Reabertura da Serra Pelada otimismo, confrontos, assassinatos e denuncias por Simone Helen Drumond de Carvalho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reabertura da Serra Pelada otimismo, confrontos, assassinatos e denuncias por Simone Helen Drumond de Carvalho"

Transcrição

1 Nando Oliveira formado em Técnico em Segurança e Medicina do Trabalho pergunta para Simone no Café História Serra Pelada no próximo ano será reaberta de forma mecanizada por capital estrangeiro. O que você pensa sobre essa reabertura? Você acredita que a empresa possa ter um plano de sustentabilidade que venha mudar a realidade daquele local? Simone Helen Drumond 1-1

2 A corrida pelo ouro em Serra Pelada, no Pará, tem data para recomeçar. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a retomada dos trabalhos em Serra Pelada foi negociada com mais de 20 associações, sindicatos e cooperativas desde Concessão autorizada pelo presidente Lula abre espaço para exploração da mina de ouro que vai receber 2 mil garimpeiros do Piauí que já estão cadastrados. A exploração foi concedida pelo governo federal para a empresa Serra Pelada Desenvolvimento Mineral, formada por uma cooperativa de garimpeiros com 45 mil associados e uma companhia canadense de exploração de minérios, a Colossus Minerals, que detém 75% da sociedade. Os brasileiros ficarão com apenas um quarto do que render nas jazidas. Simone Helen Drumond 1-2

3 O marco da migração no país, foi Serra Pelada quem viveu nos seus áureos tempos nos anos 80, levando pessoas de todo o Brasil para a região, todos em busca de riqueza e fortuna. Mas o ouro não apareceu para todos e muitos moradores atuais da área lutam para sobreviver, distantes do ouro que perseguiram. Quem viu o momento de esplendor de Serra Pelada duvida que mais ouro possa ser retirado da região. O dilema entre o otimismo e pessimismo acerca deste contexto é lógico, porém o velho sonho de fazer riqueza da noite para dia reacendeu a violência no sudeste do Pará. Grupos de garimpeiros rivais se enfrentaram nas ruas de Serra Pelada. Afirmo com segurança que os problemas do passado como acidentes de trabalho entre os garimpeiros, como soterramento em conseqüência de quebra de escadas e barrancos, doenças de pele, devido o trabalho com água contaminadas, cortes em membros do corpo, problemas respiratórios em decorrência da queima do ouro com mercúrio, além de doenças na coluna vertebral entre outros, irão ser latentes. Simone Helen Drumond 1-3

4 As noticias sobre este contexto nos mostram confrontos, assassinatos e denuncias que envolvem a Coomigasp. Mecanizado ou não o fato é que é muito difícil controlar aquilo ali. É muita gente armada. Muitos pensam que aquele lago esconde muito ouro e a busca pelo ELDORADO os deixam cegos, já outros pensam que aquele panorama é apenas o cenário de uma futura desilusão. A reabertura deste garimpo irá causar impactos sociais, ambientais e econômicos causados pela atividade garimpeira. Os problemas ambientais, econômicos e sociais que afetam a Amazônia são diversos: entre tantos destaco o avanço do desmatamento, o trabalho escravo, o trabalho degradante, a poluição das águas e dos solos em decorrência da atividade garimpeira e agropecuária, isso apenas para citar alguns, mas existem muitos outros, tanto no campo como na cidade. Simone Helen Drumond 1-4

5 É importante observa que a Constituição Federal no artigo 225, não autoriza a poluição do meio ambiente, mas deixa sobre a responsabilidade de reparar os danos ambientais, àquelas empresas e pessoas "[...] que explorar recursos minerais fica obrigado a recuperar o meio ambiente degrado, de acordo com solução técnica exigida pelo órgão público competente, na forma da lei". A principio quem polui deve recuperar os danos causados ao ambiente. Não é isso que a sociedade vem observando em área onde foi descoberta uma jazida mineral e um grupo de garimpeiros ou uma empresa mineradora começa a explorar os recursos minerais. A sociedade observa uma completo desrespeito à legislação vigente. Simone Helen Drumond 1-5

6 Lei 7.805/89 que alterou o Código de Mineração; é suficiente para inviabilizar a atividade garimpeira em Serra Pelada, pois segundo essa lei só é permitida a garimpagem se houve um estudo sobre os impactos ambientais, que deve ser elaborado por um profissional da área (engenheiro ou técnico ambiental). O representante da cooperativa dos garimpeiros de Serra Pelada demonstrou em sua fala que desconhecia a legislação vigente, quando questionado se possuíam relatório sobre os impactos ambientais e sociais, que a abertura do garimpo poderá possibilitar não apresentou resposta convincente para aos pesquisadores. Constamos, ainda que os garimpeiros são ludibriados por promessa mirabolante de que a qualquer momento receberam uma boa quantia em valores pelo barranco que possuem em Serra Pelada. Além disso, o grupo comandado pelo Curió está negociando com uma empresa norte americana a abertura do garimpo. Assim quem possui barranco ou quem é sócio da cooperativa irá receber uma boa indenização. Para receber essa indenização o garimpeiro precisa está em dia com a cooperativa. Os valores pagos pela indenização serão utilizados na construção de uma vila na proximidade da Serra, para onde os garimpeiros deverão se deslocar. Simone Helen Drumond 1-6

7 O avanço do conhecimento humano e a discussão em torno das questões que afetam diretamente a vida humana são importantes e o estabelecimento de regras e normas que possibilitem ao homem refletir sobre as conseqüências do uso de forma irracional dos recursos que a natureza nos oferece é de grande valia a todos. A utilização da natureza de forma racional possibilita aos seres humanos melhores qualidade de vida na terra. Identificar e compreender os entraves sociais, ambientais, políticos, econômicos e culturais que dificultam o desenvolvimento de ações no âmbito da educação ambiental é dever mundial de todo cidadão. Simone Helen Drumond 1-7

ARES Associação Recreativa e Esportiva Sanjoanense Atividades Sociais e Esportivas

ARES Associação Recreativa e Esportiva Sanjoanense Atividades Sociais e Esportivas ARES Associação Recreativa e Esportiva Sanjoanense Atividades Sociais e Esportivas Regimento Interno do Clube REGIMENTO INTERNO DO CLUBE 1 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO CLUBE: - De Terça-Feira a Domingo.

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA HISTÓRIA 4.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA HISTÓRIA 4.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA HISTÓRIA 4.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

Gestão Ambiental. Aula 2 Prof. Pablo Bosco

Gestão Ambiental. Aula 2 Prof. Pablo Bosco Gestão Ambiental Aula 2 Prof. Pablo Bosco Proposito da aula Conceito de meio ambiente; Outros conceitos; Problemas ambientais; Meio Ambiente como fonte de recursos. 2 Conceito de Meio Ambiente Antes de

Leia mais

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradadas. Aula 4. Recuperação de Áreas Degradadas pela Mineração. Contextualização

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradadas. Aula 4. Recuperação de Áreas Degradadas pela Mineração. Contextualização Recuperação de Áreas Degradadas Aula 4 Prof. Francisco W. von Hartenthal Organização da Aula Recuperação de Áreas Degradadas (RAD) pela Mineração 1. Histórico da atividade no Brasil 2. Os tipos de mineração

Leia mais

Mineração brasileira perspectivas e desafios. Geólogo Elmer Prata Salomão

Mineração brasileira perspectivas e desafios. Geólogo Elmer Prata Salomão Mineração brasileira perspectivas e desafios Geólogo Elmer Prata Salomão SUMÁRIO A MINERAÇÃO VISTA PELA SOCIEDADE O NOVO MARCO LEGAL DA MINERAÇÃO A EXPLORAÇÃO MINERAL NO BRASIL 2 A MINERAÇÃO VISTA PELA

Leia mais

DECRETO N.º DE 11 DE ABRIL DE 2011.

DECRETO N.º DE 11 DE ABRIL DE 2011. DECRETO N.º 33648 DE 11 DE ABRIL DE 2011. Regula a construção de edificação em favelas declaradas áreas de especial interesse social, estabelece as normas para a legalização das edificações nas áreas que

Leia mais

Regularização de Estágios Obrigatórios 2011 LEI , DE 25 DE SETEMBRO DE 2008

Regularização de Estágios Obrigatórios 2011 LEI , DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 LEI 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 Artigo 2º, parágrafo 1º, estágio obrigatório é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção de diploma. Artigo

Leia mais

A Ásia conta com enormes reservas minerais e energéticas, circunstância que tem facilitado seu recente desenvolvimento industrial.

A Ásia conta com enormes reservas minerais e energéticas, circunstância que tem facilitado seu recente desenvolvimento industrial. A Ásia conta com enormes reservas minerais e energéticas, circunstância que tem facilitado seu recente desenvolvimento industrial. Recursos minerais e energéticos de alguns países da Ásia Os principais

Leia mais

RESPONSABILIDADE AMBIENTAL EIL

RESPONSABILIDADE AMBIENTAL EIL RESPONSABILIDADE AMBIENTAL EIL Aspectos Legais Política Nacional do Meio Ambiente Lei nº 6938/81 Tornou-se obrigatório o licenciamento ambiental para atividades ou empreendimentos que possam degradar o

Leia mais

CIDADANIA: DIREITOS CIVIS, POLÍTICOS, SOCIAIS, E OUTROS

CIDADANIA: DIREITOS CIVIS, POLÍTICOS, SOCIAIS, E OUTROS CIDADANIA: DIREITOS CIVIS, POLÍTICOS, SOCIAIS, E OUTROS O que é ser cidadão e cidadania? Cidadão é o indivíduo participante de uma comunidade (Estado) e detentor de direitos e deveres. Assim, a cidadania

Leia mais

INSTITUTO LINA GALVANI. Conhecendo a realidade do município SERRA DO SALITRE MINAS GERAIS

INSTITUTO LINA GALVANI. Conhecendo a realidade do município SERRA DO SALITRE MINAS GERAIS INSTITUTO LINA GALVANI Conhecendo a realidade do município SERRA DO SALITRE MINAS GERAIS São Paulo, outubro de 2009 1 1. QUADRO RESUMO Informação e indicadores municipais Nome do município: Serra do Salitre

Leia mais

02. A atividade mineradora ao longo de todo o século XVIII alterou a paisagem no ambiente da área mineradora.

02. A atividade mineradora ao longo de todo o século XVIII alterou a paisagem no ambiente da área mineradora. SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 0 / 2 / 205 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 4.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Decreto de Balneário Camboriú nº 4464 de 03 de agosto de 2006

Decreto de Balneário Camboriú nº 4464 de 03 de agosto de 2006 "DISPÕE SOBRE O ESTACIONAMENTO REGULAMENTADO DE VEÍCULO - ESTAR BALNEÁRIO CAMBORIÚ, NO ÂMBITO DESTE MUNICÍPIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". O Prefeito Municipal de Balneário Camboriú, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Federal, combinado com os artigos 115, inciso I, e 116, ambos do. Regimento Interno da Câmara dos Deputados, solicito a Vossa

Federal, combinado com os artigos 115, inciso I, e 116, ambos do. Regimento Interno da Câmara dos Deputados, solicito a Vossa REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO nº, de 2007 (DO SR. SARNEY FILHO) Requerimento de Informação à Senhora Ministra do Meio Ambiente, sobre as providências adotadas por aquele Ministério, em face ao flagrante descumprimento

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NO ACIDENTE DE TRABALHO. LANA REZENDE DOS SANTOS FACULDADE ALFREDO NASSER

RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NO ACIDENTE DE TRABALHO. LANA REZENDE DOS SANTOS FACULDADE ALFREDO NASSER RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR NO ACIDENTE DE TRABALHO LANA REZENDE DOS SANTOS FACULDADE ALFREDO NASSER lanarezende27@gmail.com ANA CELUTA F. TAVEIRA Faculdade Alfredo Nasser Mestre em Direito e

Leia mais

Mineração. João Eduardo Laurent Alphonse Rafael Almeida

Mineração. João Eduardo Laurent Alphonse Rafael Almeida + Mineração João Eduardo Laurent Alphonse Rafael Almeida + 1. Histórico 2. Carajás 3. Aspectos Gerais Agenda + Histórico -Um solo, uma nação + Histórico 1500 1700: exploração de Au, Fe e diamantes 1603:

Leia mais

Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea

Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Júlio César Roma Técnico de Planejamento e Pesquisa da Diretoria de Estudos e Políticas

Leia mais

SÍNTESE DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (LEI , DE 02 DE AGOSTO DE 2010) NA PERSPECTIVA DAS CENTRAIS DE ABASTECIMENTO BRASILEIRAS

SÍNTESE DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (LEI , DE 02 DE AGOSTO DE 2010) NA PERSPECTIVA DAS CENTRAIS DE ABASTECIMENTO BRASILEIRAS SÍNTESE DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (LEI 12.305, DE 02 DE AGOSTO DE 2010) NA PERSPECTIVA DAS CENTRAIS DE ABASTECIMENTO BRASILEIRAS O QUE SÃO OS RESÍDUOS SÓLIDOS? Art. 3º, item XVI - material,

Leia mais

M4: Trabalho realizado por: Vanessa Cardoso Nrº ºH Disciplina: Área de Integração Professora: João Mesquita

M4: Trabalho realizado por: Vanessa Cardoso Nrº ºH Disciplina: Área de Integração Professora: João Mesquita EB1 JI Fundo de Vila Ano letivo de 2012/2013 EB1 JI Parque AGRUPAMENTO DE ESCOLAS M4: 3.3 Homem-Natureza: uma relação sustentável? 6.2 O desenvolvimento de novas atitudes no trabalho e no emprego: o empreendedorismo

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo)

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo) (2º ciclo) 5º ano Compreender a como um planeta especial. Compreender que o solo é um material terrestre de suporte de vida. Compreender a importância das rochas e dos minerais. Compreender a importância

Leia mais

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano Culturas, Etnias e modernidade no mundo e no Brasil A diversidade cultural Capítulo 11 - Item 11.4 O choque entre culturas e etnocentrismo Capítulo 11 Relativismo cultural e tolerância Capítulo 11 Civilização

Leia mais

Brasil pede licença para explorar minérios no Atlântico Sul

Brasil pede licença para explorar minérios no Atlântico Sul Brasil pede licença para explorar minérios no Atlântico Sul Por Danilo Fariello Governo quer investir Us$ 11 milhões em cinco anos no fundo do mar em área internacional No dia 31 de dezembro, o Brasil

Leia mais

PROFº. SÉRGIO RICARDO CHUVA ÁCIDA

PROFº. SÉRGIO RICARDO CHUVA ÁCIDA PROFº. SÉRGIO RICARDO CHUVA ÁCIDA A Chuva Ácida A medida da acidez da chuva é feita na escala de ph: quanto menor o ph, maior a sua acidez. O ph é igual a sete (7) para material neutro. Veja abaixo, alguns

Leia mais

EXPLORAÇÃO MINERAL. O papel da Tecnologia Mineral na viabilização e aproveitamento econômico de Jazimentos Minerais

EXPLORAÇÃO MINERAL. O papel da Tecnologia Mineral na viabilização e aproveitamento econômico de Jazimentos Minerais VI Simpósio Brasileiro de Exploração Mineral Maio 2014 Arthur Lakschevitz EXPLORAÇÃO MINERAL O papel da Tecnologia Mineral na viabilização e aproveitamento econômico de Jazimentos Minerais 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Nossa História 2012 APRESENTAÇÃO Vale 70 anos: Nossa História 12 No dia 3 de junho de 1942, as páginas dos principais jornais oportunidades que começavam a aparecer na China; enfrentou brasileiros

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO:

PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: PERGUNTAS E RESPOSTAS ACIDENTE DE TRABALHO: 1- Como se dá o Acidente de Trabalho? R- Trata-se, evidentemente, de um acidente ocorrido em razão do trabalho exercido pelo trabalhador, que pode causar uma

Leia mais

Engenharia e Sustentabilidade

Engenharia e Sustentabilidade ENGENHARIA MECÂNICA Engenharia e Sustentabilidade Professor: Fernando Domingo Zinger fernando.zinger@ifsc.edu.br TEMA DA NOSSA AULA DIA 24/05/2016 ABNT NBR ISO 14001 ISO 14000 É uma série de normas desenvolvidas

Leia mais

8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1

8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1 MOBILIZAÇÃO SOCIAL, CAMPANHAS E ARTICULAÇÃO EM REDE Daniela Guedes 8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1 Por que mobilizar? Melhores práticas em implantação de políticas públicas eficazes contam com

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS. Profa.Maria Ludetana Araujo

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS. Profa.Maria Ludetana Araujo EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS Profa.Maria Ludetana Araujo ludetana@ufpa.br EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DOS RS VENHA DE ONDE VIER... Uma práxis educativa e social que tem por finalidade

Leia mais

ANÁLISE CARTOGRÁFICA DO PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE POUSO ALEGRE/MG

ANÁLISE CARTOGRÁFICA DO PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE POUSO ALEGRE/MG ANÁLISE CARTOGRÁFICA DO PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE POUSO ALEGRE/MG Maria Itaiana Ferreira de Moraes 1 ; Thiago César Frediani Sant Ana 2 RESUMO: A vida social do homem está vinculada a ação de interação

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social Responsabilidade Social 1 Sistemas! 2 3 Sistemas de Informação O que é? 4 Sistemas de Informação? Componentes Sistemas de Informação Objetivos 5 6 Pra que servem os Sistemas de Informação? TEMPO DECISÕES

Leia mais

GEOGRAFIA BACHARELADO E LICENCIATURA. COORDENADOR Eduardo José Pereira Maia

GEOGRAFIA BACHARELADO E LICENCIATURA. COORDENADOR Eduardo José Pereira Maia GEOGRAFIA BACHARELADO E LICENCIATURA COORDENADOR Eduardo José Pereira Maia eduardomaia@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 333 Bacharelado ATUAÇÃO O profissional de Geografia deve ter um perfil que o

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS P1-3º BIMESTRE 6º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Compreender o conceito de solo e sua formação; Identificar as

Leia mais

Caracteriza-se pelo aumento de uma taxa de forma constante por uma unidade de tempo; 2x2 = 4x4 = 16x16 = 256x256 = x =

Caracteriza-se pelo aumento de uma taxa de forma constante por uma unidade de tempo; 2x2 = 4x4 = 16x16 = 256x256 = x = ECOLOGIA, POLÍTICA E SUSTENTABILIDADE 1 Crescimento exponencial Caracteriza-se pelo aumento de uma taxa de forma constante por uma unidade de tempo; Esse crescimento é enganoso; 2x2 = 4x4 = 16x16 = 256x256

Leia mais

Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e

Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e O Meio Ambiente Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e estão ligadas a vida dos seres humanos.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate.

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate. ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: Ciências Naturais Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS AULAS

Leia mais

De acordo com a vontade comum com vistas ao entendimento mútuo e à cooperação bilateral;

De acordo com a vontade comum com vistas ao entendimento mútuo e à cooperação bilateral; MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR, DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, E A COMISSÃO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO E REFORMA, DA REPÚBLICA POPULAR

Leia mais

PRINCIPAIS IMPACTOS AMBIENTAIS

PRINCIPAIS IMPACTOS AMBIENTAIS A QUESTÃO AMBIENTAL PRINCIPAIS IMPACTOS AMBIENTAIS Impacto Ambiental deve ser entendido como um desequilíbrio resultante da ação do homem(ligado ao modo de produção) sobre o meio ambiente. Alguns exemplos:

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim

Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes. Deputado Arnaldo Jardim SEMINÁRIO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS Política Nacional de Resíduos Sólidos : formulação e diretrizes Deputado Arnaldo Jardim 21.07.11 Política Nacional de Resíduos SólidosS Diretrizes Internalizar

Leia mais

Resumão sobre Cooperativismo

Resumão sobre Cooperativismo Resumão sobre Cooperativismo Apresentação Com o intuito de facilitar a compreensão em relação às cooperativas, eu tive a ideia de fazer este resumão. A iniciativa visa, primordialmente, esclarecer e tirar

Leia mais

PROJETO DE LEI N, DE (Da Sra. Deputada Cida Diogo PT/RJ)

PROJETO DE LEI N, DE (Da Sra. Deputada Cida Diogo PT/RJ) PROJETO DE LEI N, DE 2008. (Da Sra. Deputada Cida Diogo PT/RJ) Institui o Plano Nacional de Medicina Natural e práticas complementares no âmbito do Sistema Único de Saúde. O Congresso Nacional decreta:

Leia mais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Entradas. Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Entradas. Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais Desenvolvimento BM-1423 Direitos autorais - Comissão para autores Versão 5 Release 28 Autor Jaciara Silva Processo: Vendas Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais Acesso Vendas\Movimentações Motivação

Leia mais

ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA

ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA Estrutura Fundiária A estrutura fundiária corresponde ao modo como as propriedades rurais estão dispersas pelo território e seus respectivos tamanhos, que facilita a compreensão

Leia mais

SUBTROPICAL (SÃO GABRIEL - RS)

SUBTROPICAL (SÃO GABRIEL - RS) PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= 01- Analise as imagens.

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO III ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 2.º ANO/EF

ROTEIRO DE ESTUDO III ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 2.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE ESTUDO III ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 2.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados na

Leia mais

REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL. PROFª: Gitano Souto Silva

REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL. PROFª: Gitano Souto Silva REPRESENTAÇÃO GRAFICA; TERMINOLOGIA CONTÁBIL; E TIPOS DE CAPITAL PROFª: Gitano Souto Silva BALANÇO PATRIMONIAL O Balanço Patrimonial é uma demonstração contábil que evidencia, por meio das contas PATRIMONIAIS

Leia mais

Duração: 4 anos. Técnico em Meio Ambiente - Campus Laranjal do Jari

Duração: 4 anos. Técnico em Meio Ambiente - Campus Laranjal do Jari Este curso destinase a estudantes que concluíram o Ensino Fundamental em idade escolar regular. A matriz curricular oferta componentes (disciplinas) da formação geral e da formação profissional, obedecendo

Leia mais

Manual Fechamento de Caixa. Gestor - Versão 11.2 (PAF) atualização

Manual Fechamento de Caixa. Gestor - Versão 11.2 (PAF) atualização Manual Fechamento de Caixa Gestor - Versão 11.2 (PAF) atualização 07.10.11 O fechamento de caixa é uma opção em que você encerrará os lançamentos financeiros feitos durante o dia e fará a conferência do

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel SÃO MIGUEL DO OESTE, JUNHO DE 2015. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SULCREDI SÃO MIGUEL 1 ABRANGÊNCIA Esta política orienta o

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GASPAR

PREFEITURA MUNICIPAL DE GASPAR DECRETO Nº 6878, DE 30 DE MARÇO DE 2016. FIXA NOVA TABELA PARA TARIFAS E SERVIÇOS DIVERSOS DO SAMAE, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PEDRO CELSO ZUCHI, Prefeito Municipal de Gaspar, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Legais Complementares Art. 3 2º do Código de Mineração)

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

CERM Manual do Usuário

CERM Manual do Usuário Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia SEDEME Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral DIGEM SISTEMA ESTADUAL DE CADASTRO DE RECURSOS

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS PPLR/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS PPLR/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS PPLR/2011 CENTRAIS ELÉTRICAS DO PARÁ S.A., inscrita no CNPJ/MF sob nº 04.895.728/0001-80 e Inscrição Estadual nº 15.074.480-3,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra-

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- Tema / Capítulos Competências/Objectivos Estratégias / Actividades Recursos/ Materiais Avaliação Aulas previstas (45 min) Tema I Ecossistemas

Leia mais

19 Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente

19 Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente 19 Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente RECURSOS FINANCEIROS PARA PROJETOS CONDIMMA Conselho de Dirigentes Municipais do Meio Ambiente Julio Cesar Salecker Engenheiro Agrícola/Eletrotécnico

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE A DIVISÃO DO ESTADO DO PARÁ A divisão do Pará em Debate

SEMINÁRIO SOBRE A DIVISÃO DO ESTADO DO PARÁ A divisão do Pará em Debate SEMINÁRIO SOBRE A DIVISÃO DO ESTADO DO PARÁ A divisão do Pará em Debate Subsídios à Discussão Prof. Me. José Queiroz de Miranda Neto Mestre em Geografia (Gestão do Planejamento Regional) Implicações da

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS URBANOS O Caos Ambiental das Cidades Brasileiras

IMPACTOS AMBIENTAIS URBANOS O Caos Ambiental das Cidades Brasileiras IMPACTOS AMBIENTAIS URBANOS O Caos Ambiental das Cidades Brasileiras PROF.: ROBERT OLIVEIRA robertgeografia@gmail.com POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA: INVERSÃO TÉRMICA E SMOG PROF.: ROBERT OLIVEIRA robertgeografia@gmail.com

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES ELETRÓNICOS DE IDENTIFICAÇÃO

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES ELETRÓNICOS DE IDENTIFICAÇÃO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES ELETRÓNICOS DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1º Âmbito e função 1. O Cartão Eletrónico de Identificação tem por função identificar todos os utentes: alunos; pessoal docente

Leia mais

Cria o Refúgio de Vida Silvestre da Serra dos Montes Altos, no Estado da Bahia, e dá outras providências.

Cria o Refúgio de Vida Silvestre da Serra dos Montes Altos, no Estado da Bahia, e dá outras providências. Salvador, Bahia Terça-feira 30 de novembro de 2010 Ano XCV N o 20.426 DECRETO Nº 12.487 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010 Cria o Refúgio de Vida Silvestre da Serra dos Montes Altos, no Estado da Bahia, e dá outras

Leia mais

Carlo A. Castellanelli Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - UFSM

Carlo A. Castellanelli Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - UFSM A CORRETA DESTINAÇÃO DO ÓLEO DE FRITURA PÓS-USO E A RESPONSABILIDADE AMBIENTAL DAS EMPRESAS FABRICANTES Carlo A. Castellanelli Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - UFSM O resíduo O.F.U

Leia mais

Educação Difusa: a tradição oral

Educação Difusa: a tradição oral Educação Difusa: a tradição oral A educação existe onde não há escola e por toda parte podem haver redes e estruturas sociais de transferência de saber de uma geração a outra, onde ainda não foi sequer

Leia mais

UFSC. Resposta: 34. Comentário

UFSC. Resposta: 34. Comentário Resposta: 34 01. Incorreta. A União Soviética foi membro fundador da ONU, sendo substituída pela Rússia com o fim da URSS. 04. Incorreta. O FMI tem função financeira. Os investimentos em infraestrutura

Leia mais

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL

III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL III SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel II: Resíduos Sólidos Urbanos Política Nacional, Gestão e Gerenciamento de Resíduos Sólidos. José Valverde Machado Filho 20.04.2012 Cenários e Evolução

Leia mais

SEGURANÇA PATRIMONIAL E OPERACIONAL RD N : 16 DATA DE EMISSÃO 12/08/1999

SEGURANÇA PATRIMONIAL E OPERACIONAL RD N : 16 DATA DE EMISSÃO 12/08/1999 NP- AD-019 1 de 5 Índice: 1 DO OBJETIVO...2 2 DA ÁREA DE APLICAÇÃO...2 3 DAS DEFINIÇÕES...2 3.1 DAS SIGLAS...2 3.2 DOS CONCEITOS...2 3.3 DAS RESPONSABILIDADES...2 4 DA DESCRIÇÃO DE PROCEDIMENTOS...3 4.1

Leia mais

RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA. Profa. Margarita María Dueñas Orozco

RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA. Profa. Margarita María Dueñas Orozco RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com INTRODUÇÃO Semelhança entre processos de geração de RS num organismo vivo e numa sociedade Fonte: Barros,

Leia mais

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 População brasileira cresce quase 20 vezes desde 1872 A população do Brasil alcançou a marca de 190.755.799 habitantes na data de referência do

Leia mais

Origem & Definição. No Brasil a riqueza de recursos minerais é um. resultado direto de dois fatores conjugados: a

Origem & Definição. No Brasil a riqueza de recursos minerais é um. resultado direto de dois fatores conjugados: a Origem & Definição Os minerais e rochas de nosso planeta originaramse juntamente com a solidificação da crosta a cerca de 4,6 bilhões de anos. Os como sendo compostos sólidos, inorgânicos, de composição

Leia mais

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Panorama Econômico do Rio Grande do Sul 2008 Unidade de Estudos Econômicos COMPOSIÇÃO DO PIB PIB DO RIO GRANDE DO SUL 62% 9% 29% Estamos mais sujeitos a refletir crises agrícolas que a média da economia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE- GEAM PROJETO I ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA UFPA: OS DEZ ANOS DO GRUPO DE ESTUDOS

Leia mais

ANÁLISE DE PRÉ-VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E AMBIENTAL DA IMPLANTAÇÃO DE UMA USINA SOLAR FOTOVOLTAICA EM CONSÓRCIO COM A REABILITAÇÃO DE ÁREAS

ANÁLISE DE PRÉ-VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E AMBIENTAL DA IMPLANTAÇÃO DE UMA USINA SOLAR FOTOVOLTAICA EM CONSÓRCIO COM A REABILITAÇÃO DE ÁREAS ANÁLISE DE PRÉ-VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E AMBIENTAL DA IMPLANTAÇÃO DE UMA USINA SOLAR FOTOVOLTAICA EM CONSÓRCIO COM A REABILITAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS SUMÁRIO ESTIMATIVA DE CUSTOS S S INTRODUÇÃO

Leia mais

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº B DE O CONGRESSO NACIONAL decreta:

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº B DE O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.057-B DE 2007 Acrescenta o art. 54-A à Lei nº 6.001, de 19 de dezembro de 1973, que dispõe sobre o Estatuto do Índio. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 A Lei nº 6.001,

Leia mais

DIMENSÕES DOS DANOS AMBIENTAIS, JURIDICIDADE E FORMAS DE REPARAÇÃO

DIMENSÕES DOS DANOS AMBIENTAIS, JURIDICIDADE E FORMAS DE REPARAÇÃO DIMENSÕES DOS DANOS AMBIENTAIS, JURIDICIDADE E FORMAS DE REPARAÇÃO Fernanda Luiza Fontoura de Medeiros Pesquisadora do CNPq Doutora em Direito (UFSC/Coimbra) Mestre em Direito (PUCRS) Professora Adjunta

Leia mais

TÍTULO: IDENTIFICAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS NA FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA

TÍTULO: IDENTIFICAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS NA FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA TÍTULO: IDENTIFICAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS NA FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA

Leia mais

Sendo assim, saiba quais são os tipos de aposentadoria e quais as condições que o trabalhador deve observar para cada um deles:

Sendo assim, saiba quais são os tipos de aposentadoria e quais as condições que o trabalhador deve observar para cada um deles: O trabalhador brasileiro pode ter acesso à aposentadoria de várias formas, dependendo das condições de saúde, idade, tempo em que o empregado trabalhou com carteira assinada, bem como se o cidadão trabalhou

Leia mais

A história das cidades e os desastres a percepção de perigo ou ameaça

A história das cidades e os desastres a percepção de perigo ou ameaça A história das cidades e os desastres a percepção de perigo ou ameaça A história das cidades e os desastres a percepção de risco A história das cidades e os desastres - passado remoto: os grandes desastres

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1F

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1F CADERNO DE EXERCÍCIOS 1F Ensino Fundamental Ciências Humanas Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Ciclo do Ouro 2 Independência do Brasil 3 Orientação 4 Relevo H16, H34 H27, H36 H2 H5 1 1.

Leia mais

Concessão - Aposentadoria

Concessão - Aposentadoria Concessão - Aposentadoria 1. Módulo Cadastro 1.1. Cadastro de Pessoa Acesse o menu Cadastro/Pessoa/Informações Gerais. A seguinte janela se abrirá. Para incluir uma nova pessoa, vá paraa a primeira aba,

Leia mais

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Comunicação Ietec A sustentabilidade ambiental é um desafio mundial e, por isso, a produção, coleta e destinação dos resíduos tornaram-se tema

Leia mais

Resolução 4.327 Politica de Responsabilidade Socioambiental

Resolução 4.327 Politica de Responsabilidade Socioambiental Resolução 4.327 Politica de Responsabilidade Socioambiental Novembro de 2014 Brasil (confidencial) RESOLUÇÃO 4.327 BACEN e SARB14 - Febraban Regulação sobre Responsabilidade Socioambiental Bacen Resolução

Leia mais

Quais eram as principais diferenças ideológicas entre esses dois agrupamentos políticos?

Quais eram as principais diferenças ideológicas entre esses dois agrupamentos políticos? 1 O ano de 1958 foi particularmente marcado por um clima de euforia e otimismo impulsionado por realizações e conquistas mas também pela imagem que o presidente da República, Juscelino Kubitschek, procurava

Leia mais

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18%

População em Brasil ,33% Região Norte ,98% Região Nordeste ,18% 1 O Brasil é o quinto país mais populoso do mundo. De acordo com o Censo Demográfico de 2010, a população brasileira é de 190 732 694 pessoas. Veja os dados da população para cada região e responda: População

Leia mais

A Visão do Financiador: Aspectos Ambientais Considerados para Aprovação de Financiamentos no setor elétrico

A Visão do Financiador: Aspectos Ambientais Considerados para Aprovação de Financiamentos no setor elétrico A Visão do Financiador: Aspectos Ambientais Considerados para Aprovação de Financiamentos no setor elétrico Werner Grau Neto Telefone: (11) 3247-8625 wgrau@pn.com.br Contexto Legal regularidade formal

Leia mais

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Rede de ONGs da Mata Atlântica RMA Apoio: Funbio e MMA Papel do Município no meio ambiente Constituição Federal Art 23 Competência Comum,

Leia mais

Conteúdo Onde selecionar os materiais para o estudo? Como estudar? Centro-oeste: do ouro ao agronegócio

Conteúdo Onde selecionar os materiais para o estudo? Como estudar? Centro-oeste: do ouro ao agronegócio Olá, Chegamos na reta final e agora é o momento que a concentração deve ser redobrada. Por isso, não se esqueçam: Interprete cuidadosamente os mapas, tabelas, textos (poemas, letras de músicas, notícias

Leia mais

À UNIDADE REGIONAL COLEGIADA RIO DAS VELHAS DO CONSELHO DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS COPAM/MG.

À UNIDADE REGIONAL COLEGIADA RIO DAS VELHAS DO CONSELHO DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS COPAM/MG. À UNIDADE REGIONAL COLEGIADA RIO DAS VELHAS DO CONSELHO DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS COPAM/MG. Empreendimento: CRUSADER do Brasil Ltda. Processo n.º 12492/2008/005/2012 Licença de Operação para

Leia mais

RO - Roteiro Operacional IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais

RO - Roteiro Operacional IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais IPSEMG - MG RO.04.26 Versão: 24 RO - Roteiro Operacional IPSEMG - Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais Área responsável: Gerência Produtos Consignados I - CONDIÇÕES GERAIS

Leia mais

Avaliação socioambiental de fornecedores

Avaliação socioambiental de fornecedores Avaliação socioambiental de fornecedores IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: CNPJ: Material/serviço que fornece: Responsável pelas informações: Cargo: Telefone: E-mail: Questionário Gostaríamos de conhecer

Leia mais

Tira Dúvidas. Kibon AdeS Ben & Jerry s

Tira Dúvidas. Kibon AdeS Ben & Jerry s Tira Dúvidas Kibon AdeS Ben & Jerry s Olá, amigo Promotor. Esta é a nova Cartilha de Qualidade em Loja Perfeita. Ela foi elaborada para levar a você importantes dicas que irão facilitar o seu trabalho,

Leia mais

Barragens de Rejeitos de Mineração: Cenário Atual e Proposições

Barragens de Rejeitos de Mineração: Cenário Atual e Proposições Barragens de Rejeitos de Mineração: Cenário Atual e Proposições A Mineração A mineração é a atividade destinada a pesquisar, descobrir, extrair e transformar os recursos minerais em benefícios econômicos

Leia mais

Plano de Continuidade de Negócios (PCN)

Plano de Continuidade de Negócios (PCN) Plano de Continuidade de Negócios (PCN) KAETÉ INVESTIMENTOS LTDA. Órgão responsável: Comitê de Compliance e Controles Internos Data da atualização: 17 de junho de 2016 Aviso Legal: Este documento pode

Leia mais

HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO

HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Revolução Industrial Inicia-se na Inglaterra em 1700. País torna-se fornecedor de produtos para Impérios Coloniais. Forte migração do campo para as cidades mão de

Leia mais

Lições de Náufrago.

Lições de Náufrago. Lições de Náufrago http://www.lrdo.com.br/wp-content/uploads/2014/01/o-náufrago-3.jpg 0 Lembra do filme O Naúfrago, onde o personagem central, vivido por Tom Hanks, fica isolado em uma ilha? Como ele sobreviveu?

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 5.168 ALAGOAS RELATORA REQTE.(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS :PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DE ALAGOAS INTDO.(A/S) :ASSEMBLEIA

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL Direito Ambiental Aprofundado: Teoria e Jurisprudência

SEMINÁRIO INTERNACIONAL Direito Ambiental Aprofundado: Teoria e Jurisprudência SEMINÁRIO INTERNACIONAL Direito Ambiental Aprofundado: Teoria e Jurisprudência Mineração e Meio Ambiente Juliano de Barros Araújo Goiânia, 22 de abril de 2016 Promoção: Apoio: Mineração e Meio Ambiente

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental - (PRSA) Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA).

Política de Responsabilidade Socioambiental - (PRSA) Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA). Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA). Versão 2.0 Fevereiro/2016 1 Histórico de Alterações Versão Data Responsável Alterações/Observações 1.0 Julho/15 2.0 Fevereiro/16 Jeniffer Caroline Rugik

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO

IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELO USO IRREGULAR DE DEJETOS DE SUÍNOS NO SOLO Rodrigo de Almeida Silva (1) ; Rita Maria de Souza (2) ; Érica Nacif Rufino Vieira (3) ; (1) Graduando do curso de Gestão Ambiental,

Leia mais

Denúncia de atividades irregulares em andamento na Sub-Bacia Hidrográfica do Guarapiranga. INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL

Denúncia de atividades irregulares em andamento na Sub-Bacia Hidrográfica do Guarapiranga. INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL DENÚNCIA DE ATIVIDADES IRREGULARES EM ANDAMENTO NA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO GUARAPIRANGA. ANEXO ENCAMINHADO PARA SECRETARIA ESTAUDAL DO MEIO AMBIENTE DE SÃO PAULO ABRIL 2005 1

Leia mais

DESFLORESTAMENTO DA MATA ATLÂNTICA

DESFLORESTAMENTO DA MATA ATLÂNTICA IFRJ- CAMPUS NILO PEÇANHA PINHEIRAL DESFLORESTAMENTO DA MATA ATLÂNTICA Profa. Cristiana do Couto Miranda Ecossistema em equilíbrio funções Serviços ambientais Interações meio biótico (organismos vegetais,

Leia mais

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE - PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE - PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS DISCURSO DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE - PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS TÍTULO DE CIDADÃO HONORÁRIO DE JOÃO PINHEIRO AO PRESIDENTE DO TJMG 25 de maio de 2010 10 horas Um dos

Leia mais