GESTIÓN INTEGRADA DEL TERRITORIO Y DATOS GEOGRÁFICOS Bases para una Estrategia y Formulación de Políticas para la Próxima Generación de IDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTIÓN INTEGRADA DEL TERRITORIO Y DATOS GEOGRÁFICOS Bases para una Estrategia y Formulación de Políticas para la Próxima Generación de IDE"

Transcrição

1 GESTIÓN INTEGRADA DEL TERRITORIO Y DATOS GEOGRÁFICOS Bases para una Estrategia y Formulación de Políticas para la Próxima Generación de IDE III Foro Distrital Buenas Prácticas en Gestión de la Información Geográfica IDECA 4 de Novembro de 2014 Rui Pedro Julião

2

3 Terra: ± Km 2 Mar: ± Km 2 População: ± hab. 308 municípios freguesias Portugal

4 Estrutura Introdução Políticas Públicas de Dados Geográficos Políticas Públicas de Instrumentos para a Gestão e Exploração de Dados Geográficos Contributos para uma Política Pública de Gestão Integrada de Informação Geográfica

5 Relação com a propriedade

6 World Clock População Urbana 50% na actualidade 70% em 2020 UN HABITAT, 2012

7

8

9 Internet

10

11

12 Gestão Territorial Há várias perspectivas Necessidade de nova concepção de Ordenamento do Território na promoção de uma maior integração das políticas sectoriais, tendo como referências visões partilhadas de base territorial Ferrão (2011: 40) PNPOT Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território Quadro orientador para os diferentes instrumentos de gestão territorial Preconiza a necessidade de estes se suportarem em conjuntos de dados geográficos relevantes Palavras-chave: Território / Gestão / Integrada Boa gestão => Boa informação

13 Boa gestão => Boa informação ID ID ID CDG 1 CDG 2 CDG n

14 Boa gestão => Boa informação ID ID CDG 1 CDG 2 CDG n ID ID Webservices

15 Políticas Públicas de Dados Geográficos Há tradição de várias iniciativas Capacidade de implementação Capacidade integradora Domínios chave Geodesia Cartografia Cadastro

16 Rede Geodésica Nacional Continente e Regiões Autónomas ± vértices geodésicos 42 estações permanentes GPS VG 1ª ordem VG 2ª ordem VG 3ª ordem

17 RENEP e SERVIR

18 Cartografia

19 Cartografia Alguns problemas Desfasamento temporal Ausência de conteúdos Processo de homologação Algumas soluções Ortofotocartografia Gestão flexível do catálogo de objectos Processos colaborativos CAOP

20 Cartografia

21 CGPR 50% território SiNErGIC Sistema de Informação Plano de Execução RCM n.º 56/2012, 5 de Julho CTGIC Centralização de dados (2013/12/31) Cadastro

22 Políticas Públicas de Instrumentos para a Gestão e Exploração de Dados Geográficos Early adopter Anos 80 Inovação Iniciativa Domínios chave Sistemas de Informação Geográfica Infra-estruturas de Dados Espaciais

23 Sistemas de Informação Geográfica Utilização generalizada Municípios CIM Administração Regional Administração Central Julião e Queirós, 2009

24 Infra-estruturas de Dados Espaciais Sistemas Dados Infra-estruturas & Serviços Local SIG IDE

25 Infra-estruturas de Dados Espaciais Governança Financiamento Tecnologia Acordos Standards Fornecedores Investigação Inovação Formação Qualidade / Disponibilidade / Accessibilidade

26 País pioneiro: 1990 SNIG 1995 Internet 2009 INSPIRE Infra-estruturas de Dados Espaciais

27 SIARL

28 SNIT

29 SNIAMB

30 SiNErGIC Browser SiNErGIC-SI Framework Serviços Comuns Web Services Web Services Web Services Web Services Valor Titularidade Geometria Municípios

31 CM Odivelas

32 CM Sta. Mª Feira

33 IRIG SNIT SiNErGIC IDEiA ARH SNIAmb CM... Infra-estruturas de Dados Espaciais INSPIRE IDEE SNIG

34 Contributos para uma Política Pública de Gestão Integrada de Informação Geográfica Plano formal Conselho Coordenador de Cartografia Órgão de coordenação da actividade dos organismos e serviços públicos legalmente competentes para produzir cartografia Representatividade Conselho de Orientação do SNIG Coordenação estratégica do SNIG Abrangência Plano operacional Conjuntos, Serviços e Infra-estruturas de Dados Geográficos Agentes Públicos, Participação Pública e Modelos de Negócio

35 Conjuntos, Serviços e Infraestruturas de Dados Geográficos INSPIRE Cloud computing Infra-estruturas de Dados Geográficos Representação estática versus dinâmica Catálogo de objectos Requisitos dos utilizadores Morreu a velha cartografia, viva a nova geografia!

36 Agentes Públicos, Participação Pública e Modelos de Negócio A construção e exploração de uma infra-estrutura que promova o incremento do conhecimento territorial é imprescindível para o desenvolvimento Insuficiência das bases técnicas essenciais para o ordenamento do território, designadamente nos domínios da informação geo-referenciada sobre os recursos territoriais, da cartografia certificada, da informação cadastral e do acesso em linha ao conteúdo dos planos em vigor (MAOTDR, 2007: 107) Ferrão (2011:115) refere que mais e melhor informação, conhecimento, organização e tecnologias inovadoras de suporte são as componentes-chave que uma moderna política pública de ordenamento do território exige Concordante com a perspectiva de que a boa gestão do território pressupõe a disponibilidade e difusão alargada de informação e de conhecimentos actualizados sobre os recursos existentes e as dinâmicas e perspectivas de desenvolvimento às escalas nacional, regional e local (MAOTDR, 2007: 221).

37 Não faz sentido não haver: Agentes Públicos, Participação Pública e Modelos de Negócio uma maior articulação do investimento público, por forma a assegurar a existência de uma série de conjuntos de dados geográficos estratégicos para o país, de qualidade, bem como a sua contínua actualização uma maior descentralização do processo produtivo de conjuntos de dados geográficos vectoriais básicos, envolvendo directamente os municípios ou as comunidades intermunicipais condições de acesso aos conjuntos e serviços de dados geográficos estratégicos para o país que promovam a sua efectiva utilização pública, a criação de valor acrescentado e o suporte à investigação e docência um maior aproveitamento e integração do contributo participativo dos cidadãos

38 Agentes Públicos, Participação Pública e Modelos de Negócio Papel do Estado: Organização Ambiente colaborativo Temas estruturantes (Directiva INSPIRE): Sistemas de referência Sistemas de quadrículas geográficas Limites administrativos Endereços Toponímia Cadastro Ortofotocartografia Altimetria Rede hidrográfica Infra-estruturas rodo e ferroviária, de energia e de comunicações Ocupação do solo Equipamentos

39 Agentes Públicos, Participação Pública e Modelos de Negócio Novos paradigmas Volunteered Geographic Information (VGI) Goodchild (2007) Novos modelos de negócio Comercial e Cost-recovery em queda Directiva 2003/98/CE Public Sector Information Directiva 2007/2/CE INSPIRE UK Location Strategy 2008 DK e-government Strategy IS Open Geographic Data Informação geográfica ausente

40 Agentes Públicos, Participação Pública e Modelos de Negócio Novos paradigmas Volunteered Geographic Information (VGI) Goodchild (2007) Novos modelos de negócio Comercial e Cost-recovery em queda Directiva 2003/98/CE Public Sector Information Directiva 2007/2/CE INSPIRE UK Location Strategy 2008 DK e-government Strategy IS Open Geographic Data Informação geográfica ausente

41 igeo

42 GESTIÓN INTEGRADA DEL TERRITORIO Y DATOS GEOGRÁFICOS Bases para una Estrategia y Formulación de Políticas para la Próxima Generación de IDE III Foro Distrital Buenas Prácticas en Gestión de la Información Geográfica IDECA 4 de Novembro de 2014 Rui Pedro Julião

Contributos para a. geográfica em Portugal. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt

Contributos para a. geográfica em Portugal. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt Contributos para a reutilização da informação geográfica em Portugal Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt Tópicos Enquadramento Bases para a reutilização da informação geográfica Próximos passos

Leia mais

A Cartografia, o Cadastro e as Infra-estruturas de Informaçã. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral do IGP rpj@igeo.pt. Portugal

A Cartografia, o Cadastro e as Infra-estruturas de Informaçã. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral do IGP rpj@igeo.pt. Portugal A Cartografia, o Cadastro e as Infra-estruturas de Informaçã ção o Geográfica em Rui Pedro Julião Subdirector-Geral do IGP rpj@igeo.pt Portugal Tópicos Enquadramento Portugal Instituto Geográfico Português

Leia mais

Resumo. 1. Enquadramento e antecedentes. Rui Pedro Julião*

Resumo. 1. Enquadramento e antecedentes. Rui Pedro Julião* Inforgeo, 2009, 17-25 INTERVENÇÕES RECENTES NO SNIG E DESAFIOS PARA O MERCADO DE IG Rui Pedro Julião* Resumo Com a entrada em vigor da Directiva INS- PIRE em Maio de 2007 veio consolidar-se a importância

Leia mais

Directiva INSPIRE Temas dos Anexos

Directiva INSPIRE Temas dos Anexos Directiva INSPIRE Temas dos Anexos Anexo I 1. Sistemas de referência 2. Sistemas de quadrículas geográficas 3. Toponímia 4. Unidades administrativas 5. Endereços 6. Parcelas cadastrais 7. Redes de transporte

Leia mais

EUE 2012 10º Encontro Utilizadores Esri Portugal I Os SIG e a Arte de Ser Português I 14 e 15 de março de 2012 Centro de Congressos de Lisboa

EUE 2012 10º Encontro Utilizadores Esri Portugal I Os SIG e a Arte de Ser Português I 14 e 15 de março de 2012 Centro de Congressos de Lisboa O Sistema Nacional de Informação Geográfica (SNIG) no contexto da implementação da Directiva INSPIRE (Infrastructure for Spatial Information in Europe) João GEIRINHAS Direção de Serviços de Investigação

Leia mais

O Sistema Nacional de Informação Geográfica. Rui Pedro Julião Subdirector-General rpj@igeo.pt. snig.igeo.pt

O Sistema Nacional de Informação Geográfica. Rui Pedro Julião Subdirector-General rpj@igeo.pt. snig.igeo.pt O Sistema Nacional de Informação Geográfica Rui Pedro Julião Subdirector-General rpj@igeo.pt snig.igeo.pt Tópicos Enquadramento IDE Contexto Antecedentes GeoPORTAL Estrutura Funcionalidades Próximos passos

Leia mais

INSPIRE: Ponto de situação e perspetivas de desenvolvimento futuro O sector dos transportes

INSPIRE: Ponto de situação e perspetivas de desenvolvimento futuro O sector dos transportes INSPIRE: Ponto de situação e perspetivas de desenvolvimento futuro O sector dos transportes Maria José Lucena e Vale Direção Geral do Território - DGT Sumário Gestão de Informação e Conhecimento: A Diretiva

Leia mais

SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral. ajherdeiro@dgterritorio.pt mota.lopes@apambiente.pt

SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral. ajherdeiro@dgterritorio.pt mota.lopes@apambiente.pt SIARL / Sistema de Administração do recurso Litoral Uma Plataforma Colaborativa para apoiar a Gestão do Litoral ajherdeiro@dgterritorio.pt j @ g p mota.lopes@apambiente.pt Lugares comuns de quem lida com

Leia mais

Código aberto na Direção Geral do Território. Mário Caetano Subdiretor-Geral do Território

Código aberto na Direção Geral do Território. Mário Caetano Subdiretor-Geral do Território Código aberto na Direção Geral do Território Mário Caetano Subdiretor-Geral do Território ÁREAS NUCLEARES DE INTERVENÇÃO ORDENAMENTO E CIDADES GEODESIA E CARTOGRAFIA CADASTRO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Ordenamento

Leia mais

1ªSessão Técnica da Implementação da Directiva Comunitária Inspire na RAA

1ªSessão Técnica da Implementação da Directiva Comunitária Inspire na RAA 1ªSessão Técnica da Implementação da Directiva Comunitária Inspire na RAA 1 Resumo Enquadramento na RAA Directiva INSPIRE Metadados 2 Enquadramento na RAA O DL 362/2007, transfere para a Região as competências

Leia mais

Infra-estrutura de dados espaciais: O Papel das Instituições de Ensino Superior

Infra-estrutura de dados espaciais: O Papel das Instituições de Ensino Superior 1ªs Jornadas de Sistemas de Informação Geográfica da APDSI: Os SIG ao Serviço das Engenharias e da Sociedade 26 de Maio de 2010 Fundação Portuguesa das Comunicações Infra-estrutura de dados espaciais:

Leia mais

Uma rede que nos une

Uma rede que nos une Uma rede que nos une Uma rede que nos une O IMTT - Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P. é um organismo da Administração Central, dotado de autonomia administrativa e financeira,

Leia mais

para GESTÃO DO PATRIMÓNIO:

para GESTÃO DO PATRIMÓNIO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA para GESTÃO DO PATRIMÓNIO: CASO ESTUDO DO MÉDIO TEJO Rita Ferreira Anastácio (rfanastacio@ipt.pt) 1 Índice Sistemas de Informação Geográfica Gestão do Património: Enquadramento

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral

SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral João HERDEIRO 1, Marisa SILVA 1 e Paulo PATRÍCIO 1 1 Direção-Geral do Território, Portugal (ajherdeiro@dgterritorio.pt; marisas@dgterritorio.pt; ppatricio@dgterritorio.pt)

Leia mais

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Mobilidade em Cidades Médias e Áreas Rurais Castelo Branco, 23-24 Abril 2009 A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI A POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Compromisso

Leia mais

UMA NOVA POLÍTICA DE INOVAÇÃO EM PORTUGAL:

UMA NOVA POLÍTICA DE INOVAÇÃO EM PORTUGAL: MANUEL DUARTE LARANJA PhD, Professor, ISEG UMA NOVA POLÍTICA DE INOVAÇÃO EM PORTUGAL: A justificação, o modelo e os instrumentos ALMEDINA índice Prefácio 5 1. A importância da tecnologia, da inovação e

Leia mais

egovernment & ehealth 2007 O papel fundamental das tecnologias no bem estar do Cidadão

egovernment & ehealth 2007 O papel fundamental das tecnologias no bem estar do Cidadão egovernment & ehealth 2007 O papel fundamental das tecnologias no bem estar do Cidadão 01 02 03 Indra A Nossa Visão do Sector Público A Administração ao serviço do Cidadão Página 2 Quem Quiénes somos somos

Leia mais

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 Lisboa, 26 de Novembro 2009 1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 2. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 3. EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO 4. DOUTORAMENTO EM MEIO EMPRESARIAL 5. OPEN

Leia mais

GRUPO TÉCNICO DE TRABALHO INSPIRE MADEIRA. 1º Reunião de Acompanhamento 26 de Setembro de 2011. Funchal

GRUPO TÉCNICO DE TRABALHO INSPIRE MADEIRA. 1º Reunião de Acompanhamento 26 de Setembro de 2011. Funchal INSPIRE MADEIRA 1º Reunião de Acompanhamento 26 de Setembro de 2011 Funchal ÍNDICE Definição da Diretiva: Objetivo; Vantagens e Custo/Benefício; Temas dos Conjuntos de Dados Geográficos; Infraestrutura

Leia mais

Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, n.33, v.2, p.170-175, ago./dez.2011. RESENHA:

Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, n.33, v.2, p.170-175, ago./dez.2011. RESENHA: RESENHA: FERRÃO, João. O ordenamento do território como política pública. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2011. 146p. Hélio Carlos Miranda de Oliveira Prof. do Curso de Geografia da Faculdade de

Leia mais

Seminário sobre Diretiva INSPIRE A interoperabilidade e a Diretiva INSPIRE na perspetiva Intergraph

Seminário sobre Diretiva INSPIRE A interoperabilidade e a Diretiva INSPIRE na perspetiva Intergraph Seminário sobre Diretiva INSPIRE A interoperabilidade e a Diretiva INSPIRE na perspetiva Intergraph Intergraph Corporation Security, Government, and Infrastructure Division (Geospatial Business Unit) Carlos

Leia mais

Desenvolvimentos da Estratégia Europeia para a Deficiência

Desenvolvimentos da Estratégia Europeia para a Deficiência Desenvolvimentos da Estratégia Europeia para a Deficiência Sofia Lourenço Unidade "Direitos das pessoas com deficiência" Comissão Europeia 2 Dezembro 2014 Palácio da Cidadela de Cascais Políticas Europeias

Leia mais

A ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS SISTEMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS. 10 de Maio de 2014 Dr. Domingos Saraiva Presidente da Direção da EGSRA

A ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS SISTEMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS. 10 de Maio de 2014 Dr. Domingos Saraiva Presidente da Direção da EGSRA A ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS SISTEMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS 10 de Maio de 2014 Dr. Domingos Saraiva Presidente da Direção da EGSRA Surge da vontade dos Sistemas Intermunicipais, que até então se representavam

Leia mais

Infra-Estrutura Regional de Informação Geográfica IRIGMadeira

Infra-Estrutura Regional de Informação Geográfica IRIGMadeira Infra-Estrutura Regional de Informação Geográfica IRIGMadeira Não necessito saber tudo. Apenas preciso de saber onde encontrar o que me faz falta, no momento em que necessito. (Albert Einstein) Direção

Leia mais

Serviços de Informação Assuntos Europeus Contratação Pública e Licitações Internacionais. aportamosvalor

Serviços de Informação Assuntos Europeus Contratação Pública e Licitações Internacionais. aportamosvalor Serviços de Informação Assuntos Europeus Contratação Pública e Licitações Internacionais aportamosvalor Junho de 2009 Mas... que é Euroalert.net? é um site de informação sobre a União Europeia no qual

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO 21-4-2015 UNIÃO EUROPEIA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Fundos Europeus Estruturais e de Investimento Índice A. Madeira 14-20 Instrumentos de Apoio ao tecido empresarial.

Leia mais

A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território]

A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território] A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território] Objetivo Apresentar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no domínio da harmonização de

Leia mais

Enquadramento, âmbito de aplicação, antecedentes e

Enquadramento, âmbito de aplicação, antecedentes e Apresentação para o Grupo Transversal da Área Metadados do SNIG Lisboa, 16 de Maio de 2011 O Perfil MOTU Enquadramento, âmbito de aplicação, antecedentes e ponto de situação sobre o seu desenvolvimento

Leia mais

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal

A Evolução dos Serviços de Água em Portugal A Evolução dos Serviços de Água em Portugal AcquaLifeExpo Lisboa, 22-25 de Março de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua Tomás da Fonseca, Torre G 8º 1600-209 LISBOA - PORTUGAL www.ersar.pt Tel.:

Leia mais

Sistema Nacional de Exploração e Gestão de Informação Cadastral. José Pedro Neto (jneto@igeo.pt)

Sistema Nacional de Exploração e Gestão de Informação Cadastral. José Pedro Neto (jneto@igeo.pt) Sistema Nacional de Exploração e Gestão de Informação Cadastral José Pedro Neto (jneto@igeo.pt) Cadastro Predial O que é Enquadrameno legal Benefícios Situação actual Processo de execução cadastral actual

Leia mais

Características de Serviços Partilhados

Características de Serviços Partilhados Características de Serviços Partilhados Os Serviços Partilhados caracterizam-se pela prestação de funções de suporte a várias organizações, por uma organização vocacionada para estes serviços. Ministério

Leia mais

ANTE PROJECTO DA PROPOSTA DE LEI DE BASES DO PLANEAMENTO ECONÓMICO E SOCIAL. CAPITULO I Princípios Gerais e Objectivos.

ANTE PROJECTO DA PROPOSTA DE LEI DE BASES DO PLANEAMENTO ECONÓMICO E SOCIAL. CAPITULO I Princípios Gerais e Objectivos. Nota explicativa O actual quadro jurídico do planeamento económico e social, aprovado pela Lei nº 52/II/85, de 10 de Janeiro, encontra-se desactualizado face à nova realidade jurídica, política, económica

Leia mais

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS Enquadramento Protocolo de Quioto Cimeira de Joanesburgo Directiva Renováveis Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável Programa E4 Nova Resolução do Conselho de Ministros INTERREG Programas Regionais

Leia mais

ArcGIS 10.1 Transform Your Organization

ArcGIS 10.1 Transform Your Organization ArcGIS 10.1 Transform Your Organization I Colóquio de Sistemas de Informação Geográfica Tendências e Inovação nos Sistemas de Informação Geográfica Rui Sabino Director Técnico Esri Portugal O SIG está

Leia mais

O contributo do Sistema Nacional de Informação Territorial (SNIT) para o Ordenamento do Território

O contributo do Sistema Nacional de Informação Territorial (SNIT) para o Ordenamento do Território Geospatial 2013 World Tour - Lisboa O contributo do Sistema Nacional de Informação Territorial (SNIT) para o Ordenamento do Território Direção Geral do Território Divisão de Ordenamento e Planeamento do

Leia mais

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Abril de 2008 Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária 1 Bashen Agro Um projecto Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Parceria FZ AGROGESTÃO Consultoria em Meio Rural, Lda Av.

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados,

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, Encontro-me hoje aqui para, em nome do Governo Regional da Madeira, apresentar a Vossas

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AERONÁUTICA. Departamento de Relações Públicas e Comunicação

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AERONÁUTICA. Departamento de Relações Públicas e Comunicação Departamento de Relações Públicas e Comunicação Regulamento 1. Do Departamento de Relações Públicas e Comunicação 1.1 Definição 1.2. Constituição 1.3. Articulação e procedimentos 1.4. Local de funcionamento

Leia mais

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras

SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras SNIMar - Informação geográfica integrada para a gestão de águas marinhas e costeiras Teresa Rafael 11 de março de 2014 Pontos chave: O que é o SNIMar? Quais são os objetivos? Organização e gestão do projeto

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA CADERNO FICHA 11. RECUPERAÇÃO 11.4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS O presente documento constitui uma Ficha que é parte integrante de um Caderno temático, de âmbito mais alargado, não podendo, por isso, ser interpretado

Leia mais

CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS

CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS CONTRIBUTO DA INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NA GESTÃO OPERACIONAL DE ENTIDADES GESTORAS DE SERVIÇOS DE ÁGUAS JOÃO COELHO RITA ALMEIDA ALICE GANHÃO ANA SANTOS JOÃO FELICIANO Conferência Nacional de Geodecisão Escola

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Índice Investimento público e privado no Ensino Superior Propinas Investimento público e privado

Leia mais

Sistema Nacional de Informação Territorial (SNIT)

Sistema Nacional de Informação Territorial (SNIT) Sistema Nacional de Informação Territorial (SNIT) Regina Pimenta, Directora de Serviços de Informação Territorial (DSI), DGOTDU Logo preto e branco I Conceito: O que é o SINT; Objectivos; Finalidades e

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves Sistema Integrado de Gestão Evento IDC PME 24.set.2008 Carlos Neves Agradecimentos Carlos Neves - 24.Set.08 2 Sumário 1. Oportunidades e desafios para as PME 2. Os projectos SI/TI e a Mudança 3. Perspectivas

Leia mais

7º PROGRAMA-QUADRO de I&DT. Oportunidades para Cooperação Empresas Sistema Científico. Virgínia Corrêa. www.gppq.mctes.pt

7º PROGRAMA-QUADRO de I&DT. Oportunidades para Cooperação Empresas Sistema Científico. Virgínia Corrêa. www.gppq.mctes.pt 7º PROGRAMA-QUADRO de I&DT Oportunidades para Cooperação Empresas Sistema Científico Virgínia Corrêa Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de IDT www.gppq.mctes.pt Estratégia de Lisboa Conselho Europeu

Leia mais

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Manuel Sebastião Brasília 21 de Maio de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. MODERNIZAÇÃO DAS REGRAS ARTIGOS 81 e 82 3. O CONTROLO DE CONCENTRAÇÕES 4. CONCLUSÕES

Leia mais

Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território

Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território Evolução da última década Manuela Sampayo Martins (Eng.ª) Sistemas de Informação Sistemas de Geográfica, Informação Lda. Geográfica,

Leia mais

Directiva INSPIRE. Sessão promovida pelo Grupo Geo-Competitivo 2 da APDSI Auditório da Ordem dos Engenheiros, Lisboa 27 de Maio de 2008

Directiva INSPIRE. Sessão promovida pelo Grupo Geo-Competitivo 2 da APDSI Auditório da Ordem dos Engenheiros, Lisboa 27 de Maio de 2008 Directiva INSPIRE Sessão promovida pelo Grupo Geo-Competitivo 2 da APDSI Auditório da Ordem dos Engenheiros, Lisboa 27 de Maio de 2008 Índice Directiva INSPIRE Fase de Transposição 2007-2009 Exigências

Leia mais

Atelier SUDOE INTELIGENTE

Atelier SUDOE INTELIGENTE Atelier SUDOE INTELIGENTE Do SUDOE 2007-2013 à Estratégia 2020 Promoção da inovação e constituição de redes estáveis de cooperação em matéria tecnológica Melhoria da sustentabilidade para a proteção e

Leia mais

Implementação da Directiva INSPIRE no INAG

Implementação da Directiva INSPIRE no INAG Implementação da Directiva INSPIRE no INAG Ana Catarina Mariano INTITUTO DA ÁGUA, I. P. 14-16 de Maio, Taguspark, Oeiras 1 Agenda 1. 1. INSPIRE 2. 2. WISE 3. 3. InterSIG 4. 4. Exemplos de implementação

Leia mais

MAPA DE PESSOAL (POSTOS DE TRABALHO)

MAPA DE PESSOAL (POSTOS DE TRABALHO) s CONSELHO DIRETIVO 1 1 2 Subtotal 1 1 0 0 0 0 0 0 0 2 Gestão Financeira, dos Recursos Humanos, da Documentação, do Património e da Informática e Comunicações DIRECÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS

Leia mais

As infra-estruturas de informação geográfica na implementação e gestão das políticas do ambiente

As infra-estruturas de informação geográfica na implementação e gestão das políticas do ambiente As infra-estruturas de informação geográfica na implementação e gestão das políticas do ambiente Ana Moreira Secretaria Regional do Ambiente e do Mar MASSIFICAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO ACESSO A

Leia mais

Guia de utilizador Plataformas de Consulta SPOTIA

Guia de utilizador Plataformas de Consulta SPOTIA Guia de utilizador Plataformas de Consulta SPOTIA Este documento serve de apoio à utilização das Plataformas de Consulta do Projecto SPOTIA - Orientações de política territorial sustentável e avaliação

Leia mais

Perspectivas Futuras da Governança dos SI/TI na AP

Perspectivas Futuras da Governança dos SI/TI na AP ERSI 2006 23 de Março de 2006 Perspectivas Futuras da Governança dos SI/TI na AP Luis Magalhães Presidente da UMIC AP Electrónica (egovernment) Foca-se nas relações AP-Cidadãos (G2C), AP-Empresas (G2B),

Leia mais

O Quadro Nacional de Qualificações e a sua articulação com o Quadro Europeu de Qualificações

O Quadro Nacional de Qualificações e a sua articulação com o Quadro Europeu de Qualificações O Quadro Nacional de Qualificações e a sua articulação com o Quadro Europeu de Qualificações CENFIC 13 de Novembro de 2009 Elsa Caramujo Agência Nacional para a Qualificação 1 Quadro Europeu de Qualificações

Leia mais

Análise custo-benefício do SiNErGIC (Sistema Nacional de Exploração e Gestão de Informação Cadastral) 28 Novembro 2007

Análise custo-benefício do SiNErGIC (Sistema Nacional de Exploração e Gestão de Informação Cadastral) 28 Novembro 2007 Análise custo-benefício do SiNErGIC (Sistema Nacional de Exploração e Gestão de Informação Cadastral) 28 Novembro 2007 Objectivos do SiNErGIC (Resolução do Conselho de Ministros nº 45/2006) a) Assegurar

Leia mais

As Comunidades Locais e a Delimitação no contexto da Estratégia de Desenvolvimento Rural

As Comunidades Locais e a Delimitação no contexto da Estratégia de Desenvolvimento Rural REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL Direcção Nacional de Promoção do Desenvolvimento Rural As Comunidades Locais e a Delimitação no contexto da Estratégia de Desenvolvimento Rural

Leia mais

Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido

Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido MEMO/08/79 Bruxelas, 8 de Fevereiro de 2008 Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido 1. O Programa Operacional de Cooperação Transnacional Espaço Atlântico

Leia mais

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Programa de da ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (ELD) 1 / 16 Programa de da 1. Caracterização Socioeconómica do Território A caracterização do território deve centrar-se em dois aspectos

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA 2007-2013 ÁREA: GALIZA NORTE DE PORTUGAL UNIVERSIDADE DE VIGO (UVIGO) CHEFE DE FILA

PROGRAMA OPERACIONAL DE COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA 2007-2013 ÁREA: GALIZA NORTE DE PORTUGAL UNIVERSIDADE DE VIGO (UVIGO) CHEFE DE FILA APRESENTAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL DE COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA 2007-2013 ÁREA: GALIZA NORTE DE PORTUGAL PARCEIROS: UNIVERSIDADE DE VIGO (UVIGO) CHEFE DE FILA CONFEDERAÇÃO DE EMPRESÁRIOS DE PONTEVEDRA

Leia mais

Compromissos na educação

Compromissos na educação Compromissos na educação Comentário Paulo Santiago Direcção da Educação e das Competências, OCDE Ciclo de Seminários Sextas da Reforma Lisboa, 23 de Maio de 2014 Organização do Banco de Portugal, do Conselho

Leia mais

Informar. Saber. Decidir. SOBRE A POBREZA, SOBRE A POBREZA, AS DESIGUALDADES AS DESIGUALDADES E A E PRIVAÇÃO A PRIVAÇÃO MATERIAL MATERIAL EM PORTUGAL EM PORTUGAL ABOUT POVERTY, INEQUALITY AND MATERIAL

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES Preâmbulo Considerando a criação e o desenvolvimento de uma Rede de Bibliotecas Escolares, assumida como política articulada entre

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO. Os objectivos do Projecto passam por:

ARTIGO TÉCNICO. Os objectivos do Projecto passam por: A metodologia do Projecto SMART MED PARKS ARTIGO TÉCNICO O Projecto SMART MED PARKS teve o seu início em Fevereiro de 2013, com o objetivo de facultar uma ferramenta analítica de confiança para apoiar

Leia mais

Jornada - Gestão da informação arquivística numa Administração Pública renovada 20 de Outubro de 2011

Jornada - Gestão da informação arquivística numa Administração Pública renovada 20 de Outubro de 2011 Jornada - Gestão da informação arquivística numa Administração Pública renovada 20 de Outubro de 2011 António Bento Planeamento e Gestão da Qualidade www.ama.pt Agenda A AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

PEJ AÇORES. Associação Regional Parlamento Europeu dos Jovens Núcleo Açores

PEJ AÇORES. Associação Regional Parlamento Europeu dos Jovens Núcleo Açores CONTRIBUTO DA ASSOCIAÇÃO REGIONAL PARLAMENTO EUROPEU DOS JOVENS NÚCLEO AÇORES PARA O LIVRO BRANCO DO COMITÉ DAS REGIÕES SOBRE GOVERNAÇÃO A VÁRIOS NÍVEIS A (PEJ-A) responde ao desafio do Comité das Regiões

Leia mais

CAPÍTULO VII (Disposições Finais e Transitórias)

CAPÍTULO VII (Disposições Finais e Transitórias) Artigo 18º (Comissão Eleitoral) 1. O procedimento eleitoral será conduzido por uma comissão eleitoral constituída por dois vogais, designados pelo Conselho Científico de entre os seus membros, e presidida

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

Medidas de apoio ao I&D nas Empresas. Investigação em Co-Promoção SIFIDE Internacionalização

Medidas de apoio ao I&D nas Empresas. Investigação em Co-Promoção SIFIDE Internacionalização Medidas de apoio ao I&D nas Empresas Investigação em Co-Promoção SIFIDE Internacionalização AdI Principais Áreas de Actuação e Instrumentos de Apoio SIFIDE BOLSAS CERN, ESA, ESO BDE Apoio ao I&D nas Empresas

Leia mais

Bases para um Esquema de Ordenamento do Território à Escala do Continente

Bases para um Esquema de Ordenamento do Território à Escala do Continente Bases para um Esquema de Ordenamento do Território à Escala do Continente Desenvolvimentos mais recentes SANTOS, Ana Sofia; GASPAR, Rosário; CONDESSA, Beatriz Resumo A documentação e informação existente

Leia mais

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES)

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL MISSÃO A Associação para a Economia Cívica Portugal é uma Associação privada, sem fins lucrativos cuja missão é: Promover um novo modelo de desenvolvimento económico

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS NA DGOTDU

PLANO DE GESTÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÇÕES CONEXAS NA DGOTDU Direcção Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano Gabinete do Director-Geral Índice 1. Introdução 2. Perfil da DGOTDU como organização 3. Identificação das vulnerabilidades 4. Programa

Leia mais

CONSÓRCIOS ENTRE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

CONSÓRCIOS ENTRE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR CONSÓRCIOS ENTRE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DOCUMENTO DE ORIENTAÇÃO APROVADO PELO CCISP 1. Introdução O reconhecimento da importância decisiva que os Institutos Politécnicos têm desempenhado e querem

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio:

Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio: Redução da Dependência Energética de Portugal Principal Desafio: Mudança de paradigma energético em Portugal, com um implícito Desenvolvimento Sustentável suportado no seu crescimento económico, justiça

Leia mais

Plataforma Global Find. Uma ferramenta para localização empresarial. 10 de Novembro de 2009. Maria Alexandre Costa, Engª

Plataforma Global Find. Uma ferramenta para localização empresarial. 10 de Novembro de 2009. Maria Alexandre Costa, Engª Plataforma Global Find Uma ferramenta para localização empresarial 10 de Novembro de 2009 Maria Alexandre Costa, Engª A aicep Global Parques integra o universo da aicep Portugal Global Agência para o Investimento

Leia mais

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020»

Cidadãos do Amanhã Empreendedorismo Jovem. Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» Seminário EUROACE «Cooperação e desenvolvimento rural. Experiências e perspectivas para 2014-2020» 29.Abril.2014 Idanha-a-Nova DUECEIRA GAL/ELOZ. Entre serra da LOusã e Zêzere Histórico > projecto cooperação

Leia mais

Cidades e Regiões Digitais

Cidades e Regiões Digitais Sessão sobre as TICs, Aplicações e potencial para o território Planeamento e Ordenamento do Território Curso de especialização em Ciências e Tecnologia do Ambiente (ICAT 15 de Maio de 2004) Bibliografia:

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

O Software Aberto para SIG na Direção-Geral do Território

O Software Aberto para SIG na Direção-Geral do Território O Software Aberto para SIG na Direção-Geral do Território Este trabalho está sobre licença Creative Commons Danilo Furtado dfurtado@dgterritorio.pt Estrutura I. Panorama sobre o Software Aberto para SIG

Leia mais

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG Autores: Fernando Cruz - E-mail: f2crux@clix.pt Rui Teixeira - E-mail: rtsf@clix.pt Instituição: Câmara Municipal de Salvaterra de Magos Palavras chave: Cartografia digital, PDM, integração em SIG. Sessão

Leia mais

METADADOS INSPIRE. Henrique Silva; hsilva@dgterritorio.pt André Serronha; aserronha@dgterritorio.pt

METADADOS INSPIRE. Henrique Silva; hsilva@dgterritorio.pt André Serronha; aserronha@dgterritorio.pt METADADOS INSPIRE Henrique Silva; hsilva@dgterritorio.pt André Serronha; aserronha@dgterritorio.pt Direção-Geral do Território CCDR-LVT, CCDR Algarve, CCDR Norte, CCDR Centro, CCDR Alentejo Novembro 2015

Leia mais

O Programa de Desenvolvimento Municipal de Maputo e a ESTÃO MUNICIPAL DO SOLO URBANO

O Programa de Desenvolvimento Municipal de Maputo e a ESTÃO MUNICIPAL DO SOLO URBANO Painel 2: Serviço público de excelência casos de sucesso na Administração Pública O Programa de Desenvolvimento Municipal de Maputo e a ESTÃO MUNICIPAL DO SOLO URBANO 08 de Outubro de 2010 Visão da Cidade

Leia mais

Workshop. Maturidade da Governação e Gestão de TI em Portugal. Inquérito Nacional 2011. Mário Lavado itsmf Portugal 11-10-2011

Workshop. Maturidade da Governação e Gestão de TI em Portugal. Inquérito Nacional 2011. Mário Lavado itsmf Portugal 11-10-2011 Workshop Maturidade da Governação e Gestão de TI em Portugal Inquérito Nacional 2011 Mário Lavado itsmf Portugal 11-10-2011 Agenda Apresentação dos resultados do estudo de maturidade do ITSM & ITGovervance

Leia mais

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE Apresentado por :Zefanias Chitsungo (Director Nacional de Habitação e Urbanismo) INTRODUÇÃO Moçambique tem mais de 20 milhões de habitantes; sendo que

Leia mais

Plano tecnológico? Ou nem tanto?

Plano tecnológico? Ou nem tanto? Plano tecnológico? Ou nem tanto? WEB: ÉDEN?APOCALIPSE? OU NEM TANTO? Plano Tecnológico Mas, Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, além deste Contrato, o Novo Contrato para a Confiança, o nosso

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO Desenvolvimento Rural, Agricultura, Florestas e Sustentabilidade 17 de outubro de 2014 / GPP Eduardo

Leia mais

CAPÍTULO III. Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º

CAPÍTULO III. Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º CAPÍTULO III Estado -Maior Conjunto Artigo 8.º Missão e atribuições 1. O Estado -Maior Conjunto (EMC) tem por missão assegurar o planeamento e o apoio necessários à decisão do CEMGFA. 2. O EMC prossegue,

Leia mais

1998/2008 Ideias do GEOTA sobre 10 anos de Lei de Bases de Ordenamento do Território

1998/2008 Ideias do GEOTA sobre 10 anos de Lei de Bases de Ordenamento do Território 1998/2008 Ideias do GEOTA sobre 10 anos de Lei de Bases de Ordenamento do Território O GEOTA Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, acompanha desde 1997 a Lei de Bases do Ordenamento

Leia mais

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005.

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. Cooperação empresarial, uma estratégia para o sucesso Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. É reconhecida a fraca predisposição

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

A Informação Geográfica na Economia e na Gestão do Território - Oportunidade: Sim ou Não

A Informação Geográfica na Economia e na Gestão do Território - Oportunidade: Sim ou Não A Informação Geográfica na Economia e na Gestão do Território - Oportunidade: Sim ou Não 26 de novembro de 2012 Auditório do CIUL - Centro de Informação Urbana de Lisboa- Patrocínio Apoio Patrocinadores

Leia mais

Qualidade e Inovação. CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo

Qualidade e Inovação. CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo CONTROLO DA QUALIDADE Qualidade e Inovação Trabalho de grupo Curso de Arte e Multimédia/Design 2º Semestre 1º Ciclo Ano lectivo 2007/2008 Docente: José Carlos Marques Discentes: Ana Pedro nº 2068207/ Encarnação

Leia mais

Apoio à Inovação no sector agro-alimentar

Apoio à Inovação no sector agro-alimentar Apoio à Inovação no sector agro-alimentar O Cluster A colaboração entre empresas/entidades: Inovação 1 Posicionamento do Cluster INTERNACIONALIZAÇÃO INOVAÇÃO Invest. & Desenv. Ao Serviço das EMPRESAS COMPETIVIDADE

Leia mais