11. VOZ SOBRE IP. VoIP. 25 Capitulo 11

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "11. VOZ SOBRE IP. VoIP. 25 Capitulo 11"

Transcrição

1 11. VOZ SOBRE IP 11.1 INTRODUÇÃO Voz com qualidade de operador (carrier-grade voice) significa o seguinte: - Elevada disponibilidade. Um operador tem a rede disponível % do tempo (down-time< 5min. por ano). Conhecido como fiabilidade de cinco noves. - Elevada capacidade. Possibilidade de transportar milhões de chamadas simultâneas. - Alta qualidade de voz, sem eco perceptível, sem atraso perceptível, sem ruído incomodativo na linha. - Implica que a rede tenha sistemas redundantes, autoregenerativos, escaláveis e geríveis. - As redes devem obedecer a normas para serem inter-operáveis. - Devem existir equipas técnicas 24h por dia para responder a problemas na rede. 25

2 Voz sobre IP () Significa transporte de sinais de voz usando IP. Não significa necessariamente Voz sobre a Internet. Um dos maiores desafios em é a qualidade da voz, o que implica necessidade de largura de banda adequada na rede. Pode não acontecer na Internet. Voz sobre Internet é um sub-conjunto de Voz sobre IP. implica redes geríveis, soluções de QoS e SLAs entre operadores. Porquê transportar Voz sobre IP? - Voz ainda gera receitas substanciais. - IP tem equipamento mais barato e com menos custos operacionais. - Possibilita integrar voz e dados em aplicações. - IP é o actual protocolo de integração de serviços e é largamente disponibilizado. 26

3 Desafios para A fiabilidade deve ser de cinco noves e a qualidade de voz deve ter um MOS (Mean Opinion Score) superior a 4,0 (Good). As soluções actuais de oferecem redundância na rede e partilha de carga na rede. São também escaláveis. Atraso -O Round Trip Delay deve ser inferior a 400 ms. Em dados não existe este problema. Variação de atraso Os interlocutores podem-se adaptar ao atraso, mas não a variação de atraso. A minimização da variação de atraso implica buffers na recepção, o que aumenta o atraso. Perda de pacotes Devem existir mecanismos para minimizar a perda de pacotes. Estes 3 problemas têm a ver com a gestão de QoS em redes IP. 27

4 11.2 TRANSPORTE DE VOZ EM IP A Voz corre sobre UDP. A perda de um ou dois pacotes de voz não é catastrófica para a conversação. Cada pacote de voz dura de 10 a 40ms. O estabelecimento de uma conexão TCP introduz um atraso que deve ser evitado, pois a voz é muito sensível ao atraso. Em caso de perda de pacotes, TCP pede retransmissão o que aumenta o atraso. Perda de pacotes na ordem de 5% é aceitável se os pacotes perdidos estiverem afastados entre si. Evita-se perdas consecutivas de pacotes com a atribuição de recursos (largura de banda, buffers) nos routers. A chegada de pacotes fora de ordem em UDP é possível mas não provável, a não ser que ocorra mudança de topologia na rede. Podese também fazer engenharia de tráfego para assegurar que todos os pacotes sigam um dado caminho. No entanto, embora melhor que TCP, UDP não é o ideal para transporte de voz, pois não foi desenhado para esse efeito. 28

5 Real-Time Transport Protocol (RTP) RTP está especificado na RFC Na realidade a RFC descreve dois protocolos: RTP e RTCP (RTP Control Protocol). Em conjunto providenciam o transporte de aplicações de voz e vídeo. RTP corre em cima de UDP e ajuda na detecção de pacotes perdidos e fora de ordem. RTP tem um número de sequência no cabeçalho. Pacotes RTP têm também um Time-Stamp (TS) no cabeçalho, que corresponde ao tempo em que a amostra digital foi feita na aplicação. A aplicação de destino pode usar o TS para sincronização e cálculo de atraso e variação de atraso. RTP, em si mesmo, não toma qualquer acção, mas dá informação à aplicação para que esta possa actuar. 29

6 RTCP gera mensagens que são trocadas entre os utilizadores da sessão e que indicam a qualidade dessa sessão (nº pacotes RTP perdidos, atrasos, variação de atraso). Quando se abre uma sessão RTP é também aberta uma sessão RTCP (têm nº de portos UDP diferentes). Porto RTP é par e porto RTCP é o nº seguinte. Podem tomar valores entre 1025 e Por omissão, usa os portos 5004 e O uso de RTCP não é obrigatório, mas é recomendável. Algumas implementações de abdicam de RTCP, mas não têm informação quanto à qualidade do serviço. 30

7 Formatos do Payload de RTP O payload de RTP contém um conjunto de amostras de voz (vídeo). Terá um cabeçalho RTP, mais um cabeçalho UDP e um cabeçalho IP para formar o datagrama que circulará na rede. Existe um identificador de payload no cabeçalho RTP, identificando o tipo de codificação. Os identificadores são especificados em RFC Um protocolo de sinalização (e.g. SIP e SDP) pode ser usado para os dois interlocutores acordarem o nº de identificador de payload a ser usado para um dado código que ambos corram. Este número fica livre após a sessão terminar (nºs 96 a 127 destinados para tipos dinâmicos de payload). 31

8 Cabeçalho RTP O cabeçalho RTP contém a informação necessária para que a aplicação destino possa reconstruir a amostra original de voz (vídeo) V = 2 P X CC M PT SN (2) (1) (1) (4) (1) (7) (16) Time stamp SSRC identifier CSRC identifier (0 a 15 entradas) Profile specific information Length (Header extension) (Header extension) Header extension V Version P Padding X Extension CC CSRC count M Marker PT Payload type SN Sequence number SSRC Synchronization Source CSRC Contributing Source 32

9 Version 2 Padding Insere bytes de enchimento no final do payload. O payload ficará como um múltiplo de 32 bits. O último byte do payload inclui o nº de bytes de padding. Extension 1, indica que existe uma extensão do cabeçalho. CSRC Count Número de fontes que contribuem. Marker A sua interpretação depende da codificação usada para o sinal. Serve para identificar início de trecho de som ou imagem, por exemplo 33

10 Payload Type Depende do tipo de codificação usada para o sinal. Sequence Number Começa com um número aleatório. Incrementa de 1 por cada pacote RTP. Time Stamp Reflecte o instante da primeira amostra. Derivado de um relógio. SSRC Identifica a entidade responsável por estabelecer o Sequence Number e Time Stamp. CSRC Identifica a fonte contribuinte. Até 16 entradas. 34

11 Exemplos de Payload Type de Áudio PT nome da tipo média ritmo canais codificação (Hz) 0 PCMU A reservado A 2 reservado A 3 GSM A G723 A DVI4 A DVI4 A LPC A PCMA A G722 A L16 A L16 A QCELP A CN A MPA A G728 A DVI4 A DVI4 A G729 A reservado A 20 unassigned A 21 unassigned A 22 unassigned A 23 unassigned A dyn G A dyn G A dyn G A dyn G A dyn G729D A dyn G729E A dyn GSM-EFR A dyn L8 A var. var. dyn RED A (redundante) dyn VDVI A var. 1 35

12 Exemplos de Payload Type de Vídeo PT nome da tipo média ritmo codificação (Hz) 24 unassigned V 25 CelB V JPEG V unassigned V 28 nv V unassigned V 30 unassigned V 31 H261 V MPV V MP2T AV H263 V unassigned? reservado N/A N/A unassigned? dinâmico? dyn H V

13 RTP Control Protocol (RTCP) RTCP permite a troca periódica de informação de controlo entre os interlocutores numa sessão, com o principal objectivo de dar informação sobre a qualidade de serviço. Esta informação pode ser também dada ao operador tendo em vista acções correctivas. RTCP tem cinco tipos de pacotes: Sender Report (SR): usados por participantes activos em sessões, contendo estatísticas de transmissão e de recepção. Receiver Report (RR): usados para enviar estatísticas de recepção dos participantes que recebem, mas não enviam informação. Source Description (SDES): contém descrição de um ou mais participantes na sessão. Identifica os participantes através de um Canonical Name (CNAME). CNAME é separado de SSRC porque este último pode mudar no caso de um reset no host. 37

14 BYE: Indica o final da participação numa sessão. APP (Application-Specific functions): transporta informação específica de uma aplicação. Na realidade, estes pacotes não são enviados individualmente. Dois ou mais pacotes RTCP podem ser combinados. Um pacote composto tem de incluir um pacote SDES e um SR ou RR. Pacote Composto Pacote Pacote Pacote SR Header SR Data SDES Header SDES Data BYE Header BYE Data 38

A Família de Protocolos RTP

A Família de Protocolos RTP A Família de Protocolos RTP O que não é Não é um protocolo que trate de reserva de recursos ou de garantias de qualidade de serviço para serviços de tempo real. Não existem mecanismos que garantam a entrega

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 6. Camada de Transporte DIN/CTC/UEM 2008 Principais Funções Oferece conexão lógica entre duas extremidades da rede Oferece controle fim-a-fim de fluxo e confiabilidade Independente da tecnologia utilizada

Leia mais

SIP. Fabrício Tamusiunas. Comitê Gestor Internet BR

SIP. Fabrício Tamusiunas. Comitê Gestor Internet BR SIP Fabrício Tamusiunas Comitê Gestor Internet BR SIP RFC 3261 (antiga RFC 2543) Protocolo de controle que trabalha na camada de aplicação Permite que EndPoints encontrem outros EndPoints Gerencia sessões

Leia mais

VoIP. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha

VoIP. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha As principais tecnologias de Voz sobre Rede de dados: Voz sobre Frame Relay Voz sobre ATM Voz sobre IP VoIP sobre MPLS VoIP consiste no uso das redes de dados

Leia mais

Streaming vídeo com RTSP e RTP

Streaming vídeo com RTSP e RTP Descrição da tarefa de programação a ser feita na disciplina de Redes de Alto Desempenho (RAD) SSC-144. Turmas A e B. A tarefa de programação é referente ao Capítulo 7 do Livro: Redes de Computadores e

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Protocolos Multimídia. Alunos: Roberto Schemid Rafael Mansano

Protocolos Multimídia. Alunos: Roberto Schemid Rafael Mansano Alunos: Roberto Schemid Rafael Mansano Exemplos de Aplicações Multimídia Mídia Armazenada: conteúdo gravado e armazenado play/pause/rewind/forward Streaming : vê o conteúdo enquanto baixa o arquivo evita

Leia mais

Multimédia, Qualidade de Serviço (QoS): O que são?

Multimédia, Qualidade de Serviço (QoS): O que são? Multimédia, Qualidade de Serviço (QoS): O que são? Aplicações Multimédia: áudio e vídeo pela rede ( meios contínuos ) QoS a rede oferece às aplicações o nível de desempenho necessário para funcionarem.

Leia mais

O nível Transporte nas redes ATM

O nível Transporte nas redes ATM O nível Transporte nas redes TM Introdução Estrutura da camada de adaptação TM (L) L 1 L 2 L 3/4 L 5 Comparação entre protocolos L COP Introdução camada L (TM daptation Layer) da rede TM corresponde a

Leia mais

Contribuição acadêmica

Contribuição acadêmica Contribuição acadêmica Origem deste trabalho em cadeiras do curso de mestrado na COPPE/UFRJ; Continuidade da contribuição acadêmica através do laboratório RAVEL: desenvolvimento de sw para apoio; intercâmbio

Leia mais

3 Qualidade de serviço na Internet

3 Qualidade de serviço na Internet 3 Qualidade de serviço na Internet 25 3 Qualidade de serviço na Internet Além do aumento do tráfego gerado nos ambientes corporativos e na Internet, está havendo uma mudança nas características das aplicações

Leia mais

Instituto Superior Técnico. Projecto VoIP. Sistema IVVR

Instituto Superior Técnico. Projecto VoIP. Sistema IVVR Instituto Superior Técnico Projecto VoIP Sistema IVVR 68239 Rui Barradas 68477 Helton Miranda 68626 Ludijor Barros 72487 Bruna Gondin Introdução O objectivo deste projecto é desenvolver um sistema de Interactive

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIAS E GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E SISTEMAS. Pós-Graduação em Engenharia Elétrica

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIAS E GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E SISTEMAS. Pós-Graduação em Engenharia Elétrica UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIAS E GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA E SISTEMAS Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Uma Aplicação de Voz Sobre IP baseada no Session Initiation

Leia mais

Redes Mul)mídia. Tópicos. Streaming de Áudio e Vídeo. Aplicações de Rede Mul:mídia Introdução Classes de Aplicações Mul:mídia

Redes Mul)mídia. Tópicos. Streaming de Áudio e Vídeo. Aplicações de Rede Mul:mídia Introdução Classes de Aplicações Mul:mídia Redes Mul)mídia Streaming de Áudio e Vídeo Mário Meireles Teixeira Departamento de Informá:ca UFMA 2012 Tópicos Aplicações de Rede Mul:mídia Introdução Classes de Aplicações Mul:mídia Áudio e Vídeo de

Leia mais

2 Q-20102010. Prof. Roberto Jacobe (roberto.jacobe@gmail.com)

2 Q-20102010. Prof. Roberto Jacobe (roberto.jacobe@gmail.com) INF-207 Sistemas Computacionais para Processamento Multimídia Sistemas Multimídia Aula 04 Redes Multimídia 2 Q-20102010 Prof. Roberto Jacobe (roberto.jacobe@gmail.com) Prof. Marcelo Z. do Nascimento (marcelo.ufabc@gmail.com)

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Integração de Serviços na Internet fldotti@inf.pucrs.br por www.inf.pucrs.br/~fldotti Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação PUC-RS 1 Sumário Integração de Serviços Terminologia,

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº7 Análise do tráfego na rede Protocolos TCP e UDP Objectivo Usar o Ethereal para visualizar

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE SERVIÇO SEM CONEXÃO E SERVIÇO ORIENTADO À CONEXÃO Serviço sem conexão Os pacotes são enviados de uma parte para outra sem necessidade de estabelecimento de conexão Os pacotes

Leia mais

Prof. Dr. Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br. Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Prof. Dr. Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Prof. Dr. Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br Universidade Federal do Rio Grande do Sul Latência Tempo entre o início de um evento e o momento que ele se torna perceptível no destino Ex: filmar um relógio

Leia mais

F n u d n a d ment n os o Vo V I o P Introdução

F n u d n a d ment n os o Vo V I o P Introdução Tecnologia em Redes de Computadores Fundamentos de VoIP Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Introdução VoIP (Voice over Internet Protocol) A tecnologia VoIP vem sendo largamente utilizada

Leia mais

4 Transmissão de Voz em Pacotes nas Redes Celulares

4 Transmissão de Voz em Pacotes nas Redes Celulares 4 Transmissão de Voz em Pacotes nas Redes Celulares Nos últimos anos, aplicações baseadas em voz sobre IP (VoIP) têm sido cada vez mais difundidas. O VoIP tradicional é uma aplicação de tempo real em modo

Leia mais

RECURSOS DA TELEFONIA VOIP APLICADAS NAS INSTALAÇÕES DO CRSPE/INPE - MCT

RECURSOS DA TELEFONIA VOIP APLICADAS NAS INSTALAÇÕES DO CRSPE/INPE - MCT MINISTERIO DA CIENCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS CENTRO REGIONAL SUL DE PESQUISAS ESPACIAIS INPE/CRSPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UFSM RECURSOS DA TELEFONIA VOIP APLICADAS

Leia mais

6 Redução do Overhead na Interface Aérea para os Pacotes de VoIP Transmitidos no Modo IMS

6 Redução do Overhead na Interface Aérea para os Pacotes de VoIP Transmitidos no Modo IMS 6 Redução do Overhead na Interface Aérea para os Pacotes de VoIP Transmitidos no Modo IMS Este Capítulo objetiva fornecer uma análise para a redução do número de bits a serem transmitidos na interface

Leia mais

ICMP Internet Control Message Protocol

ICMP Internet Control Message Protocol TCP UDP ICMP Internet Control Message Protocol ARP IP ICMP Acesso à rede Funcionalidade Mensagens ICMP Internet Control Message Protocol - ICMP Funcionalidades Informar máquina de origem da ocorrência

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Transporte

Redes de Computadores. Camada de Transporte Redes de Computadores Camada de Transporte Objetivo! Apresentar as características da camada de transporte da arquitetura TCP/IP! Apresentar os serviços fornecidos pela camada de transporte! Estudar os

Leia mais

Introdução ao VoIP Codecs

Introdução ao VoIP Codecs Introdução ao VoIP Codecs Carlos Gustavo A. da Rocha Introdução ao VoIP Relembrando Telefonia analógica usa frequências captadas como voz humana na faixa de 0 a 4000Khz Para digitalizar a voz é necessário

Leia mais

TP 318 Introdução às Redes Multimídia

TP 318 Introdução às Redes Multimídia Especialização em Telecomunicações TP 318 Introdução às Redes Multimídia Prof. Antônio M. Alberti Prof. José Marcos C. Brito 1 Tópicos Introdução RTP RSTP RTCP Arquitetura SIP Arquitetura OPT Referências

Leia mais

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP Camada de Transporte Protocolos TCP e UDP Protocolo UDP Protocolo de transporte da Internet sem gorduras Serviço best effort, segmentos UDP podem ser: perdidos entregues fora de ordem para a aplicação

Leia mais

PROTOCOLOS PARA APLICAÇÕES MULTIMÍDIA

PROTOCOLOS PARA APLICAÇÕES MULTIMÍDIA PROTOCOLOS PARA APLICAÇÕES MULTIMÍDIA ABSTRACT The last few years have witnessed an explosive growth in the development and deployment of networks applications that transmit and receive audio and video

Leia mais

Aplicações Multimídia Distribuídas. Aplicações Multimídia Distribuídas. Introdução. Introdução. Videoconferência. deborams@telecom.uff.br H.

Aplicações Multimídia Distribuídas. Aplicações Multimídia Distribuídas. Introdução. Introdução. Videoconferência. deborams@telecom.uff.br H. Departamento de Engenharia de Telecomunicações - UFF Aplicações Multimídia Distribuídas Aplicações Multimídia Distribuídas Videoconferência Padrão H.323 - ITU Padrão - IETF Profa. Débora Christina Muchaluat

Leia mais

Aplicações e redes multimédia

Aplicações e redes multimédia Aplicações e redes multimédia Aplicações multimédia Streaming de áudio e vídeo RTSP, RTP Telefonia pela Internet RTCP, RTP, SIP Disciplinas de serviço e policiamento de tráfego Serviços integrados RSVP

Leia mais

Introdução ao protocolo SIP*

Introdução ao protocolo SIP* Introdução ao protocolo SIP* 1. SIP (Session Initiation Protocol) Pode se dizer que SIP trata se de um protocolo de controle referente à camada de aplicações do Modelo de Referência OSI (Open System Interconnection),

Leia mais

VOIP H323 e SIP. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com

VOIP H323 e SIP. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com VOIP H323 e SIP Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Apresentação Alessandro Coneglian Bianchini exerce a função de engenheiro na NEC Brasil, atuando na elaboração de projetos e implantação

Leia mais

CAMADA DE TRANSPORTE

CAMADA DE TRANSPORTE Curso Técnico de Redes de Computadores Disciplina de Fundamentos de Rede CAMADA DE TRANSPORTE Professora: Juliana Cristina de Andrade E-mail: professora.julianacrstina@gmail.com Site: www.julianacristina.com

Leia mais

Um Pouco de História

Um Pouco de História Telefonia IP Um Pouco de História Uma Breve Introdução às Telecomunicações Telefonia Tradicional Conversão analógica-digital nas centrais (PCM G.711) Voz trafega em um circuito digital dedicado de 64 kbps

Leia mais

ncia de Redes NGN - NEXT GENERATION NETWORK Hugo Santana Lima hugosl@nec.com.br Porque Telefonia IP?

ncia de Redes NGN - NEXT GENERATION NETWORK Hugo Santana Lima hugosl@nec.com.br Porque Telefonia IP? Convergência ncia de Redes NGN - NEXT GENERATION NETWORK Hugo Santana Lima hugosl@nec.com.br Porque Telefonia IP? O negócio Presença universal do IP Maturação da tecnologia Passagem para a rede de dados

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO VOIP BASEADA NO PROTOCOLO SIP

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO VOIP BASEADA NO PROTOCOLO SIP UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS - UEA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO JOÃO GUILHERME ALVES MARTINEZ DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO VOIP BASEADA NO PROTOCOLO SIP Manaus 2011

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte VI Entrega de pacotes sem conexão (IP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Conceitos Pacote (ou datagrama) IP Formato Campos do cabeçalho Encapsulamento Fragmentação e

Leia mais

1 Arquitecturas e protocolos de comunicação

1 Arquitecturas e protocolos de comunicação Arquitecturas e protocolos de comunicação 1 Arquitecturas e protocolos de comunicação 1/33 Arquitectura dos protocolos de comunicações Arquitectura do sistema de comunicação É um bloco complexo de software

Leia mais

Cap. 2 O nível aplicação. (3ª parte)

Cap. 2 O nível aplicação. (3ª parte) Cap. 2 O nível aplicação (3ª parte) Nota prévia A estrutura da apresentação é semelhante e utiliza algumas das figuras, textos e outros materiais do livro de base do curso James F. Kurose and Keith W.

Leia mais

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Redes de Computadores Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Endereços e nomes Quaisquer duas estações

Leia mais

Transmissão multimídia em redes de computadores

Transmissão multimídia em redes de computadores Transmissão multimídia em redes de computadores Autor: Universidade: UNISINOS Data: Julho de 2001 Multimídia em redes de computadores pg. 2 SUMÁRIO 1 Transmissão multimídia em redes...3 1.1 Latência...4

Leia mais

REDES INTEGRADAS DE COMUNICAÇÕES. Enunciado do Projecto de. VoIP

REDES INTEGRADAS DE COMUNICAÇÕES. Enunciado do Projecto de. VoIP REDES INTEGRADAS DE COMUNICAÇÕES Enunciado do Projecto de VoIP Paulo Rogério Pereira, SETEMBRO DE 2011 1. Objectivo Este trabalho tem como objectivo desenvolver um sistema de Interactive Video Voice Response

Leia mais

Arquitecturas Multimédia

Arquitecturas Multimédia Arquitecturas Multimédia FEUP/DEEC/RBL 2002/03 José Ruela Arquitecturas para Comunicações Multimédia Arquitectura Multimédia IETF» Session Initiation Protocol (SIP)» Session Announcement Protocol (SAP)»

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO GÜNTER FISCHBORN IMPLEMENTAÇÃO DE QOS E MONITORAMENTO DE TRÁFEGO

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 5 VoIP Tecnologias Atuais de Redes - VoIP 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Estrutura Softswitch Funcionamento Cenários Simplificados de Comunicação em VoIP Telefonia

Leia mais

Relatório do Laboratório de Redes 5 Professor Valter Roesler. Diogo Costa 180188 Lucas Magrini Rigo 161064

Relatório do Laboratório de Redes 5 Professor Valter Roesler. Diogo Costa 180188 Lucas Magrini Rigo 161064 Relatório do Laboratório de Redes 5 Professor Valter Roesler Diogo Costa 180188 Lucas Magrini Rigo 161064 1) Instalar o software Polycom PVX e estabelecer uma chamada em duplas. Medir o atraso ida e volta

Leia mais

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Número: Nome: Duração: 1 hora O teste é sem consulta O teste deve ser resolvido

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores 2 1 Multiplexação e Desmultiplexação Acontece entre vários módulos na estrutura de SW de comunicação A nível de interface de rede: IP Interface

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores s de Computadores s de Computadores 2 1 Roteamento como visto cada gateway / host roteia mensagens não há coordenação com outras máquinas Funciona bem para sistemas estáveis e sem erros

Leia mais

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec Criptografia e Segurança das Comunicações IPsec IPsec : 1/27 Introdução (1) Os datagramas IP do nível de rede da pilha de protocolos v4 são inseguros! Endereço fonte pode ser mistificado ( spoofed ). Conteúdo

Leia mais

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1.1 IP - Internet Protocol RFC 791 Esse protocolo foi introduzido na ARPANET no início dos anos 80, e tem sido utilizado juntamente com o TCP desde então. A principal característica

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Capítulo 9. Telefonia por Rede de Pacotes (Voz Sobre IP)

Capítulo 9. Telefonia por Rede de Pacotes (Voz Sobre IP) Capítulo 9 Telefonia por Rede de Pacotes (Voz Sobre IP) 9.1 Introdução A rede de computadores foi utilizada nos seus primórdios do seu funcionamento, principalmente, para transmitir e receber mensagens

Leia mais

Nível aplicação e protocolos para streaming

Nível aplicação e protocolos para streaming Nível aplicação e protocolos para streaming Notas para leitura prévia Esta apresentação, enquadrada como uma parte complementar de protocolos de suporte para aplicações baseadas em streaming, corresponde

Leia mais

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE TELEFONIA IP PARA LANS BASEADO NO PADRÃO SIP

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE TELEFONIA IP PARA LANS BASEADO NO PADRÃO SIP UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE TELEFONIA IP PARA LANS BASEADO NO PADRÃO SIP TRABALHO DE

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Multiplexação e Frame Relay

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Multiplexação e Frame Relay e Frame Relay o Consiste na operação de transmitir varias comunicações diferentes ao mesmo tempo através de um único canal físico. Tem como objectivo garantir suporte para múltiplos canais. o A multiplexação

Leia mais

Introdução à Redes de Computadores

Introdução à Redes de Computadores Introdução à Redes de Computadores 1 Agenda Camada 4 do modelo OSI 2 1 Camada 4 do modelo OSI 3 Camada 4 - Transporte O termo "qualidade de serviço" é freqüentemente usado para descrever a finalidade da

Leia mais

Rodrigo Laiola Guimarães

Rodrigo Laiola Guimarães Rodrigo Laiola Guimarães Caracterização dos mecanismos de encapsulamento para integração de serviços nas redes IP e MPEG MONOGRAFIA DA DISCIPLINA DE REDES DE ALTA VELOCIDADE DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA

Leia mais

Redes Multimídia. Professor: Renê Furtado Felix Email: rffelix70@yahoo.com.br. Redes II - UNIP 1

Redes Multimídia. Professor: Renê Furtado Felix Email: rffelix70@yahoo.com.br. Redes II - UNIP 1 Redes Multimídia Professor: Renê Furtado Felix Email: rffelix70@yahoo.com.br Redes II - UNIP 1 As exigências de funcionamento das aplicações multimídia divergem significamente daquelas tradicionais aplicações

Leia mais

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP. condições de rede existentes em cada momento

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP. condições de rede existentes em cada momento Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP 7.1. O porquê da Qualidade de Serviço 7.2. Mecanismos para QoS 7.3. Modelo de Serviços Integrados - IntServ 7.4. Modelo de Serviços Diferenciados - DiffServ 1

Leia mais

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP)

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Telefonia Tradicional PBX Telefonia Pública PBX Rede telefônica tradicional usa canais TDM (Time Division Multiplexing) para transporte da voz Uma conexão de

Leia mais

TCP - multiplexação/demultiplexação

TCP - multiplexação/demultiplexação TCP Protocolo de controle de transmissão (Transmission Control Protocol) Definido em diversas RFCs (793, 1122, 1323, 2018 e 2581) Diversos flavors (tipos) Serviços Multiplexação/demultiplexação Detecção

Leia mais

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Interconexão de Redes Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Software IP nos hosts finais O software IP nos hosts finais consiste principalmente dos seguintes módulos: Camada Aplicação; DNS (Domain name system)

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 10 - TCP/IP Intermediário 1 Objetivos do Capítulo Descrever o TCP e sua função; Descrever a sincronização e o controle de fluxo do TCP; Descrever

Leia mais

Redes de Comunicação Modelo OSI

Redes de Comunicação Modelo OSI Redes de Comunicação Modelo OSI Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia, Electrónica, Telecomunicações e Computadores Redes de Computadores Processos que comunicam em ambiente

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Routing Dinâmico BGP Arq. de Redes - Pedro Brandão - 2004 1 BGP (Border Gateway Protocol) Os protocolos de encaminhamento exteriores foram criados para controlar o crescimento das

Leia mais

Arquitetura de Redes de Computadores. Bruno Silvério Costa

Arquitetura de Redes de Computadores. Bruno Silvério Costa Arquitetura de Redes de Computadores Bruno Silvério Costa Projeto que descreve a estrutura de uma rede de computadores, apresentando as suas camadas funcionais, as interfaces e os protocolos usados para

Leia mais

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte?

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte? Lista de Exercícios Camada de Transporte GBC-056 Arquitetura de Redes de Computadores Bacharelado em Ciência da Computação Universidade Federal de Uberlândia 6 de Julho de 2015 Exercício 1 Para que serve

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br

REDES DE COMPUTADORES II. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br REDES DE COMPUTADORES II Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br REDE PÚBLICA x REDE PRIVADA Rede Pública Circuitos compartilhados Rede Privada Circuitos dedicados Interligação entre Dispositivos

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE TELEFONIA IP CRIPTOGRAFADO BASEADO NO PADRÃO SIP HUMBERTO MAXCLIOFF

Leia mais

Protocolo de Sinalização SIP

Protocolo de Sinalização SIP Protocolos de Sinalização Protocolos com processamento distribuído e clientes/terminais inteligentes SIP - Session Initiation Protocol, desenvolvido pelo IETF para comunicação multimídia pela Internet

Leia mais

Protocolos para transportar mídia

Protocolos para transportar mídia Parte 2 Protocolos para transportar mídia Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Adriano César Ribeiro (estagiário docente) adrianoribeiro@acmesecurity.org Tópicos em Sistemas de Computação

Leia mais

Endereço IP Privado. Endereçamento IP. IP Protocolo da Internet. Protocolos da. Camada de Inter-Rede (Internet)

Endereço IP Privado. Endereçamento IP. IP Protocolo da Internet. Protocolos da. Camada de Inter-Rede (Internet) Protocolos da Camada de Inter- (Internet) IP Protocolo da Internet. Não Confiável; Não Orientado à conexão; Trabalha com Datagramas; Roteável; IPv 4 32 bits; IPv 6 128 bits; Divisão por Classes (A,B,C,D,E);

Leia mais

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte

Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte O TCP/IP, na verdade, é formado por um grande conjunto de diferentes protocolos e serviços de rede. O nome TCP/IP deriva dos dois protocolos mais

Leia mais

Protocolos. Prof. Wladimir da Costa

Protocolos. Prof. Wladimir da Costa Prof. Wladimir da Costa Introdução Até o presente momento discutimos sobre a infraestrutura de redes (hardware, sistema operacional e cabeamento). Agora vamos ver como realmente é feito a troca de informação

Leia mais

! " #" $#% " #&# " # $ #$ %! ' '(' )) * +, ' ) ' ' ' ( - ) + ' + 1 , ' ' ' 3 ) ) * ' ' 4 )

!  # $#%  #&#  # $ #$ %! ' '(' )) * +, ' ) ' ' ' ( - ) + ' + 1 , ' ' ' 3 ) ) * ' ' 4 ) ! " # $ #$!"! " %! & %! ( * + ( - -.-/- #" $#% " #&# + + 1 Aplicações Rígidas/Intolerantes Aplicações Adaptativas/Tolerantes + 3 * 4 1 " #&#$#% & custo desempenho T.R estrito T.R tolerantes Suportes Protocolares

Leia mais

QoS para VoIP II: Calculador VoIP de Largura de Banda e Atraso

QoS para VoIP II: Calculador VoIP de Largura de Banda e Atraso QoS para VoIP II: Calculador VoIP de Largura de Banda e Atraso Esta série de tutoriais sobre Qualidade de Serviço (QoS) para Voz sobre IP (VoIP) apresentará algumas particularidades relativas à Qualidade

Leia mais

Voz sobre IP- Tecnologia e tendências

Voz sobre IP- Tecnologia e tendências Voz sobre IP- Tecnologia e tendências Ricardo Balbinot 1, Jorge Guedes Silveira 1, Fladhimyr Câmara Castello 2, Pedro Martins dos Santos 2, Alexandre da Silva Quadra 1 1 Faculdade de Engenharia Pontifícia

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio REDES DE COMPUTADORES Camada de Rede Prof.: Agostinho S. Riofrio Agenda 1. Introdução 2. Funções 3. Serviços oferecidos às Camadas superiores 4. Redes de Datagramas 5. Redes de Circuitos Virtuais 6. Comparação

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP Redes de Computadores Protocolos de comunicação: TCP, UDP Introdução ao TCP/IP Transmission Control Protocol/ Internet Protocol (TCP/IP) é um conjunto de protocolos de comunicação utilizados para a troca

Leia mais

Camada Transporte Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Camada Transporte Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Camada Transporte Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Algoritmo de Janela Deslizante em TCP O TCP clássico emprega um protocolo de janela deslizante com confirmação positiva e sem repetição seletiva. O TCP

Leia mais

Teia de alcance mundial (World Wide Web WWW) Web composta de

Teia de alcance mundial (World Wide Web WWW) Web composta de Web Teia de alcance mundial (World Wide Web WWW) Web composta de Agentes de usuário para a Web (browsers) Servidores Web Protocolo de transferência de hipertexto (HyperText Transfer Protocol HTTP) Web

Leia mais

Novas Propostas para Protocolos de Streaming. Cesar Henrique Pereira Ribeiro. Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense (UFF)

Novas Propostas para Protocolos de Streaming. Cesar Henrique Pereira Ribeiro. Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense (UFF) Novas Propostas para Protocolos de Streaming Cesar Henrique Pereira Ribeiro Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense (UFF) Rua Passo da Pátria, 156 Niterói RJ Brazil cesarhpribeiro@yahoo.com.br

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

REDES CONVERGENTES PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM

REDES CONVERGENTES PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM REDES CONVERGENTES PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Introdução a Redes Convergentes. Camadas de uma rede convergente. Desafios na implementação de redes convergentes. Introdução a Redes Convergentes.

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Protocolo TCP/IP É um padrão de comunicação entre diferentes computadores e diferentes sistemas operativos. Cada computador deve

Leia mais

Redes. Entenda o que são ICMP, ping e traceroute Autor: Hélder Garcia Email: hlbognfspam@sounerd.com Março de 2004

Redes. Entenda o que são ICMP, ping e traceroute Autor: Hélder Garcia Email: hlbognfspam@sounerd.com Março de 2004 Entenda o que são ICMP, ping e traceroute Autor: Hélder Garcia Email: hlbognfspam@sounerd.com Março de 2004 O ICMP - - é um protocolo que faz parte da pilha TCP/IP, enquadrando-se na camada de rede (nível

Leia mais

Fundamentos de Redes. Protocolos de Transporte. Djamel Sadok Dênio Mariz. {jamel,dmts}@cin.ufpe.br

Fundamentos de Redes. Protocolos de Transporte. Djamel Sadok Dênio Mariz. {jamel,dmts}@cin.ufpe.br Fundamentos de Redes Protocolos de Transporte Djamel Sadok Dênio Mariz {jamel,dmts}@cin.ufpe.br Cin/UFPE, JUN/2003 1 Internet e TCP/IP Internet Agrupamento de grande quantidade de redes ao redor do mundo,

Leia mais

Protocolos Multimídia na Internet

Protocolos Multimídia na Internet Parte 2 Transporte de Mídia Tópicos em Sistemas de Computação Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Protocolos para transportar mídia Protocolos de aplicação Prof. Dr. Adriano Mauro

Leia mais

Redes de Computadores Modelo de referência TCP/IP. Prof. MSc. Hugo Souza

Redes de Computadores Modelo de referência TCP/IP. Prof. MSc. Hugo Souza Redes de Computadores Modelo de referência TCP/IP Prof. MSc. Hugo Souza É uma pilha de protocolos de comunicação formulada em passos sequenciais de acordo com os serviços subsequentes das camadas pela

Leia mais

Ferramentas de Monitoração Ativa e Passiva para Avaliação da Qualidade de Redes VoIP

Ferramentas de Monitoração Ativa e Passiva para Avaliação da Qualidade de Redes VoIP Fabio David Ferramentas de Monitoração Ativa e Passiva para Avaliação da Qualidade de Redes VoIP Orientador: Prof. Paulo Henrique de Aguiar Rodrigues, Ph.D. Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Leia mais

Camada de transporte. TCP Transmission Control Protocol

Camada de transporte. TCP Transmission Control Protocol Camada de transporte TCP Transmission Control Protocol TCP A confiabilidade dos processos de comunicação foi deixada a cargo do TCP O TCP é um protocolo: Orientado à conexão Confiável Número de portas

Leia mais

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet.

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet. Origem: Surgiu na década de 60 através da DARPA (para fins militares) - ARPANET. Em 1977 - Unix é projetado para ser o protocolo de comunicação da ARPANET. Em 1980 a ARPANET foi dividida em ARPANET e MILINET.

Leia mais

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores.

robustez; confiabilidade; e comunicação de dados independente de fornecedores. HISTÓRICO! 1969, Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) cria um projeto de pesquisa para criar uma experimental de comutação de pacotes ARPANET que deveria prover: robustez; confiabilidade;

Leia mais

Visão geral da arquitetura do roteador

Visão geral da arquitetura do roteador Visão geral da arquitetura do roteador Duas funções-chave do roteador: Executar algoritmos/protocolos (RIP, OSPF, BGP) Comutar os datagramas do link de entrada para o link de saída 1 Funções da porta de

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE INTRODUÇÃO (KUROSE) A Camada de Rede é uma peça central da arquitetura de rede em camadas A sua função é a de fornecer serviços de comunicação diretamente aos processos

Leia mais

Monitoramento de Qualidade de Serviço em Voz Sobre IP

Monitoramento de Qualidade de Serviço em Voz Sobre IP VINICIUS TEIXEIRA COELHO Monitoramento de Qualidade de Serviço em Voz Sobre IP Florianpolis - SC 2008-1 Sumário Lista de Figuras Lista de Tabelas 1 Introdução p. 6 2 QoS - Qualidade de Serviço p. 8 2.1

Leia mais