EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013"

Transcrição

1 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º de 01/08/72 e Portaria n.º de 13/11/90, Ministério da Educação CURITIBA - PARANÁ EDITAL N. 11 /2013 Regulamenta as atividades e funções relativas aos Estágios dos cursos de licenciatura e os previstos nos cursos de bacharelado a partir da resolução 010/2009. A Coordenação do Curso de Cinema e Vídeo no uso de suas atribuições, RESOLVE tornar público o anexo I a resolução 010/2009 CD/FAP, de que regulamenta as atividades e funções relativas aos Estágios dos cursos de licenciatura e os previstos nos cursos de bacharelado. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores Curitiba, 15 de abril de 2013 Prof. Dr. Acir Dias da Silva Coordenador do Curso de Cinema e Vídeo Portaria nº43/2012 FAP

2 ANEXO I RESOLUÇÃO N 010/2009 CD/FAP, de Regulamenta as atividades e funções relativas aos Estágios dos cursos de licenciatura e os previstos nos cursos de bacharelado. CAPÍTULO I CONCEPÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º - Os estágios realizados na Faculdade de Artes do Paraná - FAP serão de prática profissional e/ou prática de ensino na área para os cursos de bacharelado e de prática de ensino para os cursos de licenciatura. Art. 2º - O estágio é um ato educativo e um processo interdisciplinar que visa proporcionar ao aluno espaços de experiência e de criação de alternativas à sua formação profissional. Art. 3º - Os estágios têm como objetivos: I proporcionar ao aluno a observação e o estudo de campos de atuação potenciais, além da atuação supervisionada pelo professor da disciplina responsável pelo estágio; II oportunizar experiência acadêmico-profissional; III possibilitar que alunos e professores articulem conhecimentos teóricos com experiências práticas; IV propiciar a alunos e professores a possibilidade de validar e/ou revisar as teorias estudadas; V possibilitar aos professores avaliar a adequação do currículo vigente às necessidades sociais e às demandas do mercado de trabalho; VI Oportunizar à comunidade o retorno social investido na instituição de ensino superior IES, através de novos conhecimentos e práticas específicas aplicadas pelos alunos nos estágios, de acordo com as linguagens de seus cursos. CAPÍTULO II DA CLASSIFICAÇÃO E RELAÇÕES DE ESTÁGIO Art. 4º - O estágio, no âmbito da FAP, poderá ser obrigatório ou não obrigatório, obedecendo as seguintes características: I Estágio Obrigatório: é o estágio previsto no currículo dos cursos, de caráter obrigatório, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção de diploma, podendo para o curso de bacharelado em Cinema e Vídeo ser cumprido já a partir do primeiro período; II Estágio não-obrigatório: é o estágio desenvolvido como atividade opcional, realizado por iniciativa e local de interesse do aluno, com

3 aprovação e supervisão da IES, sem limite de carga horária ou ementas específicas, não podendo coincidir com horários de aula. 1º - Os estágios obrigatórios serão regidos por esta Resolução e determinados por regulamento próprio. 2º - Os alunos que exerçam atividade docente regular na educação básica poderão ter redução da carga horária do estágio obrigatório dos cursos de licenciatura até no máximo de 200 (duzentas) horas conforme a resolução CNE/CP 2002, desde que a sua experiência seja validada pelo professor responsável e deferida pelo Departamento ao qual está vinculado. 3º - O estágio não-obrigatório poderá ser validado como Atividade Complementar (AC) desde que seja protocolado nas datas previstas no calendário acadêmico e validado pelo Colegiado do Curso. Art. 5º - Os estágios de que trata esta Resolução não criam vínculo empregatício de qualquer natureza, observados os seguintes requisitos: I matrícula e freqüência regular do estudante no curso; II celebração de termo de compromisso entre o estudante, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino; III compatibilidade entre as atividades desenvolvidas no estágio e aquelas previstas no termo de compromisso. 1º - O estágio deverá ter acompanhamento efetivo da IES e por supervisor da parte concedente, comprovada com vistos no registro de freqüência do estágio do estudante e no relatório de final de estágio. CAPÍTULO III DOS CAMPOS DE ESTÁGIO Art. 6º - A FAP considera como campo de estágio qualquer instituição pública, privada ou comunitária que desenvolva atividades relacionadas às habilitações específicas de cada curso. Art. 7º - O campo de estágio será indicado pelo professor orientador de estágio dentre as instituições cadastradas junto à COORDENAÇÃO GERAL DE ESTÁGIO da FAP ou o mesmo indicará o cadastro de novas instituições. 1º - É facultado a FAP celebrar Termo de Convênio com as instituições concedentes de estágio, no qual se explicite o processo educativo compreendido nas atividades abrangidas pelo estágio. 2º - A FAP e a instituição concedente de estágio podem, a seu critério, recorrer a serviços de agentes de integração públicos e privados, mediante condições acordadas em instrumento jurídico apropriado. CAPÍTULO IV DA ORIENTAÇÃO DOS ESTÁGIOS

4 Art. 8º - A orientação dos estágios obrigatórios será feita pelo professor da disciplina que abriga o estágio dos cursos de bacharelado e licenciatura. Parágrafo único o acompanhamento dos estágios não obrigatórios será de competência da Coordenação Central de Estágios da FAP. Art. 9º - A carga horária para orientação dos estágios curriculares obrigatórios será determinada por regulamento de estágio de cada curso. Art. 10º - Cada orientador de estágio poderá ter sob sua responsabilidade um máximo de 15 (quinze) alunos-estagiários, salvo exceções aprovadas no departamento ao qual o professor orientador está vinculado. Art. 11º - compete ao professor orientador de estágio obrigatório: I Orientar os alunos quanto aos campos de estágios; II Orientar os alunos sobre a estrutura, funcionamento, organização e as normas de estágio; III Apresentar e acompanhar os alunos durante o estágio e orientá-los em todas as fases do mesmo (observação, planejamento, execução e avaliação); IV Orientar o aluno quanto à elaboração do relatório final de cada estágio; V Encaminhar à Coordenação Geral de Estágio o anexo II - Registro de Freqüência de Estágio do aluno devidamente preenchido, bem como seu relatório final de estágio. CAPÍTULO V DA COORDENAÇÃO GERAL DE ESTÁGIO Art. 12º - A Coordenação Geral de Estágio está vinculada à Coordenadoria de Ensino da FAP e será administrada pelo coordenador de estágio da FAP. Art. 13º - A coordenação de estágio é considerada atividade de ensino constante no Regimento da FAP. Art. 14º - Compete à administração da Coordenação Geral de Estágio: I estabelecer contato com os campos de estágio em articulação com os professores orientadores de estágio; II Providenciar o Termo de Convênio com entidades-campo de estágio e os respectivos termos de compromisso assinados pelas partes envolvidas; III Encaminhar oficialmente aos professores orientadores os campos de estágio conveniados; IV Manter bancos de estágio atualizados;

5 V Arquivar a documentação referente aos convênios e aos estágios; VI - Acompanhar a execução das atividades de estágio junto aos coordenadores de cursos; VII Apresentar relatório anual dos estágios curriculares realizados nos diversos cursos da FAP. Parágrafo único O supervisor da parte concedente do estágio acompanhará a realização de estágio assinando o relatório final de estágio do estudante e vistando na alínea correspondente do registro de freqüência do estudante. CAPÍTULO VI DO ACOMPANHAMENTO E DA AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO Art. 15º - O processo de acompanhamento e avaliação será de responsabilidade direta do professor orientador de estágio, levando em consideração o registro de freqüência de estágio. Art. 16º - o estágio será acompanhado através de encontros e reuniões dos professores orientadores com seus respectivos alunos. Art. 17º - Na avaliação do estágio serão considerados todos os itens definidos pelo (regulamento de estágio de cada curso) envolvendo necessariamente: I A atuação do aluno no local do estágio; II A elaboração de Relatório Final do Estágio ou documento comprobatório similar. Art. 18º - Será considerado aprovado no Estágio Obrigatório o aluno que cumprir a carga horária exigida para cada estágio e obtiver média e freqüência na disciplina de acordo com a legislação em vigor. CAPÍTULO VII SUPERVISOR DE ESTÁGIO DA PARTE CONCEDENTE Art. 19º - O supervisor da parte concedente do estágio acompanhará a sua realização vistando o anexo II - Registro de Freqüência de Estágio, bem como o Relatório Final de Estágio. CAPÍTULO VIII DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 20º - A FAP providenciará seguro contra acidentes pessoais em favor do aluno no caso dos estágios curriculares obrigatórios. Parágrafo único Nos estágios não-obrigatórios a parte concedente contratará em favor do estagiário o seguro contra acidentes pessoais cuja

6 apólice seja compatível com valores de mercado, conforme o estabelecido no termo de compromisso. Art. 21º - Os casos omissos desta Resolução serão resolvidos em primeira instância pela Coordenadoria de Ensino, ouvido o coordenador da Coordenação Geral de Estágio e professores orientadores, e em segunda instância o Conselho Departamental.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PALMAS/2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA NATUREZA...03 CAPÍTULO II - DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO...03 Seção I - Da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Ementa: Dispõe a respeito do Estágio Obrigatório e Não- Obrigatório no âmbito do Curso de Graduação em Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente Regulamento fixa diretrizes e normas

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DO IF BAIANO - CAMPUS URUÇUCA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DO IF BAIANO - CAMPUS URUÇUCA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS URUÇUCA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR

Leia mais

Regulamento Interno de Estágio. O Colegiado Acadêmico de Tecnologia de Recursos Humanos, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, resolve:

Regulamento Interno de Estágio. O Colegiado Acadêmico de Tecnologia de Recursos Humanos, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, resolve: Regulamento Interno de Estágio O Colegiado Acadêmico de Tecnologia de Recursos Humanos, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, resolve: Art. 1º Aprovar o Regulamento Interno de Estágio dos alunos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE BIOCIÊNCIAS Coordenação do Curso de Bacharelado em Ecologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE BIOCIÊNCIAS Coordenação do Curso de Bacharelado em Ecologia UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE BIOCIÊNCIAS Coordenação do Curso de Bacharelado em Ecologia RESOLUÇÃO N 01, 01 de novembro de 2016. Define o Estágio Supervisionado Obrigatório do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS

RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS CAPÍTULO I DO ESTÁGIO PROFISSINAL OBRIGATÓRIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Profissional Obrigatório, previsto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 192/2012-CEPE, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 192/2012-CEPE, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012. RESOLUÇÃO Nº 192/2012-CEPE, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012. REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO DO CURSO DE GEOGRAFIA, MODALIDADE BACHARELADO, DO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010.

Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. A Presidenta do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal do Acre, no uso de suas atribuições

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL Curso de Graduação Bacharelado

ENGENHARIA CIVIL Curso de Graduação Bacharelado FASIPE CENTRO EDUCACIONAL LTDA. Mantenedora FACULDADE FASIPE Mantida ENGENHARIA CIVIL Curso de Graduação Bacharelado REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Sinop - MT REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Dispõe

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Campus de Blumenau. Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Campus de Blumenau. Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Campus de Blumenau Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O Diretor Geral Pró Tempore do Instituto Federal Catarinense Campus de Blumenau,

Leia mais

NÚCLEO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA FACHUSC FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS DO SERTÃO CENTRAL REGULAMENTO

NÚCLEO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA FACHUSC FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS DO SERTÃO CENTRAL REGULAMENTO DA FACHUSC FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS DO SERTÃO CENTRAL REGULAMENTO O Núcleo de Estágio Supervisionado é um órgão de assessoramento das coordenações de curso, é um núcleo de apoio didático-pedagógico

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO HOSPITALAR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO HOSPITALAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO HOSPITALAR REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR PORTO ALEGRE REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CAPÍTULO I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º O Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PEDAGOGIA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA MODALIDADE PRESENCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PEDAGOGIA LAVRAS, 2017 CAPÍTULO I Da natureza Art. 1.ºO Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO DE MUSICOTERAPIA DA FACULDADE DE ARTES PARANÁ

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO DE MUSICOTERAPIA DA FACULDADE DE ARTES PARANÁ REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO DE MUSICOTERAPIA DA FACULDADE DE ARTES PARANÁ Considerando a Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 e a Resolução nº 010/2009 - CD/FAP que

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO Art. 1º - Este regulamento tem por finalidade, fixar

Leia mais

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 30 de junho de Gilberto Gonçalves Garcia, OFM Presidente

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 30 de junho de Gilberto Gonçalves Garcia, OFM Presidente RESOLUÇÃO CONSEPE 73/2006 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PSICOLOGIA, DO CÂMPUS DE SÃO PAULO, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA RESOLUÇÃO CSTGP Nº 02/2015 Regulamenta o Estágio Supervisionado obrigatório do Curso

Leia mais

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008.

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008. RESOLUÇÃO CONSEPE 17/2008 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente

Leia mais

CAPÍTULO I DA FINALIDADE

CAPÍTULO I DA FINALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DO NOROESTE FLUMINENSE DE EDUCAÇÃO SUPERIOR REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO E DA COE DO CURSO DE MATEMÁTICA - LICENCIATURA CÂMPUS DE TRÊS LAGOAS UFMS ANO 2017 CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO E DA COE DO CURSO DE MATEMÁTICA - LICENCIATURA CÂMPUS DE TRÊS LAGOAS UFMS ANO 2017 CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO E DA COE DO CURSO DE MATEMÁTICA - LICENCIATURA CÂMPUS DE TRÊS LAGOAS UFMS ANO 2017 CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO Art. 1º O Regulamento de Estágio do Curso de Matemática do Câmpus

Leia mais

RESOLUÇÃO 036/2011 CEPE/UENP

RESOLUÇÃO 036/2011 CEPE/UENP RESOLUÇÃO 036/2011 CEPE/UENP Súmula Aprova o Regulamento de Estágio Supervisionado Não Obrigatório dos estudantes dos cursos de graduação da UENP. CONSIDERANDO os artigos 61 e 82 da Lei de Diretrizes e

Leia mais

Normas de Estágio Supervisionado do Bacharelado em Ciência da Computação

Normas de Estágio Supervisionado do Bacharelado em Ciência da Computação Normas de Estágio Supervisionado do Aprova as Normas de Estágio Supervisionado do Bacharelado em Ciência da Computação, em conformidade com a Lei de Estágio - Lei Federal Nº 11.788 de 25 de setembro de

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS E FINALIDADES CAPITULO II DA DEFINIÇÃO

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS E FINALIDADES CAPITULO II DA DEFINIÇÃO REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS E FINALIDADES Artigo 1º - O presente regulamento visa disciplinar o Estágio Curricular Supervisionado dos cursos

Leia mais

UniBrasil Centro Universitário

UniBrasil Centro Universitário 1 UniBrasil Centro Universitário REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA CURITIBA MARÇO DE 2014 2 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Do estágio e sua finalidade...3 CAPÍTULO 2 Das condições...3

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO FACULDADE ESTADUAL DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS Praça Coronel Amazonas, s/n.º - Caixa Postal, 291 - Telefone (042) 3521-9100 CEP 84.600-000 UNIÃO DA VITÓRIA ESTADO DO PARANÁ HISTÓRIA E PEDAGOGIA: Decreto

Leia mais

Anexo 2 Normas de Estágio Curricular do Bacharelado em Sistemas de Informação

Anexo 2 Normas de Estágio Curricular do Bacharelado em Sistemas de Informação Anexo 2 Normas de Estágio Curricular do Aprova as Normas de Estágio Curricular do Bacharelado em Sistemas de Informação, em conformidade com a Lei Federal Nº 11.788 de 25 de setembro de 2008 e com as Normas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. Normas Complementares para o Estágio Não obrigatório do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia. NORMAS ESPECÍFICAS PARA A REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BACHARELADO INTERDISCIPLINAR

Leia mais

R E S O L V E: Considerando a necessidade de regulamentar o Estágio Supervisionado Obrigatório, com base na Lei de 26/09/2008.

R E S O L V E: Considerando a necessidade de regulamentar o Estágio Supervisionado Obrigatório, com base na Lei de 26/09/2008. RESOLUÇÃO Nº 678/2008. EMENTA: Estabelece normas para organização e regulamentação do Estágio Supervisionado Obrigatório para os estudantes dos Cursos de Graduação da UFRPE e dá outras providências. O

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Exatas Coordenação do Curso de Matemática

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Exatas Coordenação do Curso de Matemática RESOLUÇÃO Nº 01/2018 Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Exatas Coordenação do Curso de Matemática O Coordenador do Curso de Matemática, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Rua Clarimundo de Melo, 79 - Encantado - Rio de Janeiro - RJ - Tel.: (21) sjt.com.br

Rua Clarimundo de Melo, 79 - Encantado - Rio de Janeiro - RJ - Tel.: (21) sjt.com.br O Diretor Geral da Faculdade São Judas Tadeu, no uso de suas atribuições regimentais, institui o Regulamento de conforme aprovação do Conselho Superior. Art. 1º O estágio é o ato educativo desenvolvido

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CIMATEC NÚCLEO DE CARREIRA PROFISSIONAL MAIO 2012 CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade disciplinar as atividades

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento dispõe sobre as normas e procedimentos a serem observados

Leia mais

Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Faculdade de Arquitetura Curso Noturno de Arquitetura e Urbanismo

Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Faculdade de Arquitetura Curso Noturno de Arquitetura e Urbanismo ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I Das Definições sobre a disciplina Estágio Curricular Supervisionado e suas Finalidades Art. 1º - Nos termos da Lei nº 11.788, de 25 de setembro de

Leia mais

REGULAMENTO Nº 009/2018, DE 18/12/2018.

REGULAMENTO Nº 009/2018, DE 18/12/2018. REGULAMENTO Nº 009/2018, DE 18/12/2018. ESTABELECE CRITÉRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DA FACELI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Diretora

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Estabelece as normas institucionais para a realização de Estágios Curriculares Supervisionados, componentes dos Projetos Pedagógicos dos Cursos

Leia mais

RESOLUÇÃO INTERNA DE DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA

RESOLUÇÃO INTERNA DE DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CAMPUS I Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Estatística Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO INTERNA DE DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO

Leia mais

PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015.

PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015. PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015. Regulamenta a realização de estágios dos alunos dos Cursos de Graduação do Campus de Itapeva. O Coordenador Executivo no uso de suas atribuições legais, expede

Leia mais

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008.

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008. RESOLUÇÃO CONSEPE 18/2008 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS FOZ DO IGUAÇU CAPÍTULO I DA NATUREZA DOS ESTÁGIOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS FOZ DO IGUAÇU CAPÍTULO I DA NATUREZA DOS ESTÁGIOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS FOZ DO IGUAÇU Em consonância com o disposto na Lei nº 11.788 e com o Regulamento de Estágios do IFPR; CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP Mirassol/SP 2014 REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FASC-RJ

REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FASC-RJ REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FASC-RJ Rio de Janeiro - RJ Julho 2018 O COLEGIADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE SÃO CAMILO-RJ, no uso de suas atribuições, RESOLVE: Aprovar

Leia mais

Prof.ª Liane Maria Calarge

Prof.ª Liane Maria Calarge RESOLUÇÃO Nº. 170, DE 09 DE AGOSTO DE 2018. A PRESIDENTE DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando

Leia mais

Apêndice III - Cópia do Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso

Apêndice III - Cópia do Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso Macapá de de. Presidente: Membro: Membro: Apêndice III - Cópia do Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE EXATAS E TECNOLOGIA

Leia mais

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO. Parágrafo Único Somente poderá inscrever-se no Estágio, aluno regularmente matriculado.

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO. Parágrafo Único Somente poderá inscrever-se no Estágio, aluno regularmente matriculado. REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO Artigo 1º - O Estágio Supervisionado, dos Cursos de Graduação, de caráter de iniciação à prática profissional, nos termos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 Regulamenta as atividades de Estágios Supervisionados Obrigatório e Não

Leia mais

Regulamento Institucional do Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Institucional do Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Institucional do Estágio Curricular Obrigatório Faculdade Ateneu Capítulo I Da Definição e Finalidade Art. 1º Entende-se como Estágio Supervisionado o conjunto de atividades práticas direcionadas

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado é um componente

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular CAPITULO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR E SUAS FINALIDADES Art. 1º Este regulamento tem por finalidade orientar a operacionalização do Estágio Curricular

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-LIBRAS

REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-LIBRAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE LIBRAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS LIBRAS REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

Leia mais

FACULDADE DE ARACRUZ - FAACZ PORTARIA Nº 018/2009 DE 31/03/2009

FACULDADE DE ARACRUZ - FAACZ PORTARIA Nº 018/2009 DE 31/03/2009 FACULDADE DE ARACRUZ - FAACZ Mantenedora: Fundação São João Batista PORTARIA Nº 018/2009 DE 31/03/2009 Regulamenta o Estágio Supervisionado/ Estágio Curricular Supervisionado dos Cursos de Graduação da

Leia mais

REGIMENTO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO INSTITUTO FEDERAL DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS BARBACENA

REGIMENTO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO INSTITUTO FEDERAL DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS BARBACENA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS BARBACENA REGIMENTO PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA

Leia mais

ANEXO B - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II e III E PRÁTICA DE ENSINO

ANEXO B - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II e III E PRÁTICA DE ENSINO ANEXO B - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II e III E PRÁTICA DE ENSINO TÍTULO l ESTÁGIO CAPÍTULO 1 PRINCÍPIOS E DIRETRIZES Art. 1 O Estágio Supervisionado I, II e III, disciplinas pedagógicas integrantes dos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006.

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 034/2006 - CEPE DE 23 de Agosto de 2006. APROVA A ALTERAÇÃO DA RESOLUÇÃO CEPE N.º 003- A/2003 NORMAS DE ESTÁGIO. O Reitor da Universidade Castelo Branco, usando de suas atribuições legais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais e,

RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais e, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE Aprova alteração nas Normas de Estágio do Curso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 Regulamenta as atividades de Estágio Curricular Obrigatório e Não-obrigatório do Curso de Graduação da Escola de Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS 0BRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS 0BRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS 0BRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1. o - Este regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE BIOMEDICINA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE BIOMEDICINA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE BIOMEDICINA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I E II DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA CAPÍTULO I - DA NATUREZA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO MINUTA RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/XX/2013 Regulamenta e define a carga horária e a ementa do componente curricular Estágio Supervisionado,

Leia mais

PORTARIA CE Nº 08 de 11 de março de 2013.

PORTARIA CE Nº 08 de 11 de março de 2013. PORTARIA CE Nº 08 de 11 de março de 2013. Regulamenta a realização de estágios dos alunos do Curso de Graduação em Engenharia Industrial Madeireira do Campus Experimental de Itapeva. O Vice-Coordenador

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS BACHARELADO - FCBA/UFGD. Capítulo I DA REGULAMENTAÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS BACHARELADO - FCBA/UFGD. Capítulo I DA REGULAMENTAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS BACHARELADO - FCBA/UFGD Capítulo I DA REGULAMENTAÇÃO Art. 1º O Regulamento do Estágio Supervisionado em Ciências Biológicas, do Curso

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA 1 REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. Estas normas regulamentam os estágios dos cursos

Leia mais

APÊNDICE E: Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Música - Licenciatura

APÊNDICE E: Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Música - Licenciatura 119 APÊNDICE E: Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Música - Licenciatura SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ CURSO MÚSICA

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO A Coordenadora da FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS - FACIT, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Regimento Geral e Legislação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE MARÇO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE MARÇO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.262, DE 22 DE MARÇO DE 2012 Institui o Regulamento para a realização dos Estágios Supervisionados,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 149/2009. O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE, no uso de suas atribuições,

RESOLUÇÃO CONSEPE 149/2009. O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE, no uso de suas atribuições, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Autorizada pelo Decreto Federal N o 77.496 de 27/04/76 Reconhecida pela Portaria Ministerial N o 874/86 de 19/12/86 GABINETE DA REITORIA RESOLUÇÃO CONSEPE 149/2009

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES Art. 1º - O presente documento tem por finalidade estabelecer regulamentação para a realização dos estágios dos alunos matriculados nos Cursos

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 016/2008

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 016/2008 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 016/2008 A Presidente em exercício do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições, considerando o deliberado na 70ª. Reunião Ordinária do

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPITULO II DAS FINALIDADES

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPITULO II DAS FINALIDADES REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 - Este regulamento fixa as normas para o estágio do Curso de Biblioteconomia do, de acordo com as disposições

Leia mais

PORTARIA ICT/DTA Nº 55, de 11 de setembro de

PORTARIA ICT/DTA Nº 55, de 11 de setembro de PORTARIA ICT/DTA Nº 55, de 11 de setembro de 2 015. Dispõe sobre a regulamentação de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental do Instituto de Ciência e Tecnologia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ALBINO

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ALBINO REGULAMENTO Art.1º - A Lei 11.788 de 25 de setembro de 2008, anexa no final deste manual, considera estágio curricular atividades exercidas em situações reais de vida e de trabalho, constituindo-se em

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO - CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GRAU LICENCIATURA. Título I DA CONCEITUAÇÃO E OBRIGATORIEDADE

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO - CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GRAU LICENCIATURA. Título I DA CONCEITUAÇÃO E OBRIGATORIEDADE NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO - CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GRAU LICENCIATURA Título I DA CONCEITUAÇÃO E OBRIGATORIEDADE Art. 1º. Entende-se por Estágio Curricular Supervisionado o ato educativo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 37, DE 28 DE MAIO DE Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

RESOLUÇÃO Nº 37, DE 28 DE MAIO DE Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. RESOLUÇÃO Nº 37, DE 28 DE MAIO DE 2015. O COLEGIADO DE CURSO DO CURSO DE MATEMÁTICA - LICENCIATURA do Instituto de Matemática da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESCOLA BRASILEIRA DE ECONOMIA E FINANÇAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS.

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESCOLA BRASILEIRA DE ECONOMIA E FINANÇAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS. ESCOLA BRASILEIRA DE ECONOMIA E FINANÇAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Realização: Direção da EBEF Coordenação da Graduação da EBEF Coordenação de Estágio

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL-FACIMED Autorizado Portaria Nº 306, de 20 de maio de Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL-FACIMED Autorizado Portaria Nº 306, de 20 de maio de Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL-FACIMED Autorizado Portaria Nº 306, de 20 de maio de 2014 CURSO DE BACHARELADO EM ARQUITETURA E URBANISMO Cacoal - RO 2016 2 REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO REGULAMENTO Art. 1º Este Regulamento de Estágio visa definir procedimentos didáticopedagógicos para os

Leia mais

RESOLUÇÃO CCLEEAD N O 3/2016

RESOLUÇÃO CCLEEAD N O 3/2016 Universidade Federal da Paraíba Unidade de Educação a Distância UFPB - Virtual Centro de Ciências Aplicadas e Educação Curso de Licenciatura em Letras - Língua Espanhola RESOLUÇÃO CCLEEAD N O 3/2016 Regulamenta

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIAS DO AMAZONAS IFAM

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIAS DO AMAZONAS IFAM REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIAS DO AMAZONAS IFAM CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º. Este documento

Leia mais

RUA MUCURI, S/N, ST. CONDE DOS ARCOS FONE (62) / APARECIDA DE GOIÂNIA-GO CEP:

RUA MUCURI, S/N, ST. CONDE DOS ARCOS FONE (62) / APARECIDA DE GOIÂNIA-GO CEP: RESOLUÇÃO N 01/2016 Regulamenta as atividades de Estágio Curricular Obrigatório e Não-obrigatório do Curso de Graduação de Engenharia de Produção da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Federal

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O Projeto Pedagógico do Curso Turismo da UFPR prevê a realização de estágio nas modalidades de obrigatório

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS OURO BRANCO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

Leia mais

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 16 de dezembro de José Antonio Cruz Duarte, OFM Vice-Reitor no exercício da Presidência

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 16 de dezembro de José Antonio Cruz Duarte, OFM Vice-Reitor no exercício da Presidência RESOLUÇÃO CONSEPE 98/2009 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ARQUITETURA E URBANISMO, DO CAMPUS DE ITATIBA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Vice-Reitor da Universidade São Francisco, no

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA CONSELHO DO INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA CONSELHO DO INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA CONSELHO DO INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM

Leia mais

ANEXO II REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES SUPERVISIONADOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - LICENCIATURA

ANEXO II REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES SUPERVISIONADOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - LICENCIATURA ANEXO II REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES SUPERVISIONADOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS - LICENCIATURA REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES SUPERVISIONADOS SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado consiste num conjunto de atividades profissionais desempenhadas pelos alunos, sendo

Leia mais

FACULDADE DE PRESIDENTE VENCESLAU

FACULDADE DE PRESIDENTE VENCESLAU REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I Das Disposições Legais Art.1º - O estágio deve propiciar a complementação do ensino e da aprendizagem e ser planejado, executado, acompanhado e avaliado

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O Diretor Geral Pró Tempore do Instituto Federal Catarinense Campus de Blumenau, no uso de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 004, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 004, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre RESOLUÇÃO Nº 004, DE 26 DE SETEMBRO

Leia mais

CETRO CONSULTORIA EDUCACIONAL E PARTICIPAÇÕES LTDA FACULDADE DE ITAPECERICA DA SERRA FIT

CETRO CONSULTORIA EDUCACIONAL E PARTICIPAÇÕES LTDA FACULDADE DE ITAPECERICA DA SERRA FIT CETRO CONSULTORIA EDUCACIONAL E PARTICIPAÇÕES LTDA FACULDADE DE ITAPECERICA DA SERRA FIT Regulamento de Estágio Supervisionado REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I Das Disposições da Lei Artigo

Leia mais

Considerando o contido das fls. 383 a 396 do processo nº 621/2002 volume

Considerando o contido das fls. 383 a 396 do processo nº 621/2002 volume R E S O L U Ç Ã O N o 047/2006-CEP CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria, no dia 22/5/2006. Aprova regulamento do componente Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

Regulamento de Estágio

Regulamento de Estágio Regulamento de Estágio Curricular Regulamento de Estágio Curricular ESCOLA SUPERIOR DE ARTES CÉLIA HELENA BACHARELADO EM TEATRO Reconhecido pela Portaria SERES n 51 de 28/05/12, publicada DOU de 01/06/12

Leia mais

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Faculdade de Hortolândia REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Hortolândia 2015 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I

Leia mais

Anexo - Resolução CONSU nº 033/2010. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Anexo - Resolução CONSU nº 033/2010. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Anexo - Resolução CONSU nº 033/2010. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Dispõe sobre a prática das Atividades de Estágio Supervisionado do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Praia Grande São Paulo Dezembro de 2008 CAPÍTULO I DA NATUREZA Artigo 1º O presente regulamento tem como objetivo normatizar as atividades relacionadas com o estágio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 016, DE 12 DE AGOSTO DE 2014 Aprova o Regulamento dos Estágios Supervisionados,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Capítulo I DA NATUREZA Art. 1º. O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Computação do Câmpus Jandaia do Sul da UFPR prevê a realização

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS PARA O CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO CENTRO DE BLUMENAU. I Da natureza e dos objetivos

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS PARA O CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO CENTRO DE BLUMENAU. I Da natureza e dos objetivos SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE BLUMENAU Coordenação do Curso de Licenciatura em Matemática Coordenação de s do Curso de Licenciatura em Matemática REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO BACHARELADO EM ZOOTECNIA DO IF BAIANO - CAMPUS SANTA INÊS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO BACHARELADO EM ZOOTECNIA DO IF BAIANO - CAMPUS SANTA INÊS 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO Campus SANTA INÊS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO BACHARELADO

Leia mais