BASE JURÍDICA OBJETIVOS REALIZAÇÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BASE JURÍDICA OBJETIVOS REALIZAÇÕES"

Transcrição

1 LIVRE CIRCULAÇÃO DE CAPITAIS A livre circulação de capitais é a mais recente e devido à sua dimensão única respeitante a países terceiros a mais ampla de todas as liberdades previstas no Tratado. Inicialmente, os Tratados não previam a plena liberalização da circulação de capitais; os EstadosMembros apenas eram obrigados a eliminar as restrições, na medida necessária para efeitos de funcionamento do mercado comum. Não obstante, como as condições económicas e políticas na Europa e no mundo mudaram, o Conselho Europeu confirmou a realização progressiva da União Económica e Monetária (UEM) em Tal incluía uma maior coordenação das políticas económicas e monetárias nacionais. Por conseguinte, a fase I da UEM introduziu a plena liberdade das transações financeiras, estabelecida inicialmente por uma diretiva do Conselho e posteriormente consagrada no Tratado de Maastricht. Desde então, o Tratado proíbe todas as restrições à circulação de capitais e pagamentos, entre EstadosMembros e entre EstadosMembros e países terceiros. Este princípio teve efeitos diretos, ou seja, não implicou a criação de legislação adicional a nível da UE ou dos EstadosMembros. BASE JURÍDICA Artigos 63.º a 66.º do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia (TFUE), completados pelos artigos 75.º e 215.º do TFUE em matéria de sanções. OBJETIVOS Devem ser suprimidas todas as restrições à circulação de capitais entre EstadosMembros e entre EstadosMembros e países terceiros. No entanto, no que respeita à circulação de capitais entre EstadosMembros e países terceiros, os EstadosMembros dispõem: (1) da opção de medidas de salvaguarda em circunstâncias excecionais; (2) da possibilidade de impor restrições anteriores a uma determinada data a países terceiros e a certas categorias de circulação de capitais; e (3) de uma base para a introdução dessas restrições ainda que em circunstâncias muito específicas. A liberalização deve contribuir para o estabelecimento do mercado único ao favorecer a livre circulação nos outros domínios (em especial relativamente a pessoas, mercadorias e serviços). A liberalização deve igualmente estimular o progresso económico ao permitir um investimento eficiente do capital, e promover a utilização do euro como divisa internacional, contribuindo assim para o papel da UE enquanto interveniente mundial. Foi também indispensável para a evolução da União Económica e Monetária (UEM) e para a introdução do euro. REALIZAÇÕES A. Esforços iniciais de liberalização (anteriores ao mercado interno) As primeiras medidas comunitárias tiveram um âmbito de aplicação limitado. Uma «Primeira Diretiva», de 11 de maio de 1960, alterada em 1962, liberalizou incondicionalmente o investimento direto, os créditos a curto e médio prazo ligados a transações comerciais e a aquisição de valores mobiliários negociados em bolsa. Alguns EstadosMembros decidiram não Fichas técnicas sobre a União Europeia

2 esperar pelas decisões comunitárias e adotaram medidas nacionais unilaterais, suprimindo assim praticamente todas as restrições aos movimentos de capitais: Alemanha em 1961, Reino Unido em 1979 e os países do Benelux (entre si) em Seguiu-se, então, a Diretiva (72/156/CEE) relativa aos fluxos financeiros internacionais. B. Progressos e liberalização geral na perspetiva do mercado único Foi necessário esperar pelo estabelecimento do mercado único, ou seja, mais de 20 anos, para relançar o movimento iniciado em Duas diretivas, de 1985 e 1986, alargaram a liberalização incondicional aos créditos a longo prazo ligados a transações comerciais e à aquisição de valores mobiliários não negociados em bolsa. A circulação dos capitais foi plenamente liberalizada numa primeira fase pela Diretiva 88/361/CEE do Conselho, de 24 de junho de 1988, que suprimiu todas as restrições subsistentes aos movimentos de capitais entre residentes dos EstadosMembros a partir de 1 de julho de 1990, tendo em vista o objetivo de concluir o mercado único (até 1993), de transitar do Sistema Monetário Europeu para a UEM e de introduzir o euro. A liberalização alargou-se, deste modo, aos movimentos de capitais de natureza monetária ou quase monetária, suscetíveis de ter um maior impacto na política monetária dos Estados, como os empréstimos financeiros, os depósitos em divisas e as transações de valores mobiliários. A diretiva incluía, de facto, uma cláusula de salvaguarda que autoriza os EstadosMembros a tomar medidas de proteção, quando confrontados com movimentos de capitais de curto prazo de âmbito excecional, de que resulte perturbação grave para a condução da política monetária. Porém, estas medidas tinham o seu alcance limitado a casos devidamente justificados, não podendo o respetivo período de aplicação exceder seis meses (mas, esta disposição não foi aplicada por nenhum Estado-Membro). Permitia igualmente a certos EstadosMembros manterem restrições temporárias, essencialmente sobre os movimentos a curto prazo, mas apenas durante um certo tempo: Irlanda, Portugal e Espanha até 31 de dezembro de 1992, Grécia até 30 de junho de Contudo, o Protocolo n.º 32 ao Tratado da União Europeia (TUE) permite, nomeadamente, que a Dinamarca mantenha em vigor legislação que limita a aquisição de segundas residências por não residentes. C. O regime definitivo 1. Princípio Numa segunda fase, o Tratado de Maastricht, estabeleceu a liberdade de circulação de capitais como uma liberdade consagrada no Tratado. Hoje, o artigo 63.º do TFUE proíbe qualquer restrição à circulação de capitais e pagamentos entre os EstadosMembros, bem como entre EstadosMembros e países terceiros. Tal constitui uma dimensão única, respeitante a países terceiros, desta liberdade específica prevista no Tratado. O artigo em questão proíbe qualquer obstáculo e não apenas os de caráter discriminatório. Estabelece uma proibição geral, que ultrapassa a mera eliminação de tratamento desigual em razão da nacionalidade (ver Processo C-367/98, Comissão contra Portugal, n.º 44). O artigo 65.º, n.º 1, do TFUE permite um tratamento fiscal diferente de não residentes e de investimento estrangeiro, mas que não pode constituir um meio de discriminação arbitrária, nem uma restrição dissimulada (n.º 3 do artigo 65.º do TFUE). Mesmo quando aplicado a países terceiros, o princípio da liberdade de circulação de capitais prevalece sobre a reciprocidade e sobre a manutenção da capacidade negocial dos EstadosMembros face a países terceiros (ver Processo C-101/05, Skatteverket contra A). O direito à livre circulação de capitais não é afetado pelas obrigações de notificação, isto é, a prestação de informações sobre transações transfronteiriças (por exemplo, pagamentos eletrónicos, numerário e valores mobiliários acima de determinados limiares) para fins de estatísticas do setor externo, utilizadas na balança de pagamentos dos EstadosMembros e da União Monetária Europeia. Fichas técnicas sobre a União Europeia

3 2. Exceções e restrições justificadas Não obstante, as exceções são essencialmente limitadas à circulação de capitais com os países terceiros (artigo 64.º do TFUE). Além da possibilidade de manter as medidas nacionais ou comunitárias, em vigor em 31 de dezembro de 1993 (ou 31 de dezembro de 1999 para a Bulgária, Estónia e Hungria), relativamente aos investimentos diretos e a certas outras operações, o Conselho pode igualmente, após consulta do Parlamento, adotar medidas deliberando por unanimidade, que constituam um retrocesso na liberalização da circulação de capitais com países terceiros. O Conselho e o Parlamento podem adotar medidas legislativas no que respeita à circulação de capitais de países terceiros, que envolvam o estabelecimento de investimento direto, a prestação de serviços financeiros ou a admissão de valores mobiliários nos mercados de capitais (tais como a proposta de regulamento que estabelece disposições transitórias para os acordos bilaterais de investimento entre os EstadosMembros e os países terceiros (COM(2010) 344) e a Resolução legislativa do Parlamento Europeu, de 10 de Maio de 2011 (JO C 377 E de , p. 203)). O artigo 66.º do TFUE prevê a adoção de medidas urgentes face a países terceiros, mas que não podem exceder o período de seis meses. As únicas restrições justificadas relativamente à circulação de capitais em geral, incluindo a circulação na União, que os EstadosMembros podem decidir aplicar estão estabelecidas no artigo 65.º do TFUE e incluem: medidas que evitem as infrações à legislação nacional (designadamente no domínio fiscal e da supervisão prudencial dos serviços financeiros); procedimentos de declaração dos movimentos de capitais para fins administrativos ou estatísticos; e medidas justificadas por razões de ordem pública ou de segurança pública. Este artigo é complementado pelo artigo 75.º do TFUE, que prevê a possibilidade de sanções financeiras contra indivíduos, grupos ou entidades não estatais para impedir e combater o terrorismo. Nos termos do artigo 215.º do TFUE, podem ser aplicadas sanções financeiras a países terceiros, indivíduos, grupos ou entidades não estatais, com base em decisões adotadas no quadro da política externa e de segurança comum. 3. Consequências da União Económica e Monetária (UEM): Abolição da cláusula de salvaguarda Hoje, a cláusula de salvaguarda está prevista no artigo 144.º do TFUE (em articulação com o artigo 143.º do TFUE). O mesmo permite que se adotem medidas de proteção da balança de pagamentos, quando as dificuldades ponham em risco o funcionamento do mercado interno ou quando surgir uma crise inesperada. Desde 1 de janeiro de 1999, o início da terceira fase da UEM, a cláusula de salvaguarda para enfrentar crises da balança de pagamentos apenas tem sido aplicável aos EstadosMembros que (ainda) não introduziram o euro. D. Disposições relativas às infrações e decisões do Tribunal Quando os EstadosMembros limitam a liberdade de circulação de capitais de uma forma injustificada, aplica-se o processo por infração definido nos artigos 258.º a 260.º do TFUE. Os processos judiciais importantes em matéria de infrações incluíram, nomeadamente, os direitos especiais das autoridades públicas em empresas/setores privados (por exemplo, Comissão/Alemanha (Processo C-112/05 Volkswagen), um processo instaurado contra Portugal, em 2010, no qual o Tribunal confirmou a jurisprudência anterior em matéria de direitos especiais e salientou que a livre circulação de capitais inclui tanto os investimentos «diretos» como os de carteira (Processo C-171/08) e um processo envolvendo um país terceiro (Processo C-452/04 Fidium Finanz). Fichas técnicas sobre a União Europeia

4 E. Pagamentos Em matéria de pagamentos, o artigo 63.º, n.º 2, do TFUE prevê que «no âmbito das disposições do presente capítulo, são proibidas todas as restrições aos pagamentos entre EstadosMembros e entre EstadosMembros e países terceiros». 1. Harmonização dos encargos relativos aos pagamentos domésticos e transfronteiras na área do euro O Regulamento (CE) n.º 2560/2001 de 19 de dezembro de 2001 harmonizou os encargos cobrados pelos pagamentos domésticos e transfronteiras no interior da área do euro. Entretanto, este foi revogado e substituído pelo Regulamento (CE) n.º 924/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de setembro de 2009, relativo aos pagamentos transfronteiriços na Comunidade. O enquadramento foi, então, melhorado pelo Regulamento (UE) n.º 260/2012 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 14 de março de 2012, que estabelece requisitos técnicos e de negócio para as transferências a crédito e os débitos diretos em euros. 2. Novo quadro jurídico dos pagamentos A Diretiva 2007/64/CE relativa aos serviços de pagamento (DSP) estabelece a base jurídica para a criação de um mercado único de pagamentos na UE até O seu objetivo consiste em criar um amplo conjunto de normas aplicáveis a todos os serviços de pagamento na UE para tornar os pagamentos transfronteiras tão fáceis, eficientes e seguros como os pagamentos «nacionais» num Estado-Membro, e promover a eficácia e a redução de custos através de um aumento de concorrência resultante da abertura dos mercados de pagamentos a novos operadores. A DSP estabelece o quadro jurídico necessário a uma iniciativa do setor bancário europeu, designada «Espaço Único de Pagamentos em Euros (SEPA)». Os instrumentos SEPA já existiam, mas foram pouco utilizados até ao final de Por conseguinte, em dezembro de 2010, a Comissão propôs um regulamento (COM(2010) 775), que estabelecia datas-limite, a nível da UE, para a migração das antigas transferências a crédito e os débitos diretos nacionais para os instrumentos SEPA, eliminando, assim, gradualmente as transferências a crédito e os débitos diretos nacionais, respetivamente, 12 e 24 meses após a entrada em vigor do regulamento. Esta proposta foi adotada em 2012 (Regulamento (UE) n.º 260/2012 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 14 de março de 2012, que estabelece requisitos técnicos e de negócio para as transferências a crédito e os débitos diretos em euros e que altera o Regulamento (CE) n.º 924/2009). PAPEL DO PARLAMENTO EUROPEU O Parlamento apoiou energicamente as iniciativas da Comissão a favor da liberalização dos movimentos de capitais. O Parlamento sustentou, no entanto, que esta liberalização deve ser mais avançada no interior da UE do que entre a UE e o resto do mundo, para que a poupança europeia seja canalizada, prioritariamente, para investimentos europeus. Salientou igualmente que a liberalização de capitais deve ser acompanhada da plena liberalização dos serviços financeiros e da harmonização das legislações fiscais, a fim de criar um mercado financeiro europeu unificado. Foi graças à pressão política do Parlamento que a Comissão pôde apresentar legislação sobre a harmonização dos pagamentos domésticos e transfronteiras (Resolução de 17 de junho de 1988). Num domínio relacionado, o Parlamento apoiou o objetivo de um mercado eficiente, integrado e seguro em matéria de compensação e liquidação dos valores mobiliários na UE, na sua resolução não legislativa de 7 de julho de 2005 sobre os sistemas de compensação e liquidação na União Europeia (JO C 157 E de , p. 485), e organizou um seminário sobre Fichas técnicas sobre a União Europeia

5 questões jurídicas relacionadas com os valores mobiliários (ver documento PE sobre o seminário e nota conexa PE ). O Parlamento aguarda atualmente a discussão de outras propostas legislativas no domínio da compensação e liquidação no âmbito do processo legislativo ordinário. Doris Kolassa 05/2016 Fichas técnicas sobre a União Europeia

UNIÃO EUROPEIA. Estrasburgo, 12 de junho de 2013 (OR. en) 2013/0104 (COD) LEX 1356 PE-CONS 23/1/13 REV 1

UNIÃO EUROPEIA. Estrasburgo, 12 de junho de 2013 (OR. en) 2013/0104 (COD) LEX 1356 PE-CONS 23/1/13 REV 1 UNIÃO EUROPEIA PARLAMENTO EUROPEU CONSELHO Estrasburgo, 12 de junho de 2013 (OR. en) 2013/0104 (COD) LEX 1356 PE-CONS 23/1/13 REV 1 UD 94 ENFOCUSTOM 77 MI 334 COMER 102 TRANS 185 CODEC 923 REGULAMENTO

Leia mais

BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO. económico geral. das instituições

BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO. económico geral. das instituições ANEXO III BASES JURÍDICAS PARA O PROCESSO LEGISLATIVO ORDINÁRIO 1 Artigo 14.º Base jurídica Descrição Elementos processuais 1 Artigo 15.º, n. 3 Artigo 16.º, n. 2 Artigo 18.º Artigo 19.º, n. 2 Artigo 21.º,

Leia mais

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 7.10.2016 COM(2016) 644 final 2016/0314 (NLE) Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO que altera a Decisão 2013/678/UE que autoriza a República Italiana a continuar a aplicar

Leia mais

REGULAMENTOS. (Atos não legislativos)

REGULAMENTOS. (Atos não legislativos) 10.3.2017 L 65/1 II (Atos não legislativos) REGULAMENTOS REGULAMENTO DELEGADO (UE) 2017/389 DA COMISSÃO de 11 de novembro de 2016 que complementa o Regulamento (UE) n. o 909/2014 do Parlamento Europeu

Leia mais

A8-0125/2. Alteração 2 Roberto Gualtieri em nome da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários

A8-0125/2. Alteração 2 Roberto Gualtieri em nome da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários 31.5.2016 A8-0125/2 Alteração 2 Roberto Gualtieri em nome da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários Relatório A8-0125/2016 Markus Ferber Mercados de instrumentos financeiros, abusos de mercado e

Leia mais

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 9.8.2017 COM(2017) 421 final 2017/0188 (NLE) Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO que altera a Decisão de Execução 2014/797/UE que autoriza a República da Estónia a introduzir

Leia mais

Proposal for a COUNCIL IMPLEMENTING DECISION

Proposal for a COUNCIL IMPLEMENTING DECISION EUROPEAN COMMISSION Brussels, 7.2.2017 COM(2017) 61 final 2017/0018 (NLE) Proposal for a COUNCIL IMPLEMENTING DECISION que autoriza a República da Estónia a aplicar uma medida especial em derrogação ao

Leia mais

PE-CONS 40/17 DGE 1 UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 10 de outubro de 2017 (OR. en) 2017/0013 (COD) PE-CONS 40/17 ENV 658 MI 530 CODEC 1166

PE-CONS 40/17 DGE 1 UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 10 de outubro de 2017 (OR. en) 2017/0013 (COD) PE-CONS 40/17 ENV 658 MI 530 CODEC 1166 UNIÃO EUROPEIA PARLAMENTO EUROPEU CONSELHO 2017/0013 (COD) PE-CONS 40/17 Bruxelas, 10 de outubro de 2017 (OR. en) ENV 658 MI 530 CODEC 1166 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: DIRETIVA PARLAMENTO

Leia mais

BASE JURÍDICA OBJETIVOS

BASE JURÍDICA OBJETIVOS O TRANSPORTE RODOVIÁRIO: INTERNACIONAL E DE CABOTAGEM Na sequência da adoção de vários atos legislativos europeus, tanto os transportes rodoviários internacionais como a cabotagem de mercadorias e de pessoas

Leia mais

DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA: PROFESSOR DOUTOR EDUARDO PAZ FERREIRA PROGRAMA. I. Introdução

DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA: PROFESSOR DOUTOR EDUARDO PAZ FERREIRA PROGRAMA. I. Introdução DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA: PROFESSOR DOUTOR EDUARDO PAZ FERREIRA PROGRAMA I. Introdução 1. Apresentação da cadeira 1.1. Porquê estudar Direito da União Europeia 1.2. Programa da cadeira

Leia mais

Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, nomeadamente o artigo 207. o,

Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, nomeadamente o artigo 207. o, 12.6.2014 Jornal Oficial da União Europeia L 173/79 REGULAMENTO (UE) N. o 599/2014 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 16 de abril de 2014 que altera o Regulamento (CE) n. o 428/2009 do Conselho que

Leia mais

BANCO CENTRAL EUROPEU (BCE)

BANCO CENTRAL EUROPEU (BCE) BANCO CENTRAL EUROPEU (BCE) O Banco Central Europeu (BCE) é a instituição central da União Económica e Monetária, sendo responsável pela condução da política monetária na área do euro desde 1 de janeiro

Leia mais

Cidadania Europeia. Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração

Cidadania Europeia. Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração Cidadania Europeia Trabalho realizado por: Joana Ferreira 11ºH Área de Integração UNIÃO EUROPEIA Momentos Importantes da construção Europeia 1950 - A 9 de Maio deu-se a declaração de Robert Schuman; 1951

Leia mais

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 8.6.2017 COM(2017) 293 final 2017/0124 (NLE) Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO que autoriza a Croácia a instituir uma medida especial em derrogação ao artigo 287.º

Leia mais

PE-CONS 55/16 DGD 1 UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 22 de fevereiro de 2017 (OR. en) 2015/0307 (COD) PE-CONS 55/16

PE-CONS 55/16 DGD 1 UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 22 de fevereiro de 2017 (OR. en) 2015/0307 (COD) PE-CONS 55/16 UNIÃO EUROPEIA PARLAMENTO EUROPEU CONSELHO 2015/0307 (COD) PE-CONS 55/16 Bruxelas, 22 de fevereiro de 2017 (OR. en) FRONT 484 VISA 393 SIRIS 169 COMIX 815 CODEC 1854 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS

Leia mais

Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO. que altera o Regulamento (CE) n.º 974/98 no respeitante à introdução do euro na Lituânia

Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO. que altera o Regulamento (CE) n.º 974/98 no respeitante à introdução do euro na Lituânia COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 4.6.2014 COM(2014) 325 final 2014/0169 (NLE) Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n.º 974/98 no respeitante à introdução do euro na Lituânia PT

Leia mais

ANEXO. Ponto da situação da aplicação do Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo

ANEXO. Ponto da situação da aplicação do Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 29.6.2017 COM(2017) 354 final ANNEX 2 ANEXO Ponto da situação da aplicação do Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo da Comunicação da Comissão

Leia mais

O que é a União Europeia (UE)?

O que é a União Europeia (UE)? O que é a União Europeia (UE)? 28 Estados-Membros Mais de 500 milhões de habitantes Atuais candidatos à adesão à UE: Albânia, antiga República Iugoslava da Macedônia, Montenegro, Sérvia e Turquia Tratados

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.10.2014 COM(2014) 611 final 2014/0283 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à posição a adotar pela União Europeia no Comité Misto criado pelo Acordo entre a Comunidade

Leia mais

ECB-PUBLIC PARECER DO BANCO CENTRAL EUROPEU. de 22 de maio de sobre restrições aos pagamentos em numerário (CON/2017/18)

ECB-PUBLIC PARECER DO BANCO CENTRAL EUROPEU. de 22 de maio de sobre restrições aos pagamentos em numerário (CON/2017/18) PT ECB-PUBLIC PARECER DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 22 de maio de 2017 sobre restrições aos pagamentos em numerário (CON/2017/18) Introdução e base jurídica Em 23 de março de 2017, o Banco Central Europeu

Leia mais

OS BLOCOS ECONÔMICOS. Prof.: ROBERT OLIVEIRA

OS BLOCOS ECONÔMICOS. Prof.: ROBERT OLIVEIRA OS BLOCOS ECONÔMICOS Prof.: ROBERT OLIVEIRA BLOCOS ECONÔMICOS: TODOS OS BLOCOS SÃO IGUAIS? Os blocos econômicos se dividem em quatro tipos diferentes em alguns pontos, porém o suficiente para estabelecer

Leia mais

PE-CONS 32/16 DGB 2A UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 13 de setembro de 2016 (OR. en) 2015/0308 (COD) PE-CONS 32/16 FRONT 282 PECHE 259 COMIX 500 CODEC 1005

PE-CONS 32/16 DGB 2A UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 13 de setembro de 2016 (OR. en) 2015/0308 (COD) PE-CONS 32/16 FRONT 282 PECHE 259 COMIX 500 CODEC 1005 UNIÃO EUROPEIA PARLAMENTO EUROPEU CONSELHO 2015/0308 (COD) PE-CONS 32/16 Bruxelas, 13 de setembro de 2016 (OR. en) FRONT 282 PECHE 259 COMIX 500 CODEC 1005 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto:

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 9 de junho de 2017 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 9 de junho de 2017 (OR. en) Conseil UE Conselho da União Europeia Bruxelas, 9 de junho de 2017 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0406 (CNS) 10041/17 LIMITE PUBLIC FISC 128 ECOFIN 502 NOTA de: para: Secretariado-Geral do Conselho

Leia mais

Principais alterações:

Principais alterações: 1 eidas o novo Regulamento Europeu sobre certificação digital que substitui a legislação Portuguesa O que é o eidas? No próximo dia 1 de Julho entra em vigor o Regulamento nº910/2014 do Parlamento e do

Leia mais

DECISÃO (UE) 2017/935 DO BANCO CENTRAL EUROPEU

DECISÃO (UE) 2017/935 DO BANCO CENTRAL EUROPEU 1.6.2017 L 141/21 DECISÃO (UE) 2017/935 DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 16 de novembro de 2016 sobre a delegação de poderes para a adoção de decisões relativas à adequação e idoneidade e a avaliação dos requisitos

Leia mais

TEXTOS APROVADOS. Introdução de medidas comerciais autónomas de emergência para a Tunísia ***I

TEXTOS APROVADOS. Introdução de medidas comerciais autónomas de emergência para a Tunísia ***I Parlamento Europeu 2014-2019 TEXTOS APROVADOS P8_TA(2016)0056 Introdução de medidas comerciais autónomas de emergência para a Tunísia ***I Alterações aprovadas pelo Parlamento Europeu, em 25 de fevereiro

Leia mais

O potencial analítico da balança de pagamentos para a compreensão da economia portuguesa

O potencial analítico da balança de pagamentos para a compreensão da economia portuguesa O potencial analítico da balança de pagamentos para a compreensão da economia portuguesa ISEG - LISBON SCHOOL OF ECONOMICS & MANAGEMENT 16 maio 2017 1 Enquadramento metodológico 2 Indicadores de vulnerabilidades

Leia mais

Título de injunção europeu

Título de injunção europeu PATRÍCIA PINTO ALVES Título de injunção europeu VERBO jurídico VERBO jurídico Título de injunção europeu: 2 Título de injunção europeu PATRÍCIA PINTO ALVES Mestre em Direito pela Escola de Direito da Universidade

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 22.6.2011 COM(2011) 360 final 2011/0157 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à assinatura e à conclusão do acordo monetário entre a União Europeia e a República Francesa

Leia mais

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2016) 684 final.

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2016) 684 final. Conselho da União Europeia Bruxelas, 26 de outubro de 2016 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0341 (NLE) 13399/16 PROPOSTA de: ECO 65 ENT 187 MI 644 UNECE 15 Secretário-Geral da Comissão Europeia,

Leia mais

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 12.6.2015 COM(2015) 289 final 2015/0129 (NLE) Proposta de DECISÃO DE EXECUÇÃO DO CONSELHO que autoriza a Itália a aplicar uma medida especial em derrogação aos artigos 206.º

Leia mais

BASE JURÍDICA OBJETIVOS REALIZAÇÕES

BASE JURÍDICA OBJETIVOS REALIZAÇÕES COBERTURA DA SEGURANÇA SOCIAL NOUTROS ESTADOS-MEMBROS DA UE A coordenação dos sistemas de segurança social é necessária para apoiar a livre circulação de pessoas no território da União Europeia. Anteriormente,

Leia mais

Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.5.2013 COM(2013) 250 final 2013/0133 (COD) Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n.º 302/2009 do Conselho que estabelece

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 45/XIII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 45/XIII. Exposição de Motivos Exposição de Motivos A livre circulação de trabalhadores é uma liberdade fundamental dos cidadãos da União Europeia (UE) e assume um relevo determinante para o desenvolvimento de um verdadeiro mercado

Leia mais

Sistema de Informação Schengen Guia para o Exercício do Direito de Acesso Síntese

Sistema de Informação Schengen Guia para o Exercício do Direito de Acesso Síntese Sistema de Informação Schengen Guia para o Exercício do Direito de Acesso Síntese Assiste às pessoas cujos dados pessoais são recolhidos, mantidos ou tratados pelo Sistema de Informação de Schengen de

Leia mais

Características Gerais

Características Gerais Características Gerais Bloco mais antigo; Está no mais adiantado estágio de integração; Estágios de Integração Objetivos Zona de Livre Comércio União Aduaneira Mercado Comum União Monetária União Política

Leia mais

Proposta conjunta de REGULAMENTO DO CONSELHO

Proposta conjunta de REGULAMENTO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA ALTA REPRESENTANTE DA UNIÃO EUROPEIA PARA OS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E A POLÍTICA DE SEGURANÇA Bruxelas, 5.12.2014 JOIN(2014) 41 final 2014/0351 (NLE) Proposta conjunta de REGULAMENTO DO

Leia mais

Comissão do Mercado Interno e da Proteção dos Consumidores PROJETO DE PARECER. da Comissão do Mercado Interno e da Proteção dos Consumidores

Comissão do Mercado Interno e da Proteção dos Consumidores PROJETO DE PARECER. da Comissão do Mercado Interno e da Proteção dos Consumidores Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão do Mercado Interno e da Proteção dos Consumidores 31.5.2017 2012/0060(COD) PROJETO DE PARECER da Comissão do Mercado Interno e da Proteção dos Consumidores dirigido

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 7.6.2016 Jornal Oficial da União Europeia C 202/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2016/C 202/01) 7.6.2016 Jornal Oficial da União

Leia mais

Reforma legislativa da proteção de dados pessoais na União Europeia. Jornadas FCCN 2017

Reforma legislativa da proteção de dados pessoais na União Europeia. Jornadas FCCN 2017 Reforma legislativa da proteção de dados pessoais na União Europeia PACOTE LEGISLATIVO Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril de 2016, relativo à proteção das pessoas

Leia mais

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2015) 248 final. Anexo: COM(2015) 248 final. 9589/15 /ip 1 DGG3A

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2015) 248 final. Anexo: COM(2015) 248 final. 9589/15 /ip 1 DGG3A Conselho da União Europeia Bruxelas, 4 de junho de 2015 (OR. en) 9589/15 Dossiê interinstitucional: 2015/0124 (NLE) PROPOSTA de: ECO 69 ENT 103 MI 372 UNECE 4 Secretário-Geral da Comissão Europeia, assinado

Leia mais

LIVRE CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS

LIVRE CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS LIVRE CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS A livre circulação de mercadorias, a primeira das quatro liberdades fundamentais do mercado interno, é garantida através da eliminação dos direitos aduaneiros e das restrições

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.2.2017 COM(2017) 51 final 2017/0016 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à celebração do Acordo de Alteração do Protocolo de Montreal relativo às Substâncias que

Leia mais

Orientações. sobre os diversos cenários a utilizar em planos de recuperação EBA/GL/06/ de julho de 2014

Orientações. sobre os diversos cenários a utilizar em planos de recuperação EBA/GL/06/ de julho de 2014 EBA/GL/06/2014 18 de julho de 2014 Orientações sobre os diversos cenários a utilizar em planos de recuperação 1 Orientações da EBA sobre os diversos cenários a utilizar em planos de recuperação Natureza

Leia mais

(Atos não legislativos) REGULAMENTOS

(Atos não legislativos) REGULAMENTOS 10.11.2015 L 293/1 II (Atos não legislativos) REGULAMENTOS REGULAMENTO DELEGADO (UE) 2015/1970 DA COMISSÃO de 8 de julho de 2015 que complementa o Regulamento (UE) n. o 1303/2013 do Parlamento Europeu

Leia mais

Cidadania Europeia T R A B A L H O R E A L I Z A D O P O R : F I L I P A R E S E N D E N º º H

Cidadania Europeia T R A B A L H O R E A L I Z A D O P O R : F I L I P A R E S E N D E N º º H Cidadania Europeia T R A B A L H O R E A L I Z A D O P O R : F I L I P A R E S E N D E N º 2 1 1 2 2 1 1 º H Momentos importantes na construção da UE A Cidadania da União Europeia foi estabelecida pelo

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de dezembro de 2013 (OR. en) 17638/13 AVIATION 250

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 11 de dezembro de 2013 (OR. en) 17638/13 AVIATION 250 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 11 de dezembro de 2013 (OR. en) 17638/13 AVIATION 250 NOTA DE ENVIO de: Comissão Europeia data de receção: 6 de dezembro de 2013 para: n. doc. Com.: D028098/03 Assunto:

Leia mais

BASE JURÍDICA REGRAS COMUNS

BASE JURÍDICA REGRAS COMUNS O PARLAMENTO EUROPEU: PROCESSOS ELEITORAIS O processo eleitoral relativo ao Parlamento Europeu é regido, simultaneamente, pelas disposições do Direito europeu que estabelecem regras comuns a todos os Estados-Membros

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 24 de fevereiro de 2016 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 24 de fevereiro de 2016 (OR. en) Conseil UE Conselho da União Europeia Bruxelas, 24 de fevereiro de 2016 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2015/0314 (NLE) 5626/16 LIMITE PUBLIC ASIM 9 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto:

Leia mais

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2016) 423 final.

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2016) 423 final. Conselho da União Europeia Bruxelas, 5 de julho de 2016 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2016/0195 (NLE) 10821/16 RC 6 PROPOSTA de: data de receção: 28 de junho de 2016 para: n. doc. Com.: Assunto:

Leia mais

Aviso do Banco de Portugal n. o 1/2016

Aviso do Banco de Portugal n. o 1/2016 Aviso do Banco de Portugal n. o 1/2016 Índice Texto do Aviso Texto do Aviso Mod. 99999910/T 01/14 O nível de exposição das instituições de crédito ao risco imobiliário tem vindo a sofrer um aumento significativo

Leia mais

Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO

Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 19.5.2014 COM(2014) 283 final 2014/0148 (NLE) Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO que altera o Regulamento (UE) n.º 1387/2013 que suspende os direitos autónomos da pauta aduaneira

Leia mais

ANEXO. Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo. Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho

ANEXO. Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo. Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho COMISSÃO EUROPEIA Estrasburgo, 2.2. COM() 50 final ANNEX 1 ANEXO Plano de Ação para reforçar a luta contra o financiamento do terrorismo da Comunicação da ao Parlamento Europeu e ao Conselho PT PT ANEXO

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO E AO BANCO CENTRAL EUROPEU

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO E AO BANCO CENTRAL EUROPEU COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 30.5.2000 COM(2000) 346 final 2000/0137 (CNS) 2000/0134 (CNS) 2000/0138 (CNB) COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO E AO BANCO CENTRAL

Leia mais

Despesas Descrição Orçamento Orçamento Variação (%)

Despesas Descrição Orçamento Orçamento Variação (%) PROJETO DE ORÇAMENTO RETIFICATIVO N.º 2/2014 VOLUME 1 - MAPA GERAL DE RECEITAS A. INTRODUÇÃO E FINANCIAMENTO DO ORÇAMENTO GERAL Financiamento do orçamento geral Dotações a cobrir durante o exercício de

Leia mais

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017 DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Lei n.º 29/2017 A Lei n.º 29/2017, de 30 de maio, veio transpor para a ordem jurídica interna a Diretiva 2014/67/UE, do Parlamento Europeu

Leia mais

Contributo da CIP. A Proposta de Lei (doravante PL) em referência tem um duplo objetivo.

Contributo da CIP. A Proposta de Lei (doravante PL) em referência tem um duplo objetivo. Proposta de Lei n.º 54/XIII que visa a transposição para a ordem jurídica interna a Diretiva n.º 2013/55/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 20 de novembro de 2013, a qual altera a Diretiva n.º

Leia mais

(Atos não legislativos) REGULAMENTOS

(Atos não legislativos) REGULAMENTOS 19.9.2017 Jornal Oficial da União Europeia L 240/1 II (Atos não legislativos) REGULAMENTOS REGULAMENTO (UE) 2017/1538 DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 25 de agosto de 2017 que altera o Regulamento (UE) 2015/534

Leia mais

REGULAMENTO DELEGADO (UE) 2015/1971 DA COMISSÃO

REGULAMENTO DELEGADO (UE) 2015/1971 DA COMISSÃO L 293/6 REGULAMENTO DELEGADO (UE) 2015/1971 DA COMISSÃO de 8 de julho de 2015 que complementa o Regulamento (UE) n. o 1306/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho com disposições específicas sobre a comunicação

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 3/2013 Por alteração da Orientação de Gestão da Orientação de Gestão n. º 1/2012 (06-01-2012), n.º 1/2010 (29-03-2010) e da Orientação de Gestão n.º 7/2008 (21-01-2009) REGRAS

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão das Petições COMUNICAÇÃO AOS MEMBROS

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão das Petições COMUNICAÇÃO AOS MEMBROS PARLAMENTO EUROPEU 2004 Comissão das Petições 2009 30.01.2009 COMUNICAÇÃO AOS MEMBROS Assunto: Petição 0277/2006, apresentada por Vítor Chatinho, de nacionalidade portuguesa, sobre a alegada inobservância

Leia mais

Instrução n. o 9/2016 BO n. o

Instrução n. o 9/2016 BO n. o Instrução n. o 9/2016 BO n. o 7 15-07-2016 Temas Supervisão Normas Prudenciais Índice Texto da Instrução Texto da Instrução Assunto: Autorização para a utilização de modelos internos para cálculo dos requisitos

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.11.2015 C(2015) 8642 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 30.11.2015 que aprova o programa operacional «Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas Programa Operacional

Leia mais

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA UNIÃO EUROPEIA O Tribunal de Justiça da União Europeia é uma das sete instituições da UE. Congrega duas jurisdições: o Tribunal de Justiça propriamente dito e o Tribunal Geral

Leia mais

Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 22.3.2016 COM(2016) 159 final 2016/0086 (COD) Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que fixa a taxa de ajustamento dos pagamentos diretos prevista no Regulamento

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Assuntos Jurídicos 2016/2011(INI) 6.6.2016 PROJETO DE RELATÓRIO sobre a aplicação do procedimento europeu de injunção de pagamento (2016/2011(INI)) Comissão dos

Leia mais

Legislação Comercial e das Sociedades Comerciais

Legislação Comercial e das Sociedades Comerciais Legislação Comercial e das Sociedades Comerciais 2014 5ª Edição Actualização nº 1 1 Actualização nº 1 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES ALMEDINA, S.A. Rua Fernandes Tomás nºs 76,

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS Parecer COM(2013)550 Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO relativo às comissões de intercâmbio aplicáveis a operações de pagamento associadas a cartões 1 PARTE I - NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 23 de maio de 2017 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 23 de maio de 2017 (OR. en) Conselho da União Europeia Bruxelas, 23 de maio de 2017 (OR. en) 9111/17 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: RECH 133 MED 44 AGRI 263 MIGR 72 RELEX 396 DECISÃO DO CONSELHO que autoriza a abertura

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE) (2013/519/UE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) (2013/519/UE) L 281/20 Jornal Oficial da União Europeia 23.10.2013 DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 21 de outubro de 2013 que estabelece a lista de territórios e países terceiros autorizados no que se refere às importações

Leia mais

ALTERAÇÕES PT Unida na diversidade PT. Parlamento Europeu Projeto de parecer Helga Stevens. PE v01-00

ALTERAÇÕES PT Unida na diversidade PT. Parlamento Europeu Projeto de parecer Helga Stevens. PE v01-00 Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão do Emprego e dos Assuntos Sociais 2016/0279(COD) 15.12.2016 ALTERAÇÕES 7-36 Projeto de parecer Helga Stevens (PE595.501v01-00) Intercâmbio transfronteiras, entre a

Leia mais

A8-0277/14 ALTERAÇÕES DO PARLAMENTO EUROPEU * à proposta da Comissão

A8-0277/14 ALTERAÇÕES DO PARLAMENTO EUROPEU * à proposta da Comissão 25.1.2017 A8-0277/14 Alteração 14 Bernd Lange em nome da Comissão do Comércio Internacional Relatório A8-0277/2016 Marielle de Sarnez Cláusula bilateral de salvaguarda e mecanismo de estabilização para

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Projeto de. REGULAMENTO (UE) n.º / DA COMISSÃO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Projeto de. REGULAMENTO (UE) n.º / DA COMISSÃO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Projeto de Bruxelas, C REGULAMENTO (UE) n.º / DA COMISSÃO de [ ] que estabelece requisitos técnicos e procedimentos administrativos relacionados com as operações aéreas

Leia mais

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 1.6.2016 COM(2016) 361 final ANNEXES 1 to 2 ANEXOS da COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E

Leia mais

ANEXO. Documento que acompanha. proposta de Decision do Conselho

ANEXO. Documento que acompanha. proposta de Decision do Conselho COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 29.1.2015 COM(2015) 25 final ANNEX 1 ANEXO Documento que acompanha a proposta de Decision do Conselho relativa à posição a adotar, em nome da União Europeia, no âmbito do Conselho

Leia mais

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2017) 624 final.

Envia-se em anexo, à atenção das delegações, o documento COM(2017) 624 final. Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de outubro de 2017 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2017/0273 (NLE) 13774/17 FISC 240 N 44 ECOFIN 895 PROPOSTA de: Secretário-Geral da Comissão Europeia, assinado

Leia mais

CONSELHO EUROPEU Bruxelas, 31 de maio de 2013 (OR. en)

CONSELHO EUROPEU Bruxelas, 31 de maio de 2013 (OR. en) CONSELHO EUROPEU Bruxelas, 31 de maio de 2013 (OR. en) Dossiê interinstitucional: 2013/0900 (NLE) EUCO 110/13 INST 234 POLGEN 69 OC 295 ATOS JURÍDICOS Assunto: PROJETO DE DECISÃO DO CONSELHO EUROPEU que

Leia mais

Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia,

Tendo em conta o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia, L 219/10 REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) N. o 800/2014 DA COMISSÃO de 24 de julho de 2014 que estabelece procedimentos para a elaboração de relatórios e outras medidas práticas sobre o financiamento do apoio

Leia mais

TÍTULO VI AS REGRAS COMUNS RELATIVAS À CONCORRÊNCIA, À FISCALIDADE E À APROXIMAÇÃO DAS LEGISLAÇÕES CAPÍTULO 1 AS REGRAS DE CONCORRÊNCIA SECÇÃO 1

TÍTULO VI AS REGRAS COMUNS RELATIVAS À CONCORRÊNCIA, À FISCALIDADE E À APROXIMAÇÃO DAS LEGISLAÇÕES CAPÍTULO 1 AS REGRAS DE CONCORRÊNCIA SECÇÃO 1 TÍTULO VI AS REGRAS COMUNS RELATIVAS À CONCORRÊNCIA, À FISCALIDADE E À APROXIMAÇÃO DAS LEGISLAÇÕES CAPÍTULO 1 AS REGRAS DE CONCORRÊNCIA SECÇÃO 1 AS REGRAS APLICÁVEIS ÀS EMPRESAS Artigo 81.o 1. São incompatíveis

Leia mais

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 17.9.2013 COM(2013) 618 final 2013/0304 (COD) Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera a Decisão-Quadro 2004/757/JAI do Conselho, de 25 de outubro

Leia mais

Conselho da União Europeia Luxemburgo, 12 de junho de 2017 (OR. en)

Conselho da União Europeia Luxemburgo, 12 de junho de 2017 (OR. en) Conselho da União Europeia Luxemburgo, 12 de junho de 2017 (OR. en) 10001/17 ECOFIN 497 UEM 189 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: DECISÃO DO CONSELHO que revoga a Decisão 2010/288/UE sobre

Leia mais

Conselho da União Europeia Bruxelas, 15 de outubro de 2015 (OR. en)

Conselho da União Europeia Bruxelas, 15 de outubro de 2015 (OR. en) Conselho da União Europeia Bruxelas, 15 de outubro de 2015 (OR. en) 12321/15 ATOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: STAT 14 INST 333 POLGEN 140 FIN 626 DECISÃO DO CONSELHO que delega poderes

Leia mais

Banco de Portugal Open day

Banco de Portugal Open day Banco de Portugal Open day 1 março 2016 Hélder Rosalino O Eurosistema Alemanha Áustria Bélgica Chipre Eslováquia Eslovénia Espanha Estónia Finlândia França Grécia Irlanda Itália Letónia Lituânia Luxemburgo

Leia mais

Direito Internacional da Segurança Social

Direito Internacional da Segurança Social Direito Internacional da Segurança Social 16 de Abril de 2008 Pierre Guibentif ISCTE / Mestrado em Ciências do Trabalho e Relações Laborais ISCTE 16-4-2008 Introdução histórica Parte 1: até a II Guerra

Leia mais

DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA DA CMVM N.º 3/2017

DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA DA CMVM N.º 3/2017 DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA DA CMVM N.º 3/2017 Regulamento que visa definir os conteúdos mínimos a dominar pelos colaboradores de intermediários financeiros que prestam serviços de consultoria para investimento

Leia mais

("CONTRACTUAL NETTING") /* COM/94/105FINAL - COD

(CONTRACTUAL NETTING) /* COM/94/105FINAL - COD Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera a Directiva 89/647/CEE do Conselho no que diz respeito ao reconhecimento, a nível da supervisão, dos contratos de novação e dos acordos

Leia mais

Proposta conjunta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta conjunta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA ALTA REPRESENTANTE DA UNIÃO PARA OS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E A POLÍTICA DE SEGURANÇA Bruxelas, 21.9.2016 JOIN(2016) 43 final 2016/0298 (NLE) Proposta conjunta de DECISÃO DO CONSELHO relativa

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO. que revoga determinados atos no domínio da liberdade, segurança e justiça

Proposta de DECISÃO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO. que revoga determinados atos no domínio da liberdade, segurança e justiça COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 28.11.2014 COM(2014) 713 final 2014/0337 (COD) Proposta de DECISÃO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que revoga determinados atos no domínio da liberdade, segurança e justiça

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO PARLAMENTO EUROPEU 2014-2019 Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos 27.02.2015 DOCUMENTO DE TRABALHO sobre o estabelecimento de um visto de circulação e a alteração tanto da

Leia mais

RELATÓRIO (2016/C 449/25)

RELATÓRIO (2016/C 449/25) C 449/138 PT Jornal Oficial da União Europeia 1.12.2016 RELATÓRIO sobre as contas anuais da Agência da União Europeia para a Segurança das Redes e da Informação relativas ao exercício de 2015 acompanhado

Leia mais

(Comunicações) COMISSÃO EUROPEIA. ACORDO MONETÁRIO entre a União Europeia e o Principado de Andorra (2011/C 369/01)

(Comunicações) COMISSÃO EUROPEIA. ACORDO MONETÁRIO entre a União Europeia e o Principado de Andorra (2011/C 369/01) 17.12.2011 Jornal Oficial da União Europeia C 369/1 II (Comunicações) COMUNICAÇÕES DAS INSTITUIÇÕES, ÓRGÃOS E ORGANISMOS DA UNIÃO EUROPEIA COMISSÃO EUROPEIA ACORDO MONETÁRIO entre a União Europeia e o

Leia mais

BASE JURÍDICA DESCRIÇÃO

BASE JURÍDICA DESCRIÇÃO PROCESSOS DE DECISÃO INTERGOVERNAMENTAL Na Política Externa e de Segurança Comum, bem como em vários outros domínios, tais como a cooperação reforçada, determinadas nomeações e a revisão de tratados, o

Leia mais

A7-0373/7. Alteração 7 Juan Fernando López Aguilar em nome da Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos

A7-0373/7. Alteração 7 Juan Fernando López Aguilar em nome da Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos 21.2.2014 A7-0373/7 Alteração 7 Juan Fernando López Aguilar em nome da Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos Relatório A7-0373/2013 Mariya Gabriel Países terceiros cujos nacionais

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 18.12.2014 COM(2014) 743 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO sobre o exercício do poder de adotar atos delegados conferido à Comissão nos termos

Leia mais

A POLÍTICA DE CONCORRÊNCIA

A POLÍTICA DE CONCORRÊNCIA A POLÍTICA DE CONCORRÊNCIA Os artigos 101.º a 109.º do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia (TFUE) contêm as regras de concorrência no mercado interno. Nos termos destes artigos, são proibidos

Leia mais

BASE LEGAL OBJETIVOS REALIZAÇÕES

BASE LEGAL OBJETIVOS REALIZAÇÕES COOPERAÇÃO JUDICIÁRIA EM MATÉRIA PENAL Atualmente, cada vez mais pessoas viajam, trabalham, estudam e vivem no estrangeiro, incluindo os criminosos. A criminalidade tornou-se um fenómeno sofisticado e

Leia mais

BASE JURÍDICA REGRAS COMUNS

BASE JURÍDICA REGRAS COMUNS O PARLAMENTO EUROPEU: PROCESSOS ELEITORAIS O processo eleitoral relativo ao Parlamento Europeu é regido, simultaneamente, pelas disposições do Direito europeu que estabelecem regras comuns a todos os Estados-Membros

Leia mais

Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.6.2016 COM(2016) 434 final 2016/0198 (COD) Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n.º 1030/2002 do Conselho que estabelece

Leia mais

O NOVO REGULAMENTO EUROPEU SOBRE ABUSO DE MERCADO

O NOVO REGULAMENTO EUROPEU SOBRE ABUSO DE MERCADO 18 de maio de 2016 O NOVO REGULAMENTO EUROPEU SOBRE ABUSO DE MERCADO 1. Enquadramento No dia 3 de julho de 2016 entrou em vigor o Regulamento europeu n.º 596/2014, do Parlamento Europeu e do Conselho,

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 18.12.2013 COM(2013) 917 final 2013/0448 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à aceitação da alteração do Protocolo de 1999 à Convenção de 1979 sobre a poluição atmosférica

Leia mais