x Tecnologia de Redes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "x Tecnologia de Redes"

Transcrição

1 x Tecnologia de Redes

2

3 ÌQGLFH &21&(,726 %È6,&26 '(Ã5('(6 2ÃTXHÃpÃXPDÃ5HGH" &ODVVLILFDomRÃGHÃ5HGHV LAN (Local Area Network) ou Rede Local...2 WAN (Wide Area Network) ou Rede de Área Ampla:...2 3DGU}HVÃGHÃ5HGHVÃ(WKHUQHWÃHÃ7RNHQÃ5LQJ 7RSRORJLDÃGHÃ5HGHV O que é Topologia?...3 Barramento (Bus)...3 Anel (Ring)...3 Estrela (Star)...3 Topologia Barramento (Bus)...4 Método de transmissão de dados na topologia Barramento...4 Topologia Anel (Ring)...5 Método de transmissão de dados na topologia Anel...5 Token Passing...5 Topologia Estrela (Star)...6 Estrela...6 Método de transmissão de dados...6 &RPSRQHQWHVÃGHÃ5HGHV Componentes Físicos (Hardware):...7 Placa de Rede ou NIC (Network Interface Card)...7 Tipos de Placas de Rede...7 Ethernet...7 Token Ring...7 Servidores...7 Mídias de Transmissão Com Cabo...7 Par trançado UTP Cabo Coaxial...8 de malha fina...8 de malha grossa....8 Cabo de Fibra Ótica:...8 O padrão Ethernet utiliza os seguintes cabos:...9 O padrão Token Ring utiliza os seguintes cabos:...9 Mídias de Transmissão Sem Cabo (Wireless)...9 Infravermelho...9 Microondas (Terrestre ou Satélite)...9 Componentes Lógicos (Software):...9 Exemplos:...10 Correio Eletrônico ( )...10 Transferência de Arquivos LVWHPDÃ2SHUDFLRQDOÃGHÃ5HGHÃ625 Quais são os Sistemas Operacionais de Rede?...10 Uso em Redes Cliente/Servidor:...10 L

4 Ì1',&( Novell NetWare...10 Microsoft Windows NT...10 UNIX com TCP/IP...10 IBM OS/2 LAN Server...10 IBM SNA...10 Uso em Redes Ponto-a Ponto:...10 Windows Workgroup...10 LANtastic...10 Macintosh...10 Microsoft LAN Manager...10 O que fazem os Sistemas Operacionais de Rede?...10 Organizam e gerenciam todas as atividades da rede...10 Rodam em Clientes e Servidores...10 Requerem protocolos de comunicação específicos (TCP/IP, IPX/SPX, etc.)...10 Traduzem apenas os protocolos suportados HWZDUHÃ[Ã[ÃHÃ[ :LQGRZVÃ17ÃÃ 3URWRFRORVÃGHÃFRPXQLFDomRÃGHÃ5HGHV Principais protocolos de rede &3ÃÃ,3Ã(7ransmissionÃ&ontrolÃ3rotocolÃÃ,nternetÃ3rotocol)...12 NetBEUI / NetBIOS...12 AppleTalk LSRVÃGHÃ5HGHV Cliente/Servidor...12 Ponto a Ponto...12 Rede Cliente/Servidor...12 O que é Cliente/Servidor?...13 Clientes mais comuns da rede...14 PC...14 MAC...14 Workstations...14 Numa arquitetura Cliente/Servidor é possível haver:...14 Servidores de Impressão...14 Servidores de Fax...14 Servidores de Arquivo...14 Servidores de Computação...14 Servidores de comunicação...14 Servidores de aplicativos...14 Resumindo:...14 Protocolos Cliente/Servidor...15 Principais protocolos usados em redes Cliente/Servidor...15 Ambientes UNIX e MAC: 7&3ÃÃ, Ambientes PC: TCP/IP, Microsoft LAN Manager, Novell NetWare...15 $UTXLWHWXUDVÃ&OLHQWH6HUYLGRU Duas camadas...15 Três camadas:...15 Rede Ponto a Ponto...16 Rede Cliente/Servidor X Rede Ponto a Ponto HULIpULFRVÃGDÃ5HGH Impressoras...17 Scanners...17 Equipamentos de Fax...17 Plotters...17 LL

5 Ì1',&( -XQWDQGRÃDVÃ3HoDV,QWHURSHUDELOLGDGHÃ'LVSRVLWLYRVÃGHÃ,QWHUFRQH[mRÃGHÃ5HGHV Hubs...20 Repeaters (Repetidores)...20 Bridges (Pontes)...21 Routers (Roteadores)...22 Brouters...23 Gateways...24,PSUHVVmRÃHPÃ5HGH Tecnologias de Envio de Arquivos para Impressão Ro}HVÃ%iVLFDVÃGDÃ,QWHUQHW Gênese da Internet...26 Internet x Web...26 Vantagens da Internet...27 Benefícios da Internet para a Publicação de Documentos...27 Distribuição de documentos...27 Download de softwares...27 Gráfica on-line...27 Arquivamento/bibliotecas de arquivos on-line:...27 Como funciona a Internet...28 Via modem...28 Via rede...28 Com uma conexão direta através do protocolo TCP / IP...28 Como funciona a World Wide Web...28 O Browser...29 Os Browsers mais usados:...29 Microsoft Internet Explorer...29 Netscape Navigator...29 Endereços na Internet (URL)...30 http Nome de domínio do URL...30 Criando um sítio na Web...30 Linguagem HTML (Hypertext Markup Language)...30 Linguagem Java...30 Criação de páginas da Web...31 Intranets e Extranets...31 Segurança na Intranet...31 Firewall...31 */266È5,2Ã'(Ã5('(6 * LLL

6

7 &RQFHLWRVÃ%iVLFRVÃGHÃ5HGHV Nenhuma empresa grande hoje em dia pode funcionar sem uma rede de dados. A computação em rede tornou-se tão imprescindível para as empresas quanto o telefone. Um conceito básico de todos os tipos de rede é o conceito de compartilhamento: Compartilhar recursos como impressoras, scanners e Servidores; Compartilhar aplicativos; Compartilhar dados e arquivos. 2ÃTXHÃpÃXPDÃ5HGH" Basicamente, a expressão rede descreve um sistema onde um ou mais computadores estão conectados entre si, podendo se intercomunicar. É um conjunto de máquinas distribuídas e inteligentes que compartilham dados e informações através de linhas de comunicação interligadas. &ODVVLILFDomRÃGHÃ5HGHV Atualmente, as redes de computadores possuem uma grande diversidade de software e hardware. Uma rede pode incluir mainframes, computadores pessoais e diversos dispositivos de comunicação. As redes de computadores são normalmente classificadas de acordo com a distância abrangida. Os seguintes tipos de redes são os mais conhecidos:

8 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 /$1Ã/RFDOÃ$UHDÃ1HWZRUNÃRXÃ5HGHÃ/RFDO Uma Rede Local (/$1 é um conjunto de estações de trabalho em uma área geográfica restrita: para um grupo de trabalho, departamento e/ou organização. As Redes Locais geralmente se restringem a um prédio ou, no máximo, a uma área de prédios. um mesmo andar. Uma LAN raramente abrange mais que 2 quilômetros de extensão. :$1Ã:LGHÃ$UHDÃ1HWZRUNÃRXÃ5HGHÃGHÃÉUHDÃ$PSOD 8PDÃ:$1 pãxp JUDQGH FRQMXQWR GHÃ/$1V As WANs estendem o conceito de Rede Local para limites geográficos e técnicos muito mais abrangentes, interconectando LANs que podem estar em lados opostos do mundo. A expansão geográfica é conseguida através de linhas de comunicação mundiais e roteadores avançados. Atualmente, o melhor exemplo de WAN é a Internet. A expansão técnica é conseguida através da integração de diferentes máquinas que falam diferentes línguas.

9 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 3DGU}HVÃGHÃ5HGHVÃ(WKHUQHWÃHÃ7RNHQÃ5LQJ Os padrões para redes eram caóticos até o início dos anos 80, quando o Centro de Pesquisas de Palo Alto (PARC), da Xerox, juntamente com a DEC e a Intel, concebeu e desenvolveu um importante conjunto de padrões de rede chamado (WKHUQHW. Outras empresas logo partiram para explorar esse filão, mas só quando a IBM desenvolveu o padrão 7RNHQÃ5LQJ foi que o Ethernet começou a ter alguma concorrência como padrão de rede. $VÃUHGHVÃ(WKHUQHWÃHÃ7RNHQÃ5LQJÃSRGHPÃVHUÃLGHQWLILFDGDVÃSRUÃVXD WRSRORJLD. 7RSRORJLDÃGHÃ5HGHV 2ÃTXHÃpÃ7RSRORJLD" A rede é estabelecida conforme um padrão ou estrutura,conhecido como WRSRORJLD. Topologia é a maneira como uma rede é conectada, tanto física quanto eletronicamente. Existem três topologias básicas usadas hoje em dia: %DUUDPHQWRÃ%XV $QHOÃ5LQJ (VWUHODÃ6WDU

10 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 7RSRORJLDÃ%DUUDPHQWRÃ%XV Em uma topologia %DUUDPHQWR, ou %86, um cabo comum conecta os dispositivos da rede e age como um meio de transmissão. As estações de trabalho estão dispostas como derivações de um barramento comum, apresentando uma estação inicial e uma estação final. O protocolo mais comum em redes é o (WKHUQHW, que normalmente usa a topologia Barramento com múltiplos dispositivos compartilhando o mesmo cabo. Por isso, às vezes se usa ³(WKHUQHW e ³%DUUDPHQWR como se fossem sinônimos. 0pWRGRÃGHÃWUDQVPLVVmRÃGHÃGDGRVÃQDÃWRSRORJLDÃ%DUUDPHQWR &60$ÃÃ&'Ã&DUULHUÃ6HQVHÃ0XOWLSOHÃ$FFHVVÃ&ROOLVLRQÃ'HWHFWLRQ WDPEpPÃFKDPDGRÃGHÃ&RQWHQomR Os dispositivos, antes de transmitir, ouvem a rede. Se não detectarem tráfego, eles transmitem os pacotes de dados. Duas ou mais unidades podem transmitir ao mesmo tempo, e nesse caso haverá colisão, corrompendo cada transmissão. Quando isso ocorre, cada unidade aguarda durante um intervalo aleatório de tempo antes de tentar transmitir novamente.

11 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 É como uma conversa: quando duas pessoas falam ao mesmo tempo, elas interrompem o que estão dizendo e esperam um tempo para começar novamente. Desta maneira, somente um dispositivo pode transmitir ao mesmo tempo. Todos os dispositivos percebem a mensagem no cabo, mas somente o dispositivo de destino aceita a mensagem. A rede $SSOH7DON usa uma variante deste sistema, na qual os dispositivos recebem fatias de tempo que podem usar para transmitir, evitando assim a colisão de transmissões. 7RSRORJLDÃ$QHOÃ5LQJ $VÃUHGHV 7RNHQ 5LQJÃWrP WRSRORJLD $QHO Em uma topologia Anel, cada dispositivo da rede é conectado ao dispositivo que está em ambos os seus lados, formando um círculo. Cada dispositivo possui uma controladora. Os nós não precisam formar um círculo perfeito; pode ser usado um +XE (dispositivo centralizador), com os cabos conectados dentro dele para completar o círculo. 0pWRGRÃGHÃWUDQVPLVVmRÃGHÃGDGRVÃQDÃWRSRORJLDÃ$QHO 7RNHQÃ3DVVLQJ, onde as unidades passam um token (pequeno pacote de dados) de uma unidade para outra usando uma topologia Anel (ring). As mensagens são passadas em torno do anel da rede em uma seqüência predeterminada, até que atinjam o destino apropriado. A unidade de destino lê a mensagem e retransmite o token, com uma indicação de que recebeu a mensagem. Esse sistema é organizado e evita colisões de dados, mas sua implementação e manutenção são caras.

12 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 7RSRORJLDÃ(VWUHODÃ6WDU (VWUHOD Na topologia Estrela, cada dispositivo da rede é conectado a um dispositivo central chamado de +XE (pronuncia-se râb). 8PDÃUHGH (WKHUQHW SRGHÃWHU WRSRORJLD HP (VWUHOD A fiação telefônica em residências e escritórios utilizam esta topologia, que também é tipicamente encontradaãem ambientes PDLQIUDPHÃPLQLÃH 81,;. O método de transmissão de dados é o mesmo usado na topologia Barramento ou Anel. 0pWRGRÃGHÃWUDQVPLVVmRÃGHÃGDGRV 3ROOLQJ (pesquisa), no qual uma unidade central pergunta a cada unidade secundária alternadamente se ela deseja transmitir. As unidades secundárias somente podem transmitir quando são pesquisadas, num sistema do tipo só fale se alguém lhe fizer uma pergunta.

13 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 &RPSRQHQWHVÃGHÃ5HGHV Os principais componentes de uma rede de computadores são os componentes físicos (hardware) e os componentes lógicos (software). &RPSRQHQWHVÃ)tVLFRVÃ+DUGZDUH 3ODFDÃGHÃ5HGHÃRXÃ1,&Ã1HWZRUNÃ,QWHUIDFHÃ&DUG Também chamada de $GDSWDGRUÃGHÃ5HGH, essa placa faz a conexão entre o PC e a rede, para que o PC possa tornar-se um QyÃGHÃUHGH. Para o PC, a placa envia dados da memória RAM e recebe dados para a memória RAM. Para a rede, a placa controla o fluxo de dados que entra e sai da rede. A placa de Rede é provavelmente o dispositivo mais importante na determinação do desempenho de uma rede. 7LSRVÃGHÃ3ODFDVÃGHÃ5HGH Existem dois tipos de Placa de Rede, que refletem os GRLVÃ3DGU}HVÃRX 0pWRGRVÃGHÃ$FHVVRÃGHÃ5HGHV: (WKHUQHW 7RNHQÃ5LQJ 6HUYLGRUHV Um Servidor é um computador que presta serviços (acesso a arquivos, envio e recebimento de faxes, envio e recebimento de correio eletrônico, acesso a aplicativos, acesso a uma ou mais impressoras e acesso a banco de dados) aos usuários da rede. Ele recebe solicitações de serviços e as administra de modo a atendêlas de maneira seqüencial e organizada. O PC a ser utilizado como Servidor precisa ter um hardware de muito maior capacidade e muito mais caro que os PCs de uso individual, para que possa atender às solicitações de WRGDV as estações de trabalho de usuários conectadas à rede. 0tGLDVÃGHÃ7UDQVPLVVmRÃ&RPÃ&DER As mensagens, em forma de impulsos eletrônicos, devem ser levadas de componente para componente de uma rede através de mídias de transmissão. Existem dois tipos de mídia de transmissão: &RPÃ&DERÃHÃ6HPÃ&DER :LUHOHVV. Os principais exemplos de mídia de transmissão Com Cabo, são: 3DUÃWUDQoDGRÃ&RD[LDOÃHÃ)LEUDÃÏWLFD

14 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 3DUÃWUDQoDGRÃ873Ã É o sistema de cabeamento mais popular, confiável, e de menor custo. Esse tipo de cabo consiste de 4 pares de fios entrelaçados (para reduzir as interferências), e são envolvidos por uma proteção externa. O cabo Par Trançado UTP 5 pode trafegar dados a uma velocidade de até 100 MBps, e por uma distância de até 100 metros (não cascateado). &DERÃ&RD[LDO Utiliza uma trama de cobre (condutor externo), que serve de blindagem para o condutor central, protegendo-o de correntes elétricas externas. Seu uso é necessário em redes de alto tráfego e para sistemas rápidos, como a Ethernet. É muito mais caro e mais frágil que o cabo em par trançado (fio telefônico comum), mas carrega muito mais dados. Existem dois tipos de cabo coaxial: GHÃPDOKDÃILQD GHÃPDOKDÃJURVVD Uma das maiores vantagens desta mídia é a distância superior á do cabo Par Trançado e sua maior resistência a interferências eletromagnéticas. No cabo coaxial 50 Ohms a velocidade de transmissão pode chegar a 10 MBps. &DERÃGHÃ)LEUDÃÐWLFD É o mais caro e mais rápido, sendo o preço e a dificuldade de sua instalação as principais desvantagens essa mídia. Usa fios de vidro ou plástico para transmitir dados em velocidade próxima à da luz. Suas principais vantagens são: a grande distância que pode percorrer (podendo chegar a quilômetros de comprimento) e sua imunidade às interferências eletromagnéticas. Os cabos de Fibra Ótica são capazes de transmitir muito mais dados que os outros tipos de cabo e os dados são transmitidos em forma digital, e não analógica.

15 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 Além disso, as empresas telefônicas estão gradativamente substituindo seus principais cabos telefônicos por Fibra Ótica, de modo que no futuro, todas as comunicações vão empregar a tecnologia de Fibra Ótica. &DERÃGHÃILEUD ywlfd WUDQVPLWHÃGDGRV GLJLWDLVÃQmR DQDOyJLFRV 2ÃSDGUmRÃ(WKHUQHWÃXWLOL]DÃRVÃVHJXLQWHVÃFDERV %DVH Coaxial 50 Ohm %DVH Coaxial 50 Ohm %DVH7 Par Trançado %DVH7; Par Trançado %DVH7 Par Trançado %DVH); Fibra Ótica 2ÃSDGUmRÃ7RNHQÃ5LQJÃXWLOL]DÃRVÃVHJXLQWHVÃFDERV 3DUÃ7UDQoDGRÃ- sem blindagem &DERVÃ,%0 3DUÃ7UDQoDGRÃ - com blindagem 0tGLDVÃGHÃ7UDQVPLVVmRÃ6HPÃ&DERÃ:LUHOHVV,QIUDYHUPHOKR Possui uma taxa de transmissão de até 1 MBps. Uma de suas principais deficiências é o baixo alcance e a alta atenuação do sinal causada pelas condições atmosféricas. 0LFURRQGDVÃ7HUUHVWUHÃRXÃ6DWpOLWH Sua capacidade de transmissão bastante superior à do Infravermelho, podendo chegar a 10 MBps. É a mídia de maior capacidade de alcance e é também é sensível às condições climáticas. &RPSRQHQWHVÃ/yJLFRVÃ6RIWZDUH O principal componente lógico da rede é o Sistema Operacional de Rede, que possui uma segurança e estabilidade muito maiores em relação aos sistemas operacionais que não atuam em rede. Assim como o Sistema Operacional de Rede, existem outros softwares que são desenvolvidos especialmente para rede. Esses aplicativos são chamados de 3XURVÃGHÃ5HGH. São aplicativos que VyÃIXQFLRQDPÃHPÃUHGH

16 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 ([HPSORV &RUUHLRÃ(OHWU{QLFRÃHPDLO 7UDQVIHUrQFLDÃGHÃ$UTXLYRV 6LVWHPDÃ2SHUDFLRQDOÃGHÃ5HGHÃ625 O 625 é um software que controla a operação da rede e administra tudo o que nela acontece. Ele reside no Servidor da rede. 4XDLVÃVmRÃRVÃ6LVWHPDVÃ2SHUDFLRQDLVÃGHÃ5HGH" Atualmente existe uma grande diversidade de Sistemas Operacionais de Rede: 2Ã1HW:DUHÃHÃR :LQGRZVÃ17 VmRÃRV 6LVWHPDV 2SHUDFLRQDLV GHÃ5HGHÃPDLV XVDGRV 8VRÃHPÃ5HGHVÃ&OLHQWH6HUYLGRU 1RYHOOÃ1HW:DUH 0LFURVRIWÃ:LQGRZVÃ17 81,;ÃFRPÃ7&3,3,%0Ã26Ã/$1Ã6HUYHU,%0Ã61$ 8VRÃHPÃ5HGHVÃ3RQWRDÃ3RQWR :LQGRZVÃ:RUNJURXS /$1WDVWLF 0DFLQWRVK 0LFURVRIWÃ/$1Ã0DQDJHU 2ÃTXHÃID]HPÃRVÃ6LVWHPDVÃ2SHUDFLRQDLVÃGHÃ5HGH" 2UJDQL]DPÃHÃJHUHQFLDPÃWRGDVÃDVÃDWLYLGDGHVÃGDÃUHGH 5RGDPÃHPÃ&OLHQWHVÃHÃ6HUYLGRUHV 5HTXHUHPÃSURWRFRORVÃGHÃFRPXQLFDomRÃHVSHFtILFRVÃ7&3,3,3;63;ÃHWF 7UDGX]HPÃDSHQDVÃRVÃSURWRFRORVÃVXSRUWDGRV 1HWZDUHÃ[Ã[ÃHÃ[

17 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 :LQGRZVÃ17Ãà %DQGDÃ%DVHñ XPÃSDFRWHÃGH FDGDÃYH] %DQGDÃ/DUJDñ RLWRÃSDFRWHVÃGH FDGDÃYH] 3URWRFRORVÃGHÃFRPXQLFDomRÃGHÃ5HGHV 3URWRFROR é ou um conjunto de regras e padrões necessários para ajudar as estações de trabalho, Servidores e outros dispositivos de rede a se comunicarem ou se entenderem entre si. Ou seja, é um formato padrão de transmissão de dados entre dois dispositivos que permite a conversação entre dispositivos da rede. Fazendo uma analogia, um protocolo poderia ser considerado como uma linguagem comum falada entre duas pessoas. Da mesma forma, os dispositivos de rede precisam de uma linguagem comum para poderem interagir. Os Sistemas Operacionais de Rede usam vários tipos de protocolo para levar informações de um lugar para outro. Uma rede divide as informações em partes, chamadas de SDFRWHV, que são enviados pela rota mais eficaz e depois remontadas quando chegam ao destino. Os protocolos são as regras que comandam a maneira como dois dispositivos se comunicam, ou seja, as regras que os pacotes seguem para entrar na rede e viajar até o destino desejado.

18 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 Nas Redes Locais, somente um pacote de informações pode estar na rede a cada vez, e isso é chamado de Banda Base (Baseband). A comunicação em Banda Larga (Broadband) possibilita múltiplos pacotes a cada vez. 3ULQFLSDLVÃSURWRFRORVÃGHÃUHGH Os principais protocolos de rede são: 7&3ÃÃ,3Ã7UDQVPLVVLRQÃ&RQWUROÃ3URWRFROÃÃ,QWHUQHWÃ3URWRFRO Muito usado na Internet e em sistemas UNIX. Suporta a maioria dos ambientes de rede, nos casos em que os protocolos nativos de LAN não estão disponíveis.,3;63;ã,qwhuqhwã3dfnhwãh;fkdqjh6htxhqfhã3dfnhw H;FKDQJH É usado por instalações Novell NetWare. 1HW%(8,ÃÃ1HW%,26 Projetado para redes simples e de pequeno porte. Utilizado em redes IBM (LAN Manager, OS/2 Warp Server), Microsoft (LAN Manager, Windows for Workgroups, Windows NT), LANtastic e Netware. $SSOH7DONò Usado apenas pelos computadores Macintosh e pelas impressoras Apple LaserWriter. A seguir, veremos um tipo especial de rede, chamado de rede Cliente/Servidor. 7LSRVÃGHÃ5HGHV 'R SURFHVVDPHQWR FHQWUDOL]DGR SDUDÃR SURFHVVDPHQWR GLVWULEXtGR Existem dois tipos básicos de redes: &OLHQWH6HUYLGRU 3RQWRÃDÃ3RQWR 5HGHÃ&OLHQWH6HUYLGRU As origens do conceito Cliente/Servidor vêm da tecnologia de máquinas de banco de dados. Nas redes tradicionais, o mainframe processa todas as instruções: LPSUHVVmRÃID[ÃDSOLFDWLYRVÃFRQVXOWDVÃDÃEDQFRVÃGHÃGDGRVÃTXHULHV DUPD]HQDPHQWRÃHÃDFHVVRÃDÃDUTXLYRVÃHWF Mas, conforme são acrescentadas mais e mais estações de trabalho à rede, acrescenta-se também mais e mais dados, e o mainframe começa a ficar superlotado.

19 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 O aumento de tráfego na rede prejudica o desempenho. A empresa começa a funcionar a passo de tartaruga. Qual é a solução? Comprar outro mainframe? A tecnologia veio em resposta. A tecnologia Cliente/Servidor evoluiu para fazer face a situações como esta. 2ÃTXHÃpÃ&OLHQWH6HUYLGRU" A computação Cliente/Servidor é uma forma de rede na qual determinadas funções solicitadas pelos clientes são atendidas pelos processadores mais adequados do sistema, os Servidores. Quando um usuário se conecta à rede, sua estação de trabalho torna-se um cliente daquela rede. Dessa forma, os computadores da rede podem utilizar arquivos situados no Servidor de Arquivos. Um cliente pode estar conectado a outras estações de trabalho, que também são clientes da Rede Local, ou pode estar ligado a um sistema de múltiplos Servidores com funções diversas. &OLHQWH6HUYLGRU 2VÃFOLHQWHVÃVmR FRQHFWDGRVÃYLDÃXP 6HUYLGRUÃGHÃ5HGH &OLHQWHV 6HUYLGRUHVÃGHÃ5HGH Numa rede Cliente/Servidor, o Sistema Operacional de Rede está instalado no Servidor. O Servidor é a inteligência na rede. Ele sabe a quem direcionar as solicitações dos clientes, administra os recursos e controla o tráfego. Os Servidores diferenciam-se das Estações de Trabalho (Clientes) pelo seu hardware, de alto custo, devido à alta capacidade e velocidade de processamento que requerem. Sempre que seja necessário aumentar a performance de um sistema Cliente/Servidor, é necessário fazer o upgrade tanto do Servidor como dos Clientes da rede.

20 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 &OLHQWHVÃPDLVÃFRPXQVÃGDÃUHGH Atualmente, a maioria das redes pode suportar simultaneamente uma grande variedade de plataformas, todas conectadas e comunicando-se entre si: 3& 0$& :RUNVWDWLRQV '(& 81,; 56 1XPDÃDUTXLWHWXUDÃ&OLHQWH6HUYLGRUÃpÃSRVVtYHOÃKDYHU 6HUYLGRUHVÃGHÃ,PSUHVVmR Possibilitam que os usuários compartilhem uma ou mais impressoras. 6HUYLGRUHVÃGHÃ)D[ Possibilitam aos usuários enviar e receber fax. 6HUYLGRUHVÃGHÃ$UTXLYR Agem como um bibliotecário eletrônico, possibilitando aos usuários compartilhar e armazenar arquivos em comum. 6HUYLGRUHVÃGHÃ&RPSXWDomR Assumem trabalhos que requerem alta velocidade e cálculos complexos. 6HUYLGRUHVÃGHÃFRPXQLFDomR Conectam uma rede a outra. 6HUYLGRUHVÃGHÃDSOLFDWLYRVò Rodam aplicativos e resgatam informações de bancos de dados. 5HVXPLQGR Podemos pensar na arquitetura Cliente/Servidor como uma divisão de trabalho : em vez de uma máquina fazer todo o trabalho, é possível ter várias máquinas compartilhando tarefas e especializando-se em um tipo de função. A arquitetura Cliente/Servidor normalmente proporciona mais potência com menor custo, ao descarregar aplicativos de processadores caros para processadores mais baratos. Normalmente, também, possibilita o desenvolvimento de aplicativos mais flexíveis e econômicos em microcomputadores.

21 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 3URWRFRORVÃ&OLHQWH6HUYLGRU 3ULQFLSDLVÃSURWRFRORVÃXVDGRVÃHPÃUHGHVÃ&OLHQWH6HUYLGRU $PELHQWHVÃ81,;ÃHÃ0$&Ã7&3ÃÃ,3 $PELHQWHVÃ3&Ã7&3,3Ã0LFURVRIWÃ/$1Ã0DQDJHUÃ1RYHOOÃ1HW:DUH $UTXLWHWXUDVÃ&OLHQWH6HUYLGRU Existem duas arquiteturas básicas de Cliente/Servidor. Ambas se baseiam no conceito de que se pode separar um aplicativo em dois componentes: a interface com o usuário e o processador de comandos, ou seja, o cérebro do software: 'XDVÃFDPDGDV Onde o usuário roda a interface no PC cliente e acessa dados de um Servidor de Banco de Dados. O processador de comandos do software pode rodar no cliente ou no Servidor. 7UrVÃFDPDGDV Um tipo especial de arquitetura, que consiste em três processos separados, cada um numa plataforma diferente: 1. $Ã,QWHUIDFHÃFRPÃRÃ8VXiULR rodando na estação de trabalho do usuário como cliente 2. 3URFHVVDGRUÃGHÃ&RPDQGRV rodando num Servidor de Aplicativos $ÃDSOLFDomR PDLVÃJOREDOÃGH XPDÃUHGH &OLHQWH6HUYLGRU pãdã,qwhuqhw 3. 2Ã6LVWHPDÃGHÃ*HUHQFLDPHQWRÃGHÃ%DQFRVÃGHÃ'DGRV que armazena os dados exigidos pela camada 2. Esta camada roda em um segundo Servidor chamado Servidor de Banco de Dados.

22 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 5HGHÃ3RQWRÃDÃ3RQWR A rede Ponto a Ponto é a conexão de dois ou mais computadores independentes em uma rede livre, que não possui nenhuma máquina (Servidor) a cargo da rede. A relação entre os computadores da rede é de par, ou seja, são iguais entre si. Apple Macintosh é uma típica Rede Ponto-a Ponto. Cada máquina (conhecida como Ponto) mantém seu próprio Sistema Operacional, seus próprios arquivos e roda a maioria dos seus próprios aplicativos, embora certas máquinas possam ser configuradas como local de guarda de determinados arquivos ou serviços (como impressão), que as outras podem acessar quando necessário. Se uma estação de trabalho falhar ou se a rede cair por inteiro, os outros computadores podem continuar funcionando independentemente, com seus próprios recursos.

23 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 5HGHÃ&OLHQWH6HUYLGRUÃÃ;ÃÃ5HGHÃ3RQWRÃDÃ3RQWR 3UyV &RQWUDV 5HGHÃ&OLHQWH6HUYLGRU Mais fácil de fazer upgrade, mais opções e software. Os administradores possuem mais controle da rede. Muito mais capacidade de expansão (grandes LANs e WANs) Oferece muito mais segurança, o que é essencial em grandes empresas. Geralmente muito mais cara por nó (ponto da rede). Mais difícil de instalar, configurar e manter. Não vale o custo em empresas menores. Acrescentar novos clientes à rede leva tempo. 5HGHÃ3RQWRÃDÃ3RQWR Possui muitas das mesmas funções que a rede Cliente/Servidor possui. Os usuários-ponto podem compartilhar recursos seletivamente. Os usuários-ponto podem limitar o acesso a seus próprios recursos com senhas. Mais barata para empresas menores. Não requer um Servidor exclusivo nem muito suporte. As estações de trabalho têm que ficar ligadas e conectadas para garantir o acesso pelos membros da rede. O NT Workstation limita o número de conexões-par a 10. Não tão segurança quanto a rede Cliente/Servidor. A administração do sistema é feita em cada ponto por vez. 3HULIpULFRVÃGDÃ5HGH Periféricos da rede são dispositivos ou recursos auxiliares conectados à rede e que desempenham diferentes funções, tais como:,psuhvvrudv 6FDQQHUV (TXLSDPHQWRVÃGHÃ)D[ 3ORWWHUV

24 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 -XQWDQGRÃDVÃ3HoDV

25 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6

26 ,QWHURSHUDELOLGDGHÃ'LVSRVLWLYRVÃGH,QWHUFRQH[mRÃGHÃ5HGHV 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 Existem diversos dispositivos de interconexão de redes, que podem ser encontrados em redes interligadas. A funcionalidade define a escolha do dispositivo mais adequado a cada situação. A seguir descreveremos resumidamente cada um desses dispositivos e suas respectivas funções. +XEV Os Hubs são utilizados para proporcionar um ponto central para onde todos os cabos da rede convergem. Sua finalidade é evitar que os cabos tenham que percorrer todo o trajeto desde os PCs até o Servidor de rede. Assim, muitas vezes os cabos dos PCs irão reunir-se no Hub, de onde sairá apenas um cabo geral de conexão até o Servidor. +XEV 3URSRUFLRQDP XPÃSRQWR FHQWUDOÃRQGH WRGRVÃRVÃFDERV GHÃXPDÃUHGHÃVH MXQWDP +XE 5HSHDWHUVÃ5HSHWLGRUHV O sinal de dados vai se tornando cada vez mais fraco à medida que percorre o cabo. A instalação de um Repeater amplifica e regenera esse sinal, para que possa alcançar maiores distâncias. Os Repeaters apenas conectam duas redes da mesma espécie, simplesmente reforçando e repetindo o sinal, sem se importar com o seu endereçamento.

27 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 1RÃGLDJUDPDÃDR ODGRÃXP 5HSHDWHUÃHVWi DPSOLILFDQGRÃH UHJHQHUDQGRÃR VLQDOÃGHÃXPD UHGHÃ(WKHUQHW SDUDÃRXWUD 5HSHDWHU %ULGJHVÃ3RQWHV Os Bridges são dispositivos de interconexão que ligam duas redes que utilizam o mesmo protocolo, com o objetivo de estender a distância máxima que uma rede pode alcançar ao conectar segmentos de redes separados. Esses dispositivos são capazes de conectar dois segmentos de redes de diferentes padrões e executar a conversão entre os métodos de acesso (por exemplo: Token Ring e Ethernet). Entretanto, na maioria das vezes os Bridges são utilizados para conectar dois segmentos de redes que não requeiram conversão de dados (Ethernet com Ethernet e Token Ring com Token Ring). Um Bridge pode ser uma caixa individual (standalone) ou um PC que possua duas Placas de Interface de Rede diferentes instaladas. No diagrama abaixo, o Bridge está conectando uma rede Token Ring a uma redeãethernet. %ULGJHV &RQHFWDPÃGXDV UHGHVÃTXHÃXVDP RÃPHVPR SURWRFRORÃGH FRPXQLFDomR PDVÃSRGHPÃXVDU GRLVÃPpWRGRVÃGH DFHVVR GLIHUHQWHV 3URWRFRORÃ,3;63; 3URWRFRORÃ,3;63; %ULGJH Nesse caso, o Bridge precisa converter o pacote de dados Token Ring de tal modo que a rede Ethernet possa entender e vice-versa. Se ambas as redes fossem de padrões idênticos o Bridge apenas repassaria o sinal, sem a necessidade de conversão

28 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 5RXWHUVÃ5RWHDGRUHV Routers são dispositivos inteligentes de interconexão que ligam redes que estão utilizando protocolos de comunicação diferentes. Eles também podem ser usados para separar o tráfego indesejado em qualquer dos lados de um Bridge, ou para reduzir o tráfego, ou ainda para fornecer segurança contra usuários não autorizados. Cada Router é específico para um protocolo, ou conjunto de protocolos. Os Routers são mais lentos do que os Bridges, porque eles precisam examinar o endereço da rede contido em suas tabelas de roteamento e só então tomar uma decisão sobre o endereço ao qual enviar a mensagem. No diagrama abaixo, o Router poderá ser ajustado para permitir que apenas os pacotes TCP/IP sejam enviados da rede Token Ring para a rede Ethernet, uma vez que o segmento Ethernet não utiliza o protocolo IPX/SPX. 1HVVHÃFDVRÃR 5RXWHUÃHVWi ILOWUDQGRÃ(VVD ILOWUDJHPÃLUi DMXGDUÃQR GHVHPSHQKR SRLVÃLUiÃHOLPLQDU RÃWUiIHJRÃGH SDFRWHV GHVQHFHVViULRV DWUDYpVÃGR VHJPHQWR (WKHUQHWÃGDÃUHGH 3URWRFRORVÃ7&3,3,3;63; 3URWRFROR 7&3,3 5RXWHU

29 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 %URXWHUV Um Brouter é uma combinação de um %ridge com um 5RXWHUÃHÃsão tipicamente utilizados em ambientes multiprotocolo. Eles roteiam os protocolos que conseguem entender e direcionam os protocolos desconhecidos para o próximo segmento da rede. No diagrama abaixo, o Router irá rotear os pacotes IPX e SPX para o seu próximo destino. O Brouter irá rotear apenas os pacotes IP, porém irá direcionar os pacotes AppleTalk para o segmento. Como ele entende IP, se houver um dispositivo no segmento da rede AppleTalk que possua um endereço IP e o Brouter receber um pacote IP destinado àquele endereço, então o Brouter irá selecionar a porção IP do pacote e roteá-la para o dispositivo Entretanto, se o Brouter receber um pacote AppleTalk, apenas o direcionará para o segmento. %URXWHUV 5RWHLDPÃRV SURWRFRORVÃTXH HOHVÃSRGHP HQWHQGHUÃH GLUHFLRQDPÃRV SURWRFRORV GHVFRQKHFLGRV SDUDÃRÃSUy[LPR VHJPHQWRÃGD UHGH %URXWHU,3 3URWRFRORVÃ7&3,3,3;63; 5RXWHUÃ,3ÃÃ,3; 3URWRFROR $SSOH7DON 3URWRFRORV 7&3,3 $SSOH7DON

30 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 *DWHZD\V Gateways são os mais inteligentes dos dispositivos de interconexão de redes. Um Gateway traduz os dados entre dois sistemas que são incompatíveis entre si, ou que utilizam diferentes protocolos. No diagrama abaixo há um mainframe IBM conectado a uma rede Token Ring. Se os dados precisarem ser enviados do mainframe IBM para um PC, eles necessitam ser convertidos de EBCDIC para ASCII, mas também precisam ser formatados num pacote IPX/SPX para esse segmento Ethernet específico. O Gateway é capaz de executar toda essa transformação. *DWHZD\V 0DLQIUDPH,%0 7UDGX]HPÃRV GDGRVÃHQWUH GRLVÃVLVWHPDV TXHÃVmR LQFRPSDWtYHLV HQWUHÃVLÃRX TXHÃXWLOL]DP GLIHUHQWHV SURWRFRORV *DWHZD\ 3URWRFROR,%0Ã61$ 3URWRFROR,3;63;

31 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6,PSUHVVmRÃHPÃ5HGH 7HFQRORJLDVÃGHÃ(QYLRÃGHÃ$UTXLYRVÃSDUDÃ,PSUHVVmR O sistema de impressão digital funciona da seguinte maneira: 1. Após ter sido criado, o arquivo contendo o documento é enviado para ser impresso. 2. O GULYHUÃGHÃLPSUHVVmR cria um arquivo de impressão, que é enviado pela porta serial, porta paralela ou pela conexão de rede para o Servidor de Impressão. 3. Antes de imprimir o documento, é feita uma YHULILFDomRÃSUp5,3 de todos os arquivos. Se houver problemas, eles são resolvidos. 4. O 5,3 3URFHVVDGRUÃGHÃ,PDJHPÃ5DVWHU do Servidor interpreta os arquivos de impressão e os decompõe em ELWPDSV RXÃLPDJHQV VXEPHWLGDVÃDRÃ5,3. 5. Essas imagens são, então, enviadas para a impressora juntamente com as especificações do trabalho (Job Ticket). A impressora as transforma em páginas, impressas com tinta sobre papel. Vejamos este processo mais detalhadamente. 'HQWURÃGRÃPLFURFRPSXWDGRU 'ULYHUÃGH LPSUHVVmR $UTXLYRÃGH,PSUHVVmR &RQH[mR 5HGH 3RUWDÃ6HULDO 3RUWD 3DUDOHOD 1RÃVHUYLGRUÃGHÃLPSUHVVmRÃHÃQDÃLPSUHVVRUD 5,3,QWHUSUHWDÃH GHFRPS}H,PDJHP 5DVWHUÃRX %LWPDS,PSUHVVmR )LQDO

32 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 1Ro}HVÃ%iVLFDVÃGDÃ,QWHUQHW A,QWHUQHW não é um lugar ou um destino. A Internet consiste de milhares de redes conectadas entre si em todo o mundo. Cada organização é responsável por manter sua própria rede. Assim, de certo modo a Internet é como uma rede de uma pequena empresa, só que em escala global. A maior parte das informações da Internet é oferecida gratuitamente. $Ã,QWHUQHWÃpÃD PDLRUÃUHGHÃGH FRPSXWDGRUHV GRÃPXQGR A rede serve como um canal para que governos, universidades, escolas, empresas e pessoas físicas forneçam informações grátis, para educar e divertir o mundo inteiro. Se pensarmos nas conexões entre computadores como estradas, fica fácil perceber porque a expressão ³6XSHUHVWUDGDÃGDÃ,QIRUPDomR foi criada para descrever a Internet. Se pensarmos nas muitas conexões e dados fluindo de linhas telefônicas para satélites, em todo o planeta, fica fácil perceber porque a expressão ³FLEHUHVSDoR também foi criada para descrever a Internet. *rqhvhãgdã,qwhuqhw No início (anos 60), era a ARPA, a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada do Departamento de Defesa dos EUA. Seu objetivo era garantir que operações vitais de computadores sobrevivessem a um ataque nuclear. Mal sabiam eles que estavam plantando a semente que iria crescer para se tornar a enorme entidade que hoje conhecemos como Internet. A rede militar inicial ARPAnet foi conectada a uma variada mistura de empresas, instituições e organizações envolvidas no setor de defesa. A ARPAnet serviu de modelo para outras redes, que gradualmente desenvolveram maneiras de se conectar através de padrões em comum. Esta rede de empresas, organizações, universidades e pessoas ficou conhecida como :RUOGÃ:LGHÃ:HE, ou seja, uma teia mundial, chamada simplesmente de the Web. No Brasil, conhecida como a Grande Rede.,QWHUQHWÃ[Ã:HE Há muita confusão a respeito da relação entre a Grande Rede (Web) e a Internet. Algumas pessoas pensam que se trata de nomes diferentes para uma mesma coisa. Mas a Internet já existia muitos anos antes do advento da Grande Rede. Nas comunidades acadêmicas, científicas e técnicas, a Internet vinha sendo usada para a troca de informações via correio eletrônico e um protocolo de transferência de arquivos SWD que permite aos usuários se registrar e obter dados de computadores localizados em qualquer lugar do mundo que estejam conectados à Internet.

33 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 Antes da Grande Rede, a Internet era privilégio de uma sociedade secreta de usuários, na maioria em instituições acadêmicas. 9DQWDJHQVÃGDÃ,QWHUQHW Hoje, a Internet oferece a todos o acesso e consulta ao maior banco de dados do mundo, contendo milhares de informações sobre os mais diversos assuntos, além de possibilitar a divulgação de propaganda a baixo custo, ideal para pequenas empresas. A Grande Rede possibilitou que usuários não técnicos ganhassem acesso às informações da Internet usando uma estrutura especial de documentos que foi criada para este propósito: +70/ ou +yper7ext 0arkup /anguage. %HQHItFLRVÃGDÃ,QWHUQHWÃSDUDÃDÃ3XEOLFDomRÃGH 'RFXPHQWRV A Internet mudou nossas vidas e a maneira como fazemos negócios: 'LVWULEXLomRÃGHÃGRFXPHQWRV A Internet proporciona comunicação quase instantânea com pessoas de todo o planeta. Documentos podem ser distribuídos eletronicamente, o que permite o paradigma distribuir e imprimir, ao invés de imprimir para distribuir. 'RZQORDGÃGHÃVRIWZDUHV A atualização dos drivers e a obtenção de correção para softwares defeituosos é tão fácil quanto clicar um mouse. E há bibliotecas de cliparts grátis e softwares gráficos disponíveis para baixar para nosso PC. *UiILFDÃRQOLQH Várias empresas de print-for-pay oferecem seus serviços pela rede. Basta acessar seu sítio na Grande Rede, preencher um talão de pedido, especificando o tipo de papel, número de cópias, destino e outras especificações, e depois enviar o arquivo a imprimir por correio eletrônico. $UTXLYDPHQWRELEOLRWHFDVÃGHÃDUTXLYRVÃRQOLQH Documentos também podem ser armazenados na Internet, para serem baixados quando necessário. Por exemplo: um professor de uma faculdade pode criar seus próprios livros didáticos: ele procuraria no catálogo on-line a matéria do curso, selecionaria trechos ou documentos inteiros, depois especificaria o número de cópias necessárias.

34 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 &RPRÃIXQFLRQDÃDÃ,QWHUQHW A maioria das empresas se conecta à Internet de uma dessas duas maneiras: 9LDÃPRGHP Através de linhas telefônicas. 9LDÃUHGH Com uma conexão direta através do protocolo TCP / IP. A consulta é recebida pelo Servidor da Web do Provedor de Acesso. Esse Servidor então procura a página desejada na Rede e conectase ao Servidor correspondente à página. Servidor remoto então envia os dados via Internet para o provedor, e o provedor envia os dados a quem os solicitou. &RPRÃIXQFLRQDÃDÃ:RUOGÃ:LGHÃ:HE Embora a Internet seja a rede física de computadores interconectados, DÃ:HEÃpÃDÃLQWHUIDFHÃJUiILFDÃGDÃ,QWHUQHW, que facilita o uso e a visualização de textos, imagens, sons, filmes e animações. Cada :HEÃ6LWH (sítio da Internet) contém páginas (KRPHÃSDJHV), que são documentos que podem incluir texto, figuras, som e vídeo. As páginas da Web também são documentos em KLSHUWH[WR, o que significa que contêm áreas em destaque que permitem pular ou fazer um link com outra página ou sítio da rede, localizado no mesmo computador ou em um computador do outro lado da cidade, do país ou do mundo. Numa era marcada pela velocidade das mudanças, nada evoluiu mais rápida ou drasticamente que a Internet. A comunicação mundial tornou-se mais fácil e, com o uso da Grande Rede para acessar informações, as organizações agora possuem literalmente milhões de documentos à disposição.

35 7(&12/2*,$Ã'(Ã5('(6 2Ã%URZVHU %URZVHU é um software que permite aos usuários acessar e navegar pela Grande Rede. $TXLÃSRGHPÃVHU GLJLWDGRV HQGHUHoRVÃGH RXWURVÃVtWLRV 2VÃ)DYRULWRVÃSHUPLWHP VDOYDUÃRVÃVtWLRVÃTXHÃYRFr PDLVÃJRVWDÃHÃDFHVViORV PDLVÃIDFLOPHQWH EDVWDQGRÃFOLFDUÃQRÃQRPH GRÃVtWLR 4XDQGRÃYRFrÃDEUHÃR EURZVHUÃHOHÃHVWDUi FRQHFWDGRÃjÃSiJLQD KRPHÃSDJHÃTXHÃYRFr VHOHFLRQRX 2VÃLWHQVÃVXEOLQKDGRVÃVmR OLQNVµÃTXHÃOHYDPÃD RXWURVÃVtWLRV 2VÃ%URZVHUVÃPDLVÃXVDGRV 0LFURVRIWÃ,QWHUQHWÃ([SORUHUÃTXHÃDSDUHFHÃQDÃILJXUDÃDFLPD 1HWVFDSHÃ1DYLJDWRU

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br TI Aplicada Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br Conceitos Básicos Equipamentos, Modelos OSI e TCP/IP O que são redes? Conjunto de

Leia mais

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes Tecnologia e Infraestrutura Conceitos de Redes Agenda Introdução às Tecnologias de Redes: a) Conceitos de redes (LAN, MAN e WAN); b) Dispositivos (Hub, Switch e Roteador). Conceitos e tipos de Mídias de

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Delfa M. HuatucoZuasnábar 2010 2 A década de 50 - Uso de máquinas complexas de grande porte operadas por pessoas altamente especializadas e o enfileiramento de usuários para submeter

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes 1 Redes de Dados Inicialmente o compartilhamento de dados era realizado a partir de disquetes (Sneakernets) Cada vez que um arquivo era modificado ele teria que

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores é um conjunto de equipamentos que são capazes de trocar informações e compartilhar recursos entre si, utilizando protocolos para se comunicarem e

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro Material de Apoio III DISPOSITIVOS

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

O QUE É REDES DE COMPUTADORES?

O QUE É REDES DE COMPUTADORES? REDES DE COMPUTADORES Wagner de Oliveira O QUE É REDES DE COMPUTADORES? É a conexão de dois ou mais computadores através de um meio de comunicação (cabos, linhas telefônicas, etc.) Possibilita o compartilhamento

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

REDES COMPONENTES DE UMA REDE

REDES COMPONENTES DE UMA REDE REDES TIPOS DE REDE LAN (local area network) é uma rede que une os micros de um escritório, prédio, ou mesmo um conjunto de prédios próximos, usando cabos ou ondas de rádio. WAN (wide area network) interliga

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Equipamentos de Redes Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Placas de Rede Placas de Rede Preparação dos quadros para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de

Leia mais

REDES INTRODUÇÃO À REDES

REDES INTRODUÇÃO À REDES REDES INTRODUÇÃO À REDES Simplificando ao extremo, uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Ex: Se interligarmos

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof.

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof. Aula 04 Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware:

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Conceito de Redes Redes de computadores são estruturas físicas (equipamentos) e lógicas (programas, protocolos) que permitem que dois ou mais computadores

Leia mais

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Se interligarmos

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

Unidade 1. Bibliografia da disciplina. Introdução. O que compartilhar? Exemplo 12/10/2009. Conceitos básicos de Redes de Computadores

Unidade 1. Bibliografia da disciplina. Introdução. O que compartilhar? Exemplo 12/10/2009. Conceitos básicos de Redes de Computadores Faculdade INED Unidade 1 Conceitos básicos de Redes de Computadores Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados, Sistemas para Internet e Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.:

Leia mais

Re R d e e d s e Ygor Colen Morato

Re R d e e d s e Ygor Colen Morato Redes Ygor Colen Morato Histórico : Década 50 primeiros computadores, chamados de Mainframes. Processamento em lote ou batch. Década 60 primeiros terminais interativos. Porém sem capacidade de processamento.

Leia mais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais http://www.waltercunha.com Bibliografia* Redes de Computadores - Andrew S. Tanenbaum Editora: Campus. Ano: 2003 Edição: 4 ou 5 http://www.submarino.com.br/produto/1/56122?franq=271796

Leia mais

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1 Conceitos básicos de Redes de Computadores 2

Leia mais

Equipamentos de Rede

Equipamentos de Rede Equipamentos de Rede :. Introdução A utilização de redes de computadores faz hoje parte da cultura geral. A explosão da utilização da "internet" tem aqui um papel fundamental, visto que actualmente quando

Leia mais

Fundamentos em Informática

Fundamentos em Informática Fundamentos em Informática Aula 06 Redes de Computadores francielsamorim@yahoo.com.br 1- Introdução As redes de computadores atualmente constituem uma infraestrutura de comunicação indispensável. Estão

Leia mais

switches LAN (rede de comunicação local)

switches LAN (rede de comunicação local) O funcionamento básico de uma rede depende de: nós (computadores) um meio de conexão (com ou sem fios) equipamento de rede especializado, como roteadores ou hubs. Todas estas peças trabalham conjuntamente

Leia mais

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 As redes de computadores possibilitam que indivíduos possam trabalhar em equipes, compartilhando informações,

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VI Programação de Sistemas de Comunicação Duração: 30 tempos Conteúdos 2 Construção

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local 1.264 Aula 22 Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local TV a cabo Permite a transferência de voz e dados nos estados permitidos (poucos até o momento) À LEC foi permitida a transferência

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Por que redes de computadores? Tipos de redes Componentes de uma rede IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Quando o assunto é informática, é impossível não pensar em

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Euber Chaia Cotta e Silva

Tecnologia da Informação e Comunicação. Euber Chaia Cotta e Silva Tecnologia da Informação e Comunicação Euber Chaia Cotta e Silva Redes e a Internet Conceitos Básicos 01 Para que você possa entender o que é e como funciona a Internet é necessário primeiro compreender...

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Motivação Camadas do modelo OSI Exemplos de protocolos IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Para que dois ou mais computadores possam se comunicar, é necessário que eles

Leia mais

Noções de redes de computadores e Internet

Noções de redes de computadores e Internet Noções de redes de computadores e Internet Evolução Redes de Comunicações de Dados Sistemas Centralizados Características: Grandes Centros de Processamentos de Dados (CPD); Tarefas Científicas; Grandes

Leia mais

Disciplina : Transmissão de Dados

Disciplina : Transmissão de Dados Disciplina : Transmissão de Dados Paulo Henrique Teixeira Overwiew Conceitos Básicos de Rede Visão geral do modelo OSI Visão geral do conjunto de protocolos TCP/IP 1 Conceitos básicos de Rede A largura

Leia mais

AG8 Informática. Esta apostila foi retirada do www.comocriarsites.net. Como Criar Sites HTML - notícia importante! www.comocriarsites.

AG8 Informática. Esta apostila foi retirada do www.comocriarsites.net. Como Criar Sites HTML - notícia importante! www.comocriarsites. Esta apostila foi retirada do www.comocriarsites.net Como Criar Sites HTML - notícia importante! www.comocriarsites.net Venha conhecer o novo Como Criar Sites HTML, agora é um mega portal para webmasters,

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF.

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. 1 REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE GOIÁS CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN E L A B O R A Ç Ã O : M Á R C I O B A L I A N / T I A G O M A

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Elementos da Comunicação Origem da mensagem ou remetente; O canal meio físico; Destino da mensagem ou receptor; Rede de dados ou redes de informação são capazes de trafegar diferentes

Leia mais

Interligação de Redes

Interligação de Redes REDES II HETEROGENEO E CONVERGENTE Interligação de Redes rffelix70@yahoo.com.br Conceito Redes de ComputadoresII Interligação de Redes Quando estações de origem e destino encontram-se em redes diferentes,

Leia mais

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1)

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1) Cenário das redes no final da década de 70 e início da década de 80: Grande aumento na quantidade e no tamanho das redes Redes criadas através de implementações diferentes de hardware e de software Incompatibilidade

Leia mais

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 2 INTRODUÇÃO Com a informatização dos sistemas nas empresas veio também o aumento da competitividade e isso fez com que a qualidade dos serviços fosse questionada. O

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Introdução a Redes de Computadores Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Novembro de 2012 1 / 25 O que é Redes de Computadores? É a infra-estrutura de hardware

Leia mais

1 Redes de comunicação de dados

1 Redes de comunicação de dados 1 Redes de comunicação de dados Nos anos 70 e 80 ocorreu uma fusão dos campos de ciência da computação e comunicação de dados. Isto produziu vários fatos relevantes: Não há diferenças fundamentais entre

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

4. Rede de Computador

4. Rede de Computador Definição Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sub-sistema de comunicação, ou seja, é quando

Leia mais

Introdução à redes de computadores

Introdução à redes de computadores 1/8 Introdução à redes de computadores Faz todo o sentido ligar os computadores em rede. Você não precisa ter uma impressora, um HD de grande capacidade, um gravador de DVDs e conexão via ADSL para cada

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Topologias Tipos de Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 REDES LOCAIS LAN -

Leia mais

A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações.

A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações. Topologia em estrela A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações. Como esta estação tem a responsabilidade de controlar

Leia mais

1 Lista de exercícios 01

1 Lista de exercícios 01 FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ 2007 1 Lista de exercícios 01 1) No desenvolvimento e aperfeiçoamento realizado em redes de computadores, quais foram os fatores que conduziram a interconexão de sistemas abertos

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores São dois ou mais computadores ligados entre si através de um meio.a ligação pode ser feita recorrendo a tecnologias com fios ou sem fios. Os computadores devem ter um qualquer dispositivo

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES REDE DE COMPUTADORES Tipos de classificação das redes de acordo com sua topologia Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Ao longo da historia das redes, varias topologias foram

Leia mais

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano Redes de Dados Aula 1 Introdução Eytan Mediano 1 6.263: Redes de Dados Aspectos fundamentais do projeto de redes e análise: Arquitetura Camadas Projeto da Topologia Protocolos Pt - a Pt (Pt= Ponto) Acesso

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 08/2013 Material de apoio Conceitos Básicos de Rede Cap.1 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto Introdução Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 1. Introdução i. Conceitos e Definições ii. Tipos de Rede a. Peer To Peer b. Client/Server iii. Topologias

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS Profº Erinaldo Sanches Nascimento Objetivos Examinar as várias maneiras para projetar a infraestrutura de cabo para

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Camada física. Padrões. Equipamentos de rede. Camada de enlace. Serviços. Equipamentos de

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60

EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60 INTRODUÇÃO REDES EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60 Computadores eram máquinas grandes e complexas, operadas por pessoas altamente especializadas; Não havia interação direta entre usuários

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Introdução a Ciência da Computação REDES DE COMPUTADORES

Introdução a Ciência da Computação REDES DE COMPUTADORES Introdução a Ciência da Computação REDES DE COMPUTADORES Professor: Carlos Henrique E-mail: carlos_hvr@yahoo.com.br Definição Inicial Tipos de Redes Servidores Arquitetura de Protocolos Topologia de Redes

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Redes de Computadores. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 1 / 41

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Redes de Computadores. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 1 / 41 Informática Prof. Macêdo Firmino Redes de Computadores Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 1 / 41 Sistema Computacional Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 2 / 41 O que é

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

Redes de computadores

Redes de computadores Redes de computadores Eletrônica IV Redes de Computadores Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina O que é uma rede

Leia mais

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas Definir: Identificar as diferentes Topologias Objetivos: Descrever Vantagens/Desvantagens Topologia Adequada A topologia impacta sobre: Tipo de equipamentos utilizados A capacidade de cada equipamento

Leia mais

Questionário 01 FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES

Questionário 01 FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES Questionário 01 FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES 1- Questão: (CESPE/MPE-TO) Considere que, no processo de informatização de uma empresa, tanto na matriz quanto nas filiais, serão implantadas redes

Leia mais