VERDADE E VALIDADE, PROPOSIÇÃO E ARGUMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VERDADE E VALIDADE, PROPOSIÇÃO E ARGUMENTO"

Transcrição

1 ENADE 2005 e O que B. Russell afirma da matemática, em Misticismo e Lógica: "uma disciplina na qual não sabemos do que falamos, nem se o que dizemos é verdade", seria particularmente aplicável à lógica formal. Considerando isso, estabeleça a distinção entre verdade e validade e suas respectivas aplicações. Considerando-se conhecimentos de lógica e de história da filosofia, analise os itens seguintes. (i) Todos os médicos são mortais. (ii) Platão, autor da República, é mortal. (iii) Platão é um médico. É correto afirmar que o item (iii), no contexto acima, é A uma proposição falsa. B um argumento silogístico. C um argumento válido. D uma proposição inválida. E um sofisma. ENADE 2005 Área: FILOSOFIA 8UESTÃO 1O 1QUESTÃO 36 DISCURSIVA VERDADE E VALIDADE, PROPOSIÇÃO E ARGUMENTO 1. O que é Lógica? Sabemos que ela está ligada ao raciocínio ou argumento, mas precisamos de uma definição adequada. Para isso, consideremos o seguinte exemplo de argumento: Os insetos têm seis patas Logo, as abelhas têm seis patas 2. O argumento é composto de duas partes principais: antecedente (composto pelas premissas do argumento) e conclusão. Os insetos têm seis patas (primeira premissa) antecedente (segunda premissa) antecedente Logo, as abelhas têm seis patas conclusão 3. Há também uma relação entre o antecedente e a conclusão, que se chama INFERÊNCIA. A inferência é a relação que permite passar do antecedente para a conclusão do argumento. 4. Em lógica, dois conceitos são fundamentais: VALIDADE e VERDADE Os insetos têm seis patas Premissa verdadeira Premissa verdadeira Kkkkkkkkk Inferência válida Logo, as abelhas têm seis patas Conclusão verdadeira Validade diz respeito ao aspecto formal da inferência. Verdade se refere ao conteúdo. 5. Vejamos o exemplo do diagrama para o seguinte argumento: Os insetos possuem seis patas Seres com seis patas Logo, as abelhas possuem seis patas 6. Vejamos, então, um outro exemplo de argumento: Todo inseto é humano Premissa falsa Toda abelha é inseto Premissa verdadeira Jjjjjj jj Inferência válida Toda abelha é humana Conclusão falsa Insetos Abelhas

2 7. Ele pode ser representado através do seguinte diagrama: Humanos Insetos Abelha 8. Comparemos agora os dois argumentos ou raciocínios: Primeiro: Segundo: Os insetos têm seis patas Todo inseto é humano Toda abelha é inseto As abelhas têm seis patas Toda abelha é humana Formalmente, a estrutura de ambos é: Todo B é A Todo C é B Logo, todo C é A 9. Dessa comparação concluímos que: a estrutura dos dois argumentos é a mesma e que a inferência é válida nos dois casos, embora a conclusão seja verdadeira no 1º argumento e falsa, no 2º.Isto significa que a inferência expressa pelo raciocínio pode ser válida ainda que o raciocínio chegue a uma conclusão falsa. 10. Conclusões importantes: 1. A validade não depende da verdade da conclusão do argumento; 2. O raciocínio ou argumento não é verdadeiro ou falso; 3. A inferência que ele expressa é válida ou não-válida; 4. A conclusão do argumento ou cada uma de suas premissas podem ser verdadeiras ou falsas. EXERCÍCIOS: 1. Considerando seus conhecimentos de lógica, assinale a alternativa correta: a) Proposições são sempre verdadeiras ou falsas segundo a lógica binária; b) Um argumento é válido quando o conteúdo que ele apresenta está de acordo com a realidade, por exemplo, o argumento todos os homens são mortais é válido porque os homens apresentam realmente o atributo da mortalidade; c) A validade de uma proposição está diretamente relacionada com regras formais de inferência. d) Um argumento é verdadeiro quando a inferência é correta, segundo a lógica formal. 2. Considerando-se conhecimentos de lógica, analise os itens seguintes. (I) Todos os sistemas são incompletos. (II) Tudo o que é consistente é sistema. (III) Tudo o que é consistente é incompleto. É correto afirmar que o item (I), no contexto acima, é a) uma proposição válida. b) um argumento silogístico válido pelas regras do silogismo. c) uma proposição que pode ser falsa ou verdadeira. d) uma proposição inválida. 3. Analise os itens seguintes e assinale apenas uma alternativa: (I) Todos os engenheiros são capazes de operar com cálculos. (II) Todo aquele que é capaz de operar com cálculo é lógico (III) Todos os engenheiros são lógicos É correto afirmar que o item (II), no contexto acima, é a) um argumento válido ou não-válido. b) um argumento silogístico. c) uma proposição verdadeira ou falsa. d) uma proposição válida ou não-válida.

3 ENADE 2005 e 2008 Considere o seguinte argumento: A esmeralda E1 é verde. A esmeralda E2 é verde. A esmeralda En é verde. Logo, a esmeralda En+1 é verde. Esse argumento é I uma dedução, cujas premissas têm como conseqüência uma conclusão verdadeira. II uma indução, cujas premissas podem ser verdadeiras e a conclusão pode ser falsa. III um argumento cuja conclusão sempre preserva a suposta verdade das premissas. IV um argumento cuja conclusão não preserva a suposta verdade das premissas. Estão certos apenas os itens A I e II. B I e III. C II e III. D III E II e IV. INDUÇÃO E DEDUÇÃO α. INDUÇÃO: O raciocínio que nos conduz de uma enumeração de afirmações singulares para uma afirmação universal, levando-nos do particular para o todo, é denominado raciocínio indutivo. O problema da indução é que ela é um argumento cuja conclusão não preserva a suposta verdade das premissas, ou seja, mesmo que as premissas sejam verdadeiras a conclusão pode ser falsa. Ex: 1. A Metafísica de Aristóteles é um livro excelente 2. A Retórica de Aristóteles também é um livro excelente, 3. Logo, todos os livros de Aristóteles são excelentes. β. DEDUÇÃO: O argumento dedutivo é aquele em que, a partir de uma sentença mais geral, chegamos a outra menos geral e se as premissas são verdadeiras, a conclusão necessariamente é verdadeira. Assim, um argumento dedutivo é aquele cuja conclusão sempre preserva a suposta verdade das premissas. Ex: 1. Todos os livros de lógica são chatos. 2. Este livro é um livro de lógica.. 3. Este livro é chato. EXERCÍCIOS: Distinguir, dentre os argumentos abaixo, os indutivos dos dedutivos: 1. A prata, a platina e o cobre são bons condutores de eletricidade, logo todos os metais são bons condutores de eletricidade. (a) I (b) D 2. Hoje pus a mão no fogo e queimei-me, o que significa que amanhã, se voltar a por a mão no fogo, voltarei a queimarme. (a) I (b) D 3. Parece que a vontade de Deus é variável. Pois o senhor disse (Gen. vi. 7) Porque me arrependo de ter feito o Homem. Mas quem se arrepende do que fez tem uma vontade variável. Portanto Deus tem uma vontade variável. (a) I (b) D 4. Todos os cisnes observados até hoje são brancos, logo todos os cisnes que existem são brancos. (a) I (b) D 5. Sabe-se que todo aquele que põe a mão no fogo, se queima, o que significa que, se eu colocar minha mão no fogo, vou me queimar. (a) I (b) D 6. Os cursos de engenharia, de matemática e de física trabalham com cálculo. Conseqüentemente, todos os cursos de graduação trabalham com cálculo. (a) I (b) D 7. Grande parte dos infratores se arrependem. Na verdade, sabe-se que todo aquele que se arrepende do que fez tem chance de se recuperar. Portanto, um assassino arrependido do que fez, tem chance de se recuperar. (a) I (b) D 8. É comum, após a chuva, o dia ficar nublado. Como está chovendo, logo o dia ficará nublado. (a) I (b) D

4 Q ENADE 2005 e 2008 A partir da premissa é verdade que algum pássaro não voa, obtém-se, por inferência imediata, a conclusão que se segue. É falso que todo pássaro voe porque a premissa afirma a verdade de uma proposição particular negativa, e a conclusão expressa que a respectiva contrária é falsa, o que está de acordo com as leis do quadro de oposições. Considerando as leis do quadro de oposição entre proposições categóricas e as inferências imediatas autorizadas por esse quadro, assinale a opção correta a respeito dessas asserções. A As duas asserções são verdadeiras, sendo a segunda uma justificativa da primeira. B As duas asserções são verdadeiras, e a segunda não é justificativa da primeira. C A primeira asserção é uma proposição verdadeira, e a segunda, uma proposição falsa. D A primeira asserção é uma proposição falsa, e a segunda, uma proposição verdadeira. E Tanto a primeira asserção quanto a segunda são proposições falsas. Q QUADRO DE OPOSIÇÕES: As proposições comportam: a) uma quantidade que é expressa pelos quantificadores TODO e ALGUM; b) uma qualidade que é expressa pelos qualificadores AFIRMATIVO (é) e NEGATIVO (não é). 1. Quantidade e Qualidade das Proposições Proposição universal afirmativa ( A ): todo livro é útil. Proposição universal negativa ( E ): todo livro não é útil. Proposição particular afirmativa ( I ): algum livro é útil. Proposição particular negativa ( O ): algum livro não é útil. De acordo com este esquema, pode-se entender melhor o que se chama oposição lógica das proposições. Duas proposições se opõem entre si quando tem o mesmo sujeito e o mesmo predicado, mas diferem em quantidade e/ou qualidade. Chamam-se Contrárias as proposições universais, que se opõem pela qualidade, uma afirma e a outra nega um mesmo predicado de um mesmo sujeito; Subcontrárias (as contrárias de baixo) são as proposições particulares que se opõem pela qualidade, uma afirma e a outra nega um mesmo predicado de um mesmo sujeito; Contraditórias são as proposições que possuem o mesmo sujeito e o mesmo predicado, mas que diferem tanto em quantidade, como em qualidade. Trata-se da oposição mais forte, porque não há nada em que elas possam convir, ou seja, sua oposição é absoluta. 2. Quadrado Lógico Das Oposições Este esquema possibilita, de um modo totalmente formal, inferir da verdade ou falsidade de uma proposição a falsidade ou verdade de outra que tenha o mesmo sujeito e predicado. Para tanto, existem as assim chamadas leis das oposições: a) Contrariedade: duas proposições contrárias não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo, mas podem ser falsas ao mesmo tempo. Exemplo: (Todo homem é mortal Nenhum homem é mortal). Ambas são universais, sendo que uma é verdadeira e a outra falsa. (Todo homem é loiro Nenhum homem é loiro). Ambas são universais, porém falsas; b) Subcontrariedade: duas proposições subcontrárias não podem ser falsas ao mesmo tempo, mas podem ser verdadeiras ao mesmo tempo. Exemplo: (Algum homem é racional Algum homem não é racional). Ambas são particulares, sendo que uma é verdadeira e a outra falsa. (Algum animal é quadrúpede Algum animal não é quadrúpede). Ambas são particulares e verdadeiras; c) Contraditoriedade: duas proposições contraditórias não podem ser verdadeiras e nem falsas ao mesmo tempo. Se uma é verdadeira, necessariamente a outra é falsa e vice-versa. Exemplo: (Todo livro é instrutivo Algum livro não é instrutivo). Uma é universal, outra é particular; uma é afirmativa, outra é negativa; a universal afirmativa é falsa, enquanto a particular negativa é verdadeira.

5 Exercícios 1. Se é verdade que alguns pássaros não cantam então obtemos por inferência imediata que: a) é verdade que tudo aquilo que canta é pássaro b) é falso que todos os pássaros cantam ; c) é verdade que nenhum pássaro canta ; d) é verdade que alguns pássaros cantam. 2. De acordo com a tábua de oposições do quadrado lógico, assinale V ou F: ( ) O contrário de nenhum homem é mortal é algum homem é mortal e o contraditório de alguma filosofia não é absoluta é nenhuma filosofia é absoluta ; ( ) O contraditório de alguns filósofos são atrapalhados é alguns filósofos não são atrapalhados e o contrário de Todos os gregos são filósofos é todos os gregos não são filósofos ; ( ) Proposições contraditórias não podem ser, ambas, nem verdadeiras e nem falsas ao mesmo tempo; necessariamente, se uma é verdadeira a outra é falsa; ( ) a subcontrária de alguns filósofos são platônicos é nenhum filósofo é platônico ( ) convencionando que todas as aulas são instrutivas é uma proposição falsa, a sua contraditória será necessariamente verdadeira. ( ) proposições contrárias não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo, mas podem ser falsas ao mesmo tempo, assim, se todo hegeliano é sistemático for uma proposição verdadeira, sua contrária será necessariamente falsa. ( ) a oposição lógica mais forte de todas é a de contrariedade. 3. De acordo com a tábua de oposições do quadrado lógico, assinale a alternativa correta: 1. O contrário de nenhum físico é mortal é todo físico é mortal e o contraditório de algum cogumelo não é venenoso é nenhum cogumelo é venenoso ; 2. O contrário de Todos os gregos são retóricos é todos os gregos não são retóricos e o contraditório de alguns medievais são céticos é nenhum medieval é cético ; 3. Argumentos contrários não podem ser, ambos, nem verdadeiros e nem falsos ao mesmo tempo; 4. A contrária de todo axioma é um teorema é pelo menos um axioma não é um teorema ; 5. A subcontrária de alguns alunos são criativos é nenhum aluno é criativo ; 6. Convencionando que todas as aulas são instrutivas é uma proposição verdadeira, a sua contraditória será necessariamente falsa; 7. A oposição lógica mais forte de todas é a de contraditoriedade. Alternativas: a) 1, 4 e 5 são falsas e 2, 3, 6 e 7 são verdadeiras; b) 3, 4 e 5 são falsas e 1, 2, 6, 7 verdadeiras; c) 1, 3 e 5 são falsas e 2, 4, 6 e 7 são verdadeiras; d) 1, 3, 4 e 5 são falsas e 2, 6 e 7 são verdadeiras; 4. Dizer que a afirmação todos os economistas são médicos é falsa, do ponto de vista lógico equivale a dizer que a seguinte afirmação é verdadeira: a) pelo menos um economista não é médico; b) algum economista é médico; c) nenhum médico é economista; d) pelo menos um médico não é economista; e) todos os não-médicos são não-economista. QUSTÃO A partir da premissa é verdade que alguns filósofos são loucos, obtém-se, por inferência imediata, a conclusão que se segue É falso que nenhum filósofo é louco porque a premissa afirma a verdade de uma proposição particular afirmativa, e a conclusão expressa que a respectiva contraditória é falsa, o que está de acordo com as leis do quadro de oposições. Considerando as leis do quadro de oposição entre proposições categóricas e as inferências imediatas autorizadas por esse quadro, assinale a opção correta a respeito dessas asserções. a) As duas asserções são verdadeiras, sendo a segunda uma justificativa da primeira. b) As duas asserções são verdadeiras, e a segunda não é justificativa da primeira. c) A primeira asserção é uma proposição verdadeira, e a segunda, uma proposição falsa. d) A primeira asserção é uma proposição falsa, e a segunda, uma proposição verdadeira. e) Tanto a primeira asserção quanto a segunda são falsas.

Resumo de Filosofia. Preposição frase declarativa com um certo valor de verdade

Resumo de Filosofia. Preposição frase declarativa com um certo valor de verdade Resumo de Filosofia Capítulo I Argumentação e Lógica Formal Validade e Verdade O que é um argumento? Um argumento é um conjunto de proposições em que se pretende justificar ou defender uma delas, a conclusão,

Leia mais

Lógica Matemática e Computacional. 3.1 Relações lógicas de Euler

Lógica Matemática e Computacional. 3.1 Relações lógicas de Euler Lógica Matemática e Computacional 3.1 Relações lógicas de Euler Lógica Ciência dos argumentos; tem por objeto de estudo os argumentos, procurando elaborar procedimentos que permitam distinguir os argumentos

Leia mais

Lógica: Quadrado lógico:

Lógica: Quadrado lógico: Lógica: 1. Silogismo aristotélico: Podemos encara um conceito de dois pontos de vista: Extensão a extensão é um conjunto de objectos que o conceito considerado pode designar ou aos quais ele se pode aplicar

Leia mais

COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia. Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia. Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia 65 Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No. ROTEIRO DE RECUERAÇÃO ANUAL 2016 Data: / / FILOSOFIA 1º Ano do Ensino Médio 1º. O recuperando deverá

Leia mais

1ª AVALIAÇÃO DE LÓGICA BACHARELADO E LICENCIATURA EM FILOSOFIA (Prof. Rodolfo Petrônio) SOLUÇÃO DAS QUESTÕES DA PROVA

1ª AVALIAÇÃO DE LÓGICA BACHARELADO E LICENCIATURA EM FILOSOFIA (Prof. Rodolfo Petrônio) SOLUÇÃO DAS QUESTÕES DA PROVA 1ª AVALIAÇÃO DE LÓGICA BACHARELADO E LICENCIATURA EM FILOSOFIA 2016.2 (Prof. Rodolfo Petrônio) SOLUÇÃO DAS QUESTÕES DA PROVA 1. (1.0) Responda à seguinte pergunta, recorrendo às regras do silogismo. Você

Leia mais

LÓGICA I. André Pontes

LÓGICA I. André Pontes LÓGICA I André Pontes 1. Conceitos fundamentais O que é a Lógica? A LÓGICA ENQUANTO DISCIPLINA Estudo das leis de preservação da verdade. [Frege; O Pensamento] Estudo das formas válidas de argumentos.

Leia mais

Filosofia (aula 9) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 9) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 9) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Lógica O problema lógico, embora para alguns possa parecer artificial, impõe-se por si. Ele surge logo que se nota que alguns conhecimentos

Leia mais

Filosofia. Lógica. Lógica. Prof. José Fernando da Silva. Lógica:Proposições categoriais e silogismo aristotélico

Filosofia. Lógica. Lógica. Prof. José Fernando da Silva. Lógica:Proposições categoriais e silogismo aristotélico Filosofia Prof. José Fernando da Silva :Proposições categoriais e silogismo aristotélico A demonstração de um argumento coincide com a realização de uma operação de dedução. De acordo com Aristóteles,

Leia mais

Breve Resumo das Regras do Silogismo Aristotélico. Paulo Margutti FAJE

Breve Resumo das Regras do Silogismo Aristotélico. Paulo Margutti FAJE Breve Resumo das Regras do Silogismo Aristotélico Paulo Margutti FAJE Para que um argumento em forma silogística seja válido, ele deve obedecer a um conjunto de regras mais ou menos intuitivas, que são

Leia mais

Lógica Matemática e Computacional. 3 Silogismo Categórico

Lógica Matemática e Computacional. 3 Silogismo Categórico Lógica Matemática e Computacional 3 Silogismo Categórico O silogismo categórico É uma forma particular de raciocínio dedutivo, constituída por três proposições categóricas (que afirmam ou negam algo de

Leia mais

Fundamentos de Lógica e Algoritmos. Aula 1.2 Introdução a Lógica Booleana. Prof. Dr. Bruno Moreno

Fundamentos de Lógica e Algoritmos. Aula 1.2 Introdução a Lógica Booleana. Prof. Dr. Bruno Moreno Fundamentos de Lógica e Algoritmos Aula 1.2 Introdução a Lógica Booleana Prof. Dr. Bruno Moreno bruno.moreno@ifrn.edu.br Você está viajando e o pneu do seu carro fura! 2 Quais são os passos para se trocar

Leia mais

Para provar uma implicação se p, então q, é suficiente fazer o seguinte:

Para provar uma implicação se p, então q, é suficiente fazer o seguinte: Prova de Implicações Uma implicação é verdadeira quando a verdade do seu antecedente acarreta a verdade do seu consequente. Ex.: Considere a implicação: Se chove, então a rua está molhada. Observe que

Leia mais

11/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. O homem pensa, possui o dom da palavra, é um animal racional, e é isto que o distingue dos outros animais.

11/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. O homem pensa, possui o dom da palavra, é um animal racional, e é isto que o distingue dos outros animais. LÓGICA MATEMÁTICA Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com LÓGICA O homem pensa, possui o dom da palavra, é um animal racional, e é isto que o distingue dos

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO PARA IBGE Aula 02 Parte 1 Prof. Guilherme Neves

RACIOCÍNIO LÓGICO PARA IBGE Aula 02 Parte 1 Prof. Guilherme Neves Olá! Antes de começarmos o assunto desta aula, vamos resolver algumas questões da FGV referentes aos assuntos da aula passada. 01. (Pref. de Osasco 2014/FGV) Marcos afirmou: Todos os medicamentos que estão

Leia mais

Lógica Dedutiva e Falácias

Lógica Dedutiva e Falácias Lógica Dedutiva e Falácias Aula 3 Prof. André Martins Lógica A Lógica é o ramo do conhecimento humano que estuda as formas pelas quais se pode construir um argumento correto. O que seria um raciocínio

Leia mais

Silogismos Categóricos e Hipotéticos

Silogismos Categóricos e Hipotéticos Silogismos Categóricos e Hipotéticos Resumo elaborado por Francisco Cubal Apenas para publicação em Resumos.tk Primeiros objectivos a alcançar: Reconhecer os quatro tipos de proposições categóricas. Enunciar

Leia mais

ÍNDICE. Bibliografia CRES-FIL11 Ideias de Ler

ÍNDICE. Bibliografia CRES-FIL11 Ideias de Ler ÍNDICE 1. Introdução... 5 2. Competências essenciais do aluno... 6 3. Como ler um texto... 7 4. Como ler uma pergunta... 8 5. Como fazer um trabalho... 9 6. Conteúdos/Temas 11.º Ano... 11 III Racionalidade

Leia mais

19/05/2017 DOUGLAS LÉO RACIOCÍNIO LÓGICO

19/05/2017 DOUGLAS LÉO RACIOCÍNIO LÓGICO DOUGLAS LÉO RACIOCÍNIO LÓGICO 1. (VUNESP PERITO CRIMINAL PC-SP 2014) Das alternativas apresentadas, assinale a única que contém uma proposição lógica. a) Ser um perito criminal ou não ser? Que dúvida!

Leia mais

Cálculo proposicional

Cálculo proposicional O estudo da lógica é a análise de métodos de raciocínio. No estudo desses métodos, a lógica esta interessada principalmente na forma e não no conteúdo dos argumentos. Lógica: conhecimento das formas gerais

Leia mais

A METAFÍSICA E A TEORIA DAS QUATRO CAUSAS

A METAFÍSICA E A TEORIA DAS QUATRO CAUSAS A METAFÍSICA E A TEORIA DAS QUATRO CAUSAS O que é a metafísica? É a investigação das causas primeiras de todas as coisas existentes e estuda o ser enquanto ser. É a ciência que serve de fundamento para

Leia mais

Matemática Régis Cortes. Lógica matemática

Matemática Régis Cortes. Lógica matemática Lógica matemática 1 INTRODUÇÃO Neste roteiro, o principal objetivo será a investigação da validade de ARGUMENTOS: conjunto de enunciados dos quais um é a CONCLUSÃO e os demais PREMISSAS. Os argumentos

Leia mais

Lógica e Metodologia Jurídica

Lógica e Metodologia Jurídica Lógica e Metodologia Jurídica Argumentos e Lógica Proposicional Prof. Juliano Souza de Albuquerque Maranhão julianomaranhao@gmail.com Quais sentenças abaixo são argumentos? 1. Bruxas são feitas de madeira.

Leia mais

Exercícios de lógica -sensibilização

Exercícios de lógica -sensibilização Exercícios de lógica -sensibilização 1. Lógica matemática: Qual a lógica da seqüência dos números e quem é x? 2,4,4,6,5,4,4,4,4,x? 2. Charadas: lógica filosófica. Um homem olhava uma foto, e alguém lhe

Leia mais

Resumo aula. Conceituação; Origem; Lógica de programação; Argumentos; Lógica simbólica; Dedutivos; Indutivos;

Resumo aula. Conceituação; Origem; Lógica de programação; Argumentos; Lógica simbólica; Dedutivos; Indutivos; Aula 02 - Lógica Disciplina: Algoritmos Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: allbert.almeida@fatec.sp.gov.br Site: http://www.allbert.com.br /allbert.almeida Resumo aula Conceituação; Origem;

Leia mais

Enunciados Categóricos

Enunciados Categóricos Enunciados Categóricos Origem Aristóteles fez um estudo minucioso de certos tipos básicos de argumentos, estabelecendo regras para distinguir os que são válidos daqueles que não o são. Estes últimos são

Leia mais

Matemática discreta e Lógica Matemática

Matemática discreta e Lógica Matemática AULA 1 - Lógica Matemática Prof. Dr. Hércules A. Oliveira UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa Departamento Acadêmico de Matemática Ementa 1 Lógica Sentenças, representação

Leia mais

Proposições e argumentos. Proposições tem de ter as seguintes características:

Proposições e argumentos. Proposições tem de ter as seguintes características: Ser uma frase declarativa (afirmativa ou negativa) Ter sentido Proposições e argumentos Proposições tem de ter as seguintes características: Ter um valor de verdade( ser verdadeira ou falsa) possível determinável

Leia mais

Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias Filosofia - 11º A

Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias Filosofia - 11º A Curso Científico-Humanístico de Ciências e Tecnologias 2011-2012 Filosofia - 11º A Silogismo 12/10/11 Silogismo categórico Premissa maior Todo o gato é mamífero Premissa menor Os siameses são gatos Conclusão

Leia mais

LÓGICA - 2. ~ q. Argumentos Regras de inferência. Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva. 1) Proposição recíproca de p q :

LÓGICA - 2. ~ q. Argumentos Regras de inferência. Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva. 1) Proposição recíproca de p q : LÓGICA - 2 Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva 1) Proposição recíproca de p q : q p 2) Proposição contrária de p q : ~ p 3) Proposição contra positiva de p q : ~ p ex. Determinar:

Leia mais

PROINTER Projeto Integrado IV

PROINTER Projeto Integrado IV PROINTER Projeto Integrado IV Prof. Me. Érico Pagotto O que é Ciência? Organização de conhecimentos Conjunto de afirmações lógicas e relacionadas Tem um objeto ou campo definido Ex: Biologia, Sociologia,

Leia mais

INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA

INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA INE5403 FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA DISCRETA PARA A COMPUTAÇÃO PROF. DANIEL S. FREITAS UFSC - CTC - INE Prof. Daniel S. Freitas - UFSC/CTC/INE/2007 p.1/81 1 - LÓGICA E MÉTODOS DE PROVA 1.1) Lógica Proposicional

Leia mais

Cálculo proposicional

Cálculo proposicional O estudo da lógica é a análise de métodos de raciocínio. No estudo desses métodos, a lógica esta interessada principalmente na forma e não no conteúdo dos argumentos. Lógica: conhecimento das formas gerais

Leia mais

Professor conteudista: Ricardo Holderegger

Professor conteudista: Ricardo Holderegger Lógica Professor conteudista: Ricardo Holderegger Sumário Lógica Unidade I 1 SISTEMAS DICOTÔMICOS...3 1.1 Proposições...3 1.1.1 Proposições lógicas...3 1.1.2 Símbolos da lógica matemática...4 1.1.3 A negação...4

Leia mais

Autor: Francisco Cubal Disponibilizado apenas para Resumos.tk

Autor: Francisco Cubal Disponibilizado apenas para Resumos.tk Conceito e Finalidade da Lógica Existem variados conceitos do que é a Lógica. Conceitos: A lógica é o estudo das inferências ou argumentos válidos. A lógica é o estudo do que conta como uma boa razão para

Leia mais

Lógica Proposicional Parte 2

Lógica Proposicional Parte 2 Lógica Proposicional Parte 2 Como vimos na aula passada, podemos usar os operadores lógicos para combinar afirmações criando, assim, novas afirmações. Com o que vimos, já podemos combinar afirmações conhecidas

Leia mais

LÓGICA PROPOSICIONAL

LÓGICA PROPOSICIONAL FACULDADE PITÁGORAS Curso Superior em Tecnologia Redes de Computadores e Banco de dados Matemática Computacional Prof. Ulisses Cotta Cavalca LÓGICA PROPOSICIONAL Belo Horizonte/MG

Leia mais

PROF. ALEXSANDER COSTA LÓGICA FILOSOFIA

PROF. ALEXSANDER COSTA LÓGICA FILOSOFIA PROF. ALEXSANDER COSTA LÓGICA FILOSOFIA SUMÁRIO Raciocínio...p. 02 Lógica aristotélica...p.03 Princípios lógicos...p.04 Silogismo...p.04 Características do silogismo...p.04 Composição do silogismo...p.04

Leia mais

Lógica Matemática. Definição. Origem. Introdução

Lógica Matemática. Definição. Origem. Introdução Lógica Matemática Introdução 1 Definição A Lógica tem, por objeto de estudo, as leis gerais do pensamento, e as formas de aplicar essas leis corretamente na investigação da verdade. 2 Origem Aristóteles

Leia mais

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 10) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Lógica Tipos de Argumentação Dedução parte-se do Universal para o Particular Tipos de Argumentação Dedução parte-se do Universal para o Particular;

Leia mais

Lógica Indutiva. Aula 4. Prof. André Martins

Lógica Indutiva. Aula 4. Prof. André Martins Lógica Indutiva Aula 4 Prof. André Martins É uma bruxa? Lógica Clássica (Dedutiva) Na Lógica Clássica, determinamos a veracidade de proposições a partir de outras proposições que julgamos verdadeiras.

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO SECUNDÁRIO Planificação Anual 2012-2013 FILOSOFIA

Leia mais

Lógica. Cálculo Proposicional. Introdução

Lógica. Cálculo Proposicional. Introdução Lógica Cálculo Proposicional Introdução Lógica - Definição Formalização de alguma linguagem Sintaxe Especificação precisa das expressões legais Semântica Significado das expressões Dedução Provê regras

Leia mais

Ficha Informativa sobre Lógica

Ficha Informativa sobre Lógica Ficha Informativa sobre Lógica Introdução. O pensamento e a linguagem estão presentes em todos os domínios da nossa vida e a sua coerência depende do uso de alguns critérios, regras, leis ou princípios.

Leia mais

Prof.ª Dr.ª Donizete Ritter. MÓDULO II_PARTE 1: Lógica de Argumentação

Prof.ª Dr.ª Donizete Ritter. MÓDULO II_PARTE 1: Lógica de Argumentação Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Lógica Prof.ª Dr.ª Donizete Ritter MÓDULO II_PARTE 1: Lógica de Argumentação 1 Origem Aristóteles - filósofo grego - 342 a.c, sistematizou os conhecimentos

Leia mais

Lógica Computacional

Lógica Computacional Lógica Computacional Aula Teórica 6: Semântica da Lógica Proposicional António Ravara Simão Melo de Sousa Marco Giunti Departamento de Informática, Faculdade de Ciências e Tecnologia, NOVA LINCS, Universidade

Leia mais

Matemática Computacional. Introdução

Matemática Computacional. Introdução Matemática Computacional Introdução 1 Definição A Lógica tem, por objeto de estudo, as leis gerais do pensamento, e as formas de aplicar essas leis corretamente na investigação da verdade. 2 Origem Aristóteles

Leia mais

Raciocínio Lógico Matemático

Raciocínio Lógico Matemático Raciocínio Lógico Matemático Noções de Lógica Noções de Lógica 1. Lógica? É lógico! Qual é o significado da palavra lógica? É lógico estudar lógica? A quem interessa a lógica? Lógica Matemática? Caro aluno,

Leia mais

Lógicas Dedutiva e Indutiva

Lógicas Dedutiva e Indutiva Perguntas Lógicas Dedutiva e Indutiva 1. O que é lógica? 2. O que é uma dedução? 3. O que é uma indução? 4. Por que não parece natural pensar de forma lógica? 5. Resumindo Renato Vicente EACH-USP/2008

Leia mais

Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6)

Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6) Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6) LÓGICA APLICADA A COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Dedução Natural 3. Sistemas axiomático Pa 4. Lista

Leia mais

Raciocínio Lógico. Quantificadores Lógicos: Todo, Nenhum e Existente. Professor Edgar Abreu.

Raciocínio Lógico. Quantificadores Lógicos: Todo, Nenhum e Existente. Professor Edgar Abreu. Raciocínio Lógico Quantificadores Lógicos: Todo, Nenhum e Existente Professor Edgar Abreu www.acasadoconcurseiro.com.br Raciocínio Lógico QUANTIFICADORES LÓGICOS Chama-se argumento a afirmação de que

Leia mais

Matemática discreta e Lógica Matemática

Matemática discreta e Lógica Matemática AULA 1 - Lógica Matemática Prof. Dr. Hércules A. Oliveira UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa Departamento Acadêmico de Matemática Ementa 1. Lógica proposicional: introdução,

Leia mais

Lógicas Dedutiva e Indutiva. Renato Vicente EACH-USP/2008

Lógicas Dedutiva e Indutiva. Renato Vicente EACH-USP/2008 Lógicas Dedutiva e Indutiva Renato Vicente EACH-USP/2008 Perguntas 1. O que é lógica? 2. O que é uma dedução? 3. O que é uma indução? 4. Por que não parece natural pensar de forma lógica? 5. Resumindo

Leia mais

Raciocínio Lógico (Professor Uendel)

Raciocínio Lógico (Professor Uendel) Raciocínio Lógico (Professor Uendel) Material (03); SEFAZ; JULHO DE 2017 Todo DIAGRAMAS LÓGICOS No estudo das operações com conjuntos e das soluções de problemas envolvendo conjuntos, os diagramas ajudam

Leia mais

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Lógica Fernando Fontes Universidade do Minho Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Outline 1 Introdução 2 Implicações e Equivalências Lógicas 3 Mapas de Karnaugh 4 Lógica de Predicados

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO DE MOURO EXERCÍCIOS DE LÓGICA - INSTRUÇÕES GERAIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO DE MOURO EXERCÍCIOS DE LÓGICA - INSTRUÇÕES GERAIS EXERCÍCIOS DE LÓGICA - INSTRUÇÕES GERAIS Caro aluno, Vai encontrar aqui um conjunto de exercícios de lógica cujo objetivo é facilitar-lhe o estudo autónomo. Estes exercícios irão estar disponíveis num

Leia mais

Lógica Matemática UNIDADE II. Professora: M. Sc. Juciara do Nascimento César

Lógica Matemática UNIDADE II. Professora: M. Sc. Juciara do Nascimento César Lógica Matemática UNIDADE II Professora: M. Sc. Juciara do Nascimento César 1 1 - Álgebra das Proposições 1.1 Propriedade da Conjunção Sejam p, q e r proposições simples quaisquer e sejam t e c proposições

Leia mais

2 AULA. Conectivos e Quantificadores. lógicas. LIVRO. META: Introduzir os conectivos e quantificadores

2 AULA. Conectivos e Quantificadores. lógicas. LIVRO. META: Introduzir os conectivos e quantificadores 1 LIVRO Conectivos e Quantificadores Lógicos META: Introduzir os conectivos e quantificadores lógicos. OBJETIVOS: Ao fim da aula os alunos deverão ser capazes de: Compreender a semântica dos conectivos

Leia mais

Exercitando o raciocínio lógico-dedutivo!

Exercitando o raciocínio lógico-dedutivo! Exercitando o raciocínio lógico-dedutivo! Exercícios de raciocínio lógico-dedutivo a favor de Deus. Primeiramente devemos entender o conceito da dedução lógica, para então, realizarmos o seu exercício.

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO. Quantas dessas proposições compostas são FALSAS? a) Nenhuma. b) Apenas uma. c) Apenas duas. d) Apenas três. e) Quatro.

RACIOCÍNIO LÓGICO. Quantas dessas proposições compostas são FALSAS? a) Nenhuma. b) Apenas uma. c) Apenas duas. d) Apenas três. e) Quatro. RACIOCÍNIO LÓGICO 01. Uma proposição é uma sentença fechada que possui sentido completo e à qual se pode atribuir um valor lógico verdadeiro ou falso. Qual das sentenças apresentadas abaixo se trata de

Leia mais

RECEITA FEDERAL ANALISTA

RECEITA FEDERAL ANALISTA SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES São os elementos que expressam uma idéia, mesmo que absurda. Estudaremos apenas as proposições declarativas, que podem ser classificadas ou só como verdadeiras (V), ou só como

Leia mais

TEMA-PROBLEMA A comunicação e a construção do indivíduo

TEMA-PROBLEMA A comunicação e a construção do indivíduo TEMA-PROBLEMA 1.3. A comunicação e a construção do indivíduo Comunicação communicare pôr em comum, estar em relação com os outros, conviver. Tal implica que os indivíduos em comunicação possuam a mesma

Leia mais

FUNDAMENTOS DE LÓGICA E ALGORITMOS

FUNDAMENTOS DE LÓGICA E ALGORITMOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE FUNDAMENTOS DE LÓGICA E ALGORITMOS AULA 01 Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 27/05/2016 SUMÁRIO Introdução

Leia mais

Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Lógica Matemática. Introdução à Logica Matemática. Prof.ª Dr.ª Donizete Ritter

Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Lógica Matemática. Introdução à Logica Matemática. Prof.ª Dr.ª Donizete Ritter Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Lógica Matemática Introdução à Logica Matemática Prof.ª Dr.ª Donizete Ritter 1 Ementa: Caracterização e histórico da Lógica Matemática; Estruturas Lógicas:

Leia mais

Aula 02 Introdução à Lógica. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes

Aula 02 Introdução à Lógica. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Aula 02 Introdução à Lógica Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Agenda da Aula Conceitos Iniciais sobre Lógica; Argumento; Inferência; Princípios. Contextualização: Situação

Leia mais

Lógica predicados. Lógica predicados (continuação)

Lógica predicados. Lógica predicados (continuação) Lógica predicados (continuação) Uma formula está na forma normal conjuntiva (FNC) se é uma conjunção de cláusulas. Qualquer fórmula bem formada pode ser convertida para uma FNC, ou seja, normalizada, seguindo

Leia mais

Lógica para Computação (IF61B) Introdução à Lógica

Lógica para Computação (IF61B) Introdução à Lógica à Lógica Slides da disciplina Lógica para Computação, ministrada pelo Prof. Celso Antônio Alves Kaestner, Dr. Eng. (kaestner@dainf.ct.utfpr.edu.br) entre 2007 e 2008. Alterações feitas em 2009 pelo Prof.

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de proposições quantificadas Relação das questões comentadas Gabaritos...

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de proposições quantificadas Relação das questões comentadas Gabaritos... Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de proposições quantificadas... 10 Relação das questões comentadas... 14 Gabaritos... 15 1 Apresentação Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Esta é a aula demonstrativa

Leia mais

1. Verificar a Validade de silogismos: - Em cada caso identifique os termos, as figuras e os modos.

1. Verificar a Validade de silogismos: - Em cada caso identifique os termos, as figuras e os modos. 1 Exercícios de Lógica: 1. Verificar a Validade de silogismos: - Em cada caso identifique os termos, as figuras e os modos. 1.a Nenhum palhaço é feliz Alguns comediantes não são felizes Alguns comediantes

Leia mais

RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA DA FILOSOFIA E A DIMENSÃO DISCURSIVA DO TRABALHO FILOSÓFICO

RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA DA FILOSOFIA E A DIMENSÃO DISCURSIVA DO TRABALHO FILOSÓFICO RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA DA FILOSOFIA E A DIMENSÃO DISCURSIVA DO TRABALHO FILOSÓFICO Noções elementares de lógica para a disciplina de Filosofia. Documento elaborado no âmbito da definição das Aprendizagens

Leia mais

RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA DA FILOSOFIA E A DIMENSÃO DISCURSIVA DO TRABALHO FILOSÓFICO

RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA DA FILOSOFIA E A DIMENSÃO DISCURSIVA DO TRABALHO FILOSÓFICO RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA DA FILOSOFIA E A DIMENSÃO DISCURSIVA DO TRABALHO FILOSÓFICO Noções elementares de lógica para a disciplina de Filosofia. Documento elaborado no âmbito da definição das Aprendizagens

Leia mais

1-(FUNRIO TEC. ENF. PM RJ)

1-(FUNRIO TEC. ENF. PM RJ) 1-(FUNRIO TEC. ENF. PM RJ) Num determinado país, o governo instituiu, no mesmo mês, dois reajustes consecutivos no preço do litro da gasolina. O primeiro reajuste foi de 4% e o segundo reajuste, aplicado

Leia mais

As ferramentas da razão 1

As ferramentas da razão 1 As ferramentas da razão 1 A filosofia pode ser uma atividade extremamente técnica e complexa, cujos conceitos e terminologia chegam muitas vezes a intimidar aqueles que iniciam seus estudos filosóficos.

Leia mais

Douglas Léo PROPOSIÇÕES CATEGÓRICAS DE ARISTÓTELES: SILOGISMO

Douglas Léo PROPOSIÇÕES CATEGÓRICAS DE ARISTÓTELES: SILOGISMO Douglas Léo PROPOSIÇÕES CATEGÓRICAS DE ARISTÓTELES: SILOGISMO PROPOSIÇÕES CATEGÓRICAS DE ARISTÓTELES (384 a 322 a.c) SÉCULO IV A.C do por AB qualquer uma das quatro proposições categ ro proposições categóricas

Leia mais

18/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA

18/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA. Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA LÓGICA MATEMÁTICA Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com Lógica é usada para guiar nossos pensamentos ou ações na busca da solução. LÓGICA A lógica está

Leia mais

Lógica Matemática. Prof. Gerson Pastre de Oliveira

Lógica Matemática. Prof. Gerson Pastre de Oliveira Lógica Matemática Prof. Gerson Pastre de Oliveira Programa da Disciplina Proposições e conectivos lógicos; Tabelas-verdade; Tautologias, contradições e contingências; Implicação lógica e equivalência lógica;

Leia mais

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza Lógica Formal Matemática Discreta Prof Marcelo Maraschin de Souza Implicação As proposições podem ser combinadas na forma se proposição 1, então proposição 2 Essa proposição composta é denotada por Seja

Leia mais

REVISÃO DE ESTUDO 28/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA REVISÃO. 01 Na lista de frases apresentadas a seguir, há três proposições? Se sim, apresente-as.

REVISÃO DE ESTUDO 28/01/2016 LÓGICA MATEMÁTICA REVISÃO. 01 Na lista de frases apresentadas a seguir, há três proposições? Se sim, apresente-as. LÓGICA MATEMÁTICA Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com REVISÃO DE ESTUDO REVISÃO 01 Na lista de frases apresentadas a seguir, há três proposições? Se

Leia mais

CURSO: MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA: METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

CURSO: MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA: METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA CURSO: MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA: METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Prof. Dra. Renata Cristina da Penha França E-mail: renataagropec@yahoo.com.br -Recife- 2015 MÉTODO Método, palavra que vem do

Leia mais

1. = F; Q = V; R = V.

1. = F; Q = V; R = V. ENADE 2005 e 2008 Nas opções abaixo, representa o condicional material (se...então...), v representa a disjunção (ou um, ou outro, ou ambos) e ~ representa a negação (não). Com o auxílio de tabelas veritativas,

Leia mais

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula /

GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH. Professor Paulo Henrique PH Aula / 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO RACIOCÍNIO LÓGICO - EBSERH Professor Paulo Henrique PH Aula 04 R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E B S E R H a u l a 0 2 Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Ao utilizarmos os dados do problema para chegarmos a uma conclusão, estamos usando o raciocínio lógico.

Ao utilizarmos os dados do problema para chegarmos a uma conclusão, estamos usando o raciocínio lógico. CENTRO UNVERSITÁRIO UNA NOÇÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO Professor: Rodrigo Eustáquio Borges A disciplina Lógica Matemática tem como objetivo capacitar o aluno a reconhecer e aplicar os conceitos fundamentais

Leia mais

1 Conjuntos, Números e Demonstrações

1 Conjuntos, Números e Demonstrações 1 Conjuntos, Números e Demonstrações Definição 1. Um conjunto é qualquer coleção bem especificada de elementos. Para qualquer conjunto A, escrevemos a A para indicar que a é um elemento de A e a / A para

Leia mais

ÍNDICE. Lição 8 Conceitos Fundamentais da Teoria dos Conjuntos 49. Representação Simbólica dos Conceitos Fundamentais da Teoria dos

ÍNDICE. Lição 8 Conceitos Fundamentais da Teoria dos Conjuntos 49. Representação Simbólica dos Conceitos Fundamentais da Teoria dos ÍNDICE Prefácio PARTE I LÓGICA ARISTOTÉLICA Lição 1 Introdução. Lógica Aristotélica: Noções Básicas 9 Lição 2 O Quadrado da Oposição 15 Lição 3 Conversão, Obversão e Contraposição 21 Lição 4 A Teoria do

Leia mais

MD Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados 1

MD Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados 1 Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br http://www.dcc.ufmg.br/~loureiro MD Lógica de Proposições Quantificadas Cálculo de Predicados

Leia mais

Matemática Discreta - 04

Matemática Discreta - 04 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Matemática Discreta - 04 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Pré-Cálculo. Humberto José Bortolossi. Aula 2 13 de agosto de Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense

Pré-Cálculo. Humberto José Bortolossi. Aula 2 13 de agosto de Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense Pré-Cálculo Humberto José Bortolossi Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense Aula 2 13 de agosto de 2010 Aula 2 Pré-Cálculo 1 Problemas de organização e erros frequentes Problemas

Leia mais

n. 18 ALGUNS TERMOS...

n. 18 ALGUNS TERMOS... n. 18 ALGUNS TERMOS... DEFINIÇÃO Uma Definição é um enunciado que descreve o significado de um termo. Por exemplo, a definição de linha, segundo Euclides: Linha é o que tem comprimento e não tem largura.

Leia mais

Linguagem com sintaxe e semântica precisas: lógica. Mecanismo de inferência: derivado da sintaxe e da

Linguagem com sintaxe e semântica precisas: lógica. Mecanismo de inferência: derivado da sintaxe e da istemas de Apoio à Decisão Clínica, 09-1 1 Linguagem com sintaxe e semântica precisas: lógica. Mecanismo de inferência: derivado da sintaxe e da semântica. Importante: distinguir entre os fatos e sua representação

Leia mais

REDAÇÃO. Professora Rosane Reis MÓDULO 15 MÉTODOS DE RACIOCÍNIO

REDAÇÃO. Professora Rosane Reis MÓDULO 15 MÉTODOS DE RACIOCÍNIO REDAÇÃO Professora Rosane Reis MÓDULO 15 MÉTODOS DE RACIOCÍNIO SILOGISMO O silogismo - raciocínio dedutivo; argumentação que leva o interlocutor a uma inferência por meio de dois termos antecedentes que

Leia mais

CAPÍTULO I. Lógica Proposicional

CAPÍTULO I. Lógica Proposicional Lógica Proposicional CAPÍTULO I Lógica Proposicional Sumário: 1. Lógica proposicional 2. Proposição 2.1. Negação da proposição 2.2. Dupla negação 2.3. Proposição simples e composta 3. Princípios 4. Classificação

Leia mais

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO

MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES MODIICADORES São os elementos que expressam uma idéia, mesmo que absurda. Estudaremos apenas as proposições declarativas, que podem ser classificadas ou só como verdadeiras (),

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015 PLANIFICAÇÃO de Filosofia 11º ANO Gestão Temporal do Programa UNIDADE CONTEÚDO TEMPOS unidade CONTEÚDO LETIVOS TEMPOS LETIVOS Racionalidade

Leia mais

Método de indução. José Carlos Santos

Método de indução. José Carlos Santos Método de indução José Carlos Santos O termo «indução» tem origem na Filosofia. A entrada do Dicionário de Filosofia de Simon Blackburn que lhe diz respeito começa do seguinte modo: Indução Termo usado

Leia mais

Tipos de Raciocínio. Indução e Dedução. Prof. Samuel Swerts

Tipos de Raciocínio. Indução e Dedução. Prof. Samuel Swerts Tipos de Raciocínio Indução e Dedução Mesmo sendo tão perfeita, a Lógica não é a única representante de nossos raciocínios mais típicos. Temos várias outras formas e isso nos leva a dividi-las em métodos

Leia mais

Aula 00. Raciocínio Lógico para PCDF. Matemática e Raciocínio Lógico Professor: Guilherme Neves. Prof.

Aula 00. Raciocínio Lógico para PCDF. Matemática e Raciocínio Lógico Professor: Guilherme Neves.  Prof. Aula 00 Matemática e Raciocínio Lógico Professor: Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Apresentação Olá, pessoal! Em breve teremos o concurso para Polícia Civil do Distrito Federal. A banca organizadora

Leia mais

Lógica Proposicional. 1- O que é o Modus Ponens?

Lógica Proposicional. 1- O que é o Modus Ponens? 1- O que é o Modus Ponens? Lógica Proposicional R: é uma forma de inferência válida a partir de duas premissas, na qual se se afirma o antecedente do condicional da 1ª premissa, pode-se concluir o seu

Leia mais

Matemática para controle:

Matemática para controle: Matemática para controle: Introdução à Lógica Amit Bhaya, Programa de Engenharia Elétrica COPPE/UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro amit@nacad.ufrj.br http://www.nacad.ufrj.br/ amit Introdução

Leia mais

Universidade Aberta do Brasil - UFPB Virtual Curso de Licenciatura em Matemática

Universidade Aberta do Brasil - UFPB Virtual Curso de Licenciatura em Matemática Universidade Aberta do Brasil - UFPB Virtual Curso de Licenciatura em Matemática Argumentação em Matemática Prof. Lenimar Nunes de Andrade e-mail: numerufpb@gmail.com ou lenimar@mat.ufpb.br versão 1.0

Leia mais

n. 11 Argumentos e Regras de Inferência

n. 11 Argumentos e Regras de Inferência n. 11 Argumentos e Regras de Inferência A lógica formal lida com um tipo particular de argumento, denominado de argumento dedutivo, que nos permite deduzir uma conclusão Q, com base num conjunto de proposições

Leia mais

Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital

Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital Curso: Ciência da Computação Lívia Lopes Azevedo livia@ufmt.br Apresentação Plano de ensino Curso Conceitos básicos de lógica lógica proposicional Comportamento

Leia mais