Mudanças no feudalismo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mudanças no feudalismo"

Transcrição

1 Mudanças no feudalismo Capítulo 06 Prof: Diego Gomes e Ariane Bastos Disciplina: História Série: 7 ano

2 Mudanças... Mudanças na forma de produção A partir do século XI, a Europa feudal começou a mudar; a expansão das áreas de cultivo e as inovações técnicas contribuíram para o aumento significativo da produção de alimentos (p. 94) Inovações Técnicas Melhorias de equipamentos Permitiu Utilização de tração animal Aumento da produção de alimentos

3 Inovações Técnicas a) Uso do arado de ferro (a charrua) el lugar do arado de madeira b) A introdução do sistema de cultura em três campos (rotação trienal) c) Utilização do cavalo pra puxar o arado d) Aprimoramento e a difusão dos moinhos acionados pela força do vento ou da água contribuíram para aumenta a velocidade e a qualidade da moagem do trigo

4 Iluminura de autoria dos irmãos Limbourg, feita entre 1411 e 1416, para o mês de março do Livro de horas conhecido como riquíssimas horas do duque de Berry. A imagem representa os primeiros trabalhos agrícolas do ano, como semeadura e lavra. O castelo que se avista ao fundo é o de Lusignan, um dos preferidos do duque.

5 Inovações técnicas O aumento da produção de alimentos colaborou, por um lado, para grande crescimento da população (adultos e criança...) e por outro lado, para um revigoramento do comércio e das cidades (p. 95) Aumento Populacional Aumento da produção de alimentos Possibilitou Excedente de Alimentos Renascimento comercial e urbano

6 O comércio de longa de longa distância Especiarias: Além de utilizadas na culinária, com fins de tempero e de conservação de alimentos, as especiarias são utilizadas em farmácia, na preparação de óleos, ungüentos, cosméticos, incensos e medicamentos. A partir do século XI, o comércio europeu de longa distância também cresceu; os mercadores... compravam artigos de luxo (sedas, perfumes, porcelanas) e especiarias (p.95) Se dirigiam até regiões orientais, para conseguir tais produtos. Depois revendiam na Europa. (p. 95)

7 O comércio a longa distância

8 As Feiras As feiras medievais duravam de 15 a 60 dias e aconteciam uma ou duas vezes por ano, reunindo mercadores de vária partes do mundo. Nelas era possível ver um veneziano vendendo seda chinesa, um inglês oferecendo lã, um nativo da cidade de Bruges comercializando tecidos etc. (p. 97)

9 Revigoramento do comércio e das cidades Com o aumento da oferta de alimentos já não havia nessecidade de tanta gente para trabalhar na agricultura. Então, muitos camponese deixaram o campo em busca de outro meio de vida: alguns se tornaram mercadores ambulantes; outros foram trabalhar como artesãos nas cidades; os moradores do campo passaram a trocar o que produziam (alimentos) por artigos feitos nas fidades (roupas, sapatos e móveis), o que estimulou o artesanato e o comércio local, atividade decisivas para o revigoramento das cidades. (p. 95)

10 Cidades novas e antigas Nos primeiros século das idade Média, as cidade eram geralmente pequenas... A vida no campo tinha mais importância do que a vida urbana. A partir do século XI, no entanto, com o aumento do artesanato e do comércio, as cidade cresceram e outras surgiram....algumas ao redor das feiras outras às margens dos rios, e outra ainda em torno do castelo de m nobre.

11 Artesãos, comerciantes e suas corporações Os comerciantes, banqueeiros e artes aos viviam geralmente numa [area afastada da cidade, o burgo, e compunha, um grupo social chamado ubrguesia (p. 99) Burguesia Artesãos Comerciantes

12 Artesãos, comerciantes e suas corporações Nas cidades medievais, a pessoa só podia trabalhar se pertencesse a uma corporação... (p. 99) Definição: uma associação de profissionais do mesmo ramo de atividade. (p. 99)... Os artesão formavam as corporações de ofício: a corporação dos sapateiros, a dos tecelões, a dos ferreiro etc (p. 99) Objetivo: controlava o preço, a qualidade e a quantidade do que ia ser produzido e estabelecia regras para o ingresso na profissão. (p. 99) Além disso, amparava os profissionais idosos, inválidos ou doentes (p. 99)

13 Artesãos, comerciantes e suas corporações Os comerciantes também tinham sua corporações, que reunião profissionais de diversas cidades da Europa e eram chamadas de ligas. A mais rica delas, a Liga Hanseática possuía numerosos navios e chegou a dominar o comércio no norte da Europa Objetivo: liderar o comércio em determinada área e evitar a concorrência entre seus membros

14 As cidade libertam-se Grande parte das cidades medievais se localizava nas terras de um conde, duque ou bispo, a quem os moradores tinham de pagar impostos e prestar serviço gratuitos, como consertar pontes. Para se libertar desse controle e obter sua autonomia, os habitantes das cidades uniam seus esforços e compravam a carta de franquia, documento pelo qual eles próprios passavam a administrar a cidade. Com carta em mãos, eles elegiam representantes, que eram, geralmente, comerciante ou banqueiros. (p. 100)

2. RENASCIMENTO COMERCIAL E URBANO. Páginas 16 à 27.

2. RENASCIMENTO COMERCIAL E URBANO. Páginas 16 à 27. 2. RENASCIMENTO COMERCIAL E URBANO Páginas 16 à 27. Sociedade feudal Economia predominantemente agrária; Divisão da sociedade em ordens; e Igreja Católica representava o PODER. PERÍODO DE TRANQUILIDADE

Leia mais

AS TRANSFORMAÇÕES NO SISTEMA FEUDAL

AS TRANSFORMAÇÕES NO SISTEMA FEUDAL AS TRANSFORMAÇÕES NO SISTEMA FEUDAL RELEMBRANDO: A DIVISÃO DA IDADE MÉDIA ALTA IDADE MÉDIA V- X BAIXA IDADE MÉDIA X XIV :enfraquecimento das estruturas feudais, ou seja, das principais caraterísticas do

Leia mais

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG

MUDANÇAS NO FEUDALISMO. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José de Montes Claros - MG MUDANÇAS NO FEUDALISMO A partir do século XI Expansão das áreas de cultivo, as inovações técnicas.

Leia mais

1. Renascimento comercial na Baixa Idade Média. Introdução

1. Renascimento comercial na Baixa Idade Média. Introdução Baixa Idade Média História da Baixa Idade Média, inovações tecnológicas, renascimento comercial, renascimento urbano, origem da burguesia, os burgos, crise do feudalismo, história medieval 1. Renascimento

Leia mais

FB MED, M3, 3 ANO, ANUAL, INTENSIVO. Aula 19- Renascimento comercial e urbano Prof. Dawison Sampaio

FB MED, M3, 3 ANO, ANUAL, INTENSIVO. Aula 19- Renascimento comercial e urbano Prof. Dawison Sampaio FB MED, M3, 3 ANO, ANUAL, INTENSIVO Aula 19- Renascimento comercial e urbano DeOlhoNoEnem H11 - Identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço.(lucro, usura e as práticas burguesas)

Leia mais

PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XII-XIV O DINAMISMO RURAL E O CRESCIMENTO ECONÓMICO

PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XII-XIV O DINAMISMO RURAL E O CRESCIMENTO ECONÓMICO PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XII-XIV O DINAMISMO RURAL E O CRESCIMENTO ECONÓMICO O Crescimento Demográfico Séculos XII-XIV FIM DAS INVASÕES (CLIMA DE PAZ) ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS AUMENTO DA PRODUÇÃO

Leia mais

e) ( ) V V F F F c) ( ) V F V V F

e) ( ) V V F F F c) ( ) V F V V F 7º História Rafael / Carol Av. Trimestral 07/08/14 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

Prof. José Augusto Fiorin

Prof. José Augusto Fiorin Alta idade média (Séculos v AO X) Baixa Idade Média (SÉCULOS XI AO XV) CARACTERÍSTICAS GERAIS OS POVOS BÁRBAROS O FEUDALISMO O IMPÉRIO CAROLÍNGEO ou REINO CRISTÃO DOS FRANCO O IMPÉRIO BIZANTINO: O IMPÉRIO

Leia mais

Igreja medieval Cruzadas Renascimento: Comercial e Urbano

Igreja medieval Cruzadas Renascimento: Comercial e Urbano Baixa Idade Média Igreja medieval Cruzadas Renascimento: Comercial e Urbano Cristianismo Surge com a crucificação de Cristo. Se difunde pela necessidade do povo em acreditar em algo além da vida terrena.

Leia mais

BAIXA IDADE MÉDIA. Professora: Schirley Pimentel FATORES: GRANDE FOME; PESTE NEGRA; GUERRAS MEDIEVAIS; REVOLTAS CAMPONESAS;

BAIXA IDADE MÉDIA. Professora: Schirley Pimentel FATORES: GRANDE FOME; PESTE NEGRA; GUERRAS MEDIEVAIS; REVOLTAS CAMPONESAS; Professora: Schirley Pimentel FATORES: GRANDE FOME; PESTE NEGRA; GUERRAS MEDIEVAIS; REVOLTAS CAMPONESAS; FATORES: O esgotamento das terras As cruzadas (mercadores que abasteciam os viajantes com suas

Leia mais

Correção Ficha Formativa - 5 -

Correção Ficha Formativa - 5 - Correção Ficha Formativa - 5 - 1. Indica as obrigações estabelecidas entre suseranos e vassalos. O suserano tinha que defender e proteger o vassalo e dar-lhe um feudo. O vassalo tinha de prestar auxílio

Leia mais

RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA DE HISTÓRIA 7º ANO

RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA DE HISTÓRIA 7º ANO RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA DE HISTÓRIA 7º ANO QUESTÃO 1. Renascimento comercial e urbano. O fim das invasões bárbaras na Europa, por volta do século X, trouxe certa paz ao continente. Do período que

Leia mais

Baixa Idade Média 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS:

Baixa Idade Média 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Baixa Idade Média 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Decadência do feudalismo. Estruturação do modo de produção capitalista. Transformações básicas: auto-suficiência para economia de mercado; novo grupo social:

Leia mais

As Cruzadas, a Crise do Sistema Feudal, Renascimento Comercial, Renascimento Urbano, Pré-Capitalismo. Prof. Alan Carlos Ghedini

As Cruzadas, a Crise do Sistema Feudal, Renascimento Comercial, Renascimento Urbano, Pré-Capitalismo. Prof. Alan Carlos Ghedini As Cruzadas, a Crise do Sistema Feudal, Renascimento Comercial, Renascimento Urbano, Pré-Capitalismo Prof. Alan Carlos Ghedini A Crise do Sistema Feudal Como era a produção? Utilizava trabalho servil Baixo

Leia mais

ANTIGO REGIME. Páginas 20 à 31.

ANTIGO REGIME. Páginas 20 à 31. ANTIGO REGIME Páginas 20 à 31. Antigo Regime Período do Absolutismo na Europa durante a Idade Moderna. Denominação dada após as revoluções burguesas que promoveram a implantação de monarquias parlamentaristas

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 7º História Rafael / Carol Av. Mensal 26/05/15 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta prova

Leia mais

Conceito de Feudalismo: Sistema político, econômico e social que vigorou na Idade Média.

Conceito de Feudalismo: Sistema político, econômico e social que vigorou na Idade Média. Conceito de Feudalismo: Sistema político, econômico e social que vigorou na Idade Média. 1.Decadência do Império Romano fragmentação do poder político. Ruralização da Sociedade; Enfraquecimento comercial;

Leia mais

BENS. São todas as coisas materiais produzidas para satisfazer as necessidades das pessoas.

BENS. São todas as coisas materiais produzidas para satisfazer as necessidades das pessoas. BENS São todas as coisas materiais produzidas para satisfazer as necessidades das pessoas. SERVIÇOS São todas as atividades econômicas voltadas para a satisfação de necessidades e que não estão relacionadas

Leia mais

Professor: Eustáquio

Professor: Eustáquio Professor: Eustáquio Terras para a agricultura e inovações técnicas Expansão das áreas de cultivo Inovações técnicas Uso da charrua Adoção do sistema trienal Utilização do cavalo As pessoas passaram a

Leia mais

A Europa na época das Grandes Navegações

A Europa na época das Grandes Navegações Aula 1 e 2 A Europa na época das Grandes Navegações 1 - Século XV: O Nascimento do Mundo Moderno Setor 1621 2 - A formação do Reino de Portugal 3 - A Expansão Ultramarina Europeia Aula 1 e 2 A Europa na

Leia mais

História 5A - Aula 15: O Renascimento Comercial e Urbano

História 5A - Aula 15: O Renascimento Comercial e Urbano História 5A - Aula 15: O Renascimento Comercial e Urbano A partir do ano 1000 Europa período de relativa tranquilidade. Produção ocidental era baixa (ameaça de fome). Revolução agrícola série de inovações

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO E POTÊNCIAS MUNDIAIS

INDUSTRIALIZAÇÃO E POTÊNCIAS MUNDIAIS INDUSTRIALIZAÇÃO E POTÊNCIAS MUNDIAIS MODOS DE PRODUÇÃO INDUSTRIAL 1 O artesanato O artesanato, primeira forma de produção industrial, surgiu no fim da Idade Média com o renascimento comercial e urbano

Leia mais

Território e gove go r ve n r o

Território e gove go r ve n r o Território e governo As monarquias europeias Entre os séculos XI e XV teve início o processo histórico de formação dos Estados europeus como conhecemos hoje. Os primeiros Estados são chamados de Monarquias

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação de História A. 24.fevereiro.2012 NOME: Nº

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação de História A. 24.fevereiro.2012 NOME: Nº ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação de História A 10º Ano Professor: Renato Albuquerque Duração da ficha: 15 minutos. Tolerância: 5 minutos 3 páginas 24.fevereiro.2012 NOME: Nº

Leia mais

IGREJA NA BAIXA IDADE MÉDIA

IGREJA NA BAIXA IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA -Características: *Grandes transformações no sistema feudal; *aumento da produção agrícola; *aparecimento da burguesia; *crise de poder da nobreza feudal. IGREJA NA

Leia mais

Trabalho de Regulação 1 bimestre

Trabalho de Regulação 1 bimestre Nome: Ano: 7 ano Disciplina: História Professor: Eder Nº: Trabalho de Regulação 1 bimestre 1 - Complete abaixo a Linha do Tempo da Roma Antiga e responda a seguir com suas palavras o que foi a Crise do

Leia mais

Gestão Desportiva e do Lazer. Lazer e Urbanismo. Aula 03 Surgimento e formação das cidades. Texto base: SPOSITO, Maria Encarnação E.

Gestão Desportiva e do Lazer. Lazer e Urbanismo. Aula 03 Surgimento e formação das cidades. Texto base: SPOSITO, Maria Encarnação E. Gestão Desportiva e do Lazer Lazer e Urbanismo Aula 03 Surgimento e formação das cidades Texto base: SPOSITO, Maria Encarnação E. Capitalismo e urbanização CAPÍTULOS 01 E 02 Professora: Andréa Costa Como

Leia mais

EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2017

EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2017 EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2017 Disciplina: História Professor: Rodrigo Bento Turma: 7º ano Ensino Fundamental I Data Conteúdo 15/fevereiro APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA CAPITULO I OS FRANCOS A Formação

Leia mais

História e Geografia de Portugal

História e Geografia de Portugal História e Geografia de Portugal 5º ano Nome: Data: / / Portugal no século XIII 1. Selecciona a resposta correcta: 1.1 Os grupos sociais que formavam a população portuguesa no século XIII eram: [A] A nobreza

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: História Ano: 6º - Ensino Fundamental Professora: Viviane Silva Gonzaga

Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: História Ano: 6º - Ensino Fundamental Professora: Viviane Silva Gonzaga Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: História Ano: 6º - Ensino Fundamental Professora: Viviane Silva Gonzaga Atividades para Estudos Autônomos Data: 3 / 4 / 2017 Aluno(a): N o :

Leia mais

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV)

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV) 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Decadência do feudalismo. Estruturação do modo de produção capitalista. Transformações básicas: auto-suficiência para economia de mercado; novo grupo social: burguesia; formação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO EDUCACIONAL OSMAR DE AQUINO CAMPUS III GUARABIRA CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA JAILSON MATIAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO EDUCACIONAL OSMAR DE AQUINO CAMPUS III GUARABIRA CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA JAILSON MATIAS 3 UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO EDUCACIONAL OSMAR DE AQUINO CAMPUS III GUARABIRA CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA JAILSON MATIAS ARTES DA CIDADE: ASPECTOS DA CULTURA URBANA MEDIEVAL (sécs XI-XIII)

Leia mais

Unidade 1. Respostas das sugestões de avaliação

Unidade 1. Respostas das sugestões de avaliação Respostas das sugestões de avaliação Unidade 1 1. Não, pois a tabela revela que, nesse período, a maior produtividade industrial cabia aos Estados Unidos, tanto de carvão como de ferro e aço. Na tabela,

Leia mais

1. Formação do Feudalismo

1. Formação do Feudalismo 1. Formação do Feudalismo 1.1. Herança Romana O COLONATO foi uma instituição de fins do Império Romano, em que trabalhadores (colonos) recebiam um lote de terra para seu sustento, em grandes propriedades

Leia mais

Máquinas. Durante muito tempo, a fabricação dos objetos A U L A

Máquinas. Durante muito tempo, a fabricação dos objetos A U L A Máquinas Durante muito tempo, a fabricação dos objetos se limitou ao trabalho artesanal. O homem ainda dependia da sua força muscular. Fabricava-se um produto de cada vez e sua qualidade exigia muita habilidade

Leia mais

Idade Média. Ocidental. (Séc V ao Século XV)

Idade Média. Ocidental. (Séc V ao Século XV) A Idade Média Ocidental (Séc V ao Século XV) Alta Idade Média (Séc V ao X): fragmentação do império romano; formação dos efêmeros reinos bárbaros; ruralização da sociedade; descentrallização política;

Leia mais

Linha do Tempo. Linha do Tempo

Linha do Tempo. Linha do Tempo Prof.. Hilário Rosa Invenção da Escrita 3200 A.C. Nasc. de Cristo Ano 1 Fim da queda de Roma Século V 476 Mundo Medieval X XI XII XIII Renascimento 1453 XIV XV XVI XVII XVIII XIX XX XXI Egito, Vale do

Leia mais

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais

Agroecologia. Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade. Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Agroecologia Agroecologia Curso Agroecologia e Tecnologia Social um caminho para a sustentabilidade Módulo 2 Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Agroecologia aspectos teóricos e conceituais Capítulo

Leia mais

Linha do tempo. Arq. Atualidade ac d. C d. C.

Linha do tempo. Arq. Atualidade ac d. C d. C. PRÉ-HISTÓRIA Linha do tempo 500.000 ac 1789 d. C. 1453 d. C. Atualidade Arq. Pré-História identifica dividido em período Anterior a invenção da escrita Paleolítico Neolítico Idade dos Metais 2 milhões

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES. Elaborado pela Biblioteca Cecília Meireles

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES. Elaborado pela Biblioteca Cecília Meireles NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES Elaborado pela Biblioteca Cecília Meireles 1 CAPA DO TRABALHO 1.1 Exemplo de capa A capa é a parte que apresenta o trabalho e antecede as demais páginas. Ela

Leia mais

O feudalismo foi um sistema econômico, social político e cultural predominantemente na Idade Média.

O feudalismo foi um sistema econômico, social político e cultural predominantemente na Idade Média. O feudalismo foi um sistema econômico, social político e cultural predominantemente na Idade Média. ORIGEM e CARACTERÍSTICAS: O processo de decadência do Império Romano, a partir do século III, está na

Leia mais

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA Mar Mediterrâneo Líbano Síria Montanhas do Líbano A Fenícia localizava-se onde atualmente é o Líbano e parte da Síria, entre o Mar Mediterrâneo e as Montanhas do Líbano Capital atual

Leia mais

UNIDADE 1 ANTIGUIDADE ORIENTAL

UNIDADE 1 ANTIGUIDADE ORIENTAL UNIDADE 1 ANTIGUIDADE ORIENTAL Aproximadamente 4000 a.c. até 476 d.c. MARCOS HISTÓRICOS: invenção da escrita até a queda do Império Romano do Ocidente. EGÍPCIOS MESOPOTÂMICOS PERSAS HEBREUS FENÍCIOS CHINESES

Leia mais

Expansão Marítima: Fatores e Ciclo Oriental. Módulo 1

Expansão Marítima: Fatores e Ciclo Oriental. Módulo 1 Expansão Marítima: Fatores e Ciclo Oriental Módulo 1 1. Transição do Feudalismo para o Capitalismo Expansão marítimo-comercial: um dos principais momentos de transição da Idade Média para a Idade Moderna.

Leia mais

A Núbia e o Reino de Kush. Prof. André Vinícius

A Núbia e o Reino de Kush. Prof. André Vinícius A Núbia e o Reino de Kush. Prof. André Vinícius Situada no nordeste da África, a Núbia era uma extensa faixa de terra localizada ao sul do Egito, entre a primeira e a sexta catarata do Rio Nilo. Nos tempos

Leia mais

A Núbia e o Reino de Kush. Prof. André Vinícius

A Núbia e o Reino de Kush. Prof. André Vinícius A Núbia e o Reino de Kush. Prof. André Vinícius Situada no nordeste da África, a Núbia era uma extensa faixa de terra localizada ao sul do Egito, entre a primeira e a sexta catarata do Rio Nilo. Nilo.

Leia mais

Cidade Medieval. Antonio Castelnou

Cidade Medieval. Antonio Castelnou Cidade Medieval Antonio Castelnou Introdução No século IV d.c., devido às inúmeras e constantes invasões bárbaras e às graves crises de administração interna, o Império Romano acabou dividido entre leste

Leia mais

Conceito de Feudalismo:

Conceito de Feudalismo: Conceito de Feudalismo: - IDADE MÉDIA História Medieval Sistema político, econômico e social que vigorou na Idade Média. O SURGIMENTO DO FEUDALISMO ESTÁ ASSOCIADO À : 1.Decadência do Império Romano vila;

Leia mais

Fortalecimento do poder dos reis

Fortalecimento do poder dos reis Fortalecimento do poder dos reis C A P Í T U L O 0 7 Prof: Diego Gomes Disciplina: História Turma: 7 Ano Fortalecimento do poder Real Com revigoramento do comércio e das cidade, formou-se um novo grupo

Leia mais

Mudanças no feudalismo

Mudanças no feudalismo Mudanças no feudalismo Capítulo 06 Igreja & Cruzadas Prof: Diego Gomes e Ariane Bastos Disciplina: História Série: 7 ano Na Europa medieval... A força da igreja se devia, sobretudo, a sua organização e

Leia mais

O ANTIGO REGIME. A vida social e política na Europa Moderna

O ANTIGO REGIME. A vida social e política na Europa Moderna O ANTIGO REGIME A vida social e política na Europa Moderna CONCEITUAÇÃO A expressão Antigo Regime foi cunhada pelos historiadores para designar o conjunto de características predominantes nas sociedades

Leia mais

FEUDALISMO P R O F E S S O R R O D R I G O AL C A N T A R A G AS P A R

FEUDALISMO P R O F E S S O R R O D R I G O AL C A N T A R A G AS P A R FEUDALISMO P R O F E S S O R R O D R I G O AL C A N T A R A G AS P A R FEUDALISMO Este curso têm por objetivo trazer noções básicos sobre o Feudalismo. De forma que para maiores detalhes e aprofundamento

Leia mais

HISTÓRIA DA MODA. Questão 1 Escreva um trecho do texto relacionado a cada um dos desenhos.

HISTÓRIA DA MODA. Questão 1 Escreva um trecho do texto relacionado a cada um dos desenhos. Instituto de Educação Infantil e Juvenil INVERNO, 2017. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 15 MMXVII Fase 2 Grupo a f2 HISTÓRIA DA MODA Moda para quê? Afinal, você pode perguntar,

Leia mais

Como é que a Grã-Bretanha se transformou na maior economia europeia do séc. XVIII?

Como é que a Grã-Bretanha se transformou na maior economia europeia do séc. XVIII? Como é que a Grã-Bretanha se transformou na maior economia europeia do séc. XVIII? 3.2.1 Condições do sucesso inglês 1. Progressos agrícolas 1700 4 em cada 5 pessoas trabalha na agricultura Fisiocratismo

Leia mais

Crescimento populacional; Inovações tecnológicas, particularmente, na agricultura; Produção para o mercado; Desenvolvimento das feiras; Generalização

Crescimento populacional; Inovações tecnológicas, particularmente, na agricultura; Produção para o mercado; Desenvolvimento das feiras; Generalização Crescimento populacional; Inovações tecnológicas, particularmente, na agricultura; Produção para o mercado; Desenvolvimento das feiras; Generalização do uso de moeda; Desenvolvimento da indústria artesanal;

Leia mais

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO www.infoescola.com Revolução da técnica Introduz Forma eficiente de padronizar a mercadoria Menor tempo Menor custo Agrupamento de trabalhadores

Leia mais

A economia europeia. Nos séculos XVI e XVII assistiu-se ao nascimento de uma economia à escala mundial, marcada pelo desenvolvimento do

A economia europeia. Nos séculos XVI e XVII assistiu-se ao nascimento de uma economia à escala mundial, marcada pelo desenvolvimento do O ANTIGO REGIME O ANTIGO REGIME Período histórico que vai desde o século XVI ao século XVIII que se caracterizou: - na política, pelo Absolutismo; - na economia, pelo Mercantilismo; - na sociedade, pela

Leia mais

Mercantilismo significou a transição entre o modo de produção feudal e o modo de produção capitalista. Acumulação de capital provocada pelo

Mercantilismo significou a transição entre o modo de produção feudal e o modo de produção capitalista. Acumulação de capital provocada pelo MERCANTILISMO Conjunto de ideias e práticas econômicas dos Estados da Europa ocidental entre os séculos XV e XVIII, voltadas para o comércio, principalmente, e baseadas no controle da economia pelo Estado.

Leia mais

História do Brasil (C) Apostila 2. Prof.ª Celiane

História do Brasil (C) Apostila 2. Prof.ª Celiane História do Brasil (C) Apostila 2 Prof.ª Celiane A mineração A descoberta de ouro na região das Minas Gerais aconteceu no final do século XVII (em 1693). Além das MG muito ouro foi encontrado em GO, MG

Leia mais

REVISÃO PARA RECUPERAÇÃO FINAL 7 ANO

REVISÃO PARA RECUPERAÇÃO FINAL 7 ANO REVISÃO PARA RECUPERAÇÃO FINAL 7 ANO 1) Uns dedicam-se particularmente ao serviço de Deus; outros garantem pelas armas a defesa do Estado; outros ainda a alimentá-lo e a mantê-lo pelos exercícios da paz.

Leia mais

APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS

APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS Grupo 1 Administração Científica Grupo 2 Teoria Clássica Aula 5 09/06/2014 A evolução do conceito de ADMINISTRAÇÃO Idade Média (fim Império Romano até fins séc. XV): - Artesanato;

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA Aluno: Nº Série: 8º Turma: Data: Nota: Professora: Edvaldo Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

Portugal nos séculos XIII e XIV: Sociedade Portuguesa. História e Geografia de Portugal

Portugal nos séculos XIII e XIV: Sociedade Portuguesa. História e Geografia de Portugal Portugal nos séculos XIII e XIV: Sociedade Portuguesa 5.º Ano História e Geografia de Portugal Joana Simas Sociedade Portuguesa Pirâmide social. A sociedade portuguesa no século XIII estava organizada

Leia mais

Ensino Fundamental Anos Iniciais 4 o Ano 3 o Bimestre

Ensino Fundamental Anos Iniciais 4 o Ano 3 o Bimestre Ensino Fundamental Anos Iniciais 4 o Ano 3 o Bimestre História Sumário Capítulo 8 O tempo do trabalho no campo e na cidade... 220 Capítulo 9 O tempo do trabalho e o tempo do lazer...231 217 218 História

Leia mais

A Feirinha do Largo da Ordem como espaço comercial e lúdico em Curitiba

A Feirinha do Largo da Ordem como espaço comercial e lúdico em Curitiba A Feirinha do Largo da Ordem como espaço comercial e lúdico em Curitiba Virgilia Maria Serra * & Alan José Mega ** Quem vem a Curitiba e tem um fim de semana no meio da visita, ou quem mora na cidade ou

Leia mais

Unidade I Grandes civilizações antigas. Aula 13 Revisão e avaliação da unidade III

Unidade I Grandes civilizações antigas. Aula 13 Revisão e avaliação da unidade III HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Unidade I Grandes civilizações antigas. Aula 13 Revisão e avaliação da unidade III HISTÓRIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 O que é um Fato Histórico? Quando ultrapassa

Leia mais

Localização e surgimento

Localização e surgimento 9 - CHINA ANTIGA Localização e surgimento Vale do Rio Amarelo (Huang Ho) Ocupado por grupos que se organizaram em pequenas aldeias Solo formado por uma argila de tom amarelado Muito fértil Atividade agrícola

Leia mais

A Primeira Revolução Industrial XVIII

A Primeira Revolução Industrial XVIII A Primeira Revolução Industrial XVIII 1.0 - Fatores condicionantes para a Revolução Industrial inglesa. 1.1 - Séculos XVI a XVIII: Inglaterra como maior potência marícma colonial. 1.2 - Ampliação dos mercados

Leia mais

Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura.

Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura. China Ano de 5000 a.c. em várias localidades do território chinês, já havia grupos humanos dedicados a caça, a coleta, a pecuária e a agricultura. O vale do rio Amarelo (ou rio Huang-Ho), foi o berço da

Leia mais

TRABALHO, TECNOLOGIA E

TRABALHO, TECNOLOGIA E TRABALHO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Aula 3 Tema 1.2 - As metamorfoses do trabalho na transição ao capitalismo industrial Flavia L. Consoni USP, agosto de 2006 Estrutura da Aula O fenômeno da Ia. Revolução

Leia mais

Cap. 2 Pré-História Prof. Dawison Sampaio. Cap. 2- Pré-História Prof. Dawison Sampaio

Cap. 2 Pré-História Prof. Dawison Sampaio. Cap. 2- Pré-História Prof. Dawison Sampaio Cap. 2- Pré-História Prof. Dawison Sampaio 1 H1-Interpretar historicamente e/ou geograficamente fontes documentais acerca de aspectos da cultura. H5 -Identificar as manifestações ou representações da diversidade

Leia mais

A HISTÓRIA DO VESTUÁRIO

A HISTÓRIA DO VESTUÁRIO Instituto de Educação Infantil e Juvenil 6º ANO Inverno 2017. Londrina, de. Nome: A HISTÓRIA DO VESTUÁRIO Historicamente, o vestuário evoluiu junto com a evolução da humanidade e se tornou um reflexo das

Leia mais

A BAIXA IDADE MÉDIA (SÉCULOS XI A XV) Prof. Fábio Mesquita

A BAIXA IDADE MÉDIA (SÉCULOS XI A XV) Prof. Fábio Mesquita A BAIXA IDADE MÉDIA (SÉCULOS XI A XV) Prof. Fábio Mesquita O QUE É FEUDALISMO? Sistema que se estabeleceu na Europa a partir do século X D.C. Economia: produção agrícola e Senhorio; Sociedade: pequena

Leia mais

Ofícios que a modernidade não dissolveu

Ofícios que a modernidade não dissolveu Ofícios que a modernidade não dissolveu Um passeio despretensioso pelo bairro Estados Unidos, é um disparate nos dias atuais. Requer tempo, e tempo é raridade. Quanto mais se busca, mais se perde. Quanto

Leia mais

Revolução Industrial

Revolução Industrial Revolução Industrial Revolução Industrial Inglaterra Século XVIII a)a palavra revolução está associada a atos de violência, derrubada de governos e alterações jurídicas na sociedade. b)mas a revolução

Leia mais

Considerando os milhares de anos da história da humanidade, faz pouco tempo que as pessoas trabalham o dia inteiro, têm horários rígidos e vivem com

Considerando os milhares de anos da história da humanidade, faz pouco tempo que as pessoas trabalham o dia inteiro, têm horários rígidos e vivem com As revoluções inglesas e o capitalismo industrial. A origem da sociedade industrial Considerando os milhares de anos da história da humanidade, faz pouco tempo que as pessoas trabalham o dia inteiro, têm

Leia mais

1. FEUDALISMO. Páginas 04 à 15.

1. FEUDALISMO. Páginas 04 à 15. 1. FEUDALISMO Páginas 04 à 15. Formação do sistema feudal A fragmentação do Império Romano do Ocidente, o estabelecimento dos bárbaros na Europa Ocidental e a ruralização da sociedade geram as condições

Leia mais

Renascimento, Reformas, Grandes Navegações, Mercantilismo e Colonialismo

Renascimento, Reformas, Grandes Navegações, Mercantilismo e Colonialismo Renascimento, Reformas, Grandes Navegações, Mercantilismo e Colonialismo Renascimento e Reformas 1. As imagens abaixo ilustram alguns procedimentos utilizados por um novo modo de conhecer e explicar a

Leia mais

O que foram as Cruzadas? Prof. Tácius Fernandes

O que foram as Cruzadas? Prof. Tácius Fernandes O que foram as Cruzadas? Prof. Tácius Fernandes Compreendendo as Cruzadas a partir de imagens Mapa da Primeira Cruzada Pintura sobre a sétima Cruzada. Data: século 13. Autor desconhecido. Imagem retirada

Leia mais

Fatores religiosos: Corrupção do clero religioso : Venda de relíquias sagradas; venda de indulgencias; lotes celestiais; Ignorância do clero a maior

Fatores religiosos: Corrupção do clero religioso : Venda de relíquias sagradas; venda de indulgencias; lotes celestiais; Ignorância do clero a maior Fatores religiosos: Corrupção do clero religioso : Venda de relíquias sagradas; venda de indulgencias; lotes celestiais; Ignorância do clero a maior parte dos sacerdotes desconhecia a própria doutrina

Leia mais

Revolução Agrícola e o arranque da Revolução Industrial

Revolução Agrícola e o arranque da Revolução Industrial Revolução Agrícola e o arranque da Revolução Industrial A preferência pela agricultura Que o soberano e a nação nunca percam de vista que a terra é a última fonte de riquezas e que é o agricultor quem

Leia mais

MODERNIDADE Renascimento

MODERNIDADE Renascimento MODERNIDADE Renascimento O fim do feudalismo e o início da modernidade: rompimentos e resgates A modernidade Nova Economia Comércio Manufatura Nova política Absolutismo Novas relações sociais Burguesia

Leia mais

Adam Smith: Uma investigação sobre a natureza e causas da riqueza das nações. Uma investigação sobre sua natureza e causas

Adam Smith: Uma investigação sobre a natureza e causas da riqueza das nações. Uma investigação sobre sua natureza e causas Adam Smith: Uma investigação sobre a natureza e causas da riqueza das nações Uma investigação sobre sua natureza e causas Não é possível exibir esta imagem no momento. O trabalho anual de cada nação constitui

Leia mais

( ) Conjunto de atividades que abrangem a agricultura e a pecuária. ( ) Utilização da terra para criação de animais, com finalidade econômica.

( ) Conjunto de atividades que abrangem a agricultura e a pecuária. ( ) Utilização da terra para criação de animais, com finalidade econômica. Geografia 2 o período 1. Relacione as colunas: (A) Agricultura (B) Pecuária (C) Agropecuária ( ) Conjunto de atividades que abrangem a agricultura e a pecuária. ( ) Utilização do solo para plantio e o

Leia mais

Aula 01. UNIFESP/Diadema/SP

Aula 01. UNIFESP/Diadema/SP Aula 01 Tópicos da História da Matemática Comercial e Financeira UNIFESP/Diadema/SP Profº Wagner Marcelo. Pommer 08/2017 1 Objetivo Apresentar a noção de juros em uma perspectiva histórica. 2 Introdução

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Identifique e analise dois elementos da imagem que expressem esse olhar europeu sobre o Brasil.

Nome: Nº: Turma: Identifique e analise dois elementos da imagem que expressem esse olhar europeu sobre o Brasil. História Ficha 5 Avançado Lucas maio/12 Nome: Nº: Turma: 1. (Unesp) O artista holandês Albert Eckhout (1610 1666) esteve no Brasil entre 1637 e 1644, na comitiva de Maurício de Nassau. A tela a seguir

Leia mais

História do Brasil Expansão Marítima

História do Brasil Expansão Marítima História do Brasil Expansão Marítima 2 Contexto europeu Transição da Idade Média para Idade Moderna Contexto europeu Transição da Idade Média para Idade Moderna Idade Moderna: Renascimento Cultural, formação

Leia mais

Atividade de Classe 1 os anos Lucas ago /13. Nome: Nº: Turma:

Atividade de Classe 1 os anos Lucas ago /13. Nome: Nº: Turma: História Atividade de Classe 1 os anos Lucas ago /13 Nome: Nº: Turma: Resolver questões de múltipla escolha requer algumas habilidades específicas do aluno. Não basta apenas dominar o conteúdo, é preciso

Leia mais

Ano Lectivo 2012/ ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação.

Ano Lectivo 2012/ ºCiclo 8 ºAno. 8.º Ano 1º Período. Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação. AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação HISTÓRIA Ano Lectivo 2012/2013 3 ºCiclo 8 ºAno 8.º Ano 1º Período Panorâmica geral dos séculos XII e XIII. Observação directa Diálogo

Leia mais

RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA DE HISTÓRIA 7º ANO

RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA DE HISTÓRIA 7º ANO RECUPERAÇÃO PARALELA PREVENTIVA DE HISTÓRIA 7º ANO QUESTÃO 1. Quando se fala em Queda do Império Romano, deve-se entender que se trata da queda do Império Romano do Ocidente, isto é, a porção do vasto

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 7º História Carol / Rafael Av. Trimestral 01/07/15 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

ESTATUTO DO ARTESÃO E DA UNIDADE PRODUTIVA ARTESANAL

ESTATUTO DO ARTESÃO E DA UNIDADE PRODUTIVA ARTESANAL ESTATUTO DO ARTESÃO E DA UNIDADE PRODUTIVA ARTESANAL Bases legais Decreto-Lei n.º 41/2001, de 9 de fevereiro Decreto-Lei n.º 110/2002, de 16 de abril Portaria n.º 1193/2003, de 13 de outubro Portaria n.º

Leia mais

praias atividades agrícolas comércio extração de minérios pesca porto fazendas prédios artesanato igrejas praças construções históricas

praias atividades agrícolas comércio extração de minérios pesca porto fazendas prédios artesanato igrejas praças construções históricas 1 Glauco fez uma pesquisa sobre a história do Brasil e descobriu que: No ano de 1500, os europeus chegaram às terras brasileiras. Em 1808, a família real portuguesa chegou ao Rio de Janeiro. No ano de

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar. ALUNO(A): TURMA: Geografia.

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar. ALUNO(A): TURMA: Geografia. FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ 2011 O Colégio que ensina o aluno a estudar. APICE Geografia [1 a VG] 3 o Ano Ensino Fundamental I ALUNO(A): TURMA: Você está recebendo o APICE (Atividade para Intensificar

Leia mais

Portugal nos séculos XV e XVI

Portugal nos séculos XV e XVI Portugal nos séculos XV e XVI Expansão Marítima Conquista de Ceuta A passagem do Cabo Bojador Cabo da Boa Esperança Chegada à América Tratado de Tordesilhas Chegada à Índia Chegada ao Brasil Friso Cronológico

Leia mais

REVOLUÇÃO AGRÍCOLA E O ARRANQUE DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL. profdehistoria

REVOLUÇÃO AGRÍCOLA E O ARRANQUE DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL. profdehistoria profdehistoria Durante os séculos XVII e XVIII, a nobreza rural inglesa levou a cabo transformações nas suas propriedades que provocaram uma verdadeira REVOLUÇÃO AGRÍCOLA na Europa. Alargamento das áreas

Leia mais

Potências marítimas: Novas (burguesia) Antigas (nobreza) Portugal Espanha Holanda Inglaterra França

Potências marítimas: Novas (burguesia) Antigas (nobreza) Portugal Espanha Holanda Inglaterra França 1. O tempo do grande comércio oceânico Criação/crescimento de grandes companhias de comércio europeias: - Companhia das Índias Ocidentais (1600 Londres) - Companhia Inglesa das Índias Orientais (Londres

Leia mais

TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III

TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III TH3 Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo III Pontifícia Universidade Católica de Goiás Escola de Artes e Arquitetura Curso de Arquitetura e Urbanismo Prof. Ana Paula Zimmermann REVOLUÇÃO

Leia mais