DEZ QUESTÕES ORGANIZACIONAIS QUE NÃO QUEREM CALAR. (SINTONIA PROJETOS DE MUDANÇA / PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL).

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEZ QUESTÕES ORGANIZACIONAIS QUE NÃO QUEREM CALAR. (SINTONIA PROJETOS DE MUDANÇA / PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL)."

Transcrição

1 MINIARTIGO CONTABILIDADE GERENCIAL E A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL (A CONVERGÊNCIA DA CIÊNCIA CONTÁBIL COM A CIÊNCIA DA GESTÃO) -- ESTIMATIVAS CONTÁBEIS RELACIONADAS Á GESTÃO DO RISCO DE PROJETOS ORGANIZACIONAIS-- AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL ---- PRIMEIRO DOUTOR FORMADO PELO DOUTORADO DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE DA USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ---- O PRIMEIRO DOUTORADO DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE DO BRASIL PROFESSOR TITULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR) PROFESSOR DE DOUTORADO E DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP). DOUTOR E MESTRE PELA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) COM TESE E DISSERTAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI). OFICIAL DA MARINHA DE GUERRA DO BRASIL, FORMADO PELA ESCOLA NAVAL DO RIO DE JANEIRO (BRASIL) ---- SERVIU NO CONTRATORPEDEIRO PERNAMBUCO (4) ANOS E NA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) (4) ANOS DA MARINHA DE GUERRA DO BRASIL. EXECUTIVO E CONSULTOR DE EMPRESAS PRIVADAS OU GOVERNAMENTAIS NO BRASIL AUTOR DE VINTE LIVROS NO BRASIL E DE UM LIVRO EM PORTUGAL -- EDITORA SARAIVA; EDITORA ATLAS; EDITORA SENAC - SP (SÃO PAULO BRASIL); EDITORA ÁGORA (RIO DE JANEIRO -- BRASIL); PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA (LISBOA PORTUGAL) ---- OITENTA MIL EXEMPLARES VENDIDOS. CONSULTOR, PALESTRANTE E COM ARTIGOS NOS ESTADOS UNIDOS, FRANÇA, ESPANHA, PORTUGAL, ISRAEL, MÉXICO, ARGENTINA, URUGUAI, PANAMÁ. DEZ QUESTÕES ORGANIZACIONAIS QUE NÃO QUEREM CALAR. (SINTONIA PROJETOS DE MUDANÇA / PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL) A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL É A VARIÁVEL PARA A CONVERGÊNCIA DA CIÊNCIA CONTÁBIL COM A CIÊNCIA DA GESTÃO? 2 A GESTÃO DE PROJETO DE MUDANÇA É FUNDAMENTO DA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL? 3 NA COMBINAÇÃO DE NEGÓCIOS STAKEHOLDERS ESTÃO INTERESSADOS NA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL? 4 A GESTÃO DO RISCO QUANDO DA GESTÃO DE PROJETOS DE MUDANÇA É FUNDAMENTO DA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL? 5 A TOMADA DE DECISÃO DE ACIONISTAS / INVESTIDORES É EXERCIDA COM A VARIÁVEL PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL? 7 A EXTENSÃO DA IDÉIA EXPOSTA NA NBC T ESTIMATIVAS CONTÁBEIS E DA NBC TA 540 ITENS 2 A 5 É IMPERATIVA PARA A TOMADA DE DECISÃO DOS STAKEHOLDERS ---- A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL EM AÇÃO? 8 A ESTIMATIVA CONTÁBIL DO VALOR JUSTO DA TRANSAÇÃO CORRENTE NBC TA 540 ITENS 2 A 5 -- É TRATADA COMO ESTIMATIVA CONTÁBIL DO VALOR JUSTO DA TRANSAÇÃO CONTÁBIL ORIUNDA DO PROJETO DE MUDANÇA

2 NA PERSPECTIVA DA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL ---- A CONTABILIDADE E A TOMADA DE DECISÃO NO SÉCULO XXI? 9 O PRINCÍPIO DE CONTABILIDADE DO REGIME DE COMPETÊNCIA E DA CONTINUIDADE ESTABELECE A TOMADA DE DECISÃO DE DESENVOLVER PROJETO DE MUDANÇA COMO FATO GERADOR CONTÁBIL? 10 A VARIÁVEL PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL RESULTA DA APLICAÇÃO DAS VARIÁVEIS (1) PROBLEMA; ESTRATÉGIA; TÁTICA ; (2) DECISÃO; SOLUÇÃO; RESULTADO ; (3) COMPORTAMENTAL; QUALITATIVA; QUANTITATIVA ; (4) CONTINGÊNCIA; INCERTEZA; RISCO (5) PRINCÍPIO DE CONTABILIDADE DO REGIME DE COMPETÊNCIA E DA CONTINUIDADE? A CONTABILIDADE PARA A GESTÃO NA PERSPECTIVA DO HORIZONTE PRESENTE / FUTURO. A LÓGICA E A PROVA DO ARGUMENTO 1 INTRODUÇÃO. A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL É DE INTERESSE DE STAKEHOLDERS. A CONTABILIDADE GERENCIAL TRATA, PRINCIPALMENTE, DA COMPARABILIDADE E VARIABILIDADE DE VALORES DE CONTAS DE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E DAS MÉTRICAS DE ÍNDICES / INDICADORES CONTÁBEIS DE UMA MESMA ORGANIZAÇÃO AO LONGO DOS EXERCÍCIOS FINANCEIROS OU ENTRE EXERCÍCIOS FINANCEIROS DE ORGANIZAÇÕES DIVERSAS NO HORIZONTE PASSADO / PRESENTE. A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL E A ESTIMATIVA CONTÁBIL LIDAM COM A MESMA LÓGICA NA PERSPECTIVA CONTÁBIL DO HORIZONTE PRESENTE / FUTURO. AS ANÁLISES CONTÁBEIS E CORRESPONDENTE EMISSÃO DE OPINIÃO PELA AUDITORIA CONTÁBIL ACERCA DESSAS VARIAÇÕES / COMBINAÇÕES / CORRELAÇÕES PERMITEM UM GRAU DE CONFIANÇA AOS STAKEHOLDERS E UM NÍVEL DE REPUTAÇÃO ÁS EQUIPES DIRIGENTES (CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO; ALTA ADMINISTRAÇÃO; PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS; FUNCIONÁRIOS EM GERAL) QUANTO Á FORÇA DA CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS PRIVADOS OU GOVERNAMENTAIS, COM VARIAÇÃO POSITIVA DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO ---- A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA ORGANIZACIONAL COMO ÊNFASE DA SOCIEDADE DO SÉCULO XXI. A AUDITORIA INDEPENDENTE DO SÉCULO XXI DEVE DAR ÊNFASE Á PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL. OS PROJETOS DE MUDANÇA E A CORRESPONDENTE GESTÃO DO RISCO SÃO NORMALMENTE AS ENTIDADES RESPONSÁVEIS PELA MAIOR ABRANGÊNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL EXERCIDA NO OU ASSOCIADA AO HORIZONTE PRESENTE / FUTURO. A CONVERGÊNCIA ÁS NORMAS INTERNACIONAIS CONTÁBEIS DEVE SER ACRESCIDA COM PRÁTICAS CONTÁBEIS DE NATUREZA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL COMO EXTENSÃO DA IDÉIA DE ESTIMATIVAS CONTÁBEIS PARA FACILITAR A ANÁLISE DE INVESTIDORES INTERNACIONAIS, DAR MAIOR CREDIBILIDADE Á SITUAÇÃO PATRIMONIAL ORGANIZACIONAL NO HORIZONTE PRESENTE / FUTURO E SERVIR COMO CONTRIBUIÇÃO DA CLASSE CONTÁBIL AO CRESCIMENTO DA ECONOMIA GLOBAL COM O VIABILIZAR O FLUXO DE CAPITAIS E OS INVESTIMENTOS ORIUNDOS DO EXTERIOR. 2.0 A LÓGICA E A PROVA DO ARGUMENTO.

3 A CONTABILIDADE E A CORRESPONDENTE AUDITORIA INDEPENDENTE SÃO ÚTEIS E O CONTADOR (A) E O AUDITOR (A) PODEM ATUAR ADIANTE DO MARCO REGULATÓRIO OU LEGAL VIGENTE. A CONTABILIDADE É A CIÊNCIA DO CONHECIMENTO DO PATRIMÔNIO DOS NEGÓCIOS PRIVADOS OU GOVERNAMENTAIS NO HORIZONTE PASSADO / PRESENTE / FUTURO ---- OS STAKEHOLDERS AGRADECEM. NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA CONTÁBIL E DA AUDITORIA CONTÁBIL INDEPENDENTE A UTILIDADE DA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL COMO EIXO CENTRAL DO PROCESSO / PRODUTO DE MODELO PARA TOMADA DE DECISÃO É VISTA COMO VITAL PARA: 1 A SAÚDE DO MERCADO ACIONÁRIO, PARTICULARMENTE, DIANTE DE OPERAÇÕES DE OPÇÕES, DE DERIVATIVOS E DE HEDGE. 2 A AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE GERENCIAL TOMADA DE DECISÃO -- DO CORPO DIRETIVO E DOS CONSELHOS CONSULTIVOS ÁS ENTIDADES PRIVADAS OU GOVERNAMENTAIS. O PREÇO DAS AÇÕES É INDICADOR DE DESEMPENHO / FALHA EMPRESARIAL DECORRENTE DO CICLO DE VIDA DE PROJETOS DE MUDANÇA. A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL E A ESTIMATIVA CONTÁBIL TRATAM PROJEÇÃO E SIMULAÇÃO DAS TRANSAÇÕES ORGANIZACIONAIS NA PERSPECTIVA DA NÃO RECORRÊNCIA E DO ACASO ---- ESTRUTURADAS E MENSURADAS COMO TRANSAÇÃO CONTÁBIL ---- COM BASE NO PRINCÍPIO CONTÁBIL DO DENOMINADOR COMUM MOEDA? A LÓGICA CONTÁBIL DE IMPAIRMENT ---- REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS PATRIMONIAIS TANGÍVEIS OU INTANGÍVEIS ---- DEVE SER CONSIDERADA QUANDO DA TOMADA DE DECISÃO NA GESTÃO DE RISCOS DE PROJETOS ORGANIZACIONAIS ---- A GESTÃO CONTÁBIL PATRIMONIAL EM AÇÃO. TOMORROW S IMPAIRMENT HEADACHE É VARIÁVEL A SER INCORPORADA Á GESTÃO DE RISCOS DE PROJETOS DE MUDANÇA INTERNOS OU EXTERNOS (VISÃO TERCEIRIZAÇÃO) AO NEGÓCIO. OS PROJETOS DE MUDANÇA ORGANIZACIONAL ---- GERADOS INTERNAMENTE OU TERCEIRIZADOS ---- SÃO ATIVOS INTANGÍVEIS QUANDO SE ESPERA QUE RESULTEM BENEFÍCIOS ECONÔMICOS FUTUROS PARA AS ENTIDADES PRIVADAS OU GOVERNAMENTAIS ---- A GESTÃO DO RISCO DE PROJETOS EM AÇÃO. 3 CONCLUSÃO. A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL É A IDÉIA CENTRAL PARA A CONVERGÊNCIA DA CIÊNCIA CONTÁBIL COM A CIÊNCIA DA GESTÃO. O PROFESSOR GIL POSSUI A COMPETÊNCIA, A QUALIDADE PROFISSIONAL E A ABORDAGEM TECNOLÓGICA PARA APLICAR AS IDÉIAS DISCUTIDAS. ESTRUTURAR E APLICAR A CONTABILIDADE GERENCIAL NA PERSPECTIVA DA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL JUNTO ÁS ENTIDADES PRIVADAS OU GOVERNAMENTAIS IMPLICA TRATAR ESTIMATIVAS CONTÁBEIS E PRATICAR O PRINCÍPIO DE CONTABILIDADE DO REGIME DE COMPETÊNCIA E DA CONTINUIDADE NO AMBIENTE DA SOCIEDADE / DO MERCADO DO SÉCULO XXI A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL COMO EIXO CENTRAL DA ECONOMIA INTERNACIONAL. PESQUISAS, TRABALHOS ACADÊMICOS, PALESTRAS, SEMINÁRIOS, DISCIPLINAS DE POSGRADUAÇÃO (ESPECIALIZAÇÃO; MBA; MESTRADO ACADÊMICO; DOUTORADO) SÃO DE IMPORTÂNCIA DEFINITIVA PARA MAIOR E MELHOR ATUAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE CONTABILIDADE E DE AUDITORIA COM O INCORPORAR AS PRÁTICAS E A TEORIA CONTÁBIL AOS PROCESSOS DECISÓRIOS PRIVADOS OU GOVERNAMENTAIS ---- A CONTABILIDADE PARA A TOMADA DE DECISÃO EM AÇÃO. É DE RESPONSABILIDADE DE CONSELHOS, ASSOCIAÇÕES DE CLASSE, SINDICATOS, ENTIDADES, UNIVERSIDADES E FACULDADES ATUANTES NA ÁREA DA

4 CONTABILIDADE O AVANÇO DA TEORIA E DAS PRÁTICAS DA PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL. A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL É EIXO DE ATUAÇÃO DA CONTABILIDADE / DO CONTABILISTA E DA AUDITORIA / AUDITOR. ESTRUTURE NO SEU CURSO DE PÓSGRADUAÇÃO OU DE MBA PROFISSIONALIZANTE A DISCIPLINA CONTABILIDADE GERENCIAL PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL ESTIMATIVAS CONTÁBEIS OU ASSISTA A PALESTRAS SOBRE O TEMA COM O PROFESSOR GIL. 4 BIBLIOGRAFIA. 1 PALESTRA CONTABILIDADE E A TOMADA DE DECISÃO PARA A SEDE E AS DELEGACIAS DO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE GOIÁS (CRC-GO) AGOSTO; SETEMBRO; OUTUBRO DE I ENCONTRO ESTADUAL DE COORDENADORES E PROFESSORES DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS IX ENCONTRO DE ESTUDANTES DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE GOIÁS VIDEO GRAVADO PARA O CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC-SP OUTUBRO 2014 CURSOS DE EAD PARA O GRADUAÇÃO DE CONTABILIDADE. 3 CURSO DE PÓSGRADUAÇÃO (ESPECIALIZAÇÃO) CONTROLADORIA E FINANÇAS CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC-SP (CONSOLAÇÃO; SANTO AMARO) ANO DE LIVRO DESAFIO AOS DEUSES A FASCINANTE HISTÓRIA DO RISCO AUTOR: PETER BERNSTEIN (EDITORA CAMPUS) DO RIO DE JANEIRO PRIMEIRA EDIÇÃO LIVRO GESTÃO: CONTROLE INTERNO, RISCO E AUDITORIA AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CARLOS HIDEO ARIMA; WILSON TOSHIRO NAKAMURA EDITORA SARAIVA DE SÀO PAULO PRIMEIRA EDIÇÃO MARÇO DE LIVRO: CONTINGÊNCIAS EM NEGÓCIOS AUTOR: ANTONIO DE LOUREIRO GIL EDITORA SARAIVA DE SÃO PAULO PRIMEIRA EDIÇÃO DIGITAL LIVRO BALANÇO INTELECTUAL AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; JOSÉ CARLOS ARNOSTI EDITORA SARAIVA DE SÀO PAULO PRIMEIRA EDIÇÀO 2010 E EDIÇÃO DIGITAL LIVRO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; CESAR AUGUSTO BIANCOLINO; TIAGO NASCIMENTO BORGES EDITORA SARAIVA SÃO PAULO PRIMEIRA EDIÇÃO LIVRO GESTÃO DA QUALIDADE EMPRESARIAL AUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL PUBLICAÇÕES EUROPA AMÉRICA DE LISBOA PORTUGAL PRIMEIRA EDIÇÃO 2010 Á VENDA NA LIVRARIA CULTURA ESQUINA DE AVENIDA PAULISTA COM A RUA AUGUSTA (SÃO PAULO BRASIL). 10 LIVRO GESTÃO DE TRIBUTOS NA EMPRESA MODERNA AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; PAULO ROBERTO GALVÃO; FLÁVIO FERNANDES PACETTA; JOÃO ANTONIO PIZZO; JOSÉ EDUARDO MOGE; ROGÉRIO LEITE EDITORA SENAC SP PRIMEIRA EDIÇÃO 2011.

5 11 LIVRO GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL DE ALTO DESEMPENHO AUTORES: ANTONIO DE LOUREIRO GIL; PAULO ROBERTO GALVÃO; ROBERTO DE OLIVEIRA JUNIOR; EDITORA SENAC SP PRIMEIRA EDIÇÃO LIVRO MICRO EMPRESA: GESTÃO INOVADORA E DIREITO ARTIGO / CAPÍTULO INOVAÇÃO E RISCO: O AMBIENTE DA GESTÃO DA MICRO E DA PEQUENA EMPRESA NO SÉCULO XXI AUTOR: ANTONIO DE LOUREIRO GIL EDITORA ÁGORA-RJ -- PRIMEIRA EDIÇÃO 2015.

PROFESSOR TITULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR) PROFESSOR DE DOUTORADO E DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP).

PROFESSOR TITULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR) PROFESSOR DE DOUTORADO E DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP). MINIARTIGO A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL E A RECEITA TRIBUTÁRIA GOVERNAMENTAL (A GESTÃO TRIBUTÁRIA NO AMANHÃ ORGANIZACIONAL COMO CATALIZADOR DA INTEGRAÇÃO SOCIEDADE / GOVERNO / SOCIEDADE ) -- A VARIÁVEL

Leia mais

O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL VERSUS A CULTURA ORGANIZACIONAL

O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL VERSUS A CULTURA ORGANIZACIONAL MINIARTIGO TEORIA DA AGÊNCIA O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL VERSUS A CULTURA ORGANIZACIONAL -- A PROVA E A LÓGICA DO ARGUMENTO (FERRAMENTAS E INSTRUMENTOS) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL

Leia mais

1 PESQUISAS ACADÊMICAS PRIVILEGIAM O PROCESSO PARA PESQUISAR EM DETRIMENTO DO PRODUTO OU RESULTADO DA PESQUISA A ALCANÇAR?

1 PESQUISAS ACADÊMICAS PRIVILEGIAM O PROCESSO PARA PESQUISAR EM DETRIMENTO DO PRODUTO OU RESULTADO DA PESQUISA A ALCANÇAR? MINIARTIGO TÍTULO GESTÃO DE PROJETOS DE PESQUISA (ACADÊMICA OU ORGANIZACIONAL) ----FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS PARA GESTÃO ----LÓGICA DE PROJETOS ----METODOLOGIA DE PESQUISA MENSAGEM PRINCIPAL INTEGRAÇÃO

Leia mais

MINIARTIGO ESCRITÓRIOS CONTÁBEIS PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL E A CAPILARIDADE PROFISSIONAL/SOCIAL DE CONTADORES

MINIARTIGO ESCRITÓRIOS CONTÁBEIS PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL E A CAPILARIDADE PROFISSIONAL/SOCIAL DE CONTADORES MINIARTIGO ESCRITÓRIOS CONTÁBEIS A PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL E A CAPILARIDADE PROFISSIONAL/SOCIAL DE CONTADORES (RESPONSABILIDADE, CONTINUIDADE E CRESCIMENTO PROFISSIONAL / SOCIAL) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR

Leia mais

MINIARTIGO GESTÃO E AUDITORIA DA GESTÃO -- TOMAR DECISÃO / DAR RECOMENDAÇÃO ---- PROBLEMA / FRAQUEZA---- PROCESSO / PRODUTO (CONTROLE INTERNO)

MINIARTIGO GESTÃO E AUDITORIA DA GESTÃO -- TOMAR DECISÃO / DAR RECOMENDAÇÃO ---- PROBLEMA / FRAQUEZA---- PROCESSO / PRODUTO (CONTROLE INTERNO) MINIARTIGO GESTÃO E AUDITORIA DA GESTÃO -- TOMAR DECISÃO / DAR RECOMENDAÇÃO ---- PROBLEMA / FRAQUEZA---- PROCESSO / PRODUTO (CONTROLE INTERNO) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL PROFESSOR

Leia mais

MINIARTIGO. GESTÃO. ---- VOCÊ APRENDEU A GERENCIAR NA PRÁTICA OU ENSINARAM A VOCÊ NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, PÓSGRADUAÇÃO; MBA; MESTRADO; DOUTORADO?

MINIARTIGO. GESTÃO. ---- VOCÊ APRENDEU A GERENCIAR NA PRÁTICA OU ENSINARAM A VOCÊ NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, PÓSGRADUAÇÃO; MBA; MESTRADO; DOUTORADO? MINIARTIGO. GESTÃO. ---- VOCÊ É GESTOR? ---- VOCÊ SABE O QUE É GERENCIAR? ---- VOCÊ APRENDEU A GERENCIAR NA PRÁTICA OU ENSINARAM A VOCÊ NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, PÓSGRADUAÇÃO; MBA; MESTRADO; DOUTORADO?

Leia mais

MINIARTIGO GESTÃO DE RISCO DE PROJETOS COM PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL -- OS STAKEHOLDERS E O RECONHECIMENTO DOS PADRÕES DE

MINIARTIGO GESTÃO DE RISCO DE PROJETOS COM PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL -- OS STAKEHOLDERS E O RECONHECIMENTO DOS PADRÕES DE MINIARTIGO GESTÃO DE RISCO DE PROJETOS COM PREVISIBILIDADE PATRIMONIAL (A QUALIDADE E A SUSTENTABILIDADE CONTÁBIL DO PROCESSO / PRODUTO DA ENGENHARIA DO PRODUTO) -- OS STAKEHOLDERS E O RECONHECIMENTO DOS

Leia mais

MINI ARTIGO: A CONTABILIDADE NO MUNDO DOS NEGÓCIOS DO SÉCULO XXI

MINI ARTIGO: A CONTABILIDADE NO MUNDO DOS NEGÓCIOS DO SÉCULO XXI MINI ARTIGO: A CONTABILIDADE NO MUNDO DOS NEGÓCIOS DO SÉCULO XXI (O Contador; o Acionista; o Governo) ---- A TEORIA DA AGÊNCIA MERCADO / GOVERNO ---- AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL QUESTÃO.

Leia mais

PROFESSOR DE DOUTORADO E DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP).

PROFESSOR DE DOUTORADO E DE MESTRADO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP). MINIARTIGO GESTÃO E AUDITORIA DA GESTÃO NO SÉCULO XXI ---- QUALIDADE / RISCO / SUSTENTABILIDADE ---- (REDESENHO DO PROCESSO / PRODUTO) --A PARTICIPAÇÃO ECUMÊNICA ORGANIZACIONAL-- AUTOR: PROFESSOR DOUTOR

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CAPITAL HUMANO E TECNOLÓGICO; A VARIÁVEL RISCO E O CICLO DE VIDA PROFISSIONAL. A TEORIA DA AGÊNCIA COMO PRIORIDADE PARA AÇÃO.

DESENVOLVIMENTO DE CAPITAL HUMANO E TECNOLÓGICO; A VARIÁVEL RISCO E O CICLO DE VIDA PROFISSIONAL. A TEORIA DA AGÊNCIA COMO PRIORIDADE PARA AÇÃO. Antonio de Loureiro Gil DESENVOLVIMENTO DE CAPITAL HUMANO E TECNOLÓGICO; A VARIÁVEL RISCO E O CICLO DE VIDA PROFISSIONAL. A TEORIA DA AGÊNCIA COMO PRIORIDADE PARA AÇÃO. AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO

Leia mais

Professor Doutor Antonio de Loureiro Gil

Professor Doutor Antonio de Loureiro Gil MINIARTIGO PROCESSOS DECISÓRIOS (SÉRIE TOMADA DE DECISÃO ) ---- CONTROLADORIA ORGANIZACIONAL---- Professor Doutor Antonio de Loureiro Gil PROFESSOR TITULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR) PROFESSOR

Leia mais

MINI ARTIGO. ---- A evolução da tecnologia da qualidade, do século XX ao século XXI, impõe a gestão do risco da qualidade?

MINI ARTIGO. ---- A evolução da tecnologia da qualidade, do século XX ao século XXI, impõe a gestão do risco da qualidade? MINI ARTIGO A GESTÃO DO RISCO DA QUALIDADE. (DE DEMING; JURAN; ISHIKAWA A PETER BERNSTEIN) -- ESTATÍSTICA; QUALIDADE TOTAL; CAUSA / EFEITO; RISCO (DA ISO 9000 -- 1987 A ISO 31000 2009) AUTOR: PROFESSOR

Leia mais

A CONTABILIDADE E A GESTÃO A TECNOLOGIA DO RISCO E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÀO (TI)

A CONTABILIDADE E A GESTÃO A TECNOLOGIA DO RISCO E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÀO (TI) MINI ARTIGO A CONTABILIDADE E A GESTÃO A TECNOLOGIA DO RISCO E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÀO (TI) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL PROFESSOR TITULAR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR)

Leia mais

-- O MITO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEGURA --

-- O MITO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEGURA -- MINI ARTIGO TITULO "FRAUDES EM TI". -- O MITO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SEGURA -- (A REALIDADE DA SEGURANÇA ORGANIZACIONAL) AUTOR. ANTONIO DE LOUREIRO GIL EMPRESARIO E EXECUTIVO DE EMPRESAS NACIONAIS,

Leia mais

MINI -- ARTIGO PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE GESTÃO (RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRAÇÕES CONEXAS) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL

MINI -- ARTIGO PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE GESTÃO (RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRAÇÕES CONEXAS) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL MINI -- ARTIGO PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE GESTÃO (RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRAÇÕES CONEXAS) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL SÓCIO DIRETOR DE VINDEX CORRETORA DE CÂMBIO PROFESSOR TITULAR

Leia mais

O CONTEÚDO DESTA PALESTRA É PARTE INTEGRANTE DOS LIVROS EDITADOS PELA EDITORA SARAIVA COM DIREITOS AUTORAIS CONFORME LEI 9. DR. MSC. DR.

O CONTEÚDO DESTA PALESTRA É PARTE INTEGRANTE DOS LIVROS EDITADOS PELA EDITORA SARAIVA COM DIREITOS AUTORAIS CONFORME LEI 9. DR. MSC. DR. O CONTEÚDO DESTA PALESTRA É PARTE INTEGRANTE DOS LIVROS EDITADOS PELA EDITORA SARAIVA COM DIREITOS AUTORAIS CONFORME LEI 9.610 / 98 E ARTIGO 184 DO CÓDIGO PENAL. 1- BALANÇO INTELECTUAL PRIMEIRA EDIÇÃO

Leia mais

A GESTÃO TRIBUTÁRIA NA EMPRESA MODERNA

A GESTÃO TRIBUTÁRIA NA EMPRESA MODERNA Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: Objetivos Gerais: Atualizar e aprofundar

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS E DESAFIOS DA FUNÇÃO CONTROLADORIA

OS NOVOS PARADIGMAS E DESAFIOS DA FUNÇÃO CONTROLADORIA Ribeirão Preto -SP OS NOVOS PARADIGMAS E DESAFIOS DA FUNÇÃO CONTROLADORIA Palestrante Luís Valíni Neto Técnico Contábil - Administrador de Empresas pela Universidade de Ribeirão Preto - Pós - graduado

Leia mais

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Conhecimento essencial em Gestão de Controladoria Depois de sucessivas crises econômicas, os investidores pressionam cada vez mais pela

Leia mais

CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO: A ADOÇÃO DE UM NOVO MODELO NO BRASIL.

CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO: A ADOÇÃO DE UM NOVO MODELO NO BRASIL. CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO: A ADOÇÃO DE UM NOVO MODELO NO BRASIL. Autores: Marcus Vinicius Passos de Oliveira Elisangela Fernandes dos Santos Esaú Fagundes Simões Resumo Esta pesquisa tem

Leia mais

A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores. Contabilidade: uma carreira apaixonante

A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores. Contabilidade: uma carreira apaixonante CIÊNCIAS A profissão contábil e o mercado de trabalho para os Contadores Contabilidade: uma carreira apaixonante Prof. João Matias Loch E-mail: jmperito@gmail.com CIÊNCIAS O que é a Contabilidade? CIÊNCIAS

Leia mais

MBA EXECUTIVO EM GESTÃO CONTÁBIL COM ÊNFASE EM AUDITORIA E PERÍCIA

MBA EXECUTIVO EM GESTÃO CONTÁBIL COM ÊNFASE EM AUDITORIA E PERÍCIA MBA EXECUTIVO EM GESTÃO CONTÁBIL COM ÊNFASE EM AUDITORIA E PERÍCIA O programa através de conhecimentos teóricos e práticos irá prepara-lo para a compreensão dos processos de contabilidade nas organizações,

Leia mais

AUDITORIA COMO FERRAMENTA DE CONTROLE. Jackson

AUDITORIA COMO FERRAMENTA DE CONTROLE. Jackson AUDITORIA COMO FERRAMENTA DE CONTROLE 1 Jackson Auditoria É um conjunto de técnicas que devem ser aplicadas, para permitir ao auditor emitir uma opinião sobre a razoabilidade das demonstrações contábeis

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE CONSELHEIROS IBGC - CCI

CERTIFICAÇÃO DE CONSELHEIROS IBGC - CCI CERTIFICAÇÃO DE CONSELHEIROS IBGC - CCI SINÔNIMO DE EXCELÊNCIA EM GOVERNANÇA CORPORATIVA O PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE CONSELHEIROS IBGC IRÁ APRIMORAR E CONFERIR MAIOR EFICÁCIA À ATIVIDADE PROFISSIONAL

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Graduação em Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Graduação em Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa de Graduação em Ciências Contábeis com Ênfase em Controladoria Aline Fernanda de Oliveira Castro Michelle de Lourdes Santos A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE

Leia mais

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze 1 A Controladoria no Processo de Gestão Clóvis Luís Padoveze Cascavel - 21.10.2003 2 1. Controladoria 2. Processo de Gestão 3. A Controladoria no Processo de Gestão 3 Visão da Ciência da Controladoria

Leia mais

Pontuação homologada para o PEPC - 2014

Pontuação homologada para o PEPC - 2014 100 PORCENTO AUDIT 100 PORCENTO AUDIT AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1. TURNOS: Matutino ou Noturno Campus de Maringá Noturno Campus de Cianorte HABILITAÇÃO: Bacharelado em Ciências Contábeis GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Ciências Contábeis PRAZO PARA CONCLUSÃO:

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 083/2003 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO.

RESOLUÇÃO CONSEPE 083/2003 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. RESOLUÇÃO CONSEPE 083/2003 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE,

Leia mais

DIFERENÇAS ENTRE CONTABILIDADE GERENCIAL E CONTABILIDADE FINANCEIRA

DIFERENÇAS ENTRE CONTABILIDADE GERENCIAL E CONTABILIDADE FINANCEIRA Olá, pessoal! Hoje trago uma aula sobre as principais características da Contabilidade Gerencial e suas diferenças em relação à Contabilidade Financeira, que é o outro nome da Contabilidade Geral. Trata-se

Leia mais

Aula Nº 12 Auditoria Externa

Aula Nº 12 Auditoria Externa Aula Nº 12 Auditoria Externa Objetivos da aula: Apresentar a atividade de auditoria externa (independente) como meio para aferir a eficiência dos controles e como ferramenta administrativa para validação

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES.

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 417 CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Alice da Silva

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS -

Leia mais

TABELA DE PONTUAÇÃO 2012

TABELA DE PONTUAÇÃO 2012 Encantado Cruz Alta Soledade Gravataí Caxias do Sul Ijui Cerro Largo Curso de Auditoria voltado à validação da escrituração contábil fundamentado nas novas NBCs e nos dispositivos das legislações comercial

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 10º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria Pense antes de imprimir. A natureza agradece. MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria COMPROMISSO NÃO É CHEGAR SEMPRE NO HORÁRIO, É, ÀS VEZES, PERDER A NOÇÃO DO TEMPO. O que é ser bem-sucedido?

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.262/09. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.262/09. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Interpretação de IT 09 para ITG 09 e de outras normas citadas: de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL; de NBC T 7 para NBC TG

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Resolução CFC n.º 750/93 (Esta Resolução possui o Apêndice II aprovado pela Resolução CFC nº 1111/07). Dispõe sobre os Princípios Fundamentais de Contabilidade (PFC). Dispõe sobre os Princípios de Contabilidade

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

RESOLUÇÃO. São Paulo, 18 de novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente

RESOLUÇÃO. São Paulo, 18 de novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente RESOLUÇÃO CONSEAcc - SP 006/2004 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE SÃO PAULO, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus CONSEAcc, do câmpus de

Leia mais

AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES

AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES 1 AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES Alessandra Cristina Rubio¹ Josiane Marcacini Silva² RESUMO Thiago Silva Guimarães³ A auditoria interna é de suma importância para as organizações,

Leia mais

Professora Ana Paula Gonçalves Siqueira. SLIDE 01 Contador e Profissão Contábil

Professora Ana Paula Gonçalves Siqueira. SLIDE 01 Contador e Profissão Contábil Professora Ana Paula Gonçalves Siqueira SLIDE 01 Contador e Profissão Contábil Professora Especialista Ana Paula Gonçalves de Siqueira Formada em Ciências Contábeis UFMT (2002) Pós Graduação em Auditoria

Leia mais

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.1 - CONCEITUAÇÃO, OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO A Contabilidade Pública aplica, no processo gerador de informações, os princípios

Leia mais

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72

ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade Geral - 4 72 ADM004 Metodologia Científica - 2 36 ADM005 Métodos Quantitativos - 4 72 Matriz Curricular do Curso de Administração 2015.1 1ª Fase CÓDIGO DISCIPLINAS PRÉ- REQUISITOS CRED ADM001 Interpretação e Produção de Textos - ADM002 Filosofia e Ética Empresarial - 2 36 ADM003 Contabilidade

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 RESUMO

CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 RESUMO CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 GELAIN, Anna Júlia Lorenzzon 2 ; LORENZETT, Daniel Benitti 3 ; GODOY, Taís Pentiado 4 ; LOSEKANN, Andresa Girardi

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISAS EM ADMINISTRAÇÃO - CEPEAD CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISAS EM ADMINISTRAÇÃO - CEPEAD CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISAS EM ADMINISTRAÇÃO - CEPEAD CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA ADMINISTRAÇÃO: ENSINO E PESQUISA - grade curricular 2015-2016

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - SECRETARIA EXECUTIVA

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - SECRETARIA EXECUTIVA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - SECRETARIA EXECUTIVA DELIBERAÇÃO Nº 550, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008: Dispõe sobre a apresentação de informações sobre instrumentos financeiros derivativos em nota explicativa

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 820/97. Aprova a NBC T 11 Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Contábeis com alterações e dá outras providências.

RESOLUÇÃO CFC N.º 820/97. Aprova a NBC T 11 Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Contábeis com alterações e dá outras providências. RESOLUÇÃO CFC N.º 820/97 Aprova a NBC T 11 Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Contábeis com alterações e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas

Leia mais

MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública ZMBAPOG*09/01

MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública ZMBAPOG*09/01 MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública ZMBAPOG*09/01 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública Coordenação Acadêmica: Prof. Luiz Antonio

Leia mais

Curso de pós Graduação em Auditoria Fiscal e Contábil

Curso de pós Graduação em Auditoria Fiscal e Contábil IBRACON Instituto dos Auditores do Brasil 6 Regional UCS Universidade de Caxias do Sul -Campus Universitário de Bento Gonçalves Curso de pós Graduação em Auditoria Fiscal e Contábil Aula Inaugural tema:a

Leia mais

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO 1. APRESENTAÇÃO O curso de MBA em Controladoria, Finanças e Planejamento Tributário desenvolvido pela FAACZ visa oferecer aos participantes instrumentais

Leia mais

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. Campinas, 16 de novembro de 2004.

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. Campinas, 16 de novembro de 2004. RESOLUÇÃO CONSEAcc CPS 3 /2004 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE CAMPINAS, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus CONSEAcc, do câmpus de Campinas,

Leia mais

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

8º Congresso de Pós-Graduação PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E OPERACIONAL PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

8º Congresso de Pós-Graduação PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E OPERACIONAL PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS 8º Congresso de Pós-Graduação PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E OPERACIONAL PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Autor(es) CLAUDIO JAIR DE ALMEIDA Orientador(es) CLÓVIS LUIS PADOVEZE 1. Introdução Boa parte da literatura

Leia mais

7º Simpósio de Ensino de Graduação AS ALTERAÇÕES GERADAS PELA APROVAÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE PARA O SETOR PÚBLICO NBC T 16

7º Simpósio de Ensino de Graduação AS ALTERAÇÕES GERADAS PELA APROVAÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE PARA O SETOR PÚBLICO NBC T 16 7º Simpósio de Ensino de Graduação AS ALTERAÇÕES GERADAS PELA APROVAÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE PARA O SETOR PÚBLICO NBC T 16 Autor(es) LEONARDO GARCIA PAIS DE ARRUDA Orientador(es) ELAINE

Leia mais

RESOLUÇÃO. Itatiba, 17 novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente

RESOLUÇÃO. Itatiba, 17 novembro de 2004. Prof. Milton Mayer Presidente RESOLUÇÃO CONSEAcc - IT 12/2004 APROVA AS EMENTAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÂO DO CÂMPUS DE ITATIBA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus, do câmpus de Itatiba, no

Leia mais

Dimensão Econômico-Financeira

Dimensão Econômico-Financeira Dimensão Econômico-Financeira 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO... 3 INDICADOR 2. ATIVOS INTANGÍVEIS... 5 INDICADOR 3. DEFESA DA CONCORRÊNCIA... 6 CRITÉRIO II GESTÃO...

Leia mais

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA. Professora Mscda. Ana Cláudia de Oliveira

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA. Professora Mscda. Ana Cláudia de Oliveira MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA Professora Mscda. Ana Cláudia de Oliveira Objetivo principal: transmitir aos discente de pós graduação da Faculdade Almeida Rodrigues a metodologia utilizada para desenvolvimento

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

GRADE DE DISCIPLINAS MBA em Gestão de Crédito

GRADE DE DISCIPLINAS MBA em Gestão de Crédito GRADE DE DISCIPLINAS MBA em Gestão de Crédito Disciplinas (*) Modalidade H/A (**) Núcleo Contabilidade Contabilidade Financeira Presencial 24 Contabilidade dos Investimentos em Participações Societárias

Leia mais

MBA TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO TURMAS JUNDIAÍ

MBA TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO TURMAS JUNDIAÍ MBA TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E GERENCIAMENTO TURMAS JUNDIAÍ Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus

Leia mais

Perfil acadêmico. Livros de sua autoria. Principais obras disponíveis:

Perfil acadêmico. Livros de sua autoria. Principais obras disponíveis: Idalberto Chiavenato nascido em 1936 no interior do estado de São Paulo, é autor brasileiro na área de administração de empresas e de recursos humanos tendo seus livros utilizados por administradores no

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente

Leia mais

Relatório de revisão sobre os quadros isolados das Informações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014

Relatório de revisão sobre os quadros isolados das Informações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014 Companhia Transirapé de Transmissão Relatório de revisão sobre os quadros isolados das Informações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014 KPDS 93316 Companhia Transirapé de Transmissão Relatório

Leia mais

Ativo Intangível: um fator competitivo entre as empresas (junto com Andréa Alves Silveira Monteiro)

Ativo Intangível: um fator competitivo entre as empresas (junto com Andréa Alves Silveira Monteiro) Ativo Intangível: um fator competitivo entre as empresas (junto com Andréa Alves Silveira Monteiro) Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis v.4 n 1 1999 1 - INTRODUÇÃO A cada semana

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA Disciplina: Matemática Financeira para Tomada de Decisões (20 horas) Os métodos quantitativos têm sido amplamente

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.198/09. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.198/09. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC T 19.34 para NBC TG 40 e de outras normas citadas: de NBC T 17 para NBC TG 05; de NBC T 7 para NBC TG 02; de NBC T 19.11

Leia mais

MBA CONTROLLER (Parceria ANEFAC)

MBA CONTROLLER (Parceria ANEFAC) MBA CONTROLLER (Parceria ANEFAC) Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada em 1974. Seus projetos modificaram o

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 392 A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Débora Regina

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ ORIGEM e COMPOSIÇÃO O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) foi idealizado a partir da união de esforços e comunhão de objetivos das seguintes entidades: -ABRASCA: Presidente - ANTONIO DUARTE CARVALHO

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série CONTABILIDADE INTRODUTORIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA DA CONTABILIDADE CONTEÚDO

Leia mais

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas Geovana Alves de Lima Fedato 1 Claiton Pazzini Goulart 2 Lyss Paula de Oliveira

Leia mais

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional Coordenação Acadêmica: Wankes da Silva Ribeiro Coordenação da Ênfase: Wankes Leandro Ribeiro JUSTIFICATIVA O MBA em Gestão Empresarial

Leia mais

INSTRUMENTOS FINANCEIROS

INSTRUMENTOS FINANCEIROS INSTRUMENTOS FINANCEIROS Afonso Henrique Carvalho França* DEFINIÇÕES O Comitê de Pronunciamento Contábil emitiu durante o ano de 2009 os seguintes pronunciamentos sobre os instrumentos financeiros: CPC

Leia mais

Professor: Flávio José Dantas da Silva Titulação: Especialista em Auditoria Fiscal/Contábil pela Faculdade de Administração da UFBA PLANO DE CURSO

Professor: Flávio José Dantas da Silva Titulação: Especialista em Auditoria Fiscal/Contábil pela Faculdade de Administração da UFBA PLANO DE CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Tópicos Contemporâneos em Contabilidade Código: CTB- 000 Pré-requisito: Período Letivo:

Leia mais

Contabilidade Empresarial

Contabilidade Empresarial 2 Contabilidade Empresarial Aderbal Nicolas Müller Antonio Gonçalves Oliveira Introdução Entre os agentes econômicos, ativos participantes da economia das nações, temos as organizações empresariais, que

Leia mais

ANÁLISE DE CUSTOS. Prof. Dr. Armando Catelli

ANÁLISE DE CUSTOS. Prof. Dr. Armando Catelli Universidade de São Paulo Mestrado em Controladoria e Contabilidade ANÁLISE DE CUSTOS MODELO CONCEITUAL DE DECISÃO RELATIVO AO EVENTO MANTER / ELIMINAR / REORG. ATIVIDADES Prof. Dr. Armando Catelli Orientador

Leia mais

COMUNICADO AO MERCADO

COMUNICADO AO MERCADO . COMUNICADO AO MERCADO Convergência às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS Apresentamos as principais alterações em nossas demonstrações contábeis decorrentes da adoção do padrão contábil internacional

Leia mais

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional

Instituto Hernandez de Desenvolvimento Profissional AS IFRS COMO FATOR IMPULSIONADOR DA ECONOMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL NO BRASIL JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR José Hernandez Perez Junior 1 PALESTRANTE JOSÉ HERNANDEZ PEREZ JUNIOR PhD Doctor of Philosophy

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL REPORTING Belo Horizonte 2012 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CONTABILIDADE INTERNACIONAL FINANCIAL

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

RELAÇÃO DE HORÁRIOS POR TURMA. Segunda Terça Quarta Quinta Sexta. Segunda Terça Quarta Quinta Sexta

RELAÇÃO DE HORÁRIOS POR TURMA. Segunda Terça Quarta Quinta Sexta. Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Turma: ADM11N - 20161 FORMAÇÃO PROFISSIONAL I MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA EM I INTRODUÇÃO À ECONOMIA I INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS FORMAÇÃO PROFISSIONAL I MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA EM I INTRODUÇÃO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 728, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014

DELIBERAÇÃO CVM Nº 728, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014 Aprova o Documento de Revisão de Pronunciamentos Técnicos nº 06 referente aos Pronunciamentos CPC 04, CPC 05, CPC 10, CPC 15, CPC 22, CPC 25, CPC 26, CPC 27, CPC 28, CPC 33, CPC 38, CPC 39 e CPC 46 emitidos

Leia mais