Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010"

Transcrição

1 de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

2

3 DEFINIÇÃO. Mistura de aglomerantes e agregados com água, possuindo capacidade de endurecimento (NBR 7200).. São materiais de construção constituídos por uma mistura íntima (homogênea) de um ou mais aglomerantes, agregado miúdo e água (exceto argamassas betuminosas). Ainda podem ser adicionados produtos especiais para melhorar ou conferir determinadas propriedades ao conjunto (PETRUCCI, 1993).. As argamassas são constituídas de um material ativo, a pasta, e um material inerte, o agregado miúdo.. LEMBRANDOOO: As pastas são misturas íntimas de um ou mais aglomerantes e água.

4 APLICAÇÃO As argamassas são muito utilizadas em construção: - No assentamento tijolos, pedras, blocos, pastilhas, cerâmicas, etc.; - Revestimento de paredes e tetos (emboço e reboco); - Regularização de pisos e reparos de peças de concreto.

5 OBSERVAÇÕES:. As natas de cal são utilizadas em revestimentos e pinturas.. As natas de cimento são utilizadas para fazer ligação de argamassas e concretos de cimento e para injeções.. As pastas têm uso restrito em construções, tanto pelo seu elevado custo como, também pelos efeitos secundários que se manifestam, principalmente a retração.. A adição de agregado miúdo à pasta, no caso das argamassas de cimento, é com a finalidade de torná-las mais econômicas e eliminar em parte as modificações de volume (diminuir os efeitos da retração); no caso das argamassas de cal, a adição de areia, além de oferecer as vantagens citadas anteriormente, tornam as argamassas mais permeáveis ao ar para permitir o acesso do gás carbônico para ocorrer a carbonatação.

6 PROPRIEDADES: As argamassas devem ter algumas propriedades, tanto no estado fresco quanto no estado endurecido. As propriedades são: ESTADO FRESCO: 1. Consistência Maior ou menor facilidade de se opor à resistência a uma dada deformação. Água e aditivos especiais influenciam na consist. da argamassa 2. Retenção da consistência Manter sua consistência após em contato com um substrato. Argamassas de assentamento das alvenarias e peças cerâmicas de revestimento e dependem fundamentalmente da retenção de água.

7 PROPRIEDADES: ESTADO FRESCO: 3. Coesão e tixotropia - coesão é a capacidade de argamassa fresca em manter seus constituintes homogêneos sem segregação. As argamassas de assentamento e revestimento de alvenarias devem possuir uma boa coesão. A forma mais utilizada para conseguir-se a coesão em argamassas de assentamento e revestimento é usando a cal hidratada. Tixotrópicas exigem uma baixa energia para alterarem sua forma, mas depois de alterada, conseguem mantê-la mesmo sob ação da gravidade.. A tixotropia é propriedade exigida nas argamassas de assentamento de peças cerâmicas e argamassas de recuperação

8 PROPRIEDADES: ESTADO FRESCO: 4. Plasticidade - deformar-se e reter certas deformações após a redução das tensões que lhe forem impostas.. Depende da coesão, consistência e retenção de água. 5. Retenção de água - manter sua consistência ou trabalhabilidade quando sujeita à solicitações que provoquem perda de água (evaporação ou sucção do substrato). Os aglomerantes são os principais responsáveis pela capacidade de retenção de água, devido à elevada área específica e à grande capacidade de adsorção de suas partículas. ao substrato no estado endurecido.

9 PROPRIEDADES: ESTADO FRESCO: 6. Adesão inicial Capacidade de permanecer adequadamente unida à base após sua aplicação.. Sofre influencia da coesão e plasticidade da argamassa e pelas propriedades do substrato ( absorção inicial e rugosidade).. Esta propriedade está diretamente ligada a aderência da argamassa ao substrato no estado endurecido.

10 PROPRIEDADES: ESTADO ENDURECIDO: 1. Resistência mecânica - Independente do tipo de aplicação de uma argamassa, esta, sempre será submetida a algum tipo de esforço mecânico após seu endurecimento.. As argamassas de assentamento são solicitadas à compressão, as argamassas de revestimento à abrasão superficial, impacto e tensões de cisalhamento (movimentações do substrato e/ou variações térmicas/ higrométricas).. A resistência mecânica de uma argamassa depende do tipo e teor de aglomerante empregado.. O cimento Portland é o principal responsável por esta propriedade nas misturas convencionais. Misturas muito ricas em cimento provocam uma alta retração volumétrica além de diminuírem a capacidade do material em absorver pequenas deformações sem fissurar.

11 PROPRIEDADES: ESTADO ENDURECIDO: 2. Deformidade Capacidade de se deformar sem criar tensões no material.. Importante nos revestimentos e assentamentos de unidades de alvenaria. 3. Permeabilidade - capacidade de um material em se deixar atravessar por um fluido. Pode ser controlada pelo tipo e quantidade de aglomerante usado.. O uso do cimento Portland em proporções adequadas pode diminuir a permeabilidade de um revestimento argamassado. Enquanto que com teores excessivos podem levar a fissuração por retração hidráulica comprometendo a permeabilidade.

12 PROPRIEDADES: ESTADO ENDURECIDO: 4. Retração volumétrica - retração resultante da reação química dos aglomerantes (cal e cimento Portland) e remoção da água absorvida nos produtos de hidratação durante a secagem.. Alguns fatores influenciando a retração: o teor de aglomerante, volume de água, granulometria dos agregados e condições ambientais. 5. Aderência - capacidade da argamassa em se fixar no substrato onde é aplicada. Alguns fatores afetam a aderência de uma argamassa: adesão inicial, rugosidade e absorção inicial do substrato, retenção de água, tipo de aglomerante empregado e granulometria dos agregados.

13 CLASSIFICAÇÃO: QUANTO AO EMPREGO: 1. Comuns: Quando se destinam a uso comum. Exemplos: Argamassa para rejuntamentos, para revestimentos, para pisos, injeções, etc.). 2. Especiais: Quando destinadas a uso não comum. Exemplos: Refratárias (resistir altas temperaturas), de reparos, etc.

14 CLASSIFICAÇÃO: QUANTO AO TIPO DE AGLOMERANTE: 1. Aéreas: Quando utiliza-se um ou mais aglomerantes aéreos. Exemplos: De cal aérea, gesso, magnésia sorel. 2. Hidráulicas: Quando utiliza-se um ou mais aglomerantes hidráulicos. Exemplos: Cal hidráulica e cimento Portland comum). 3. Mistas: Quando utiliza-se um aglomerante aéreo e um aglomerante hidráulico. Exemplos: Cal e cimento.

15 CLASSIFICAÇÃO: QUANTO A DOSAGEM: 1.Pobres ou Magras: Quando o volume de pasta é insuficiente para preencher o volume de vazios. 2. Cheias: Quando o volume de pasta preenche exatamente os vazios do agregado. 3. Ricas ou gordas: Quando há excesso de pasta.

16 CLASSIFICAÇÃO: QUANTO A CONSISTÊNCIA: 1.Secas: É necessário aplicar uma energia significativa para poder conformá-la na sua forma final. Exemplo: argamassas magras utilizadas em contrapiso. 2. Plásticas: Com um pequeno esforço atinge a sua forma final. Exemplos: Argamassas de assentamento de tijolos, blocos, peças cerâmicas e de revestimento de alvenarias. 3. Fluídas: Escorrem e se auto-nivelam sem qualquer esforço além da força da gravidade para sua aplicação. Exemplo: Argamassas de preenchimento de blocos de concreto.

17 ARGAMASSAS AÉREAS: -ARGAMASSA DE CAL AÉREA -ARGAMASSA DE GESSO ARGAMASSAS HIDRÁULICAS: -ARGAMASSA DE CIMENTO -ARGAMASSA MISTA DE CAL E CIMENTO

18 ARGAMASSAS AÉREAS: -ARGAMASSA DE CAL AÉREA:. Tem uso bastante limitado (apenas para interiores de edificações), devido a baixa resistência mecânica (menor que 1MPa aos 28 dias) e alta retração na secagem.. Não devem secar de maneira muito rápida porque as reações de carbonatação necessitam da presença de água.. Não devem ser utilizadas composições muito ricas nem com muita quantidade de água devido ao problema da retração.. Na utilização da cal hidratada deve ser feita uma mistura prévia, anterior ao uso para que se complete a extinção da cal.. Empregadas na proteção de elementos construtivos de madeira, aços, concreto, etc.

19 ARGAMASSAS AÉREAS: -ARGAMASSA DE GESSO:. São empregadas em revestimentos internos de acabamento fino.. Normalmente, em lugar da argamassa, emprega-se o gesso puro, sem adição de areia, pois o gesso não necessita da adição de agregado para evitar a retração hidráulica. E o agregado, quando utilizado, serve apenas para baratear a mistura, já que diminui a sua resistência.. Quando deseja-se uma superfície muito lisa não se faz uso da areia.. As pastas e argamassas de gesso também possuem uma elevada resistência a altas temperaturas.

20 ARGAMASSAS HIDRÁULICAS: -ARGAMASSA DE CIMENTO:. As argamassas de cimento e areia têm alguns empregos como chapiscos, assentamento de pisos, contrapisos, pisos, assentamento alvenarias e argamassa armada.. São caracterizadas pela pouca trabalhabilidade (baixa coesão) e grande resistência.

21 ARGAMASSAS HIDRÁULICAS: -ARGAMASSA MISTA DE CAL E CIMENTO:. São as mais empregadas na construção civil.. Possuem propriedades como resistência (conferida pelo cimento), trabalhabilidade (conferida pela cal) e retenção de água (conferida pela cal).. A proporção da mistura depende da utilização desejada.. Algumas aplicações: Assentamento de alvenaria pouco resistentes Assentamento de alvenaria de média resistência, alvenaria estrutural Assentamento de alvenaria de alta resistência ou sujeitas a ambientes agressivos Emboço e reboco (interno e externo) Chapisco Revestimentos finos, tetos e forros falsos de gesso Contrapiso para assentamento de carpete e cerâmica

22 ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO - ESTRUTURAL - VEDAÇÃO

23 ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO - Garante a estabilidade da união dos blocos (parede), assim como seu prumo. - O alinhamento e o esquadro, também dependem da correta marcação.

24 ARGAMASSA DE REVESTIMENTO: Usualmente são aplicadas três camadas de argamassa em uma parede a ser revestida: Chapisco: primeira camada fina e rugosa de argamassa aplicada sobre os blocos das paredes e nos tetos. Sem o chapisco, que é a base do revestimento, as outras camadas podem descolar e até cair. Em alguns casos, como em muros, esse pode ser o único revestimento. O acabamento de paredes mais econômico é o cimentado liso, aplicado diretamente sobre o chapisco. Emboço: sobre o chapisco é aplicada uma camada de massa grossa ou emboço, para regularizar a superfície. Revestimentos como azulejos, ladrilhos e cerâmicas são aplicados sobre o emboço.

25 ARGAMASSA DE REVESTIMENTO: Reboco: é a massa fina ou o reboco, que dá o acabamento final. Em alguns casos não é usado o reboco, por motivo de economia. Geralmente tem em seu traço areias mais finas, pois servem para dar o acabamento ao revestimento. Por sobre as argamassas de revestimentos podem ser aplicados outros acabamentos como texturas, massas corridas, pintura, areias quartzo, estuque veneziano etc. As três primeiras fiadas de uma parede de blocos ou tijolos devem ser revestidas inicialmente com uma camada de argamassa de impermeabilização, que protege a parede contra a penetração da umidade. No piso, utiliza-se uma camada de contrapiso e pode-se dar o acabamento por sobre esta camada. Este acabamento é conhecido como cimentado. O contrapiso é uma camada de argamassa de regularização e de nivelamento.

26 ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO

27 ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO

28 CHAPISCO - Fornece uma base que garante aderência ao revestimento (emboço)

29 REVESTIMENTO: FUNÇÃO DO REVESTIMENTO: Proteger alvenarias e estrutura contra intempéries e agentes agressivos. Completar sistema de vedação. Isolamento térmico, acústico, estanqueidade (H2O e Gases), desgaste, fixação de cargas, etc. Regularizar superfície dos elementos de vedação.

30 ARGAMASSA DE REVESTIMENTO: TIPOS:. Dosada em central. Preparada na obra. Industrializada. Mistura semipronta para argamassa

31 ARGAMASSA DE REVESTIMENTO: REVESTIMENTO EXTERNO:

32 ARGAMASSA PARA CONTRAPISO:

33 ARGAMASSA PARA CONTRAPISO:

34 ARGAMASSA DECORATIVA:

35 ARGAMASSA DECORATIVA:

36 ARGAMASSA DECORATIVA:

37 ARGAMASSA COLANTE:

38 ARGAMASSA COLANTE: FUNÇÃO: COLOCAÇÃO DE CERÂMICA

39 ARGAMASSA DE REJUNTAMENTO: Preenche os espaços entre as placas cerâmicas, com as seguintes funções: a) Oferecer relativo poder de acomodação às movimentações da base e das placas cerâmicas b) Compensar a variação de bitola das placas cerâmicas, facilitando o alinhamento c) Facilitar a troca de placas cerâmicas d) Atender a estética

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas de cimento, cal e areia destinadas ao uso em alvenarias e revestimentos Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: NBR 7200:1998 NBR 13529:2013

Leia mais

AULA 6 ARGAMASSA. Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting. 1 o semestre 2015

AULA 6 ARGAMASSA. Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting. 1 o semestre 2015 AULA 6 ARGAMASSA Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2015 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil ARGAMASSAS DEFINIÇÃO Materiais

Leia mais

Capítulo 26. Argamassas

Capítulo 26. Argamassas Capítulo 26 Argamassas Helena Carasek Universidade Federal de Goiás Definição Argamassas são materiais de construção, com propriedades de aderência e endurecimento, obtidos a partir da mistura homogênea

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 06. Aglomerantes e Cal

Materiais de Construção Civil. Aula 06. Aglomerantes e Cal Materiais de Construção Civil Aula 06 Aglomerantes e Cal Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Definição Aglomerante é o material ativo, ligante, cuja principal função é formar uma pasta que promove a união

Leia mais

AULA 6 ARGAMASSA continuação

AULA 6 ARGAMASSA continuação AULA 6 ARGAMASSA continuação Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil ARGAMASSAS - PROPRIEDADES

Leia mais

Disciplina: Materiais de Construção I Assunto: Argamassas no estado seco e fresco Prof. Ederaldo Azevedo Aula 6 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 1.1 Conceitos Básicos: Argamassa é um material composto,

Leia mais

Argamassas de Revestimento

Argamassas de Revestimento Argamassas de Revestimento q Argamassa de revestimento é utilizada para revestir paredes, muros e tetos, os quais, geralmente, recebem acabamentos como pintura, cerâmicos, laminados, etc; q O revestimento

Leia mais

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia da Argamassa P R O M O Ç Ã O

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia da Argamassa P R O M O Ç Ã O Revestimentos de Argamassa Tecnologia da Argamassa P R O M O Ç Ã O Revestimento de Argamassa Material Projeto Equipamentos e ferramentas inadequado Problemas no revestimento Planejamento Treinamento Roteiro

Leia mais

Argamassa TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA. Elizeth Neves Cardoso Soares 2016

Argamassa TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA. Elizeth Neves Cardoso Soares 2016 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA Elizeth Neves Cardoso Soares 2016 Definições Pastas Resulta das reações químicas do cimento com a água. Quando há água em excesso, denomina-se nata. Argamassa São misturas

Leia mais

Argamassas e Revestimento

Argamassas e Revestimento Introdução 2/26 Argamassas e Revestimento Argamassa é o resultado da mistura de aglomerante, agregado miúdo, água e às vezes aditivos, usada para assentamento de alvenarias e revestimentos. Aglomerante:

Leia mais

ARGAMASSAS E CONCRETOS ARGAMASSAS

ARGAMASSAS E CONCRETOS ARGAMASSAS ARGAMASSAS E CONCRETOS ARGAMASSAS HISTÓRICO Acredita-se que a argamassa surgiu na Pérsia antiga, onde usava-se alvenaria de tijolos secos ao sol, com assentamento de argamassas de cal. Seu desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Mestrado Acadêmico Aderência à base Deficiência de Aderência Características do Substrato Dosagem da Argamassa Técnica de Execução Argamassa 2 Ok Ok Ok Ok 2 Subidas

Leia mais

REVESTIMENTOS VERTICAIS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTOS VERTICAIS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTOS VERTICAIS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I O CONCEITO FUNCIONAL É um elemento funcional do edifício com funções bem

Leia mais

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral Universidade Federal do Ceará Curso de Engenharia Civil Aula 3: Argamassa Prof. Eduardo Cabral Definição e Histórico Piso de 180m 2 no sul da Galiléia entre 7.000a.C. e 9.000a.C. Laje de 25cm de espessura

Leia mais

8/2/2011 AGLOMERANTES. Definição: Exemplos: Aglomerantes. Nomenclatura. Relação Pega x Endurecimento. Propriedades. Argila Gesso Cal Cimento Betume

8/2/2011 AGLOMERANTES. Definição: Exemplos: Aglomerantes. Nomenclatura. Relação Pega x Endurecimento. Propriedades. Argila Gesso Cal Cimento Betume Definição: AGLOMERANTES Aglomerantes são materiais ativos, geralmente pulverulentos, que entram na composição das pastas, argamassas e concretos. Nomenclatura Exemplos: Aglomerantes Aglomerantes = materiais

Leia mais

Revestimentos de Argamassa Conceitos P R O M O Ç Ã O

Revestimentos de Argamassa Conceitos P R O M O Ç Ã O Revestimentos de Argamassa Conceitos P R O M O Ç Ã O TECNOLOGIA DA ARGAMASSA Conceitos Sistema de Revestimento de Argamassa Desempenho do sistema Materiais Constituintes Dosagem Escolha do Sistema de Revestimento

Leia mais

Prof. Marcos Valin Jr. Prof. Marcos Valin Jr. Qual a definição de. Argamassa. Argamassa. Prof. Marcos Valin Jr.

Prof. Marcos Valin Jr. Prof. Marcos Valin Jr. Qual a definição de. Argamassa. Argamassa. Prof. Marcos Valin Jr. Qual a definição de www.mvalin.com.br 1 Material de construção, com propriedade de aderência e endurecimento, obtida a partir da mistura homogênea de um ou mais aglomerantes, agregados miúdos (areia) e

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

PROJETO E EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS

PROJETO E EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Fundação Carmelitana Mário Palmério Materiais de Construção Civil PROJETO E EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Professor: Yuri Cardoso Mendes Revestimentos cerâmicos Para realizar um bom projeto de revestimento

Leia mais

Argamassas e Equipamentos

Argamassas e Equipamentos Componentes: Argamassas e Equipamentos Engº Fábio Campora Argamassa Equipamentos Logística de obra Equipe de aplicação Argamassa Definição Argamassa Mistura homogênea de agregados miúdos, aglomerantes

Leia mais

Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc.

Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc. Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc. M A T E R I A I S D E C O N S T R U Ç Ã O C I V I L I I AGREGADOS ARGAMASSA A n á p o l i s, 2 0 1

Leia mais

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento 200888 Técnicas das Construções I REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 13 EXERCÍCIO 1 ESCOLHA DO SISTEMA DE

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS Prof. Dr a Marienne do Rocio M.Maron da Costa mariennecosta@uol.com.br Tópico da Disciplina TC 034 Materiais III Departamento de Construção Civil- DCC Universidade Federal do Paraná

Leia mais

PROPRIEDADES DO. Trabalhabilidade e Consistência CONCRETO FRESCO

PROPRIEDADES DO. Trabalhabilidade e Consistência CONCRETO FRESCO Universidade Paulista Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil Professora Moema Castro, MSc. CONCRETO FRESCO CONCRETO ENDURECIDO TECNOLOGIA

Leia mais

Tecnologia da Construção Civil - I Revestimento. Roberto dos Santos Monteiro

Tecnologia da Construção Civil - I Revestimento. Roberto dos Santos Monteiro Tecnologia da Construção Civil - I Revestimento Reves%mento NBR 7200 - Execução de revestimento de paredes e tetos de argamassas inorgânicas Procedimento. Esta Norma fixa o procedimento de execução de

Leia mais

ARGAMASSAS E CONCRETOS AGLOMERANTES

ARGAMASSAS E CONCRETOS AGLOMERANTES ARGAMASSAS E CONCRETOS AGLOMERANTES DEFINIÇÃO São materiais ligantes, em geral pulverulentos, que promovem a união entre os grãos de agregados. Estes materiais sofrem transformações químicas, por isso

Leia mais

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS O que é revestimento? Revestimentos mais comuns Argamassas Cerâmicos Pedra

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO OBJETIVO DA DISCIPLINA: Fornecer ao aluno as informações necessárias sobre a constituição,

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Partes I e II)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Partes I e II) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Partes I e II) Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

f xm - Resistência média das amostras f xk ALVENARIA ESTRUTURAL Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: MATERIAIS

f xm - Resistência média das amostras f xk ALVENARIA ESTRUTURAL Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: MATERIAIS Alvenaria Ministério Estruturalda Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: Função da relação

Leia mais

Aula 06: Revestimentos Verticais

Aula 06: Revestimentos Verticais Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 Tecnologia da Construção de Edifícios II Aula 06: Revestimentos Verticais Comportamento do Revestimento

Leia mais

Técnicas de Construção Civil 3 Revestimento Interno e Externo

Técnicas de Construção Civil 3 Revestimento Interno e Externo Curso Técnico em Edificações Disciplina Técnicas de Construção Civil 3 Revestimento Interno e Externo Docente: Profa. Priscila B. Alves TCCC3 O que é? Pra que serve? Quais os tipos? Introdução Nada mais

Leia mais

Soluções Completas Para o Seu Projeto.

Soluções Completas Para o Seu Projeto. Soluções Completas Para o Seu Projeto. Há mais de 50 anos a Argatex oferece soluções para construção civil, sempre com os princípios de oferecer produtos de alta qualidade que simplifiquem e otimizem a

Leia mais

CONCRETO. FMC Profª Bárbara Silvéria

CONCRETO. FMC Profª Bárbara Silvéria CONCRETO FMC Profª Bárbara Silvéria Concreto - conceito O concreto é um material de construção resultante da mistura de aglomerante, agregados e água, formando um bloco monolítico; Concreto conceito A

Leia mais

AGLOMERANTES. FMC Profª Bárbara Silvéria

AGLOMERANTES. FMC Profª Bárbara Silvéria AGLOMERANTES FMC Profª Bárbara Silvéria Aglomerantes Definição Aglomerante é o material ativo, ligante, em geral pulverulento, cuja principal função é formar uma pasta que promove a união entre os grãos

Leia mais

Argamassa Colante. Argamassa Colante. Areia fina. Aditivos. Adições

Argamassa Colante. Argamassa Colante. Areia fina. Aditivos. Adições Argamassa Colante Argamassa Colante q As argamassas colantes são formadas pela composição de agregados, aglomerantes, aditivos, água e eventualmente adições. Cimento Portland Areia fina Argamassa Colante

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA. Construção Civil II

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA. Construção Civil II Curso: Engenharia Civil Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA Construção Civil II Aula 01 Vedações verticais Alvenaria de vedação e Gesso acartonado Prof. Dr. Alberto Casado

Leia mais

Bibliografia recomendada

Bibliografia recomendada Associação Educativa Evangélica UniEvangélica Curso de Engenharia Civil Professora Moema Castro, MSc. MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Anápolis, 2017/1. Capitulo 5 Bibliografia

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONCRETOS ESPECIAIS

TECNOLOGIA EM CONCRETOS ESPECIAIS TECNOLOGIA EM CONCRETOS ESPECIAIS Renato Vitti Coordenador Técnico DTM.. Somos parte do Grupo Votorantim Um dos maiores grupos de negócios do Brasil VID - Votorantim Industrial VF - Votorantim Finanças

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 07 Revestimentos cerâmicos de paredes REVESTIMENTOS DE PAREDES Conjunto de camadas que recobre as vedações e a estrutura de um edifício com as funções de complementar as funções

Leia mais

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O Revestimentos de Argamassa Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O TECNOLOGIA DA ARGAMASSA Conceitos Sistema de Revestimento de Argamassa Desempenho do sistema Materiais Constituintes Dosagem Escolha do

Leia mais

Prof. Msc. Jerônimo Cabral. Dra. Kay Loh Msc. Gilberto R. Cavani

Prof. Msc. Jerônimo Cabral. Dra. Kay Loh Msc. Gilberto R. Cavani Promoção Realização 21 a 25 de setembro de 2009 Hotel Maksoud Plaza São Paulo Anomalias em Fachadas de Edificações Dra. Kay Loh Msc. Gilberto R. Cavani Msc. Jerônimo Cabral P. Fagundes Neto Comunicados

Leia mais

Tecnologia das construções

Tecnologia das construções Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Revestimentos argamassados Execução de edificações Revestimentos argamassados

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO. DOSAGEM é o proporcionamento adequado. e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos

DOSAGEM DE CONCRETO. DOSAGEM é o proporcionamento adequado. e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos DOSAGEM DE CONCRETO DEFINIÇÃO DOSAGEM é o proporcionamento adequado e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos 2 1 DOSAGEM Ingredientes Execução 3 MATERIAIS CONSTITUINTES ou a receita

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS RESUMO Lucas Borsatto Schmitz (1), Jakson Fábio Bitencourt Araújo (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

CARACTERÍSTICAS PROCESSOS DE APLICAÇÃO. o Durabilidade o Beleza o Cuidados especiais na aplicação o Alto peso

CARACTERÍSTICAS PROCESSOS DE APLICAÇÃO. o Durabilidade o Beleza o Cuidados especiais na aplicação o Alto peso REVESTIMENTO VERTICAL DE PEDRA NATURAL Fonte: Revista Téchne no.10 1 o Durabilidade o Beleza o Cuidados especiais na aplicação o Alto peso CARACTERÍSTICAS PROCESSOS DE APLICAÇÃO o Sistema ADERENTE: Assentamento

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A VF

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A VF a) Descreva a ruptura do concreto, relatando o seu comportamento quando submetido à tensões de compressão até 30% da ruptura, entre 30 e 50%, entre 50% e 75% e de 75% até o colapso. b) Defina cura do concreto,

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS II PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA

CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS II PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA AS FISSURAS NOS REVESTIMENTOS RESPONDEM EM MÉDIA POR 15% DOS CHAMADOS PARA ATENDIMENTO PÓS-OBRA DENTRO DO PRAZO DE GARANTIA ORIGEM E INCIDÊNCIA DAS MANIFESTAÇÕES

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Concreto translúcido M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira Concreto Translúcido Uma empresa húngara desenvolveu um tipo de concreto que, misturado a uma pequena porcentagem de fibras

Leia mais

REVESTIMENTO EM ARGAMASSAS

REVESTIMENTO EM ARGAMASSAS REVESTIMENTOS Ministério EM ARGAMASSAS da Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) REVESTIMENTO EM ARGAMASSAS Prof. José de Almendra Freitas Jr. freitasjose@terra.com.br

Leia mais

REVESTIMENTOS DE PAREDE

REVESTIMENTOS DE PAREDE REVESTIMENTOS DE PAREDE REVESTIMENTO DE PAREDES CHAPISCO EMBOÇO REBOCO CHAPISCO SUPERFÍCIE ÁSPERA ENTRE A ALVENARIA E O EMBOÇO ARGAMASSA DE CIMENTO E AREIA 1:3, CONSISTÊNCIA BEM PLÁSTICA COLHER DE PEDREIRO

Leia mais

Agregados para argamassas e concreto

Agregados para argamassas e concreto Agregados para argamassas e concreto Agregados Materiais em forma de grãos, geralmente inertes, sem tamanho e forma definidos, que têm por objetivo compor argamassas e concretos. Funções dos agregados:

Leia mais

Conheça os produtos industrializados existentes no mercado e veja dicas para compra, recebimento e armazenamento

Conheça os produtos industrializados existentes no mercado e veja dicas para compra, recebimento e armazenamento Argamassas de revestimento Conheça os produtos industrializados existentes no mercado e veja dicas para compra, recebimento e armazenamento Reportagem: Gisele C. Cichinelli As argamassas de revestimento

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS CERÂMICOS

ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS CERÂMICOS ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS CERÂMICOS . HISTÓRICO O uso da Alvenaria como elemento apenas comprimido é uma das mais antigas formas de construção empregadas pelo homem HISTÓRICO OBRAS

Leia mais

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa 6. Procedimento de Execução Elaboração Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassa 92 Instruções para a contratação de mão-de-obra

Leia mais

Sumário. 1 Concreto como um Material Estrutural 1. 2 Cimento 8

Sumário. 1 Concreto como um Material Estrutural 1. 2 Cimento 8 Sumário 1 Concreto como um Material Estrutural 1 O que é o concreto? 2 O bom concreto 3 Materiais compósitos 4 Papel das interfaces 5 Forma de abordagem do estudo do concreto 6 2 Cimento 8 Produção do

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 05 Revestimentos Argamassados de Paredes ARGAMASSA NBR 13281: Mistura homogênea de agregados miúdos, aglomerantes inorgânicos e água, contendo ou não aditivos químicos, com propriedades

Leia mais

Alvenaria de Vedação. Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria

Alvenaria de Vedação. Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria Alvenaria de Vedação Tecnologia das Construções Profª Bárbara Silvéria Considerações Gerais Alvenaria, pelo dicionário da língua portuguesa, é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta

Leia mais

matriais Os aditivos são usados para aumentar a coesão da mistura ainda fresca. 6) Aço: de acordo com as especificações brasileiras.

matriais Os aditivos são usados para aumentar a coesão da mistura ainda fresca. 6) Aço: de acordo com as especificações brasileiras. matriais 5) Aditivos: de acordo com as especificações brasileiras. Nas argamassas industrializadas a cal é substituída por aditivos, plastificantes ou incorporadores de ar. Os aditivos são usados para

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 08 Contrapiso CONTRAPISO Funções: Regularizar a superfície do piso ou da laje; Embutir instalações que passem pelo piso; Permitir o correto caimento do piso nas áreas molhadas; Fornecer

Leia mais

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Departamento de Engenharia Civil Bibliografia referência para esta aula ISAIA, G. C. (editor) Materiais de Construção Civil e Princípios de ciência

Leia mais

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento Técnicas de construção Vedações Verticais Profa. Keila Bento Vedações verticais Definição UM SUBSISTEMA DOS EDIFÍCIOS CONSTITUÍDO PELOS ELEMENTOS QUE: DEFINEM E LIMITAM VERTICALMENTE O EDIFÍCIO E SEUS

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL DE COMPATIBILIDADE DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO E ENCUNHAMENTO

ANÁLISE EXPERIMENTAL DE COMPATIBILIDADE DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO E ENCUNHAMENTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Carla Louise Henz ANÁLISE EXPERIMENTAL DE COMPATIBILIDADE DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO E ENCUNHAMENTO Porto

Leia mais

FICHA TECNICA. 3 INDICAÇÕES DE USO - Assentamento de pisos e revestimentos cerâmicos em pisos e paredes internas.

FICHA TECNICA. 3 INDICAÇÕES DE USO - Assentamento de pisos e revestimentos cerâmicos em pisos e paredes internas. Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Argamassa Macx/Cola interiores ACI Nome da empresa: Endereço: Rebofort Indústria de Argamassas Ltda. R. Dr. Adalberto F. de Paula

Leia mais

Sistemas para paredes

Sistemas para paredes Sistemas para paredes Wall Tech Descrição geral Aplicações Integra-se perfeitamente aos sistemas de pisos em MMA, formando um sistema monolítico único. Ideal para ambientes internos, é aplicável diretamente

Leia mais

ANÁLISE DE DIFERENTES TIPOS DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO

ANÁLISE DE DIFERENTES TIPOS DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO RESUMO ANÁLISE DE DIFERENTES TIPOS DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO Gustavo Spillere Bif (1); Fernando Pelisser (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)gustavobif@hotmail.com (2)fep@unesc.net

Leia mais

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa 2. Deficiência x Excelência Elaboração Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassa 7 Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassa

Leia mais

Concreto nas primeiras idades. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Concreto nas primeiras idades. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Concreto nas primeiras idades Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Propriedades do concreto fresco Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: Mehta e Monteiro, 2010 Degussa, 2000 3/38 Importância As primeiras 48h são

Leia mais

PRECON. A marca da construção. GUIA PRÁTICO. Argamassas e Rejuntes

PRECON. A marca da construção. GUIA PRÁTICO. Argamassas e Rejuntes PRECON. A marca da construção. GUIA PRÁTICO Argamassas e Rejuntes ARGAMASSAS E REJUNTES Linha Argamassas Básicas Precon Uma linha que de básica só tem o nome. São produtos desenvolvidos com a mais alta

Leia mais

Deve ser lançado sobre o paramento previamente umedecido com auxílio da colher, em uma única camada de argamassa.

Deve ser lançado sobre o paramento previamente umedecido com auxílio da colher, em uma única camada de argamassa. APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Analisar o tipo de revestimento que mais se enquadra para uma determinada superfície; Executar corretamente os diversos tipos de revestimentos; Especificar

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina CIV360 Materiais de Construção Civil I

Programa Analítico de Disciplina CIV360 Materiais de Construção Civil I Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Engenharia Civil - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 Tecnologia da Construção de Edifícios II Aula 05: Revestimentos Verticais Conceituação e Classificação

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 05/06/ PRODUTO: Multi Porcelanato Interno

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 05/06/ PRODUTO: Multi Porcelanato Interno Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Multi Porcelanato Interno 2. DESCRIÇÃO: A Multi Porcelanato Interno é uma argamassa colante especial para assentamento de peças cerâmicas tipo porcelanato em áreas internas.

Leia mais

5. Limitações: A argamassa 1201 Matrix Assentamento de Vedação e Encunhamento não deve ser utilizada para assentamento de blocos silico-calcário.

5. Limitações: A argamassa 1201 Matrix Assentamento de Vedação e Encunhamento não deve ser utilizada para assentamento de blocos silico-calcário. 1. Descrição: A argamassa 1201 Matrix Assentamento de Vedação e Encunhamento é indicado para o assentamento de blocos para alvenaria de vedação e fixação de alvenarias (blocos de concreto, cerâmicos, e

Leia mais

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48 Sumário Capítulo 1 Desenvolvimento histórico de materiais, elementos e sistemas estruturais em alvenaria 23 1.1 História dos materiais da alvenaria 24 1.2 Pedra 24 1.3 Tijolos cerâmicos 26 1.4 Blocos sílico-calcários

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5 Criado: 11/08/2016 Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Plus Externa AC III (Arga Plus ACIII)

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5 Criado: 11/08/2016 Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Plus Externa AC III (Arga Plus ACIII) Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Arga Plus Externa AC III (Arga Plus ACIII) 2. DESCRIÇÃO: A Arga Plus Externa é uma argamassa colante tipo AC III para assentamentos especiais que exigem alta flexibilidade

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Cozinhas e Banheiros

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: Arga Cozinhas e Banheiros Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: Arga Cozinhas e Banheiros 2. DESCRIÇÃO: A Arga Cozinhas e Banheiros é uma argamassa colante especial para assentamento de placas cerâmicas em áreas internas, com ação hidro-repelente

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL CAMPUS DA FAROLÂNDIA 2013

ENGENHARIA CIVIL CAMPUS DA FAROLÂNDIA 2013 ENGENHARIA CIVIL CAMPUS DA FAROLÂNDIA 2013 ALVENARIA ESTRUTURAL Definição: processo construtivo que se caracteriza pelo uso de paredes de alvenaria como principal estrutura suporte do edifício, dimensionada

Leia mais

BIANCO é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos.

BIANCO é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. BIANCO é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Confere maior plasticidade e, assim, maior resistência ao desgaste e

Leia mais

ALV L ENA N RI R A I E ST S RU R TURA R L L 1

ALV L ENA N RI R A I E ST S RU R TURA R L L 1 ALVENARIA ESTRUTURAL 1 APRESENTAÇÃO O curso de Alvenaria Estrutural será apresentado em forma de treinamento profissional, visando a prática construtiva e ao dimensionamento. Seguirá as prescrições das

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL

ALVENARIA ESTRUTURAL ENGENHARIA CIVIL TÉCNICAS CONSTRUTIVAS ESPECIAIS ALVENARIA ESTRUTURAL Prof. Msc. Fábio Usuda Sorocaba / SP FEVEREIRO - 2004 1 MATERIAIS UTILIZADOS NA ALVENARIA ESTRUTURAL 1. INTRODUÇÃO Dos diversos materiais

Leia mais

Oque é? Conjunto estabelecido pela associação da tinta de acabamento a respectivas massas e fundos, através de ferramentas/utensílios específicos.

Oque é? Conjunto estabelecido pela associação da tinta de acabamento a respectivas massas e fundos, através de ferramentas/utensílios específicos. Sistemas de pintura Oque é? Conjunto estabelecido pela associação da tinta de acabamento a respectivas massas e fundos, através de ferramentas/utensílios específicos. Sua aplicação resulta em uma película

Leia mais

BAUCRYL AC PLUS aditivação de argamassas colantes abril / 2006

BAUCRYL AC PLUS aditivação de argamassas colantes abril / 2006 BAUCRYL AC PLUS aditivação de argamassas colantes abril / 2006 POR QUE ADITIVAR ARGAMASSAS COLANTES? A utilização de argamassas colantes bi componentes é prática comum nos países da Europa, nos Estados

Leia mais

REVESTIMENTOS VERTICAIS EM ARGAMASSAS E GESSO

REVESTIMENTOS VERTICAIS EM ARGAMASSAS E GESSO Revest. em Ministério argamassas da e gesso Educação 14:52 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) REVESTIMENTOS VERTICAIS EM ARGAMASSAS E GESSO Prof. José de Almendra

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 12 Forros FORROS Definição: Revestimento da face inferior da laje ou de telhados de modo a constituir a superfície superior de um ambiente fechado FORROS FORROS Critérios de escolha:

Leia mais

Quantificação de Materiais e Mão-de-obra

Quantificação de Materiais e Mão-de-obra Quantificação de Materiais e Mão-de-obra INFRA-ESTRUTURA 20501 LOCAÇÃO DA OBRA Madeiras e pregos (locação) 144,71 1 144,71 m2 2,5 361,775 Execução da locação da obra Mão-de-obra 144,71 1 144,71 m2 2 289,42

Leia mais

O que são agregados? Agregados 2

O que são agregados? Agregados 2 AGREGADOS O que são agregados? Agregados 2 O que são agregados? Agregados 3 O que são agregados? Agregados 4 O que são agregados? ABNT NBR 9935/2005: Material sem forma ou volume definido, geralmente inerte,

Leia mais

PLANILHA AUXILIAR C DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 03. ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m²

PLANILHA AUXILIAR C DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 03. ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ENDEREÇO: Rua 580, S/Nº - INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas. Unidade: m² Critério de medição: Pela área de projeção

Leia mais

PLANILHA AUXILIAR B DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 02. ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m²

PLANILHA AUXILIAR B DADOS DO IMÓVEL: PROJETO 02. ÁREA TOTAL TERRENO: 336,00m² - INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas. Unidade: m² Critério de medição: Pela área de projeção horizontal do abrigo.

Leia mais

Revestimentos de Paredes com Placoplast

Revestimentos de Paredes com Placoplast PÁGINA 1/7 Revestimentos de Paredes com Placoplast Revestimento para construção civil é uma camada executada com um material específico, que permite proteger, cobrir e/ou decorar uma superfície (paredes,

Leia mais

As argamassas podem ser classificadas com relação à vários critérios, alguns dos quais são propostos no Quadro 1.

As argamassas podem ser classificadas com relação à vários critérios, alguns dos quais são propostos no Quadro 1. Argamassas DEFINIÇÃO Argamassas são materiais de construção, com propriedades de aderência e endurecimento, obtidos a partir da mistura homogênea de um ou mais aglomerantes, agregado miúdo (areia) e água,

Leia mais

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. PATOLOGIA NOS PISOS DE CONCRETO PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) As patologias dos pisos cimentados agrupam-se nas divisões: Fissuras; Desgaste superficial; Delaminação;

Leia mais

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Técnicas da Construção Civil

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Técnicas da Construção Civil AULA 11 CONTRAPISOS O contrapiso é uma camada de argamassa executada sobre uma base, que pode ser a laje de um pavimento ou um lastro de concreto, se for sobre o solo. Sua função é regularizar a superfície

Leia mais

Estudo de Diferentes Tipos de Argamassas de Revestimento à Base de Cimento com Adição de Cal e Aditivos Químicos

Estudo de Diferentes Tipos de Argamassas de Revestimento à Base de Cimento com Adição de Cal e Aditivos Químicos Estudo de Diferentes Tipos de Argamassas de Revestimento à Base de Cimento com Adição de Cal e Aditivos Químicos Fernando Pelisser; UNESC; Brasil; fep@unesc.net Gihad Mohamad; UNESC; Brasil; gihad@unesc.net

Leia mais

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS, PISOS DE CONCRETO E DOS REVESTIMENTOS. CONSTRUÇÃO CIVIL PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS CONSTRUÇÃO CIVIL PATOLOGIA "A patologia na construção

Leia mais

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: REVEST LISO Camada Fina.

FQ-PD-05 FICHA TÉCNICA. Rev.: 02 Pág.: 1/5. Criado: 11/08/2016. Atualizado: 03/04/ PRODUTO: REVEST LISO Camada Fina. Rev.: 02 Pág.: 1/5 1. PRODUTO: REVEST LISO Camada Fina. 2. DESCRIÇÃO: O REVESTLISO CAMADA FINA é uma argamassa branca, mineral, de alta resistência e aderência, para acabamento de paredes e tetos com camada

Leia mais

ARGAMASSAS CIMENTÍCIAS

ARGAMASSAS CIMENTÍCIAS ARGAMASSAS CIMENTÍCIAS Tabela de Mercado potencial / Aplicações Residencial e não residencial (utilização ligeira a média) Betonilha Argamassa de nivelamento Industrial (utilização média a alta) Argamassa

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA. ARQ. Cesar Luiz Basso

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA. ARQ. Cesar Luiz Basso MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA RESPONSÁVEL: ARQ. Cesar Luiz Basso CAU: A5819-0 OBRA: LOCAL: 6098 NÚCLEO PEDAGÓGICO CAMPUS JORGE AMADO - SUBESTAÇÃO SECUNDÁRIA BR415 Rodovia Itabuna/ Ilhéus - BA 1 CONTROLE

Leia mais