A GESTÃO DE PROJETOS NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL: UMA VISÃO ESTRATÉGICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A GESTÃO DE PROJETOS NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL: UMA VISÃO ESTRATÉGICA"

Transcrição

1 Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A GESTÃO DE PROJETOS NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL: UMA VISÃO ESTRATÉGICA Cesar Pereira Viana

2 Painel 21/075 Gestão de projetos estratégicos governamentais A GESTÃO DE PROJETOS NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL: UMA VISÃO ESTRATÉGICA Cesar Pereira Viana RESUMO O Decreto de 20 de janeiro de 2012 aprovou a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão MP. Nele constam as competências da Secretaria de Gestão Pública, que, dentre outras atividades, deve propor, coordenar e apoiar a implantação de programas, projetos e ações estratégicos de inovação e aperfeiçoamento da gestão pública (Artigo 23, Inciso IV). Este artigo abordará o tema projeto, sua gestão, o que é projeto estratégico e a sua importância no atual contexto da Administração Pública Federal. Mais que uma palavra bastante em uso, projeto remete à ideia de atingimento de um objetivo específico e claro, num determinado período de tempo. Sua boa execução exige que seja corretamente planejado, controlado; ainda, que possua em seu cerne pessoas capacitadas e com conhecimento do projeto e do seu escopo. O Governo Federal, ao reestruturar o MP, pretendeu otimizar as ações que beneficiem o cidadão e a sociedade, instituindo projetos estratégicos nas áreas que se fizerem necessárias, criando, assim, o Escritório de Projetos Especiais para a Modernização da Gestão Pública. Palavras-chave: Gestão. Projeto. Planejamento. Competência.

3 2 1 INTRODUÇÃO O Governo Federal, visando otimizar sua produtividade e integrar ainda mais as grandes áreas temáticas, introduziu neste ano de 2012 a ferramenta gestão de projetos estratégicos. Este artigo tem como objetivo discorrer sobre como gerenciar e conduzir um projeto em um contexto estratégico. Também analisa a ferramenta, suas relações com as organizações e as pessoas. Nestas relações apresenta definições que levam ao esclarecimento e apontam a importância do gerenciamento de projetos pela Administração Pública Federal (APF), o que levou à aprovação da estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), por meio do Decreto n o 7.675, de 20 de janeiro de 2012, alocando em sua nova estrutura um Escritório de Projetos Especiais de Modernização da Gestão (ESPRO), no âmbito da Secretaria de Gestão Pública (SEGEP). Analisa, ainda mais, a importância da capacitação das pessoas para que o escritório atinja a maturidade almejada. Em suas definições, este artigo procura relacionar a gerência de projetos, com a racionalização dos meios, por meio das pessoas, produzindo benefícios à sociedade. Para tanto, para o trabalho de análise, foi realizada pesquisa bibliográfica e observações de campo, apresentada na seguinte metodologia: O primeiro capítulo introduz o tema proposto. O segundo capítulo apresenta o por quê de projeto governamental e a sua importância da sociedade e a facilitação do controle social, promovendo, também, a transparência das atividades organizacionais. No terceiro capítulo, juntamente com definições elucidadoras sobre projetos, processos, é apresentado breve histórico da gestão por projetos. O quarto capítulo trata da gestão de projetos propriamente dita e da necessária competência que as pessoas necessitam para que otimizem os recursos alocados e produzam com eficiência e eficácia, gerando efetividade, que, em síntese, é o que interessa ao cidadão. O quinto capítulo aborda os conceitos de projeto estratégico e sua importância para a APF nos dias de hoje. Por fim, o sexto capítulo introduz a criação do ESPRO e as relações que lhes são pertinentes. Após, o sétimo e último capítulo conclui e encerra este artigo, seguido da bibliografia pesquisada.

4 3 2 POR QUÊ DE PROJETO GOVERNAMENTAL? Na visão do Governo Federal, as mudanças pelas quais o mundo passa têm promovido substanciais ações no modo de gerir as organizações públicas e cujos beneficiários são os cidadãos, aumentando, em consequência, o controle social tão necessário à transparência governamental. A complexidade dos atuais processos gerenciais fez surgir uma nova disciplina que agregasse assuntos comuns, temporários, impactantes e de relações intra, inter e extra organizacionais públicas, mas que também gerasse resultados duradouros e em, relativamente, pouco tempo. A principal finalidade desta disciplina é a de promover, no caso do Governo Federal, a redução do custo Brasil, o aumento da competitividade e as melhorias das relações no Estado, proporcionando maior produtividade empreendedora do setor público com eficiência, eficácia e efetividade para a sociedade. Neste contexto interativo entre o governo e a sociedade, a adaptabilidade e a implementação das estratégias e das políticas de Estado, assim como a capacidade de oferecer novos produtos e serviços, tornam-se fatores imprescindíveis para o desenvolvimento do País. A permanente inovação e os empreendimentos que visam à promoção da inovação, seja ela para um produto ou serviço, devem estar na agenda dos líderes, juntamente com o entendimento das mudanças do ambiente e o planejamento das ações necessárias para responder à estas mudanças ou influenciá-las. Este cenário apresenta o ambiente no qual as ações governamentais estão inseridas e devem ser tratadas. Ressaltam-se como fatores críticos de sucesso, para que o País atinja o grau a que todos almejam no concerto das nações, a inovação, mudança cultural, melhoria contínua dos processos, otimização de recursos e do tempo. É, então que a disciplina Projeto ganha vulto e, alinhada às políticas de Estado, necessita de pessoas capacitadas para a sua condução, proporcionando ganho em escala nos processos inovadores de gestão. Assim, o somatório das ações de implementação de políticas estratégicas do Governo, alinhadas em projetos, é conduzido visando ao cumprimento do escopo delineado, nos prazos e recursos estimados, com a qualidade definida e com os riscos estabelecidos e mapeados.

5 4 3 BREVES DEFINIÇÕES SOBRE PROJETOS Como visto acima, projeto é considerado uma ferramenta gerencial para otimização de atividades, ou dos processos, sejam elas estratégicas ou operacionais. Em que pese ser uma disciplina relativamente recente, projetos são executados desde sempre, porém em contextos distintos e nem sempre com visão integrada. Grandes obras do passado atestam isso e serviram de arcabouço para que erros não fossem repetidos. Pode-se citar como exemplos a construção das pirâmides no Egito, a construção de navios, ações militares durante a 2ª Guerra Mundial, entre outros. Uma das maiores organizações de gerenciamento de projetos, o Project Management Institute (PMI), definiu projeto como sendo um empreendimento temporário realizado de forma progressiva para criar um produto ou serviço único (2004, p. 21). Já Robbins (2000, p. 127) afirma que projeto é um conjunto de atividades que acontecem apenas vez, com ponto de partida e ponto de chegada definidos no tempo. Já naquele ano, e citando T. A. Stewart, propunha uma nova espécie de trabalhador: o gerente de projetos, que substituísse os gerentes de nível médio e que trabalhasse matricialmente. O Governo Federal, por sua vez, conceitua projeto como instrumento de programação para alcançar o objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de operações, limitadas no tempo, das quais resulta um produto que concorre para a expansão ou aperfeiçoamento da ação do Governo. (Manual de Elaboração do PPA , p. 48, 55). Das três definições acima, pode-se concluir que, por serem temporários, os projetos têm, necessariamente, começo e final definidos, diferenciando-se de operações rotineiras e continuadas. Por possuírem início e fim, devem ser corretamente planejados, executados, controlados, encerrados e verificados na sua efetividade. Isso conduz à que possuam objetivos claros, medidas de resultados, datas que atendam aos requisitos negociados e explícitos das partes interessadas (stakeholders) (Xavier, C. et al, 2006). Essas fases estão contidas no ciclo de vida de um projeto e serão explicitadas a seguir.

6 5 Segundo Valeriano (2001, p. 128), todo projeto possui um ciclo de vida próprio, oriundo da própria temporalidade e escopo, evoluindo gradativamente até seu encerramento, ou seja, possui serviços ou produtos únicos, e, por mais próximos que sejam em relação a outros projetos, a situação será outra, implicando em novo modelo, fornecedores, a mão de obra e outras outras variáveis que vão torná-los únicos. O PMI corrobora com esta definição, como demonstra a Figura 1 abaixo, também os caracterizando, e afirma que o ciclo de vida de um projeto é composto por cinco fases, a saber: iniciação; planejamento; execução; monitoramento e controle; e encerramento. Figura 1 Ciclo de Vida de um Projeto Fonte: Valeriano, 2001, p. 128 com adaptações Valeriano (2001, p. 126 e 127) define cada fase do ciclo de vida de um projeto, permitindo melhor entendimento do seu desenvolvimento: 1. Fase de Iniciação: Estimulada pela demanda ou pela necessidade de entidade externa. Nesta fase é identificada a necessidade, a oportunidade e a maneira de supri-las. Também é nela que a alta administração autoriza que o projeto dê prosseguimento para a fase seguinte, após a análise de viabilidade do projeto, por meio de um termo de abertura de projeto. Item que compõe esta fase é o não escopo, ou seja, tudo o que não será abordado no projeto.

7 6 2. Fase de Planejamento: Planejar é um processo que visa o alcance de uma situação desejada de maneira mais efetiva, eficiente e eficaz. Aplicando-se esta definição, nesta fase é estabelecido o escopo do projeto. Constroem-se, então, dois planejamentos, sendo um preliminar e outro detalhado. No primeiro devem constar os custos, prazos, recursos e como obtê-los e os comprometimentos necessários. No detalhado são inseridas informações de como os recursos serão utilizados, os requisitos do projeto, o controle do projeto e a seleção da equipe do projeto. 3. Fase de Execução: consiste em por em ação todas as tarefas planejadas, nas condições de qualidade, custos, prazos e de forma a alcançar os objetivos das partes interessadas. Os resultados da execução devem ser documentados e fazem parte fundamental da gestão das comunicações. 4. Fase de Controle: são analisadas, monitoradas e controladas as ações do projeto. Aqui sugerem-se os ajustes no planejamento inicial, mantendo-se o escopo o mais próximo possível do acordado na fase de iniciação. Esta fase se inicia no planejamento, segue pari passu com a execução e é concluída na fase de encerramento. 5. Fase de Encerramento: Atingido o objetivo, o projeto deve ser encerrado. A aceitação do produto é peça fundamental nesta fase, assim como a conclusão do contrato, o encerramento administrativo, devolução dos materiais, espaços etc.. Faz-se, também, antes da dispensa da equipe, uma avaliação geral e levantamento das lições aprendidas. Cada fase do ciclo de vida possui, segundo o PMI (2004, p. 39), características peculiares, explicitadas a seguir: 1. O nível de atividade, número de pessoas envolvidas e os custos são relativamente baixos no início. Com o decorrer da execução, aumentam gradativamente, caindo quando o projeto se aproxima do final.

8 7 2. A previsibilidade do projeto é também relativamente baixa no início e cresce com o desenvolvimento das atividades e o controle e monitoramento dos riscos. As incertezas e os riscos são altos no início e diminuem, gradativamente, quando se vislumbram com mais nitidez os resultados. 3. O produto do projeto pode ser mudado mais facilmente no início. As mudanças vão ficando cada vez mais difíceis e custosas conforme o projeto avança, já que o resultado é construído progressivamente. Assim, mudanças no final do projeto muitas vezes implicam grande retrabalho e aumento de custos e prazos, que, no entanto, devem ser analisados se valem a pena, de modo a que o cliente seja atendido e se sinta satisfeito. Como dito, na gestão de projetos existe uma característica forte de interação. Uma atividade, ou a falta dela, geralmente afeta outras áreas e essas interações exigem frequentemente balanceamento do projeto. Para tanto, o PMI (2004) estabeleceu nove áreas de conhecimento utilizadas na gestão de projeto: 1. Gerência de integração: Atividades requeridas para garantir que os diversos elementos do projeto estejam adequadamente coordenados; 2. Gerência de Escopo: Inclui as atividades requeridas para assegurar que o projeto inclua todo o trabalho necessário. A preocupação fundamental é definir e controlar o que está, ou não, incluído no projeto, conhecido como não escopo ; 3. Gerência de Tempo: Inclui as atividades necessárias para assegurar que o projeto seja implementado no prazo acordado; 4. Gerência de Custos: Inclui as atividades necessárias para assegurar que o projeto aconteça de acordo com o orçamento previsto; 5. Gerência de Qualidade: Inclui as atividades requeridas para garantir que o projeto ofereça os produtos previstos em conformidade com o solicitado pelo cliente ou patrocinador;

9 8 6. Gerência de Recursos Humanos: Atividades requeridas para otimizar o uso mais efetivo das pessoas alocados ao projeto. Isto abrange todas as partes envolvidas, desde os membros da equipe, patrocinadores, clientes aos fornecedores, entre outros; 7. Gerência das Comunicações: Inclui as atividades requeridas para garantir a coleta, o armazenamento, a recuperação, a divulgação e o controle básico das informações do projeto; 8. Gerência de Riscos: Inclui as atividades requeridas na identificação, na análise e na resposta aos riscos do projeto; e 9. Gerência de Aquisições: Inclui as atividades necessárias à obtenção de bens e serviços externos à organização. Com base na importância dos projetos para as organizações, suas características, fases do seu ciclo de vida e áreas de conhecimento, o Governo Federal, neste ano de 2012, propôs a criação de um escritório de projetos especiais de modernização da gestão com o objetivo de gerenciar os considerados estratégicos, possibilitando a melhoria constante dos processos organizacionais. A meta é a de que a cada nova oportunidade de mudança estruturante em processos gerenciais estratégicos, seja criado um projeto que possibilite otimizar os recursos, por meio de elaboração de novas estratégias, análise de viabilidade e implementação de projeto. Espera-se que isso acarrete aumento no alcance do gerenciamento das ações estratégicas, proporcionando um controle mais formal e centralizado dos projetos complexos, no entanto, não impedindo inovações, ao contrário, incentivando-as, e que permita ao governo transformar-se cada vez mais, atingindo com efetividade e de maneira coordenada seus objetivos. Esse escritório de projetos alinhará iniciativas estratégicas governamentais de forma a facilitar que o resultado esperado seja bem próximo do planejado. Destaca-se que, por ser um escritório recém-criado, como sói acontecer com a administração, o gerenciamento de projetos evoluirá e se adaptará constantemente às necessidades cada vez mais dinâmicas da sociedade. Essa evolução fará com que surjam novas formas de gerenciar as organizações, trazendo benefícios para todos.

10 9 4 GESTÃO DE PROJETOS Neste capítulo analisar-se-á a pertinência da gestão de projetos, considerando o seu ciclo de vida, sua temporalidade e seus objetivos claramente definidos. Ainda será exposta a questão da competência das pessoas para gerenciálos. No entanto, ao final caberá responder à seguinte pergunta: O projeto terá sucesso se tiver pessoa competente a gerenciá-lo, com ciclo de vida e objetivos precisos? Primeiramente é preciso definir sucesso. Segundo o idicionário Aulete (http://aulete.uol.com.br, 30 de abril de 2012), sucesso é Resultado positivo, favorável; ÊXITO. Esta definição atual se contrapõe à anteriormente adotada, no qual um produto era avaliado pela sua adequabilidade ou não. Com o advento da gestão da qualidade, sucesso passou a ter outra conotação, a de, ouvido o cliente, verificar se foram atendidas todas as variáveis que compunham o produto final e se o impacto desejado foi alcançado. Ainda há o que melhorar na conceituação de sucesso, mas, por hora, esta atende ao que se espera da gerência de um projeto. Segundo Carvalho e Rabechini Jr (2008, p. 15) e citando o PMI 2004, o gerenciamento de projetos implica administrar em especial as restrições de escopo, prazo e custo, cujo balanceamento afeta a qualidade do projeto. Complementando, afirma que o gerenciamento inclui planejamento, organização, supervisão e controle de todos os aspectos do projeto, em um processo contínuo, para alcançar seus objetivos. Nestas definições ainda resta citar um fator primordial para o sucesso do projeto. Para Pinto e Sleven (1987), apud Carvalho e Rabechini Jr (2008, p. 16), um projeto é considerado um sucesso em sua implementação caso atenda a quatro critérios: tempo, custo, eficácia e satisfação do cliente. Surge, então, o fator primordial que faltava: satisfação do cliente. Ele ainda afirma que, segundo estes quatro critérios, foram estabelecidos dez fatores: missão do projeto, suporte gerencial, planejamento, cliente consultor, questões de administração de pessoal, tarefas técnicas, cliente aceite, monitoramento, comunicações e gerência conciliadora. A este conjunto de atividades denominou-se de gestão do projeto.

11 10 Por fim, somam-se aos fatores acima mencionados, a complexidade técnica e a necessidade de diversidade de conhecimentos, habilidades e atitudes, num ambiente cada vez mais restritivo e exigente em termos de recursos. Resgatando a origem do gerenciamento de projetos, que até pouco tempo era considerada uma disciplina da engenharia, hoje compõe, também, a área da prática gerencial e da administração. Dada à sua recente incorporação como metodologia reconhecida, basicamente nos anos de 1950 e oriunda das atividades militares, somente na década de 80 começou a ser utilizada na área civil. Considerado um dos autores da disciplina, Kerzner (1992, p. 5) conceitua gerenciamento de projeto com a clássica definição da administração: planejamento, organização, direção e controle dos recursos organizacionais num dado empreendimento, levando-se em conta tempo, custo e desempenho estimados. Acrescenta no final do seu artigo a importância das relações com o cliente externo e o seu atendimento. Um outro aspecto a ser destacado é o do planejamento e coordenação como exigências de uma correta gestão de projetos. A visão matricial de projeto trouxe para a área da administração novos desafios, quais sejam o de permitir que os fluxos de trabalho se deem de forma horizontal e não apenas vertical como na gerência tradicional. Mantém-se as cadeias de comando, proporcionando fluxo de informações de cima para baixo, e incentiva-se a horizontalidade, permitindo interação entre os entes, trazendo melhoria na coordenação e eficácia na comunicação entre todos os envolvidos, sejam subordinados ou gerentes. Quando acontece o fluxo horizontal, faz-se necessário que a organização tenha uma cadeia de processos bem definida e alinhada. Há que se pensar nas competências para que as pessoas entendam seu papel no gerenciamento de projetos e considerem as atividades e os processos numa estrutura organizacional formal como fatores de sucesso. Esta estrutura conseguirá superar as demandas por soluções complexas, em rede e interdependente, que se ajustam continuamente. Como resposta às demandas, surgiram novas formas de gerenciamento que adotaram o modelo por processo ou sistêmico.

12 11 Neste sentido, o PMI (2004) considera que a gestão de projetos é realizada por meio de um conjunto de processos definidos como uma série de ações para obtenção de resultados desejados. Segundo aquele Instituto, esses processos são organizados em cinco grupos, com subprocessos, mencionados na figura 1, quais sejam: iniciação, planejamento, execução, monitoramento e controle e encerramento. Há que se considerar outras formas de gerenciar, preconizadas, por exemplo pelo Prince2 (Projects in Controlled Environment), metodologia britânica para projetos. Não importa a metodologia, o foco deve ser a melhoria do desempenho organizacional. Neste mister, este artigo analisa a estratégia como fator de competitividade e a contribuição que o projeto pode trazer. As pessoas são o cerne das questões nos gerenciamento de projetos. Talvez seja a questão mais desafiadora, uma vez que são as elas quem utilizam ferramentas, metodologias e os aplicam por meio de conhecimentos, habilidades e atitudes (CHA), preconizados pela administração, sejam aplicadas à gestão de projetos, sejam individuais ou sejam em equipe (Carvalho e Rabechini Jr, 2008, p. 66) para gerar os resultados esperados. Valeriano (2011, p. 139) ao explicar os atributos dos gerentes no projeto, elenca os seguintes:

13 12 ATRIBUTOS DESEJÁVEIS NO GERENTE DO PROJETO Conhecimento do sistema administrativo-financeiro da organização Conhecimento do sistema de administração de RH da organização Conhecimentos Conhecimento organizacional Conhecimento da organização, de suas práticas, políticas e valores Consciência de custo e das implicações administrativas das decisões técnicas Conhecimento dos produtos, missões e mercados ou clientes da organização Conhecimento técnico Conhecimento em áreas correlatas à especialização Competência técnica na ára de especialização Domínio de métodos de pesquisa Capacidade de planejamento, organização e controle Capacidade de liderança Habilidades de comando Capacidade de autoanálise Capacidade de alocação de recursos Capacidade de gerar confiança no superior Habilidades Escolha do estilo de liderança adequado Habilidade de tomada de decisão Capacidade de trabalhar em equipe Outras habilidades Criatividade Habilidade de relacionamento pessoal Capacidade de redigir com clareza, precisão e concisão Atitudes Interesse por questões administrativas Posicionamento em relação a Disciplina de trabalho aspectos internos Entrosamento com pessoal externo à organização e externos Ambição profissional Estratégia de ação Hábito de atacar o problema pela revisão da literatura Hábito de leitura sistemática de textos técnicos Tabela 1 Atributos desejáveis no gerente Donaire, Denis (1986), apud Valeriano (2001, p. 139)

14 13 Valeriano considera esses atributos como desejáveis. No entanto, outros podem emergir e alguns não serem classificados como atributos por alguma organização que vá aplicar projeto. A relação constante da Tabela 1 acima deve servir como parâmetros de atributos. É interessante notar que nessa visão, o gerente do projeto é sempre alguém interno à organização. As competências desenvolvidas e as trilhas de aprendizagem conduzirão as pessoas ao patamar de excelência em gestão de projetos. Faz necessário ter uma biblioteca atual e proporcionar a oportunidade de estudos e aplicações práticas aos gerentes de projetos. O gerente do projeto deve saber balanceá-lo no que se refere ao escopo, tempo, custo, qualidade, necessidades e expectativas. Deve considerar, também, as distintas expectativas e necessidades das partes interessadas. Isso indica que, para o gerenciamento de projetos, não é necessário apenas a querença ou a necessidade de realização de uma dada tarefa. Pela Tabela 1, foi reconhecido que o gerente de projetos precisa de conhecimentos específicos da área para melhor desempenhar as suas funções. Além destes aspectos técnicos, todo projeto deve ter um patrocinador, que é a pessoa da alta administração responsável pelos contatos políticos, facilitando a interlocução do gerente do projeto com as demais áreas. 5 PROJETO ESTRATÉGICO E SUA IMPORTÂNCIA NA APF Corroborando com a visão estratégica do Governo Federal, foi preciso entender que para haver políticas de gestão, desempenho e competitividade e estas serem aplicadas nos programas de governo, fazia-se necessário pensar projeto estratégico, não mais e apenas processos, contemplando uma visão de longo prazo. Assim, segundo Valeriano (2008, p. 40) para que haja um correto gerenciamento estratégico, que utilize a metodologia de projetos para alavancar as ações, as organizações devem estudar o seu ambiente, atuar com gerenciamento estratégico e priorizar os projetos escolhidos para serem executados. Afirma, ainda, que para as organizações em fase de mudanças estratégicas, a administração por projetos associada ao moderno gerenciamento de projetos é um instrumento de crescente importância e de larga adoção. Isto porque tem demonstrado um excelente meio de implementar seus planos estratégicos.

15 14 Essa interdependência das estratégias com os projetos, associada à administração por projetos não é simples, visto tratar-se de temas complexos que demandam atenções específicas. Valeriano (2008, p. 93) afirma que, para tanto, os projetos são um bom caminho para a solução ou implementação de novos processos, desde que se divida o trabalho em menores unidades, nas quais sejam possíveis: definir o objetivo a atingir; fixar o escopo do projeto; estabelecer prazos limites a serem atingidos; determinar custos aceitáveis e; levantar as necessidades e expectativas das partes interessadas. Fator determinante do gerenciamento dos projetos está no monitoramento e controle, permitindo a aferição, correção e realinhamento das atividades desenvolvidas, ou seja, a execução dos projetos como planejado. Cabe ressaltar que existe grande diferença no tratamento das informações e, consequentemente, do gerenciamento do projetos na área privada e no setor público. Vargas, apresenta algumas diferenças no tabela 2 abaixo, que, no entanto, merecem uma análise mais amiúde, pois algumas percepções variam ao longo do tempo:

16 15 ÁREA PRIVADA Faz o que a lei não proíbe Salários compatíveis ao mercado Maior disponibilidade de pessoal qualificado Possível implantar política de incentivo A estrutura poder formal é próxima do informal Organização voltada para objetivos Alta administração sofre cobrança permanente quanto a objetivos e metas a serem atingidos Continuidade administrativa mais permanente Faz o que a lei permite Salários inadequados ÁREA PÚBLICA Dificuldade de obtenção de pessoal qualificado Difícil implantar política de incentivo Maior distorção entre o poder formal e o informal Maior incidência de pessoas e segmentos da organização em desacordo com os objetivos A cobrança da sociedade é de caráter mais subjetivo e geral Maior risco quanto à quebra da continuidade administrativa Pouco frequente a paralisação de programas e projetos por falta de recursos Frequentemente ocorrem paralisação de programas e projetos por falta de recursos Decisão quanto aos objetivos centrados em poucos órgãos Maior dispersão quanto à tomada de decisão Familiaridade com as ferramentas de planejamento e controle Impulsionada pela competitividade Baixo grau de consciência quanto à realidade da competição Voltada para a qualidade Pouca tradição no uso das ferramentas de planejamento e controle Pouca burocracia Presença marcante da burocracia Conceito de qualidade ainda incipiente Tabela 2 Comparativo entre o setor público e a iniciativa privada Ricardo Vargas 2012 com adaptações

17 16 A APF decidiu aplicar os conceitos de projetos estratégicos de forma integrada, não mais apenas setorial, ao determinar a criação de um escritório de projetos especiais de modernização da gestão, que busque integrar algumas ações entre os diversos ministérios e realizar seu monitoramento e avaliação. Não poderia deixar de ser assim, visto que, como mencionado anteriormente, o Brasil passa por mudança cultural histórica e a sinergia existente entre as Pastas do Governo deve ser otimizada. 6 ESCRITÓRIO DE PROJETOS Define-se Escritório de Gerenciamento de Projetos (EGP), ou como é mais conhecido em inglês Project Management Office (PMO), como sendo uma unidade organizacional que centraliza e coordena o gerenciamento de projetos sob seu domínio. Um PMO também pode ser chamado de escritório de gerenciamento de programas, escritório de gerenciamento de projetos ou escritório de programas. Um PMO supervisiona o gerenciamento de projetos, programas ou uma combinação dos dois. Os projetos apoiados ou administrados pelo PMO não podem estar relacionados de outra forma que não seja por serem gerenciados juntos. (PMI, 2004, p. 33) Ainda segundo o PMI (p. 34), existem algumas características importantes de um PMO incluem, mas não se limitam a: Recursos compartilhados e coordenados em todos os projetos administrados pelo PMO Identificação e desenvolvimento de metodologia, melhores práticas e normas de gerenciamento de projetos Centralização e gerenciamento das informações para políticas, procedimentos, modelos e outras documentações compartilhadas do projeto Gerenciamento de configuração centralizado em todos os projetos administrados pelo PMO Repositório e gerenciamento centralizados para riscos compartilhados e exclusivos para todos os projetos

18 17 Escritório central para operação e gerenciamento de ferramentas do projeto, como software de gerenciamento de projetos para toda a empresa Coordenação central de gerenciamento das comunicações entre projetos Uma plataforma de aconselhamento para gerentes de projetos Monitoramento central de todos os prazos e orçamentos do projeto do PMO, geralmente no nível da empresa Coordenação dos padrões de qualidade globais do projeto entre o gerente de projetos e qualquer pessoal interno ou externo de qualidade ou organização de normalização. É possível, ainda, estabelecer diversas divisões possíveis dos escritórios de projetos. São destacados as três principais: 1. Nível 1 Escritório de Controle de Projetos; 2. Nível 2 Escritório de Suporte aos Projetos; e 3. Nível 3 Escritório Estratégico de Projetos. A divisão acima mesmo sendo apenas didática, visto que não é preciso criar escritórios específicos e distintos, podendo um mesmo escritório assumir os três papéis, bastando ser de nível 3, por exemplo, apresenta a complexidade do tema, visto que as relações organizacionais também estão cada vez mais dependentes umas das outras. É o caso da criação do ESPRO, oriundo do Decreto de 20 de janeiro deste ano que aprovou a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão MP. Nele constam as competências da Secretaria de Gestão Pública, que, dentre outras atividades, deve propor, coordenar e apoiar a implantação de programas, projetos e ações estratégicos de inovação e aperfeiçoamento da gestão pública (Artigo 23, Inciso IV). Recém criado, o ESPRO não tem ainda a maturidade suficiente para gerir um grande número de projetos. Isso advirá com o tempo, a capacitação e as experiências acumuladas e refletidas nas boas práticas e lições aprendidas, gerando

19 18 a gestão do conhecimento em projetos estratégicos, por conseguinte, possibilitando atuar proativamente na indicação de novos projetos. Entende-se por maturidade em gerenciamento de projetos, as mudanças graduais ao longo do tempo, conforme o indivíduo vai adquirindo competências. A maturidade [de um indivíduo] precisa ser conquistada através do planejamento e de ações tomadas para a aquisição dessas competências (ARGYRIS, 1968). É possível estabelecer um paralelismo entre a maturidade das pessoas e dos escritórios de projetos. A organização imatura tem como característica improvisar em seus projetos, sem estabelecer as devidas ligações entre as diversas áreas do conhecimento. Já as maduras atuam com habilidade e proatividade na execução dos seus projetos. Existem modelos e níveis de maturidade de escritórios de projetos, mas o ponto em comum, segundo o PMI (2004) é que ajudam a medir e melhorar a habilidade de o escritório gerenciar seus projetos. Estabelecem relação entre as melhores práticas, a capacitação das pessoas, a evidência objetiva e o conjunto de indicadores que medem os impactos dos projetos após concluídos e também o desempenho. Outra premissa que o ESPRO assumiu, desde seu nascedouro, é a de adotar uma metodologia simples, pouco burocrática e com melhorias constantes mas implementadas de forma parcimoniosa. Finalizando este capítulo, concluímos que as lições aprendidas, as melhorias e inovações implementadas nas organizações públicas, as capacitações do time de projetos e das pessoas beneficiadas com eles, promovem a melhoria contínua do governo e trás a maturidade almejada para o escritório e para os processos.

20 19 7 CONCLUSÃO Procurou-se demonstrar neste artigo a importância de se otimizar os recursos das organizações, com foco nas governamentais. Esta otimização passa, obrigatoriamente, por projetos e no seu consequente gerenciamento. Nascida da gestão por processos, a disciplina Projeto trás em seu bojo, a tendência de se trabalhar matricialmente, privilegiando os trabalhos horizontais, sem, contudo, quebrar barreiras hierárquicas instituídas nas organizações. Dentre os fatores que se destacam como fundamentais, foram apresentados a trilha de conhecimentos e a integração que o gerenciamento por projetos proporciona às organizações que os adotam. O gerenciamento por projetos, cujo foco neste trabalho é o estratégico, possui características peculiares, ciclo de vida próprio e áreas de conhecimento que extrapolam as estruturas organizacionais, visto integrarem setores distintos do Governo Federal. A APF, seguindo no fluxo da melhoria da gestão, criou um escritório que trabalhará com projetos especiais e estratégicos, que possibilitará maior dinamismo nas ações do Governo por contemplar assuntos vitais para o cidadão e a sociedade. O escritório para chegar à maturidade, terá que trilhar a gestão do conhecimento, capacitando seus integrantes, desenvolvendo projetos, enfim, vivenciando o gerenciamento integrado para a melhoria da gestão pública no nível estratégico. Espera-se ganho de escala, ou seja, a diminuição do custo Brasil e o consequente aumento na produtividade, no desempenho e na competitividade, proporcionando melhores condições de vida à sociedade.

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS Emerson Augusto Priamo Moraes (UFF) Resumo Os projetos fazem parte do cotidiano de diversas organizações, públicas e privadas, dos mais diversos

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Gestão da Qualidade em Projetos

Gestão da Qualidade em Projetos Gestão da Qualidade em Projetos Você vai aprender: Introdução ao Gerenciamento de Projetos; Gerenciamento da Integração; Gerenciamento de Escopo- Declaração de Escopo e EAP; Gerenciamento de Tempo; Gerenciamento

Leia mais

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO Estevanir Sausen¹, Patricia Mozzaquatro² ¹Acadêmico do Curso de Ciência da Computação ²Professor(a) do Curso de Ciência da Computação Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ)

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares GESTÃO DE PROJETOS Prof. Anderson Valadares Projeto Empreendimento temporário Realizado por pessoas Restrições de recursos Cria produtos, ou serviços ou resultado exclusivo Planejado, executado e controlado

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam tratar da identificação bem como do estabelecimento de uma estrutura organizacional apropriada ao

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos Plataforma da Informação Gerenciamento de Projetos Motivação Por que devemos fazer Projetos? - O aprendizado por projetos, faz parte de um dos três pilares de formação do MEJ; -Projetos são oportunidades

Leia mais

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1.

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1.1 2 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 3 1 Leitura

Leia mais

Como concluir um projeto com sucesso?

Como concluir um projeto com sucesso? Como concluir um projeto com sucesso? Luiz Eduardo Cunha, Eng. Professor da FAAP e do IMT 1 Luiz Eduardo Cunha Graduado em Engenharia de Produção EPUSP Pós-Graduado em Gestão do Conhecimento e Inteligência

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 2 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Implantação da Gestão de Projetos na Gerência de Planos, Metas e Políticas de Saúde

Implantação da Gestão de Projetos na Gerência de Planos, Metas e Políticas de Saúde TÍTULO DA PRÁTICA: Implantação da Gestão de Projetos na Gerência de Planos, Metas e Políticas de Saúde CÓDIGO DA PRÁTICA: T20 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 No início de 2010, após

Leia mais

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI Secretaria/Órgão: Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS Claudio Oliveira Aplicações de CRM Claudio Oliveira Apresentação Claudio Oliveira (cloliveira@usp.br) Professor da Fundação Vanzolini

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Em conformidade com a metodologia PMI 1 Apresentações Paulo César Mei, MBA, PMP Especialista em planejamento, gestão e controle de projetos e portfólios, sempre aplicando as melhores

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP Versão 2.0.0 Janeiro 2014 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 3ª Edição (a publicar)

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares O Project Management Institute é uma entidade sem fins lucrativos voltada ao Gerenciamento de Projetos.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM União Metropolitana de Educação e Cultura Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM Lauro de Freitas - BAHIA 2013 2 JUSTIFICATIVA A principal justificativa para o desenvolvimento e implementação

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

"A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia" Marta Gaino Coordenadora PMO

A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia Marta Gaino Coordenadora PMO "A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia" Marta Gaino Coordenadora PMO Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia A Sefaz/BA é um órgão da Administração Pública Direta

Leia mais

Cartilha. Gestão de Projetos. Superintendência de Planejamento e Gestão SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás

Cartilha. Gestão de Projetos. Superintendência de Planejamento e Gestão SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás Cartilha Gestão de Projetos SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás Esta cartilha tem como objetivo transmitir os conceitos básicos relacionados ao Gerenciamento de Projetos e compartilhar da metodologia

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos

Leia mais

Módulo: Empreendedorismo Gestão de Projetos. Agenda da Teleaula. Vídeo. Logística 28/8/2012

Módulo: Empreendedorismo Gestão de Projetos. Agenda da Teleaula. Vídeo. Logística 28/8/2012 Logística Profª. Paula Emiko Kuwamoto Módulo: Empreendedorismo Gestão de Projetos Agenda da Teleaula Reforçar a importância dos projetos no cenário atual. Apresentar os principais conceitos envolvendo

Leia mais

Fundamentos de Teste de Software

Fundamentos de Teste de Software Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas Fundamentos de Teste de Software Módulo 2- Teste Estático e Teste Dinâmico Aula 3 Teste Estático SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1. Definição... 3 2. Custo Versus Benefício...

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS Ana Carolina Freitas Teixeira¹ RESUMO O gerenciamento de projetos continua crescendo e cada

Leia mais

Gerência de Projetos

Gerência de Projetos Gerência de Projetos Escopo Custo Qualidade Tempo CONCEITO PROJETOS: são empreendimentos com objetivo específico e ciclo de vida definido Precedem produtos, serviços e processos. São utilizados as funções

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Introdução. AULA 2 A Organização empresarial e a gestão de projetos. Tema relevante em diversas áreas

Introdução. AULA 2 A Organização empresarial e a gestão de projetos. Tema relevante em diversas áreas Universidade do Sagrado Coração Introdução a Gestão de Projetos Paulo Cesar Chagas Rodrigues AULA 2 A Organização empresarial e a gestão de projetos Iniciação 30/set/2008 Engenharia de Produto 2 2 Introdução

Leia mais

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano Unidade I GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Objetivo Estimular o aluno no aprofundamento do conhecimento das técnicas de gestão profissional de projetos do PMI. Desenvolver em aula

Leia mais

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de Aula 02 1 2 O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de alcançar melhor desempenho, melhores resultados

Leia mais

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Por Maria Luiza Panchihak Este artigo apresenta os benefícios do gerenciamento de projetos e mostra a importância desse processo, dentro de uma organização, para

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Pós Graduação Lato Sensu Especialização São Paulo Berrini Os projetos têm presença obrigatória e alta importância no contexto da gestão da moderna empresa. Caminho de condução

Leia mais

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 RESUMO Diversos profissionais relatam dificuldades em coordenar adequadamente projetos sob sua responsabilidade. Muitos fatores que influenciam

Leia mais

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Júlio César Marques de Lima Agenda O Processo de Expansão AT da CEMIG-D. Cronograma

Leia mais

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos 1 Carreira: definição de papéis e comparação de modelos Renato Beschizza Economista e especialista em estruturas organizacionais e carreiras Consultor da AB Consultores Associados Ltda. renato@abconsultores.com.br

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Guia de Estudo Vamos utilizar para a nossa disciplina de Modelagem de Processos com BPM o guia

Leia mais

Workshop em Gerenciamento de Projetos

Workshop em Gerenciamento de Projetos Workshop em Gerenciamento de Projetos 1 Agenda MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Introdução Apresentação do Palestrante Introdução Conceituação Melhores Práticas Histórico (PMI, PMBok, PMO) Grupos de Processos

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Ambientação nos conceitos

Ambientação nos conceitos Ambientação em Gestão de Projetos Maria Lúcia Almeida Ambientação nos conceitos Gestão de áreas funcionais e gestão de projetos Qualquer um pode ser gerente de projetos? Qual a contribuição da gestão de

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK Cleber Lecheta Franchini 1 Resumo:

Leia mais

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014.

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014. A importância da comunicação no gerenciamento de projetos de softwares: reflexões teóricas Lucas Krüger lucas_kruger-@hotmail.com Resumo: Esse artigo objetiva estudar a comunicação entre cliente e desenvolvedor

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Aula Nº 13 Fechamento do projeto

Aula Nº 13 Fechamento do projeto Aula Nº 13 Fechamento do projeto Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam apresentar como se encerra o ciclo de vida de um projeto. Para tal, pretende-se verificar as derradeiras providências que

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS MÓDULO 11

ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS MÓDULO 11 ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS MÓDULO 11 Índice 1. Gerenciamento de riscos do projeto...3 2. Gerenciamento de aquisições do projeto...4 Referências bibliográficas...5 2 1. GERENCIAMENTO DE RISCOS DO

Leia mais

1 Introdução. 1.1. Considerações finais

1 Introdução. 1.1. Considerações finais 11 1 Introdução 1.1. Considerações finais O presente trabalho tem por finalidade analisar a área de TI de uma empresa que se estrutura por meio de projetos, dando ênfase nos modelos motivacionais que são

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação SCRUM Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM 2011 Bridge Consulting Apresentação Há muitos anos, empresas e equipes de desenvolvimento

Leia mais

Pesquisa de Maturidade do GERAES. Data de aplicação: 21/02/08

Pesquisa de Maturidade do GERAES. Data de aplicação: 21/02/08 Pesquisa de Maturidade do GERAES Data de aplicação: 21/02/08 Pesquisa de Maturidade Metodologia MPCM / Darci Prado Disponível em www.maturityresearch.com Metodologia da pesquisa 5 níveis e 6 dimensões

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO 05.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DE PORTFÓLIO CENÁRIO NEGATIVO DOS PORTFÓLIOS NAS ORGANIZAÇÕES GOVERNANÇA

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

Curso Empreendedorismo Corporativo

Curso Empreendedorismo Corporativo Curso Empreendedorismo Corporativo Todos os fatores relevantes atuais mostram que a estamos em um ambiente cada vez mais competitivo, assim as pessoas e principalmente as organizações devem descobrir maneiras

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Comunicações

Plano de Gerenciamento das Comunicações Projeto: Simul-e Plano de Gerenciamento das Comunicações Versão 1.0 Página 1 de 9 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 01/11/2015 1.0 Criação do Documento Hugo Pazolline Página 2 de 9 Índice

Leia mais

Gerenciamento de projetos. cynaracarvalho@yahoo.com.br

Gerenciamento de projetos. cynaracarvalho@yahoo.com.br Gerenciamento de projetos cynaracarvalho@yahoo.com.br Projeto 3URMHWR é um empreendimento não repetitivo, caracterizado por uma seqüência clara e lógica de eventos, com início, meio e fim, que se destina

Leia mais

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) O que é um projeto? Projeto é um empreendimento não repetitivo, caracterizado por uma sequência clara e lógica de eventos, com início, meio e fim, que se destina a atingir um objetivo claro e definido,

Leia mais

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis Vamos nos conhecer e definir as diretrizes de nosso curso??? www.eadistancia.com.br

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com PMBoK Organização do Projeto Os projetos e o gerenciamento

Leia mais

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas ECONOMISTA - RIVAS ARGOLO 2426/D 62 9905-6112 RIVAS_ARGOLO@YAHOO.COM.BR Objetivo deste mini curso : Mostrar os benefícios do gerenciamento de projetos

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS O que é um Projeto? Regra Início e fim definidos Destinado a atingir um produto ou serviço único Escopo definido Características Sequência clara e lógica de eventos Elaboração

Leia mais

EAD 615 Gerenciamento de Projetos. Estruturas Organizacionais para Gerenciamento de Projetos e o Papel do PMO

EAD 615 Gerenciamento de Projetos. Estruturas Organizacionais para Gerenciamento de Projetos e o Papel do PMO EAD 615 Gerenciamento de Projetos Estruturas Organizacionais para Gerenciamento de Projetos e o Papel do PMO Professores: Prof. Dr. Antonio C. Amaru Maximiano Prof. Dr. Roberto Sbragia Colaboradores: Benedito

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais