Diego Felipe Reynaud Aplicação de uma ferramenta de monitoramento: Case Centreon

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diego Felipe Reynaud Aplicação de uma ferramenta de monitoramento: Case Centreon"

Transcrição

1 Dieg Felipe Reynaud Aplicaçã de uma ferramenta de mnitrament: Case Centren Aplicaçã e cnfiguraçã da ferramenta Centren Dcumentaçã: sbre aplicaçã e funcinament d Centren Revisã d artig: cmplementaçã d text

2 Aplicaçã de uma ferramenta de mnitrament: Case Centren Camila Martins Balsini, Dieg Felipe Reynaud Curs de Redes e Segurança de Sistemas Pntifícia Universidade Católica d Paraná Curitiba, Nvembr de 2009 Resum Apresentarems algumas características da ferramenta de mnitramente de redes Centren. Esta ferramenta é capaz de mnitrar s mais variads serviçs e equipaments que estejam envlvids em uma rede. Trata-se de uma visã geral de TI, para que um administradr de rede, u qualquer respnsável pr algum tip de serviç pssa prever e tmar uma atitude crretiva pró-ativa n suprte, em busca de garantir a dispnibilidade desse ambiente. Serã descrits pré-requisits, principais pnts da instalaçã, serviçs envlvids, características relevantes e exempls da ferramenta. Palavras chave: Centren, suprte, dispnibilidade e instalaçã. 1 Intrduçã O bjetiv deste artig é a apresentaçã da ferramenta de mnitrament Centren. Para um administradr de rede u para uma equipe de TI, nada melhr d que pder cntar cm uma ferramenta de mnitrament em temp real de ativs da rede. Estes ativs sã desde servidres, switchs, rteadres, estações de trabalh, enfim, tud que se pssa imaginar de suprte a infraestrutura de uma rede. Primeiramente será descrit tds s prgramas necessáris para iniciar a instalaçã e cnfiguraçã. Em seguida uma explicaçã de cm esta ferramenta pde ser utilizada e suas características. O Centren é OpenSurce, mas pdems adquirir pactes de treinament e licenças de suprte ns idimas inglês e francês. N Brasil ist nã é muit cmum, prém há a pssibilidade. Também deixams clar que nã representams a rganizaçã que a mantém, e que tds s direits sã reservads a ela. Nesta apresentaçã tratarems apenas ds aspects básics da ferramenta, nã

3 entrarems em maires detalhes sbre cnfigurações específicas u aplicações em ambientes. Tdavia, refrçarems peculiaridades da instalaçã, cm as principais dificuldades encntradas. Segue-se a descriçã das seções adicinadas a artig: Descriçã d cntext: cntextualizaçã d tema, mstrand as necessidades que levaram a esclha desta ferramenta e também uma intrduçã da descriçã d prjet. Descriçã d prjet: infrmações sbre a ferramenta desde iníci d prjet. Incluem a descriçã da ferramenta, s passs para a instalaçã e cnfiguraçã, além d funcinament. Cnclusã: as imprtantes cnclusões btidas na instalaçã, cnfiguraçã e utilizaçã da ferramenta e as experiências adquiridas. Referências: tdas as fntes usadas para realizaçã deste artig. 2 Descriçã d Cntext O mnitrament de redes é de suma imprtância para identificar pssíveis falhas em um ambiente. Em mund crprativ entã, exerce um papel fundamental para a administraçã. Cm esta identificaçã u alerta gerad previamente, pdems assegurar que haverá um trabalh pró-ativ executad pelas equipes de suprte, que buscam cntrle e desempenh aceitável. Das diversas ferramentas de mnitrament existentes, a esclhida para aplicaçã deste trabalh fi Centren. Ela é uma ferramenta de mnitramente de redes que trabalha integrada a Nagis. Este pr sua vez, frnece infrmações de prblemas de hardware e serviçs, ntificand pr mensagens SMS u . Já Centren frnece uma interface amigável que facilita a mnitraçã, cm utilizaçã de gráfics, banc de dads para armazenament, lgs de errs, descriçã em temp real, cntrle de acess de usuáris além das ntificações. Na verdade, se trata de uma interface melhrada para acmpanhament de cntrle se cmparada a Nagis. O Nagis, pr sua vez, a quem já cnhece, pde deduzir que é uma ferramenta de altíssim nível quand se trata de mnitrament. Ele cleta as infrmações ds ativs da rede através d prtcl SNMP que pssuem agentes cnfigurads para repassar estas infrmações a servidr Nagis. Após esta primeira tratativa Nagis gera arquivs cm a referência das MIBs previamente cnfiguradas, e cmeça entã a gerar lgs dessa

4 cmunicaçã. A partir dessa cmunicaçã é que Centren pde fazer us desta interface dispsta. Para a instalaçã desta ferramenta é recmendável a atualizaçã ds prgramas e pactes d sistema peracinal esclhid. Existem prgramas que sã de extrema imprtância para que se trne pssível a instalaçã. Vale salientar que a instalaçã desta ferramenta depende exclusivamente de um ambiente Linux. Neste artig a versã utilizada fi Fedra 10 I386. Através desta dcumentaçã será pssível ter uma nçã da aplicaçã d Centren para mnitraçã de redes. 3 Descriçã d Prjet O prjet da instalaçã d Centren é idealizad cm bjetiv de simular uma rede cm mnitrament virtual de um servidr. Psterirmente este prjet passará a se estender para uma aplicaçã crprativa. Para iss é utilizada neste ambiente de teste, a ferramenta de virtualizaçã VirtualBx da Sun [1]. O intuit é criar a instalaçã e a partir dela expandir para uma aplicabilidade real, em utr ambiente. Para que tud pssa funcinar perfeitamente, se faz necessári a instalaçã de alguns prgramas que serã psterirmente detalhads. 3.1 Pré-requisits de Instalaçã Um fatr que é de fundamental imprtância é a rdem das instalações ds pactes necessáris. Digams que é alg relativamente incnveniente realizar essas aplicações de frma manual, mas é extremamente necessári, sem elas ambiente nã irá funcinar. Outr fatr que deve ser levad em cnsideraçã, é atualizaçã d sistema. Lembre-se de antes de iniciar qualquer instalaçã certifique-se que seu sistema peracinal está atualizad, seja qual fr a sua distribuiçã. Prgramas Necessáris: Apache GD mdules (gd, fntcnfig-devel libjpeg-devel, gd-devel Perl-gd )

5 MySQL (penssl-devel,perl-dbd-mysql, mysql-server mysql-devel) PHP (php, php-myslq, php-gd, php-ldap php-xml) DBI mdules (Perl_DBI, Perl-DBD-MySQL) PERL mdules (perl-cnfig-inifiles, php-pear) RRDTls (rrdtl, Perl-rrdtl) SNMP (pearl_crypt-des, Perl-Digest-SHA1 perl-digest-hmac, netsnmp-utils, Perl-Scket6 perl-io-scket-inet6 net-snmp, net-snmp-libs, phpsnmp, dmidecde, lm_sensrs perl-net-snmp, ner-snmp-perl) NAGIOS (nagis, nagisplugin, ndutils) CENTREON Pactes necessáris: fping graphviz gcc (gcc-c++ libstdc++) glib2-devel Observaçã: tds s dwnlads pdem ser btids pel cmand yum u via aptget cas seja utilizad alguma versã derivada d Debian. 3.2 Instalaçã e Cnfiguraçã Após adquirir s dwnlads ds prgramas listads acima, pdems iniciar a instalaçã. É imprtante ressaltar que esta dcumentaçã nã trará tda a sequência de passs da instalaçã, smente detalhes que nã fazem parte da cnfiguraçã padrã. Para mais infrmações, cnsultar site d Centren [7] SNMP O Simple Netwrk Management Prtcl (SNMP), segund Dias [2], é um prtcl de gerência definid a nível de aplicaçã, é utilizad para bter infrmações de servidres SNMP agentes espalhads em uma rede baseada na pilha de prtcls TCP/IP (...).

6 N arquiv /etc/snmp/snmpd.cnf adicinar a seguinte linha: rcmmunity public /32 O arquiv citad acima é para cnfiguraçã d SNMP, alinha d cmand adicina a uma cmunidade. É acnselhável alterar public pr qualquer utr nme de sua esclha PEAR PHP Extensin and Aplicatin Repsitry (PEAR) pde ser definid cm uma bibliteca de códigs e gerência de pactes para PHP. [4] # pear channel-update pear.php.net, cmand para atualizar s cmand pear. Cas utilize algum prxy: # pear cnfig-set HTTP_prxy este cmand é bem particular, depende de sua cnfiguraçã de rede. Se fr seu cas, adicine nme u ip d seu Prxy junt cm a prta d serviç. As infrmações de Prxy devem ser adquiridas cm administradr de sua rede. O Pear necessita de váris pactes, é acnselhável a instalaçã na rdem listada a seguir para evitar prblemas de dependência. Estes pactes sã respnsáveis pela a instalaçã das ferramentas de imagens, gráfics, autenticaçã, cmunicaçã de rede, entre utr: 1) DB; 2) Date; 3) MDB2; 4) Validate; 5) Net_IDNA; 6) HTML_Cmmn2; 7) HTML_QuickFrm2; 8) HTML_Table; 9) HTML_QuickFrm_Advmultiselect; 10) Auth_SASL; 11) DB_DataObject; 12) Net_Scket; 13) Net_SMTP;

7 14) Net_tracerute; 15) Net_Ping; 16) Net_URL2; 17) HTTP_Request2; 18) SOAP; 19) Lg; 20) DB_DataObjet_FrmBuilder; Para instalar basta fazer dwnlad e usar d pacte cm seguinte cmand: # pear install <nme_dwnlad> Também é pssível fazer a instalaçã direta, u seja, d site [3]. Se ptar pel dwnlad diret, terá a necessidade de cnhecer nme de cada pacte. Sugir utilizar primeir cmand, pis esse depende da cnexã e nem sempre funcina crretamente, pr causa ds servidres de repsiçã de pactes certamente NAGIOS Nagis, segund Nagis Enterprise, LLC [5], é um sistema de mnitrament de rede e aplicaçã. Ele mnitra hsts e serviçs, alertand em cas de falhas. Ele atua cm um serviç em backgrund (segund plan) para Centren. Basicamente a diferença entre s dis é que Nagis nã pssui uma gerência aplicada e vltada para banc de dads ( que nã significa que ele nã pssui suprte, apenas que para iss acntecer depende de utras cnfigurações que fram adicinadas recentemente à ferramenta). Enquant Centren pssui esta característica aprimrada (frntend), u seja, uma aplicaçã já desenvlvida para trabalhar desta frma, desde as suas primeiras versões. Abaix alguns passs necessáris: Criar usuáris nagis: # /usr/sbin/useradd -m nagis, este cmand cria usuári hme, cas nã exista. # passwd nagis, após este cmand digite uma senha de sua esclha.

8 Grup para cnsultar externamente: # / usr/sbin/grupadd nagcmd # / usr/sbin /usermd -G nagis, nagis nagcmd, Para Apache acessar Nagis: # /usr/sbin/usermd -G nagis,nagcmd apache, este cmand adicina mais grups a usuári. Neste cas usuári apache fi adicinad as grups nagis e nagcmd. Prcess de cmpilaçã: #./cnfigure --prefix=/usr/lcal/nagis --with-cmmand-grup=nagcmd --enablenansleep --enable-event-brker # make all # make install # make install-init # make install-cmmandmde # make install-cnfig Instalaçã d plugin d Nagis: #./cnfigure --with-nagis-user=nagis --with-nagis-grup=nagis # make # make install N decrrer deste artig várias cmpilações sã realizadas para diversar ferramentas. N mment da cmpilaçã sã adicinadas infrmações de grups, usuáris, lcalizaçã de arquiv, entre utras cnfigurações. As linhas sã acrescentadas n cmand./cnfigure. Alguns exempls: Prefix- lcal que prgrama esta instalad; User usuári utilizad; Grup- grup utilizad NDOutils [9] é um utilitári (serviç) que permite exprtar s histórics d Nagis para uma banc, exempl, MySQL. Sem este, nã há cmunicaçã cm Banc de dads. Após esta exprtaçã, entã Centren realiza a cnsulta e apresenta s dads em sua

9 interface. Cmpilaçã e instalaçã: #./cnfigure --prefix=/usr/lcal/nagis/ --enable-mysql --disable-pgsql \ --with-nd2dbuser=nagis --with-nd2db-grup=nagis # make # cp./src/ndmd-3x. /usr/lcal/nagis/bin/ndmd. # cp./src/nd2db-3x /usr/lcal/nagis/bin/nd2db # cp./cnfig/nd2db.cfg /usr/lcal/nagis/etc/ # cp./cnfig/ndmd.cfg /usr/lcal/nagis/etc/ # chmd 774 /usr/lcal/nagis/bin/nd* # chwn nagis:nagis /usr/lcal/nagis/bin/nd* Executar nd cm daemn: É precis criar um script e adiciná-l na pasta de inicializaçã. Crie arquiv etc/init.d/nd2db e adicine seguinte script [10]:!/bin/sh # chkcnfig: # descriptin: Nagis t mysql # Authr : Gaëtan Lucas # Realase : 07/02/08 # Versin : 0.1 b # File : nd2db # Descriptin: Starts and stps the Nd2db daemn # used t prvide netwrk services status in a database. status_nd () {...} [10] Para adicinar na pasta de inicializaçã:

10 # chkcnfig --add nd2db, este cmand ativa e desativa serviçs, neste cas esta ativand serviç nd2db # chmd +x /etc/init.d/nd2db, altera permissã CENTREON O Centren [6] é uma ferramenta pensurce utilizada para mnitrament de hsts e serviçs. Cm ela administradr da rede se mantém em cnstante alerta. O envi de s cm relatóris traz infrmações precisas d que fi previamente cnfigurad. O que traz cmdidade e agilidade em um atendiment emergencial de suprte técnic. Garante pró-atividade n trabalh da TI. Sua interface é aprimrada e de fácil cmpreensã pr seu peradr. Traz gráfics bem definids, e relatóris preciss e fcads ns ambientes que fram previamente cnfigurads. Figura 1: Centren Instalaçã d Ambiente A instalaçã nã pde ser cnsiderada fácil, u simples de se executar. Ela envlve uma série de pré-requisits para que tenhams sucess nesta cnfiguraçã. Os passs smente serã cmentads nas dificuldades encntradas durante a execuçã. Após tdas as pré-instalações previamente citadas, inicia-se através d cmand: #./install.sh i Durante essa instalaçã, váris diretóris e arquivs sã criads u sã feitas verificações de sua existência, cas algum diretóri nã seja encntrad é recmendável que se faça uma busca n sistema de arquivs. N cas da instalaçã para artig, arquiv nã encntrad fi RRDs.pm. A frma de reslver fi criar uma busca n sistema de arquivs e digitand caminh nde este arquiv se encntrava. Mais a frente é feita uma verificaçã ds móduls d Pear. Após cnferir a instalaçã

11 ds móduls d Pear, se pr algum mtiv aparecer NOK, significa que esse módul nã está instalad. Para instalar será precis vltar, a sub-seçã: PEAR, que trata d módul em questã e psterirmente retrnar a esta etapa. Nã é precis cancelar a peraçã, instale s pactes pear e retrne a etapa Instalaçã Web D Centren Para iniciar a instalaçã web d Centren é necessári digitar n brwser A seguir s passs para a instalaçã web d centren. Em cada pass está descrit prcediment. 1) Clique em start; 2) Marque a caixa I Accept; 3) Altere Apache User e Apache Grup para apache; 4) Se tds s cmpnentes estiverem OK, clique em next; 5) Se tds s cmpnentes estiverem OK, clique em next; 6) N camp Centren Database Name adicine centren; 7) N camp Centstrage Database Name adicine centstrage; 8) Adicine uma senha e clique em next; 9) Certifique-se que MySql esteja carregand e clique em next; 10) Cmplete tds s camps cm dads de sua esclha e clique em next; 11) Deixe a pçã N assinalada; 12) É de grande imprtância que serviç SElinux esteja desabilitad. N arquiv /etc/selinux/cnfig adicine a seguinte linha: SELINUX=disabled Se pr acas a primeira verificaçã estiver cm err, pde ser prblema de permissã. O diretóri lcalizad em /usr/lcal/centren tem que estar n grup apache e dn também tem que ser apache. Cas nã se encntre assim, digite seguinte cmand: # chwn apache:apache /usr/lcal/centren 13) Se tds s cmpnentes estiverem OK, clique em next; 14) Finalize a instalaçã;

12 Após tds s pass uma tela igual a figura 2 a seguir, aparecerá. Digite a senha e lgin cadastrads na instalaçã e bas vindas na web d Centren. Figura 2: Lgin Centren Características d Centren O Centren pssui inúmeras características. Segund a empresa que mantém na sua linha suprte (Merethis ) e cm já cmentad diversas vezes, a ferramenta prvê praticamente suprte a 100% ds ativs da rede. Em nssas últimas verificações, cnseguims flagrar uma pssibilidade de mnitrament até de impressras que pssuem sua MIB prprietária. Ist em virtude de algumas características que serã citar brevemente. Lembra-se que tdas estas características listadas abaix pdem ser encntradas de frma ficial d site da ferramenta [6]. Algumas características que esta ferramenta pssui. Se cmparada cm as características d Nagis, elas sã bem semelhantes, até prque se cmplementam. Mnitrament em temp real: em virtude ds agentes cnfigurads para mnitrar s recurss da rede (via SNMP, u cnfiguraçã manual de apntament de serviç). Através da leitura desses (indiretamente, diga-se de passagem) Centren cnsegue criar relatóris de fácil entendiment técnic. Garantind um nível de alerta rápid e de extrema imprtância; Nich Segmentad de Alertas: é pssível criar um segment para cada tip de alerta. Pr exempl, uma falha em um banc de dads, pde ser tratada diretamente pela equipe respnsável. O alerta pde ser enviad via a DBA (Data Base Administratr) sem a necessidade d administradr de rede ser intermediadr da falha. Ou pr exempl, utra determinada equipe de help-desk pde saber que uma determinada máquina, de um usuári X precisa ser trcad, pr uma pssível falta de espaç em disc.

13 Métricas de Desempenh: sã pssíveis cmparativs de métricas de desempenh de uma determinada aplicaçã (via serviçs), hsts, e demais ativs. Essas métricas pdem ser dentr de um determinad períd, u cmparativs entre hsts distints, mas que pssuem mesm prpósit, exempl, um rede de prcessament distribuíd, e prque nã, até mesm uma rede neural de inteligência artificial existentes em instituts de pesquisa e prcessament avançad. Diagnóstic peracinal: pde parecer tla a idéia de serms infrmads segunds antes de uma falha, mas esse temp pde ser suficiente para acinar um n-break emergencial em uma estaçã/servidr que pssa necessitar. Esse diagnóstic é bem simples e bjetiv. Nã traz muits detalhes, pde ser apenas um enviad cm nme d serviç, servidr, e IP que está cm uma falha, u pssível falha. Este diagnóstic depende diretamente d que pdems chamar de sensibilidade da cnfiguraçã ds alertas. Templates gráfics cnfiguráveis: pr pssuir a característica de ser uma ferramenta Web, Centren é amplamente cnfigurável, seus templates pdem ser criads de várias maneiras e persnalizads cnfrme a necessidade, cnheciment e criatividade de quem administra. Bibliteca de históric: a ferramenta pr padrã cria uma bibliteca cm lgs de errs e das falhas de cmunicaçã que pdem ser geradas. Esses lgs sã tratads pel Centrn diretamente n banc de dads, que garante um históric vast de infrmações. Depis cm passar d temp, depende d DBA, u administradr minerar estes dads para que pssam se trnar infrmações estatísticas d seu trabalh. Gerenciament através de SNMP: utiliza prtcl SNMP para mnitrament. Este precisa que existam agentes e servidres cnfigurads para que haja cmunicaçã entre s dispsitivs envlvids. Aplica-se em qualquer tplgia de rede: é pssível implementar Centren em qualquer tplgia de rede, desde redes cm pucs hsts interligads, cm cas das redes segmentadas pr grup de trabalh, cm até mesm grandes WANs interligadas via VPN através de dmínis cmplexs cm autenticaçã LDAP. Desenvlvid cm AJAX: implementa cnceits d AJAX, juntamente cm XLST. Iss sem falar na grande quantidade de PHP brut envlvid e HTML. Banc de Dads: pde ser cnfigurad para funcinar cm MySQL (mais cmum) u cm PstgreSQL. Ambs prmvem um excelente desempenh em buscas e geraçã de relatóris.

14 Essas fram as principais características. Pde-se encntrar u acrescentar diversas utras, cm a pssibilidade de envis SMS de alertas, autenticaçã em centrais telefônicas cm envi de mensagens de vz, lgs de acesss, entre utras Exempls d Centren Na sequência serã mstrads alguns exempls d que Centren é capaz de ns infrmar, cm: mdels de interface padrã empregads na ferramenta. Gráfics estatístics: identificam e geram infrmações, cnfrme a figura 3 a seguir, para um acmpanhament pró-ativ. Pdem-se prever certas situações que pssam gerar indispnibilidade de algum serviç da rede. Figura 3: Gráfics Estatístics Mnitrament em temp real: a seguir um exempl, figura 4, de uma infrmaçã simples e bjetiva. Mstra em um cenári analisad, a quantidade de hsts e serviçs ativs. A analisar este gráfic, principalmente cm relaçã a de hsts, que nã significam que sã 92,16% de hsts ativs e que restante sã cm falha. Mstra apenas que agente nã pde

15 encntrar alguns hsts. Certamente vale cm alerta para verificar alguns cass específics que venham a surgir. Figura 4: Mnitrament em temp real Cmparativ de Métricas: cnfrme cmentad anterirmente, fi gerad um cmparativ cm a própria ferramenta para averiguar um equipament, u qualquer utr ativ envlvid. Este cmparativ pde ser também exprtad, figura 5 a seguir, em frmat csv para análise através de utra ferramenta estatística. Ist é bm, pis nã se cria uma dependência ds relatóris gerads pel Centren, assim clhem-se dads de váris lugares e cmpilá-ls em uma única tabela, pr exempl. Figura 5: Cmparativ entre ativs

16 Relatóris: sã inúmeras as pssibilidades de relatóris que a ferramenta ferece. Depende da dispsiçã e criatividade de quem a cntrla. A seguir um exempl, figura 6, de relatóri pr segment de grup. Neste sã apntads serviçs de um determinad hst em funçã de um períd. Figura 6: Relatóri de grup de serviçs cm relaçã a períd Cnfiguraçã d Nagis via Centren: Nagis está para Centren, assim cm pret está para branc. Nã é demaggia dizer que se cmbinam. Através da cnfiguraçã d Centen, tems cntrle ttal ds serviçs prestads pel Nagis. Nele pdems cnfigurar cnfrme figura 7 a seguir, a frma de mnitrament, hst a ser mnitrad, template a ser usad, grup que será atribuíd, usuári u grup que receberá alerta, entre utrs.

17 Figura 7: Cnfiguraçã d Nagis via Centren Mensagem de alerta: as mensagens de alertas sã diretas, u pdem, dependend d cas, ser persnalizadas para trazer maires detalhes. Segue um exempl, figura 8, de uma mensagem: Figura 8: Exempl de alerta

18 Funcinament d Centren Basicamente Centren depende de quatr serviçs básics, que já fram cmentads, mas que vale lembrar antes de encerrarms esta dcumentaçã. Sã eles: Apache: serviç respnsável pr manter a interface web ativa. Sem este serviç, nã só Centren, mas sim cm também qualquer utra página web que esteja vinculada cm este servidr nã irá funcinar. NDO2DB: este é serviç respnsável pela cmunicaçã e envi das infrmações para banc de dads. Ele clhe as infrmações de lg geradas pels agentes, e as envia para banc. Sem ele é impssível ter gerenciament cm tdas aquelas características citadas anterirmente. MySQL u PstgreSQL: independente d banc esclhid, seu serviç deve estar ativ bviamente para que as infrmações pssam ser armazenadas adequadamente. Recentemente fi intrduzid PstgreSQL cm banc suprtável ficialmente pela ferramenta. Nagis: nã pde faltar serviç d Nagis, figura 9 a seguir. Sem ele Centren nã irá trazer nenhuma infrmaçã. Figura 9: Serviçs necessáris O funcinament d sistema Centren de mnitramente basicamente segue seguinte flux cnfrme figura 10, a seguir: 1) O Nagis mnitra através ds agentes e móduls s recurss da rede. Agentes sã espalhads para que pssam enviar alguma infrmaçã para servidr; 2) O Nagis registra esses fats clhids em arquivs de lg; 3) Psterirmente serviç NDO2DB entra em açã, buscand desses arquivs as infrmações e as gravand n banc de dads;

19 4) Gravadas n banc de dads, Centren busca as infrmações e aplica em seus templates de cnfiguraçã e s apresenta a usuári. Abaix esquema de cm este flux prcede. Figura 10: Esquema funcinament Centren 4 Cnclusã Após a realizaçã deste, percebe-se que a ferramenta atendeu as necessidades, prém é decepcinante grau de cmplexidade envlvid na cnfiguraçã da mesma. Tdavia, se trnu de suma imprtância para ambiente crprativ, e a partir desta experiência, pssibilitu aprfundament de seus recurss em busca d melhr aprveitament, cm uma visã de prever a indispnibilidade de um serviç e pder tratá-l da frma antecipada e adequada. Seguem-se dis pnts que devem ser levads em cnsideraçã: Pnt Psitiv: se bem cnfigurada traz um cntrle ttal ds ativs envlvids. Seus alertas sã preciss e instantânes cm relaçã à checagem de uma falha. Seu Layut é bjetiv, simples e técnic. Pde ser instalada em diversas distribuições Linux. Pnt Negativ: cnfrme cmentad, dependente de muits pactes e de utras ferramentas. A dcumentaçã escassa em nss idima. Falta de padrnizaçã na instalaçã. Cada versã pssui suas peculiaridades. É cm mntar um bm quebra-cabeça. A ferramenta nã é perfeita, mas ns truxe segurança para divulgá-la e de clcá-la

20 em execuçã n ambiente que fr precis. REFERÊNCIAS [1] LINUX MAGAZINE. Mnitrament de redes. Linux New Media: númer 31, junh de [2] DIAS, Bethvem Zanella. Prtcl de gerenciament SNMP. Dispnível em: Acessad em: [3] The PHP Grup. Packages (544). Dispnível em: Acessad em: [4] The PHP Grup. PEAR - PHP Extensin and Applicatin Repsitry. Dispnível em: Acessad em: [5] Nagis Enterprises, LLC. Abut Nagis. Dispnível em: Acessad em: [6] Centren. Dispnível em: Acessad em: [7] Wiki Centren. Dispnível em: Acessad em: [8] SurceFrge, Inc. General. Dispnível em: Acessad em: [9] Nagis Enterprises, LLC. Nagis Addns. Dispnível em: Acessad em: [10] Wiki Centren. Setup:ndutils. Dispnível em: Acessad em:

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

Administração de Redes Servidores de Aplicação

Administração de Redes Servidores de Aplicação 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administraçã de Redes Servidres de Aplicaçã

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Acess Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo GT-ATER: Aceleraçã d Transprte de Dads cm Empreg de Redes de Circuits Dinâmics RT3 - Avaliaçã ds resultads d prtótip Sand Luz Crrêa Kleber Vieira Cards 03/08/2013 1. Apresentaçã d prtótip desenvlvid Nesta

Leia mais

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras FKcrreisg2_cp1 - Cmplement Transprtadras Instalaçã d módul Faça dwnlad d arquiv FKcrreisg2_cp1.zip, salvand- em uma pasta em seu cmputadr. Entre na área administrativa de sua lja: Entre n menu Móduls/Móduls.

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Pnt Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

Aula 11 Bibliotecas de função

Aula 11 Bibliotecas de função Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Aula 11 Biblitecas de funçã 1. Intrduçã À medida que um prgrama cresce

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Todos os direitos reservados Versão 1.2

Todos os direitos reservados Versão 1.2 Guia de Relatóris Tds s direits reservads Versã 1.2 1 Guia de Relatóris Índice 1 Pedids... 3 1.1 Mnitr de Pedids... 3 1.2 Pedids... 4 1.3 Estatísticas de Pedids... 5 1.4 Acess e Cnsum... 7 1.5 Pedids pr

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

1 Criando uma conta no EndNote

1 Criando uma conta no EndNote O EndNte Basic (anterirmente cnhecid pr EndNte Web), é um sftware gerenciadr de referências desenvlvid pela Editra Thmsn Reuters. Permite rganizar referências bibligráficas para citaçã em artigs, mngrafias,

Leia mais

Processo TCar Balanço Móbile

Processo TCar Balanço Móbile Prcess TCar Balanç Móbile Tecinc Infrmática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centr Cascavel PR 1 Sumári Intrduçã... 3 Funcinalidade... 3 1 Exprtaçã Arquiv Cletr de Dads (Sistema TCar)... 4 1.1 Funcinalidade...

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ)

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) Este case apresenta a aplicaçã da sluçã Elipse E3 para aprimrar mnitrament da temperatura encntrada

Leia mais

Manual de Configuração

Manual de Configuração Manual de Cnfiguraçã Pnt de Venda (PDV) Versã: 1.1 Índice 1 EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.1 INSTALANDO O TERMINAL EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.2 CAPTURANDO O NÚMERO DE SÉRIE E O GT DO

Leia mais

PDF Livre com o Ghostscript

PDF Livre com o Ghostscript PDF Livre cm Ghstscript Um tutrial para criaçã de um geradr de arquivs PDF em Windws, basead em ferramentas gratuitas. Márci d'ávila, 05 de mai de 2004. Revisã 8, 20 de setembr de 2007. Categria: Text

Leia mais

2º Passo Criar a conexão via ODBC (Object DataBase Conection)

2º Passo Criar a conexão via ODBC (Object DataBase Conection) Prjet de Sexta-feira: Prfessra Lucélia 1º Pass Criar banc de dads u selecinar banc de dads. Ntas: Camps nas tabelas nã pdem cnter caracteres acentuads, especiais e exclusivs de línguas latinas. Nã há necessidade

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações Mdelagem, qualificaçã e distribuiçã em um padrã para geinfrmações Julia Peixt 14h, 14 de junh de 2010. Mtivaçã Acerv de dads desde 1994 em diferentes áreas de pesquisa; Muitas pessas fazend muits trabalhs

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador Reprts Relatóris à sua Medida Reprts Cpyright 1999-2006 GrupPIE Prtugal, S.A. Reprts 1. WinREST Reprts...5 1.1. Licença...6 1.2. Linguagem...7 1.3. Lgin...7 1.4. Página Web...8 2. Empresas...9 2.1. Cm

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

Procedimento de Configuração de Ambiente

Procedimento de Configuração de Ambiente Ministéri da Saúde Nme d Prjet Respnsável d Prjet / Área E-mail Telefne e-sus Hspitalar suprteesus@datasus.gv.br Respnsável E-mail Telefne suprteesus@datasus.gv.br Prcediment de Cnfiguraçã de Ambiente

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

Matemática / 1ª série / ICC Prof. Eduardo. Unidade 1: Fundamentos. 1 - Introdução ao Computador

Matemática / 1ª série / ICC Prof. Eduardo. Unidade 1: Fundamentos. 1 - Introdução ao Computador Unidade 1: Fundaments 1 - Intrduçã a Cmputadr Cnceits básics e Terminlgias O cmputadr é uma máquina eletrônica capaz de realizar uma grande variedade de tarefas cm alta velcidade e precisã, desde que receba

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

Processo de envio de e-mail de marketing

Processo de envio de e-mail de marketing Prcess de envi de e-mail de marketing Intrduçã Visand um melhr gerenciament ns prcesss de marketing das empresas, fi desenvlvid uma nva funcinalidade para sistema TCar, que tem pr finalidade realizar envis

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software).

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software). HARDWARE e SOFTWARE O Cmputadr é cmpst pr duas partes: uma parte física (hardware) e utra parte lógica (sftware). Vcê sabe qual é a diferença entre "Hardware" e "Sftware"? Hardware: é nme dad a cnjunt

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Dcumentaçã de Versã Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 6 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.1 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.1... 2 PRESTADOR... 2 CLIENTE...

Leia mais

Controle de Atendimento de Cobrança

Controle de Atendimento de Cobrança Cntrle de Atendiment de Cbrança Intrduçã Visand criar um gerenciament n prcess d cntrle de atendiment de cbrança d sistema TCar, fi aprimrad pela Tecinc Infrmática prcess de atendiment, incluind s títuls

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica XVIII Seminári Nacinal de Distribuiçã de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de utubr 7.2 Olinda - Pernambuc - Brasil Autmaçã na Distribuiçã: O Prcess de autmaçã ds equipaments de linha na rede CELPE.

Leia mais

UMG 100. User Media Gateway to E1 and VoIP. Transcoding nos 30 canais. Cancelamento de eco. Suporte SNMP. CDR personalizável

UMG 100. User Media Gateway to E1 and VoIP. Transcoding nos 30 canais. Cancelamento de eco. Suporte SNMP. CDR personalizável UMG 100 User Media Gateway t E1 and VIP Transcding ns 30 canais Cancelament de ec Suprte SNMP CDR persnalizável Design Clean e facilidade de instalaçã O UMG 100 é um user gateway da linha de Media Gateways

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC)

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) 1 III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) III.3.1. DEFINIÇÃO A tecnlgia HFC refere-se a qualquer cnfiguraçã de fibra ótica e cab caxial que é usada para distribuiçã lcal de serviçs de cmunicaçã faixa

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO A Lógica de Prgramaçã é necessária à tdas as pessas que ingressam u pretendem ingressar na área de Tecnlgia da Infrmaçã, send cm prgramadr, analista de sistemas u suprte.

Leia mais

Sistema: Jera Store & Service Versão : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banco de Dados: Firebird - Versão: 2.5.3 Data: 05/04/2015

Sistema: Jera Store & Service Versão : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banco de Dados: Firebird - Versão: 2.5.3 Data: 05/04/2015 Sistema: Jera Stre & Service Versã : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banc de Dads: Firebird - Versã: 2.5.3 Data: 05/04/2015 O sistema cntempla s móduls abaix. Os móduls adicinais (cmercializads a parte) estã destacads:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

Usar um dispositivo Android

Usar um dispositivo Android Andrid Cntrle e cmand Transfrme Andrid em um eficiente cntrle remt para uma máquina Linux. pr Dmitri Ppv Usar um dispsitiv Andrid para acessar e cntrlar máquinas Linux remtas nã é uma ideia nva, e uma

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS.

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS. Históric de Revisões Revisã Data Descriçã da Revisã Mtiv da Revisã 11 20/08/09 Ajustes de hardware dispar Sirene PST 12 14/11/09 AJUSTES SOFTWARE 13 25/11/09 Ajustes de hardware, falha n mdul GSM na trca

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

Cisco CUCM Bloqueio de chamadas por Calling Party Number (ID): Tradução por Rogerio Rodrigues

Cisco CUCM Bloqueio de chamadas por Calling Party Number (ID): Tradução por Rogerio Rodrigues Cisc CUCM Blquei de chamadas pr Calling Party Number (ID): Traduçã pr Rgeri Rdrigues De temps em temps, administradr d Cisc Unified Cmmunicatins Manager (CUCM) recebe um pedid para blquear chamadas de

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO CRIVO 4

MANUAL DE INSTALAÇÃO CRIVO 4 MANUAL DE INSTALAÇÃO CRIVO 4 Platafrma Windws 2008 e 2012 12 de Agst de 2014 Rua Vergueir, 2016 11º andar Vila Mariana CEP 04102-000 Sã Paul SP Tel.: 11 5904-7830 www.criv.cm.br Email: suprte@criv.cm.br

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Event Viewer - Criando um Custom View

Event Viewer - Criando um Custom View Event Viewer - Criand um Custm View Qui, 06 de Nvembr de 2008 18:21 Escrit pr Daniel Dnda Cnhecend Event Viewer Muit imprtante na manutençã e mnitrament de servidres Event Viewer é uma ferramenta que gera

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

Sistemas de Alarme. Anunciador de Alarmes Digital e.tool ME3011 view Manual de Software PRODUTOS SERIADOS

Sistemas de Alarme. Anunciador de Alarmes Digital e.tool ME3011 view Manual de Software PRODUTOS SERIADOS Sistemas de Alarme PRODUTOS SERIADOS Anunciadr de Alarmes Digital e.tl ME3011 view Manual de Sftware Manual e.tl ME3011 view 5.06.3_P r08 5.02.1 1/53 1 Infrmações Intrduçã 5 Cnsiderações 6 2 Instaland

Leia mais

BANKSYNC ALGORITMO PARA GERAÇÃO DO CÓDIGO DE BARRAS (DLL)

BANKSYNC ALGORITMO PARA GERAÇÃO DO CÓDIGO DE BARRAS (DLL) OBJETIVO O algritm para geraçã d códig de barras (dll) utilizad n SAP Business One (SBO) deve ser instalad e cnfigurad adequadamente para pssibilitar a visualizaçã e impressã de blets lcalmente, assim

Leia mais

Microsoft Live Meeting 2007 Como Gravar uma Reunião

Microsoft Live Meeting 2007 Como Gravar uma Reunião M A N U A L D O A D M I N I S T R A D O R Micrsft Live Meeting 2007 Cm Gravar uma Reuniã O Micrsft Office Live Meeting ferece um recurs de gravaçã que lhe permite capturar td pressinament de teclas, slides

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

MANUAL DOS GESTORES DAA

MANUAL DOS GESTORES DAA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - NTI MANUAL DOS GESTORES DAA MÓDULOS: M atrícula e P rgramas e C DP [Digite resum d dcument aqui. Em geral, um resum é um apanhad

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOS DOS CONVÊNIOS...

Leia mais

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager!

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager! WEB MANAGER Cnhecend Web Manager! O Web Manager é uma pdersa ferramenta para gestã de Sites, prtais, intranets, extranets e htsites. Cm ela é pssível gerenciar ttalmente seus ambientes web. Integrad ttalmente

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares

MIT Kerberos V5 Diogo Dias João Soares MIT Kerbers V5 Dig Dias Jã Sares Objectiv Case Study de uma pssível utilizaçã d Kerbers Verificaçã das ferramentas existentes Estad da tecnlgia (nmeadamente, Open Surce) Alguma aplicaçã na rede FEUPNET

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK Use as instruções de acrd cm a versã d seu Outlk (2010, 2007 u 2003) Para saber a versã de seu Outlk, clique n menu Ajuda > Sbre Micrsft Office

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA LINUX

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA LINUX GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA LINUX Cnteúd 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CARACTERÍSTICAS DO WINCONNECTION WEB FILTER PARA LINUX... 3 3. INSTALAÇÃO... 4 3.1. REQUISITOS DE SOFTWARE... 4 3.2. REQUISITOS DE HARDWARE...

Leia mais

Regulamento da Feira de Ciência

Regulamento da Feira de Ciência Regulament da Feira de Ciência A Feira A Feira de Ciência é um é um prject rganizad pel Núcle de Física d Institut Superir Técnic (NFIST). Esta actividade cnsiste em desenvlver um prject científic pr um

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

IBOConsole Instalação e Configuração. Ferramenta para gerenciamento do banco de dados.

IBOConsole Instalação e Configuração. Ferramenta para gerenciamento do banco de dados. IBOCnsle Instalaçã e Cnfiguraçã Ferramenta para gerenciament d banc de dads. 2 IBOCnsle ÍNDICE INSTALAÇÃO IBOCONSOLE... 3 CONFIGURAÇÃO IBOCONSOLE... 6 Menu Cnsle... 6 Menu View... 8 Menu Server... 8 Menu

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Utilização do conversor RS232/RS485 (PMC712) com controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Ntas de Aplicaçã Utilizaçã d cnversr RS232/RS485 (PMC712) cm cntrladres HI HI Tecnlgia Dcument de acess públic ENA.00034 Versã 1.00 setembr-2010 HI Tecnlgia Utilizaçã d cnversr RS232/RS485 (PMC712) cm

Leia mais

Mensagem do atendimento ao cliente

Mensagem do atendimento ao cliente ASSUNTO: Cisc WebEx: Patch padrã a ser aplicad em [[DATA]] para [[WEBEXURL]] Cisc WebEx: Patch padrã em [[DATA]] A Cisc WebEx está enviand esta mensagem para s principais cntats de negóci em https://[[webexurl]]

Leia mais

CADERNO DE PROVA NÍVEL SUPERIOR EM INFORMÁTICA I N S T R U Ç Õ E S

CADERNO DE PROVA NÍVEL SUPERIOR EM INFORMÁTICA I N S T R U Ç Õ E S 1 PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO CONCURSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS GOIÂNIA CADERNO DE PROVA NÍVEL SUPERIOR EM INFORMÁTICA I N S T R U Ç Õ E S Verifique

Leia mais

RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA AQUISIÇÃO DE IMAGENS RADIOLÓGICAS PARA CRIAÇÃO DE RÉPLICAS FETAIS ATRAVÉS DE IMPRESSÃO 3D

RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA AQUISIÇÃO DE IMAGENS RADIOLÓGICAS PARA CRIAÇÃO DE RÉPLICAS FETAIS ATRAVÉS DE IMPRESSÃO 3D RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA AQUISIÇÃO DE IMAGENS RADIOLÓGICAS PARA CRIAÇÃO DE RÉPLICAS FETAIS ATRAVÉS DE IMPRESSÃO 3D ULTRASSONOGRAFIA OBSTÉTRICA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA FETAL ANEXO 1 TUTORIAL PARA EXPORTAÇÃO

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas Versã: 3.0.0.48 Empresa: TrucksCntrl Slicitante: Diretria Respnsável: Fernand Marques Frma de Slicitaçã: e-mail/reuniã Analista de Negóci: Fábi Matesc Desenvlvedr: Fabian Suza Data: 24/09/2012 Sistema

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 8 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.2 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.2... 2 SEGURANÇA... 2 SAÚDE... 2 SAÚDE/AUDIOMETRIA...

Leia mais

Autocalibração com erros relacionados ao Sistema, Auto CQ e Troca de Reagente

Autocalibração com erros relacionados ao Sistema, Auto CQ e Troca de Reagente As Clientes ds Sistemas de Química ADVIA. Referente: Ntificaçã Urgente de Segurança em Camp CHSW 13 03 10816443 Rev. A Data Nvembr / 2013 E-mail assunts.regulatris.br@siemens.cm Internet www.siemens.cm

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO PARA GESTÃO DE ATENDIMENTO MODELO: SIGA WEB

SISTEMA INTEGRADO PARA GESTÃO DE ATENDIMENTO MODELO: SIGA WEB SISTEMA INTEGRADO PARA GESTÃO DE ATENDIMENTO MODELO: SIGA WEB A SOLUÇÃO SIGA WEB gera e cntrla uma senha para cada cliente, utilizand cnceits WEB, INTRANET e INPOSSUINET em tdas as suas funcinalidades,

Leia mais

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos

Versão 14.0 Junho 2015 www.psr-inc.com Contato: sddp@psr-inc.com. Representação mais detalhada da operação em cada estágio: 21 blocos Versã 14.0 Junh 2015 www.psr-inc.cm Cntat: sddp@psr-inc.cm SDDP VERSÃO 14.0 Nvidades Representaçã mais detalhada da peraçã em cada estági: 21 blcs Tradicinalmente, a peraçã de cada estági (semana u mês)

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Guia de Instalação SIAM. Módulo GPRS/GSM Instalação e Manual do Usuário

Guia de Instalação SIAM. Módulo GPRS/GSM Instalação e Manual do Usuário Guia de Instalaçã SIAM Módul GPRS/GSM Instalaçã e Manual d Usuári Dcument Gerad pr: Amir Bavar Criad em: 02/06/2006 Última mdificaçã: 28/09/2008 SIAM Módul GPRS/GSM Intrduçã: O módul GPRS/GSM é uma pçã

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO V2.04 S4 Página 1 de 14 INDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.04 DO SST...3 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.04...3 PRESTADOR...3 Relatóri de Metas...3 CLIENTE...4 Tela

Leia mais

Manual de configuração. Exemplo de instalação e configuração do banco de dados Postgree e ODBC para reconhecimento de imagens no SARA.

Manual de configuração. Exemplo de instalação e configuração do banco de dados Postgree e ODBC para reconhecimento de imagens no SARA. Manual de cnfiguraçã Exempl de instalaçã e cnfiguraçã d banc de dads Pstgree e ODBC para recnheciment de imagens n SARA. Manual de cnfiguraçã Exempl de instalaçã e cnfiguraçã d banc de dads Pstgree e ODBC

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011.

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011. Gabinete d Deputad FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de març de 2011. Quand ingressei cm Requeriment slicitand a presença de Vssas Senhrias na Cmissã, estava assustad, cm, aliás, tda a ppulaçã, cm

Leia mais

IBOConsole Recuperação do Banco de Dados. Ferramenta de manutenção para recuperação de banco de dados.

IBOConsole Recuperação do Banco de Dados. Ferramenta de manutenção para recuperação de banco de dados. IBOCnsle Recuperaçã d Banc de Dads Ferramenta de manutençã para recuperaçã de banc de dads. 2 IBOCnsle ÍNDICE MAINTENANCE... 3 VALIDATION... 4 BACKUP/RESTORE... 6 BACKUP... 7 RESTORE... 10 3 IBOCnsle MAINTENANCE

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E INFORMÁTICA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA DE PROJETOS I

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E INFORMÁTICA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA DE PROJETOS I UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E INFORMÁTICA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA DE PROJETOS I RESUMO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Resum d trabalh

Leia mais