Relatório Anual de Atividades

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Anual de Atividades 2011-12"

Transcrição

1 Relatório Anual de Atividades A Implementação do Plano Anual de Actividades decorreu da seguinte forma: 1. Grau do Cumprimento do Plano Estratégico, do Plano Anual e dos Objetivos estabelecidos Em termos genéricos, pode-se dizer que o Plano Estratégico, o Plano Anual e os Objetivos foram afectadas pela Crise, sendo que, por esse facto, muitas das Actividades não se realizaram ou pelo menos não decorreram da forma esperada. Embora a medição seja subjetiva, pode-se dizer que o grau de cumprimento foi cerca de Aperfeiçoamento contínuo do ensino ministrado no IESF, a todos os níveis (científico, pedagógico, logístico, ). a. Foi reposto o anterior calendário escolar, após os alunos terem manifestado o seu descontentamento através de questionários distribuídos em que a maioria preferiu o calendário antigo. Os alunos mostraram-se na generalidade agradados, embora alguns manifestassem estranheza pelas consecutivas mudanças em 3 anos lectivos consecutivos. b. Continuação da estrutura do semestre no que diz respeito ao arranque/término de disciplinas e respectivas avaliações. As disciplinas e a avaliação continuam a funcionar de forma assíncrona; isto é, as disciplinas iniciam em semanas de intervalo, possibilitando que também terminem em semanas diferentes, garantindo assim um maior empenho e taxa de sucesso dos nossos alunos. Alguns alunos, vindos de outras instituições, entendem que estes horários são uma das mais valias do IESF face a outras Instituições. c. Continuação da utilização do período de atendimento, onde o docente recebe os alunos em regime pós-laboral, para esclarecimento de dúvidas. 1

2 Este apoio mantem-se apesar de os alunos não mostrarem muito interesse por ele e preferirem o apoio por ou na plataforma de apoio. d. Continuação do novo elemento de incentivo para os docentes relativamente às regras aplicadas no início do ano letivo, sendo que o não cumprimento das regras poderá levar a uma diminuição de 25 à totalidade das remunerações adicionais ou da remuneração variável. Na remuneração variável passou-se a beneficiar os docentes que seguem as orientações da Direcção e, simultaneamente, começou-se a recorrer a penalizações para os docentes que não cumprem as regras estabelecidas. 3. Reforço com melhorias da plataforma em SharePoint, utilizada no ano lectivo passado. Foi realizada uma sessão de apresentação da plataforma SharePoint para novos alunos, com novas vistas e em que as Pautas de Avaliação podem ser consultadas de forma directa. 4. Alteração dos regulamentos de avaliação da disciplina de Estágio, introduzindo e criando novos lanços com o tecido empresarial circundante. a) Através da Feira das Empresas O aluno tem de participar numa Feira de Empresas a realizar no IESF, em data a ser anunciada. Ao participar na Feira de Empresas, o aluno apresenta a "sua" empresa, por meio de um stand, elaborado ou não por si, e respondendo a questões sobre a empresa perante um júri que visitará o stand. b) Através da Recomendação Cada aluno deve elaborar um trabalho (texto) com recomendações para serem aplicados na Empresa Y. Pretende-se que os alunos utilizem os conhecimentos obtidos durante o curso para produzirem conhecimento que possa ser útil à Empresa Y. c) Através de uma Sessão de Apresentação de um Trabalho Aplicado Cada aluno deve elaborar um trabalho sobre uma Empresa Y e efetuar uma sessão de apresentação desse trabalho na Empresa. O Trabalho pode incidir sobre os relatórios elaborados, sobre trabalhos que tenha realizado no âmbito do curso, sobre disciplinas ou temas que tenha estudado e sejam relevantes. d) Através do Artigo Científico Procura-se suportar as atividades em conhecimentos científicos e, até, aprofundá-los, uma vez que, ao longo do curso, poucos são os momentos em que os alunos refletem de forma científica e estruturada sobre as temáticas abordadas nas diferentes disciplinas. Estas alterações foram introduzidas, todas com bastante sucesso e até mesmo entusiasmo por parte dos alunos. Conseguiu-se gerar uma nova dinâmica na disciplina com excelentes efeitos ao nível do relacionamento com as Empresas de Estágio. 2

3 5. Fortalecimento da relação entre alunos, docentes e administrativos: a. Fomentar uma atmosfera saudável de convivência no IESF, permitindo uma permanente participação dos alunos no processo de decisão de questões que digam respeito ao funcionamento da Escola. b. Promover eventos onde os alunos possam participar e conviver com corpo docente, direcção do IESF e presonalidades de renome no tecido empresarial nacional. c. Realizar vários eventos e jantares-convívio: Jantar de Natal, Jantar das Varandas e a Imposição das Insígnias. Continuou-se com diversas atividades na continuidade dos anos anteriores. Este ano introduziu-se um novo ponto de convívio, o Jantar do Caloiro, realizado em conjunto com a Associação de Estudantes. 6. Reforço dos Programas Internacionais de Intercâmbio de Estudantes, através da recepção de estudantes em mobilidade, bem como o envio de alunos do IESF para Instituições parceiras. Acolhimento de 2 alunos da Polónia. 7. Implementação de um novo Plano de Divulgação do Mestrado. O Plano teve um sucesso relativo, tendo sido prejudicado pela crise. A componente que mais sucesso teve foi a angariação de alunos provenientes dos cursos de Licenciatura e do Programa de MBA e Pós-Graduações. 8. Realização de seminários com personalidade de renome ao nível nacional e internacional. Continuou-se na tradição dos anos anteriores, tendo os Seminários uma enorme aceitação. 9. Promoção do IESF junto de Escolas Secundárias, tecido empresarial e comunidade em geral: a. Manter como prioridade a estratégia de relacionamento com as Escolas Secundárias, através de visitas comerciais à escola, ou convidando as escolas a virem ao IESF, tornando o IESF ambicionado para futuros candidatos ao Ensino Superior. b. Contactar e visitar várias empresas a fim de divulgar os produtos IESF. Reforçar o conhecimento do público-alvo do posicionamento do IESF enquanto Business School, que alia a inovação da sua oferta formativa e metodologias à consistência técnica dos seus docentes. Como já havia sido referido, os resultados nas Escolas Secundários continuaram a ser escassos. Face a isso, e face a restrições orçamentárias, as actividades nas 3

4 Escolas Secundárias foram suspensas, continuando-se a divulgação junto a empresas. 10. Reforço e procura de novas parcerias, que conduzam à promoção da educação, saúde, bem-estar e de carácter solidário, bem como dinamizar acções de carácter cultural, como exposições, feiras, lançamentos de livros, entre outros. Garantir a presença do IESF em eventos ou feiras de ensino consideradas fundamentais para o desenvolvimento do negócio. Mais uma vez, a maior parte das parcerias foram efectuadas com empresas relacionadas com a atividade de Investigação Aplicada. É de salientar a Campanha Agasalhos, realizada por duas vezes com muita adesão dos alunos e docentes. 11. Expansão do Projeto Finanças para a Vida, considerado um projeto piloto para camadas mais jovens. O projeto Finanças para a Vida tem como base a educação financeira dos mais novos (crianças do ensino básico e secundário), e nasce da visão de uma personalidade pública, notabilizada nos meios financeiros pelas suas capacidades extraordinárias em Finanças: o Dr. João Oliveira, antigo Presidente do BPA. Este projeto distingue-se de alguns projetos nacionais e internacionais nesta área por ser bastante mais abrangente nos objetivos pretendidos e o único estruturado para abarcar a totalidade do ensino Básico e Secundário. O projeto pretende dotar os jovens de uma perspetiva financeira desde muito cedo, onde o atual paradigma da vida moderna os ensina a adquirirem e gerirem encargos. O Projeto foi desenvolvido por um grupo de alunos no âmbito da disciplina de Casos e Estratégias Empresariais, do curso de MBA (Master of Business Administration) do IESF. Do resultado do vasto empenho de todos este ano letivo, o projeto foi implementado em 26 turmas de 12 escolas, abrangendo 458 alunos e horas de formação. 12. Alargamento da dinâmica de produção de artigos científicos a mais disciplinas. No início do ano letivo de 2010/11, foi solicitado aos Docentes que introduzissem nas suas metodologias de ensino e avaliação a elaboração de Papers, em conjunto com os alunos. Este ano o Projecto foi alargado e foi dado um incentivo financeiro para os professores que o fizeram, incentivo o qual aumenta sempre que um Paper é publicado. Resultou daqui que, em algumas unidades curriculares, os alunos, sob orientação dos Docentes, passaram a desenvolver Investigações Aplicadas, mais ou menos aprofundadas consoante a unidade curricular, elaborando Artigos Científicos e procurando obter a sua Publicação. Para além da qualidade dos trabalhos, os 4

5 Docentes avaliam o esforço que os alunos desenvolvem para a divulgação e publicação dos Papers. Esta metodologia já foi adotada nas seguintes unidades curriculares: Projeto 1 do Ciclo de Estudos conducente ao Grau de Mestre; Marketing Estratégico do Ciclo de Estudos conducente ao Grau de Mestre; Casos de Estratégia Empresarial do MBA; Economia Digital e Negócios na Internet dos Ciclos de Estudo conducentes ao Grau de Licenciado; Estágio Curricular de todos os Ciclos de Estudo conducentes ao Grau de Licenciado. Resultou daqui uma crescente dinâmica produtora de Investigação, tendo sido desenvolvidos 60 artigos científicos: 14 no Mestrado e 46 na Licenciatura. Alguns dos artigos foram enviados para publicação, aguardando-se resposta. Os melhores artigos serão publicados na Colecção Casos do IESF. Espera-se que a dinâmica conseguida se mantenha e alargue a outras unidade curriculares e a outros Docentes de forma a que a investigação aplicada, o desenvolvimento de artigos e a sua publicação, fluam do Instituto, como uma prática institucional consolidada. 13. Utilização da web (essencialmente através da wikipedia) como forma de os alunos e docentes realizarem investigações aplicadas e as difundirem. A Filosofia do IESF privilegia a interligação entre a Escola e a Comunidade, o que implica uma busca constante da utilização e divulgação dos trabalhos realizados. Essa divulgação apresenta vantagens a dois níveis: por um lado, motiva os alunos, as empresas, os Docentes e a própria Direção do IESF; por outro, valida os trabalhos efetuados. Se os trabalhos realizados pelos alunos apenas forem conhecidas pelos Docentes, as disciplinas funcionam em círculo fechado e a avaliação dos trabalhos (e da sua qualidade) é relativa (aos Docentes). Se a divulgação for externa, então a sua qualidade acaba por ser avaliada a um nível absoluto, tão absoluto quanto maior for a comunidade que tem acesso a ele e que o valida. Muitos dos trabalhos realizados pelos alunos durante o ano têm virtualmente interesse para outras pessoas. Porque não, em vez de os entregar ao Docente da disciplina (ou simultaneamente), publicá-los na wikipedia? Essa publicação, para além de abranger um maior número de interessados, permite a validação dos trabalhos (e sua correção) por uma comunidade que virtualmente pode englobar toda a web. A colocação dos trabalhos na wikipedia permite uma outra forma de avaliação em sistema aberto: a avaliação pela comunidade web. De facto, se os textos e comentários colocados pelos alunos forem acertados e interessantes, é provável 5

6 que se mantenham na wikipedia por muito tempo. Se o não forem, rapidamente desaparecem da web. Nesse sentido, esta nova metodologia oferece uma forma complementar de avaliação. Passa a ser relevante não só os comentários que os alunos introduzem (que, estando englobados no trabalho, são desta forma avaliados pelo Docente) mas também a duração e alterações que eles sofrem na web. Além disso, o conhecimento do aluno é testado de uma forma mais completa, pois não se trata apenas de fazer um texto. O aluno tem de colocá-lo no sítio certo, efetuar correções de outros textos, analisar as correções que o seu texto sofre e, eventualmente, reescrevê-lo e torná-lo a colocar na wikipedia. Isto implica também que o aluno conheça as páginas certas para cada área que aborda, tendo, para isso, que pesquisar o que existe na web. A dinâmica que se obtém destas intervenções é muito interessante, inserindo-se dentro da filosofia de Bolonha ( aprender a aprender ) e apoiando na dinâmica de interação com as comunidades relevantes. Por isso, ao efetuar este trabalho, os alunos irão ler o que outras pessoas escrevem sobre o assunto, as diferentes perspetivas, tentando conciliá-las com aquilo que sabem e, ao fazê-lo, vão complementar e sedimentar os conhecimentos adquiridos. Esta nova metodologia foi introduzida há cerca de três anos, sendo especialmente motivadora para os alunos e Docentes, refletindo-se na produção científica da escola. Se pesquisarmos na wikipedia, encontramos muitas publicações efetuadas por alunos e Docentes do IESF, sobretudo na área financeira. 14. Continuação da implementação da ACADEMIA PME e o apoio à FORMAÇÂO PME pelo NPME. Continuamos com a Academia PME, com cursos na área da Gestão de Recursos Humanos e Consultoria na mesma área a 15 empresas. Este Projecto, em parceria com o IAPMEI, é totalmente implementado pelo IESF em 3 anos, com consultoria em gestão a 74 empresas ( euros). Ao nível da Formação PME a intervenção foi deu-se simultaneamente ao nível da formação in-house e da consultoria para cerca de 20 empresas Ao nível do Desenvolvimento de Estudos Aplicados em Empresas, em colaboração com a ADEACE, no Projecto Strategic Development, foram efectuados 80 estudos, no valor de euros, suportados por 20 empresas do projeto, parcialmente apoiadas por fundos POPH: 20 Estudos de Análise Setorial 20 Estudos de Análise Financeira 20 Estudos de Análise PEST 20 Estudos de Análise Concorrencial 6

7 15. Continuação do desenvolvimento de Plataformas Aplicadas para empresas pelo NISIA. Neste Núcleo, terminaram-se as plataformas iniciadas (Portal Institucional e CRM) e iniciaram-se as seguintes: Plataforma de Gestão da Qualidade (6.000 euros) Plataforma de Diagnóstico Empresarial via web ( euros) Ao nível do Desenvolvimento de Estudos Aplicados em Empresas, em colaboração com a ADEACE, no Projecto Strategic Development, foram efectuados 120 estudos, no valor de euros, suportados por 40 empresas do projeto, parcialmente apoiadas por fundos POPH: 20 Planos de Desenvolvimento de Sistemas de Informação 20 implementações de Sistemas para Gestão da Qualidade 20 implementações de Sistemas de Gestão Documental 20 implementações de Balanced Scorecard, desenvolvidos em conjunto com o NPME 16. Continuação de Implementação dos Projectos co-financiados em que a ADEACE está envolvida e início de um novo Projecto designado por Strategic Development, com 70 empresas. Continuou-se com o projecto Formação Ação, em parceria com a AEP Associação Empresarial de Portugal, com intervenção em 85 empresas, envolvendo horas de consultoria e horas de formação. Continuou-se com os dois Programas SIAC (Sistema de Apoio às Ações Coletivas), envolvendo diferentes atividades (estudos, desenvolvimento de plataformas tecnológicas, formação, etc) de apoio a empresas, no valor de euros: Programa Empreende, de apoio ao empreendedorismo e à criação de empresas; Programa Eco Eficácia, na área da sustentabilidade e gestão empresarial. Foi dado início a um Projecto que se espera venha a ser o maior Projecto de sempre da ADEACE, o Projeto Strategic Development, no valor euros, envolvendo estudos e formação em 63 empresas; para além dos estudos do NPME e do NISIA, foram desenvolvidos: 40 Estudos de Marketing 30 Desenvolvimentos de Imagem Corporativa 35 Planos Estratégicos 40 Consultorias para a Implementação de Sistemas da Qualidade 21 Estudos de Eficiência Energética e Ambiental 17. Desenvolvimento de Projectos de Investigação & Desenvolvimento no âmbito do Sistema de Investigação e Desenvolvimento Empresarial (SIFIDE). 7

8 Pelo facto de desenvolver projetos de Investigação e Desenvolvimento (I&D), o IESF é certificado pela Agência de Inovação (ADI), tendo o NISIA realizado vários projetos de I&D, aprovados no âmbito do Sistema de Investigação e Desenvolvimento Empresarial (SIFIDE). Nos últimos 3 anos, os projetos mais importantes foram os seguintes: GEI (Gestão Escolar Integrada): desenvolvimento de plataformas e metodologias na área da Formação Profissional e do Ensino Secundário Qualificante, com um investimento global de euros SGC (Simulação de Gestão de Carteiras): desenvolvimento de uma plataforma de simulação de Cestão de Carteiras, no valor de euros IGI (Intranet Global Integrada): desenvolvimento de uma plataforma e metodologias na área da Gestão da Qualidade e da Gestão de Recursos Humanos, no valor de euros GIESBS (Gestão Integrada do Ensino Básico e Secundário): desenvolvimento de uma plataforma para a gestão de escolas do Ensino Básico e Secundário, no valor de euros Do total do Investimento em I&D ( euros), quase 70 ( ) consiste em investimento em recursos humanos. Nos últimos 3 anos, entre docentes e investigadores dos dois núcleos e da ADEACE, estiveram ligados aos projetos de I&D cerca de 50 pessoas. 18. Lançamento do projecto Valorizar para Competir, permitindo candidatos desempregados frequentarem os cursos do IESF, pagando propinas apenas depois de (com o apoio do IESF) arranjarem emprego. O Programa permite aos Candidatos frequentarem qualquer Curso do IESF e obterem apoio na ingressão no mercado de trabalho, podendo pagar as Propinas, em mensalidades adequadas ao seu rendimento, apenas depois de terem arranjado emprego ou terem criado a sua própria empresa. O Programa pretende apoiar: pessoas desempregadas que, não tendo possibilidades financeiras, pretendam aproveitar a disponibilidade de tempo para adquirir valências e valorizar competências de forma a obterem um novo emprego, a criarem a sua própria empresa ou lançarem um novo negócio; jovens, cujos pais não tenham capacidade financeira para suportar os custos de um Curso de Licenciatura; pessoas com baixos rendimentos que demonstrem ter capacidades para singrar mas, apesar de não estarem desempregadas, não possuam meios financeiros suficientes para continuarem os seus estudos. O Programa foi lançado de uma forma experimental, com imenso sucesso e uma grande exposição meditática. 8

9 19. Lançamento de várias medidas para apoiar os alunos com mais dificuldades financeiras. Dado o clima depressivo, foram tomadas várias medidas de apoio aos estudantes, permitindo prazos mais alargados e, nalguns casos, perdoando mesmo alguns valores em atraso. 20. Estabelecimento de uma Parceria com a Fundação do Gil. Foi estabelecida uma parceria, envolvendo várias actividades, como a realização de Seminários Conjuntos e o apoio do IESF à Fundação do Gil pelo estabelecimento da Taxa do Gil. A Taxa do Gil está incluída na Taxa de Inscrição, em em certas atividades do IESF, revertendo na totalidade para a Fundação do Gil. 21. Análise do Sucesso Escolar. A Taxa de Aprovação média tornou a subir (81), ultrapassando novamente os 80. Curiosamente, a única Disciplina com uma Taxa de 100 é na área dos Sistemas de Informação. No topo inferior, mantêm-se as duas Disciplinas da área das Matemáticas e da Fiscalidade (embora este ano seja Gestão Fiscal IRS e não Gestão Fiscal IRC com baixa Taxa de Aprovação). Mantem-se a tendência do ano anterior para o aumento da homogeneização nestas Taxas, com um número de Disciplinas acima da média semelhante ao número de Disciplinas abaixo da média. Nota-se também uma maior homogeneização das áreas científicas ao longo da tabela. Assim, embora as Disciplinas mais técnicas se mantenham mais na parte inferior da tabela, assistiuse a uma maior dispersão por toda a tabela. Na parte superior da tabela, acima de 90, encontra-se Disciplinas de praticamente todas as áreas (com exceção da Fiscalidade). De igual forma, na parte inferior da tabela, apesar de a maior parte das Disciplinas ser das áreas técnicas, existem algumas de outras áreas. É de estranhar a classificação das Disciplinas de Liderança e Motivação e Ateliers de Comunicação que normalmente têm uma elevada Taxa de Aprovação. Continua a ser de estranhar a baixa Taxa de Aprovação de Seminários, á qual se associa também agora a Disciplina de Estágio Curricular. 2011/12 UNIDADE CURRICULAR TAXA DE APROVAÇÃO Redes de Informação 100 Relações Publicas e Gestão de Eventos 97 Contabilidade II 96 Marketing 96 Inovação e Empreendedorismo 96 Gestão Financeira 94 9

10 Gestão Comercial e Técnicas de Negociação 94 Direito dos Negócios 93 Comunicação e Imagem 90 Gestão Emocional e Dinâmica de Grupo 89 Gestão de Recursos Humanos 89 Economia da Empresa 87 Sistemas de Informação de Gestão 87 Contabilidade I 86 Finanças Internacionais 85 Marketing de Serviços 84 Políticas Macroeconómicas 81 Gestão e Sustentabilidade Empresarial 81 Economia Digital e Negócios na Internet 81 Mercados Financeiros 80 Gestão de Empresas 79 Finanças da Empresa 78 Gestão Fiscal (IRC) 78 Sistemas Integrados de Gestão 78 Liderança e Motivação 77 Contabilidade de Gestão 76 Ateliers de Comunicação 74 Estágio 71 Seminários 60 Gestão Fiscal (IRS) 58 Métodos e Técnicas em Economia e Finanças 42 Análise da Informação e Controlo de Riscos 28 MÉDIA Análise da Empregabilidade Ao nível da Empregabilidade, os efeitos da crise são óbvios, sendo de realçar o seguinte: Grande parte dos alunos já se encontrava a trabalhar quando ingressou no IESF, tendo muito poucos (8) mudado de emprego durante o período em que esteve no IESF. O número de alunos que mudou de emprego ou obteve emprego durante o curso diminuiu, e o número de alunos que perdeu o emprego aumentou bastante, o que não é de estranhar, face às dificuldades no mercado laboral. A capacidade de obter emprego durante o estágio ou de uma forma rápida diminui, sendo que dois dos alunos não tinham obtido colocação ao fim de 1 ano. Apesar desta evolução, a capacidade de colocação de alunos do IESF é muito elevada. 10

11 Ao nível dos cursos, não se pode tirar conclusões sobre o de GSI e o do Mestrado, devido ao reduzido número de alunos e não parece haver diferenças entre GFF e GN. CURSO COM COLOCAÇÃO NO INÍCIO DO CURSO Nº DIPLOMADOS Com no Início do Curso Mudaram de durante o Curso Perderam durante o Curso OBTIVERAM COLOCAÇÃO DURANTE O CURSO Sem no Início do Curso Colocados durante o Curso GFF GN GSI Mest TOTAL OBTIVERAM COLOCAÇÃO DEPOIS DE TERMINAR O CURSO CURSO Sem no Fim do Curso Com o Estágio até 3 Meses Depois até 6 Meses Depois até 1 Ano Depois Total Colocados SEM COLOC. N GFF GN GSI Mest TOTAL Em termos de avaliação externa, salientamos: As avaliações efectuadas pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior o Mestrado: o Licenciatura em Gestão e Negócios: o Licenciatura em Gestão Financeira e Fiscal: o Licenciatura em Gestão e Sistemas de Informação: 11

12 A avaliação efetuada pela Bureau Veritas Certification Portugal, no âmbito da Certificação da Qualidade e que pode ser analisada no site do IESF. Encontra-se a ser efetuada uma Auto-Avaliação do Curso de Licenciatura em Gestão Financeira e Fiscal para ser apresentada até ao final de 2012 à Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior. 24. Em termos financeiros (ver quadro de Execução Orçamental): Foram obtidos euros de Resultados Globais, repartidos da seguinte forma: euros no 1º Ciclo (Licenciaturas), euros no 2º Ciclo (Mestrado e Programa de MBA e Pós Graduações), euros noutras Actividades e euros nos Núcleos de Investigação. Os resultados globais ( ) caíram 9 em relação ao esperado ( ) e 17 em relação ao ano anterior ( ) o que, tendo em consideração o clima de crise, pode ser considerado como muito aceitável. Os objetivos por área não foram atingidos para as Licenciaturas ( obtidos face a objetivos de ), MBAs e Mestrado ( face a ) e Outros ( face a ); contudo, a atividade dos Núcleos superou o planeado, tendo-se atingido contra o objetivo de euros. A Entidade Instituidora (Espaço Atlântico) mantem-se sólida em termos económicos e financeiros, tendo tido em 2011 resultados de , mantendo uma situação liquida de ,16. Apesar da crise, tanto a Entidade Instituidora como o IESF mantêm resultados positivos, comprovando o elevado nível de eficiência da gestão administrativa e financeira. 25. Em relação ao número de alunos, é de destacar: O número de alunos no presente ano lectivo foi: 152 alunos no 1º Ciclo (73 em Gestão e Negócios, 55 em Gestão Financeira e Fiscal e 24 em Gestão e Sistemas de Informação) e 27 alunos no 2ºCiclo (19 no Mestrado e 8 nos Programa de MBA e Pós Graduações). Ingressaram 37 alunos no 1º Ciclo (25 em Gestão e Negócios, 6 em Gestão Financeira e Fiscal e 6 em Gestão e Sistemas de Informação) e 14 alunos no 2º Ciclo (6 no Mestrado e 8 nos Programa de MBA e Pós Graduações). Terminaram o Curso 30 alunos no 1º Ciclo (10 em Gestão e Negócios, 17 em Gestão Financeira e Fiscal e 3 em Gestão e Sistemas de Informação) e 13 alunos no 2º Ciclo (6 no Mestrado e 7 nos Programa de MBA e Pós Graduações). No âmbito do programa Erasmus, dois alunos vieram do Wroclaw College of Management and Finance da Polónia para frequentar o curso de Gestão e Sistemas de Informação do IESF. 12

13 26. Em relação ao pessoal afeto ao IESF: Pessoal não Docente: sairam duas colaboradoras as quais, dado período de crise, não foram substituídas; Pessoal Docente: saíram 7 docentes (dos quais 3 doutorados) e entraram 3 novos docentes (dos quais 1 doutorado, estando os outros dois a terminar o doutoramento). 13

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015 Edição 1ª Edição Calendário outubro dezembro 2015 Duração 112 Horas / 3 meses Regime Pós-laboral e ao sábado MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS Em parceria com: SGS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS COORDENAÇÃO

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE

PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE Duração 2 semestres Condições de selecção Curriculum profissional; curriculum académico e entrevista (se necessário) ECTS

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação Gestão Logística Edital 1ª Edição 2012 1 Enquadramento Tem vindo a ser reconhecida, por políticas governamentais

Leia mais

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação)

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) Rua Castilho 90 2ºesq 1250-071 Lisboa, Portugal Rua José Gomes Ferreira nº219 - Aviz 4150-442 Porto, Portugal info@beill.pt / www.beill.pt Sobre A Beill

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

Avaliação e Gestão da Atividade Imobiliária

Avaliação e Gestão da Atividade Imobiliária Avaliação e Gestão da Atividade Imobiliária Enquadramento/Apresentação O curso de Avaliação e Gestão da Atividade Imobiliária é um curso de Pós-graduação, cujo objetivo é formar ativos na área da avaliação

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS Plano de Actividades e Orçamento Exercício de 2012 Plano de Actividades e Orçamento para o exercício de 2012 Preâmbulo: O Plano de Actividades do ano de 2012 foi concebido com a prudência que resulta da

Leia mais

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Angra do Heroísmo 2007 1 MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Objectivos dos dois

Leia mais

Cooperação Universidade Empresa

Cooperação Universidade Empresa INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CERIMÓNIA DE ABERTURA DO ANO LECTIVO 2010/2011, DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO, SOB O TEMA «CONTRIBUIÇÃO DO ENSINO

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro RELATÓRIO ANUAL 2012-2013 IPAM Aveiro Índice Nota Introdutória... 3 1. Do grau de cumprimento do plano estratégico e do plano anual... 4 2. Da realização dos objetivos estabelecidos;... 4 3. Da eficiência

Leia mais

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal MBA Recursos Humanos Inscrições Abertas Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal Carga horária: 600 Horas Duração: 24 meses *As informações podem sofrer

Leia mais

Procura de Excelência

Procura de Excelência www.mba.deg.uac.pt Procura de Excelência MASTER IN BUSINESS ADMINISTRATION Mestrado em Gestão (MBA) Secretariado Departamento de Economia e Gestão Rua da Mãe de Deus Apartado 1422 E-mail: mba@uac.pt Tel:

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

CURSO DE GESTÃO DE VENDAS (15 horas)

CURSO DE GESTÃO DE VENDAS (15 horas) CURSO DE GESTÃO DE VENDAS Inedem- Apotec Outono 2007 25 e 26 de Setembro 9h00 às 18h30 Dirigido a gestores da área financeira com necessidade de ferramentas informáticas de elevada eficácia na avaliação

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA JumpStart FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Tem entre 30 e 45 anos? A sua experiência profissional é superior a 5 anos? Encontra-se numa situação de desemprego há pelo menos 6 meses? Está

Leia mais

APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA

APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Fevereiro de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA O MBA EM CONSULT ORIA

Leia mais

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014 MBA - Executivo Edital 2ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 Enquadramento e Objectivos O MBA Executivo é uma realização da Escola Superior de Ciências Empresariais, do Instituto Politécnico de Setúbal

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

Ensino à distância Caso prático E-MBA do IESF

Ensino à distância Caso prático E-MBA do IESF Ensino à distância Caso prático E-MBA do IESF Manuel Leite Mestrado em Análise de Dados e Sistemas de Apoio à Decisão Sistemas de Informação para Gestão Faculdade de Economia, 29 de Novembro de 2002 1

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 A Escola de Protocolo, Comunicação e Artes da Madeira (EPCA) surgiu para ir ao encontro

Leia mais

MLM Master in Law and Management

MLM Master in Law and Management MLM Master in Law and Management diploma CONJUNTO novaforum.pt MLM Master in Law and Management Os participantes que completem com aproveitamento a componente lectiva do Programa receberão um Diploma de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA Acção de formação Módulo, curso, curso livre, curso multidisciplinar ou seminário realizado no âmbito da Educação Contínua ou da Aprendizagem

Leia mais

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO O presente documento tem por finalidade apresentar o PPI que é o Projeto Pedagógico Institucional do ENIAC, conjunto das melhores práticas pedagógicas, tecnológicas, administrativas e de gestão

Leia mais

a Universidade PROGRAMA DE Abril GESTÃO 2012 PARA EMPREENDEDORES DE ELEVADO POTENCIAL 2º edição Uma colaboração

a Universidade PROGRAMA DE Abril GESTÃO 2012 PARA EMPREENDEDORES DE ELEVADO POTENCIAL 2º edição Uma colaboração a Universidade PROGRAMA DE Abril GESTÃO 2012 PARA EMPREENDEDORES DE ELEVADO POTENCIAL 2º edição Uma colaboração 1 Agenda O que é a Universidade BES? Programa de Gestão para Empreendedores de Elevado Potencial

Leia mais

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL 1 São muitas e variadas as soluções e medidas de apoio à competitividade empresarial. Na intervenção de abertura o Presidente da

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

O Processo de Bolonha e o desafio da empregabilidade

O Processo de Bolonha e o desafio da empregabilidade O Processo de Bolonha e o desafio da empregabilidade P o r M a r g a r i d a S a r a i v a, J o r g e C a s a s N o v a s, J o s é R o b e r t o e E l i z a b e t h R e i s Um ano lectivo após o arranque

Leia mais

Carta Europeia das Pequenas Empresas

Carta Europeia das Pequenas Empresas Carta Europeia das Pequenas Empresas Introdução Relatório de Implementação de 2004 Até ao ano passado, o acompanhamento da implementação da Carta Europeia das PE, em Portugal, estava cometido mais directamente

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO

REGULAMENTO FINANCEIRO REGULAMENTO FINANCEIRO Artigo 1.º (Âmbito) 1. O presente regulamento aplica-se a todos os cursos ministrados pelo Instituto de Estudos Superiores Financeiros e Fiscais. Artigo 2.º (Regimes de Pagamento

Leia mais

Data 17/05/2012 Revisão 00 Código R.EM.DE.10

Data 17/05/2012 Revisão 00 Código R.EM.DE.10 Artigo 1º Objectivo e âmbito O Regulamento do Curso de Pós-Graduação em Coordenação de Unidades de Saúde, adiante designado por curso, integra a organização, estrutura curricular e regras de funcionamento

Leia mais

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores?

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores? O que é uma start-up? As empresas que criam modelos de negócio altamente escaláveis, a baixos custos e a partir de ideias inovadoras são normalmente consideradas empresas startups. Concebidas para crescerem

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

Rua Comendador Raínho, 1192, 3700-231 S. João da Madeira Tlf.: +351 256 826 832/ 234 Fax: +351 256 826 252 geral@amrconsult.com www.amrconsult.

Rua Comendador Raínho, 1192, 3700-231 S. João da Madeira Tlf.: +351 256 826 832/ 234 Fax: +351 256 826 252 geral@amrconsult.com www.amrconsult. 1 s & amrconsult 2010 2 1- Enquadramento: No último estudo realizado pelo INE sobre em Portugal, conclui-se que Portugal é o terceiro país da EU com taxa de criação de empresas mais elevada (14,2%). No

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16 O PGL foi desenhado para profissionais, com mais de 5 anos de experiência, dinâmicos, com grande capacidade de trabalho e ambição de aceder a novas responsabilidades. PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Gestão

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Gestão O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Gestão ÍNDICE GESTÃO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 3 CONDIÇÕES DE ACESSO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS... 3 INSCRIÇÕES E NÚMERO

Leia mais

Seminário de apresentação da Rede Gestus

Seminário de apresentação da Rede Gestus Seminário de apresentação da Rede Gestus Rede Gestus O LOGOTIPO Rede Gestus Internacionalização Zona 4 Gestus Compras Cartão ECOTUR Portal Gestus Cartão Gestus Contact Center CRM Zona 4 O LOGOTIPO Características:

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo 2 ÍNDICE EMPREENDEDORISMO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 4 CONDIÇÕES DE ACESSO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS...

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais ÍNDICE CONTABILIDADE, FISCALIDADE E FINANÇAS EMPRESARIAIS... 3 OBJECTIVOS...

Leia mais

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL porto. aveiro. lisboa LICENCIATURA & MESTRADO THE MARKETING SCHOOL Somos uma escola vocacionada essencialmente para as empresas e mercados. Queremos qualificar

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA Ano 2008/2009 Data 30/12/2009 Página 1 de 11 RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2008/2009 (em cumprimento do Artigo 66º do Decreto-Lei nº 107/2008, de 25 de Junho)

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Programa de Inserção Profissional Regulamento de Estágios Faculdade de Ciências Humanas Nos últimos anos, o ensino universitário tem vindo a integrar nos percursos formativos a realização de estágios curriculares

Leia mais

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007 POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP 11 Setembro 2007 Durante o 1º trimestre de 2007, o PIB cresceu 2,0% Crescimento do PIB 2,5% 2,0% 1,5% 1,5% 1,7% 2,0% 1,0% 1,1% 1,0% 0,9% 0,5% 0,5% 0,5% 0,0%

Leia mais

Auditoria Sistemática

Auditoria Sistemática ISAL Instituto Superior de Administração e Línguas Auditoria Sistemática Resumo do Relatório da Inspecção Geral do MCTES 18.Novembro.2010 Índice INTRODUÇÃO... 3 CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DOS PROCEDIMENTOS...

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016 PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016 2 PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL COORDENAÇÃO Prof. Doutor Paulo Lopes Henriques Prof.ª Doutora Carla Curado Prof. Doutor Pedro Verga Matos APRESENTAÇÃO Este

Leia mais

Qualificação e Internacionalização das PME

Qualificação e Internacionalização das PME Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM

ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM COORDENAÇÃO DE CURSO GESTÃO DE EMPRESAS PLANO 2003/ Apresentado por Fernando dos Santos Lucas Jan. Plano de Actividades da Coordenação do Curso de Gestão de Empresas

Leia mais

Fornecer conteúdos e refletir sobre práticas atualizadas de comunicação e marketing, como as técnicas e ferramentas de marketing digital.

Fornecer conteúdos e refletir sobre práticas atualizadas de comunicação e marketing, como as técnicas e ferramentas de marketing digital. MBA em Marketing Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições em Breve Turma 09 --> A globalização e os avanços tecnológicos estão abrindo oportunidades de negócios, novas formas de comercialização e despertando

Leia mais

enquadramento objectivos

enquadramento objectivos enquadramento O curso tem uma estrutura holística, integradora e procura trabalhar as competências da gestão de recursos humanos numa perspectiva de marketing interno no âmbito de temas marcadamente actuais,

Leia mais

Plano Geral de Formação

Plano Geral de Formação Plano Geral de Formação 2 0 1 6 A Católica Business Schools Alliance é constituída por: Índice Mensagem de boas vindas Católica Business Schools Alliance 10 razões para nos escolher MBA Atlântico Oficina

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

Rui el Brás. Inovação e competitividade, COTEC-CCDR PAG. 1. Maio.2011 INESTING PAG. 1

Rui el Brás. Inovação e competitividade, COTEC-CCDR PAG. 1. Maio.2011 INESTING PAG. 1 Rui el Brás Inovação e competitividade, COTEC-CCDR Maio.2011 INESTING PAG. 1 PAG. 1 Introdução Empresa Projectos Referências Estratégia Contactos INESTING PAG. 2 Introdução INESTING PAG. PAG. 3 3 Google

Leia mais

1911 2011 A caminho do Centenário

1911 2011 A caminho do Centenário 1911 2011 A caminho do Centenário Licenciaturas ISEG 1º Ciclo de Bolonha ISEG: Uma Escola de referência. O ISEG forma Economistas e Gestores com espírito de liderança e inovação assente numa sólida capacidade

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 Jaime Andrez Presidente do CD do IAPMEI 10 de Maio de 2006 Minhas Senhoras e meus Senhores, 1. Em nome do Senhor Secretário de Estado Adjunto, da Indústria

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012 INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS 1.ª Edição 2011-2012 Nos termos do disposto no artigo 8.º, n.º 1, a), do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, aprovado

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

notícias 18.11.2002 - Divulgação do COSI

notícias 18.11.2002 - Divulgação do COSI notícias 18.11.2002 - Divulgação do COSI A AEISGB entregou na quinta-feira, 14 de Novembro, à Direcção do ISGB o seguinte Caderno com as conclusões da consulta aos Alunos e Docentes sobre o tema "Divulgação

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Consulta - Serviços Especializados para a criação e dinamização de redes colaborativas Portugal Sou Eu

Consulta - Serviços Especializados para a criação e dinamização de redes colaborativas Portugal Sou Eu Consulta - Serviços Especializados para a criação e dinamização de redes colaborativas Portugal Sou Eu março 2014 Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Enquadramento... 2 3. O Contexto Atual... 3 4. Objetivos

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

Se vencer na vida fosse apenas sobre trabalho, a expressão seria vencer no trabalho.

Se vencer na vida fosse apenas sobre trabalho, a expressão seria vencer no trabalho. Pense antes de imprimir. A natureza agradece. MBA em Gerenciamento de Projetos Se vencer na vida fosse apenas sobre trabalho, a expressão seria vencer no trabalho. O que é ser bem-sucedido? Para sua carreira,

Leia mais

Natureza do curso e perfil da formação

Natureza do curso e perfil da formação 11ª EDIÇão 11ª EDIÇão COORDENAÇÃO CIENTÍFICA Prof. Doutor Paulo Lopes Henriques Prof. Doutor Sérgio Sousa Natureza do curso e perfil da formação A dinâmica da realidade empresarial e a maximização do contributo

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

ACEF/1213/23052 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1213/23052 Relatório preliminar da CAE ACEF/1213/23052 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março e do Regulamento de Mestrados da Universidade Técnica de Lisboa (Deliberação do Senado da

Leia mais

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Hugo Barros UALG Universidade do Algarve Albufeira, 12 de Março 2015 INOVAÇÃO PAPEL CRUCIAL NO CRESCIMENTO ECONÓMICO DOS

Leia mais

Seminário Final. O Processo de Bolonha em Portugal Presente e Futuro

Seminário Final. O Processo de Bolonha em Portugal Presente e Futuro Seminário Final O Processo de Bolonha em Portugal Presente e Futuro Universidade de Aveiro, 26 de Junho de 2009 CONCLUSÕES Relatora: Maria de Lurdes Correia Fernandes Sessão de abertura: Secretário de

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

MASTER DESIGN. 47 3026-4950 www.sustentare.net sustentare@sustentare.net

MASTER DESIGN. 47 3026-4950 www.sustentare.net sustentare@sustentare.net MASTER DESIGN Versão 003 30-Ago-13 Curso de Pós-Graduação em Nível de Especialização Lato Sensu MASTER DESIGN Sustentare Escola de Negócios tem como objetivo, desenvolver e prover permanentemente conhecimentos

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

MERCADOS INTERNACIONAIS E DIPLOMACIA ECONÓMICA

MERCADOS INTERNACIONAIS E DIPLOMACIA ECONÓMICA valor acrescentado para a sua carreira MERCADOS INTERNACIONAIS E DIPLOMACIA ECONÓMICA Coordenação Científica: Prof. Doutor Joaquim Ramos Silva Prof. Doutor Manuel Ennes Ferreira PÓS-GRADUAÇÃO 07/08 Pós-Graduação

Leia mais

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva Victor Francisco CTCV Responsável Unidade Gestão

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

COMMUNITY MANAGER CERTIFICAÇÃO LISBOA E PORTO: 3 DE FEVEREIRO DE 2015 A 7 DE JULHO DE 2015 LISBOA: 18 DE SETEMBRO DE 2015 A 15 ABRIL DE 2016

COMMUNITY MANAGER CERTIFICAÇÃO LISBOA E PORTO: 3 DE FEVEREIRO DE 2015 A 7 DE JULHO DE 2015 LISBOA: 18 DE SETEMBRO DE 2015 A 15 ABRIL DE 2016 COMMUNITY MANAGER CERTIFICAÇÃO LISBOA E PORTO: 3 DE FEVEREIRO DE 2015 A 7 DE JULHO DE 2015 LISBOA: 18 DE SETEMBRO DE 2015 A 15 ABRIL DE 2016 18 DIAS / 90 HORAS MAXIMIZAR A SUA COMUNIDADE E ANIMAR EM COERÊNCIA

Leia mais

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMAS EXECUTIVOS UM COMPROMISSO DE DUAS INSTITUIÇÕES Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG e da IFACC. A união de sinergias

Leia mais

12º VCIT 19/06/2012 DISCURSO DE BOAS VINDAS

12º VCIT 19/06/2012 DISCURSO DE BOAS VINDAS 12º VCIT 19/06/2012 DISCURSO DE BOAS VINDAS Senhor Presidente do IAPMEI, Senhor Presidente do Banco Popular, Senhor Presidente da SPGM, Senhor Presidente da CIP, Senhor Presidente da Comissão Directiva

Leia mais

MBA EXECUTIVO ESTRATÉGIA, LIDERANÇA E INOVAÇÃO MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso Agosto 2013 ESPM-SUL

MBA EXECUTIVO ESTRATÉGIA, LIDERANÇA E INOVAÇÃO MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso Agosto 2013 ESPM-SUL MBA EXECUTIVO ESTRATÉGIA, LIDERANÇA E INOVAÇÃO MANUAL DO CANDIDATO Ingresso Agosto 2013 ESPM-SUL Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: Central de Candidatos: (51) 3218-1400

Leia mais