I CONFERÊNCIA ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP PROGRAMA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I CONFERÊNCIA ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP PROGRAMA"

Transcrição

1 I CONFERÊNCIA ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP Event Carbn Zer Cascais, 24 e 25 de junh de 2015 Centr de Cngresss d Estril PROGRAMA A "I Cnferência Energia para Desenvlviment da CPLP" quer valrizar a capacidade residente na CPLP para se afirmar cm atr glbal n mapa da energia mundial, afirmand-se enquant platafrma intercntinental para a cncertaçã plítica e diplmática; parceir de cperaçã técnica, ecnómica e financeira; interlcutr para a criaçã de negócis e geraçã de riqueza; agente na prduçã de investigaçã, ciência e tecnlgia e dinamizadr de um mdel glbal de sberania energética e desenvlviment para séc. XXI. Pretende-se assim: Valrizar papel plític, ecnómic e financeir d setr da energia na CPLP Recnhecer ptencial geestratégic e geplític d setr à escala glbal Incrementar e melhrar as parcerias, ambiente de negócis, investiment e s mdels de cperaçã Refrçar a prduçã de cnheciment e a sua aplicaçã n setr Criar uma cidadania glbal para a energia O prgrama da Cnferência é que em seguida se apresenta.

2 9H00/9H45 24 de junh de 2015 Sessã de abertura Auditóri GALP Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carls Carreiras Presidente da CE-CPLP, Salim Abdula Secretári Executiv da CPLP, Murade Murargy Ministr d Ambiente e Ordenament d Territóri de Prtugal, Jrge Mreira da Silva Ministr de Estad e ds Negócis Estrangeirs de Prtugal, Rui Machete 10H00/11H30 1º Painel - Plíticas energéticas para sécul XXI Auditóri GALP Oradres: Diretra-Executiva - Energia, Clima e Acess à Energia da Fundaçã das Nações Unidas, Richenda Van Leeuwen Secretári Geral Adjunt d Secretariad da Carta da Energia, Selim Kuneralp Ministr d Petróle e Recurss Minerais de Timr-Leste, Alfred Pires Presidente Executiv da EDP, Antóni Mexia Presidente Executiv da Galp Energia, Carls Gmes da Silva Líder ds Mercads Emergentes de Petróle e Gás na EY, Alexandre Oliveira Preside a Painel: Ministr d Ambiente e Ordenament d Territóri de Prtugal, Jrge Mreira da Silva Mderaçã: Presidente d Cnselh de Administraçã da Partex, Antóni Csta e Silva Desafis estratégics para a energia glbal - cntribut d petróle e gás natural Impact ds nvs prdutres de energia ns equilíbris geplítics reginais e mundiais e na segurança d abasteciment Papel das nvas tecnlgias na (re)evluçã ds mercads de energia Uniã Energética Plíticas energéticas sustentáveis 2

3 Impact da nva prduçã energética (hidrcarbnets e renváveis) nas ecnmias nacinais Alterações climáticas e energia Integraçã reginal de mercads energétics Eficiência energética Desenvlviment sustentável e hidreletricidade 11H30/11H45 Interval Pausa para café Camões - Institut da Cperaçã e da Língua Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Lunge EY Mstra de Empresas d Setr da Energia Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres n Setr da Energia Expsiçã d Acerv de Bens Culturais da Campanha "Junts Cntra a Fme" da CPLP Event Paralel Lançament ds Manuais de arquitetura sustentável em Sã Tmé e Príncipe e Timr- Leste IST Press e SECPLP Events Paralels 11H45/12H45 2º Painel A Hidrcarbnets - Petróle e Gás Auditóri GALP Oradres: Presidente Executiv da Partex, Antóni Csta e Silva Crdenadra Mestrad em Finanças e Ecnmia Empresarial da Escla Brasileira de Ecnmia e Finanças (FGV/EPGE), Jísa Campanher Dutra Presidente d Institut d Petróle e Gelgia de Timr-Leste, Héli Guterres Prfessr d Institut Superir de Ecnmia e Gestã (ISEG), Manuel Ennes Ferreira Preside e Mdera: Chefe de Gabinete da Presidência e Cmunicaçã da Galp Energia, Jsé Eduard Sequeira Nunes 3

4 Panrama d petróle e d gás na CPLP Desenvlviment ds estads membrs da CPLP cm base na explraçã ds recurss naturais 11H45/12H45 2º Painel B - As energias renváveis ns países da CPLP Sala EY Oradres: Diretra-Executiva da Assciaçã Lusófna de Energias Renváveis (ALER), Isabel Cancela de Abreu Analista de Energia Renvável da Renewable Energy Plicy Netwrk fr the 21st Century (REN21), Hannah Murdck Diretr-Executiv d Centr para as Energias Renváveis e Eficiência Energética da CEDEAO (CEREEC), Mahama Kappiah Diretr de cnsultria da indústria de Energy & Resurces da Delitte, Brun Mrais Marques Respnsável pel Setr da Energia e d Mei Ambiente na Luxinnvatin, Marcel Klesen Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Mstra de Empresas Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres 2º Painel C - O terceir setr e a Academia. Sustentabilidade energética na agenda para desenvlviment Sala AIP Oradres: Diretra-Executiva - Energia, Clima e Acess à Energia da Fundaçã das Nações Unidas, Richenda Van Leeuwen Diretr-Executiv da Oiks, Jã Jsé Fernandes Presidente da Secçã de Energia d Cnselh Científic d Labratóri Nacinal de Energia e Gelgia (LNEG), Antóni Jyce Diretr d INESC TEC Prt, Vladimir Miranda Crdenadr das Pós-Graduações em Energia e Mecânica d DECM - Universidade de Cab Verde, Jsé Pedr Fnseca Preside a Painel: Ministr da Energia e Indústria da Guiné- Bissau, Flrentin Mendes Pereira - Preside a Painel: Diretr-Geral da Energia de Cab Verde, Anild Csta Mderaçã: Vice-Presidente d Camões - Institut da Cperaçã e da Língua -, Gnçal Marques Mderaçã: Presidente da Assciaçã Prtuguesa de Energias Renváveis (APREN), Antóni Sá da Csta Apresentaçã da Assciaçã Lusófna de Energias Renváveis (ALER) Pbreza energética em países energeticamente rics O envlviment da Sciedade Civil n investiment: partilha de risc Desenvlviment sustentável: papel d 4

5 Apresentaçã d Renewables 2015 Glbal Status Reprt Oprtunidades e desafis para a prmçã das energias renváveis ns países da CPLP Estad, das empresas e d terceir setr na criaçã de um ambiente favrável a investiment na energia O cntribut da academia na sustentabilidade da agenda para desenvlviment e na criaçã de uma cidadania para a energia 12H45/13H30 3º Painel - Apresentaçã d livr A Energia na CPLP Auditóri GALP Oradres: Secretári Executiv da CPLP, Murade Murargy Autr e Presidente da New Energy Slutins (NEWES), Jrge Vascncels Autra e jrnalista fundadra d jrnal diári prtuguês PÚBLICO, Lurdes Ferreira 13H30/14H30 Almç Timr Gap Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Lunge EY Mstra de Empresas d Setr da Energia Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres n Setr da Energia Expsiçã d Acerv de Bens Culturais da Campanha "Junts Cntra a Fme" da CPLP Events Paralels 14H30/15H30 4º Painel - Perspetivas de investiment energétic ns países da CPLP Auditóri GALP 5

6 Oradres: Presidente d Cmité Executiv d Prgrama de análise as sistemas tecnlógics e energétics (ETSAP) da Agência Internacinal de Energia (AIE), Brian Ó Gallachóir Ministr das Infraestruturas, Recurss Naturais e Mei Ambiente de Sã Tmé e Príncipe, Carls Vila Nva Ministr da Energia e Indústria da Guiné-Bissau, Flrentin Mendes Pereira Presidente da Timr Gap, Francisc da Csta Mnteir Presidente Executiv da Andrade Gutierrez Eurpa, África, Ásia, Jsé Nicmedes Mreira Diretr Crdenadr da Unidade de Business Develpment África (Banc BPI / Banc de Fment Angla), Rdrig Marques Guimarães Preside a Painel: Ministr d Petróle e Recurss Minerais de Timr-Leste, Alfred Pires Mderaçã: Presidente da CE-CPLP, Salim Abdula Cndições de sucess para a captaçã de capital privad Investidres financeirs versus investidres industriais Subsídis: prmtres u dissuasres de investiment? Cm estimular parcerias entre investidres ds países da CPLP? Petróle, gás, renváveis e bicmbustíveis: investiments cmplementares u alternativs? 15H30/16H00 Interval Pausa para café EY Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Lunge EY Mstra de Empresas d Setr da Energia Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres n Setr da Energia Expsiçã d Acerv de Bens Culturais da Campanha "Junts Cntra a Fme" da CPLP Events Paralels 6

7 16H00/17H30 5º Painel A - Hidrcarbnets - Petróle e Gás Sala EY Oradres: Administradr Cmercial da Empresa Nacinal de Hidrcarbnets de Mçambique (ENH), Tavares Martinh Presidente e Administradr da TriStne Africa (TSA), William Saarbach Diretr de Invaçã da Galp Energia, Jã Nun Mendes Presidente Executiv da PetrGuin, Carls Paquete Preside e Mdera: Presidente da ENDESA, Nun Ribeir da Silva Avançs n dmíni da tecnlgia Prspeçã, pesquisa, desenvlviment e prduçã, transprte, refinaçã, derivads e distribuiçã Indústria transfrmadra: upstream e dwnstream Identificaçã e valrizaçã d ptencial ds recurss nã cnvencinais: petróle ultra prfund e gás de xist 16H00/17H30 5º Painel B - Eletricidade - Renváveis de Grande Escala Espaçs cmuns 5º Painel C - Eficiência energética Auditóri GALP d Centr de Sala AIP Cngresss Oradres: Oradres: Cnselheira de Administraçã da Câmara de Cmercializaçã de Energia Elétrica (CCEE), Slange David CEO da Cabeólica, Antã Frtes Presidente d Cnselh de Administraçã da EDP Distribuiçã, Jã Trres Mstra de Empresas Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres Administradr principal da Direçã-Geral de Energia da Cmissã Eurpeia, Pedr Ballesters Trres (via Skype) Diretr Técnic-Financeir da Lisba E- Nva, Miguel Águas Diretr-Executiv da Parceria Internacinal de Cperaçã para a Eficiência Energética CFO e Membr d Cnselh da sub-hlding Martifer Slar, Filipe Sants (IPEEC), Benît Lebt Cnselheir Sénir d Centr de Cpenhaga Diretr-Geral da Unidade de Renváveis da EFACEC, Vitrin Rcha sbre Eficiência Energética, Timthy Farrell Presidente d Cnselh Administrativ d 7

8 CEO da Gest Energy Cnsulting, Miguel Fund de Energia (FUNAE), Miquelina Barret Menezes Diretr-Geral das Redes Energéticas Nacinais (REN), Jrge Brreg Presidente d Cnselh de Administraçã d Centr de Energias Renváveis e Diretr da Agência Nacinal de Energia Manutençã Industrial (CERMI), Pedr Elétrica (ANEEL), Jsé Jurhsa Junir Semed Preside e Mdera: Vice-Presidente da Assciaçã Preside a Painel: Prfessr Emérit da Universidade Lusófna de Energias Renváveis (ALER), Carls d Prt, Eduard de Oliveira Fernandes Pimenta Mderaçã: Presidente da Agência para a Energia (ADENE), Gabriela Prata Dias Estad atual, previsões de expansã das redes de transprte e distribuiçã de eletricidade e respetivs prcediments de ligaçã Mecanisms de atribuiçã de ptência e remuneraçã da prduçã renvável Redes energéticas Redes de transprte e distribuiçã Ferramentas de mdelaçã de sistemas energétics Smart grids Plíticas públicas para a eficiência e sustentabilidade energética Certificaçã energética Nvs métds de gestã de energia Nvas tecnlgias para a certificaçã Frmaçã e capacitaçã para a cidadania energética Apresentaçã de prjets e partilha de experiências n desenvlviment das energias renváveis ns países da CPLP Plíticas de api e plans nacinais de energias renváveis 17H30/18H00 Interval Pausa para café Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Lunge EY Event Paralel Apresentaçã d Atlas das Energias Renváveis de Mçambique 8

9 Mstra de Empresas d Setr da Energia Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres n Setr da Energia Expsiçã d Acerv de Bens Culturais da Campanha "Junts Cntra a Fme" da CPLP Events Paralels FUNAE 18H00/19H00 6º Painel - Lançament da década "Sustainable Energy fr All" ns países da CPLP Auditóri GALP Oradres: Secretári Executiv da CPLP, Murade Murargy Diretra-Executiva - Energia, Clima e Acess à Energia da Fundaçã das Nações Unidas, Richenda Van Leeuwen Chefe de Cmunicações da Iniciativa SE4All, Gill Tudr Presidente da Assciaçã Lusófna de Energias Renváveis (ALER), Pedr Neves Ferreira Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Mstra de Empresas Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres Painel AIP Lusfnia Ecnómica - CPLP Invest - Cngress Internacinal de Empreendedrism e Cperaçã em Prtugal Sala AIP Oradres: Diretra-Geral da Assciaçã Industrial Prtuguesa (AIP), Nrma Rdrigues Diretr da cnsultra PwC, Tiag Silva Abade Mderaçã: Presidente da Assciaçã Prtuguesa para Desenvlviment Ecnómic e a Cperaçã (ELO), Francisc Manter Apresentaçã d relatóri final d prjet Lusfnia Ecnómica Apresentaçã da platafrma CPLP Invest 19H30 Jantar ficial da Cnferência Grande Real Villa Italia Htel & Spa Cascais 9

10 Oradr cnvidad: Jrge Vascncels 25 de junh de H30/10H00 Sumári d dia anterir Auditóri GALP Oradres: Prfessra na Faculdade de Ciências e Tecnlgia da Universidade Nva de Lisba (FCT-UNL), Júlia Seixas Prfessr n Institut Superir Técnic (IST), Paul Ferrã 10H00/11H00 7º Painel - Oprtunidades de financiament de prjets reginais n setr da energia Auditóri GALP Oradres: Diretr-Geral da Cperaçã Internacinal e Desenvlviment da Cmissã Eurpeia, Fernand Frutus de Mel Diretr-Geral d Institut Glbal Green Grwth (GGGI), Yv de Ber Principal Especialista em infraestruturas e PPPs n Departament Reginal de integraçã e cmérci d Banc African de Desenvlviment, Epifâni Carvalh de Mel Chefe da Divisã de África d Banc Eurpeu de Investiment, Diederick Zambn Sócia da área de Prjets, Infraestruturas, Energia e Recurss Naturais na Vieira de Almeida & Assciads, Vanda Cascã Crdenadr da Pós-Graduaçã em Internacinalizaçã n Prt Business Schl, Dig de Araúj Partner e Respnsável pela Transactin Services da EY, Miguel Farinha Preside e Mdera: Presidente da Assciaçã Prtuguesa para Desenvlviment Ecnómic e a Cperaçã (ELO), Francisc Manter Perspetivas de financiament de prjets de energia para s estads membrs da CPLP 10

11 Cndições de sucess para a atraçã de financiaments multilaterais Prgramas de desenvlviment d setr da energia para espaç da CPLP 11H00/11H30 Interval Pausa para café Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Lunge EY Mstra de Empresas d Setr da Energia Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres n Setr da Energia Expsiçã d Acerv de Bens Culturais da Campanha "Junts Cntra a Fme" da CPLP Events Paralels 11H30/12H30 8º Painel A - Hidrcarbnets - Petróle e Gás Auditóri GALP Oradres: Sóci Presidente e Fundadr da Miranda Crreia Amendeira & Assciads, Agstinh Pereira de Miranda Presidente da Entidade Nacinal para Mercad de Cmbustíveis (ENMC), Paul Carmna Presidente da Cut, Graça & Assciads, Pedr Cut Presidente d MIBGAS, Antni Erias Cnsultra sénir d Gabinete Jurídic d Ministéri ds Petróles de Angla e representante d Institut Reguladr ds Derivads d Petróle de Angla (IRDP), Maria Camps Fernandes Diretr de Explraçã da Autridade Nacinal d Petróle de Timr-Leste (ANP), Mateus da Csta Presidente da WavEC - Prtuguese Strategy fr Offshre Renewable Energy, Antóni Sarment Preside e Mdera: Secretári da Sciedade da Galp Energia, Rui de Oliveira Neves 11

12 Parcerias para a investigaçã e para desenvlviment Funcinament e regulaçã de mercads Mercad e blsa de cmbustíveis e atraçã de capital Fusões e aquisições Enquadrament jurídic das atividades de explraçã e prduçã de petróle e gás natural Regime fiscal da indústria de explraçã e prduçã O impact da vlatilidade d preç d petróle A frmaçã de parcerias e jint-ventures cm frma de agregar cmpetências técnicas, capital e tecnlgia e cm fatr de reduçã d risc inerente às atividades petrlíferas As vantagens da padrnizaçã cm mei de cmbater auments de custs e restrições de capital 11H30/12H30 8º Painel B - Eletrificaçã rural Espaçs cmuns d 8º Painel C - Bienergia Event Paralel Sala EY Centr de Sala AIP Oradres: Diretr de Relações Internacinais na EDP - A2E (Access t Energy), Guilherme Cllares Pereira Presidente d Cnselh Administrativ d Fund de Energia de Mçambique (FUNAE), Miquelina Menezes Presidente d Institut Reguladr d Setr Elétric (IRSE), Luís Silva Murã Cngresss Mstra de Empresas Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Mstra de Prjets Invadres Oradres: Prfessr Auxiliar d Institut Superir Técnic (IST), Henrique Mats Secretári-Geral da Assciaçã ds Prdutres de Energia e Bimassa (APEB), Paul Pret ds Sants Prfessr d Institut Superir Técnic (IST) e Vice-Presidente d IETS (Industrial Energy-Related Technlgies and Systems), Clemente Pedr Nunes Apresentaçã pr parte da Cmissã especializada em Energia da CE-CPLP Respnsável pel Desenvlviment na Martifer Slar, Márci Mats Preside a Painel: Ministr das Infraestruturas, Mderaçã: Presidente d Cnselh de Administraçã d Centr da Bimassa para a Energia, Piedade Rbert Recurss Naturais e Mei Ambiente de Sã Tmé e A bienergia n centr d cmbinad 12

13 Príncipe, Carls Vila Nva energétic Mderaçã: Presidente d Cnselh da Aliança para a Eletrificaçã Rural (ARE), Ernest Macias Galán Bicmbustíveis Bimassa para prduçã de eletricidade em grande escala e para us dméstic Birefinarias Apresentaçã de prjets e partilha de experiências n desenvlviment de prgramas de pequena escala de energias renváveis ns países da CPLP Plíticas nacinais de eletrificaçã rural e de miniredes Redes inteligentes e micrprduçã Capacitaçã e frmaçã das ppulações lcais Netwrk fr the 21st Century 12H30/13H00 Mstra de Empresas d Setr da Energia Blsa de Cntacts e Negócis Apresentações Crprativas Interval Pausa para café Espaçs cmuns d Centr de Cngresss Lunge EY Event Paralel Apresentaçã da base de dads de publicações de energias renváveis ALER Mstra de Prjets Invadres n Setr da Energia Expsiçã d Acerv de Bens Culturais da Campanha "Junts Cntra a Fme" da CPLP Events Paralels 13

14 13H00 Sessã de encerrament - "I Cnferência Energia para Desenvlviment da CPLP" Auditóri GALP Oradres: Secretári de Estad da Energia de Prtugal, Artur Trindade Presidente da CE-CPLP, Salim Abdula Diretra-Geral da CPLP, Gergina Benrós de Mell Ministr d Petróle e Recurss Minerais de Timr-Leste, Alfred Pires Centr de Cngresss d Estril Mstra de Empresas Espaç de interaçã e cnheciment, prjetad para ptenciar a prximidade e cntact entre s participantes. Espaç nde se pdem cnhecer empresas, prjets e realizar ações de dinamizaçã/apresentaçã. Blsa de Cntacts e Negócis Event que permite a realizaçã de reuniões bi u trilaterais, prmvend cntat diret entre radres, empresas e/u utrs parceirs que cntribuam para facilitar a identificaçã de prtunidades cncretas de negóci. É também um espaç que permite cnhecer as linhas rientadras de prjets, prduts e serviçs, prcurand adequar a prcura/ferta a um dad mercadalv. Apresentações Crprativas Mediante manifestaçã de interesse e inscriçã prévia, serã criads pequens espaçs que permitam apresentações institucinais e crprativas e mstra de prjets, iniciativas, metdlgias e utras realidades pr parte das mais diferentes entidades. Mstra de Prjets Invadres Mediante manifestaçã de interesse e inscriçã prévia, estará dispnível um espaç para que entidades inscritas na Cnferência - riundas d mund empresarial, ds setres prdutres, reguladres u académics, e da sciedade civil - pssam expr prjets invadres em tds s dmínis da energia. Expsiçã A rganizaçã da Cnferência terá patente uma expsiçã de 55 peças - entre telas, esculturas e fts -, cuja venda reverte a favr da Campanha "Junts Cntra a Fme". Esta tem cm bjetiv central a angariaçã de funds para a erradicaçã da fme ns seus Estads Membrs, refrçand a implementaçã da Estratégia de Segurança Alimentar e Nutricinal da CPLP e a cnsagraçã d Direit Human à Alimentaçã Adequada. Os 14 prjets que se apresentam para financiament fram selecinads entre dezenas de candidaturas recebidas n períd de cncurs. Os beneficiáris 14

15 destas intervenções sã famílias vulneráveis de pequens agricultres e rganizações da sciedade civil representativas desses grups. A CPLP cnseguiu já angariar para financiament ds dis primeirs prjets em Cab Verde e na Guiné-Bissau. Espaç AIP Espaç permanente para ações de dinamizaçã e cmunicaçã da AIP cm bjetiv de apiar a prmçã e a internacinalizaçã das empresas através da intensificaçã de: Parcerias entre empresáris da CPLP Divulgaçã de prtunidades e de infrmaçã sistematizada ds mercads Reduçã ds custs da internacinalizaçã 15

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR LISTA CANDIDATA ÀS ELEIÇÕES PARA OS CORPOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE GEÓGRAFOS BIÉNIO 2006-2008 POR UMA GEOGRAFIA MELHOR Assembleia Geral Presidente Jsé Albert Ri Fernandes (FL, Universidade

Leia mais

FÓRUM ECONÓMICO PORTUGAL - CHINA

FÓRUM ECONÓMICO PORTUGAL - CHINA PORTUGAL - CHINA 一 届 中 国 葡 萄 牙 商 务 论 坛 UMA PARCERIA PARA O FUTURO 锻 造 未 来 合 作 CONFERÊNCIAS DE NEGÓCIOS FEIRA DE COMÉRCIO E INVESTIMENTO III GALA : PRÉMIOS DE MÉRITO EMPRESARIAL 商 务 会 议 投 资 与 贸 易 会 务 三

Leia mais

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP A Cperaçã para a Saúde n Espaç da CPLP Ainda antes da I Reuniã de Ministrs da Saúde da CPLP, realizada em Abril de 2008, em Cab Verde, fram adptads s seguintes instruments que, n quadr da saúde, pretenderam

Leia mais

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos Estági II Semestral 6 Invaçã e Desenvlviment de Prduts Turístics Desenvlviment e Operacinalizaçã de Prjects Turístics Inglês Técnic IV Legislaçã e Ética d Turism Opçã Semestral 4 6/6 Sistemas de Infrmaçã

Leia mais

Situação Atual da EFTP no Afeganistão

Situação Atual da EFTP no Afeganistão Data: 8 de mai de 2015 Situaçã Atual da EFTP n Afeganistã Dr. Enayatullah Mayel Diretr Executiv d Prgrama Prgrama Nacinal de Desenvlviment de Cmpetências Ministéri d Trabalh, Assunts Sciais, Mártires e

Leia mais

Da Declaração à Ação dos Vários Interessados Diretos Primeira reunião do fórum

Da Declaração à Ação dos Vários Interessados Diretos Primeira reunião do fórum Da Declaraçã à Açã ds Váris Interessads Direts Primeira reuniã d fórum Centr de Cnvenções Brasil 21 Brasília, DF, 8 e 9 de mai de 2012 AGENDA ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ESCRITÓRIO REGIONAL DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária Uma nva prpsta para a Agenda Ambiental Prtuária Marcs Maia Prt Gerente de Mei Ambiente O grande desafi a tratar cm as questões ambientais prtuárias é bter um resultad equilibrad que harmnize s cnflits

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO Encntr de Alt Dirigentes - Viseu 2/3 Dez 2013 Cm Invar para Ser Mais Cmpetitiv ENCONTRO de ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), 2-3 DEZEMBRO 2013 Apresentaçã Crprativa Cnfidencial Cnclusões finais Página

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013 PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020 DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versã: 1 Data: 28/10/2013 M5. ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO AÇÃO 5.1. CRIAÇÃO DE AGRUPAMENTOS E ORGANIZAÇÃO DE PRODUTORES NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Març 2015 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT MORADA Estrada de Benfica, nº 372 - Lisba Tel./Fax. 217780073 Email funda_champagnat@maristascmpstela.rg Índice I. Intrduçã.1

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P A Pessas e Sistemas, empresa de Cnsultria na área da Gestã e ds Recurss Humans e cm atividade nas áreas de Recrutament e Seleçã, Frmaçã e Cnsultria, prcura para a Câmara Municipal de Amarante - Agência

Leia mais

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa III Seminári d Agrnegóci Financiament e Marketing 24 e 25 de nvembr de 2005 Auditóri da Bibliteca Central Universidade Federal de Viçsa RELATÓRIO FINAL O EVENTO O III Seminári d Agrnegóci fi realizad dias

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

18h00 - Abertura do Evento com apresentação cultural - [ Arte Cultura Afrobrasileira

18h00 - Abertura do Evento com apresentação cultural - [ Arte Cultura Afrobrasileira PROGRAMAÇÃO [Dia 23-11 - 2015] 16h00 Credenciament 18h00 - Abertura d Event cm apresentaçã cultural - [ Arte Cultura Afrbrasileira ] 19h30 - Frmaçã da mesa: Reitr da Representante d Ministéri d Trabalh

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: DOC. CA/N/15/08 PROGRAMA OPERACIONAL ALENTEJO EIXO 2 DESENVOLVIMENTO URBANO E EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL INSTRUMENTO: MOBILIDADE TERRITORIAL O presente dcument suprta a apreciaçã d

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

Governação Corporativa e Mercado de Capitais

Governação Corporativa e Mercado de Capitais Gvernaçã Crprativa e Mercad de Capitais A Realidade Anglana Luanda, 4 de Dezembr de 2014 Cnferência da ABANC Assciaçã Anglana de Bancs Gvernaçã Crprativa A Realidade Anglana A Gvernaçã Crprativa diz respeit

Leia mais

PROJETO: Conferência Ethos 2011

PROJETO: Conferência Ethos 2011 Cnferência Eths 2011 PROJETO: Cnferência Eths 2011 LOCAL DE REALIZAÇÃO: FECOMÉRCIO Bela Vista Sã Paul/SP Data: dias 07, 08 e 09 de Agst de 2011 EXPECTATIVA DE PÚBLICO: 1000 pessas TEMA: Prtagnistas da

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

João Carlos Aguiar Teixeira Nacionalidade: Portuguesa CV abril 2013

João Carlos Aguiar Teixeira Nacionalidade: Portuguesa CV abril 2013 Jã Carls Aguiar Teixeira Nacinalidade: Prtuguesa CV abril 2013 Universidade ds Açres Departament de Ecnmia e Gestã Rua da Mãe de Deus, s/n 9501-801 Pnta Delgada, Prtugal Tel: 296 650 084 E-mail: jteixeira@uac.pt

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema Plan de Desenvlviment Ecnômic Reginal e Lcal ds Municípis d Pntal d Paranapanema 1ª Etapa Diagnóstic Ecnômic e Definiçã de Cenáris Apresentaçã as municípis 20/08/2014 Cnvêni: Elabraçã: Plan de Desenvlviment

Leia mais

Seminário Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS 20 a 22 de Outubro de 2014. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Seminário Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS 20 a 22 de Outubro de 2014. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Seminári Pntificia Universidade Católica d Ri Grande d Sul PUCRS 20 a 22 de Outubr de 2014 Ministéri da Ciência, Tecnlgia e Invaçã ÍNDICE Cm funcina CNPq? Sistema de Avaliaçã Prjets e Blsas. Platafrmas

Leia mais

Membros do Conselho de Administração

Membros do Conselho de Administração OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS Membrs d Cnselh de Administraçã Dr. Jã Manuel de Queved Pereira Cutinh Outrs cargs desempenhads em entidade d Grup SAG Presidente d

Leia mais

Gabinete de Serviço Social

Gabinete de Serviço Social Gabinete de Serviç Scial Plan de Actividades 2009/10 Frmar hmens e mulheres para s utrs Despertar interesse pel vluntariad Experimentar a slidariedade Educaçã acessível a tds Precupaçã particular pels

Leia mais

Turismo Sénior. Outono / Inverno 2011-12. Benalmadena Benidorm Maiorca

Turismo Sénior. Outono / Inverno 2011-12. Benalmadena Benidorm Maiorca Turism Sénir Outn / Invern 2011-12 Benalmadena Benidrm Mairca Entidades envlvidas Oriznia é descbrir e desfrutar. É fazer cm a cnfiança que smente uma rganizaçã líder n sectr turístic ibéric pde ferecer.

Leia mais

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º).

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º). VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteraçã n crngrama (Art. 6º e Art. 12º). APRESENTAÇÃO Idealizad e instituíd pela Assciaçã Nacinal de Entidades Prmtras de Empreendiments Invadres (Anprtec), em parceria

Leia mais

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Intrduçã A Faculdade Santa Marcelina é recnhecida nacinalmente pel seu pineirism pr lançar a primeira graduaçã de mda

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

QUEM SOMOS. projectos. processos. gestão. produtividade. l 2

QUEM SOMOS. projectos. processos. gestão. produtividade. l 2 Acreditads pr Partners 1. QUEM SOMOS l 2 A g3p cnsulting apsta na prmçã da excelência peracinal, através da realizaçã de prjects de cnsultria e frmaçã, que ptenciam ganhs a nível da melhria da prdutividade

Leia mais

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique III Jrnadas de Cperaçã n Sectr de Saúde em Mçambique Planificaçã n Sectr da Saude em Mçambique Maput, Març de 2013 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO # Jrnadas de Cperaçã d Sectr da Saúde cnstituem um event anual:

Leia mais

//FUTURO DA ESTRATÉGIA DE LISBOA-ESTRATÉGIA UE2020 Contributo de Portugal Janeiro de 2010

//FUTURO DA ESTRATÉGIA DE LISBOA-ESTRATÉGIA UE2020 Contributo de Portugal Janeiro de 2010 //FUTURO DA ESTRATÉGIA DE LISBOA-ESTRATÉGIA UE2020 Cntribut de Prtugal Janeir de 2010 A Estratégia UE 2020 deve desempenhar um papel estruturante na cnslidaçã d prject eurpeu, agregand uma estratégia de

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

Relatório com Recomendações de Ligação do Sector Empresarial e Universitário Português ao dos PALOP

Relatório com Recomendações de Ligação do Sector Empresarial e Universitário Português ao dos PALOP Estud sbre Envlviment d Setr TICE Prtuguês n Desenvlviment da Sciedade de Infrmaçã ns Outubr de 2013 - Versã Preliminar - Relatóri cm Recmendações de Ligaçã d Sectr Empresarial e Universitári Prtuguês

Leia mais

RESERVAS DA BIOSFERA EM ILHAS E ZONAS COSTEIRAS EM ÁFRICA MODELOS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. 3 a 10 de Maio de 2013

RESERVAS DA BIOSFERA EM ILHAS E ZONAS COSTEIRAS EM ÁFRICA MODELOS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. 3 a 10 de Maio de 2013 RESERVAS DA BIOSFERA EM ILHAS E ZONAS COSTEIRAS EM ÁFRICA Dia 03/05/2013: (sexta- feira) MODELOS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 3 a 10 de Mai de 2013 Lcal: Regiã Autónma d Príncipe, Sã Tmé e Príncipe

Leia mais

Projecto de Dinamização dos Sistemas de Produção Pecuários nos Sectores de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (contrato DCI-NSAPVD 2010 / 257 105)

Projecto de Dinamização dos Sistemas de Produção Pecuários nos Sectores de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (contrato DCI-NSAPVD 2010 / 257 105) Prject de Dinamizaçã ds Sistemas de Prduçã Pecuáris ns Sectres de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (cntrat DCI-NSAPVD 2010 / 257 105) Terms de referência para a selecçã de um Perit para a realizaçã d Estud:

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Dr. Jã Manuel de Queved Pereira Cutinh em Entidades Relacinadas SGC Investiments Sciedade Gestra

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

VISÃO GERAL E RESULTADOS. Inovação & Colaboração Recomendações de Políticas Públicas Compromissos de Ação

VISÃO GERAL E RESULTADOS. Inovação & Colaboração Recomendações de Políticas Públicas Compromissos de Ação VISÃO GERAL E RESULTADOS Invaçã & Clabraçã Recmendações de Plíticas Públicas Cmprmisss de Açã Ri de Janeir, 21 de junh de 2012 1 Cnteúd I. Sumári Executiv... 3 II. Energia & Clima...... 8 III. Água & Ecssistemas...

Leia mais

Elidomar da Silva Alcoforado

Elidomar da Silva Alcoforado Elidmar da Silva Alcfrad +351 932 080 465 - Casa d Reitr, Campus Universitári da Penha, Universidade d Algarve, 8005-139, Far, Prtugal - Av. Ináci de Barrs Barret, 233, Várzea, Recife/PE, 50741-390 Brazil.

Leia mais

Emenda às Regras Gerais 2012

Emenda às Regras Gerais 2012 Emenda às Regras Gerais 2012 Intrduçã Tds s dcuments estatutáris requerem revisã e atualizaçã casinal. A última emenda às Regras Gerais das Olimpíadas Especiais ( Special Olympics ) fi feita em 2004, cm

Leia mais

DOSSIER DE IMPRENSA FEVEREIRO 2014

DOSSIER DE IMPRENSA FEVEREIRO 2014 DOSSIER DE IMPRENSA FEVEREIRO 2014 1. NOVARTIS NO MUNDO A Nvartis é uma cmpanhia farmacêutica, líder mundial na investigaçã e desenvlviment de sluções de saúde invadras destinadas a dar respsta às necessidades

Leia mais

Introdução... 03 1. Objetivos Estratégicos... 06 2. Projetos de Desenvolvimento... 06 3. Orçamento... 13

Introdução... 03 1. Objetivos Estratégicos... 06 2. Projetos de Desenvolvimento... 06 3. Orçamento... 13 Plan de Atividades 2014 1 Intrduçã... 03 1. Objetivs Estratégics... 06 2. Prjets de senvlviment... 06 3. Orçament... 13 2 Intrduçã O an de 2014 reserva para a ADRAVE um nv mment de psicinament estratégic

Leia mais

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011 Objectiv Tiplgia SI à Qualificaçã e Internacinalizaçã de PME Prjects Individuais e de Cperaçã Avis nº 7/SI/2011 Prmçã da cmpetitividade das empresas através d aument da prdutividade, da flexibilidade e

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS O Prgrama Ciência sem Frnteiras, lançad n dia 26 de julh de 2011, é um prgrama d Gvern Federal que busca prmver a cnslidaçã, a expansã e a internacinalizaçã

Leia mais

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências O desafi da regulaçã ecnômic-financeira ds peradres públics de serviçs de saneament básic n Brasil: primeiras experiências Karla Bertcc Trindade VI Fr Iber American de Regulación 11/11/2013 - Mntevide,

Leia mais

PROGRAMAS/PROJECTOS. Indicador de Avaliaçã o. Programa /Projecto Objectivo Resultado

PROGRAMAS/PROJECTOS. Indicador de Avaliaçã o. Programa /Projecto Objectivo Resultado PROGRAMAS/PROJECTOS Prgrama /Prject Objectiv Resultad Indicadr de 1. Prgrama - Inserçã de Jvens na Vida Activa em particular s Candidats a Primeir Empreg Prmçã da inserçã de jvens n mercad de trabalh e

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

As eleições europeias

As eleições europeias As eleições eurpeias Significads e implicações para futur da Eurpa Priridades para Futur da Eurpa Partid Ppular Eurpeu [PPE] Criar prsperidade para tds Criar nvs empregs (priridade central) refrma e investiment

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

Base Industrial de Defesa Brasileira Desafios e Perspectivas

Base Industrial de Defesa Brasileira Desafios e Perspectivas Cicl de Semináris OIC / IEA 2012 Base Industrial de Defesa Brasileira Desafis e Perspectivas Prf. Dr. Marcs Jsé Barbieri Ferreira UNICAMP Sã Paul, 23 de Abril de 2012 Intrduçã Objetiv Apresentar s desafis

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa organiza

A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa organiza A Câmara de Cmérci e Indústria Lus-Francesa rganiza Xº FÓRUM PORTUGAL-FRANÇA Infrmações sbre s mercads Reuniões cm cnsultres Entrevistas em B2B cm ptenciais clientes Presença de ptenciais investidres 25

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Dr. Jã Manuel de Queved Pereira Cutinh Outrs cargs desempenhads em Entidades d Grup SAG Presidente

Leia mais

Everton Saulo Silveira

Everton Saulo Silveira Evertn Saul Silveira 2014 Curriculum Vitae Endereç: Rua Brges Hermidas, 115 Casa 09 Majr Prates E-mails: saul997@yah.cm.br, evertn.silveira@sebraemg.cm.br Celular: (38) 9109-2050 9913-8705 CPF: 053.678.036-60

Leia mais

Anexo - Comentários da Autoridade da Concorrência à proposta da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos de revisão regulamentar do Setor Elétrico

Anexo - Comentários da Autoridade da Concorrência à proposta da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos de revisão regulamentar do Setor Elétrico Anex - Cmentáris da Autridade da Cncrrência à prpsta da Entidade Reguladra ds Serviçs Energétics de revisã regulamentar d Setr Elétric 1. Tarifas G 1. Em geral, n cntext prtuguês, a tarifa G terá puc significad

Leia mais

Plano de Gestão Chapa 2

Plano de Gestão Chapa 2 Plan de Gestã Chapa 2 CONSOLIDAR E FORTALECER OS PILARES DA UNIVERSIDADE, O ENSINO, A PESQUISA E A EXTENSÃO, COM AÇÕES QUE VISEM À MELHORIA DO APRENDIZADO E AS CONDIÇÕES DE TRABALHO, EM TODOS OS CURSOS

Leia mais

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos As ferramentas SIG na análise e planeament da inclusã Jã Pereira Sants 1 Agenda Apresentaçã Intergraph Evluçã SIGs Prjects SIGs Exempls Questões 2 Apresentaçã Intergraph Fundada em 1969, cm nme de M&S

Leia mais

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ORGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Dr. Jã Manuel de Queved Pereira Cutinh Presidente d Cnselh de Administraçã: LGA Lgística Autmóvel,

Leia mais

SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS

SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS PROJETO DE REFORÇO DAS CAPACIDADES E COMPETÊNCIAS RELATIVAS A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS ILHAS Crdenadr: Parceirs: SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS Intercâmbi

Leia mais

Serviços. Consultoria Treinamento Logís5ca Reversa

Serviços. Consultoria Treinamento Logís5ca Reversa Serviçs Cnsultria Treinament Lgís5ca Reversa Cnsul'ng Prjets de Supply Chain Implementaçã de Sistemas Lgís5cs Diagnós5c Operacinal Oprtunidades de Reduçã de Cust Reestruturaçã de Operações Lgís5ca Internacinal

Leia mais

LII RECyT/REUNIÃO ESPECIALIZADA DE CIÊNCIA TECNOLOGIA DO MERCOSUL/WORKSHOP RECyT E AGÊNCIAS DE FOMENTO. Brasília, Brasil, 17 de junho de 2015.

LII RECyT/REUNIÃO ESPECIALIZADA DE CIÊNCIA TECNOLOGIA DO MERCOSUL/WORKSHOP RECyT E AGÊNCIAS DE FOMENTO. Brasília, Brasil, 17 de junho de 2015. LII RECyT/REUNIÃO ESPECIALIZADA DE CIÊNCIA TECNOLOGIA DO MERCOSUL/WORKSHOP RECyT E AGÊNCIAS DE FOMENTO Brasília, Brasil, 17 de junh de 2015. Reuniu-se na cidade de Brasília, n dia 17 de junh de 2015 s

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de RPPNs

IV Congresso Brasileiro de RPPNs Prt Alegre - RS 26 a 29 de utubr de 2011 IV Cngress Brasileir de RPPNs A cnservaçã vluntária para um Brasil sustentável Api: Organizaçã: Realizaçã: Secretaria Estadual d Mei Ambiente d Ri Grande d Sul

Leia mais

Carla Cristina Martins Pica

Carla Cristina Martins Pica Carla Cristina Martins Pica Telemóvel: 91 712 29 69 Crrei electrónic: carla.pica@marinha.pt u carlapica@me.cm Habilitações Literárias e Académicas Mestre em Ciências Jurídic-Plíticas, pela Faculdade de

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

SI Inovação Projectos de Empreendedorismo Qualificado Aviso nº 6/SI/2011

SI Inovação Projectos de Empreendedorismo Qualificado Aviso nº 6/SI/2011 Objectiv Tiplgia SI Invaçã Prjects de Empreendedrism Qualificad Avis nº 6/SI/2011 Prmver a invaçã n tecid empresarial através d estímul a empreendedrism qualificad. Api à criaçã de empresas nvas u nascentes

Leia mais

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ÓRGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS

OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ÓRGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS OUTRAS SOCIEDADES EM QUE OS MEMBROS DOS ÓRGÃOS SOCIAIS EXERCEM CARGOS Dr. Jã Manuel de Queved Pereira Cutinh Outrs cargs desempenhads em entidade d Grup Presidente d Cnselh de Administraçã SIVA Sciedade

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 Atualiza a Lista de Prduts, Linhas e Prgramas Passíveis de Outrga de Garantia pel Fund Garantidr para Investiments FGI.

Leia mais

Onde estamos. Campus Santa Rita do Sapucaí MG. Escritório São Paulo SP WTC - World Trade Center - 18º andar

Onde estamos. Campus Santa Rita do Sapucaí MG. Escritório São Paulo SP WTC - World Trade Center - 18º andar Onde estams Campus Santa Rita d Sapucaí MG Escritóri Sã Paul SP WTC - Wrld Trade Center - 18º andar Santa Rita d Sapucaí MG Vale da Eletrônica +40 mil Habitantes R$ 2.7 bi Faturament d setr em 2014 +14.000

Leia mais

CENTROS DE ALTO RENDIMENTO DESPORTIVO ABORDAGEM ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO 29 Maio 2012

CENTROS DE ALTO RENDIMENTO DESPORTIVO ABORDAGEM ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO 29 Maio 2012 CENTROS DE ALTO RENDIMENTO DESPORTIVO ABORDAGEM ESTRATÉGICA DE PROMOÇÃO 29 Mai 2012 CENTRO DE ALTO RENDIMENTO (CAR) DESPORTIVO Unidade perativa que cnjuga um cnjunt específic e diversificad de instalações

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2013

PLANO DE ACTIVIDADES 2013 PLANO DE ACTIVIDADES 2013 Índice 1. Missã, Visã e Valres 2. Desafi Estratégic 3. Prjects e Actividades 4. Cnslidaçā Interna 4.1. Aspects Gerais da Organizaçā e Funcinament da AJU 4.2. Recurss Humans 4.3.

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 10/11/2014 a 10/12/2014 Carg: Analista de Desenvlviment Taxa de Inscriçã: R$ 75,00 Salári/Remuneraçã: até R$ 5.218,56 Nº Vagas: 15 + Cadastr de

Leia mais

Programa de Rádio. Ritmo Económico. Angola!Open!Policy!Initiative

Programa de Rádio. Ritmo Económico. Angola!Open!Policy!Initiative Prgrama de Rádi Ritm Ecnómic AnglaOpenPlicyInitiative 1 Rádi: Kairós da Igreja Metdista de Angla Nme d Prgrama: Ritm Ecnómic Géner: Talk shw Educativ Data da primeira ediçã: (pr definir) Apresentadres:

Leia mais

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmi Brazta de Sustentabilidade Sã Paul - 2014 Seja bem vind a 3 Prêmi Brazta de Sustentabilidade É ntória as crescentes demandas que setr de turism tem cm tema

Leia mais

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES Tribunal de Cntas da Uniã Marcel Pachec ds Guaranys Brasília, 22.11.2011 ROTEIRO Dads d setr Infraestrutura aeprtuária: desafis Definiçã da mdalidade

Leia mais

Plano de Formação 2012

Plano de Formação 2012 1 INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALGARVE Plan de Frmaçã 2012 Centr de Empreg e Frmaçã Prfissinal de Prtimã 2 APRENDIZAGEM nível IV SAÍDA PROFISSIONAL INICIO FINAL

Leia mais

INDICE Plano de atividades 2012

INDICE Plano de atividades 2012 INDICE INTRODUÇÃO 5 CARACTERIZAÇÃO DO IPDJ, I.P. 7 ATRIBUIÇÕES DO IPDJ, I.P. 8 PARA QUEM ATUAMOS E COM QUEM NOS RELACIONAMOS 12 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 13 QUAR IPDJ - OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 14 ATIVIDADES

Leia mais

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS An 2-B Frmulári de preenchiment brigatóri,

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL...

RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... RELATÓRIO DESCRITIVO: HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL: A CAMINHO DE UM HOSPITAL SUSTENTÁVEL... Respnsável pela elabraçã d trabalh: Fernanda Juli Barbsa Camps

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

Principais Pontos do Relatório Anual 2007. 1. O que é a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes - JIFE

Principais Pontos do Relatório Anual 2007. 1. O que é a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes - JIFE Relatóri Anual da Junta Internacinal de Fiscalizaçã de Entrpecentes - JIFE Principais Pnts d Relatóri Anual 2007 1. O que é a Junta Internacinal de Fiscalizaçã de Entrpecentes - JIFE 1.1 Funções da JIFE:

Leia mais