Quero São Paulo mais azul. Quem ama São Paulo faz a Inspeção Ambiental Veicular.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quero São Paulo mais azul. Quem ama São Paulo faz a Inspeção Ambiental Veicular."

Transcrição

1 Quero São Paulo mais azul. Quem ama São Paulo faz a Inspeção Ambiental Veicular.

2 2

3 PALAVRA DO PRESIDENTE O PROGRAMA QUEM SOMOS CENTROS DE INSPEÇÃO GESTÃO DA OPERAÇÃO PESQUISA E DESENVOLVIMENTO ATENDIMENTO AO CLIENTE GESTÃO DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RECURSOS HUMANOS MOVIMENTO RESPIRAR RESULTADOS DO PROGRAMA I/M RESULTADOS AMBIENTAIS RESULTADOS PARA A SAÚDE CONCLUSÕES DESAFIOS

4 PALAVRA DO PRESIDENTE Marcado por grandes desafios, o ano de 2011 foi encerrado pela Controlar com números positivos. Registramos crescimento de 1,8% no número de veículos inspecionados e realizamos a inspeção de número 10 milhões, marcando a consolidação do Programa I/M na cidade de São Paulo. A relevância do Programa e os benefícios gerados para a sociedade foram mais uma vez atestados pelo Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da Faculdade de Medicina da USP, que comprovou que as melhorias trazidas pela Inspeção Ambiental Veicular para a qualidade do ar e da saúde vão além da capital, atingindo também a região metropolitana de São Paulo. O estudo concluiu que foram evitadas internações hospitalares e 584 mortes por problemas respiratórios, resultando em uma economia de mais de R$ 160 milhões para o sistema de saúde na Grande São Paulo. O ano também apresentou evolução na qualidade do atendimento ao público. O tratamento individualizado que dispensamos às manifestações de nossos clientes nos permitiu aprimorar o conhecimento a respeito de seus hábitos, preferências e demandas, e assim implementar ações de melhorias de processos, realização de treinamentos e até a criação de novos cargos nos Centros de Inspeção, privilegiando a integração com cada cliente. Com essas ações, conseguimos reduzir pela metade o índice de reclamações do ano anterior, chegando a 0,14% de reclamações por inspeção efetuada. Além dessas ações específicas para os usuários dos nossos serviços, iniciamos um amplo trabalho de relações públicas com o objetivo de mostrar a nossa atuação e os benefícios gerados pela Inspeção Ambiental Veicular aos nossos principais stakeholders. O ano de 2011 nos trouxe também desafios que ainda terão de ser superados. Um deles é a isenção da inspeção determinada pela Portaria da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, que trata da inspeção de veículos transferidos para a cidade de São Paulo no ano da transferência. Essa isenção que reduz em 13% a frota a inspecionar, além das consequências econômicas sobre o contrato, também reduz os benefícios do Programa para a qualidade do ar de São Paulo nessa mesma proporção. Outros desafios estão relacionados à abertura de ação civil pública contra o Programa, e a redução da tarifa em 33% determinada unilateralmente pela Prefeitura, que vem sendo questionada na justiça pela Concessionária. Temos confiança de que a justiça decidirá favoravelmente à Concessionária e à manutenção do Programa, e que sairemos fortalecidos desses eventos. Por fim, reafirmamos nossa convicção de que a melhoria contínua na prestação de nossos serviços, a despeito dos desafios que enfrentamos, é a melhor forma de prestarmos contas à sociedade do relevante trabalho que buscamos realizar. Harald Peter Zwetkoff DIRETOR-PRESIDENTE 4

5 O PROGRAMA Tanto a poluição do ar quanto a poluição sonora são graves ameaças à saúde e à qualidade de vida de quem vive nas grandes cidades. Estudos comprovam que elas podem causar ou intensificar problemas respiratórios, bronquites, rinites, alergias, dores de cabeça, problemas de audição, entre muitos outros 1. Em São Paulo, a estimativa é de que a poluição do ar seja responsável por cerca de 20 mortes por dia e pela redução da expectativa de vida da população em um ano e meio, além de representar um gasto anual de mais de R$ 335 milhões com tratamentos de saúde. Por tudo isso, ambientalistas, médicos, técnicos da área de poluição ambiental e autoridades em saúde pública consideram o Programa de Inspeção Ambiental Veicular de importância fundamental para a cidade de São Paulo. As inspeções seguem as normas estabelecidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e têm como objetivo manter a frota regulada e dentro dos padrões adequados de manutenção. Nelas são avaliadas as emissões de monóxido de carbono e hidrocarbonetos nos veículos a gasolina, álcool, gás natural, motores flex e motocicletas; Material Particulado (MP) nos veículos a diesel; e os níveis de ruído em todos os veículos. 1 Fonte: estudo do Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental (LPAE) da Faculdade de Medicina da USP. MAIS DE 3 MILHÕES DE VEÍCULOS INSPECIONADOS 5

6 QUEM SOMOS Tendo como acionistas os grupos CSS Participações que atua nas áreas de energia, transporte, distribuição de gás natural, concessão de rodovias, projetos imobiliários e inspeção veicular; CCR uma das maiores companhias de concessão de rodovias do mundo; BRISA a maior empresa de infraestrutura de Portugal; e parceria técnica com a TÜV NORD empresa alemã com experiência internacional em inspeção, a Controlar é a empresa pioneira no Brasil a realizar esse importante serviço. Toda a estrutura da Controlar foi planejada com o objetivo de prestar serviços de alto padrão de excelência, desde o agendamento prévio, garantindo que todos os dados do veículo, ao chegarem ao centro, estejam disponíveis para o início da inspeção até a formação dos funcionários que recebem treinamento constante tanto para realizar a inspeção quanto para prestar atendimento ao público. A empresa foi certificada nas normas ISO 9001, ISO e OHSAS (qualidade, meio ambiente, segurança e saúde), demonstrando o reconhecimento pela qualidade do serviço prestado. Missão Melhorar a qualidade de vida na cidade de São Paulo, reduzindo a poluição por meio da Inspeção Ambiental Veicular, e gerar resultados para a sociedade, colaboradores e acionistas. Compromisso Realizar o Programa de Inspeção Ambiental Veicular prestando serviços confiáveis, ágeis e de alta qualidade. Isso significa: melhorar a qualidade do ar; reduzir os problemas de saúde causados pelo excesso de poluição; conscientizar a população para o uso racional de veículos; incentivar a cultura de manutenção preventiva; fomentar a regularização da frota. 6

7 CENTROS DE INSPEÇÃO CENTROS DE INSPEÇÃO Para atender a população, a Controlar conta com Centros de Inspeção localizados em todas as regiões da cidade, com Para capacidade atender a para população, realizar 700 a Controlar mil inspeções conta com por mês. Centros Somente de Inspeção no Centro localizados de Inspeção em todas Tatuapé, as regiões o maior da do cidade, mundo, com a capacidade Controlar tem para capacidade realizar 700 de mil realizar inspeções até quatro por mês. mil Somente inspeções no por Centro dia, ou de seja, Inspeção um veículo Tatuapé, a cada o maior onze segundos. mundo, a Controlar tem capacidade de realizar até quatro mil inspeções por dia, ou seja, um veículo a cada onze segundos. ENDEREÇOS DOS CENTROS DE INSPEÇÃO CENTRO DE INSPEÇÃO ENDEREÇO REGIÃO QUANTIDADE DE LINHAS CAPACIDADE DIÁRIA CAPACIDADE MENSAL Jaguaré Av. Eng. Billings, Zona oeste Parque São Jorge Av. Condessa Elizabeth de Robiano, Zona leste Anchieta Rua Francisco Bautista, 163 Zona sul Barra Funda Rua Gustav Willi Borghoff, 450 Zona oeste Aricanduva Av. Aricanduva, Zona leste Itaquera Rua Sabbado D'Angelo, Zona leste Parque do Estado Rua Alexandre Aliperti, 351 Zona sul Parque do Carmo Av. Adriano Bertozzi, 641 Zona leste Cidade Dutra Av. Irmã Dulce, 200 Zona sul Pirituba Av. Raimundo Pereira de Magalhães, Zona norte Vila Medeiros Rua Soldado Claudino Pinheiro, 160 Zona norte Raposo Tavares Rua Joaquim Lapas Veiga, 339 Zona oeste Morumbi Sul Estrada de Itapecerica, 160 Zona sul Casa Verde Av. Eng. Caetano Álvares, 341 Zona norte Tatuapé Av. Ulisses Cruz, 655 Zona leste São Miguel Rua Cembira, 422 Zona leste

8 Infraestrutura A estrutura dos Centros de Inspeção, muito além de apenas atender à demanda, foi desenvolvida respeitando o meio ambiente, com um projeto moderno que contempla: sistema de coleta e reúso de água; conservação da permeabilidade do solo, com ruas internas construídas com pisos especiais; aquecimento por energia solar; caixa separadora de água e óleo; conservação das áreas verdes. Além disso, a localização descentralizada dos Centros de Inspeção contribui para a geração de empregos e o atendimento da frota em regiões próximas aos locais de moradia, reduzindo o impacto sobre o trânsito e o sistema de transporte. Todos os centros contam com geradores de emergência e diversos sistemas de contingência para a comunicação de dados, assegurando a continuidade e regularidade no atendimento aos usuários. REDUÇÃO DE 39% NA EMISSÃO DE HIDROCARBONETOS 8

9 Mapa de Localização PIRITUBA CASA VERDE VILA MEDEIROS I e II PARQUE SÃO JORGE SÃO MIGUEL JAGUARÉ I e II BARRA FUNDA I e II ITAQUERA TATUAPÉ I, II, III e IV PARQUE DO CARMO I e II ARICANDUVA I e II RAPOSO TAVARES MORUMBI SUL I e II PARQUE DO ESTADO I e II ANCHIETA CIDADE DUTRA I e II ZONA NORTE CASA VERDE PIRITUBA VILA MEDEIROS I e II ZONA SUL ANCHIETA CIDADE DUTRA I e II MORUMBI SUL I e II PARQUE DO ESTADO I e II ZONA LESTE ARICANDUVA I e II ITAQUERA PARQUE SÃO JORGE SÃO MIGUEL TATUAPÉ I, II, III e IV PARQUE DO CARMO I e II ZONA OESTE BARRA FUNDA I e II JAGUARÉ I e II RAPOSO TAVARES 9

10 GESTÃO DA OPERAÇÃO Processos A Controlar é uma empresa orientada por processos. Seu sistema de gestão é apoiado por três macroprocessos de negócio agendar, inspecionar e informar que se aplicam a toda empresa e são essenciais para que os serviços sejam prestados de forma consistente, padronizada e confiável, garantindo a alta qualidade reconhecida pelos clientes. Certificações O sistema de gestão foi certificado em 2010 nas normas ISO 9001 (qualidade), ISO (meio ambiente) e OHSAS (saúde e segurança). Em 2011, a empresa foi recertificada nas três normas, comprovando sua capacitação técnica, a qualidade dos serviços prestados, a excelência no atendimento ao cliente, a preocupação com o meio ambiente e a busca constante por melhores condições de segurança e saúde dos colaboradores. Ainda em 2001, a auditoria realizada pela empresa alemã TÜV NORD apontou a Controlar como referência mundial nos processos implantados. Relacionamento com o Cliente Alguns projetos com foco no aprimoramento do relacionamento com o cliente foram iniciados em 2011: Projeto Zero Reclamação e Semana do Cliente: ressaltam a importância de oferecer atenção especial no atendimento ao cliente. Melhoria Contínua: criação de novos cargos, tais como Analista Técnico e de Relacionamento com o Cliente. FOCO Qualishow: aprimorar nosso relacionamento com o cliente, que objetiva garantir a qualidade dos serviços nos Centros de Inspeção, reforçando a prática do valor excelência. Faz parte do Sistema de Gestão Integrado (SGI) e tem por objetivo padronizar a prestação dos serviços de inspeção. O programa visa a troca das melhores práticas entre os Centros de Inspeção e incentiva o trabalho em equipe. Instalação de câmeras de monitoramento: com o objetivo de aumentar a segurança nos Centros de Inspeção. Meio Ambiente Implantação do Projeto Econscientizar que promove o consumo sustentável dos recursos naturais pela Controlar. Diversos workshops fizeram parte do projeto, como o uso racional e consciente dos recursos naturais (água e energia elétrica) e contaram com a participação de profissionais de empresas como Sabesp e AES Eletropaulo. 10

11 Qualidade do Serviço Prestado Qualidade do Serviço Prestado Os resultados das melhorias implantadas no atendimento ao cliente foram medidos pelo índice de reclamação por inspeção Os resultados efetuada, das melhorias conforme implantadas demonstra o no gráfico atendimento abaixo: ao cliente foram medidos pelo índice de reclamação por inspeção efetuada, conforme demonstra o gráfico abaixo: INSPEÇÕES REALIZADAS X RECLAMAÇÕES ,50% ,30% ,10% ,90% ,70% ,54% 0,45% 0,32% 0,21% 0,32% 0,25% 0,27% 0,26% 0,19% 0,26% 0,24% 0,22% 0,50% 0,30% ,10% 0 FEV/11 MAR/11 ABR/11 MAI/11 JUN/11 JUL/11 AGO/11 SET/11 OUT/11 NOV/11 DEZ/11 JAN/12-0,10% Inspeções Reclamações Planejamento O planejamento da da operação levou levou em em conta conta o cronograma o cronograma de licenciamento de licenciamento e privilegiou e privilegiou o atendimento o atendimento à à demanda, permitindo que, durante todo o período compreendido entre fevereiro de de 2011 e e janeiro de de 2012, fossem disponibilizadas vagas com um um período de de espera máximo de de dias dias para para o agendamento, o em em qualquer uma uma das das regiões da cidade. MÊS AGENDAMENTOS INSPEÇÕES REALIZADAS ABSTENÇÃO CAPACIDADE UTILIZADA FEV/ ,0% 22,0% MAR/ ,8% 26,3% ABR/ ,3% 37,0% MAI/ ,1% 47,7% JUN/ ,4% 59,0% JUL/ ,0% 68,6% AGO/ ,8% 74,9% SET/ ,5% 72,6% OUT/ ,5% 71,1% NOV/ ,6% 60,5% DEZ/ ,4% 50,1% JAN/ ,7% 26,7% TOTAL ,0% 51,6% Mesmo Mesmo no no mês mês de de maior maior procura procura foi foi registrada registrada uma uma sobrecapacidade sobrecapacidade de de 25,1%. 25,1%. Na Na média média do do ano, ano, a ocupação ocupação foi foi de de 51,6% 51,6% decorrente decorrente da da sazonalidade sazonalidade da da demanda. demanda. 11

12 Disponibilidade Operacional Disponibilidade Operacional Para garantir o contínuo funcionamento da operação foram desenvolvidas e implementadas diferentes formas de Para configuração garantir o da contínuo infraestrutura funcionamento que garantem da operação aos Centros foram de Inspeção desenvolvidas a continuidade e implementadas do atendimento diferentes aos formas clientes de configuração mesmo em situações da infraestrutura adversas. que garantem aos Centros de Inspeção a continuidade do atendimento aos clientes mesmo em situações adversas. Tais medidas mostraram-se muito eficientes, pois mantiveram a operação dentro dos elevados padrões esperados, Tais ou seja, medidas quase mostraram-se 100% de disponibilidade muito eficientes, do sistema pois mantiveram e dos Centros a operação de Inspeção. dentro dos elevados padrões esperados, ou seja, quase 100% de disponibilidade do sistema e dos Centros de Inspeção. DISPONIBILIDADE DOS SISTEMAS (%) 100,0 99,5 99,0 98,5 98,0 97,5 97,0 96,5 96,0 95,5 95,0 100,0 100,0 100,0 99,8 100,00 99,2 99,8 99,8 99,9 99,3 99,0 98,4 FEV/11 MAR/11 ABR/11 MAI/11 JUN/11 JUL/11 AGO/11 SET/11 OUT/11 NOV/11 DEZ/11 JAN/12 DISPONIBILIDADE DOS CIVAs (%) 100,0 99,5 99,0 98,5 98,0 97,5 97,0 96,5 96,0 95,5 95,0 99,9 100,0 100,0 99,9 100,0 AGO/11 SET/11 OUT/11 NOV/11 DEZ/11 JAN/12 99,9 12

13 PESQUISA E DESENVOLVIMENTO Com objetivo de incentivar a busca constante por inovações e fazer frente aos diversos desafios, a empresa tem investido cada vez mais em pesquisa e desenvolvimento. Nesse contexto, o sucesso do Programa está amplamente relacionado aos investimentos e manutenção de tecnologia de ponta que possam continuar a oferecer condições técnicas, respeitando as resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) e das portarias do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA). A Controlar buscou soluções e ofereceu suporte para o Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV) publicado em 2011 pelo prefeito Gilberto Kassab. Esse plano busca reduzir a emissão de poluentes na atmosfera por meio do aprimoramento do Programa I/M-SP, além de melhorias no sistema de transporte e gerenciamento do tráfego nas vias da cidade. Para impedir ações fraudulentas, a Controlar desenvolveu tecnologia que identifica com alto grau de eficácia qualquer adulteração de combustível nos veículos movidos a gás natural veicular (GNV). Veículos com baixa quilometragem reprovados por alta emissão de poluentes também passaram a fazer parte do foco da empresa, que buscou a solução identificando problemas na manutenção desses veículos. Por fim, o método de medição de ruído foi aprimorado por meio da utilização de softwares avançados, que permitem a realização de medição sem interferências sonoras externas aumentando a credibilidade do resultado. 13

14 ATENDIMENTO AO CLIENTE Call Center O SAC Serviço de Atendimento Controlar conta com canais de comunicação para esclarecimento de dúvidas e recebimento de críticas, reclamações, elogios e sugestões. Os atendimentos são realizados via telefone, , chat e Twitter. De fevereiro de 2011 a janeiro de 2012 foram recebidas chamadas telefônicas, sendo que a maioria dos contatos realizados por meio do call center foi para solicitação de informações, agendamentos ou de reagendamentos de inspeção. Do total de chamadas recebidas, foram transferidas para o atendimento humano. O tempo médio de espera (TME) do ano foi de 11 segundos, o tempo médio de atendimento (TMA) foi de 4 minutos e 34 segundos e o percentual de abandono médio foi de 1,63%, sendo que a maior concentração ocorreu no mês de agosto, atingindo 4,5%. Além do atendimento telefônico, foi recebido e respondido no mesmo período um total de s e realizados atendimentos por meio do chat. O site recebeu acessos no ano, com um pico mensal de acessos no mês de agosto de Em 2011 foi despendido um montante de R$ ,00 na melhoria da estrutura de atendimento ao cliente, incluindo suporte de ferramenta de atualizações de licenças e sistemas, gerenciamento de conteúdo e atualizações da homepage e infraestrutura do call center CHAMADAS ATENDIDAS 14

15 QUANTIDADE DE CHAMADAS CALL CENTER ATENDIMENTO ELETRÔNICO (UNIDADE DE RESPOSTA AUDÍVEL URA) ATENDIMENTO HUMANO MÊS CHAMADAS RECEBIDAS CHAMADAS ATENDIDAS CHAMADAS ABANDONADAS CHAMADAS RECEBIDAS CHAMADAS ATENDIDAS CHAMADAS ABANDONADAS TEMPO MÉDIO DE ESPERA TEMPO MÉDIO ABANDONO % FEV/ :00:18 0:02:35 4,2% MAR/ :00:03 0:00:09 0,0% ABR/ :00:04 0:01:18 0,1% MAI/ :00:06 0:02:06 0,8% JUN/ :00:07 0:01:34 0,6% JUL/ :00:07 0:02:06 0,7% AGO/ :00:24 0:02:34 4,5% SET/ :00:14 0:01:33 1,6% OUT/ :00:21 0:01:50 2,9% NOV/ :00:08 0:03:20 1,7% DEZ/ :00:07 0:01:15 0,6% JAN/ :00:12 0:01:58 1,7% TOTAL :00:11 0:01:52 1,63% FALE CONOSCO CHAMADAS ATENDIDAS CHAT CHAMADAS ATENDIDAS FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN O Twitter registrou seguidores. 15

16 Internet Internet No período de fevereiro de 2011 a janeiro de 2012, o site da Controlar registrou acessos, sendo que agosto No período foi o de mês fevereiro de pico de com 2011 um a janeiro total de , o site acessos. da Controlar registrou acessos, sendo que agosto foi o mês de pico com um total de acessos. QUANTIDADE DE ACESSOS FEV/11 MAR/11 ABR/11 MAI/11 JUN/11 JUL/11 AGO/11 SET/11 OUT/11 NOV/11 DEZ/11 JAN/ VIDAS SALVAS 584 VIDAS SALVAS 16

17 GESTÃO DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Políticas de Segurança Toda infraestrutura de tecnologia da informação passou por um processo de reavaliação no ano de 2011, com a possibilidade de aumentar a confiabilidade, a segurança e a disponibilidade das informações. O projeto contou com a participação da IBM, que forneceu subsídios para os investimentos necessários em tecnologia e procedimentos operacionais. Uma das ações já implementadas foi a instalação do sistema Guardium, que, além de impedir atividades de pessoas não autorizadas, monitora todas as ações dos usuários nas transações com o banco de dados, garantindo um alto nível de segurança nos sistemas da empresa. O ano de 2011 marcou a implantação da Política de Segurança da Informação, que busca preservar a confidencialidade, integridade e disponibilidade das informações. A adoção da política apresentou vários benefícios, tais como: o comprometimento da alta direção com a continuidade dos negócios; o aumento da conscientização da empresa quanto à segurança das informações; a padronização nos processos organizacionais; a definição das responsabilidades e a conformidade com a legislação e obrigações contratuais. Com o intuito de facilitar ainda mais o acesso às informações, todos os documentos legais foram disponibilizados de forma eletrônica, agilizando a consulta e o atendimento aos órgãos oficiais. Para oferecer maior comodidade aos clientes no momento do pagamento da tarifa de inspeção, foi implantada a opção que permite que o pagamento seja feito via home banking das instituições por meio de links no site da Controlar. 17

18 RECURSOS HUMANOS O principal ativo da Controlar são seus colaboradores. Ciente disso, buscamos valorizá-los constantemente, para que eles possam se desenvolver humana e profissionalmente e servir, da melhor maneira possível, clientes internos e externos. Em 2011 o efetivo da empresa contou com aproximadamente 800 colaboradores. A política de Carreira e Desenvolvimento permitiu a promoção de 222 profissionais e foram ministradas horas de treinamento. Mantivemos e aperfeiçoamos nossas ferramentas de Gestão de Pessoas, com destaque aos temas descritos a seguir: Programas de Desenvolvimento da Liderança e de Avaliação de Desempenho Mapeamento de Potencial A Olimpíada do Conhecimento, evento anual de treinamento, contou com a participação intensiva de 600 profissionais, com mobilização por meio de jogos e estudos de caso, com foco na capacitação técnica. 18

19 MOVIMENTO RESPIRAR Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância da Inspeção Ambiental Veicular na melhoria da qualidade do ar de São Paulo, a Controlar promove o Movimento Respirar com ações focadas no desenvolvimento da cidadania e consciência ambiental. Palestras e treinamentos foram realizados em universidades, associações e entidades de classe, tais como Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Faculdade de Tecnologia (FATEC), Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios de São Paulo (SINDIREPA) e outros, para cerca de pessoas, com o objetivo de divulgar os critérios e procedimentos de inspeção para capacitação da indústria de reparação, oficinas mecânicas e profissionais da área. Além disso, a Controlar promoveu a distribuição de livros e apresentou duas peças teatrais, Planeta Relógio e Careco, para alunos de escolas públicas e particulares, com o objetivo de conscientizar os estudantes sobre a importância da inspeção para a melhoria da qualidade do ar da nossa cidade. Planeta Relógio A personagem Julinha Relógio conduz o público infantil a um encontro com a literatura e a música, despertando a criatividade e o raciocínio desses pequenos espectadores. Em casa, na empresa do pai, na cidade, com a família ou com os colegas, Julinha Relógio vive novas aventuras e se defronta com alguns valores e questões do nosso mundo: respeito e preservação do planeta; os animais; a ecologia; a economia de recursos como água, energia e materiais; e a poluição. Desta forma, Julinha Relógio conscientiza e explica para as crianças, de uma forma interessante, o que é efeito estufa e camada de ozônio. O projeto visa ao fortalecimento de conceitos relativos à família, aos amigos, ao crescimento, ao aprendizado, à ética, à cidadania, à felicidade e à preservação dos recursos ambientais. Careco Careco em seus dias de folga procura passear, conhecer lugares, conversar, contar histórias. Num domingo chega a um pequeno sítio. Como nunca tinha estado além do centro urbano, fica extremamente curioso com tudo que vê. Toda paisagem o encanta, principalmente uma imensa mangueira onde resolve descansar da caminhada embaixo de um sol muito quente. Num dos galhos está Tico, o menino mais alegre e curioso do sítio. Começam a conversar. Aos poucos, Tico vai colocando Careco a par da vida do sítio. Como os dois são muito curiosos, não faltam perguntas de um para outro. Tico chama seus amigos, o caminhão e a mula, os meios de locomoção de que dispõe no sítio. Cada um deles conta como são alimentados. E aí, começa uma bela aula sobre ecologia, sustentabilidade e amor à natureza, retratada por Careco, com seu combustível light e com o amor que Tico dedica ao meio ambiente. Tudo é claro, com muita música e brincadeiras. 19

20 RESULTADOS DO PROGRAMA I/M RESULTADOS DO PROGRAMA I/M De fevereiro de 2011 a janeiro de 2012, foram inspecionados veículos e realizadas inspeções. De fevereiro de 2011 a janeiro de 2012, foram inspecionados veículos e realizadas inspeções. A diferença entre a quantidade de inspeções realizadas e veículos inspecionados, , refere-se à reinspeções dos A diferença veículos entre reprovados a quantidade e rejeitados. de inspeções realizadas e veículos inspecionados, , refere-se à reinspeções dos veículos reprovados e rejeitados. Do total de automóveis inspecionados, 50,3% são movidos a gasolina, 3,8% a álcool, 43,7% são flex e 2,3% rodam alternadamente Do total de automóveis com dois inspecionados, combustíveis: líquido 50,3% são (gasolina movidos e/ou a álcool) gasolina, e gás 3,8% natural a álcool, veicular 43,7% (GNV). são flex e 2,3% rodam alternadamente com dois combustíveis: líquido (gasolina e/ou álcool) e gás natural veicular (GNV). Do total de motocicletas inspecionadas, 97% são movidas a gasolina e 3% são flex. Do total de motocicletas inspecionadas, 97% são movidas a gasolina e 3% são flex. Do total dos veículos movidos a diesel, 44,9% são veículos leves, 14,9% são ônibus e 40,1% são caminhões. Do total dos veículos movidos a diesel, 44,9% são veículos leves, 14,9% são ônibus e 40,1% são caminhões. VEÍCULOS INSPECIONADOS (FEV/2011 A JAN/2012) TIPO VEÍCULOS FROTA REGISTRADA FROTA ESTIMADA EVASÃO DE 25% REALIZADOS APROVADOS NÃO APROVADOS VEÍCULOS % VEÍCULOS % AUTOMÓVEL ,4% ,6% ,2% ,2% MOTO ,5% ,5% ,5% ,3% TOTAL ,3% ,7% ,9% ,9% DIESEL LEVE ,8% ,2% ,3% ,1% ÔNIBUS ,8% ,2% ,0% ,0% CAMINHÕES ,1% ,9% ,4% ,5% TOTAL DIESEL ,2% ,8% ,6% ,4% TOTAL GERAL ,0% ,0% ,8% ,3% A evasão de 25% é uma estimativa do poder público sobre a frota registrada e corresponde a veículos que, apesar de inclusos na frota registrada, não circulam por diversos motivos. Veículos que circulam na cidade de São Paulo, mas são registrados em outros municípios embora representem uma parcela significativa na emissão de poluentes, ainda não são obrigados a realizar a Inspeção Ambiental Veicular. 20

21 INSPEÇÕES REALIZADAS (FEV/2011 A JAN/2012) TIPO INSPEÇÕES FROTA REGISTRADA FROTA ESTIMADA EVASÃO DE 25% REALIZADAS APROVADAS NÃO APROVADAS VEÍCULOS % VEÍCULOS % AUTOMÓVEIS ,0% ,0% ,2% ,2% MOTO ,5% ,5% ,5% ,3% TOTAL ,6% ,4% ,7% ,9% DIESEL LEVE ,1% ,9% ,3% ,1% ÔNIBUS ,9% ,1% ,0% ,0% CAMINHÕES ,4% ,6% ,4% ,5% TOTAL DIESEL ,4% ,6% ,6% ,4% TOTAL GERAL ,2% ,8% ,7% ,3% RESULTADOS DA PRIMEIRA INSPEÇÃO (FEV/2011 A JAN/2012) TIPO VEÍCULOS INSPECIONADOS APROVADOS NÃO APROVADOS TOTAL (%) TOTAL (%) OTTO LEVE % % MOTOCICLETAS % % DIESEL LEVE % % ÔNIBUS % % CAMINHÕES % % TOTAL % % 21 3

22 Inspeção de Automóveis Inspeção de Automóveis Os itens avaliados na pré-inspeção visual foram os que mais levaram à rejeição dos veículos leves (84%). Dentre esses Os itens itens avaliados se destacam na pré-inspeção os vazamentos visual ou foram avarias os no que sistema mais levaram de admissão à rejeição de ar, dos que veículos respondem leves por (84%). 31% Dentre do total esses de itens rejeições se destacam e emissão os vazamentos de fumaça visível ou avarias responsável no sistema por 22%. de admissão de ar, que respondem por 31% do total de rejeições e emissão de fumaça visível responsável por 22%. MOTIVOS DE REJEIÇÃO NA PRÉ-INSPEÇÃO 31% MOTIVOS DE REPROVAÇÃO NA INSPEÇÃO VISUAL 22% 52% 15% 14% 6% 3% 18% 11% 6% 4% 4% 4% Sistema de admissão de ar Emissão de fumaça visível Sistema de escapamento Vazamentos aparentes Funcionamento irregular do motor Possibilidade de acidente Fixação, conexões e mangueiras sistema PCV Fixação, conexões e mangueiras do cânister Lâmpada (LIM) Sistema PCV Cânister ausente ou danificado Catalisador irregular Outros Na inspeção visual, o o item item que que mais mais apresentou problemas problemas refere-se refere-se a irregularidades a de fixação, de fixação, conexões conexões e e mangueiras do sistema PCV (8%). Nota-se que os motivos mais frequentes são relativos a a defeitos solucionáveis com com baixo baixo custo, custo, indicando que, que, na na maioria dos casos, os proprietários/usuários dos veículos têm condições de efetuar os reparos necessários para sanar as sanar as desconformidades existentes existentes e ter e ter seus seus veículos aprovados na na reinspeção, ou mesmo corrigir tais tais defeitos facilmente identificáveis antes da primeira inspeção. Da mesma forma como realizado nas análises das inspeções dos anos anteriores, foi feita uma avaliação da eficiência do Programa em identificar melhorias nos veículos, por meio da frequência de aprovação em sucessivas reinspeções daqueles inicialmente reprovados ou rejeitados, para cada tipo de combustível. Dentre os veículos movidos a gasolina que representam a maior parcela da frota, dos automóveis reprovados ou rejeitados na inspeção inicial, 52% realizaram apenas uma reinspeção e 18% e 18% não não tiveram que que retornar mais mais de duas de duas vezes vezes ao ao Centro de de Inspeção, indicando novamente uma redução rápida na na quantidade de veículos de veículos em em desconformidade. Em relação aos demais combustíveis, o comportamento geral foi similar, respeitando as características de aprovação, reprovação e rejeição para cada tipo de combustível, comentadas anteriormente. 22

INSPEÇÃO AMBIENTAL VEICULAR

INSPEÇÃO AMBIENTAL VEICULAR INSPEÇÃO AMBIENTAL VEICULAR INTRODUÇÃO 5 QUEM SOMOS 5 DESTAQUES 6 CENTROS DE INSPEÇÃO EM OPERAÇÃO 8 VEÍCULOS INSPECIONADOS E INSPEÇÕES REALIZADAS 10 RESULTADOS AMBIENTAIS 17 RESULTADOS PARA A SAÚDE 25

Leia mais

PROGRAMA DE INSPEÇÃO VEICULAR AMBIENTAL DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. Marcio Schettino

PROGRAMA DE INSPEÇÃO VEICULAR AMBIENTAL DA PREFEITURA DE SÃO PAULO. Marcio Schettino PROGRAMA DE INSPEÇÃO VEICULAR AMBIENTAL DA PREFEITURA DE SÃO PAULO Marcio Schettino Programa Estratégia Legislação FEDERAL Resolução nº. 418/09 (CONAMA) diretrizes básicas e padrões de emissão para Programas

Leia mais

INSPEÇÃO VEICULAR & SAÚDE I/M-SP DIESEL 2011 LPAE/FMUSP

INSPEÇÃO VEICULAR & SAÚDE I/M-SP DIESEL 2011 LPAE/FMUSP Introdução O impacto de ações ambientais ou o desenvolvimento e comparação de cenários de intervenção ambiental requerem a combinação de um conjunto de diferentes técnicas para quantificar indicadores

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2012

RELATÓRIO ANUAL 2012 RELATÓRIO ANUAL 212 O Programa Quem Somos 5 6 Gestão de Negócios Gestão de Operação 14 11 Pesquisa e Desenvolvimento Meio Ambiente/ Sustentabilidade Desenvolvimento Sustentável Relacionamento com o cliente

Leia mais

Clique para editar o estilo do título mestre

Clique para editar o estilo do título mestre Clique para editar o estilo do título mestre Inspeção Veicular I/M: A experiência de São Paulo Eduardo Rosin - Diretor Executivo Clique Apresentação para editar o estilo do título mestre 1. Programa I/M

Leia mais

ANEXO IV PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MOTOCICLOS E ASSELMELHADOS DO CICLO OTTO NO PROGRAMA I/M-SP

ANEXO IV PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MOTOCICLOS E ASSELMELHADOS DO CICLO OTTO NO PROGRAMA I/M-SP ANEXO IV PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO DE MOTOCICLOS E ASSELMELHADOS DO CICLO OTTO NO PROGRAMA I/M-SP 1. Previamente à inspeção, o veículo depois de recepcionado no Centro de Inspeção, deve ser direcionado

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA IM-SP:

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA IM-SP: RELATÓRIO CONTROLAR Nº 2012/06_V2 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA IM-SP: Descritivas e Resultados de Motociclos em 2011 Gabriel Murgel Branco Fábio Cardinale Branco Alfred Szwarc São Paulo, junho de

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009. DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009. DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009 DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010 Dispõe sobre critérios para a elaboração de Planos de Controle de Poluição Veicular-PCPV e para a implantação

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA N 07, DE 31 DE AGOSTO DE 1993.. Alterada pela Resolução CONAMA 227/97 Dispõe sobre a definição das diretrizes básicas e padrões de

RESOLUÇÃO CONAMA N 07, DE 31 DE AGOSTO DE 1993.. Alterada pela Resolução CONAMA 227/97 Dispõe sobre a definição das diretrizes básicas e padrões de RESOLUÇÃO CONAMA N 07, DE 31 DE AGOSTO DE 1993.. Alterada pela Resolução CONAMA 227/97 Dispõe sobre a definição das diretrizes básicas e padrões de emissão para estabelecimento de Programas de Inspeção

Leia mais

ESTUDO DA EMISSÃO DE GASES DE VEÍCULOS DO CICLO OTTO NO MUNICÍPIO DE LAJEADO/RS

ESTUDO DA EMISSÃO DE GASES DE VEÍCULOS DO CICLO OTTO NO MUNICÍPIO DE LAJEADO/RS ESTUDO DA EMISSÃO DE GASES DE VEÍCULOS DO CICLO OTTO NO MUNICÍPIO DE LAJEADO/RS Ronei Tiago Stein (*), Roberta Karinne Mocva Kurek, Marcelo Pozzagnolo * Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), mestrando

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009 DOU 26.11.2009

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009 DOU 26.11.2009 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009 DOU 26.11.2009 Dispõe sobre critérios para a elaboração de Planos de Controle de Poluição Veicular - PCPV e para a implantação de Programas de Inspeção

Leia mais

Combate à poluição: importante como o ar que você respira.

Combate à poluição: importante como o ar que você respira. Combate à poluição: importante como o ar que você respira. Ar A poluição do ar e a sua saúde O que é poluente atmosférico? É toda e qualquer forma de matéria ou energia em quantidade, concentração, tempo

Leia mais

PROPOSTA DE SÃO PAULO

PROPOSTA DE SÃO PAULO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO I/M Atualização e Consolidação das exigências atuais PROPOSTA DE SÃO PAULO Dispõe sobre a implantação pelos órgãos estaduais e municipais de meio ambiente dos Programas de Inspeção

Leia mais

IV Seminário Internacional Frotas e Fretes Verdes. DSc. Luciana Ventura Chefe de Serviço Controle da Poluição Veicular - INEA

IV Seminário Internacional Frotas e Fretes Verdes. DSc. Luciana Ventura Chefe de Serviço Controle da Poluição Veicular - INEA IV Seminário Internacional Frotas e Fretes Verdes { DSc. Luciana Ventura Chefe de Serviço Controle da Poluição Veicular - INEA Diretoria de Segurança Hídrica e Qualidade Ambiental Gerência da Qualidade

Leia mais

2º Para os veículos leves do ciclo Otto ficam estabelecidos os limites máximos de Co, HC, diluição e velocidade angular do motor do Anexo I.

2º Para os veículos leves do ciclo Otto ficam estabelecidos os limites máximos de Co, HC, diluição e velocidade angular do motor do Anexo I. RESOLUÇÃO CONAMA Nº 007, de 31 de agosto de 1993 O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA, no uso das atribuições previstas na Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, alterada pelas Leis nº 7.804,

Leia mais

Resolução CONAMA nº 07, de 31 de agosto de 1993. (Publicação - Diário Oficial da União 31/12/1993)

Resolução CONAMA nº 07, de 31 de agosto de 1993. (Publicação - Diário Oficial da União 31/12/1993) Resolução CONAMA nº 07, de 31 de agosto de 1993. (Publicação - Diário Oficial da União 31/12/1993) O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA, no uso das atribuições previstas na Lei nº 6.938, de 31

Leia mais

ANEXO I LIMITES E PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA EMISSÃO DE ESCAPAMENTO DE MONÓXIDO DE CARBONO E HIDROCARBONETOS DE VEÍCULOS LEVES EM USO

ANEXO I LIMITES E PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA EMISSÃO DE ESCAPAMENTO DE MONÓXIDO DE CARBONO E HIDROCARBONETOS DE VEÍCULOS LEVES EM USO ANEXO I LIMITES E PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA EMISSÃO DE ESCAPAMENTO DE MONÓXIDO DE CARBONO E HIDROCARBONETOS DE VEÍCULOS LEVES EM USO 1. Estabelecer as seguintes definições e critérios para veículos

Leia mais

Portaria nº 147/SVMA-G/2009 Publicada no Diário Oficial da Cidade de 18/11/2009, fls. 25

Portaria nº 147/SVMA-G/2009 Publicada no Diário Oficial da Cidade de 18/11/2009, fls. 25 Portaria nº 147/SVMA-G/2009 Publicada no Diário Oficial da Cidade de 18/11/2009, fls. 25 EDUARDO JORGE MARTINS ALVES SOBRINHO, Secretário Municipal de Verde e do Meio Ambiente, autoridade municipal do

Leia mais

PORTARIA Nº 38 DE 01 DE ABRIL DE 2014

PORTARIA Nº 38 DE 01 DE ABRIL DE 2014 PORTARIA Nº 38 DE 01 DE ABRIL DE 2014 Divulga os limites de emissões de gases e os procedimentos para a fiscalização de veículos do ciclo diesel e do ciclo otto, motociclos e assemelhados do ciclo Otto,

Leia mais

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras PROCONVE (PROGRAMA DE CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES) As Fases Passadas e Futuras Henry Joseph Jr Comissão de Energia e Meio Ambiente ANFAVEA Seminário sobre Emissões de Veículos Diesel

Leia mais

ATUAÇÃO DA METROLOGIA LEGAL NO CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES

ATUAÇÃO DA METROLOGIA LEGAL NO CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES METROLOGIA-2003 Metrologia para a Vida Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM) Setembro 01 05, 2003, Recife, Pernambuco - BRASIL ATUAÇÃO DA METROLOGIA LEGAL NO CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS

Leia mais

América Latina Logística Malha Sul ALL

América Latina Logística Malha Sul ALL América Latina Logística Malha Sul ALL Capítulo 21. Gerenciamento de Emissões e Imissões Atmosféricas Rio Grande do Sul Junho/2010 Revisão 0 21.1 INTRODUÇÃO O presente documento visa a elaboração de um

Leia mais

Emissão de poluentes por automóveis

Emissão de poluentes por automóveis Emissão de poluentes por automóveis Evandro Scholl¹, Fernanda Cardoso de Oliveira² Éder Geovane Schmitt 3 Ivanilde Boff Perottoni 4 Resumo Assuntos como aquecimento global e efeito estufa fazem, cada vez

Leia mais

ESTIMATIVA DA EMISSÃO DE POLUENTES POR VEÍCULOS PESADOS A DIESEL, MINAS GERAIS, BRASIL 2007

ESTIMATIVA DA EMISSÃO DE POLUENTES POR VEÍCULOS PESADOS A DIESEL, MINAS GERAIS, BRASIL 2007 ESTIMATIVA DA EMISSÃO DE POLUENTES POR VEÍCULOS PESADOS A DIESEL, MINAS GERAIS, BRASIL 2007 Edwan Fernandes Fioravante 1, Elisete Gomides Dutra 1, Leonardo Victor Pita Figueiredo 1 1 Fundação Estadual

Leia mais

XVII Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva SIMEA 2009 VEÍCULOS ELÉTRICOS HÍBRIDOS E A EMISSÃO DE POLUENTES

XVII Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva SIMEA 2009 VEÍCULOS ELÉTRICOS HÍBRIDOS E A EMISSÃO DE POLUENTES XVII Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva SIMEA 2009 VEÍCULOS ELÉTRICOS HÍBRIDOS E A EMISSÃO DE POLUENTES Sílvia Velázquez São Paulo, 17 de setembro de 2009. Resíduos Urbanos e Agrícolas Briquetes

Leia mais

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010

Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Combustíveis Alternativos e a Redução das Emissões de Poluentes 12ª Transpo-Sul Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Ambientais da CNT Junho de 2010 Tecnologias, Combustíveis mais limpos e Redução das

Leia mais

Plano Nacional de Mudanças Climáticas

Plano Nacional de Mudanças Climáticas Plano Nacional de Mudanças Climáticas Metas de Redução de Emissões e Avaliação de Impacto no Setor de Transporte e Logística Ricardo Vieira - ABRALOG CENÁRIO ATUAL Política Nacional sobre a Mudança do

Leia mais

DECRETO Nº 21.542, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2010

DECRETO Nº 21.542, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2010 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Gabinete Civil Coordenadoria de Controle dos Atos Governamentais DECRETO Nº 21.542, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2010 Regulamenta a Lei Estadual nº 9.270, de 16 de dezembro

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

PROCONVE: PROGRAMA DE CONTROLE DE POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES

PROCONVE: PROGRAMA DE CONTROLE DE POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES PROCONVE: PROGRAMA DE CONTROLE DE POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES Em um momento em que os cenários de crescimento trazem projeções otimistas para a maior parte dos segmentos da economia brasileira,

Leia mais

Resultados do Programa Ambiental SETRERJ Programas Despoluir e Economizar

Resultados do Programa Ambiental SETRERJ Programas Despoluir e Economizar Resultados do Programa Ambiental SETRERJ Programas Despoluir e Economizar Crescimento da frota atendida 2765 28% 2896 2970 3453 3550 2007 2008 2009 2010 2011 Avaliações anuais Despoluir e Economizar O

Leia mais

São Paulo, 18 de fevereiro de 2013. Ofício ATL nº 04/13. Senhor Presidente

São Paulo, 18 de fevereiro de 2013. Ofício ATL nº 04/13. Senhor Presidente São Paulo, 18 de fevereiro de 2013. Ofício ATL nº 04/13 Senhor Presidente Tenho a honra de encaminhar a Vossa Excelência, a fim de ser submetido ao exame e deliberação dessa Egrégia Câmara, o incluso projeto

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 6, DE 8 DE JUNHO DE 2010 DOU 09.06.2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 6, DE 8 DE JUNHO DE 2010 DOU 09.06.2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 6, DE 8 DE JUNHO DE 2010 DOU 09.06.2010 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

Manual Do Usuário. Monogás Tester. MonoGás Nº. PLANATC Tecnologia Eletrônica Automotiva Ltda Certificado de Garantia.

Manual Do Usuário. Monogás Tester. MonoGás Nº. PLANATC Tecnologia Eletrônica Automotiva Ltda Certificado de Garantia. Certificado de Garantia. Modelo Controle MonoGás Nº A Planatc Tecnologia Eletrônica Automotiva Ltda garante o equipamento adquirido contra possíveis defeitos de fabricação pelo período de 6 meses, a partir

Leia mais

Emissões de poluentes e gases de efeito estufa por veículos automotores e motores de combustão. Paulo Romeu Moreira Machado Panambí, RS - 2010

Emissões de poluentes e gases de efeito estufa por veículos automotores e motores de combustão. Paulo Romeu Moreira Machado Panambí, RS - 2010 3:22:03 1 Emissões de poluentes e gases de efeito estufa por veículos automotores e motores de combustão Paulo Romeu Moreira Machado Panambí, RS - 2010 Roteiro 1 Introdução 2 O motor de combustão interna

Leia mais

BRevê: uma metodologia objetiva de cálculo de emissões para a frota de veículos brasileira. Diana Maria Cancelli Nelson Luís Dias Lemma/UFPR

BRevê: uma metodologia objetiva de cálculo de emissões para a frota de veículos brasileira. Diana Maria Cancelli Nelson Luís Dias Lemma/UFPR BRevê: uma metodologia objetiva de cálculo de emissões para a frota de veículos brasileira Diana Maria Cancelli Nelson Luís Dias Lemma/UFPR 25 de abril de 2011 Termos de Uso BReve.py -- Cálculo de emissões

Leia mais

URBS. Urbanização de Curitiba S.A

URBS. Urbanização de Curitiba S.A URBS Urbanização de Curitiba S.A Principais Atribuições Planejamento e Gerenciamento dos Serviços de Transporte Transporte Coletivo Urbano Metropolitano Transporte Comercial Transporte Escolar Táxi Principais

Leia mais

MF-0584.R-1 - MÉTODO DE MEDIÇÃO DOS GASES EMITIDOS PELO ESCAPAMENTO DOS VEÍCULOS AUTOMOTORES DO CICLO OTTO

MF-0584.R-1 - MÉTODO DE MEDIÇÃO DOS GASES EMITIDOS PELO ESCAPAMENTO DOS VEÍCULOS AUTOMOTORES DO CICLO OTTO MF-0584.R-1 - MÉTODO DE MEDIÇÃO DOS GASES EMITIDOS PELO ESCAPAMENTO DOS VEÍCULOS AUTOMOTORES DO CICLO OTTO Notas: Aprovado pela Deliberação CECA nº 4.816, de 17 de abril de 2007. Publicado no DOERJ de

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 194/2011 Poder Executivo

PROJETO DE LEI Nº 194/2011 Poder Executivo DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, sexta-feira, 27 de maio de 2011. PRO 1 PROJETO DE LEI Nº 194/2011 Poder Executivo Dispõe sobre a Inspeção Ambiental Veicular no Estado do Rio Grande

Leia mais

Dispõe sobre a nova etapa do Programa de Controle de Emissões Veiculares- PROCONVE.

Dispõe sobre a nova etapa do Programa de Controle de Emissões Veiculares- PROCONVE. Resoluções RESOLUÇÃO Nº 315, DE 29 DE OUTUBRO DE 2002 Dispõe sobre a nova etapa do Programa de Controle de Emissões Veiculares- PROCONVE. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso de suas competências

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2011 Dezembro/2012 Relatório Geral 2011 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 28 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática.

Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática. Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática. Marcelo Pereira Bales (1) ; Cristiane Dias (1) ; Silmara Regina da Silva (1) (1) CETESB Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

Leia mais

PROJETO CONSCIENTIZAR

PROJETO CONSCIENTIZAR PROJETO CONSCIENTIZAR Sérgio Martin Dela Torre; Robson Veras Firme Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo S/A EMTU RESUMO O Projeto Conscientizar, criado e mantido pela Empresa Metropolitana

Leia mais

Os ganhos ambientais para a sociedade

Os ganhos ambientais para a sociedade Proconve P7 Diesel e emissões A nova legislação 2012 Tudo o que você deve saber sobre o proconve P7 A nova etapa Proconve P7 estabelece limites de emissões mais rígidos para veículos pesados a diesel.

Leia mais

Perguntas mais Frequentes

Perguntas mais Frequentes Perguntas mais Frequentes 1. O que significa PROCONVE fases P7 e L6? PROCONVE é o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, criado pelo conselho Nacional de Meio Ambiente - CONAMA.

Leia mais

Inspeção Técnica Veicular

Inspeção Técnica Veicular Inspeção Técnica Veicular Paulo Cezar Gottlieb Engenheiro Mecânico Campanha de Segurança no Trânsito Fatores que causam acidentes Veículo Motorista - Falhas em componentes de segurança - Recall não realizado

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

PORTARIA.009./SVMA.G/2013 (Diário Oficial do Município 29/01/13 pág.20)

PORTARIA.009./SVMA.G/2013 (Diário Oficial do Município 29/01/13 pág.20) PORTARIA.009./SVMA.G/2013 (Diário Oficial do Município 29/01/13 pág.20) RICARDO TEIXEIRA, Secretário Municipal de Verde e do Meio Ambiente, autoridade municipal do Sistema Nacional do Meio Ambiente, no

Leia mais

INSPEÇÃO VEICULAR DO SISTEMA MUNICIPAL DE TRANSPORTES

INSPEÇÃO VEICULAR DO SISTEMA MUNICIPAL DE TRANSPORTES INSPEÇÃO VEICULAR DO SISTEMA MUNICIPAL DE TRANSPORTES De acordo com a Lei 13.241/01 e o Decreto nº 43.582/03 compete ao Município de São Paulo, por intermédio da Secretaria Municipal de Transportes - SMT,

Leia mais

Impactos na Qualidade do Ar e na Saúde Humana da Poluição Atmosférica na Região Metropolitana de São Paulo - SP

Impactos na Qualidade do Ar e na Saúde Humana da Poluição Atmosférica na Região Metropolitana de São Paulo - SP V Encontro Nacional da Anppas 4 a 7 de outubro de 2010 Florianópolis - SC - Brasil Impactos na Qualidade do Ar e na Saúde Humana da Poluição Atmosférica na Região Metropolitana de São Paulo - SP Louise

Leia mais

Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais. Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz

Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais. Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz Contratos de Manutenção Mercedes-Benz para Veículos Comerciais Bom para o seu veículo, rentável para o seu negócio. Mercedes-Benz Em um cenário competitivo, o sucesso não é determinado apenas pela oferta

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MEIO AMBIENTE

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MEIO AMBIENTE A falta de conservação e a desregulagem dos veículos: 1 apenas contribuem para a poluição do solo. 2 não agridem o meio ambiente. 3 acarretam, única e exclusivamente, o desgaste do veículo. 4 contribuem,

Leia mais

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis.

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. GNV Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. REUNIÃO DE ESPECIALISTAS SOBRE TRANSPORTE URBANO SUSTENTÁVEL MODERNIZAR E TORNAR ECOLÓGICA A FROTA DE TÁXIS NAS CIDADES LATINO AMERICANAS

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

6 CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR 6.1 FONTES ESTACIONÁRIAS 6.1.1 Programas de controle na RMSP 6.1.2 Controle de particulados na RMSP 6.1.

6 CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR 6.1 FONTES ESTACIONÁRIAS 6.1.1 Programas de controle na RMSP 6.1.2 Controle de particulados na RMSP 6.1. 6 CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR 6.1 FONTES ESTACIONÁRIAS 6.1.1 Programas de controle na RMSP 6.1.2 Controle de particulados na RMSP 6.1.3 Controle para dióxido de enxofre 6.1.4 Controle para fluoretos 6.1.5

Leia mais

M a n u a l d o M e c â n i c o

M a n u a l d o M e c â n i c o M a n u a l d o M e c â n i c o folder2.indd 1 20/11/2009 14 12 35 Manual do Mecânico GNV GÁS NATURAL VEICULAR Entenda o GNV e saiba quais os cuidados necessários para a manutenção de veículos que utilizam

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009 ÍNDICE 1. A Empresa 03 2. Objetivo 03 3. Inventário segundo a ISO 14.064-01 03 4. Identificação dos

Leia mais

Mudança tecnológica na indústria automotiva

Mudança tecnológica na indústria automotiva ESTUDOS E PESQUISAS Nº 380 Mudança tecnológica na indústria automotiva Dyogo Oliveira * Fórum Especial 2010 Manifesto por um Brasil Desenvolvido (Fórum Nacional) Como Tornar o Brasil um País Desenvolvido,

Leia mais

Dispõe sobre a implantação do "Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso", e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Paio DECR

Dispõe sobre a implantação do Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso, e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Paio DECR ,a 'SUBST1T.UTIV AO PROJETO I 9D EXECUM Dispõe sobre a implantação do "Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso", e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Paio DECR 19 IL Artigo

Leia mais

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS

PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS PRESERVAR O MEIO AMBIENTE UMA MISSÃO DE TODOS NÓS Meio Ambiente Tudo que está a nossa volta: todas as formas de vida e todos os elementos da natureza. Ecologia Ciência que estuda a relação dos seres vivos

Leia mais

Consumo Consciente Energia Elétrica

Consumo Consciente Energia Elétrica Consumo Consciente Energia Elétrica Agosto 2010 Planeta SUSTENTABILIDADE NO CONSUMO Incentivo ao consumo responsável e consciente IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA O GRUPO Compra energia elétrica de 23 concessionárias

Leia mais

Emissão de gases poluentes por veículos leves a gasolina na atmosfera de Belo Horizonte

Emissão de gases poluentes por veículos leves a gasolina na atmosfera de Belo Horizonte Emissão de gases poluentes por veículos leves a gasolina na atmosfera de Belo Horizonte Elisete Gomides Dutra Pesquisadora Fundação Estadual de Meio Ambiente de Minas Gerais - FEAM. Ramon Molina Valle

Leia mais

1.1 Poluentes atmosféricos. 1.2 Principais Poluentes Atmosféricos

1.1 Poluentes atmosféricos. 1.2 Principais Poluentes Atmosféricos 18 1. Introdução Nos últimos anos, o crescimento econômico dos países desenvolvidos provocou o aumento da demanda mundial por energia. Com esta também veio um forte aumento da dependência do petróleo e

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS POR VEÍCULOS AUTOMOTORES RODOVIÁRIOS DE CAMPO GRANDE/MS

INVENTÁRIO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS POR VEÍCULOS AUTOMOTORES RODOVIÁRIOS DE CAMPO GRANDE/MS INVENTÁRIO DE EMISSÕES ATMOSFÉRICAS POR VEÍCULOS AUTOMOTORES RODOVIÁRIOS DE CAMPO GRANDE/MS 1 SUMÁRIO Inventário de Emissões Atmosféricas LISTA DE ABREVIAÇÕES... 4 LISTA DE QUADROS... 5 LISTA DE FIGURAS...

Leia mais

00 05/11/2009 Elaboração Emissão Aprovada

00 05/11/2009 Elaboração Emissão Aprovada Página 1 de 8 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 05/11/29 Elaboração Emissão Aprovada OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE ELABORAÇÃO ANÁLISE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA STR SISTEMA DE TRANSPORTES Nº. 002/2015. Unidade Responsável: Secretaria Municipal do Interior e Transportes CAPÍTULO I

INSTRUÇÃO NORMATIVA STR SISTEMA DE TRANSPORTES Nº. 002/2015. Unidade Responsável: Secretaria Municipal do Interior e Transportes CAPÍTULO I INSTRUÇÃO NORMATIVA STR SISTEMA DE TRANSPORTES Nº. 002/2015 DISPÕE SOBRE AS ROTINAS E PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DE MANUTENÇÕES PREVENTIVAS E CORRETIVAS DA FROTA DE VEÍCULOS E NOS EQUIPAMENTOS PESADOS,

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE GASES POLUENTES POR MOTOCICLOS E ASSEMELHADOS DO CICLO OTTO EM USO.

PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE GASES POLUENTES POR MOTOCICLOS E ASSEMELHADOS DO CICLO OTTO EM USO. PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE GASES POLUENTES POR MOTOCICLOS E ASSEMELHADOS DO CICLO OTTO EM USO. 1 OBJETIVO Regulamentar os procedimentos de avaliação do estado de manutenção dos sistemas de controle

Leia mais

APRESENTAÇÃO MINAS GERAIS SÃO PAULO RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO

APRESENTAÇÃO MINAS GERAIS SÃO PAULO RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO APRESENTAÇÃO No transporte rodoviário desde 1953, a Empresa de Transportes Martins oferece um sistema de prestação de serviços de carga geral industrial e comercial, possuindo atualmente a seguinte composição

Leia mais

Inventário de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores do Estado do Rio de Janeiro

Inventário de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores do Estado do Rio de Janeiro 2011 Inventário de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores do Estado do Rio de Janeiro 1 Inventário de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores do Estado do Rio de Janeiro RELATÓRIO FINAL

Leia mais

SP 06/93 NT 165/93. Emissão de gases poluentes / curvas tipo. Engº José Tadeu Braz (GPC/SPR) 1. Introdução

SP 06/93 NT 165/93. Emissão de gases poluentes / curvas tipo. Engº José Tadeu Braz (GPC/SPR) 1. Introdução SP 06/93 NT 165/93 Emissão de gases poluentes / curvas tipo Engº José Tadeu Braz (GPC/SPR) 1. Introdução As questões ambientais requisitam de maneira crescente mais espaço dentro da engenharia de tráfego,

Leia mais

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Projeto: Geração de eletricidade a partir de fontes

Leia mais

PUBLICADO DOC 16/10/2013, PÁG 159 JUSTIFICATIVA PL 0738/2013

PUBLICADO DOC 16/10/2013, PÁG 159 JUSTIFICATIVA PL 0738/2013 PUBLICADO DOC 16/10/2013, PÁG 159 JUSTIFICATIVA PL 0738/2013 Se exigir, por questões de segurança que, na Cidade de São Paulo no ato do abastecimento dos veículos com sistemas para uso do Gás Natural Veicular

Leia mais

Eficiência Energética Aplicada na Indústria. Dr. Pedro Magalhães Sobrinho

Eficiência Energética Aplicada na Indústria. Dr. Pedro Magalhães Sobrinho Eficiência Energética Aplicada na Indústria Dr. Pedro Magalhães Sobrinho Eficiência 1 - Virtude de se obter um determinado efeito. 2 - Atitude, competência, eficácia em um cargo que se ocupa ou trabalho

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo Estadual decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo Estadual decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 6.656, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005. Cria o Programa Estadual de Inspeção e Manutenção de Veículos em uso, destinado a promover a redução da poluição do Meio Ambiente através do controle da emissão

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ PORTARIA SEMA/IAP Nº 001, DE 09 DE JANEIRO DE 2008 (D.O.E.PR. Nº 0000 DE 00/01/2008) Aprova e determina o cumprimento da Instrução Normativa IAP/DEPAM nº 001/2008, referentes às diretrizes para apresentação

Leia mais

ESTIMATIVA DAS EMISSÕES DE POLUENTES DOS AUTOMÓVEIS NA RMSP CONSIDERANDO AS ROTAS DE TRÁFEGO

ESTIMATIVA DAS EMISSÕES DE POLUENTES DOS AUTOMÓVEIS NA RMSP CONSIDERANDO AS ROTAS DE TRÁFEGO ESTIMATIVA DAS EMISSÕES DE POLUENTES DOS AUTOMÓVEIS NA RMSP CONSIDERANDO AS ROTAS DE TRÁFEGO Autor:Marcelo Camilli Landmann Aluno de doutorado do PROCAM/USP Programa de Ciência Ambiental Universidade de

Leia mais

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013 PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.2 Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já realizadas... 2 2. Justificativa... 6 3. Objetivos... 8 4. Área de abrangência...

Leia mais

A Participação de Betim na CCP: Campanha pela Proteção Climática das Cidades

A Participação de Betim na CCP: Campanha pela Proteção Climática das Cidades PREFEITURA MUNICIPAL DE BETIM - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE A Participação de Betim na CCP: Campanha pela Proteção Climática das Cidades I - Objetivo da campanha: Mobilizar a apoiar governos

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

XII Semana CIESP/FIESP de Meio Ambiente

XII Semana CIESP/FIESP de Meio Ambiente XII Semana CIESP/FIESP de Meio Ambiente Tema: As questões ambientais da Região Metropolitana de São Paulo Palestra: Estratégias de Proteção da Qualidade do Ar na RMSP Debatedor: Nelson Nefussi Consultor

Leia mais

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Suzana Kahn Ribeiro Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ IVIG Instituto Virtual Internacional de Mudanças Climáticas Estrutura

Leia mais

Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) Em Automotivos Movidos a Diesel

Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) Em Automotivos Movidos a Diesel Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) Em Automotivos Movidos a Diesel *MELO JUNIOR, A. S a.;gatti, L. b.; FERREIRA, P. G c.; FRUGOLLI, A. d a.universidade de São Paulo (USP)/Universidade Paulista,

Leia mais

CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR - PROCONVE/PROMOT RESOLUÇÃO CONAMA nº 15 de 1995

CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR - PROCONVE/PROMOT RESOLUÇÃO CONAMA nº 15 de 1995 RESOLUÇÃO CONAMA nº 15, de 13 de dezembro de 1995 Publicada no DOU n o 249, de 29 de dezembro de 1995, Seção 1, páginas 22876-22877 Correlações: Altera a Resolução n os 18/86 e 3/89 para os limites de

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE GESTÃO AMBIENTAL JANEIRO 2013 RESUMO EXECUTIVO A ACCENT é uma empresa especializada em soluções tradução e localização de software, publicações técnicas, conteúdo de sites e material institucional e educativo. ESTRUTURA

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE LEI N o 1.013, DE 2011 Dispõe sobre a fabricação e venda, em território nacional, de veículos utilitários movidos a óleo diesel, e dá

Leia mais

Programas de Inspeção Veicular

Programas de Inspeção Veicular Programas de Inspeção Veicular Introdução Esta matéria tem por objetivo, apresentar um panorama geral dos programas de inspeção veicular de gases e ruído, principalmente, no relativo ao embasamento legal

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Comitê Municipal de Mudanças do Clima e Ecoeconomia Grupo de Trabalho Sustentabilidade nos Transportes Ata da 6ª Reunião, ocorrida em 14/ 09/ 2010

Comitê Municipal de Mudanças do Clima e Ecoeconomia Grupo de Trabalho Sustentabilidade nos Transportes Ata da 6ª Reunião, ocorrida em 14/ 09/ 2010 Comitê Municipal de Mudanças do Clima e Ecoeconomia Grupo de Trabalho Sustentabilidade nos Transportes Ata da 6ª Reunião, ocorrida em 14/ 09/ 2010 Presentes: Fernando H. Gasperini SMDU Adriana Lopes Schneider

Leia mais

Por: Marco Lassen. Diesel

Por: Marco Lassen. Diesel Por: Marco Lassen Diesel Óleo Diesel e a Evolução do Teor de Enxofre Evolução do Teor de Enxofre 3 Legislação e Teor de Enxofre 2000 ppm 350 ppm 500 ppm 10 ppm 50 ppm 10 ppm EUROPA EURO III EURO IV EURO

Leia mais

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL

OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL OS CARROS FLEX FUEL NO BRASIL PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos MARÇO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 SUMÁRIO 1. Introdução...3 2. Histórico...3

Leia mais

Relatório Anual. Gás Canalizado

Relatório Anual. Gás Canalizado Relatório Anual Gás Canalizado SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. FISCALIZAÇÃO... 4 2.1. FISCALIZAÇÃO DE INDICADORES... 4 2.2. FISCALIZAÇÕES DE CAMPO... 14 2.3. OUTRAS FISCALIZAÇÕES... 15 2.3.1 COG CONCENTRAÇÃO

Leia mais

PROAR - Programa da Qualidade Do Ar de Santo André

PROAR - Programa da Qualidade Do Ar de Santo André PROAR - Programa da Qualidade Do Ar de Santo André Semasa Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André PROAR - Programa da Qualidade Do Ar de Santo André 2003 TEMA: PROAR - Programa da Qualidade

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 1) O que significa DBTE? Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos: o S-50 (2012) e o S-10 a partir de 2.013, onde S= enxofre, 10 ou 50 ppm=

Leia mais

Transparência na relação com os consumidores

Transparência na relação com os consumidores Transparência na relação com os consumidores FLEURY MEDICINA e SAÚDE Fleury Medicina Diagnóstica 1926 Fundado em 1926 pelo médico Gastão Fleury Silveira; Primeiro laboratório multidisciplinar de análises

Leia mais

RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE

RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE RASTREAMENTO DE FROTAS COMO FORMA DE ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E TORNAR MAIS SUSTENTÁVEL O TRANSPORTE por Cileneu Nunes Painel 3: Tecnologias para monitoramento de risco e produtividade logística O mercado

Leia mais

Divisão de Questões Globais PROCLIMA Programa de Prevenção às Mudanças Climáticas CETESB Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental

Divisão de Questões Globais PROCLIMA Programa de Prevenção às Mudanças Climáticas CETESB Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental João Wagner Alves 1 Divisão de Questões Globais PROCLIMA Programa de Prevenção às Mudanças Climáticas CETESB Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental Agradecimentos: Prof. Dr. Ronaldo Balassiano

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG

DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DE MINAS GERAIS DETRAN/MG PROCEDIMENTO DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PMI PROJETO DE GUARDA E REMOÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES EM CIRCULAÇÃO SUJEITOS A INFRAÇÃO À LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO Belo Horizonte MG, setembro de 2013 SOBRE A

Leia mais