PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA"

Transcrição

1 PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA 05/03/2015 SESSÃO 1: O DIAGNÓSTICO DO TRABALHO DE PARTO E SEUS DISTÚRBIOS Presidentes: Gian Carlo Di Renzo (Itália) e Roberto Romero (EUA) 7:30 AVALIAÇÃO DOS PROGRESSOS NO TRABALHO DE PARTO: PARTOGRAMA E SUA EVOLUÇÃO Roberto Romero (Detroit, MI, EUA) 7:55 O SONO PARTOGRAMA Christoph Lees (Cambridge, Reino Unido) 8:15 RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA PELVE MATERNA E DO FETO: PODE SER ÚTIL PARA COMPREENDER O TRABALHO DE PARTO? Tamara Feygin (Filadélfia, PA, EUA) 8:35 DIAGNÓSTICO, SIGNIFICÂNCIA CLÍNICA E GERENCIAMENTO DA FASE LATENTE DO TRABALHO DE PARTO PROLONGADO Guilherme Cecatti (Campinas, Brasil Unicamp) 8:55 QUANDO INICIA A FASE ATIVA DO TRABALHO DE PARTO? E NÓS REALMENTE SABEMOS QUANDO TERMINÁ-LO? Dan Farine (Toronto, Canadá) 9:20 O DIAGNÓSTICO E SIGNIFICADO CLÍNICO DOS DISTÚRBIOS DA FASE ATIVA DO TRABALHO DE PARTO Emily Hamilton (Quebec, Canadá) 9:40 Discussão 10:00 Coffee break, sessão de pôsteres e área de exposições SESSÃO 2: TRATAMENTO E PREVENÇÃO DOS DISTÚRBIOS DO TRABALHO DE PARTO NA FASE ATIVA Presidentes: Roberto Romero (EUA) e William Fraser (Canadá) 10:30 CONDUTA ATIVA NO TRABALHO DE PARTO Michael Robson (Dublin, Irlanda)

2 10:55 PROTOCOLOS PARA ADMINISTRAÇÃO DE OCITOCINA DURANTE O TRABALHO DE PARTO Yariv Yogev (Tel Aviv, Israel) 11:20 A AMNIOTOMIA E A ADMINISTRAÇÃO PRECOCE DA OCITOCINA MELHORAM O RESULTADO DO TRABALHO DE PARTO? William Fraser (Montreal, Canadá) 11:45 SONOPELVIMETRIA PARA PREVER O TRABALHO DE PARTO OBSTRUÍDO Reuven Achiron (Tel Aviv, Israel) 11:05 LACTATO DO LÍQUIDO AMNIÓTICO, UM MÉTODO SIMPLES E RÁPIDO PARA A PREDIÇÃO DA RESULTADO DO TRABALHO DE PARTO Eva Itzel (Estocolmo, Suécia) 12:15 Discussão 12:30 Almoço, sessão de pôsteres e área de exposições SESSÃO 3: O SEGUNDO ESTÁGIO DO TRABALHO DE PARTO Presidentes: Dan Farine (Canadá), Renato de Sá (Rio de Janeiro, Brasil - Universidade Federal Fluminense) 13:30 QUANTO TEMPO O SEGUNDO ESTÁGIO DO TRABALHO DE PARTO PODE DURAR? Melânia Amorin (João Pessoa, Brasil) 13:55 TECNOLOGIA MODERNA PARA MONITORAR A PROGRESSÃO DO TRABALHO DE PARTO Yoav Paltieli (Nesher, Israel) 14:15 ULTRASSON NO TRABALHO DE PARTO: OS PARÂMETROS MAIS SIMPLES PARA DETECTAR DISTOCIA E MALPOSICIONAMENTO FETAL Gian Carlo Di Renzo (Perugia, Itália) e Antonio Malvasi (Bari, Itália) 14:35 O ULTRASSON PARA MONITORAR A PROGRESSÃO DO TRABALHO DE PARTO NO SEGUNDO ESTÁGIO E PARA PREDIZER O SUCESSO DO PARTO OPERATÓRIO. Karim Kalache (Doha, Qatar) 14:55 QUANDO AS MULHERES DEVEM COMEÇAR A FAZER FORÇA E, ISSO FAZ ALGUMA DIFERENÇA? Aaron Caughey (Portland, OR, EUA) 15:20 Discussão 15:45 Coffee break, sessão de pôsteres e área de exposição

3 SESSÃO 4: CONDUTA NO SEGUNDO E TERCEIRO ESTÁGIO DO TRABALHO DE PARTO Presidentes: Per Oloffson (Suécia), Renato de Sá (Brasil) 16:15 VÁCUO EXTRATOR, FÓRCEPES VS PARTO CESÁREO PARA A CONDUÇÃO NOS DISTÚRBIOS DO TRABALHO DE PARTO NO SEGUNDO ESTÁGIO Karim Kalache (Doha, Qatar) 16:40 O DISPOSITIVO ODON PARA AUXILIAR O PARTO VAGINAL Gian Carlo Di Renzo (Perugia, Itália) e Jorge Odon (Buenos Aires, Argentina) 17:00 DISTOCIA DE OMBRO: MECANISMOS DE LESÃO E CONDUTA Edith Gurewitsch (Baltimore, MD, EUA) 17:30 O REPARO DE LACERAÇÕES DE TERCEIRO E QUARTO GRAU E SUAS ARMADILHAS Michale Stark NESA (Berlin, Alemanha) 17:50 EXTENSÃO DA LACERAÇÃO VAGINAL: HEMATOMA PÉLVICO SUBPERITONEAL José Palacios de Jaraquemada, (Buenos Aires, Argentina) 18:15 Discussão 18:30 DISCURSO O NASCIMENTO NA ERA MODERNA: UMA PERSPECTIVA EVOLUCIONÁRIA E MULTI-CULTURAL Karen Rosenberg (Newark, DE, EUA) 19:00 CONCLUSSÕES 19:30-21:30 ABERTURA E RECEPÇÃO DE BOAS VINDAS

4 06/03/2015 SESSÃO 5: AVALIAÇÃO DO BEM-ESTAR FETAL INTRA-PARTO Presidentes: Gerard H. A. Visser (Holanda) e Rossana Pulcinelli (Brasil) 8:00 TODAS AS MULHERES DEVERIAM REALIZAR ULTRASSON NA ADMISSÃO DO TRABALHO DE PARTO E PARTO? Dan Farine (Toronto, Canadá) 8:20 NOMENCLATURA DAS ANORMALIDADES NO MONITORAMENTO DA FREQUÊNCIA CARDÍACA FETAL Justo Alonso (Montevideo, Uruguai) 8:40 ANORMALIDADES DA FREQUÊNCIA CARDÍACA FETAL: RECOMENDAÇÕES DA FIGO Diogo Ayres De Campos (Porto, Portugal) 9:00 AVALIAÇÃO CRÍTICA DA EVIDÊNCIA DO USO DA ANÁLISE ST Per Oloffson (Lund, Suécia) 9:30 A GASOMETRIA E O PH DO CORDÃO UMBILICAL, LACTATO NO SANGUE DO CORDÃO E FLUÍDO AMNIÓTICO: VALORES NORMAIS E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS Edwin Chandraharan (Londres, Reino Unido) 9:55 Discussão 10:10 PALESTRA O MONITORAMENTO ELETRÔNICO FETAL REDUZ A MORTALIDADE PERINATAL OU INFANTIL? Gerard H. A. Visser (Utrecht, Holanda) 10:30 Coffee break, sessão de pôsteres e área de exposições

5 SESSÃO 6: INDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO Presidentes: Aris Antsaklis (Grécia) e Juliana Esteves (Rio de Janeiro, Brasil) 11:00 O PAPEL DA INDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO NA OBSTETRÍCIA MODERNA: INTRODUÇÃO A UM ASSUNTO COMPLEXO E POLÊMICO Aris Antsaklis (Atenas, Grécia) 11:20 MÉTODOS PARA AMADURECIMENTO CERVICAL E INDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO: ABORDAGENS FARMACOLÓGICA E FÍSICA (PROSTAGLANDINAS, LAMINÁRIA, CATETER FOLEY, ETC) Liliana Voto (Buenos Aires, Argentina) 11:45 HÁ UM PAPEL PARA A INDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO COMO ROTINA? CASO HAJA, QUANDO? (TODAS AS MÃES DEVERIAM TER SEU PARTO INDUZIDO COM 39 SEMANAS?) Aaron Caughey (Portland, OR, EUA) 12:10 INDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO EM CASOS DE CESÁREA PRÉVIA, SUSPEITA DE MACROSSOMIA E IUGR SEVERO Yariv Yogev (Tel Aviv, Israel) 12:30 O PAPEL DO VBAC (PARTO VAGINAL APÓS CESARIANA) NA OBSTETRÍCIA MODERNA: QUAL É A NATUREZA DAS EVIDÊNCIAS E COMO FAZER MÉDICOS E PACIENTES ASSUMIREM O RISCO? Eliana Amaral (Campinas, Brasil Unicamp) 12:50 Discussão 13:00 Almoço, sessão de pôsteres e área de exposições SESSÃO PARALELA ESPECIAL: DEPOIMENTO DE HONRA AO PROF. DR. J. GALBA ARAÚJO Abertura: Gian Carlo Di Renzo (Perugia, Itália), Nilson Roberto de Melo (São Paulo, Brasil) 11:00 DR. GALBA ARAÚJO, DE FORTALEZA PARA MICHIGAN (EUA) E O RETORNO. A VIDA DE SERVIÇO A MULHER COM PREMATURO NO MUNDO Federico Mariona (Detroit, MI, EUA) 11:20 A HUMANIZAÇÃO DA OBSTETRÍCIA. O LEGADO GALBA ARAÚJO Antero Coelho Neto, (Organização Pan-Americana da Saúde, Fortaleza, Brasil) 11:40 IMPLEMENTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE PROJETOS DE ATENÇÃO PRIMÁRIA EM PROGRAMAS MATERNO- INFANTIL Silvia Bonfim Hypolito (Fortaleza, Brasil)

6 12:10 GALBA ARAÚJO, NOSSO PAI E MENTOR J. Galba Araújo Filho (Fortaleza, Brasil) 12:30 DECLARAÇÃO FINAL Federico Mariona (Detroit, EUA) Importante: o público está especialmente convidado a visitar o cartaz intitulado "Humanizar o parto, apresentando a vida e o legado do Dr. Galba Araújo, autoria de Theresita Kay de Araújo e Beatriz l. de Araújo Madrazo. SESSÃO ALMOÇO: PARTO INDUZIDO - LESÕES DO ASSOALHO PÉLVICO Presidentes: Jim Dornan (Irlanda do Norte), Francisco Mauad Filho (Ribeirão Preto, Brasil) 13:00 UM ESCORE PARA PROGNOSTICAR LESÕES DE ASSOALHOS PÉLVICOS APÓS O PARTO VAGINAL Jim Dornan (Belfast, Irlanda do Norte) 13:25 ULTRASSONOGRAFIA DA ASSOALHO PÉLVICO E SUA IMPORTÂNCIA CLÍNICA Hans Peter Dietz (Sydney, Austrália) 13:50 Discussão SESSÃO 7: EMERGÊNCIAS NO TRABALHO DE PARTO Presidentes: Yves Ville (França), José Carlos Peraçoli (Brasil) 14:10 EMBOLIA DO LÍQUIDO AMNIÓTICO Frederico G. Rocha (Detroit, MI, EUA) 14:30 DESCOLAMENTO PREMATURO DA PLACENTA: DIAGNÓSTICO E CONDUTA Yves Ville (Paris, França) 14:55 CESÁREA DE EMERGÊNCIA PARA BRADICARDIA FETAL: QUANTO MAIS RÁPIDA MELHOR? Tak Y. Leung (Hong Kong, China) 15:15 RUPTURA UTERINA: PREDIÇÃO E PREVENÇÃO Eduardo Cordioli (São Paulo, Brasil) 15:35 Discussão 15:50 Coffee break, sessão de pôsteres e área de exposições

7 SESSÃO 8: DESAFIOS NO TRABALHO DE PARTO E NO PARTO I Presidentes: Yves Ville (França), Antônio Fernandes Moron (São Paulo, Brasil) 16:20 TERAPIA DA HEMORRAGIA PÓS PARTO: ALÉM DO SANGUE E SUTURAS COMPRESSIVAS José Palacios de Jaraquemada (Buenos Aires, Argentina) 16:40 GERENCIAMENTO DA CIVD E COAGULOPATIA DILUCIONAL (USO DE DERIVADOS SANGUÍNEOS E TRANSFUSÃO) Frederico G. Rocha (Detroit, MI, EUA) 17:00 GÊMEOS E MÚLTIPLOS DE MAIOR ORDEM: DESAFIOS NO TRABALHO DE PARTO E NO PARTO Jon F. Barrett (Toronto, Canadá) 17:30 Discussão SESSÃO 9: O DESAFIO DE PARTOS DE BAIXO RISCO Presidentes: Mike Robosn (Irlanda), Maria Regina Torloni (São Paulo, Brasil) 17:45 PARTO DOMICILIAR: EXISTE ALGUM ESPAÇO NA OBSTETRÍCIA MODERNA? Gerard H. Visser (Utrecht, Holanda) 18:05 UM PROJETO PARA PARTOS DE BAIXO RISCO NUM AMBIENTE HOSPITALAR: O MODELO DAISY Marco Santini (Florença, Itália), Gian Carlo Di Renzo (Perugia, Itália) 18:25 Discussão 18:30 ENCERRAMENTO

8 07/03/2015 Organizado pelo: PREISchool Educational Academy Program SESSÃO 10: TRABALHO DE PARTO PREMATURO: DIAGNÓSTICO, TRATAMENTO E PREVENÇÃO Presidentes: Roberto Romero (EUA) e Ana Bianchi (Uruguai) 8:00 ULTRASSOM CERVICAL, FIBRONECTINA FETAL, IGFBP1, PAMG-1, SLUDGE E OUTROS MÉTODOS DIAGNÓSTICOS Roberto Romero (Detroit, MI, EUA) 8:25 TOCÓLISE E MÚLTIPLOS CURSOS DE ESTERÓIDES: UMA AVALIAÇÃO CRÍTICA Gerard H. A. Visser (Utrecht, Holanda) 8:50 O COLO UTERINO, A CERCLAGEM E PROGESTÁGENOS NA PREVENÇÃO DO PARTO PREMATURO Eduardo Borges da Fonseca (João Pessoa, Brasil) 9:15 O PESSÁRIO CERVICAL PARA PREVENIR O NASCIMENTO PREMATURO EM GESTAÇÕES ÚNICAS E MÚLTIPLAS Luiz Cabero Roura (Barcelona, Espanha) 9:35 COMO E ONDE PARIR UM FETO PREMATURO? Michael Robson (Dublin, Irlanda) 9:55 Discussão 10:10 Coffee break, sessão de pôsteres e área de exposições SESSÃO 11: PARTO CESÁREA: UM DILEMA CONTEMPORÂNEO Presidentes: Diogo Ayres de Campos (Portugal) e Mário Dias Correa (Belo Horizonte, Brasil) 10:40 PARTO CESÁREA ELETIVO A PEDIDO MATERNO: UM PROBLEMA MUNDIAL? Guilherme Cecatti (Campinas, Brasil) 11:00 ESTRATÉGIAS PARA REDUZIR CESÁREAS Michael Robson (Dublin, Irlanda) 11:25 ANOMALIAS PLACENTÁRIAS (ACRETA, PERCRETA, INCRETA) REQUEREM PARTO CESÁREA José Palacios de Jaraquemada (Buenos Aires, Argentina)

9 11:50 OS DESAFIOS DE UM ÚTERO COM CICATRIZ Andrea Tinelli (Lecce, Itália) 12:10 O DESAFIO DO PARTO CESÁREO NA PACIENTE OBESA MÓRBIDA Dan Farine (Toronto, Canadá) 12:30 Discussão 12:45 Almoço, sessão de pôsteres e área de exposição. SESSÃO 12: TÉCNICA CIRÚRGICA PARA PARTO CESÁREO Presidentes: Gian Carlo Di Renzo (Itália) e Edson Lucena (Fortaleza, Brasil) 13:40 ABORDAGEM MODERNA PARA A TÉCNICA DE PARTO CESÁREO Michael Stark (Berlin, Alemanha) 14:00 UMA ABORDAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS NA CESARIANA (PERITÔNIO, FECHAMENTO UTERINO, PREGA VESICAL E O FECHAMENTO DA PELE) Eduardo Cordioli (São Paulo, Brasil) 14:20 PREVENÇÃO DA HEMORRAGIA PÓS-PARTO DURANTE O PARTO CESÁREO José Palacios de Jaraquemada (Buenos Aires, Argentina) 14:45 O USO DO BALÃO DE TAMPONAMENTO: INDICAÇÕES E ARMADILHAS Iakov Zhukovsky (Moscou, Rússia) 15:00 ANESTESIA PARA CESARIANA: O QUE TEMOS DE PRESTAR ATENÇÃO? Justo Alonso (Montevideo, Uruguai) 15:20 HISTERECTOMIA CESÁREA Carlos Fuchner (Santa Cruz de La Sierra, Bolívia) 15:40 Discussão 16:00 Coffee break, sessão de pôsteres e área de exposições

10 07/03/2015 SESSÃO PARALELA ESPECIAL PARA OBSTETRIZES E ENFERMAGEM - TRABALHO DE PARTO E PARTO: CUIDADO DA MULHER EM TRABALHO DE PARTO Presidentes: Renato de Sá (Rio de Janeiro, Brasil), Marcos Dias (Rio de Janeiro, Brasil), Kleyde Ventura (Belo Horizonte, Brasil) 10:40 NASCER NO BRASIL Maria do Carmo Leal (Rio de Janeiro, Brasil) 11:00 DOULA E SUPORTE DA FAMÍLIA PARA O TRABALHO DE PARTO E O PARTO Marcos Dias (Rio de Janeiro - Brasil) 11:15 ACUPUNTURA PARA INDUÇÃO DO PARTO Gisele Gribel (Rio de Janeiro, Brasil) 11:30 ALTERNATIVAS PARA ANESTESIA EPIDURAL E PERIDURAL: MÉTODOS NÃO FARMACOLÓGICOS, PARA ALÍVIO DA DOR Ana Cristina Duarte (São Paulo, Brasil) 11:45 A ORGANIZAÇÃO E OS PARTICIPANTES DE UM "CENTRO DE PARTO" Octávio Vargens (Rio de Janeiro, Brasil) 12:00 DESSENSIBILIZAÇÃO DA EQUIPE DE ASSISTÊNCIA Kleyde Ventura (Belo Horizonte, Brasil) 12:15 PROMOVENDO O ALEITAMENTO MATERNO Marcus Renato (Rio de Janeiro, Brasil) Discussão CONCLUSÕES

11 SESSÃO 13: DESAFIOS NO TRABALHO DE PARTO E NO PARTO II Presidentes: Geraldo Duarte (Brasil) e a confirmar 16:30 ADMINISTRAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS E PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL DE GBS Gian Carlo Di Renzo (Perugia, Itália) 16:50 CORIOAMNIONITE: CONDUTA NO TRABALHO DE PARTO? Juan Pedro Kusanovic (Santiago, Chile) 17:10 A PACIENTE COM HIV, HERPES HEPATITE OU HPV Claudia Hanson (Londres, Reino Unido Dar es Salaam, Tanzania0 17:30 CONDUTA NA PACIENTE DIABÉTICA E OBESA Huixa Yang (Beijing, China) 17:50 Discussão 18:00 PALESTRA DE ENCERRAMENTO LESÃO DO ASSOALHO PÉLVICO PÓS PARTO VAGINAL Hans Peter Dietz (Sydney, Austrália) 18:30 CONSIDERAÇÕES FINAIS Roberto Romero (EUA) e Gian Carlo Di Renzo (Itália)

12 INFORMAÇÕES GERAIS DATAS E LOCAL DO EVENTO 05 À 07 DE Março de 2015 Centro de Eventos do Ceará Av. Washington Soares, Edson Queiroz Fortaleza, Brasil PRESIDENTES GIAN CARLO DI RENZO MD, PhD, FRCOG (hon.), FACOG (hon.) Professor e presidente do Departamento de Obstetrícia / Ginecologia Diretor, Centro de Medicina Reprodutiva e Perinatal Diretor, Escola de Obstetrícia, Universidade de Perugia Secretário Geral Hon., FIGO Editor-chefe, Jornal de Medicina Materna, Fetal e Neonatal Vice-Presidente, Associação Mundial de Medicina Perinatal Diretor, Escola Européia Internacional Permanente em Medicina Perinatal, Neonatal e Reprodutiva (PREIS) Presidente, Sociedade Internacional de Chocolate, Cacau e Medicina (ISCHOM) Diretoria, Escola de Ultrassonografia Ian Donald Secretário-geral, Nova Academia Cirúrgica Européia (NESA) Presidente do Birth Brasil Roberto Romero Chefe, Área de Pesquisa em Perinatologia Diretor do Programa de Pesquisa Perinatal e Obstetrícia Intramural Division, NICHD, NIH, DHHS Professor de Ginecologia e Obstetrícia da Universidade de Michigan, Ann Arbor, Michigan, EUA Professor de Epidemiologia e Bioestatística da Universidade do Estado de Michigan, Lansing, Michigan, EUA Redator Chefe, American Journal of Obstetrics & Gynecology Presidente do Birth Brasil

13 PRESIDENTES LOCAIS NILSON ROBERTO DE MELO Professor Livre Docente em Ginecologia pela Faculdade de Medicina da USP Diretor Científico da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia - FEBRASGO Presidente Honorário da Federación Latino-Americana das Sociedades de Climatério y Menopausia -FLASCYM Comissão Organizadora do Birth 2015 Brasil EDUARDO BORGES DA FONSECA Professor Adjunto da Universidade Federal da Paraíba Livre Docente em Obstetrícia pela Faculdade de Medicina da USP Especialista Presidente da Comissão de Perinatologia da FEBRASGO Comissão Organizadora do Birth 2015 Brasil COMISSÃO ORGANIZADORA RENATO AUGUSTO MOREIRA DE SA (Rio de Janeiro), Presidente Mestre e Doutor em Ginecologia e Obstetricia Professor Associado de Obstetricia da Universidade Federal Fluminense Presidente da Comissão de Medicina Fetal da FEBRASGO Vice Presidente da Sociedade de Ginecologia e Obstetricia do Rio de Janeiro Coordenador de Obstetrícia da Clinica Perinatal - Rio de Janeiro Comissão Organizadora do Birth 2015 Brasil CARLOS MENEZES (Salvador - BA) FRANCISCO MAUAD FILHO (Riberão Preto SP) EDSON LUCENA (Fortaleza CE) FLÁVIO IBIAPINA (Fortaleza CE) MARIA REGINA TORLONI (São Paulo - SP) OLÍMPIO MORAES FILHO (Recife PE)

14 INFORMAÇÕES CIENTÍIFICAS O Comitê Científico convida médicos e pesquisadores que estão interessados em partilhar o seu trabalho com os participantes do evento para apresentar os seus trabalhos através dos abstracts. Detalhes estão disponíveis no site: Os abstracts aceitos para apresentação serão exibidos apenas em formato poster. Mudanças nos abstracts não poderão ser realizadas feita após a submissão. Por favor, verifique se cada item foi concluído e siga as instruções descritas no site. Prazo para submissão dos abstracts: 15 de fevereiro de 2015 (14:45) INSCRIÇÕES Datas Categoria* Euro USD Valor promocional (Inscrições antecipadas) Até 30 de Novembro de 2014 Médicos 182,00 $ 250,00 Enfermeiras e outros profissionais 131,00 $ 180,00 Residentes 95,00 $ 130,00 Médicos 291,00 $ 400,00 Valores após 30 de novembro de 2014 Enfermeiras e outros profissionais 219,00 $ 300,00 *estudantes: 10% de desconto sobre o preço para residentes. Residentes 145,50 $ 200,00 Os valores incluem: Acesso a todas as Sessões Científicas Kit do congresso e crachá Programa Científico Final Certificado de participação Recepção de boas vindas

15 ORGANIZADORAS / SECRETARIAS Organizadora e Secretaria Oficial MCA SCIENTIFIC EVENTS MCA Events s.r.l. Milan, Italy Ph Fax Organizadora e Secretaria Local Sao Paulo, Brazil Tel. +55 (11)

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA 05/03/2015 SESSÃO 1: O DIAGNÓSTICO DO TRABALHO DE PARTO E SEUS DISTÚRBIOS Presidentes: Gian Carlo Di Renzo (Itália) e Roberto Romero (EUA) 7:30 AVALIAÇÃO DOS PROGRESSOS NO TRABALHO

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA. 5 Março 2015

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA. 5 Março 2015 PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA 5 Março 2015 SESSÃO 1: O DIAGNÓSTICO DO TRABALHO DE PARTO E SEUS DISTÚRBIOS Presidentes: Gian Carlo Di Renzo (Itália) - Roberto Romero (EUA) 8.00 am DISCURSO DE ABERTURA O NASCIMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA PÓS PARTO HEMORRAGIA PAULO ROBERTO MUNIZ DANTAS Universidade Federal da Paraíba CONSIDERAÇÕES HEMORAGIA PÓS PARTO SITUAÇÃO DRAMÁTICA

Leia mais

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO LIVRE E INFORMADO PARA PARTO O objetivo deste Termo de Esclarecimento e Consentimento Informado, utilizado pelo HOSPITAL E MATERNIDADE SANTA JOANA, é esclarecer

Leia mais

Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento

Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento Em 1996, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolveu uma classificação das práticas comuns na condução do parto normal, orientando para o que deve

Leia mais

A presença simultânea, de 2 ou mais conceptos.

A presença simultânea, de 2 ou mais conceptos. PROTOCOLO - OBS - 017 DATA: 10/01/2005 PÁG: 1 / 4 1. CONCEITO - PRENHEZ MÚLTIPLA A presença simultânea, de 2 ou mais conceptos. - GEMELIDADE MONOZIGÓTICA: fecundação de 1 óvulo com 1 espermatozóide, que

Leia mais

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos 18 fevereiro DE 2015 capa Antes da hora Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos Alice Giraldi e Ricardo Zorzetto ilustração mariana zanetti No início de janeiro o Ministério

Leia mais

21.GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas

21.GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas X COD PROTOCOLOS DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA ( ) 21.01 Abscesso e Cisto da Glândula de Bartholin ( ) 21.02 Acompanhamento das Gestantes Vacinadas Inadvertidamente (GVI) com a Vacina Dupla Viral (sarampo

Leia mais

Métodos de indução do trabalho de parto

Métodos de indução do trabalho de parto CAPÍTULO 40 Métodos de indução do trabalho de parto 1 Introdução 2 Métodos mecânicos 2.1 Descolamento das membranas 2.2 Outros métodos mecânicos 3 Amniotomia 3.1 Amniotomia usada isoladamente 3.2 Amniotomia

Leia mais

TUTORIAL DE ANESTESIA DA SEMANA MONITORIZAÇÃO DOS BATIMENTOS CARDÍACOS FETAIS PRINCIPIOS DA INTERPRETAÇÃO DA CARDIOTOCOGRAFIA

TUTORIAL DE ANESTESIA DA SEMANA MONITORIZAÇÃO DOS BATIMENTOS CARDÍACOS FETAIS PRINCIPIOS DA INTERPRETAÇÃO DA CARDIOTOCOGRAFIA TUTORIAL DE ANESTESIA DA SEMANA MONITORIZAÇÃO DOS BATIMENTOS CARDÍACOS FETAIS PRINCIPIOS DA INTERPRETAÇÃO DA CARDIOTOCOGRAFIA Dr Claire Todd Dr Matthew Rucklidge Miss Tracey Kay Royal Devon and Exeter

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA XXXIII JORNADA CEARENSE DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA (JOCEGO) XV JORNADA DA MATERNIDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL III JORNADA CEARENSE DE MASTOLOGIA DE SOBRAL (JOCEMA)

Leia mais

NOTA TÉCNICA BOAS PRÁTICAS DO PARTO E NASCIMENTO Diário Oficial do Estado Nº 84, Seção 1 sexta-feira, 8 de Maio de 2015.

NOTA TÉCNICA BOAS PRÁTICAS DO PARTO E NASCIMENTO Diário Oficial do Estado Nº 84, Seção 1 sexta-feira, 8 de Maio de 2015. 24º Congresso FEHOSP 12 à 15 de Maio/2015 Royal Palm Plaza Campinas/SP Circular 159/2015 São Paulo, 08 de Maio de 2015. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) NOTA TÉCNICA BOAS PRÁTICAS DO PARTO E NASCIMENTO Diário

Leia mais

BH - REDE ASSISTENCIAL

BH - REDE ASSISTENCIAL BH - REDE ASSISTENCIAL 2.300.000 habitantes 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF cobertura 80% 2.420 ACS CERSAM e UPA regionais 34 hospitais 7 maternidades SUS Assistência - Regulação -

Leia mais

PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM

PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé *Merielle Barbosa Lobo São nove meses de expectativa e durante a gestação a barriga cresce e a mãe

Leia mais

PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org. 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil

PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org. 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO www.hivamericas.org CONLATAM14 First An_Portuguese_Email_v1b.indd 1 14/10/2013 13:29 Convite dos Presidentes do congresso Em

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO. Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO. Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins Cerca de 65% dos casos de transmissão vertical do HIV ocorrem durante o trabalho

Leia mais

Birth SCIENTIFIC PROGRAM BRAZIL. March 5th - 7th, 2015 Fortaleza - BRAZIL. www.birth2015brazil.org. Clinical Challenges in Labor and Delivery

Birth SCIENTIFIC PROGRAM BRAZIL. March 5th - 7th, 2015 Fortaleza - BRAZIL. www.birth2015brazil.org. Clinical Challenges in Labor and Delivery Birth Clinical Challenges in Labor and Delivery March 5th - 7th, 2015 Fortaleza - CHAIRPERSONS: Gian Carlo Di Renzo (Italy) Roberto Romero () www.birth2015brazil.org Fortaleza - Challenges in Labor and

Leia mais

Ruptura das membranas antes do trabalho de parto (amniorrexe prematura)

Ruptura das membranas antes do trabalho de parto (amniorrexe prematura) CAPÍTULO 23 Ruptura das membranas antes do trabalho de parto (amniorrexe prematura) 1 Introdução 2 Diagnóstico 2.1 Ruptura das membranas 2.2 Exame vaginal 2.3 Avaliação do risco de infecção 2.4 Avaliação

Leia mais

7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org

7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO www.hivamericas.org Datas chave para a sua agenda Data limite para inscrição pela taxa antecipada sexta-feira, 31 de janeiro

Leia mais

Assistência ao parto

Assistência ao parto Assistência ao parto FATORES DE RISCO NA GESTAÇÃO Características individuais e condições sociodemográficas desfavoráveis: Idade menor que 15 e maior que 35 anos; Ocupação: esforço físico excessivo, carga

Leia mais

Fonte: Fotos do site da Escola de Enfermagem/UFMG

Fonte: Fotos do site da Escola de Enfermagem/UFMG Seminário aborda pesquisa, formação e assistência no cuidado neonatal e O Programa de Educação pelo Trabalho é citado como uma importante estratégia para a formação. Período: 28 e 29/11/2013 Estudantes,

Leia mais

SANGRAMENTO DO TERCEIRO TRIMESTRE Rossana Maria Alves Carlos Augusto Alencar Júnior

SANGRAMENTO DO TERCEIRO TRIMESTRE Rossana Maria Alves Carlos Augusto Alencar Júnior SANGRAMENTO DO TERCEIRO TRIMESTRE Rossana Maria Alves Carlos Augusto Alencar Júnior A hemorragia no terceiro trimestre da gestação é grave ameaça à saúde e vida da mãe e feto. Junto com hipertensão e infecção

Leia mais

Plano de parto e. Roseli Nomura

Plano de parto e. Roseli Nomura Plano de parto e Parto humanizado Roseli Nomura Professora Adjunta da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo Profa Associada da Faculdade de Medicina da USP Assistência ao Parto

Leia mais

Gestações Múltiplas. André Campos da Cunha Hospital Materno Infantil Presidente Vargas. Secretaria Estadual da Saúde RS. 17 de julho de 2009

Gestações Múltiplas. André Campos da Cunha Hospital Materno Infantil Presidente Vargas. Secretaria Estadual da Saúde RS. 17 de julho de 2009 Gestações Múltiplas André Campos da Cunha Hospital Materno Infantil Presidente Vargas Secretaria Estadual da Saúde RS 17 de julho de 2009 Gestações Múltiplas Definição Gestação com presença de dois ou

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

Do nascimento até 28 dias de vida.

Do nascimento até 28 dias de vida. Do nascimento até 28 dias de vida. CONDIÇÕES MATERNAS Idade : Menor de 16 anos, maior de 40. Fatores Sociais: Pobreza,Tabagismo, Abuso de drogas, Alcoolismo. Má nutrição História Clínica: Diabetes materna,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ INSTITUTO FERNANDES FIGUEIRA - IFF SOCIEDADE BRASILEIRA DE MASTOLOGIA ESCOLA BRASILEIRA DE MASTOLOGIA

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ INSTITUTO FERNANDES FIGUEIRA - IFF SOCIEDADE BRASILEIRA DE MASTOLOGIA ESCOLA BRASILEIRA DE MASTOLOGIA Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Instituto Fernandes Figueira Projeto Câncer de Mama e Genética MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ INSTITUTO FERNANDES FIGUEIRA - IFF SOCIEDADE BRASILEIRA

Leia mais

Parto pré-termo. 2 Estimativa do peso ou da idade gestacional como base para opções de assistência. 1 Introdução CAPÍTULO 37

Parto pré-termo. 2 Estimativa do peso ou da idade gestacional como base para opções de assistência. 1 Introdução CAPÍTULO 37 CAPÍTULO 37 Parto pré-termo 1 Introdução 2 Estimativa do peso ou da idade gestacional como base para opções de assistência 3 Tipos de parto pré-termo 3.1 Morte pré-parto e malformações letais 3.2 Gravidez

Leia mais

XXI JORNADA PIAUIENSE DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA BLUE TREE TOWERS RIO POTY TERESINA 16 A 18 DE MAIO DE 2013

XXI JORNADA PIAUIENSE DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA BLUE TREE TOWERS RIO POTY TERESINA 16 A 18 DE MAIO DE 2013 XXI JORNADA PIAUIENSE DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA BLUE TREE TOWERS RIO POTY TERESINA 16 A 18 DE MAIO DE 2013 PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA: Ginecologia Quinta-feira 16/05/13 CURSO PRÉ JORNADA HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA

Leia mais

Métodos de indução do parto. Marília da Glória Martins

Métodos de indução do parto. Marília da Glória Martins Métodos de indução do parto Marília da Glória Martins Métodos de indução 1.Indução com análogo da prostaglandina - misoprostol. 2.Indução com ocitocina. 3.Indução pela ruptura das membranas ovulares. Indução

Leia mais

CAPÍTULO 21 ÓBITO FETAL. » Precoce antes da 20ª semana» Intermédio - entre 20ª e a 28ª semana» Tardio após 28ª semana

CAPÍTULO 21 ÓBITO FETAL. » Precoce antes da 20ª semana» Intermédio - entre 20ª e a 28ª semana» Tardio após 28ª semana CAPÍTULO 21 ÓBITO FETAL Deinição (OMS) - morte do produto da concepção ocorrida antes da expulsão ou de sua extração completa do organismo materno, independentemente da duração da gestação. 1. CLASSIfICAçãO»

Leia mais

UNIDADE II: CONDUTA HUMANIZADA NO PARTO E NASCIMENTO

UNIDADE II: CONDUTA HUMANIZADA NO PARTO E NASCIMENTO UNIDADE II: CONDUTA HUMANIZADA NO PARTO E NASCIMENTO Discutiremos nesta unidade a humanização como principio de qualidade, apresentação das condutas humanizadas no parto e nascimento e cuidados durante

Leia mais

INSTRUMENTO PARA COLETA DE DADOS DO PRONTUÁRIO

INSTRUMENTO PARA COLETA DE DADOS DO PRONTUÁRIO INSTRUMENTO PARA COLETA DE DADOS DO PRONTUÁRIO 1. Dados Gerais da coleta de dados 1. Data da coleta de dados / / 2. Horário de início da coleta de dados : 3. Nome da mãe: 4. Nº do prontuário da mãe:. 5.

Leia mais

SUMÁRIO - TEXTOS OBSTETRÍCIA. Módulo 1 - A Tecnologia da Ultra-sonografa 9 PRINCÍPIOS FÍSICOS DO ULTRA-SOM 10 Walter Pereira Borges

SUMÁRIO - TEXTOS OBSTETRÍCIA. Módulo 1 - A Tecnologia da Ultra-sonografa 9 PRINCÍPIOS FÍSICOS DO ULTRA-SOM 10 Walter Pereira Borges SUMÁRIO - TEXTOS OBSTETRÍCIA Módulo 1 - A Tecnologia da Ultra-sonografa 9 PRINCÍPIOS FÍSICOS DO ULTRA-SOM 10 Walter Pereira Borges Módulo 2 - Ultra-sonografa da Gestação Inicial 23 USG NA GRAVIDEZ INCIPIENTE

Leia mais

PESQUISA NASCER NO BRASIL Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento. Coordenação Maria do Carmo Leal

PESQUISA NASCER NO BRASIL Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento. Coordenação Maria do Carmo Leal Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento Coordenação Maria do Carmo Leal Financiamento: CNPq -Chamada/Edital MCT/CNPq/CT-Saúde/MS/SCTIE/DECIT nº 57/2009 -Parto Cesáreo Processo: 557366/2009-7 MS-SCTIES

Leia mais

Plano de Parto. , e. (gestante) (acompanhante) (bebê) I- Nossa filosofia para o nascimento

Plano de Parto. , e. (gestante) (acompanhante) (bebê) I- Nossa filosofia para o nascimento Plano de Parto, e (gestante) (acompanhante) (bebê) I- Nossa filosofia para o nascimento O plano de parto expressa nossos desejos e preferências para o nascimento do nosso bebê. Nós nos informamos antes

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA EM OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

RESIDÊNCIA MÉDICA EM OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO RESIDÊNCIA MÉDICA EM OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO I. OBJETIVOS Geral Capacitar o médico residente em Obstetrícia e Ginecologia a promover a saúde e prevenir, diagnosticar e tratar as

Leia mais

Local: Mar Hotel Recife Data: 14 a 16 de dezembro de 2005

Local: Mar Hotel Recife Data: 14 a 16 de dezembro de 2005 Local: Mar Hotel Recife Data: 14 a 16 de dezembro de 2005 PROGRAMA Pré - Seminário HORÁRIO LOCAL ATIVIDADES 8h30 16h00 Encontro Regional do Centro de Referência da ABORDA Nordeste Encontro das Associações

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Enfermagem Obstétrica e Neonatal Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: SAU57 Carga Horária: 100h (Teoria:

Leia mais

Dr. Hans Smola Germany - Heidnheim Germany Especialista em Dermatologia Médico e Professor da Universidade de Cologne

Dr. Hans Smola Germany - Heidnheim Germany Especialista em Dermatologia Médico e Professor da Universidade de Cologne Coordenação Prof. Dr. Marcus Castro Ferreira Professor Titular de Cirurgia Plástica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Chefe da Divisão de Cirurgia Plástica do Hospital das Clínicas

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 018 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 018 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 018 / 2011 Assunto: Massagem uterina para auxílio da involução uterina. 1. Do fato Solicitado parecer sobre a realização de massagem uterina para auxílio da involução uterina por

Leia mais

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012 Setor de Incorporadoras no Brasil Junho, 2012 Agenda Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 Desempenho das Incorporadoras Listadas Fundamentos do Setor 2 Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 VGV Lançado

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012. As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012. As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RECOMENDAÇÃO 001/2012 As mortes maternas e perinatais podem ser evitadas com adoção de medidas no âmbito da prevenção e da atenção. Infelizmente, ambas essas situações não configuram

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CURSO DE MEDICINA

CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CURSO DE MEDICINA CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CURSO DE MEDICINA PROGRAMA DE INTERNATO EM GINECOLOGIA/OBSTETRÍCIA - 10º Período Corpo docente: Coordenação Obstetrícia: Glaucio

Leia mais

CAPÍTULO 15. GESTAnTE HIV POSITIVO: ASSISTÊnCIA AO PARTO

CAPÍTULO 15. GESTAnTE HIV POSITIVO: ASSISTÊnCIA AO PARTO Unidade 6 - Obsterícia CAPÍTULO 15 GESTAnTE HIV POSITIVO: ASSISTÊnCIA AO PARTO 1. ACONSELHAMENTO E USO DE TESTES RÁpIDOS Os testes rápidos devem ser realizados na admissão para o parto e, em último caso,

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Graduação em Enfermagem Disciplina: Cuidar de Enfermagem em Saúde da Mulher Carga Horária: Teórica: 75h Pratica: 60 h Total: 135 h Semestre: 2013.1 Professor:

Leia mais

Mecanismo e assistência ao parto

Mecanismo e assistência ao parto Mecanismo e assistência ao parto Trabalho de parto (TP): Contrações uterinas regulares, mais de 2 (de 40 segundo aproximadamente) a cada 10 minutos, por mais de 2 horas Colo uterino com mais de 2-3 cm

Leia mais

OBSTETRÍCIA. Questão 1

OBSTETRÍCIA. Questão 1 OBSTETRÍCIA Questão 1 Paciente com 22 semanas de gestação é atendida com diagnóstico de carcinoma ductal infiltrante de mama. Ao exame físico apresenta nódulo irregular, pétreo, com 2cm localizado no quadrante

Leia mais

PLANO DE CURSO 2. EMENTA:

PLANO DE CURSO 2. EMENTA: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: Carga Horária: 80 H Créditos: 05 Preceptoria: 20H

Leia mais

DOCUMENTOS MÉDICOS. 1 - Qualquer base de conhecimento, fixada materialmente e disposta de maneira que se possa

DOCUMENTOS MÉDICOS. 1 - Qualquer base de conhecimento, fixada materialmente e disposta de maneira que se possa DOCUMENTOS MÉDICOS Documento: 1 - Qualquer base de conhecimento, fixada materialmente e disposta de maneira que se possa utilizar para consulta, estudo, prova, etc. (Buarque de Holanda). 2 - Título ou

Leia mais

HIV no período neonatal prevenção e conduta

HIV no período neonatal prevenção e conduta HIV no período neonatal prevenção e conduta O HIV, agente causador da AIDS, ataca as células do sistema imune, especialmente as marcadas com receptor de superfície CD4 resultando na redução do número e

Leia mais

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Os esforços devem se concentrar em garantir que cesáreas sejam feitas nos casos em que são necessárias, em vez de buscar atingir uma taxa específica de cesáreas.

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÕES. Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas

EDITAL DE INSCRIÇÕES. Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas EDITAL DE INSCRIÇÕES Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas A Company Gestão Educacional e Negócios torna público o edital para as inscrições do

Leia mais

INDICADORES DE SAÚDE II

INDICADORES DE SAÚDE II Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Departamento Medicina Preventiva Disciplina de Epidemiologia INDICADORES DE SAÚDE II 2005 Taxa de mortalidade infantil

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL 2014 1 PROJETO PEDAGÓGICO CALENDÁRIO ESCOLAR CALENDÁRIO PÓS-GRADUAÇÃO MEDICINA FETAL PERINATAL/ESTÁCIO - 2014 AULAS TEÓRICAS AOS SÁBADOS E DOMINGOS DAS 08:00

Leia mais

CAMPANHA PARTO NORMAL. Parto Normal. Deixe a vida acontecer naturalmente.

CAMPANHA PARTO NORMAL. Parto Normal. Deixe a vida acontecer naturalmente. CAMPANHA PARTO NORMAL Parto Normal. Deixe a vida acontecer naturalmente. Cenário Dados fornecidos à ANS pelas empresas que comercializam planos de assistência à saúde demonstram que a proporção de cesarianas

Leia mais

CAPA SAÚDE REPRODUTIVA. Estudo publicado na revista Lancet mostra que cesariana desnecessária coloca em risco a vida da mulher e do bebê

CAPA SAÚDE REPRODUTIVA. Estudo publicado na revista Lancet mostra que cesariana desnecessária coloca em risco a vida da mulher e do bebê CAPA SAÚDE REPRODUTIVA Estudo publicado na revista Lancet mostra que cesariana desnecessária coloca em risco a vida da mulher e do bebê Tma pesquisa internacional publicada na edição de 3 de junho da

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Enfermagem Professores: Aires Roberta Brandalise e Wanderléia Tragancin Período/ Fase: 6º Semestre:

Leia mais

Estratégia de Controle da MORTALIDADE MATERNA

Estratégia de Controle da MORTALIDADE MATERNA Secretaria da Saúde do RS Departamento de Ações em Saúde SEÇÃO DE SAÚDE DA MULHER Estratégia de Controle da MORTALIDADE MATERNA Dr. Jorge Telles MORTALIDADE MATERNA NO MUNDO Canadá e EUA: 9 óbitos / 100.000

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS ENFERMEIROS OBSTETRAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS ENFERMEIROS OBSTETRAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS ENFERMEIROS OBSTETRAS Encontro Nacional da Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras XVII Encontro Nacional da APEO/ 1º Encontro Nacional da APEO Livro de Resumos Coimbra

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA / MÉDICO OBSTETRA

PROVA ESPECÍFICA / MÉDICO OBSTETRA PROVA ESPECÍFICA / MÉDICO OBSTETRA QUESTÃO 16 Em relação à cesariana, é CORRETO afirmar que A) não existem atualmente indicações para a cesariana clássica. B) a histerotomia segmentar é a mais utilizada

Leia mais

ANEXO I PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO E SUA CARACTERIZAÇÃO COMO UMA INFORMAÇÃO ACERCA DE UM CASO DE ÓBITO MATERNO

ANEXO I PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO E SUA CARACTERIZAÇÃO COMO UMA INFORMAÇÃO ACERCA DE UM CASO DE ÓBITO MATERNO ANEXO I PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE ÓBITO E SUA CARACTERIZAÇÃO COMO UMA INFORMAÇÃO ACERCA DE UM CASO DE ÓBITO MATERNO O adequado preenchimento da Declaração de Óbito (DO) é o que fará com que esta seja

Leia mais

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR PROMOÇÃO DO PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR Ações já realizadas pela ANS desde 2004 Sensibilização do setor, promoção e participação ii em eventos para discussão com especialistas nacionais e internacionais

Leia mais

O PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO PROGRAMA DE PLANEJAMENTO FAMILIAR

O PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO PROGRAMA DE PLANEJAMENTO FAMILIAR O PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO PROGRAMA DE PLANEJAMENTO FAMILIAR Aluana Moraes 1 Daisy Cristina Rodrigues 1 Icaro Bertechine Soler Lopes 2 RESUMO: Planejamento familiar é o ato consciente de planejar

Leia mais

Procedimento cirúrgico que se caracteriza incisar a parede abdominal e o útero com a finalidade de retirar o feto.

Procedimento cirúrgico que se caracteriza incisar a parede abdominal e o útero com a finalidade de retirar o feto. PROTOCOLO - OBS - 013 DATA: 16/11/2004 PÁG: 1 / 6 1. CONCEITO Procedimento cirúrgico que se caracteriza incisar a parede abdominal e o útero com a finalidade de retirar o feto. 2. TIPOS - Emergência: Ameaça

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE DOULAS 2011

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE DOULAS 2011 CURSO DE CAPACITAÇÃO DE DOULAS 2011 Objetivos Capacitar mulheres de diversas formações / profissões para atuarem como doulas autônomas em partos domiciliares e hospitalares. Contribuir para uma assistência

Leia mais

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Coordenação Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Prof. Dr. Augusto Scalabrini Neto Professor Associado pela Faculdade

Leia mais

na Prevenção das Doenças Cardiovasculares 21 MARÇO AUDITÓRIO DA ESTeSL, LISBOA ORGANIZAÇÃO

na Prevenção das Doenças Cardiovasculares 21 MARÇO AUDITÓRIO DA ESTeSL, LISBOA ORGANIZAÇÃO ORGANIZAÇÃO Programa: 9:00 - Abertura do congresso Custódio César e Lino Mendes 9:15-10:00 - Obesidade, resistência à insulina e disfunção endotelial Sérgio Veloso 10:00-10:45 Papel da dieta na prevenção

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Prevenção Diagnóstico Tratamento

Prevenção Diagnóstico Tratamento Prevenção Diagnóstico Tratamento Pré Nupcial Idade Alimentação Drogas Doença de base Vacinas Ácido fólico São fatores de Risco: Características individuais e condições sócio- econômicas Idade Ocupação

Leia mais

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 ocitocina Medicamento Genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Embalagem contendo 1, 5, 50 ou 100 ampolas de 1 ml com ocitocina a 5 UI. VIA DE ADMINISTRAÇÃO: INTRAVENOSA

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Ultramedical realiza solenidade de lançamento do curso. de Pós-Graduação

Ultramedical realiza solenidade de lançamento do curso. de Pós-Graduação Ultramedical realiza solenidade de lançamento do curso de Pós-Graduação A Ultramedical realizou nessa última quinta-feira, 11, uma solenidade de lançamento da Pós-Graduação em Ultrassonografia, que terá

Leia mais

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 NOME: PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 1. Gestante primigesta de 40 semanas é levada ao pronto- socorro referindo perda de grande quantidade de líquido há 25h. Após o exame, com o diagnóstico de amniorrexe

Leia mais

PREVENÇÃO PRIMÁRIA DA PREMATURIDADE

PREVENÇÃO PRIMÁRIA DA PREMATURIDADE REDUZINDO A PREMATURIDADE MARCELO ZUGAIB Clínica Obstétrica Hospital das Clínicas SP PREVENÇÃO PRIMÁRIA DA PREMATURIDADE NA PRECONCEPÇÃO E NO PRÉ-NATAL IDENTIFICAR OS FATORES DE RISCO REALIZAR INTERVENÇÕES

Leia mais

MINI-CURRICULUM. Dia: 26 de Novembro de 2011 Local: Thermas Hotel & Resort Mossoró/RN. Mini-curriculum

MINI-CURRICULUM. Dia: 26 de Novembro de 2011 Local: Thermas Hotel & Resort Mossoró/RN. Mini-curriculum MINI-CURRICULUM Levi Jales - RN ipens@supercabo.com.br : Médico do Hospital Universitário Onofre Lopes HUOL/RN com doutorado em Ciências da saúde CCS/UFRN, Membro Fundador e atual Presidente da Sociedade

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA 1/6 PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: SAÚDE DA MULHER CÓDIGO: EMI026 CARGA HORÁRIA TEÓRICA 30H CARGA HORÁRIA PRÁTICA 90H CRÉDITOS 8 VERSÃO CURRICULAR: 2010/2 PERÍODO: 7º DEPTO: EMI PRÉ-REQUISITOS Fundamentos

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Doenças Sexualmente Transmissíveis são aquelas que são mais comumente transmitidas através da relação sexual. PRINCIPAIS DOENÇAS SEXUALMENTE

Leia mais

PARTO HUMANIZADO: EVIDÊNCIAS SOBRE A SAÚDE DA MÃE E DO BEBÊ

PARTO HUMANIZADO: EVIDÊNCIAS SOBRE A SAÚDE DA MÃE E DO BEBÊ 1 PARTO HUMANIZADO: EVIDÊNCIAS SOBRE A SAÚDE DA MÃE E DO BEBÊ Andressa Melina Becker da Silva RESUMO Vários tipos de partos e maneiras diferentes de se tratar a vida humana. Esse grandioso gesto de dar

Leia mais

ODM 5 Melhorar a saúde das gestantes

ODM 5 Melhorar a saúde das gestantes ODM 5 Melhorar a saúde das gestantes Meta 6 do ODM 5 Reduzir em ¾ entre 1990 e 2015 a taxa de mortalidade materna De 140 mortes por 100.000 NV no ano 2000 para 35 mortes em 2015 1990 1991 1992 1993 1994

Leia mais

PRODUÇÃO ASSISTENCIAL ANO / 2015

PRODUÇÃO ASSISTENCIAL ANO / 2015 PRODUÇÃO ASSISTENCIAL ANO / 2015 ATENDIMENTOS CLÍNICOS / 2015 ATENDIMENTOS MÉDICOS E DE ENFERMAGEM TOTAL Serviço de Emergência Pronto Atendimento Obstétrico 2.011 2.011 Consultas Médicas Ambulatórios 3.103

Leia mais

Médicos e obstetrizes: cooperando para melhor assistir o nascimento

Médicos e obstetrizes: cooperando para melhor assistir o nascimento Médicos e obstetrizes: cooperando para melhor assistir o nascimento Edson Borges de Souza Hospital Sofia Feldman Belo Horizonte, MG edsonsouza71@yahoo.com.br Modelos de atenção perinatal Aspectos Visão

Leia mais

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES Medicina Fetal Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva 1. Você recebeu do fiscal o seguinte material: INSTRUÇÕES a) Este Caderno de Questões contendo o enunciado das 2 (duas) questões da prova discursiva.

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem na Saúde da Mulher Ano letivo 2011 Série 3º Carga Horária Total 144 h/a T 90 h/a P 54 h/a Professora: Catarina

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTITUTO DE SAÚDE E GESTÃO HOSPITALAR

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTITUTO DE SAÚDE E GESTÃO HOSPITALAR UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTITUTO DE SAÚDE E GESTÃO HOSPITALAR Curso de Especialização em Enfermagem Pediátrica e Neonatal 1ª Turma- Sobral 1. JUSTIFICATIVA Apesar das

Leia mais

Parto vaginal após cirurgia cesariana

Parto vaginal após cirurgia cesariana Parto vaginal após cirurgia cesariana Um guia para a ajudar a decidir-se C A R E N E W E N G L A N D Se tiver dado à luz a um ou dois bebês pela cirurgia cesariana no passado, você pode ter duas opções

Leia mais

ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL

ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL Agenda aberta à qualquer hora, para atendimento pré-natal por médico ou enfermeiro treinado, ou para atividades em grupo, ampliando-se as possibilidades de recepção e ingresso da

Leia mais

Incompetência Cervico - Ístmica

Incompetência Cervico - Ístmica Incompetência Cervico - Ístmica Elsa Landim, Gonçalo Dias, Vanessa Santos Serviço de Obstetrícia Diretora: Dra. Antónia Nazaré Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E. 13 de Outubro de 2011 Introdução

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS DE ATENDIMENTO AO PLANEJAMENTO FAMILIAR NA REDE DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

DIRETRIZES BÁSICAS DE ATENDIMENTO AO PLANEJAMENTO FAMILIAR NA REDE DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DIRETRIZES BÁSICAS DE ATENDIMENTO AO PLANEJAMENTO FAMILIAR NA REDE DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE Toda mulher em idade reprodutiva deverá ter avaliação de satisfação e adequação de método anticoncepcional

Leia mais

resumo das recomendações Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal

resumo das recomendações Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal resumo das recomendações Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal Esta Diretriz foi elaborada por um grupo multidisciplinar, o Grupo Elaborador da Diretriz ou GED, composto por médicos obstetras,

Leia mais

Projeto de intervenção para melhorar a assistência obstétrica no setor suplementar de saúde e para o incentivo ao parto normal

Projeto de intervenção para melhorar a assistência obstétrica no setor suplementar de saúde e para o incentivo ao parto normal Projeto de intervenção para melhorar a assistência obstétrica no setor suplementar de saúde e para o incentivo ao parto normal Apresentação Entendendo como ação fundamental debater o problema das elevadas

Leia mais

SYNTOCINON ocitocina. APRESENTAÇÕES Syntocinon 5 UI/mL embalagens contendo 50 ampolas de 1 ml de solução injetável. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO

SYNTOCINON ocitocina. APRESENTAÇÕES Syntocinon 5 UI/mL embalagens contendo 50 ampolas de 1 ml de solução injetável. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO SYNTOCINON ocitocina APRESENTAÇÕES Syntocinon 5 UI/mL embalagens contendo 50 ampolas de 1 ml de solução injetável. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada ampola de Syntocinon de 1 ml contém 5 UI de

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: Uroginecologia e Obstetrícia SÉRIE: 3º. Ano PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Esp.

Leia mais

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte Política Municipal de Saúde Perinatal Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte BH -REDE ASSISTENCIAL 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF 2.420 ACS CERSAM, UPA, outros 34 hospitais conveniados

Leia mais

ABORTO INCOMPLETO: ESVAZIAMENTO OU MISOPROSTOL? CORINTIO MARIANI NETO Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros Universidade Cidade de São Paulo

ABORTO INCOMPLETO: ESVAZIAMENTO OU MISOPROSTOL? CORINTIO MARIANI NETO Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros Universidade Cidade de São Paulo ABORTO INCOMPLETO: ESVAZIAMENTO OU MISOPROSTOL? CORINTIO MARIANI NETO Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros Universidade Cidade de São Paulo ABORTAMENTO INCOMPLETO Montenegro, Rezende Filho, 2013.

Leia mais

Lesões precursoras e câncer cervical no ciclo grávido puerperal: como conduzir. Yara Furtado

Lesões precursoras e câncer cervical no ciclo grávido puerperal: como conduzir. Yara Furtado Lesões precursoras e câncer cervical no ciclo grávido puerperal: como conduzir Yara Furtado Lesões precursoras de câncer cervical na gravidez Lesões precursoras de câncer cervical na gravidez Durante a

Leia mais

Assistência humanizada a gestação, parto e nascimento: Comissão Perinatal a experiência de Belo Horizonte

Assistência humanizada a gestação, parto e nascimento: Comissão Perinatal a experiência de Belo Horizonte Assistência humanizada a gestação, parto e nascimento: Comissão Perinatal a experiência de Belo Horizonte Rosângela Durso Perillo Seminário Integrado do Paraná Novembro 2009 População: 2.424.292 - (IBGE/2007)

Leia mais