satisfeita em parte insatisfeita em parte insatisfeita totalmente

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "satisfeita em parte insatisfeita em parte insatisfeita totalmente"

Transcrição

1 SATISFAÇÃO COM A VIDA SEXUAL comparativos 2001/ 2010 e mulheres/ homens [estimulada e única, em %] Base: Total da amostra M/ H HOMENS MENTE SATISFEITA INSATISFEITA EM ALGUM GRAU satisfeita em parte mais ou menos (espontânea) insatisfeita em parte insatisfeita totalmente NÃO SABE P.24M/17H Você diria que atualmente está satisfeita ou insatisfeita com a maneira de viver a sua sexualidade? Totalmente ou em parte?

2 ORIENTAÇÃO SEXUAL comparativos 2001/ 2010 e mulheres/ homens [estimulada e única, em %] * Base: Entrevistadas/os que tiveram relações sexuais Base: Total da amostra Só por/com homens Só por/com mulheres * * * * 96 Por/com homens e por mulheres, na mesma proporção Principalmente por homens mas também por mulheres Principalmente por/com mulheres mas também por/com homens Não costuma/ não gostaria de ter relações com ninguém (espontânea) SENTE ATRAÇÃO * JÁ TEVE RELAÇÃO COSTUMA TER RELAÇÃO SEXUAL HOMENS 1 1 * * 1 * 1 * * - * * - * - * * Não respondeu * 1 * 1 1 P25aM. Independentemente do que você já fez ou do que gostaria de fazer, você diria que sente atração: P25bM. Atualmente, você costuma ter relações sexuais: P25cM. E pensando em todas as experiências que você teve desde sua adolescência, você teve relações sexuais: P18H. Tem homens que sentem atração sexual por mulheres, outros que sentem atração por homens e outros que se sentem atraídos por pessoas dos dois sexos. Atualmente, você costuma ter relações sexuais:

3 VIRGINDADE comparativos 2001/ 2010 e mulheres/ homens [única, em %] Base: Total da amostra HOMENS Já teve relação sexual Nunca teve/ é virgem Recusa P.20M/13H Falando de sexo, você já teve relações sexuais? Ou é virgem, nunca teve nenhuma relação sexual?

4 IDADE DA 1ª RELAÇÃO SEXUAL comparativo 2001/ 2010 e mulheres/ homens [espontânea e única, em %] Base: Entrevistadas/os que tiveram relações sexuais Até Com 16 a Com 19 a Com mais de Recusa 2 2 média 18a3m 18a1m HOMENS Até ou mais 20 Recusa 3 média 15a9m P21M/ 14H. Com quantos de idade você teve sua 1 a relação sexual? Mais ou menos...

5 IDADE DA 1ª RELAÇÃO SEXUAL, por renda familiar mensal e idade [espontânea e única, em %] Base: Total da amostra RENDA FAMILIAR MENSAL IDADE JÁ TEVE RELAÇÃO SEXUAL Até 1 SM + de 1 a 2 SM + de 2 a 5 SM + de 5 SM 15 a a a a a ou mais Peso 100% 20% 26% 28% 14% 8% 18% 22% 19% 19% 14% Até Com 16 a Com 19 a Com 25 a Com mais de Recusa NUNCA TEVE RELAÇÃO SEXUAL/ É VIRGEM média 18a 17a5m 17a8m 18a4m 19a 14a7m 16a6m 17a6m 18a3m 19a3m 19a8m P21M. Com quantos de idade você teve sua 1 a relação sexual? Mais ou menos...

6 PRAZER NAS RELAÇÕES SEXUAIS comparativo 2001/ 2010 [estimulada e única, em %] Base: Entrevistadas que tiveram relações sexuais (91%) Sentiu muito prazer Achou gostoso Fez por obrigação 9 6 Não sentiu nada 5 2 Foi um sofrimento 3 1 Outras respostas 2 5 P30M. Na maior parte das vezes, quando teve relação sexual você:

7 PRAZER NAS RELAÇÕES SEXUAIS, por idade, situação conjugal, renda familiar mensal e escolaridade [estimulada e única, em %] 15 a 17 P30M. Na maior parte das vezes, quando teve relação sexual você: 18 a a 34 Até 1 SM IDA DE 35 a 44 RENDA FAMILIAR MENSAL + de 1 a 2 SM Base: Entrevistadas que tiveram relações sexuais (91%) + de 2 a 5 SM + de 5 SM Até 4ª série sem registro cívil Peso 100% 8% 18% 22% 19% 19% 14% 62% 38% 24% 20% 9% 9% Sentiu muito prazer Achou gostoso/ bom Fez por obrigação Não sentiu nada Foi um sofrimento Outras respostas Recusa a 59 SITUAÇÃO CONJUGAL ESCOLARIDADE 5ª a 8ª série Superi or ou+ Médio Peso 100% 20% 26% 28% 14% 24% 21% 38% 16% Sentiu muito prazer Achou gostoso/ bom Fez por obrigação Não sentiu nada Foi um sofrimento SEPARADA Outras respostas Recusa ou mais CASADA SOLTEIRA VIÚVA

8 SATISFAÇÃO COM A VIDA SEXUAL, por orientação sexual, tipo de relacionamento e prazer nas relações sexuais [estimulada e única, em %] Base: Total da amostra ORIENTAÇÃO SEXUAL TIPO DE RELACIONAMENTO PRAZER NAS RELAÇÕES SEXUAIS Heterossexual Homo/ Bissexual Estável Eventual Sentiu muito prazer Achou gostoso Outras respostas Peso 100% 98% 1% 88% 11% 42% 42% 11% MENTE SATISFEITA INSATISFEITA EM ALGUM GRAU satisfeita em parte mais ou menos (espontânea) insatisfeita em parte insatisfeita totalmente NÃO SABE P.24M Você diria que atualmente está satisfeita ou insatisfeita com a maneira de viver a sua sexualidade? Totalmente ou em parte?

9 SATISFAÇÃO COM A VIDA SEXUAL, por tempo da última relação [estimulada e única, em %] Base: Total da amostra RELAÇÃO SEXUAL TEMPO DA ÚLTIMA Nunca teve Já teve 1 a 3 dias 4 a 7 dias 8 a 30 dias De 1 mês até 1 ano Mais de 1 ano Peso 100% 10% 90% 31% 14% 13% 12% 13% MENTE SATISFEITA INSATISFEITA EM ALGUM GRAU satisfeita em parte mais ou menos (espontânea) insatisfeita em parte insatisfeita totalmente NÃO SABE P.24M Você diria que atualmente está satisfeita ou insatisfeita com a maneira de viver a sua sexualidade? Totalmente ou em parte?

10 NÚMERO APROXIMADO DE PARCEIROS comparativos 2001/ 2010 e mulheres/ homens [espontânea e única, em %] Base: Entrevistadas/os que tiveram relações sexuais a a A MAIS DE 10 PESSOAS 2 3 NÃO RESPONDEU/ RECUSA 3 7 média 2,6 3,4 HOMENS 1 e e e a a 15 9 Mais de 15 pessoas 35 Não respondeu/ recusa 11 média 22,4 P29M/21H. Independente de relacionamentos, com quantas pessoas você já teve relações sexuais, desde sua primeira vez até hoje? Mais ou menos...

11 NÚMERO APROXIMADO DE PARCEIROS, por idade, situação conjugal, renda familiar mensal e escolaridade [espontânea e única, em %] 15 a a a 34 IDA DE 35 a 44 Base: Entrevistadas que tiveram relações sexuais (91%) sem registro cívil Peso 100% 8% 18% 22% 19% 19% 14% 62% 38% 24% 20% 9% 9% a Mais de 10 pessoas Não respondeu/ recusa média 3,4 2,2 3,3 4,2 4,2 3,1 1,7 2,9 2,0 4,4 4,3 5,6 2,7 45 a ou mais CASADA SITUAÇÃO CONJUGAL SOLTEIRA SEPARADA VIÚVA RENDA FAMILIAR MENSAL ESCOLARIDADE Até 1 + de 1 a + de 2 a + de 5 Até 4ª 5ª a 8ª Superi SM 2 SM 5 SM SM série série Médio or ou+ Peso 100% 20% 26% 28% 14% 24% 21% 38% 16% a Mais de 10 pessoas Não respondeu/ recusa média 3,4 3,5 3,5 3,7 3,3 2,7 3,9 3,7 3,2 P29M. Independente de relacionamentos, com quantas pessoas você já teve relações sexuais, desde sua primeira vez até hoje? Mais ou menos...

12 EXPERIÊNCIAS SEXUAIS FORA DO CASAMENTO/ NAMORO comparativos 2001/ 2010 e mulheres/ homens [estimulada e única, em %] Base: Entrevistadas/os que tiveram relações sexuais PARCEIRO/A A ENTREVISTADA HOMENS O PARCEIRO/A ENTREVISTADO Com certeza já aconteceu Uma vez Algumas vezes Acontece sempre * 1 7 Talvez/ não tem certeza se já aconteceu ou não Com certeza nunca aconteceu Nunca casou nem teve namoro fixo P.26M/19H. Tem pessoas que mesmo casadas ou namorando, têm relacionamento ou experiências sexuais fora do casamento ou do namoro. Já aconteceu com você de estar com uma pessoa e ela ter relações sexuais com outra pessoa? Com certeza ou provavelmente? P.27M/20H E você, estando casada ou namorando, já teve relacionamento ou experiência sexual com outra pessoa, na mesma época em que estava com seu parceiro(a)?

13 EXPERIÊNCIAS SEXUAIS FORA DO CASAMENTO/ NAMORO por idade, situação conjugal, renda familiar mensal e escolaridade [estimulada e única, em %] 15 a a a 34 cívil Peso 100% 8% 18% 22% 19% 19% 14% 62% 38% 24% 20% 9% 9% JÁ ACONTECEU Uma vez Algumas vezes Acontece sempre NUNCA ACONTECEU NUNCA CASOU NEM TEVE NAMORO FIXO RENDA FAMILIAR MENSAL ESCOLARIDADE Até 1 + de 1 a + de 2 a + de 5 Até 4ª 5ª a 8ª Superi SM 2 SM 5 SM SM série série Médio or ou+ Peso 100% 20% 26% 28% 14% 24% 21% 38% 16% JÁ ACONTECEU Uma vez Algumas vezes Acontece sempre NUNCA ACONTECEU NUNCA CA SOU NEM TEVE NAMORO FIXO P.27M E você, estando casada ou namorando, já teve relacionamento ou experiência sexual com outra pessoa, na mesma época em que estava com seu parceiro(a)? Isso aconteceu com você: IDA DE 35 a 44 Base: Entrevistadas que tiveram relações sexuais (9%) SITUAÇÃO CONJUGAL CASADA 60 ou sem SOLTEIRA SEPARADA mais registro 45 a 59 VIÚVA

14 RAZÃO DAS EXPERIÊNCIAS SEXUAIS FORA DO CASAMENTO/ NAMORO amostra mulheres, comparativo 2001/ 2010 [espontânea e múltipla, em %] Base: Entrevistadas que tiveram experiências sexuais fora do casamento/ namoro (12%) Por vingança/ porque o marido/ namorado tinha amantes/ para provocar ciúmes Para melhorar a auto-estima/ se sentia desprezada/ mal amada/sem atenção/ sem carinho/ decepcionada/ desiludida Não tinha satisfação com o marido/namorado 6 14 Sentia atração física por outro Não amava/ não gostava do namorado/ casou por obrigação/casou com a pessoa errada 7 9 O marido era violento/ agressivo/ estúpido 5 7 O marido não a queria sexualmente/não a procurava/ ele é doente/não a desejava na cama 2 4 Nenhum 4 2 Não sabe/ não respondeu/ recusa 2 2 P.28M. O que te levou a ter essa experiência fora do casamento ou do namoro, na última vez que isso aconteceu? Por quais outros motivos você teve essa relação?

15 RAZÃO DAS EXPERIÊNCIAS SEXUAIS FORA DO CASAMENTO/ NAMORO por idade, renda familiar mensal e escolaridade [espontânea e múltipla, em %] Base: Entrevistadas que tiveram experiências sexuais fora do casamento/ namoro (12%) ESCOLARIDADE IDA DE até fundamental completo médio ou mais Peso 100% 45% 54% 48% 52% Por vingança/ porque o marido/ namorado tinha amantes/ para provocar ciúmes/ porque brigaram Para melhorar a auto-estima/ se sentia desprezada/ mal amada/sem atenção/ sem carinho/ decepcionada/ desiludida Não tinha satisfação com o marido/namorado Sentia atração física por outro Não amava/ não gostava do namorado/ casou por obrigação/casou com a pessoa errada O marido era violento/ agressivo/ estúpido O marido não a queria sexualmente/não a procurava/ ele é doente/não a desejava na cama Nenhum Não sabe/ não respondeu/ recusa RENDA FAMILIAR MENSAL Até 2 SM + de 2 SM Peso 100% 46% 42% Por vingança/ porque o marido/ namorado tinha amantes/ para provocar ciúmes/ porque brigaram Para melhorar a auto-estima/ se sentia desprezada/ mal amada/sem atenção/ sem carinho/ decepcionada/ desiludida Não tinha satisfação com o marido/namorado Sentia atração física por outro Não amava/ não gostava do namorado/ casou por obrigação/casou com a pessoa errada O marido era violento/ agressivo/ estúpido O marido não a queria sexualmente/não a procurava/ ele é doente/não a desejava na cama 4 8 Nenhum P.28M. O que te levou a ter essa experiência fora do casamento ou do namoro, na última vez que isso aconteceu? Por quais outros motivos você teve essa relação? até 34 mais de 34

capítulo IV SAÚDE REPRODUTIVA E ABORTAMENTO

capítulo IV SAÚDE REPRODUTIVA E ABORTAMENTO capítulo IV SAÚDE REPRODUTIVA E ABORTAMENTO QUANTO TEMPO FAZ QUE TEVE A ÚLTIMA RELAÇÃO SEXUAL, por renda familiar mensal, idade e situação conjugal [espontânea e única, em %] Até 1 SM P.31M. Quanto tempo

Leia mais

capítulo IV SAÚDE REPRODUTIVA E ABORTAMENTO

capítulo IV SAÚDE REPRODUTIVA E ABORTAMENTO capítulo IV SAÚDE REPRODUTIVA E ABORTAMENTO QUANTO TEMPO FAZ QUE TEVE A ÚLTIMA RELAÇÃO SEXUAL, por renda familiar mensal, idade e situação conjugal [espontânea e única, em %] Até 1 SM P.31M. Quanto tempo

Leia mais

capítulo V VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

capítulo V VIOLÊNCIA DOMÉSTICA capítulo V VIOLÊNCIA DOMÉSTICA P.107M/29H. Falando agora de educação de filhos, algumas pessoas acham que para educar bem os filhos às vezes é preciso dar uns tapas neles. Outras acham que em nenhuma situação

Leia mais

Avaliação de Planos de Saúde. Maio de 2015

Avaliação de Planos de Saúde. Maio de 2015 Avaliação de Planos de Saúde Maio de 2015 Índice OBJETIVO METODOLOGIA PLANO DE SAÚDE O Mercado de plano de saúde Perfil do beneficiário vs Não beneficiário Beneficiários Satisfação, Recomendação, Continuidade

Leia mais

Pesquisa Perfil do Visitante da Orla de Ipanema - Porto Alegre

Pesquisa Perfil do Visitante da Orla de Ipanema - Porto Alegre Pesquisa Perfil do Visitante da Orla de Ipanema - Porto Alegre Movimento Ipanema Natureza Humana Secretaria Municipal de Turismo de Porto Alegre Novembro/2009 Objetivo: Perfil do Visitante da Orla de Ipanema

Leia mais

Opinião da População Sobre a Cobrança das Sacolas Plásticas Reutilizáveis. Agosto de 2015

Opinião da População Sobre a Cobrança das Sacolas Plásticas Reutilizáveis. Agosto de 2015 Opinião da População Sobre a Cobrança das Sacolas Plásticas Reutilizáveis Agosto de 2015 2 A Lei nº 15.374 de 2011 proíbe a disponibilização de sacolas plásticas descartáveis nos estabelecimentos comerciais

Leia mais

Aqui estão algumas dicas, diretrizes, e questões a considerar para pessoas que estão iniciando no mundo poli.

Aqui estão algumas dicas, diretrizes, e questões a considerar para pessoas que estão iniciando no mundo poli. Então você quer experimentar o poliamor Ginny Brown, 7 de abril de 2014, Everyday Feminism http://everydayfeminism.com/2014/04/so-you-want-to-try-polyamory/ Então você tem lido sobre poliamor e decidiu

Leia mais

ANÁLISE DA PESQUISA DE CONHECIMENTOS, ATITUDES E PRÁTICAS NA POPULAÇÃO CAMPOGRANDENSE.

ANÁLISE DA PESQUISA DE CONHECIMENTOS, ATITUDES E PRÁTICAS NA POPULAÇÃO CAMPOGRANDENSE. ANÁLISE DA PESQUISA DE CONHECIMENTOS, ATITUDES E PRÁTICAS NA POPULAÇÃO CAMPOGRANDENSE. GISELE MARIA BRANDÃO DE FREITAS 1 INTRODUÇÃO Campo Grande é um município brasileiro, capital do estado de Mato Grosso

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

Fidelização dos consumidores aos planos de saúde e grau de interesse por quem não possui o benefício

Fidelização dos consumidores aos planos de saúde e grau de interesse por quem não possui o benefício 1 Fidelização dos consumidores aos planos de saúde e grau de interesse por quem não possui o benefício 2013 Índice 2 OBJETIVO E PÚBLICO ALVO METODOLOGIA PLANO DE SAÚDE O MERCADO DE PLANO DE SAÚDE PERFIL

Leia mais

População brasileira Música - Internet Propaganda. Outubro/ 2007

População brasileira Música - Internet Propaganda. Outubro/ 2007 População brasileira Música - Internet Propaganda Outubro/ 00 Objetivo Este estudo têm como objetivo identificar entre a população brasileira os seguintes aspectos: Música estilo musical mais ouvido; Internet

Leia mais

CURSO CASAMENTO FELIZ NAMORANDO - SE ESBOÇO DA NOITE: INTRODUÇÃO - JÖRG PALESTRA JÖRG - LADO TEOLÓGICO UMA DADIVA DE DEUS!

CURSO CASAMENTO FELIZ NAMORANDO - SE ESBOÇO DA NOITE: INTRODUÇÃO - JÖRG PALESTRA JÖRG - LADO TEOLÓGICO UMA DADIVA DE DEUS! CURSO CASAMENTO FELIZ NAMORANDO - SE ESBOÇO DA NOITE: Colocar as perguntas na caixa Introdução Rodada: Quem te explicou a sexualidade e como? Palestra Jorge Palestra Judite Respostas Conversa Tarefa INTRODUÇÃO

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

PROJETO Manifestações de Março/2015

PROJETO Manifestações de Março/2015 PROJETO Manifestações de Março/2015 NOTA METODOLÓGICA Tipo de pesquisa: Quantitativa, realizada face a face, com aplicação de questionário estruturado, de cerca de 10 minutos de duração, composto por questões

Leia mais

METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais.

METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO. A margem de erro máxima para o total da amostra é 2,0 pontos percentuais. METODOLOGIA METODOLOGIA AMOSTRA ABRANGÊNCIA PERÍODO MARGEM DE ERRO 2.085 pessoas foram entrevistadas, a partir de 16 anos, de todos os níveis econômicos em todas as regiões do país. As entrevistas foram

Leia mais

IMAGES PESQUISA INTERNACIONAL DE HOMENS E EQÜIDADE DE GÊNERO MULHERES

IMAGES PESQUISA INTERNACIONAL DE HOMENS E EQÜIDADE DE GÊNERO MULHERES IMAGES PESQUISA INTERNACIONAL DE HOMENS E EQÜIDADE DE GÊNERO. Entrevista n.º MULHERES 2. Localidade: Maré 2 Vila Valqueire 3. Data da entrevista (dia) (mês) (ano) 4. Início da entrevista horas minutos

Leia mais

De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial

De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial De volta para vida: a inserção social e qualidade de vida de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial Eliane Maria Monteiro da Fonte DCS / PPGS UFPE Recife PE - Brasil Pesquisa realizada pelo NUCEM,

Leia mais

PESQUISA DO COELHO. Resultados da pesquisa eletrônica realizada com 481 torcedores do América Futebol Clube. Setembro 2009

PESQUISA DO COELHO. Resultados da pesquisa eletrônica realizada com 481 torcedores do América Futebol Clube. Setembro 2009 PESQUISA DO COELHO Resultados da pesquisa eletrônica realizada com 481 torcedores do América Futebol Clube Setembro 2009 1 América, és o maior... 2 Apresentação A VB Marketing e Negócios realizou, voluntariamente,

Leia mais

Palestra para os pais Rede de Adolescentes Tema: Sexo + Adolescente =? Como conversar sobre sexo com seu filho Palestrante: Dr.

Palestra para os pais Rede de Adolescentes Tema: Sexo + Adolescente =? Como conversar sobre sexo com seu filho Palestrante: Dr. Palestra para os pais Rede de Adolescentes Tema: Sexo + Adolescente =? Como conversar sobre sexo com seu filho Palestrante: Dr. Isaac Azevedo INTRODUÇÃO: A conversa sobre sexualidade é delicada e precisa

Leia mais

www.senado.leg.br/datasenado

www.senado.leg.br/datasenado www.senado.leg.br/datasenado Lei Maria da Penha completa 9 Promulgada em 2006, a Lei Maria da Penha busca garantir direitos da mulher, além da prevenção e punição de casos de violência doméstica e familiar.

Leia mais

AMOR, CASAMENTO E FAMÍLIA ENTRE HOMOSSEXUAIS DE TERESINA, PIAUÍ 1. Fabiano de Souza Gontijo Universidade Federal do Piauí.

AMOR, CASAMENTO E FAMÍLIA ENTRE HOMOSSEXUAIS DE TERESINA, PIAUÍ 1. Fabiano de Souza Gontijo Universidade Federal do Piauí. AMOR, CASAMENTO E FAMÍLIA ENTRE HOMOSSEXUAIS DE TERESINA, PIAUÍ 1 Fabiano de Souza Gontijo Universidade Federal do Piauí Introdução A família moderna burguesa, por oposição à família aristocrática, estaria

Leia mais

ANAMNESE. Você tem uma Religião? SIM NÃO

ANAMNESE. Você tem uma Religião? SIM NÃO ANAMNESE INFORMAÇÕES GERAIS Nome: Data de Nascimento: Altura: m. Peso: Kg. Seu peso varia? SIM NÃO Caso sim, em quanto? Você tem um médico da família? SIM NÃO Se sim, qual o seu nome e como contatá-lo?

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Estágio em Clínica Comportamental Profa Ms Cristina Di Benedetto Questionário de história de Vida*

Estágio em Clínica Comportamental Profa Ms Cristina Di Benedetto Questionário de história de Vida* Estágio em Clínica Comportamental Profa Ms Cristina Di Benedetto Questionário de história de Vida* O objetivo deste questionário é obter um quadro abrangente de seus antecedentes. No trabalho cientifico,

Leia mais

Especificações Técnicas - Pesquisa Quantitativa -

Especificações Técnicas - Pesquisa Quantitativa - Especificações Técnicas - Pesquisa Quantitativa - A pesquisa foi realizada através do BUS do IBOPE Inteligência pesquisa omnibus multiclientes, com periodicidade mensal e representatividade nacional. O

Leia mais

PESQUISADORES. Pesquisadores

PESQUISADORES. Pesquisadores Pesquisadores Objetivos 2 Conhecer a opinião dos pesquisadores apoiados pela FAPESP sobre o tema Ciência e Tecnologia. 3 Principais resultados Principais resultados 4 Melhores recursos financeiros e credibilidade

Leia mais

Monitorar a satisfação dos usuários dos transportes rodoviários em linhas intermunicipais, interestaduais e internacionais.

Monitorar a satisfação dos usuários dos transportes rodoviários em linhas intermunicipais, interestaduais e internacionais. Especificações Técnicas Objetivo geral: Monitorar a satisfação dos usuários dos transportes rodoviários em linhas intermunicipais, interestaduais e internacionais. Público-alvo: Pessoas físicas usuárias

Leia mais

Apresentação. Acompanho os acontecimentos relativos à sexualidade

Apresentação. Acompanho os acontecimentos relativos à sexualidade A Apresentação Acompanho os acontecimentos relativos à sexualidade desde 1966, ano da minha graduação na faculdade de Medicina. É difícil imaginar outro período de tempo assim curto no qual tenham ocorrido

Leia mais

1.008 ENTREVISTAS (ADOLESCENTES)

1.008 ENTREVISTAS (ADOLESCENTES) ALAMEDA SANTOS, Nº 2.101 SÃO PAULO CÓDIGO FORNECEDOR: INÍCIO: : TÉRMINO: : NÚMERO DO QUESTIONÁRIO: JOB Nº 11_0567 SP BRASIL 1.008 ENTREVISTAS (ADOLESCENTES) 23 05 2011 FOLHA DE AMOSTRA: DISTRITO: SETOR

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO RACIAL PRECONCEITO DE COR NO BRASIL

DISCRIMINAÇÃO RACIAL PRECONCEITO DE COR NO BRASIL DISCRIMINAÇÃO RACIAL E PRECONCEITO DE COR NO BRASIL Fundação Perseu Abramo Fundação Rosa Luxemburgo DISCRIMINAÇÃO RACIAL E PRECONCEITO DE COR NO BRASIL EVOLUÇÃO DO PRECONCEITO RACIAL NO BRASIL PRECONCEITO

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

Pesquisa Data Popular e Instituto Patrícia Galvão

Pesquisa Data Popular e Instituto Patrícia Galvão Caderno Campanha Compromisso e Atitude PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE VIOLÊNCIA E ASSASSINATOS DE MULHERES Realização Data Popular / Instituto Patrícia Galvão Apoio - Secretaria de Políticas para as Mulheres

Leia mais

PERFIL SÓCIO DEMOGRÁFICO PERFIL DEMOGRÁFICO:

PERFIL SÓCIO DEMOGRÁFICO PERFIL DEMOGRÁFICO: DISCRIMINAÇÃO RACIAL E PRECONCEITO DE COR NO BRASIL PERFIL SÓCIO DEMOGRÁFICO PERFIL DEMOGRÁFICO: SEXO: 52 48 49 51 50 50 57 43 51% 49%..Masculino FAIXA ETÁRIA: 12% 18%..Feminino 27% 27 Branca Parda Preta

Leia mais

SEMINÁRIO: ATITUDE 434

SEMINÁRIO: ATITUDE 434 SEMINÁRIO: ATITUDE 434 1 2 DEFINIÇÃO Um movimento de PUREZA SEXUAL conforme a vontade de Deus nas Escrituras. 3 Movimento vs Evento 4 BASE BÍBLICA A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 15/12/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS NATAL 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG Professores Responsáveis:

Leia mais

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador:

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Inquérito n.º CESOP Saúde e Sexualidade Versão Masculina (V2) Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Chamo-me e trabalho para o Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade

Leia mais

Relacionamento Amoroso

Relacionamento Amoroso CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Relacionamento Amoroso Luisa Guedes Di Mauro Natália Gióia Cípola

Leia mais

Índice. Introdução. Fase 1 - Participação da população brasileira. Fase 2 - Perfil do voluntário Características do serviço voluntário

Índice. Introdução. Fase 1 - Participação da população brasileira. Fase 2 - Perfil do voluntário Características do serviço voluntário Pesquisa Voluntariado no Brasil - 2011 Índice 1 2 3 4 Introdução Fase 1 - Participação da população brasileira Fase 2 - Perfil do voluntário Características do serviço voluntário Fase 3 - Segmentação 5

Leia mais

ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS FAMILIARES COM OS SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL (SATIS-BR)

ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS FAMILIARES COM OS SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL (SATIS-BR) ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS FAMILIARES COM OS SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL (SATIS-BR) Bandeira, M.; Mercier, C.; Perreault,M.; Libério, M.MA e Pitta, AMF (00). Escala Brasileira de Avaliação da Satisfação

Leia mais

Violência no namoro. O que os pais precisam saber

Violência no namoro. O que os pais precisam saber Violência no namoro O que os pais precisam saber Os desejos sexuais normalmente tornam-se mais fortes na adolescência. Neste período começam os namoros e os pré-adolescentes e adolescentes experimentam

Leia mais

Elaboração e aplicação de questionários

Elaboração e aplicação de questionários Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística Curso de Bacharelado em Estatística Elaboração e aplicação de questionários Prof. Hemílio Fernandes Campos Coêlho Departamento de Estatística

Leia mais

Um Segredo Pouco Usado Que Pode Melhorar A Vida de Homens e Mulheres - Casados ou Solteiros

Um Segredo Pouco Usado Que Pode Melhorar A Vida de Homens e Mulheres - Casados ou Solteiros Um Segredo Pouco Usado Que Pode Melhorar A Vida de Homens e Mulheres - Casados ou Solteiros Existe um segredo pouco conhecido que pode mudar para sempre seus relacionamentos. Se estiver solteiro, irá querer

Leia mais

AUTORES RESUMO PALAVRAS-CHAVE

AUTORES RESUMO PALAVRAS-CHAVE MANIFESTAÇÕES DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER UM ESTUDO DO SERVIÇO SOCIAL NO NÚCLEO DE PRÁTI- CA JURÍDICA DA UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS AUTORES Danieli Cristina Oliveira VELANI Érika Cristina

Leia mais

Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo

Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo Dezembro 200 2 Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo

Leia mais

Sexualidade na Adolescência

Sexualidade na Adolescência Sexualidade na Adolescência Adolescer é um contínuo nascer. Adolescer habita no crescer adolescer transpira o viver. É preciso acolher o adolescer Acolher para facilitar o conhecer. Acolher para não precisar

Leia mais

A vivência na conjugalidade é todo um processo que engloba outros processos como a intimidade, a vida sexual, o trabalho, a procriação, a partilha

A vivência na conjugalidade é todo um processo que engloba outros processos como a intimidade, a vida sexual, o trabalho, a procriação, a partilha Existe um facto para o qual também devemos dar atenção: o agressor poderá estar numa posição de solidão. Poucos serão os agressores que terão a consciência do problema que têm, a agressividade que não

Leia mais

SEXO Sexo 1.masculino 2.feminino Caracterização Sócio-Econômica ESCO Nivel de escolaridade 1. Analfabeto até 4ª série do 1º grau (primário)

SEXO Sexo 1.masculino 2.feminino Caracterização Sócio-Econômica ESCO Nivel de escolaridade 1. Analfabeto até 4ª série do 1º grau (primário) SIPS- BASE SOBRE SAUDE Nome Campo Descrição Valores atribuídos Local de Moradia REGI Região 1.Região Sul 2.Região Sudeste 3.Região Centro-Oeste 4.Região Nordeste 5.Região Norte ESTA Estado Não identificado

Leia mais

Fim da Sensibilidade na Glande

Fim da Sensibilidade na Glande Autor: Davi Ribeiro Fim da Sensibilidade na Glande Muitos homens alegam sofrer com a forte sensibilidade na glande. E isso, de certa forma, atrapalha muito na hora do sexo, principalmente na hora de ter

Leia mais

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA Edna G. Levy A questão da gravidez na adolescência é muito mais comum do que parece ser, a reação inicial e geral é que este problema só acontece na casa dos outros, na nossa

Leia mais

Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias. Sebrae/DF - UAM

Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias. Sebrae/DF - UAM Estudo do Mercado de Clínicas Veterinárias Sebrae/DF - UAM Sumário Introdução... 03 Objetivos... 04 Metodologia... 05 Análise Perfil... 08 Análise Avaliação da Imagem...16 Análise Avaliação do Consumo...

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3

CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3 CONSIDERAÇÕES SOBRE A CASTIDADE MASCULINA PARTE 3 Sofia Z. Na parte anterior vimos algumas das razões do declínio do tesão entre os casais que têm uma relação estável. Nesta parte vamos fazer algumas considerações

Leia mais

TRABALHANDO OS GIGANTES DA ALMA PARA SER UM EMPREENDEDOR. SILVIA PIRES

TRABALHANDO OS GIGANTES DA ALMA PARA SER UM EMPREENDEDOR. SILVIA PIRES TRABALHANDO OS GIGANTES DA ALMA PARA SER UM EMPREENDEDOR. SILVIA PIRES Quais são os gigantes da alma? É na infância que se constrói o caráter, para você ser um adulto de valor! ROTINA Vivemos numa sociedade

Leia mais

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL 1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL LUGAR: EUNÁPOLIS(BA) DATA: 05/11/2008 ESTILO: VANEIRÃO TOM: G+ (SOL MAIOR) GRAVADO:16/10/10 PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL VOCÊ É O BERÇO DO NOSSO PAIS. PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL

Leia mais

Portugesa 2013 UNIBERTSITATERA SARTZEKO PROBA BATXILERGOA LANBIDE HEZIKETA GOI MAILAKO HEZIKETA-ZIKLOAK. Azterketa

Portugesa 2013 UNIBERTSITATERA SARTZEKO PROBA BATXILERGOA LANBIDE HEZIKETA GOI MAILAKO HEZIKETA-ZIKLOAK. Azterketa 2013 UNIBERTSITATERA SARTZEKO PROBA Portugesa BATXILERGOA LANBIDE HEZIKETA GOI MAILAKO HEZIKETA-ZIKLOAK Azterketa Kalifikazio eta zuzenketa irizpideak Este exame tem duas opções. Deve responder a uma delas.

Leia mais

A última relação sexual

A última relação sexual PARTE G QUESTIONÁRIO AUTO-PREENCHIDO (V1 - M) As próximas perguntas são sobre a sua vida sexual. É muito importante que responda, pois só assim poderemos ter informação sobre os hábitos sexuais da população

Leia mais

Esta é a pesquisa de satisfação

Esta é a pesquisa de satisfação Esta é a pesquisa de satisfação dos usuários de saneamento básico realizada entre a categoria residencial dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário regulados pela Agência em 244 municípios

Leia mais

Pesquisa Quantitativa Plastivida. Setembro de 2012

Pesquisa Quantitativa Plastivida. Setembro de 2012 Pesquisa Quantitativa Plastivida Setembro de 2012 objetivo geral Verificar a opinião da população de Belo Horizonte acerca da retirada das sacolas plásticas dos estabelecimentos comerciais da cidade e

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O DIA MUNDIAL SEM CARRO SETEMBRO/ OUTUBRO DE 2007 JOB939 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas

Leia mais

A felicidade do adolescer

A felicidade do adolescer A felicidade do adolescer Clodolina Martins* Indianara Ramires Machado* Thaisa Dias* Zuleica da Silva Tiago* Desenvolvemos o projeto A felicidade do adolescer: o adolescente conhecendo a si mesmo 1, na

Leia mais

Ter um/a namorado/a pode ser um acontecimento verdadeiramente excitante, mas também um pouco assustador.

Ter um/a namorado/a pode ser um acontecimento verdadeiramente excitante, mas também um pouco assustador. Violência no namoro Ter um/a namorado/a pode ser um acontecimento verdadeiramente excitante, mas também um pouco assustador. Poderão surgir algumas DÚVIDAS e PREOCUPAÇÕES: Será que ele/ela gosta mesmo

Leia mais

Vivências, desafios e expectativas na 3 a idade. maio de 2007

Vivências, desafios e expectativas na 3 a idade. maio de 2007 Idosos no Brasil Vivências, desafios e expectativas na 3 a idade maio de 00 nota metodológica Universo: população brasileira urbana adulta ( anos e mais), dividida em dois subuniversos, o da terceira idade

Leia mais

ENTREVISTA A POLIVALENTE LAURA MULLER ESBANJA SIMPATIA EM FOCO MARCELO MUSSI - CURITIBANO BOM DE PRATO

ENTREVISTA A POLIVALENTE LAURA MULLER ESBANJA SIMPATIA EM FOCO MARCELO MUSSI - CURITIBANO BOM DE PRATO ENTREVISTA A POLIVALENTE LAURA MULLER ESBANJA SIMPATIA EM FOCO MARCELO MUSSI - CURITIBANO BOM DE PRATO REDES SOCIAIS COMO FAZER SUA EMPRESA APARECER NA WEB LÍNGUAS ESTRANGEIRAS SÓ FALAR INGLÊS FICOU PARA

Leia mais

DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS

DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS A essência dos direitos humanos é o direito de ter direito Hannah Arendt OBJETIVOS DA TEMÁTICA Refletir os direitos sexuais e reprodutivos em quanto direitos humanos;

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

Copini. Os segredos dos conquistadores

Copini. Os segredos dos conquistadores Copini Os segredos dos conquistadores Copini Os segredos dos conquistadores Entenda os 7 níveis de um Lover - O amante das mulheres e descubra vários segredos de homens que se tornaram Amantes Naturais.

Leia mais

Job 150904 Setembro / 2015

Job 150904 Setembro / 2015 Job 50904 Setembro / Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1.

O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1. O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1 Alessandra Sampaio Chacham 2 Malco Braga Camargos 3 Mônica Bara Maia 4 Palavras-chave:

Leia mais

Metodologia e Amostra

Metodologia e Amostra Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar o nível de satisfação dos estudantes com relação às FATECs

Leia mais

PRINCIPAIS RESULTADOS

PRINCIPAIS RESULTADOS PRINCIPAIS RESULTADOS Cresce preocupação com a violência contra a mulher De 2004 a 2006 aumentou o nível de preocupação com a violência doméstica Em todas as regiões do país, menos no Norte/Centro-Oeste,

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

Diversidade Sexual: uma visão arejada e crítica da. Lula Ramires Serra Negra, SP Junho de 2010

Diversidade Sexual: uma visão arejada e crítica da. Lula Ramires Serra Negra, SP Junho de 2010 Diversidade Sexual: uma visão arejada e crítica da homofobia nas escolas Lula Ramires Serra Negra, SP Junho de 2010 Lula Ramires Formado em Filosofia pela USP Mestre em Educação pela F.E. USP Tradutor

Leia mais

USO DO PRESERVATIVO POR CASAIS HETEROSSEXUAIS EM UNIÃO ESTÁVEL

USO DO PRESERVATIVO POR CASAIS HETEROSSEXUAIS EM UNIÃO ESTÁVEL USO DO PRESERVATIVO POR CASAIS HETEROSSEXUAIS EM UNIÃO ESTÁVEL INTRODUÇÃO: Ítala Mônica de Sales Santos Joelma Barros de Sousa Ana Izabel Oliveira Nicolau As Doenças sexualmente transmissíveis, principalmente

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

Divórcio e separação:

Divórcio e separação: Compreendendo a infância Divórcio e separação: ajudando as crianças a lidar com a situação Compreendendo a infância é uma série de pequenos textos escritos por experientes terapeutas de crianças na Inglaterra,

Leia mais

1[ ] Muito baixo 2[ ] Baixo 3[ ] Médio 4[ ] Alto 5[ ] Muito alto

1[ ] Muito baixo 2[ ] Baixo 3[ ] Médio 4[ ] Alto 5[ ] Muito alto QUESTIONÁRIO Anexo 1 Este questionário destina-se à realização de um trabalho de investigação na área da educação sendo garantido o total anonimato, confidencialidade e protecção dos seus dados. Se concordar

Leia mais

Homens que fazem sexo com homens: vulnerabilidades a partir de comportamentos sexuais

Homens que fazem sexo com homens: vulnerabilidades a partir de comportamentos sexuais Homens que fazem sexo com homens: vulnerabilidades a partir de comportamentos sexuais Elisabeth Anhel Ferraz César Schwenck Inês Quental Palavras-chave: homossexualidade; comportamento sexual; Aids; risco.

Leia mais

Trajetórias afetivas e sexuais de mulheres: uma comparação geracional

Trajetórias afetivas e sexuais de mulheres: uma comparação geracional Trajetórias afetivas e sexuais de mulheres: uma comparação geracional Andréa Moraes (pós-doutoranda)* A idéia central do projeto Trajetórias afetivas e sexuais de mulheres: uma comparação geracional é

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA SOBRE O PERFIL DO CONSUMIDOR CURITIBANO

RELATÓRIO DA PESQUISA SOBRE O PERFIL DO CONSUMIDOR CURITIBANO RELATÓRIO DA PESQUISA SOBRE O PERFIL DO CONSUMIDOR CURITIBANO 1. APRESENTAÇÃO O PROCON/PR, através da Divisão de Estudos, Orientação, Pesquisas e Divulgação ao Consumidor - DEP, realizou uma pesquisa sobre

Leia mais

5 DICAS PARA COMBATER O CIÚME E SALVAR O SEU RELACIONAMENTO! adaptado por Daniela Teixeira

5 DICAS PARA COMBATER O CIÚME E SALVAR O SEU RELACIONAMENTO! adaptado por Daniela Teixeira 5 DICAS PARA COMBATER O CIÚME E SALVAR O SEU RELACIONAMENTO! adaptado por Daniela Teixeira Você tem crises de ciúme que prejudicam o seu relacionamento? A sua insegurança está deixando seu relacionamento

Leia mais

BRASIL Nº CPD: 3. TELEFONE ERRADO V. ABERTAS: QTD: Nº QUESTIONÁRIO: Nº CHECADOR: Nº CRÍTICO: DATA:. 03. 2007 HORÁRIO TERMINO: :

BRASIL Nº CPD: 3. TELEFONE ERRADO V. ABERTAS: QTD: Nº QUESTIONÁRIO: Nº CHECADOR: Nº CRÍTICO: DATA:. 03. 2007 HORÁRIO TERMINO: : BRASIL PO 613372 RELIGIÃO Nº CPD: CHECAGEM: 1. CHECADO 2. SEM TELEFONE 3. TELEFONE ERRADO 4. ENTREVISTADO NÃO ENCONTRADO Nº CIDADE: V. FECHADAS: QTD: Nº DE PONTO: V. ABERTAS: QTD: Nº QUESTIONÁRIO: Nº PESQUISADOR:

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública sobre Transportes Coletivos

Pesquisa de Opinião Pública sobre Transportes Coletivos Pesquisa de Opinião Pública sobre Transportes Coletivos Realizada por encomenda da Especificações Período de campo: setembro de 2004 Universo: população geral, com idade entre 16 e 64 anos (inclusive),

Leia mais

Edificando o casamento dos sonhos

Edificando o casamento dos sonhos Edificando o casamento dos sonhos Formando a identidade do Casal Módulo 1 - Construção Meditando Genesis - 2.24 Eclesiastes 4.12 Genesis - 2.24 Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher,

Leia mais

2. REDUZINDO A VULNERABILIDADE AO HIV

2. REDUZINDO A VULNERABILIDADE AO HIV 2. REDUZINDO A VULNERABILIDADE AO HIV 2.1 A Avaliação de risco e possibilidades de mudança de comportamento A vulnerabilidade ao HIV depende do estilo de vida, género e das condições socioeconómicas. Isso

Leia mais

INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO

INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO Comunicação e Mídia Pesquisa Instituto Patrícia Galvão IBOPE, em parceria com o UNIFEM ATITUDES FRENTE AO CRESCIMENTO DA AIDS NO BRASIL Aumento da AIDS em mulheres está entre

Leia mais

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate )

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate ) Roteiro de áudio. Programa: Hora de Debate. Campanhas.../ Monica G. Zoppi-Fontana 1 Roteiro de Áudio Episódio 1 Combatendo o preconceito: argumentação e linguagem Programa Hora de Debate. Campanhas de

Leia mais

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento.

1. Você escolhe a pessoa errada porque você espera que ela mude após o casamento. 10 Maneiras de se Casar com a Pessoa Errada O amor cego não é uma forma de escolher um parceiro. Veja algumas ferramentas práticas para manter os seus olhos bem abertos. por Rabino Dov Heller, Mestre em

Leia mais

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010 WORLD CUP Turistas do Sul, Junho/20 Total: 4.835 entrevistas : 46% (n=2.204) : 4% (n=202) : 41% (n=2.000) : 6% (n=307) : 3% (n=122) Perfil dos entrevistados PRINCIPAL FINANCIADOR DA VIAGEM Está pagando

Leia mais

~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso. HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco. www.dosustoaosucesso.com. 1ª Edição Agosto, 2011

~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso. HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco. www.dosustoaosucesso.com. 1ª Edição Agosto, 2011 ~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco www.dosustoaosucesso.com 1ª Edição Agosto, 2011 Copyright 2011 por Eduardo Rosadarco Todos os direitos reservados. ~ 4 ~

Leia mais

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA: UMA CONVERSA SOBRE EMOÇÕES

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA: UMA CONVERSA SOBRE EMOÇÕES INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA: UMA CONVERSA SOBRE EMOÇÕES INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA: UMA CONVERSA SOBRE EMOÇÕES O que é insuficiência renal A insuficiência renal é como se fosse um defeito, uma falha no

Leia mais

Opinião do. brasileiro sobre Voluntariado. Fundação Itaú Social Resultados em outubro de 2014

Opinião do. brasileiro sobre Voluntariado. Fundação Itaú Social Resultados em outubro de 2014 Opinião do brasileiro sobre Voluntariado Fundação Itaú Social Resultados em outubro de 2014 Índice 2 Objetivo e Metodologia Perfil demográfico da população brasileira Exercício da Atividade Voluntária

Leia mais

HELOISA MARIA LESSA MARA REGINA PALANDI COMPREENDENDO A AIDS: DÚVIDAS E CERTEZAS PROVISÓRIAS. Orientadora: Fernanda Bertoldo

HELOISA MARIA LESSA MARA REGINA PALANDI COMPREENDENDO A AIDS: DÚVIDAS E CERTEZAS PROVISÓRIAS. Orientadora: Fernanda Bertoldo HELOISA MARIA LESSA MARA REGINA PALANDI COMPREENDENDO A AIDS: DÚVIDAS E CERTEZAS PROVISÓRIAS Orientadora: Fernanda Bertoldo Caxias do Sul 2008 2 HELOISA MARIA LESSA MARA REGINA PALANDI COMPREENDENDO A

Leia mais

Pesquisa com Comerciantes de Artesanato setembro / 2013

Pesquisa com Comerciantes de Artesanato setembro / 2013 Pesquisa com Comerciantes de Artesanato setembro / 2013 1 2013. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

ATITUDE E TOLERÂNCIA O QUE OS JOVENS PENSAM SOBRE SEXUALIDADE

ATITUDE E TOLERÂNCIA O QUE OS JOVENS PENSAM SOBRE SEXUALIDADE ATITUDE E TOLERÂNCIA O QUE OS JOVENS PENSAM SOBRE SEXUALIDADE Apresentação QUAL A OPINIÃO DO JOVEM BRASILEIRO SOBRE SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL? O MACHISMO ESTÁ PRESENTE NESSE RECORTE DA SOCIEDADE? COMO ELE

Leia mais

RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA

RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA Caro (a) Chesfiano (a), Você está recebendo uma série de publicações intitulada Para Viver Melhor, com informações atualizadas sobre temas diversos no campo da saúde física

Leia mais

Manual prático sobre Relacionamentos Afetivos com base no Tantra

Manual prático sobre Relacionamentos Afetivos com base no Tantra Manual prático sobre Relacionamentos Afetivos com base no Tantra O intuito de escrever esse manual prático é trazer uma fórmula simples e rápida para que as pessoas possam se encontrar e relacionarem-se

Leia mais

SELF, SOCIEDADE & SEXUALIDADE

SELF, SOCIEDADE & SEXUALIDADE SELF, SOCIEDADE & SEXUALIDADE Leila Sharon Nasajon * A sexualidade representa uma questão crucial no desenvolvimento e na preservação da identidade pessoal e social. Para que relações interpessoais satisfatórias

Leia mais

1 É possível que você tenha TDAH?

1 É possível que você tenha TDAH? 1 É possível que você tenha TDAH? As experiências que você acabou de ler lhe parecem familiares? Estas são as vozes dos adultos com TDAH. O primeiro comentário atinge o próprio cerne do que é o TDAH. Esta

Leia mais