XVI AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica estabelece critérios para proteção contra incêndio

Leia mais

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DO CUSTO DO LAUDO TECNICO DO PAR ARAIO E ATERRAMENTO

ESCOPO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DO CUSTO DO LAUDO TECNICO DO PAR ARAIO E ATERRAMENTO ESCOPO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DO CUSTO DO LAUDO TECNICO DO PAR ARAIO E ATERRAMENTO 1-Objetivo da Cotação: Elaboração do Laudo Técnico do Para Raio e Aterramento seguindo as orientações das norma da

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA 1 PROJETO Nº 013/2014 Solicitação: MEMORIAL DESCRITIVO Tipo da Obra: PINTURA MURETA, POSTES, BRINQUEDOS DO PARQUE INFANTIL E TROCA PISO SALAS DE AULA Reforma: local indicado em planta Local: EMEI CRIANÇA

Leia mais

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso Vasos de Pressão Ruy Alexandre Generoso VASOS DE PRESSÃO DEFINIÇÃO: São equipamentos que contêm fluidos sob pressão, cujo produto P x V seja superior a 8. Em que: Pressão (Kpa) Volume (m 3 ) VASOS DE PRESSÃO

Leia mais

- - primeira qualidade de primeira 1.8 - Execução dos Serviços e Acesso à Obra

- - primeira qualidade de primeira 1.8 - Execução dos Serviços e Acesso à Obra MEMORIAL DESCRITIVO OBRA : AMPLIAÇÃO DE ESCOLA EM ALVENARIA PROPRIETÁRO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ERECHIM - ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CARAS PINTADAS ENDEREÇO: PARTE DA CHÁCARA NUMERO 19 LOTE

Leia mais

PROJECTUS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJECTUS MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: ESTRUTURA METÁLICA DE COBERTURA DO PRÉDIO DA CASA DO SERVIDOR LOCAL: HOSPITAL DAS CLINICAS HCFMB OBJETIVO: Contratação de serviços especializados para adequação e construção da

Leia mais

ODEBRECHT. Projeto Básico do Canteiro. Projeto Básico do Canteiro RESP. TÉC. APROV. CERTIFICAÇÃO DCNS CREA ELAB. VISTO:

ODEBRECHT. Projeto Básico do Canteiro. Projeto Básico do Canteiro RESP. TÉC. APROV. CERTIFICAÇÃO DCNS CREA ELAB. VISTO: N o Revisões Responsável Data Visto MARINHA DO BRASIL ESTALEIRO E BASE NAVAL (CONTRATO 4/28-6/) ODEBRECHT PROJETO GERENCIAMENTO Projeto Básico do Canteiro Projeto Básico do Canteiro NÚMERO DO DOCUMENTO:

Leia mais

ANEXO I Condições gerais e Especificações Técnicas. Objeto.. A presente especificação técnica e condições gerais estabelecem os requisitos mínimos que deverão ser atendidos para a CONTRATAÇÃO DE EMPRESA

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA COBERTURA DE QUADRA POLIESPORTIVA

Leia mais

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESGOTAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 1/7 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 01 ESGOTAMENTO COM BOMBAS... 3 02 REBAIXAMENTO DE LENÇOL FREÁTICO COM PONTEIRAS FILTRANTES... 3 03 REBAIXAMENTO DE LENÇOL

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em manutenção preventiva e corretiva, com reposição de peças originais, sem ônus adicional para a CONTRATANTE, em aparelhos

Leia mais

FLUXO 360 TERMOS E CONDIÇO ES

FLUXO 360 TERMOS E CONDIÇO ES FLUXO 360 TERMOS E CONDIÇO ES CADASTRO DE CLIENTES Recebimento de equipamentos somente com cadastro completo; O cadastro do e-mail é obrigatório; É de responsabilidade do cliente manter seus dados sempre

Leia mais

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO Equipamento: COLETOR COMPACTADOR DE LIXO 10 m³ Modelo : CCL-10 Aplicação: Coleta de resíduos domésticos e/ou industriais,selecionados ou não Fabricante: VEMAQ - Indústria Mecânica de Máquinas Ltda 1 -

Leia mais

Filtro fino Vortex da WISY (WFF 300) Para coletar a água de chuva em edifícios industriais e comerciais

Filtro fino Vortex da WISY (WFF 300) Para coletar a água de chuva em edifícios industriais e comerciais Filtro fino Vortex da WISY (WFF 300) Para coletar a água de chuva em edifícios industriais e comerciais Instruções para a instalação e o uso O filtro fino do Vortex da WISY (WFF), é projetado para a instalação

Leia mais

SISTEMAS DE PISO EPOXI

SISTEMAS DE PISO EPOXI SISTEMAS DE PISO EPOXI PRODUTO DESCRIÇÃO VEC-601 TUBOFLOOR TEE-556 AUTONIVELANTE Selador epóxi de dois componentes de baixa viscosidade. Revestimento epóxi com adição de sílica para regularização de pisos.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESTACAS METÁLICAS Grupo de Serviço OBRAS D ARTE ESPECIAIS Código DERBA-ES-OAE-08/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço define os critérios que orientam a utilização de estacas

Leia mais

GABINETE Chapas de aço carbono SAE 1020 galvanizadas. Tratado quimicamente com fosfato de zinco, pintado com pó epóxi na cor bege, curada em estufa.

GABINETE Chapas de aço carbono SAE 1020 galvanizadas. Tratado quimicamente com fosfato de zinco, pintado com pó epóxi na cor bege, curada em estufa. As Cortinas de Ar TroCalor são destinadas a impedir a mistura de fluxos de ar ao isolar dois ambientes distintos através da formação de uma barreira de ar entre eles, mantendo ideais as condições de temperatura

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 05/14 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 05/14 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I TUBOS DE PEAD 1 - OBJETIVO 1.1 A presente licitação tem por objeto o fornecimento e entrega, pela empresa a ser CONTRATADA, de tubos de POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE PE 100

Leia mais

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1 CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1 GRUPO ESTRUTURAS METÁLICAS, PARTE 1 LOTE 01 A CAIXA apresenta o grupo de composições de serviços que representam o transporte e

Leia mais

Obras complementares - sinalização vertical

Obras complementares - sinalização vertical MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. DADOS GERAIS: 1.1. Proprietário: Município de Estação/RS CNPJ: 92.406.248/0001-75 1.2. Obra: Cobertura Metálica da Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro Cecconelo 1.3. Local:

Leia mais

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROJETO BÁSICO GESER Nº 04/07 FISCALIZAÇÃO DA OBRA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de fiscalização

Leia mais